5 Everyware: Uma Arquitetura para Aplicações baseadas em serviços utilizando a Web Semântica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "5 Everyware: Uma Arquitetura para Aplicações baseadas em serviços utilizando a Web Semântica"

Transcrição

1 5 Everyware: Uma Arquitetura para Aplicações baseadas em serviços utilizando a Web Semântica! " " $ % &' (' $ ) * ' +,-$. / ) $0)( 5.1. Princípio de Organização 1* 2 " &)') $ $ *..*$

2 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços Componentes 3 ' $ 4 ' / Provedor de Serviços leve 1 '* )$$ 0 ') & +&6 -, 72& &) *' " 5 $ )! $ *+)'7!/8 8-! 922& 1$$)

3 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 66 Figura 11 - Fluxo de informação do Everyware LW. Um cliente de um serviço envia um pedido para um coordenador que invoca os serviços para executar um processo. Everyware LW funciona com um Proxy para o serviço de , processando requisições de serviço toda vez que o dono do serviço checa por através de um cliente de comum Framework de coordenação 1 * $ ) 1 '."$ $ 1 " $.$: 3 ) +' ;;-' * $4'''

4 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 67 Figura 12 - Arquitetura geral do sistema em função dos componentes! * ) 0$ $"$$0'$$!* 1 '! * ) '! '/: 1 *) ' * ' * * ) 3 (.$:

5 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços Design!$ $$ ) $ * ' $$ < $ 0$ = ' + ) 4 -** * Figura 13 - A classe Coordination Factory 1 * $ $ 1 72&

6 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 69 Figura 14 - A classe AbstractBus & ' ) ) & '&) 1" $ >' ) 1 16) 19' ) 5

7 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 70 Figura 15 - A seqüência para tratamento de uma resposta de um componente! $ * 16 *)*' : ' ) Cenário de uso 1 < / ' $! / $$ ' * " $

8 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 71 1 /' %! : 6 $ ' * 1 ' ) ( $'$".$:/ 1.' / ) < $' $ Extensão para suporte à semântica nos serviços 6 " 1 @17, =' )B7,. ='B7,.$ @17, 5 ' : "' ' 1

9 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 72 ' 6 3 " ' ' $ $?$ : ' 2 " $'. ** &' $ 5 1 *$$4 Figura 16 A diferença entre um serviço semântico e um serviço comum. Enquanto o serviço comum recebe e envia informações sem nenhum tipo de representação que indique seu significado, os serviços semânticos utilizam estruturas e ontologias para permitir inferência sobre a informação por máquinas. 1. $ & ' )

10 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços " "$$ $ * = @,'$+ )' 6-4 <definitions name="calendarserviceinterface" targetnamespace="http://sw.inf.puc-rio.br/calendarservice" xmlns="http://schemas.xmlsoap.org/wsdl/" xmlns:tns="http://sw.inf.puc-rio.br/calendarservice" xmlns:rdfs="http://www.w3.org/2000/01/rdf-schema" xmlns:soap="http://schemas.xmlsoap.org/wsdl/soap/"> Figura 17 Cabeçalho de arquivo WSDL incluindo o namespace de um esquema RDF. 3 ' $ $'$: <import xmlns:icalendar="http://ilrt.org/discovery/2001/06/schemas/icalfull/hybrid.rdf" namespace="http://ilrt.org/discovery/2001/06/schemas/icalfull/hybrid.rdf" location="http://ilrt.org/discovery/2001/06/schemas/icalfull/hybrid.rdf"/> Figura 18 Importação dos esquemas utilizados pelo serviço.

11 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços * $ ' & $ ' * ' < * $ <message name="setupuserappointmentrequest"> </message> <part name="event" type="icalendar:vevent"/> <message name="setupuserappointmentresponse"> </message> <part name="confirmation" type="icalendar:vevent"/> Figura 19 Definição do conteúdo de uma mensagem para um serviço semântico $' ' $ 1 ) $ $ & '* <porttype name="calendarservice"> <operation name="insert"> <input message="tns:setupuserappointmentrequest" name="setupuserappointmentrequest"/> <output message="tns:setupuserappointmentresponse" name="setupuserappointmentresponse"/> </porttype> </operation> <binding name="calendarservicebinding" type="tns:calendarservice"> <soap:binding style="rpc" transport="http://schemas.xmlsoap.org/soap/http"/> <operation name="insert">

12 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 75 <soap:operation soapaction="" style="rpc"/> use="encoded"/> <input name="setupuserappointmentrequest"> <soap:body </input> encodingstyle="http://schemas.xmlsoap.org/soap/encoding/" namespace="http://sw.inf.puc-rio.br/calendarservice" <output name="setupuserappointmentresponse"> <soap:body encodingstyle="http://schemas.xmlsoap.org/soap/encoding/" namespace="http://sw.inf.puc-rio.br/calendarservice" use="encoded"/> </operation> </binding> </output> <service name="calendarservice"> <port binding="binding:calendarservicebinding" name="calendarserviceport"> <soap:address location="http://sw.inf.puc-rio.br/services/router"/> </port> </service> Figura 20 Informações de implantação de serviço 6 '. ' ' $ 1 * : <definitions name="calendarservice" > targetnamespace="http://www.puc-rio.br/service/calendarservice" xmlns="http://schemas.xmlsoap.org/wsdl/" xmlns:binding="http://www.puc-rio.com/definitions/calendar Interface" xmlns:soap="http://schemas.xmlsoap.org/wsdl/soap/" Figura 21 Importação de namespaces. Não há necessidade de namespaces adicionais para os esquemas de marcação semântica 3' * $ )

