BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BuscaLegis.ccj.ufsc.Br"

Transcrição

1 BuscaLegis.ccj.ufsc.Br As Medidas de Segurança (Inconstitucionais?) e o dever de amparar do Estado Eduardo Baqueiro Rios* Antes mais nada são necessárias breves considerações acerca de pena e das medidas de segurança. A reforma penal de 1984 abandonou o que a doutrina costuma chamar de sistema duplo binário, em que se aplicava a pena e as medidas de segurança para os imputáveis e os semi-imputáveis e adotou o sistema vicariante ou unitário, ou seja, não mais se aplicam as medidas de segurança e pena, conjuntamente, mas tão-somente uma ou outra, conforme a situação pessoal do infrator. Na lição do insigne Cezar Roberto Bitencourt (Código Penal Comentado, 2ª. ed. Saraiva: São Paulo, 2004, p. 315) O fundamento da pena passa a ser exclusivamente a culpabilidade, enquanto a medida de segurança encontra justificativa somente na periculosidade, aliada à incapacidade penal do agente (grifo do autor). Nesse diapasão, o imputável (cf. o art. 26 do CP, é o agente capaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse entendimento) que praticar conduta punível somente se sujeitará à pena cominada; ao inimputável, a medida de segurança e ao

2 semi-imputável (as circunstâncias pessoais determinarão se a resposta penal será pena com a redução prevista no art. 26, parágrafo único do CP - ou medida de segurança. Afora a regra ao semi-imputável seja a pena se o juiz constatar a presença de periculosidade (real) aquele será submetido à medida de segurança. As medidas de seguranças são impostas, então, aos que praticam crimes e que, por serem portadores de doenças mentais, não podem ser considerados responsáveis pelos seus atos e, portanto, devem ser tratados e não punidos. Conquanto as diferenças entre a pena e as medidas de segurança sejam marcantes, a pena tem caráter retributivo-preventivo e as medidas de segurança têm natureza somente preventiva, entre outras, a mais contundente refere-se ao prazo do cumprimento. Enquanto a pena possui prazo determinado as medidas de segurança são por prazo indeterminado e seu término somente ocorrerá se cessar a periculosidade. (art. 97, 1º., do CP). Persistem as medidas de segurança até que se comprove por laudo médico a cessação da periculosidade. O difícil será o sujeito tratado em manicômios judiciários (a lei apelida de Hospitais de custódia e tratamento psiquiátrico) deixar de ser perigoso. Se não o era ao tempo do internamento, certamente será após. No ensinamento do festejado professor Luiz Flávio Gomes (O Louco deve cumprir medida de segurança perpetuamente?- Artigo publicado em: Acesso: 02ago2007), Isso significa, na prática, que a medida de segurança no Brasil pode ter caráter perpétuo.

3 Ocorre que a CF/88 proíbe a pena perpétua (CF, art. 5º, inc.xlvii, b ). Além disso, o art. 75 do CP determina um prazo máximo de 30 (trinta) anos para o cumprimento da pena. Na mesma direção, o ínclito Luiz Regis Prado (Curso de Direito Penal Brasileiro, 5ª. ed. RT: São Paulo, 2004, p. 745) Não há dúvida de que, a exemplo das penas, as medidas de segurança também estão submetidas ao princípio da legalidade. Mesmo nas medidas de segurança existe diferença também quanto ao imputável e ao semiimputável (quando for o caso de aplicação de medida de segurança) no que se refere ao modo do tratamento. Enquanto o primeiro será internado naqueles hospitais logo acima mencionados o segundo está sujeito ao tratamento ambulatorial naqueles hospitais ou outro local com dependência médica adequada (LEP, ar. 101). Ensina o ilustre Eduardo Reale Ferrari, (Medidas de segurança e direito penal no estado democrático de direito. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2001 (...) a socialização não justifica a medida de segurança, o que justifica sua aplicação é o fato de se tentar evitar a prática de crimes futuros. Periculosidade não é ensejo a uma socialização forçada". No julgamento pela Primeira Turma do STF do HC , j. de , ainda em fase de conclusão falta o voto do ministro Sepúlveda Pertence cujo relator é o Ministro Marco Aurélio, houve especial destaque a que, Sustenta-se, na espécie, com base no disposto nos artigos 75 do CP e 183 da LEP, estar a medida de segurança limitada à duração da pena imposta ao réu, e que, mesmo persistindo

4 a doença mental e havendo necessidade de tratamento, após a declaração da extinção da punibilidade, este deve ocorrer em hospital psiquiátrico, cessada a custódia". Concluíram os Ministros que, não obstante o teor do 1º do art. 97 do CP informe que o prazo seja indeterminado da aplicação de medida de segurança, o significado a ser buscado deve ter em conta o exame teleológico, sistemático, que não se choquem com as citadas disposições legal e constitucional que proíbem a prisão perpétua. Se persistir, por outro lado, o distúrbio mental, afirma o renomado professor Luiz Flávio Gomes (ob. Cit.) (...) deve o paciente ser transferido para hospital da rede pública, eliminando-se a intervenção da Justiça penal. Resta o voto do Ministro Sepúlveda Pertence, que pediu vistas. Abstraindo-se do sentido que a CF/88 abraça com o termo igualdade, já que tratar os desiguais de forma desigual tem sentido de igualdade, perpetuar a pena por meio de medidas de segurança não parece o que se poderia dizer de justiça, e nem parece condizente com o sentido do texto constitucional quando determina que não heverá prisão de caráter perpétuo. Haverá quem se contraponha a tal posição sob a alegação de que o débil já seria assunto do Estado antes mesmo de delinqüir, ou que seria uma tarefa da família protegê-lo e por conseqüência à própria sociedade dos males que aquele poderia perpetrar. E não seria absurdo esse pensamento.

