AUTORES CRISTIANO VALER DIÓGENES QUEIROZ JOÃO GONZAGA MURILO RAMOS PEREIRA OSCAR DIAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AUTORES CRISTIANO VALER DIÓGENES QUEIROZ JOÃO GONZAGA MURILO RAMOS PEREIRA OSCAR DIAS"

Transcrição

1 FÁBRICA DE SOFTWARE AUTORES CRISTIANO VALER DIÓGENES QUEIROZ JOÃO GONZAGA MURILO RAMOS PEREIRA OSCAR DIAS TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS Professor Orientador: José Ângelo Valle Porto Alegre, 14 de setembro de 2007 Referência: PMBOK Guide - 3 a.edição

2 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO INTRODUÇÃO / HISTÓRICO ANÁLISE ESTRATÉGICA ANÁLISE DE VIABILIDADE PLANO DE GERENCIAMENTO DE ESCOPO Termo de Abertura Escopo Detalhado Definição da metodologia de desenvolvimento Infra-estrutura (Hardware e Software Contratação e capacitação de pessoas Treinamento do novo processo de trabalho Unificação da plataforma de desenvolvimento Estrutura Analítica EAP EAP Gerenciamento de Projetos EAP Consultoria de P&D EAP Recursos Humanos EAP Infra-estrutura EAP Treinamento da Metodologia EAP Unificação de Plataformas Dicionário da EAP Mudanças de Escopo PLANO DE GERENCIAMENTO DO TEMPO Cronograma Controle do Cronograma PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS Custo Unitário dos Recursos Humanos Custo dos Recursos Humanos no Projeto Orçamento Software Hardware Cronograma de desembolso mensal... 30

3 7.4 Processos de Gerenciamento de Custos Reserva Gerencial PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE Planejamento da Qualidade Avaliações do Treinamento Avaliação do Desenvolvimento Garantia da Qualidade Melhoria Contínua Controle da Qualidade PLANO DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Matriz de Responsabilidades Plano de Treinamentos Duração dos Cursos Qualificação Exigida dos Instrutores Organização dos Horários dos Cursos PLANO DE GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES Matriz de Comunicação Plano de Divulgação Plano de Reuniões Lista de Documentos Plano de Gerenciamento das Comunicações Abordagem dos Stakeholders Ferramentas e Técnicas Saídas PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Identificação dos Riscos Risk Breakdown Structure (RBS Lista de Riscos Ameaças Análise Inicial Pré-reação Lista de Riscos Oportunidades Análise Inicial Pré-reação Contenção / Prevenção e Contingência Lista de Riscos Ameaças Pós-reação (durante o Projeto Lista de Riscos Oportunidades Pós-reação (durante o Projeto PLANO DE GERENCIAMENTO DE AQUISIÇÕES Planejamento de compras e contratações Análise Fazer ou Comprar... 64

4 12.3 Declaração de trabalho para os itens de aquisição (Solicitação Propostas Acompanhamento do Pedido Método para Tarefa Crítica Seleção de Fornecedor Administração do Contrato Processo de Gerência de Mudança do Contrato Fechamento e Arquivamento do Contrato LISTA DE DOCUMENTOS...70 GLOSSÁRIO...71

5 1 SUMÁRIO EXECUTIVO Este documento apresenta o Plano de Gerenciamento de Projeto do modelo de Fábrica de Software definindo o conjunto de atividades para a realização da unificação e migração para a tecnologia.net dos produtos da Gens S.A. Está fábrica de software atenderá as demandas internas e de mercado utilizando uma metodologia eficiente e ágil orientada ao negócio da empresa, sistema para a saúde, desde uma estrutura de consultório médico até grandes corporações como ambulatórios médicos e grandes hospitais. Também será possível permitir a visibilidade no andamento dos projetos e atividades desenvolvidas pela fábrica, tornando transparente para o cliente a situação de cada solicitação. 5

6 2 INTRODUÇÃO / HISTÓRICO A Gens S.A é uma empresa especializada no segmento de soluções de TI para Saúde, líder de mercado na América Latina em sistemas de prontuário eletrônico com mais de usuários. Atualmente com 15 anos de mercado e empresa trabalha com o conceito de unidades de negócio estruturadas da seguinte forma: Consultórios, Empresas, Hospitais e Saúde Pública. Cada uma possui um software que é a ferramenta utilizada pelos clientes além dos demais serviços oferecidos pela organização. Para realizar o desenvolvimento destes produtos as unidades possuem uma estrutura de desenvolvimento própria, com tecnologias e profissionais distintos criando uma divisão interna, ou seja, os recursos são tratados de forma completamente independentes. Além disso, cada uma possui um processo de desenvolvimento próprio. Este projeto tem por objetivo planejar a unificação da área de desenvolvimento de produtos, visando o compartilhamento de recursos humanos e tecnológicos entre as unidades de negócio, otimizando e padronizando o processo de trabalho através de uma metodologia. Consequentemente a capacidade e qualidade de entrega serão superiores, além de proporcionar uma evolução tecnológica em toda linha de produtos e a qualificação da equipe interna de desenvolvimento. 6

7 3 ANÁLISE ESTRATÉGICA A análise estratégica neste projeto avalia o conjunto de variáveis mais as seguintes oportunidades e ameaças: Oportunidades: 1. Geração de novos negócios através da tecnologia de última geração; 2. Melhoria do atendimento ao cliente interno e externo. 3. Aumento da capacidade de produção e rentabilidade. 4. Possibilidade de buscar uma Certificação ISO, CMM, etc. Ameaças: 1. Grande volume de projetos em andamento; 2. Resistências devido à nova metodologia e tecnologia; 3. Falta de equipe especializada capacitada. Forças: 1. Há motivação e apoio do patrocinador; 2. Equipe interna envolvida e ciente da necessidade. Fraquezas: 1. Dificuldade na migração de grandes sistemas; 2. Processos de trabalho divididos por área. Estratégia: 1. Recrutar pessoas com experiência em metodologia de desenvolvimento e a tecnologia empregada; 2. Trabalhar na divulgação do projeto evitando resistências internas, utilizando as lideranças alinhadas com o projeto, mostrando a importância e oferecer treinamento qualificado aos profissionais; 3. Utilizar uma metodologia simples, porém consistente, para não afetar a produtividade e permitir uma futura certificação. 4. Manter o prazo e a qualidade para que cliente perceba aspectos positivos como entrega e qualidade elevada. 7

