APRENDER A ENSINAR COM TECNOLOGIA EM CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APRENDER A ENSINAR COM TECNOLOGIA EM CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA"

Transcrição

1 APRENDER A ENSINAR COM TECNOLOGIA EM CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA Rosemara Perpetua Lopes Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT), Campus de Presidente Prudente, Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE) Resumo: Apresentamos resultados relativos a um dos objetivos específicos de uma pesquisa de Doutorado, que consiste em investigar situações de aprendizagem envolvendo Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) presentes na formação do futuro professor de Matemática. A pesquisa, de cunho qualitativo, é desenvolvida em dois cursos, selecionados a partir de resultados obtidos no Mestrado, sendo os dados coletados por questionário aplicado aos formandos em 2011 e entrevista semiestruturada com professores que ministraram disciplinas envolvidas na formação para uso das TDIC a esses alunos e coordenadoras de curso. Das situações encontradas, que consistem em: aprender sobre tecnologias, aprender com tecnologias, aprender a ensinar com tecnologias, e ensinar com tecnologias, priorizamos a terceira, que tem subjacentes o conceito de simetria invertida e pressupostos construcionistas. Analisados os dados, constatamos que situações em que o aluno aprendeu a ensinar com tecnologia ocorreram em duas disciplinas, uma de cada curso, que veiculam conhecimento pedagógico do conteúdo, havendo coerência entre alunos e professores a esse respeito. Nessas disciplinas, os alunos desenvolveram atividades práticas, que previam o uso de tecnologias para ensinar Matemática a alunos do Ensino Fundamental e/ou Médio. Em um dos cursos, foi apontada uma terceira disciplina, na qual não houve situações envolvendo aprender a ensinar com tecnologia segundo os professores que a ministraram, mas outras, das quais se destacam aquelas que têm em comum o interesse do futuro professor pelo uso de tecnologia para ensinar Matemática. Ainda que restritas do ponto de vista de sua contribuição para a constituição dos quadros referenciais do futuro professor para a docência, as situações descritas pelos professores dessa disciplina representam mais do que prevêem seu programa de ensino e o projeto pedagógico, em termos da formação pesquisada. Palavras-chave: Licenciatura em Matemática; formação inicial de professores; tecnologias. 1 Introdução Apresentamos neste trabalho resultados parciais de uma pesquisa de Doutorado, relativos a um dos objetivos específicos da mesma, que consiste em investigar situações de aprendizagem envolvendo Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) presentes na formação do aluno de Licenciatura. Das situações encontradas, a saber, aprender sobre tecnologias, aprender com tecnologias, aprender a ensinar com tecnologias e ensinar com tecnologias, priorizamos a terceira, pela relevância em termos do conhecimento que pode propiciar ao futuro professor

2 2 Os demais objetivos específicos são formulados nos seguintes termos: analisar como ocorre a articulação entre disciplinas obrigatórias e optativas presentes nos projetos pedagógicos dos cursos, destinadas a formar para o uso das TDIC; identificar as concepções sobre ensino e aprendizagem com TDIC de estudantes de cursos de Licenciatura em Matemática; evidenciar qual a concepção dos professores formadores e dos coordenadores de curso sobre ensinar com TDIC no Ensino Superior. Todos esses se articulam ao seguinte objetivo geral: investigar a formação para o uso das TDIC nos cursos de Licenciatura em Matemática de uma universidade pública do Estado de São Paulo. Em atenção a esses objetivos, formulamos a questão de pesquisa nos seguintes termos: como ocorre a formação para uso das TDIC contemplada nos projetos pedagógicos dos cursos de Licenciatura em Matemática de uma universidade pública do Estado de São Paulo, segundo as concepções e práticas declaradas daqueles que a protagonizam? Os referidos projetos pedagógicos foram analisados no Mestrado, quando, inicialmente, investigamos os currículos de 123 cursos de formação de professores das três universidades estaduais de São Paulo, passando, após, aos projetos de seis cursos de uma delas, selecionados pelos critérios: modalidade Licenciatura; formação para a Educação Básica; ocorrência de TDIC em disciplinas obrigatórias. Assim procedendo, constatamos que dois dos projetos analisados previam a formação do egresso para o uso das tecnologias, ambos de Licenciatura em Matemática, dando margem à pesquisa atual. Na atual investigação, de cunho qualitativo, os dados foram coletados por questionário, aplicado a 25 formandos de 2011, e entrevista semiestruturada, realizada com 13 professores que ministraram disciplinas envolvidas na formação investigada a esses alunos e com três coordenadoras de curso. Maior detalhamento dessa metodologia é fornecido após o breve referencial teórico que se segue. A estrutura deste texto comporta ainda resultados e discussão e considerações finais sobre o exposto. 2 Referencial teórico Na pesquisa, o termo aprender a ensinar com tecnologia indica uma situação em que o futuro professor usa tecnologia para aprender, tendo como objeto de estudos a utilização da mesma para ensinar na Escola Básica, em atividades como as descritas por Marco (2009). Sustentam essa premissa o conceito de simetria invertida, que pressupõe coerência entre o modo que o licenciando aprende nas aulas do curso e aquele que se 00018

3 3 pretende que adote para ensinar quando for professor, e o paradigma construcionista, que propõe a tecnologia como ferramenta para a aprendizagem (PAPERT, 1994). Essa situação é vista como parte de uma formação mais ampla, que não se restringe à instrumentalização, mas permite ao futuro professor conceber o uso da tecnologia sob um novo paradigma, que supere aquele que tem como características aluno passivo e professor transmissor de informação (PAPERT, 1994). 3 Metodologia Os cursos focalizados são denominados Curso de Matemática 1 (CM1) e Curso de Matemática 2 (CM2). O primeiro tem duas turmas, Turma 1 (T1), composta por oito alunos do período diurno, e Turma 2 (T2) por sete alunos do noturno; o segundo, a Turma 3 (T3), com dez alunos. Os professores são identificados como Professor 2 (P2), Professor 3 (P3), assim por diante; os alunos, pelos termos Aluno 1 da Turma 1 (A1T1), Aluno 1 da Turma 2 (A1T2), Aluno 1 da Turma 3 (A1T3), assim sucessivamente. O Professor 1 (P1) participou somente da aplicação piloto da entrevista, não considerada na análise dos dados. No CM1, foram entrevistados os professores P4, P5 e P11, que ministraram Metodologia do Ensino de Matemática I e II; P6 e P14, Didática; P12 e P13, Introdução à Computação; P7, Noções de Ensino de Matemática Usando o Computador. No CM2, P3 ministrou Análise Crítica de Livros Didáticos, Prática de Ensino de Matemática I e Ensino de Matemática por Múltiplas Mídias, esta última também ministrada por P2, além de Prática de Ensino de Matemática II; P8 e P10, Introdução à Programação de Computadores; P9, Estrutura e Funcionamento do Ensino Fundamental e Médio. Esse grupo de disciplinas envolvidas na formação para o uso das TDIC se subdivide em: disciplinas apontadas nos projetos pedagógicos dos cursos como aquelas que promovem a formação pesquisada e disciplinas indicadas no questionário pelos alunos. No projeto do CM1, são apontadas: Introdução à Computação, Laboratório de Computação e Noções de Ensino de Matemática Usando o Computador. No projeto do CM2: Ensino de Matemática por Múltiplas Mídias, Introdução à Ciência da Computação e Introdução à Programação de Computadores. As demais foram indicadas pelos alunos. Os dados coletados pelas perguntas abertas do questionário e por entrevista foram analisados com o respaldo de Bardin (2009)