5 Entretanto, não invalidaria a percepção de injustiça quando se mantém alguém em tratamento em lugares que, mais das vezes, pioram a situação do internado que melhoram. O inimputável ou semi-imputável seriam condenados, isto sim, a passar o resto de suas vidas sob um suposto tratamento até que findasse sua periculosidade. Há pessoas que pelo estado de debilidade já tornaria a tarefa de integrá-lo à sociedade de forma normal um grande desafio. Imagine-se, então, naqueles manicômios patrocinados pelo Estado. Ao contrário dos demais presos que são livres após o cumprimento de suas penas e ainda podem ser liberados antes de seu final, por questões de política criminal, estando, em princípio, aptos a se reintegrarem à sociedade e, até, há o incentivo estatal para tal fim, o sujeito às medidas de segurança não tem essas oportunidades. Ao contrário, poderão passar seus dias em locais, como já dito alhures, normalmente inadequados para sua recuperação. A sugestão de aplicação de tempo em consonância com o prazo de duração, mínimo ou máximo, da pena, talvez possa abrandar tal situação, mas ainda assim não seria totalmente justo, pois haveria, para o inimputável, a valoração de sua conduta, isto é, em condições normais sua conduta seria apenada com tal prazo. Há, dessa forma, o próprio julgamento. Ainda que não exista, entre os exemplos apresentados pelos autores situações sem a valorização do fato delitivo, parece que atenderiam mais adequadamente que a situação atual quanto à duração das medidas de segurança.

6 Referências Bibliográficas BITENCOURT, Cezar Roberto. (Código Penal Comentado, 2ª. ed. Saraiva: São Paulo, BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, FEDERAL, Supremo Tribunal. Boletim Informativo n 369. Brasília. - Acesso: 02 de agosto de FERRARI, Eduardo Reale. Medidas de segurança e direito penal no estado democrático de direito. São Paulo: Revista dos Tribunais, GOMES, Luiz Flávio (O Louco deve cumprir medida de segurança perpetuamente?- Artigo publicado em: Acesso: 02ago2007). PRADO, Luiz Regis. (Curso de Direito Penal Brasileiro, 5ª. ed. RT: São Paulo, 2004 *Articulista do Viajus, Executivo da àrea Comercial, Administrador de Empresas e Acadêmico do 9º. Semestre do curso de Direito das Faculdades Jorge Amado. Disponível em: < s>. Acesso em: 01 nov

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ AULA IX DIREITO PENAL II TEMA: MEDIDA DE SEGURANÇA E REABILITAÇÃO PROFª: PAOLA JULIEN O. SANTOS MEDIDA DE SEGURANÇA 1. Conceito: sanção penal imposta pelo Estado, na execução de uma sentença, cuja finalidade

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Número de Ordem Pauta Não informado Registro: 2011.0000029051 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0010102-10.2007.8.26.0302, da Comarca de Jaú, em que é apelante ROMILDO SEGUNDO

Leia mais

Estrutura do texto: Os loucos de todo gênero

Estrutura do texto: Os loucos de todo gênero PERES, Maria Fernanda Tourinho; NERY FILHO, Antônio. A doença mental no direito penal brasileiro: inimputabilidade, irresponsabilidade, periculosidade e medida de segurança. IN: História, ciências, saúde

Leia mais

Questão de Direito Penal 1,0 Ponto PADRÃO DE RESPOSTA.

Questão de Direito Penal 1,0 Ponto PADRÃO DE RESPOSTA. Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios XL Concurso Público para Provimento de Cargos de Juiz de Direito Substituto da Justiça do Distrito Federal SEGUNDA PROVA

Leia mais

MEDIDAS DE SEGURANÇA E SUAS CONTRADIÇÕES FRENTE À REFORMA PSIQUIÁTRICA

MEDIDAS DE SEGURANÇA E SUAS CONTRADIÇÕES FRENTE À REFORMA PSIQUIÁTRICA 0 Centro Universitário de Brasília - UniCEUB Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais - FAJS ANNE CAROLINE RAMOS DA SILVA MEDIDAS DE SEGURANÇA E SUAS CONTRADIÇÕES FRENTE À REFORMA PSIQUIÁTRICA BRASÍLIA

Leia mais

A.B.P. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSIQUIATRIA

A.B.P. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSIQUIATRIA A.B.P. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSIQUIATRIA Talvane M. de Moraes Médico especialista em psiquiatria forense Livre Docente e Doutor em Psiquiatria Professor de psiquiatria forense da Escola da Magistratura

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Petição inicial: Queixa-crime. Endereçamento: Vara Criminal da Comarca de São Paulo SP. Vara criminal comum, visto que as penas máximas abstratas, somadas, ultrapassam dois anos. Como

Leia mais

MEDIDAS DE SEGURANÇA E SUA VEDAÇÃO À LUZ DA PROIBIÇÃO DE PENA PERPÉTUA NO BRASIL

MEDIDAS DE SEGURANÇA E SUA VEDAÇÃO À LUZ DA PROIBIÇÃO DE PENA PERPÉTUA NO BRASIL 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA - UEPB CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS - CCJ DEPARTAMENTO DE DIREITO RAÍSSA ALVES VALENTIM MEDIDAS DE SEGURANÇA E SUA VEDAÇÃO À LUZ DA PROIBIÇÃO DE PENA PERPÉTUA NO BRASIL

Leia mais

MPE Direito Penal Aplicação da Lei Penal no Tempo e no Espaço Emerson Castelo Branco

MPE Direito Penal Aplicação da Lei Penal no Tempo e no Espaço Emerson Castelo Branco MPE Direito Penal Aplicação da Lei Penal no Tempo e no Espaço Emerson Castelo Branco 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. APLICAÇÃO DA LEI PENAL NO TEMPO E NO

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR MEDIDA DE SEGURANÇA: PRINCÍPIOS E APLICAÇÃO I PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA MEDIDA DE SEGURANÇA

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR MEDIDA DE SEGURANÇA: PRINCÍPIOS E APLICAÇÃO I PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA MEDIDA DE SEGURANÇA MEDIDA DE SEGURANÇA: PRINCÍPIOS E APLICAÇÃO ANA CLELIA DE FREITAS INTRODUÇÃO I PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA MEDIDA DE SEGURANÇA II - APLICAÇÃO E ESPÉCIES DE MEDIDA DE SEGURANÇA III PERICULOSIDADE (OU

Leia mais

Excelentíssima Senhora Presidente da Comissão Permanente de Direito Penal do Instituto dos Advogados Brasileiros, Dra.