8 FATORES INTERNOS FATORES EXTERNOS PONTOS FORTES (S Motivação e apoio do patrocinador Equipe motivada e ciente da necessidade PONTOS FRACOS (W Dificuldade de migração de grandes sistemas Processos de trabalho divididos por área OPORTUNIDADES (O Novos Negócios Melhoria Atendimento Aumento da produtividade Busca de certificação ISO IMPLICAÇÕES (SO Utilizar metodologia simples e consistente, para não afetar a produtividade e permitir a certificação. - Foco na divulgação do projeto -Qualificação no treinamento AMEAÇAS (T Grande volume de projetos Resistências metodologia e tecnologia Falta de equipe -Manter o prazo e qualidade - Foco no cliente IMPLICAÇÕES (WT Recrutar pessoas com experiência em metodologia de desenvolvimento e a tecnologia empregada 8

9 4 ANÁLISE DE VIABILIDADE A análise de viabilidade do projeto utilizou como premissa um aumento de produtividade de 33% na entrega de novas versões, dos sistemas fornecidos pela GENS. A GENS apresenta uma receita mensal estimada em R$ ,00, logo teremos um incremento de R$59.400,00 mensais após a implantação do investimento. O retorno do investimento foi estimado em: Retorno Nº Meses Taxa Retorno Payback Seco 36 23,54 a.a. Payback Aplicado 41 1,78 a.m. A taxa de atratividade utilizada no calculo foi 15% a.a e o Imposto de renda 25% a.a. A tabela a seguir apresenta o fluxo financeiro assim como o VPL num período de cinco anos, a partir do primeiro mês do projeto. MÊS INVESTIM. BENEFÍC. DEPREC. I.R. GERA- ÇÃO DE CAIXA LIQUIDO CAIXA MÊS LIQUIDO CAIXA ACUM. VALOR PRESENTE MÊS VALOR PRESENTE ACUM. 1 ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ $ $7.997 ($ $ $8.417 ($ $7.068 ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ ($

10 18 $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ ($ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ ($ $ $7.997 ($ $ $ $ $ ($ $ $7.997 ($ $ $ $ $ ($ $ $7.997 ($ $ $ $ $ ($ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $

11 54 $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $7.997 ($ $ $ $ $7.997 ($ $ $ TOTAL ($ $ $ ($ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $

12 5 PLANO DE GERENCIAMENTO DE ESCOPO 5.1 Termo de Abertura GERENTES: Cristiano, Diógenes, João, NOME DO PROJETO: Fábrica de Software Murilo, Oscar ESCOPO OBJETIVO: Implementar em 12 meses o modelo de fábrica de software para aumentar a capacidade de entrega em 33% e padronizar, através de uma metodologia, o processo de desenvolvimento de software, bem como unificar a plataforma de desenvolvimento dos sistemas existentes. PREMISSAS: Unificação dos recursos do desenvolvimento e contratação de acordo com os papéis estabelecidos RESTRIÇÕES: Não impactar nos prazos dos processos em andamento RISCOS Resistências internas, diminuição da produção de projetos em andamento, adaptação da equipe a nova metodologia de desenvolvimento, manter os projetos antigos compatíveis até sua total migração. PRINCIPAIS ENVOLVIDOS: Diretores (Sponsors, gerentes de desenvolvimento. COMENTÁRIOS: Projeto em fase de planejamento PRAZO: 08 de outubro de 2008 INVESTIMENTO: R$ ,00 Data: Elaborado por: Aprovado por: 17/12/2007 Murilo Ramos Pereira 12

13 5.2 Escopo Detalhado O conceito de Fábrica de Software surgiu para transformar o processo de desenvolvimento de software em uma linha de produção, ou pelo menos o mais próximo disso. A tentativa visa obter prazos mais adequados e mais previsíveis, custo mais baixo e uma qualidade adequada que não varie de um produto para o outro. Uma empresa de desenvolvimento de software é definida, em linhas gerais, como a figura abaixo: Este projeto tem por objetivo implementar no período de 12 meses o modelo de fábrica de software buscando o aumento da capacidade de entrega em 33%, padronizando através de uma metodologia, o processo de desenvolvimento de software, bem como a unificação da plataforma de desenvolvimento dos sistemas existentes. Atualmente a fabrica de software da empresa trabalha com o conceito de unidades de negócio para o desenvolvimento dos produtos, estruturados da seguinte forma: Consultórios, Empresas, 13

14 Hospitais e Saúde Pública. Baseado nesta definição acabou-se criando uma estrutura de desenvolvimento própria para cada unidade, com tecnologias e profissionais distintos, criando uma divisão interna, ou seja, os recursos são tratados de forma completamente independentes. Além disso, cada unidade possui um processo de desenvolvimento. Baseado neste cenário, este projeto tem por objetivo a unificação das áreas de desenvolvimento de produtos, visando o compartilhamento de recursos humanos e tecnológicos entre as unidades de negócio, otimizando e padronizando o processo de trabalho através de uma metodologia. Consequentemente a capacidade e qualidade de entrega serão superiores, além de proporcionar uma evolução tecnológica em toda linha de produtos e a qualificação da equipe interna de desenvolvimento. Foram definidas as seguintes fases para o desenvolvimento deste projeto: Definição da metodologia de desenvolvimento Infra-estrutura (hardware e software Contratação e capacitação das pessoas Treinamento do novo processo de trabalho Unificação da plataforma de desenvolvimento Cada uma destas etapas possui uma série de detalhes que devem ser observados ao longo do projeto envolvendo aspectos culturais e estratégicos da organização. A seguir é descrito o escopo de cada uma das fases e a importância de cada uma no trabalho a ser realizado Definição da metodologia de desenvolvimento Para realizar a definição da metodologia de desenvolvimento mais adequada optou-se pela seleção de profissionais ou empresas com experiência em consultoria neste tipo de trabalho, de modo que o desempenho neste processo torne-se bem superior, comparado a um grupo de trabalho interno que pudesse discutir um processo adequado a nova realidade proposta. Dessa a consultoria deve fazer uma avaliação da metodologia atual e sugerir a metodologia mais adequada as necessidades da empresa. Juntamente com este trabalho será necessária a geração de uma documentação do processo de trabalho para ser utilizada como apoio aos papéis estabelecidos e requeridos neste novo cenário. 14

