Mercados informação sectorial

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mercados informação sectorial"

Transcrição

1 Mercados informação sectorial Suécia Panorâmica do Mercado das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) Outubro 2012

2 Índice 1. Introdução 3 2. Histórias de sucesso 5 3. A região de Estocolmo e as TIC 6 4. O mercado de software, o Customer Relationship Management (CRM) e o Content Management System (CMS) 9 5. egovernment na Suécia Healthcare IT O mercado dos serviços de Call Centres Outras áreas estratégicas/conselhos estratégicos Outras organizações Perguntas Frequentes Fontes 43 2

3 1. Introdução É opinião unânime que a Suécia é um dos países lideres no mercado das TIC. Diversos relatórios apontam a Suécia como um dos mais importantes players deste mercado, seja em produtos como os telemóveis, computadores ou redes, assim como um dos países com maior utilização e acesso à Internet e com as redes de banda larga mais eficientes e rápidas. Os cidadãos, as empresas e as entidades públicas na Suécia são dos mais rápidos a adotar as novas tecnologias, aplicações e serviços e isso justifica o facto de empresas de renome mundial, utilizarem o país para testes de mercado dos seus novos produtos. Huawei, Intel, Motorola, Oracle, Symantec e ZTE são exemplos de algumas das empresas que desenvolvem a parte de investigação e desenvolvimento na Suécia. Muitas empresas do mercado das TIC têm também a sua sede na Suécia, o que fortalece a ideia de o nível de conhecimento sueco nesta área ser elevado. Uma das lideranças no ranking é atribuída pelo World Economic Forum (Fundação Independente Suíça), responsável pela publicação Global Information Technology Report, Este relatório, tendo analisado 138 países, tem como foco a utilização das TIC como uma importante ferramenta para o crescimento económico. O relatório compara infraestruturas tecnológicas, iniciativas políticas, atitude dos consumidores e outros diversos fatores. A Suécia liderou em 2011, o ranking, logo seguida de Singapura e da Finlândia. Portugal aparece em 33º lugar, num total de 142 países. Tratando-se de uma área transversal que engloba varias áreas de intervenção, tanto da indústria como de serviços, optou-se nesta panorâmica dar ênfase a apresentação de alguns setores e iniciativas TIC que já são uma realidade e que poderão potenciar oportunidades futuras de negócio, nomeadamente, no setor da Saúde, nos Call-Centres, nas aplicações Customer RelationShip Management (CRM) e Content Management System (CSM) e no egovernment, sendo, ainda, abordados outros setores estratégicos. Abordou-se ainda a região de Estocolmo, como uma região líder nas TIC, na Suécia. Analisando o setor do ponto de vista económico e respetiva representação, de acordo com dados publicados pelo organismo oficial sueco de estatísticas, Statistiska centralbyrån (Statistics Sweden), o valor acrescentado do setor das TIC, incluindo telecomunicações (information and comunication), em 2011, cifrouse em 165 mil milhões SEK. No 1º semestre de 2012, registou-se um novo aumento, da ordem dos 5,9%, quando comparado com o período homólogo. 3

4 Information and Comunication - Sweden Fonte: Milhões SEK 180, , , , ,000 80,000 60,000 40,000 20,000 0 Statistics Sweden Outro ponto importante consiste em observar o historial da Suécia neste setor nos últimos anos. A Suécia foi o país onde nasceram tecnologias wireless como a GSM, WCDMA, LET e Bluetooth. As redes produzidas pela Ericsson, uma das maiores empresas suecas, compreendem quase metade do tráfego móvel, ao mesmo tempo que nos últimos anos muitas start-ups suecas romperam as fronteiras globais no mercado das TIC. Virtualmente, praticamente todos os suecos (99%), com menos de 30 anos, consultam a Internet diariamente, e no global da população esta taxa é de 78%. 50% das crianças com 4 anos utilizam a Internet, bem como uma em cada criança de 3 anos. 89% dos suecos tem Internet em casa e, não menos interessante, estão registadas cerca de 12 milhões de subscrições de serviços de telemóvel na Suécia quando o país tem apenas 9 milhões de habitantes. Uma das razões invocadas para explicar o sucesso da Suécia recai no seu sistema de educação e formação no campo das TIC, aliada à promoção e implementação de medidas pelo Governo Sueco, para fomentar as TIC nos anos 90. Um dos fatores em particular, foi a reforma lançada nos finais dos anos 90: PC Reform. Esta reforma encorajou as famílias suecas a comprarem computadores dando-lhes o direito de adquirirem os mesmos, através dos seus empregadores, com condições favoráveis. Muitos tiraram partido desta oportunidade, e a Suécia tornou-se uma das nações com as mais elevadas percentagens de computadores por habitante. 4

5 2. Histórias de Sucesso Exemplos de ideias de negócio que se tornaram em verdadeiras empresas de crescente dimensão, são projetos recentes como o Spotify, uma plataforma legal para ouvir e partilhar musica ou a QlikTech, empresa de consultoria de serviços de sofware e afins. No entanto, a história de sucesso e de fortuna mais conhecida e com origem na Suécia é o Skype, que em 2005 foi vendido ao ebay. Um dos seus fundadores investiu recentemente cerca de 37 milhões de SEK numa nova aplicação para os telemóveis, denominada Wrapp. Os engenheiros suecos tendem a concretizar ideias/projetos especializados que tenham potencial de crescimento. Um exemplo é a empresa Take Scalado, fundada em 2000, e que desenvolveu a função zoom em imagens nos telemóveis, e que hoje é utilizada em todos os telemóveis com câmara fotográfica integrada. Outro exemplo de sucesso e que segue o exemplo da especialização de serviços, é o da Polar Rose, uma ferramenta que permite a identificação de pessoas (pelo nome) nas fotografias e na partilha das mesmas, em sites como o Flickr. A empresa foi comprada pela Apple em Grandes empresas como a HP ou a Microsoft enviam caça-talentos para a Suécia à procura dos empreendedores suecos mais promissores. A indústria dos jogos é bastante interessante na Suécia; por exemplo o jogo Battlefield, que já vai na sua 3ª série, é um jogo bastante famoso, que foi desenvolvido entre a EA Games e a Digital Illusions. A Digital Illusions, foi fundada em 1992 por dois suecos e, desde que começou a ser cotada em bolsa, tem apresentado um elevado crescimento. Em 2000 esta empresa comprou a Refraction Games e cerca de 90% da Synergenix Interactive e no ano seguinte adquiriu a Sandbox Studios. O ano de 2011 foi um ano recorde para o desenvolvimento da indústria dos jogos na Suécia, tendo atingido os 2,32 mil milhões de coroas suecas, com um aumento de 96%. Mais informações sobre esta industria podem ser consultadas em De acordo com a Vinnova, uma agência governamental encarregue da promoção da inovação e da investigação, uma das áreas de potencial desenvolvimento futuro recairá no investimento e aprofundamento da comunicação entre máquinas, por exemplo a comunicação entre um pacemaker com sistemas de monitorização remota ou transmissores GPS que reportam a localização de veículos. O campo da robótica é outra área promissora, que poderá acrescentar imensas valências no dia a dia das pessoas, seja no lar ou, por exemplo, nos cuidados de saúde. 5

