JORNAL DE NEGÓCIOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "11 2012 JORNAL DE NEGÓCIOS"

Transcrição

1 RESUMO DE IMPRENSA Segunda-feira, 11 de Junho de 2012 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Finanças recomendam cortes no banco central. Parecer incide sobre os subsídios de férias e Natal dos pensionistas. O Ministério das Finanças aconselha o Banco de Portugal a aplicar o corte dos subsídios de férias e Natal aos seus pensionistas com reformas superiores a 600 euros, tal como acontece aos restantes reformados do país. A opinião consta de um parecer redigido pelo Ministério das Finanças a que o Negócios teve acesso e que não tem carácter vinculativo. Cabe agora ao governador Carlos Costa tomar a decisão final. (manchete, pág. 30) 2. Estado devia criar banco para desenvolver economia. Era bom ter mais bancos nacionais a fazer privatizações. António Guerreiro, presidente do Banco Finantia, partilha, em entrevista, as suas ideias para o país. A linha dos 12 mil milhões devia ser toda utilizada, diagnostica o presidente do Finantia, explicando que o que restasse do processo de capitalização devia ser usado para criar um banco para financiar o desenvolvimento do país. ( ) A Caixa, se for privatizada na sua actual forma pode criar confusão. Preferiria um modelo em que, se se quer privatizar, se faça a cisão do banco comercial. ( ) Não tenho dúvidas nenhumas *de que os bancos vão devolver o apoio do Estado no prazo de cinco anos+. ( ) Precisamos de um plano para a recuperação económica. Que deve incluir uma forte componente de financiamento de médio e longo prazo. Entrevista. (págs. 1, 10 e 11) 1

2 3. Penhoras de baixo valor vão ser travadas na nova legislação. Municípios têm poucas possibilidades de entrar em guerra com o poder central. Edil de Esposende diz que Governo dá à ANMP as vitórias que entende dar. A dependência dos municípios perante o poder central é tanta que estas não conseguem comprar as guerras que deviam. Ex-militante do PSD, João Cepa lamenta que quem foi prudente na gestão camarária não tenha agora qualquer benefício. ( ) Os que se andaram a portar bem não fizeram investimento e agora não vão ter nenhuma benesse, nenhum apoio extraordinário. ( ) O que o Governo está a fazer com a ANMP é: lança estas propostas de reforma com soluções radicais, depois cede aqui, cede ali, na alínea não sei que mais, atinge o objectivo que tinha e a ANMP fica toda contente. ( ) Não faz sentido haver grandes hospitais ou equipamentos culturais em todos os conselhos. Só que os nossos eleitores não pensam assim! ( ) Problema da dívida está nos orçamentos fantasiosos. Entrevista. (págs. 1, 28 e 29) 4. Pais do Amaral e sócio constroem nova sede da Mota-Engil até Futuro Norte Center tem o edifício da construtora, avaliado em 45 milhões de euros, como âncora. ( ) Falta de crédito trava crescimento dos negócios. (págs. 1, 14 e 23) 5. Resgate espanhol gera polémica. Banqueiros portugueses satisfeitos com iniciativa de Madrid. Espanha lança debate sobre os modelos de resgate. Espanha tem 100 mil milhões de euros à disposição para recapitalizar os bancos, sem financiamento do FMI nem condições adicionais de ajustamento. Reacções não se fizeram esperar em Lisboa, Dublin e Atenas. ( ) O Banco Caixa Geral, que a CGD tem em Espanha, está bem capitalizado, diz José de Matos. ( ) Ricardo Salgado diz que continua a acreditar que Espanha, como país, não precisa de bail out. ( ) Nuno Amado, do BCP, diz que assim se reduz claramente a incerteza sobre a situação de Espanha. ( ) Empréstimo à banca não salva Espanha de intervenção externa. ( ) Um gigante com pés de barro. Economia 2

3 espanhola passou de bestial a besta. E as perspectivas são negras até (págs. 1, 4 a 8 e editorial) 6. Transportes. CP suprimiu 20 mil comboios devido às greves em Transportadora admite que aumento dos preços também contribuiu para a redução do número de passageiros sofrida no ano passado. ( ) A transportadora reduziu os efectivos em 263 trabalhadores no ano passado, ficando com 2978 pessoas. ( ) Os resultados líquidos pioraram, com a CP a ser prejudicada pelo peso da dívida histórica e pelos custos e dificuldades de financiamento. ( ) A CP suportou 83 dias de greves parciais em 2011, a que se somam 12 dias de greves totais na actividade da transportadora. (pág. 12) 7. Preço dos alimentos com maior queda em dois anos. Índice FAO recuou para o valor mais baixo desde Setembro de 2011 graças à descida do preço dos produtos lácteos, cereais e açúcar. (pág. 15) 8. Sobreendividamento. Deputados querem travar penhora da casa nos créditos de baixo valor. Propostas visam também impedir a execução de hipotecas por dívidas no Imposto Municipal sobre Imóveis. PS, CDS e Bloco de Esquerda pretendem introduzir alterações no âmbito da penhora de imóveis. Uma das propostas visa a proibição da penhora da habitação quando esteja em causa a falta de pagamento de créditos de baixo valor. Os deputados querem também que seja proibida a penhora por dívidas de IMI, a devedores em dificuldades. ( ) Parlamento Europeu aprova proposta de dação em pagamento. Caso haja acordo entre as partes, a entrega do imóvel pode saldar a totalidade da dívida face ao banco. (págs. 16 e 17) 9. Comércio electrónico. Groupon já convenceu um milhão de portugueses em dois anos. Empresa de ecommerce quer crescer no mercado nacional, mesmo num contexto de retracção do consumo. A Groupon não temeu a retracção do consumo em 3

4 Portugal, onde encontrou os seus coupons de descontos há dois anos. Boris Hageney, CEO da Groupon Portugal, assegurou que a empresa de ecommerce já conta com um milhão de utilizadores no país e o objectivo é crescer. A Groupon vêm muitas oportunidades em Portugal e a crise não a assusta. (pág. 24) 10. Comissão de inquérito. Não era possível calcular o custo da nacionalização do BPN. O ex-governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, explicou, sexta-feira, no Parlamento, que quando foi tomada a decisão de nacionalização do BPN, em 2008, era impossível calcular o seu custo para os cofres públicos, considerando que isso acontece em qualquer nacionalização. (pág. 25) 11. Contas nacionais. Reposição de stocks foi decisiva para arranque de ano. No final de 2011 empresas decidiram maior redução de stocks de que há memória. No arranque de 2012 aliviaram nessa frente. Este é um factor decisivo para explicar o desempenho melhor que o esperado da economia no primeiro trimestre. Exportações afirmam-se como único motor de suporte ao PIB. ( ) Construção cresce face ao final de ( ) Exportações de mercadorias em alta. ( ) Défice externo recua para níveis do tempo do escudo. (págs. 26 e 27) 12. Tribunal Constitucional. Cortes salariais aos funcionários dos CTT são constitucionais. Tribunal Constitucional reitera o conteúdo do seu acórdão relativamente aos cortes salariais de ( ) Indefinição dos partidos não trava avaliação de (pág. 31) 13. Dia de Portugal. Recuperação pode não estar muito distante. O Presidente da República, Cavaco Silva, considerou ontem que alguns indicadores permitem ter a esperança de que a recuperação da economia portuguesa pode ser uma realidade não muito distante, mas ressalvou que nada está garantido. (últ. pág.) 4

