UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ ESCOLA DE GOVERNO O CUSTO SOCIAL DOS ACIDENTES COM MOTOS, UMA AVALIAÇÃO PARA O MUNICÍPIO DE PARANAVAÍ MARINGÁ 2008

2 O CUSTO SOCIAL DOS ACIDENTES COM MOTOS, UMA AVALIAÇÃO PARA O MUNICÍPIO DE PARANAVAÍ 1 Josoel Martins Universidade Estadual de Maringá Orientador: professor Dr Neio Lucio Peres Gualda RESUMO Este artigo discorre sobre os acidentes de trânsito envolvendo motocicletas, suas causas e o custo social que isto representa. É com uma postura enérgica e persistente por parte da sociedade em geral, em conjunto com a Administração Pública, que poderemos melhorar o bem-estar, a segurança, a integridade de todos, alcançando seu objetivo maior que é a proteção da vida. Com o propósito de reverter essa situação, produzindo ações que melhorem a qualidade de vida dos cidadãos no trânsito, que hoje se encontra tão caótico, necessitando de uma maior atenção por parte dos Governos Federal, Estadual e Municipal, para tentar reverter esse quadro. Assim, estes acidentes tornaram-se uma preocupação econômica e social, pois o aumento da frota de motocicletas motivado pelo crédito facilitado associado à economia de combustível e tempo, facilidade de locomoção e estacionamento, tem levado mauitas pessoas a adquirirem este tipo de veículo, esquecendo-se do risco que os mesmos correm no seu dia-adia. O cenário torna-se ainda mais impressionante na medida em que são analisados os impactos que cada acidente de trânsito envolvendo motocicletas causa à sociedade e à economia brasileira. Palavras-chave:acidentes de trânsito, custo social, motocicletas 1. INTRODUÇÃO Das invenções que o homem já produziu, a roda pode ser considerada um dos feitos mais fascinantes e também um dos mais devastadores. Ela permitiu um grande avanço no desenvolvimento tecnológico, mas vem tirando milhares de vidas a cada ano em todo o mundo, além do altíssimo custo social, como resultado de acidentes e violências, principalmente no trânsito. Na cidade de Paranavaí, como em outros municípios, outros estados, os acidentes de trânsito envolvendo motocicletas são um ponto crítico e preocupante, como mostra os dados fornecidos pelo 8º Batalhão da Polícia Militar do Estado do Paraná e do Corpo de Bombeiros

3 2 através do SIATE (Sistema Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergências). Constituindo um grave problema de saúde pública, pois geram mortes, incapacidades e sequelas, principalmente no público jovem. Os números apresentados demonstram que o custo econômico e social vem elevando para a sociedade como um todo em dois aspectos: demanda de serviços públicos e perdas potenciais de capital humano para a sociedade decorrentes desses acidentes. Desta forma, devido à preocupaço existente a respeito do assunto, procurar-se-á oferecer uma avaliação mais aproximada destas perdas para que estudos futuros sejam realizados com intuito de melhor precisar os custos econômicos e sociais existentes com estes acidentes na cidade de Paranavaí. Garantir segurança nas vias públicas é um dever do Estado, mas, respeitar as leis de trânsito é um dever de todo cidadão. Essa conjunção de esforços entre o poder público e a população, é um exercício de cidadania e democracia, que contempla o princípio universal de igualdade. É com uma postura enérgica, ou seja, rigor na fiscalização e cobrança de resultados por parte da sociedade em geral, em conjunto com a Administração Pública, que poderemos realizar o bem-estar, a segurança, a integridade de todos, alcançando seu objetivo maior: a proteção da vida. O principal objetivo deste trabalho é realizar um levantamento minucioso sobre o custo social em acidentes envolvendo motocicletas no município de Paranavaí. Os procedimentos metodológicos foram: a revisão da literatura referente a bibliografia conceitual versado sobre o assunto, levantamentos de dados estatísticos juntos aos órgãoes e entidades que atuam nos eventos que envolvem acidentes com motocicletas na cidade de Paranavaí, além de pesquisa de campo por meio de entrevistas com motociclistas envolvidos em acidentes. 2. ACIDENTES DE TRÂNSITO ENVOLVENDO MOTOCICLETAS 2.1 NORMAS GERAIS DE CIRCULAÇÃO E CONDUTA As normas gerais de circulação e conduta, segundo Pinheiro (2003, p.78), estão contidas no capítulo três da Lei nº 9503/97 que institui o Código de Trânsito Brasileiro, tendo incluído em seu texto os artigos 26 até o de número 67, os quais, se forem sempre seguidos

4 3 pelos condutores de veículos, haveria uma grande redução na quantidade de acidentes de trânsito. Araújo (2000, p.56) ressalta que: (...) o trânsito é uma disputa pelo espaço físico, é uma negociação permanente de espaço, coletiva e conflituosa. E essa negociação, dadas as características de nossa sociedade, não se dá entre pessoas iguais, a disputa pelo espaço tem uma base ideológica e política, depende de como as pessoas se vêem na sociedade e de seu acesso real ao poder. Os acidentes de trânsito trazem grande ônus para a economia do país, os usuários das vias públicas causam problemas, mas também sofrem suas conseqüências. Um fator importante nos acidentes de trânsito é a inexperiência do condutor, sendo que um grande número deles não foi treinado a reagir em situações de emergência, quando esta situação acontece, o motorista nunca sabe o que fazer, por isso, antes de ser autorizado a dirigir ou pilotar um veículo, deveria este ser mais treinado, passar por exames mais rigorosos, ter realmente condições para tal. A Resolução 285/2008 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) determina que, no caso dos motociclistas, a partir de 1º de janeiro de 2009, haverá uma importante mudança na legislação, para a obtenção da carteira nacional de habilitação para motos, ao contrário de antes, quando a pessoa interessada em tirar a carteira para motos só realizava o teste prático em pista fechada e conseguia habilitar-se para conduzir motos, sem mesmo ter enfrentado o trânsito em vias reais. A partir desta data, não será mais permitido realizar somente aulas internas na autoescola, terá que fazer aulas externas, pois a prova prática passará a ser em vias abertas à circulação (ruas, avenidas etc); o que de certa forma trará alguma experiência de condução aos motociclistas, o que a legislação anterior não oferecia. 2.2 CONCEITOS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO De acordo com Aragão (2003, p.14) É o incidente involuntário do qual participam, pelo menos, um veículo em movimento; pedestres e elementos fixos, isolado ou conjuntamente, ocorrido numa via terrestre, resultando danos ao patrimônio, lesões físicas ou morte.

5 4 Para LUZ (2005, p.110), é todo acontecimento ou o evento ocorrido em uma via terrestre do qual participe pelo menos um veículo de via terrestre e resulte em danos pessoais ou materiais. "É todo o fato ocorrido entre veículos e pessoas ou animais, e entre veículos e obstáculos, em vias terrestres abertas à circulação pública e que resultem em danos materiais ou pessoais às partes envolvidas ou a terceiros (PB-32-ABNT). De acordo com o entendimento de vários autores, trânsito ou tráfego é o movimento de pedestres, veículos ou animais sobre vias terrestres, isto é, a dinâmica do deslocamento físico de pessoas, animais e veículos no seu aspecto individual. 2.3 AS CAUSAS DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO Pode-se afirmar que causa é o evento primeiro na corrente dos acontecimentos, sem o qual o acidente não teria ocorrido. Como causas de acidentes, de acordo com MARIN & QUEIROZ (2000, p. 89) podemos considerar as três fundamentais, que são: veículo via homem. Veículo: a causa do acidente está diretamente relacionada ao veículo, devido ao seu estado de conservação (pneus, freios, direção, rodas e iluminação) ou ao acondicionamento de carga. Via: em alguns casos a causa do acidente pode ser a própria via, tais como pista derrapante, esburacada, curvas com sub-elevação (sem compensação), falta ou insuficiência de sinalização, etc. Homem na grande maioria dos casos, a causa do acidente está no próprio homem, seja como condutor, pedestre ou até como passageiro de um veículo, pela sua negligência, imprudência ou imperícia. Segundo Luz (2005, p.104) o erro humano em todo o mundo, é responsável por mais de 90% dos acidentes registrados, tendo como principais imprudências determinantes de acidentes com vítimas no Brasil. Vejamos a seguir, por ordem de incidência: velocidade excessiva; dirigir sob efeito de álcool ; distância insuficiente em relação ao veiculo dianteiro; desrespeito a sinalização de trânsito; dirigir sob efeito de drogas.

