O IMPACTO DO SETOR DE MOTO-TAXI NA CIDADE DE POÇOS DE CALDAS - MG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O IMPACTO DO SETOR DE MOTO-TAXI NA CIDADE DE POÇOS DE CALDAS - MG"

Transcrição

1 O IMPACTO DO SETOR DE MOTO-TAXI NA CIDADE DE POÇOS DE CALDAS - MG Por: Adriana Cavini, aluna de graduação do curso de administração da PUC-Minas em Poços de Caldas Maria José Scassiotti de Souza, docente e pesquisadora do curso de Administração da PUC-Minas em Poços de Caldas Gestão e Conhecimento, v. 3, n. 1, julho/novembro 2006

2 RESUMO O serviço de moto-taxi, prestado em quase todas as cidades brasileiras, é um gerador de empregos, ao mesmo tempo em que é um fator de preocupações, tanto com a segurança de seus usuários como com os aspectos legais da atividade. Neste trabalho procura-se fazer uma análise desse segmento de mercado, bem como de sua atuação econômica, relacionando os diversos aspectos envolvidos, desde a geração de emprego e renda, as características dos participantes desse mercado de trabalho, a discussão política envolvendo a atividade, os aspectos econômicos e tributários, enfim, uma visão que se propõe ampla e que busca a realização de um trabalho pioneiro neste setor. Palavras Chaves Mercado de trabalho, política, tributação. Gestão e Conhecimento 1

3 INTRODUÇÃO: A velocidade com que as mudanças ocorreram no final do século XX exigiu a busca de alternativas que atendessem as novas necessidades dos indivíduos nos seus deslocamentos, à medida que as distâncias aumentavam e o tempo diminuía. O caos social gerado pela explosão demográfica nos grandes centros aliado ao desemprego provocado pela recessão econômica, foram um dos aspectos que fizeram surgir o setor de moto-táxi no país, que até a década de noventa não existia. Este fato explica a polêmica originada em âmbito nacional sobre a regulamentação ou não do setor e a representatividade e notoriedade na cidade de Poços de Caldas, por ser uma alternativa de transporte rápido e barato, sendo um produto substituto da linha de transporte urbana que atualmente está restrito ao transporte coletivo e taxistas. O objetivo deste trabalho é analisar uma amostra do setor de moto-táxi e seus aspectos políticos, sociais e econômicos na cidade de Poços de Caldas. Em dezembro de 2000, na gestão do Prefeito Geraldo Thadeu Pedreira dos Santos, foi aprovada a Lei nº (Poços de Caldas, 2000), que dispõe sobre a implantação e regulamentação no âmbito municipal, dos serviços de moto-entrega. Apesar de aprovada a lei, a regulamentação prevista em seu artigo 14 ainda não foi devidamente concretizada pelo Executivo Municipal. O surgimento do segmento de moto-táxi ocorreu em meados da década de noventa, em decorrência da crise econômica e do crescimento desordenado dos centros urbanos e do caos no trânsito gerado por grandes congestionamentos, o que acabou incentivando o aumento no uso de motocicletas por parte da população. Outro fator que contribuiu para o surgimento deste serviço foi o desemprego crescente e a queda da renda familiar. No início, o uso deste tipo de serviço era restrito a pessoas conhecidas, posteriormente a idéia difundiu-se, principalmente com o barateamento das linhas telefônicas e o advento do aparelho celular, surgindo assim as agências prestadoras destes serviços, onde o cliente efetua a solicitação e é prontamente atendido de acordo com suas necessidades. Este segmento se fortaleceu devido ao enfraquecimento da economia incapaz de gerar emprego e renda. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), entre 1999 e 2002 a renda média do brasileiro caiu cerca de 14% (quatorze por cen- Gestão e Conhecimento 2

4 to). Antes da crise, os gastos com transporte, segundo estudo realizado pelo IPEA (Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas) representava em torno de 8% (oito por cento) nas famílias mais pobres e era a principal despesa entre os serviços públicos. Com a crise econômica a renda familiar caiu e o preço dos transportes subiu cerca de 25% (vinte e cinco por cento) conforme constatou a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU). Este foi um fator relevante na diminuição do número de usuários dos transportes públicos no país e na crescente demanda pelos serviços de moto-táxi, que veio suprir a necessidade das classes menos favorecidas. Um número cada vez maior de pessoas que se encontram sem oportunidade de ingressar no mercado de trabalho formal acaba ingressando em trabalhos que oficialmente não existem. O governo cada vez mais se preocupa com esta classe trabalhadora, que não paga impostos e afetam diretamente o sistema tributário brasileiro. Esta economia clandestina, também chamada de parte não contada do sistema de troca, contribuiu para o crescimento da economia informal. Dados levantados pelo IBGE (2003) revelam que o setor informal corresponde a uma média de 40% (quarenta por cento) das ocupações em cidades de pequeno e médio porte. A redução da economia formal provocou a concorrência com serviços mais baratos oferecidos por profissionais não regulamentados, que não pagam tributos nem se submetem à legislação vigente. O transporte por moto-táxi responde atualmente por 32% (trinta e dois por cento) dos transportes informais, segundo levantamento do NTU (2001) (Graf. 01). Gráfico 1: Índice de transporte ilegal nas principais cidades brasileiras Fonte: NTU 2001 Gestão e Conhecimento 3

5 ANÁLISE DO SETOR: Um entrave enfrentado por este setor no município de Poços de Caldas é o fato de grande parte dos moto-boys atuarem também na condição de motos-taxistas, atividade irregular e clandestina, sendo vedada tanto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) quanto pelo Código Brasileiro de Trânsito, que no artigo 231, inciso VII, diz que não se pode transitar "efetuando transporte remunerado de pessoas ou bens, quando não for licenciado para esse fim, salvo casos de força maior ou com permissão da autoridade competente", o que pode ocasionar infração média (quatro pontos), multa de cerca de R$ 80,00 (oitenta reais) e até retenção do veículo. Uma outra barreira que os motos-taxistas enfrentam é a questão de estacionamento principalmente na região central de Poços de Caldas. As motocicletas são estacionadas de qualquer forma nas ruas, colocadas entre automóveis, dificultando manobras e prejudicando o fluxo do trânsito. Usuários da Zona Azul se queixam por quase não haver vagas para estacionar, já que as motos, que estão isentas do pagamento dessa taxa, ocupam o espaço que daria para estacionar o veículo. Porém esta situação foi parcialmente sanada pela implantação recente dos bolsões de estacionamento de motos, prevista na Lei nº de Julho de 2000 (Poços de Caldas, 2000), que reserva as esquinas do centro da cidade para estacionamento exclusivo de motocicletas. A proibição da atividade poderia causar danos à economia local, pois o serviço estimula o comércio de motocicletas e equipamentos nas concessionárias e oficinas da região. A administração local deve assumir um papel catalisador de forças sociais para apoiar o serviço de moto-táxi como muitos prefeitos já estão fazendo. Como não há qualquer tipo de fiscalização sobre a atividade na cidade, o número de agências e, consequentemente, a quantidade de motoqueiros cresce vertiginosamente, uma vez que muitos jovens e pais de família encontram nessa atividade a única forma de sustento. Isso, contudo, começa a gerar dificuldades para os próprios motos-taxistas, já que o aumento da concorrência entre eles é um fator a mais para complicar quem trabalha nesta profissão. Em entrevista realizada com a Presidente do Sindicato dos Motos-Taxistas de Poços de Caldas, Sra. Adriana Moraes, o sindicato foi fundado em 2.000, com aproximadamente cem motos-taxistas filiados, que trabalhavam em sete agências: Bad Boy, Gestão e Conhecimento 4

6 Precisão, Rapidinho, Rapi-10, Vermelhinho, Expresso Duas Rodas e Ligeirinho. Hoje existem cerca de 17 agências na cidade, com aproximadamente quatrocentos motostaxistas e ninguém está filiado ao Sindicato, que hoje só existe no papel. A Sra. Adriana informou que o setor continua sem a devida regulamentação na cidade, apesar de existir uma Lei aprovada pela Câmara Municipal no ano de 2000, que regulamenta o setor de moto-entrega, mas o transporte de passageiros encontra-se atualmente em estudos para aprovação pelo Legislativo Municipal. A falta de regulamentação do setor faz com que não exista recolhimento de nenhuma espécie de tributo, e o Sindicato luta pela aprovação do projeto de lei que colocaria este segmento inserido na economia formal da cidade. As informações geradas com os dados obtidos na pesquisa de campo realizada entre os dias 21 de Abril de 2006 a 01 Maio de 2006 com 140 motos-taxistas, propiciaram a elaboração do perfil dos trabalhadores do setor de moto-táxi na cidade de Poços de Caldas, Minas Gerais. Diante da atual situação da categoria frente ao poder público, que reivindica a regulamentação destes profissionais, a pesquisa provocou receio e/ou desconfiança de muitos, podendo comprometer os resultados, fato este evidenciado que dos 140 questionários aplicados, somente 75 foram concluídos. Dentre o público abordado, foi identificado que a categoria de motos-taxista, em sua maioria é composta por indivíduos entre 18 e 35 anos, sendo 44% na faixa de 18 a 25 anos e 41% entre 26 e 35 anos, perfazendo um total de 85%, sendo que dentre os primeiros, possuem pouca ou nenhuma experiência profissional. Durante a coleta de dados nenhum moto-taxista do sexo feminino foi identificado, fato este que contradiz com a realidade local e nacional, visto que já é notória a presença de mulheres neste segmento. (Graf. 01). FAIXA ETÁRIA 12% 3% 45% 40% 18 à à à 45 >46 Faixa etária Gestão e Conhecimento 5