15 É tarefa da consultoria definir qual a infra-estrutura necessária para o novo processo de trabalho (Hardware + Software e o acompanhamento/capacitação dos lideres nos novos processos e metodologias empregadas, com o objetivo de criar multiplicadores que disseminarão o conhecimento a todos os envolvidos Infra-estrutura (Hardware e Software Para aquisição dos equipamentos e sistemas serão avaliados os pré-requisitos de hardware e software definido pela consultoria alinhado ao novo cenário estabelecido. Será realizar a cotação de preços de todos os equipamentos de servidores e estações de acordo com o processo de compra da empresa. Equipamentos para expansão da rede devem ser adquiridos. Toda a infra-estrutura deve ser testada e disponibilizada para que o processo de trabalho possa ser inserido com tranqüilidade Contratação e capacitação de pessoas Juntamente com o novo processo de trabalho serão definidos os papéis e responsabilidade para cada função. Desta forma será necessária a avaliação dos papéis de cada um compatibilizados com a metodologia, ou seja, identificar se os recursos humanos disponíveis na estrutura atual da empresa são suficientes e adequados a nova realidade. Certamente pessoas serão enquadradas facilmente em um tipo de atividade, outras terão de se adaptar e algumas não fazem parte do quadro atual de colaboradores. Para isso deve ser utilizado o processo de recrutamento e seleção da empresa na busca de pessoas para completar todos aos papéis requeridos. Para realização do projeto está a disposição a área de marketing da empresa, com o intuito de auxiliar nos aspectos motivacionais e de comunicação, auxiliando e qualificando o endo-marketing do projeto e a visibilidade para as demais áreas da empresa Treinamento do novo processo de trabalho Para a realização mais efetiva do treinamento e facilitar a inclusão de novas pessoas no processo é necessária a elaboração de um Manual da Metodologia descrevendo o processo de trabalho da fábrica de software para que fique claro o ponto de atuação de cada um. Além disso, se faz ne- 15

16 cessário a criação de um manual específico para o analista de sistemas e outro para o programador. Estes manuais devem ser impressos e entregues a cada colaborador no momento da execução do treinamento. Algumas métricas necessitam ser criadas com o intuito de mensurar a efetividade e qualidade do treinamento. O treinamento será feito inicialmente em grupo e posteriormente individual para cada papel. Deve ser aplicado um processo de avaliação para mensurar a efetividade do treinamento Unificação da plataforma de desenvolvimento Será trabalhada a unificação dos recursos e tecnologias de desenvolvimento para os produtos consultório e empresarial. Neste processo todos devem ser envolvidos no planejamento e execução. Devem ser trabalhadas as seguintes etapas para cada um dos produtos: Análise requisitos para migração dos sistemas; Análise de sistemas; Desenvolvimento dos sistemas na nova tecnologia; Processo de testes e homologação; Geração da versão final dos sistemas. 5.3 Estrutura Analítica EAP 16

17 5.3.1 EAP Gerenciamento de Projetos EAP Consultoria de P&D EAP Recursos Humanos 17

18 5.3.4 EAP Infra-estrutura EAP Treinamento da Metodologia 18

19 5.3.6 EAP Unificação de Plataformas 5.4 Dicionário da EAP WBS Título Descrição 1 Gerenciamento de Projetos Atividades de gerenciamento, inciação, planejamento, execução, controle e encerramento que vão ocorrer em todo o ciclo do projeto. 2.1 Contratação Seleção e contratação da consultoria de metodologia 2.2 Seleção da Metodologia Avaliação a metodologia mais adequada as necessidades da empresa 2.3 Padronização dos Processos e Documentos Definição do processo de trabalho e geração da documentação de apoio 2.4 Definição da Infra-estrutura Necessária Definir qual a infra-estrutura necessária para o novo processo de trabalho (Hardware + Software 2.5 Capacitação de Lideres Internos Capacitação dos lideres nos novos processos e metodologia de desenvolvimento 3.1 Compatibilidade de Papéis e Profissionais Avaliação dos papeis requeridos pela metodologia X estrutura atual da empresa 3.2 Recrutamento e Seleção por Papéis Recrutamento e seleção de pessoas para adequação aos papéis requeridos 3.3 Apoiar ações de Endo- Realizar o endo-marketing do projeto Marketing 4.1. Aquisição Processo de Compra Verificar pré-requisitos Avaliar os pré-requisitos de hardware e software definido pela consultoria Cotação Realizar a cotação de preços de hardware Compra Efetuar o processo de compra do hardware 19

20 Verificar pré-requisitos Avaliar os pré-requisitos de hardware e software definido pela consultoria Cotação Realizar a cotação de preços de hardware Compra Efetuar o processo de compra do hardware Cabeamento Compra do cabeamento para rede Instalação dos Equipamentos Serviço de instalação dos equipamentos Teste da Rede Serviço de teste de velocidade e confiabilidade da rede 4.2 Hardware Disponibilização do Hardware Cabeamento Implementação do Cabeamento Instalação dos Equipamentos Instalação dos equipamentos da rede Teste da Rede Teste da rede Configurar Servidores Configuração dos servidores Testar Equipamentos Teste físico dos equipamentos Disponibilizar em Rede Disponibilização dos Servidores em rede Configurar Máquinas Configurar máquinas dos clientes Testar Equipamentos Testar hardware dos clientes Disponibilizar em Rede Disponibilizar clientes em rede 4.3 Softwares Instalação dos Softwares Instalação Softwares do Servidor Instalação dos sistemas Configuração do Servidor Configuração dos sistemas Disponibilizar Ambiente em Disponibilizar servidores em rede Rede Instalação dos Softwares Clientes Instalação dos Softwares Clientes Configuração Aplicativos Clientes Configuração dos Aplicativos Clientes Elaborar Manual da Metodologia Elaborar Manual da Metodologia para o setor Elaborar Manual do Analista Elaborar Manual específico do Analista Elaborar Manual do Programador Elaborar Manual específico do Programador Imprimir Manuais Imprimir Manuais Criar método de Avaliação Definição do método de avaliação do treinamento Capacitação em Grupo Treinamento em grupo num auditório de toda metodologia Capacitação Individual Treinamento individual, focado na atividade de cada um Realizar Avaliação Aplicar método de avaliação Análise de Requisitos Análise requisitos para migração do sistema de consultório Análise de Sistemas Análise de sistemas para migração do sistema de consultório Desenvolvimento Desenvolvimento do sistema de consultório na tecnologia Homologação Processo de testes e homologação do sistema 20