5 14. Aviação. Venda da Groundforce volta agora para AdC. O Governo garantiu aos trabalhadores da Groundforce que iria validar o negócio, após ter recebido luz verde de Bruxelas. A secretária de Estado do Tesouro garantiu aos trabalhadores que o despacho era imediato, disse ao Negócios o dirigente sindical, André Teives. Agora, para concluir o processo de venda da maioria do capital da Groundforce à Urbanos, a operação terá que voltar para a Autoridade da Concorrência para a aprovação final. (últ. pág.) DIÁRIO ECONÓMICO 15. Resgate à banca espanhola. Madrid consegue resgate sem mais austeridade. Eurogrupo oferece crédito de 100 mil milhões para recapitalzar banca e tentar aliviar a pressão na dívida soberana. A directora-geral do FMI, Christine Lagarde, disse que os 100 mil milhões de euros para resgatar a banca espanhola são garantia suficiente para o financiamento. Para Olli Rehn, este é um sinal muito claro de que a zona euro está determinada em tomar todas as acções necessárias para acalmar a turbulência no mercado e conter o contágio. Mercados têm agora a palavra. Bruxelas diz ser muito difícil uma renegociação para Portugal. Passos afastou um pedido de renegociação das condições do empréstimo. Mas lembrou que se houver condições excepcionais, Portugal deve beneficiar delas. Empresários preocupados com evolução da crise espanhola. Falta de capacidade dos líderes europeus em resolver os problemas aumenta receios de contágio a outros países. O presidente do BES, Ricardo Salgado, considera muito positivo que se tenha encontrado uma solução para os problemas do sector bancário espanhol e acrescenta: Sempre disse e continuo a acreditar que Espanha não precisa de um resgate enquanto país.. Nuno Amado, presidente do BCP, *ajuda] é globalmente positiva pois reduz claramente a incerteza sobre a situação de Espanha ( ) provavelmente terá um menor impacto recessivo na economia, disse à edição online do Público. Armindo Monteiro, CEO da 5

6 Compta, Este ano desinvestimos em Espanha e penso que muitos empresários estão a fazer o mesmo. Mas uma crise em Espanha é para nós catastrófico porque é o principal destino das nossas exportações. Relações deficitárias; Portugal tem uma relação deficitária com Espanha: importa mais do que exporta. As vendas para Espanha no primeiro trimestre foram 22,5% do total, enquanto as importações foram de 31,8%. Mais de 16% da facturação das empresas cotadas vem de Espanha. EDP, EDP Renováveis e Galp são as que têm maior volume de negócios no país vizinho. Bancos nacionais têm 17 mil milhões em Espanha. É o país estrangeiro ao qual a banca nacional está mais exposta. (págs. 1, 4 a 11 e opinião pág. 40) 16. Governo tenta vincular PS ao acordo celebrado com os autarcas. Acordo firmado com municípios vai assumir forma de proposta de lei, em vez de decreto, de forma a que seja debatido e aprovado no Parlamento. Ministro dos Assuntos Parlamentares leva a Conselho de Ministros proposta de Lei com programa de apoio à economia local. Objectivo é tentar, no Parlamento, o apoio do PS. (pág. 3) 17. Cavaco pede medidas urgentes para combater desemprego. O pedido de resgate à banca espanhola foi a grande ausência do discurso de Cavaco Silva. Com o desemprego a atingir níveis históricos, Cavaco Silva exigiu ao Governo que adopte novas políticas de emprego e que "passe das palavras aos actos". Um pedido que o Presidente da República deixou ontem - nas comemorações do Dia de Portugal, em Lisboa - também aos líderes europeus, num discurso onde passou ao lado do tema do dia: o resgate à banca espanhola. Passos Coelho, que pela primeira vez assistiu às comemorações do 10 de Junho enquanto primeiroministro, desvalorizou o apelo de Cavaco, garantindo que o Governo tem vindo a tomar as medidas "adequadas para poder lutar contra o desemprego". O chefe do Executivo assegurou que "o senhor Presidente está bem informado sobre as decisões que o Governo tem vindo a tomar nesta matéria" e aproveitou para 6

7 recordar os programas lançados recentemente para o emprego jovem. Passos salientou ainda o exemplo do "compromisso" firmado durante a última avaliação da troika' para a preparação do Orçamento do Estado para o próximo ano que deverá "avaliar possibilidades de utilizar a descida da TSU que favoreça a empregabilidade". (págs. 16 e 17) 18. Agenda do dia. Assembleia geral extraordinária da Toyota Caetano. (pág. 23) 19. Agenda do dia. Jerónimo Martins e cadeia de lojas Biedronka promovem encontro para apresentar investimento na Polónia. (pág. 23) 20. Empresa portuguesa [Active Space Technologies] desenvolve controlador e asas de helicóptero. (pág. 27) 21. Combustíveis. Preços do gasóleo e da gasolina caem mais de dois cêntimos a partir de hoje. (pág. 30) 22. Conheça quem manda nas empresas portuguesas. Cerca de 15% dos gestores de topo das empresas nacionais não têm formação superior. CEO portugueses têm pouca experiência internacional [estudo da Heidrick & Struggles]. (suplemento Universidades & Emprego, págs. 1, 2 e 3) PÚBLICO 23. Resgate de Espanha. Ajuda da zona euro à banca espanhola poderá ser insuficiente. Madrid enfrenta nos próximos dias o teste do acesso aos mercados financeiros, que determinarão se o país poderá escapar a um resgate pleno, como o que está a ser aplicado em Portugal e na Grécia. (pág. 2) 7

8 24. Primeiro-ministro não afasta renegociação das condições de resgate. O primeiro-ministro, Passos Coelho, não afastou ontem a hipótese de virem a ser discutidas e renegociadas as condições mediante as quais Portugal está a ser intervencionado pela Comissão Europeia, BCE e FMI. (pág. 3) 25. Ajuda financeira a Madrid pode facilitar novo financiamento a Portugal. Economistas e gestores acreditam que resgate da banca espanhola terá impactos positivos, libertando o país de medidas de austeridade adicionais em caso de novo financiamento. (pág. 4) 26. Impacto nos juros da dívida deverá ser bom, mas abertura do mercado é uma incógnita. O pedido de resgate para o sector financeiro espanhol não surpreende os mercados financeiros. A única surpresa é o tecto da ajuda, que pode ir até 100 mil milhões de euros, bem acima dos valores até agora apontados. E há dúvidas sobre a forma como se vai concretizar a operação se esta vai ou não afectar o défice espanhol. (pág.4) 27. Demasiado exposta à bolha do sector imobiliário e incapaz de se financiar nos mercados, a banca arrastou Espanha para o rotundamente, sim. Ainda falta saber quanto dinheiro será, afinal, necessário para recapitalizar a banca espanhola. O que é certo, e já era no passado mas só agora foi assumido, é que o sistema financeiro não conseguirá levantar-se pelo próprio pé, sem uma intervenção externa. (pág. 7) 28. Eleições em França. Esquerda consegue garantir maioria na primeira volta das legislativas. Presidente François Hollande não obteve uma maré rosa mas o Partido Socialista está bem posicionado para garantir a maioria absoluta na Assembleia Nacional na ronda do próximo domingo (pág. 8) 8

9 29. Dia de Portugal. Cavaco pede políticas urgentes de emprego e mais diálogo social. Num discurso centrado nas questões europeias, o Presidente da República pediu grandeza e rasgo para salvar a moeda única e ultrapassar a crise, que diz já não ser apenas financeira. (págs. 10 e 11) 30. Ambiente. Governo aprova esta semana nova lei de Bases do Ambiente. Diploma prevê reforço das compensações ambientais a autarquias ou particulares. Lei em vigor tem 25 anos. (pág. 12) 31. Autarquias. Governo rejeita proposta de Rui Rio. O secretário de Estado do Poder Local e o líder dos autarcas do PSD rejeitaram a proposta de suspensão das eleições. O secretário de Estado da Administração Local, Paulo Júlio, rejeitou ontem a proposta avançada no sábado pelo presidente da Câmara do Porto, para que as autarquias em desequilíbrio financeiro fossem geridas por uma comissão administrativa. (pág. 12) 32. Empresas públicas de transportes precisam de 1,4 mil milhões este ano. Refer é a empresa com maiores necessidades de financiamento, no valor de 800 milhões. Transportadoras do Estado vão continuar a recorrer aos cofres públicos para garantirem crédito. ( ) A Refer é a empresa que mais dinheiro terá de desembolsar até Dezembro, num total de 800 milhões de euros. A gestora da rede ferroviária nacional, que é também a mais endividada no universo do SEE, explicou que, deste montante, 412 milhões dizem respeito a reembolsos de dívida contraída junto de instituições financeiras. Os restantes 388 milhões correspondem às necessidades decorrentes da actividade e dos juros que não são cobertos pela própria empresa, seja através das receitas que gere ou dos subsídios à exploração e indemnizações compensatórias que recebe. (págs. 16 e 17) 9

