*01 0* *26$.7

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "*01 0*+.34 5 0*26$.7"

Transcrição

1 !"#$%&'$&()$ *+,+ %-./ *, *01 *2%... 0* *. 0*0. 0*26$.7 2*+ 8$9:

2 *, 1. Prédios rústicos; 2. Prédios urbanos; 3. Prédios Mistos. *, Prédios urbanos (continuação) (a) Habitacionais; (b) Comerciais, industriais ou para serviços; (c) Terrenos para construção; (d) Outros Terrenos com licença de construção ou com autorização de operação de loteamento ou como tal declarado no título aquisitivo Terrenos situados dentro de um aglomerado urbano para os quais: a) - as entidades competentes vedem qualquer licença ou autorização de operação de loteamento ou de construção; b) - edifícios e construções licenciados ou, na falta de licença, que tenham como destino normal outros fins que não a Habitação, Comércio, Industria ou Serviços. 0

3 * ;<4 /.2*=>/. *=0;=A5>.B?*=2=,A8C.D. E.E,.F..-..3E...GE,F.1E 9+../...* *01./,..E..E : 3E : 3.8L... *!.1E %.F1E 1 2

4 *2%...,,) %&9$!$&%,)+?.L.,, A,. A88-./.+ 3/.3E A /$9NE A. /)E A /,8.3E A. /E A. /3E /A. /.E FA. / 3E A. // * M

5 ,>,) 1D3H.DE /.O3.8 L E H O,-. 3 E / /.* Q. *!?..A. E E 1*** &/?/D A >0P E E 1*** K

6 #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] Vt = Vc x A x Ca x Cl x Cq x Cv Vt Valor patrimonial tributário Vc Valor base dos prédios edificados A Área bruta de construção mais a Área excedente à área de implantação Ca Coeficiente de afectação Cl Coeficiente de localização Cq Coeficiente de qualidade e conforto Cv Coeficiente de vetustez #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$#$! Vt = Vc x A x Ca x Cl x Cq x Cv 1. Custo médio de construção/m 2 Portaria nº 99/2005 de 17 de Janeiro 1.º 490 no ano de Valor do m 2 do terreno de implantação [fixado em 25% do custo médio de construção/m2] 122, Vc para ,5 Nota : O valor base dos prédios edificados [Vc] em2006 é de 615 ;

7 #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$# da Área bruta de construção mais a Área excedente à área de implantação [do edifício ou fracção] Vt = Vc x A x Ca x Cl x Cq x Cv A = Aa + Ab + Ac + Ad Aa Ab Ac Ad Áreas brutas privativas Áreas brutas dependentes Área de terreno livre até duas vezes a área de implantação Área de terreno livre que excede o limite de duas vezes a área de implantação #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$# da Área bruta de construção mais a Área excedente à área de implantação [do edifício ou fracção] Aa A = Aa + Ab + Ac + Ad Área bruta privativa É a superfície total, medida pelo perímetro exterior e eixos das paredes ou outros elementos separadores do edifício ou da fracção, inclui varandas privativas [fechadas], caves e sótãos privativos com utilização idêntica à do edifício ou da fracção. Aplica-se o coeficiente I

8 #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$# da Área bruta de construção mais a Área excedente à área de implantação [do edifício ou fracção] Ab A = Aa + Ab + Ac + Ad Áreas brutas dependentes São as áreas cobertas de uso exclusivo, ainda que constituam partes comuns, mesmo que situadas no exterior do edifício ou da fracção, cujas utilizações são acessórias relativamente ao uso a que se destina o edifício ou fracção. Para o efeito, consideram-se locais acessórios: garagens e parqueamentos, arrecadações, instalações para animais, sótãos ou caves acessíveis, desde que não integrados na Aa, e ainda outros locais privativos de função distinta das anteriores, como é o caso das varandas não fechadas. Aplica-se o coeficiente Têm uma utilização acessória relativamente ao uso a que se destina o edifício ou fracção #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$# da Área bruta de construção mais a Área excedente à área de implantação [do edifício ou fracção] A = Aa + Ab + Ac + Ad Exemplo 1 Loja no centro comercial das Amoreiras com 243 m 2 de área bruta privativa, armazém de apoio na cave com 100 m 2, garagem privativa com 18 m 2 e parqueamento com 12 m 2. Aa = 243 x 1 = 243 m 2 Ab = ( ) x 0,3 = 39 m 2 Ac e Ad = 0 A = = 282 m 2 J

9 #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$# da Área bruta de construção mais a Área excedente à área de implantação [do edifício ou fracção] Ac A = Aa + Ab + Ac + Ad Área de terreno livre até duas vezes a área de implantação A área do terreno livre do edifício ou da fracção ou a sua quota-parte resulta da diferença entre a área total do terreno e a área de implantação da construção ou construções. Integra jardins, parques, campos de jogos, piscinas, quintais e outros logradouros. Aplica-se o coeficiente A = Aa + Ab + Ac + Ad Aplica-se o coeficiente 0.005, para a área excedente ao limite de duas vezes a área de implantação. Ad Área de terreno livre que excede em duas vezes a área de implantação #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$# da Área bruta de construção mais a Área excedente à área de implantação [do edifício ou fracção] Em síntese: % A = Aa + Ab + Ac + Ad Aa Ab Ac Ad Área bruta privativa Áreas brutas dependentes Área de terreno livre até duas vezes a área de implantação Área de terreno livre que excede em duas vezes a área de implantação R

10 #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$#& '" Tipo de utilização Coeficientes Comércio 1,20 Serviços 1,10 Vt = Vc x A x Ca x Cl x Cq x Cv Habitação 1,00 Habitação social sujeita a regimes legais de custos controlados 0,70 Armazéns e actividade industrial 0,60 Vt Valor patrimonial tributário Estacionamento coberto 0,40 Vc Valor base dos prédios edificados Prédios não licenciados que não A Área bruta de construção mais a Área excedente à área de implantação reunam condições mínimas de 0.45 habitabilidade [habitação] Estacionamento não coberto 0,08 Ca Coeficiente de afectação Cl Cq Cv Coeficiente de localização Coeficiente de qualidade e conforto Coeficiente de vetustez Em função do tipo de utilização de determinado prédio edificado, assim se aplica o respectivo coeficiente de afectação. #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$#& '"()* [a] Oficinas (ex. mecânica auto, de restauro de mobiliário, de reparações eléctricas), hotéis, restaurantes, bares, discotecas: Serviços; [b] Oficinas (ex. marcenaria, metal mecânica, olaria): Indústria; [c] Hipermercados / Supermercados: Fazer o devido enquadramento de acordo com a utilização (comércio, serviços, armazéns se constituem áreas economicamente independentes, etc.); [d] Quiosques: Comércio ou serviços, de acordo com a utilização dominante; [e] Estabelecimentos onde a actividade principal é o ensino ( ex. creches, escolas de ensino básico e secundário, institutos politécnicos, universidades): Serviços; [f] Estabelecimentos onde se prestam actos clínicos e cuidados de saúde (ex. Centros de enfermagem, casa de repouso e lares, clínicas, hospitais): Serviços. <