13 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 76 <message name="insertrequest"> <part name="sday" type="xsd:int"/> <part name="smonth" type="xsd:int"/> <part name="syear" type="xsd:int"/> <part name="shour" type="xsd:int"/> <part name="sminute" type="xsd:int"/> <part name="duration" type="xsd:int"/> <part name="subject" type="xsd:string"/> </message> <message name="insertresponse"> <part name="result" type="xsd:string"/> </message> Figura 22 Definição das mensagens trocadas por um serviço comum em função de tipos básicos presentes em XML Schema 10 $' * $ $ < <porttype name="insertsingleappointmentservice"> <operation name="insert" parameterorder="sday smonth syear shour sminute duration subject"> <input message="tns:insertrequest" name="insertrequest"/> <output message="tns:insertresponse" name="insertresponse"/> </operation> </porttype> Figura 23 Especificação de operação de um serviço comum. A ordem dos parâmetros faz parte da especificação da operação.! 2 5 $

14 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços Arquitetura ) 6 ' ) < ' =)' 6* *) 0$$0)! " $ F$G ' < ' 6.0 '.$$' "'. 6 +>' HIIJ- ): * $+1$.'HIIJ- = ' ): * $+*- *.. 1 * 5 K' $ *)*

15 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 78 Figura 24 Uma simples execução de um serviço de calendário. Depois de uma requisição, cada calendário individual é chamado e recupera informações relativas aos compromissos. O relógio próximo ao telefone celular da Carol ilustra o comportamento assíncrono desse serviço durante todo o processo de coordenação. 6 $ 3 ').$ +!1&- 1. $'() * 1) $' *.L ) 1 $

16 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 79 Figura 25 As camadas do provedor Everyware e o conteúdo associado Questões de implementação e design D ' $$ $ $!.$ 1 $ +$-'.*$ & )' & ' + " - & $ ' $ +-! $ 1$ *

17 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 80 ' =' $ : 6 5 ' ' ( '! 5 $ 1 2 *., * $' +)'*) % 1&- & ' $' ).$$ 6 *$' 6)'.$ $! 72&. $ $, *. $ % * % $.' )*".."

18 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços Os estudos de caso utilizando Everyware 6 '* 0'$ Calendário 1*$ $ > 4 %$314 ( * EE=2 $ EE=2)% EE=2.').EE=2 %M14 $ *. %$31 * & $ >!1> + - +N/ O 7' K;;P-,14 * EE=2 *

19 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 82 ) " * '?1'636M 1 ' 9 6 $ 1 0$ $':$ $ &)'. Figura 26 Representação original DAML Agenda *$$964

20 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 83 Figura 27 Representação final Hybrid ical! ' * $ ' / & '19' *$ $! * 1$ *$4 4 < * $ 4?*. *. ' ) 0) 1 * $ ' ' *

21 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 84 &*&6+)' 7!/-', 7!/ "!1&!*.72&! * * * $ ='. *$ 1. 72& ) * ) '" $ 2* 72& &)'*$* $ ' *$*! 1&%. & '. /!( * *. $ 72& & $. ' / =' /' *. /. 1 ' *$ ' Busca Semântica 1 ' 1&% $!

22 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 85 '5 = ' $ 2 * ' ' $ 1 $' $ ('$L: 3 " ' $ '+)' M$' 1' - >' '. ' * 6 '. $ $! $)4 Figura 28 Processo da aplicação de busca semântica

23 EveryWare: Uma Plataforma para aplicações baseadas em Serviços 86! $ ( 1 5

Web Services. Tópicos. Motivação. Tecnologias Web Service. Passo a passo Business Web Conclusão. Integração de aplicações SOAP, WSDL, UDDI, WSFL

Web Services. Tópicos. Motivação. Tecnologias Web Service. Passo a passo Business Web Conclusão. Integração de aplicações SOAP, WSDL, UDDI, WSFL Web Services Antonio Dirceu adrvf@cin.ufpe.br Tópicos Motivação Integração de aplicações Tecnologias Web Service SOAP, WSDL, UDDI, WSFL Passo a passo Business Web Conclusão Motivação Integração de Aplicações

Leia mais

Conteúdo da Aula de Hoje. Web Services. Avaliação da Disciplina. O que é um web service? O que é um web service? Vantagens

Conteúdo da Aula de Hoje. Web Services. Avaliação da Disciplina. O que é um web service? O que é um web service? Vantagens Web Services Pós-Graduação em Tecnologias para o desenvolvimento de aplicações WEB Conteúdo da Aula de Hoje Conceitos básicos Teste com WS Implementação de WS (Provedor e usuário) Instrutor : Avaliação

Leia mais

A Estrutura de um Web Service

A Estrutura de um Web Service A Estrutura de um Web Service Paulo Vitor Antonini Orlandin paulovitor_e@hotmail.com Resumo Atualmente, o Serviço Web é a solução mais utilizada para integração entre sistemas, pois apresenta vantagens

Leia mais

Web Services utilizando JAX-WS

Web Services utilizando JAX-WS Web Services utilizando JAX-WS JAX-WS Facilitar o uso da API JAX-RPC e do modelo de implantação Anotações baseados em JSR-181 Exemplo Básico: Anotações: @WebService @WebMethod @WebParam @WebResult Exemplo

Leia mais

Unidade 14: Web Services Prof. Daniel Caetano

Unidade 14: Web Services Prof. Daniel Caetano Programação Servidor em Sistemas Web 1 Unidade 14: Web Services Prof. Daniel Caetano INTRODUÇÃO Na maior parte deste curso foram estudados serviços desenvolvidos com o uso de tecnologias Servlet. Entretato,

Leia mais

Computação Orientada a Serviços

Computação Orientada a Serviços Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Cornélio Procópio Computação Orientada a Serviços Elias Canhadas Genvigir Roteiro de Apresentação Introdução Problema Computação Orientada a Serviços Serviços