10 33. O vazio dos funcionários a quem o Estado paga para ficarem em casa. Não estão desempregados, mas também não trabalham. Foram dispensados dos serviços em 2007, recebem metade do salário e estão há cinco anos em casa à espera de colocação. Ao todo, são 478 os funcionários públicos nesta situação. (págs. 18 e 19) DIÁRIO DE NOTÍCIAS 34. Comemorações 10 de Junho. Imperioso aprofundar diálogo e concertação. Discurso. Presidente da República frisou que abertura ao diálogo tem de se concretizar em actos concretos e reais que demonstrem sentido de responsabilidade e considerou, ainda, urgente adoptar novas políticas de emprego em Portugal e na Europa. (pág. 2) 35. Duplicação de meios. Há 1700 elementos com funções iguais em unidades de reserva da GNR e da PSP. Estrutura. A partir de 2014, o orçamento para a segurança vai descer e o Governo, não podendo cortar nos salários que absorvem mais de 90% da despesa, terá de racionalizar os meios. O fim das duplicações nas unidades especiais da GNR e da PSP está na mira. (págs. 4 e 5) 36. Tese inacreditável de Rio rejeitada pelos autarcas. Democracia. Ideia de suspender as eleições nas câmaras endividadas não encontra apoios. O presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, não encontra seguidores para o inacreditável plano de salvar as autarquias endividadas. Nem no interior do seu partido, o PSD nem nos outros. Faz lembrar os piores momentos da Drª. Manuela Ferreira Leite, que propôs a suspensão da democracia por seis meses, acusa o social-democrata José Ribau Esteves. (pág. 8) 10

11 37. PS de Hollande caminha para a maioria absoluta. Legislativas. França confirma viragem à esquerda e dá a socialistas e aliados 40% dos votos. (pág. 18) 38. Resgate a Espanha pode ser mais duro do que o previsto. Crise. Rajoy diz que foi quem exerceu pressão sobre o Eurogrupo. Analistas referem que empréstimo entra na dívida pública. (DN bolsa págs. 38 e 39) 39. Passos e Seguro em guerra sobre ajuda a País vizinho. Renegociação. Portugal e Irlanda já beneficiaram de uma redução das taxas de juro à renegociação da ajuda à Grécia. (pág. 38) 40. Crise europeia e petróleo caro penalizam transportadoras aéreas. Previsões. A crise europeia e o alto preço dos combustíveis são os temas dominantes da assembleia anual da Associação Internacional do Transporte Aéreo, que está a decorrer em Pequim desde hoje até quarta-feira. (DN bolsa pág. 40) i 41. Ajuda suave a Espanha. São 100 mil milhões de euros para tentar salvar a banca espanhola afundada pela crise e a bolha do negócio imobiliário. Mariano Rajoy garantiu as melhores condições para o resgate aos bancos. A Irlanda quer ser tratada da mesma maneira. Portugal vai avaliar se existem dois pesos e duas medidas. Medina Carreira; Incomoda-me bastante a choraminguice dos políticos. O ex-ministro das Finanças considera que houve ontem declarações públicas que mais pareciam uma luta pelos melhores caramelos. O economista Medina Carreira separou ontem a situação de Espanha da de Portugal por o primeiro dos países ainda ter pedido uma intervenção de carácter nacional. O pedido de Madrid é restrito ao sector bancário mas não interfere no sector público, disse. É por isso que o incomodou particularmente algumas das declarações 11

12 ontem proferidas publicamente por alguns políticos à margem das comemorações do dia de Portugal. ( ) Medina considera, no entanto, que a situação de Portugal possa vir a ser reavaliada à luz dos novos acontecimentos em Espanha. Mas que o mais importante para o país é por as suas contas públicas em ordem e não há como escapar à austeridade para se atingir esse objectivo. Ou seja, de alguma forma as suas declarações vão no mesmo sentido do primeiro-ministro, que não quer ouvir em renegociar a ajuda da troika. (págs. 1 e 14 a 19) 42. Entrevista ao presidente de Cabo Verde, o aliado ímpar de Portugal. Jorge Carlos Fonseca. O presidente da República de Cabo Verde inicia hoje uma visita de Estado a Portugal. A Lisboa vai pedir que não reduza o nível da cooperação. (págs. 1, 22 e 23) 43. Insolvências de empresas disparam 50% este ano. Mais de 2930 empresas faliram este ano, uma média de 18 por dia. Imobiliário, restauração e comércio são os sectores mais afectados. No pódio das zonas com números de insolvências mais elevados estão Lisboa (597) e Braga (397). (pág. 8) 44. Portugal estreia-se nos remédios inovadores com um aliado chinês. Biotecnológica Technophage vai começar ensaios clínicos do primeiro medicamento biológico português. (págs. 24 e 25) FINANCIAL TIMES (DOMINGO, 10) 45. By Peter Spiegel in Brussels. Q&A: Bailout lite - why is it different from other eurozone bailouts? Spain's announcement on Saturday that would seek EU aid to shore up its teetering domestic banks makes it the fourth eurozone peripheral country to be forced into a bailout programme. But Spain's bailout, which could be as big as 100bn, will be much different from the rescues of Greece, Ireland and Portugal. 1. What is it intended to do? Unlike Greece, Spain's 12

13 troubles did not originate with overspending by the Spanish government. In fact, Madrid entered the eurozone crisis with one of the lowest debt levels in the single currency. Instead, Spain's crisis was an Irish and US-style banking crisis. The country's regional savings banks, known as cajas, invested heavily in Spain's property boom, and they were taken down when the bubble burst. While Irish and US real estate prices deflated relatively quickly, Spain's bubble is only now beginning to collapse, thanks in part to a sharp economic downturn. As a result, Spanish banks need to raise even more money to meet international capital requirements. Already, the country's fourth-largest bank - Bankia, an amalgam of seven failing cajas - had been partially nationalised because it could not raise the money on its own. As the depths of the bank losses became clearer, Spanish authorities acknowledged other banks would go the way of Bankia, needing government instead of private money. This comes at a time Spanish government borrowing costs have skyrocketed because of turmoil in the rest of the eurozone, meaning government rescue loans would be expensive. By getting aid from the eurozone's bailout funds, which borrow at much cheaper rates, the banks will be able to get back on their feet more quickly. 2. How is this different? Until last year, the eurozone's 440bn rescue fund had one weapon in its arsenal: a full-scale bailout. But after pressure from Brussels, Germany agreed to give the fund, the European Financial Stability Facility, several narrower tools, including the ability to recapitalise banks. Although EFSF loans must still go to a national government before being injected to struggling banks, the new "recapitalisation tool" allows the aid to be provided without the kind of terms forced on Greece, Ireland and Portugal. Most importantly, Madrid will not have delegations from bailout lenders showing up on a quarterly basis to pore over the government books. These quarterly visits from the so-called "troika" - International Monetary Fund, European Commission and European Central Bank - have become political lightning rods for Dublin and Athens. The Spanish government dug in its heels against such monitoring. The reason Madrid won the day was that it had 13

14 already imposed much of the kind of austerity demanded by Brussels on its own. The 2012 budget included 27bn in cuts and tax increases. The government has vowed to make similarly ambitious cuts next year, too, in order to hit an EU-mandated deficit target of 3 per cent of economic output. 3. Will there be any other conditions? While the Spanish government avoids anything other than pre-existing EU commitments to get its debt and deficits quickly to EU limits, there will be significant new conditions on its bank restructuring efforts. Under the terms of the "recapitalisation tool", the EU will get the authority to perform on-site inspections of banks that get assistance and will be able to hire outside experts to make sure their books are sound. EU officials have been concerned about the speed and the depth of the overhaul, and there are lingering worries about political cronyism in the cajas, which were long stuffed with local politicos. In a report issued on Friday, the IMF listed 17 "high priority recommendations" for the Spanish financial sector that it wants implemented either immediately or in the "near term". With the IMF playing a key role in administering the Spanish programme, the checklist is likely to provide a template for new conditions. 4. Where is the money coming from? Unlike prior eurozone bailouts, it will not include money from the IMF, which is prevented by its rules from participating in a rescue solely focused on the financial sector. Instead, all funding will come from either the EFSF or the eurozone's new, permanent rescue fund, the 500bn European Stability Mechanism, which is due to be up and running next month once all 17 eurozone countries ratify the ESM treaty. This could emerge as a bone of contention. If the funds come from the EFSF, the loans are treated like any other, meaning eurozone countries do not get any special priority in the repayment queue. ESM loans, on the other hand, are senior to almost everyone else, and some governments - including the Dutch and Finns - are pushing for the programme to be done under the ESM. While an ESM programme might make government lenders feel extra safe, it could spook private lenders, who are unlikely to appreciate 100bn in new debt jumping the queue. The last thing 14