4 4 4 Resultados e discussão Aos alunos, perguntamos o que mais contribuiu para que aprendessem a ensinar com TDIC. Aos professores, se houve aula em que propuseram aos alunos desenvolver uma atividade de ensino de Matemática para o Ensino Fundamental ou Médio usando tecnologia. Às coordenadoras, solicitamos que falassem sobre o uso de tecnologias nas aulas do curso. No CM2, 80% dos alunos responderam que o curso contribuiu para que aprendessem a ensinar usando tecnologias. As contribuições indicadas são relativas a atividades realizadas dentro e fora da sala de aula e à infraestrutura. Para 62,5%, essa contribuição foi dada por Ensino de Matemática por Múltiplas Mídias. Das disciplinas desse curso envolvidas na formação para o uso das TDIC, essa é a única a comportar situações em que o futuro professor aprende a ensinar com o uso de tecnologias, permitindo que componha seus quadros referenciais para a docência (MIZUKAMI, 1996) com o que Shulman (1986) denomina conhecimento pedagógico do conteúdo. No CM1, situações voltadas a aprender a ensinar Matemática usando tecnologias ocorreram em Noções de Ensino de Matemática Usando o Computador. Segundo P7, o trabalho final dos alunos foi desenvolver um curso inteiro, para ser aplicado a alunos reais do Ensino Fundamental e Médio (Transcrição da entrevista com P7, p. 3). Questionado sobre o que mais teria contribuído para que aprendessem a ensinar usando tecnologias, A7T1 respondeu que foi essa disciplina. Dos 15 alunos, três se referiram à Geometria, conteúdo privilegiado na mesma, de acordo com C3. As disciplinas de Metodologia foram apontadas por A3T2. Dos três professores que as ministraram, P11 indicou duas situações, uma em que usou tecnologia para ensinar durante a aula, outra em que os alunos a escolherem como tema de um trabalho a realizar na disciplina. Esta última situação também ocorreu nas aulas de P4, além de discussões em que o assunto surgiu como parte de um conteúdo como currículo. Nas aulas de P5, a tecnologia esteve presente por intermédio dos alunos, que a abordaram ao tratar de Funções, e de um professor convidado para falar na disciplina. Os três casos têm em comum e evidenciam o interesse dos alunos pelo uso da tecnologia no ensino de Matemática. Do ponto de vista de sua contribuição para a constituição dos quadros referenciais para a docência do futuro professor, ainda que restrito, o tratamento dado por esses professores é mais do que o previsto no programa de ensino dessas disciplinas e no projeto pedagógico do curso

5 5 5 Considerações finais Neste trabalho apresentamos resultados parciais de uma pesquisa de Doutorado, relativos a um dos objetivos específicos da mesma, que consiste em investigar situações de aprendizagem envolvendo TDIC, presentes na formação do aluno de Licenciatura em Matemática. Das situações encontradas, a saber, aprender sobre tecnologias, aprender com tecnologias, aprender a ensinar com tecnologias e ensinar com tecnologias, priorizamos a terceira. Partindo de resultados do Mestrado, a pesquisa é realizada em dois cursos de uma universidade pública do Estado de São Paulo; tem como sujeitos alunos do último ano, professores e coordenadoras; adota como instrumentos de coleta de dados questionário e entrevista semiestruturada. No que tange ao referido objetivo, constatamos que, em ambos os cursos, situações em que o aluno aprendeu a ensinar com tecnologia ocorreram em duas disciplinas, uma em cada curso, havendo coerência entre as respostas fornecidas pelos alunos e pelos professores a esse respeito. Além dessas, em um dos cursos, um aluno apontou as disciplinas de Metodologia do Ensino de Matemática I e II, nas quais não houve situação envolvendo aprender a ensinar com tecnologia, segundo os professores que as ministraram, mas ensinar com tecnologia, no caso de P11, e aprender sobre tecnologia, nos casos de P4 e P5. Ressalvadas aquelas que consistiram em ensinar com tecnologia, as situações descritas por esses professores têm em comum o interesse do aluno de Licenciatura pelo uso de tecnologia no ensino de Matemática. Ainda que restritas, as situações que o futuro professor do CM1 vivenciou nas disciplinas de Metodologia representam mais do que o previsto no programa de ensino das mesmas e no projeto pedagógico do curso. Referências BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, MARCO, F. F. Atividades computacionais de ensino na formação inicial do professor de matemática Tese (Doutorado em Educação) Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP, MIZUKAMI, M. G. N. Docência, trajetórias pessoais e desenvolvimento profissional. In: REALI, A. M. M. R.; MIZUKAMI, M. G. N. (Orgs.). Formação de professores: tendências atuais. São Carlos: EDUFSCar, 1996, p PAPERT, S. A máquina das crianças: repensando a escola na era da informática. Porto Alegre: Artes Médicas, SHULMAN, L. S. Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, v. 15, n. 2, p. 4-14,

Situações que envolvem TDIC vivenciadas nas aulas de Licenciatura em Matemática e seu papel na formação do futuro professor

Situações que envolvem TDIC vivenciadas nas aulas de Licenciatura em Matemática e seu papel na formação do futuro professor Situações que envolvem TDIC vivenciadas nas aulas de Licenciatura em Matemática e seu papel na formação do futuro professor Rosemara Perpetua Lopes; Monica Fürkotter Universidade Estadual Paulista (UNESP),

Leia mais

Quadro 1 Modalidade dos cursos de licenciatura e perfil do egresso Perfil das universidades pesquisadas Dados relativos aos cursos de licenciatura

Quadro 1 Modalidade dos cursos de licenciatura e perfil do egresso Perfil das universidades pesquisadas Dados relativos aos cursos de licenciatura TECNOLOGIAS DIGITAIS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TDIC) NO CURRÍCULO FORMAL DOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS PAULISTAS Rosemara Perpetua Lopes UNESP Monica Fürkotter UNESP

Leia mais

ENSINO COM TECNOLOGIA EM CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA E SEU IMPACTO SOBRE O FUTURO PROFESSOR

ENSINO COM TECNOLOGIA EM CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA E SEU IMPACTO SOBRE O FUTURO PROFESSOR Sociedade Brasileira de na Contemporaneidade: desafios e possibilidades ENSINO COM TECNOLOGIA EM CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA E SEU IMPACTO SOBRE O FUTURO PROFESSOR Rosemara Perpetua Lopes Universidade

Leia mais

USO DAS TDIC PELO PROFESSOR FORMADOR NAS AULAS DE CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

USO DAS TDIC PELO PROFESSOR FORMADOR NAS AULAS DE CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA USO DAS TDIC PELO PROFESSOR FORMADOR NAS AULAS DE CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA Resumo LOPES, Rosemara Perpetua 1 - UNESP/FCT FÜRKOTTER, Monica 2 - UNESP/FCT Grupo de Trabalho Formação de Professores

Leia mais

Palavras-chave: Formação do professor. Prática pedagógica pré-profissional Conhecimento didático dos conteúdos.