11 #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$#+, '" Vt = Vc x A x Ca x Cl x Cq x Cv Vt Vc A Valor patrimonial tributário Valor base dos prédios edificados Área bruta de construção mais a Área excedente à área de implantação Ca Coeficiente de afectação Cl Coeficiente de localização Cq Cv Coeficiente de qualidade e conforto Coeficiente de vetustez O coeficiente de localização varia entre 0,4 e 2,0 podendo ser reduzido para 0,35 em situações de habitação dispersa, frequente no meio rural, e ser elevado até 3,0 em zonas de elevado valor de mercado imobiliário )-)./01#2

12 )-)./01#2 #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$#+, '"() 5 ( 3,, $('%3$4 56 $ " 7 75 $ "$89 ) 3,# ('%6$4 56 $22 " "5 # /( 5 :! [Vc] - 600,00 ; " 163,60 ' '" 1,00 ', '" 2,30 '< '<" 1,03 '5, '5" 0, S ,00! [Vc] - 600,00 ; "( 162,50 ' '" 1,00 ', '" 1,40 '< '<" 1,04 '5, '5" 1, S ,00 0

13 #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$#+< '<" Vt = Vc x A x Ca x Cl x Cq x Cv Vt Vc A Ca Cl Valor patrimonial tributário Valor base dos prédios edificados Área bruta de construção mais a Área excedente à área de implantação Coeficiente de afectação Coeficiente de localização Cq Coeficiente de qualidade e conforto Cv Coeficiente de vetustez O coeficiente de qualidade e conforto (Cq) é aplicado ao valor base do prédio edificado, podendo ser majorado até 1,7 e minorado até 0,5 Prédios urbanos destinados a habitação Elementos de qualidade e conforto Adiciona à unidade Majorativos Minorativos Descrição Coeficiente Descrição Coeficiente Moradias unifamiliares até 0,20 Inexistência de cozinha 0,10 Localização em condomínio Inexistência de instalações 0,20 fechado sanitárias Inexistência de rede pública ou Garagem individual 0,04 privada de água Garagem colectiva 0,03 Piscina individual 0,06 Inexistência de rede pública ou privada de electricidade Piscina colectiva 0,03 Inexistência de rede pública ou privada de gás Campo de ténis 0,03 Inexistência de rede pública ou privada de esgotos Outros equipamentos de lazer 0,04 Inexistência de ruas pavimentadas Qualidade construtiva até 0,15 Existência de áreas inferiores ás regulamentares Localização excepcional até 0,10 Sistema central de climatização 0,03 Elevadores em edifícios de menos de 4 pisos 0,02 Inexistência de elevador em edifícios com mais de 3 pisos Estado deficiente de conservação 0,10 0,08 0,10 0,02 0,05 0,03 0,05 0,02 até 0,10 Subtrai à unidade 2

14 Adiciona à unidade Prédios urbanos destinados a comércio, indústria e serviços Elementos de qualidade e conforto Majorativos Minorativos Descrição Coeficiente Descrição Coeficiente Localização em centro Inexistência de instalações 0,25 0,10 comercial sanitárias Inexistência de rede pública ou 0,08 Localização em edifícios privada de água 0,10 destinados a escritórios Inexistência de rede pública ou 0,10 privada de electricidade Sistema central de Inexistência de rede pública ou 0,10 0,05 climatização privada de esgotos Inexistência de ruas Qualidade construtiva Até 0,10 0,03 pavimentadas Inexistência de elevadores em 0,02 Existência de elevador(es) edifícios com mais de 3 pisos 0,03 e/ou escada(s) rolante(s Estado deficiente de Até 0,10 conservação Subtrai à unidade #$#+#$'< A CNAPU propõe directrizes; O Ministro de Finanças aprova. 2. O Perito avaliador deve: considerar essas directrizes na parametrização da sua grelha de valorização e depreciação; preencher o Anexo I da Ficha de Avaliações (Aplicação de Gestão das Avaliações). M

15 #$ [habitação, comércio, indústria e serviços] #$#+5, '5" Vt = Vc x A x Ca x Cl x Cq x Cv Vt Vc A Ca Cl Cq Valor patrimonial tributário Valor base dos prédios edificados Área bruta de construção mais a Área excedente à área de implantação Coeficiente de afectação Coeficiente de localização Coeficiente de qualidade e conforto Cv Coeficiente de vetustez Anos Coeficiente de Vetustez Menos de 3 1,00 3 a 5 0,98 6 a 10 0,95 11 a 15 0,90 16 a 20 0,85 21 a 30 0,80 31 a 40 0,75 41 a 50 0,65 51 a 60 0,55 61 a 80 0,45 Mais de 80 0,35 é determinado em função do número inteiro de anos decorridos desde a data de emissão da licença de utilização, caso exista, ou desde a data de conclusão das obras de edificação #.: 3D.8-..DHD H8 LO* + $ 3 KT MKT.1. 8/.* K

16 #)*: 9<<<008 3<<03.. 0J0* U H?VAH,H<*KV H?VAH, U;KH?0<<VJAH<*JKH<*KV;KH?JV0*;AH<*JK US02*;M<8<< %&9$+)9%&)%9 )9%&)%9 + 9 ;

17 .H/,. * S. de Finanças P?!+ A. S. de Finanças Notifica contribuinte &+ 0P, )9%&)%9 ENTREGAR FICHA DE AVALIAÇÃO POR NÚMERO CONSULTAR FICHAS POR AVALIAR FICHAS AVALIADAS ZONAMENTO COMPROVATIVOS I

18 J

19 R

20 0<

21 0

22 00

23 02

24 0M

25 ) ) ') +*-,.0/21'354 6'7!!"# $&%$'(%), 0K

26 (!,9"#$ W 9%X(!,$ (!,9"#$,$$,%%&$Y ZZZ*+*/ * &),),$)!%,$)!9%)$&"#$%[$)%)9$ C!"#$%&'()%*")%)+#%)) $&&%%!$,!%$&!$&$!$&9&$)! 0;

27 )9%&"#$%%& "$ 9%%%9#$%!"\% COMPONENTE INTRANET COMPONENTE INTRANET SF s 9&("#$%,N &%#$,N,$)&"#$!"#$ )$9,"#$,9!["#$)9&[,$)!9 COMPONENTE,$$)%)9% )9%&)%9 INTERNET PERITOS 9%%%9#$%!"\% %)9&%,$)!9,$&$ 9 $ 2*+ 8$9: 9. * %..D [ 0I

28 ', 3H F 7'# 2*+ 8$9: /+ +?1A &G +,.1 + Q.,. 0J

29 .D + $.D38/..1 /.C+ -.LL.. O8L.2<T H-. / E + H.0<T H-. /.-... E.D?*A + L2<T H3./E + LH3 G3.8H.DS 0< /* 9H?<8M+<8J<80<8KA R

30 + /=, 9+ /;=,9.$/ 2<

A Tributação do Património IMI - AVALIAÇÕES. Elaborados por Abílio Marques www.abiliomarques.pt AVALIAÇÕES FISCAIS AICCOPN 2009-03-26

A Tributação do Património IMI - AVALIAÇÕES. Elaborados por Abílio Marques www.abiliomarques.pt AVALIAÇÕES FISCAIS AICCOPN 2009-03-26 A Tributação do Património IMI - AVALIAÇÕES Porto, 26 de Março de 2009 Organização: AICCOPN Porto Elaborados por Abílio Marques www.abiliomarques.pt Espécies de prédios: (artigo 3º) Prédios rústicos (artº