6 A inovação social, outra área em franco crescimento que inclui, por exemplo, o desenvolvimento de sistemas de código aberto (open software) ou de plataformas do género da Wikipédia também estão a atrair a atenção do meio. O crowdfunding, que resumidamente consiste na obtenção de capital para iniciativas de interesse coletivo, através da agregação de múltiplas fontes de financiamento, em geral pessoas interessadas na iniciativa, é um excelente exemplo de inovação social, seja através do Facebook ou através de sites de angariação, em que os interessados podem investir pequenas quantias em alguns projetos ou negócios. A inovação social tem permitido também, a muitas entidades governamentais, perceber que podem tirar benefícios ao serem mais transparentes. Um exemplo é a Swedish Tax Agency, que tem disponível informação sobre todos os impostos cobrados, e onde qualquer pessoa pode consultar os mesmos. Recentemente, foi construída uma aplicação app que permite a cada cidadão consultar, através do seu telemóvel, a distribuição dos impostos pagos, e a forma como os mesmos são aplicados, na saúde, defesa, educação, entre outras áreas. Pretende-se, assim, explicar de forma clara e pedagógica, o alcance dos pagamentos dos impostos o que obviamente interessa à Swedish Tax Agency. 3. A Região de Estocolmo e as TIC Ao longo dos últimos anos, o número de empresas ligadas às TIC tem crescido significativamente na região de Estocolmo. Em 2000, existiam empresas TIC na região e em 2010 já eram mais de , crescimento este que justifica o reconhecimento da região de Estocolmo como uma região líder mundial nas TIC. Os suecos são, por norma, reconhecidos como sendo rápidos a familiarizarem-se e a adotarem novas tecnologias, e essa é uma das razões para que um estudo da TeliaSonera, que é a principal operadora de telecomunicações nos países nórdicos afirme que a Suécia, quando comparada com o resto do mundo, tenha cerca de 18 meses de avanço em relação à adoção de tecnologias TIC. Este dado, associa-se não só ao facto de muitas empresas testarem os seus produtos neste mercado, mas também pelo facto de a região de Estocolmo em particular, ter das infraestruturas IT mais desenvolvidas do mundo e uma cobertura de 100% de banda larga. De referir ainda que Estocolmo e Oslo foram as primeiras cidades do mundo a lançarem a rede 4G. Em Estocolmo, encontra-se um dos clusters TIC líder na Europa o Kista Science City onde predominam as telecomunicações móveis. A relação próxima e a interação entre empresas privadas, instituições de investigação e o meio académico foram certamente fatores de sucesso para este cluster. Atualmente, Kista engloba de mais de empresas TIC que, em conjunto, empregam cerca de pessoas e é também a região da Suécia onde se encontram mais empresas TIC. Empresas como a Ericsson ou como a itell, são apenas alguns exemplos das que se instalaram em Kista. No quadro que se segue, pode-se verificar a evolução das empresas TIC no Kista Science City. 6

7 Fonte: A criação da Kista Science City tornou a região de Estocolmo num centro internacional de tecnologia wireless, de banda larga e de serviços e aplicações móveis. Neste cluster, encontram-se também duas instituições de ensino superior, o Royal Institute of Technology (KTH) e a Universidade de Estocolmo O centro de feiras de Kista, abriu em setembro de 2008 e oferece um espaço com cerca de m2, disponibilizando ainda serviços para receber cerca de pessoas. O Digitar Art Center (DAC) que se encontra também neste cluster, é um espaço público, apresentando um projeto de interação entre arte/criatividade e as novas tecnologias, sendo o objetivo deste espaço o de promover o crescimento local e regional. O centro tornou-se num centro de exposições, de desenvolvimento de trabalhos criativos e de reuniões, mostrando os efeitos positivos resultantes da combinação da arte com a tecnologia digital, com a ciência e com a cultura, onde são desenvolvidas e apresentadas medidas concretas. O DAC é patrocinado pela Universidade de Estocolmo, pelo Liceu IT, pelo Município de Estocolmo, e pelo ICT Research AB, Investimento Estrangeiro e Capital de Risco De acordo com o ranking Cities & Regions of the Future 2010/2011 da FDI Magazine e do Financial Times, Estocolmo é a 4ª cidade mundial na captação de investimento estrangeiro, a seguir a Londres, Paris e Moscovo. Em plena crise mundial, em 2010, o número de investimentos em empresas suecas cresceu cerca de 12% em comparação com 2009, sendo que 60% destas empresas são da área das TIC. A subida é de 21 lugares quando comparado com o ranking 2008/2009. Para as empresas que se queiram estabelecer em Estocolmo a empresa municipal Stockholm Business Region Development oferece serviços profissionais e gratuitos para as empresas. 7

8 Infraestruturas IT de Classe Mundial Estocolmo tem uma cobertura de banda larga de 100%, com km de fibra ótica, sendo que 70% das empresas em Estocolmo tem ligação por fibra ótica e quase casas estão ligadas por esta rede. Espera-se que em 2012 todas as empresas e casas alugadas tenham acesso à fibra ótica, e esta é uma das razões pela qual, Estocolmo foi designada Intelligent Community of Year 2009, pela New York-based Intelligent Community Forum. A rede metropolitana digital, pertence ao Município de Estocolmo, através de infraestrutura IT da empresa municipal Stokab, que constrói, gere e coordena as ligações da rede e que, em 2010, havia investido 361 milhões de SEK. As redes móveis em Estocolmo assentam em duas diferentes tecnologias 3G (WCDMA e CDMA2000), e em 2009 foi lançada a primeira rede 4G (LTE) para os residentes e empresas da região. Foco nas Tecnologias da Informação Amigas do Ambiente O crescente foco nas questões climáticas, encorajará o meio empresarial a viajar menos, a comunicar mais e a tirar partido das reuniões e conferencias via Web. Estas alterações encaixam perfeitamente no foco do desenvolvimento das TIC, assim como na maior rentabilidade das empresas. Em 2010, Estocolmo adquiriu o título de European Green Capital 2010, que resulta do esforço e preocupação em implementar práticas ambientais, que sirvam de exemplo para outras cidades. Um dos exemplos é o Stockholm Royal Seaport, que, com tecnologia inovadora a nível ambiental e com soluções criativas, desenvolveu um novo distrito urbano, como exemplo de planeamento urbano sustentável. A utilização de tecnologias limpas e amigas do ambiente são também uma das áreas mais importantes e com um potencial de crescimento económico, refletindo-se no facto de atualmente empregar pessoas e de existir investigação de topo, conduzida pelo Royal Institute of Technology, e pelo Ångströmslaboratoriet na Universidade de Uppsala, Investimentos Conjuntos em Serviços Digitais Serviços públicos e privados têm investido bastante no desenvolvimento e lançamento de serviços digitais em Estocolmo. Nos últimos anos, o Município de Estocolmo investiu cerca de 650 milhões de SEK para tornar mais eficientes as comunicações entre cidadãos e serviços públicos. Smartphones e suas Aplicações A região de Estocolmo é também reconhecida no que diz respeito ao desenvolvimento de tecnologias para Smartphones. Dada a elevada utilização de smartphones na Suécia, o mercado das aplicações tem bastante implementação. Estocolmo foi a sede da Sony Ericsson, aliança que terminou no corrente ano de 2012, no que diz respeito ao desenvolvimento de smartphones e suas aplicações nos últimos 10 anos, e existe um 8