6 5 Vejamos a seguir, os fatores determinantes das imprudências: Impunidade/ Legislação deficiente; Fiscalização repressiva e sem caráter educativo; Baixo nível cultural e social; Baixa valorização da vida; Ausência de espírito comunitário e exacerbação do caráter individualista; Uso do veículo como demonstração de poder e virilidade. Estas imprudências tem levado muitas pessoas até a morte, e também têm deixado sequelas que às vezes são irreversíveis. 3. EVOLUÇÃO DA FROTA DE MOTOS EM PARANAVAÍ E NÚMERO DE ACIDENTES COM VÍTIMAS Conforme relatório estatístico do DETRAN Paraná (2008), a frota de automóveis e motocicletas no município de Paranavaí-Pr, vem crescendo anualmente. No ano de 2005, o número total de automóveis registrados em Paranavaí era de , em 2006 o número era de automóveis, em 2007 eram automóveis, e em 2008 chegou a automóveis, isto significa que do ano 2005 para o ano 2008 aconteceu um aumento de 16.32% no número de automóveis na cidade de Paranavaí. Já em relação a motocicletas, no ano de 2005 o número total de motocicletas registradas em Paranavaí era de 8.723, em 2006 era de motocicletas, em 2007 era motocicletas e em 2008 chegou ao número de motocicletas cadastradas em Paranavaí, isto significa que do ano de 2005 para o ano de 2008 aconteceu um aumento de 49,75% no número de motocicletas na cidade de Paranavaí, o que comprova que a evolução da frota de motocicletas se dá de forma muito mais rápida, do que a de automóveis. Veja a seguir o gráfico que demonstra o crescimento do número de motocicletas na cidade de Paranavaí.

7 6 Figura 01 Crescimento dos número de motocicletas em Paranavaí Motos Automóveis Fonte: 8º BPM / PEL/TRÂNSITO E, conforme relatórios estatísticos de acidentes com vitimas, do Pelotão de Trânsito da Policia Militar de Paranavaí, dos anos de 2007 e 2008, mostram que em 2007 ocorreram um total de 445 acidentes com vítimas, sendo que destes acidentes resultaram em 447 feridos e que deste total de feridos, 342 eram condutores de motocicletas excluindo-se os passageiros, ou seja 76,5% dos feridos nos acidentes no ano de 2007 eram condutores de motocicletas, e do total de 447 feridos, 247 eram jovens na faixa etária entre 18 a 28 anos, isto é 55,25% dos feridos eram jovens. E no ano de 2008, ocorreram um total de 381 acidentes com vítimas, sendo que destes acidentes resultaram em 502 feridos, observa-se que comparado com o ano de 2007, houve uma redução no número de acidentes de 16,50%, por outro lado houve um aumento no número de vítimas na ordem de 12,30%, e ainda, do número total de feridos 298 eram condutores de motocicletas, excluindo-se também os passageiros,ou seja 59,60% dos feridos eram motociclistas, e dos 502 feridos, 269 eram jovens na faixa etária de 18 a 28 anos,o que representa um porcentagem de 53,58%, número parecido com o de 2007, como será demonstrado no gráfico a seguir:

8 7 Figura nº 02 Número de feridos em relação ao número de acidentes Feridos Acidentes Fonte: DETRAN/PR Nesta estatística são levados em conta os acidentes com vítimas, ou seja, naqueles acidentes em que houve a necessidade de se levar alguma pessoa ao Pronto Socorro ou órgão similar em decorrência de lesões sofridas no acidente de trânsito. Nos acidentes com vítimas fatais, no ano de 2007, foram 4 mortos no local do acidente e no ano de 2008 foram um total de seis mortes. Conforme números do Corpo de Bombeiros do município de Paranavaí (2008), sobre ocorrências atendidas pelos SIATE a acidentes com motos e com vítimas, mostram que em 2006, ocorreram um total de 370 acidentes, 458 em 2007 e 500 no ano de Figura 03 Número de acidentes com vítimas Acidentes com Vítimas Fonte: Corpo de Bombeiros / SIATE

9 8 Desta forma, através do gráfico apresentado, pode-se observar que houve um aumento nesse tipo de atendimento em três anos, da ordem de 35,13%, aumentando também o custo social. 3.1 METODOLOGIA A metodologia adotada, foi através da realização de uma pesquisa de campo com motociclistas envolvidos em acidentes de trânsito ocorridos com motos no município de Paranavaí, no ano de Destes, foram selecionadas de forma aleatória 40 pessoas, entre homens e mulheres, quantidade definida, considerando erro amostral de 0,1 e confiança de 80%. Em seguida, foi elaborado um questionário com perguntas diretas, procurando saber do envolvido, quais os custos que teve em decorrência do acidente, como custos com atendimento médico, danos nos veículos, com seguro DPVAT, dias parados etc. Para tanto, utilizou-se os policiais militares para realizar o questionário junto aos envolvidos tanto em suas residências, como também em seu local de trabalho. 3.2 RESULTADOS DA PESQUISA DE CAMPO COM MOTOCICLISTAS ENVOLVIDOS EM ACIDENTES Para auxiliar e enriquecer o trabalho e ter uma melhor dimensão do custo social, em acidentes com vítimas envolvendo motos, foi realizada pesquisa de campo, através de entrevistas com motociclistas vítimas destes acidentes sendo que foi adotado uma amostra finita, com erro amostral de 0,1 e com confiança de 80%, o que deu um total de 40 entrevistados, através deste procedimentos e análise dos dados, foram obtidas as seguintes informações: 30 % já sofreram mais de um acidente com motos, em que ficaram feridos e que precisaram de atendimento médico; 75% receberam atendimento do SIATE e da Policia Militar ; 100% dos entrevistados precisaram de atendimento médico, e com a média de internação de 5 dias; 75% dos entrevistados tiveram suas despesas médicas cobertas pelo SUS; A média de afastamento do serviço, por conta destes acidentes, foi de 21 dias;

10 9 35 % ficaram com algum tipo de seqüela decorrentes dos acidentes; Apenas 40% dos acidentados acionaram o DPVAT; Em 70% dos acidentes além dos danos causados na motocicleta, houve danos em outro veículo; A principal sugestão dos motociclistas foi o pedido de uma melhor fiscalização no trânsito e a principal dúvida foi com relação ao DPVAT. Os dados acima mostram as várias consequências, tanto econômicas como sociais, além daqueles que interferem diretamente no bem-estar do accidentado e de toda a sua família, decorrentes dos acidentes de trânsito envolvendo motocicletas no município de Paranavaí. Observou-se que a maioria dos entrevistados disse que já sofreram acidentes de motocicleta necessitaram de atendimento médico de emergência, às vezes, tendo que ficar internado para se recuperar. Outro dado preocupante é que, 75% das pessoas entrevistadas tiveram suas despesas hospitalares cobertas pelo SUS (Sistema Único de Saúde), que é mantido pelo governo. Os motociclistas deram como sugestões para mudar este quadro que hoje é lastimante, aumentar a fiscalização e haver mais rigor no cumprimento das leis, para que esse quadro regrida o mais rápido possível. 4. CUSTO SOCIAL DECORRENTE DE ACIDENTES COM MOTOCICLETAS Alguns aspectos importantes com relação aos acidentes de trânsito urbano do município de Paranavaí no ano de 2008, envolvendo motocicletas, serão abordados neste capítulo. Como vimos, pelo levantamento realizado junto aos acidentados, os acidentes de trânsito constituem-se num grave problema social e principalmente econômico, provocando desperdícios materiais e humanos. Além disso, ceifa milhares de vidas anualmente em todo o país. E, segundo Aragão (2003, p.23), o Brasil é um dos recordistas mundiais de acidentes de trânsito, constituindo um alto custo social. Em qualquer circunstância que ocorra, são experiências ruins e representam um drama familiar e pessoal para os que neles se envolvem. Os acidentes envolvendo motocicletas nas vias públicas e rodovias contribuem nesse sentido, uma vez que a motocicleta está simbolicamente associada à juventude, à aventura e à força. O acidente de trânsito tornou-se, por isso, uma questão de saúde pública que exige respostas rápidas e cuidados indispensáveis à preservação da vida das pessoas que circulam pelas vias públicas.