Leia mais

Manual de Avaliação de Prédios Urbanos

Manual de Avaliação de Prédios Urbanos Manual de Avaliação de Prédios Urbanos (versão 5.0) Direcção de Serviços de Avaliações (Maio de 2011) Nota introdutória..3 Mapa síntese das actualizações do Manual de Avaliação....5 1. Conceito de prédio.6

Leia mais

ANTES DE PREENCHER LEIA ATENTAMENTE TODO O IMPRESSO E CONSULTE AS INSTRUÇÕES

ANTES DE PREENCHER LEIA ATENTAMENTE TODO O IMPRESSO E CONSULTE AS INSTRUÇÕES ANTES DE PREENCHER LEIA ATENTAMENTE TODO O IMPRESSO E CONSULTE AS INSTRUÇÕES MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DOS IMPOSTOS IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS (IMI) DECLARAÇÃO PARA INSCRIÇÃO OU ACTUALIZAÇÃO

Leia mais

Ordenamento do Espaço Rural

Ordenamento do Espaço Rural Ordenamento do Espaço Rural Ano lectivo 2005/2006 Aula Prática nº5 (Cap2.) Código do IMI Ordenamento do Espaço Rural 1 Capítulo 2 Modelos avaliação território 2.5 O valor tributável da terra O valor da

Leia mais

DISTRITO: 11 - LISBOA CONCELHO: 06 - LISBOA FREGUESIA: 65 - SANTA MARIA MAIOR ARTIGO MATRICIAL: 2683 NIP:

DISTRITO: 11 - LISBOA CONCELHO: 06 - LISBOA FREGUESIA: 65 - SANTA MARIA MAIOR ARTIGO MATRICIAL: 2683 NIP: IDENTIFICAÇÃO DO PRÉDIO DISTRITO: 11 - LISBOA CONCELHO: 06 - LISBOA FREGUESIA: 65 - SANTA MARIA MAIOR ARTIGO MATRICIAL: 2683 NIP: Artigo: 146 LOCALIZAÇÃO DO PRÉDIO DESCRIÇÃO DO PRÉDIO Tipo de Prédio: Prédio

Leia mais

AVALIAÇÕES FISCAIS DE IMÓVEIS

AVALIAÇÕES FISCAIS DE IMÓVEIS AVALIAÇÕES FISCAIS DE IMÓVEIS Eng.º Nelson Oliveira Pinto, Técnico da Direcção Geral dos Impostos - Direcção do Serviço de Avaliações(Lisboa) e Membro da Comissão Nacional de Avaliação de Prédios Urbanos

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DO PATRIMÓNIO ASPECTOS FUNDAMENTAIS

TRIBUTAÇÃO DO PATRIMÓNIO ASPECTOS FUNDAMENTAIS DIRECÇÃO DE FINANÇAS DE COIMBRA TRIBUTAÇÃO DO PATRIMÓNIO ASPECTOS FUNDAMENTAIS Local: CD Ordem dos Advogados Data: 27 Maio de 2011 Duração: 6 Horas Apresentação: António Santos Rocha Nelson das Neves Figueira

Leia mais

AVALIAÇÕES GERAIS DE PRÉDIOS URBANOS

AVALIAÇÕES GERAIS DE PRÉDIOS URBANOS AVALIAÇÕES GERAIS DE PRÉDIOS URBANOS EFEITOS DA AVALIAÇÃO FISCAL NA TRIBUTAÇÃO IMI IRS IVA PENHORA NRAU VPT TAXAS EXPROPRIAÇÕES IS IMT IRC 2 AVALIAÇÕES GERAIS DE PRÉDIOS URBANOS Legislação aplicável Artigos

Leia mais

Portaria 982/2004, de 4 de Agosto

Portaria 982/2004, de 4 de Agosto Portaria 982/2004, de 4 de Agosto Aprova e dá publicidade aos coeficientes a fixar dentro dos limites estabelecidos no Código do Imposto Municipal sobre Imóveis (CIMI), bem como aprova e dá publicidade

Leia mais

IMI. Imposto Municipal sobre Imóveis. Trabalho realizado por: Vera Valadeiro. Paula Meireles. Sofia Gonçalves. Paula Machado

IMI. Imposto Municipal sobre Imóveis. Trabalho realizado por: Vera Valadeiro. Paula Meireles. Sofia Gonçalves. Paula Machado IMI Imposto Municipal sobre Imóveis Trabalho realizado por: Vera Valadeiro Paula Meireles Sofia Gonçalves Paula Machado Índice: Introdução Incidência Início da tributação Isenções Determinação do valor

Leia mais

Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos

Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos REGISTO DE ENTRADA Requerimento n.º de / / Processo n.º / Pago por Guia n.º,. Ao Serviço O Funcionário, Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO EM

Leia mais

REGIME JURÍDICO DO TURISMO NO ESPAÇO RURAL

REGIME JURÍDICO DO TURISMO NO ESPAÇO RURAL REGIME JURÍDICO DO TURISMO NO ESPAÇO RURAL O Turismo no Espaço Rural consiste no conjunto de actividades e serviços de alojamento e animação a turistas em empreendimentos de natureza familiar realizados

Leia mais

Município de Estarreja 1

Município de Estarreja 1 Apreciação de pedidos I 0 0 0 0 I 1 0 0 0 I 1.1 0 0 0 I 1.1 a) 0 0 I 1.1 b) 0 0 I 1.2 0 0 0 I 2 0 0 0 I 2.1 0 0 0 I 2.2 0 0 0 I 3 0 0 0 I 3.1 0 0 0 I 3.2 0 0 0 I 3.3 0 0 0 Informação Prévia Loteamentos

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Laboratório Nacional de Engenharia Civil Av. do Brasil, 101, 1700-066 LISBOA PORTUGAL Tel.: (+351) 21 844 00 00; Fax: (+351) 21 844 30 28 Memorando

Leia mais

Portaria n.º 1136/2001 de 25 de Setembro

Portaria n.º 1136/2001 de 25 de Setembro Portaria n.º 1136/2001 de 25 de Setembro O Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, que aprovou o novo regime jurídico da urbanização e da edificação, estipula nos n. os 1 e 2 do artigo 43.º que os projectos

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPENSAÇÕES POR NÃO CEDÊNCIA DE TERRENOS PARA EQUIPAMENTOS E ESPAÇOS VERDES PÚBLICOS DECORRENTE DA APROVAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

REGULAMENTO DE COMPENSAÇÕES POR NÃO CEDÊNCIA DE TERRENOS PARA EQUIPAMENTOS E ESPAÇOS VERDES PÚBLICOS DECORRENTE DA APROVAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS REGULAMENTO DE COMPENSAÇÕES POR NÃO CEDÊNCIA DE TERRENOS PARA EQUIPAMENTOS E ESPAÇOS VERDES PÚBLICOS DECORRENTE DA APROVAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS 1. O Regulamento referente à compensação pela não

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DO PATRIMÓNIO ASPECTOS FUNDAMENTAIS

TRIBUTAÇÃO DO PATRIMÓNIO ASPECTOS FUNDAMENTAIS DIRECÇÃO DE FINANÇAS DE COIMBRA TRIBUTAÇÃO DO PATRIMÓNIO ASPECTOS FUNDAMENTAIS Local: CD Ordem dos Advogados Duração: 7 Horas Apresentação: António Santos Rocha Nelson das Neves Figueira 1 SEMINÁRIO TRIBUTAÇÃO