Leia mais

Implantação do Selo de Fiscalização Eletrônico em Minas Gerais. Manual Técnico de Informática Versão 1.4

Implantação do Selo de Fiscalização Eletrônico em Minas Gerais. Manual Técnico de Informática Versão 1.4 Implantação do Selo de Fiscalização Eletrônico em Minas Gerais Manual Técnico de Informática Versão 1.4 Histórico de alterações deste documento 22/10/2012 Alteração da descrição da composição do ato, bloco

Leia mais

LUIZ WAGNER ARAÚJO NUNES

LUIZ WAGNER ARAÚJO NUNES LUIZ WAGNER ARAÚJO NUNES IMPLEMENTAÇÃO DE UM WEB SERVICE PARA UMA LOCADORA DE VEÍCULOS - RELAÇÃO B2B Palmas 2006.1 LUIZ WAGNER ARAÚJO NUNES IMPLEMENTAÇÃO DE UM WEB SERVICE PARA UMA LOCADORA DE VEÍCULOS

Leia mais

modo de comunicação entre aplicações e novas formas de negócio pela Web [Chavda]. Web Services podem ser utilizados dentro das empresas (intranet),

modo de comunicação entre aplicações e novas formas de negócio pela Web [Chavda]. Web Services podem ser utilizados dentro das empresas (intranet), PHP5 e Web Services Abstract. The aim of this paper is to demonstrate Web Services concepts and the technologies and standards required for its implementation and, along the way, to investigate the new

Leia mais

Departamento de Engenharia Informática Sistemas Distribuídos. Java Web Services Cookbook

Departamento de Engenharia Informática Sistemas Distribuídos. Java Web Services Cookbook Departamento de Engenharia Informática Sistemas Distribuídos Java Web Services Cookbook 12 de Maio de 2009 Índice Nota prévia... 3 Criar um Web Service... 4 Estratégia... 4 Passos básicos... 4 Variantes...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - CCT DEPARTAMENTO DE SISTEMA E COMPUTAÇÃO - DSC CURSO DE MESTRADO EM INFORMÁTICA - COPIN DISSERTAÇÃO DE MESTRADO SEI-TUR: UM SISTEMA

Leia mais

2.Consulta UDDI. 3.Obtém URL, WSDL. 1.Registra. 4.Invoca o serviço. 5.Retorno (opcional)

2.Consulta UDDI. 3.Obtém URL, WSDL. 1.Registra. 4.Invoca o serviço. 5.Retorno (opcional) WS-* Desenvolvimento 1 Definição Web services são aplicações modulares auto- descritas e auto-contidas, que podem ser conectadas e acopladas a outros web services [IBM] são componentes de software com

Leia mais

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Sistemas Distribuídos Ciência da Computação Prof. Jesus José de Oliveira Neto Web Services (continuação) WSDL - Web Service Definition Language WSDL permite descrever o serviço que será oferecido

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA Uma ferramenta de apoio ao desenvolvimento de Web Services Andrés Ignácio Martinez Menéndez

Leia mais

www.f2b.com.br 21/07/2005 Cobrança F2b Web Services Web rev 26

www.f2b.com.br 21/07/2005 Cobrança F2b Web Services Web rev 26 www.f2b.com.br 21/07/2005 Cobrança F2b Web Services Web rev 26 Controle de Revisões Cobrança F2b Web Services/Web 21/07/2006 Revisão Data Descrição 00 14/11/2002 Emissão inicial. 01 03/12/2002 Substituição

Leia mais

Manual de Integração WebService

Manual de Integração WebService Manual de Integração WebService Sumário 1. O que é a Integração WebService? 2. Envio Simples 3. Consultar Status da Mensagem 3.1 Consultar Mensagens Recebidas 4. Tecnologia do WebService Facilita 1. O

Leia mais

Web Services XML SOAP WSDL UDDI Desenvolvimento Informações Adicionais 1 Web Services Definição Web services são aplicações modulares auto- descritas e auto-contidas, que podem ser conectadas e acopladas

Leia mais

Aula de hoje: Web Services (Serviços Web) Processamento Paralelo Web Services. Tecnologias básicas da Web. Aplicações na Internet

Aula de hoje: Web Services (Serviços Web) Processamento Paralelo Web Services. Tecnologias básicas da Web. Aplicações na Internet Processamento Paralelo Web Services Aula de hoje: Web Services (Serviços Web) Evolução da Web para apoiar interação entre componentes Tecnologias para Web Services Prof. João Paulo A. Almeida (jpalmeida@inf.ufes.br)

Leia mais

Capítulo 13. WebServices. O que são WebServices. Investimento. Débito no Banco Cliente. em seu Banco. Sua Aplicação. Cotação Preços Fornecedores

Capítulo 13. WebServices. O que são WebServices. Investimento. Débito no Banco Cliente. em seu Banco. Sua Aplicação. Cotação Preços Fornecedores 314 Delphi 7 Internet e Banco de Dados Capítulo 13 WebServices O que são WebServices Para explicar de maneira adequada o significado da tecnologia WebServices, é interessante fazer uma breve introdução

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO BACHARELADO WEB SERVICE PARA INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES QUE UTILIZAM TROCA DE MENSAGENS E CONTROLE DE

Leia mais

Sistemas Distribuídos e Paralelos

Sistemas Distribuídos e Paralelos Sistemas Distribuídos e Paralelos Web Services Ricardo Mendão Silva Universidade Autónoma de Lisboa r.m.silva@ieee.org November 29, 2014 Ricardo Mendão Silva (UAL) Sistemas Distribuídos e Paralelos November

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO WEB SERVICE PARA CONVERSÃO DE VÍDEOS

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO WEB SERVICE PARA CONVERSÃO DE VÍDEOS UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO WEB SERVICE PARA CONVERSÃO DE VÍDEOS Área de Multimídia por Guilherme Costa Dutra André Luís

Leia mais

Grupo I [7v] 1. [1,0] Apresente o conteúdo do IDL relativo a este programa. Assuma PROGRAM=62015 e VERSION=1.