7 Apesar de apresentarem nível de escolaridade compatível com os patamares do país, dado que 40% possuem ensino médio completo, 22% ensino médio incompleto e 22% ensino fundamental completo, nenhum dos respondentes possuem ou cursam ensino superior e apontam que a escassez de oportunidades formais de emprego e qualificação profissional que atendam as exigências do mercado, ajuda a compor a dramática estatística nacional do IBGE que aponta 01 desempregado para cada grupo de 04 jovens, visto que os trabalhadores deste setor não estão ainda regularizados. (Graf. 02). ESCOLARIDADE 0% 0% 17% 39% 20% 24% 1º inc. 1º comp. 2º inc. 2º comp. sup. Inc. sup.comp. Escolaridade A expectativa de atuarem nesta atividade, a princípio por um curto período, acaba não se concretizando, pois a falta de planejamento familiar, comum entre as classes de menor poder aquisitivo pode ser identificada ao detectar que dentre estes indivíduos 45% são casados (Gráf. 03), 29% possuem 01 filho, 13% 02 filhos e 13% 03 ou mais filhos. Vale ressaltar ainda, que dentre o público entre 18 e 25 anos solteiros, 18% afirmam possuir 01 filho, podendo estar associado ao fato de que 43% afirmem estar neste setor há 03 anos ou mais. (Gráf. 04). Extrapolando estes dados para o universo aproximado de motoqueiros em Poços de Caldas, que gira em torno de 400 (quatrocentos) motoqueiros, teremos aproximadamente 450 crianças dependentes da renda gerada pelo setor de moto-táxi na cidade. Gestão e Conhecimento 6

8 QUANTIDADE DE FILHOS 17% 13% 43% 27% ou mais Quantidade de filhos ESTADO CIVIL 5% 47% 48% Solteiro Casado Divorciado Estado civil Grande parte dos entrevistados estão há mais de três anos trabalhando como moto-taxistas, pois apesar da ilegalidade existe estabilidade para estes profissionais (Graf. 05). O desemprego apontado por 83% dos entrevistados como causa da opção de se trabalhar no setor e apenas 7% devido a melhor remuneração gera dúvidas (Graf. 06), visto que se levada em consideração a remuneração média mensal da cidade, atualmente estipulada em R$ 400,00 e a média elaborada com base nos dados obtidos na pesquisa, que supera R$700,00, pode ser um atrativo para o crescente número de trabalhadores neste setor, além da flexibilidade de horários e o não pagamento de tributos devido a falta de regularização do setor. Mesmo que 52% dos trabalhadores do setor apontem a legalização da categoria como principal reivindicação (Graf. 07), muitos a vêem com receio, visto que caso o fato se concretize, aproximadamente 40% dos trabalhadores seriam impedidos de atuar no setor, dado o número de vagas que seriam disponibilizadas segundo anteprojeto de lei atualmente em discussão na Câmara Municipal, que contemplaria um moto-taxista e um moto-entregador a cada mil habitantes, perfazendo um total de 360 vagas. Gestão e Conhecimento 7

9 PERÍODO NA FUNÇÃO 45% 27% 28% até 1 ano 1 à 3 anos > 3 anos POR QUÊ OPTOU PELA PROFISSÃO? 5% 4% 4% 3% 84% Desemprego Melhor Remuneração Complemento de Renda Flexibilidade Profissão A OPINIÃO A RESPEITO DO QUE FALTA AO SETOR 7% 5% 36% 52% Legalização Respeito e Segurança Normas Comuns Não Opinou Obs: Legalização é o motivo mais citado, mas também é muito forte o desejo de serem respeitados e terem mais segurança. Gestão e Conhecimento 8

10 Após entrevistas realizadas com os vereadores Marcus Togni e Renato Mantovani, com os proprietários de três agências de moto-táxi da cidade e com a Presidente do Sindicato dos Moto-Taxista, Adriana Moraes, foi informado que este número está sendo negociado para 1,5 moto-taxista e 1,5 moto-entregador por mil habitantes, o que elevaria as vagas para 540. O Sr. Renato Mantovani, vereador da Câmara Municipal de Poços de Caldas informou que o projeto de lei de autoria do vereador Marcus Togni, que dispõe sobre a regulamentação do serviço de transporte de passageiros por moto-táxi, encontra-se em discussão nas comissões pertinentes, devendo ser votado dentro de aproximadamente quarenta dias. No dia 24 de abril de 2006, o presidente da Câmara, vereador Marcus Togni, esteve reunido com proprietários de agências e com os motos-taxistas para apresentar e discutir o projeto de lei de sua autoria. Segundo ele, hoje são cerca de 500 a 600 pessoas trabalhando neste setor, e o Legislativo não pode ignorar este fato, pois eles geram uma economia substancial. (sic?) Durante a pesquisa ficou evidenciado o desejo da maioria dos entrevistados quanto à legalização e regulamentação do setor, fato este apontado pelos trabalhadores do setor como saída da clandestinidade, respeito da sociedade e das autoridades para com estes profissionais, além de poderem usufruir de linhas de financiamento diferenciadas para compra dos veículos, como as ofertadas aos taxistas e outros. Segundo uma entrevista com um representante do setor de taxistas, o serviço de moto-táxi não afetou muito os taxistas, pois o público-alvo desse setor é a terceira idade, pessoas munidas de bagagem e turista que procuram comodidade e segurança. Os usuários de moto-táxi são jovens e pessoas que buscam um transporte rápido e de baixo custo. Foram entrevistados três proprietários de agências de moto-táxi com o intuito de levantar dados relevantes à pesquisa. O primeiro entrevistado foi o proprietário da Empresa A. Sua empresa teve a fundação no ano de 1997, seu proprietário alega que o motivo que o levou a investir no setor foi falta de opção, o investimento inicial da empresa foi de R$5.000,00 (cinco mil reais). Como dificuldades encontradas o proprietário relatou que a resistência por parte das empresas de transporte coletivo e autoridades em aceitar o serviço foi muito grande. Gestão e Conhecimento 9

11 Quando perguntado como o setor receberia a regulamentação ele nos respondeu que bem, já que a regulamentação traria respeito para a classe. A empresa A, trabalha igualmente com transportes de pessoas e com entregas, não existindo um serviço que se destaque mais que o outro, já que ambos têm o mesmo valor. O estabelecimento não sofre nenhum tipo de tributação já que não é legalizado, o alvará de licença é expedido a ele como moto-entrega. A empresa iniciou suas atividades com 10 motos e hoje conta com 30 motos. Os motos-taxistas pagam à agência uma taxa diária de R$5,00 (cinco reais). Ao longo desses anos 11(onze) motoqueiros sofreram acidentes e 01 (hum) desses foi fatal. Mesmo com estes índices a empresa não oferece seguro nem benefícios aos motoqueiros. O proprietário estima um lucro anual de R$12.000,00 (doze mil reais). Quando perguntado a respeito da lei municipal nº , que dispõe sobre a regulamentação do setor, ele foi preciso em afirmar que seria muito bom se esta regulamentação acontecesse, pois poderão trabalhar de forma mais honesta e sem incômodos. O proprietário está satisfeito com o sindicato que o representa e afirma que é muito bom ter alguém para lutar com eles. Como sugestões para o setor ele propõe que sejam oferecidos cursos e treinamentos aos motoqueiros. O segundo entrevistado foi o proprietário da Empresa B, que teve o início de suas atividades também em 1997, o proprietário trabalhava como motoqueiro e resolveu abrir seu próprio negócio, seu investimento inicial foi de R$1.500,00 (um mil e quinhentos reais), suas principais dificuldades foram encontrar mão de obra e a concorrência com outras agências. Quando perguntado sobre o impacto que a regulamentação causaria, ele afirma que ela traria maior credibilidade aos trabalhadores e acredita ser necessário sua implantação o quanto antes. Como no caso da empresa A, a empresa B não distingue os serviços de transporte de passageiros de entregas, ambos tem o mesmo peso. O alvará de licença é expedido também como moto-entrega e não existe tributação. Na data de fundação a empresa B contava com 05 motos, hoje o número é de 25 motos. Os motoqueiros pagam à agencia uma taxa diária de R$6,00 (seis reais), já aconteceram cinco acidentes nesta agência desde sua abertura, 01 (hum) deles teve vítima fatal e assim como na empresa A não existe nenhum tipo de seguro aos trabalhadores. Não nos foi fornecido pela empresa B estimativa de lucro. Sobre o sindicato ele afirma que falta colabora- Gestão e Conhecimento 10

