Os Projetos da UNIFEI em Parceria com a Petrobras

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os Projetos da UNIFEI em Parceria com a Petrobras"

Transcrição

1 Os Projetos da UNIFEI em Parceria com a Petrobras

2 Apresentador Marcos Aurélio de Souza UNIFEI/IEM Av. BPS 103, Bairro Pinheirinho Itajubá MG - CEP Tel: (35) Fax: (35)

3 A UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ - UNIFEI Uma visão geral

4 A Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI Criada em 1913 Federalizada em 1956 Transformada em universidade em 2002

5 A Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI

6 A Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI Vista parcial da cidade de Itajubá que conta com habitantes

7 A Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI Campus Itajubá Área de m 2 Construído m2

8 A Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI Possui atualmente: 2238 alunos de graduação; 383 alunos de pós-graduação; 209 professores; 292 Servidores Técnicos Administrativos. Divididos em: 14 cursos de graduação ; 8 cursos de especialização; 8 progrmas de mestrado; 2 programas de doutorado;.

9 As relações da Petrobras com a UNIFEI

10 As relações da Petrobras com a UNIFEI Alguns temas abordados Energias renováveis; Planejamento, Gestão e Regulação em Petróleo, Gás Natural, Energia e Desenvolvimento Sustentável ; Racionalização energética Sistemas térmicos; Processamento primário na produção do petróleo

11 Processamento primário na produção de hidrocarbonetos

12 Origem Início das atividades: A motivação foi a necessidade da Petrobras do desenvolvimento de equipamentos compactos e mais eficientes para o tratamento de emulsões.

13 Principais projetos realizados Desenvolvimento de centrífugas para tratamento de águas oleosas; Centrífuga deoiling capacidade 50 l/min

14 Principais projetos realizados Desenvolvimento de centrífugas para tratamento de águas oleosas; Centrífuga deoiling capacidade 150 l/min

15 TOG[mg/l] Principais projetos realizados ,6 9, ,5 8,2 22,6 21,7 0 TOG na entrada TOG na saída Desenvolvimento de centrífugas para tratamento de águas oleosas. Resultados do teste de campo

16 Principais projetos realizados Desenvolvimento de centrífugas para operações dewatering;

17 Principais projetos realizados Desenvolvimento de centrífugas para operações dewatering;

18 Como Funciona uma Centrífuga?

19 Uma centrífuga deoiling em funcionamento Pode-se observar a entrada da emulsão escura e a separação das duas fases, óleo e água ocorrendo de forma contínua.

20 ENTENDENDO MELHOR AS CENTRÍFUGAS

21 Uma vista geral

22 Removendo a carenagem

23 O cesto em movimento

24 Um corte no cesto

25 Uma visão geral da parte interna

26 A centrífuga em corte

27 O caminho dos fluídos

28 O movimento das fases

29 Principais projetos realizados Aplicação de centrífugas no tratamento de petróleo pesado API<17;

30 Principais projetos realizados Aplicação de centrífugas no tratamento de petróleo pesado API<17;

31 Principais projetos realizados A formação de emulsões de água em óleo através do escoamento por orifícios e válvulas;

32 Principais projetos realizados A formação de emulsões de água em óleo através do escoamento por orifícios e válvulas;

33 Principais projetos realizados Desenvolvimento de hidrociclones;

34 Principais projetos realizados Desenvolvimento de um Skid para testes de hidrociclones;

35 Principais projetos realizados Desenvolvimento de um Skid para testes de hidrociclones;

36 Principais projetos realizados Desenvolvimento de válvulas ciclônicas;

37 TOG (ppm vol/vol) Principais projetos realizados Diferença entre TOG de saída e TOG de entrada com a perda de carga para Vazão de 10 kg/min e Conc. 20 % 7000 Ciclônica Fluxo Direto 6000 Ciclônica Fluxo Reverso 5000 Globo 1/4 pol Globo Samson ,0 3,0 4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0 10,0 11,0 12,0 Perda de carga (kgf/cm 2 ) Desenvolvimento de válvulas ciclônicas;

38 Principais projetos realizados Desenvolvimento de um separador tubular divergente convergente;

39 Principais projetos realizados Desenvolvimento de um separador tubular divergente convergente;

40 Principais projetos em andamento

41 projetos em andamento Construção das novas instalações do Laboratório de separação de fases

42 projetos em andamento Construção das novas instalações do Laboratório de separação de fases

43 projetos em andamento Construção das novas instalações do Laboratório de separação de fases

44 projetos em andamento Construção de um laboratório móvel para testes de centrífuga; Construção de uma planta piloto para tratamento de águas oleosas por flotação centrífuga; Seqüência de desenvolvimento das válvulas ciclônicas; Seqüência do desenvolvimento dos hidrociclones

45 Recursos captados 2006 R$ , R$ , R$ , R$ ,00 (recebidos) 2010 R$ ,00 ( já contratados)

46 Grupo de separação de fases Pesquisadores Equipe Técnica Eng. Eli Silva; Eng. Luiz Fernando Barca; Eng. Marcos Aurélio de Souza; Eng. Manuel S. V. de Almeida; Eng. Rogério José da Silva Eng. Sebastião Varella; Eng. Waldir de Oliveira; o o o o Francisco Carlos Varini Edmilson César Francisco Elias Fabiano de Oliveira Gerson Madureira o Bolsistas técnicos 5 o Bolsistas graduandos: atualmente 5

47 Coordenação Petrobras/Cenpes TPAP Eng. Carlos Alberto Capela Moraes; Eng. Luiz Philipe M. Marins; Eng. Fabricio Soares da Silva; Eng. José Batista Vianey Ramalho; Eng. Leonardo dos Santos Pereira. Engenharia Básica Raquel Campos Cauby Coutinho ; Ricardo Cerbino Salles.