11 10 As conseqüências desses acidentes de trânsito atingem proporções cada vez maiores e das mais diversas naturezas. Pelos levantamentos realizados pode-se constatar, que os acidentes envolvendo motocicletas provocam mortos e feridos. Atrapalham o trânsito, ocasionando longos congestionamentos. Raramente ocorre um acidente de trânsito com motocicleta em que alguém não seja vitimado. A mobilização dos agentes para atender essas ocorrências é significativa. Além disso, os leitos hospitalares ficam com a oferta comprometida em razão da elevada demanda dos acidentados. Após a revisão da literatura que aborda a questão e o levantamentos dos dados, foi possível elencar uma série de custos associados aos acidentes de trânsito com motocicletas, dentre os quais destacam: a) O custo do emprego do efetivo e da estrutura da Polícia Militar, soma dos custos do tempo dos policiais e/ou agentes de trânsito e da utilização de veículos para atendimento no local do acidente e deslocamento para o hospital ou delegacia, iniciando-se a partir do acionamento da equipe, com gastos com combustível e manutenção da viatura, o gasto com as horas trabalhadas dos policiais, uma vez que estes chegando ao local deverão tomar todas as medidas necessárias que convém ao caso, posteriormente confeccionar o devido boletim de acidente de trânsito, além do custo de manutenção de toda a estrutura do pelotão de trânsito de Paranavaí, que é composto por mais ou menos quinze policiais, com sua sede no 8º Batalhão e também o pátio para armazenar os veículos envolvidos no acidente. b) O custo do emprego do efetivo do Corpo de Bombeiros e de sua estrutura, custo do transporte das vítimas de acidentes de trânsito do local da ocorrência até o hospital ou Prontosocorro. Inclui o custo da utilização de equipamentos especiais e do deslocamento das equipes de resgate, com veículos e profissionais especializados. Uma vez constatado que a vítima, no caso de motos, na maioria dos casos há necessidade do deslocamento geralmente do SIATE, com ambulância e uma equipe de socorrista e paramédicos), os quais deverão estabilizar a vítima e conduzi-la para atendimento médico, além do custo de manutenção de toda a estrutura do SIATE de Paranavaí, e de seu efetivo durante 24 horas ao dia. c) Custo do atendimento médico-hospitalar, soma dos custos dos recursos humanos e materiais do atendimento e do tratamento das vítimas de acidentes de trânsito com motos, desde a chegada ao hospital até o momento da alta ou do óbito, ou seja, depois de encaminhado a vítima para atendimento médico, deve se computar o gasto com o atendimento de emergência, gastos com profissionais, tratamentos cirúrgicos, internamentos, em alguns casos de acidentes mais graves com motociclistas, esse tratamento chega a custar

12 mil reais ao poder público, conforme levantamento do Hospital de Clinicas de São Paulo no ano de d) Custo com a reabilitação, pois as lesões mais comuns em acidentes com motos, são de natureza músculo esqueléticas nos braços e pernas, o que na maioria das vezes essas lesões não expõe os motociclistas a risco de morte, mas por outro lado podem ficar tetraplégicas, paraplégicas,sofrer amputações de membros, lesões vasculares e nervosas, o que as incapacitam parra uma série de atividades, ficando com seqüelas temporárias ou até mesmo permanentes, necessitando de sessões de fisioterapia. e) Custo da perda de capacidade produtiva, corresponde às perdas econômicas sofridas pelas pessoas, pela interrupção temporária ou permanente de suas atividades produtivas, em decorrência de envolvimento em accidentes de trânsito com motocicletas. Aplica-se às pessoas inseridas ao mercado formal e informal. No caso de um assalariado, a perda equivale ao custo necessário para a sua substituição durante o tempo não trabalhado. f) Custo de um eventual remanejamento/readaptação que a empresa terá que fazer com o funcionário, para outras atividades, uma vez que em muitos casos, a pessoa vítima de acidente com motos, voltará ao trabalho ainda com sequelas temporárias ou permanentes, incapacitando-o para uma série de atividades e obrigando-o uma outra função dentro da empresa. g) Custos com aposentadoria precoce, forçadas por seqüelas permanentes decorrentes do acidente, com lesões encefálicas, de coluna, de medula e amputação de membros, com o agravante dessas vitimas de acidentes com motos serem na maioria dos casos jovens, os quais teriam ainda uma longa vida de trabalho e contribuição econômica. Custo esse que recai sobre a Previdência Social em função da impossibilidade permanente de trabalhar. Este custo inclui despesas com pensões e benefícios. h) Custos com o seguro DPVAT, podendo ir de R$ 2.695,90 reais, em caso de reembolso de despesas médicas e suplementares a R$ ,48 em casos de morte ou invalidez permanente. i) Custo com congestinamento, soma dos custos relativos ao tempo perdido pelos ocupantes de veículos retidos no tráfego e ao aumento do custo de operação desses veículos, em função de congestionamentos gerados por acidente de trânsito, muitas vezes envolvendo motocicletas. j) Custo dos danos ao equipamento urbano: custo de reposição/recuperação de mobiliário urbano danificado ou destruído em função de acidentes de trânsito. Os equipamentos urbanos

13 12 compreendem abrigos de ônibus, postes, orelhões, bancas de revistas, caixas de correio e grades. k) Custo dos danos à propriedade de terceiros, custo de recuperação de propriedades particulares danificadas em função de acidentes de trânsito, tais como muros e portões de acesso. l) Custo dos danos à sinalização de trânsito, custo de reposição/recuperação de sinalização danificada ou destruída em função de acidentes de trânsito. Consiste em elementos tais como postes de sustentação de sinalização, placas de sinalização, equipamento semafórico. m) Custo dos danos aos veículos, custo de recuperação ou reposição dos veículos danificados em acidentes de trânsito. n) Custo do impacto familiar, custo que representa o impacto do acidente no círculo familiar da(s) vítimas(s). É representado, principalmente, pelo tempo gasto por familiares para sua eventual produção cessante e por adaptações na estrutura familiar (moradia, transporte) por conta do acidente. o) Custo de outro meio de transporte: soma das despesas do acidentado com passagens de ônibus, táxi e aluguel de veículo decorrentes da necessidade de locomoção, no período em que o veículo ficar sem condições de uso. p) Custo previdenciário, custo que recai sobre a Previdência Social em função da impossibilidade, temporária ou permanente, de trabalhar das vítimas de acidentes de trânsito, sustentadas parcialmente pela Previdência. Esse custo inclui despesas com pensões e benefícios. q) Custo de processos judiciais, custo do funcionamento da estrutura judicial em função do atendimento às questões referentes aos acidentes de trânsito. r) Custo de remoção de veículos, custo de utilização de guinchos ou outros meios para remover os veículos avariados do local do acidente até uma oficina, pátio ou delegacia. Inclui o aluguel do veículo e o tempo de serviço do técnico responsável. De acordo com IPEA (2003), o maior custo social dos acidentes de trânsito é o longo processo de reabilitação que, em muitos casos, prolonga-se por toda a vida da pessoa. Outro custo poucas vezes percebido, é a inserção dos incapacitados físicos no ambiente social e de trabalho. E, a perda de produção, ou seja, as perdas econômicas sofridas pelas vítimas e pela interrupção temporária ou permanente da atividade produtiva é representativa. Para que os acidentados sejam atendidos pelo SUS, o município de Paranavaí, arca com uma porcentagem em dinheiro para a manutenção da Santa Casa, onde eles são