Leia mais

Inspecção técnica de edifícios AVALIAÇÃO DO ESTADO DE CONSERVAÇÃO DE EDIFÍCIOS: O QUADRO LEGAL PORTUGUÊS

Inspecção técnica de edifícios AVALIAÇÃO DO ESTADO DE CONSERVAÇÃO DE EDIFÍCIOS: O QUADRO LEGAL PORTUGUÊS Inspecção técnica de edifícios AVALIAÇÃO DO ESTADO DE CONSERVAÇÃO DE EDIFÍCIOS: O QUADRO LEGAL PORTUGUÊS António Vilhena 1, João Branco Pedro 2 e Jorge de Brito 3 (1) Assistente Investigação do Laboratório

Leia mais

DISTRITO: 11 - LISBOA CONCELHO: 06 - LISBOA FREGUESIA: 30 - SANTA ISABEL (EXTINTA) Tipo: URBANO Artigo: 1745

DISTRITO: 11 - LISBOA CONCELHO: 06 - LISBOA FREGUESIA: 30 - SANTA ISABEL (EXTINTA) Tipo: URBANO Artigo: 1745 IDENTIFICAÇÃO DO PRÉDIO DISTRITO: 11 - LISBOA CONCELHO: 06 - LISBOA FREGUESIA: 60 - ESTRELA ARTIGO MATRICIAL: 1376 NIP: DISTRITO: 11 - LISBOA CONCELHO: 06 - LISBOA FREGUESIA: 30 - SANTA ISABEL (EXTINTA)

Leia mais

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS. O que é. A que tipo de prédios se aplica

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS. O que é. A que tipo de prédios se aplica IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS O que é A que tipo de prédios se aplica Quem tem de pagar IMI Prédios isentos Reconhecimento Tipo de isenção Prédios classificados como monumentos nacionais ou património

Leia mais

TABELA ANEXA DE TAXAS

TABELA ANEXA DE TAXAS TABELA ANEXA DE TAXAS Actualizada de acordo com o artigo 80º (De Fev. 2008 a Fev. 2009) QUADRO I Emissão de alvará de licença ou autorização de loteamento e de obras de urbanização 1. Emissão do alvará

Leia mais

LEI MUNICIPAL N.º 3.464, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2008

LEI MUNICIPAL N.º 3.464, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2008 ANEXO 2 CATEGORIAS DE ATIVIDADES E CLASSIFICAÇÃO Residências Unifamiliares RU Compreendendo: a) residências unifamiliares isoladas; b) residências unifamiliares agrupadas, geminadas ou em série; c) condomínios

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DAS NOTAS EXPLICATIVAS

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DAS NOTAS EXPLICATIVAS PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DAS NOTAS EXPLICATIVAS Notas explicativas (anexo ao Regulamento - artigo 28.º) Classe de uso de solo Áreas territoriais que ficam afectam a um uso dominante, o qual dá a denominação

Leia mais

Dossier Promocional. Moradia em Abrantes Santarém

Dossier Promocional. Moradia em Abrantes Santarém Dossier Promocional Moradia em Abrantes Santarém 1 1. Contexto e a Oportunidade 2. Localização do Imóvel 3. Características Gerais do Imóvel 4. Descrição Detalhada 5. Condições de Comercialização 6. Contactos

Leia mais

Água. Água - Tarifa Variável. Escalão Intervalo (m3) Preço. 1 0 a 5 0,30 2 > 5 a 15 0,40 3 > 15 a 25 0,80 4 > 25 a 50 1,00 5 > 50 2,00

Água. Água - Tarifa Variável. Escalão Intervalo (m3) Preço. 1 0 a 5 0,30 2 > 5 a 15 0,40 3 > 15 a 25 0,80 4 > 25 a 50 1,00 5 > 50 2,00 Fixação de preços cobrados pelo município nos serviços de água, saneamento e resíduos, nos termos das recomendações da Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos (ERSAR) Água Utilizadores domésticos:

Leia mais

PORTUGAL - SISTEMA FISCAL SOBRE O PATRIMÓNIO IMOBILIÁRIO

PORTUGAL - SISTEMA FISCAL SOBRE O PATRIMÓNIO IMOBILIÁRIO PORTUGAL - SISTEMA FISCAL SOBRE O PATRIMÓNIO IMOBILIÁRIO 1 OS IMPOSTOS SOBRE O PATRIMÓNIO - IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS (IMI) - O IMI é um imposto que incide sobre o valor patrimonial tributário dos

Leia mais

A QUADRO I - Taxa devida pela emissão de alvará de licença ou por comunicação prévia de operação de loteamento e ou seus aditamentos

A QUADRO I - Taxa devida pela emissão de alvará de licença ou por comunicação prévia de operação de loteamento e ou seus aditamentos DESCRIÇÃO T A X Taxas 2011 A QUADRO I - Taxa devida pela emissão de alvará de licença ou por comunicação prévia de operação de loteamento e ou seus aditamentos 1. Taxa de Apreciação 302,51 2. Emissão do

Leia mais

CASAS DO CASTELO. LEÇA DA PALMEIRA 18 Dezembro 2012

CASAS DO CASTELO. LEÇA DA PALMEIRA 18 Dezembro 2012 CASAS DO CASTELO LEÇA DA PALMEIRA 18 Dezembro 2012 Índice 1 Localização 3 2 Descrição 5 3 Fotografias 7 4 Acabamentos e Equipamentos 10 5 Áreas e Preços 13 6 Plantas 15 Fracção C 16 Fracção D 17 Fracção

Leia mais

Hotel 4 estrelas + Moradias em Malanje -Estudo Prévio

Hotel 4 estrelas + Moradias em Malanje -Estudo Prévio Tendo como base o programa fornecido, o presente estudo tem como objectivo dar a conhecer as intenções da nossa proposta para a elaboração do projecto para um Hotel 4 estrelas, mais moradias em Malanje

Leia mais

APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS (Portaria n.º 1107/2001, de 18 de Setembro) O Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, que aprovou o novo regime

Leia mais

Índice. Noções gerais sobre a organização de condóminos 3. Assembleia de condomínios / inquilinos 5. O Administrador 7. Regulamento do Condomínio 9

Índice. Noções gerais sobre a organização de condóminos 3. Assembleia de condomínios / inquilinos 5. O Administrador 7. Regulamento do Condomínio 9 GUIA DE CONDOMÍNIO Índice Noções gerais sobre a organização de condóminos 3 Assembleia de condomínios / inquilinos 5 O Administrador 7 Regulamento do Condomínio 9 2 Noções gerais sobre a organização de

Leia mais

CIRCUITO DE UM PROCESSO PARA ABASTECIMENTO

CIRCUITO DE UM PROCESSO PARA ABASTECIMENTO CIRCUITO DE UM PROCESSO PARA ABASTECIMENTO O presente documento visa fornecer indicações sobre a elaboração e constituição de um processo para abastecimento, quer este se apresente sob a forma de Processo

