PROGRAMA DE MELHORIA DO PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO (MPS.BR):

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA DE MELHORIA DO PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO (MPS.BR):"

Transcrição

1 1 PROGRAMA DE MELHORIA DO PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO (MPS.BR): Um estudo de caso sobre a aplicação do nível G em uma empresa de desenvolvimento de software Cheila Graciela Gobbo Bombana 1, Gema Luciane Agliardi 2 RESUMO Na realidade atual das micro, pequenas e médias empresas de desenvolvimento de software, qualidade é um fator diferencial para se ganhar vantagem competitiva, além de garantir o bom desempenho dos produtos de software comercializados. A necessidade urgente de melhorar a qualidade dos produtos e serviços de uma empresa de desenvolvimento para atingir suas metas de crescimento é o fator determinante que motivou esta pesquisa. Este trabalho apresenta uma análise bibliográfica introdutória baseada em Qualidade de Software e Modelos de Maturidade. Em seguida, descreve o diagnóstico, o plano de melhoria do processo de software e os primeiros resultados adquiridos com a implantação, utilizando o nível G (Parcialmente Gerenciado) do MPS.BR (Melhoria de Processo do Software Brasileiro) em uma empresa de desenvolvimento de software de pequeno porte. Os objetivos inicialmente propostos foram alcançados, através da análise dos processos de desenvolvimento de software da empresa, identificação das mudanças necessárias para se enquadrar ao padrão de desenvolvimento Parcialmente Gerenciado, e por fim, a avaliação dos custos e benefícios que a implantação do projeto de melhoria proporcionou a empresa. Palavras-Chaves: Processo de Software, Qualidade de Software, MPS.BR. ABSTRACT In the current reality of small and medium-sized company software development, quality is a distinguishing factor to get competitive advantage and ensure the proper performance of the software products market. The urgent need to improve the quality of products and services of a development company to achieve its goals of growth is the determining factor that motivated this research. This paper presents an introductory bibliography analysis based on Software Quality and Maturity Models. It then describes the diagnosis, a plan for improving the software process and the first results obtained with the implementation, using the standard G (Partially Managed) of MPS.BR (Process Improvement in Brazilian Software) in a development small company software. The initial goals were reached by analyzing the processes of software development company, identifying the changes necessary to fit the pattern of development Partly Managed, and finally, evaluation of the costs and benefits that the implementation of the improvement project provided the company. Key Words: Software Process, Software Quality, MPS.BR. 1 Especialista em Gestão e Desenvolvimento em Tecnologia da Informação Faculdade Anglicana de Erechim (FAE). 2 Mestre em Ciência da Computação Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

2 1 INTRODUÇÃO A informática nos apresenta um novo mundo, que quebra todas as barreiras de comunicação e modifica a própria estrutura da indústria de consumo. O consumidor e a indústria passaram a valorizar não somente o produto final, mas todas as fases do processo de construção/elaboração, incluindo a fase de entrega. Então, começa uma maior preocupação com a intelectualidade e comprometimento com a qualidade, que passa a ser fator de competitividade. O desenvolvimento de software tem exigido a aprendizagem e reciclagem constante de seus profissionais, em busca de novos métodos para a transformação em resultados. O desenvolvimento de sistemas de informação, com qualidade e capacidade de atender às reais necessidades dos usuários exige a utilização de metodologias eficazes. Alcançar competitividade pela qualidade, para as empresas de software, implica tanto na melhoria da qualidade dos produtos de software e serviços relacionados, como dos processos de produção e distribuição de software. Desta forma, assim como para outros setores, qualidade é fator crítico de sucesso para a indústria de software. O objetivo deste estudo é identificar a importância da implantação de um programa de melhoria de processo de software para a qualidade final dos produtos e serviços oferecidos por uma empresa de desenvolvimento de software. Toda empresa de desenvolvimento necessita da definição e normatização de processos de desenvolvimento para apresentar um software de qualidade, que atenda as expectativas dos clientes de forma satisfatória. O MPS.BR ou Melhoria de Processos do Software Brasileiro, é um programa criado, mais adequado a realidade das empresas nacionais, que oferece padrões a serem seguidos para melhoria da qualidade de software. 2 REFERENCIAL TEÓRICO 2.1 Qualidade de Software Qualidade de software é um conjunto de propriedades a serem satisfeitas de modo que o software atenda as necessidades de seus usuários. (INTHURN; CÂNDIDA, 2001, p. 22) A qualidade no desenvolvimento de software é um assunto amplo e ainda bastante complexo, sendo que são vários os fatores que devem ser levados em consideração para

3 definir se um software tem ou não qualidade. Como para qualquer produto, vale a afirmação de que a qualidade está diretamente relacionada à satisfação do cliente, ou nesse caso, do usuário. As propriedades do software são definidas a partir das necessidades do usuário, portanto, qualidade em desenvolvimento de sistemas significa: alinhamento total entre as necessidades/expectativas dos usuários e as especificações geradas; alinhamento total entre as especificações aprovadas e o produto construído e; produto final com a menor quantidade de erros possível. A construção de um sistema é algo bastante complexo, que envolve várias etapas, desde a sua concepção até a implantação para o usuário final. O produto de software, nada mais é, que o resultado dos processos de desenvolvimento, portanto, chegou-se a conclusão que o caminho é focar na melhoria da qualidade dos processos para se obter um software de qualidade. Para entendermos o motivo das dificuldades em se obter um produto de software qualificado é necessário conhecer alguns conceitos de Engenharia de Software. A criação de um software passa por quatro etapas básicas desde sua concepção até o usuário final, independente do modelo de desenvolvimento utilizado. São elas: Análise de Requisitos: fase inicial, onde são identificadas as necessidades do cliente, nessa fase é importante esclarecer e detalhar as idéias do cliente/usuário para definir as funcionalidades do sistema de forma correta. Projeto: é a fase que se encarrega de transformar os resultados da Análise de Requisitos em um documento ou conjunto de documentos capazes de serem interpretados diretamente pelo programador. Codificação: também chamada de implementação, esta fase é uma simples questão de tradução do projeto para um código. Testes: o teste do software consiste na sua utilização para a identificação de defeitos, deve ser avaliada a qualidade do sistema e a conformidade em relação aos requisitos inicialmente levantados.

4 Figura 1 - Etapas Desenvolvimento de Software Em cada uma dessas fases existem ferramentas e principalmente pessoas envolvidas, o que torna os processos suscetíveis a erros, conforme podemos observar na Figura 1. Ao longo do desenvolvimento algumas distorções podem ocorrer com relação à idéia original e erros vão sendo inseridos no produto, ocasionando a geração de um produto final bem diferente do que era esperado, comprometendo a qualidade do software. Para minimizar esse problema, evitando erros que afetam a credibilidade das empresas, é necessário trabalhar na qualidade dos processos, usando padronizações, para se obter um produto final com a qualidade esperada. 2.2 Processo de Software Processo de software é um conjunto de atividades inter-relacionadas ou interativas, que transforma insumos (entradas) em produtos (saídas). (ISO 9000, 2000). Podemos entender o processo de software como sendo um conjunto de atividades, que envolvem métodos e práticas aplicadas na produção de um software. Os insumos (entradas) são constituídos por requisitos, idéias e tempo, enquanto a saída é o produto de software e os serviços relacionados a ele. O sistema pronto para ser utilizado pelo cliente/usuário é o resultado dos processos utilizados no seu desenvolvimento. As atividades que são realizadas ao longo do desenvolvimento de um sistema envolvem impreterivelmente, pessoas, materiais, equipamentos e procedimentos, são esses quatro itens que necessitam ser trabalhados constantemente para melhoria de um processo de software.