14 atendidos, onerando muitas vezes os cofres do mesmo. E, quando isso não acontece, o atendimento é suspenso, só atendendo emergência. 13 CONCLUSÃO Os prejuízos causados pelos acidentes em termos econômicos e sociais são incalculáveis. O custo social de maior relevância dos acidentes de trânsito é o longo processo de reabilitação que, em muitos casos, prolonga-se por toda a vida da pessoa. Outros custos, poucas vezes percebido, é a reinserção dos incapcitados físicos no ambiente social e de trabalho, sendo novas responsabilidades individuais e coletivas que têm um custo de longa duração, que poucas vezes é quantificado. Ao se analisar os dados obtidos na pesquisa de campo, verificou-se que o custo com tratamento de um paciente politraumatizado é considerável, existindo além das despesas com atendimento médico, um custo social enorme, representados por perda da capacidade produtiva, de salários das vítimas, funerais, reabilitação dos feridos, despesas com órgãos públicos, com advogados, com a recuperação de veículos, além de outros gastos materiais. Após a tabulação das entrevistas, chegou-se à conclusão que os motociclistas devem ter um pouco mais de atenção à lesgislação vigente, mais cuidado ao pilotar suas máquinas, pois, muitas vezes os acidentes causados ou sofridos por eles deixam sequelas, e às vezes leva à morte, transtornando toda a família. Os dados levantados e as análises realizadas neste artigo evidenciam a importância da realização de novos estudos relacionando acidente de trânsito com motos, suas consequências e os gastos financeiros, que poderão subsidiar a formulação de políticas públicas que privilegiem maior fiscalização associada à medidas de prevenção para que possa haver uma redução significativa nos custos sociais relacionados a acidentes com motocicletas. REFERÊNCIAS ARAUJO, Marcelo José. Trânsito: questões controvertidas. Curitiba-Pr: Juruá, ARAGÃO, Ranvier Feitosa. Acidentes de trânsito: aspectos técnicos e jurídicos. 3 ed. Campinas, SP: Millenium, BEUX, Armindo. Acidentes de trânsito na justiça. 3 ed. Poro Alegre-RS: Globo,

15 CONTRAN/DENATRAN. Manual de policiamento e fiscalização de trânsito. Brasília: Ministério do Exército, DETRAN/PR. Sinalização de trânsito. Curitiba, Disponível em Acessado em 20/04/2006. DIAS, Gilberto Antonio Faria. Manual Faria de trânsito. 5 ed. Rio de Janeiro: Juarez de Oliveira, IPEA Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Dados estatísticos LUZ, Valdemar P. da. Trânsito e veículos: responsabilidade civil e criminal. 5 ed. Florianópolis: OAB/SC, MARIN, L. & QUEIROZ, M. S. A atualidade dos acidentes de trânsito na era da velocidade: Uma visão geral. Cadernos de Saúde Pública, 16:7-21, MARZANO, Salvador de Oliveira et al. Manual de Orientação para atendimento de acidente de trânsito. Belo Horizonte: Academia de Polícia Militar, PARANÁ. Polícia Militar. Departamento do Pelotão de Trânsito de Paranavaí. Dados estatísticos referentes aos acidentes envolvendo motos PINHEIRO, Geraldo de Faria lemos et al. Código de Trânsito Brasileiro Sistematizado. 3 ed. Rio de Janeiro: Juarez de Oliveira, RIBEIRO, Luz Arthur Montes. Manual de educação para o trânsito. Curitiba-Pr: Juruá, SIATE. Corpo de Bombeiros de Paranavaí. Dados estatísticos e atendimento a acidentes com motos

ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES

ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES Rodrigo Barretto Vila 1 RESUMO Glaidson de Souza Pezavento Tatiani Nascimento Santos Miriam Nascimento Santos Ashley da Silva Costa 2 Com a finalidade

Leia mais

UMA COMPARAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE O TRÂNSITO: ANTES E DEPOIS DA IMPLANTAÇÃO DAOPERAÇÃO BALADA SEGURA NO RIO GRANDE DO SUL

UMA COMPARAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE O TRÂNSITO: ANTES E DEPOIS DA IMPLANTAÇÃO DAOPERAÇÃO BALADA SEGURA NO RIO GRANDE DO SUL ISSN 2177-9139 UMA COMPARAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE O TRÂNSITO: ANTES E DEPOIS DA IMPLANTAÇÃO DAOPERAÇÃO BALADA SEGURA NO RIO GRANDE DO SUL Daniellen Thaianne de Oliveira Severo - daniii_severo@hotmail.com

Leia mais

CARTILHA DE TRÂNSITO. Dicas para você viver mais e melhor!

CARTILHA DE TRÂNSITO. Dicas para você viver mais e melhor! CARTILHA DE TRÂNSITO Dicas para você viver mais e melhor! Este material foi concebido pela SBOT Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia com o intuito de ser um agente expressivo na prevenção

Leia mais

SEGURANÇA VIÁRIA NO TRABALHO. Uma responsabilidade de todos

SEGURANÇA VIÁRIA NO TRABALHO. Uma responsabilidade de todos SEGURANÇA VIÁRIA NO TRABALHO Uma responsabilidade de todos QUEM SOMOS A FUNDACIÓN MAPFRE, instituição criada em 1975 pela MAPFRE, desenvolve atividades de interesse geral na Espanha e em outros países

Leia mais

Número 1 Violência no trânsito: o goianiense e a Lei Seca. Rua 1.145, 56 Setor Marista Goiânia GO Fone: 62 3541.6556 www.institutoverus.com.

Número 1 Violência no trânsito: o goianiense e a Lei Seca. Rua 1.145, 56 Setor Marista Goiânia GO Fone: 62 3541.6556 www.institutoverus.com. Número 1 Violência no trânsito: o goianiense e a Lei Seca Rua 1.145, 56 Setor Marista Goiânia GO Fone: 62 3541.6556 www.institutoverus.com.br 0 Estudos de Opinião Número 1 Violência no trânsito: o goianiense

Leia mais

O QUE É DPVAT? VALORES DE INDENIZAÇÃO

O QUE É DPVAT? VALORES DE INDENIZAÇÃO DPVAT O QUE É DPVAT? Toda a facilidade para vítimas, beneficiários, corretores de seguro e hospitais no atendimento aos processos de indenização do Seguro Obrigatório. O Seguro DPVAT foi criado com o objetivo

Leia mais

Distribuição dos pacientes vítimas de Acidente de Trânsito, segundo faixa etária na ocasião do acidente 20,0 16,6 19,4 11,3

Distribuição dos pacientes vítimas de Acidente de Trânsito, segundo faixa etária na ocasião do acidente 20,0 16,6 19,4 11,3 Os Acidentes de Trânsito foram responsáveis por um total de 799 internações nos hospitais SARAH-Brasília, SARAH-Salvador, SARAH-Belo Horizonte e SARAH-São Luís no período de 01/01/2009 a 30/06/2009, correspondendo

Leia mais

Graduada de Ciência Sociais; Rua General Jardim, 522 CEP 01223-010 Vila Buarque São Paulo/SP; (11) 3123-7800 www.fespsp.org.br 4

Graduada de Ciência Sociais; Rua General Jardim, 522 CEP 01223-010 Vila Buarque São Paulo/SP; (11) 3123-7800 www.fespsp.org.br 4 TÍTULO: Ensaio acadêmico de aplicação do método PES - Planejamento Estratégico Situacional, na estratégia de formulação de uma de política de segurança viária AUTORES: Danielle Penha 1 ; Marinalva da Silva

Leia mais

IMPACTOS SOCIAIS E ECONÔMICOS DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO NAS AGLOMERAÇÕES URBANAS

IMPACTOS SOCIAIS E ECONÔMICOS DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO NAS AGLOMERAÇÕES URBANAS IMPACTOS SOCIAIS E ECONÔMICOS DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO NAS AGLOMERAÇÕES URBANAS SÍNTESE DA PESQUISA Brasília, maio de 2003 INTRODUÇÃO O Ipea concluiu a pesquisa Impactos Sociais e Econômicos dos Acidentes