9 cluster próprio, congregando compradores, consultores, empresas de tecnologia e derivados e promotores de tecnologias. Muitos dos pioneiros de desenvolvimento de smartphones e suas tecnologias e aplicações encontram-se em Estocolmo. 4. O Mercado de Software: Customer Relationship Management (Crm) e Content Management System (Cms) As empresas suecas estão na liderança do ranking de utilização de sistemas CRM e muito acima da média europeia, no que diz respeito aos sistemas CMS. Espera-se que o outsourcing em IT continue a crescer nos próximos anos e, por essa razão, este pode ser um mercado interessante no que diz respeito aos fornecedores de serviços relacionados com o software CRM e CMS. Características do Mercado O mercado sueco de software e serviços IT é de média dimensão, sendo comparável com os mercados italiano, holandês e espanhol. Devido ao facto do aumento de atividade de empresas de média dimensão e do setor público, o mercado teve, em 2010, um crescimento de cerca de 6-7%, em comparação com A percentagem de organizações suecas que recorrem ao outsourcing, para assegurar parte das suas tarefas de IT, é de cerca de 30%. As PME do setor parecem ser aquelas que mantêm os clientes mais satisfeitos, pelo que na Suécia um matching do tamanho/dimensão do fornecedor vs Cliente, deverá ser tido em conta para concretizar negócios. Um estudo da CIO Sweden mostrou que em 2009, 14% das empresas suecas recorreram a outsourcing de funções IT. Os destinos mais populares são a Índia (47%), os países bálticos (26%), a China (13%) e a Rússia e a Polónia (ambos com 11%). Em 2009, a Suécia foi considerado o 5º país da EU relativamente ao uso de software CRM, com cerca de 24% das suas empresas a utilizarem o CRM com propósitos de marketing, um valor que está acima da média europeia, que é de 17%. Em relação à utilização de sistemas CRM mais básicos, mais de 1/3 das empresas suecas utiliza os mesmos. A percentagem de utilização destes sistemas, aumenta consideravelmente com a dimensão das empresas, sendo que 62% das empresas com mais de 250 empregados utiliza sistemas CRM. No que diz respeito ao tipo de empresas que utiliza CRM, são sobretudo as dos setores financeiros (63% destas empresas utilizam) e as do setor das TIC (61%). Em relação aos sistemas CMS na Suécia, a integração com redes sociais e a possibilidade de migração para aplicações nos telemóveis, são requisitos importantes em crescimento neste país. Abordagem ao Mercado CRM No que diz respeito à abordagem ao mercado para fornecimento de serviços de software CRM, as melhores opções são a subcontratação, a abordagem direta com as empresas ou ainda a utilização de um intermediário do setor e parceiros comerciais. 9

10 Subcontratação Espera-se que o mercado do software CRM e CMS cresça nos próximos anos, de forma a ir ao encontro do aumento da procura e, tendo em atenção os custos competitivos, os fornecedores suecos de software CRM e CMS provavelmente irão considerar o mercado da subcontratação. Encontrar Parceiros Comerciais e Participar em Feiras Para além da visita a feiras da área das TIC para entrar em contacto com potenciais parceiros comerciais, a pesquisa na Web pode ser um excelente auxílio. Fontes para a procura de parceiros na área do software CRM serão: Diretórios de empresas: Bizguide - IT-Företagen - Associação Sueca da Indústria de Software - Webmaster - Webbdagarna - Feiras e eventos IT INNOVATIONS EXPO e 23 de janeiro de 2013 Gotemburgo - (selecionar IT och Internet) IP EXPO e 15 de maio 2013 Estocolmo - (selecionar IT och Internet) Potenciais Parceiros comerciais CRM Acando - CDC Software - Cybernetics - Jeeves - Ninetech - Redpill Linpro - Superoffice - 10

11 CMS Episerver - Getupdated - Litium - Mindroute Software - Roxen - Sitedirect - Sitevision - Abordagem Direta A abordagem direta a empresas utilizadoras de serviços finais de CRM e de CMS pode oferecer oportunidades, uma vez que o mercado sueco nestes setores está aberto ao offshoring de serviços. No entanto, este tipo de abordagem deve ser utilizada apenas por fornecedores de grande escala e que tenham experiência no mercado sueco. O facto de muitos gestores IT receberem mais de 100 telefonemas por semana, justifica a necessidade de uma excelente preparação na abordagem a ter. Intermediários Apesar da presença local ser sempre uma vantagem, a utilização de intermediários pode ser um canal interessante para estabelecer contacto com potenciais empresas de subcontratações e utilizadores finais. Alguns exemplos de intermediários suecos: Astenit - eworks - Offshoring IT services - TecPoint - Outras Fontes de Informação Outras fontes de informação - publicações e revistas do setor: Äffarsvärlden - CIO Sweden - IDG.se - Statistics Sweden - MKSE.com - 11

12 5. Egovernment na Suécia Indicadores Percentagem de lares com ligação à Internet: 91% (2011) Percentagem de empresas com ligação à Internet: 96% (2011) Percentagem de indivíduos que utilizam a Internet pelo menos uma vez por semana: 91% (2011) Percentagem de lares com ligação banda larga: 86% (2011) Percentagem de empresas com ligação banda larga: 95% (2011) Percentagem de indivíduos que compraram/encomendaram online nos últimos 3 meses: 53% (2011) Percentagem de empresas que receberam pedidos de encomendas online no último ano: 21%(2009) Percentagem de empresas que receberam pedidos de encomendas online no último ano: 21%(2009) Percentagem de indivíduos que utilizam a Internet para interação com entidades públicas: 31,7% (2010) Percentagem de empresas que utilizam a Internet para interação com entidades públicas: Obter informação - 84%, Download de formulários - 83%, Envio de formulários preenchidos 61% (2009) Fonte: Eurostat Recentes desenvolvimentos. Em setembro de 2012 foi lançado o guia ecommerce, que tem o propósito de facilitar o trabalho das empresas exportadoras nas suas atividades comerciais, e de estimular estas mesmas empresas a utilizarem mais o comércio eletrónico. Em novembro de 2011, a Agência Sueca do Emprego, Arbetsförmedlingen, lançou uma aplicação gratuita para Smartphone, que permite aos utilizadores procurarem ofertas de emprego através dos seus telefones. Com a possibilidade de tradução para diversas línguas, este serviço, para além de existir na Web, permite que os utilizadores através do telemóvel, pesquisem ofertas de trabalho com diversos critérios e que encontrem a localização e contactos das mesmas, assim como a localização das agências que podem dar apoio. Em outubro de 2011, o Governo sueco apresentou a estratégia nacional na área das TIC, ICT for Everyone A Digital Agenda for Sweden, Um dos objetivos principais, é o de tornar a Suécia no líder mundial na utilização de procedimentos que envolvam a digitalização e a informatização dos serviços. A agenda digital contém 143 medidas identificadas por diferentes áreas de atuação. Os recursos estão parcialmente alocados ao Ministério da Indústria, apesar de alguns estarem distribuídos por diferentes Ministérios. 12

13 Principais objetivos estratégicos. A Suécia tem 5 prioridades principais estratégicas para o egovernment, nomeadamente: - Ter melhores e mais e-serviços disponíveis - Implementar um sistema atualizado para a eid (identificação eletrónica) - Financiamento de projetos interorganizações - Serviço de orientação contínuo para agências publicas e organizações - Implementar uma nova estrutura de governança para o egovernment Para complemento destas prioridades, o Governo preparou, como já referido, a Digital Agenda for Sweden. Para além disso, a egovernment Delegation publicou dois documentos estratégicos, a saber: - As simple as possible for as many as possible: Under construction - future egovernment construção) - As simple as possible for as many as possible - Making progress' Estratégia de egovernment nas organizações e agências públicas 2009/2014. A egovernment Delegation, foi criada em março de 2009, com o objetivo de liderar e coordenar o desenvolvimento do egovernment na Suécia, tendo desenvolvido um documento estratégico de ação de 2009 até Algumas das sugestões da edelegation, com vista a atingir os objetivos propostos foram: - eidentification A criação de uma solução de identificação pessoal única, contendo num só documento um conjunto de dados, que até ao momento exigiam diversos cartões de identificação, para utilização no acesso a serviços públicos e eventualmente também privados. - Internet Forum Um espaço virtual onde cidadãos e empresas terão a oportunidade de participar no desenvolvimento da estratégia egovernment. - Melhorar regras e regulamentos que promovam a utilização da eidentification e dos eservices. - As agências e organismos públicos devem utilizar prioritariamente software com standards abertos e considerar sempre a utilização de software livre. - Algumas das agências públicas ficarão encarregues de controlar sistematicamente o desenvolvimento dos testes das Tecnologias de Informação, assim como de criar as condições para as melhores escolhas tecnológicas, devidamente fundamentadas entre a administração pública. 13

