SISTEMA PARA CONTROLE DE PASSIVO DE FUNDOS E CLUBES DE INVESTIMENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA PARA CONTROLE DE PASSIVO DE FUNDOS E CLUBES DE INVESTIMENTOS"

Transcrição

1 TERMO DE REFERÊNCIA SISTEMA PARA CONTROLE DE PASSIVO DE FUNDOS E CLUBES DE INVESTIMENTOS Brasília, Janeiro/2013. Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 1

2 1 DEFINIÇÃO DO OBJETO Sistema para Controle de Passivo de Fundos e Clubes de Investimentos. 2 DETALHAMENTO DO OBJETO O sistema deverá estar adequado à normatização que abrange o funcionamento de fundos e clubes de investimentos emitida pela Comissão de Valores Mobiliários CVM, Banco Central do Brasil, Receita Federal do Brasil, além da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, órgão de auto-regulação para fundos de investimento. 3 FUNDAMENTAÇÃO DA CONTRATAÇÃO A contratação de um novo sistema de passivo se faz necessária em função da obsolescência do sistema utilizado atualmente, cuja manutenção está excessivamente onerosa. O reflexo das deficiências do atual sistema está afetando negativamente os clientes e gerando riscos para o BRB, inclusive com a possibilidade de penalidades junto aos órgãos de fiscalização. Destaca-se também que o atual sistema é de difícil desenvolvimento e têm dificultado a evolução do portfólio de produtos do banco, prejudicando a competitividade dos mesmos. 3.1 BENEFÍCIOS DA CONTRATAÇÃO Os principais benefícios decorrentes da contratação são a redução dos custos de manutenção e a evolução dos produtos ofertados pelo banco a seus clientes. 4 REQUISITOS DA SOLUÇÃO 4.1 PLATAFORMA TECNOLÓGICA DO BRB A aplicação a ser adquirida será inserida no ambiente informado a seguir e, eventualmente, efetuará algum tipo de integração com outras aplicações ali já instaladas PLATAFORMA TECNOLÓGICA CENTRALIZADA MAINFRAME UNISYS Esta plataforma é utilizada para processamento de sistemas corporativos. Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 2

3 Hardware Básico: Produção: Unisys modelo Libra 690 Homologação / Desenvolvimento: Unisys modelo Libra 690 Backup: Unidade de Fita Robotizada Storagetek compatível com hardware Unisys baseado em Sistema Operacional MCP Software Básico: Sistema Operacional: MCP versão 54.1 ou superior. Gerenciador de Banco de Dados: DMSII. Linguagens de programação: Algol e Cobol 74 Ambiente de desenvolvimento: SADS. Linguagem de produção: WFL (Work Flow Language) Sistema Gerenciador de Fitoteca BLLIB (Unisys) Monitor de Transações mainframe: COMS Ferramenta de Schedule: Opcon/XPS Plataforma Tecnológica Aberta Midrange Utilizada para processamento de sistemas corporativos em baixa plataforma. A estratégia definida e que o BRB vem seguindo é a utilização de ambiente virtualizado. Dessa forma, todo sistema a ser adquirido deverá ser compatível com os sistemas operacionais informados nos itens abaixo, sobre ambiente virtualizado VMWare VSphere (ESX) 4.1 ou superior Hardware Básico Processadores : Dual-Core, Hexa-core e Deca-Core Servidores Unisys ES7000 Modelo 600 Single Core, 4 Xeon X64 (2,83Ghz) (16GB RAM); Servidores Unisys ES7000 Modelo One Dual Core, 4 Xeon Dual Core X64 (2,66Ghz) (16GB RAM); Servidores Unisys ES7000 Modelo 7600R, sistema particionável com 4 células eletricamente independentes, 16 processadores Intel Xeon X7460 Hexacore de 2.66 Ghz com 16MB de memória cache e 1066 Mhz de FSB, 256 GB de memória por célula, 3 discos internos de 146 GB 15K RPM controladora RAID em RAID 1 + hotspare. Servidores Unisys ES7000 Modelo 7600R G3, sistema particionável com 4 células eletricamente independentes, 16 processadores Intel Xeon E Decacore de 2.4 Ghz com 30MB de memória cache e 1066 Mhz de FSB, 128 GB de memória por célula, 3 discos internos de 300 GB 15K RPM controladora RAID em RAID 1 + hotspare Software Básico Sistema Operacional: Windows Datacenter 2008, MS Windows 2000, 2003 e 2008 Server, MS Windows 2000 Advanced Server; Software para virtualização: VMWARE vsphere 4.1; Gerenciadores de Banco de Dados: Oracle versão 10g, 11g ou superior e SQL Server 2000/2008 ou superior; Ferramenta de Mensageria: Websphere Application Server e MQ Serires 7.0 da IBM; Sistema de Backup baseado no padrão: CA-ArcServe 12.5; Sistema de proteção anti-vírus: padrão McAfee versão 5; Sistema Operacional de Rede: padrão 2000, 2003 Server ou superior. Sistema de Correio Eletrônico: MS-Exchange Server versão 2000 ou superior. Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 3

4 Sistema de Intranet/Internet: MS-Internet Information Server 6.0 ou superior Software Básico Plataforma Software Livre Sistema Operacional Linux CentOS 5 e superior SGBD MysSQL 5.0 e superior Servidor de Aplicações Jboss/Tomcat Plataforma Tecnológica Aberta INTEL/AMD Servidores em Rede baseados no padrão INTEL Xeon (ou superior) mono e multiprocessados e/ou AMD Opteron mono e multiprocessados. Utilizada para processamento de demais sistemas negociais e ambientes de testes e homologação Hardware Básico Servidor DELL Power Edge 1950, 2 Xeon Dual Core X64 (1,66 Ghz) (4GB RAM), 2 Xeon Quad Core X64 (1,66 Ghz) (4 GB RAM); Servidor ITAUTEC Tipo 2: 2 Xeon Dual Core X64 (1,86 Ghz) (4GB RAM), 2 Xeon Quad Core X64 (1,60 Ghz) (4GB RAM); Servidor ITAUTEC Tipo 3: 1 Xeon Dual Core X64 (1,66 Ghz) (2GB RAM); Servidor ITAUTEC Tipo 4: 1 Xeon Dual Core X64 (1,66 Ghz) (2GB RAM), 1 Xeon Quad Core X64 (1,60 Ghz) (2GB RAM) Software Básico Sistema Operacional de Rede: padrão Windows 2000, 2003 Server ou superior; Sistema de proteção anti-vírus e anti-spam: padrão McAfee versão ; Sistema de Backup baseado no padrão: CA-ArcServe Backup12.5 ou superior; Sistema de Correio Eletrônico: MS-Exchange Server versão 2000 ou superior; Sistema de Intranet/Internet: MS-Internet Information Server 6.0 ou superior e Apache Tomcat; Correio: Outlook Express/Microsoft Outlook; Servidor de Aplicações: Websphere, Jboss; Ferramenta de Mensageria: Websphere Aplication Server, IBM WebSphere MQ Series versão 7 ; Ferramenta Scheduler: Opcon; Ferramenta ETL: Powercenter; Controle de Versões: Subversion 1.6 ou superior; Emulador de Terminais Unisys: Plenus e TRM; Gerenciador de Conteúdo: ACMS (Áton Content Management System); Escritório: Open Office(BR Office, Libre Office); Microsoft Office 97, Sistemas de Gerenciamento de Bancos de Dados para a Plataforma Aberta: Oracle 11g sobre Oracle Unbreakable Linux 64 bits, 10g sobre Windows e 64bits, Microsoft SQL Server 2000/2008; MySQL 5.0 e superior Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 4