15 some officials want to do is upset private investors, who are still needed to lend money to the Spanish government. As a result, some are pushing for the programme to begin under the EFSF so that both funds participate, easing the seniority problem. 15

Direita admite mudanças na lei para criminalizar a má gestão. Direita admite mudanças na lei para criminalizar a má gestão

Direita admite mudanças na lei para criminalizar a má gestão. Direita admite mudanças na lei para criminalizar a má gestão Direita admite mudanças na lei para criminalizar a má gestão Diário de noticias, por Hugo Filipe Coelho 17-10-11 Direita admite mudanças na lei para criminalizar a má gestão Dinheiro público. PSD e CDS

Leia mais

O PROBLEMA DO ENDIVIDAMENTO DE PORTUGAL PERANTE O EXTERIOR E O AUXÍLIO EXTERNO NECESSÁRIO. J. Silva Lopes

O PROBLEMA DO ENDIVIDAMENTO DE PORTUGAL PERANTE O EXTERIOR E O AUXÍLIO EXTERNO NECESSÁRIO. J. Silva Lopes O PROBLEMA DO ENDIVIDAMENTO DE PORTUGAL PERANTE O EXTERIOR E O AUXÍLIO EXTERNO NECESSÁRIO J. Silva Lopes IDEFF, 31 de Janeiro de 2011 1 O ENDIVIDAMENTO PERANTE O EXTERIOR Posições financeiras perante o

Leia mais

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014)

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) 1. Taxa de Desemprego O desemprego desceu para 14,3% em maio, o que representa um recuo de 2,6% em relação a maio de 2013. Esta é a segunda maior variação

Leia mais

Resumo de Imprensa. Segunda-feira, 14 de Abril de 2008

Resumo de Imprensa. Segunda-feira, 14 de Abril de 2008 Resumo de Imprensa Segunda-feira, 14 de Abril de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Crise custa 860 milhões aos bancos portugueses (págs. 1, 4 a 6) Quase mil milhões. É este o custo da crise internacional para os

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Quinta-feira, 31 de Julho de 2008

RESUMO DE IMPRENSA. Quinta-feira, 31 de Julho de 2008 RESUMO DE IMPRENSA Quinta-feira, 31 de Julho de 2008 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Queda nos lucros da banca retira 80 milhões ao Fisco. Resultados dos quatro maiores bancos privados caíram mais de 40% no primeiro

Leia mais

Declaração ao país. António José Seguro. 19 de Julho de 2013. Boa tarde. Durante esta semana batemo-nos para que:

Declaração ao país. António José Seguro. 19 de Julho de 2013. Boa tarde. Durante esta semana batemo-nos para que: Declaração ao país António José Seguro 19 de Julho de 2013 Boa tarde. Durante esta semana batemo-nos para que: Não houvesse mais cortes nas reformas e nas pensões Não houvesse mais despedimentos na função

Leia mais

4. Síria. Repressão aumenta e EUA agravam sanções (págs. 1 e 14)

4. Síria. Repressão aumenta e EUA agravam sanções (págs. 1 e 14) RESUMO DE IMPRENSA Domingo, 01 de Maio de 2011 PÚBLICO (DOMINGO, 01) 1. Uma multidão em nome de João Paulo II. A beatificação de um papa obscurantista, ou do obreiro de um renascimento católico? (manchete,

Leia mais

RESUMO IMPRENSA. Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009

RESUMO IMPRENSA. Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009 RESUMO IMPRENSA Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Gabinete de Sócrates acusado de ameaçar gestor do PSD. Houve abordagens do gabinete de Sócrates para que Alexandre Relvas medisse

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, 23 de Abril de 2008

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, 23 de Abril de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO Resumo de Imprensa Quarta-feira, 23 de Abril de 2008 1. BCE ameaça subir juros para controlar preços (págs. 1 e 16) Com a subida dos preços, há uma viragem nas expectativas: em vez de

Leia mais

2 1,2 1,3 2,5 2 3,2 3 0,5-4,2 1,8 1,3% 1,9 0,9 0,8 2,2 1,7 3,1 2,9 0,4-4,1 1,8 1,16%

2 1,2 1,3 2,5 2 3,2 3 0,5-4,2 1,8 1,3% 1,9 0,9 0,8 2,2 1,7 3,1 2,9 0,4-4,1 1,8 1,16% A SITUAÇÃO ACTUAL É MAIS GRAVE DO QUE EM 1977/78 E EM 1983/84 POR PORTUGAL PERTENCER À ZONA EURO E NESTA DOMINAR UMA POLITICA NEOLIBERAL DE SUBMISSÃO AOS MERCADOS. Um erro grave é confundir a situação

Leia mais

Resumo de Imprensa. Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009

Resumo de Imprensa. Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009 1 Resumo de Imprensa Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Privatização do BPN estará pronta até final de 2010. Francisco Bandeira, presidente do banco, disse ao Diário Económico esperar

Leia mais

Resumo de Imprensa. Terça-feira, 1 de Abril de 2008

Resumo de Imprensa. Terça-feira, 1 de Abril de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO Resumo de Imprensa Terça-feira, 1 de Abril de 2008 1. Prestação da casa atinge máximos (págs. 1, 24 e 25) A prestação mensal do crédito à habitação voltou a subir: Em Março, a Euribor

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Sábado e domingo, dias 18 e 19 de Abril de 2009

RESUMO DE IMPRENSA. Sábado e domingo, dias 18 e 19 de Abril de 2009 RESUMO DE IMPRENSA Sábado e domingo, dias 18 e 19 de Abril de 2009 PÚBLICO (SÁBADO, 18) 1. Crise. Cavaco alerta Governo para perigos da ocultação da realidade. Cavaco duro como nunca para Governo e empresários.

Leia mais

Seminário. Orçamento do Estado 2016. 3 de Dezembro de 2015. Auditório da AESE. Discurso de abertura

Seminário. Orçamento do Estado 2016. 3 de Dezembro de 2015. Auditório da AESE. Discurso de abertura Seminário Orçamento do Estado 2016 3 de Dezembro de 2015 Auditório da AESE Discurso de abertura 1. Gostaria de dar as boas vindas a todos os presentes e de agradecer à AESE, na pessoa do seu Presidente,

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, 26 de Novembro de 2008

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, 26 de Novembro de 2008 Resumo de Imprensa Quarta-feira, 26 de Novembro de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Constâncio tem saída para salvar BPP (págs. 1, 6 a 11) Banco de Portugal indica administradores para o banco de João Rendeiro

Leia mais

Assembleia Nacional. Lei 17/92

Assembleia Nacional. Lei 17/92 REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Assembleia Nacional Lei 17/92 A Assembleia Nacional, no uso das faculdades que lhe são conferidas pela alínea g) do artigo 86.º da Constituição Política, para

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2008

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2008 Resumo de Imprensa Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Indústria automóvel ganha novos apoios financeiros (págs. 1, 4 a 7) José Sócrates e Manuel Pinho avançam hoje com um plano para

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quinta-feira, 19 de Junho de 2008

Resumo de Imprensa. Quinta-feira, 19 de Junho de 2008 Resumo de Imprensa Quinta-feira, 19 de Junho de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Setenta respostas sobre as mudanças na função pública. Últimas medidas arrancam em Janeiro (págs. 1, 14 a 21) Aumentos, reformas,

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quinta-feira, 13 de Novembro de 2008