14 - Gestão transparente de financiamentos de mecanismos para projetos egovernment. Financiamentos específicos deverão ser reservados para projetos estratégicos que possam ser benéficos para terceiros. - Eficiência no apoio de serviços e na partilha de centros de serviços. Principais componentes da infraestrutura egovernment Portal do Governo Portal destinado às empresas, que faz a ligação com as entidades e com os eservices que as empresas necessitam, sejam eles de registo e criação de empresas, impostos e taxas, entre outros. Portal sueco de informação de como trabalhar, criar negócios, estabelecer parcerias. Disponibilização de formulários e aplicações. Portal com informação sobre a ajuda da Suécia a outros países. O objetivo passa também por garantir transparência na utilização de dinheiros públicos. Networks Swedish Government Secure Intranet (SGSI) Serviço de intranet para a segurança das comunicações no país, entre o Governo sueco e os membros da UE e visa a partilha de informação, em segurança, entre as Administrações Públicas Europeias. Public Telecom Network Identificação Eletrónica Official electronic ID Card A 1 de outubro de 2005, o Governo implementou a identificação eletrónica oficial para os cidadãos, contendo dados biométricos. Este cartão não substitui identificações anteriores em papel, mas serve como documento de identidade e como documento para viajar dentro do espaço Schengen. Possui também um chip tradicional que, no futuro, poderá ser utilizado para aceder de forma segura a serviços egovernment. elegitimation-non-official eid cards and software-based eids Biometric Passports Os novos passaportes suecos possuem um chip RFID (Radio Frequency Identification) 14

15 Eprocurement eprocurement Virtual System A Suécia criou um sistema virtual de compras públicas numa plataforma não obrigatória em que, serviços de compras eletrónicas são disponibilizados por quem subcontrata. O papel central da autoridades de compras eletrónicas, consiste em monitorizar os serviços providenciados e no cumprimento de padrões. De uma forma geral, a Suécia não implementou uma plataforma para uma central de compras públicas, e isto foi deliberadamente deixado para os operadores privados. Por sua vez, existem diversos portais privados, alguns dos quais se concentram nas compras públicas. Exemplos são Opic e Visma Public Procurement information portal - Este portal da National Procurement Services, serve como uma base de dados de informações, dos diferentes acordos que foram adquiridos centralmente pela National Procurement Services. Este portal está disponível para autoridades nacionais, agências públicas, regiões e municípios. Assim, as autoridades interessadas, podem utilizar este portal para pesquisar pela informação necessária dos seus acordos, enquanto o processo de aquisição é tratado pela autoridade responsável, seja por forma eletrónica ou tradicional. einvoicing Standard A Swedish National Financial Management Authority é responsável pelo processo de compras sobre uma plataforma eletrónica de faturação, e dá apoio às agências. Serviços egovernment para os Cidadãos 1. Impostos sobre o rendimento, declarações, notificações 2. Serviços de pesquisa de emprego por parte de serviços de emprego Prestações e benefícios da Segurança Social Documentos pessoais: Passaporte e carta de condução Registo Automóvel (Novos, usados, importados) 6. Pedidos de licença de construção Queixas/Declarações à Polícia (exemplo: em caso de roubo) Bibliotecas Públicas (pesquisa de livros disponíveis, motores de pesquisa) Certificados (Nascimento e Casamento), pedido e entrega Matrícula no ensino secundário e superior Alteração de residência Serviços relacionados com a saúde (aconselhamento interativo, marcação de consultas, ) - 15

16 Serviços egovernment para as empresas 1. Contribuições sociais dos trabalhadores Imposto sobre o rendimento: declaração, notificação 3. IVA: declaração, notificação Registo de nova empresa Submissão de dados para as entidades de estatística Declarações taxas aduaneiras Autorizações e licenças ambientais (incluindo relatórios) Contratos Públicos - Entidades Nacionais envolvidas na Estratégia egovernment Definição de Políticas E Estratégias - Ministry of Enterprise, Energy and Communications - - egovernment Delegation- Coordenação - egovernment Delegation- - Kammarkollegiet Legal, Financial and Administrative Services Agency and National Procurement Services - Implementação - egovernment Delegation- - Digitalisation Council- - Departamentos Individuais do Governo e outros organismos Suporte - Swedish Agency for Public Management Statskontoret - - Swedish Post and Telecom Agency - PTS - - Digitisation Council- - IT Incident Centre SITIC - Auditoria - Swedish National Audit Office Riksrevisionen - Proteção De Dados - Swedish Data Inspection Board Datainspektionen - 16

17 Entidades Locais e Regionais envolvidas na Estratégia egovernment Definição de Políticas e Estratégias - County Councils and Municipalities - Coordenação - County Councils and Municipalities - egovernment Delegation- Implementação - County Councils and Municipalities Suporte - Swedish Association of Local Authorities and Regions SKL - Auditoria Auditores Profissionais egovernment Quem é Quem Ministros Responsáveis pelo egovernment: Anna-Karin Hatt Minister for Information Technology and Energy, Ministry of Enterprise, Energy and Communications Contact details: Ministry of Enterprise, Energy and Communications Mäster Samuelsgatan 70 É Stockholm Tel.: Fax: Contact: Daniel Johansson State Secretary to the Minister for Information Technology and Energy Contact details: Ministry of Enterprise, Energy and Communications Mäster Samuelsgatan Stockholm Tel.: Fax: Contact: 17

18 Annika Bränström Chairperson of the egovernment Delegation Contact details: egovernment Delegation Karlavägen Stockholm Tel.: Source: Legislação egovernment Liberdade de Informação aspx Acesso Público à Informação e Lei do Sigilo (em inglês) - Dados pessoais (em inglês) Utilização da assinatura eletrónica Comércio Eletrónico Comunicações Eletrónicas Compras Públicas Reutilização de Informação Pública 18

19 6. Healthcare It O mercado sueco das TIC na Saúde é reconhecido mundialmente como um mercado tecnologicamente avançado, assim como pela absorção, seletiva, de tecnologia internacional, que assegura que os procedimentos e métodos continuam a ser vanguardistas e funcionais. Na Suécia existem 3 níveis de governação: O governo nacional, 21 Regiões e 290 municípios. As regiões e os municípios, podem escolher a forma como querem prestar os seus serviços de saúde, se eles próprios ou se querem recorrer a empresas privadas especializadas, cooperativas ou a organizações sem fins lucrativos, enquanto que o Governo se ocupa de determinar as estratégias globais, objetivos e regulamentação. Importa realçar, que a proporção dos serviços prestados por entidades privadas, está a crescer significativamente. As 21 regiões têm a responsabilidade legal de proporcionar os serviços de saúde aos seus habitantes e os 290 municípios prestam cuidados secundários, entre os quais, serviços de enfermagem ao domicílio e apoio aos idosos. 19

