Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I GESTÃO DA QUALIDADE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I GESTÃO DA QUALIDADE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO."

Transcrição

1 7 EDITAL N o 04/2013 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 8 (oito) questões discursivas, sem repetição ou falha; b) 1 (um) CADERNO DE RESPOSTAS numerado, para o desenvolvimento das questões discursivas, capeado por um CARTÃO DE IDENTIFICAÇÃO As questões discursivas de n os 1 e 2 serão avaliadas quanto aos Conhecimentos Específicos e quanto ao uso do idioma, e as demais questões serão apenas avaliadas quanto aos Conhecimentos Específicos, obedecendo-se à seguinte atribuição de pontos: Questões Pontuação Conhecimentos Específicos Idioma Total 1 e 2 16,0 cada 4,0 cada 40,0 3 a 8 10,0 cada 60,0 Total:100, O candidato deve verificar se este material contém todas as folhas, se está em ordem e se o seu nome e o seu número de inscrição conferem com os que aparecem no CARTÃO DE IDENTIFICAÇÃO. Caso não esteja nessas condições, o fato deve ser IMEDIATAMENTE notificado ao fiscal Após a conferência, o candidato deverá assinar, no espaço próprio do CARTÃO DE IDENTIFICAÇÃO, com caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente As questões discursivas deverão ser respondidas, no CADERNO DE RESPOSTAS, utilizando caneta esferográfica de tinta indelével preta, fabricada em material transparente O candidato deve ter muito cuidado com o CARTÃO DE IDENTIFICAÇÃO, para não o DOBRAR, AMASSAR ou MANCHAR. O CARTÃO DE IDENTIFICAÇÃO SOMENTE poderá ser substituído se, no ato da entrega ao candidato, já estiver danificado em suas margens superior e/ou inferior - DELIMITADOR DE RECONHECIMENTO PARA LEITURA ÓTICA SERÁ ELIMINADO deste Concurso Público o candidato que: a) se utilizar, durante a realização da prova, de aparelhos sonoros, fonográficos, de comunicação ou de registro, eletrônicos ou não, tais como agendas, relógios não analógicos, notebook, transmissor de dados e mensagens, máquina fotográfica, telefones celulares, pagers, microcomputadores portáteis e/ou similares; b) se ausentar da sala em que se realiza a prova levando consigo o CADERNO DE QUESTÕES, e/ou o CARTÃO DE IDENTIFICAÇÃO grampeado ao CADERNO DE RESPOSTAS; c) se recusar a entregar o CADERNO DE QUESTÕES, e/ou o CARTÃO DE IDENTIFICAÇÃO grampeado ao CADERNO DE RESPOSTAS quando terminar o tempo estabelecido; d) não assinar a LISTA DE PRESENÇA e/ou o CARTÃO DE IDENTIFICAÇÃO. Obs. O candidato só poderá ausentar-se do recinto da prova após 1 (uma) hora contada a partir do efetivo início da mesma. Por motivos de segurança, o candidato NÃO PODERÁ LEVAR O CADERNO DE QUESTÕES, a qualquer momento O candidato deve, ao terminar a prova, entregar ao fiscal o CADERNO DE QUESTÕES e o CARTÃO DE IDENTIFICAÇÃO grampeado ao CADERNO DE RESPOSTAS das questões discursivas e ASSINAR A LISTA DE PRESENÇA O TEMPO DISPONÍVEL PARA ESTA PROVA DE QUESTÕES DISCURSIVAS É DE 5 (CINCO) HORAS, findo o qual o candidato deverá, obrigatoriamente, entregar o CADERNO DE RESPOSTAS grampeado ao CARTÃO DE IDENTIFICAÇÃO e o CADERNO DE QUESTÕES As questões da Prova Discursiva estarão disponíveis, no primeiro dia útil após sua realização, no endereço eletrônico da FUNDAÇÃO CESGRANRIO (http://www.cesgranrio.org.br). 1

2 QUESTÕES DISCURSIVAS Questão n o 1 As visões e implementações do gerenciamento da qualidade foram ricamente alimentadas pelas contribuições de vários importantes pensadores, dentre os quais podemos destacar W. Edwards Deming. Elabore um texto dissertativo, entre 20 e 25 linhas, sobre algumas das contribuições de Deming, segundo o roteiro apresentado a seguir: detalhe 3 pontos, à sua escolha, extraídos do conjunto de 14 pontos propostos por Deming para o gerenciamento da qualidade; descreva em que consiste o ciclo PDCA e avalie o papel que essa metodologia, originalmente idealizada por Shewhart, mas divulgada por Deming, desempenha na promoção da qualidade. (valor: Conhecimentos Específicos - 16,0 pontos; Idioma - 4,0 pontos) 2