Excelentíssima Senhora Presidente da Comissão Permanente de Direito Penal do Instituto dos Advogados Brasileiros, Dra. Excelentíssima Senhora Presidente da Comissão Permanente de Direito Penal do Instituto dos Advogados Brasileiros, Dra. Victória Sulocki, Indicação nº 056/2012, sobre o "Projeto de Lei nº 3901/2012, de

Leia mais

A SAÚDE MENTAL NO ÂMBITO JÚRIDICO: a árdua Luta Antimanicomial no Brasil

A SAÚDE MENTAL NO ÂMBITO JÚRIDICO: a árdua Luta Antimanicomial no Brasil A SAÚDE MENTAL NO ÂMBITO JÚRIDICO: a árdua Luta Antimanicomial no Brasil GIANESINI, Huilla Mariana Salviano * RESUMO Este artigo científico pretende analisar a situação do doente mental, considerado incapaz

Leia mais

DEZ ANOS DA LEI DOS CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE: QUESTÕES CONTROVERTIDAS E A JURISPRUDÊNCIA

DEZ ANOS DA LEI DOS CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE: QUESTÕES CONTROVERTIDAS E A JURISPRUDÊNCIA DEZ ANOS DA LEI DOS CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE: QUESTÕES CONTROVERTIDAS E A JURISPRUDÊNCIA Eladio Lecey Diretor-Presidente, Escola Nacional da Magistratura - AMB Diretor, Escola Brasileira de Direito

Leia mais

Curso: Direito Carga Horária: 64 Departamento: Direito Público Área: Direito Penal e Processo Penal PLANO DE ENSINO

Curso: Direito Carga Horária: 64 Departamento: Direito Público Área: Direito Penal e Processo Penal PLANO DE ENSINO Faculdade de Direito Milton Campos Disciplina: Direito Penal II Curso: Direito Carga Horária: 64 Departamento: Direito Público Área: Direito Penal e Processo Penal PLANO DE ENSINO EMENTA A prática do crime

Leia mais

O acórdão em análise é oriundo do Superior Tribunal de Justiça, no julgamento de um agravo regimental em Recurso Especial e assim dispõe:

O acórdão em análise é oriundo do Superior Tribunal de Justiça, no julgamento de um agravo regimental em Recurso Especial e assim dispõe: 3. COMENTÁRIOS À JURISPRUDÊNCIA 3.1 QUESTÕES PONTUAIS SOBRE EXECUÇÃO PENAL ÉRIKA DE LAET GOULART MATOSINHO Oficial do Ministério Público do Estado de Minas Gerais Bacharel em Direito 1. Escolha do acórdão

Leia mais

Prisão Preventiva e Clamor Público

Prisão Preventiva e Clamor Público Prisão Preventiva e Clamor Público José Carlos Fragoso 1. A prisão preventiva é medida excepcional, que se funda exclusivamente na imperiosa necessidade. O normal é que as pessoas recebam a pena depois

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Introdução: A Pena 2. A Pena na Constituição Federal de 1988 3. Finalidades da pena 4. Espécies de pena no Código Penal brasileiro 5. Direito Penitenciário 6. Legislação 7. Aplicação

Leia mais

A PRESCRIÇÃO SOB A ÉGIDE DA NOVA LEI DE FALÊNCIAS

A PRESCRIÇÃO SOB A ÉGIDE DA NOVA LEI DE FALÊNCIAS A PRESCRIÇÃO SOB A ÉGIDE DA NOVA LEI DE FALÊNCIAS Com a entrada em vigor, em maio de 2005, da nova lei que regula a recuperação judicial, a extrajudicial e a falência das empresas (Lei 11.101 de 09.02.2005),

Leia mais

Questões de Processo Penal

Questões de Processo Penal Questões de Processo Penal 1º) As Contravenções Penais (previstas na LCP) são punidas com: a) ( ) Prisão Simples; b) ( ) Reclusão; c) ( ) Detenção; d) ( ) Não existe punição para essa espécie de infração

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO MACHADO CORDEIRO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO MACHADO CORDEIRO ACR 12760 AL (0007902-40.2007.4.05.8000) APTE : JOSEVAL REIS LIMA REPTE : DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : JUÍZO FEDERAL DA 4ª VARA AL (SENTENCIANTE: DR. SÉRGIO DE

Leia mais

A progressão de regime e o exame criminológico à luz da Súmula Vinculante 26 e Súmula 439 do STJ

A progressão de regime e o exame criminológico à luz da Súmula Vinculante 26 e Súmula 439 do STJ A progressão de regime e o exame criminológico à luz da Súmula Vinculante 26 e Súmula 439 do STJ Irving Marc Shikasho Nagima Bacharel em Direito. Especialista em Direito Criminal. Advogado Criminalista

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO 1) Identificação Disciplina Direito Penal II - NOTURNO Carga horária

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal AÇÃO CÍVEL ORIGINÁRIA 2.479 RIO DE JANEIRO RELATOR AUTOR(A/S)(ES) PROC.(A/S)(ES) RÉU(É)(S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. ROBERTO BARROSO :MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL :PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA :MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO CURSO

PROGRAMAÇÃO DO CURSO DIREITO PENAL - PDF Duração: 09 semanas 01 aula por semana. Início: 04 de agosto Término: 06 de outubro Professor: JULIO MARQUETI PROGRAMAÇÃO DO CURSO DIA 04/08 - Aula 01 Aplicação da Lei Penal no tempo.

Leia mais

A PRISÃO PREVENTIVA E AS SUAS HIPÓTESES PREVISTAS NO ART. 313 DO CPP, CONFORME A LEI Nº 12.403, DE 2011.