21 Geração da Versão Geração da versão final do sistema Análise de Requisitos Análise requisitos para migração do sistema empresarial Análise de Sistemas Análise de sistemas para migração do sistema empresarial Desenvolvimento Desenvolvimento do sistema de empresarial na tecnologia Homologação Processo de testes e homologação do sistema Geração da Versão Geração da versão final do sistema 5.5 Mudanças de Escopo As mudanças de escopo no projeto são realizadas através de um documento específico para este fim. O documento possuirá o seguinte formato: Solicitação de Mudanças no Projeto Projeto: Fábrica de Software Cliente: Interno Descrição da Mudança: (Descrição do que vai ser modificado em relação à especificação original. Pode ser um acréscimo ou uma alteração do que foi definido Motivo: (Justificativa para a solicitação desta mudança Impacto: (Descrição dos impactos que esta mudança, caso seja aprovada, terá no resultado final do projeto. Pode ser aumento de custos, aumento do prazo etc. Este item é preenchido pelo responsável pela tomada de decisão Parecer técnico: (Comentário técnico para justificar a decisão tomada. Este item é preenchido pelo responsável pela tomada de decisão Situação: Aprovada Reprovada 21

22 Solicitação de Mudanças no Projeto Projeto: Fábrica de Software Cliente: Interno Descrição da Mudança: (Descrição do que vai ser modificado em relação à especificação original. Pode ser um acréscimo ou uma alteração do que foi definido Motivo: (Justificativa para a solicitação desta mudança Impacto: (Descrição dos impactos que esta mudança, caso seja aprovada, terá no resultado final do projeto. Pode ser aumento de custos, aumento do prazo etc. Este item é preenchido pelo responsável pela tomada de decisão Parecer técnico: (Comentário técnico para justificar a decisão tomada. Este item é preenchido pelo responsável pela tomada de decisão Situação: Aprovada Reprovada Gerente do Projeto <patrocinador> Porto Alegre, de de

23 Além disso, as mudanças de escopo no projeto deverão seguir o seguinte fluxo: 23

24 6 PLANO DE GERENCIAMENTO DO TEMPO 6.1 Cronograma 24

25 25

26 6.2 Controle do Cronograma O controle do cronograma do projeto será feito através do Microsoft Project. Será feito um acompanhamento do projeto realizando-se eventuais atualizações do cronograma e enviando-se essas atualizações aos membros da equipe e ao patrocinador através de um relatório Gráfico de Gantt. O desempenho do projeto será avaliado através da Análise de Valor Agregado (Earned Value, onde o custo e o prazo do projeto são acompanhados em um único processo de controle (relatório de Análise de Valor Agregado. As mudanças no escopo do projeto devem seguir as regras descritas neste documento onde se definem o documento necessário para solicitação das mudanças e o fluxo de mudanças na seção Mudanças de Escopo (5.5. Os prazos do projeto deverão ser atualizados e avaliados diariamente, sendo os resultados apresentados na reunião semanal da Equipe do Projeto, prevista no plano de gerenciamento das comunicações. 26

27 7 PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS 7.1 Custo Unitário dos Recursos Humanos As tabelas a seguir apresentam os custos de cada recurso humano que será utilizado neste projeto, os cálculos levam em conta todos os encargos e tributos conforme a CLT. 27

28 28

29 7.2 Custo dos Recursos Humanos no Projeto A tabela a seguir apresenta os custos previstos com recursos humanos durante o projeto. * Obs.: O consultor técnico será contratado em regime RPA. 29

30 7.3 Orçamento O projeto irá utilizar a estrutura existente da Gens incluindo apenas os hardwares os softwares necessários para implantação do projeto Software A tabela a seguir apresenta os custos e as quantidades dos softwares do projeto Hardware A tabela a seguir apresenta os custos e as quantidades de hardware do projeto Cronograma de desembolso mensal Considerando o cronograma do projeto, foi elaborado um cronograma de desembolso para o projeto, este cronograma está sincronizado com os eventos de aquisições assim como as necessidades de recursos humanos. 30

31 7.4 Processos de Gerenciamento de Custos Para avaliar o desempenho do projeto irá se utilizar o método de Análise de Valor Agregado (Earned Value. Assim, o custo e o prazo do projeto são acompanhados em um único processo de controle (relatório Analise de Valor Agregado. A tabela a seguir apresenta o modelo que será utilizado: 31

32 Complementando a gestão de custos, a figura a seguir apresenta a curva S e os indicadores de desempenho do projeto: O gerenciamento de custos do projeto será realizado com base no orçamento previsto para o projeto (subdividido por tarefas e por recursos, bem como através do fluxo de caixa do projeto. Todas as questões de caráter inflacionário e cambial serão desconsideradas dentro do período de tempo do projeto. 32

33 Assim como no gerenciamento de tempo, todas as mudanças no orçamento inicialmente previstas para o projeto devem ser validadas e classificadas dentro do sistema de controle de mudanças de orçamento. Quaisquer mudanças que forem consideradas inovações ou novas características não serão abordadas pelo gerenciamento de custos deste projeto. As solicitações de verbas sempre deverão ser feitas por escrito ou através de , conforme descrito no plano de comunicações do projeto. 7.5 Reserva Gerencial O patrocinador do projeto deve aprovar uma reserva gerencial total de $ que se subdivide em Reservas de Contingência e Outras reservas. O custo final do empreendimento é formado pelo orçamento do projeto e pela reserva gerencial. Reservas de Contingência Estas reservas são destinadas ao processo de gerenciamento de riscos e a decomposição das mesmas está descrita no plano de gerenciamento de riscos. Outras Reservas Todos outros eventos que não estiverem contemplados no plano de gerenciamento de riscos irão compor as outras reservas. Estas reservas foram estimadas a partir do plano de riscos e deverão ser consumidas com base nas solicitações de mudanças provenientes dos outros planos e dentro da autonomia do gerente do projeto e do patrocinador. A tabela a seguir apresenta um resumo das reservas. 33