Resumo de Imprensa. Quinta-feira, 13 de Novembro de 2008 Resumo de Imprensa Quinta-feira, 13 de Novembro de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Governo reforça poderes do Banco de Portugal (págs. 1, 4 a 10) O Ministério das Finanças e o PS estão a alterar as leis para

Leia mais

Actualização sobre a Grécia

Actualização sobre a Grécia Actualização sobre a Grécia Definição e contextualização Dia 26 de Janeiro de 2015, Alexis Tsipras, líder do Syriza, foi eleito primeiro-ministro, na sequência de uma campanha com elevada popularidade

Leia mais

tem Soares dos Santos mais dinheiro na bolsa que China e Angola juntos - P3O

tem Soares dos Santos mais dinheiro na bolsa que China e Angola juntos - P3O tem Soares dos Santos mais dinheiro na bolsa que China e Angola juntos - P3O Soares dos Santos tem mais dinheiro na bolsa que China e Angola juntos A subida das acções da Jerónimo Martins levou a família

Leia mais

ECONOMIA. Esquema financeiro provoca buraco de 3 mil milhões em empresas públicas. Gostava muito que as gentes não se resignassem

ECONOMIA. Esquema financeiro provoca buraco de 3 mil milhões em empresas públicas. Gostava muito que as gentes não se resignassem JOÃO DUQUE Fundos de arrendamento podem ajudar as famílias E14 LUÍS MARQUES Estamos a caminho de um caos, de um caos político E12 JOÃO VIEIRA PEREIRA Constituição: mais que mudar é preciso incluir limites

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Deliberação n.º 5/XII 1.ª

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Deliberação n.º 5/XII 1.ª PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Deliberação n.º 5/XII 1.ª Auditoria a realizar pelo Tribunal de Contas ao processo de nacionalização do BPN-Banco Português de Negócios e ao processo

Leia mais

O pacote de austeridade que Paulo Portas e Maria Luísa Albuquerque esconderam aos portugueses

O pacote de austeridade que Paulo Portas e Maria Luísa Albuquerque esconderam aos portugueses Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt O pacote de austeridade que Paulo Portas e Maria Luísa Albuquerque esconderam aos portugueses A conferência de imprensa realizada por Paulo Portas e pela

Leia mais

2. (PT) - TSF - Notícias, 17/07/2013, PS acusa maioria de «intransigência» no corte de 4,7 ME na despesa do Estado

2. (PT) - TSF - Notícias, 17/07/2013, PS acusa maioria de «intransigência» no corte de 4,7 ME na despesa do Estado Rádios _17 Julho Revista de Imprensa 18-07-2013 1. (PT) - - Notícias, 17072013, Personalidades assinam manifesto a pedir entendimento entre os partidos 1 2. (PT) - - Notícias, 17072013, PS acusa maioria

Leia mais

1. (PT) - TVI 24 - Política Mesmo, 25/06/2014, Discurso de António José Seguro: Direto 1

1. (PT) - TVI 24 - Política Mesmo, 25/06/2014, Discurso de António José Seguro: Direto 1 Tv's_25_Junho_2014 Revista de Imprensa 26-06-2014 1. (PT) - TVI 24 - Política Mesmo, 25062014, Discurso de António José Seguro: Direto 1 2. (PT) - RTP Informação - Grande Jornal, 25062014, Consultas no

Leia mais

1. Fisco cobra mais IMI do que devia a senhorios. IMI depende da subida das rendas (manchete, págs. 28 e 29)

1. Fisco cobra mais IMI do que devia a senhorios. IMI depende da subida das rendas (manchete, págs. 28 e 29) RESUMO DE IMPRENSA Segunda-feira, 14 de Junho de 2010 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Fisco cobra mais IMI do que devia a senhorios. IMI depende da subida das rendas (manchete, págs. 28 e 29) 2. Certificados do

Leia mais

NEWSLETTER Nº 9 SETEMBRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES

NEWSLETTER Nº 9 SETEMBRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES NEWSLETTER Nº 9 SETEMBRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES O Novo Regime Jurídico do Sector Empresarial Local O novo regime jurídico do sector empresarial

Leia mais

Informação necessária à avaliação do Programa da Coligação Portugal à Frente

Informação necessária à avaliação do Programa da Coligação Portugal à Frente Informação necessária à avaliação do Programa da Coligação Portugal à Frente Lisboa, 10 de Outubro de 2015 Na sequência da reunião mantida no dia 9 de Outubro de 2015, e com vista a permitir a avaliação

Leia mais

A gestão dos ativos imobiliários da banca na sequência da crise. Patrimónios imobiliários da Banca e suas implicações

A gestão dos ativos imobiliários da banca na sequência da crise. Patrimónios imobiliários da Banca e suas implicações www.pwc.com/pt A gestão dos ativos imobiliários da banca na sequência da crise Patrimónios imobiliários da Banca e suas implicações 27 fevereiro 2013 Patrimónios imobiliários da Banca e suas implicações

Leia mais

GOVERNO UTILIZA EMPRESAS PUBLICAS PARA REDUZIR O DÉFICE ORÇAMENTAL, ENDIVIDANDO-AS E ARRASTANDO-AS PARA A SITUAÇÃO DE FALENCIA TÉCNICA

GOVERNO UTILIZA EMPRESAS PUBLICAS PARA REDUZIR O DÉFICE ORÇAMENTAL, ENDIVIDANDO-AS E ARRASTANDO-AS PARA A SITUAÇÃO DE FALENCIA TÉCNICA GOVERNO UTILIZA EMPRESAS PUBLICAS PARA REDUZIR O DÉFICE ORÇAMENTAL, ENDIVIDANDO-AS E ARRASTANDO-AS PARA A SITUAÇÃO DE FALENCIA TÉCNICA RESUMO DESTE ESTUDO Os principais jornais diários portugueses divulgaram

Leia mais

Resumo de Imprensa. Terça-feira, 28 de Outubro de 2008

Resumo de Imprensa. Terça-feira, 28 de Outubro de 2008 Resumo de Imprensa Terça-feira, 28 de Outubro de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Euribor deve cair para 3,5% em Janeiro (págs. 1, 4 a 10) Mercados apostam que a taxa de referência dos empréstimos da casa vai

Leia mais

Reestruturar o Sector Empresarial do Estado

Reestruturar o Sector Empresarial do Estado PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 458/XI/2.ª Reestruturar o Sector Empresarial do Estado A descrição de carácter económico-financeiro apresentada na próxima secção não deixa dúvidas sobre a absoluta necessidade

Leia mais

S. R. MINISTÉRIO DAS FINANÇAS e da ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

S. R. MINISTÉRIO DAS FINANÇAS e da ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RELATÓRIO SOBRE A CONCESSÃO DE GARANTIAS PESSOAIS PELO ESTADO PARA O REFORÇO DA ESTABILIDADE FINANCEIRA E DA DISPONIBILIZAÇÃO DE LIQUIDEZ NOS MERCADOS FINANCEIROS O presente Relatório é elaborado nos termos

Leia mais

Janeiro. O diploma revoluciona regras aplicáveis aos recibos verdes. (pág. 28)

Janeiro. O diploma revoluciona regras aplicáveis aos recibos verdes. (pág. 28) RESUMO DE IMPRENSA Terça-feira, 28 de Dezembro de 2010 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. A Década na Saúde. Um centro de saúde a duas velocidades. Utentes, funcionários e médicos falam em melhorias nas unidades de

Leia mais

NOS ÚLTIMOS 4 ANOS TIVEMOS DE RESPONDER A UMA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA. A UM PROGRAMA DE EMERGÊNCIA FINANCEIRA, SOUBEMOS RESPONDER COM A CRIAÇÃO DE UM

NOS ÚLTIMOS 4 ANOS TIVEMOS DE RESPONDER A UMA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA. A UM PROGRAMA DE EMERGÊNCIA FINANCEIRA, SOUBEMOS RESPONDER COM A CRIAÇÃO DE UM DISCURSO PROGRAMA DE GOVERNO 9.11.2015 MSESS PEDRO MOTA SOARES - SÓ FAZ FÉ VERSÃO EFECTIVAMENTE LIDA - SENHOR PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA SENHORAS E SENHORES DEPUTADOS NOS ÚLTIMOS 4 ANOS TIVEMOS

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quinta-feira, 16 de Julho de 2009

Resumo de Imprensa. Quinta-feira, 16 de Julho de 2009 Resumo de Imprensa Quinta-feira, 16 de Julho de 2009 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Portugal vai ter em 2010 mais um ano de recessão (pág. 4) No próximo ano, a contracção será menor, mas a economia está longe de

Leia mais

3. Eleições. Transposição de resultados das legislativas para as regionais. Se as Legislativas fossem regionais o PSD dominava os Açores. (pág.