5 2.3 Qualidade do Processo X Modelos de Maturidade Mesmo as melhores pessoas não conseguem trabalhar de forma eficiente se o processo é problemático ou mal compreendido. O processo é a ponta do triângulo que unifica os outros aspectos. Sem processos claros e eficientes, uma empresa não é escalável. (RIBEIRO; ADRIELE, 2007) A qualidade de um produto, qualquer que seja, está diretamente ligada a qualidade dos processos utilizados para sua criação. Quando se fala em produtos de software não é diferente, a qualidade dos processos de desenvolvimento é fundamental para se produzir um software de qualidade. Investimentos em tecnologia sem um guia que defina como utilizá-la é um desperdício de recursos, por isso o uso de modelos de maturidade baseados em gerenciamento de projetos está cada vez mais sendo difundido entre as empresas de desenvolvimento. Figura 2 Qualidade de Software X Modelo de Maturidade O gerenciamento de projetos se preocupa em entregar o sistema de software no prazo e de acordo com os requisitos estabelecidos, levando em conta sempre as limitações de orçamento e tempo. A gerência de projetos de software se caracteriza por tratar sobre um produto intangível, muito flexível e com processo de desenvolvimento com baixa padronização.

6 As atividades que envolvem o planejamento sofrem com dificuldades típicas de desenvolvimento de software. A produtividade não é linear em relação ao tamanho da equipe e o aumento de produtividade não é imediato devido aos custos de aprendizado de novos membros. A diminuição de qualidade para acelerar o desenvolvimento constantemente prejudica futuramente a produtividade. A estimativa de dificuldades e custos de desenvolvimentos são muito difíceis, além do surgimento de problemas técnicos. Esses fatores requerem uma análise de riscos cuidadosa. Em meio a todas essas dificuldades, os modelos de maturidade são usados como alternativa para organização e melhoraria constantemente dos processos. Um modelo de maturidade tem como características principais: definir os requisitos a que os processos devem atender, apresentando flexibilidade em relação a como atendê-los; permitir avaliações dos processos de forma objetiva e a detecção de pontos fortes e fracos; especialmente os estruturados por estágio, definir um caminho evolucionário para melhoria de processo; são repositórios de melhores práticas que vêm sendo utilizadas ao longo de vários anos com sucesso. 2.4 MPS.BR (Melhoria de Processo de Software Brasileiro) A qualidade de um produto está diretamente relacionada à qualidade do processo de desenvolvimento, desta forma, é comum que a busca por um software de maior qualidade passe necessariamente por uma melhoria no processo de desenvolvimento. O MPS.BR motiva para o foco no processo de software, visando à qualidade do processo, e tendo como conseqüência prática: aumento da qualidade do produto; diminuição do retrabalho; maior produtividade; redução do tempo para atender o mercado; maior competitividade e; maior precisão nas estimativas. É muito importante ressaltar que, o foco de um programa de melhoria de processos, que define suas estratégias, políticas, atividades e responsabilidades, deve estar vinculado aos objetivos de negócio da organização. O programa mobilizador para Melhoria de Processo do Software Brasileiro (MPS.BR) está em desenvolvimento desde dezembro de É coordenado pela Associação para a Promoção da Excelência do Software Brasileiro (SOFTEX), com apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), da Financiadora de Estudos e Projetos(FINEP) e Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A base técnica utilizada para a construção do MPS.BR é composta pelas normas NBR ISO/IEC Processo de Ciclo de Vida de Software e suas emendas 1 e 2 e a ISO/IEC

7 15504 Avaliação de Processo, portanto o modelo está totalmente aderente a essas normas. O MPS.BR também cobre o conteúdo do CMMI-SE/SW, através da inclusão e resultados de processos em relação aos processos da Norma NBR ISO/IEC12207, conforme Figura 3. Figura 3 - Modelo MPS.BR O MR-MPS define sete níveis de maturidade de processos para organizações que produzem software: A (Em Otimização), B (Gerenciado Quantitativamente), C (Definido), D (Largamente Definido), E (Parcialmente Definido), F (Gerenciado) e G (Parcialmente Gerenciado). O nível G é o primeiro estágio de maturidade e o nível A é o mais maduro. Cada um dos níveis de maturidade possui um conjunto de processos e atributos de processos que indicam onde a unidade organizacional tem que colocar esforço para melhoria, de forma a atender aos seus objetivos de negócio e ao MRMPS. Assim, os níveis de maturidade são definidos em duas dimensões: a dimensão de capacidade de processos e a dimensão de processos. O processo de avaliação é estagiado. Isto é, podemos definir os níveis de maturidade como estágios. Cada estágio possui seus processos e atributos necessários. Existe um nível de maturidade associado à organização como um todo. Cada nível tem uma distribuição de atributos como é mostrado no quadro a seguir. É importante observar que os atributos dos processos são cumulativos em relação aos níveis. Isto é, o nível F tem os atributos do nível G adicionado com AP 2.2, e assim sucessivamente. Isso torna óbvio que para uma organização obter o nível F, necessita obter primeiro o G. Daí por diante.

8 Tabela 1 - Níveis de Maturidade Nível G Parcialmente Gerenciado (Processos) O primeiro nível de maturidade é o G (Parcialmente Gerenciado), atuando na Gerência de Requisitos e Gerência de Projetos. Este nível é composto pelos processos mais críticos de gerência. De modo a melhorar o controle dos projetos, a organização deve implementar processos de apoio para o desenvolvimento de software. Estes processos constituem o próximo nível do MRMPS, o F (Gerenciado). O foco do Nível G está em planejar, executar e controlar o processo de desenvolvimento/manutenção de software, estabelecendo compromissos para a realização do processo e mantendo a situação das atividades do processo visíveis para a gerência. Gerência de Projetos (GPR) - O propósito do processo Gerência de Projetos é identificar, estabelecer, coordenar e monitorar as atividades, tarefas e recursos que um projeto necessita para produzir um produto e/ou serviço, bem como prover informações sobre o andamento do projeto que permitam a realização de correções quando houver desvios no desempenho do projeto.