20 A Estratégia Nacional e-health A nível regional, já há muito que existem estratégias TIC em quase todos as regiões, sendo desenvolvidas, decididas e geridas de forma independente, mostrando entre elas uma grande diversidade em conteúdo, ambição e estrutura. Até 2006 não existia um documento estratégico nacional uniforme. Existiam sim, leis e instruções, que definiam os objetivos gerais, integridade e transparência, mas não existia um documento de estratégia específico que guiasse ou alinhasse o suporte das TIC na saúde. Em 2002, os benefícios e os potenciais desafios de uma estratégia nacional para as TIC na saúde foram discutidos entre todas as regiões e o Governo. Este processo resultou numa tentativa de desenvolver um entendimento comum dos benefícios e valores, para construir um espaço comum para a implementação das TIC na Saúde. Com destaque nas infraestruturas digitais de apoio, o principal foco foi dado ao suporte necessário para a partilha de comunicação e informação. Não se tratava apenas de trabalhar em rede, mas da segurança da partilha de dados e informação. Um primeiro passo foi o de definir a infraestrutura digital, processo coordenado na altura pela Carelink, que agora deu lugar à Inera (http://www.inera.se). Em 2006, foi alcançado consenso sobre uma estratégia, e diversas iniciativas têm decorrido desde então. A estratégia National ehealth, que procura assegurar informação acessível e segura no setor da saúde, tem sido acompanhada de esforços contínuos desde a sua criação. As regiões e os municípios, por terem a responsabilidade da prestação dos serviços de saúde e no apoio social, desempenham um papel extremamente importante na implementação da estratégia, em conjunto com as entidades nacionais, e a estratégia começa agora a dar os seus primeiros passos operacionais. Esta estratégia, assenta na disponibilização de informação clínica acessível e de forma segura. Os esforços nacionais no ehealth estão focados em criar melhoramentos visíveis e práticos nos 3 principais grupos alvo: no individuo, na personalização de serviços sociais e de saúde e nos decisores dos serviços sociais e de saúde. A estratégia National ehealth está dividida em 6 áreas: 1. Desenvolvimento e implementação de legislação e regulamentos em conformidade com a utilização prolongada das TIC. 2. Criação de uma infraestrutura de informação comum para o setor da Saúde 3. Criação de uma infraestrutura técnica comum para o setor da Saúde 4. Facilitar a interoperabilidade e os sistemas de suporte TIC 5. Facilitar o acesso à informação além-fronteiras 6. Tornar a informação e os serviços mais acessíveis ao cidadão. Tal como já referido, a Inera é um dos diversos atores que estão a cooperar na implementação da estratégia nacional e-health. 20

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm Anexo C: Súmula das principais iniciativas desenvolvidas na Europa na área da Sociedade de Informação e da mobilização do acesso à Internet em banda larga Para informação adicional sobre os diversos países

Leia mais

Mercado Único Digital Conferência ANACOM "Regulação no novo ecossistema digital. Centro Centro Cultural de Belém (CCB) Lisboa, 22 de Setembro 2015

Mercado Único Digital Conferência ANACOM Regulação no novo ecossistema digital. Centro Centro Cultural de Belém (CCB) Lisboa, 22 de Setembro 2015 Mercado Único Digital Conferência ANACOM "Regulação no novo ecossistema digital. Centro Centro Cultural de Belém (CCB) Lisboa, 22 de Setembro 2015 Mário Campolargo Director, NET Futures European Commission

Leia mais

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO CONVÉNIO CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO ÍNDICE FINALIDADE... 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CONSTITUIÇÃO E GOVERNÂNCIA... 4 FINANCIAMENTO... 5 RELATÓRIOS... 5 Ficha de Adesão ao CLUSTER

Leia mais

Oportunidades de Financiamento no âmbito do tema ICT: Programa de Trabalho 2013. Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional do tema ICT

Oportunidades de Financiamento no âmbito do tema ICT: Programa de Trabalho 2013. Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional do tema ICT Oportunidades de Financiamento no âmbito do tema ICT: Programa de Trabalho 2013 Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional do tema ICT Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de IDT Fundação da Ciência

Leia mais

Competitividade e Inovação

Competitividade e Inovação Competitividade e Inovação Evento SIAP 8 de Outubro de 2010 Um mundo em profunda mudança Vivemos um momento de transformação global que não podemos ignorar. Nos últimos anos crise nos mercados financeiros,

Leia mais

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Sumário País Portugal Sector Saúde Perfil do Cliente O Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho envolve

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013 38% DAS PESSOAS COM IDADE ENTRE 16 E 74 ANOS CONTACTAM COM ORGANISMOS

Leia mais

Vantagem Garantida PHC

Vantagem Garantida PHC Vantagem Garantida PHC O Vantagem Garantida PHC é um aliado para tirar maior partido das aplicações PHC A solução que permite à empresa rentabilizar o seu investimento, obtendo software actualizado, formação

Leia mais

A Internet nas nossas vidas

A Internet nas nossas vidas Economia Digital A Internet nas nossas vidas Nos últimos anos a internet revolucionou a forma como trabalhamos, comunicamos e até escolhemos produtos e serviços Economia Digital Consumidores e a Internet

Leia mais

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II PARTILHA DE EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGEM SOBRE O DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL O URBACT permite que as cidades europeias trabalhem em conjunto e desenvolvam

Leia mais

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 A GSMA representa os interesses da indústria mundial de comunicações móveis. Presente em mais de 220 países, a GSMA

Leia mais

O e-gov em Portugal. Fórum Vale do Minho Digital Melgaço 30 de Setembro de 2008

O e-gov em Portugal. Fórum Vale do Minho Digital Melgaço 30 de Setembro de 2008 O e-gov em Portugal Fórum Vale do Minho Digital Melgaço 30 de Setembro de 2008 O Plano Tecnológico é uma estratégia de mudança da base competitiva através do conhecimento, tecnologia e inovação 2 Conhecimento

Leia mais

egovernment & ehealth 2007 O papel fundamental das tecnologias no bem estar do Cidadão

egovernment & ehealth 2007 O papel fundamental das tecnologias no bem estar do Cidadão egovernment & ehealth 2007 O papel fundamental das tecnologias no bem estar do Cidadão 01 02 03 Indra A Nossa Visão do Sector Público A Administração ao serviço do Cidadão Página 2 Quem Quiénes somos somos

Leia mais

Governo Orientado por Serviços

Governo Orientado por Serviços Governo Orientado por Serviços Qual a Sociedade da Informação que Queremos? Uso das tecnologias da informação e da comunicação na administração pública - combinado com mudanças organizacionais e novas

Leia mais

O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT?