A PRISÃO PREVENTIVA E AS SUAS HIPÓTESES PREVISTAS NO ART. 313 DO CPP, CONFORME A LEI Nº 12.403, DE 2011. A PRISÃO PREVENTIVA E AS SUAS HIPÓTESES PREVISTAS NO ART. 313 DO CPP, CONFORME A LEI Nº 12.403, DE 2011. Jorge Assaf Maluly Procurador de Justiça Pedro Henrique Demercian Procurador de Justiça em São Paulo.

Leia mais

REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL E A ANÁLISE DOS CRITÉRIOS DE AFERIÇÃO DA IMPUTABILIDADE PENAL Á LUZ DO ORDENAMENTO JURÍDICO.

REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL E A ANÁLISE DOS CRITÉRIOS DE AFERIÇÃO DA IMPUTABILIDADE PENAL Á LUZ DO ORDENAMENTO JURÍDICO. 1 REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL E A ANÁLISE DOS CRITÉRIOS DE AFERIÇÃO DA IMPUTABILIDADE PENAL Á LUZ DO ORDENAMENTO JURÍDICO. VAGULA, J. E. M. Resumo No decorrer desta pesquisa buscou-se a melhor forma, dentre

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Disciplina Carga Horária Semestre Ano Teoria Geral do Direito Penal I 80 2º 2015. Carga

PLANO DE ENSINO. Disciplina Carga Horária Semestre Ano Teoria Geral do Direito Penal I 80 2º 2015. Carga 1 PLANO DE ENSINO Disciplina Carga Horária Semestre Ano Teoria Geral do Direito Penal I 80 2º 2015 Unidade Carga Horária Sub-unidade Introdução ao estudo do Direito Penal 04 hs/a - Introdução. Conceito

Leia mais

SELEÇÃO PARA ESTÁGIO REMUNERADO NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ PARA ESTUDANTES DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE 7 DE SETEMBRO FA7

SELEÇÃO PARA ESTÁGIO REMUNERADO NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ PARA ESTUDANTES DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE 7 DE SETEMBRO FA7 SELEÇÃO PARA ESTÁGIO REMUNERADO NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ PARA ESTUDANTES DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE 7 DE SETEMBRO FA7 A FACULDADE 7 DE SETEMBRO, através do NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA,

Leia mais

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator RECURSO DE APELAÇÃO nº 2006.2579-1/0, DO 1º JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DE LONDRINA Recorrente...: ATAIDIO ANTONIO MEDEIROS Recorrido...: MINISTÉRIO PÚBLICO PENAL. INFRAÇÃO AO ART. 16, CAPUT DA LEI 6.368/76.

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro RELATÓRIO O Senhor DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO: Cuida-se de apelação criminal interposta por Alfredo de Oliveira Santos contra sentença (fls. 455/471) da lavra do MM. Juízo da 13ª Vara Federal

Leia mais

AS VANTAGENS DA APLICAÇÃO DE PENAS ALTERNATIVAS

AS VANTAGENS DA APLICAÇÃO DE PENAS ALTERNATIVAS AS VANTAGENS DA APLICAÇÃO DE PENAS ALTERNATIVAS Camila Silvia Martinez Perbone 30* As penalidades, desde os primórdios da civilização, sempre tiveram a finalidade de punir de modo severo, apenas para restabelecer

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA. EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA. LEONARDO P. DE CASTRO, advogado inscrito na OAB sob o nº 4.329, com escritório nesta Comarca, na Avenida

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS.

EXCELENTÍSSIMO DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS. EXCELENTÍSSIMO DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Ordem de Habeas Corpus PAULA xxxxx, brasileira, casada, do lar, CPF n.xxxx, residente na Rua xxxx, por

Leia mais

SUMÁRIO. UNIDADE 10 Prescrição ou ministração culposa de drogas; UNIDADE 11 Condução de embarcação ou aeronave sob o efeito de drogas;

SUMÁRIO. UNIDADE 10 Prescrição ou ministração culposa de drogas; UNIDADE 11 Condução de embarcação ou aeronave sob o efeito de drogas; SUMÁRIO LEI Nº 11.343/06 NOVA LEI DE DROGAS; UNIDADE 1 UNIDADE 2 UNIDADE 3 UNIDADE 4 Antinomia aparente de normas penais; Delito de posse de drogas ilícitas para consumo pessoal; Vedação da prisão em flagrante;

Leia mais

Acesso aos Tribunais Superiores. Habeas Corpus. Thiago Bottino. Conferência Nacional dos Advogados

Acesso aos Tribunais Superiores. Habeas Corpus. Thiago Bottino. Conferência Nacional dos Advogados Acesso aos Tribunais Superiores Habeas Corpus Thiago Bottino Conferência Nacional dos Advogados Rio de Janeiro, 21 de outubro de 2014 problema pesquisa propostas 2 problema 3 HC 109.956, 1ª Turma, STF

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Execução Penal, ressocialização, trabalho, preso, PEPI.

PALAVRAS-CHAVE: Execução Penal, ressocialização, trabalho, preso, PEPI. LEI DE EXECUÇÃO PENAL E O SISTEMA CARCERÁRIO GOIANO Nayara Rodrigues de Amorim 1 Profª Drª Ana Celuta Fulgêncio Taveira 2 RESUMO: A evolução da pena de prisão, é importante para entendermos a natureza

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação

Plano de Ensino. Identificação Identificação Plano de Ensino Curso: direito Disciplina: processo penal I Ano/semestre: 2012/1º Carga horária: Total: 80h Semanal: 8h Professor: Breno José Bermudes Brandão Período/turno: 6 periodo A e

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )1( oãdróca atneme86242 DE-SM Diário da Justiça de 09/06/2006 03/05/2006 TRIBUNAL PLENO RELATOR : MIN. GILMAR MENDES EMBARGANTE(S) : UNIÃO ADVOGADO(A/S) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO EMBARGADO(A/S) : FERNANDA