48 Projetos de infraestrutura e de P&D do NEST/IEM/UNIFEI com a PETROBRAS Prof. Dr.Electo Silva Lora

49 Instituto de Engenharia MEcânica GRUPO DE EXCELÊNCIA EM ENGENHARIA TÉRMICA E DISTRIBUÍDA - NEST Professor Dr. Electo S. Lora Professor Dr. Osvaldo J. Venturini Professor Dr. Vladimir M. Cobas Pesquisador Dr., 12 alunos de Doutorado e 6 de Mestrado Professor Dr. Ricardo D. M. Carvalho MSc Luis F. V. Flores

50 laboratórios Microturbinas a gás e chiller Gaseificador Turbina a vapor Motor Stirling Refrigeração e ar condicionado Centro de treinamento Para plantas térmicas

51 Livros publicados em 2009???

52 O NEST na internet

53 Edifício (4 pavimentos) Galpão (laboratórios)

54 Andamento do projeto

55 Laboratórios previstos na Infraestrutura Laboratório de Gás Natural (LGN) Investimento: R$ ,00 JÁ APROVADO E EM EXECUÇÂO Laboratório de Combustão e Gaseificação de Combustíveis Alternativos (LCGCA) Investimento: R$ $ ,00 Deste total R$ ,00 correspondem a equipamentos para pesquisa EM APROVAÇÃO PELA ANP

56 INTEGRAÇÃO DE PROCESSOS GASEIFICACÃO DE BIOMASSA ATIVIDADES EM GÁS DE SINTESE E H2 PARA CÉLULAS A COMBUSTÍVEL BIOENERGIA BIODIESEL E GÁS DE SINTESE EM MTG ACV E SUSTENTABILIDADE DE BIOCOMBUSTÍVEIS ++ SINTESE (FT, METANOL, GNS ) MOTORES STIRLING A BIOMASSA

57 Projetos de P&D já realizados com a PETROBRAS Estudo técnico-econômico e ambiental da geração distribuída utilizando microturbina a gás com gás natural ( ). Simulação e avaliação exergoeconômica da central de co-geração do CENPES operando a carga nominal e parcial ( ); Modelamento matemático e avaliação experimental de células a combustível do tipo SOFC, operando com gás natural ( ); Uso do biodiesel em microturbinas a gás testes de desempenho e de emissões ( );

58 Projetos de P&D em andamento com a PETROBRAS Desenvolvimento de ferramentas computacionais e procedimentos para o projeto aerotermodinâmica de compressores, turbinas e câmaras de combustão de microturbinas a gás ( ); Geração de energia e gás de síntese a partir da gaseificação de biomassa ( ). Projeto de um gaseificador piloto de leito fluidizado circulante ( ). Desenvolvimento de metodologia de conservação das centrais termelétricas para paradas prolongadas. ( )

ção Profissional na Cogeraçã EDUCOGEN

ção Profissional na Cogeraçã EDUCOGEN Conhecimento e Capacitaçã ção Profissional na Cogeraçã ção EDUCOGEN José R. Simões-Moreira SISEA Laboratório de Sistemas Energéticos Alternativos Depto. Engenharia Mecânica Escola Politécnica da Universidade

Leia mais

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída Dep. Engeharia Mecânica Escola Politécnica Universidade de São Paulo Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída Experiências de Sucesso e Perspectivas: a Percepção da Academia Escola Politécnica

Leia mais

Aproveitamento da Biomassa para a Geração de Energia Elétrica

Aproveitamento da Biomassa para a Geração de Energia Elétrica Geração de Energia Elétrica 1º Seminário sobre a Utilização de Energias Renováveis veis para Eletrificação Rural do Norte e Nordeste do Brasil Dr. Osvaldo Stella Martins Centro Nacional de Referência em

Leia mais

POSTO ECOTECNOLÓGICO

POSTO ECOTECNOLÓGICO POSTO ECOTECNOLÓGICO CONCEITO Posto de serviços para teste e demonstração de novas tecnologias em equipamentos para abastecimento de GNV, novos combustíveis e geração de energia As premissas de sustentabilidade

Leia mais

O Núcleo de Excelência em Geração Termelétrica e Distribuída - NEST

O Núcleo de Excelência em Geração Termelétrica e Distribuída - NEST O Núcleo de Excelência em Geração Termelétrica e Distribuída - NEST Foi criado em 7 de março de 1998, e pertence ao Instituto de Engenharia Mecânica da UNIFEI e é considerado um dos grupos de excelência

Leia mais

Aspectos Tecnológicos das Fontes de Energia Renováveis (Biomassa)

Aspectos Tecnológicos das Fontes de Energia Renováveis (Biomassa) Aspectos Tecnológicos das Fontes de Energia Renováveis (Biomassa) Aymoré de Castro Alvim Filho Eng. Eletricista, Dr. Especialista em Regulação, SRG/ANEEL 10/02/2009 Cartagena de Indias, Colombia Caracterização

Leia mais

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 10 - Gás Natural. Sorocaba, Abril de 2015.

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 10 - Gás Natural. Sorocaba, Abril de 2015. Campus Experimental de Sorocaba Recursos Energéticos e Meio Ambiente Professor Sandro Donnini Mancini 10 - Gás Natural Sorocaba, Abril de 2015. Terminologia Líquidos de Gás Natural LGN - Hidrocarbonetos

Leia mais

Engenharia Gerencial. A cogeração como alternativa aos desafios energéticos

Engenharia Gerencial. A cogeração como alternativa aos desafios energéticos A cogeração como alternativa aos desafios energéticos A visão corrente de que o Brasil possui um dos maiores parques de energia hidrelétrica do mundo, nos afasta de uma realidade um pouco distante disto.