3. Eleições. Transposição de resultados das legislativas para as regionais. Se as Legislativas fossem regionais o PSD dominava os Açores. (pág. RESUMO DE IMPRENSA Segunda e Domingo, 13 e 12 Junho de 2011 PÚBLICO (SEGUNDA, 13) 1. Escolas arriscam transformar-se em centros de treino de testes. Provas intermédias invadiram este ano lectivo: foram

Leia mais

Índice de Risco de 2011 PORTUGAL

Índice de Risco de 2011 PORTUGAL Índice de Risco de PORTUGAL Índice de Pagamentos Índice de Risco Explicação dos valores do Índice de Risco 190 180 170 160 150 140 130 120 110 100 2004 2005 2006 2007 2008 100 Nenhuns riscos de pagamento,

Leia mais

Apresentação e Discussão do Orçamento Retificativo para 2012

Apresentação e Discussão do Orçamento Retificativo para 2012 Apresentação e Discussão do Orçamento Retificativo para 2012 Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados A proposta do Orçamento

Leia mais

A União Européia e o Euro

A União Européia e o Euro A União Européia e o Euro Crise na Grécia, Situações na Irlanda, em Portugal, Espanha e Itália Senado Federal Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional Audiência Pública - 12 de setembro de 2011

Leia mais

Projeto de Lei n.º 191/ XII - 1.ª. Cria a Taxa sobre Transações Financeiras em Bolsa

Projeto de Lei n.º 191/ XII - 1.ª. Cria a Taxa sobre Transações Financeiras em Bolsa PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Lei n.º 191/ XII - 1.ª Cria a Taxa sobre Transações Financeiras em Bolsa 1. Nada escapa à austeridade concebida e imposta pela Troika que ataca

Leia mais

DEZ MEDIDAS PARA O PLANO DE RECUPERAÇÃO DA MADEIRA

DEZ MEDIDAS PARA O PLANO DE RECUPERAÇÃO DA MADEIRA DEZ MEDIDAS PARA O PLANO DE RECUPERAÇÃO DA MADEIRA A DÍVIDA DE ALBERTO JOÃO JARDIM É GIGANTESCA. A Madeira atingiu uma dívida total registada de 6328 milhões de euros e um défice de 1189 milhões. Existem

Leia mais

Um Novo Modelo de Financiamento dos Transportes Públicos em Portugal

Um Novo Modelo de Financiamento dos Transportes Públicos em Portugal 1 Um Novo Modelo de Financiamento dos Transportes Públicos em Portugal 2 Situação Actual (diagnóstico) 3 Situação Actual (diagnóstico) o actual modelo de financiamento dos transportes Públicos em Portugal

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

O incumprimento por parte dos compradores, consequências e soluções, a perda de habitação e das poupança das famílias

O incumprimento por parte dos compradores, consequências e soluções, a perda de habitação e das poupança das famílias O incumprimento por parte dos compradores, consequências e soluções, a perda de habitação e das poupança das famílias Natália Nunes Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado CONFERÊNCIA HABITAÇÃO, ARRENDAMENTO

Leia mais

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 14/2014

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 14/2014 TEXTO Brazil Leads Decline Among World's Biggest Companies THE losses OF São Paulo's stock market AND THE decline OF Brazil's real made Brazilian companies THE biggest losers among THE world's major companies,

Leia mais

S. R. MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

S. R. MINISTÉRIO DAS FINANÇAS RELATÓRIO SOBRE REGIME DE CAPITALIZAÇÃO PÚBLICA PARA O REFORÇO DA ESTABILIDADE FINANCEIRA E DA DISPONIBILIZAÇÃO DE LIQUIDEZ NOS MERCADOS FINANCEIROS (REPORTADO A 25 DE MAIO DE 2012) O presente Relatório

Leia mais

MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA --- EMBARGO DE DIVULGAÇÃO ATÉ ÀS 21:00 HORAS DE 01.01.13 --- Palácio de Belém, 1 de janeiro de 2013 --- EMBARGO DE DIVULGAÇÃO ATÉ ÀS 21:00

Leia mais

IV GOVERNO CONSTITUCIONAL PROPOSTA DE LEI N.º /2010 FUNDO FINANCEIRO IMOBILIÁRIO

IV GOVERNO CONSTITUCIONAL PROPOSTA DE LEI N.º /2010 FUNDO FINANCEIRO IMOBILIÁRIO IV GOVERNO CONSTITUCIONAL PROPOSTA DE LEI N.º /2010 DE DE FUNDO FINANCEIRO IMOBILIÁRIO A presente Lei cria o Fundo Financeiro Imobiliário e estabelece o respectivo regime jurídico. Os princípios de planeamento,

Leia mais

DECLARAÇÃO INICIAL DO GOVERNADOR DO BANCO DE PORTUGAL NA APRESENTAÇÃO DO BOLETIM ECONÓMICO DA PRIMAVERA (2009)

DECLARAÇÃO INICIAL DO GOVERNADOR DO BANCO DE PORTUGAL NA APRESENTAÇÃO DO BOLETIM ECONÓMICO DA PRIMAVERA (2009) Conferência de Imprensa em 14 de Abril de 2009 DECLARAÇÃO INICIAL DO GOVERNADOR DO BANCO DE PORTUGAL NA APRESENTAÇÃO DO BOLETIM ECONÓMICO DA PRIMAVERA (2009) No contexto da maior crise económica mundial

Leia mais

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 18 e 19 de Outubro de 2008

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 18 e 19 de Outubro de 2008 Resumo de Imprensa Sábado e domingo, 18 e 19 de Outubro de 2008 PÚBLICO (domingo, 19) 1. Bastaram 20 minutos de chuva intensa para criar o caos em Lisboa (pág. 1 e 25) 2. Contestação ao Governo. Manifestação

Leia mais

Resumo de Imprensa. Dos dias, 20 e 21 de Junho de 2009

Resumo de Imprensa. Dos dias, 20 e 21 de Junho de 2009 Resumo de Imprensa Dos dias, 20 e 21 de Junho de 2009 JORNAL DE NOTÍCIAS (dia 21) 1. Turistas low-cost podem gerar mais emprego (pág. 32) Estudo indicam que por cada passageiro nos cruzeiros turísticos

Leia mais

O FUTURO DA ZONA EURO. José da Silva Lopes

O FUTURO DA ZONA EURO. José da Silva Lopes O FUTURO DA ZONA EURO José da Silva Lopes IDEFF, 29-11-2011 1 VIAS ALTERNATIVAS PARA FAZER FACE À CRISE DA ZONA EURO As propostas que têm vindo a ser apresentadas por economistas, comentadores e políticas

Leia mais

A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1

A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1 A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1 A BANCA PAGA METADE DA TAXA DE IRC, AS REMUNERAÇÕES DOS TRABALHADORES REPRESENTAM APENAS

Leia mais

07/01/2009 OJE Economia contrai 0,8% este ano e terá entrado em recessão em 2008 A crise financeira e a recessão mundial vão provocar este ano uma contracção de 0,8% na economia nacional, penalizada pela

Leia mais

1. 14,8 2009 18,7 2010 26,6 2011. E,

1. 14,8 2009 18,7 2010 26,6 2011. E, RESUMO DE IMPRENSA Sexta-feira, 06 de Abril de 2012 PÚBLICO 1. Reformas antecipadas suspensas enquanto durar a ajuda da troika. Os pensionistas voluntários passaram de 14,8 mil em 2009 para 18,7 mil em