Leia mais

A medida de segurança de internação no contexto do Estado Democrático de Direito

A medida de segurança de internação no contexto do Estado Democrático de Direito A medida de segurança de internação no contexto do Estado Democrático de Direito Patrícia Colombo Ribeiro 1 Resumo A medida de segurança é o tratamento aplicado àqueles indivíduos inimputáveis que cometem

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Direito Teoria Geral do Processo 2

Universidade de Brasília Faculdade de Direito Teoria Geral do Processo 2 Universidade de Brasília Faculdade de Direito Teoria Geral do Processo 2 Letícia Bettina Granados Goulart Análise de Acórdão do Supremo Tribunal Federal - Habeas Corpus 93.050-6 Rio de Janeiro. Brasília

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM HABEAS CORPUS Nº 21.628 - SP (2007/0158779-3) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ RECORRENTE : AGOSTINHO FERRAMENTA DA SILVA JÚNIOR ADVOGADO : JULIANA FERRAMENTA DA SILVA RECORRIDO : TRIBUNAL DE

Leia mais

Palavras-chaves: Impeachment, Presidente da Republica, Infrações Político- administrativas.

Palavras-chaves: Impeachment, Presidente da Republica, Infrações Político- administrativas. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA IMPEACHMENT Fernando França Caron Especialista em Direito Constitucional pela Faculdade Damásio de Jesus Docente do Curso de Direito da UNILAGO RESUMO A Constituição Federal de

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )1( oãdróca atneme892 RgA-teP Diário da Justiça de 06/11/2006 26/09/2006 SEGUNDA TURMA RELATOR AGRAVANTE(S) AGRAVADO(A/S) : MIN. GILMAR MENDES : BRUNO DINIZ ANTONINI : RELATOR DO HC Nº 20906 DO SUPERIOR

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro RELATÓRIO O Senhor DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO: Cuida-se de apelação criminal interposta pelo Ministério Público Federal contra sentença proferida pelo MM. Juízo da 37ª Vara de Pernambuco, na

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da Vara Criminal de Medianeira/PR

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da Vara Criminal de Medianeira/PR Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da Vara Criminal de Medianeira/PR PONTE, por seu defensor que esta subscreve, vem, respeitosamente, perante Vossa Excelência, requerer a concessão de LIBERDADE PROVISÓRIA

Leia mais

IMPOSSIBILIDADE DE RECOLHIMENTO DE PRESO CIVIL EM PRISÃO MILITAR

IMPOSSIBILIDADE DE RECOLHIMENTO DE PRESO CIVIL EM PRISÃO MILITAR ELBERT DA CRUZ HEUSELER Mestre em Direito da Administração Pública Doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais Pós Graduado em Estratégia e Relações Internacionais Especialista em Globalização e Brasil

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A competência nos pedidos de adoção, guarda e tutela Rogério Medeiros Garcia de Lima* 1. INTRODUÇÃO A vigência do novel Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei federal 8.069, de

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça HABEAS CORPUS Nº 197.783 - SP (2011/0034092-9) RELATORA : MINISTRA MARILZA MAYNARD (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/SE) IMPETRANTE : FABIANA JULIA OLIVEIRA RESENDE - DEFENSORA PÚBLICA IMPETRADO : TRIBUNAL

Leia mais

As penas. Efeitos da condenação. Reabilitação. Medidas de segurança. Ação penal. Extinção da punibilidade.

As penas. Efeitos da condenação. Reabilitação. Medidas de segurança. Ação penal. Extinção da punibilidade. Programa de DIREITO PENAL II 3º período: 80h/a Aula: Teórica EMENTA As penas. Efeitos da condenação. Reabilitação. Medidas de segurança. Ação penal. Extinção da punibilidade. OBJETIVOS Habilitar o futuro

Leia mais

MATERIAL DE AULA LEI Nº 9.296, DE 24 DE JULHO DE 1996.

MATERIAL DE AULA LEI Nº 9.296, DE 24 DE JULHO DE 1996. MATERIAL DE AULA I) Ementa da aula Interceptação Telefônica. II) Legislação correlata LEI Nº 9.296, DE 24 DE JULHO DE 1996. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono

Leia mais

ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política

ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política Carlos Roberto Pegoretti Júnior 1 RESUMO: Os entes políticos, por vezes, encontram-se no pólo passivo de demandas judiciais referentes à entrega

Leia mais

LATROCÍNIO COM PLURALIDADE DE VÍTIMAS

LATROCÍNIO COM PLURALIDADE DE VÍTIMAS LATROCÍNIO COM PLURALIDADE DE VÍTIMAS ALESSANDRO CABRAL E SILVA COELHO - alessandrocoelho@jcbranco.adv.br JOSÉ CARLOS BRANCO JUNIOR - jcbrancoj@jcbranco.adv.br Palavras-chave: crime único Resumo O presente

Leia mais

BIZU DO PONTO CONCURSO DA POLÍCIA FEDERAL AGENTE DIREITO ADMINISTRATIVO - PROF. FABIANO PEREIRA

BIZU DO PONTO CONCURSO DA POLÍCIA FEDERAL AGENTE DIREITO ADMINISTRATIVO - PROF. FABIANO PEREIRA Olá! Seja bem-vindo ao nosso BIZU de Direito Administrativo para o concurso da Polícia Federal, mais precisamente para o cargo de Agente, cujas provas serão aplicadas em 06 de maio de 2012. A propósito,

Leia mais

CURSO: MEDIDAS DE SEGURANÇA Profª CLAUDIANE ROSA GOUVÊA

CURSO: MEDIDAS DE SEGURANÇA Profª CLAUDIANE ROSA GOUVÊA CURSO: MEDIDAS DE SEGURANÇA Profª CLAUDIANE ROSA GOUVÊA São Paulo Maio/ 2012 Material didático destinado à obtenção e aprimoramento do conhecimento jurídicopenal, versando sobre Medida de Segurança em