Leia mais

Linha Economia Verde

Linha Economia Verde Linha Economia Verde QUEM SOMOS Instituição Financeira do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009 Instrumento institucional de apoio àexecução de políticas

Leia mais

Rede Clima Sub rede Energias Renováveis 2009 a 2013

Rede Clima Sub rede Energias Renováveis 2009 a 2013 Rede Clima Sub rede Energias Renováveis 2009 a 2013 COORDENADORES LUIZ PINGUELLI ROSA (lpr@adc.coppe.ufrj.br) MARCOS AURÉLIO VASCONCELOS DE FREITAS (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) NSTITUIÇÃO COORDENADORA

Leia mais

Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais IVIG/COPPE/UFRJ

Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais IVIG/COPPE/UFRJ Formação e Capacitação de Recursos Humanos p/exploração de Recursos Energéticos e Geração de Energia Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional

Leia mais

Aproveitamento Energético de Resíduos e Biomassa. Eng Rogério C. Perdoná

Aproveitamento Energético de Resíduos e Biomassa. Eng Rogério C. Perdoná Aproveitamento Energético de Resíduos e Biomassa Eng Rogério C. Perdoná 00 Apresentação Pessoal Rogério Carlos Perdoná Graduação Engenharia Elétrica Escola de Engenharia de Lins 1987 a 1992. Pós-graduação

Leia mais

USO DO GÁS NATURAL DE PETRÓLEO NA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

USO DO GÁS NATURAL DE PETRÓLEO NA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA PÓS - GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AGRÍCOLA ADP8088 - SEMINÁRIOS EM ENGENHARIA AGRÍCOLA II USO DO GÁS NATURAL DE

Leia mais

Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo

Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina Apresentação da Rede Temática GeDIg, Março de 2008 Sumário

Leia mais

Resultados dos Estudos Preliminares da Captura e Utilização de Biogás dos Aterros Sanitários de Uberaba e Santana do Paraíso

Resultados dos Estudos Preliminares da Captura e Utilização de Biogás dos Aterros Sanitários de Uberaba e Santana do Paraíso Resultados dos Estudos Preliminares da Captura e Utilização de Biogás dos Aterros Sanitários de Uberaba e Santana do Paraíso Belo Horizonte, 26 de Abril de 2011 Jim Michelsen SCS Engineers & Frederico

Leia mais

A Experiência da COPASA MG no aproveitamento energético do biogás na ETE Arrudas

A Experiência da COPASA MG no aproveitamento energético do biogás na ETE Arrudas A Experiência da COPASA MG no aproveitamento energético do biogás na ETE Arrudas 1. A COPASA MG; 2. ETE Arrudas; 3. Central Termelétrica; 4. Próximos passos; A COPASA MG Fornece serviços de água para 98%

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS CLÁUSULA DE INVESTIMENTOS EM P&D I. Aspectos gerais 1. Introdução O objetivo da cláusula de Investimentos em P&D é a geração de novas tecnologias, novos

Leia mais

PROGRAMA PETROBRAS DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PFRH. Recursos Humanos Universidade Petrobras

PROGRAMA PETROBRAS DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PFRH. Recursos Humanos Universidade Petrobras PROGRAMA PETROBRAS DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PFRH Recursos Humanos Universidade Petrobras PROGRAMA PETROBRAS DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - PFRH Objetivo Ampliar e fortalecer a formação de recursos

Leia mais

Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica. Biomassa

Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica. Biomassa Universidade Federal do Ceará Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica Universidade Federal do Ceará Biomassa Professora: Ruth Pastôra Saraiva

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Pós-Graduação em Gestão de Energia - Edição 2011-2012

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Pós-Graduação em Gestão de Energia - Edição 2011-2012 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Energia - Edição 2011-2012 Análise da viabilidade técnico-econômica da utilização de bio-óleo na geração descentralizada de energia elétrica

Leia mais

2. Subárea: Instalações e Equipamentos de Processos Industriais

2. Subárea: Instalações e Equipamentos de Processos Industriais SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 04, de

Leia mais

Lista dos tópicos tecnológicos

Lista dos tópicos tecnológicos Centro de Gestão e Estudos Estratégicos Ciência, Tecnologia e Inovação Energia Anexo 1 Lista dos tópicos tecnológicos 1 2 Energia 1. Tecnologias para a geração de energia elétrica Combustíveis fósseis

Leia mais

Comentários sobre o. Plano Decenal de Expansão. de Energia (PDE 2008-2017)

Comentários sobre o. Plano Decenal de Expansão. de Energia (PDE 2008-2017) Comentários sobre o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2008-2017) PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA JANEIRO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 Comentários sobre o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2008-2017)

Leia mais

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013 S DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013 1 - Curso de Simulação de Edificações com o EnergyPlus (Edição 1) 8 e 9 de março 15 e 16 de março 5 e 6 de abril 19 e 20 de abril 2 - Curso de Psicrometria

Leia mais

DEMANDA GT. Arranjos alternativos para geração eólica

DEMANDA GT. Arranjos alternativos para geração eólica DEMANDA GT Arranjos alternativos para geração eólica OBJETIVOS Desenvolver uma turbina eólica de eixo vertical de pás fixas, de pequeno porte e custo reduzido. Realizar ensaios de rendimento do equipamento

Leia mais

Prof. Mario Eduardo Santos Martins, Phd.