Palavras-chave: Formação do professor. Prática pedagógica pré-profissional Conhecimento didático dos conteúdos. 1 A PRÁTICA PEDAGÓGICA PRÉ-PROFISSIONAL E OS CONHECIMENTOS DIDÁTICOS DA MATEMÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE SANTA FÉ EM SÃO LUIS/MA Ana Lúcia Maia Gama Universidade Nacional de Rosario Argentina

Leia mais

MatDigital Projeto Klein Livro Companheiro

MatDigital Projeto Klein Livro Companheiro Brasília, 27, 28 e 29 de setembro de 2013 MatDigital Projeto Klein Livro Companheiro Victor Giraldo (victor.giraldo@ufrj.br) Instituto de Matemática/UFRJ Projeto Klein É notável que os desenvolvimentos

Leia mais

Conhecimentos específicos matemáticos de professores dos anos iniciais: discutindo os diferentes significados do sinal de igualdade

Conhecimentos específicos matemáticos de professores dos anos iniciais: discutindo os diferentes significados do sinal de igualdade Conhecimentos específicos matemáticos de professores dos anos iniciais: discutindo os diferentes significados do sinal de igualdade Alessandro Jacques Ribeiro (UFABC) alessandro.ribeiro@ufabc.edu.br Linéia

Leia mais

ANEXO II EDITAL Nº 80/2013/PIBID/UFG PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

ANEXO II EDITAL Nº 80/2013/PIBID/UFG PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID ANEXO II EDITAL Nº 80/2013/PIBID/UFG PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID FORMULÁRIO DE DETALHAMENTO DO SUBPROJETO POR ÁREA DE CONHECIMENTO 1. Nome da Instituição: 2. UF Universidade

Leia mais

Palavras-chave: 1 Matemática. 2 Formação de professores. 3 Professores polivalentes. Nielce Meneguelo Lobo da Costa 1

Palavras-chave: 1 Matemática. 2 Formação de professores. 3 Professores polivalentes. Nielce Meneguelo Lobo da Costa 1 A FORMAÇÃO DO PROFESSOR QUE ENSINA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PESQUISA SOBRE PERCEPÇÕES DOS CONCLUINTES DE CURSOS DE PEDAGOGIA Nielce Meneguelo Lobo da Costa 1 1. RESUMO Marinês

Leia mais

O ensino de Didática na formação de professores. Giseli Barreto da Cruz Cecília Silvano Batalha Talita da Silva Campelo

O ensino de Didática na formação de professores. Giseli Barreto da Cruz Cecília Silvano Batalha Talita da Silva Campelo O ensino de Didática na formação de professores Giseli Barreto da Cruz Cecília Silvano Batalha Talita da Silva Campelo Pesquisa: A Didática e o aprendizado da docência no processo de constituição identitária

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO ALFABETIZAÇÃO EM FOCO NO PERCURSO FORMATIVO DE ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA

PROJETO DE EXTENSÃO ALFABETIZAÇÃO EM FOCO NO PERCURSO FORMATIVO DE ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA PROJETO DE EXTENSÃO ALFABETIZAÇÃO EM FOCO NO PERCURSO FORMATIVO DE ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA Maria de Fátima Pereira Carvalho - UNEB, SME, NEPE Sandra Alves de Oliveira UNEB, CMAJO, NEPE Resumo

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA E ANÁLISE DE ERROS: UMA RELAÇÃO INDISSOCIÁVEL

FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA E ANÁLISE DE ERROS: UMA RELAÇÃO INDISSOCIÁVEL FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA E ANÁLISE DE ERROS: UMA RELAÇÃO INDISSOCIÁVEL Resumo Helena Noronha Cury 1 A formação inicial do professor de Matemática tem sido discutida em Fóruns de Licenciatura,

Leia mais

A PRÁTICA REFLEXIVA NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE FÍSICA 1. Marcos Daniel Longuini 2 Roberto Nardi 3

A PRÁTICA REFLEXIVA NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE FÍSICA 1. Marcos Daniel Longuini 2 Roberto Nardi 3 A PRÁTICA REFLEXIVA NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE FÍSICA 1 Marcos Daniel Longuini 2 Roberto Nardi 3 O conceito de reflexão sobre a prática é um dos eixos utilizados atualmente no campo da Educação,

Leia mais

A VISÃO DOS ALUNOS CONCLUINTES DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FCT-UNESP DE PRESIDENTE PRUDENTE A RESPEITO DE PESQUISA

A VISÃO DOS ALUNOS CONCLUINTES DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FCT-UNESP DE PRESIDENTE PRUDENTE A RESPEITO DE PESQUISA A VISÃO DOS ALUNOS CONCLUINTES DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FCT-UNESP DE PRESIDENTE PRUDENTE A RESPEITO DE PESQUISA Vanessa Ribeiro ANDRETO 1 Andréia Cristiane Silva WIEZZEL 2 RESUMO: O presente projeto, baseado

Leia mais

A DISCIPLINA DE DIDÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA: SEU PAPEL NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL

A DISCIPLINA DE DIDÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA: SEU PAPEL NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL A DISCIPLINA DE DIDÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA: SEU PAPEL NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL Kelen dos Santos Junges - UNESPAR/Campus de União da Vitória Mariane de Freitas - UNESPAR/Campus de União da Vitória

Leia mais

Palavras-chave: Alfabetização Matemática. Letramento Matemático. Formação inicial de professores.

Palavras-chave: Alfabetização Matemática. Letramento Matemático. Formação inicial de professores. A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA NA PERSPECTIVA DE FUTUROS PROFESSORES Resumo Jéssica da Costa Ricordi 1 - UFPR Neila Tonin Agranionih 2 UFPR O artigo objetiva apresentar e analisar concepções de acadêmicos

Leia mais

ENSINAR E APRENDER COM TECNOLOGIAS NA CONCEPÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES DE MATEMÁTICA: QUEBRANDO O PARADIGMA GIZ E LOUSA

ENSINAR E APRENDER COM TECNOLOGIAS NA CONCEPÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES DE MATEMÁTICA: QUEBRANDO O PARADIGMA GIZ E LOUSA ENSINAR E APRENDER COM TECNOLOGIAS NA CONCEPÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES DE MATEMÁTICA: QUEBRANDO O PARADIGMA GIZ E LOUSA Rosemara Perpetua LOPES, Universidade Federal de Goiás, UFG, Regional Jataí Monica

Leia mais

AMBIENTE INTERDISCIPLINAR DE APRENDIZAGEM EM GEOCIÊNCIAS: SEM FROTEIRAS PARA ENSINAR E APRENDER (PAP015647)

AMBIENTE INTERDISCIPLINAR DE APRENDIZAGEM EM GEOCIÊNCIAS: SEM FROTEIRAS PARA ENSINAR E APRENDER (PAP015647) AMBIENTE INTERDISCIPLINAR DE APRENDIZAGEM EM GEOCIÊNCIAS: SEM FROTEIRAS PARA ENSINAR E APRENDER (PAP015647) VLANDER VERDADE SIGNORETTI; ROSELY A. L. IMBERNON Referências BEHAR, Patrícia (Org.). Modelos

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIAS REALIZADAS PELO PIBID/MATEMÁTICA/UFCG. Milton Ricardo G. de Lima RESUMO