9 Gerência de Requisitos (GRE) - O propósito do processo Gerência de Requisitos é gerenciar os requisitos dos produtos e componentes do produto do projeto e identificar inconsistências entre esses requisitos e os planos e produtos de trabalho do projeto. 3 METODOLOGIA O trabalho realizado classifica-se, quanto aos objetivos, como pesquisa exploratória, e quanto aos procedimentos metodológicos como estudo de caso. A pesquisa têm como objetivo a análise e melhoria dos processos de desenvolvimento da Empresa X. Portanto, definimos como universo a ser pesquisado, o setor de desenvolvimento desta empresa de software, incluindo metodologias, ferramentas e colaboradores. Para realização do trabalho proposto foi feito um estudo do tema, através da pesquisa bibliográfica, aprofundando-se no assunto específico a ser trabalhado, o nível de maturidade G (Parcialmente Gerenciado), do Programa de Melhoria do Processo de Software Brasileiro. Posteriormente, foi feita uma análise da metodologia de desenvolvimento de sistemas da empresa X, estudando os processos de desenvolvimento praticados atualmente na empresa. Baseado no referencial teórico, foi realizada uma análise comparativa da metodologia de trabalho atual da empresa, com o modelo padrão para se adequar ao nível de maturidade G do MPS.BR, identificando as mudanças necessárias a serem implementadas, bem como, as melhorias e vantagens que essas mudanças proporcionarão a empresa. Foram adquiridos dados reais da empresa, através de uma pesquisa de campo, tendo como método de aquisição de dados: documentos relacionados ao método de desenvolvimento dos sistemas e depoimentos das pessoas envolvidas no processo. 4 DESENVOVIMENTO DO ESTUDO 4.1 Situação da Empresa A análise e implantação do MPS (Nível G) foi realizada em uma empresa de desenvolvimento de sistemas, cujo nome não será divulgado. Vamos tratá-la como Empresa X por motivo de sigilo. A Empresa X, localizada na região norte no estado do Rio Grande do Sul, atua no ramo de desenvolvimento de software há aproximadamente 14 anos. Desde sua fundação atua exclusivamente no desenvolvimento de soluções para o Agronegócio, possuindo clientes nos diferentes setores da atividade agrícola em todo o Brasil.

10 Da época de sua concepção até o momento atual a Empresa X teve um crescimento significativo nesse segmento, aumentando consideravelmente o número de clientes e também a complexidade dos projetos a serem desenvolvidos. A falta de definição de seus processos de desenvolvimento de software, e também a falta de uso de uma padronização de documentação e metodologia de controle, ocasionou um quadro considerado preocupante: Aumento na manutenção de projetos finalizados; Novos projetos entravam em produção sem nenhum controle do escopo; Dificuldade no cumprimento de contratos com os clientes; Dificuldade em realizar orçamento de novos projetos; Dificuldade na definição e cumprimento de cronogramas; Dificuldade em controlar versões de sistemas e manter versões estáveis; Solicitações de clientes sem detalhamento dos requisitos; Mudanças nos requisitos sem controle e gerenciamento; Falta de padronização e organização dos documentos. Existe a necessidade de modelar um plano de melhoria de qualidade de processo de desenvolvimento de software. Dentre os planos existentes, foi escolhido o MPS.BR por se tratar de um modelo brasileiro, tem seu foco principal, embora não exclusivo, no grupo de micro, pequenas, médias empresas e compatível com os padrões aceitos internacionalmente. A análise realizada nos processos existentes na empresa, comparando com os padrões de desenvolvimento propostos pelo Nível G (Parcialmente Gerenciado) do MPS.BR, poderá contribuir para a tomada de decisão, no que diz respeito à implantação completa do projeto de melhoria de processos de software na empresa. 4.2 Aplicação do MPS.BR nível G (Parcialmente Gerenciado) Conforme podemos observar na Figura 4, após a definição da equipe de trabalho, foi encaminhado um trabalho de autoavaliação, quando foram realizadas análises dos processos de desenvolvimento da empresa. Não foram encontrados os indicativos diretos existentes na empresa que satisfazem o nível G do MPS.BR, os procedimentos existentes eram iniciativas isoladas que não tinham sido padronizadas e não serviam de base para melhorias. Uma vez identificado e analisados os resultados, procedeu-se a definição das próximas tarefas para definição do plano de ação a ser executado para satisfazer o nível G do MPS.BR. Abaixo, as atividades seguintes: identificar as práticas existentes na empresa; comparar práticas existentes com resultados esperados nos processos do nível G do MPS.BR;

11 elaboração do plano de ação de melhorias; desenhar os processos; treinar os colaboradores; implantar processos melhorados em projetos pilotos; fazer avaliações periódicas do uso do processo, propondo melhorias. Figura 4 Fluxograma de Trabalho A etapa inicial, e com certeza uma das mais importantes no desenvolvimento de projetos, é o levantamento de requisitos, por isso, existe uma grande preocupação com essa fase nos modelos de maturidade, a definição errada de um requisito pode levar todo o projeto ao fracasso. do projeto, acompanhamento das tarefas realizadas. Para atender a esse resultado foi definida a utilização de uma ferramenta de planejamento, o Microsoft Project, que permite definir cronograma, uso dos recursos e orçamento. O uso dessa ferramenta permite o acompanhamento do cronograma comparando previsto e realizado, também permite verificar o cumprimento de marcos do projeto. Os registros desses acompanhamentos devem ser realizados, permitindo assim a detecção e correção de problemas. O principal objetivo da fase de Elaboração é definir uma arquitetura que ofereça uma base estável para Análise, Projeto e Implementação. A fase de elaboração foi dividida em duas etapas, definidas como: Requisitos e Plano, conforme ilustra a Figura 5.

12 Ao finalizar essa etapa do processo devemos ter uma descrição detalhada dos trabalhos a serem realizados, incluindo cronograma e orçamento, ou seja, um plano detalhado para a fase de Construção. Figura 5 - Processo Desenvolvimento Elaboração A fase de Construção trata da implementação efetiva, que vai transformar o requisito em um produto de software, que pode ser novo ou integrado a um sistema já existente. Conforme podemos observar na Figura 6, o processo de Construção está dividido em três etapas: Análise e Projeto, Construção e Testes e Implantação. Na fase final, Teste e Implantação, é realizada a verificação dos códigos fontes, que devem estar em conformidade com o DRE e com o Plano de Projeto, após essa verificação é gerada a versão que é liberada para o teste global.