3 Questão n o 1 (ção) 3

4 Questão n o 2 Enquanto forma de atuar, a Gestão da Qualidade tem lançado mão de estratégias altamente eficientes que se caracterizam, em primeiro lugar, pela simplicidade de concepção e de implantação. Algumas ferramentas utilizadas são: diagrama de causa e efeito (conhecido também como gráfico de espinha de peixe ou diagrama de Ishikawa); diagrama de Pareto; e o diagrama seta. Elabore um texto dissertativo, de 20 a 25 linhas, apontando qual dessas ferramentas se aplica mais adequadamente a cada uma das três seguintes situações: análise de problemas; visualização de processos; e ação de planejamento. Indique em sua resposta um benefício relevante, destacado pela literatura de referência, que cada um desses instrumentos traz para a gestão de qualidade. Justifique cada um dos argumentos defendidos. (valor: Conhecimentos Específicos - 16,0 pontos; Idioma - 4,0 pontos) 4

5 Questão n o 2 (ção) 5

6 Questão n o 3 A norma ABNT NBR ISO 9001:2008 prevê os requisitos para operar um sistema de gestão da qualidade, baseando-se em princípios de gestão, dentre os quais destacam-se o foco no cliente e a melhoria contínua. Tendo em vista particularmente esses dois princípios, considere o que é pedido abaixo. a) A Alta Direção deve assegurar que os requisitos do cliente sejam determinados e atendidos com o objetivo de aumentar a satisfação do cliente. Indique duas fontes pelas quais, segundo a referida norma, podem-se obter dados de entrada para monitorar a percepção do cliente, descrevendo como cada uma delas pode contribuir para o alcance desse objetivo. (valor: 4,0 pontos) b) A melhoria contínua pode ser obtida por meio do uso de ações corretivas e preventivas. Descreva o propósito das ações corretivas e o das ações preventivas, fornecendo para cada uma dessas modalidades de ações um exemplo de situação em que sua aplicação é recomendada. (valor: 6,0 pontos) 6

7 Questão n o 3 - b) (ção) 7

8 Questão n o 4 Na norma ABNT NBR ISO 9001:2008, item 5.6 Análise crítica pela direção, subitem Generalidades, tem-se que A Alta Direção deve analisar criticamente o sistema de gestão da qualidade da organização, a intervalos planejados, para assegurar sua contínua adequação, suficiência e eficácia. Essa análise crítica deve incluir a avaliação de oportunidades para melhoria e necessidade de mudanças no sistema de gestão da qualidade, incluindo a política da qualidade e os objetivos da qualidade. Devem ser mantidos registros das análises críticas pela direção. Na sequência, o item refere-se às entradas para a análise crítica. Com base nesses itens e 5.6.2: a) indique em que circunstâncias um sistema de gestão é considerado adequado, suficiente e eficaz. (valor: 2,5 pontos) b) apresente o significado de intervalos planejados, e indique qual a frequência mínima da realização de uma análise crítica. (valor: 2,5 pontos) 8

9 Questão n o 4 (ção) c) indique por que devem ser mantidos registros controlados das análises críticas pela Direção. (valor: 2,5 pontos) d) cite 3 informações que devem constar das entradas para análise crítica pela Direção. (valor: 2,5 pontos) 9

10 Questão n o 5 O gerente de controle de qualidade de uma pesquisa necessita avaliar a qualidade do procedimento de digitação das respostas dadas a um conjunto de questionários. Para isso uma amostra aleatória de n=10 questionários desse conjunto é selecionada. Considere que n=10 é desprezível em relação ao número de questionários aplicados na pesquisa. Os questionários digitados são analisados por um grupo treinado que faz a contagem cuidadosa dos erros de digitação. Cada questionário é composto de 25 blocos de questões cada um dos quais correspondente a um determinado tema explorado pela pesquisa. Assuma que, quando o processo está sob controle, o número de erros de digitação detectado em cada bloco de questões seja uma variável aleatória com distribuição de Poisson de média. A Tabela abaixo fornece o número total de erros de digitação por questionário analisado. Assuma que a extração da amostra foi feita quando o processo estava sob controle. Número identificador do questionário Quantidade de erros de digitação detectados a) Utilizando a Tabela acima, obtenha os limites superior e inferior do gráfico de controle três-sigma para a quantidade de erros de digitação detectados por questionário, justificando cada etapa de seu processo de cálculo, segundo as hipóteses assumidas. (valor: 6,0 pontos) 10

11 Questão n o 5 (ção) b) Suponha que se planeje construir um novo questionário de 30 blocos de questões. Assuma que a média de erros de digitação detectados por bloco para esse novo conjunto de questionários com 30 blocos de questões tenha a mesma média do número de erros de digitação detectados por bloco para o conjunto de questionários com 25 blocos de questões. Estime, justificando sua resposta, o número esperado de erros de digitação detectados por questionário para esse novo conjunto de questionários quando o processo está sob controle. (valor: 4,0 pontos) 11