Leia mais

Debate Quinzenal Economia Intervenção do Primeiro-Ministro José Sócrates

Debate Quinzenal Economia Intervenção do Primeiro-Ministro José Sócrates Debate Quinzenal Economia Intervenção do Primeiro-Ministro José Sócrates 11.02.2009 1. A execução da Iniciativa para o Investimento e o Emprego A resposta do Governo à crise económica segue uma linha de

Leia mais

PETIÇÃO PARA A REPOSIÇÃO DO IVA NOS SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO E BEBIDAS

PETIÇÃO PARA A REPOSIÇÃO DO IVA NOS SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO E BEBIDAS PETIÇÃO PARA A REPOSIÇÃO DO IVA NOS SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO E BEBIDAS Petição N.º 428/XII/4ª Audição COFAP Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 16.outubro.2014

Leia mais

Decreto-Lei n.º 221/2000, de 9 de Setembro *

Decreto-Lei n.º 221/2000, de 9 de Setembro * Decreto-Lei n.º 221/2000, de 9 de Setembro * O presente diploma transpõe para a ordem jurídica interna, apenas no que aos sistemas de pagamentos diz respeito, a Directiva n.º 98/26/CE, do Parlamento Europeu

Leia mais

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 12 e 13 de Julho de 2008

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 12 e 13 de Julho de 2008 Resumo de Imprensa Sábado e domingo, 12 e 13 de Julho de 2008 DIÁRIO DE NOTÍCIAS (domingo, 13) 1. Código do Trabalho. Empresas vão poder impor período de férias a trabalhadores (pág. 1 e 40) Patrões livres

Leia mais

Miguel Coelho Universidade Lusíada de Lisboa

Miguel Coelho Universidade Lusíada de Lisboa Demasiado tarde para ser perdoada? Uma análise sintética sobre o impacto de uma renegociação da dívida pública Miguel Coelho Universidade Lusíada de Lisboa Lusíada. Economia & Empresa. Lisboa, n.º 16/2013

Leia mais

UM ANO DEPOIS: PRESTAR CONTAS

UM ANO DEPOIS: PRESTAR CONTAS UM ANO DEPOIS: PRESTAR CONTAS Há um ano, o XIX Governo constitucional iniciou funções com o País submetido a um Programa de Ajustamento Financeiro e Económico (PAEF) tornado inevitável perante a iminência

Leia mais

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa.

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. Boletim Mensal de Economia Portuguesa Nº 8 Agosto 2008 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e da Inovação GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Leia mais

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. ESA@EUROPE Escola Secundária De Arouca

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. ESA@EUROPE Escola Secundária De Arouca NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto ESA@EUROPE Escola Secundária De Arouca Ana Tavares Lara Pereira José Gomes Armindo Fernandes Dezembro de 2011 COMO TUDO COMEÇOU

Leia mais

para produzir resultados dento dos prazos previstos. Não serão só 30 dias loucos, mas 365 dias, por ano. (págs. 8 e 9)

para produzir resultados dento dos prazos previstos. Não serão só 30 dias loucos, mas 365 dias, por ano. (págs. 8 e 9) RESUMO DE IMPRENSA Segunda-feira, 06 de Junho de 2011 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Eleições Legislativas 2011. Passos Coelho terá menos de um mês para preparar inspecção da troika. Cavaco Silva promete transição

Leia mais

Financiando as empresas Resolvendo problemas de tesouraria Salvando empresas em dificuldades financeiras, mas economicamente viáveis.

Financiando as empresas Resolvendo problemas de tesouraria Salvando empresas em dificuldades financeiras, mas economicamente viáveis. Exma Sra Presidente, Exmos Srs membros do Governo Sras e Senhores Deputados Reunimo-nos hoje para debatermos 10 propostas do PS para ajudarmos as empresas a criarem novos postos de trabalho e a preservarem

Leia mais

EFEITO IVA A 23% NO MERCADO DE FITNESS

EFEITO IVA A 23% NO MERCADO DE FITNESS EFEITO IVA A 23% NO MERCADO DE FITNESS ESTUDO AGAP AGAP AGAP Associação de Ginásios de Portugal 1 APRESENTAÇÃO AGAP AGAP é a única associação portuguesa que representa ginásios e health clubes Tem 750

Leia mais

Gerenciando a Crise. 10 º Congresso Internacional de Gestão Porto Alegre, 20 de julho de 2009

Gerenciando a Crise. 10 º Congresso Internacional de Gestão Porto Alegre, 20 de julho de 2009 Gerenciando a Crise 10 º Congresso Internacional de Gestão Porto Alegre, 20 de julho de 2009 Apresentação de Martin Forst & Hanna Kleider Divisão de Gestão e Desempenho do Setor Público Diretoria de Governança

Leia mais

Legislação Farmacêutica Compilada. Portaria n.º 377/2005, de 4 de Abril. B, de 20 de Maio de 2005. INFARMED - Gabinete Jurídico e Contencioso 59-C

Legislação Farmacêutica Compilada. Portaria n.º 377/2005, de 4 de Abril. B, de 20 de Maio de 2005. INFARMED - Gabinete Jurídico e Contencioso 59-C 1 Estabelece que o custo dos actos relativos aos pedidos previstos no Decreto- Lei n.º 72/91, de 8 de Fevereiro, bem como dos exames laboratoriais e dos demais actos e serviços prestados pelo INFARMED,

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Segunda-feira, 22

RESUMO DE IMPRENSA. Segunda-feira, 22 RESUMO DE IMPRENSA Segunda-feira, 22 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Novos reformados do Estado recebem em média 1.428 euros por mês. Este ano já se reformaram 16.200 funcionários públicos. As pensões médias estão

Leia mais

Resumo de Imprensa. Dos dias, 10 e 11 de Outubro de 2009

Resumo de Imprensa. Dos dias, 10 e 11 de Outubro de 2009 Resumo de Imprensa Dos dias, 10 e 11 de Outubro de 2009 JORNAL DE NOTÍCIAS (dia 10) 1. Norte gastará 330 milhões a pagar gestores de Lisboa (pág. 8) Alteração a fundos comunitários destinados a recuperar

Leia mais

BCE e bancos exigem que Sócrates peça intervenção do FMI e Sócrates cede imediatamente Pág. 1

BCE e bancos exigem que Sócrates peça intervenção do FMI e Sócrates cede imediatamente Pág. 1 BCE e bancos exigem que Sócrates peça intervenção do FMI e Sócrates cede imediatamente Pág. 1 BANQUEIROS OBRIGAM SOCRATES A PEDIR A INTERVENÇÃO ESTRANGEIRA, E O VALOR DAS ACÇÕS DOS 4 BANCOS DO PSI20 AUMENTOU

Leia mais

Valor: Qual a fatia de investidores da América Latina no ESM?

Valor: Qual a fatia de investidores da América Latina no ESM? Entrevista com Klaus Regling, Diretor Executivo do Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM) Valor Econômico, 16 de julho de 2013 Valor: Por que buscar investidores no Brasil agora? Klaus Regling: Visitamos

Leia mais

REU IÃO I FORMAL DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVER O DE 7 DE OVEMBRO VERSÃO APROVADA

REU IÃO I FORMAL DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVER O DE 7 DE OVEMBRO VERSÃO APROVADA Bruxelas, 7 de ovembro de 2008 REU IÃO I FORMAL DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVER O DE 7 DE OVEMBRO VERSÃO APROVADA 1. A unidade dos Chefes de Estado e de Governo da União Europeia para coordenar as respostas

Leia mais

As dividas das empresa à Segurança Social disparam com o governo de Sócrates Pág. 1

As dividas das empresa à Segurança Social disparam com o governo de Sócrates Pág. 1 As dividas das empresa à Segurança Social disparam com o governo de Sócrates Pág. 1 AS DIVIDAS DAS EMPRESAS À SEGURANÇA SOCIAL DISPARAM COM O GOVERNO DE SÓCRATES: - só em 2006 a Segurança Social perdeu

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE2012

MENSAGEM DO PRESIDENTE2012 1. Pela 12 ª vez relatamos atividades e prestamos contas. Este é dos actos mais nobres de um eleito, mostrar o que fez, como geriu o dinheiro dos cidadãos, dar transparência à governação. Constitui um