5 4.1.5 Plataforma Tecnológica de Storage Corporativo Utilizado para armazenamento e atualização de dados transacionais, negociais e backup. Subsistema de Discos EMC² Symmetrix Enterprise Storage modelo DMX4-950 Subsistema de Discos EMC² Clariion modelo CX4-120F Estações de Trabalho As estações de trabalho onde os softwares são operados estão configuradas conforme definido nos itens a seguir. Caso o aplicativo seja acessado pelas agências ou demais pontos de atendimento, o mesmo também deverá ser compatível com o Microsoft Terminal Services Client (MSTSC) já que grande parte dos aplicativos são instalados de maneira centralizada Hardware Básico Processador Intel Pentium G850 dual (2.9 ghz) 2 GB de memória RAM LAN 100Mbits Vídeo Off board 256MBytes Mouse ótico e teclado padrão PS/2 HD SATA 500GBytes Entrada/saída de som padrão 3,5 Entradas USB desativadas Monitores de vídeo 15 e 19 resolução mínima 1024 x Software Básico Sistema Operacional : Windows XP Professional SP3 ou superior Navegador: Microsoft Internet Explorer 8.0, Mozilla Firefox 5.0 ou superior Sistema de proteção anti-vírus e anti-spam: padrão McAfee versão ; Correio: Outlook Express/Microsoft Outlook 2000; Emulador de Terminais Unisys: Octus Plenus e TRM; Automação de Escritório: Open Office(BR Office, Libre Office); Microsoft Office 97, REQUISITOS DE ARQUITETURA TECNOLÓGICA DESEJADA Arquitetura de Infra-estrutura Apesar do ambiente do BRB ser heterogêneo e possuir diversas versões de SGBDs, Sistemas Operacionais e outras ferramentas, a aplicação deverá, obrigatoriamente, ter sua execução plena sobre um dos seguintes ambientes: Hardware Conforme especificado no item Plataforma Tecnológica Aberta Midrange sobre ambiente virtualizado VMWare VSphere (ESX) 4.1 ou superior Conforme especificado no item Plataforma Tecnológica Aberta INTEL/AMD Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 5

6 Conforme especificado no item Plataforma Tecnológica de Armazenamento - Storage Corporativo Software Básico Linux Red Hat Software para virtualização: VMWARE vsphere 4.1; Gerenciadores de Banco de Dados Oracle 11g sobre Oracle Unbreakable Linux 64 bits; Ferramenta de Mensageria: Websphere Application Server e MQ Serires 7.0 da IBM; Linguagens de programação: Java 7; Sistema de Backup baseado no padrão: CA-ArcServe 12.5; Sistema de proteção anti-vírus: padrão McAfee versão 5; Sistema Operacional de Rede: 2003 Server ou superior. Sistema de Correio Eletrônico: MS-Exchange Server versão 2003 ou superior. Sistema de Intranet/Internet: WebLogic Sistema de proteção anti-vírus e anti-spam: padrão McAfee versão ; Sistemas de Gerenciamento de Bancos de Dados para a Plataforma Aberta: Oracle 11g sobre Oracle Unbreakable Linux 64 bits Estações de Trabalho As estações de trabalho onde os softwares são operados estão configuradas conforme definido no item Estações de Trabalho. Caso o aplicativo seja acessado pelas agências ou demais pontos de atendimento, o mesmo também deverá ser compatível com o Microsoft Terminal Services Client (MSTSC) já que grande parte dos aplicativos são instalados de maneira centralizada. 4.3 REQUISITOS DE NEGÓCIO: Características funcionais: Para atender às necessidades do BRB Banco de Brasília, além dos dispositivos legais aplicáveis para fundos de investimentos, o sistema deve viabilizar: Disponibilização de sistema que efetue o registro e a manutenção do cadastro do cotista, segregando por tipo de cliente (pessoa física, jurídica, clientes institucionais, governo, seguradoras, bancos, etc); Recebimento do valor da cota da controladoria de ativos através de integrações de arquivos; Informar ao prestador do Serviço de Controladoria de ativos as cotas emitidas, resgatadas e o total de cotas em estoque através de integrações de arquivos; Controle das posições individualizadas e histórico das movimentações dos cotistas Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 6

7 através de conta corrente, código de cliente, CPF e CNPJ; Liquidação dos eventos de amortização de cotas, aplicando-se somente a fundos de investimento; Liquidação dos eventos de emissão e resgate de cotas; Processamento dos eventos, tais como, mas não limitados a, cisão, incorporação e encerramento dos fundos de investimento; Processamento dos eventos de transformação e dissolução dos clubes de investimento; Atualização do saldo dos cotistas; Apuração, retenção e recolhimento de tributos para todos os tipos de fundos de investimentos; Emissão de avisos, informes e extratos aos cotistas, informes trimestrais, semestrais e a anuais de rendimentos, contemplando emissão de extratos de diferentes administradores, através de múltiplos layouts, conforme parametrização realizado pelo usuário; Averbação de gravames que incidam sobre as cotas, quando aplicável; Conciliação dos créditos provenientes das movimentações financeiras dos cotistas com a conta corrente dos respectivos fundos e/ou clubes de investimento; Prestação de informações e atendimento de ordens de autoridades judiciais, órgãos reguladores, bolsas de valores e depositários; Fornecimento de informações referentes aos cotistas e quantidade de cotas ao escriturador, quando se tratar de fundo fechado com cotas negociadas no mercado secundário, inclusive com cotas negociadas em bolsa de valores, possibilitando a integração de arquivos da bolsa para escriturar as cotas conformes negócios realizados; Geração de informações para a Contabilidade; Recebimento e envio de informações para o distribuidor de cotas, referente aos cotistas, valores aplicados e resgatados, valores e quantidades de cotas, quando aplicável Controlar posição de passivo de todos os tipos de fundos existentes, segundo estabelecido pela Comissão de Valores Mobiliários, contemplando inclusive controle segregado por diferentes administradores; Possibilitar a alteração do tipo de tributação de cada fundo (curto prazo, longo prazo, renda variável) tipo de cota (abertura/fechamento) ou regra de cotização de aplicações e resgates, através de parâmetros a serem selecionados pelos usuários, sem que haja necessidade de qualquer tipo de intervenção evolutiva no sistema; Controlar e registrar termos de adesão e boletins de subscrição nos termos da legislação em vigor, e impedir aplicações para clientes que não possuam termo de adesão ou boletim de subscrição cadastrado, emitindo critica sobre a necessidade de cadastrar o termo Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 7

8 de adesão ou boletim de subscrição; Ter capacidade para suportar número ilimitado de usuários utilizando a ferramenta simultaneamente; Ter capacidade para suportar número ilimitado de transações simultâneas; Permitir o controle de número ilimitado de fundos de investimentos; Controlar número ilimitado de cotistas; Controlar fundos que possuam funcionalidade de aplicações e resgates automáticos, através de parametrização realizadas pelo usuário do sistema, sem que haja necessidade de qualquer tipo de intervenção evolutiva no sistema; Possuir controle de acesso segregando funções por usuários e por grupo de usuários através do uso de logins e senhas individualizadas; Possuir registro de todas as transações realizadas no sistema, gravando por tempo indeterminado as informações de qual foi o usuário responsável, que transação foi realizada, data e horário que a transação foi realizada, e disponibilizar consulta através de relatórios gerenciais; Possibilitar geração de relatórios gerenciais parametrizáveis com as informações definidas e agrupadas pelos usuários, para verificação e conciliação das informações de passivo dos fundos e clubes de investimentos O sistema deve permitir o reprocessamento de forma individualizada da posição de cada cliente, ou conjunto para um grupo de clientes, para eventuais correções que se façam necessárias. Esse reprocessamento deve estar disponível para ser realizado pelo usuário, sem a necessidade de realização de intervenção por parte de técnicos de suporte ou manutenção O sistema deve permitir aplicação automática entre os fundos por ele controlados, de forma parametrizada pelo usuário Capacitação e treinamento: A empresa contratada obriga-se a realizar treinamento prático e teórico das funcionalidades do sistema, a ser ministrado nas instalações do BRB, de acordo com os seguintes perfis: Gestores/ Administradores: 2 turmas de 10 alunos, com tempo médio por turma de 80 horas/aula Área de tecnologia TI: 2 turmas de 10 alunos, com tempo médio por turma de 40 horas/aula O treinamento diferenciado por perfil de acesso visa adequar a transferência de Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 8