13 Figura 6 - Processos Desenvolvimento Construção Após a elaboração dos documentos necessários e a definição do novo fluxograma do processo de desenvolvimento, essa nova metodologia de trabalho passa a ser utilizada em projetos pilotos. A gerência da empresa optou por uma implantação gradual da nova metodologia, aplicando em projetos menores, por causar um grande impacto na cultura organizacional da mesma e também exigir um tempo maior para dar resultado, sendo que, resultados completamente satisfatórios serão alcançados apenas com a maturidade do projeto. 4.3 Avaliação dos Resultados A implantação do programa de melhoria de processos proporcionou um maior controle na geração das versões dos sistemas da empresa. As versões são geradas a partir de um conjunto de Requisições (DRE) e os testes são realizados baseados no Plano de Testes (PT). Essa metodologia de trabalho permite a geração de indicadores de eficiência do setor de desenvolvimento. Os projetos de software em que a nova metodologia de trabalho foi aplicada ainda não tiveram a implantação concluída, mas parcialmente a empresa já pode identificar os seguintes resultados: o cumprimento de cronogramas, com entregas dos projetos nos prazos determinados; cliente muito mais satisfeito, pois está participando mais do projeto, conseguindo ter maior visibilidade do que está sendo feito e como está sendo feito,

14 acompanhando a evolução do mesmo; implantação de softwares com maior qualidade, que atendem de maneira satisfatória as necessidades dos clientes; maior lucratividade da empresa em relação a trabalhos anteriores, pois os projetos passam a ser melhor avaliados, o que permite a definição de orçamentos mais precisos, facilitando a justificativa dos valores junto aos clientes e; colaboradores da empresa mais motivados, pois estão trabalhando de forma mais organizada e conseguindo alcançar resultados positivos, gerando maior perspectiva de crescimento. A reorganização dos processos da empresa, que foi realizada com a aplicação do projeto de melhoria, possibilita um maior controle do que está sendo feito. Dessa forma, a geração de indicadores de resultados que interessam a gerência e mantém a situação das atividades visíveis, pode ser obtida de maneira mais fácil, rápida e precisa. 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS Neste estudo foi demonstrado a iniciativa da implantação do Programa de Melhoria do Processo de Software Brasileiro (MPS.BR) em uma empresa de desenvolvimento de sistemas e os primeiros resultados obtidos, demonstrando que mesmo em pequenas empresas é necessário e possível basear-se em um modelo de melhoria de processos. De posse dos resultados obtidos por este trabalho, podemos listar como uma de suas principais contribuições a verificação de que o MPS.BR pode ser implementado em organizações de pequeno porte com boa eficiência, sem que gere um grande excesso de atividades. Trata-se de um modelo de processo que pode ser seguido, com equipes pequenas visando a melhoraria constante da qualidade. Podemos observar que a questão norteadora do trabalho foi respondida e seus objetivos alcançados. A análise realizada na empresa permitiu montar um plano de melhorias, que aplicado, trouxe resultados positivos, benefícios organizacionais e financeiros. Com o amadurecimento do processo implantado, a empresa pode programar a evolução para o nível F (Gerenciado) do MPS.BR, e assim sucessivamente até o mais alto nível de maturidade. É um processo lento e gradativo, mas que proporcionará um processo de software maduro e um produto de software qualificado. A qualidade de software não é uma ciência exata, por isso, modelos de maturidade não são garantia de sucesso absoluto para nenhuma empresa. Mas certamente servem muito bem

15 como um guia de referência, um caminho a ser seguido por empresas que desejam melhorar seu desempenho operacional de forma consistente ao longo do tempo. Cabe salientar que, não se deve encarar o uso de um modelo de maturidade, a exemplo do MPS.BR, como fim em si mesmo, ou seja, o importante é a melhoria dos processos e das organizações de maneira geral. A implantação de um modelo vai alavancar a evolução da empresa, mas não pode garantir o sucesso caso não haja envolvimento e colaboração, todos devem estar interessados na melhoria da qualidade da empresa como um todo. REFERENCIAS CHAVES WEBER, Kival, MPS.BR Melhoria de Processo de Software Brasileiro: Resultados Alcançados e Lições Aprendidas Disponível em: <http://www.softex.br/portal/softexweb/uploaddocuments/_mpsbr/artigo_clei_2008_vfina l11.pdf>. Acesso em: 02 fev INTHURN, Cândida, Qualidade & Teste de Software. Florianópolis: Visual Books Ltda, MOLINARI, Leonardo, Teste de Software: Produzindo Sistemas Melhores e mais Confiáveis. São Paulo: Editora Érica Ltda, MOREIRA DE SOUZA, Adilson, Implementando o CMMI (Capability Maturity Mode Integration): Como ferramenta para gerenciamento de projetos de Software Disponível em: < Acesso em: 10 jan MPS.BR MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO: Guia de Implementação Parte 1: Fundamentação para Implementação do Nível G do MR-MPS Disponível em: < df>. Acesso em: 05 jul MPS.BR MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO: Guia Geral Disponível em: <http://www.softex.br/mpsbr/_guias/guias/mps.br_guia_geral_2009.pdf>. Acesso em: 05 jul REZENDE, Denis Alcides, Engenharia de Software e Sistemas de Informação. Rio de Janeiro: Brasport Livro e Multimídia Ltda, RIBEIRO, Adriele, Gerenciamento de Projetos, MPS.BR e Qualidade em Software Disponível em: <http://www.pmimg.org.br/downloads/gp_mps_e_qualidade.ppt>. Acesso em: 06 jul

FAE FACULDADE ANGLICANA DE ERECHIM CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU GESTÃO EM TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO DA INFORMAÇÃO CHEILA BOMBANA

FAE FACULDADE ANGLICANA DE ERECHIM CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU GESTÃO EM TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO DA INFORMAÇÃO CHEILA BOMBANA FAE FACULDADE ANGLICANA DE ERECHIM CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU GESTÃO EM TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO DA INFORMAÇÃO CHEILA BOMBANA ANÁLISE E IDENTIFICAÇÃO DAS VANTAGENS DA IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA

Leia mais

Avaliação e Melhorias no Processo de Construção de Software

Avaliação e Melhorias no Processo de Construção de Software Avaliação e Melhorias no Processo de Construção de Software Martim Chitto Sisson Centro Tecnológico Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Florianópolis SC Brasil martim@inf.ufsc.br Abstract. This

Leia mais

Gerência de Projetos Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

Gerência de Projetos Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Projetos Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Laboratório de Tecnologia de Software LTS www.ufpa.br/lts Rede Paraense de Pesquisa em Tecnologias de Informação

Leia mais

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira Introdução ao MPS.BR Guia Geral Prof. Elias Batista Ferreira IMPORTANTE Este NÃO é um curso oficial do MPS.BR. Este curso NÃO é apoiado pela Softex. Objetivo deste Curso Descrever os processos e resultados

Leia mais

Estudo de Caso da Implantação do Nível G do MPS.BR em Uma Empresa

Estudo de Caso da Implantação do Nível G do MPS.BR em Uma Empresa Estudo de Caso da Implantação do Nível G do MPS.BR em Uma Empresa Dayana Henriques Fonseca 1, Frederico Miranda Coelho 1 1 Departamento de Ciência da Computação Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC)

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Unidade IV Introdução aos Padrões de PDS Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo da Unidade 1. CMM / CMMI 2. SPICE 3. ISO 12207 4. MPS/BR CMM - Capability Maturity Model CMM Capability

Leia mais

FAPS: Ferramenta para apoiar Avaliações Integradas de Processos de Software

FAPS: Ferramenta para apoiar Avaliações Integradas de Processos de Software FAPS: Ferramenta para apoiar Avaliações Integradas de Processos de Software Marcello Thiry 1 2, Christiane Gresse von Wangenheim 1 2, Alessandra Zoucas 12, Leonardo Reis Tristão 1 1 (II-MPS.BR) Incremental

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE introdução As mudanças que estão ocorrendo nos clientes e nos ambientes de negócios altamente competitivos têm motivado as empresas a modificarem

Leia mais

Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura. O Modelo. Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.

Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura. O Modelo. Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail. Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura O Modelo Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com Agenda O que é? Motivação Organização do MPS.BR Estrutura

Leia mais

O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br

O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br Prof. Pasteur Ottoni de Miranda Junior Disponível em www.pasteurjr.blogspot.com 1-Estrutura do MPS-Br ( Softex, 2009) O MPS.BR1 é um programa mobilizador,

Leia mais

CERTIFICAÇÃO BRASILEIRA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE: O MPS.BR

CERTIFICAÇÃO BRASILEIRA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE: O MPS.BR CERTIFICAÇÃO BRASILEIRA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE: O MPS.BR Leonardo Galvão Daun Universidade Estadual de Maringá leonardo.daun@gmail.com Profª Drª Sandra Ferrari Universidade Estadual de Maringá

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Aula 05 MPS.BR (ago/12) Melhoria de Processo do Software Brasileiro Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Agenda Descrição sumária do MPS.BR - Melhoria de Processo do Software

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM M P S. B R : M E L H O R I A D E P R O C E S S O D O S O F T W A R E B R A S I L E I R O A

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte I Agenda Processos CMMI Definição Histórico Objetivos Características Representações

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução à Melhoria de Processos de Software baseado no MPS.BR Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Introdução MPS.BR MR-MPS Detalhando o MPS.BR nível G Introdução

Leia mais

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro Melhoria de Processo do Software Brasileiro (MPS.BR) SUMÁRIO 1. Introdução 2. Implantação do Programa MPS.BR: 2004 2007 3. Consolidação do Programa MPS.BR: 20082010 4. Conclusão Kival Weber Coordenador

Leia mais

MPS.BR A EXPERIÊNCIA E OS BENEFÍCIOS EM IMPLANTAR O MODELO NOS NÍVEIS G E F:

MPS.BR A EXPERIÊNCIA E OS BENEFÍCIOS EM IMPLANTAR O MODELO NOS NÍVEIS G E F: MPS.BR A EXPERIÊNCIA E OS BENEFÍCIOS EM IMPLANTAR O MODELO NOS NÍVEIS G E F: um estudo de caso. Rodrigo Pereira Assunção 1 Fabrício Pires Vasconcellos 2 RESUMO: Muitas empresas têm buscado no modelo de

Leia mais

VANTAGENS DA APLICAÇÃO DO PROGRAMA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO MPS.BR NOS AMBIENTES DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

VANTAGENS DA APLICAÇÃO DO PROGRAMA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO MPS.BR NOS AMBIENTES DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE 1 VANTAGENS DA APLICAÇÃO DO PROGRAMA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO MPS.BR NOS AMBIENTES DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Elvis Ferreira da Silva* Msc. Marta Alves de Souza** Msc. Helder

Leia mais

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE 1. INTRODUÇÃO 1.1 Finalidade Este documento define um framework de execução de processos de software, denominado Spider-PE (Process Enactment),

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Disciplina: Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com marcosmoraisdesousa.blogspot.com Sistemas de informação Engenharia de Software II Gerenciamento de Qualidade CMMI e MPS.BR

Leia mais

CLEVERSONTPP@GMAIL.COM

CLEVERSONTPP@GMAIL.COM UM BREVE DESCRITIVO DO MODELO MPS-BR (MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO) E SUAS PERSPECTIVAS PARA O FUTURO CLÉVERSON TRAJANO PRÉCOMA PORTES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais MPS.BR Rogério Araújo

http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais MPS.BR Rogério Araújo http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais MPS.BR Rogério Araújo http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais MPS.BR Rogério Araújo Questões O futuro pertence àqueles que acreditam

Leia mais

FACULDADE SENAC GOIÂNIA

FACULDADE SENAC GOIÂNIA FACULDADE SENAC GOIÂNIA NORMA ISO 12.207 Curso: GTI Matéria: Auditoria e Qualidade de Software Professor: Elias Ferreira Acadêmico: Luan Bueno Almeida Goiânia, 2015 CERTIFICAÇÃO PARA O MERCADO BRASILEIRO

Leia mais

AVALIAÇÃO DE UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE PRODUTOS DE SOFTWARE QUANTO A SUA ADERÊNCIA AO CMMI FOR SERVICE

AVALIAÇÃO DE UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE PRODUTOS DE SOFTWARE QUANTO A SUA ADERÊNCIA AO CMMI FOR SERVICE AVALIAÇÃO DE UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE PRODUTOS DE SOFTWARE QUANTO A SUA ADERÊNCIA AO CMMI FOR SERVICE Autoria: Natércia Ponte Nogueira, Andreia Rodrigues, Adriano Albuquerque, Alessandro Câmara RESUMO.

Leia mais

Melhoria de Processo de Software baseado no Modelo MPS.BR nível G - Um Estudo de Caso

Melhoria de Processo de Software baseado no Modelo MPS.BR nível G - Um Estudo de Caso Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade em Software PBQP SW Melhoria de Processo de Software baseado no Modelo MPS.BR nível G - Um Estudo de Caso Categoria 2.36: Métodos de Gestão Soltin - Soluções

Leia mais

Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP

Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática na área de Sistemas de Informação UFRJ/IM Pós-Graduado em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas PUC Pós-Graduado

Leia mais

APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR

APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR Fonte: http://www.softex.br/mpsbr/_home/default.asp Apostilas disponíveis no site 1 NORMAS: NBR ISO NBR ISO/IEC CMM SPICE Continuação... 2 NORMAS VISÃO GERAL NBR

Leia mais

Estudo de caso para implantação do modelo MR-MPS-SV

Estudo de caso para implantação do modelo MR-MPS-SV Estudo de caso para implantação do modelo MR-MPS-SV Giovani Hipolito Maroneze 1, Jacques Duílio Branches 1 1 Departamento de Computação Universidade Estadual de Londrina (UEL) Caixa Postal 10.001 86.057-970

Leia mais

14 Os principais documentos de um projeto são: o termo de. 15 Elemento integrante do gerenciamento do escopo do projeto,

14 Os principais documentos de um projeto são: o termo de. 15 Elemento integrante do gerenciamento do escopo do projeto, De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 70 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

No que se refere a conceitos básicos do gerenciamento de projetos, segundo o PMBoK, julgue os itens a seguir.