RELATO DE EXPERIÊNCIAS REALIZADAS PELO PIBID/MATEMÁTICA/UFCG. Milton Ricardo G. de Lima RESUMO RELATO DE EXPERIÊNCIAS REALIZADAS PELO PIBID/MATEMÁTICA/UFCG CAMPINA GRANDE-PB Jacqueline Tavares Lúcio Milton Ricardo G. de Lima RESUMO O PIBID/UFCG/MATEMÁTICA-Campina Grande, atua em duas escolas, sendo

Leia mais

ANGÉLICA ELIS HEINECK1,2*, NILCE FÁTIMA SCHEFFER1,2

ANGÉLICA ELIS HEINECK1,2*, NILCE FÁTIMA SCHEFFER1,2 DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM, ANÁLISE DE REPRESENTAÇÃO E ARGUMENTAÇÃO NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA DISCUSSÃO SOBRE O CONCEITO DE ÂNGULO NO ENSINO FUNDAMENTAL ANGÉLICA ELIS

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DE PROFESSORES FORMADORES SOBRE O CONHECIMENTO PROFISSIONAL DOCENTE EM ÁLGEBRA

CONTRIBUIÇÕES DE PROFESSORES FORMADORES SOBRE O CONHECIMENTO PROFISSIONAL DOCENTE EM ÁLGEBRA CONTRIBUIÇÕES DE PROFESSORES FORMADORES SOBRE O CONHECIMENTO PROFISSIONAL DOCENTE EM ÁLGEBRA Karina Aguiar Alves Marieli V. R. de Almeida Thais H. I. Silva Evonir Albrecht CONTRIBUIÇÕES DE PROFESSORES

Leia mais

OS RECURSOS TECNOLÓGICOS UTILIZADOS PELOS ALUNOS DO PEG

OS RECURSOS TECNOLÓGICOS UTILIZADOS PELOS ALUNOS DO PEG OS RECURSOS TECNOLÓGICOS UTILIZADOS PELOS ALUNOS DO PEG RESUMO CARLOS EDUARDO WEIZENMANN 1 RAFAELA JARDIM 2 KARLA MARQUES DA ROCHA 3 Este trabalho tem por objetivo apresentar os resultados obtidos por

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 5º semestre

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 5º semestre EIXO TECNOLÓGICO: Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU:( )integrado( )subsequente( ) concomitante ( ) bacharelado( x )licenciatura( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

Um Estudo das Organizações Didática e Matemática de Professores em Início de Docência durante as Aulas de Função. Introdução

Um Estudo das Organizações Didática e Matemática de Professores em Início de Docência durante as Aulas de Função. Introdução Um Estudo das Organizações Didática e Matemática de Professores em Início de Docência durante as Aulas de Função Introdução Adriana Barbosa de Oliveira Marilena Bittar O final de um curso de licenciatura

Leia mais

CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I: ANALISANDO AS DIFICULDADES DOS ALUNOS DE UM CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I: ANALISANDO AS DIFICULDADES DOS ALUNOS DE UM CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA Revista da Educação Matemática da UFOP, Vol I, 2011 - XI Semana da Matemática e III Semana da Estatística, 2011 ISSN 2237-809X CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I: ANALISANDO AS DIFICULDADES DOS ALUNOS DE

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta

Aprovação do curso e Autorização da oferta MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

Eixo Temático 3-Currículo, Ensino, Aprendizagem e Avaliação

Eixo Temático 3-Currículo, Ensino, Aprendizagem e Avaliação Eixo Temático 3-Currículo, Ensino, Aprendizagem e Avaliação CONCEPÇÕES DOS EDUCANDOS SOBRE A UTILIZAÇÃO DO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA NA ESCOLA PÚBLICA Leandra Tamiris de Oliveira Lira-UFRPE Leonardo Barbosa

Leia mais

OS DESAFIOS DA PESQUISA NA FORMAÇÃO DOS ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA OFERECIDO PELA PLATAFORMA FREIRE, NO MUNICÍPIO DE BOM JESUS DA LAPA BA

OS DESAFIOS DA PESQUISA NA FORMAÇÃO DOS ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA OFERECIDO PELA PLATAFORMA FREIRE, NO MUNICÍPIO DE BOM JESUS DA LAPA BA 03137 OS DESAFIOS DA PESQUISA NA FORMAÇÃO DOS ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA OFERECIDO PELA PLATAFORMA FREIRE, NO MUNICÍPIO DE BOM JESUS DA LAPA BA RESUMO Isaura Francisco de Oliveira UNEB- Professora

Leia mais

A Visualização e a Representação Geométrica de Conceitos Matemáticos e suas Influências na Constituição do Conceito Matemático

A Visualização e a Representação Geométrica de Conceitos Matemáticos e suas Influências na Constituição do Conceito Matemático A Visualização e a Representação Geométrica de Conceitos Matemáticos e suas Influências na Constituição do Conceito Matemático Autora: Luciane Maia Insuela Garcia Orientadora: Dra. Rosana Giaretta Sguerra

Leia mais

Estágio - Experimento Didático. Câmpus Camboriú

Estágio - Experimento Didático. Câmpus Camboriú Estágio - Experimento Didático Câmpus Camboriú O CURSO Formação encadeada Disciplinas planejadas Professores organizados Práticas Articuladas TERCEIRO SEMESTRE Tecnologias no Ensino da Matemática Primeiras

Leia mais

O PROFESSOR DE FÍSICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NAS ESCOLAS ESTADUAIS DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PA

O PROFESSOR DE FÍSICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NAS ESCOLAS ESTADUAIS DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PA O PROFESSOR DE FÍSICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NAS ESCOLAS ESTADUAIS DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PA Márcia Cristina Palheta Albuquerque (1); Laely Vieira (2); Walmir Benedito Tavares (1); Marcos Lázaro

Leia mais

OFICINA: Aprendizagem no Ensino Superior. FORMADORAS: Profa. Blaise K. C. Duarte Profa. Lourdes Furlanetto Profa. Luciane Nesello

OFICINA: Aprendizagem no Ensino Superior. FORMADORAS: Profa. Blaise K. C. Duarte Profa. Lourdes Furlanetto Profa. Luciane Nesello OFICINA: Aprendizagem no Ensino Superior FORMADORAS: Profa. Blaise K. C. Duarte Profa. Lourdes Furlanetto Profa. Luciane Nesello IDENTIFICAÇÃO: Aprendizagem no Ensino Superior FORMADORES (AS): PLANO DE

Leia mais

1.1 Os temas e as questões de pesquisa. Introdução

1.1 Os temas e as questões de pesquisa. Introdução 1 Introdução Um estudo de doutorado é, a meu ver, um caso de amor, e em minha vida sempre houve duas grandes paixões imagens e palavras. Escolhi iniciar minha tese com o poema apresentado na epígrafe porque

Leia mais

O CONHECIMENTO SOBRE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO REVELADO POR PROFESSORES DO ENSINO PÚBLICO

O CONHECIMENTO SOBRE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO REVELADO POR PROFESSORES DO ENSINO PÚBLICO O CONHECIMENTO SOBRE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO REVELADO POR PROFESSORES DO ENSINO PÚBLICO Andrea Carla Machado 1 (Universidade Federal de São Carlos) Janete Alves Hammoud 2 (Universidade

Leia mais

OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE FUNÇÕES REAIS: UMA CONTRIBUIÇÃO PARA O SABER PEDAGÓGICO DE CONTEÚDO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA

OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE FUNÇÕES REAIS: UMA CONTRIBUIÇÃO PARA O SABER PEDAGÓGICO DE CONTEÚDO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Sociedade Brasileira de na Contemporaneidade: desafios e possibilidades OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE FUNÇÕES REAIS: UMA CONTRIBUIÇÃO PARA O SABER PEDAGÓGICO DE CONTEÚDO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE: UM ESTUDO NAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA ZONA RURAL E ZONA URBANA DE SÃO LUÍS.

FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE: UM ESTUDO NAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA ZONA RURAL E ZONA URBANA DE SÃO LUÍS. FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE: UM ESTUDO NAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA ZONA RURAL E ZONA URBANA DE SÃO LUÍS. Ione da Silva Guterres Especialista em Docência na Educação Infantil pela

Leia mais

Contribuições do Pibid na construção dos conhecimentos específicos na formação inicial de professores de Ciências

Contribuições do Pibid na construção dos conhecimentos específicos na formação inicial de professores de Ciências Contribuições do Pibid na construção dos conhecimentos específicos na formação inicial de professores de Ciências Tatiane Skeika 1, Ana Lúcia Pereira Baccon 2 & Fabio Antonio Gabriel 3 Categoría: Trabajos

Leia mais

O CURSO DE PEDAGOGIA COMO LÓCUS DA FORMAÇÃO MUSICAL INICIAL DE PROFESSORES Alexandra Silva dos Santos Furquim UFSM Cláudia Ribeiro Bellochio UFSM

O CURSO DE PEDAGOGIA COMO LÓCUS DA FORMAÇÃO MUSICAL INICIAL DE PROFESSORES Alexandra Silva dos Santos Furquim UFSM Cláudia Ribeiro Bellochio UFSM 1 O CURSO DE PEDAGOGIA COMO LÓCUS DA FORMAÇÃO MUSICAL INICIAL DE PROFESSORES Alexandra Silva dos Santos Furquim UFSM Cláudia Ribeiro Bellochio UFSM INTRODUÇÃO No contexto das pesquisas em educação, a formação

Leia mais

XVIII ENDIPE Didática e Prática de Ensino no contexto político contemporâneo: cenas da Educação Brasileira

XVIII ENDIPE Didática e Prática de Ensino no contexto político contemporâneo: cenas da Educação Brasileira O ENSINO DO DIREITO: PRÁTICA TRANSFORMADORA DA SOCIEDADE Adriana MallmannVilalva - UNISANTOS 1 Agência Financiadora: CAPES Eixo Temático 2 Didática, Profissão docente e políticas publicas. Resumo Ao analisarmos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA NPGECIMA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA NPGECIMA INSTRUÇÃO NORMATIVA 01/2015 Regulamenta a estrutura curricular do Curso de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática. O Colegiado de Pós-Graduação do no uso de suas atribuições, Considerando a necessidade

Leia mais

Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID. Detalhamento de SUBPROJETO (Licenciatura)

Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID. Detalhamento de SUBPROJETO (Licenciatura) Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Ministério da Educação Anexos I e II 2º andar Caixa Postal 365 CEP - 70359-970 Brasília, DF - Brasil. Programa Institucional de Bolsa de Iniciação

Leia mais

O LIVRO DIDÁTICO NAS AULAS DE MATEMÁTICA: UM ESTUDO A PARTIR DAS CONCEPÇÕES DOS PROFESSORES. Introdução

O LIVRO DIDÁTICO NAS AULAS DE MATEMÁTICA: UM ESTUDO A PARTIR DAS CONCEPÇÕES DOS PROFESSORES. Introdução O LIVRO DIDÁTICO NAS AULAS DE MATEMÁTICA: UM ESTUDO A PARTIR DAS CONCEPÇÕES DOS PROFESSORES Autor: Marcelo Silva Bastos Instituição: SME-RJ; Centro Universitário Celso Lisboa e-mail:profsbastos@uol.com.br

Leia mais

CONDIÇÃO DE EXISTÊNCIA DE UM TRIÂNGULO

CONDIÇÃO DE EXISTÊNCIA DE UM TRIÂNGULO CONDIÇÃO DE EXISTÊNCIA DE UM TRIÂNGULO Gian Lucca de Oliveira Costa 1 Francisco Fernandes de Freitas 2 1. Introdução Este trabalho relata uma prática realizada no Curso de Licenciatura em Matemática da

Leia mais

NOVAS METODOLOGIAS DE ENSINO: UMA PESQUISA SOBRE O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA NO PRIMEIRO ANO DO ENSINO MÉDIO

NOVAS METODOLOGIAS DE ENSINO: UMA PESQUISA SOBRE O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA NO PRIMEIRO ANO DO ENSINO MÉDIO NOVAS METODOLOGIAS DE ENSINO: UMA PESQUISA SOBRE O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA NO PRIMEIRO ANO DO ENSINO MÉDIO Maria Francisca Duarte Jatobá; Bruno Lopes Oliveira da Silva. Instituto Federal de Ciência e

Leia mais

MATEMÁTICA COM TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Formação de Professores que Ensinam Matemática

MATEMÁTICA COM TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Formação de Professores que Ensinam Matemática MATEMÁTICA COM TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Formação de Professores que Ensinam Matemática Rosemara Perpetua Lopes 1 Eloi Feitosa 2 Resumo: Apresentamos e discutimos resultados de um projeto desenvolvido

Leia mais

Avaliação da Monitoria de Parasitologia para o Desenvolvimento do Aluno do 3º semestre do Curso de Medicina do Cariri.

Avaliação da Monitoria de Parasitologia para o Desenvolvimento do Aluno do 3º semestre do Curso de Medicina do Cariri. Avaliação da Monitoria de Parasitologia para o Desenvolvimento do Aluno do 3º semestre do Curso de Medicina do Cariri. Amanda Soeiro Fonteles¹, Patrícia Oliveira Meira Santos², Ciro de Oliveira Lima¹,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE 1. IDENTIFICAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE 1. IDENTIFICAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: Descobrindo e aplicando matemática por meio do software GeoGebra 1.2 Câmpus de

Leia mais

Prof. Renato da Anunciação REITOR Profª Aurina Oliveira Santana DIRETORA GERAL Prof. Durval de Almeida Souza DIRETOR DE ENSINO Prof.

Prof. Renato da Anunciação REITOR Profª Aurina Oliveira Santana DIRETORA GERAL Prof. Durval de Almeida Souza DIRETOR DE ENSINO Prof. Prof. Renato da Anunciação REITOR Profª Aurina Oliveira Santana DIRETORA GERAL Prof. Durval de Almeida Souza DIRETOR DE ENSINO Prof. Juliano Marques de Aguilar DIRETOR ADMINISTRATIVO Cursos FIC Os Cursos

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: TÉCNICO EM SECRETARIADO FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x )

Leia mais

PIBID GEOGRAFIA NA MEDIAÇÃO ENTRE A ESCOLA E A UNIVERSIDADE COMO ESPAÇOS DE FORMAÇÃO DOCENTE

PIBID GEOGRAFIA NA MEDIAÇÃO ENTRE A ESCOLA E A UNIVERSIDADE COMO ESPAÇOS DE FORMAÇÃO DOCENTE 1 PIBID GEOGRAFIA NA MEDIAÇÃO ENTRE A ESCOLA E A UNIVERSIDADE COMO ESPAÇOS DE FORMAÇÃO DOCENTE Márcia Cristina de Oliveira Mello UNESP Campus de Ourinhos PIBID/CAPES Resumo Dentro de uma política institucional