9 conhecimento sobre a ferramenta de acordo com a necessidade específica de cada área Durante o prazo de vigência do contrato, a CONTRATADA deverá prestar assistência técnica a fim de manter a ferramenta funcionando em toda a sua potencialidade Requisitos de Evolução/Manutenção da Solução: O sistema deverá ter garantia de 12 (doze) meses no seu funcionamento ou até a execução de um ciclo completo de todas as suas rotinas. Nesse período, qualquer alteração de cunho legal, emanado pelas entidades financeiras (BACEN, AMBIMA, ) deverá ser providenciada no prazo definido pela norma legal, ou conforme definição do BRB Os ajustes deverão ser providenciados nas dependências da contratada, homologada pelo BRB e implantada seguindo a metodologia do próprio Banco No caso de aquisição perpétua da solução e para que haja possibilidade de continuidade e evolução do sistema após o período de garantia, devem ser disponibilizados ao BRB, no idioma oficial brasileiro, todos os documentos de construção e desenvolvimento do sistema, bem como manuais operacionais que viabilizem sua utilização. Essas informações devem ser detalhadas com todos os requisitos do sistema Requisitos Temporais: A entrega da solução ocorrerá em até 180 (cento e oitenta) dias após a assinatura do contrato Requisitos de Segurança: O sistema deve conter requisitos de segurança que contemplem todo o seu escopo, em conformidade com seu valor para o negócio e dos ativos de informação envolvidos, pois são estratégicos para o funcionamento e credibilidade da organização. O aplicativo, caso suporte anexo de arquivos, deve suportar checagem do antivírus antes de armazenar qualquer dado na rede; Recomenda-se que as informações por ele suportadas, ofereçam autenticidade, integridade e segregação de funções; O sistema deve suportar atualizações; Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 9

10 4.3.6 Requisitos sociais, ambientais e culturais: A solução deve ter todas as suas informações e interfaces no idioma oficial do brasileiro. 4.4 REQUISITOS TECNOLÓGICOS: DETALHAMENTO DA ARQUITETURA DO APLICATIVO/SISTEMA Todas as funcionalidades do software devem ser executadas via navegador web Internet Explorer 8 e superior e Mozilla Firefox 5 e superior, sem a necessidade de instalação de softwares na estação do usuário (como applets, plugins, drivers, etc.); Sistema deverá ter licença de uso para acesso ilimitado, tanto em quantidade de usuários quanto em conexões simultâneas; O sistema proposto não deverá necessitar de nenhum runtime, plugin ou componente pago separadamente; A solução deve ser escalável. Possuir compatibilidade com mecanismos de balanceamento de carga e cluster; A solução deverá ser compatível com a arquitetura 64 bits; Possuir manuais do usuário on-line, com possibilidade de impressão, e documentação técnica do software em idioma português do Brasil; Possuir interface gráfica em idioma português do Brasil para usuário final e para o usuário administrador; Permitir customizações, de forma a atender a especificidades do BRB; O fornecedor deverá comprovar que o sistema oferecido para o BRB já está implementado e em funcionamento em pelo menos duas empresas ou órgãos de grande porte por mais de um ano; Possuir funções de segurança e auditoria, com registro das operações realizadas no sistema (LOG); Controle para níveis de acesso (perfis) por Grupos e por Usuários com base no Active Directory (AD) da Microsoft limitações/permissões. versão 2000 e superior, possibilitando Requisitos de manutenção e suporte: Durante a vigência do contrato, o suporte e a manutenção da solução será de responsabilidade da equipe de produção e suporte da CONTRATADA A CONTRATADA será responsável pela publicação e suporte na instalação e atualização da solução nos ambientes de desenvolvimento e homologação do BRB. As publicações em ambiente de produção serão de responsabilidade do BRB, devendo a contratada prestar o suporte necessário Os serviços de suporte de desenvolvimento e produção serão atendidos na Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 10

11 modalidade presencial e deverão ser prestados em dias corridos 24x7 (24 horas x 7 dias) com 1 hora para a chegada nas instalações do BRB, após o acionamento via , telefone ou site. A solução deverá ocorrer em até 1 hora Os serviços de manutenção (corretiva e de ordem legal) e atualização de versões ocorrerão por conta da CONTRATADA. Os serviços de manutenção evolutivas serão realizados sob demanda, utilizando a metodologia de Ponto de Função para a definição de prazos e custos Segurança da Informação: AUDITORIA Geração de Informações para Auditoria I - A solução deverá ser capaz de gerar uma trilha de auditoria, com pelo menos os seguintes eventos: a) Início e finalização das funções de auditoria (Requisito desejável). b) Início e finalização da própria solução. c) Históricos de acessos. d) Eventos de negócio da solução. II - A solução deverá armazenar no mínimo as seguintes informações na trilha de auditoria: a) Data e hora do evento, tipo do evento, identidade do usuário, resultado (sucesso ou falha). b) Informações relevantes para o negócio. III - A solução deverá prover assinatura digital das trilhas de auditoria (Requisito desejável) IDENTIFICAÇÃO, AUTENTICAÇÃO E AUTORIZAÇÃO Identificação I - A solução deverá prover chave de identificação única para cada usuário. II - A solução deverá prover mecanismo seguro de recuperação de senha, quando aplicável. III - A solução deverá gerar uma senha de primeiro acesso de qualidade. IV - A solução deverá permitir a identificação por certificado digital (Requisito desejável). Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 11

12 Autenticação I - A solução deverá requerer autenticação antes de qualquer ação. II - A solução deverá ter suporte para mais de um fator de autenticação, ex: smartcart (Requisito desejável). III - A solução deverá prover mecanismos seguro de tratamento de erros de autenticação. IV - A solução deverá prover integração com LDAP X500. V - A solução deverá prover canal seguro de comunicação para autenticação. VI - A solução deverá permitir a utilização de senhas de qualidade. VII - A solução deverá identificar tentativas de acesso inválidas. VIII - A solução deverá prover mecanismos para mitigar ataques de força-bruta (Requisito desejável). IX - A solução deverá solicitar a troca da senha sempre no primeiro acesso do usuário. X - A solução não deverá possuir credenciais de acesso presentes em código-fonte. XI - A solução não deverá possuir credenciais de acesso em texto claro em arquivos de configuração diversos (Requisito desejável). Autorização I - A solução deverá dispor de segregação de funções. II - A solução deverá dispor de um modelo de controle de acesso baseado em grupos. III - A solução deverá prover integração com LDAP X500. IV A Solução deverá prover mecanismos de customização possibilitando a criação de perfis de acesso, por meio do relacionamento de funcionalidades com grupos (requisito desejável). Associação com a identidade do usuário I - A solução deverá associar cada evento auditável com a identidade do usuário que ocasionou o evento. Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 12

13 Revisão da auditoria I - A solução deverá prover ao administrador (ou outros usuários autorizados) a capacidade de ler todas as informações das trilhas de auditoria. II - A solução deverá apresentar a trilha de auditoria de modo que seja compreensível para o usuário. Restrição de revisão de auditoria I - A solução deverá proibir a leitura das trilhas de auditoria por usuários não autorizados explicitamente ARMAZENAMENTO DE DADOS A solução deverá prover mecanismos de criptografia de usuário e senha para conexão com base de dados (Requisito desejável). A solução deverá suportar diferentes Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados SGDBs (Requisito desejável). A solução deverá prover mecanismos de criptografia para informações sensíveis armazenadas em banco de dados (Requisito desejável) DESENVOLVIMENTO SEGURO: A solução deverá prover análise e validação no uso de plugins, com o intuito de prevenir furos no algoritmo que possa trafegar dados não confiável. A solução não deverá permitir redirecionamento de URL ou qualquer mecanismo de redirecionamento que não seja autorizado pelo usuário da aplicação. A solução deverá prover uso de algoritmos HASH com SALT, no intuito de propiciar maior segurança, por dificultar ataque de força bruta. A solução deverá impedir ataques do tipo: SQL Injection ou OS Command Injection. A solução deverá impedir ataques do tipo: Buffer Overflow ou Interger Overflow. A solução deverá impedir ataques do tipo: XSS e CRSF. Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 13

14 A solução deverá impedir ataques do tipo: Path Tranversal (permite o atacante acessar diretórios fora do escopo) CANAL SEGURO DE COMUNICAÇÃO A solução deverá prover suporte para canal seguro de comunicação em todas as suas funcionalidades. A solução não deverá trafegar dados sensíveis em texto claro. A solução deverá ser compatível ou prover solução de canal seguro SSL 3.0/TLS 1.0. A solução deverá ter suporte a certificados digitais com chave igual ou superior a 1024 bits SUPORTE REMOTO DO DESENVOLVEDOR A solução não deverá prover o suporte para acesso remoto feito pelo desenvolvedor, afim de evitar possíveis backdoors agregados à ferramenta. A solução, em algumas situações, poderá ser imprescindível o uso de suporte remoto. Para esses casos o NURIS deverá ficar ciente para analisar a situação e a ferramenta CÓPIAS DE SEGURANÇA A solução deverá ser capaz de realizar cópia de segurança: 1º. das configurações básicas para seu funcionamento. 2º. das informações de negócio TRATAMENTO PARA UPLOAD DE ARQUIVOS A solução deverá prover mecanismos de customização para upload de arquivos: 1º. considerando o tipo de arquivo 2º. considerando a extensão do arquivo. 3º. considerando o tamanho do arquivo. A solução deverá armazenar os arquivos em banco de dados a fim de garantir Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 14