12 Questão n o 6 Para testar a hipótese de que os habitantes de uma determinada comunidade são descendentes de uma civilização A (hipótese nula) contra a hipótese de que estes provenham da civilização B (hipótese alternativa), seleciona-se uma amostra aleatória de n pessoas adultas da comunidade e observam-se as suas alturas. Assuma que as alturas (em centímetros) dos indivíduos de cada civilização têm distribuição normal com os seguintes parâmetros: sendo a média e o desvio padrão. População A: = 175 = 8 População B: = 178 = 8, a) Considere a seguinte regra de decisão em função da média amostral X : rejeita-se a hipótese de que os habitantes são provenientes da população A se X > k, sendo k uma constante positiva; se, por outro lado, X k, aceita-se que os habitantes provenham da população B. Fixando-se as probabilidades dos erros tipo I e II associados ao teste em aproximadamente 5%, mostre que n e k são as soluções aproximadas (uma vez que n deve ser inteiro) do sistema dado pelas equações 1 e com ( x) e 2 dz 2 x 2 z (valor: 4,0 pontos) 12

13 Questão n o 6 (ção) b) Encontre o valor de c que minimiza a soma das probabilidades dos erros do tipo I e do tipo II para o critério de rejeição da hipótese nula, agora definido por X > c. Mostre que o valor encontrado corresponde de fato ao mínimo. (valor: 6,0 pontos) 13

14 Questão n o 7 Suponha duas distribuições, A e B, independentes e normalmente distribuídas. A distribuição A tem média e variância, e a distribuição B tem média e variância. Suponha que seja observada uma amostra aleatória de tamanho n de cada distribuição, e que X A e X B são as médias amostrais obtidas. Defina T como a média ponderada das médias amostrais, isto é, T = X A +(1 X B com 0 <. Justificando cada etapa de processo de cálculo, pede-se: a) verifique se T é um estimador não viesado para o parâmetro e obtenha o seu viés, denotado por V(T). (valor: 3,0 pontos) b) obtenha o erro quadrático médio de T, denotado por EQM(T). (valor: 3,0 pontos) 14

15 Questão n o 7 (ção) c) obtenha o valor de que minimiza o erro quadrático médio de T, e mostre que, de fato, esse valor corresponde ao mínimo. (valor: 4,0 pontos) 15

16 Questão n o 8 Seja X uma variável aleatória com possíveis valores no conjunto {1,2,3,...} e função de probabilidade dada por P(X = x) = e x (1 e )x!, para x = 1,2,3,... com > 0 um parâmetro desconhecido. a) Mostre que P(X = x) é de fato uma função de probabilidade, justificando as propriedades necessárias para tal. (valor: 2,0 pontos) 16

17 Questão n o 8 (ção) b) Mostre que a esperança matemática da variável aleatória X é dada por 1 e. (valor: 2,0 pontos) 17

18 Questão n o 8 (ção) e x c) Seja {x 1,x 2,...,x n } uma amostra aleatória obtida da distribuição dada por P(X = x) =. (1 e Mostre que a estimativa )x! de máxima verossimilhança para o parâmetro, denotada por ^, é dada pela solução da equação não linear 1 e = n x i i=1 n. (valor: 4,0 pontos) 18

19 Questão n o 8 (ção) d) Mostre que a estimativa para o parâmetro dado pelo Método dos Momentos coincide com a estimativa de máxima verossimilhança, obtida anteriormente no item c). (valor: 2,0 pontos) 19

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I SISTEMA FINANCEIRO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I SISTEMA FINANCEIRO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 9 EDITAL N o 04/2013 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 8 (oito) questões discursivas, sem

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE 10 EDITAL N o 02/2011 (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ARQUIVOLOGIA) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ARQUIVOLOGIA) 2 a FASE 18 BNDES EDITAL N o N 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE) 2 a FASE 16 BNDES EDITAL N o N 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. FORMAÇÃO: ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE (2 a FASE)

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. FORMAÇÃO: ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE (2 a FASE) 02 TARDE SETEMBRO / 2010 FORMAÇÃO: ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este Caderno, com o enunciado das

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE 14 BNDES EDITAL N o N 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE PSICOLOGIA) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE PSICOLOGIA) 2 a FASE 25 BNDES EDITAL EDITAL N N o 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5

Leia mais

CARGOS DE CLASSE D TÉCNICO DE ELETRÔNICA E TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA: ELETRÔNICA

CARGOS DE CLASSE D TÉCNICO DE ELETRÔNICA E TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA: ELETRÔNICA 7 CEFET CARGOS DE CLASSE D TÉCNICO DE ELETRÔNICA E TÉCNICO DE LABORATÓRIO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com