No que se refere a conceitos básicos do gerenciamento de projetos, segundo o PMBoK, julgue os itens a seguir. De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 70 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Mini-Curso Gerência de Configuração Visão prática

Mini-Curso Gerência de Configuração Visão prática www.asrconsultoria.com.br Mini-Curso Gerência de Configuração Visão prática Copyright ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade 1 Direitos de Uso do Material Material desenvolvido pela ASR Consultoria

Leia mais

Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL. Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário

Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL. Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário Apresentação Programa MPS.BR Reutilização no MPS.BR Gerência de reutilização Desenvolvimento para reutilização

Leia mais

Introdução à Qualidade de Software

Introdução à Qualidade de Software FACULDADE DOS GUARARAPES Introdução à Qualidade de Software www.romulocesar.com.br Prof. Rômulo César (romulodandrade@gmail.com) 1/41 Objetivo do Curso Apresentar os conceitos básicos sobre Qualidade de

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 3: Fundamentação para Implementação do Nível E do MR-MPS-SW:2012

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 3: Fundamentação para Implementação do Nível E do MR-MPS-SW:2012 MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia de Implementação Parte 3: Fundamentação para Implementação do Nível E do MR-MPS-SW:2012 Este guia contém orientações para a implementação do nível

Leia mais

Quem Somos CMM/ CMMI. ISO 9000 PNQ ISO 12207 ISO 15504 ITIL Outros modelos. Gestão Sistêmica da. Alinhamento às Diretrizes Organizacionais.

Quem Somos CMM/ CMMI. ISO 9000 PNQ ISO 12207 ISO 15504 ITIL Outros modelos. Gestão Sistêmica da. Alinhamento às Diretrizes Organizacionais. Quem Somos Missão Promover a melhoria e a busca da excelência na gestão organizacional e o aperfeiçoamento contínuo dos processos dos nossos clientes, por meio de modelos e padrões de qualidade adequados

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Qualidade de Software André Mesquita Rincon Instituto de Informática/Universidade Federal de Goiás (UFG) Goiânia GO Brasil Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas/Fundação

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS MPS.BR

LISTA DE EXERCÍCIOS MPS.BR LISTA DE EXERCÍCIOS MPS.BR Disciplina: Professor: Qualidade de Software Edison Andrade Martins Morais 01. (FGV 2008 Senado Analista de Sistemas) Considere as assertivas sobre o Modelo MPS do Programa de

Leia mais

Capability Maturity Model Integration - CMMI

Capability Maturity Model Integration - CMMI Capability Maturity Model Integration - CMMI Para Desenvolvimento Versão 1.2 M.Sc. Roberto Couto Lima ÍNDICE 1. Definição ------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1 Introdução CMMI O propósito da qualidade é estabelecer um diferencial competitivo, através de contribuições como redução de defeitos, redução de custos, redução de retrabalho e aumento da produtividade,

Leia mais

Modelos de Maturidade: MPS.BR. Aécio Costa

Modelos de Maturidade: MPS.BR. Aécio Costa Modelos de Maturidade: MPS.BR Aécio Costa Criado em 2003 pela Softex para melhorar a capacidade de desenvolvimento de software nas empresas brasileiras. Objetivo: Impulsionar a melhoria da capacidade de

Leia mais

Melhoria do Processo de Software MPS-BR

Melhoria do Processo de Software MPS-BR Melhoria do Processo de Software MPS-BR Fabrício Sousa Pinto fabbricio7@yahoo.com.br O que é Qualidade? O problema da gestão da qualidade não é que as pessoas não sabem a respeito dela. O problema é que

Leia mais

Rastreabilidade e Análise de Impacto: Um caso de aplicação utilizando a ferramenta Visual Studio Team System

Rastreabilidade e Análise de Impacto: Um caso de aplicação utilizando a ferramenta Visual Studio Team System Rastreabilidade e Análise de Impacto: Um caso de aplicação utilizando a ferramenta Visual Studio Team System Tiago Domenici Griffo 1, Gothardo Francisco de Magalhães Santos 1, Rodrigo Becke Cabral 1 1

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE AS DIFICULDADES E EXPECTATIVAS GERADAS PARA IMPLANTAÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DESCRITOS NO MODELO MPS.

UM ESTUDO SOBRE AS DIFICULDADES E EXPECTATIVAS GERADAS PARA IMPLANTAÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DESCRITOS NO MODELO MPS. UM ESTUDO SOBRE AS DIFICULDADES E EXPECTATIVAS GERADAS PARA IMPLANTAÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DESCRITOS NO MODELO MPS.BR RESUMO Ademir dos Santos Pereira Junior* Marta Alves de Souza**

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Avaliação

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Avaliação MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia de Avaliação (Versão 1.0) Este Guia descreve o processo e o Método de Avaliação MA-MPS, baseado na Norma Internacional ISO/IEC 15504 Maio de 2006

Leia mais

Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS

Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Mauricio Fiorese 1, Alessandra Zoucas 2 e Marcello Thiry 2 1 JExperts

Leia mais

Implementação do MPS.BR na empresa Digifred Sistemas para Gestão Pública: Um Estudo de Caso

Implementação do MPS.BR na empresa Digifred Sistemas para Gestão Pública: Um Estudo de Caso Implementação do MPS.BR na empresa Digifred Sistemas para Gestão Pública: Um Estudo de Caso Paulo Roberto Ceratti, Cristiano Bertolini, Sidnei Renato Silveira, Universidade Federal de Santa Maria, UFSM,

Leia mais

A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G. por Adriana Silveira de Souza

A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G. por Adriana Silveira de Souza A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G por Adriana Silveira de Souza Agenda Visão Geral do MPS.BR Processos e Capacidade de Processo Níveis de Maturidade Atributos de Processo Processo

Leia mais

Gerência de Projetos de Software Modelos de gerência. CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR

Gerência de Projetos de Software Modelos de gerência. CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR Modelos de gerência CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR Modelo de maturidade: CMM CMM (Capability Maturity Model) é um modelo subdividido em 5 estágios

Leia mais

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro l MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro SUMÁRIO 1. Introdução 2. Modelo MPS 3. Programa MPS.BR: Resultados Alcançados (2004-2008) e Resultados Esperados (2004-2010) 4. MPS.BR Lições Aprendidas

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI INTRODUÇÃO Aumento da Importância do Software Software está em tudo: Elemento crítico

Leia mais

Dificuldades no desenvolvimento de software Características do mercado de software A participação de Minas Gerais no cenário nacional

Dificuldades no desenvolvimento de software Características do mercado de software A participação de Minas Gerais no cenário nacional Promovendo a Melhoria de Processos e a Qualidade de Software em Minas Gerais Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães, Fernando Silva Parreiras, Frederico Faria Comitê Gestor do SPIN-BH Direitos reservados

Leia mais

Modelos de Maturidade (CMMI, MPS-BR, PMMM)

Modelos de Maturidade (CMMI, MPS-BR, PMMM) UNEB - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA - DCET1 COLEGIADO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA: ENGENHARIA DE SOFTWARE PROFESSOR: EDUARDO JORGE Modelos de Maturidade

Leia mais

Estudo do CMM e do CMMI

Estudo do CMM e do CMMI Estudo do CMM e do CMMI Autores Félix Carvalho Rodrigues fcrodrigues@inf.ufrgs.br Georgina Reategui gg@inf.ufrgs.br Manuela Klanovicz Ferreira mkferreira@inf.ufrgs.br Motivação Grande quantidade de projetos

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia Geral

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia Geral MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia Geral Este guia contém a descrição geral do Modelo MPS e detalha o Modelo de Referência (MR-MPS) e as definições comuns necessárias para seu entendimento

Leia mais

GIOVANI HIPOLITO MARONEZE ESTUDO DE CASO CONTENDO IMPLANTAÇÃO DO MODELO MR-MPS-SV (NÍVEL G)

GIOVANI HIPOLITO MARONEZE ESTUDO DE CASO CONTENDO IMPLANTAÇÃO DO MODELO MR-MPS-SV (NÍVEL G) GIOVANI HIPOLITO MARONEZE ESTUDO DE CASO CONTENDO IMPLANTAÇÃO DO MODELO MR-MPS-SV (NÍVEL G) LONDRINA - PR 2014 GIOVANI HIPOLITO MARONEZE ESTUDO DE CASO CONTENDO IMPLANTAÇÃO DO MODELO MR-MPS-SV (NÍVEL G)

Leia mais

Engenharia de Software Qualidade de Software

Engenharia de Software Qualidade de Software Engenharia de Software Qualidade de Software O termo qualidade assumiu diferentes significados, em engenharia de software, tem o significado de está em conformidade com os requisitos explícitos e implícitos

Leia mais

F U N D A Ç Ã O E D U C A C I O N A L S Ã O J O S É. MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI)

F U N D A Ç Ã O E D U C A C I O N A L S Ã O J O S É. MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI) 1 MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI) Teresinha Moreira de Magalhães 1 Lúcia Helena de Magalhães 2 Fernando Machado da Rocha 3 Resumo Este trabalho visa apresentar uma

Leia mais

Programa MPS.BR e Modelo MPS: Contribuições para a Evolução da Qualidade de Software no Brasil

Programa MPS.BR e Modelo MPS: Contribuições para a Evolução da Qualidade de Software no Brasil l Programa MPS.BR e Modelo MPS: Contribuições para a Evolução da Qualidade de Software no Brasil SUMÁRIO 1. Introdução: Programa MPS.BR e Modelo MPS 2. Programa MPS.BR: Resultados Esperados, Resultados

Leia mais

Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil

Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil 1. Qualidade de Software: motivação para o foco no processo, características dos processos de software e abordagens para melhoria

Leia mais

Uma Implementação do Processo de Garantia da Qualidade usando a Spider-QA, a Spider-CL e o Mantis

Uma Implementação do Processo de Garantia da Qualidade usando a Spider-QA, a Spider-CL e o Mantis Uma Implementação do Processo de Garantia da Qualidade usando a Spider-QA, a Spider-CL e o Mantis Rodrigo Araujo Barbalho 1, Marília Paulo Teles 2, Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira 1,2 1 Faculdade de Computação

Leia mais

Qualidade de software

Qualidade de software Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Curso: Ciência da Computação Disciplina:Projeto de Sistemas Qualidade de software cynaracarvalho@yahoo.com.br Qualidade de software Qualidade

Leia mais

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro introdução objetivos do trabalho fundamentação teórica desenvolvimento da ferramenta

Leia mais

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Evandro Polese Alves Ricardo de Almeida Falbo Departamento de Informática - UFES Av. Fernando Ferrari, s/n, Vitória - ES - Brasil

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia de Implementação Parte 9: Implementação do MR-MPS em organizações do tipo Fábrica de Software Este guia contém orientações para a implementação

Leia mais

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro SUMÁRIO: Introdução: Objetivo e Metas do MPS.BR (Propósito, Subprocessos e Resultados) Resultados Alcançados Dez2003 Set2006 Conclusão: MPS.BR Um Programa

Leia mais

Melhoria de Processos de Software com o MPS.BR

Melhoria de Processos de Software com o MPS.BR Melhoria de Processos de Software com o MPS.BR Prof. Dr. Marcos Kalinowski (UFF) kalinowski@acm.org Agenda do Curso Motivação para processos de software Visão geral do programa MPS.BR e do modelo MPS-SW

Leia mais

Programa MPS.BR: resultados e perspectivas

Programa MPS.BR: resultados e perspectivas Programa MPS.BR: resultados e perspectivas Ana Regina Rocha Programa de Engenharia de Sistemas e Computação Coordenadora da Equipe Técnica do Modelo MPS Uma Organização com bom desempenho gasta 80% de

Leia mais

MPS.BR: Melhoria de Processo do Software Brasileiro e dos Resultados de Desempenho

MPS.BR: Melhoria de Processo do Software Brasileiro e dos Resultados de Desempenho l MPS.BR: Melhoria de Processo do Software Brasileiro e dos Resultados de Desempenho SUMÁRIO 1. Introdução Programa MPS.BR e Modelo MPS 2. Programa MPS.BR Resultados Esperados, Resultados Alcançados e

Leia mais

Uso da Gestão de Configuração de Software pelas Organizações em Busca de Certificação

Uso da Gestão de Configuração de Software pelas Organizações em Busca de Certificação Uso da Gestão de Configuração de Software pelas Organizações em Busca de Certificação Carlos Eduardo Sanches da Silva, Dr. (UNIFEI) sanches@iem.efei.br Dalton Péricles de Almeida (UNIFEI) dalton.almeida@ig.com.br

Leia mais

Processo de Software

Processo de Software Processo de Software Uma importante contribuição da área de pesquisa de processo de software tem sido a conscientização de que o desenvolvimento de software é um processo complexo. Pesquisadores e profissionais

Leia mais

Relato da Experiência do Processo de Institucionalização do Modelo CMMI na Dataprev

Relato da Experiência do Processo de Institucionalização do Modelo CMMI na Dataprev Artigos técnicos selecionados Relato da Experiência do Processo de Institucionalização do Modelo CMMI na Dataprev Rosana Fernandes Osório, Guilherme Tavares Motta Coordenação Geral de Qualidade de Software

Leia mais

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) CMMI Conceitos básicos 113 CMMI integra as disciplinas de engenharia de sistemas e de engenharia de software em um único framework de melhoria de processos. 114 No tocante às disciplinas de engenharia

Leia mais

Diagnóstico de Processos em Organizações Intensivas em Software Usando um Sistema Especialista

Diagnóstico de Processos em Organizações Intensivas em Software Usando um Sistema Especialista Computer on the Beach 2015 - Artigos Completos 169 Diagnóstico de Processos em Organizações Intensivas em Software Usando um Sistema Especialista Chaiene M. da Silva Minella¹, Marcello Thiry¹, Anita da

Leia mais

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO 1 AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br Autor: Julio Cesar Fausto 1 RESUMO Em um cenário cada vez mais competitivo e em franca

Leia mais

www.asrconsultoria.com.br

www.asrconsultoria.com.br www.asrconsultoria.com.br Garantia da Qualidade de Processo e Produto Direitos de Uso do Material Material desenvolvido pela ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda. É permitido o uso deste material

Leia mais

Uma Abordagem para Condução de Iniciativas de Melhoria de Processos de Software

Uma Abordagem para Condução de Iniciativas de Melhoria de Processos de Software Uma Abordagem para Condução de Iniciativas de Melhoria de Processos de Software Mariano Montoni, Cristina Cerdeiral, David Zanetti, Ana Regina Rocha COPPE/UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fernando L. F. Almeida falmeida@ispgaya.pt Principais Modelos Capability Maturity Model Integration (CMMI) Team Software Process and Personal Software Process (TSP/PSP)