Grupo I [7v] 1. [1,0] Apresente o conteúdo do IDL relativo a este programa. Assuma PROGRAM=62015 e VERSION=1. Número: Nome: Página 1 de 6 LEIC/LETI, 2014/15, Repescagem do 1º Teste de Sistemas Distribuídos 30 de Junho de 2015 Responda no enunciado, apenas no espaço fornecido. Identifique todas as folhas. Duração:

Leia mais

WSDL e UDDI. Pedro Miguel Martins Nunes WSDL. WSDL Exemplo prático Resumo UDDI. Serviço UDDI Estruturas de dados UDDI e WSDL API Resumo

WSDL e UDDI. Pedro Miguel Martins Nunes WSDL. WSDL Exemplo prático Resumo UDDI. Serviço UDDI Estruturas de dados UDDI e WSDL API Resumo e Serviço e e Tecnologias de Middleware 06/07 Curso de Especialização em Informática Departamento de Informática Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa 27.10.2006 e Serviço e 1 2 Serviço e 3 e...o

Leia mais

Cargo: TÉCNICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO / DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

Cargo: TÉCNICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO / DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Concurso Público para Provimento de Cargo Técnico-Administrativo em Educação Edital nº 025/2014 Cargo: TÉCNICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO / DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Leia mais

Desenvolvimento de aplicações baseadas em serviços na Web Semântica

Desenvolvimento de aplicações baseadas em serviços na Web Semântica Francisco Eduardo dos Reis Ferreira Desenvolvimento de aplicações baseadas em serviços na Web Semântica Dissertação de Mestrado Carlos José Pereira de Lucena Daniel Schwabe Rio de Janeiro Março de 2003

Leia mais

Web services. Web services. Web services. Web services. Web services. Web services. Web services. Ângelo Vimeney. Rafael Martinelli.

Web services. Web services. Web services. Web services. Web services. Web services. Web services. Ângelo Vimeney. Rafael Martinelli. Apresentação Introdução Protocolos base para a Ângelo Vimeney Rafael Martinelli Conclusão???? xadrez asdfkljdfkjsdf sdfjsdfkf sdfjsdfkjf sdfjkasdkflad sdfd dkfsdf k sdkfka Portal Server abacate abacaxi

Leia mais

Construção de Serviços Web para Apoiar a Troca de Informações de Exames Radiológicos entre Instituições de Saúde

Construção de Serviços Web para Apoiar a Troca de Informações de Exames Radiológicos entre Instituições de Saúde Construção de Serviços Web para Apoiar a Troca de Informações de Exames Radiológicos entre Instituições de Saúde D.F. Pires 1, W. F. Pimentel 1 1 Departamento de Ciência da Computação Faculdades COC Ribeirão

Leia mais

Serviços Web: Arquitetura

Serviços Web: Arquitetura Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão Objetivos Nesta aula

Leia mais

Planejamento para serviços Web semânticos

Planejamento para serviços Web semânticos Planejamento para serviços Web semânticos Juliana Jabra Chahoud DISSERTAÇÃO APRESENTADA AO INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PARA OBTENÇÃO DO TÍTULO DE MESTRE EM CIÊNCIAS

Leia mais

Introdução Serviços Web WSDL SOAP UDDI Ferramentas. Serviços Web. (Web Services) Emerson Ribeiro de Mello

Introdução Serviços Web WSDL SOAP UDDI Ferramentas. Serviços Web. (Web Services) Emerson Ribeiro de Mello 1/39 Serviços Web (Web Services) Emerson Ribeiro de Mello Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina 22 de Maio de 2007 2/39 Arquitetura Orientada a Serviços Arquitetura

Leia mais

FRANCISCO DE ASSIS DOS SANTOS JUNIOR. Web Services com JWSDP: melhorias no Servidor HelpNet e Implementação do Cliente

FRANCISCO DE ASSIS DOS SANTOS JUNIOR. Web Services com JWSDP: melhorias no Servidor HelpNet e Implementação do Cliente FRANCISCO DE ASSIS DOS SANTOS JUNIOR Web Services com JWSDP: melhorias no Servidor HelpNet e Implementação do Cliente Palmas 2004 ii FRANCISCO DE ASSIS DOS SANTOS JUNIOR Web Services com JWSDP: melhorias

Leia mais

SOA na Prática Ricardo Limonta

SOA na Prática Ricardo Limonta SOA na Prática Ricardo Limonta Arquiteto JEE Objetivo Apresentar os conceitos de Arquiteturas Orientadas a Serviços; Entender a relação entre SOA e a tecnologia Web Services; Implementar SOA com Web Services

Leia mais

Resumo. Evolução. Web Services. RPC: comparação com Mensagens

Resumo. Evolução. Web Services. RPC: comparação com Mensagens Resumo Positivo RPC: comparação com Mensagens Programação usando uma IDL que é uma linguagem idêntica às linguagens de programação habituais. A interface do serviço encontra-se claramente especificada

Leia mais

Web Services na plataforma.net

Web Services na plataforma.net Web Services na plataforma.net Jackson Gomes de Souza 1 1 Curso de Sistemas de Informação Centro Universitário Luterano de Palmas (CEULP/ULBRA) Caixa Postal 160 77054-970 Palmas TO Brasil jgomes@ulbra-to.br

Leia mais

Serviços Web: Introdução

Serviços Web: Introdução Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão Objetivos Nesta aula

Leia mais

Web Services. (Introdução)