15 confidencialidade dos dados ATUALIZAÇÕES DE SEGURANÇA A solução deverá prover mecanismos de atualização de segurança: 1º. de forma automática (Requisito desejável). 2º. sob demanda TRATAMENTO DE ERROS E FALHAS A solução deverá prover mecanismos para tratamento de erros de forma segura. A solução deverá prover mecanismos para depuração de erros, através de: 1º. exibição de código do erro, possibilitando a rastreabilidade do erro por equipe de suporte (Requisito desejável). 2º. geração de registros (logs) para posterior detecção de erro. A solução deverá prover mecanismos de falha segura, garantindo a integridade e confidencialidade das informações CRIPTOGRAFIA As funções que implementem funções de hash/criptografia devem estar em conformidade com os algoritmos elencados no padrão NIST - FIPS (Requisito desejável). As funções que implementem assinatura digital devem estar em conformidade com os algoritmos elencados no padrão NIST - FIPS (Requisito desejável) GERENCIAMENTO DE SESSÃO A solução deverá prover token ou ID de sessão único por usuário e garantia de identificação aleatória considerável. A solução deverá desconectar o usuário autenticado após período de tempo prédeterminado. A solução deverá prover mecanismo explícito para que o usuário faça logoff. A solução baseada na web, deverá prover cookies de identificação/autenticação com atributos Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 15

16 de segurança (Requisito desejável) BANNER DE SEGURANÇA A solução deverá prover mecanismos de exibição de banner de segurança personalizado da instituição (Requisito desejável) INTERAÇÃO COM SISTEMA OPERACIONAL A solução deverá ser assinada digitalmente (desejável) WEBSERVICES A solução deverá ser capaz de suportar protocolo WS-Security ou equivalente, para utilização de webservices (Requisito desejável) DOCUMENTAÇÃO A solução deverá prover documentação ampla para instalação, operação e manutenção ARMAZENAMENTO DE REGISTROS DIVERSOS (LOGS) A solução deverá prover mecanismo customizável de rotacionamento de logs (Requisito desejável). A solução deverá prover mecanismos de integração com sistemas de logs de sistemas operacionais (Requisito desejável) Requisitos de Compatibilidade: INTEGRAÇÕES: O sistema deverá possibilitar a integração de suas funcionalidades aos sistemas já existentes na instalação. O volume estimado de integrações gira em torno de 50 (cinquenta) integrações. Uma integração deve ser considerada como a mensagem (TCP/IP ou web services) recebida e seu respectivo retorno, um arquivo de dados recebido e respectivo arquivo de retorno com Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 16

17 situação de tratamento para cada registro recebido, ou ainda um arquivo enviado e o tratamento do arquivo de retorno recebido VIA ARQUIVOS TEXTO (FLAT FILE) Arquivos no formato texto, posicional, recebidos e/ou enviados em horários específicos a outros sistemas do BRB, contendo registros do tipo header, dados e trailer. Normalmente, para cada arquivo de integração enviado, havérá um arquivo de retorno a ser recebido e tratado. De forma silmilar, cada arquivo recebido demandará o tratamento de seus registros e a geração de um arquivo de retorno VIA TCP/IP TEXTO, POSICIONAL E PROTOCOLO PADRÃO CCF MAINFRAME BRB Mensagens no formato texto, posicional, recebidas e/ou enviados a outros sistemas do BRB via TCP/IP utilizando o protocolo padrão CCF (Custom Connect Facility) do mainframe Unisys. Normalmente, para cada mensagem de integração enviada, haverá uma mensagem de retorno a ser recebida e tratada. De forma similar, cada mensagem recebida e tratada demandará a geração de uma mensagem de retorno VIA WEB SERVICES O sistema deverá ser capaz de efetuar o tratamento de todas as mensagens TCP/IP utilizando também o padrão WEB Services Padrões de Desempenho: O sistema deverá estar disponível, tratando as operações durante os dias úteis e respondendo às requisições de acordo com as parametrizações especificadas pela área gestora. O sistema deverá ainda possibilitar o tratamento de pelo menos 10 (dez) transações on-line por segundo, desconsiderando-se ai os tempos gastos fora da fronteira do sistema (banco de dados e integrações com outros sistemas) Documentação: O BRB considera como conjunto mínimo de documentação do sistema na hipótese de aquisição da solução: Código Fonte Visão Geral do Sistema (apresentação) Documento de Requisitos de Sistema. Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 17

18 Modelo de Entidade e Relacionamento Lógico Dicionário de Dados Documentação de Arquitetura de Software Diagrama Hierárquico Funcional Diagrama de Fluxo de Dados Diagrama de Classes Diagrama de Caso de Uso Diagrama de Sequência Na hipótese de licenciamento de uso: A documentação técnica, os manuais de Usuário, Sistema e Produção devem ser atualizados pela Contratada sempre que se fizer necessário, em virtude de serviços realizados durante a vigência do contrato A Contratada deverá manter atualizados a documentação técnica, o manual de produção, o manual do usuário, o modelo de dados, o dicionário de dados e os scripts de criação de base Ter disponível ajuda On Line para os campos, processos e demais informações pertinentes para auxiliar o usuário durante a execução de suas atividades Os serviços de suporte aos usuários referem-se ao acolhimento e a solução de questões relativas ao funcionamento do sistema, formuladas pelo gestor do negócio, por pessoal técnico da área de tecnologia do BRB ou por usuários dos sistemas, e ao atendimento aos incidentes de TI. 4.5 REQUISITOS REGULATÓRIOS: O sistema precisa estar aderente aos requisitos legais estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários CVM, Banco Central do Brasil e ANBIMA Política de Segurança da Informação: O sistema deverá estar aderente à Politica de Segurança da Informação e ao Manual de Segurança da Informação e Comunicações. 5 MODELO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO OU FORNECIMENTO DE BENS: 5.1 FORMA DE PRESTAÇÃO/EXECUÇÃO: Os serviços somente deverão ser executados após a expressa e obrigatória autorização do BRB A Contratada deverá iniciar a execução das atividades imediatamente após a assinatura Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 18

19 do contrato, com vistas ao cumprimento dos prazos previstos no item Requisitos temporais. 5.2 PARCELAMENTO DO OBJETO: Informamos que é inviável o parcelamento do objeto desta contratação, tendo em vista tratar-se de contratação de sistema para controle de passivo de fundos e clubes de investimentos. 5.3 LOCAL DE EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS: A solução deverá ser entregue no Banco de Brasília S/A BRB, SIA Trecho 3/4 Lotes nºs 1225/75, ou em local prévio determinado pelo BRB e de acordo com as especificações deste Termo de Referência As integrações com o pessoal técnico e de negócio do BRB necessárias à execução dos serviços ocorrerão nas instalações do Banco, em Brasília, ou em local prévio determinado pelo BRB, cabendo à Contratada a responsabilidade por todos os custos inerentes ao deslocamento e hospedagem dos profissionais envolvidos na prestação dos serviços, quando necessário. 6 ELEMENTOS PARA GESTÃO CONTRATUAL 6.1 PAPÉIS E RESPONSABILIDADES: Após a assinatura do contrato, o CONTRATANTE designará formalmente um empregado, ou comissão de empregados, doravante denominado Gestor do Contrato, com autoridade para representar a Administração e exercer toda e qualquer ação de orientação geral, acompanhamento e fiscalização da execução contratual A CONTRATADA deverá designar um representante através de procuração específica, junto à área de TI do BRB, denominado Preposto, responsável por acompanhar a execução do contrato e atuar como interlocutor principal junto à contratante, incumbido de receber, diligenciar, encaminhar e responder as principais questões técnicas, legais e administrativas referentes ao andamento contratual Em conformidade com os artigos 73 a 76 da Lei nº 8.666/93, os serviços objeto do CONTRATO serão recebidos pelo Gestor do Contrato, individualmente, mediante termo circunstanciado (Termo de Recebimento), firmado pelas partes. Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 19