Leia mais

Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo

Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo Nota Técnica 232 2014 Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo Max Ernani Borges De Paula Banco de dados de vítimas dos acidentes de trânsito fatais A Companhia de Engenharia de Tráfego realiza

Leia mais

Í N D I C E PRÓLOGO 5

Í N D I C E PRÓLOGO 5 Í N D I C E PRÓLOGO 5 CAPÍTULO I - EDUCAÇÃO E SEGURANÇA NO TRÂNSITO Trânsito e transporte II) EDUCAÇÃO E SEGURANÇA NO TRÂNSITO Objetivos da educação e segurança para o trânsito A educação para o trânsito

Leia mais

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre Sumário I. Apresentação do Manual II. A Prevenção de Acidentes com Crianças III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre IV. Como a Educação pode contribuir para a Prevenção de Acidentes no Trânsito V. Dados

Leia mais

Ver e ser visto no trânsito

Ver e ser visto no trânsito matéria de capa Ver e ser visto no trânsito CESVI realizou estudo para apontar as condições em que pedestres, motos e carros são mais bem visualizados à noite Por José Antonio Oka Segurança Viária Ver

Leia mais

GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA: UNIDAS PELO TRÂNSITO DE JATAÍ NO INTUITO DE CONTRIBUIR COM O ENSINO NAS ESCOLAS.

GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA: UNIDAS PELO TRÂNSITO DE JATAÍ NO INTUITO DE CONTRIBUIR COM O ENSINO NAS ESCOLAS. GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA: UNIDAS PELO TRÂNSITO DE JATAÍ NO INTUITO DE CONTRIBUIR COM O ENSINO NAS ESCOLAS. FREITAS, Vanessa G 1 ; ROCHA, Paulo R 1 ;JESUS, Uerlei 1 ; SILVA, Gecirlei F. 2 PALAVRAS CHAVES:

Leia mais

Henrique Naoki Shimabukuro henrique@abramet.org.br

Henrique Naoki Shimabukuro henrique@abramet.org.br Henrique Naoki Shimabukuro henrique@abramet.org.br Leitura crítica da realidade social no trânsito A evolução do homem: Cerca de quatro e meio milhões de anos se passaram... www.flickr.com Acesso em 01/08/2009.

Leia mais

Direção Defensiva 1. Plano de Aula Teórica do Curso de Formação de Condutores

Direção Defensiva 1. Plano de Aula Teórica do Curso de Formação de Condutores Direção Defensiva 1 Compreender as principais causas de acidentes de trânsito. Identificar os principais envolvidos em acidentes de trânsito. Introdução Introdução. Estatísticas. Responsabilidade. sobre

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS Utilização de meios de transporte

NORMA DE PROCEDIMENTOS Utilização de meios de transporte pág.: 1/6 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos a serem adotados para a utilização dos meios de transporte na COPASA MG. 2 Referências Para aplicação desta norma, poderá ser necessário consultar:

Leia mais

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE INFRAÇÃO

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE INFRAÇÃO O veículo estacionado, afastado da guia da calçada (meio fio) a mais de um metro, faz do seu condutor um infrator cuja punição será: 1 retenção do veículo e multa, infração média. 2 apreensão do veículo

Leia mais

Setor de Motocicletas

Setor de Motocicletas Setor de Motocicletas Produção anual: 1,6 milhões de unidades 5º maior produtor mundial Frota Nacional*: 20,7milhões (26% do total) Empregos gerados no segmento de motocicletas Diretos: 20 mil (fabricantes)

Leia mais

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2015 CREMEB

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2015 CREMEB ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2015 CREMEB 1 -DO OBJETO O objeto do Pregão Presencial é a contratação de empresa especializada para prestação de serviços de rádio-táxi

Leia mais

PROJETO MUTIRÃO DA CARONA SOLIDÁRIA

PROJETO MUTIRÃO DA CARONA SOLIDÁRIA PROJETO MUTIRÃO DA CARONA SOLIDÁRIA INTRODUÇÃO A mobilidade das cidades tem se tornado um desafio cada vez maior com o passar do tempo. Em 10 anos, a frota de automóveis e motocicletas cresceu 400% no

Leia mais

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Perguntas e respostas Ministério da Previdência Social Auxílio-Doença Benefício pago ao segurado em caso de incapacitação temporária para o trabalho por doença ou acidente

Leia mais

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO Maria Salete da Silva Josiane dos Santos O Programa Assistência Sócio-Jurídica, extensão do Departamento de Serviço Social, funciona no Núcleo

Leia mais

REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055

REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055 REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055 Somente quando estiver com documento do veículo em mãos, para fornecer ao atendente a placa e o chassi do veículo.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 039/2015 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Avaliação e Treinamento para Motoristas

Avaliação e Treinamento para Motoristas Avaliação e Treinamento para Motoristas Atualmente, resulta cada vez mais necessário treinar o pessoal que dirige veículos automotores, ainda quando dirigir não for sua tarefa principal. A falta de uma

Leia mais

DIREÇÃO DEFENSIVA OU PREVENTIVA. Trânsito seguro é um direito de todos

DIREÇÃO DEFENSIVA OU PREVENTIVA. Trânsito seguro é um direito de todos DIREÇÃO DEFENSIVA OU PREVENTIVA Trânsito seguro é um direito de todos TRANSITO LEGAL DIREÇÃO DEFENSIVA Sabem o que significa? Conduzir de modo a evitar acidentes, apesar das ações erradas dos outros e

Leia mais

1. Acidentes de trânsito: estatísticas

1. Acidentes de trânsito: estatísticas 1. Acidentes de trânsito: estatísticas Aula Interdisciplinar Indicação: 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental Mais de 50.000 mortos por ano e de 500.000 feridos. Este é o resultado da violência do trânsito

Leia mais

Experiência no Atendimento Domiciliar ao Paciente Serviço Social

Experiência no Atendimento Domiciliar ao Paciente Serviço Social Experiência no Atendimento Domiciliar ao Paciente Serviço Social Flávia J.Rodrigues de Sá Pinheiro de Melo Assistente Social Especialista em Saúde Mental e Moléstias Infecciosas - Unicamp Serviço Atenção

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA ESTADUAL DE DEFESA SOCIAL DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DETRAN/AL

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA ESTADUAL DE DEFESA SOCIAL DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DETRAN/AL RELATÓRIO COMPARATIVO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO DADOS REFERENTES AO DETRAN-AL, POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL (PRF), DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM (DER), BATALHÃO DE POLICIAMENTO RODOVIÁRIO (BPRv) E AO

Leia mais

Especificidades das mortes violentas no Brasil e suas lições. Maria Cecília de Souza Minayo

Especificidades das mortes violentas no Brasil e suas lições. Maria Cecília de Souza Minayo Especificidades das mortes violentas no Brasil e suas lições Maria Cecília de Souza Minayo 1ª. característica: elevadas e crescentes taxas de homicídios nos últimos 25 anos Persistência das causas externas

Leia mais

A GEOGRAFIA DAS MOTOCICLETAS NO PARANÁ: APONTAMENTOS PRELIMINARES 1

A GEOGRAFIA DAS MOTOCICLETAS NO PARANÁ: APONTAMENTOS PRELIMINARES 1 A GEOGRAFIA DAS MOTOCICLETAS NO PARANÁ: APONTAMENTOS PRELIMINARES 1 Priscila Aparecida Olivette Licencianda do Curso de Geografia pela Unicentro e Bolsista Fundação Araucária (PR) pri_xd93@hotmail.com

Leia mais

1.PLANO AUTO STANDARD

1.PLANO AUTO STANDARD 1.PLANO AUTO STANDARD 1.1.Definições ACIDENTE/SINISTRO Colisão, abalroamento ou capotagem envolvendo direta ou indiretamente o veículo e que impeça o mesmo de se locomover por seus próprios meios. COBERTURA

Leia mais

Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba

Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba Ideias que salvam vidas em Curitiba! 9 Regionais: reúnem, de forma organizada, entidades e movimentos

Leia mais

Manual de Assistência 24 horas. Assistência 24 Horas AUTOCONTROLE

Manual de Assistência 24 horas. Assistência 24 Horas AUTOCONTROLE Manual de Assistência 24 horas Assistência 24 Horas AUTOCONTROLE I. Assistência 24 Horas 1. Descrição da Assistência 24 Horas Prestação de atendimento ao cliente/usuário através da administração de rede

Leia mais

CARTILHA DPVAT. Todo proprietário de veículo é obrigado a pagar anualmente o seguro obrigatório, sob pena de não licenciar o veículo junto ao DETRAN.