34 34

35 8 PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE 8.1 Planejamento da Qualidade Em nosso projeto temos a qualidade como sendo um fator determinante do sucesso do projeto. De acordo com a qualidade do projeto obteremos o retorno necessário para a viabilização do mesmo, logo, o processo de gerenciamento da qualidade é de suma importância para garantir esse retorno. Como nosso projeto consiste na migração da metodologia para um modelo de desenvolvimento de software de Fábrica de Software e também da migração de dois sistemas para uma nova tecnologia de acordo com este modelo, precisamos estabelecer critérios e métricas para as duas partes do projeto. Com relação à migração da metodologia, que será realizada junto a uma consultoria, temos como ponto de verificação da qualidade os treinamentos realizados e as avaliações deste treinamento. Por sua vez, a migração dos sistemas deverá ser avaliada de acordo com os documentos de verificação que serão definidos juntamente da definição da metodologia Avaliações do Treinamento Após a realização da Capacitação Individual e em Grupo, serão realizadas avaliações para determinar a qualidade do treinamento. Essas avaliações serão desenvolvidas durante o projeto e deverão conter a seguinte estrutura: Avaliação X Nome: <Nome do Funcionário> Data: <Data da avaliação> Questão Resposta

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS BRUNO ROBERTO DA SILVA CESAR HENRIQUE MACIEL RIBEIRO GUSTAVO HENRIQUE PINHEIRO RICARDO SALLUM DE SOUZA VITOR

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento das comunicações

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento das comunicações PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES COMMUNICATIONS MANAGEMENT PLAN Preparado por Tarcísio Viana Tavares Membro do time Versão 2 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

Gerenciamento de Projetos (PMI) e sua aplicação em projetos de transporte público.

Gerenciamento de Projetos (PMI) e sua aplicação em projetos de transporte público. Gerenciamento de Projetos (PMI) e sua aplicação em projetos de transporte público. Sérgio Ricardo Fortes 1 ; Ana Cristina Dalborgo 2 1 EMTU Rua Joaquim Casemiro, 290, Bairro Planalto São Bernardo do Campo-SP

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A.

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. Estudo de Caso Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes um novo serviço, que foi denominado de

Leia mais

Visão Geral das Áreas de Conhecimento e dos Processos da Gerência de Projetos

Visão Geral das Áreas de Conhecimento e dos Processos da Gerência de Projetos Visão Geral das Áreas de Conhecimento e dos Processos da Gerência de Projetos GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO GERÊNCIA DO ESCOPO GERÊNCIA DO TEMPO GERÊNCIA DE CUSTO GERÊNCIA DA QUALIDADE Desenvolvimento do Plano

Leia mais

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 29 3.1 GERENCIAMENTO DO ESCOPO O Gerenciamento do Escopo do Projeto engloba os processos necessários para assegurar que o projeto inclua todas

Leia mais

Elaboração dos documentos

Elaboração dos documentos Estudo de Caso Área de conhecimento Gerência de Escopo Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes

Leia mais

F.1 Gerenciamento da integração do projeto

F.1 Gerenciamento da integração do projeto Transcrição do Anexo F do PMBOK 4ª Edição Resumo das Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos F.1 Gerenciamento da integração do projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos

Leia mais

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos 3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos Este capítulo tem como objetivo a apresentação das principais ferramentas e metodologias de gerenciamento de riscos em projetos, as etapas do projeto onde o processo

Leia mais

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS GESTÃO DE PROJETOS Prof. Me. Luís Felipe Schilling "Escolha batalhas suficientemente grandes para importar, suficientemente pequenas para VENCER." Jonathan Kozol GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK 1 GERÊNCIA

Leia mais

Projetos na área de TI. Prof. Hélio Engholm Jr

Projetos na área de TI. Prof. Hélio Engholm Jr Projetos na área de TI Prof. Hélio Engholm Jr Projetos de Software Ciclo de Vida do Projeto Concepção Iniciação Encerramento Planejamento Execução e Controle Revisão Ciclo de Vida do Produto Processos

Leia mais

Gerenciamento do escopo

Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Escopo pode ser definido como a soma dos produtos de um projeto, bem como a descrição de seus requisitos. O momento de definir o escopo é a hora em que o

Leia mais

Simulações em Aplicativos

Simulações em Aplicativos Simulações em Aplicativos Uso Avançado de Aplicativos Prof. Marco Pozam mpozam@gmail.com A U L A 0 4 Programação da Disciplina 20/Agosto: Conceito de Project Office. 27/Agosto: Tipos de Project Office.

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PROJETO NOVAS FRONTEIRAS DECLARAÇÃO DE TRABALHO TREINAMENTO STATEMENT OF WORK Preparado por Nelson Azevedo Membro do Time Versão 1 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 28/11/2010 Propósito

Leia mais

O que é um projeto? Características de um projeto. O Que é o PMBoK Guide 3º Edition? Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps)

O que é um projeto? Características de um projeto. O Que é o PMBoK Guide 3º Edition? Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps) O que é um projeto? Projeto é um empreendimento não repetitivo, caracterizado por uma sequência clara e lógica de eventos, com início, meio e fim, que se destina a atingir um objetivo claro e definido,

Leia mais

IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO

IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO 1 - Descrição do Plano de Gerenciamento detempo (PMBOK) O gerenciamento de tempo do projeto inclui os processos necessários para realizar o término do projeto no prazo.

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte II Agenda sumária dos Processos em suas categorias e níveis de maturidade

Leia mais

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas ECONOMISTA - RIVAS ARGOLO 2426/D 62 9905-6112 RIVAS_ARGOLO@YAHOO.COM.BR Objetivo deste mini curso : Mostrar os benefícios do gerenciamento de projetos

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO

PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO Identificação do Projeto Projeto Nome do projeto. Unidade Demandante Unidade que solicitou o projeto. Gestor do Projeto Nome do Gestor do projeto. Responsável na Unidade Demandante Nome do Responsável

Leia mais

PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE

PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE 1 PMI- Project Management Institute Fundado nos Estudos Unidos em 1969; Instituto sem fins lucrativos, dedicado ao

Leia mais

METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO INFOECIA. Introdução

METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO INFOECIA. Introdução Introdução O objetivo deste documento é descrever de uma forma simplificada, o processo implantação de sistemas corporativos da Infoecia. Neste documento é apresentado o ciclo de vida padrão dos projetos

Leia mais

PLANEJAMENTO - ESCOPO - TEMPO - CUSTO

PLANEJAMENTO - ESCOPO - TEMPO - CUSTO PLANEJAMENTO - ESCOPO - TEMPO - CUSTO PAULO SÉRGIO LORENA Julho/2011 1 Planejamento escopo, tempo e custo PROGRAMA DA DISCIPLINA Apresentação professor Programa da disciplina Avaliação Introdução Processos

Leia mais

Gerenciamento de Projeto: Planejando os Recursos. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Gerenciamento de Projeto: Planejando os Recursos. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Gerenciamento de Projeto: Planejando os Recursos Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Planejar as Aquisições Desenvolver o Plano de Recursos Humanos Planejar as Aquisições É o

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo IV Integração

Gerenciamento de Projetos Modulo IV Integração Gerenciamento de Projetos Modulo IV Integração Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Procedimento Operacional

Procedimento Operacional 1/ 13 Contratos Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento 01 Revisão Integral do PO Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo Responsável Rubrica Diretoria de Engenharia

Leia mais

17/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 2.