Leia mais

ELETROMAGNETISMO: UMA AULA PRÁTICA COM USO DA EXPERIMENTAÇÃO PARA ALUNOS DO 3º ANO DO ENSINO MÉDIO

ELETROMAGNETISMO: UMA AULA PRÁTICA COM USO DA EXPERIMENTAÇÃO PARA ALUNOS DO 3º ANO DO ENSINO MÉDIO ELETROMAGNETISMO: UMA AULA PRÁTICA COM USO DA EXPERIMENTAÇÃO PARA ALUNOS DO 3º ANO DO ENSINO MÉDIO Maynã Luan Nascimento Melo (1); Eliton da Silva Lima (2); Walmir Benedito Reis Tavares (3); Ana Clecia

Leia mais

LICENCIATURA EM FÍSICA (INTEGRAL)

LICENCIATURA EM FÍSICA (INTEGRAL) 1 LICENCIATURA EM FÍSICA (INTEGRAL) CURRÍCULO 2008/1 PRIMEIRO PERÍODO 08.111-6 Geometria Analítica Não tem 04 08.221-0 Cálculo Diferencial e Integral 1 Não tem 09.110-3 Física Experimental A Não tem 04

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DATAS DAS AVALIAÇÕES DO PERÍODO LETIVO 2017/1

COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DATAS DAS AVALIAÇÕES DO PERÍODO LETIVO 2017/1 I 1 PERÍODO Química Geral I 05/04/2017 07/06/2017 21/06/2017 28/06/2017 Cálculo I 06/04/2017 08/06/2017 22/06/2017 29/06/2017 Vetores e Geometria Analítica 11/04/2017 13/06/2017 20/06/2017 27/06/2017 Sociologia

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNO APOIADOR

EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNO APOIADOR EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNO APOIADOR - 2017 PROJETO DE EXTENSÃO: Projeto Aluno Apoiador. ÁREA TEMÁTICA: Educação CENTRO/NÚCLEO: SAES Setor de Atenção ao Estudante LINHA DE EXTENSÃO: Metodologias e estratégias

Leia mais

1- Prof. Me. Dep. Química/UERN; 2- Alunos de Licenciatura em Química, Matemática e Física.

1- Prof. Me. Dep. Química/UERN; 2- Alunos de Licenciatura em Química, Matemática e Física. PIBID- O Ensino na Área de Ciências Exatas e Naturais com Alunos 1 ano A e 2 ano D do Ensino Médio no Centro de Educação Integrada Professor Eliseu Viana (CEIPEV) Mossoró/RN. Gama, K. K. S. 2 ; Leite,

Leia mais

A RELEVÂNCIA DA PESQUISA NA FORMAÇÃO DOS FUTUROS PEDAGOGOS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA

A RELEVÂNCIA DA PESQUISA NA FORMAÇÃO DOS FUTUROS PEDAGOGOS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA 1 A RELEVÂNCIA DA PESQUISA NA FORMAÇÃO DOS FUTUROS PEDAGOGOS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Vanessa Ribeiro ANDRETO 1 Andréia Cristiane Silva WIEZZEL 2 RESUMO: O presente projeto de cunho qualitativo,

Leia mais

O ESTÁGIO DOCENTE NA POS-GRADUAÇÃO ESPAÇO OU LUGAR DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR UNIVERSITÁRIO?

O ESTÁGIO DOCENTE NA POS-GRADUAÇÃO ESPAÇO OU LUGAR DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR UNIVERSITÁRIO? O ESTÁGIO DOCENTE NA POS-GRADUAÇÃO ESPAÇO OU LUGAR DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR UNIVERSITÁRIO? Giovanna Ofretorio de Oliveira Martin Franchi Introdução O presente trabalho inserido na temática formação docente

Leia mais

A PROFISSIONALIDADE DO BACHAREL DOCENTE NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

A PROFISSIONALIDADE DO BACHAREL DOCENTE NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1 A PROFISSIONALIDADE DO BACHAREL DOCENTE NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Joselene Elias de Oliveira UnB Fernanda Bartoly Gonçalves de Lima IFB RESUMO Este trabalho se propõe a realizar uma revisão bibliográfica

Leia mais

Formação de professores para a atuação com o uso das TIC: a experiência da Matemática

Formação de professores para a atuação com o uso das TIC: a experiência da Matemática Formação de professores para a atuação com o uso das TIC: a experiência da Matemática Profa. Dra. Rosa Monteiro Paulo. UNESP Guaratinguetá Departamento de Matemática- FEG Atribuição de Significados e Formação

Leia mais

O USO DE SOFTWARE DE GEOMETRIA DINÂMICA: DE PESQUISAS ACADÊMICAS PARA SALA DE AULA

O USO DE SOFTWARE DE GEOMETRIA DINÂMICA: DE PESQUISAS ACADÊMICAS PARA SALA DE AULA O USO DE SOFTWARE DE GEOMETRIA DINÂMICA: DE PESQUISAS ACADÊMICAS PARA SALA DE AULA Renan Mercuri Pinto Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Campus de Rio Claro renanmercuri@yahoo.com.br

Leia mais

A DIDÁTICA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO/PRÁTICA DE ENSINO: DADOS INICIAIS DE UMA PESQUISA COM EGRESSOS DO CURSO DE PEDAGOGIA

A DIDÁTICA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO/PRÁTICA DE ENSINO: DADOS INICIAIS DE UMA PESQUISA COM EGRESSOS DO CURSO DE PEDAGOGIA A DIDÁTICA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO/PRÁTICA DE ENSINO: DADOS INICIAIS DE UMA PESQUISA COM EGRESSOS DO CURSO DE PEDAGOGIA Resumo: Roseli de Fátima Rech Pilonetto UNIOESTE Neste texto apresentamos dados

Leia mais

Estudo de caso da percepção dos alunos do 9º ano do ensino fundamental a respeito do conteúdo de ciências presente na educopédia

Estudo de caso da percepção dos alunos do 9º ano do ensino fundamental a respeito do conteúdo de ciências presente na educopédia Estudo de caso da percepção dos alunos do 9º ano do ensino fundamental a respeito do conteúdo de ciências presente na educopédia Case study of the perceptions of students in the 9th grade of elementary

Leia mais

CONHECIMENTOS NECESSÁRIOS PARA A INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS NA PRÁTICA DOCENTE

CONHECIMENTOS NECESSÁRIOS PARA A INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS NA PRÁTICA DOCENTE Sociedade Brasileira de na Contemporaneidade: desafios e possibilidades CONHECIMENTOS NECESSÁRIOS PARA A INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS NA PRÁTICA DOCENTE Marília Zabel Instituto Federal Catarinense Campus

Leia mais

ESCALA DE CONCEPÇÕES ACERCA DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA E EDUCAÇÃO ESPECIAL E SUA APLICAÇÃO EM PESQUISA

ESCALA DE CONCEPÇÕES ACERCA DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA E EDUCAÇÃO ESPECIAL E SUA APLICAÇÃO EM PESQUISA ESCALA DE CONCEPÇÕES ACERCA DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA E EDUCAÇÃO ESPECIAL E SUA APLICAÇÃO EM PESQUISA Carla Cristina Marinho Sadao Omote Faculdade de Filosofia e Ciências, UNESP, campus de Marília Eixo Temático:

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: A EXTENSÃO QUE COMPLEMENTA A FORMAÇÃO DOCENTE. Eixo temático: Educación, Comunicación y Extensión

FORMAÇÃO CONTINUADA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: A EXTENSÃO QUE COMPLEMENTA A FORMAÇÃO DOCENTE. Eixo temático: Educación, Comunicación y Extensión FORMAÇÃO CONTINUADA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: A EXTENSÃO QUE COMPLEMENTA A FORMAÇÃO DOCENTE Sandra Mara Marasini Universidade de Passo Fundo/Brasil 1 Neiva Ignês Grando Universidade de Passo Fundo/Brasil

Leia mais

JOGOS E TECNOLOGIAS QUE AUXILIAM NO ENSINO DA MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO

JOGOS E TECNOLOGIAS QUE AUXILIAM NO ENSINO DA MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO JOGOS E TECNOLOGIAS QUE AUXILIAM NO ENSINO DA MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO Anailde Felix Marques (1); Gildemar Lima Oliveira (1); Maria da Paz Medeiros (2); Ticiany Marques Da Silva (3); Aluska Dias Ramos

Leia mais

ALUNOS E ESTAGIÁRIOS: UMA RELAÇÃO DESAFIADORA DE APRENDIZAGEM

ALUNOS E ESTAGIÁRIOS: UMA RELAÇÃO DESAFIADORA DE APRENDIZAGEM ISSN 2316-7785 ALUNOS E ESTAGIÁRIOS: UMA RELAÇÃO DESAFIADORA DE APRENDIZAGEM Pamella Aleska da Silva Santos 1 IFMT Campus Campo Novo do Parecis pamellaaleska@hotmail.com Vera Cristina de Quadros 2 IFMT

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CADERNO 1

LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CADERNO 1 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO 2008 ETAPA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO 2º ANO - CICLO II LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CADERNO 1 ESCOLA: NOME: TURMA:

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CADERNO 2

LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CADERNO 2 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO 2008 ETAPA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO 2º ANO - CICLO II LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CADERNO 2 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

Leia mais

- a compreensão da profissão como uma forma de inserção e intervenção na sociedade, tendo por base a comunidade regional;

- a compreensão da profissão como uma forma de inserção e intervenção na sociedade, tendo por base a comunidade regional; UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE-RS/UFSM PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO BACHARELADO (NOTURNO) PERFIL DESEJADO DO FORMANDO Entende-se que a formação

Leia mais

XVIII ENDIPE Didática e Prática de Ensino no contexto político contemporâneo: cenas da Educação Brasileira

XVIII ENDIPE Didática e Prática de Ensino no contexto político contemporâneo: cenas da Educação Brasileira A IMPORTÂNCIA DA DIDÁTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Elci Nilma Bastos Freitas SEMECSGC/UEFS Márcia Suely de Oliveira Araújo UEFS Dagmar Ribeiro Duarte - UEFS Resumo: Temos ciência

Leia mais

PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO DE BIOLOGIA EM AMBIENTE COMPUTACIONAL: UM PROJETO COLABORATIVO MULTIDISCIPLINAR

PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO DE BIOLOGIA EM AMBIENTE COMPUTACIONAL: UM PROJETO COLABORATIVO MULTIDISCIPLINAR PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO DE BIOLOGIA EM AMBIENTE COMPUTACIONAL: UM PROJETO COLABORATIVO MULTIDISCIPLINAR PAGANI GIANOTTO,DULCINÉIA ESTER Docente da Universidade Estadual de Maringá. Doutoranda do

Leia mais

JOGOS EDUCACIONAIS COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA DE ENSINO DOS CONTEÚDOS ESCOLARES. Apresentação: Comunicação Oral

JOGOS EDUCACIONAIS COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA DE ENSINO DOS CONTEÚDOS ESCOLARES. Apresentação: Comunicação Oral JOGOS EDUCACIONAIS COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA DE ENSINO DOS CONTEÚDOS ESCOLARES Apresentação: Comunicação Oral Noel Gomes da Silva Filho 1 Albertina Marília Alves Guedes 2 (Orientadora) Resumo: De acordo

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Pará, Servidora Pública do Estado:

Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Pará,   Servidora Pública do Estado: ANÁLISE DO CONHECIMENTO DE PROFESSORES E ALUNOS SOBRE A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS NO PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM. Pabllo Antonny Silva dos Santos; Maria Cristina Quaresma e Silva; Vanessa

Leia mais

MATRIZES CURRICULARES DOS CURSOS DE QUÍMICA DIUR O E OTUR O

MATRIZES CURRICULARES DOS CURSOS DE QUÍMICA DIUR O E OTUR O Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Colegiado do Curso de Graduação em MATRIZES CURRICULARES DOS CURSOS DE QUÍMICA DIUR O E OTUR O Alterações Aprovadas pelo Colegiado Coordenadora:

Leia mais

INFORMÁTICA NO ENSINO E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR

INFORMÁTICA NO ENSINO E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR INFORMÁTICA NO ENSINO E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR Edilson Leite da Silva Universidade Federal de Campina Grande UFCG edilson.leite@cfp.ufcg.edu.br Introdução Ultimamente

Leia mais

Geometria Analítica e Software de Geometria Dinâmica: Uma proposta à formação inicial docente em Matemática. Adriana Richit 1 UNESP- Rio Claro, SP

Geometria Analítica e Software de Geometria Dinâmica: Uma proposta à formação inicial docente em Matemática. Adriana Richit 1 UNESP- Rio Claro, SP Geometria Analítica e Software de Geometria Dinâmica: Uma proposta à formação inicial docente em Matemática Adriana Richit 1 UNESP- Rio Claro, SP Marcus Vinicius Maltempi 2 UNESP- Rio Claro, SP COMUNICAÇÃO

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Educação Infantil; Planejamento na Educação Infantil; Política Educacional.

PALAVRAS-CHAVE: Educação Infantil; Planejamento na Educação Infantil; Política Educacional. PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CASTANHAL-PA Orientadora: Me. Luizete Cordovil Ferreira da Silva 1 Ana Francinely Ferreira de Oliveira 2 Carlos

Leia mais

Formação de professores para área de Ciências da Natureza. Teacher education for Natural Sciences area

Formação de professores para área de Ciências da Natureza. Teacher education for Natural Sciences area Formação de professores para área de Ciências da Natureza Universidades do Brasil e Portugal: uma comparação Teacher education for Natural Sciences area Brazilian and Portuguese universities: a comparation

Leia mais

O construtivismo e o construcionismo fundamentando a ação docente em ambiente informatizado. Anair Altoé Marisa Morales Penati

O construtivismo e o construcionismo fundamentando a ação docente em ambiente informatizado. Anair Altoé Marisa Morales Penati O construtivismo e o construcionismo fundamentando a ação docente em ambiente informatizado. Anair Altoé Marisa Morales Penati Construtivismo Teoria que explica como a inteligência humana se desenvolve,

Leia mais

Considerando a Resolução CSE/UFCG nº 26/2007, que homologa o Regulamento de Ensino de Graduação.