CARTILHA DPVAT. Todo proprietário de veículo é obrigado a pagar anualmente o seguro obrigatório, sob pena de não licenciar o veículo junto ao DETRAN. CARTILHA DPVAT - Apresentação Esta cartilha nasceu da constatação dos Promotores de Justiça, que atuam nas Varas de Delitos de Trânsito e nos Juizados Especiais Criminais, de que grande parte das vítimas

Leia mais

A VIDA SOBRE DUAS RODAS: REDUZINDO RISCOS E DANOS UMA AÇÃO INTERSETORIAL

A VIDA SOBRE DUAS RODAS: REDUZINDO RISCOS E DANOS UMA AÇÃO INTERSETORIAL A VIDA SOBRE DUAS RODAS: REDUZINDO RISCOS E DANOS UMA AÇÃO INTERSETORIAL Olga Lopes Salomão 1 ; Marineide de Jesus Nunes 1, Rodolfo C. Villa do Miu 1, Brigina Kemp 2, Carlos Eduardo Abrahão 2, William

Leia mais

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal de comunicação Objetivo Principal Prover uma solução de baixo custo para Identificação, localização, bloqueio e recuperação de veículos roubados ou procurados, através de micro circuitos embarcados de

Leia mais

Saiba mais sobre o Seguro Escoteiro

Saiba mais sobre o Seguro Escoteiro Definição do Seguro: Este seguro garante ao Beneficiário, o pagamento do capital segurado ou reembolso das despesas médicas, hospitalares e/ou odontológicas, exceto se o evento caracterizar-se como um

Leia mais

Acidentes fatais com motocicleta param de crescer no Estado de São Paulo

Acidentes fatais com motocicleta param de crescer no Estado de São Paulo Resenha de Estatísticas Vitais do Estado de São Paulo Ano 11 nº 4 Maio 2011 Acidentes fatais com motocicleta param de crescer no Estado de São Paulo O número de mortes por acidentes de motocicleta manteve-se

Leia mais

SEMINÁRIO POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO

SEMINÁRIO POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO SEMINÁRIO POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO Felipe Espíndola Carmona Brasília 13 de setembro de 2012. RS-2012 Ditado Africanos diz: O homem branco tem relógio mas não tem tempo! Vivemos em um período em

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br As hipóteses de suspensão e cassação do direito de dirigir e o Processo Adminitrativo Ravênia Márcia de Oliveira Leite** A atribuição para a suspensão ou cassação do direito de dirigir

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º, DE 2007. (Do Sr. Rogerio Lisboa)

PROJETO DE LEI N.º, DE 2007. (Do Sr. Rogerio Lisboa) PROJETO DE LEI N.º, DE 2007. (Do Sr. Rogerio Lisboa) Altera a Lei nº LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997, tornando obrigatória por parte dos fabricantes, importadores e montadores de veículos, a inclusão

Leia mais

Acidente de moto com morte cresceu 123% no primeiro semestre do ano 20 Julho 2012 Posted in Amazonas

Acidente de moto com morte cresceu 123% no primeiro semestre do ano 20 Julho 2012 Posted in Amazonas www.amazonasnoticias.com.br Coluna: Acidente de moto com morte cresceu 123% no primeiro semestre do ano ( ) Press-release da assessoria de imprensa (X) Iniciativa do próprio veículo de comunicação Acidente

Leia mais

TRANSITO CUIDADO. Eliana Cristofolo MOTORISTA TENHA MUITA ATENÇÃO, AO DIRIGIR O SEU CARRÃO. PARE SEMPRE NA ESQUINA PARA VER SE VEM CARRO NÃO.

TRANSITO CUIDADO. Eliana Cristofolo MOTORISTA TENHA MUITA ATENÇÃO, AO DIRIGIR O SEU CARRÃO. PARE SEMPRE NA ESQUINA PARA VER SE VEM CARRO NÃO. CUIDADO NO TRANSITO MOTORISTA TENHA MUITA ATENÇÃO, AO DIRIGIR O SEU CARRÃO. PARE SEMPRE NA ESQUINA PARA VER SE VEM CARRO NÃO. AS CRIANÇAS DEVEM RESPEITAR PARA OS LADOS DEVEM OLHAR. SE NÃO VIER NENHUM AUTOMÓVEL

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CONDUTORES

AVALIAÇÃO DE CONDUTORES AVALIAÇÃO DE CONDUTORES Autores FÁBIO MARIO DE OLIVEIRA FÁBIO ROBERTO RAMALHO PEREIRA JOÃO PEDRO CANTARIO DE OLIVEIRA ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇO SA RESUMO O projeto Avaliação de Condutores surgiu diante

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (CFM) RESOLUÇÃO CFM nº 1488/1988 É responsabilidade do médico estabelecer a relação causal ou o nexo técnico entre a doença e o trabalho História clínica e ocupacional Exame

Leia mais

MUTIRÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA: UMA AÇÃO INTEGRADA COM EMPREGADOS, CONTRATADOS E A COMUNIDADE

MUTIRÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA: UMA AÇÃO INTEGRADA COM EMPREGADOS, CONTRATADOS E A COMUNIDADE MUTIRÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA: UMA AÇÃO INTEGRADA COM EMPREGADOS, CONTRATADOS E A COMUNIDADE Autores Carmem Lúcia Carneiro Rolim Antiógenes José Freitas Cordeiro José Clóves Fernandes COMPANHIA ENERGÉTICA

Leia mais

Plano de ações para segurança no corredor ferroviário

Plano de ações para segurança no corredor ferroviário Plano de ações para segurança no corredor ferroviário Fase 3 Elaboração das propostas Etapa 3.1, 3.2 e 3.4 Concepção, análise e detalhamento das propostas Página 1 de 10 Sumário 2.5. Plano de ações para

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO ACIDENTE DE TRABALHO Conselho Federal de Medicina (CFM) RESOLUÇÃO CFM nº 1488/1988 É responsabilidade do médico estabelecer a relação causal ou o nexo técnico entre a doença e o trabalho História clínica

Leia mais

CARRO COMPARTILHADO CARRO COMPARTILHADO

CARRO COMPARTILHADO CARRO COMPARTILHADO CARRO COMPARTILHADO Projeção de crescimento populacional Demanda de energia mundial Impacto ao meio ambiente projeções indicam que os empregos vão CONTINUAR no centro EMPREGOS concentrados no CENTRO

Leia mais

SP 08/95 NT 191/95. Execução e Fiscalização da Sinalização Horizontal. Psicº Mauro Yoshio Ito Psicª Ilana Berezovsky Psicª Susana Nunes Penna

SP 08/95 NT 191/95. Execução e Fiscalização da Sinalização Horizontal. Psicº Mauro Yoshio Ito Psicª Ilana Berezovsky Psicª Susana Nunes Penna SP 08/95 NT 191/95 Execução e Fiscalização da Sinalização Horizontal Psicº Mauro Yoshio Ito Psicª Ilana Berezovsky Psicª Susana Nunes Penna 1. Introdução A realidade do trânsito da cidade de SP, 6 mortes

Leia mais

11. Use sempre o cinto de segurança

11. Use sempre o cinto de segurança 11. Use sempre o cinto de segurança Aula Interdisciplinar Indicação: 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental O funcionamento do cinto foi descrito em detalhe na aula 10. A finalidade desta aula é insistir sobre

Leia mais

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica por Camila Hatsumi Minamide* Vivemos em um ambiente com transformações constantes: a humanidade sofre diariamente mudanças nos aspectos

Leia mais

A QUESTÃO DO ENVELHECIMENTO POPULACIONAL E SEUS EFEITOS NO MERCADO DE TRABALHO: UM FOCO NA PERCEPÇÃO E ATITUDES DO APOSENTADO.