20 6.2 MECANISMOS FORMAIS DE COMUNICAÇÃO: A comunicação entre o Banco e a Contratada será realizada por meio de carta, , fax ou chamadas telefônicas. 6.3 FORMAS DE ACOMPANHAMENTO DO CONTRATO: O início do contrato dar-se-á mediante reunião inicial entre CONTRATANTE e CONTRATADA, até 10 dias após assinatura do contrato, com a participação do Gestor do Contrato e do Preposto, para entendimento das etapas do contrato, da metodologia de trabalho, forma de acompanhamento e aceite das entregas Em conformidade com os artigos 73 a 76 da Lei nº 8.666/93, os serviços objeto do CONTRATO serão recebidos pelo Gestor, individualmente, mediante termo circunstanciado (Termo de Aceite), firmado pelas partes: a) provisoriamente, para efeito de posterior verificação da qualidade e quantidade do material e consequente aceitação; e b) definitivamente, após a verificação da qualidade e quantidade do material e consequente aceitação O Gestor do Contrato será responsável pela homologação e assinatura dos Termos de Recebimento Provisório e Definitivo dos Serviços; Os Termos de Recebimento dos serviços somente serão firmados após a após análise minuciosa a ser realizado pela equipe técnica do BRB. 6.4 NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO (NMS): Serviço Indicadores Métrica 1. Desenvolvimento/ajuste de funcionalidades a) tamanho funcional; b) índice de atrasos na entrega dos artefatos; c) índice de não conformidade com os requisitos; d) índice de erros na operação do software. a1) ponto de função; a2) ponto de caso de uso; b) n. de entregas atrasadas/n. total de encomendas; c) n. de não conformidades por requisito; d) n. de erros por unidade de tempo 2. Serviços de suporte de desenvolvimento e produção (atendimento na modalidade presencial) 3. Serviço de suporte a usuários (esclarecimento de dúvidas sobre a) Tempo até chegada às dependências do BRB b) Tempo até a solução do problema a) Tempo para resposta às solicitações a) minutos b) minutos a) minutos Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 20

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA VIFIN/GEREI CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA EM RELAÇÕES COM INVESTIDORES.

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA VIFIN/GEREI CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA EM RELAÇÕES COM INVESTIDORES. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA VIFIN/GEREI CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA EM RELAÇÕES COM INVESTIDORES. 1. DO OBJETIVO: Prestação de serviço de Consultoria em Relacionamento com Investidores RI, auxiliando

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO ESPECIALIZADO DE CONSULTORIA

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO ESPECIALIZADO DE CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO ESPECIALIZADO DE CONSULTORIA Brasília, Junho/2013 1. DEFINIÇÃO DO OBJETO Contratação do serviço de Consultoria com vistas à realização de atividades relacionadas

Leia mais

Termo de Referência. Ferramenta de Apoio ao Núcleo de Métricas de Software

Termo de Referência. Ferramenta de Apoio ao Núcleo de Métricas de Software Termo de Referência Ferramenta de Apoio ao Núcleo de Métricas de Software Brasília, julho/2013 1 TERMO DE REFERÊNCIA SUSIS/GEREN - 2013/013 Brasília, 26 de julho de 2013. Assunto: AQUISIÇÃO DE FERRAMENTA

Leia mais

Aquisição de Solução de Gestão e Controle de Contas Privilegiadas por Cofre de Senhas com Gravação de Sessão.

Aquisição de Solução de Gestão e Controle de Contas Privilegiadas por Cofre de Senhas com Gravação de Sessão. ANEXO nº_ Termo de Referência Aquisição de Solução de Gestão e Controle de Contas Privilegiadas por Cofre de Senhas com Gravação de Sessão. Brasília, de de. Projeto Básico SUSEM/GERTI nº 001/2016 1 Sumário

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada para executar serviços de manutenção evolutiva, corretiva, adaptativa e normativa

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9 TÍTULO: ASSUNTO: GESTOR: TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD DITEC/GECOQ Gerência de Controle e Qualidade ELABORAÇÃO: PERÍODO: GECOQ Gerência de Controle e

Leia mais

REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO TECNOLÓGICA (HARDWARES E SOFTWARES) PARA MONITORAMENTO E GERENCIAMENTO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE

REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO TECNOLÓGICA (HARDWARES E SOFTWARES) PARA MONITORAMENTO E GERENCIAMENTO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO TECNOLÓGICA (HARDWARES E SOFTWARES) PARA MONITORAMENTO E GERENCIAMENTO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE Dezembro/2014 Página 1 de 86 1. DEFINIÇÃO DO OBJETO

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DIRETORIA DE SUPORTE COMPUTACIONAL VERSÃO 1.0

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DIRETORIA DE SUPORTE COMPUTACIONAL VERSÃO 1.0 CATÁLOGO DE SERVIÇOS DIRETORIA DE SUPORTE COMPUTACIONAL VERSÃO 1.0 2011 1 1. APRESENTAÇÃO No momento de sua concepção não haviam informações detalhadas e organizadas sobre os serviços de Tecnologia da

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços de suporte técnico para a Ferramenta de Scanner de Vulnerabilidades de Aplicações Web Acunetix

TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços de suporte técnico para a Ferramenta de Scanner de Vulnerabilidades de Aplicações Web Acunetix TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços de suporte técnico para a Ferramenta de Scanner de Vulnerabilidades de Aplicações Web Acunetix, e, atualização de novas versões e das vulnerabilidades detectáveis.

Leia mais

ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO

ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO CONCORRÊNCIA DIRAD/CPLIC-008/2008 1 ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO 1. INFORMAÇÕES GERAIS E CARACTERÍSTICA DO ATUAL AMBIENTE CORPORATIVO

Leia mais

ELETROBRAS DISTRIBUIÇÃO RONDÔNIA GERÊNCIA DO PROGRAMA LUZ PARA TODOS

ELETROBRAS DISTRIBUIÇÃO RONDÔNIA GERÊNCIA DO PROGRAMA LUZ PARA TODOS TERMO DE REFERÊNCIA Nº. 002 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE AUDITORIA CONTÁBIL Porto Velho, 24 de Fevereiro de 2014. 1. OBJETO Prestação de serviços especializados em auditoria

Leia mais

ANEXO nº 01 Termo de Referência SUPRO/GEROP - 2014/002 TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO nº 01 Termo de Referência SUPRO/GEROP - 2014/002 TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO nº 01 Termo de Referência SUPRO/GEROP - 2014/002 TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS DE INFORMÁTICA PARA AS ATIVIDADES DE OPERAÇÃO, MONITORAÇÃO E SUPORTE TÉCNICO À

Leia mais

MODELO CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR

MODELO CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR MODELO CONTRATO N.º /20 CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR A (Órgão/Entidade Federal, Estadual ou Municipal), pessoa jurídica de direito público ou privado, com sede à Rua, n.º,

Leia mais

ANEXO IV CRITÉRIOS DE JULGAMENTO. O julgamento da presente licitação levará em consideração os seguintes fatores técnicos e respectivos pesos:

ANEXO IV CRITÉRIOS DE JULGAMENTO. O julgamento da presente licitação levará em consideração os seguintes fatores técnicos e respectivos pesos: 1 - PONTUAÇÃO TÉCNICA ANEXO IV CRITÉRIOS DE JULGAMENTO O julgamento da presente licitação levará em consideração os seguintes fatores técnicos e respectivos pesos: FATORES DE PONTUAÇÃO PESO Desempenho

Leia mais

CEP 2 100 99010-640 0 (XX) 54 3316 4500 0 (XX)

CEP 2 100 99010-640 0 (XX) 54 3316 4500 0 (XX) ANEXO 2 INFORMAÇÕES GERAIS VISTORIA 1. É obrigatória a visita ao hospital, para que a empresa faça uma vistoria prévia das condições, instalações, capacidade dos equipamentos, migração do software e da

Leia mais

ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS:

ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS: PREGÃO PRESENCIAL Nº 001/2009 1 ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS: 1.1. FORMAÇÃO ACADÊMICA EXIGIDA PARA TODOS OS PERFIS

Leia mais

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física CONTRATO DE ASSINANTE A1

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física CONTRATO DE ASSINANTE A1 TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CERTIFICAÇÃO DIGITAL que entre si fazem, de um lado, como contratada a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, Empresa Pública de Direito Privado, inscrita no CNPJ/MF sob

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA Outubro de 2013 1 1 OBJETO Prestação de Serviço de Manutenção da licença

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA AA 01/2014 BNDES QUESTIONAMENTO 08

CONSULTA PÚBLICA AA 01/2014 BNDES QUESTIONAMENTO 08 CONSULTA PÚBLICA AA 01/2014 BNDES QUESTIONAMENTO 08 Questionamento 08.1: 1) Considerando que o item 13.1.11. do Anexo I dispõe sobre a possibilidade de fiscalização nos serviços executados. (i) A proponente

Leia mais

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5.