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º./XII/1.ª

PROJETO DE LEI N.º./XII/1.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º./XII/1.ª INTRODUZ UM MECANISMO DE SALVAGUARDA DA EQUIDADE FISCAL PARA TODOS OS CONTRIBUINTES E ELIMINA AS ISENÇÕES DE TRIBUTAÇÃO SOBRE MAIS-VALIAS OBTIDAS POR SGPS

Leia mais

Sendo manifesto que estas incertezas e insegurança económica sentidas por. milhões de cidadãos Portugueses e Europeus são um sério bloqueio para o

Sendo manifesto que estas incertezas e insegurança económica sentidas por. milhões de cidadãos Portugueses e Europeus são um sério bloqueio para o equilíbrio das famílias, crianças e jovens Europeus e Portugueses. milhões de cidadãos Portugueses e Europeus são um sério bloqueio para o milhões de cidadãos Europeus e Portugueses, o receio quanto ao

Leia mais

Várias Publicações. LusaTV: Aumento da carga fiscal melhorou qualidade da Segurança Social - Sec. Estado

Várias Publicações. LusaTV: Aumento da carga fiscal melhorou qualidade da Segurança Social - Sec. Estado 17-03-2006 13:11:00. Fonte LUSA. Notícia SIR-7829164 Temas: economia portugal finanças sociedade LusaTV: Aumento da carga fiscal melhorou qualidade da Segurança Social - Sec. Estado DATA:. ASSUNTO: Conferência

Leia mais

OE2011: Um orçamento que vai destruir a economia e que ataca quem trabalha e os pensionistas Pág. 1

OE2011: Um orçamento que vai destruir a economia e que ataca quem trabalha e os pensionistas Pág. 1 OE2011: Um orçamento que vai destruir a economia e que ataca quem trabalha e os pensionistas Pág. 1 OE20111- Um orçamento que vai destruir ainda mais a economia e agravar as desigualdades e as dificuldades

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS XXI Encontro de Lisboa entre as Delegações dos Bancos Centrais dos Países de Língua Oficial Portuguesa à Assembleia Anual do FMI/BM Banco de Portugal 19 de Setembro de 2011 Intervenção do Ministro de Estado

Leia mais

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto.

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. <Os Inovadores> <Escola Profissional Atlântico> NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto Dezembro de 2011 1 A

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projecto de Lei n.º 47/ XII - 1.ª

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projecto de Lei n.º 47/ XII - 1.ª PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projecto de Lei n.º 47/ XII - 1.ª Cria uma nova taxa aplicável às transacções financeiras realizadas no mercado de valores mobiliários 1. Durante a crise financeira,

Leia mais

Senhor Presidente da Assembleia, Senhoras e Senhores Deputados, Senhor Presidente, Senhora e Senhores membros do Governo.

Senhor Presidente da Assembleia, Senhoras e Senhores Deputados, Senhor Presidente, Senhora e Senhores membros do Governo. Intervenção proferida pelo Deputado Luís Henrique Silva, na Sessão Plenária de Novembro de 2006 Senhor Presidente da Assembleia, Senhoras e Senhores Deputados, Senhor Presidente, Senhora e Senhores membros

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Sexta-feira, dia 9 de Maio de 2008

RESUMO DE IMPRENSA. Sexta-feira, dia 9 de Maio de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO RESUMO DE IMPRENSA Sexta-feira, dia 9 de Maio de 2008 1. Sonangol avalia entrada na Portucel (pág. 1, 14 e 15) O braço financeiro de Luanda quer ajuda da papeleira de Queiroz Pereira para

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Resolução n.º 684/XII/2.ª. Financiar o investimento para dever menos

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Resolução n.º 684/XII/2.ª. Financiar o investimento para dever menos Projeto de Resolução n.º 684/XII/2.ª Financiar o investimento para dever menos Em Março de 2009 o do PCP apresentou o Projeto de Resolução nº 438/X Medidas de combate à crise económica e social que, entre

Leia mais

IDEFF/OTOC 4.julho.2011 Cristina Sofia Dias Adida Financeira, Representação Permanente de Portugal Junto da UE

IDEFF/OTOC 4.julho.2011 Cristina Sofia Dias Adida Financeira, Representação Permanente de Portugal Junto da UE IDEFF/OTOC 4.julho.2011 Cristina Sofia Dias Adida Financeira, Representação Permanente de Portugal Junto da UE A crise financeira: causas, respostas e os planos de assistência financeira Índice 1. Da crise

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Quarta-feira, 9 de Setembro de 2009

RESUMO DE IMPRENSA. Quarta-feira, 9 de Setembro de 2009 RESUMO DE IMPRENSA Quarta-feira, 9 de Setembro de 2009 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Bancos voltam a dar mais crédito às empresas (manchete, pág. 17). Malparado em alta nos empréstimos a famílias e sociedades.

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA. Bruxelas, 20-08-2003 C (2003) 3103

COMISSÃO EUROPEIA. Bruxelas, 20-08-2003 C (2003) 3103 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 20-08-2003 C (2003) 3103 Objecto: Auxílio estatal n.º NN 173/01 - Portugal - Prorrogação do dispositivo de cobertura dos riscos inerentes ao transporte aéreo com a garantia

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, dia 30 de Janeiro de 2008

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, dia 30 de Janeiro de 2008 Resumo de Imprensa Quarta-feira, dia 30 de Janeiro de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Exportações para Angola atingem valores recorde (págs.1, 12 e 13) As empresas portuguesas já vendem quase tanto para aquele

Leia mais

É criado um regime de crédito bonificado aos estudantes do ensino superior que se rege pelo disposto no presente diploma.

É criado um regime de crédito bonificado aos estudantes do ensino superior que se rege pelo disposto no presente diploma. Decreto-Lei N.º 512/99 De 24 de Novembro Cria um regime de crédito bonificado aos estudantes do ensino superior A Lei n.º 113/97, de 16 de Setembro - Lei de Bases do Financiamento do Ensino Superior Público

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Quarta-feira, 18 de Março de 2009

RESUMO DE IMPRENSA. Quarta-feira, 18 de Março de 2009 RESUMO DE IMPRENSA Quarta-feira, 18 de Março de 2009 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Teresa Ter-Minassian, Conselheira Especial do FMI analisa a economia portuguesa. Preocupa-me o défice externo elevado e o baixo

Leia mais

Decreto-Lei n.º 27/2001, de 3 de Fevereiro, Regula o novo regime das contas poupançahabitação

Decreto-Lei n.º 27/2001, de 3 de Fevereiro, Regula o novo regime das contas poupançahabitação 1/7 Decreto-Lei n.º 27/2001, de 3 de Fevereiro, Regula o novo regime das contas poupançahabitação JusNet 259/2001 Link para o texto original no Jornal Oficial (DR N.º 29, Série I-A, 3 Fevereiro 2001; Data

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N. /2011 REGIME DA DÍVIDA PÚBLICA

PROPOSTA DE LEI N. /2011 REGIME DA DÍVIDA PÚBLICA Proposed law on Public Debt, provided by the Government to Parliament in June 2011. Scanned by La o Hamutuk. For more information, see http://www.laohamutuk.org/econ/debt/09borrowing.htm. PROPOSTA DE LEI

Leia mais

Quadro 1 Dimensão do controlo da EDP e da GALP por capital estrangeiro

Quadro 1 Dimensão do controlo da EDP e da GALP por capital estrangeiro RESUMO DESTE ESTUDO O sector da energia é estratégico em qualquer país, em termos de desenvolvimento e de independência nacional. Os governos, desde que tenham um mínimo de dignidade nacional e se preocupem

Leia mais

CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA. 22 de junho de 2015

CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA. 22 de junho de 2015 CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA UMA UNIÃO EUROPEIA MAIS FORTE 22 de junho de 2015 A União Europeia deve contar com um quadro institucional estável e eficaz que lhe permita concentrar-se

Leia mais

Senhor Presidente. Senhoras e Senhores Deputados. Senhoras e Senhores Membros do Governo

Senhor Presidente. Senhoras e Senhores Deputados. Senhoras e Senhores Membros do Governo Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados Senhoras e Senhores Membros do Governo O actual momento de crise internacional que o mundo atravessa e que, obviamente, afecta a nossa Região, coloca às

Leia mais