Leia mais

ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO

ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO 3 CEFET LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com o enunciado das 40 (quarenta) questões objetivas, sem repetição ou

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES O BANCO DO DESENVOLVIMENTO DE TODOS OS BRASILEIROS BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES JANEIRO / 2008 PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE 7 EDITAL N o 02/2011 (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE ANÁLISE DE SISTEMAS - DESENVOLVIMENTO) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE ANÁLISE DE SISTEMAS - DESENVOLVIMENTO) 2 a FASE 8 EDITAL N o 02/2011 (FORMAÇÃO DE ANÁLISE DE SISTEMAS - DESENVOLVIMENTO) 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com

Leia mais

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 04 NOVEMBRO / 2009 O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material:

Leia mais

LIQUIGÁS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

LIQUIGÁS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 13 LIQUIGÁS EDITAL N o 1, LIQUIGÁS PSP - 01/2013 Conhecimentos Básicos para oa Cargos 4 a 13 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES,

Leia mais

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - ADMINISTRAÇÃO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - ADMINISTRAÇÃO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 NOVEMBRO / 2009 O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - ADMINISTRAÇÃO (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a)

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. FORMAÇÃO: DIREITO (2 a FASE)

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. FORMAÇÃO: DIREITO (2 a FASE) 05 TARDE SETEMBRO / 2010 FORMAÇÃO: DIREITO (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este Caderno, com o enunciado das 5 questões de Conhecimentos

Leia mais

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I DEMOGRAFIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I DEMOGRAFIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 2 EDITAL N o 04/2013 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 8 (oito) questões discursivas, sem

Leia mais

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 02 NOVEMBRO / 2009 O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSION OFISSIONAL BÁSICO - ANÁLISE DE SISTEMAS - DESENVOL OLVIMENT VIMENTO (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE 20 BNDES EDITAL N o N 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA 2 o DIA MANHÃ GRUPO 2 Novembro / 2011 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta.

CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações METODOLOGIA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES ORIGEM Departamento de

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ANÁLISE DE SISTEMAS - DESENVOLVIMENTO) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ANÁLISE DE SISTEMAS - DESENVOLVIMENTO) 2 a FASE 15 BNDES EDITAL EDITAL N N o 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5

Leia mais

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP 6. Procedimento de gerenciamento de risco O fabricante ou prestador de serviço deve estabelecer e manter um processo para identificar

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO VESTIBULAR/2015

CONCURSO PÚBLICO VESTIBULAR/2015 ESCOLA DE GOVERNO PROFESSOR PAULO NEVES DE CARVALHO FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO Governo de Minas Gerais CONCURSO PÚBLICO VESTIBULAR/2015 2ª ETAPA Provas abertas: Matemática, História e Redação em Língua Portuguesa.

Leia mais

ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 14 CEFET CARGOS DE CLASSE E EDITAL N o 0011/2014, DE 25 DE MARÇO DE 2014 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com

Leia mais

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I GEODÉSIA FÍSICA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I GEODÉSIA FÍSICA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 4 EDITAL N o 04/2013 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 8 (oito) questões discursivas, sem

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES 1

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES 1 CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES 1 Olá pessoal! Resolverei neste ponto a prova de Matemática e Estatística para Técnico Administrativo para o BNDES 2008 organizado pela CESGRANRIO. Sem mais delongas,

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES CELG DISTRIBUIÇÃO S.A EDITAL N. 1/2014 CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE GESTÃO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás

Leia mais

2.1 Os projetos que demonstrarem resultados (quádrupla meta) serão compartilhados na Convenção Nacional.

2.1 Os projetos que demonstrarem resultados (quádrupla meta) serão compartilhados na Convenção Nacional. O Prêmio Inova+Saúde é uma iniciativa da SEGUROS UNIMED que visa reconhecer as estratégias de melhoria e da qualidade e segurança dos cuidados com a saúde dos pacientes e ao mesmo tempo contribua com a

Leia mais

ENADE 2014. Prezados Coordenadores,

ENADE 2014. Prezados Coordenadores, ENADE 2014 Prezados Coordenadores, O Questionário do Estudante, do Enade 2014 de preenchimento obrigatório, está disponível do dia 21 de Outubro de 2013 ao dia 23 de Novembro de 2014. Para iniciar o questionário

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

Módulo 2. Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios

Módulo 2. Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios Módulo 2 Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios Norma NBR ISO 9001:2008 - Índice 0 - Introdução 1 - Escopo 2 - Referência Normativa 3 -

Leia mais

PDCA FERRAMENTA GERENCIAL AMBIENTAL

PDCA FERRAMENTA GERENCIAL AMBIENTAL PDCA FERRAMENTA GERENCIAL AMBIENTAL Importância PDCA Diretriz para a organização; Aproveitamento de novos espaços e layout; Redução e controle de riscos; Gerenciamento dos recursos com maior eficiência,