Web Services. (Introdução) Web Services (Introdução) Agenda Introdução SOA (Service Oriented Architecture) Web Services Arquitetura XML SOAP WSDL UDDI Conclusão Introdução Comunicação distribuída Estratégias que permitem a comunicação

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com Mecanismos de Comunicação Protocolos de Aplicação Mecanismos de comunicação

Leia mais

Kassius Vargas Prestes

Kassius Vargas Prestes Kassius Vargas Prestes Agenda 1. Introdução Web Services 2. XML, SOAP 3. Apache Tomcat 4. Axis 5. Instalação Tomcat e Axis 6. Criação de um Web Service 7. Criação de um cliente Baixar http://www.inf.ufrgs.br/~kvprestes/webservices/

Leia mais

REST. Caio Nakashima caio.nakashima@mds.gov.br caionakashima@gmail.com

REST. Caio Nakashima caio.nakashima@mds.gov.br caionakashima@gmail.com REST Caio Nakashima caio.nakashima@mds.gov.br caionakashima@gmail.com 1 RESTful REpresentation State Transfer Estilo de arquitetura de software para sistemas distribuídos Termo proposto por Roy Fielding

Leia mais

Introdução a Web Services

Introdução a Web Services Introdução a Web Services Mário Meireles Teixeira DEINF/UFMA O que é um Web Service? Web Service / Serviço Web É uma aplicação, identificada por um URI, cujas interfaces podem ser definidas, descritas

Leia mais

Departamento de Engenharia Informática. Resumo. Sistemas Distribuídos 2009/10

Departamento de Engenharia Informática. Resumo. Sistemas Distribuídos 2009/10 Resumo RPC: comparação com API de Mensagens Positivo A interface do serviço encontra-se claramente especificada e não é apenas um conjunto de mensagens Mecanismo de estabelecimento da ligação entre o cliente

Leia mais

Web Services como Tecnologia de Suporte a Processos de Negócio

Web Services como Tecnologia de Suporte a Processos de Negócio Web Services como Tecnologia de Suporte a Processos de Negócio Rodrigo C. Macedo, Vasco Mesquita, Artur Caetano, André Vasconcelos, José Tribolet Centro de Engenharia Organizacional, INESC INOV e Departamento

Leia mais

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes EN-3610 Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes Gerenciamento baseado na Web Prof. João Henrique Kleinschmidt Gerenciamento baseado na Web Web browser Acesso ubíquo Interface Web vs Gerenciamento baseado

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica Manual de Integração. v1.4

Nota Fiscal Eletrônica Manual de Integração. v1.4 Nota Fiscal Eletrônica v1.4 Página 1 de 6 Índice Índice... 2 Introdução... 3 Objetivo... 3 Padrões Técnicos... 3 Autenticação... 3 WSDL... 3 Operations... 3 recepcaooperation... 3 recuperardocumentooperation...

Leia mais

Livro de Receitas. Modelação Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2009-04-17 Versão 1.1. Framework de aplicações com Web Services

Livro de Receitas. Modelação Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2009-04-17 Versão 1.1. Framework de aplicações com Web Services Modelação Engenharia de Software Sistemas Distribuídos Departamento Engenharia Informática Livro de Receitas Framework de aplicações com Web Services 2009-04-17 Versão 1.1 Índice Índice... 2 Nota prévia...

Leia mais

FABRÍCIO CORREIA DA SILVA DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO EM ANDROID PARA AUXÍLIO DA POLÍCIA MILITAR EM BLITZ

FABRÍCIO CORREIA DA SILVA DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO EM ANDROID PARA AUXÍLIO DA POLÍCIA MILITAR EM BLITZ FABRÍCIO CORREIA DA SILVA DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO EM ANDROID PARA AUXÍLIO DA POLÍCIA MILITAR EM BLITZ Palmas 2012 FABRÍCIO CORREIA DA SILVA DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO EM ANDROID PARA AUXÍLIO DA

Leia mais

JXTA. Alessandro Vasconcelos Ferreira de Lima. avfl@cin.ufpe.br

JXTA. Alessandro Vasconcelos Ferreira de Lima. avfl@cin.ufpe.br JXTA Alessandro Vasconcelos Ferreira de Lima Roteiro Motivação Introdução Arquitetura de JXTA Elementos de JXTA Os Protocolos Comparações e Desvantagens Conclusão Motivação Limitações do Modelo Cliente

Leia mais

Grupo I [6v] Considere o seguinte extracto de um programa de definição de uma calculadora apenas com a função soma de dois valores reais

Grupo I [6v] Considere o seguinte extracto de um programa de definição de uma calculadora apenas com a função soma de dois valores reais Número: Nome: Página 1 de 5 LEIC/LERC 2012/13, Repescagem do 1º Teste de Sistemas Distribuídos, 25 de Junho de 2013 Responda no enunciado, apenas no espaço fornecido. Identifique todas as folhas. Duração:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA E DE COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA E DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA E DE COMPUTAÇÃO ESTUDO SOBRE INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS BASEADA EM ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS Autor:

Leia mais

ORQUESTRAÇÃO E COREOGRAFIAS DE SERVIÇOS WEB

ORQUESTRAÇÃO E COREOGRAFIAS DE SERVIÇOS WEB ORQUESTRAÇÃO E COREOGRAFIAS DE SERVIÇOS WEB Emílio Francesquini e Fabio Kon IME - USP {emilio, fabio.kon}@ime.usp.br Congresso Brasileiro de Software Salvador, 27 de setembro de 2010 1 Segunda-feira, logo

Leia mais

DIRETRIZES E UM UTILITÁRIO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE TOOLKITS WEB SERVICES

DIRETRIZES E UM UTILITÁRIO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE TOOLKITS WEB SERVICES Pós-Graduação em Ciência da Computação DIRETRIZES E UM UTILITÁRIO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE TOOLKITS WEB SERVICES Por ANA CAROLINA CHAVES MACHADO Dissertação de Mestrado Universidade Federal de Pernambuco