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5. TERMO DE REFERÊNCIA I DO OBJETO 1.1. Contratação de pessoa jurídica especializada para prestação de serviço de limpeza e desinfecção de caixa d água para subseção de Dourados/MS do Coren/MS, conforme as

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008 ATA DO REGISTRO DE PREÇOS CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DO RAMO DE PRESTAÇÃO DE

Leia mais

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO 1. Introdução 1.1. Descrição do serviço Este documento disciplina a cessão de uso permanente da solução de software para Gestão

Leia mais

1.1. REQUISITOS NÃO FUNCIONAIS & CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

1.1. REQUISITOS NÃO FUNCIONAIS & CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 1. Anexo III - Requisitos Técnicos e de Segurança A SOLUÇÃO deverá atender obrigatoriamente aos requisitos não funcionais e às características técnicas descritos nos itens deste anexo. Os requisitos não

Leia mais

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas;

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas; ATA DE REUNIÃO CONSULTA PÚBLICA PARA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO WEB-EDI Troca Eletrônica de Dados. Local Dataprev Rua Cosme Velho nº 06 Cosme Velho Rio de Janeiro / RJ. Data: 06/03/2009 10:30 horas. Consolidação

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. Ata de Registro de Preços para Subscrição de Software Sistema Operacional da Plataforma Linux.

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. Ata de Registro de Preços para Subscrição de Software Sistema Operacional da Plataforma Linux. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Ata de Registro de Preços para Subscrição de Software Sistema Operacional da Plataforma Linux. DIT/GIS TR ARP Licenças de Software Sistema Operacional Linux.doc 1/ 6 TERMO DE

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO XVII MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ESTRUTURA

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO XVII MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ESTRUTURA CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO XVII MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ESTRUTURA Referência: CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 - BNDES Data: / / Licitante: CNPJ:

Leia mais

ANEXO I MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E INFRAESTRUTURA TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E INFRAESTRUTURA TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E INFRAESTRUTURA 1 OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1. Contratação de empresa especializada, para o eventual

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Pág. 1/8 CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÃO SMS Pág. 2/8 Equipe Responsável Elaboração Assinatura Data Divisão de Padrões de Tecnologia DIPT Aprovação Assinatura Data Departamento de Arquitetura Técnica DEAT Pág.

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

MUNICÍPIO DE CÓRREGO DO BOM JESUS ADMINISTRAÇÃO 2013 2016

MUNICÍPIO DE CÓRREGO DO BOM JESUS ADMINISTRAÇÃO 2013 2016 CONTRATO Nº 038/2014 MUNICÍPIO DE CÓRREGO DO BOM JESUS O MUNICÍPIO DE CÓRREGO DO BOM JESUS, Estado de Minas Gerais, pessoa jurídica de direito público, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 18.677.633/0001-02,

Leia mais

Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal

Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal 1. Há planejamento institucional em vigor? Deverá ser respondido SIM caso o Órgão/Entidade possua um planejamento estratégico

Leia mais

2.2 - Prestação de Serviços de Suporte Técnico Assistido

2.2 - Prestação de Serviços de Suporte Técnico Assistido Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 010/2011 1 DO OBJETO 1.1 - Contratação de empresa para o fornecimento de licenças de uso de software SAP, BusinessObjects Enterprise - BOE, com manutenção

Leia mais

TERMO DE ABERTURA DE PROCESSO LICITATÓRIO

TERMO DE ABERTURA DE PROCESSO LICITATÓRIO Processo Licitatório 7/2014 FL. 1 de 7 TERMO DE ABERTURA DE PROCESSO LICITATÓRIO PELO PRESENTE TERMO CONSIDERANDO estar autorizada verba orçamentária para a aquisição de computadores, no valor de até R$

Leia mais

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO Este documento descreve os serviços que devem ser realizados para a Implantação da Solução de CRM (Customer Relationship Management), doravante chamada SOLUÇÃO, nos ambientes computacionais de testes,

Leia mais

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 04/14 CREMEB

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 04/14 CREMEB ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 04/14 CREMEB 1 - DO OBJETO Constitui objeto da presente licitação a aquisição de: 1.1-08 (oito) LICENÇAS modalidade MICROSOFT OPEN, sendo: 01

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA NÚCLEO DE LOGÍSTICA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA NÚCLEO DE LOGÍSTICA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA NÚCLEO DE LOGÍSTICA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº 09/2007 PROCESSO Nº 0.01.000.000879/2007-37 VALIDADE: 1 (um)

Leia mais

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Jurídica CONTRATO DE ASSINANTE A1

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Jurídica CONTRATO DE ASSINANTE A1 TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CERTIFICAÇÃO DIGITAL que entre si fazem, de um lado, como contratada a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, Empresa Pública de Direito Privado, inscrita no CNPJ/MF sob

Leia mais

ParanáBanco. REGULAMENTO DE USO DO NETBANKING PARANÁ BANCO Atualizado em 16/09/2015

ParanáBanco. REGULAMENTO DE USO DO NETBANKING PARANÁ BANCO Atualizado em 16/09/2015 O Cliente, pela assinatura física e/ou eletrônica do Termo de Adesão e Uso do NetBanking Paraná Banco, adere ao presente Regulamento, definido conforme os seguintes termos e condições: 1. Regras de uso

Leia mais

Termo de Referência. Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa.

Termo de Referência. Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa. Termo de Referência Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa. CGAD/COAR - Gerenciamento de Impressão Plataforma Baixa / RQ DSAO nº xxx/2009 1/8 Termo de Referência Aquisição

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ATÍLIO VIVÁCQUA Estado do Espírito Santo

CÂMARA MUNICIPAL DE ATÍLIO VIVÁCQUA Estado do Espírito Santo CÂMARA MUNICIPAL DE ATÍLIO VIVÁCQUA ES. CONTRATO Nº. 001/2014. PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO Nº. 018/2013. Contrato de Prestação de Serviços que celebram a CÂMARA MUNICIPAL DE ATÍLIO VIVÁCQUA e ESSENCIALNET

Leia mais

Processo Nº 25545/2014 RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS

Processo Nº 25545/2014 RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS Processo Nº 25545/2014 RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS Brasília/DF, 18 de junho de 2014. Objeto Consultoria para desenvolvimento de metodologias e sistemáticas de inteligência para acompanhamento das famílias

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO 1.1. Prestação de serviços de suporte técnico em sistema de colaboração ZIMBRA. 2. DESCRIÇÃO GERAL DOS SERVIÇOS

Leia mais

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC 001/2007 1 ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA ESTABELECE, RESPONSABILIDADES DIVERSAS, TIPOS E HORÁRIO DE COBERTURA DE SUPORTE, E DEMAIS RESPONSABILIDADES DA CONTRATADA RELATIVAS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008 CENTRO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008 Anexo II 1 DO OBJETO 1.1 - Prestação de serviços de suporte técnico assistido

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, no uso da atribuição que lhe confere o art. 82, incisos V e VII, da Constituição do Estado,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, no uso da atribuição que lhe confere o art. 82, incisos V e VII, da Constituição do Estado, DECRETO N 42.434, DE 09 DE SETEMBRO DE 2003, DOERS. Regulamenta, no âmbito do Estado do Rio Grande do Sul, a modalidade de licitação denominada pregão, por meio eletrônico, para a aquisição de bens e serviços

Leia mais

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE INTRODUÇÃO Na intenção de realizar um novo sistema financeiro para a gestão de recursos de convênios celebrados pela Academia Brasileira de Ciências, o setor de informática juntamente com o setor financeiro

Leia mais

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 033/2015 Termo de Referência 1. OBJETO Renovação de licenças de Solução Corporativa do Antivírus Avast, com serviço de suporte técnico e atualização de versão, manutenção

Leia mais

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 24/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 24/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 24/2015 - BNDES Prezado Senhor, Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. Item 1.1.2 - Onde podemos encontrar os procedimentos,