Leia mais

Avaliação das anomalias construtivas e funcionais das Torres do Alto da Eira

Avaliação das anomalias construtivas e funcionais das Torres do Alto da Eira Avaliação das anomalias construtivas e funcionais das Torres do Alto da Eira Introdução Este trabalho pretende avaliar o estado de conservação dos edifícios e das anomalias funcionais dos mesmos. Foi utilizado

Leia mais

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS. O que é. A que tipo de prédios se aplica

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS. O que é. A que tipo de prédios se aplica IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS O que é A que tipo de prédios se aplica Quem tem de pagar IMI Prédios isentos Reconhecimento Tipo de isenção Prédios classificados como monumentos nacionais ou património

Leia mais

TABELA DE TAXAS PARTE B - OPERAÇÕES URBANÍSTICAS QUADRO I. Taxa devida pela apreciação de projectos de loteamento

TABELA DE TAXAS PARTE B - OPERAÇÕES URBANÍSTICAS QUADRO I. Taxa devida pela apreciação de projectos de loteamento TABELA DE TAXAS PARTE B - OPERAÇÕES URBANÍSTICAS Loteamento sem obras de urbanização QUADRO I Taxa devida pela apreciação de projectos de loteamento 1 Informação prévia 95,00 d) 2 Licenciamento 142,00

Leia mais

PGT - 1* para AUTOMÓVEIS. 1 vaga / unid com área 150 m² 1 vaga / unid c/ área 150 m² 2 vagas / unidade 1 vaga / 5 unidades

PGT - 1* para AUTOMÓVEIS. 1 vaga / unid com área 150 m² 1 vaga / unid c/ área 150 m² 2 vagas / unidade 1 vaga / 5 unidades USO para AUTOMÓVEIS PGT - 1* para AUTOMÓVEIS para BICICLETAS para MOTOCICLETAS Residências Unifamiliares 1 vaga/ unidade - - - 1 vaga / unidade Condomínios Unifamiliares - 2 vagas / unidade 1 vaga de visitante

Leia mais

Serviços de SEGURANÇA do TRABALHO

Serviços de SEGURANÇA do TRABALHO Serviços de SEGURANÇA do TRABALHO Auditorias Técnicas de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, visam parametrizar Instalações, Equipamentos e materiais Manuseamento de máquinas e produtos químicos Equipamentos

Leia mais

TABELA ANEXA. QUADRO II Taxa devida pela emissão de alvará de licença ou admissão de comunicação prévia de obras de urbanização

TABELA ANEXA. QUADRO II Taxa devida pela emissão de alvará de licença ou admissão de comunicação prévia de obras de urbanização TABELA ANEXA QUADRO I Taxa devida pela emissão de alvará, licença ou admissão de comunicação prévia de loteamento com ou sem obras de urbanização 1 Emissão do alvará de licença ou admissão de comunicação

Leia mais

196,6 referente à habitação unifamiliar isolada e habitação multifamiliar única e isolada R$ 196,60.

196,6 referente à habitação unifamiliar isolada e habitação multifamiliar única e isolada R$ 196,60. ANEXO XII LICENÇA PARA EXECUÇÃO DE OBRAS OU SERVIÇOS DE ENGENHARIA 1.0 TERRENO R$ 1.0.1 Análise de terreno referente a desmembramento, remembramento e demarcação, com 163,89 área até 5.000m². 1.0.2 Análise

Leia mais

Regulamento de Edificabilidade do Pólo Industrial da Lagoa Cortes - Monção

Regulamento de Edificabilidade do Pólo Industrial da Lagoa Cortes - Monção Regulamento de Edificabilidade do Pólo Industrial da Lagoa Cortes - Monção CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito e aplicação Para efeitos de uso do solo e de licenciamento de quaisquer obras de

Leia mais

6408 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 235 10 de Outubro de 2001 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

6408 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 235 10 de Outubro de 2001 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS 6408 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 235 10 de Outubro de 2001 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Resolução do Conselho de Ministros n. o 150/2001 A Assembleia Municipal de Santarém aprovou em 20

Leia mais

TABELA I CASAS POPULARES OU DE INTERESSE SOCIAL UNIFAMILIAR

TABELA I CASAS POPULARES OU DE INTERESSE SOCIAL UNIFAMILIAR -fl.44- TABELA I CASAS POPULARES OU DE INTERESSE SOCIAL UNIFAMILIAR PÉ DIREITO REVESTIMENTO PAREDES 01 SALA DE ESTAR 2.00 8.00 1/8 1/16 2.50 3 x P.D. - - 02 DORMITÓRIO ÚNICO 2.00 8.00 1/8 1/16 2.50 3 x

Leia mais

Alterações introduzidas com o Orçamento Geral do Estado para 2009

Alterações introduzidas com o Orçamento Geral do Estado para 2009 PRÁTICA FISCAL II Alterações introduzidas com o Orçamento Geral do Estado para 2009 IMI 1. Os prédios urbanos em ruínas passam a ser equiparados a terrenos de construção para efeitos de avaliação. 2. As

Leia mais

PRINCIPAIS PROBLEMAS QUE SE COLOCAM NOS PROCESSOS DE LICENCIAMENTO DE PRODUTOS ALIMENTARES E DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS

PRINCIPAIS PROBLEMAS QUE SE COLOCAM NOS PROCESSOS DE LICENCIAMENTO DE PRODUTOS ALIMENTARES E DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS PRINCIPAIS PROBLEMAS QUE SE COLOCAM NOS PROCESSOS DE LICENCIAMENTO DE PRODUTOS ALIMENTARES E DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS 1 - ENQUADRAMENTO LEGAL MUITO EXIGENTE Os processos de licenciamento destes processos

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DO PARQUE EMPRESARIAL DA QUIMIPARQUE ESTARREJA

PLANO DE PORMENOR DO PARQUE EMPRESARIAL DA QUIMIPARQUE ESTARREJA PLANO DE PORMENOR DO PARQUE EMPRESARIAL DA QUIMIPARQUE ESTARREJA Regulamento n.º S / N.ª Data de Publicação em D.R., 1.ª Série-B, n.º 124 de: 29/06/2006 (RCM n.º 81/2006) Aprovado em Assembleia Municipal

Leia mais

DISTRITO: 21 - PONTA DELGADA CONCELHO: 03 - PONTA DELGADA FREGUESIA: 18 - ROSTO DO CÃO (S. ROQUE) ARTIGO MATRICIAL: 2730 NIP:

DISTRITO: 21 - PONTA DELGADA CONCELHO: 03 - PONTA DELGADA FREGUESIA: 18 - ROSTO DO CÃO (S. ROQUE) ARTIGO MATRICIAL: 2730 NIP: IDENTIFICAÇÃO DO PRÉDIO (S. ROQUE) ARTIGO MATRICIAL: 2730 NIP: Descrito na C.R.P. de : PONTA DELGADA (AÇORES) sob o registo nº: 2035 TEVE ORIGEM NOS ARTIGOS (S. ROQUE) Tipo: URBANO Artigo: 2641 LOCALIZAÇÃO

Leia mais

Iluminação de Emergência RTIEBT. Rui Florêncio - Gestor de produto

Iluminação de Emergência RTIEBT. Rui Florêncio - Gestor de produto Iluminação de Emergência RTIEBT Rui Florêncio - Gestor de produto Tipos de Estabelecimentos Estabelecimentos industriais; Estabelecimentos de serviços técnicos; Estabelecimentos agrícolas ou pecuários;