Leia mais

E P E ADVOGADO ÁREA JURÍDICA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

E P E ADVOGADO ÁREA JURÍDICA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 E P E ADVOGADO ÁREA JURÍDICA EDITAL N o 001/2012 - EPE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este caderno, com os enunciados das 50 (cinquenta) questões

Leia mais

Edital de Seleção de Alunos 2º/ 2014

Edital de Seleção de Alunos 2º/ 2014 Edital de Seleção de Alunos 2º/ 2014 1 PREÂMBULO 1.1A Diretoria de Ensino (DE) do Vestibular Cidadão (VC), no uso de suas atribuições, torna pública e estabelece as normas e as condições de habilitação

Leia mais

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 3º PERÍODO - 6º MÓDULO AVALIAÇÃO A1 DATA 28/05/2009 SISTEMAS EMPRESARIAIS Dados de identificação do Acadêmico: Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO ATO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO

CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO ATO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO ATO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO PROCESSO SELETIVO/CONCURSO PÚBLICO PARA CARGOS DE NÍVEIS MÉDIO E SUPERIOR EDITAL N 01/2015 - EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA

Leia mais

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 Caderno de Provas GESTÃO DE COOPERATIVAS E AGRONEGÓCIOS Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA CADERNO DE PROVAS

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA CADERNO DE PROVAS PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA 20/10/2013 INSTRUÇÕES CADERNO DE PROVAS 1. Confira, abaixo, seu nome e número de inscrição. Confira, também, o curso e a série correspondentes à sua inscrição.

Leia mais

11 de maio de 2011. Análise do uso dos Resultados _ Proposta Técnica

11 de maio de 2011. Análise do uso dos Resultados _ Proposta Técnica 11 de maio de 2011 Análise do uso dos Resultados _ Proposta Técnica 1 ANÁLISE DOS RESULTADOS DO SPAECE-ALFA E DAS AVALIAÇÕES DO PRÊMIO ESCOLA NOTA DEZ _ 2ª Etapa 1. INTRODUÇÃO Em 1990, o Sistema de Avaliação

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ARQUITETURA) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ARQUITETURA) 2 a FASE 17 BNDES EDITAL EDITAL N N o 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5

Leia mais

Caderno de Prova PR08. Educação Especial. prova dissertativa. Professor de. Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação

Caderno de Prova PR08. Educação Especial. prova dissertativa. Professor de. Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Edital n o 001/2009 Caderno de Prova prova dissertativa PR08 Professor de Educação Especial Dia: 8 de novembro de 2009 Horário: das

Leia mais

Conhecimentos Específicos

Conhecimentos Específicos PROCESSO SELETIVO 2014 02/12/2013 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO (NOTURNO)

ADMINISTRAÇÃO (NOTURNO) assinatura do(a) candidato(a) Admissão por Transferência Facultativa. a Transferência Facultativa/0 ADMINISTRAÇÃO (NOTURNO) Prova Dissertativa LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. Confira atentamente

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PROVAS

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PROVAS EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PROVAS No uso das atribuições legais, e mediantes as condições estipuladas nos Editais e Comunicados oficiais publicados no site www.selecao.uneb.br/dpe2012, CONVOCA os Candidatos

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

Roteiro SENAC. Análise de Riscos. Monitoramento e Controle de Riscos. Monitoramento e Controle de Riscos. Monitoramento e Controle de Riscos

Roteiro SENAC. Análise de Riscos. Monitoramento e Controle de Riscos. Monitoramento e Controle de Riscos. Monitoramento e Controle de Riscos SENAC Pós-Graduação em Segurança da Informação: Análise de Parte 8 Leandro Loss, Dr. loss@gsigma.ufsc.br http://www.gsigma.ufsc.br/~loss Roteiro Análise de Quantitativa Qualitativa Medidas de tratamento

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Instrutora: Aneliese Nascimento

ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Instrutora: Aneliese Nascimento Instrutora: Aneliese Nascimento O QUE É UM PROJETO? 4 Instrumento de comunicação. 4 Instrumento de intervenção em um ambiente ou situação para mudanças. 4 Instrumento para fazer algo inovador. O QUE DEVE

Leia mais

Programa de Educação Ambiental e de Comunicação Social. Projeto de Implantação de Depósito de Celulose. Klabin S.A

Programa de Educação Ambiental e de Comunicação Social. Projeto de Implantação de Depósito de Celulose. Klabin S.A Programa de Educação Ambiental e de Comunicação Social Projeto de Implantação de Depósito de Celulose Klabin S.A Ref.: Condicionante para obtenção de Licença de Instalação Telêmaco Borba, 12 de janeiro

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO INTEGRADA

POLÍTICA DE GESTÃO INTEGRADA Conteúdo 1. OBJETIVO... 3 2. APLICAÇÃO... 3 3. SGI-AMAZUL... 3 4. SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE... 3 5. QUALIDADE... 4 6. DOCUMENTAÇÃO... 5 6. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 6 7. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA...