12 ção à presidente, como sugestões para o setor ele ressaltou regras e normas comuns a todas as agências. O terceiro e último entrevistado, é o proprietário da empresa C, fundada em 2002, não foi divulgado investimento inicial e seu proprietário afirma ter investido no setor por falta de perspectiva de investimento em outras atividades, suas maior dificuldade foi encontrar profissionais capacitados. Quando questionado sobre os impactos que uma regulamentação traria ele foi preciso em afirmar que só vê impactos positivos de melhoria nos serviços. O enfoque da empresa C, ao contrário das anteriores, é no transporte de passageiros. A empresa também a exemplo das anteriores não paga impostos e seu alvará é expedido como moto-entrega. No inicio de suas atividades a empresa contava com uma moto, hoje são vinte motos. A taxa diária é de R$7,00 (sete reais). Nesses quatro anos de funcionamento nenhum acidente ocorreu. O proprietário não informou sua estimativa de lucro anual, como também não opinou sobre a lei de regulamentação do setor. A respeito do sindicato o proprietário afirmou que ele precisa ser reestruturado, como sugestões para o setor ele considera importante cursos de aperfeiçoamento específicos à área de atuação e a legalização. (Graf. 08). SUGESTÕES 17% 3% 44% 36% Legalização Normas/Cursos Não Opinou Qualificação Podemos concluir ao final das três entrevistas que apesar de algumas diferenças peculiares a cada empresa, todas caminham com pensamentos parecidos a respeito do que é necessário para uma estruturação do setor, como a própria legalização, cursos de especialização, entre outros. O setor de moto-táxi representa uma concorrência ao transporte urbano formal da cidade. Por isso foi feita uma entrevista informal com o Sr. Braga, gerente da Circul- Gestão e Conhecimento 11

13 lare, concessionária do transporte coletivo da cidade de Poços de Caldas. Embasado no posicionamento do Secretário Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana, Sr. José Carlos Xavier, do Ministério das Cidades, o Sr. Braga informou que o setor de transporte público regulamentado garante a regularidade, a confiabilidade e a segurança necessárias ao deslocamento das pessoas, mesmo em horários e em áreas de baixa demanda, classificado que é como serviço de caráter essencial. A proliferação do transporte informal, dentre eles o moto-táxi, aumenta os custos do transporte coletivo por reduzir o número de passageiros dos sistemas convencionais, o que implica em aumento na tarifa final paga pelos usuários. Outro fator citado pelo Sr. Braga, é a ausência de responsabilidade social do serviço clandestino, pois está livre de encargos, tributos e regulamentação, não contribuindo com a arrecadação de impostos, não oferecendo nenhum tipo de assistência ao empregado, que não possui nenhum direito social ou trabalhista, não seguindo nenhum tipo de lei nem fiscalização de nenhum órgão público, abalando consideravelmente o equilíbrio econômico-financeiro dos setores formais, além da falta de atendimento a idosos e a categorias específicas especiais com direito a gratuidades que o transporte coletivo formal é obrigado a atender. No aspecto relativo à segurança, o serviço de moto-táxi coloca em risco o condutor e o passageiro, pois o tipo de veículo é inadequado para uso constante em transporte de pessoas. Por este motivo, os motostáxis atuam basicamente nas cidades de pequeno e médio porte, não sendo utilizado em grandes centros urbanos, onde existe somente a moto-entrega. Questionado sobre os danos ocasionados pela proliferação dos motos-taxistas na cidade sobre o transporte coletivo, o Sr. Braga nos informou que o impacto foi muito grande. Segundo dados da empresa, o IPK, Índice de Passageiros por Kilômetro, teve uma redução de 20% (vinte por cento) desde 2000, o que é muito representativo. (Graf. 09). Graf. 09: Índice de Passageiros por Kilômetro (IPK). Fonte NTU (2001) Gestão e Conhecimento 12

14 Diante destes fatos, a empresa Circullare é contra a regulamentação do setor de moto-táxi, tendo inclusive entrado com notificação extrajudicial e em seguida com notificação judicial à Prefeitura Municipal de Poços de Caldas, para as devidas providências, pois os danos causados ao sistema são enormes, pois as motos realizam viagens mais curtas, porta a porta, retirando grande quantidade de passageiros do sistema regular. Para combater este tipo de concorrência desleal e procurar manter a competitividade, a empresa lançou o Circullinho, que são ônibus menores, com linhas mais curtas e a um preço mais acessível, que conta com a presença somente do motorista, inexistindo o cobrador de passagens. A empresa Circullare também apóia a implantação da Tarifa Cidadã. As gratuidades e os passes escolares representam 19% no custo da tarifa e os tributos representam 29% na composição destes custos. Na opinião do Sr. Braga, estas gratuidades deveriam ser assumidas pela seguridade social do governo federal, que teria recursos destinados a este fim e a carga tributária deveria ser reduzida de uma maneira justa, tendo em vista que o transporte público é tão essencial quanto a cesta básica, a saúde e a educação. ASPECTOS POLÍTICOS: Em pesquisa documental realizada no site da Câmara Municipal de Poços de Caldas foi levantado alguns aspectos políticos referentes ao setor de moto-táxi na cidade. Em agosto de 2002, a vereadora Raulina Adissi, encaminhou ao Prefeito Municipal de Poços de Caldas a Indicação nº. 601/2002, um estudo para a regulamentação da atividade de moto-táxi pelas empresas já instaladas na cidade. A vereadora diz no documento que: é público e notório que as empresas de moto-táxi prestam serviços ainda não regulamentados por lei; ou seja, atuam em verdadeira clandestinidade e ocasionando transtornos aos pedestres nas calçadas e também ao trânsito, uma vez que as grandes quantidades de motocicletas estacionadas ao longo das ruas centrais, ocupam várias vagas de estacionamento". Gestão e Conhecimento 13

15 A respeito do estudo proposto pela vereadora Raulina Adissi, o vereador Mauro Tramonte disse, em 20 de setembro de 2002, que: com a legalização, pode-se exigir seguro total para os pilotos e os passageiros, toucas descartáveis para os usuários quando da utilização do capacete; recolhimento de impostos em favor do município, limitação do número de motos, exigência de vistorias permanentes, motos com o ano de fabricação limitado, uniforme de identificação da firma, capacete com viseiras de cor clara para fácil identificação; motos com números de identificação grandes e visíveis para a ideal identificação para o caso de penalidades. Em 26 de setembro de 2002, através do Requerimento nº. 251/2002, o vereador Mauro Tramonte solicitou a realização de uma Audiência Pública sobre o serviço de "moto-táxi". Em outubro de 2002 ocorreu a primeira audiência pública com a presença do Delegado Regional de Segurança Pública, Dr. Lacy de Souza Moreira; Delegado de Trânsito, Dr. Carlos Camargo, diretor do DEMUTRAN, Sr. Rúbens Alves e a presidente do Sindicato dos Motos-taxistas, Sra. Adriana Moraes. Na época, o Delegado de Trânsito, Dr. Carlos Camargo, disse que...a Constituição Federal autoriza o transporte coletivo e individual de passageiros que, segundo ele, é o primeiro respaldo constitucional para a implantação do serviço. Explicou tratar-se de uma concessão do Poder Executivo estadual e municipal. No entanto, o estado e o município, não têm condições de transportar toda a população. Por meio de concessões, o Poder Executivo outorga ao particular, a uma empresa ou a um indivíduo o direito de realizar o serviço de transporte de massa ou individual, sabendose que esses serviços só podem ser colocados em prática, devidamente regulamentados. Atualmente o vereador Marcus Togni elaborou um anteprojeto, que encaminhou ao Executivo e, agora, espera o novo projeto voltar à Câmara para votação. O vereador salientou ainda que desde 1996 tenta regulamentar e melhorar o serviço de moto-táxi e moto-entrega. Estamos atrasados 10 anos. A lei já poderia estar vigorando, o pessoal já poderia estar trabalhando regulamentado. Se tudo isso tivesse acontecido, os motos-taxistas estariam gerando renda para o município e trabalhando legalmente no serviço que escolheram. Gestão e Conhecimento 14