Considerando a Resolução CSE/UFCG nº 26/2007, que homologa o Regulamento de Ensino de Graduação. UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SEMIÁRIDO UNIDADE ACADÊMICA DE TECNOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS RESOLUÇÃO

Leia mais

A Experiência da FURG na Avaliação Institucional em Cursos de EaD

A Experiência da FURG na Avaliação Institucional em Cursos de EaD UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE Secretaria de Educação a Distância A Experiência da FURG na Avaliação Institucional em Cursos de EaD Junho, 2008 Suzi Samá Pinto Tanise Paula Novello Débora Pereira Laurino

Leia mais

A QUALIDADE E ENSINO DE GRADUAÇÃO E O COMPLEXO EXERCÍCIO DE PROPOR INDICADORES: É POSSÍVEL OBTER AVANÇOS?

A QUALIDADE E ENSINO DE GRADUAÇÃO E O COMPLEXO EXERCÍCIO DE PROPOR INDICADORES: É POSSÍVEL OBTER AVANÇOS? A QUALIDADE E ENSINO DE GRADUAÇÃO E O COMPLEXO EXERCÍCIO DE PROPOR INDICADORES: É POSSÍVEL OBTER AVANÇOS? A QUALIDADE E ENSINO DE GRADUAÇÃO E O COMPLEXO EXERCÍCIO DE PROPOR INDICADORES: É POSSÍVEL OBTER

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

PROFESSORES QUESTIONÁRIOS RESPONDIDOS

PROFESSORES QUESTIONÁRIOS RESPONDIDOS PROFESSORES QUESTIONÁRIOS RESPONDIDOS Roteiro para Análise dos questionários da FAMENE PROFESSORES 2005 Foi realizada uma entrevista com 21 professores da FAMENE no mês de agosto de 2005. Alguns professores

Leia mais

PESQUISA DE ACOMPANHAMENTO. Cursos Técnicos

PESQUISA DE ACOMPANHAMENTO. Cursos Técnicos PESQUISA DE ACOMPANHAMENTO Cursos Técnicos APRESENTAÇÃ O APRESENTAÇÃO Os Cursos Técnicos do Pronatec começaram ser ofertados no Instituto Federal Fluminense campus Campos Centro a partir do ano de 2012

Leia mais

Programas Relatório de Atividades 2015

Programas Relatório de Atividades 2015 1 Programas Relatório de Atividades 2015 Programa 1 Aspectos Gerais Nome do Programa (máx. 200 caracteres) : Curso de Informática Básica para a Melhor Idade Responsável pela execução (máx. 300 caracteres):

Leia mais

ensino de geometria e matemática: um relato de pesquisas

ensino de geometria e matemática: um relato de pesquisas ensino de geometria e matemática: um relato de pesquisas Profa. Dra. Mirian Brito UNEB/Senhor do Bonfim, Bahia UNIVASF, Juazeiro primavera, 2016 ensino de geometria e matemática: um relato de pesquisas

Leia mais

TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA

TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA Profª. Andréa Cardoso MATEMÁTICA-LICENCIATURA 2015/1 Unidade II: Ferramentas computacionais AMBIENTES DE APRENDIZAGEM BASEADOS EM COMPUTADOR 07/04/2015 2 Apropriação

Leia mais

Delineamento da pesquisa O Primeiro Curso de Pós-graduação a Distância em Regente Feijó, SP Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP)

Delineamento da pesquisa O Primeiro Curso de Pós-graduação a Distância em Regente Feijó, SP Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) Delineamento da pesquisa O Primeiro Curso de Pós-graduação a Distância em Regente Feijó, SP Denise Di Giovanni Lamberti Maria Cristina S. de A. Maranhão Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP),

Leia mais

(1)Campus Mata Norte-UPE; (1)Campus Mata Norte-UPE;

(1)Campus Mata Norte-UPE; (1)Campus Mata Norte-UPE; JOGOS COMO FERRAMENTA NAS AULAS DE MATEMÁTICA: UM ESTUDO REFLEXIVO SOBRE A TORRE DE HANÓI COM PROFESSORES DOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Driele Aline Moreira de Oliveira (1), Flávia Maria

Leia mais

O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO ENSINO DA FÍSICA EM CAJAZEIRAS- PB

O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO ENSINO DA FÍSICA EM CAJAZEIRAS- PB O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO ENSINO DA FÍSICA EM CAJAZEIRAS- PB José Robbyslandyo da Silva Santos robbyn23@hotmail.com Juliano de Sousa bezerra soujulianosousa@gmail.com soujulianosouza@hotmail.com

Leia mais

PESQUISA COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA

PESQUISA COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA PESQUISA COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA SILVA NETA, Maria Eugênia Batista 1 QUEIROZ, Gilves Furtado de 2 ROSA, Luciene de Morais 3 Resumo Este relato de experiência

Leia mais

LABORATÓRIO DE MATEMÁTICA: UMA FERRAMENTA IMPRESCINDÍVEL PARA A APRENDIZAGEM DA DISCIPLINA

LABORATÓRIO DE MATEMÁTICA: UMA FERRAMENTA IMPRESCINDÍVEL PARA A APRENDIZAGEM DA DISCIPLINA LABORATÓRIO DE MATEMÁTICA: UMA FERRAMENTA IMPRESCINDÍVEL PARA A APRENDIZAGEM DA DISCIPLINA Rodolfo Moreira Cabral, Antonio Carlos Belarmino Segundo Universidade Estadual da Paraíba, rodolfomoreira.16@hotmail.com;

Leia mais

FAMÍLIA, ESCOLA E ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO: DESAFIOS E PERSPECTIVAS.

FAMÍLIA, ESCOLA E ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO: DESAFIOS E PERSPECTIVAS. FAMÍLIA, ESCOLA E ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO: DESAFIOS E PERSPECTIVAS. Andréia Jaqueline Devalle Rech - Autora Soraia Napoleão Freitas Co-autora Universidade Federal de Santa Maria Eixo Temático: Família

Leia mais

EDITAL DE TUTORIA ACADÊMICA 2016/1 UNIFESP CAMPUS SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

EDITAL DE TUTORIA ACADÊMICA 2016/1 UNIFESP CAMPUS SÃO JOSÉ DOS CAMPOS EDITAL DE TUTORIA ACADÊMICA 2016/1 UNIFESP O Instituto de Ciência e Tecnologia da UNIFESP Campus São José dos Campos TORNA PÚBLICO os requisitos, procedimentos e o funcionamento do Projeto de Tutoria Acadêmica

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

MEDIAÇÃO DIDÁTICA SEMIPRESENCIAL NO CURSO DE PEDAGOGIA RESUMO

MEDIAÇÃO DIDÁTICA SEMIPRESENCIAL NO CURSO DE PEDAGOGIA RESUMO MEDIAÇÃO DIDÁTICA SEMIPRESENCIAL NO CURSO DE PEDAGOGIA Maria Aparecida Candine de Brito 1 Beatriz Aparecida Zanatta 2 Pontifícia Universidade Católica de Goiás PUC/GO Modalidade: Poster Eixo Temático:

Leia mais

Os Blogs construídos por alunos de um curso de Pedagogia: análise da produção voltada à educação básica

Os Blogs construídos por alunos de um curso de Pedagogia: análise da produção voltada à educação básica 1 Os Blogs construídos por alunos de um curso de Pedagogia: análise da produção voltada à educação básica Thaís Cristina Rodrigues Tezani Universidade Estadual Paulista (UNESP) thais@fc.unesp.br Pôster

Leia mais