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA LEI COMPLEMENTAR Nº 3.149, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2002. Dá nova redação aos arts. 108, 113, 115, e cria os arts. 108-A, 108-B, 108-C, 108-D, 108-E, 108-F, 108-G, 108-H, 108-I, 108-J, 108-L, 108-M, 108-N,

Leia mais

1372-(6) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008

1372-(6) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 1372-(6) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 inferior a 0,8 m 1,2 m, ou, caso se trate de operação urbanística em fracção já existente, confinante com arruamento ou espaço de circulação

Leia mais

TABELA II SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA TAXAS

TABELA II SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA TAXAS Lei nº 5.655/91 TABELA II SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA TAXAS DISCRIMINAÇÃO DE INCIDÊNCIA Divisão de Controle da Qualidade dos Alimentos - D.C.Q.A. 1 Estabelecimentos que lidam com gêneros alimentícios

Leia mais

Dossier Promocional. Empreendimento Vila Sol Quarteira Loulé Algarve

Dossier Promocional. Empreendimento Vila Sol Quarteira Loulé Algarve Dossier Promocional Empreendimento Vila Sol Quarteira Loulé Algarve 1 1. Contexto e a Oportunidade 2. Localização do Imóvel 3. Características Gerais do Imóvel 4. Descrição Detalhada 5. Condições de Comercialização

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 CONTROLE DE FUMAÇA

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 CONTROLE DE FUMAÇA ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 CONTROLE DE FUMAÇA PARTE 3 CONTROLE DE FUMAÇA NATURAL EM INDÚSTRIAS, DEPÓSITOS

Leia mais

TAXAS MUNICIPAIS - TABELA DE TAXAS DE URBANISMO

TAXAS MUNICIPAIS - TABELA DE TAXAS DE URBANISMO TAXAS MUNICIPAIS - TABELA DE TAXAS DE URBANISMO Artigo 1.º Operação de loteamento a) - Apresentação do requerimento TAXA 113,53 b) Entrada do aditamento 40,54 c) Emissão do alvará 15,13 c.1) Acresce uma

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUGUAIANA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Tipologia Construtiva. Prefeitura Municipal de Uruguaiana (RS), Maio de 2015.

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUGUAIANA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Tipologia Construtiva. Prefeitura Municipal de Uruguaiana (RS), Maio de 2015. PREFEITURA MUNICIPAL DE URUGUAIANA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Tipologia Construtiva Prefeitura Municipal de Uruguaiana (RS), Maio de 2015. TIPOLOGIA CONSTRUTIVA 1 SUB HABITAÇÃO 1.1- Sub-habitação Compostos

Leia mais

Manual de Levantamento de Imóveis

Manual de Levantamento de Imóveis Manual de Levantamento de Imóveis Prelector: DNPE Luanda-Novembro/Dezembro de 2014 REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Índice Manual de Levantamento de Imóveis Agenda Teoria Patrimonial Contexto

Leia mais

M U N I C I P I O de V I E I R A D O M I N H O Divisão de Urbanismo e Obras Municipais Serviços de Planeamento Urbanístico e Obras Particulares

M U N I C I P I O de V I E I R A D O M I N H O Divisão de Urbanismo e Obras Municipais Serviços de Planeamento Urbanístico e Obras Particulares Reg. N.º Em / / Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome: BI/Cartão de Cidadão: Arquivo: Validade: / / N.º de Identificação Fiscal: Morada: Freguesia:

Leia mais

Gestão social da valorização fundiária urbana

Gestão social da valorização fundiária urbana Gestão social da valorização fundiária urbana Audiência Pública PL n 5.015/2013 Ministério das Cidades Brasília, 20 de novembro de 2013 O que é a gestão social da valorização fundiária urbana? Ações e

Leia mais

Investimentos em Imóveis

Investimentos em Imóveis Campo de minigolfe nos Jardins da Parede Referência na carta: 7 (carta 5) Conservatória: ª Conservatória do Registo Predial de Cascais 2-08-997 4//2003 Entidade: 99 Outros Motivo : 05 Outros Número: 454

Leia mais

TURISMO NO ESPAÇO RURAL LEGISLAÇÃO MANUAL

TURISMO NO ESPAÇO RURAL LEGISLAÇÃO MANUAL TURISMO NO ESPAÇO RURAL LEGISLAÇÃO MANUAL Índice 1. Turismo no espaço rural: tipologias.2 2. Exploração e funcionamento.... 5 3. Legislação aplicável.17 Bibliografia. 18 1 1.Turismo no espaço rural: tipologias

Leia mais

www.remax.pt/barcovez - Mediação Imobiliária, Lda. AMI 7189 ARCOS DE VALDEVEZ Rua Dr. Joaquim Carlos da Cunha Cerqueira, 29 4970-457 - Vila Fonche / Arcos de Valdevez Tel. 258 523 101 - Fax. 258 518 390

Leia mais

MINUTA DA FUTURA CONVENÇÃO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL TOP LIFE CLUB & RESIDENCE

MINUTA DA FUTURA CONVENÇÃO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL TOP LIFE CLUB & RESIDENCE MINUTA DA FUTURA CONVENÇÃO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL TOP LIFE CLUB & RESIDENCE Pelo presente instrumento particular, em cumprimento à determinação contida no artigo 9º da Lei 4.591, de 16.12.1964, MRV

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 15/2011

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 15/2011 Instrução Técnica nº 15/2011 - Controle de fumaça Parte 3 Controle de fumaça natural em indústrias... 331 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo

Leia mais

Amplie o seu espaço e faça um grande negócio.

Amplie o seu espaço e faça um grande negócio. N 02 OUTONO / INVERNO 2015 Popular Imóveis Amplie o seu espaço e faça um grande negócio. N 02 OUTONO/INVERNO 2015 Viana do Castelo Braga Bragança Vila Real Imóveis do Norte Pág 3 Porto Aveiro Viseu Guarda

Leia mais

BOOK DO EMPREENDIMENTO BREVE LANÇAMENTO

BOOK DO EMPREENDIMENTO BREVE LANÇAMENTO BOOK DO EMPREENDIMENTO BREVE LANÇAMENTO 4 QUARTOS 3 VAGAS Muito além do seu sonho mais sofisticado CANDEIAS Av. Bernardo Vieira de Melo A 50 m da Praia TODOS OS SERVIÇOS AO SEU ALCANCE ALAMEDA PISCINA

Leia mais

DISTRITO: 21 - PONTA DELGADA CONCELHO: 04 - POVOAÇÃO FREGUESIA: 03 - NOSSA SENHORA DOS REMEDIOS ARTIGO MATRICIAL: 152 NIP:

DISTRITO: 21 - PONTA DELGADA CONCELHO: 04 - POVOAÇÃO FREGUESIA: 03 - NOSSA SENHORA DOS REMEDIOS ARTIGO MATRICIAL: 152 NIP: CADERNETA PREDIAL URBANA SERVIÇO DE FINANÇAS: 3000 - POVOACAO IDENTIFICAÇÃO DO PRÉDIO DISTRITO: 21 - PONTA DELGADA CONCELHO: 04 - POVOAÇÃO FREGUESIA: 03 - NOSSA SENHORA DOS REMEDIOS ARTIGO MATRICIAL: 152

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA CONCORRÊNCIA CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO EDITAL DE CONCORRÊNCIA