Leia mais

Guia de integração SMS protocolo HTTP

Guia de integração SMS protocolo HTTP Guia de integração SMS protocolo HTTP 1- Envio de SMS individual O envio de SMS individual é feito através de uma chamada HTTP simples, pelos métodos GET ou POST, utilizando a URL: http://www.iagentesms.com.br/webservices/http.php

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro

Leia mais

Padrões Arquiteturais. Sistemas Distribuídos: Broker

Padrões Arquiteturais. Sistemas Distribuídos: Broker Padrões Arquiteturais Sistemas Distribuídos: Broker Sistemas Distribuídos Tendências: Sistemas Comp. com múltiplas CPUs Redes locais com centenas de hospedeiros Benefícios Economia Desempenho e escalabilidade

Leia mais

Uma Solução para Composição de Serviços de Gerenciamento de Redes Utilizando Padrões Web Services

Uma Solução para Composição de Serviços de Gerenciamento de Redes Utilizando Padrões Web Services UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO RICARDO LEMOS VIANNA Uma Solução para Composição de Serviços de Gerenciamento de Redes Utilizando

Leia mais

Rafael Bosse Brinhosa WSIVM: MODELO DE VALIDAÇÃO DE ENTRADAS DE DADOS PARA WEB SERVICES

Rafael Bosse Brinhosa WSIVM: MODELO DE VALIDAÇÃO DE ENTRADAS DE DADOS PARA WEB SERVICES UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Rafael Bosse Brinhosa WSIVM: MODELO DE VALIDAÇÃO DE ENTRADAS DE DADOS PARA WEB SERVICES Dissertação submetida à

Leia mais

Passo a Passo. WebSphere Message Broker. Fluxo como WebService

Passo a Passo. WebSphere Message Broker. Fluxo como WebService Passo a Passo WebSphere Message Broker Fluxo como WebService Alexandre José Batista ajbatist@ibest.com.br Criado em: 07/11/08 Página 1 de 38 Índice 1. OBJETIVOS DO DOCUMENTO... 4 2. CRIANDO UM FLUXO NO

Leia mais

Web de hoje (2.0) Porquê WEB 2.0?

Web de hoje (2.0) Porquê WEB 2.0? WEB 2.0 Conceitos O termo Web 2.0 refere-se a mudança para uma Internet como plataforma e um entendimento das regras para obter sucesso nesta nova plataforma. Segundo Tim O'Reilly, um dos criadores do

Leia mais

III - Arquitetura. A arquitetura básica inclui tecnologias Web services capazes de:

III - Arquitetura. A arquitetura básica inclui tecnologias Web services capazes de: III - Arquitetura Uma arquitetura de Web services ocupa, dentro de uma relação, vários componentes e tecnologias que compreendem uma pilha de Web services ou implementações completamente funcionais. Componentes

Leia mais

3 Serviços na Web (Web services)

3 Serviços na Web (Web services) 3 Serviços na Web (Web services) 3.1. Visão Geral Com base na definição do Word Wide Web Consortium (W3C), web services são aplicações autocontidas, que possuem interface baseadas em XML e que descrevem

Leia mais

SOA Introdução. SOA Visão Departamental das Organizações

SOA Introdução. SOA Visão Departamental das Organizações 1 Introdução A Organização é a forma pela qual nós coordenamos nossos recursos de todos os tipos para realizar o trabalho que nos propusemos a fazer. A estrutura de nossas organizações manteve-se basicamente

Leia mais

Introdução 17. 1 Introdução

Introdução 17. 1 Introdução Introdução 17 1 Introdução O volume de informações que gerenciamos tem crescido a cada dia. Realizamos milhões de pesquisas na Web, postamos mensagens em blogs, enviamos mensagens de correio eletrônico,

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Web Services. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos. Web Services. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos Web Services Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br SUMÁRIO Visão geral Arquitetura Web Services Desenvolvimento 2 Visão Geral Web Services Usados para disponibilizar serviços na

Leia mais

INT-9: Implementing ESB Processes with OpenEdge and Sonic David Cleary

INT-9: Implementing ESB Processes with OpenEdge and Sonic David Cleary Implementando Processos ESB com OpenEdge e Sonic Paulo Costa Global Field Services Agenda Desenvolvendo Processos de Negócio Visão geral da tecnologia Desenvolvendo um processo de negócio do início ao

Leia mais

4 O Workflow e a Máquina de Regras

4 O Workflow e a Máquina de Regras 4 O Workflow e a Máquina de Regras O objetivo do workflow e da máquina de regras é definir um conjunto de passos e regras configuráveis. Ao longo de sua execução, um usuário consegue simplificar o seu

Leia mais

Integração Orientada a Serviços

Integração Orientada a Serviços Integração Orientada a Serviços Porto Alegre, Agosto de 2006 Agenda Sobre a e-core SOA O que é? Web Services x SOA Principal Motivação - Integração SOI ESB BPEL JBI ServiceMix Solução Proposta A Empresa

Leia mais

OWL-S Composer. MATE15 - Tópicos Especiais em Banco de Dados III. 17 de Julho de 2013. Marco Antonio Almeida 1 e Daniela Barreiro Claro 2

OWL-S Composer. MATE15 - Tópicos Especiais em Banco de Dados III. 17 de Julho de 2013. Marco Antonio Almeida 1 e Daniela Barreiro Claro 2 MATE15 - Tópicos Especiais em Banco de Dados III OWL-S Composer 17 de Julho de 2013 Marco Antonio Almeida 1 e Daniela Barreiro Claro 2 1 marco062@dcc.ufba.br 2 dclaro@ufba.br MOTIVAÇÃO E HISTÓRICO MOTIVAÇÃO

Leia mais

CARLOS EDUARDO GESSER UMA ABORDAGEM PARA A INTEGRAÇÃO DINÂMICA DE SERVIÇOS WEB EM PORTAIS

CARLOS EDUARDO GESSER UMA ABORDAGEM PARA A INTEGRAÇÃO DINÂMICA DE SERVIÇOS WEB EM PORTAIS CARLOS EDUARDO GESSER UMA ABORDAGEM PARA A INTEGRAÇÃO DINÂMICA DE SERVIÇOS WEB EM PORTAIS FLORIANÓPOLIS 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENG. ELÉTRICA UMA ABORDAGEM

Leia mais

SOA - Service Oriented Architecture. Marcelo Canevello Ferreira

SOA - Service Oriented Architecture. Marcelo Canevello Ferreira SOA - Service Oriented Architecture Marcelo Canevello Ferreira Índice Arquitetura baseada em componentes Introdução a SOA Principais conceitos de SOA SOA Framework Abordagem de integração Conclusões Evolução

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Basedos na Web Capítulo 12 Agenda Arquitetura Processos Comunicação Nomeação Sincronização Consistência e Replicação Introdução

Leia mais

Analista de Sistemas

Analista de Sistemas Câmara Municipal do Recife Concurso Público 2014 Prova escrita objetiva Nível Superior Analista de Sistemas TIPO 1 BRANCA Informações Gerais 1. Você receberá do fiscal de sala: a) uma folha de respostas

Leia mais

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com. Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.br 08/2014 Agenda Introdução Conceitos Web Service Por que utilizar

Leia mais

3 Propostas de Travessias de Firewalls/NAT

3 Propostas de Travessias de Firewalls/NAT 3 Propostas de Travessias de Firewalls/NAT Este capítulo irá apresentar as propostas deste trabalho para que aplicações que utilizem CORBA como plataforma de comunicação possam atravessar firewalls/nat.

Leia mais

Consultar Tabelas Administrativas

Consultar Tabelas Administrativas STN Coordenação-Geral de Sistemas e Tecnologia de Informação Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal SIAFI Secretaria do Tesouro Nacional STN Documentação de Serviços de Interoperabilidade

Leia mais

SOAP. Web Services & SOAP. Tecnologias de Middleware 2004/2005. Simple Object Access Protocol. Simple Object Access Protocol SOAP

SOAP. Web Services & SOAP. Tecnologias de Middleware 2004/2005. Simple Object Access Protocol. Simple Object Access Protocol SOAP Web Services & SOAP Tecnologias de Middleware 2004/2005 SOAP Simple Object Access Protocol Os web services necessitam de comunicar entre eles e trocar mensagens. O SOAP define a estrutura e o processamento

Leia mais

INTEROPERABILIDADE ENTRE APLICAÇÕES.NET

INTEROPERABILIDADE ENTRE APLICAÇÕES.NET INTEROPERABILIDADE ENTRE APLICAÇÕES.NET Ricielli Pelissoli Martins Orientador: Luiz Gustavo Mählmann Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Sistemas de Informação Canoas RS Brasil ricielli@gmail.com,

Leia mais

Web Services. Melhor aceite que RPC, CORBA e DCOM devido à simplificação dos protocolos (> 90 implementações) Web Services. UDDI e Outras normas

Web Services. Melhor aceite que RPC, CORBA e DCOM devido à simplificação dos protocolos (> 90 implementações) Web Services. UDDI e Outras normas e Tecnologias de Middleware 2004/2005 18 de Novembro de 2004 Conjunto de especificações baseadas em XML e outros standards abertos Potencia a interoperabilidade entre várias aplicações Permite que serviços

Leia mais

Especificação Técnica ACSS

Especificação Técnica ACSS Especificação Técnica ACSS ET.ACSS.011-2011 Serviço de Registo de Requisições de MCDT Interface para recepção de requisições electrónicas ICS DESCRITORES Sistema de recepção de requisições de meios complementares

Leia mais

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Agenda Introdução Aplicações interativas de TV Digital Desafios de layout e usabilidade Laboratório de usabilidade Desafios

Leia mais

Estudo comparativo das API s JAX-RPC e JAXM na construção de Web Services

Estudo comparativo das API s JAX-RPC e JAXM na construção de Web Services Estudo comparativo das API s JAX-RPC e JAXM na construção de Web Services Danielle Corrêa Ribeiro 1, Elizabeth Mª Martinho da Silva 1, Francisco A. S. Júnior 1, Thatiane de Oliveira Rosa 1, Madianita Bogo

Leia mais

COMUNICAÇÃO ENTRE SISTEMAS ATRAVÉS DE XML E WEB SERVICES

COMUNICAÇÃO ENTRE SISTEMAS ATRAVÉS DE XML E WEB SERVICES COMUNICAÇÃO ENTRE SISTEMAS ATRAVÉS DE XML E WEB SERVICES M.Sc. FERNANDO DE ANDRADE BASTOS¹(fbastos@unidavi.edu.br) GUILHERME AUGUSTO CAVILHA BUTZKE²(guibutzke@gmail.com) RESUMO Na área de sistemas de informação

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

Transacções Atómicas em Web Services

Transacções Atómicas em Web Services Transacções Atómicas em Web Services Transacções conceito básico As transacções são um padrão de base na construção de aplicações distribuídas fiáveis As actividades podem ter um espectro muito diversificado

Leia mais

O que são Serviços Web? Serviços Web X Tecnologias de Componentes Tecnologias de Serviços Web:

O que são Serviços Web? Serviços Web X Tecnologias de Componentes Tecnologias de Serviços Web: Paulo F. Pires Unirio & UFRJ Paulo.pires@uniriotec.br http://www.uniriotec.br/~pires Agenda O que são Serviços Web? Serviços Web X Tecnologias de Componentes Tecnologias de Serviços Web: SOAP WSDL UDDI

Leia mais

Soluções de integração: SOA, web services e REST + XML/XSD

Soluções de integração: SOA, web services e REST + XML/XSD Soluções de integração: SOA, web services e REST + XML/XSD WWW.DOMINANDOTI.COM.BR Acesse nosso site em WWW.DOMINANDOTI.COM.BR Cursos Livros Fórum Simulados Blog Materiais Turmas em Brasília, na sua cidade,

Leia mais

O padrão RDF na descrição de imagens

O padrão RDF na descrição de imagens O padrão RDF na descrição de imagens Edeilson Milhomem da Silva 1, Parcilene Fernandes de Brito 1 1 Sistemas de Informação Centro Universitário Luterano de Palmas (CEULP/ULBRA) Cx. Postal 160 77054-970

Leia mais

DIGA Desenvolvimento de uma plataforma para criação de sistemas de diálogo

DIGA Desenvolvimento de uma plataforma para criação de sistemas de diálogo DIGA Desenvolvimento de uma plataforma para criação de sistemas de diálogo Filipe Miguel Fonseca Martins 1/21 Estrutura da apresentação O que é um sistema de diálogo? Tipos de sistemas de diálogo Motivação

Leia mais

5 Exemplos. 5.1. Produção bibliográfica da PUC-Rio

5 Exemplos. 5.1. Produção bibliográfica da PUC-Rio 5 Exemplos Foram desenvolvidas duas aplicações que exemplificam o uso e a utilidade das mudanças feitas no método SHDM e do ambiente de desenvolvimento Synth, apresentadas nas seções a seguir. 5.1. Produção

Leia mais

ANDERSON LIBERATO DA SILVA

ANDERSON LIBERATO DA SILVA FUNDAÇÃO DE ENSINO EURÍPIDES SOARES DA ROCHA CENTRO UNIVERSITÁRIO EURÍPIDES DE MARÍLIA UNIVEM CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ANDERSON LIBERATO DA SILVA IMPLEMENTAÇÃO DE WEB SERVICE EM PLATAFORMA JAVA LADO

Leia mais

Direct100 API Manual de utilização da API Direct100

Direct100 API Manual de utilização da API Direct100 Direct100 API Manual de utilização da API Direct100 Manual de utilização da API Direct100 página 02 Índice Índice... 2 Introdução... 3 Envio de sms... 3 Resposta ao envio de sms... 4 Consulta de saldo...

Leia mais

4. GERENCIAMENTO WEB E XML. HTML/HTTP Internet. Figura 4-1: Gerenciamento Web de elementos de rede.

4. GERENCIAMENTO WEB E XML. HTML/HTTP Internet. Figura 4-1: Gerenciamento Web de elementos de rede. 4. GERENCIAMENTO WEB E XML O grande potencial de XML na representação e manipulação de informações logo chamou atenção da comunidade de gerenciamento de redes, que passou a apontá-la como uma possível

Leia mais

TIMELINE WEB BROWSER E ARQUITETURA DE SOFTWARE PARA

TIMELINE WEB BROWSER E ARQUITETURA DE SOFTWARE PARA UNIVERSIDADEFEDERALDEPERNAMBUCO GRADUAÇÃOEMCIÊNCIADACOMPUTAÇÃO CENTRODEINFORMÁTICA TIMELINEWEBBROWSEREARQUITETURADESOFTWAREPARA APLICAÇÕESWEB2.0 TRABALHODEGRADUAÇÃO Aluno:LivarCorreiadeOliveiraCavalcantiCunha(lcocc@cin.ufpe.br)

Leia mais

Criação de um Web Services em.net

Criação de um Web Services em.net Web Service em.net 1 Criação de um Web Services em.net 1. Criar um novo projecto do tipo ASP.NET Web Service, de acordo com a figura seguinte. O.Net cria um directório virtual com os ficheiros indicados

Leia mais

Tolerância a Faltas nos Web Services

Tolerância a Faltas nos Web Services Tolerância a Faltas nos Web Services Reliable Messaging Protocol - RMP RMP Tolerar faltas temporárias na comunicação Garantir a semântica da invocação do Web Service independentemente do protocolo de transporte

Leia mais

PROGRAMAÇÃO SERVIDOR WEBSERVICES EM SISTEMAS WEB. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1

PROGRAMAÇÃO SERVIDOR WEBSERVICES EM SISTEMAS WEB. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB WEBSERVICES Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Compreender o que é um WebService e sua utilidade Compreender a lógica de funcionamento de um WebService Capacitar

Leia mais

Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas

Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas Serviço Service Requisitante Consumer Service Serviço Provider Provedor consumidores processos business e processes negócios Coreografia process choreography

Leia mais

Construindo, disponibilizando e acessando Web Services via J2SE e J2ME.

Construindo, disponibilizando e acessando Web Services via J2SE e J2ME. Page 1 of 7 Home Registrar Links Artigos Empregos Javeiros Tutoriais Forum Entrevista Top Menu Home Arquivo de Notícias Conteúdo Downloads Empregos Enquetes Enviar Notícia Feedback Logos Procurar Recomende

Leia mais

IA847 - Projeto. Sistema de Coordenação do Acesso para Web Labs. Março de 2007

IA847 - Projeto. Sistema de Coordenação do Acesso para Web Labs. Março de 2007 IA847 - Projeto Sistema de Coordenação do Acesso para Web Labs Março de 2007 1 Objetivos O sistema a ser desenvolvido tem por objetivo coordenar o acesso por parte de um grupo de usuários a um Web Lab.

Leia mais