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )1( oãdróca atneme537454 ER 18/10/2005 SEGUNDA TURMA RELATORA RECORRENTE(S) : MIN. ELLEN GRACIE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL (RECURSO CRIMINAL Nº 3454) CONSTITUCIONAL. PROCESSSUAL PENAL. COMPETÊNCIA DA

Leia mais

DISCIPLINA: DIREITO PENAL

DISCIPLINA: DIREITO PENAL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO DISCIPLINA: DIREITO PENAL QUESTÃO Nº 109 Protocolo: 11913003657-0 Não existe qualquer erro material na questão. Nada a ser alterado. O recorrente

Leia mais

Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros

Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros Os direitos fundamentais previstos na Constituição brasileira de 1988 são igualmente garantidos aos brasileiros e aos

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.453.802 - SP (2014/0109774-1) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ AGRAVANTE : ROSEMEIRE CARFARO AGRAVADO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO EMENTA AGRAVO REGIMENTAL.

Leia mais

UniCEUB Centro Universitário de Brasília Graduação em Direito CAROLINE MACHADO PIAGGIO COUTO

UniCEUB Centro Universitário de Brasília Graduação em Direito CAROLINE MACHADO PIAGGIO COUTO UniCEUB Centro Universitário de Brasília Graduação em Direito CAROLINE MACHADO PIAGGIO COUTO A ATUAL MEDIDA DE SEGURANÇA DO DIREITO PENAL BRASILEIRO: OBJETIVOS, APLICAÇÃO E INCONSTITUCIONALIDADE BRASÍLIA

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO ORIGEM : 37ª VARA FEDERAL DE PERNAMBUCO - PE RELATÓRIO O Sr. Des. Fed. FRANCISCO WILDO (Relator): Tratam-se de apelações criminais interpostas por ROMERO SANTOS VERAS e ROMERO SALES GOMES em face de sentença

Leia mais

No dia 29 de março de 2007, entrou em vigor a lei nº 11.464/07 que alterou a redação do artigo 2º, da lei nº 8.072, de 28 de julho de 1990.

No dia 29 de março de 2007, entrou em vigor a lei nº 11.464/07 que alterou a redação do artigo 2º, da lei nº 8.072, de 28 de julho de 1990. A NOVA DISCIPLINA DA PROGRESSÃO DE REGIME TRAZIDA PELA LEI Nº 11.464/07. MAURICIO MAGNUS FERREIRA JUIZ DE DIREITO DO TJ/RJ No dia 29 de março de 2007, entrou em vigor a lei nº 11.464/07 que alterou a redação

Leia mais

ARTIGO 14 da Lei nº 6368/76: CRIME HEDIONDO!

ARTIGO 14 da Lei nº 6368/76: CRIME HEDIONDO! ARTIGO 14 da Lei nº 6368/76: CRIME HEDIONDO! ELIANE ALFRADIQUE O artigo 14 da Lei nº 6.368/76 tem causado certa dificuldade em sua aplicação prática. O enunciado do artigo em questão, tipifica a associação

Leia mais

Estupro e atentado ao pudor, nas formas típicas simples, são hediondos?

Estupro e atentado ao pudor, nas formas típicas simples, são hediondos? SEM REVISÃO Estupro e atentado ao pudor, nas formas típicas simples, são hediondos? Damásio Evangelista de Jesus Professor SP Há duas orientações: 1ª) O estupro e o atentado violento ao pudor, em suas

Leia mais

Instituto Brasiliense de Direito Público Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Penal e Processual Penal. Antônio Márcio da Costa Reis

Instituto Brasiliense de Direito Público Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Penal e Processual Penal. Antônio Márcio da Costa Reis Instituto Brasiliense de Direito Público Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Penal e Processual Penal Antônio Márcio da Costa Reis Medida de Segurança O prazo máximo da sua duração Brasília DF

Leia mais

Doutrina - Omissão de Notificação da Doença

Doutrina - Omissão de Notificação da Doença Doutrina - Omissão de Notificação da Doença Omissão de Notificação da Doença DIREITO PENAL - Omissão de Notificação de Doença CP. Art. 269. Deixar o médico de denunciar à autoridade pública doença cuja

Leia mais

LFG MAPS. Teoria Geral do Delito 05 questões

LFG MAPS. Teoria Geral do Delito 05 questões Teoria Geral do Delito 05 questões 1 - ( Prova: CESPE - 2009 - Polícia Federal - Agente Federal da Polícia Federal / Direito Penal / Tipicidade; Teoria Geral do Delito; Conceito de crime; Crime impossível;

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )2( oãdróca atneme702984 DE-ER Diário da Justiça de 10/11/2006 17/10/2006 PRIMEIRA TURMA RELATOR EMBARGANTE(S) EMBARGADO(A/S) : MIN. SEPÚLVEDA PERTENCE : GENIL MACHADO E OUTRO(A/S) : MARCOS ANDRÉ DE ALMEIDA

Leia mais

A PRESCRIÇÃO PENAL. Palavras-Chave: Prescrição, Punitiva, Pretensão, Crime, Decisão, Extinção, Interrupção, Imprescritibilidade, Estado e Prazo.