17/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 2. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2.2 2 ESCOPO 3 1 Gerência do Escopo Processos necessários

Leia mais

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro:

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro: Gerenciamento de Projetos Teoria e Prática Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009 do PMBOK do PMI Acompanha o livro: l CD com mais de 70 formulários exemplos indicados pelo PMI e outros desenvolvidos

Leia mais

P l a n o d e G e r e n c i a m e n t o d as C o m u n i c a ç õ e s d o P r o j e t o

P l a n o d e G e r e n c i a m e n t o d as C o m u n i c a ç õ e s d o P r o j e t o P l a n o d e G e r e n c i a m e n t o d as C o m u n i c a ç õ e s d o P r o j e t o I d e n t i f i c a ç ã o Projeto Implantação de Sistema GED Solicitante BB S.A Patrocinador do Projeto Jurandir Toblib

Leia mais

Gerenciamento de Recursos Humanos e Gerenciamento de Comunicações. Sergio Scheer / DCC / UFPR TC045 Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Recursos Humanos e Gerenciamento de Comunicações. Sergio Scheer / DCC / UFPR TC045 Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Recursos Humanos e Gerenciamento de Comunicações Sergio Scheer / DCC / UFPR TC045 Gerenciamento de Projetos Just to remember... Interação entre os processos segundo PMBOK... Cada processo

Leia mais

Gerenciamento de Integração do Projeto Planejamento e Execução do Projeto

Gerenciamento de Integração do Projeto Planejamento e Execução do Projeto Gerenciamento de Integração do Projeto Planejamento e Execução do Projeto 4. Gerenciamento de integração do projeto PMBOK 2000 PMBOK 2004 4.1 Desenvolver o termo de abertura do projeto 4.2 Desenvolver

Leia mais

Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps)

Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps) PMI O Que é o PMBoK Guide 3º Edition? O PMBoK Guide 3º Edition (2004) é uma denominação que representa todo o somatório de conhecimento dentro da área de gerenciamento de projetos, além de fornecer uma

Leia mais

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK Disciplina de Engenharia de Software Material elaborado por Windson Viana de Carvalho e Rute Nogueira Pinto em 19/07/2004 Material alterado por Rossana Andrade em 22/04/2009 - Project Management Institute

Leia mais

Questões atualizadas no PMBoK 5ª edição versão 2015. Respostas comentadas com justificativa e seção do PMBoK correspondente.

Questões atualizadas no PMBoK 5ª edição versão 2015. Respostas comentadas com justificativa e seção do PMBoK correspondente. Copyright 2015 PMtotal.com.br - Todos os direitos reservados PMI, Guia PMBOK, PMP, CAPM são marcas registradas do Project Management Institute, Inc Simulado de 20 questões para as provas CAPM e PMP do

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE Rev. Data. Modificações 01 14/09/2007 Manual Inicial 02 12/06/2009 Revisão Geral do Sistema de Gestão da Qualidade 03 22/10/2009 Inclusão de documento de referência no item 8. Satisfação de cliente, Alteração

Leia mais

Plano de Gerenciamento das Comunicações

Plano de Gerenciamento das Comunicações Projeto: Simul-e Plano de Gerenciamento das Comunicações Versão 1.0 Página 1 de 9 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 01/11/2015 1.0 Criação do Documento Hugo Pazolline Página 2 de 9 Índice

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO

COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO OBJETIVO DA SEÇÃO Esta seção apresenta a Competência, Conscientização e do Sistema da Qualidade da TELEDATA que atende ao item 6.2.2 Norma ISO 9001:2008. DIRETRIZES

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a EAP e planejando a Qualidade. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a EAP e planejando a Qualidade. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a EAP e planejando a Qualidade Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Criando EAP. Planejando a qualidade. Criando a Estrutura Analítica do Projeto

Leia mais

PMBOK/PMI Project Management Body of Knowledge. Gerenciamento de Projetos

PMBOK/PMI Project Management Body of Knowledge. Gerenciamento de Projetos PMBOK/PMI Project Management Body of Knowledge Gerenciamento de Projetos Organização de Projetos GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIOS GERENCIAMENTO DE PROGRAMA GERENCIAMENTO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE SUBPROJETOS

Leia mais

Gerenciamento de Aquisições em Projetos. Parte 11. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE- 325. Docente: Petrônio Noronha de Souza CSE-325 / Parte 11

Gerenciamento de Aquisições em Projetos. Parte 11. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE- 325. Docente: Petrônio Noronha de Souza CSE-325 / Parte 11 Gerenciamento de Aquisições em Projetos Parte 11 Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE- 325 Docente: Petrônio Noronha de Souza Curso: Engenharia e Tecnologia Espaciais Concentração: Engenharia e Gerenciamento

Leia mais

ANEXO II - Especificações Técnicas

ANEXO II - Especificações Técnicas ANEXO II - Especificações Técnicas Índice 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DO ESCOPO... 24 1.1 OBJETIVO DESTE DOCUMENTO... 24 1.2 CARACTERÍSTICAS DAS SOLUÇÕES SAGER E SAAT... 24 1.3 COMPONENTES DO PROJETO PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

TEMPLATES DE REFERÊNCIA PARA PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE INVESTIMENTO

TEMPLATES DE REFERÊNCIA PARA PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE INVESTIMENTO TEMPLATES DE REFERÊNCIA PARA PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE INVESTIMENTO Estratégia & Desempenho Empresarial Gerência de Análise e Acompanhamento de Projetos de Investimento Março 2010 SUMÁRIO 1. Introdução...