A QUESTÃO DO ENVELHECIMENTO POPULACIONAL E SEUS EFEITOS NO MERCADO DE TRABALHO: UM FOCO NA PERCEPÇÃO E ATITUDES DO APOSENTADO. Revista Ceciliana Dez 2(2): 41-45, 21 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana A QUESTÃO DO ENVELHECIMENTO POPULACIONAL E SEUS EFEITOS NO MERCADO DE TRABALHO:

Leia mais

Condomínios mais Seguros

Condomínios mais Seguros Condomínios mais Seguros Palestra ministrada pelo Capitão Yasui Comandante da 2ª Companhia do 49º Batalhão de Polícia Militar. 13/04/2011 Formulado por um grupo de trabalho composto por policiais civis

Leia mais

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias dezembro/2006 página 1 FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Bernardete Gatti: o país enfrenta uma grande crise na formação de seus professores em especial, de alfabetizadores.

Leia mais

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04 Pesquisa de Opinião Pública sobre as Campanhas Educativas para o Trânsito & da I m a g e m I n s t i t u c i o n a l da CET- RIO Relatório de Pesquisa 2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 03 PRINCIPAIS RESULTADOS

Leia mais

Defensoria Pública do Estado de São Paulo Núcleo Especializado dos Direitos do Idoso e da pessoa com Deficiência

Defensoria Pública do Estado de São Paulo Núcleo Especializado dos Direitos do Idoso e da pessoa com Deficiência Defensoria Pública do Estado de São Paulo Núcleo Especializado dos Direitos do Idoso e da pessoa com Deficiência O que é a Defensoria Pública? A Defensoria Pública do Estado é uma Instituição permanente

Leia mais

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL E A PRÁTICA PROFISSIONAL NA CASA DA ACOLHIDA

O SERVIÇO SOCIAL E A PRÁTICA PROFISSIONAL NA CASA DA ACOLHIDA O SERVIÇO SOCIAL E A PRÁTICA PROFISSIONAL NA CASA DA ACOLHIDA LEMOS, Josiane (estágio I), e-mail: lemosjosi@hotmail.com SANTOS, Lourdes de Fátima dos (estágio I). e-mail: lurdesfsantos84@hotmail.com SCHEMIGUEL,

Leia mais

Nas Ruas de BH. BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional. Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS

Nas Ruas de BH. BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional. Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional Nas Ruas de BH Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS Responsável pela Experiência: Rodrigo César Magalhães Silva

Leia mais

- Física e Segurança no Trânsito -

- Física e Segurança no Trânsito - - Informações gerais: - Física e Segurança no Trânsito - -No mundo todo, mais de 1 milhão de mortes por ano em acidentes de trânsito. - No Brasil, são mais de 40 mil mortes por ano, incluídas aí mais de

Leia mais

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE EMERGÊNCIA CONTRA INCÊNDIO de acordo com o projeto de norma nº 24:203.002-004 da ABNT ( setembro 2000 ) 1 Objetivo 1.1 Estabelecer

Leia mais

PROGRAMA TÉMATICO: 6215 TRÂNSITO SEGURO

PROGRAMA TÉMATICO: 6215 TRÂNSITO SEGURO PROGRAMA TÉMATICO: 6215 TRÂNSITO SEGURO OBJETIVO GERAL: Reduzir os índices de acidentes com vítimas fatais em todo o Distrito Federal, aperfeiçoando a educação para o trânsito, a fiscalização, a engenharia

Leia mais

FROTA DE VEÍCULOS DO IFRS CAMPUS PORTO ALEGRE

FROTA DE VEÍCULOS DO IFRS CAMPUS PORTO ALEGRE 11/03/2012 FROTA DE VEÍCULOS DO IFRS CAMPUS PORTO ALEGRE Veículos / Modelo Ano Placas GM MERIVA JOY 2007/2008 IOK2202 NISSAN SENTRA FLEX 2009 IRS4402 GM ZAFIRA ELEGANCE 2010 / 2011 IRS3302 MARCOPOLO Modelo

Leia mais

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

Leia mais

SIPS Sistema de Indicadores de Percepção Social

SIPS Sistema de Indicadores de Percepção Social SIPS Sistema de Indicadores de Percepção Social Mobilidade Urbana IPEA 24 de janeiro de 2011 Sumário 1. Introdução 2. Mobilidade e meios de transporte 3. Meios de transporte e questões de infraestrutura

Leia mais

Epidemia de acidentes envolvendo motociclistas no Brasil

Epidemia de acidentes envolvendo motociclistas no Brasil Epidemia de acidentes envolvendo motociclistas no Brasil Oradora: Gisele Flores Vice Presidente do ISM Instituto SobreMotos Especialista em Gestão Pública Formada como Diretora Geral de CFCs (Centros de

Leia mais

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2578 DE 23 DE JUNHO DE 2015. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES, no uso das atribuições legais,

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2578 DE 23 DE JUNHO DE 2015. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES, no uso das atribuições legais, RESOLUÇÃO SMTR Nº 2578 DE 23 DE JUNHO DE 2015. Regulamenta o treinamento dos motoristas do Serviço de Transporte Individual de Passageiros em Veículos de Aluguel a Taxímetro e a homologação de instituições

Leia mais

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência?

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Dados preliminares do sistema de informações de mortalidade do Ministério da Saúde de

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA ILUMINAÇÃO PÚBLICA SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO DA ÁREA DE TRABALHO

ORIENTAÇÃO TÉCNICA ILUMINAÇÃO PÚBLICA SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO DA ÁREA DE TRABALHO 1/5 1. Objetivo Estabelecer critérios para sinalizar e isolar as áreas de trabalho, com a finalidade de garantir a distância e o isolamento adequado na execução de serviços em iluminação pública em redes

Leia mais

MOTOFRETISTA REGULAMENTADO! MOTOCICLISTA CONSCIENTE!

MOTOFRETISTA REGULAMENTADO! MOTOCICLISTA CONSCIENTE! SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS Audiência Pública Discutir a Epidemia de Acidentes Envolvendo Motociclistas no Brasil Brasília, 29 de maio de 2012. MOTOFRETISTA REGULAMENTADO! MOTOCICLISTA

Leia mais

Nome da Prática inovadora: Boletim de Acidente de Trânsito On line. Caracterização da situação anterior:

Nome da Prática inovadora: Boletim de Acidente de Trânsito On line. Caracterização da situação anterior: Nome da Prática inovadora: Boletim de Acidente de Trânsito On line Caracterização da situação anterior: O registro de acidente de trânsito sem vítima atendido diariamente pela CIPTRAN através das viaturas

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - 2009

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - 2009 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - 2009 1 1 Rio de Janeiro, 15/12/2010 1 PNAD 2009 Segurança Alimentar Vitimização e Educação Trabalho Rendimento Fecundidade Tecnologia da Informação etc 2 153

Leia mais

SP 09/95 NT 193/95. Subsídios para Legislação de Trânsito sobre Veículos de Emergência. Arqº Luis Fernando C. Figueiredo. 1.