A PRESCRIÇÃO PENAL. Palavras-Chave: Prescrição, Punitiva, Pretensão, Crime, Decisão, Extinção, Interrupção, Imprescritibilidade, Estado e Prazo. A PRESCRIÇÃO PENAL *Juliana de Oliveira Corsi ** Professora Vânia Maria Bemfica Guimarães Pinto Coelho Resumo Uma vez praticado um crime, surge para o Estado o direito de investigar e exercer a sua pretensão

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br O Estatuto do idoso em Benefício do Réu. Roberto Dantes Schuman de Paula * DA NOVATIO LEGIS IN PEJUS Em outubro de 2003 a ordem jurídica foi inovada com o advento da lei 10741/03,

Leia mais

PENAS ALTERNATIVAS E O DIREITO PENAL MILITAR

PENAS ALTERNATIVAS E O DIREITO PENAL MILITAR PENAS ALTERNATIVAS E O DIREITO PENAL MILITAR MARIA FERNANDA DE LIMA ESTEVES [1] Desde o início da história, a humanidade depara-se com o cometimento das mais diversas infrações, e, ao lado delas, surge

Leia mais

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados:

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados: PARECERES JURÍDICOS Partindo das diversas obras escritas pelo Prof.Dr. AURY LOPES JR., passamos a oferecer um produto diferenciado para os colegas Advogados de todo o Brasil: a elaboração de Pareceres

Leia mais

140 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1ª CÂMARA CRIMINAL HABEAS CORPUS Nº. 0063587-40.2013.8.19

140 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1ª CÂMARA CRIMINAL HABEAS CORPUS Nº. 0063587-40.2013.8.19 1 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1ª CÂMARA CRIMINAL HABEAS CORPUS Nº. 0063587-40.2013.8.19.0000 PACIENTE: FABIO FERREIRA CHAVES DA SILVA AUTORIDADE COATORA: JUÍZO DE DIREITO DA 1ª VARA

Leia mais

A PENA DE MORTE EM TEMPO DE GUERRA

A PENA DE MORTE EM TEMPO DE GUERRA UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO MILITAR DIREITO PENAL MILITAR PARTE GERAL MARCELO VITUZZO PERCIANI A PENA DE MORTE EM TEMPO DE GUERRA Marcelo Vituzzo Perciani 1º Tenente da Polícia

Leia mais

LEI PENAL X NORMA PENAL VIGÊNCIA A PERSECUÇÃO PENAL. -A persecução penal no Brasil é dividia em 5 fases: LEIS PENAIS INCOMPLETAS

LEI PENAL X NORMA PENAL VIGÊNCIA A PERSECUÇÃO PENAL. -A persecução penal no Brasil é dividia em 5 fases: LEIS PENAIS INCOMPLETAS 1 DIREITO PENAL PONTO 1: LEI PENAL X NORMA PENAL PONTO 2: VIGÊNCIA PONTO 3: FASES DA PERSECUÇÃO PENAL PONTO 4: LEIS PENAIS INCOMPLETAS PONTO 5: APLICAÇÃO DA LEI PENAL NO TEMPO PONTO 6: LEIS INTERMINTENTES

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.124 DE 2005. (Apensados: PL nº 5.448/01 e PL nº 2.276/07)

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.124 DE 2005. (Apensados: PL nº 5.448/01 e PL nº 2.276/07) COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.124 DE 2005 (Apensados: PL nº 5.448/01 e PL nº 2.276/07) Define o crime de discriminação dos portadores do vírus da imunodeficiência

Leia mais

O Novo Regime das Medidas Cautelares no Processo Penal

O Novo Regime das Medidas Cautelares no Processo Penal 202 O Novo Regime das Medidas Cautelares no Processo Penal Juliana Andrade Barichello 1 O objetivo deste trabalho é discorrer sobre os principais pontos das palestras, enfatizando a importância das alterações

Leia mais

ANÁLISE DA EXPRESSÃO FLORESTA INSERIDA NO ARTIGO 38 DA LEI Nº 9.065/98

ANÁLISE DA EXPRESSÃO FLORESTA INSERIDA NO ARTIGO 38 DA LEI Nº 9.065/98 ANÁLISE DA EXPRESSÃO FLORESTA INSERIDA NO ARTIGO 38 DA LEI Nº 9.065/98 Hassan Souki Advogado Associado do Escritório Homero Costa Advogados. A Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, tipifica, em seu

Leia mais

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Primeira Câmara Criminal

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Primeira Câmara Criminal Juízo de origem: 37ª Vara Criminal da Comarca da Capital Embargante: Pither Honorio Gomes Advogado: Defensoria Pública Embargado: Ministério Público Presidente: Marcus Henrique Pinto Basílio Relatora:

Leia mais

APELAÇÃO CRIMINAL 2005.38.03.003936-9 MINAS GERAIS RELATÓRIO

APELAÇÃO CRIMINAL 2005.38.03.003936-9 MINAS GERAIS RELATÓRIO APELAÇÃO CRIMINAL 2005.38.03.003936-9 MINAS GERAIS RELATÓRIO O EXMO. SR. DESEMBARGADOR FEDERAL CÂNDIDO RIBEIRO: O Ministério Público Federal ofereceu denúncia contra Marcelo Henrique Belonsi, imputando-lhe

Leia mais

2. OBJETIVO GERAL Possibilitar que o aluno tome conhecimento do conceito, das finalidades e da importância do Direito Penal.

2. OBJETIVO GERAL Possibilitar que o aluno tome conhecimento do conceito, das finalidades e da importância do Direito Penal. DISCIPLINA: Direito Penal I SEMESTRE DE ESTUDO: 2º Semestre TURNO: Matutino / Noturno CH total: 72h CÓDIGO: DIR112 1. EMENTA: Propedêutica Penal. Relação do Direito Penal com outras ciências: a criminologia

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação

Plano de Ensino. Identificação Plano de Ensino Identificação Curso: Direito Disciplina: Direito Penal III Ano/semestre: 2012/1 Carga horária: Total: 80h Semanal: 12h Professor: Ronaldo Domingues de Almeida Período/turno: 5º - matutino

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº. 45/2004 E A SUBJETIVIDADE PASSIVA NOS CRIMES MILITARES

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº. 45/2004 E A SUBJETIVIDADE PASSIVA NOS CRIMES MILITARES EMENDA CONSTITUCIONAL Nº. 45/2004 E A SUBJETIVIDADE PASSIVA NOS CRIMES MILITARES FERNANDO EDSON MENDES 1 1 - INTRODUÇÃO Após doze anos e nove meses de longo processo legislativo, iniciado em março de 1992