Leia mais

Engenharia de Software II: Definindo Projeto III. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Definindo Projeto III. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Definindo Projeto III Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Explorando as Áreas de Conhecimento de Gerenciamento de Projeto Entendendo como Projetos Acontecem

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Em conformidade com a metodologia PMI 1 Apresentações Paulo César Mei, MBA, PMP Especialista em planejamento, gestão e controle de projetos e portfólios, sempre aplicando as melhores

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

POLÍTICA ORGANIZACIONAL

POLÍTICA ORGANIZACIONAL POLÍTICA ORGANIZACIONAL PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE NA DR TECH Data 01/03/2010 Responsável Doc ID Danielle Noronha PoliticaOrg_DR_V003 \\Naja\D\Gerenciamento\Política Localização Organizacional Versão

Leia mais

Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC

Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC O CTIC/UFPA Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação da Universidade Federal do Pará define neste documento sua Política Organizacional

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS CICLO DE VIDA DE PROJETOS (viabilidade até a entrega / iniciação ao encerramento) RELEVÂNCIA SOBRE AS AREAS DE CONHECIMENTO FATORES IMPACTANTES EM PROJETOS

Leia mais

I - Uma vez fechada a declaração de escopo, não é possível alterá-la. II - Uma parte interessada tem o poder de vetar a implantação do projeto.

I - Uma vez fechada a declaração de escopo, não é possível alterá-la. II - Uma parte interessada tem o poder de vetar a implantação do projeto. Bateria PMBoK Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/ 1. (CESGRANRIO/Petrobras 2008) A Estrutura Analítica do Projeto

Leia mais

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK http://www.sei.cmu.edu/ Prefácio do CMM Após várias décadas de promessas não cumpridas sobre ganhos de produtividade e qualidade na aplicação de novas metodologias

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Termo de Abertura. Projeto: SysTrack. Documento: 1.0

Termo de Abertura. Projeto: SysTrack. Documento: 1.0 Termo de Abertura Projeto: SysTrack Documento: 1.0 1 Nome do Projeto: SysTrack Centro de Custo: XXXX Gerente do Projeto: Renato Santos Empresa contratante: Hórus Empresa contratada: TechHouse Método de

Leia mais

V PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS

V PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS V PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS 1 - Descrição do Plano de Gerenciamento de Integração (PMBOK) O gerenciamento de custos do projeto inclui os processos envolvidos em planejamento, estimativa, orçamentação

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos (ref. capítulos 1 a 3 PMBOK) TC045 Gerenciamento de Projetos Sergio Scheer - scheer@ufpr.br O que é Gerenciamento de Projetos? Aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas

Leia mais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais Tecnologia e Mídias Digitais PUC SP Prof. Eduardo Savino Gomes 1 Afinal, o que vem a ser Gestão? 2 Gestão/Gerir/Gerenciar Gerenciar, administrar, coordenar

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS GERAIS DE PROJETOS DE SISTEMAS OU APLICATIVOS

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS GERAIS DE PROJETOS DE SISTEMAS OU APLICATIVOS INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS GERAIS DE PROJETOS DE SISTEMAS OU APLICATIVOS IS-CGMI-02/2005 Aprovada pela Portaria nº 1494 de 22/11/2005 Histórico de Versões Data Versão Descrição Autor

Leia mais

FAUSTO SILVA MASTRELLA

FAUSTO SILVA MASTRELLA União Educacional Minas Gerais FAUSTO SILVA MASTRELLA NOVAS PERSPECTIVAS UBERLÂNDIA MINAS GERAIS BRASIL 2009 2 FAUSTO SILVA MASTRELLA NOVAS PERSPECTIVAS Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Departamento

Leia mais

Workshop PMBoK. Gerenciamento de Recursos Humanos

Workshop PMBoK. Gerenciamento de Recursos Humanos Workshop PMBoK Gerenciamento de Recursos Humanos Paulo H. Jayme Alves Departamento de Inovação Tecnológica - DeIT Janeiro de 2009 1 Envolvimento da equipe Os membros da equipe devem estar envolvidos: Em

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução à Melhoria de Processos de Software baseado no MPS.BR Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Introdução MPS.BR MR-MPS Detalhando o MPS.BR nível G Introdução

Leia mais

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Objetivos da Aula: Nesta aula, iremos conhecer os diversos papéis e responsabilidades das pessoas ou grupos de pessoas envolvidas na realização de

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte PBH. Empresa de Informática e Informação de Belo Horizonte S/A PRODABEL. Gerência de Projetos Especiais GPES-PB

Prefeitura de Belo Horizonte PBH. Empresa de Informática e Informação de Belo Horizonte S/A PRODABEL. Gerência de Projetos Especiais GPES-PB Prefeitura de Belo Horizonte PBH Empresa de Informática e Informação de Belo Horizonte S/A PRODABEL Gerência de Projetos Especiais GPES-PB Normas e Padrões para Gestão de Dados Geoespaciais SMGO Belo Horizonte,

Leia mais

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica...

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica... 1 de 1 19/4/212 17:17 EGTI 211/212 - Autodiagnostico 21 Imprimir Identificação 1. Qual a identificação do órgão? AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS 2. Qual o âmbito de preenchimento do formulário?

Leia mais

Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos. Prof.: Franklin M. Correia

Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos. Prof.: Franklin M. Correia 1 Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos Prof.: Franklin M. Correia Na aula anterior... Metodologias ágeis Princípios do Manifesto ágil 12 itens do manifesto

Leia mais

Metodologia de Gestão e Desenvolvimento de Software. Coordenação Geral de Tecnologia da Informação

Metodologia de Gestão e Desenvolvimento de Software. Coordenação Geral de Tecnologia da Informação Metodologia de Gestão e Desenvolvimento de Software Coordenação Geral de Tecnologia da Informação 2 Índice 1. Processos Organizacionais... 7 1.1. A gestão da demanda... 7 1.2. e Responsabilidades... 7

Leia mais

Resumo do BABok 2.0 O Guia de Referência de Análise de Negócio Curso de Analista de Negócio 3.0

Resumo do BABok 2.0 O Guia de Referência de Análise de Negócio Curso de Analista de Negócio 3.0 O que é BABok? O BABok 2.0, Corpo de Conhecimento de Análise de Negócios, é considerado como um Guia Referência de Práticas de Análise de Negócio. Este guia é publicado e mantido pelo IIBA. O guia BABok

Leia mais

Projeto Olho Vivo Atuação estratégica nas necessidades dos clientes para melhoria da Satisfação.