Leia mais

LEI N 1.351-03/2011 I - DAS ATIVIDADES PASSÍVEIS DE DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE

LEI N 1.351-03/2011 I - DAS ATIVIDADES PASSÍVEIS DE DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE LEI N 1.351-03/2011 CONSOLIDA AS TAXAS DE ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL, DE ATPF E DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE COLINAS PARA O EXERCÍCIO DE 2012, e dá outras providências. GILBERTO ANTÔNIO

Leia mais

XVIII. Repartição dos Activos ÍNDICE

XVIII. Repartição dos Activos ÍNDICE XVIII Repartição dos Activos ÍNDICE 1. Introdução...2 2. Activos da Entidade Gestora do Edifício...2 2.1 Terreno...3 2.2 Construções...3 2.3.1 Instalações e Equipamentos de Águas e Esgotos...3 2.3.2 Instalações

Leia mais

Dossier Promocional. Hotel Apartamento Villas de Sesimbra

Dossier Promocional. Hotel Apartamento Villas de Sesimbra Dossier Promocional Hotel Apartamento Villas de Sesimbra 1 1. Contexto e a Oportunidade 2. Localização do Imóvel 3. Características Gerais do Edifício 4. Descrição Detalhada 5. Condições de Comercialização

Leia mais

Amplie o seu espaço e faça um grande negócio.

Amplie o seu espaço e faça um grande negócio. N 01 PRIMAVERA / VERÃO 2015 Popular Imóveis Amplie o seu espaço e faça um grande negócio. N 01 PRIMAVERA / VERÃO 2015 Viana do Castelo Braga Bragança Vila Real Imóveis do Norte Pág 3 Porto Aveiro Viseu

Leia mais

Taxas, Licenças e Autorizações da Administração Urbanística

Taxas, Licenças e Autorizações da Administração Urbanística Edição Especial Taxas, Licenças e Autorizações da Administração Urbanística (atualização, nos termos do disposto no Artigo 10.º, n.º 5, do Regulamento de Cobrança de Taxas e Outras Receitas Municipais).

Leia mais

REGULAMENTO. Condomínio Destaque por Excelência 2014

REGULAMENTO. Condomínio Destaque por Excelência 2014 REGULAMENTO Condomínio Destaque por Excelência 2014 SECOVI-SC Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis e dos Condomínios Residenciais e Comerciais de Santa Catarina,

Leia mais

NOTAS / OBSERVAÇÕES. Nota 2: Crédito reconhecido sob condição da opção pelo cumprimento ou resolução do contrato.

NOTAS / OBSERVAÇÕES. Nota 2: Crédito reconhecido sob condição da opção pelo cumprimento ou resolução do contrato. 1 NOTAS / OBSERVAÇÕES Nota 1: Direito de retenção sobre a fracção autónoma designada pela letra "L", correspondente ao apartamento de tipo T2, do lote 465, que integra o Empreendimento Praia D'El Rey Golf

Leia mais

ANEXO 3.4 folha 1/10 ATIVIDADES PERMITIDAS CONFORME SUA ZONA AMBIENTAL

ANEXO 3.4 folha 1/10 ATIVIDADES PERMITIDAS CONFORME SUA ZONA AMBIENTAL ANEXO 3.4 folha 1/10 ZA R1 de duas economias) comunitários e clubes e ZA R2 comunitários e clubes e ANEXO 3.4 folha 2/10 ZA M1 CATEGORIA 2 - Comercial e de Serviços (com até 300,00 m² de área construída)

Leia mais

RESIDENCIAL CENTRAL PARK RIO VERDE

RESIDENCIAL CENTRAL PARK RIO VERDE MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO 01 - SITUAÇÃO O empreendimento, situar-seá Avenida I (Direita), Quadra 12, Lotes 04, 05 e 06, Parque dos Buritis e Rua Onze, Quadra 01, Lote 14, Parque Solar do Agreste, Gleba

Leia mais

ANEXO A. Carta Educativa do Concelho de Mafra Anexo A, Pág. 305

ANEXO A. Carta Educativa do Concelho de Mafra Anexo A, Pág. 305 ANEXO A Anexo A, Pág. 305 Jardim de Infância (JI) Faixa Etária: 3 aos 5 anos Observações Percursos escola-habitação A pé - preferencial até 15 minutos; Em transporte público - máx. aceitável 20 minutos.

Leia mais

Viamprom Construções Ltda. (Sociedade de Propósito Específico SPE). Tetto Empreendimentos Imobiliário e Paulo Baeta Empreendimentos.

Viamprom Construções Ltda. (Sociedade de Propósito Específico SPE). Tetto Empreendimentos Imobiliário e Paulo Baeta Empreendimentos. 1) Incorporação: Viamprom Construções Ltda. (Sociedade de Propósito Específico SPE). 2) Autoria dos Projetos: Crosara Arquitetura e Consultoria Ltda. CREA nº 7950/RF-DF 3) Planejamento e Vendas: Tetto

Leia mais

PRODER Sub-Programa 3 Dinamização das Zonas Rurais ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO PARA O INTERIOR DO ALGARVE CENTRAL

PRODER Sub-Programa 3 Dinamização das Zonas Rurais ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO PARA O INTERIOR DO ALGARVE CENTRAL PRODER Sub-Programa 3 Dinamização das Zonas Rurais ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO PARA O INTERIOR DO ALGARVE CENTRAL Medida 3.1 - Diversificação da economia e criação de emprego Objectivos : - Promover

Leia mais

INSS NA CONSTRUÇÃO CIVIL CND DE OBRAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

INSS NA CONSTRUÇÃO CIVIL CND DE OBRAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL INSS NA CONSTRUÇÃO CIVIL CND DE OBRAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Martelene Carvalhaes EXIGIBILIDADE DA CND A CND Certidão Negativa de Débito relativa às contribuições previdenciárias, será exigida: Pela autoridade

Leia mais

Descarregue gratuitamente atualizações online em www.portoeditora.pt/direito Condomínio Col. Legislação (06702.90)

Descarregue gratuitamente atualizações online em www.portoeditora.pt/direito Condomínio Col. Legislação (06702.90) orquê as atualizações aos livros da COL. LEGISLAÇÃO? O panorama legislativo nacional é bastante mutável, sendo constante a publicação de novos diplomas. Ao disponibilizar novas atualizações, a ORTO EDITORA

Leia mais

ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO

ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO 1. IDENTIFICAÇÃO Empresa/Interessado: Endereço: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do empreendimento (Endereço): Bairro: CEP: Contato:

Leia mais

FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO

FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO provisória definitiva 1. Prédio urbano / fracção autónoma Morada Código Postal - Inscrito na matriz predial da freguesia de art.º n.º Registado na Conservatória do Registo Predial

Leia mais

Regulamento do Plano de Pormenor da Área de Desenvolvimento Turístico das Fontainhas. (alteração) Artigo 1.º

Regulamento do Plano de Pormenor da Área de Desenvolvimento Turístico das Fontainhas. (alteração) Artigo 1.º Regulamento do Plano de Pormenor da Área de Desenvolvimento Turístico das Fontainhas (alteração) Artigo 1.º 1 [...]. 2 [...]. 4 Os limites da ADT da UNOR 4 estão definidos na planta de implantação à escala

Leia mais

LOCALIZAÇÃO. No coração do Tirol, um bairro inteiro de presente para você!