Leia mais

OFÍCIO-CIRCULAR/CVM/SMI/Nº 1/2015 São Paulo, 8 de janeiro de 2015

OFÍCIO-CIRCULAR/CVM/SMI/Nº 1/2015 São Paulo, 8 de janeiro de 2015 OFÍCIO-CIRCULAR/CVM/SMI/Nº 1/2015 São Paulo, 8 de janeiro de 2015 Aos Custodiantes de Valores Mobiliários ( custodiantes ) Assunto: Adaptação à Instrução CVM Nº 542/2013 Prezados Senhores, 1. Nos termos

Leia mais

Requisitos técnicos dos produtos Thema

Requisitos técnicos dos produtos Thema Requisitos técnicos dos produtos Thema 1 Sumário 2 Apresentação...3 3 Servidor de banco de dados Oracle...4 4 Servidor de aplicação Linux...4 5 Servidor de terminal service para acessos...4 6 Servidor

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Anexo I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

TERMO DE REFERÊNCIA Anexo I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TERMO DE REFERÊNCIA Anexo I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE DISTRIBUIÇÃO, LICENCIAMENTO, ATUALIZAÇÃO E TREINAMENTO DE PRODUTOS MICROSOFT. 1 1 - OBJETO Registro de Preços para contratação

Leia mais

TERMO DE ADESÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERMEDIAÇÃO

TERMO DE ADESÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERMEDIAÇÃO TERMO DE ADESÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERMEDIAÇÃO São partes deste Instrumento, VAIVOLTA.COM SERVIÇOS DE INTERNET SA, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 15.529.518/0001-94, com sede na Rua Frei Caneca,

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº.../20... PROCESSO Nº 1.00.000.003689/2013-00 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES ATA Nº.../20...

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº.../20... PROCESSO Nº 1.00.000.003689/2013-00 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES ATA Nº.../20... ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº.../20... PROCESSO Nº 1.00.000.003689/2013-00 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES ATA Nº.../20... Ao...do dia do mês de... do ano de 20..., na PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA PGR,

Leia mais

Servidor de OpenLAB Data Store A.02.01 Lista de Preparação do Local. Objetivo do Procedimento. Responsabilidades do cliente

Servidor de OpenLAB Data Store A.02.01 Lista de Preparação do Local. Objetivo do Procedimento. Responsabilidades do cliente Servidor Lista de Preparação de OpenLAB do Data Local Store A.02.01 Objetivo do Procedimento Assegurar que a instalação do Servidor de OpenLAB Data Store pode ser concluída com sucesso por meio de preparação

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 531, DE 6 DE FEVEREIRO DE 2013

INSTRUÇÃO CVM Nº 531, DE 6 DE FEVEREIRO DE 2013 Altera dispositivos da Instrução CVM nº 356, de 17 de dezembro de 2001 e da Instrução CVM nº 400, de 29 de dezembro de 2003. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Licitações e Compras Contrato nº 081/2007 Fls.

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Licitações e Compras Contrato nº 081/2007 Fls. Contrato nº 081/2007 Fls. 1 MINUTA TERMO DE CONTRATO Convite de Preços n.º 081/07 Processo n.º 11784/05 Objeto: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE DESCUPINIZAÇÃO DO PREDIO E ACERVO DO

Leia mais

PESQUISA DE PREÇOS 01/2014

PESQUISA DE PREÇOS 01/2014 PESQUISA DE PREÇOS 01/2014 Considerando a necessidade de aquisição de software integrado de gestão, para atender as necessidades desta Prefeitura Municipal de Porto Alegre, solicitamos que as empresas

Leia mais

Serviço de mensageria SMS

Serviço de mensageria SMS Termo de Referência Serviço de mensageria SMS Agosto/2014 1 1 OBJETO 1.1 Prestação de serviços de envio de até 1.680.000 (Um milhão seiscentos e oitenta mil) Mensagens de Texto SMS (Short Message Service)

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Compras e Licitações Contrato nº /08

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Compras e Licitações Contrato nº /08 MINUTA 1 1 TERMO DE CONTRATO Tomada de Preços nº 019/08 Processo nº 5935/0/ Contratante: Prefeitura Municipal de Franca Contratada: Valor: R$ ( ) OBJETO: AQUISIÇÃO DE TERMINAIS DE AUTO ATENDIMENTO Pelo

Leia mais

ASSISTÊNCIA HELP DESK REMOTO Manual do Associado OS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SÃO PRESTADOS PELA USS SOLUÇÕES GERENCIADAS S.A. CNPJ: 01.979.

ASSISTÊNCIA HELP DESK REMOTO Manual do Associado OS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SÃO PRESTADOS PELA USS SOLUÇÕES GERENCIADAS S.A. CNPJ: 01.979. ASSISTÊNCIA HELP DESK REMOTO Manual do Associado OS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SÃO PRESTADOS PELA USS SOLUÇÕES GERENCIADAS S.A. CNPJ: 01.979.936/0001-79 ASSISTÊNCIA HELP DESK REMOTO Ao necessitar de algum

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1.1. Gestões a serem auditadas: Contábil, Financeira, Patrimonial, Administrativa.

TERMO DE REFERÊNCIA. 1.1. Gestões a serem auditadas: Contábil, Financeira, Patrimonial, Administrativa. GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO FUNDAÇÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TERMO DE REFERÊNCIA 1 DO OBJETO 1.1. Contratação de empresa

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 3010. Documento normativo revogado pela Carta-Circular 3.040, de 30/08/2002, a partir de 09/09/2002.

CARTA-CIRCULAR N 3010. Documento normativo revogado pela Carta-Circular 3.040, de 30/08/2002, a partir de 09/09/2002. CARTA-CIRCULAR N 3010 Documento normativo revogado pela Carta-Circular 3.040, de 30/08/2002, a partir de 09/09/2002. Esclarece procedimentos para operação de participante em regime de contingência no âmbito

Leia mais

CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº 08/2015. Contrato celebrado entre a Câmara Municipal de São Simão e a Empresa

CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº 08/2015. Contrato celebrado entre a Câmara Municipal de São Simão e a Empresa CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº 08/2015 Contrato celebrado entre a Câmara Municipal de São Simão e a Empresa PUBLICENTER INFORMÁTICA COMÉRCIO E LOCAÇÃO LTDA-ME CONTRATANTE: A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO SIMÃO,

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Group Folha no servidor...6

Leia mais

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 01 TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 02 Plataforma O TOPLAB foi projetado para funcionar na web, nasceu 'respirando

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº: 21218.000120/2011-01

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº: 21218.000120/2011-01 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº: 21218.000120/2011-01 1 JUSTIFICATIVA 1.1 Justifica-se essa aquisição pela necessidade de atendimento à demanda de Aparelhos Telefônicos efetuada pelas diversas

Leia mais

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica.

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica. Classificação: RESOLUÇÃO Código: RP.2007.077 Data de Emissão: 01/08/2007 O DIRETOR PRESIDENTE da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia - PRODEB, no uso de suas atribuições e considerando

Leia mais

Contrato Comercial. Objetivo: Setup - Plataforma de E-commerce. Cliente... : Aos cuidados de... : Data de Emissão...

Contrato Comercial. Objetivo: Setup - Plataforma de E-commerce. Cliente... : Aos cuidados de... : Data de Emissão... Contrato Comercial Objetivo: Setup - Plataforma de E-commerce Cliente... : Aos cuidados de... : Data de Emissão... : Emitido por: 0 Contrato Comercial Pelo presente instrumento, firma-se o acordo comercial

Leia mais

O Certificado Digital é um documento eletrônico que permite a identificação segura do autor de uma transação feita na Internet.

O Certificado Digital é um documento eletrônico que permite a identificação segura do autor de uma transação feita na Internet. Prezado(a) cliente, Você acaba de adquirir um Certificado Digital ICP BRASIL. O Certificado Digital é um documento eletrônico que permite a identificação segura do autor de uma transação feita na Internet.