Leia mais

I CONGRESSO BRASILEIRO DE EXECUÇÃO DE PENAS E MEDIDAS ALTERNATIVAS

I CONGRESSO BRASILEIRO DE EXECUÇÃO DE PENAS E MEDIDAS ALTERNATIVAS I CONGRESSO BRASILEIRO DE EXECUÇÃO DE PENAS E MEDIDAS ALTERNATIVAS CARTA DE CURITIBA Os participantes do I CONGRESSO BRASILEIRO DE EXECUÇÃO DE PENAS E MEDIDAS ALTERNATIVAS, realizado em Curitiba PR, de

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: Direito Administrativo Aula 01

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: Direito Administrativo Aula 01 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: Direito Administrativo Aula 01 Lei 8.666/93 Licitações Normais Gerais Conceito da Lei Dispensa de Licitação Tipos de Licitação Contrato Administrativo Direito Administrativo Aula

Leia mais

Responsabilidade Criminal Ambiental. Paulo Freitas Ribeiro

Responsabilidade Criminal Ambiental. Paulo Freitas Ribeiro Responsabilidade Criminal Ambiental Paulo Freitas Ribeiro Constituição Federal Artigo 225 - Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br (Artigos) considerações sobre a responsabilidade "penal" da pessoa jurídica Dóris Rachel da Silva Julião * Introdução É induvidoso que em se tratando da criminalidade econômica e

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Furto de aparelho de som instalado em automóvel. 1. Problema jurídico Edison Miguel da Silva Jr. Ao quebrar o vidro do automóvel subtraindo apenas o aparelho de som nele instalado,

Leia mais

O EMPREGO DE ALGEMAS E A SÚMULA VINCULANTE Nº 11

O EMPREGO DE ALGEMAS E A SÚMULA VINCULANTE Nº 11 O EMPREGO DE ALGEMAS E A SÚMULA VINCULANTE Nº 11 Paulo Sérgio dos Santos Pelo Aluno Oficial da Polícia Militar do Estado de São Paulo Paulo Sérgio dos Santos, 3º ano do Curso de formação de Oficiais da

Leia mais

Prescrição da pretensão punitiva

Prescrição da pretensão punitiva PRESCRIÇÃO PENAL 1 CONCEITO É o instituto jurídico mediante o qual o Estado, por não fazer valer o seu direito de punir em determinado tempo, perde o mesmo, ocasionando a extinção da punibilidade. É um

Leia mais

Em nome do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime. UNODC quero agradecer ao coordenador residente, sr. Jorge

Em nome do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime. UNODC quero agradecer ao coordenador residente, sr. Jorge Boa tarde! Em nome do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime UNODC quero agradecer ao coordenador residente, sr. Jorge Chediek, e a toda sua equipe, pela oportunidade em participar desse importante

Leia mais

DISCIPLINA: Direito Penal III SEMESTRE DE ESTUDO: 4º Semestre. CH total: 72h

DISCIPLINA: Direito Penal III SEMESTRE DE ESTUDO: 4º Semestre. CH total: 72h DISCIPLINA: Direito Penal III SEMESTRE DE ESTUDO: 4º Semestre TURNO: Matutino / Noturno CH total: 72h CÓDIGO: DIR121 1. EMENTA: Princípios atinentes às penas e às medidas de segurança. Tratamento penal

Leia mais

REGIME PRISIONAL FECHADO NO DELITO DE TRÁFICO DE ENTORPECENTES. Autor: Fábio Soares Valera. Promotor de Justiça. Comarca de Araxá.

REGIME PRISIONAL FECHADO NO DELITO DE TRÁFICO DE ENTORPECENTES. Autor: Fábio Soares Valera. Promotor de Justiça. Comarca de Araxá. REGIME PRISIONAL FECHADO NO DELITO DE TRÁFICO DE ENTORPECENTES. Autor: Fábio Soares Valera. Promotor de Justiça. Comarca de Araxá. Em sede do julgamento do habeas corpus n. 97.256/RS, o Supremo Tribunal

Leia mais

Campanha de combate e prevenção à Violência Contra a Mulher.

Campanha de combate e prevenção à Violência Contra a Mulher. Campanha de combate e prevenção à Violência Contra a Mulher. Vamos juntos trabalhar em prol da vida! BRASIL É CAMPEÃO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NUM RANKING DE 54 PAÍSES fonte: Sociedade Mundial de Vitimologia,

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECLAMAÇÃO 15.309 SÃO PAULO RELATORA RECLTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECLDO.(A/S) ADV.(A/S) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. ROSA WEBER :MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO :PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO

Leia mais

DEVERES DOS AGENTES PÚBLICOS

DEVERES DOS AGENTES PÚBLICOS AGENTES PÚBLICOS José Carlos de Oliveira Professor de Direito Administrativo na graduação e no Programa de Pós-Graduação do Curso de Direito da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Unesp/Franca No

Leia mais

PRINCÍPIOS NORTEADORES DO PROCESSO PENAL

PRINCÍPIOS NORTEADORES DO PROCESSO PENAL PRINCÍPIOS NORTEADORES DO PROCESSO PENAL Carlos Antonio da Silva 1 Sandro Marcos Godoy 2 RESUMO: O Direito Penal é considerado o ramo jurídico mais incisivo, uma vez que restringe um dos maiores bens do

Leia mais

PLANO DE RESPOSTA DA PROVA DISSERTATIVA PARA O CARGO DE DELEGADO

PLANO DE RESPOSTA DA PROVA DISSERTATIVA PARA O CARGO DE DELEGADO PLANO DE RESPOSTA DA PROVA DISSERTATIVA PARA O CARGO DE DELEGADO PEÇA D E S P A C H O 1. Autue-se o Auto de Prisão em Flagrante; 2. Dê-se o recibo de preso ao condutor; 3. Autue-se o Auto de Apresentação

Leia mais

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL GERALDO APOLIANO (RELATOR): Cuida-se de agravo em execução penal interposto contra sentença que declarou extinta a punibilidade de Cosme Alexandre da Silva, por entender

Leia mais