16 No dia 24 de abril de 2006, ele esteve reunido com donos de agências e com motos-taxistas da cidade para explicar como funcionará o trabalho das motos se porventura for aprovado o projeto de Lei que regulamenta o serviço. Em nova reunião no último dia 28 de abril, o vereador Marcus Togni afirmou que o projeto de lei visa melhorar a imagem da categoria no município. A presidente do Sindicato, Sra. Adriana Moraes, disse que algumas mudanças têm que ser feitas no anteprojeto. Na última reunião com o vereador Marcus Togni, nós combinamos que iríamos nos encontrar novamente depois que tivéssemos analisado o que foi proposto. Estudamos o caso e agora estamos aqui para pedir um prazo ao Presidente, pois queremos sugerir algumas modificações no anteprojeto. Achamos importante que as alterações sejam feitas de acordo com a realidade do serviço de moto-táxi. ASPECTOS SOCIAIS: Os serviços de moto-táxi são rápidos, modernos e ágeis. Mas também são muito perigosos. O crescente número de moto-taxistas na cidade preocupa cada vez mais os órgãos responsáveis. Este setor apresenta um nível crescente de desenvolvimento em todas as cidades do país, pois necessita de um investimento inicial baixo e fácil contato com clientes. Ainda são poucas as cidades do país que tem o serviço de moto-táxi regulamentado. Um dos maiores argumentos contra a regulamentação é a imprudência dos pilotos. Para a segurança dos passageiros que utilizam o serviço de moto-táxi, é imprescindível muita atenção do motorista, além do uso de capacetes e toucas descartáveis. Além dos riscos inerentes à atividade de moto-taxista por serem veículos de transporte bastante inseguros, ainda há os perigos provocados pela falta de higiene na utilização dos capacetes. Todas as motocicletas são obrigadas a pagar uma taxa anual de seguro, o DPVAT, para cobrir os gastos com indenizações em acidentes de trânsito. Pesquisa realizada pelo IPEA nas principais capitais brasileiras indica que, de cada 100 acidentes com motos, 71 geram vítimas, quando para os automóveis essa proporção é de 07 vítimas a cada 100 acidentes. Segundo estudos apresentados no VI Congresso Brasileiro e IV Congresso Latino-Americano sobre Acidentes e Medicina de Tráfego pelo Dr. Dirceu Rodrigues Alves Jr., o índice de morbidade com motos é de 69%. No ano de 2004, 34% dos motoqueiros Gestão e Conhecimento 15

17 mortos no trânsito tinham entre 21 e 25 anos. 73% dos acidentes com motos comprometem os membros inferiores. Estes dados revelam o grave problema social gerado para o país com o custo de resgate, tratamento, internação, cirurgia, e também afastamento e aposentadoria para o INSS. A instituição de cursos específicos de direção defensiva para motos-taxista pode ser o começo do trabalho de conscientização da segurança para legalização do setor. Em muitas cidades que já estão com o serviço regulamentado, o moto-taxista deve participar de cursos e apresentar uma série de documentos, inclusive de antecedentes criminais. Com a evolução deste setor, já se cogita numa habilitação diferenciada com uma categoria específica, como existe para transporte em Kombi/vans, táxis e ônibus. É imprescindível o envolvimento de todos os segmentos, do governo, dos sindicatos, das indústrias fabricantes de motocicletas, para a busca de soluções que reduzam o problema social ocasionado pela morte ou pela incapacidade definitiva destes jovens motoqueiros. ASPECTOS ECONÔMICOS: O serviço de moto-táxi faz parte do ciclo da cadeia produtiva de uma cidade, a- inda mais Poços de Caldas que se trata de uma cidade turística. Sendo uma região geradora de turistas, o serviço de moto-táxi atua indiretamente na cadeia produtiva do turismo. A unidade de transporte dos motociclistas faz um elo entre a rede hoteleira e qualquer estabelecimento do comércio de Poços de Caldas do qual o hotel necessite de serviços, principalmente produtos de alimentação ou alguma urgência na falta de algum produto. O serviço de moto-táxi é rápido e tem custo reduzido, o que gera vantagem na hora de utilizar o serviço. A regulamentação do setor fortaleceria o sindicato da categoria da cidade, que atualmente está inoperante, com a obrigatoriedade dos motos-taxistas pagarem a Contribuição Sindical. O setor de moto-táxi como citado em diversas partes deste trabalho ainda não é regulamentado, o que impede informar dados de tributação já que não existe nenhuma base de cálculo. Com uma possível regularização as agências de moto-táxi seriam obrigadas a recolher os seguintes impostos: ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Gestão e Conhecimento 16

18 Natureza); IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica), que poderia ser o SIMPLES; Encargos Trabalhistas: no caso dos motoqueiros trabalharem como contratados, FGTS, PIS, INSS e COFINS. Conforme consulta ao plantão fiscal da Receita Federal em Poços de Caldas, em tese o serviço de transporte de pessoas é tributada como pessoa física. Conforme fl. 19 do Manual de Imposto de Renda da Pessoa Física, é tributável 60% (sessenta por cento) no mínimo, do rendimento de trabalho individual no transporte de passageiros quando o veículo for de propriedade do contribuinte ou locado e conduzido exclusivamente por ele. Portanto o contribuinte tem como base tributária 60% dos seus rendimentos, dos quais seria abatido suas despesas e após isso verificado a faixa de retenção de seu imposto de renda. A falta de regulamentação do setor de moto-táxi onera a economia do município, pois os trabalhadores deste segmento não recolhem nenhum tipo de tributo. Se aprovada a lei que regulamenta o setor, os motos-taxistas se enquadrariam como autônomos no Código Tributário Municipal, Atividade nº Baseado em uma simulação podemos ter uma idéia de quanto o município deixa de recolher pela falta de regulamentação do setor. Se levarmos em consideração que a categoria de moto-taxista seja considerada como autônomo, o pagamento do ISSQN Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza, que seria recolhido pelos aproximadamente 500 (quinhentos) motos-taxistas existentes, tendo como base levantada uma renda média mensal de R$ 700,00 (setecentos reais), numa alíquota de 5% (cinco por cento) (em Poços de Caldas a alíquota do ISSQN varia de 2% a 5%), teríamos um expressivo valor de R$ ,00 (Dezessete mil e quinhentos reais) acrescidos à receita municipal mensalmente. Todas as agências de moto-táxi faturam juntas uma média de R$ ,00 (Noventa mil reais) por mês, considerando a taxa diária média de R$ 6,00 (seis reais) cobrada de cada moto-taxista. O recolhimento do ISSQN destas empresas seria numa média de R$ 4.500,00 (Quatro mil e quinhentos reais) por mês. Estes valores representam uma simulação, devido ao fato do anteprojeto que regulamenta o setor ainda estar em estudo pelas respectivas comissões da Câmara Municipal, o que impossibilita a veiculação de informações pertinentes ao projeto de lei e, portanto, não podermos consultar nenhuma fonte legal a respeito da tributação que o setor passaria a contribuir. Gestão e Conhecimento 17

19 CONCLUSÃO: A união de todos os setores envolvidos e dos profissionais da área é muito importante. Só assim pode-se mostrar à população que os motos-taxistas merecem o respeito de todos. A cordialidade, a educação, a circulação correta no trânsito e o respeito aos cidadãos é fundamental para que a categoria seja bem vista pela população. O serviço de moto-táxi trouxe para o passageiro rapidez, bom preço e atendimento personalizado e para os motos-taxistas representou uma chance de emprego e renda. O serviço possui uma desvantagem em relação às outras modalidades de transporte, pois não atende a demanda de portadores de necessidades especiais, crianças e gestantes, nem oferecem descontos a estudantes e idosos. A concorrência do moto-táxi fez com que o preço cobrado pelos taxistas diminuísse, o que ofereceu uma vantagem à população. Os taxistas reclamam da situação, mas admitem que há espaço para todo mundo no mercado. Para os motos-taxistas vencerem o desafio de conquistar novos clientes depende, antes de tudo, de afastar a idéia freqüente de que existe uma associação entre a profissão e o crime - principalmente o tráfico de drogas -, além de terem de enfrentar a concorrência dos próprios colegas, manterem o instrumento de trabalho em boas condições e mostrarem eficiência e segurança. Estimular a organização dos motos-taxistas no sindicato representativo da classe pode ser um meio de diminuir a informalidade e aumentar a segurança. Mesmo quando não há mais como abolir a oferta desse serviço, ainda é possível adotar medidas para preservarem passageiros e motoristas. Com a votação do anteprojeto que tramita na Câmara Municipal, o sindicato dos motos-taxistas já está se fortalecendo, pois o mesmo é um vínculo na negociação entre os trabalhadores e o Legislativo e o Executivo Municipal. O setor de moto-táxi é uma realidade na cidade de Poços de Caldas há 10 anos. Criar uma legislação específica que fiscalize e monitore essa atividade diminuiria o impacto da clandestinidade do serviço de moto-táxi, pois o mesmo participa das ligações empresariais de forma indireta por isso, se este serviço for realmente proibido, além de tirar empregos de muitos pais de família, afetará significativamente a economia do local. Gestão e Conhecimento 18