Leia mais

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA GERENCIAMENTO DE PROJETOS PRONIM, IMPLANTAÇÃO SQL SERVER GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA Cliente GOVBR, UEM-MARINGA / Prefeitura Municipal de PEROLA Data 10/09/2015 Versão 1.0 Objeto:

Leia mais

ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS

ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS Sumário 1. Finalidade... 2 2. Justificativa para contratação... 2 3. Premissas para fornecimento e operação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Compras e Licitações Contrato nº /08

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Compras e Licitações Contrato nº /08 MINUTA 1 1 TERMO DE CONTRATO Tomada de Preços nº 041/08 Processo nº 31.744/08 Contratante: Prefeitura Municipal de Franca Contratada: Valor: R$ ( ) OBJETO: AQUISIÇÃO E INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SISTEMA

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TERMO DE REFERÊNCIA Registro de Preços para prestação de serviço de atualização de licenças de uso do produto Citrix Xenapp, aquisição de novas licenças, subscrição e suporte ao software Citrix e suporte

Leia mais

REGULAMENTO BANCO DE PREÇOS

REGULAMENTO BANCO DE PREÇOS REGULAMENTO BANCO DE PREÇOS O BANCO DO BRASIL S.A., sociedade de economia mista, com sede em Brasília, Distrito Federal, sito no SBS, Quadra 4, Lote 32, Bloco C, inscrito no CNPJ sob o n.º 00.000.000/0001-91,

Leia mais

PROPOSTA TÉCNICA/PLANILHA DE AVALIAÇÃO (com Alteração 01)

PROPOSTA TÉCNICA/PLANILHA DE AVALIAÇÃO (com Alteração 01) CONCORRÊNCIA DIRAD/CPLIC Nº 001/2010 ANEXO II 1 PROPOSTA TÉCNICA/PLANILHA DE AVALIAÇÃO (com Alteração 01) I - Atestados, certidões e comprovantes I.1 Todos os documentos, atestados e certificados deverão

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA LOTE ITEM UN DESCRIÇÃO QUANTIDADE ENVIO DE MENSAGENS SHORT MESSAGE. no N

TERMO DE REFERÊNCIA LOTE ITEM UN DESCRIÇÃO QUANTIDADE ENVIO DE MENSAGENS SHORT MESSAGE. no N TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO: PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ENVIO DE MENSAGENS SMS SHORT MESSAGE SERVICE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Responsável: Superintendência Central de Governança Eletrônica Objeto LOTE ITEM

Leia mais

COTAÇÃO ELETRÔNICA: 133/2012 COMPRASNET

COTAÇÃO ELETRÔNICA: 133/2012 COMPRASNET COTAÇÃO ELETRÔNICA: 133/2012 COMPRASNET AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE ANTIVÍRUS MCAFEE PARA PLATAFORMA DE SERVIDORES VIRTUALIZADOS VMWARE DA REDE CORPORATIVA PRODAM Diretoria de Infraestrutura e Tecnologia-

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO CEARÁ SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA TERMO DE REFERÊNCIA

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO CEARÁ SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO DA CONTRATAÇÃO SERVIÇO: Aquisição de Certificado Digital apropriado para clientes do Poder Judiciário Certificado JUS Institucional. O objetivo da contratação é para uso exclusivo

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA REVENDAS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA REVENDAS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA REVENDAS FORNECEDOR: WORKSOFT INFORMÁTICA LTDA., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ/MF sob nº. 08.707.221/0001-06, com sede

Leia mais

BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica

BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica 1. Arquitetura da Aplicação 1.1. O Banco Postal utiliza uma arquitetura cliente/servidor WEB em n camadas: 1.1.1. Camada de Apresentação estações de atendimento, nas

Leia mais

SICOOBNET EMPRESARIAL

SICOOBNET EMPRESARIAL SICOOBNET EMPRESARIAL Apresentação do produto Características principais Segurança Procedimentos para utilização Adesão Instalação Cadastro de computador Transações disponíveis AGENDA APRESENTAÇÃO DO PRODUTO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviço Telefônico Móvel de Dados, na modalidade Sms (Short Message Service - Serviço de Mensagens Curtas de Texto)

TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviço Telefônico Móvel de Dados, na modalidade Sms (Short Message Service - Serviço de Mensagens Curtas de Texto) TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviço Telefônico Móvel de Dados, na modalidade Sms (Short Message Service - Serviço de Mensagens Curtas de Texto) 1 1 - OBJETO 1.1 Registro de Preços para prestação de

Leia mais

Bolsa Brasileira de Mercadorias - Pregão Eletrônico

Bolsa Brasileira de Mercadorias - Pregão Eletrônico Bolsa Brasileira de Mercadorias - Pregão Eletrônico www.cabedal.net Passo a Passo para o Licitante participar dos pregões através da Cabedal Corretora de Mercadorias Como licitante obtém a senha de acesso

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A Esperança_TI S.A S/A Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A 25/11/2014 Gerador do documento: Gerente de Negociação: Marcos Alves de Oliveira Marcos Antônio de Morais Aprovação

Leia mais

Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online

Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online Estes são os termos que determinarão o nosso relacionamento Este contrato refere-se ao sistema Diário de Obras Online, abrangendo qualquer uma de suas versões

Leia mais

Manual de Instalação Corporate

Manual de Instalação Corporate Manual de Instalação Corporate Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Imobiliária21

Leia mais

INTERNET HOST CONNECTOR

INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR IHC: INTEGRAÇÃO TOTAL COM PRESERVAÇÃO DE INVESTIMENTOS Ao longo das últimas décadas, as organizações investiram milhões de reais em sistemas e aplicativos

Leia mais

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário Cadastramento de Computadores Manual do Usuário Setembro 2008 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Conhecendo a solução...03 Segurança pela identificação da máquina...03 2. ADERINDO À SOLUÇÃO e CADASTRANDO COMPUTADORES

Leia mais

PORTARIA Nº 236, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 236, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 236, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta o credenciamento de empresas de tecnologia para geração de códigos de segurança cifrados (CSC) inseridos em códigos bidimensionais de resposta rápida

Leia mais

Manual de Instalação PIMSConnector em Linux

Manual de Instalação PIMSConnector em Linux Manual de Instalação PIMSConnector em Linux Julho/2015 Sumário 1. Contexto de negócio (Introdução)... 3 2. Pré-requisitos instalação/implantação/utilização... 4 3. JBOSS... 6 3.1. Instalação... 6 3.2.

Leia mais

Para/To: N o de páginas/n o of. pages: 06 De/From: Silvana Luz Simões Data/Date: 28 / 08/ 2007 Ref.: Solicitação de proposta ATT.:

Para/To: N o de páginas/n o of. pages: 06 De/From: Silvana Luz Simões Data/Date: 28 / 08/ 2007 Ref.: Solicitação de proposta ATT.: MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq DAD/CGADM/COINF/SERVIÇO DE LICITAÇÃO SELIC SEPN 507, Bloco B, Ed. Sede CNPq, Sala 211, CEP: 70.740-901,

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

ANEXO I - DISCRIMINAÇÃO

ANEXO I - DISCRIMINAÇÃO PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO Coordenadoria de Segurança Institucional PE nº. 73/3 ANEXO I - DISCRIMINAÇÃO AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE MONITORAMENTO E RASTREAMENTO

Leia mais

PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETO DE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATU SENSO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PARA COMPOR O PROGRAMA DE EFICIÊNCIA

Leia mais

Norma de Segurança Estadual para Gerenciamento de Senhas

Norma de Segurança Estadual para Gerenciamento de Senhas GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO GERAL CONSELHO SUPERIOR DO SISTEMA ESTADUAL DE INFORMAÇÃO E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANEXO I - RESOLUÇÃO Nº. 011/2011

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA CONTRATO DE COMPRA E VENDA PREGÃO ELETRÔNICO Nº 77/2013 PROCESSO N 3418-09.00/13-1 AJDG Nº 135/13 O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, por intermédio da PROCURADORIA- GERAL DE JUSTIÇA, órgão administrativo do

Leia mais

EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA S/A IPLANRIO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ESCLARECIMENTO PROCESSO 01.300.493/2012 PE 0101/2013

EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA S/A IPLANRIO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ESCLARECIMENTO PROCESSO 01.300.493/2012 PE 0101/2013 EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA S/A IPLANRIO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ESCLARECIMENTO PROCESSO 01.300.493/2012 PE 0101/2013 1 - No ANEXO II, TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS, Notebooks

Leia mais

DIGIMAN. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br

DIGIMAN. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br DIGIMAN MANDADO JUDICIAL ELETRÔNICO Arquitetura WTB Tecnologia 2009 www.wtb.com.br Arquitetura de Software O sistema DIGIMAN é implementado em três camadas (apresentação, regras de negócio e armazém de

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº /2011

MINUTA DE CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº /2011 MINUTA DE CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº /2011 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA MONITORADA, INCLUINDO A INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E INSUMOS, PARA A SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESPÍRITO SANTO, QUE ENTRE

Leia mais