O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT? Cosme 1 O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT? Neste EU Report abordamos, em particular, o COSME, o novo programa quadro europeu para a competitividade das Empresas e das PME (pequenas e médias

Leia mais

Serviços Cloud e a Modernização da AP

Serviços Cloud e a Modernização da AP Jorge Lopes - NOSi Serviços Cloud e Modernização da AP MODELO INTEGRADO DE GOVERNAÇÃO ELETRÓNICA Promover a governança eletrônica como a melhor oportunidade para desencadear a transformação organizacional

Leia mais

Produtos ehealth. Desenvolvimento de negócios ehealth Diretoria P&S Verticais

Produtos ehealth. Desenvolvimento de negócios ehealth Diretoria P&S Verticais Produtos ehealth Desenvolvimento de negócios ehealth Diretoria P&S Verticais 1 Participação da Telefônica Vivo nas Instituições de Saúde TIC TIC TIC TIC Telemedicina TIC Telemedicina Desenvolvimento de

Leia mais

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes)

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes) Processo nº1-project Manager Construction Company Engenheiro Civil para ser Gerente de Projetos - Experiência de 5 anos em empresas relevantes (construção); Alto nível de habilidades organizacionais e

Leia mais

D.4 RELATÓRIO FINAL, VERSÃO REVISTA CORRIGIDA

D.4 RELATÓRIO FINAL, VERSÃO REVISTA CORRIGIDA 1. RESUMO Existe um amplo reconhecimento da importância do desenvolvimento profissional contínuo (DPC) e da aprendizagem ao longo da vida (ALV) dos profissionais de saúde. O DPC e a ALV ajudam a assegurar

Leia mais

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 New Standards for Business SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 Quem Somos A SCORE INNOVATION é uma empresa que tem como objecto social a prestação de serviços em consultoria,

Leia mais

AGENDA A CONFIRMAR* Minneapolis - MN. OptumLabs https://www.optum.com/optumlabs.html. University of Minnesota - School of Public Health

AGENDA A CONFIRMAR* Minneapolis - MN. OptumLabs https://www.optum.com/optumlabs.html. University of Minnesota - School of Public Health Minneapolis - MN OptumLabs https://www.optum.com/optumlabs.html AGENDA A CONFIRMAR* OptumLabs é o primeiro centro aberto e colaborativo de pesquisa e inovação da indústria de Healthcare. Através dos mais

Leia mais

DESCRIÇÃO DO TRABALHO. Directora Nacional, WWF Moçambique

DESCRIÇÃO DO TRABALHO. Directora Nacional, WWF Moçambique DESCRIÇÃO DO TRABALHO Título de posição: Responde a: Supervisiona: Localização: Gestor de Comunicação Directora Nacional, WWF Moçambique Todo pessoal de comunicações Maputo, Moçambique Data: 19 de Agosto

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

MOBILE MARKETING O Mobile Marketing é a divulgação de um negócio dirigida aos dispositivos móveis (Smartphones/Tablets), com funcionalidades específicas e estruturadas, pensadas para angariação e retenção

Leia mais

Governação Eletrónica em São Tomé e Príncipe José Manuel M. Costa Alegre Instituto de Inovação e Conhecimento São Tomé e Príncipe

Governação Eletrónica em São Tomé e Príncipe José Manuel M. Costa Alegre Instituto de Inovação e Conhecimento São Tomé e Príncipe Governação Inteligente para Liderar o Futuro Governação Eletrónica em São Tomé e Príncipe José Manuel M. Costa Alegre Instituto de Inovação e Conhecimento São Tomé e Príncipe PERCURSO DO GOVERNO ELECTRONICO

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO ASSEMBLEIA PARLAMENTAR PARITÁRIA ACP-UE Comissão do Desenvolvimento Económico, das Finanças e do Comércio 27.4.2012 DOCUMENTO DE TRABALHO sobre o empreendedorismo baseado nas TIC e o seu impacto no desenvolvimento

Leia mais

A Gisgeo. Web SIG Sistemas de Informação Geográfica via web. Geo Marketing e Geo Turismo. Localização de pessoas. Gestão de frota automóvel

A Gisgeo. Web SIG Sistemas de Informação Geográfica via web. Geo Marketing e Geo Turismo. Localização de pessoas. Gestão de frota automóvel A Gisgeo Web SIG Sistemas de Informação Geográfica via web Geo Marketing e Geo Turismo Localização de pessoas Gestão de frota automóvel App de localização para smartphones Sistemas de navegação GPS A Gisgeo

Leia mais

Paulo Alves / CEO. paulo.alves@proside.pt

Paulo Alves / CEO. paulo.alves@proside.pt Paulo Alves / CEO paulo.alves@proside.pt Sistemas Integrados de Atendimento O que fazemos A Empresa Concepção, Arquitectura e Implementação de Sistemas de Informação; Consultoria Tecnológica de Sistemas

Leia mais

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Candidatura aprovada ao Programa Política de Cidades - Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação Síntese A cidade de S.

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012 06 de novembro de 2012 60% das pessoas dos 16 aos 74 anos utilizam Internet

Leia mais

AS MAIS RECENTES SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS, AGORA ACESSÍVEIS A TODAS AS EMPRESAS

AS MAIS RECENTES SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS, AGORA ACESSÍVEIS A TODAS AS EMPRESAS MAIS PRODUTIVIDADE E COMPETITIVIDADE AS MAIS RECENTES SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS, AGORA ACESSÍVEIS A TODAS AS EMPRESAS Oquesepretende? A iniciativa PME Digital visa contribuir para estimular a atividade económica

Leia mais

Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico

Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico RESUMO EXECUTIVO Objetivo Melhorar a vida dos moradores e ajudálos a serem bem-sucedidos na

Leia mais

Paulo Alves / CEO. paulo.alves@proside.pt

Paulo Alves / CEO. paulo.alves@proside.pt Paulo Alves / CEO paulo.alves@proside.pt Sistemas Integrados de Atendimento O que fazemos A Empresa Concepção, Arquitectura e Implementação de Sistemas de Informação; Consultoria Tecnológica de Sistemas

Leia mais

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia.

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Bem-vindos à Conferência da ANACOM. Antes de mais gostaria de agradecer

Leia mais

Objectivos de aprendizagem

Objectivos de aprendizagem Capítulo 6 1 Telecomunicações e redes 2 Objectivos de aprendizagem ƒ Identificar as principais tendências e os grandes desenvolvimentos nas empresas, nas tecnologias e nas aplicações de negócio, das telecomunicações

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais

Maio 2013 PE2020. O papel da Engenharia como fator de competitividade. Iniciativa

Maio 2013 PE2020. O papel da Engenharia como fator de competitividade. Iniciativa Maio 2013 PE2020 O papel da Engenharia como fator de competitividade Iniciativa Agenda 1. Apresentação da Proforum e do PE2020 como plataforma colaborativa relevante e integradora 2. Contributo do PE2020

Leia mais

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações NP ISO 10001:2008 Gestão da qualidade. Satisfação do cliente. Linhas de orientação relativas aos códigos de conduta das organizações CT 80 2008 NP ISO 10002:2007 Gestão da qualidade. Satisfação dos clientes.

Leia mais

O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM:

O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM: O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM: Decidiu apoiar as PME através deste programa, que permite: Modernizar a sua infraestrutura de comunicações Fazer crescer o seu negócio Incorporar competências essenciais

Leia mais

COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial

COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Subsistemas Fomento da Base Económica de Exportação Desenvolvimento Local Empreendedorismo

Leia mais

AS TIC E A SAÚDE NO PORTUGAL DE HOJE

AS TIC E A SAÚDE NO PORTUGAL DE HOJE AS TIC E A SAÚDE NO PORTUGAL DE HOJE 18 MARÇO 2015 Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa PATROCINDADORES Apoio Patrocinadores Globais APDSI As TIC e a Saúde no Portugal de hoje Joaquim Cunha 18 março

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Tipos de SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução 2 n As organizações modernas competem entre si para satisfazer as necessidades dos seus clientes de um modo

Leia mais

Guia de Participação na MISSÃO PARA O CRESCIMENTO PORTUGAL

Guia de Participação na MISSÃO PARA O CRESCIMENTO PORTUGAL Guia de Participação na MISSÃO PARA O CRESCIMENTO PORTUGAL Encontro Internacional de Negócios Lisboa, 29 de Novembro de 2013 INTRODUÇÃO As PME portuguesas têm vindo a atravessar bastantes dificuldades