Prof. Mario Eduardo Santos Martins, Phd. Seminário Internacional de Energia da AUGM Prof. Mario Eduardo Santos Martins, Phd. Universidade Federal de Santa Maria Grupo de Pesquisa em Motores, Combustíveis e Emissões Necessidade de energia Iluminação

Leia mais

Painel Setorial Inmetro: A Pesquisa, o Financiamento Público e Privado e a Economia do Hidrogênio no Brasil

Painel Setorial Inmetro: A Pesquisa, o Financiamento Público e Privado e a Economia do Hidrogênio no Brasil Painel Setorial Inmetro: A Pesquisa, o Financiamento Público e Privado e a Economia do Hidrogênio no Brasil Campus Laboratorial do Inmetro - Xerém 10 de Junho 2010 Newton Pimenta LH2-UNICAMP / CENEH Laboratório

Leia mais

Avaliação Econômica da Inserção do Gás Natural da Amazônia na Matriz Elétrica da Cidade de Manaus, Estado do Amazonas

Avaliação Econômica da Inserção do Gás Natural da Amazônia na Matriz Elétrica da Cidade de Manaus, Estado do Amazonas 1 Avaliação Econômica da Inserção do Gás Natural da Amazônia na Matriz Elétrica da Cidade de Manaus, Estado do Amazonas Willamy M. Frota, Whylker M. Frota, José A. S. Sá, Arthur C. Almeida, Brígida R.

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010

PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010 PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010 MISSÃO Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nas atividades da indústria de óleo, gás e energia, nos mercados

Leia mais

Condicionamento de Ar

Condicionamento de Ar Condicionamento de Ar Instituto Federal de Brasília Sumário Introdução Tipos de Condicionadores de ar Vantagens e desvantagens Introdução Refrigeração por Compressão de Vapor Introdução Refrigeração por

Leia mais

O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar

O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar A América Latina escolheu a REFRISAT Seu processo pede a REFRISAT faz. Desde sua fundação em 1976, a REFRISAT é reconhecida principalmente por sua

Leia mais

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA PROF. RAMÓN SILVA Engenharia de Energia Dourados MS - 2013 MÁQUINAS TÉRMICAS MOTORES A PISTÃO Também conhecido como motor alternativo, por causa do tipo de movimento do pistão.

Leia mais

CURSO ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOMASSA

CURSO ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOMASSA CURSO ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOMASSA JULIETA BARBOSA MONTEIRO, Dra julieta@lepten.ufsc.br 2011-1 DISPONIBILIDADE DE RECURSOS ANEEL Potencial Instalado (MW) PROCESSOS DE CONVERSÃO DA BIOMASSA PNE 2030

Leia mais

ENERGIAS RENOVÁVEIS NA AMAZÔNIA Como Conciliar Desenvolvimento e Sustentabilidade

ENERGIAS RENOVÁVEIS NA AMAZÔNIA Como Conciliar Desenvolvimento e Sustentabilidade ENERGIAS RENOVÁVEIS NA AMAZÔNIA Como Conciliar Desenvolvimento e Sustentabilidade Paulo Felipe de Oliveira Lima Graduando de Geografia na UFPA paulo.felipelima@gmail.com 1. Introdução Energia é algo primordial

Leia mais

Fórum Regional do Prominp

Fórum Regional do Prominp Fórum Regional do Prominp PE-04.Estruturação do Centro de Excelência em MANUTENÇÃO INDUSTRIAL Prof. Francisco Ilo Bezerra Cardozo, MSc Abril - 2006 PE-04:Centro de Excelência em Manutenção Industrial Centro

Leia mais

Engenharia Florestal. Desenvolvimento Rural

Engenharia Florestal. Desenvolvimento Rural Engenharia Florestal Desenvolvimento Rural 2/05/2010 Trabalho realizado por : Ruben Araújo Samuel Reis José Rocha Diogo Silva 1 Índice Introdução 3 Biomassa 4 Neutralidade do carbono da biomassa 8 Biomassa

Leia mais

RELATÓRIO ABEGÁS MERCADO E DISTRIBUIÇÃO. Ano II - Nº 07 - Janeiro/2008

RELATÓRIO ABEGÁS MERCADO E DISTRIBUIÇÃO. Ano II - Nº 07 - Janeiro/2008 RELATÓRIO ABEGÁS MERCADO E DISTRIBUIÇÃO Ano II - Nº 07 - Janeiro/2008 Sumário Panorama... 4 Estatísticas e Mercado... 5 Expediente Diretoria Executiva ABEGÁS - Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras

Leia mais

GRADE CURRICULAR. 2.2. Das linhas de pesquisa: 2.2.1. Linha de Pesquisa 1 (Geração e Caracterização de Matéria-Prima):

GRADE CURRICULAR. 2.2. Das linhas de pesquisa: 2.2.1. Linha de Pesquisa 1 (Geração e Caracterização de Matéria-Prima): 1. DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS GRADE CURRICULAR Energia e Bioenergia Combustíveis e Biocombustíveis Seminários I 2 30 Seminários II 2 30 Estágio em Docência 2 30 Total de créditos obrigatórios: 14 créditos,

Leia mais

Soluções sustentáveis em eficiência energética para a indústria

Soluções sustentáveis em eficiência energética para a indústria Soluções sustentáveis em eficiência energética para a indústria PROGRAMA SENAI + COMPETITIVIDADE INSTITUTOS SENAI DE TECNOLOGIA (60) MA Construção Civil CE EletroMetalmecânica Energias Renováveis RN Petróleo

Leia mais

Título: Desempenho de um conjunto motor gerador ciclo diesel utilizando os principais tipos de biodiesel processados na Região Oeste do Paraná

Título: Desempenho de um conjunto motor gerador ciclo diesel utilizando os principais tipos de biodiesel processados na Região Oeste do Paraná Título: Desempenho de um conjunto motor gerador ciclo diesel utilizando os principais tipos de biodiesel processados na Região Oeste do Paraná Autores: Marcelo José da Silva 1, Samuel Nelson Melegari de

Leia mais

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída. Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída. Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN Brasília, 28 de maio de 2015 Quarto Painel Experiências de Sucesso e Perspectivas: a Percepção da Academia Experiências

Leia mais

Desafios para Projetos de Cogeração Industrial

Desafios para Projetos de Cogeração Industrial Desafios para Projetos de Cogeração Industrial Fórum Cogen / Canal Energia Geração Distribuída e Cogeração de Energia - Novo Ciclo de Desenvolvimento Marco Antonio Donatelli 1/8/2013 Cogeração - uma resposta

Leia mais

Equipamentos primários. L. Roriz

Equipamentos primários. L. Roriz Equipamentos primários L. Roriz Unidades de Arrefecimento Unidades de Arrefecimento de Ar Unidades Produtoras de Água Refrigerada Sistemas de compressão de vapor Sistemas de expansão directa Sistemas utilizando

Leia mais

Potencial dos Biocombustíveis

Potencial dos Biocombustíveis Potencial dos Biocombustíveis Mozart Schmitt de Queiroz Gerente Executivo de Desenvolvimento Energético Diretoria de Gás e Energia Petrobras S.A. Belo Horizonte, 17 de outubro de 2007 Evolução da Capacidade

Leia mais

Assunto: 13ª Rodada de Licitações de Blocos e de Campos Marginais - Alterações no Conteúdo Local para sondas.

Assunto: 13ª Rodada de Licitações de Blocos e de Campos Marginais - Alterações no Conteúdo Local para sondas. 48380.001019/2015-00 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Política de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural NOTA TÉCNICA

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMADOS (Energia Solar - EEK508)

CONTEÚDOS PROGRAMADOS (Energia Solar - EEK508) (Energia Solar - EEK508) (Equipamentos de Processos - EEK524) (Fontes Alternativas de Energia - EEK525) (INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE - EEK 509) 1 Introdução Introdução ao controle de processos 2 2 - Controladores

Leia mais

Empresas de diversos setores necessitam de produzir águas quentes no âmbito das suas atividades, como por exemplo:

Empresas de diversos setores necessitam de produzir águas quentes no âmbito das suas atividades, como por exemplo: Empresas de diversos setores necessitam de produzir águas quentes no âmbito das suas atividades, como por exemplo: no Alojamento, para banhos, cozinha e limpezas nos Serviços, para limpezas, lavagem de

Leia mais

Os proprietários no Brasil podem ser: Empresas concessionárias de serviço público de geração;

Os proprietários no Brasil podem ser: Empresas concessionárias de serviço público de geração; GERAÇÃO DISTRIBUÍDA DEFINIÇÃO A geração distribuída de eletricidade consiste na produção da eletricidade no local de seu consumo, ou próximo a ele; Eventuais excedentes desta geração podem ser vendidos

Leia mais

FILTRO COALESCENTE PARA GLP FASE VAPOR MODELO : F G L 5000 E. Manual de Informações Técnicas, Instalação e Manutenção

FILTRO COALESCENTE PARA GLP FASE VAPOR MODELO : F G L 5000 E. Manual de Informações Técnicas, Instalação e Manutenção Página1 UTILIZAÇÃO FILTRO COALESCENTE PARA GLP FASE VAPOR MODELO : F G L 5000 E Manual de Informações Técnicas, Instalação e Manutenção Para remoção de Oleína (*) em sistemas que utilizam GLP. Segundo

Leia mais

Seminário sobre Inovação e Tecnologia APIMEC INOVA EMPRESA. Helena Tenório Veiga de Almeida. Chefe do Departamento de Inovação

Seminário sobre Inovação e Tecnologia APIMEC INOVA EMPRESA. Helena Tenório Veiga de Almeida. Chefe do Departamento de Inovação Seminário sobre Inovação e Tecnologia APIMEC INOVA EMPRESA Helena Tenório Veiga de Almeida Chefe do Departamento de Inovação Plano Inova Empresa Inovação e desenvolvimento econômico Investimento em inovação

Leia mais

Elaborado pelos alunos do 8º A da Escola Secundária Infante D. Henrique:

Elaborado pelos alunos do 8º A da Escola Secundária Infante D. Henrique: Elaborado pelos alunos do 8º A da Escola Secundária Infante D. Henrique: - Joana Moreira Lima nº16 - José Fernando nº17 - Sandra oliveira nº23 O carvão, o petróleo e o gás natural são combustíveis fósseis.

Leia mais

A Empresa. utilizados em seus equipamentos.

A Empresa. utilizados em seus equipamentos. Grupos Geradores A Empresa Desde sua fundação em 1940, a Heimer tem se dedicado com sucesso à fabricação de Grupos Geradores de Energia, Grupos de Solda, Quadros de Comando, Motobombas e Alternadores.

Leia mais

ANEXOS. da Proposta DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

ANEXOS. da Proposta DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 18.12.2013 COM(2013) 919 final ANNEXES 1 to 4 ANEXOS da Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO relativa à limitação das emissões para a atmosfera de certos

Leia mais

Técnicas passivas; Técnicas ativas.

Técnicas passivas; Técnicas ativas. Definição: a conservação de energia deve ser entendida como a utilização de uma menor quantidade de energia para a obtenção de um mesmo produto ou serviço através da eliminação do desperdício; Técnicas

Leia mais

JUSTIFICATIVAS PROPOSTA de LIMITES DE EMISSÕES FONTES EXISTENTES REFINARIAS

JUSTIFICATIVAS PROPOSTA de LIMITES DE EMISSÕES FONTES EXISTENTES REFINARIAS JUSTIFICATIVAS PROPOSTA de LIMITES DE EMISSÕES FONTES EXISTENTES REFINARIAS 1. Objetivo: Considerando os limites estabelecidos pela CONAMA 382 como referências para as fontes existentes, este documento

Leia mais

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 ESTUDO E DETERMINAÇÃO DE UM SISTEMA DE AQUECIMENTO DE MISTURA ÁGUA/ÓLEO PARA AVALIAÇÃO AUTOMÁTICA DE MEDIDORES DE VAZÃO

Leia mais

ETENE. Energias Renováveis

ETENE. Energias Renováveis Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste ETENE Fonte: http://www.noticiasagronegocios.com.br/portal/outros/1390-america-latina-reforca-lideranca-mundial-em-energias-renovaveis- 1. Conceito

Leia mais

As perspectivas de políticas públicas para gestão da energia e eficiência energética no Brasil

As perspectivas de políticas públicas para gestão da energia e eficiência energética no Brasil As perspectivas de políticas públicas para gestão da energia e eficiência energética no Brasil São Paulo, 5 de dezembro de 2013 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO BRASIL Principais Programas e Resultados Lei de

Leia mais

Geração de Energia a partir de Cavaco de Madeira (Biomassa) Author: Michael Vahrenkamp / Marcio Teixeira Date: 25/11/13

Geração de Energia a partir de Cavaco de Madeira (Biomassa) Author: Michael Vahrenkamp / Marcio Teixeira Date: 25/11/13 Geração de Energia a partir de Cavaco de Madeira (Biomassa) Author: Michael Vahrenkamp / Marcio Teixeira Date: 25/11/13 Geração de Energia a partir de Cavaco de Madeira (Biomassa) Necessidade de projetos

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 1 Energia elétrica no âmbito do desenvolvimento sustentável: balanço energético nacional

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 1 Energia elétrica no âmbito do desenvolvimento sustentável: balanço energético nacional UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 1 Energia elétrica no âmbito do desenvolvimento sustentável:

Leia mais

Pesquisa e Desenvolvimento que geram avanços

Pesquisa e Desenvolvimento que geram avanços P&D O compromisso das empresas com o desenvolvimento sustentável por meio da energia limpa e renovável será demonstrado nesta seção do relatório. Nela são disponibilizados dados sobre a Pesquisa, Desenvolvimento

Leia mais

Bioeletricidade >> Energia Positiva para o Desenvolvimento Sustentável. Tecnologia => disponível com eficiência crescente

Bioeletricidade >> Energia Positiva para o Desenvolvimento Sustentável. Tecnologia => disponível com eficiência crescente Cana de Açúcar => oferta crescente matéria prima energética Bagaço + Palha => disponibilidade existente e assegurada Bioeletricidade >> Energia Positiva para o Desenvolvimento Sustentável Tecnologia =>

Leia mais

Disponibilização e consumo de energia: implicações sobre o meio ambiente

Disponibilização e consumo de energia: implicações sobre o meio ambiente Disponibilização e consumo de energia: implicações sobre o meio ambiente Ipea Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada Gesmar Rosa dos Santos Antenor Lopes Conteúdo Características gerais da Oferta Interna

Leia mais

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA PROF. RAMÓN SILVA Engenharia de Energia Dourados MS - 2013 GRUPOS MOTOGERADORES GMG - DEFINIÇÃO O Grupo Motogerador consiste de um ou mais motores alternativos de combustão

Leia mais

Parceria Global de Bioenergia

Parceria Global de Bioenergia Parceria Global de Bioenergia (Global Bioenergy Partnership - GBEP) TRABALHO CONJUNTO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 22ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial do Açúcar e do Álcool Brasília, 6 de dezembro

Leia mais

Microturbinas a Gás, Motores Stirling e Células a Combustível para Geração Distribuída

Microturbinas a Gás, Motores Stirling e Células a Combustível para Geração Distribuída 1 Microturbinas a Gás, Motores Stirling e Células a Combustível para Geração Distribuída A. M. Carvalho *, C. H. F. da Silva *, E. E. S. Lora **, M. A. R. Nascimento **, O.J.Venturini **, R.V.Andrade **,

Leia mais

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia Pós-Graduação Stricto Sensu Pós-Graduação Lato Sensu Extensão Graduação Diagnósticos Tecnológicos Soluções de Problemas Empresariais

Leia mais

SUAPE GLOBAL GT 4 PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO

SUAPE GLOBAL GT 4 PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO SUAPE GLOBAL GT 4 PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO GRUPO DE TRABALHO INTERNO SUAPE GLOBAL - UNICAP Alcivam Paulo de Oliveira (Coordenador de Extensão) Evânia Pincovsky (Coordenadora) Hélio Pereira

Leia mais

PRINCIPAIS PARTES COMPONENTES DOS GERADORES DE VAPOR

PRINCIPAIS PARTES COMPONENTES DOS GERADORES DE VAPOR Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira MÁQUINAS TÉRMICAS AT-056 M.Sc. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br 1 INTRODUÇÃO: Apesar de existir um grande número de tipos

Leia mais

Soluções da Elipse garantem um melhor desempenho ao Centro de Pesquisas da Petrobras

Soluções da Elipse garantem um melhor desempenho ao Centro de Pesquisas da Petrobras Soluções da Elipse garantem um melhor desempenho ao Centro de Pesquisas da Petrobras Tecnologias da Elipse Software permitem controlar os sistemas de refrigeração e distribuição de energia elétrica aos

Leia mais

GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PETRÓLEO. A Hélice Tripla do RN

GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PETRÓLEO. A Hélice Tripla do RN GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PETRÓLEO A Hélice Tripla do RN Incentivos da Lei do Petróleo para P&D SUPORTE PARA P&D NO SETOR PETRÓLEO P&D INVESTIR 1% DA RECEITA BRUTA EM P&D (Concessionário) PARTICIPAÇÃO

Leia mais

Tecnologias de Produção de Hidrogênio

Tecnologias de Produção de Hidrogênio Programa de Pós-Graduação em Bioenergia Tecnologias de Produção de Hidrogênio Prof. Helton José Alves Palotina, 19/05/14 O HIDROGÊNIO - Elemento mais abundante do universo (95% em número de átomos e 75%

Leia mais

Geradores de calor ( Produção de calor )

Geradores de calor ( Produção de calor ) Geradores de calor ( Produção de calor ) 2007-2008 2008 L. Roriz Temas Equipamentos: Geradores de vapor, Caldeiras, Bombas de calor. Uso de: Fluido térmico (óleo), Vapor, Água quente. estanques e atmosféricas,

Leia mais

Investimento: R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos) por participante. Investimento: R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos) por participante

Investimento: R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos) por participante. Investimento: R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos) por participante CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SISTEMAS ELÉTRICOS - CESE - ÊNFASE GERAÇÃO 2013 - www.cese.unifei.edu.br CALENDÁRIO CESE GERAÇÃO 1 MÉTODOS COMPUTACIONAIS APLICADOS A SISTEMAS ELÉTRICOS 11/03/13 a 15/03/13 2

Leia mais

TRATAMENTO DE ESGOTOS E GERAÇÃO DE ENERGIA

TRATAMENTO DE ESGOTOS E GERAÇÃO DE ENERGIA Universidade Federal do Rio de Janeiro Escola Politécnica, Depto. de Recursos Hídricos e Meio Ambiente TRATAMENTO DE ESGOTOS E GERAÇÃO DE ENERGIA Eduardo Pacheco Jordão, Dr. Eng. GMI, florianópolis 2014

Leia mais

Fortaleza, junho de 2015

Fortaleza, junho de 2015 Fortaleza, junho de 2015 All About Energy 2015 Política de Energia e Mudança Climática Luiz Pinguelli Rosa Diretor da COPPE UFRJ * Secretário do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas Membro da Academia

Leia mais

MITIGAÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NA PETROBRAS E NO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DO POLO PRÉ-SAL

MITIGAÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NA PETROBRAS E NO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DO POLO PRÉ-SAL COMISSÃO MISTA PERMANENTE SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS SENADO FEDERAL MITIGAÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NA PETROBRAS E NO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DO POLO PRÉ-SAL Beatriz Nassur Espinosa

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica www.abinee.org.br EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Eng. Fabián Yaksic Gerente do Departamento de Tecnologia e Política Industrial São Paulo, 5 junho 2012 ABINEE

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE TÉCNICA DE UMA BANCADA DE COGERAÇÃO BASEADA EM UMA MICRO-TURBINA À GÁS NATURAL

ESTUDO DA VIABILIDADE TÉCNICA DE UMA BANCADA DE COGERAÇÃO BASEADA EM UMA MICRO-TURBINA À GÁS NATURAL Copyright 2005, Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás - IBP Este Trabalho Técnico Científico foi preparado para apresentação no 3 Congresso Brasileiro de P&D em Petróleo e Gás, a ser realizado no período

Leia mais

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 108/2010

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 108/2010 MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 108/2010 EMENTA: Estabelece o Currículo do Curso de Graduação em Engenharia Mecânica - Niterói O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 96/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Engenharia de Energias

Leia mais

Roadmap Tecnológico para Produção, Uso Limpo e Eficiente do Carvão Mineral Nacional

Roadmap Tecnológico para Produção, Uso Limpo e Eficiente do Carvão Mineral Nacional Roadmap Tecnológico para Produção, Uso Limpo e Eficiente do Carvão Mineral Nacional Elyas Medeiros Assessor do CGEE Líder do Estudo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos Ciência, Tecnologia e Inovação

Leia mais

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente.

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Bocais e Difusores São normalmente utilizados em motores

Leia mais

A Companhia Energética Manauara é proprietaria de uma Usina Termelétrica, situada em Manaus, no Estado do Amazonas,

A Companhia Energética Manauara é proprietaria de uma Usina Termelétrica, situada em Manaus, no Estado do Amazonas, A Companhia Energética Manauara é proprietaria de uma Usina Termelétrica, situada em Manaus, no Estado do Amazonas, na Rodovia AM-010 KM-20. A Manauara nasceu do desejo de contribuir para um país mais

Leia mais

Segen F. Estefen Diretor de Tecnologia e Inovação Caminhos para a Inovação Painel Mecanismos de Financiamento Senado Federal, Brasília, 14 de junho

Segen F. Estefen Diretor de Tecnologia e Inovação Caminhos para a Inovação Painel Mecanismos de Financiamento Senado Federal, Brasília, 14 de junho Segen F. Estefen Diretor de Tecnologia e Inovação Caminhos para a Inovação Painel Mecanismos de Financiamento Senado Federal, Brasília, 14 de junho de 2012 UFRJ Ilha da Cidade Universitária Campus da Universidade