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO TEMA: ELABORAÇÃO DE PROJETOS COM FOCO NA FAMÍLIA Março/2010 ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABOR-AÇÃO: palavra-latim-elabore preparar, formar,ordenar AÇÃO: atuação, ato PRO-JETOS: palavra-latim-projetus

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CJF-POR-2014/00093 de 20 de fevereiro de 2014

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CJF-POR-2014/00093 de 20 de fevereiro de 2014 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL PORTARIA Nº CJF-POR-2014/00093 de 20 de fevereiro de 2014 Dispõe sobre a aprovação do Documento Acessório Comum Política de Gestão de Riscos,

Leia mais

PROVA UNIJUÍ. Locais de Realização da Prova Câmpus/Polo Ijuí, Câmpus Santa Rosa, Câmpus Panambi e Câmpus Três Passos.

PROVA UNIJUÍ. Locais de Realização da Prova Câmpus/Polo Ijuí, Câmpus Santa Rosa, Câmpus Panambi e Câmpus Três Passos. PROVA UNIJUÍ Data 08 de fevereiro de 2015 (domingo) Modalidades e Horários Cursos EaD Prova da Unijuí (Redação) Início às 8h30min e término às 11h30min. Cursos Presenciais Prova da Unijuí (Redação e 40

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação

Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação QP Informe Reservado Nº 70 Maio/2007 Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação Tradução para o português especialmente preparada para os Associados ao QP. Este guindance paper

Leia mais

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA Disciplina: FATEC - IPATINGA Gestão de ISSO TQC - Controle da Total Vicente Falconi Campos ISO 9001 ISO 14001 OHSAS 18001 Prof.: Marcelo Gomes Franco Conceitos TQC - Total Quality Control Controle da Total

Leia mais

Cláudio Tadeu Cristino 1. Julho, 2014

Cláudio Tadeu Cristino 1. Julho, 2014 Inferência Estatística Estimação Cláudio Tadeu Cristino 1 1 Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Brasil Mestrado em Nutrição, Atividade Física e Plasticidade Fenotípica Julho, 2014 C.T.Cristino

Leia mais

Processo de Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Processo de Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade 3 Processo de Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade Não existe um jeito único de se implementar um sistema da qualidade ISO 9001: 2000. No entanto, independentemente da maneira escolhida,

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Melhoria Contínua PDCA/SDCA e suas ferramentas 06/04/2011

Melhoria Contínua PDCA/SDCA e suas ferramentas 06/04/2011 Melhoria Contínua PDCA/SDCA e suas ferramentas 6/4/211 PRODUTIVIDADE O que é o melhoria contínua? Quando se tem o Gerenciamento da Rotina implantado temos a melhoria tipo escada sempre melhorando o resultado

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS APRESENTAÇÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Breve histórico da instituição seguido de diagnóstico e indicadores sobre a temática abrangida pelo projeto, especialmente dados que permitam análise da

Leia mais

Pesquisador em Saúde Pública Prova Discursiva INSTRUÇÕES

Pesquisador em Saúde Pública Prova Discursiva INSTRUÇÕES Avaliação e monitoramento de atenção básica na Amazônia Pesquisador em Saúde Pública Prova Discursiva 1. Você recebeu do fiscal o seguinte material: INSTRUÇÕES a) Este Caderno de Questões contendo o enunciado

Leia mais

CAPÍTULO 9 Exercícios Resolvidos

CAPÍTULO 9 Exercícios Resolvidos CAPÍTULO 9 Exercícios Resolvidos R9.1) Diâmetro de esferas de rolamento Os dados a seguir correspondem ao diâmetro, em mm, de 30 esferas de rolamento produzidas por uma máquina. 137 154 159 155 167 159

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

ISO 9001 2008 FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT. Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade.

ISO 9001 2008 FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT. Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade. FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade. ISO 9001 2008 Carolina Rothe Luiz Gustavo W. Krumenauer Paulo Emílio Paulo Saldanha Relação das principais normas da Série

Leia mais

DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE

DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE i1 Introdução Uma distribuição de probabilidade é um modelo matemático que relaciona um certo valor da variável em estudo com a sua probabilidade de ocorrência. Há dois tipos

Leia mais

TÉCNICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TÉCNICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 12 CEFET CARGOS DE CLASSE D EDITAL N o 0011/2014, DE 25 DE MARÇO DE 2014 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10 SUMÁRIO: Apresentação da ACEP 2 Missão da Empresa 3 Escopo e Justificativas de Exclusão 4 Comprometimento da Direção 5 Política da Qualidade 7 Objetivos de Qualidade 7 Fluxo de Processos 8 Organograma

Leia mais

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9 Página: 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática de funcionamento e aplicação das Auditorias Internas da Qualidade, fornecendo diretrizes para instruir, planejar, executar e documentar as mesmas. Este

Leia mais

Simulações em Aplicativos

Simulações em Aplicativos Simulações em Aplicativos Uso Avançado de Aplicativos Prof. Marco Pozam mpozam@gmail.com A U L A 0 5 Programação da Disciplina 20/Agosto: Conceito de Project Office. 27/Agosto: Tipos de Project Office.