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

O Fórum Económico de Marvila

O Fórum Económico de Marvila Agenda O Fórum Económico de Marvila A iniciativa Cidadania e voluntariado: um desafio para Marvila A Sair da Casca O voluntariado empresarial e as políticas de envolvimento com a comunidade Tipos de voluntariado

Leia mais

Simplificação nas PMEs

Simplificação nas PMEs Simplificação nas PMEs Aproveitamento das Novas Tecnologias DGITA Portal Declarações Electrónicas Dezembro 2007 Simplificação nas PMEs - Aproveitamento das Novas Tecnologias 1 Agenda O que é a DGITA? Estratégia

Leia mais

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Instrumentos financeiros

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Instrumentos financeiros aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Os instrumentos financeiros cofinanciados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional são uma forma eficiente

Leia mais

A Estratégia de Lisboa. Plano Tecnológico. e o. Évora, SI@P 17 de Outubro de 2008

A Estratégia de Lisboa. Plano Tecnológico. e o. Évora, SI@P 17 de Outubro de 2008 A Estratégia de Lisboa e o Plano Tecnológico Évora, SI@P 17 de Outubro de 2008 1. Estratégia de Lisboa Estratégia de Lisboa : uma resposta a novos desafios A Globalização e a emergência de novas potências

Leia mais

O papel dominante da mobilidade no mercado de trabalho

O papel dominante da mobilidade no mercado de trabalho Um perfil personalizado de adoção da tecnologia comissionado pela Cisco Systems Fevereiro de 2012 Dinâmica de ganhos com as iniciativas de mobilidade corporativa Os trabalhadores estão cada vez mais remotos,

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Como construir uma DLA?

Como construir uma DLA? Como construir uma DLA? Conteúdo Como construir uma DLA?... 2 Introdução... 2 Metodologia DLA... 3 1.Preparação da DLA... 3 2.Planeamento da DLA... 6 2.1. Avaliação do estado actual... 6 2.3. Desenvolvimento

Leia mais

Desafios de Valor numa Economia Inteligente

Desafios de Valor numa Economia Inteligente Desafios de Valor numa Economia Inteligente Desafios de Valor numa Economia Inteligente Desafios de Valor numa Economia Inteligente As Novas Redes Colaborativas Os Novos Processos de Intermediação A Gestão

Leia mais

Inteligência Competitiva Uma Solução Estratégica. Jaime Quesado

Inteligência Competitiva Uma Solução Estratégica. Jaime Quesado VII Encontro da PASC Plataforma Activa da Sociedade Civil 2 de Março de 2011 Sala do Senado da Reitoria da UNL Inteligência Competitiva Uma Solução Estratégica Jaime Quesado Patrocinadores Globais Inteligência

Leia mais

Projecto de Governo Electrónico e de Infra-estruturas de Comunicação

Projecto de Governo Electrónico e de Infra-estruturas de Comunicação Projecto de Governo Electrónico e de Infra-estruturas de Comunicação (Mozambique egovernment and Communication Infrastructure Project) (MEGCIP) 5º Fórum Lusófono das Comunicações Painel 4: Infra-estruturas

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

Utilização de informação geoespacial na gestão e apoio à decisão das empresas

Utilização de informação geoespacial na gestão e apoio à decisão das empresas Utilização de informação geoespacial na gestão e apoio à decisão das empresas A Gisgeo Alguns dados da empresa: Fundada em 2008; Integrada no UPTEC Parque de Ciência e Tecnologia da UP; 3 sócios + 2 colaboradores,

Leia mais

Senhor representante do Secretariado Geral da União do Magrebe Árabe. Senhor Secretário Geral Adjunto da União para o Mediterrâneo

Senhor representante do Secretariado Geral da União do Magrebe Árabe. Senhor Secretário Geral Adjunto da União para o Mediterrâneo Senhores Ministros Senhores Embaixadores Senhor representante do Secretariado Geral da União do Magrebe Árabe Senhor Secretário Geral Adjunto da União para o Mediterrâneo Senhora representante da Comissão

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

3ª Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Confiança e Compromisso nos Canais Digitais

3ª Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Confiança e Compromisso nos Canais Digitais 3ª Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Confiança e Compromisso nos Canais Digitais 29 de setembro de 2014 Auditório da BMAG Apoio Patrocinadores Globais APDSI Internet, Negócio e Redes Sociais

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Introdução Atualmente, é impossível imaginar uma empresa sem uma forte área de sistemas

Leia mais

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação Capítulo 2 E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação 2.1 2007 by Prentice Hall OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever as principais características das empresas que são importantes

Leia mais

O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga

O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga Instituto de Inovação com TIC O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga [ Flávia Fernandes Julho/2010] Banda Larga Internet A Internet supera a produtividade combinada do telefone, transporte e eletricidade

Leia mais

Enquadramento do sector

Enquadramento do sector ESTRATÉGIA NACIONAL DE INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO PARA UMA ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE 2 Enquadramento do sector No âmbito da Estratégia Nacional de Especialização Inteligente, o desafio que se coloca à economia

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Gabinete do Ministro CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Breve apresentação da proposta de Orçamento de Estado para 2008 23 de Outubro de 2007 Texto

Leia mais

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal SAÚDEGLOBAL AON Portugal Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Saúdeglobal N.º Colaboradores N.º de Estabelecimentos Dispersão Geográfica Nacional Facturação em 2010

Leia mais

90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional

90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional Michael Page lança Barómetro de TI 90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional Lisboa, 21 de Julho de 2015 A Michael Page, empresa líder em recrutamento de quadros médios e superiores,

Leia mais

Identificação da empresa. Missão

Identificação da empresa. Missão Identificação da empresa SPMS - Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, EPE, pessoa coletiva de direito público de natureza empresarial, titular do número único de matrícula e de pessoa coletiva 509

Leia mais

Empowering People O Poder das Pessoas

Empowering People O Poder das Pessoas A Minha Escola Nada é difícil se for dividido em pequenas partes. Henry Ford " Empowering People O Poder das Pessoas 2 Já se imaginou a ter o seu próprio centro de formação, a sua escola?! Gostaria de

Leia mais

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE Projecto IMCHE/2/CP2 1 ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA A AVALIAÇÃO DA AJUDA AO DESENVOLVIMENTO

PRINCÍPIOS PARA A AVALIAÇÃO DA AJUDA AO DESENVOLVIMENTO COMITÉ DE AJUDA AO DESENVOLVIMENTO PRINCÍPIOS PARA A AVALIAÇÃO DA AJUDA AO DESENVOLVIMENTO PARIS 1991 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO 3 II. FINALIDADE DA AVALIAÇÃO 5 III. IMPARCIALIDADE E INDEPENDÊNCIA 6 IV. CREDIBILIDADE

Leia mais

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR?