Leia mais

Maria Paula Martins Diretora Geral

Maria Paula Martins Diretora Geral Maria Paula Martins Diretora Geral Evolução da Matriz Energética Brasileira 1970 2010 2030 38% 48% 14% 18% 7% 29% 35% Petróleo Carvão Hidráulica Cana Gás Urânio Lenha Outras renováveis 6% 12% 46% 2000

Leia mais

Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Civil

Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Civil Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Civil O Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Infraestrutura do ITA (PG-EIA) é um dos pioneiros do país em sua área e lançou as bases para

Leia mais

Tecnologias, Oportunidades e Estudos para o Incremento da Cogeração de Energia no Setor Sucroalcooleiro

Tecnologias, Oportunidades e Estudos para o Incremento da Cogeração de Energia no Setor Sucroalcooleiro Tecnologias, Seminário Internacional Oportunidades de Energias e Estudos Renováveis veis, para Limpas o Incremento e Cogerada e Cogeração ITM Expo Feiras e Convenções São Paulo (SP) 27 a 29/11/2007 Palestra

Leia mais

COMBUSTÍVEIS BIOCOMBUSTÍVEIS: EVOLUÇÃO ENERGÉTICA, COMPOSIÇÃO E IMPACTOS AMBIENTAIS.

COMBUSTÍVEIS BIOCOMBUSTÍVEIS: EVOLUÇÃO ENERGÉTICA, COMPOSIÇÃO E IMPACTOS AMBIENTAIS. COMBUSTÍVEIS BIOCOMBUSTÍVEIS: EVOLUÇÃO ENERGÉTICA, COMPOSIÇÃO E IMPACTOS AMBIENTAIS. Ana L. B. Silva 1 (analuciasilva36@hotmail.com); Aquila B. do Rosario² (aquilabueno@gmail.com); Hevelyn L. Avila³ (hevelyn-avila@hotmail.com);carine

Leia mais

Capacitação e Inserção de Profissionais no Setor Energético. Prof. Alexandro Vladno da Rocha

Capacitação e Inserção de Profissionais no Setor Energético. Prof. Alexandro Vladno da Rocha Capacitação e Inserção de Profissionais no Setor Energético Prof. Alexandro Vladno da Rocha Outubro / 2013 Agenda Estrutura e Atuação do IFRN; Estrutura Básica dos Cursos; Cursos na Área de Energia; Perfil

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ENERGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ENERGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ENERGIA MODELO DE GESTÃO ENERGÉTICA PARA A DIMINUIÇÃO DO CONSUMO ENERGÉTICO E IMPACTOS AMBIENTAIS DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Hidrogénio como Combustível

Hidrogénio como Combustível Hidrogénio como Combustível Professor Aníbal Traça de Almeida Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra 06/04/2005 Hidrogénio O hidrogénio é um portador de energia sintético É o elemento

Leia mais

SELEÇÃO PARA BOLSAS DE ESTUDO DO CONVÊNIO ANP/UFMA PRH 39

SELEÇÃO PARA BOLSAS DE ESTUDO DO CONVÊNIO ANP/UFMA PRH 39 UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação SELEÇÃO PARA BOLSAS DE ESTUDO DO CONVÊNIO ANP/UFMA

Leia mais

POLÍTICA DE PREÇOS PARA O GÁS NATURAL NO BRASIL

POLÍTICA DE PREÇOS PARA O GÁS NATURAL NO BRASIL POLÍTICA DE PREÇOS PARA O GÁS NATURAL NO BRASIL GRUPO DE TRABALHO Coordenação: GEOBERTO ESPÍRITO SANTO VICE-PRESIDENTE DE PLANEJAMENTO ENERGÉTICO Rio de Janeiro, 1 de junho de 2012. PLANO DECENAL DE EXPANSÃO

Leia mais

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 1 Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 O Conselho de Administração aprovou o Plano de Negócios 2010-2014, com investimentos totais de US$ 224 bilhões, representando a média de US$ 44,8 bilhões

Leia mais

TÍTULO: GERADOR DE INDUÇÃO COMO ALTERNATIVA DE GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

TÍTULO: GERADOR DE INDUÇÃO COMO ALTERNATIVA DE GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA TÍTULO: GERADOR DE INDUÇÃO COMO ALTERNATIVA DE GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA JARAGUÁ DO SUL

Leia mais

SELEÇÃO PARA BOLSAS DE ESTUDO DO CONVÊNIO ANP/UFMA PRH 39

SELEÇÃO PARA BOLSAS DE ESTUDO DO CONVÊNIO ANP/UFMA PRH 39 UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação SELEÇÃO PARA BOLSAS DE ESTUDO DO CONVÊNIO ANP/UFMA

Leia mais

Inteligência Tecnológica na Petrobras

Inteligência Tecnológica na Petrobras Inteligência Tecnológica na Petrobras Maio/2012 CENPES/GTEC/EST Informações Institucionais Sistema Tecnológico Petrobras Processos de Gestão da Tecnologia Monitoração e Prospecção Tecnológica Informações

Leia mais

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE CONTROLE AUTOMÁTICO PARA UMA CENTRAL DE COGERAÇÃO COM MICROTURBINA A GÁS E CHILLER

Leia mais

1º SIACS SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL AR CONDICIONADO E GESTÃO ENERGÉTICA

1º SIACS SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL AR CONDICIONADO E GESTÃO ENERGÉTICA 1º SIACS SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL AR CONDICIONADO E GESTÃO ENERGÉTICA PALESTRANTE Eng. Tulio Marcus Carneiro de Vasconcellos Formado em Engenharia Mecânica pela UFMG

Leia mais