Leia mais

Gestão Ambiental. Aula 5 Prof. Pablo Bosco

Gestão Ambiental. Aula 5 Prof. Pablo Bosco Gestão Ambiental Aula 5 Prof. Pablo Bosco Proposito da aula ISO 14001 2 ISO 14001 O que é a ISO 14001? A ISO 14001 é uma Norma pertencente a família das ISO 14000 que trata de Sistema de Gestão Ambiental

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO PROVA DE CONHECIMENTO SOBRE O MR-MPS-SV 10/12/2012 4 HORAS DE DURAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO PROVA DE CONHECIMENTO SOBRE O MR-MPS-SV 10/12/2012 4 HORAS DE DURAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO PROVA DE CONHECIMENTO SOBRE O MR-MPS-SV 10/12/2012 4 HORAS DE DURAÇÃO EMAIL: (DEIXAR EM BRANCO) RESULTADO Q1 (0,5) Q2 (0,5) Q3 (1,0) Q4 (1,0) Q5 (1,0) TOTAL (10,0) Q6 (1,0) Q7 (2,0) Q8 (1,0) Q9 (1,0) Q10

Leia mais

Decidir como medir cada característica. Definir as características de qualidade. Estabelecer padrões de qualidade

Decidir como medir cada característica. Definir as características de qualidade. Estabelecer padrões de qualidade Escola de Engenharia de Lorena - EEL Controle Estatístico de Processos CEP Prof. MSc. Fabrício Maciel Gomes Objetivo de um Processo Produzir um produto que satisfaça totalmente ao cliente. Conceito de

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE ECONOMIA) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE ECONOMIA) 2 a FASE 11 EDITAL N o 02/2011 (FORMAÇÃO DE ECONOMIA) 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos 3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos Este capítulo tem como objetivo a apresentação das principais ferramentas e metodologias de gerenciamento de riscos em projetos, as etapas do projeto onde o processo

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Disciplina: Administração de Suporte e Automação Gerenciamento de Suporte Professor: Fernando Zaidan Ago-2009 1 2 Contexto Área de TI lugar estratégico

Leia mais

PREFE ITURA MUNICIPAL DE GUAJ ARÁ MIRIM

PREFE ITURA MUNICIPAL DE GUAJ ARÁ MIRIM Caderno de Questões PREFE ITURA MUNICIPAL DE GUAJ ARÁ MIRIM realização S25 - Médico Veterinário AT E N Ç Ã O 1. O caderno de questões contém 40 questões de múltipla-escolha, conforme distribuição abaixo,

Leia mais

Cursinho Pré-Vestibular Vitoriano - Ibilce/Unesp E.E.P.S.G. Deputado Bady Bassit. Edital de Abertura. Processo Seletivo de alunos 2015

Cursinho Pré-Vestibular Vitoriano - Ibilce/Unesp E.E.P.S.G. Deputado Bady Bassit. Edital de Abertura. Processo Seletivo de alunos 2015 Cursinho Pré-Vestibular Vitoriano - Ibilce/Unesp E.E.P.S.G. Deputado Bady Bassit Edital de Abertura Processo Seletivo de alunos 2015 A coordenação 2014/2015 do Cursinho Vitoriano, projeto de extensão da

Leia mais

IX Encontro de Auditores e Peritos do Espírito Santo Avaliação de Risco na análise dos Controles Internos Vitória, ES. 29/08/2014

IX Encontro de Auditores e Peritos do Espírito Santo Avaliação de Risco na análise dos Controles Internos Vitória, ES. 29/08/2014 IX Encontro de Auditores e Peritos do Espírito Santo Avaliação de Risco na análise dos Controles Internos Vitória, ES. 29/08/2014 Agenda Objetivos Termos de Referência Risco Objetivos do Auditor O Modelo

Leia mais

NÍVEL FUNDAMENTAL Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE

NÍVEL FUNDAMENTAL Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ESTADO DO PARÁ MUNICÍPIO DE CURUÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE CURUÁ - CONCURSO PÚBLICO - Edital N.º 001/2009 REALIZAÇÃO DA PROVA OBJETIVA: 23 de Agosto de 2009 NÍVEL FUNDAMENTAL Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE

Leia mais

Governança da Capacidade de TI

Governança da Capacidade de TI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança da Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas do Documento de Governança da... 04 3 Governança da... 05 4 Principais Serviços para Governança

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

GUIA DO PROTOCOLO SALDANHA PARA AUDITORIA DO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA

GUIA DO PROTOCOLO SALDANHA PARA AUDITORIA DO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA GUIA DO PROTOCOLO SALDANHA PARA AUDITORIA DO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA Odilon Machado de Saldanha Júnior Belo Horizonte 2009 2 GUIA DO PROTOCOLO SALDANHA PARA AUDITORIA DO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO

Leia mais

Concurso Público IFSULDEMINAS 2015. Prova Prática. Tecnólogo / Área Informática. NãO escreva seu nome ou assine em nenhuma folha da prova

Concurso Público IFSULDEMINAS 2015. Prova Prática. Tecnólogo / Área Informática. NãO escreva seu nome ou assine em nenhuma folha da prova Concurso Público IFSULDEMINAS 2015 Prova Prática Tecnólogo / Área Informática NãO escreva seu nome ou assine em nenhuma folha da prova PROVA PRÁTICA - TECNÓLOGO / ÁREA INFORMÁTICA INSTRUÇÕES 1- Utilize

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Caderno de Provas MATEMÁTICA Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome completo e o número do seu

Leia mais

Centro de Iniciação ao Esporte Gestão de Equipamento Esportivo

Centro de Iniciação ao Esporte Gestão de Equipamento Esportivo Centro de Iniciação ao Esporte Gestão de Equipamento Esportivo SNEAR/ME DEZ/14 Objetivo: orientar os entes selecionados a desenvolver o Plano de Gestão. IMPORTÂNCIA PLANO DE GESTÃO PRESTAÇÃO DE CONTAS

Leia mais

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Sistemas de Informação. Tecnologia em Desenvolvimento Web. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Sistemas de Informação. Tecnologia em Desenvolvimento Web. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PIM PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO COM O MERCADO GUIA DE CURSO Tecnologia em Sistemas de Informação Tecnologia em Desenvolvimento Web Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnologia em Sistemas

Leia mais

Prêmio Itaú-Unicef Fundamentos da edição 2007. Ações Socioeducativas

Prêmio Itaú-Unicef Fundamentos da edição 2007. Ações Socioeducativas Fundamentos da edição 2007 Ações Socioeducativas I - conjuguem educação e proteção social como meio de assegurar o direito ao desenvolvimento integral de crianças e adolescentes de 6 a 18 anos em condições

Leia mais

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT IC) ORIENTAÇÕES GERAIS

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT IC) ORIENTAÇÕES GERAIS PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT IC) ORIENTAÇÕES GERAIS 1 - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 O Programa Bolsa Jovens Talentos para a Ciência (PJT- IC) tem como objetivo proporcionar a formação

Leia mais

Tecnologia em Gestão Pública Desenvolvimento de Projetos - Aula 9 Prof. Rafael Roesler

Tecnologia em Gestão Pública Desenvolvimento de Projetos - Aula 9 Prof. Rafael Roesler Tecnologia em Gestão Pública Desenvolvimento de Projetos - Aula 9 Prof. Rafael Roesler Introdução Objetivos da Gestão dos Custos Processos da Gerência de Custos Planejamento dos recursos Estimativa dos

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-002 Revisão 03

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

Pesquisador em Saúde Pública. Prova Discursiva INSTRUÇÕES

Pesquisador em Saúde Pública. Prova Discursiva INSTRUÇÕES Pesquisa Clínica Pesquisador em Saúde Pública Prova Discursiva 1. Você recebeu do fiscal o seguinte material: INSTRUÇÕES a) Este Caderno de Questões contendo o enunciado das 2 (duas) questões da prova

Leia mais

física EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014

física EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014 EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014 física Caderno de prova Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Física. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Leia mais

MINISTÉRIO)DA)EDUCAÇÃO) ) INSTITUTO)FEDERAL)DE)EDUCAÇÃO,)CIÊNCIA)E) TECNOLOGIA)DO)SUDESTE)DE)MINAS)GERAIS)

MINISTÉRIO)DA)EDUCAÇÃO) ) INSTITUTO)FEDERAL)DE)EDUCAÇÃO,)CIÊNCIA)E) TECNOLOGIA)DO)SUDESTE)DE)MINAS)GERAIS) MINISTÉRIODAEDUCAÇÃO INSTITUTOFEDERALDEEDUCAÇÃO,CIÊNCIAE TECNOLOGIADOSUDESTEDEMINASGERAIS CONCURSOPÚBLICOPARAPROVIMENTODECARGOEFETIVODEDOCENTES ÁREA:EngenhariaMecânica

Leia mais