Leia mais

Spider-Appraisal: Uma Ferramenta de Apoio à Avaliação Integrada do MPS.BR e CMMI

Spider-Appraisal: Uma Ferramenta de Apoio à Avaliação Integrada do MPS.BR e CMMI Spider-Appraisal: Uma Ferramenta de Apoio à Avaliação Integrada do MPS.BR e CMMI Jñane Neiva Sampaio de Souza 1, Pedro Afonso Aviz 2, Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira 1,2 1 Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

INTEGRANDO GERÊNCIA DE PROJETOS ÁGEIS COM SCRUM E OS PROCESSOS MPS.BR NÍVEL G

INTEGRANDO GERÊNCIA DE PROJETOS ÁGEIS COM SCRUM E OS PROCESSOS MPS.BR NÍVEL G INTEGRANDO GERÊNCIA DE PROJETOS ÁGEIS COM SCRUM E OS PROCESSOS MPS.BR NÍVEL G Claudinei Martins da Silva 1 RESUMO: Com o aumento da dependência tecnológica nas organizações para a tomada de decisões, ocorreu

Leia mais

APLICABILIDADE DA QUALIDADE DE SOFTWARE: ESTUDO DE CASO COM NÍVEL G DO MPS-BR COMO UMA ALTERNATIVA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

APLICABILIDADE DA QUALIDADE DE SOFTWARE: ESTUDO DE CASO COM NÍVEL G DO MPS-BR COMO UMA ALTERNATIVA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS 0 UNIJUÍ UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DCEEng DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E ENGENHARIAS APLICABILIDADE DA QUALIDADE DE SOFTWARE: ESTUDO DE CASO COM NÍVEL G DO MPS-BR

Leia mais

Exercícios: Governança de TI Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com PRIMEIRA BATERIA. PMBoK

Exercícios: Governança de TI Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com PRIMEIRA BATERIA. PMBoK Exercícios: Governança de TI Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com PRIMEIRA BATERIA PMBoK 1. (FCC/ANALISTA-MPU 2007) De acordo com o corpo de conhecimento da gerência de projetos, as simulações

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION Prof. Késsia R. C. Marchi Modelos de maturidade Um modelo de maturidade é um conjunto estruturado de elementos que descrevem características de processos efetivos.

Leia mais

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009)

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009) CMMI Governo do ES (CESPE 2009) Na versão 1.2 do CMMI, 111 os níveis de capacidade são definidos na abordagem de estágios. 112 os níveis de maturidade são definidos na abordagem contínua. 113 existem seis

Leia mais

(C) A-C-E-F-H (D) A-G-F-H (E) A-G-I. Exercícios: Governança de TI Walter Cunha PRIMEIRA BATERIA. PMBoK COBIT

(C) A-C-E-F-H (D) A-G-F-H (E) A-G-I. Exercícios: Governança de TI Walter Cunha PRIMEIRA BATERIA. PMBoK COBIT Exercícios: Governança de TI Walter Cunha PRIMEIRA ATERIA (C) A-C-E-F-H (D) A-G-F-H (E) A-G-I PMoK 1. (FCC/ANALISTA-MPU 2007) De acordo com o corpo de conhecimento da gerência de projetos, as simulações

Leia mais

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house ERP: Pacote Pronto versus Solução in house Introdução Com a disseminação da utilidade e dos ganhos em se informatizar e integrar os diversos departamentos de uma empresa com o uso de um ERP, algumas empresas

Leia mais

MPS.BR. O MPS.BR é um programa para Melhoria de Processo do Software Brasileiro. A proposta MPS.BR nasceu com base nos moldes CMMI.

MPS.BR. O MPS.BR é um programa para Melhoria de Processo do Software Brasileiro. A proposta MPS.BR nasceu com base nos moldes CMMI. MPS.BR O MPS.BR é um programa para Melhoria de Processo do Software Brasileiro. A proposta MPS.BR nasceu com base nos moldes CMMI. ISO - 12207 para desenvolvimento de software. ISO - 15504 para avaliação

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Qualidade de Software Profa. : Kátia Lopes Silva 1 CMM: DEFINIÇÃO Capability Maturity Model Um modelo que descreve como as práticas

Leia mais

ESTUDO E AVALIAÇÃO DA ÁREA DE PROCESSO GESTÃO DE REQUISITOS DE ACORDO COM A NORMA CMMI NÍVEL 2 NA EMPRESA SWQUALITY

ESTUDO E AVALIAÇÃO DA ÁREA DE PROCESSO GESTÃO DE REQUISITOS DE ACORDO COM A NORMA CMMI NÍVEL 2 NA EMPRESA SWQUALITY ESTUDO E AVALIAÇÃO DA ÁREA DE PROCESSO GESTÃO DE REQUISITOS DE ACORDO COM A NORMA CMMI NÍVEL 2 NA EMPRESA SWQUALITY FABRÍCIO DE ALMEIDA OLIVEIRA ANA CRISTINA ROUILLER UFLA - Universidade Federal de Lavras

Leia mais

Definição do Framework

Definição do Framework Definição do Framework 1. Introdução 1.1. Finalidade Este documento tem por finalidade apresentar o mapeamento dos processos de Definição de Processo Organizacional e Avaliação e Melhoria do Processo dos

Leia mais

Qualidade de software com MPS.BR nos níveis de maturidade G e F

Qualidade de software com MPS.BR nos níveis de maturidade G e F Qualidade de software com MPS.BR nos níveis de maturidade G e F Marcelo Augusto Resende Cunha Graduado em Sistemas de Informação pela Libertas Faculdades Integradas Alysson Alexander Naves Silva Mestre

Leia mais

Qualidade do Processo de Software

Qualidade do Processo de Software CBCC Bacharelado em Ciência da Computação CBSI Bacharelado em Sistemas de Informação Qualidade do Processo de Software Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

Qualidade de Software. Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com

Qualidade de Software. Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com Qualidade de Software Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com Ementa Conceitos sobre Qualidade Qualidade do Produto Qualidade do Processo Garantida da Qualidade X Controle da Qualidade Conceitos

Leia mais

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Prof. Edison A. M. Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br Objetivo (1/1) Conceituar PROCESSO E CICLO DE VIDA, identificar e conceituar

Leia mais

Prof. Esp. Anderson Barbosa

Prof. Esp. Anderson Barbosa Prof. Esp. Anderson Barbosa Entregar o produto final dentro das expectativas de qualidade dos usuários; Dentro do prazo e custo do projeto; Dentro dos níveis de erros esperados; Atender aos requisitos

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 8: Implementação do MR-MPS em organizações que adquirem software

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 8: Implementação do MR-MPS em organizações que adquirem software MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia de Implementação Parte 8: Implementação do MR-MPS em organizações que adquirem software Este guia contém orientações para a implementação do Modelo

Leia mais