Projeto Olho Vivo Atuação estratégica nas necessidades dos clientes para melhoria da Satisfação. IGS INOVAÇÃO DA GESTÃO EM SANEAMENTO Ciclo 2012 Case: Projeto Olho Vivo Atuação estratégica nas necessidades dos clientes para melhoria da Satisfação. A. A OPORTUNIDADE A.1. Qual foi a oportunidade de

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP DARCI PRADO Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP Versão 2.0.0 Janeiro 2014 Extraído do Livro "Maturidade em Gerenciamento de Projetos" 3ª Edição (a publicar)

Leia mais

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation.

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. O SoftExpert PPM Suite é a solução mais robusta, funcional e fácil para priorizar, planejar, gerenciar e executar projetos, portfólios

Leia mais

PMBOK - Project Management Body of Knowledge - PORTUGUÊS

PMBOK - Project Management Body of Knowledge - PORTUGUÊS PMBOK - Project Management Body of Knowledge - PORTUGUÊS Sr(as) Gerentes de Projeto, O PMBOK, compilado pela expertise do PMI Project Management Institute, é a linha mestra que nos conduz ao conhecimento

Leia mais

SIGECO07 Sistema Integrado de Gestão de Contas Universidade Federal de Lavras PLANO DE PROJETO 23/09/2007 SIGECO07/GERENCIA/PROJETOS/

SIGECO07 Sistema Integrado de Gestão de Contas Universidade Federal de Lavras PLANO DE PROJETO 23/09/2007 SIGECO07/GERENCIA/PROJETOS/ SIGECO07 Sistema Integrado de Gestão de Contas Universidade Federal de Lavras PLANO DE PROJETO 23/09/2007 SIGECO07/GERENCIA/PROJETOS/ ModeloPlanoProjeto_2007_04_24 SIGECO07_PlanoProjeto_2007_09_23 Página

Leia mais

FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 2.1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 Fundamentos de Risco e Retorno Se todos soubessem com antecedência qual seria o preço futuro de uma ação, o investimento

Leia mais

PROJETOS IV. Plano do Projeto Exportação da Bebida Voltz Equipe Style Project (07/10/2009)

PROJETOS IV. Plano do Projeto Exportação da Bebida Voltz Equipe Style Project (07/10/2009) PROJETOS IV Plano do Projeto Exportação da Bebida Voltz Equipe Style Project (07/10/2009) Assinaturas de Aprovação Responsabilidade Organizacional Assinatura Data Gerente de Projeto 07/10/2009 Líder de

Leia mais

Projetos na área de TI. Prof. Hélio Engholm Jr

Projetos na área de TI. Prof. Hélio Engholm Jr Projetos na área de TI Prof. Hélio Engholm Jr Projetos de Software Ciclo de Vida do Projeto Concepção Iniciação Encerramento Planejamento Execução e Controle Revisão Ciclo de Vida do Produto Processos

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná.

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná. ELABORADO POR: Carlos Eduardo Matias Enns MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVADO POR: Edson Luis Schoen 28/1/5 1 de 11 1. FINALIDADE A Saint Blanc Metalmecânica Ltda visa estabelecer as diretrizes básicas

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos PMI, PMP e PMBOK PMI (Project Management Institute) Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o PMI é a principal associação mundial, sem fins lucrativos,

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Grupo de Consultores em Governança de TI do SISP 20/02/2013 1 Agenda 1. PMI e MGP/SISP 2. Conceitos Básicos - Operações e Projetos - Gerenciamento de Projetos - Escritório de

Leia mais

ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com

ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com 1 As 10 áreas de Conhecimento 2 INTEGRAÇÃO 3 Gerência da Integração Processos necessários

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PROJETO BARUERI

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PROJETO BARUERI PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PROJETO BARUERI O Plano de Cargos e Salários aqui apresentado é resultado do entendimento e alinhamento dos direcionadores do Modelo de Organização e Gestão e das Políticas e

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

Conquistamos ao longo de nossa trajetória mais de 30.000 licenças em operação em 6.500 clientes ativos.

Conquistamos ao longo de nossa trajetória mais de 30.000 licenças em operação em 6.500 clientes ativos. Institucional Perfil A ARTSOFT SISTEMAS é uma empresa brasileira, fundada em 1986, especializada no desenvolvimento de soluções em sistemas integrados de gestão empresarial ERP, customizáveis de acordo

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK Cleber Lecheta Franchini 1 Resumo:

Leia mais

Plano de Gerenciamento das Aquisições Exemplo 1

Plano de Gerenciamento das Aquisições Exemplo 1 Plano de Gerenciamento das Aquisições Exemplo 1 Este plano descreve como serão administrados os processos de aquisição de bens e serviços neste projeto. As perguntas a serem respondidas no plano são: o

Leia mais

Gestão de Portfólio de Projetos

Gestão de Portfólio de Projetos Dez/2010 Gestão de de Projetos Prof. Américo Pinto FGV, IBMEC-RJ, PUC-RJ, COPPEAD Email: contato@americopinto.com.br Twitter: @americopinto Linkedin: Americo Pinto Website: www.americopinto.com.br Por

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO

CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO Temporário: significa que cada projeto tem um início e um fim muito bem definidos. Um projeto é fundamentalmente diferente: porque ele termina quando seus objetivos propostos

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

PEN - Processo de Entendimento das Necessidades de Negócio Versão 1.4.0

PEN - Processo de Entendimento das Necessidades de Negócio Versão 1.4.0 PEN - Processo de Entendimento das Necessidades de Negócio Versão 1.4.0 Banco Central do Brasil, 2015 Página 1 de 14 Índice 1. FLUXO DO PEN - PROCESSO DE ENTENDIMENTO DAS NECESSIDADES DE NEGÓCIO... 3 2.

Leia mais

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte BCON Sistema de Controle de Vendas e Estoque Declaração de escopo Versão 1.0 Histórico de Revisão Elaborado por: Filipe de Almeida do Amaral Versão 1.0 Aprovado por: Marcelo Persegona 22/03/2011 Time da

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DE PROJETOS

ASPECTOS GERAIS DE PROJETOS ASPECTOS GERAIS DE PROJETOS O que é PROJETO Um empreendimento com começo e fim definidos, dirigido por pessoas, para cumprir objetivos estabelecidos dentro de parâmetros de custo, tempo e especificações.

Leia mais

A estrutura do gerenciamento de projetos

A estrutura do gerenciamento de projetos A estrutura do gerenciamento de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é

Leia mais