20 As pesquisas foram de extrema importância para entender como surgiu o serviço de moto-táxi. O setor foi praticamente introduzido como uma alternativa e pressão da nova forma de vida gerada pelo crescimento demográfico acelerado e a expansão das periferias. Se a sociedade continuar crescendo dessa maneira desorganizada resultará no aumento cada vez mais impactante de serviços clandestinos, como a única opção aos excluídos. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: Alves Jr., Dirceu Rodrigues. Acidentes graves e fatais com motocicletas. Revista da ABRAMET - Associação Brasileira de Medicina de Tráfego. Ed. nº 46, ago-set 2005, pg. 57. Aquino, Mariana de. Meu negócio é minha moto. Disponível em <http://www.geranegocio.com.br/html/geral/vernoticiadiv.asp?area=20&id_noticia=34> De 31 out Acesso em 29 mar Brasil. Código de Trânsito Brasileiro. Lei nº , de 23 de setembro de Disponível em <http://www.presidencia.gov.br/ccivil_03/leis/l9503.htm>. Acesso em 17 abr Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil de Em 05 out Disponível em <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%e7ao.htm>. Acesso em 10 abr CNT contesta leis estaduais sobre o serviço de mototáxi. 17 fev Disponível em Acesso em 31 mar Detran - Rio Grande do Sul. Portaria nº. 122/2001, de 23 de agosto de Disponível em <http://www.detran.rs.gov.br/leg-estadual/portaria122.htm >. Acesso em 15 abr Gestão e Conhecimento 19

LEI MUNICIPAL Nº 4.688, DE 07 DE DEZEMBRO DE 2012.

LEI MUNICIPAL Nº 4.688, DE 07 DE DEZEMBRO DE 2012. -Disciplina o exercício das atividades dos profissionais de moto-táxi, dispondo sobre regras de segurança na prestação de serviços de transporte remunerado em motocicletas, no município de Tatuí e dá outras

Leia mais

LEI Nº 124/95. A CÂMARA MUNICIPAL DE PINHAIS, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 124/95. A CÂMARA MUNICIPAL DE PINHAIS, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: Alterado pela Lei 495/01, 656/04 e 782/07. LEI Nº 124/95 Dispõe sobre o serviço de transporte de passageiros em veiculos automóveis de aluguel - táxi, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE PINHAIS,

Leia mais

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE RIO CLARO AUTOR(ES):

Leia mais

Gabinete do Prefeito Lei nº 120/2009 de 27 de fevereiro de 2009.

Gabinete do Prefeito Lei nº 120/2009 de 27 de fevereiro de 2009. Lei nº 120/2009 de 27 de fevereiro de 2009. Dispõe sobre a utilização de motocicletas no transporte de passageiros no município de Nortelândia, e dá outras providencias. Faço saber que a Câmara Municipal,

Leia mais

DECRETO Nº 254 DE 16 DE MARÇO DE 2015

DECRETO Nº 254 DE 16 DE MARÇO DE 2015 DECRETO Nº 254 DE 16 DE MARÇO DE 2015 Institui e regulamenta o Sistema de Estacionamento Rotativo Pago, nas vias e logradouros públicos do Município de Rio Branco e dá outras providências. O PREFEITO DO

Leia mais

L E I n º 5 3 9 / 2 0 1 2 d e 0 6 d e j u l h o d e 2 0 1 2.

L E I n º 5 3 9 / 2 0 1 2 d e 0 6 d e j u l h o d e 2 0 1 2. L E I n º 5 3 9 / 2 0 1 2 d e 0 6 d e j u l h o d e 2 0 1 2. Disciplina o serviço de transporte de passageiros em veículos de aluguel (táxi). A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE ITAQUIRAÍ, ESTADO DE MATO GROSSO

Leia mais

Palestrante Engº Antônio Ferreira Silva EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA Julho/2011. www.fortaleza.ce.gov.br

Palestrante Engº Antônio Ferreira Silva EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA Julho/2011. www.fortaleza.ce.gov.br Sistema de Transporte por Mototáxi de Fortaleza Palestrante Engº Antônio Ferreira Silva EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA Julho/2011 Tópicos Serviço de Mototáxi Definição Características Modelo

Leia mais

CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA

CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA PERFIL DAS MULTAS DE TRÂNSITO PROCESSADAS NO MUNICÍPIO DE LIMEIRA JAN-SET / 2015 Núcleo de Gestão de Políticas Públicas, Ciências Sociais,

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA PAIC/UEA RELATÓRIO DE ATIVIDADE MENSAL

PROGRAMA DE APOIO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA PAIC/UEA RELATÓRIO DE ATIVIDADE MENSAL PROGRAMA DE APOIO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA PAIC/UEA Bolsista: Jouber da Costa e Silva Título do Projeto: RELATÓRIO DE ATIVIDADE MENSAL A mobilidade urbana na cidade de Manaus: uma análise dos transportes

Leia mais

UMA COMPARAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE O TRÂNSITO: ANTES E DEPOIS DA IMPLANTAÇÃO DAOPERAÇÃO BALADA SEGURA NO RIO GRANDE DO SUL

UMA COMPARAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE O TRÂNSITO: ANTES E DEPOIS DA IMPLANTAÇÃO DAOPERAÇÃO BALADA SEGURA NO RIO GRANDE DO SUL ISSN 2177-9139 UMA COMPARAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE O TRÂNSITO: ANTES E DEPOIS DA IMPLANTAÇÃO DAOPERAÇÃO BALADA SEGURA NO RIO GRANDE DO SUL Daniellen Thaianne de Oliveira Severo - daniii_severo@hotmail.com

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO Marcos Neves Comissão Central PDI do IFSC PNE EXIGÊNCIA CONSTITUCIONAL O art.

Leia mais

Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO

Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO 100 95 75 25 5 0 Introdução A Artesp tem a finalidade de regulamentar e fiscalizar todas as modalidades de serviços

Leia mais

Estado de Mato Grosso do Sul A Pequena Cativante LEIN 1.195/2001

Estado de Mato Grosso do Sul A Pequena Cativante LEIN 1.195/2001 LEIN 1.195/2001 Institui o Serviço de Transporte Individual de Passageiros em Motocicletas de aluguel (Mototáxi) O Prefeito Municipal de Rio Brilhante, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que a Câmara

Leia mais

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04 Pesquisa de Opinião Pública sobre as Campanhas Educativas para o Trânsito & da I m a g e m I n s t i t u c i o n a l da CET- RIO Relatório de Pesquisa 2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 03 PRINCIPAIS RESULTADOS

Leia mais

SEMINÁRIO POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO

SEMINÁRIO POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO SEMINÁRIO POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO Felipe Espíndola Carmona Brasília 13 de setembro de 2012. RS-2012 Ditado Africanos diz: O homem branco tem relógio mas não tem tempo! Vivemos em um período em

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 506, DE 2 DE DEZEMBRO DE 1999. (D.O.E. 07.12.1999 - N... Ano...)

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 506, DE 2 DE DEZEMBRO DE 1999. (D.O.E. 07.12.1999 - N... Ano...) LEI Nº 506, DE 2 DE DEZEMBRO DE 1999. (D.O.E. 07.12.1999 - N.... Ano...) DISPÕE SOBRE O TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS ATRAVÉS DE TÁXI. O PREFEITO MUNICIPAL DE MANAUS no uso das atribuições que lhe

Leia mais

Redução de tributos e jornada de trabalho para geração de empregos

Redução de tributos e jornada de trabalho para geração de empregos Redução de tributos e jornada de trabalho para geração de empregos Palavras Chaves: Redução de Impostos; Redução de Tributos; Geração de Empregos, Redução de Jornada de Trabalho 1. Introdução A redução

Leia mais

Curso de Gestão da Mobilidade Urbana Ensaio Crítico - Turma 8 Mobilidade urbana e de seu interesse Rogério Soares da Silva (*)

Curso de Gestão da Mobilidade Urbana Ensaio Crítico - Turma 8 Mobilidade urbana e de seu interesse Rogério Soares da Silva (*) Curso de Gestão da Mobilidade Urbana Ensaio Crítico - Turma 8 Mobilidade urbana e de seu interesse Rogério Soares da Silva (*) O crescimento global da população vem atingindo índices cada vez maiores nos

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS ANEXO À RESOLUÇÃO Nº 490, DE 24 DE JANEIRO DE 2008 REGULAMENTO DE CONSELHO DE USUÁRIOS DO STFC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Este Regulamento estabelece as regras básicas para implantação,

Leia mais

Estado do Mato Grosso Prefeitura Municipal de Colniza

Estado do Mato Grosso Prefeitura Municipal de Colniza Lei n.º 091-B/2002. Súmula: REGULAMENTA, DISCIPLINA O TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS EM MOTOCICLETAS DE ALUGUEL MOTO-TÁXI E DETERMINA A LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS, BEM COMO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS Eu,

Leia mais

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador EXPEDITO JÚNIOR I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador EXPEDITO JÚNIOR I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2009 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre o Substitutivo da Câmara dos Deputados ao Projeto de Lei do Senado nº 203, de 2001 (PL. nº 06302, de 2002, na Câmara), que regulamenta

Leia mais

LEI Nº 2465/2013 SÚMULA: II 15.01, no caso da prestação dos serviços de administração de cartão de crédito ou débito e congêneres;

LEI Nº 2465/2013 SÚMULA: II 15.01, no caso da prestação dos serviços de administração de cartão de crédito ou débito e congêneres; LEI Nº 2465/2013 SÚMULA: Estabelece normas de incidência do ISS, relativas às operações efetuadas com cartões de crédito e de débito, e dá outras providências. AUTORIA: Poder Executivo A Câmara Municipal

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA PAIC/UEA RELATÓRIO DE ATIVIDADE MENSAL

PROGRAMA DE APOIO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA PAIC/UEA RELATÓRIO DE ATIVIDADE MENSAL PROGRAMA DE APOIO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA PAIC/UEA Bolsista: Jouber da Costa e Silva Título do Projeto: RELATÓRIO DE ATIVIDADE MENSAL A mobilidade urbana na cidade de Manaus: uma análise dos transportes

Leia mais

C L I P P I N G DATA: 01.04.2016

C L I P P I N G DATA: 01.04.2016 C L I P P I N G DATA: 01.04.2016 DESTAQUE Limites da terceirização por concessionárias de serviços públicos A lei de concessões e permissões de serviços públicos (8.987/95) permite, no artigo 25, 1º, que

Leia mais

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Tabulação dos Resultados da Pesquisa Objetivos: Diagnosticar a situação atual dos municípios

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2007/2008

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2007/2008 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2007/2008 BR 101 Km 205 Barreiros São José SC 1 Data-base - Maio/2007 BR 101 Km 205 Barreiros São José SC 2 Pelo presente instrumento, de um lado a Centrais de Abastecimento

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: ES000068/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/02/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR073742/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46207.000791/2012-02 DATA

Leia mais

Metodologia. MARGEM DE ERRO O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Metodologia. MARGEM DE ERRO O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. Metodologia COLETA Entrevistas domiciliares com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA Município de São Paulo. UNIVERSO moradores de 16 anos ou mais. PERÍODO DE CAMPO de 26 de setembro a 1º de outubro

Leia mais

PROJETO DE LEI 01-00416/2015 do Vereador Ricardo Young (PPS)

PROJETO DE LEI 01-00416/2015 do Vereador Ricardo Young (PPS) Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo PROJETO DE LEI 01-00416/2015 do Vereador Ricardo Young (PPS) "Dispõe sobre a organização e funcionamento do

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, de 2010. (Do Sr. Dr. Marcelo Itagiba)

PROJETO DE LEI Nº, de 2010. (Do Sr. Dr. Marcelo Itagiba) PROJETO DE LEI Nº, de 2010. (Do Sr. Dr. Marcelo Itagiba) Regulamenta a profissão de taxista transformando os motoristas auxiliares de veículos de aluguel a taxímetro em empregados ou em permissionários

Leia mais

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO A OCB/TO é formada por cooperativas singulares, federações e centrais de todos os ramos. Pela Lei 5.764/71, ainda em vigor, todas

Leia mais

Quadro comparativo da Medida Provisória nº 673, de 2015 (Projeto de Lei de Conversão nº 8, de 2015)

Quadro comparativo da Medida Provisória nº 673, de 2015 (Projeto de Lei de Conversão nº 8, de 2015) ( 2015) 1 Art. 24. Compete aos órgãos e entidades executivos de trânsito dos Municípios, no âmbito de sua circunscrição: Altera a Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997 - Código de Trânsito Brasileiro,

Leia mais

PARECER Nº, DE 2009. RELATORA: Senadora ROSALBA CIARLINI

PARECER Nº, DE 2009. RELATORA: Senadora ROSALBA CIARLINI PARECER Nº, DE 2009 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, sobre o Substitutivo da Câmara dos Deputados ao Projeto de Lei do Senado nº 203, de 2001 (PL. nº 06302, de 2002, na Câmara), que regulamenta o exercício

Leia mais

Vencedor Estadual Novos Projetos

Vencedor Estadual Novos Projetos COMO MUDAR A PERSPECTIVA DE SUA CIDADE O desenvolvimento acontece com a força dos Pequenos Negócios Vencedores do 8º Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor (2013-2014) Vencedor Estadual Novos Projetos Município

Leia mais

LEI 4594 de 1964 - Seguros - Regulamentação da Profissão de Corretor

LEI 4594 de 1964 - Seguros - Regulamentação da Profissão de Corretor LEI 4594 de 1964 - Seguros - Regulamentação da Profissão de Corretor LEI Nº 4.594, DE 29 DEZEMBRO DE 1964 (DOU 05.01.1965) Regula a Profissão de Corretor de Seguros. Nota: Ver Resolução SUSEP nº 81, de

Leia mais

VOTO EM SEPARADO DA DEPUTADA ANDRÉIA ZITO

VOTO EM SEPARADO DA DEPUTADA ANDRÉIA ZITO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 6.708, DE 2009. Acrescenta Capítulo III-A ao Título V da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº

Leia mais

Mobilidade Urbana na área urbana de Tefé- AM: um estudo sobre o mototaxi como meio de deslocamento

Mobilidade Urbana na área urbana de Tefé- AM: um estudo sobre o mototaxi como meio de deslocamento Mobilidade Urbana na área urbana de Tefé- AM: um estudo sobre o mototaxi como meio de deslocamento Jouber da Costa e Silva¹ Universidade Federal do Amazonas-Ufam Joubercs@gmail.com ¹ Mestrando em Geografia

Leia mais

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2015 CREMEB

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2015 CREMEB ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2015 CREMEB 1 -DO OBJETO O objeto do Pregão Presencial é a contratação de empresa especializada para prestação de serviços de rádio-táxi

Leia mais

QSM NEWS B O L E T I M I N F O R M A T I V O. São Paulo, 02 de janeiro de 2012 - Ano 8 - nº 01 ANO NOVO, NOVAS MUDANÇAS!

QSM NEWS B O L E T I M I N F O R M A T I V O. São Paulo, 02 de janeiro de 2012 - Ano 8 - nº 01 ANO NOVO, NOVAS MUDANÇAS! QSM NEWS B O L E T I M I N F O R M A T I V O São Paulo, 02 de janeiro de 2012 - Ano 8 - nº 01 www.qsm.com.br ANO NOVO, NOVAS MUDANÇAS! O fato de mudarmos de ano nos faz revigorados e prontos para novos

Leia mais

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com.

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com. 1 2 CONSÓRCIO FÊNIX PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA - SMMU MANUAL DOS USUÁRIOS DO SISTEMA SIM MODALIDADE POR ÔNIBUS DIREITOS E DEVERES DAS PARTES ENVOLVIDAS

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO QUE PROMOVE A CÂMARA DE NEGOCIAÇÃO DEDESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

GRUPO DE TRABALHO QUE PROMOVE A CÂMARA DE NEGOCIAÇÃO DEDESENVOLVIMENTO ECONÔMICO GRUPO DE TRABALHO QUE PROMOVE A CÂMARA DE NEGOCIAÇÃO DEDESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DESTINADA A DISCUTIR PROPOSTAS QUE INTERESSAM À CLASSE TRABALHADORA E AOS EMPRESÁRIOS EMENDA SUBSTITUTIVA GLOBAL

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO A NOVA LEI DO COOPERATIVISMO E AS COOPERATIVAS POPULARES, COM DESTAQUE PARA AS COOPERATIVAS DE CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS. Margaret Matos de Carvalho, Procuradora do Trabalho na PRT 9ª Região.

Leia mais

LEI Nº 3.743, de 30 de novembro de 2012

LEI Nº 3.743, de 30 de novembro de 2012 LEI Nº 3.743, de 30 de novembro de 2012 EMENTA: Institui o Sistema de Estacionamento Rotativo Pago nas vias e logradouros públicos ora denominados ZONA AZUL no âmbito deste Município da Vitória de Santo

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2004

PROJETO DE LEI Nº, DE 2004 PROJETO DE LEI Nº, DE 2004 (Do Sr. Sandro Mabel) Dispõe sobre o contrato de prestação de serviço a terceiros e as relações de trabalho dele decorrentes. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei regula

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DECRETA:

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DECRETA: PROJETO DE LEI Nº. 243/2015 Dispõe sobre regulamentação do atendimento ao serviço de Transporte Individual de Passageiros, Táxi, em casos de solicitação por aplicativo (APP) ou internet, no Município de

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 2.865, DE 2011 Altera o caput do art. 193 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5452, de 1º

Leia mais

Dispõe sobre o contrato de prestação de serviços e as relações de trabalho dele decorrentes.

Dispõe sobre o contrato de prestação de serviços e as relações de trabalho dele decorrentes. COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROMOVER ESTUDOS E PROPOSIÇÕES VOLTADAS À REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO TERCEIRIZADO NO BRASIL SUGESTÃO DE SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI Nº 4.330, DE 2004 Dispõe sobre o contrato

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº /03 Autora: Deputada MANINHA

PROJETO DE LEI Nº /03 Autora: Deputada MANINHA PROJETO DE LEI Nº /03 Autora: Deputada MANINHA Estabelece normas básicas e dispõe sobre condições gerais de funcionamento de estabelecimentos que prestam atendimento institucional e abrigo a idosos, e

Leia mais

Quadro comparativo sobre propostas de regulamentação da terceirização do trabalho

Quadro comparativo sobre propostas de regulamentação da terceirização do trabalho Quadro comparativo sobre propostas de regulamentação da terceirização do trabalho PL do deputado Sandro Mabel (PL 4.330/2004) Dispõe sobre o contrato de prestação de serviço a terceiros e as relações de

Leia mais

Mobilidade em um Campus Universitário. Suely da Penha Sanches 1 ; Marcos Antonio Garcia Ferreira 1

Mobilidade em um Campus Universitário. Suely da Penha Sanches 1 ; Marcos Antonio Garcia Ferreira 1 Mobilidade em um Campus Universitário. Suely da Penha Sanches 1 ; Marcos Antonio Garcia Ferreira 1 1 Universidade Federal de São Carlos PPGEU, Rodovia Washington Luis, km 235, (16) 33519677 ssanches@ufscar.br;

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO DESPACHO 2007 N O PROJETO DE LEI Nº 1310/2007 INSTITUI O SERVIÇO E COLETA DE PEQUENAS CARGAS, MEDIANTE UTILIZAÇÃO DE MOTOCICLETAS, NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO, DENOMINADO MOTO-FRETE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

Manifesta apelo no sentido da regulamentação em nível municipal da atividade entrega de mercadorias por motos (motofrete)

Manifesta apelo no sentido da regulamentação em nível municipal da atividade entrega de mercadorias por motos (motofrete) Sr. Presidente, Srs.Vereadores, Sras. Vereadoras: MOÇÃO DE APELO Manifesta apelo no sentido da regulamentação em nível municipal da atividade entrega de mercadorias por motos (motofrete) Considerando que

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS DE RENÚNCIA DE RECEITA

ESPELHO DE EMENDAS DE RENÚNCIA DE RECEITA S AO PLN 0059 / 2010 - - LOA Página: 3 de 4 1 de 6 9041 - João Dado 90410001 PL 2472/2003 - Isenção de Imposto de Importação para Cadeiras de Rodas MODALIDADE DA Câmara dos Deputados TIPO: PL NÚMERO: 2472/2003

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007. (Do Sr. Homero Pereira) O Congresso Nacional decreta:

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007. (Do Sr. Homero Pereira) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Homero Pereira) Altera a Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro, e estabelece regras gerais para a regulação dos serviços

Leia mais

DECRETO Nº 56.489, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015

DECRETO Nº 56.489, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015 DECRETO Nº 56.489, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015 Institui a Categoria Táxi Preto no sistema de transporte individual remunerado de passageiros, autoriza a emissão de novos alvarás de estacionamento e regulamenta

Leia mais

O objetivo deste Termo é regular as condições de uso, cadastro e validação do Usuário da 99motos

O objetivo deste Termo é regular as condições de uso, cadastro e validação do Usuário da 99motos INTRODUÇÃO Bem-vindo ao aplicativo mobile 99motos e website da 99motos, certifique-se de ter lido e entendido os Termos de Uso e Política de Privacidade, denominados termos, que consistem em contrato firmado

Leia mais

DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE TRANSPORTE E TRÂNSITO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE-MS

DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE TRANSPORTE E TRÂNSITO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE-MS PROJETO DE LEI Nº 7.476/13. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE TRANSPORTE E TRÂNSITO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE-MS A P R O V A: Art. 1º - Fica criado o Conselho

Leia mais

Guia para compra de passagens e contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros. Suburbano e Rodoviário

Guia para compra de passagens e contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros. Suburbano e Rodoviário Guia para compra de passagens e contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros 100 95 Suburbano e Rodoviário 75 25 5 0 Introdução A Artesp tem a finalidade de regulamentar e fiscalizar todas as

Leia mais

TERMO ADITIVO AO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTES ACORDANTES

TERMO ADITIVO AO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTES ACORDANTES TERMO ADITIVO AO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTES ACORDANTES São partes signatárias do presente Acordo Coletivo de Trabalho, a Empresa CONCESSIONÁRIA AEROPORTOS BRASIL - VIRACOPOS S.A., com sede no Município

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICIPIO DE SUMARÉ

O PREFEITO DO MUNICIPIO DE SUMARÉ PROJETO DE LEI Nº, de 30 de Novembro de 2010 Obriga a sinalização de fiscalização eletrônica de velocidade fixa efetuada por meio de radar nas vias urbanas do Município de Sumaré e proíbe sua instalação

Leia mais

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador VITAL DO RÊGO I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador VITAL DO RÊGO I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2012 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 91, de 2003, do Senador Paulo Paim, que dispõe sobre a regulamentação da atividade de motorista

Leia mais

PROVA 2 DISCURSIVA 1. a PARTE TEXTO 1

PROVA 2 DISCURSIVA 1. a PARTE TEXTO 1 PROVA 2 DISCURSIVA 1. a PARTE TEXTO 1 Para produzir a dissertação relativa ao Texto 1, que vale trinta pontos, faça o que se pede, usando as páginas correspondentes do presente caderno para rascunho. Em

Leia mais

A Câmara Municipal de São José dos Pinhais, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

A Câmara Municipal de São José dos Pinhais, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.714, DE 25 DE ABRIL DE 2011 Institui o Sistema de Estacionamento Rotativo pago, nas vias e logradouros públicos denominado Zona Azul São José dos Pinhais. A Câmara Municipal de São José dos Pinhais,

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO DA GRANDE VITÓRIA-ES (VITÓRIA, CARIACICA, SERRA, VILA VELHA E VIANA)

Leia mais

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 001/2013

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 001/2013 TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 001/2013 O MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS, por meio da Procuradoria Distrital dos Direitos do Cidadão e da 2ª Promotoria de Justiça de Delitos de

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 333 DISPOSIÇÕES GERAIS

LEI COMPLEMENTAR Nº 333 DISPOSIÇÕES GERAIS DISPÕE SOBRE A INSTALAÇÃO, CONSERVAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE ELEVADORES E APARELHOS DE TRANSPORTE AFINS, REGULAMENTA A HABITAÇÃO DAS EMPRESAS PRESTADORAS DESSES SERVIÇOS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI COMPLEMENTAR

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 16/01/2014 (nº 11, Seção 1, pág. 26) Institui o Plano Nacional de

Leia mais

DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DE MINAS GERAIS DETRAN/MG

DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DE MINAS GERAIS DETRAN/MG PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PMI PROJETO DE GUARDA E REMOÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES EM CIRCULAÇÃO SUJEITOS A INFRAÇÃO À LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO Belo Horizonte MG, setembro de 2013 SOBRE A

Leia mais

PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE

PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE Ministério da Educação Novembro de 2013 1 SUMÁRIO 1. Apresentação 1.1 Introdução 1.2 Base Legal 1.3 Justificativa 2.

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

LEI Nº 4.594, DE 29 DE SETEMBRO DE 1.964

LEI Nº 4.594, DE 29 DE SETEMBRO DE 1.964 Regula a profissão de Corretor de Seguros. CAPÍTULO I Do Corretor de Seguros e da sua Habilitação Profissional Art. 1º O corretor de seguros, seja pessoa física ou jurídica, é o intermediário legalmente

Leia mais

REQUERIMENTO Nº, DE 2006 (Do Sr. Julio Lopes)

REQUERIMENTO Nº, DE 2006 (Do Sr. Julio Lopes) REQUERIMENTO Nº, DE 2006 (Do Sr. Julio Lopes) Requer o envio de Indicação ao Ministro de Estado das Comunicações, sugerindo alteração na forma de definição da receita auferida pelas empresas dedicadas

Leia mais

ASSESPRO ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E Internet - RS

ASSESPRO ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E Internet - RS ASSESPRO ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E Internet - RS DESTAQUE E PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO PARA O PROJETO DE LEI 993/07. Artigo 1º, 1º constante no PL 993: CAPITULO

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO RONALDO FONSECA

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO RONALDO FONSECA COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO PROJETO DE LEI N 0 5.618, DE 2005 (Apensados os Projetos de Lei nº 7.456, de 2006 e nº 7.741, de 2010) Dispõe sobre a regulamentação da profissão

Leia mais

1 Ver Castelo (2005). 2 GVconsult (2005).

1 Ver Castelo (2005). 2 GVconsult (2005). A Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas na Construção Civil Relatório de Pesquisa Equipe Técnica Prof. Dr. Fernando Garcia Profa. Ms. Ana Maria Castelo Profa.Dra. Maria Antonieta Del Tedesco Lins Avenida

Leia mais

RESUMO DA CONVENÇÃO COLETIVA 2014 / 2015

RESUMO DA CONVENÇÃO COLETIVA 2014 / 2015 RESUMO DA CONVENÇÃO COLETIVA 2014 / 2015 Pelo presente instrumento particular, de um lado, o SINDICATO DOS PUBLICITÁRIOS, DOS AGENCIADORES DE PROPAGANDA E DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE PROPAGANDA DO

Leia mais

EI, você aí! Conheça os tributos, taxas e contribuições de responsabilidade do Empreendedor Individual

EI, você aí! Conheça os tributos, taxas e contribuições de responsabilidade do Empreendedor Individual EI, você aí! Conheça os tributos, taxas e contribuições de responsabilidade do Empreendedor Individual SEBRAE-SP Conselho Deliberativo Presidente: Alencar Burti (ACSP) ACSP Associação Comercial de São

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENADOR DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, SENHOR JORGE AFONSO ARGELLO

EXCELENTÍSSIMO SENADOR DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, SENHOR JORGE AFONSO ARGELLO EXCELENTÍSSIMO SENADOR DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, SENHOR JORGE AFONSO ARGELLO Prezado Senador Gim Argello A UNICAM - União Nacional dos Caminhoneiros, em nome desta categoria de trabalhadores que

Leia mais

MOTOFRETISTA REGULAMENTADO! MOTOCICLISTA CONSCIENTE!

MOTOFRETISTA REGULAMENTADO! MOTOCICLISTA CONSCIENTE! SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS Audiência Pública Discutir a Epidemia de Acidentes Envolvendo Motociclistas no Brasil Brasília, 29 de maio de 2012. MOTOFRETISTA REGULAMENTADO! MOTOCICLISTA

Leia mais

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 371/2011

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 371/2011 PROJETO DE LEI Nº 371/2011 Acrescenta parágrafos ao art. 2º da Lei nº 13.944, de 30 de dezembro de 2004, e dá outras providências. A Câmara Municipal de São Paulo DECRETA: Art. 1º Acrescenta parágrafos

Leia mais

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES Introdução A questão dos recursos humanos na área de Tecnologia da Informação é assunto de preocupação permanente no Colégio de

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2012

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2012 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061795/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46219.010162/2010-81 DATA DO PROTOCOLO: 27/10/2010 SINDICATO DOS EMPREGADOS EM CASAS DE DIVERSOES DE SAO

Leia mais

NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES 1 - DO OBJETIVO 1.1. Esta Norma tem por objetivo estabelecer condições para prestação

Leia mais

A GEOGRAFIA DAS MOTOCICLETAS NO PARANÁ: APONTAMENTOS PRELIMINARES 1

A GEOGRAFIA DAS MOTOCICLETAS NO PARANÁ: APONTAMENTOS PRELIMINARES 1 A GEOGRAFIA DAS MOTOCICLETAS NO PARANÁ: APONTAMENTOS PRELIMINARES 1 Priscila Aparecida Olivette Licencianda do Curso de Geografia pela Unicentro e Bolsista Fundação Araucária (PR) pri_xd93@hotmail.com

Leia mais

PROJETO DE LEI N o 3.763, DE 2008 (Apenso o PL 6.225, de 2009)

PROJETO DE LEI N o 3.763, DE 2008 (Apenso o PL 6.225, de 2009) COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 3.763, DE 2008 (Apenso o PL 6.225, de 2009) Dispõe sobre a comercialização de óculos e lentes de contato. Autor: Deputado VITAL DO RÊGO FILHO

Leia mais

Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação?

Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação? 1 Sumário I. Introdução... 3 II. Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação?... 3 III. As Imunidades Tributárias das Empresas Juniores... 4 IV. Incidência de Tributos sobre Empresas Juniores:...

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 SINDICATO DOS EMPREGADOS VENDORES E VIAJANTES DO COMÉRCIO, PROPAGANDISTAS, PRPOAGANDISTAS-VENDEDORES E VENDEDORES DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS NO ESTADO DE MINAS GERAIS,

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA Resolução nº 1.839, de 26 de novembro de 2010. Disciplina o uso e responsabilidade dos equipamentos de telefonia móvel no âmbito do Conselho Federal de Economia. O CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no uso

Leia mais

PORTARIA Nº 68, DE 13 DE MARÇO DE 2012 RESOLVE:

PORTARIA Nº 68, DE 13 DE MARÇO DE 2012 RESOLVE: PORTARIA Nº 68, DE 13 DE MARÇO DE 2012 RESOLVE: O PRESIDENTE DA AGÊNCIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO, TRANSPORTES E MOBILIDADE, no uso de suas atribuições legais conferidas pela Lei Complementar n 183, de 19

Leia mais

MULTA MULTA VALOR EM R$

MULTA MULTA VALOR EM R$ - Aplicadas pela autoridade de trânsito (posteriormente): I - advertência por escrito; II - multa; III - suspensão do direito de dirigir; IV - apreensão do veículo; V - cassação da Carteira Nacional de

Leia mais

PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR

PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR 1 Projeto Básico da Contratação de Serviços: 1.1 O presente Projeto Básico consiste na contratação de empresa para realizar pesquisas do perfil do turista do evento Natal Luz

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

1 Informações diversas Projeto de Terceirização A Câmara dos Deputados concluiu dia 22/04 a votação do projeto de lei que regulamenta contratos de terceirização. O texto principal foi aprovado no último

Leia mais

CAPÍTULO I DA CARREIRA Seção I Disposições iniciais. Seção II Do quadro

CAPÍTULO I DA CARREIRA Seção I Disposições iniciais. Seção II Do quadro LEI COMPLEMENTAR Nº 442, de 13 de maio de 2009 Procedência Governamental Natureza PLC/0006.2/2009 DO. 18.604 de 14/05/2009 *Alterada pela LC 534/11 *Ver Lei LC 534/11 (art. 72) *Regulamentada pelo Dec.

Leia mais

INDAIAL SANTA CATARINA CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO Nº 001/2010

INDAIAL SANTA CATARINA CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO Nº 001/2010 INDAIAL SANTA CATARINA CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO Nº 001/2010 DISPÕE SOBRE APROVAÇÃO DO BENEFÍCIO ALIMENTAÇÃO. O Conselho Municipal de Assistência Social de Indaial, no uso de suas

Leia mais

Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 4.594, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1964. Regula a profissão de corretor de seguros. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

LEI Nº 12.006, DE 29 DE JULHO DE 2009 1

LEI Nº 12.006, DE 29 DE JULHO DE 2009 1 LEI Nº 12.006, DE 29 DE JULHO DE 2009 1 Acrescenta artigos à Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro, para estabelecer mecanismos para a veiculação de mensagens

Leia mais

O PAPEL DA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO DESENVOLVIMENTO REGIONAL: um estudo de caso sobre o curso técnico em administração de cruzeiro

O PAPEL DA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO DESENVOLVIMENTO REGIONAL: um estudo de caso sobre o curso técnico em administração de cruzeiro O PAPEL DA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO DESENVOLVIMENTO REGIONAL: um estudo de caso sobre o curso técnico em administração de cruzeiro Geraldo José Lombardi de Souza, Paulo César Ribeiro Quintairos, Jorge

Leia mais

COMISSÃO MISTA DESTINADA A EMITIR PARECER SOBRE A MEDIDA PROVISÓRIA N O 567, DE 03 DE MAIO DE 2012.

COMISSÃO MISTA DESTINADA A EMITIR PARECER SOBRE A MEDIDA PROVISÓRIA N O 567, DE 03 DE MAIO DE 2012. COMISSÃO MISTA DESTINADA A EMITIR PARECER SOBRE A MEDIDA PROVISÓRIA N O 567, DE 03 DE MAIO DE 2012. MEDIDA PROVISÓRIA N o 567, DE 03 DE MAIO DE 2012 (MENSAGEM N o 36, DE 2012, DO CONGRESSO NACIONAL) (MENSAGEM

Leia mais