LOCALIZAÇÃO. No coração do Tirol, um bairro inteiro de presente para você! LOCALIZAÇÃO No coração do Tirol, um bairro inteiro de presente para você! Av. Alexandrino de Alencar com Av. Salgado Filho. PARQUE DAS DUNAS SHOPPING Alexandrino de Alencar, 1.330. Salgado Filho. IMPLANTAÇÃO

Leia mais

LAUDO DE AVALIAÇÃO SIMPLIFICADO. ESTADO: Rio Verde USO PREDOMINANTE INFRA ESTRUTURA URBANA SERVIÇOS PÚBLICOS COMUNITÁRIOS

LAUDO DE AVALIAÇÃO SIMPLIFICADO. ESTADO: Rio Verde USO PREDOMINANTE INFRA ESTRUTURA URBANA SERVIÇOS PÚBLICOS COMUNITÁRIOS 1 - SOLICITANTE: CPF: Beatriz Carlos Fernandes 038.777.631-11 2- IDENTIFICAÇÃO DO BEM OBJETO DE AVALIAÇÃO ENDEREÇO: Nº. COMPL. BAIRRO: Rua Jacaranda Qd. 11 lt 237 Res. Gameleira CIDADE: ESTADO: Rio Verde

Leia mais

Classificação DOS EMPREENDIMENTOS DE TURISMO NO ESPAÇO RURAL:

Classificação DOS EMPREENDIMENTOS DE TURISMO NO ESPAÇO RURAL: O conteúdo informativo disponibilizado pela presente ficha não substitui a consulta dos diplomas legais referenciados e da entidade licenciadora. FUNCHAL CAE Rev_3: 55202 TURISMO NO ESPAÇO RURAL NOÇÃO:

Leia mais

DISTRITO: 01 - AVEIRO CONCELHO: 05 - AVEIRO FREGUESIA: 16 - REQUEIXO, NOSSA SENHORA DE FÁTIMA E NARIZ ARTIGO MATRICIAL: 2536 NIP:

DISTRITO: 01 - AVEIRO CONCELHO: 05 - AVEIRO FREGUESIA: 16 - REQUEIXO, NOSSA SENHORA DE FÁTIMA E NARIZ ARTIGO MATRICIAL: 2536 NIP: CADERNETA PREDIAL URBANA SERVIÇO DE FINANÇAS: 3417 - AVEIRO-2. IDENTIFICAÇÃO DO PRÉDIO DISTRITO: 01 - AVEIRO CONCELHO: 05 - AVEIRO FREGUESIA: 16 - REQUEIXO, NOSSA SENHORA DE FÁTIMA E NARIZ ARTIGO MATRICIAL:

Leia mais

TABELA DE URBANIZAÇÃO EDIFICAÇÃO E TAXAS

TABELA DE URBANIZAÇÃO EDIFICAÇÃO E TAXAS TABELA DE URBANIZAÇÃO EDIFICAÇÃO E TAXAS Descrição Taxa proposta (em euros) TABELA ANEXA QUADRO I Taxa devida pela emissão de alvará de licença ou admissão de comunicação prévia de loteamento e obras de

Leia mais

Quinta de Santa Margarida Resort

Quinta de Santa Margarida Resort Quinta de Santa Margarida Resort Este imóvel, dado a sua localização e área suplementar de construção poderá ser equacionado para ambas vertentes de ocupação que procura para os seu clientes, isto é, residencia

Leia mais

M U N I C I P I O de V I E I R A D O M I N H O Divisão de Urbanismo e Obras Municipais Serviços de Planeamento Urbanístico e Obras Particulares

M U N I C I P I O de V I E I R A D O M I N H O Divisão de Urbanismo e Obras Municipais Serviços de Planeamento Urbanístico e Obras Particulares Reg. N.º Em / / Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome: BI/Cartão de Cidadão: Arquivo: Validade: / / N.º de Identificação Fiscal: Morada: Freguesia:

Leia mais

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO ( ) Este documento Requerimento padrão do empreendedor ou representante legal; deve ser preenchido e assinado pelo requerente

Leia mais

Avaliação. As avaliações são realizadas, de acordo com os métodos que melhor se adequam ao imóveis em causa.

Avaliação. As avaliações são realizadas, de acordo com os métodos que melhor se adequam ao imóveis em causa. Apresentação A Real Consul uma empresa portuguesa, com uma estrutura de capital inteiramente nacional, que se dedica à consultoria e avaliação imobiliária desde 1995. A empresa combina um alto nível de

Leia mais

Tabela de Taxas de Edificação e Urbanização no Município de Ponte de Lima para o Ano de 2012

Tabela de Taxas de Edificação e Urbanização no Município de Ponte de Lima para o Ano de 2012 Tabela de Taxas de Edificação e Urbanização no Município de Ponte de Lima para o Ano de 2012 Descrição I. Taxa devida pela apreciação de processos Valor 1. Em operações de loteamento, para emissão de alvará

Leia mais

Bairro Dr. Alfredo Bensaúde. Novembro de 2014

Bairro Dr. Alfredo Bensaúde. Novembro de 2014 Bairro Dr. Alfredo Bensaúde Novembro de 2014 OBJETIVO Com o objetivo de dar continuidade às ações desenvolvidas no âmbito do PIPARU - Programa de Investimento Prioritário em Ações de Reabilitação Urbana

Leia mais

Lagos. Nome:... Coletiva

Lagos. Nome:... Coletiva REGISTO DE ENTRADA Requerimento n.º de / / Processo n.º / Pago por Guia n.º,. Ao Serviço O Funcionário, Exm.º Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos 1. REQUERENTE Nome:...... NIF Singular Coletiva

Leia mais

Edifício Grande Maison. Fachadas Frontal e Esquerda

Edifício Grande Maison. Fachadas Frontal e Esquerda Fachadas Frontal e Esquerda 2 Ficha Técnica Nome do empreendimento: Edifício Grande Maison Número total de pavimentos: 6 Área total do empreendimento: 0.783,90m² Área de lazer: 959,75m² Número de pavimentos

Leia mais

TABELA II - TAXAS GENÉRICAS

TABELA II - TAXAS GENÉRICAS TABELA II - TAXAS GENÉRICAS ACTIVO CORPÓREO GRUPO 1 - IMÓVEIS 2005 Edificações ligeiras (fibrocimento, madeira, zinco, etc.) 10 Edifícios (a): 2010 Habitacionais 2 2015 Comerciais e administrativos 2 2020

Leia mais

Lei Municipal N.º 1414

Lei Municipal N.º 1414 Subseção II Dos Estacionamentos e Guarda de Veículos Art. 41 - Os locais para estacionamento ou guarda de veículos podem ser cobertos ou descobertos, podendo se destinar em ambos os casos à utilização

Leia mais

Coleção Cadernos Práticos - 3 ALOJAMENTO LOCAL

Coleção Cadernos Práticos - 3 ALOJAMENTO LOCAL Coleção Cadernos Práticos - 3 ALOJAMENTO LOCAL Tudo o que Precisa Saber 1 Definição Enquadramento Requisitos 4 Legislação 5 Fiscalização Procedimentos Definição ALOJAMENTO LOCAL Denominações Consideram-se

Leia mais