SP 09/95 NT 193/95. Subsídios para Legislação de Trânsito sobre Veículos de Emergência. Arqº Luis Fernando C. Figueiredo. 1. SP 09/95 NT 193/95 Subsídios para Legislação de Trânsito sobre Veículos de Emergência Arqº Luis Fernando C. Figueiredo 1. Introdução Apresentam-se neste artigo as disposições referentes aos veículos policiais,

Leia mais

CURSO PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS

CURSO PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS CURSO PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS Carga horária: 50 (cinqüenta) horas aula Requisitos para matrícula Ser maior de 21 anos; Estar habilitado em uma das categorias B,

Leia mais

SOROCABA - DADOS ESTATÍSTICOS SOBRE ACIDENTES DE TRÂNSITO

SOROCABA - DADOS ESTATÍSTICOS SOBRE ACIDENTES DE TRÂNSITO 1 / 10 APRESENTAÇÃO INTRODUÇÃO Segundo dados apurados através do Censo - IBGE, Sorocaba possuia uma população de 586.311 habitantes no ano de 2010, com uma taxa de crescimento vegetativo de aproximadamente

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº / 05

PROJETO DE LEI Nº / 05 PROJETO DE LEI Nº / 05 DISPÕE SOBRE O USO DA BICICLETA E O SISTEMA CICLOVIÁRIO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Uberlândia, APROVA: Art. 1º. Esta lei regula o uso da bicicleta e o sistema

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE PARELHAS, ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, usando das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município.

O PREFEITO MUNICIPAL DE PARELHAS, ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, usando das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município. DECRETO Nº 011/2014, DE 09 DE ABRIL DE 2014. Altera o Anexo I do Decreto n 007/2014, que dispõe sobre as atribuições, escolaridade e salários dos cargos destinados ao Concurso Público do Município de Parelhas/RN.

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ.

RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ. RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ. Apresentação Este relatório contém os resultados da 1ª pesquisa de Qualidade de Vida na cidade de Aracruz solicitada pela FACE. O objetivo

Leia mais

Edifício Crespi II Manual do Credenciado

Edifício Crespi II Manual do Credenciado Edifício Crespi II Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

P Ú B L I C O I N T E R N O

P Ú B L I C O I N T E R N O Apresentação O Banrisul valoriza seus colaboradores por entender que estes são a essência do negócio. A promoção da qualidade de vida e da segurança dos funcionários é uma prática constante que comprova

Leia mais

DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DE MINAS GERAIS DETRAN/MG

DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DE MINAS GERAIS DETRAN/MG PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PMI PROJETO DE GUARDA E REMOÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES EM CIRCULAÇÃO SUJEITOS A INFRAÇÃO À LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO Belo Horizonte MG, setembro de 2013 SOBRE A

Leia mais

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo:

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo: Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade Entrevista cedida à FGR em Revista por Gustavo de Faria Dias Corrêa, Secretário de Estado de Esportes e da Juventude de Minas Gerais. FGR: A Secretaria

Leia mais

5 km/h a mais, uma vida a menos

5 km/h a mais, uma vida a menos 5 a mais, uma vida a menos Respeite os limites de velocidade www.fundacionmapfre.com.br O excesso de velocidade não acontece por acidente, é uma escolha. Na correria do dia-a-dia, vivemos apressados e,

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SEGURO AUTOMOTIVO

DÚVIDAS FREQUENTES SEGURO AUTOMOTIVO DÚVIDAS FREQUENTES SEGURO AUTOMOTIVO 1. DEVO FAZER O BOLETIM DE ACIDENTES DE TRÂNSITO (BAT)? Sim, principalmente se houver terceiros envolvidos e se você for o culpado pelo acidente. 2. QUER DIZER QUE

Leia mais

Tabela das Multas. Infração Gravíssima Valor/Multa Tipos de Penalidades R$ 191,54 R$ 574,61

Tabela das Multas. Infração Gravíssima Valor/Multa Tipos de Penalidades R$ 191,54 R$ 574,61 Tabela das Multas 7 pontos na CNH Infração Gravíssima Valor/Multa Tipos de Penalidades Dirigir com a carteira já vencida há mais de 30 dias Recolhimento da carteira e retenção do veículo Não reduzir a

Leia mais

P Ú B L I C O I N T E R N O

P Ú B L I C O I N T E R N O Apresentação O Banrisul valoriza seus colaboradores por entender que estes são a essência do negócio. A promoção da qualidade de vida e da segurança dos funcionários é uma prática constante que comprova

Leia mais

A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA) DESENVOLVIDA EM BARÃO GERALDO

A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA) DESENVOLVIDA EM BARÃO GERALDO BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP ESTUDO (Turma 2012) Disponível em: http://www.ib.unicamp.br/dep_biologia_animal/be310 A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA)

Leia mais

ALTERNATIVA CLUBE DE BENEFÍCIOS REGULAMENTO DA ASSISTENCIA 24 HORAS

ALTERNATIVA CLUBE DE BENEFÍCIOS REGULAMENTO DA ASSISTENCIA 24 HORAS REGULAMENTO DA ASSISTENCIA 24 HORAS 1 1 REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA 24 HORAS 1.1 - OBJETIVO DO PROGRAMA O programa tem por objetivo prestar um serviço de assistência 24 horas aos associados, a fim de diminuir,

Leia mais

PROCEDIMENTOS DO SEGURADO EM CASO DE SINISTRO

PROCEDIMENTOS DO SEGURADO EM CASO DE SINISTRO PROCEDIMENTOS DO SEGURADO EM CASO DE SINISTRO 46 1. COLISÃO DO VEÍCULO SEGURADO Em caso de colisão, o Segurado deve atentar para as seguintes orientações: REGISTRO DE OCORRÊNCIA POLICIAL Para sua segurança

Leia mais

CLIENTE A Autoescola Paula está localizada na Avenida Paraná, nº 1641, no bairro Bacacheri, que compõe a região do Boa Vista. É um CFC de pequeno porte, que conta com 15 funcionários e 10 veículos. Oferecem

Leia mais

Acidentes de transportes passam a ser a principal causa de morte não natural do Estado de São Paulo

Acidentes de transportes passam a ser a principal causa de morte não natural do Estado de São Paulo Resenha de Estatísticas Vitais do Estado de São Paulo Ano 10 nº 2 Março 2010 Acidentes de transportes passam a ser a principal causa de morte não natural do Estado de São Paulo Hoje, os acidentes de transporte

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013 1 AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO Temas 2 Objetivo e metodologia Utilização dos serviços do plano de saúde e ocorrência de problemas Reclamação ou recurso contra o plano de

Leia mais

ASSISTÊNCIA SERVIÇOS EXECUTIVOS

ASSISTÊNCIA SERVIÇOS EXECUTIVOS ASSISTÊNCIA SERVIÇOS EXECUTIVOS O objeto da assistência serviços executivos é facilitar a vida do Segurado, em caso de mal súbito, doença ou acidente, com serviços domésticos provisórios, ambulância, Motorista

Leia mais

ESTADO DO AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS GABINETE DO VEREADOR EVERALDO FARIAS

ESTADO DO AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS GABINETE DO VEREADOR EVERALDO FARIAS PROJETO DE LEI 087/2013. DISPÕE sobre medidas de seguranças para os pedestres, em frente às instituições de ensino público e privado de Manaus. Art. 1º. Obriga a implantação de sinalização de advertência,

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV SILVA, D. Pollyane¹ MORO, M. Silvana ² SOUSA, G. Cristiane³ Resumo Este trabalho tem o intuito de descrever a Prática Profissional

Leia mais

Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba

Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba Estratrégia líderes comunitários: reuniões nas 9 Regionais: Ø seduzir e convencer os líderes comunitários

Leia mais

PRIMEIRA SEMANA MUNDIAL DAS NAÇÕES UNIDAS DE SEGURANÇA VIÁRIA 23 a 29 de abril de 2007. Mensagens chave

PRIMEIRA SEMANA MUNDIAL DAS NAÇÕES UNIDAS DE SEGURANÇA VIÁRIA 23 a 29 de abril de 2007. Mensagens chave PRIMEIRA SEMANA MUNDIAL DAS NAÇÕES UNIDAS DE SEGURANÇA VIÁRIA 23 a 29 de abril de 2007 (Documento da OMS traduzido e adaptado pela Coordenação de Doenças e Agravos Não Transmissíveis/Departamento de Análise

Leia mais