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? Descubra os benefícios que podem ser encontrados ao se adaptar as novas tendências de mercado ebook GRÁTIS Como o investimento em TI pode

Leia mais

COMISSÃO. 1. Introdução

COMISSÃO. 1. Introdução COMISSÃO Convite à apresentação de candidaturas para a constituição de uma lista de peritos encarregados de avaliar as propostas recebidas no âmbito do programa eten, projectos de interesse comum no domínio

Leia mais

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço Política de Produto e Serviço Publicado em julho 2012 1 Fundada em 1876, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) é o maior grupo financeiro nacional, atuando em diferentes áreas, designadamente na banca comercial,

Leia mais

Reforma institucional do Secretariado da SADC

Reforma institucional do Secretariado da SADC Reforma institucional do Secretariado da SADC Ganhamos este prémio e queremos mostrar que podemos ainda mais construirmos sobre este sucesso para alcançarmos maiores benefícios para a região da SADC e

Leia mais

Fórum 2014 Porto Casa da Música. www.it4legal.org

Fórum 2014 Porto Casa da Música. www.it4legal.org Porto Casa da Música www.it4legal.org Porto Casa da Música IT4Legal Quem Somos IT4Legal é um grupo informal dedicado à partilha e divulgação de informação acerca de sistemas de informação nas sociedades

Leia mais

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS Acção 1 1 AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS A B Parcerias Estratégicas na área da Educação, Formação

Leia mais

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução Bom dia, Senhoras e Senhores Introdução Gostaria de começar por agradecer o amável convite que o Gabinete do Parlamento Europeu em Lisboa me dirigiu para participar neste debate e felicitar os organizadores

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PROJETO LIFE 2

INTRODUÇÃO AO PROJETO LIFE 2 INTRODUÇÃO AO PROJETO LIFE 2 O projeto LIFE2 (Competências chave para a vida) visa ajudar os jovens a desenvolver, no decurso da sua formação profissional, as competências e confiança necessárias no mundo

Leia mais

Arquitectura Global de Interoperabilidade PNAGIA Proximidade, Diversidade e Eficiência da Oferta de Serviços ao Cidadão

Arquitectura Global de Interoperabilidade PNAGIA Proximidade, Diversidade e Eficiência da Oferta de Serviços ao Cidadão MTTI/CNTI 2015 Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação Centro Nacional das Tecnologias de Informação Arquitectura Global de Interoperabilidade PNAGIA Proximidade, Diversidade e Eficiência

Leia mais

Plano tecnológico? Ou nem tanto?

Plano tecnológico? Ou nem tanto? Plano tecnológico? Ou nem tanto? WEB: ÉDEN?APOCALIPSE? OU NEM TANTO? Plano Tecnológico Mas, Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, além deste Contrato, o Novo Contrato para a Confiança, o nosso

Leia mais

PROTEÇÃO DE DADOS NA INFORMAÇÃO DE SAÚDE. Maria Candida Guedes de Oliveira Comisionada de la CNPD

PROTEÇÃO DE DADOS NA INFORMAÇÃO DE SAÚDE. Maria Candida Guedes de Oliveira Comisionada de la CNPD PROTEÇÃO DE DADOS NA INFORMAÇÃO DE SAÚDE Comisionada de la CNPD Novas Tecnologias na Saúde Perigos potenciais do uso da tecnologia: Enorme quantidade de informação sensível agregada Aumenta a pressão económica

Leia mais

SERVIÇOS PÚBLICOS ONLINE E PLANO TECNOLÓGICO

SERVIÇOS PÚBLICOS ONLINE E PLANO TECNOLÓGICO SERVIÇOS PÚBLICOS ONLINE E PLANO TECNOLÓGICO SÍNTESE DE RESULTADOS DO ESTUDO NOVEMBRO 2006 Sobre a Netsonda A Netsonda, em actividade desde Julho de 2000, é líder e pioneira em Portugal na recolha e análise

Leia mais

Solução de gestão de frota automóvel

Solução de gestão de frota automóvel Solução de gestão de frota automóvel Gisgeo Information Systems www.gisgeo.pt UPTEC Parque de Ciência e Tecnologia R. Actor Ferreira da Silva, 100 gisgeo@gisgeo.pt 4200-298 Porto +351 220301572 Portugal

Leia mais

Iniciativa PE2020. A Engenharia como fator de competitividade Projetos colaborativos. António Manzoni/Vilar Filipe

Iniciativa PE2020. A Engenharia como fator de competitividade Projetos colaborativos. António Manzoni/Vilar Filipe Iniciativa PE2020 A Engenharia como fator de competitividade Projetos colaborativos António Manzoni/Vilar Filipe Novembro 2013 Projeto Engenharia 2020 Preocupações macroeconómicas Papel da engenharia na

Leia mais

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico CUSTOMER SUCCESS STORY Abril 2014 Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico PERFIL DO CLIENTE Indústria: Mídia Companhia: Valor Econômico Funcionários:

Leia mais

Operador global centrado na sustentabilidade

Operador global centrado na sustentabilidade Operador global centrado na sustentabilidade Francisco Nunes, Administrador PT Portugal Lisboa, 8 maio 2012 CONFIDENCIAL A utilização deste documento, para quaisquer fins, sem autorização expressa da Portugal

Leia mais

O seu escritório na nuvem - basta usar o browser.

O seu escritório na nuvem - basta usar o browser. 02 O seu escritório na nuvem - basta usar o browser. As soluções tecnológicas que encontra para melhorar a colaboração na sua empresa são muito caras e complexas? Pretende tornar as suas equipas mais ágeis

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

3º Programa de Saúde 2014-2020

3º Programa de Saúde 2014-2020 2014-2020 INFARMED, 25 de junho de 2014 1. Enquadramento estratégico 2. Apresentação 3. Objetivos 4. Prioridades temáticas 5. Ações 6. Beneficiários 7. Tipos de subvenção 8. Regras de financiamento 9.

Leia mais

ROSETTA STONE LANGUAGE LEARNING SUITE PARA O SETOR PÚBLICO

ROSETTA STONE LANGUAGE LEARNING SUITE PARA O SETOR PÚBLICO ROSETTA STONE LANGUAGE LEARNING SUITE PARA O SETOR PÚBLICO Garanta o sucesso da missão. Garanta o sucesso da missão. A Rosetta Stone ajuda organizações governamentais e sem fins lucrativos a capacitar

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

A proposta de Direito europeu comum da compra e venda: perspetiva do comércio eletrónico

A proposta de Direito europeu comum da compra e venda: perspetiva do comércio eletrónico DIREÇÃO-GERAL DAS POLÍTICAS INTERNAS DA UNIÃO DEPARTAMENTO TEMÁTICO C: DIREITOS DOS CIDADÃOS E ASSUNTOS CONSTITUCIONAIS Assuntos Jurídicos A proposta de Direito europeu comum da compra e venda: perspetiva

Leia mais

António Borba UMIC. Conferência As TIC e a Saúde no Portugal de 2009. 25 de Novembro de 2009 Auditório do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa

António Borba UMIC. Conferência As TIC e a Saúde no Portugal de 2009. 25 de Novembro de 2009 Auditório do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa Conferência As TIC e a Saúde no Portugal de 2009 25 de Novembro de 2009 Auditório do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa António Borba UMIC Patrocínio: Patrocinadores Globais Plataforma Nacional de

Leia mais

Portugal Brasil Moçambique Polónia

Portugal Brasil Moçambique Polónia www.promover.pt www.greatteam.pt Portugal Brasil Moçambique Polónia QUEM SOMOS - Prestamos serviços técnicos de consultoria de gestão e formação nos diversos setores da economia. - Presentes em Lisboa,

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia 2011/2284(INI) 7.2.2012 PROJETO DE RELATÓRIO sobre a proteção das infraestruturas críticas da informação Realizações e próximas

Leia mais

Auditoria: Desafio e Confiança. 13 de setembro de 2013

Auditoria: Desafio e Confiança. 13 de setembro de 2013 XI Congresso da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas Auditoria: Desafio e Confiança 13 de setembro de 2013 Senhor Bastonário da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas, Dr. José Azevedo Rodrigues, Senhoras

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais