EXERCÍCIOS SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXERCÍCIOS SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA"

Transcrição

1 Universidade do Sul de Santa Catarina Unidade Ilha Centro Curso: Direito Disciplina: Direito das Sucessões Professor: MSc. Patrícia Fontanella Acadêmico (a): EXERCÍCIOS SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA 01. (MP/SC 2000) I João, tendo muitos bens, faleceu em estado de solteiro, sem descendentes nem ascendentes vivos. Teve só um irmão, José, já falecido, que deixou dois filhos, Pedro e Paulo, este último também já falecido, mas tendo deixado duas filhas: Maria e Márcia. Neste caso Pedro recolhe a metade da herança e a outra metade deve ser dividida em partes iguais entre Maria e Márcia. II Uma pessoa casada, sem descendentes, tendo como ascendente apenas uma bisavó viva, pode, por testamento, deixar todos os seus bens para quem lhe aprouver. III Aberta a sucessão pode um herdeiro renunciar expressamente à herança, consignando no termo que: renuncio, desde que por ocasião da partilha eu ainda continue indo bem nos meus negócios. IV Falecendo alguém sem deixar descendentes, mas sobrevivendo-lhe o pai e a avó materna, entre estes dois, em partes iguais, é dividida a herança. V Segundo a doutrina e jurisprudência predominante, mesmo o concubinato clandestino, com prática de bigamia, aquele em que o homem convive simultaneamente com a esposa, em endereços diferentes, tendo durado longos anos, é considerado união estável para efeito de alimentos, direito real de habitação ou herança. A. ( ) apenas III e V estão corretas. B. ( ) apenas I e II estão corretas. C. ( ) apenas I, III e V estão corretas. D. ( ) apenas I está correta. E. ( ) Nenhuma das alternativas está correta. 02. (MP/SC 2002 Adaptada) Antonio Globetrotter, viajando para o exterior, via marítima, teve um enfarte a bordo. Socorrido, mas temendo morrer, chamou o comandante do navio, para quem ditou suas disposições de última vontade, deixando parte de seus bens para a equipe médica que o atendeu no navio. Terminada a viagem em 15 de outubro de 2005, o testador veio a falecer de outro enfarte, em 25 de fevereiro de 2006, na cidade de Florianópolis. Diante desses fatos é correto afirmar: I. A equipe médica pode executar o testamento somente na comarca de Florianópolis. II. A equipe médica pode habilitar-se no inventário, na comarca onde o mesmo se processa. III. A equipe médica não pode nem executar nem habilitar-se no inventário, por tratarse de um conjunto de pessoas, e o testador não especificou o quantum para cada um. IV. O testamento é inválido porque não foi registrado em cartório. V. A equipe médica não pode executar nem se habilitar no inventário, porque o testamento caducou.

2 A. ( ) apenas I e III estão corretas. B. ( ) apenas II está correta. C. ( ) apenas II e IV estão corretas. D. ( ) apenas IV está correta. E. ( ) apenas V está correta. 03. (MP/SC 2004) I No testamento militar, se o testador pertencer a corpo destacado, o testamento será escrito pelo respectivo comandante, desde que de graduação ou posto superior. II É facultado aos cônjuges contratar sociedade entre si ou com terceiros, desde que não tenham casado sob o regime da comunhão universal ou separação obrigatória de bens. III Assim como no testamento, o reconhecimento de filho perante o juiz é irrevogável. Porém, nesse último caso, o reconhecimento deverá constituir o objeto único e principal do ato. IV - Em relação à união estável, o único regime patrimonial admitido é o da comunhão parcial de bens. V O pedido de divórcio compete apenas aos cônjuges, salvo aquele que for incapaz, hipótese que a ação poderá ser proposta por curador, ascendente ou irmão. A. ( ) apenas I, III e IV estão corretas. B. ( ) apenas II e IV estão corretas. C. ( ) apenas I, III e V estão corretas. D. ( ) apenas II, III e V estão corretas. E. ( ) apenas II e V estão corretas. 04. Assinale a alternativa correta: I. O testamento pode, em seu conteúdo, conter não só disposições patrimoniais, mas também extrapatrimoniais. II. O testamento é ato jurídico unilateral, personalíssimo, solene, gratuito, revogável, somente podendo ser realizado por procurador investido através de instrumento de procuração público. III. Os loucos de todo o gênero podem testar, desde que devidamente representados pelo seu curador. IV. As pessoas jurídicas podem testar desde que seus representantes sejam constituídos através de instrumento público com poderes específicos. A. ( ) Todas estão corretas. B. ( ) Todas estão erradas. C. ( ) Somente a I está correta. D. ( ) Somente a IV está correta. E. ( ) Somente a I e a IV estão corretas. 05. (MP/RS 40 o - Adaptada) Assinale a alternativa incorreta: a) A carta codicilar deverá necessariamente revestir-se da forma pública. b) Poderá o testador, por meio de codicilo, substituir o testamenteiro. c) Aos sucessores do renunciante, havendo mais herdeiros da classe deste, não assiste direito de representá-lo, recebendo a herança repudiada. d) Admite-se, para efeitos sucessórios, a representação do ausente. 06. (MP/SP 80 o ) O testamento cerrado será aberto:

3 a) Pelo tabelião que o lavrou. b) Por um escrevente autorizado pelo tabelião. c) Pela viúva-meeira. d) Por um dos herdeiros. e) Pelo juiz. 07. (MP/SP 80 o ) O de cujus, além de deixar testamento, dispõe por carta dirigida à viúva-meeira, acerca de suas disposições para distribuição de esmolas de pouca monta a certas e determinadas pessoas e também lega roupas ou móveis às mesmas pessoas. Pergunta-se: qual a denominação jurídica desse ato? a) Aditamento testamentário. b) Legado. c) Ato de mera liberalidade. d) Codicilo. e) Ato de benemerência. 08. (MP/SP 81 o ) O Código Civil não admite, de forma expressa, o testamento: a) Marítimo. b) Hológrafo. c) Conjuntivo. d) Militar. e) Nuncupativo militar. 09. (MP/SO 82 o ) A morte real acarreta a imediata cessação dos direitos e obrigações de que o de cujus era titular, exceto: a) A dissolução do vínculo conjugal. b) A extinção do usufruto. c) A dissolução da comunhão universal. d) A sua vontade. e) A extinção do poder familiar. 10. Assinale a alternativa correta: I. A disposição de bens por testamento é corolário do direito de propriedade, sendo lícito a seu titular dispor de parte do seu patrimônio, ou de sua totalidade, na falta de herdeiros necessários; instituir herdeiro ou distribuir os bens em legados; gravar os bens de cláusulas restritivas, exceto quanto às legítimas; possibilitar a substituição do favorecido. II. Há possibilidade das duas modalidades de sucessão, a legítima e a testamentária, coexistirem, pois poderá uma sucessão ser legítima, quanto à parte do patrimônio em que não houver testamento ou não prevalecer a disposição de última vontade, e testamentária, na parte em que se obedece à vontade do finado. III. A sucessão testamentária, no tocante à capacidade testamentária ativa, regese pela lei que vigorar no tempo da feitura do testamento, enquanto que a capacidade testamentária passiva é regulada pela lei que vigorar ao tempo da abertura da sucessão. IV. Sendo condicional a instituição de herdeiro ou legatário, a sua capacidade será regulada pela lei vigente ao tempo do implemento da condição de que depende, sendo irrelevante o fato de o herdeiro ou legatário não terem capacidade sucessória por ocasião do óbito do auctor successionis.

4 A. ( ) Apenas a I está correta. B. ( ) I, II e III estão corretas. C. ( ) II e III estão corretas. D. ( ) II, III e IV estão corretas. E. ( ) Nenhuma das alternativas anteriores. 11. Assinale a alternativa correta: I. A substituição vulgar consiste na indicação da pessoa que deve ocupar o lugar do herdeiro ou legatário que não quer ou não pode aceitar o que lhe compete. II. A substituição recíproca é aquela em que os herdeiros são designados substitutos uns dos outros. III. A substituição fideicomissária ocorre quando o herdeiro o legatário recebe a liberalidade para transmiti-la, após sua morte, ou depois de certo tempo, ao seu substituto. IV. A substituição compendiosa é aquela em que se tem a concorrência da substituição vulgar e da fideicomissária. A. ( ) Todas estão erradas. B. ( ) Todas estão corretas. C. ( ) Apenas I e III estão corretas. D. ( ) Apenas a IV está errada. E. ( ) Nenhuma das alternativas anteriores. 12. Assinale a alternativa correta: I. A deserdação é o ato pelo qual o de cujus exclui da sucessão, mediante testamento, com expressa declaração de causa, herdeiro necessário, privando-o de sua legítima, por ter praticado qualquer ato, taxativamente enumerado em lei, ou outro que, por sua gravidade, possa ser reconhecido em ação própria. II. Com a abertura da sucessão o deserdado adquire o domínio e a posse dos bens da herança. A publicação do testamento, contudo, importa em surgimento de condição resolutiva de sua propriedade. III. A pena de deserdação imposta por testamento será considerada nula se, em vida, testador e deserdado se reconciliaram. IV. Havendo acrescimento (direito de acrescer), aos beneficiários transmitem-se os ônus que acompanham as liberalidades, e não apenas as vantagens que deveriam caber ao herdeiro faltoso, exceto se tais ônus tiverem caráter personalíssimo. A. ( ) I, II e III estão corretas. B. ( ) Todas estão corretas. C. ( ) Apenas a I está errada. D. ( ) II e IV estão corretas. E. ( ) Nenhuma das alternativas está correta. 13. Assinale a alternativa correta: I. Por ser o testamento ato extremamente solene, somente poderá ser revogado de forma expressa. II. Se o testador nomear individualmente certos herdeiros, e a outros nomear coletivamente, deverá a herança ser dividida em tantas quotas quantos forem os indivíduos e os grupos designados, de modo que os indicados individualmente

5 recebam um quinhão e os indicados coletivamente dividam entre si o quinhão cabente ao grupo. III. Não obstante a utilização do termo usufruto, ter-se-á fideicomisso, se o testador instituiu herdeiros sucessivos. IV. A instituição de herdeiro a termo ou condicional é proibida pelo Código Civil. A. ( ) II, III e IV estão corretas. B. ( ) Apenas a I está correta. C. ( ) Apenas II e III estão corretas. D. ( ) Todas estão corretas. E. ( ) Nenhuma das alternativas está correta. 14. (MP/SC 2009) I. A renúncia da herança pode ser pura, simples ou por encargo. II. A indignidade se distingue da deserdação na amplitude. Enquanto a deserdação é exclusiva da sucessão testamentária, a indignidade atinge também a sucessão legítima. III. Existe uma disposição testamentária de substituição na qual o testador designa uma pessoa para substituir o herdeiro ou legatário que não queira ou não possa aceitar a herança ou o legado. IV. A herança é indivisível, por ser uma universalidade de direitos portanto, até a partilha, os herdeiros estão em regime de condomínio legal. V. A ação de petição de herança pode ser requerida pelo herdeiro legítimo e pelos sucessores, a titulo universal ou singular, dos herdeiros. Assinale: A. ( ) apenas I, III e IV estão corretos. B. ( ) apenas II e IV estão corretos. C. ( ) apenas I, III e V estão corretos. D. ( ) apenas III,IV e V estão corretos. E. ( ) apenas II e V estão corretos. 15. (MP/SC 2009) I. O testamento feito por brasileiro só será válido se for escrito em língua nacional. II. Na linha colateral, se apenas concorrerem tios e primos aos bens do falecido, que não é casado, nem deixa pais e filhos, os primos herdarão por estirpe. III. Na sucessão, por morte, de estrangeiro casado com brasileiro, aplica-se a lei brasileira em beneficio do cônjuge ou dos filhos brasileiros, sempre que não lhes seja mais favorável a lei pessoal IV. Os filhos do filho pré-morto não herdam bens pela morte do avô se houver filhos vivos. Somente herdarão se apenas concorrerem com outros netos. V. Um apartamento doado para José e sua mulher Maria, casados pelo regime da comunhão parcial de bens, em caso de morte de José, será partilhado na base de 50% para Maria (meação que lhe pertence) e 50% (meação de José) para os filhos do casal. A. ( ) apenas I e IV estão corretos. B. ( ) apenas III esta correto. C. ( ) apenas I e V estão corretos. D. ( ) apenas II, III e V estão corretos.

6 E. ( ) apenas II e V estão corretos. 16. Jonas, que possuía dois filhos de seu casamento com Maria, fez um testamento deixando a parte disponível de sua herança (50%) para um primo muito querido. Após o falecimento de Jonas, Maria descobre que Jonas possuía um relacionamento extraconjugal, tendo deixado sua amante grávida de dois meses. Após o nascimento deste novo descendente de Jonas, que ele sequer teve oportunidade de saber que teria, pode ser considerado rompido o testamento? 17. É válida a disposição testamentária determinando que a esposa do autor da herança escolha alguém para receber, na qualidade de legatário, o carro do falecido? 18. Quem deve trazer bens à colação e por qual valor os bens devem ser colacionados no inventário? 19. O hereditando deixou dois filhos e bens no valor de R$ ,00. Suas dívidas montam R$ ,00. Tinha ele feito doação, conferível, a um de seus filhos, no valor de R$ 5.000,00. Considerando-se que as despesas de funeral foram de R$ 1.500,00, calcule a porção disponível e a legítima. 20. O hereditando era casado pelo regime de comunhão universal de bens e tinha um filho, que lhe sobreviveu. Legou ele a sua sobrinha um imóvel cujo valor era, à data da feitura do testamento, de R$ ,00. O patrimônio do casal era, então, de R$ ,00. A data da morte do testador, o legado valia R$ ,00 e o patrimônio do casal tinha o valor de R$ ,00. Pergunta-se: a. De que importância podia dispor o testador? b. Influi a variação relativa do patrimônio e do valor do legado, para o efeito da redução da disposição testamentária? c. No caso, é possível pleitear que se reduza a disposição?

Caderno Eletrônico de Exercícos Direito das Sucessões

Caderno Eletrônico de Exercícos Direito das Sucessões 1) Que é herança jacente: a) Herança que não existe herdeiros, salvo o estado b) Herança que tem que ser dividida entre os pais e cônjuge c) Herança que tem que ser dividida entre irmãos d) Herança deixada

Leia mais

OAB 139º - 1ª Fase Regular Modulo II Disciplina: Direito Civil Professor João Aguirre Data: 24/07/2009

OAB 139º - 1ª Fase Regular Modulo II Disciplina: Direito Civil Professor João Aguirre Data: 24/07/2009 TEMAS ABORDADOS EM AULA 9ª Aula: Sucessão SUCESSÃO 1. Tipos 1.1. Sucessão Legítima: surgiu pela lei (legislador deu a lei) 1.2. Sucessão Testamentária: Surgiu o testamento Em regra vale a legítima quando

Leia mais

6 Inventários e arrolamentos. Processo. Petição de herança, 83

6 Inventários e arrolamentos. Processo. Petição de herança, 83 1 Noções introdutórias, 1 1.1 Sucessão. Compreensão do vocábulo. O direito das sucessões, 1 1.2 Direito das sucessões no direito romano, 2 1.3 Ideia central do direito das sucessões, 4 1.4 Noção de herança,

Leia mais

SUCESSÃO HEREDITÁRIA. fases práticas do inventário e partilha

SUCESSÃO HEREDITÁRIA. fases práticas do inventário e partilha EDUARDO MACHADO ROCHA Juiz de Direito da Vara de Família e Sucessões da Comarca de Dourados (MS). Pós-graduado - Especialização em Direito Processual Civil. Professor de Direito Civil na Unigran - Universidade

Leia mais

Processos de Regularização de Imóveis

Processos de Regularização de Imóveis Processos de Regularização de Imóveis Prof. Weliton Martins Rodrigues ensinar@me.com www.vivadireito.net 5 5.1. Copyright 2013. Todos os direitos reservados. 1 2 A aquisição da propriedade é forma pela

Leia mais

PONTO 1: Sucessões. SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA art. 1845 do CC. A dispensa tem que ser no ato da liberalidade ou no testamento.

PONTO 1: Sucessões. SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA art. 1845 do CC. A dispensa tem que ser no ato da liberalidade ou no testamento. 1 DIREITO CIVIL DIREITO CIVIL PONTO 1: Sucessões SUCESSÃO LEGÍTIMA SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA art. 1845 do CC. A dispensa tem que ser no ato da liberalidade ou no testamento. Colação não significa devolução

Leia mais

Professora Alessandra Vieira

Professora Alessandra Vieira Sucessão Legítima Conceito: A sucessão legítima ou ab intestato, é a que se opera por força de lei e ocorre quando o de cujus tem herdeiros necessários que, de pleno direito, fazem jus a recolher a cota

Leia mais

DIREITO CIVIL EXERCÍCIOS SUCESSÕES DISCURSIVAS:

DIREITO CIVIL EXERCÍCIOS SUCESSÕES DISCURSIVAS: DIREITO CIVIL EXERCÍCIOS SUCESSÕES DISCURSIVAS: 1. Capacidade para suceder é a aptidão da pessoa para receber os bens deixados pelo de cujus no tempo da abertura da sucessão. Considerando tal afirmação

Leia mais

Direito das Sucessões Parte I. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Direito das Sucessões Parte I. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Direito das Sucessões Parte I Sucessão - Etimologia Sucessão Successio, de succedere. Relação de ordem, de continuidade. Uma sequência de fato e de coisas. O que vem em certa ordem ou em certo tempo. Sucessão

Leia mais

Faculdade de Direito da Alta Paulista

Faculdade de Direito da Alta Paulista PLANO DE ENSINO DISCIPLINA SÉRIE PERÍODO LETIVO CARGA HORÁRIA DIREITO CIVIL V (Direitos de família e das sucessões) QUINTA 2015 136 I EMENTA Direito de Família. Casamento. Efeitos jurídicos do casamento.

Leia mais

Aula 008 Da Sucessão Testamentária

Aula 008 Da Sucessão Testamentária Aula 008 Da Sucessão Testamentária 3.5 Disposições Testamentárias 3.5.1 Regras gerais 3.5.2 Espécies de disposições 3.5.2.1 Simples 3.5.2.2 Condicional 3.5.2.3 A Termo ou a prazo 3.5.2.4 Modal 3.5.2.5

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES REGIME DE BENS

DIREITO DAS SUCESSÕES REGIME DE BENS DIREITO DAS SUCESSÕES REGIME DE BENS Prof.Dicler Direito das Sucessões é o conjunto de normas que disciplinam a transferência do patrimônio (ativo e passivo créditos e débitos) de alguém, depois de sua

Leia mais

- Doação a incapaz, terá de o ser sem encargos (puras) e produz efeitos independentemente da aceitação (presumida). (951. nº. 1 e 2 CC).

- Doação a incapaz, terá de o ser sem encargos (puras) e produz efeitos independentemente da aceitação (presumida). (951. nº. 1 e 2 CC). Noção Contrato pelo qual uma Pessoa Jurídica, por espírito de liberalidade e à custa do seu património, dispõe gratuitamente de uma coisa ou de um direito, ou assume uma obrigação, em benefício do outro

Leia mais

É a primeira classe a herdar. Não há limitação de grau para herdar. Regra do grau mais próximo exclui o mais remoto (art. 1833, CC) Filho 1 Filho 2

É a primeira classe a herdar. Não há limitação de grau para herdar. Regra do grau mais próximo exclui o mais remoto (art. 1833, CC) Filho 1 Filho 2 Sucessão dos Descendentes (art. 1833, CC) É a primeira classe a herdar. Não há limitação de grau para herdar. Regra do grau mais próximo exclui o mais remoto (art. 1833, CC) Filho 1 Filho 2 Neto 1 Neto

Leia mais

Direito Civil VI - Sucessões. Prof. Marcos Alves da Silva

Direito Civil VI - Sucessões. Prof. Marcos Alves da Silva Direito Civil VI - Sucessões Prof. Marcos Alves da Silva SUCESSÃO DO CÔNJUGE Herdeiro necessário e concorrente ( concorrente, conforme o regime de bens) Os regimes de matrimoniais de bens e suas implicações

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES

DIREITO DAS SUCESSÕES Direito Civil Aula 3 Delegado Civil Sandro Gaspar Amaral DIREITO DAS SUCESSÕES PRINCÍPIO DE SAISINE (art. 1784, CC): transmissão da propriedade e da posse no exato momento da morte. NORMA VIGENTE (art.

Leia mais

Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período

Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período Toda a sucessão legítima observará uma ordem de vocação hereditária que, no Código Civil, está prevista no artigo 1.829. Art. 1.829.

Leia mais

Inovações e desacertos no novo Direito Sucessório

Inovações e desacertos no novo Direito Sucessório Inovações e desacertos no novo Direito Sucessório Giselda Maria Fernandes Novaes Hironaka Doutora e Livre Docente em Direito pela Faculdade de Direito da USP Professora Associada ao Departamento de Direito

Leia mais

Exame de Direito das Sucessões. 18 de junho de 2014. I (17 valores) Em 2008, C é condenado pelo crime de homicídio doloso de seu irmão D.

Exame de Direito das Sucessões. 18 de junho de 2014. I (17 valores) Em 2008, C é condenado pelo crime de homicídio doloso de seu irmão D. Exame de Direito das Sucessões 18 de junho de 2014 I (17 valores) A é casado com B, tendo o casal três filhos, C, D e E. B tem ainda um filho, F, de um anterior casamento. C é casado com G e tem uma filha

Leia mais

ÍNDICE SISTEMÁTICO OBRAS DO AUTOR PRÓLOGO

ÍNDICE SISTEMÁTICO OBRAS DO AUTOR PRÓLOGO ÍNDICE SISTEMÁTICO OBRAS DO AUTOR PRÓLOGO CAPÍTULO I DIREITO DAS SUCESSÕES 1. Conceituação 2. Elementos históricos 3. Espécies de sucessões 4. Acepções de sucessão 5. Fundamentos jurídicos das sucessões

Leia mais

Direito das Sucessões Parte II. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Direito das Sucessões Parte II. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Direito das Sucessões Parte II Abertura da Sucessão Momento da morte do de cujus, devidamente comprovada. Com a abertura da sucessão os herdeiros, legítimos ou testamentários, adquirem, de imediato, a

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA - FDV DIREITO DAS SUCESSÕES PROF. AUGUSTO PASSAMANI BUFULIN

FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA - FDV DIREITO DAS SUCESSÕES PROF. AUGUSTO PASSAMANI BUFULIN 1. Acerca do testamento, analise as afirmativas a seguir: I. O testamento nuncupativo faz-se ordinariamente, na forma oral, caso o testador corra risco de vida. II. O testador que não possuir herdeiros

Leia mais

PONTO 1: Sucessões. I descendentes concorrendo com o cônjuge;

PONTO 1: Sucessões. I descendentes concorrendo com o cônjuge; 1 DIREITO CIVIL PONTO 1: Sucessões CONCORRÊNCIA NO NCC herdeiros. Art. 1829 do CC É a primeira vez que o código enfrenta a concorrência entre I descendentes concorrendo com o cônjuge; Indignidade: art.

Leia mais

Direito Civil VI - Sucessões. Prof. Marcos Alves da Silva

Direito Civil VI - Sucessões. Prof. Marcos Alves da Silva Direito Civil VI - Sucessões Prof. Marcos Alves da Silva Direito das Sucessões Sucessão: alteração de titulares em uma dada relação jurídica Sucessão (sentido estrito): causa mortis A sucessão engloba

Leia mais

1959 Direito de Família e Sucessões Parte 1 Do Direito de Família 1. Família. Conceito. Família e sociedade. Suas diferentes formas. Constituição de 1946 a espeito. Direito de Família. 2. Esponsais. Breve

Leia mais

HERDEIROS, LEGATÁRIOS E CÔNJUGE

HERDEIROS, LEGATÁRIOS E CÔNJUGE HERDEIROS, LEGATÁRIOS E CÔNJUGE Luiz Alberto Rossi (*) SUMÁRIO DISTINÇÃO ENTRE HERDEIROS E LEGATÁRIOS. SAISINE. CÔNJUGE: HERDEIRO NECESSÁRIO. QUINHÃO DO CÔNJUGE. TIPOS DE CONCORRÊNCIA. BENS PARTICULARES.

Leia mais

Art. 538. Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o de outra.

Art. 538. Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o de outra. Lição 14. Doação Art. 538. Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o de outra. Na doação deve haver, como em qualquer outro

Leia mais

Sucessão Testamento Público

Sucessão Testamento Público Sucessão Testamento Público O que acontece quando eu morro? A herança é uma universalidade imóvel Sucessão legítima ou testamentaria Planejamento sucessório Se a morte é inevitável... Planeje-a! Pacificar

Leia mais

Novembro/2010. Prof a. Esp. Helisia Góes

Novembro/2010. Prof a. Esp. Helisia Góes DIREITO CIVIL VI - SUCESSÕES SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA Testemunhas Testamentárias Novembro/2010 Prof a. Esp. Helisia Góes Definição: é a pessoa que tem capacidade para assegurar a veracidade do testamento.

Leia mais

Direito Civil VI - Sucessões. Prof. Marcos Alves da Silva

Direito Civil VI - Sucessões. Prof. Marcos Alves da Silva Direito Civil VI - Sucessões Prof. Marcos Alves da Silva INVENTÁRIO Dois sentidos para o mesmo vocábulo: Liquidação do acervo hereditário (registro, descrição, catalogação dos bens). Procedimento especial

Leia mais

CURSO DE RETA FINAL - MAGISTRATURA DE SÃO PAULO Prof. André Barros

CURSO DE RETA FINAL - MAGISTRATURA DE SÃO PAULO Prof. André Barros MATERIAL DE APOIO PROFESSOR CURSO DE RETA FINAL - MAGISTRATURA DE SÃO PAULO Prof. André Barros 3a AULA: DIREITO DAS SUCESSÕES: Do direito das Sucessões (artigos 1.784 a 1.828 do Código Civil). Sucessão

Leia mais

Direito das Sucessões

Direito das Sucessões Direito das Sucessões OBJETIVO Compreender as consequências da ordem de vocação hereditária. ROTEIRO! Da ordem de vocação hereditária! Ordem de vocação hereditária no Código de 1916! Nova ordem de vocação

Leia mais

4.5 Oposição das causas suspensivas. 5 Do processo de habilitação para o casamento. 5.1 Documentos exigidos. 5.2 Do processo de habilitação. 5.

4.5 Oposição das causas suspensivas. 5 Do processo de habilitação para o casamento. 5.1 Documentos exigidos. 5.2 Do processo de habilitação. 5. Disciplina: Direito Civil V Departamento: Direito Privado FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014 Docente Responsável: William Bedone Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo: Anual 5º ano Objetivos: Finalizar

Leia mais

OAB. OAB. DIREITO CIVIL. Glauka Archangelo. - ESPÉCIES DE SUCESSÃO. Dispõe o artigo 1.786 do Código Civil que:

OAB. OAB. DIREITO CIVIL. Glauka Archangelo. - ESPÉCIES DE SUCESSÃO. Dispõe o artigo 1.786 do Código Civil que: OAB. DIREITO CIVIL.. DISPOSIÇÕES GERAIS. DIREITO SUCESSÓRIO: Em regra geral na sucessão existe uma substituição do titular de um direito. Etimologicamente sub cedere alguém tomar o lugar de outrem. A expressão

Leia mais

A COLAÇÃO DOS BENS DOADOS A HERDEIROS: ANÁLISE DO ACÓRDÃO Nº 70050981836 JULGADO PELO TJRS

A COLAÇÃO DOS BENS DOADOS A HERDEIROS: ANÁLISE DO ACÓRDÃO Nº 70050981836 JULGADO PELO TJRS 23 A COLAÇÃO DOS BENS DOADOS A HERDEIROS: ANÁLISE DO ACÓRDÃO Nº 70050981836 JULGADO PELO TJRS Adrieli Aline Frias 1 Daniele Garcia 2 Niagara Sabrina 3 Ynaia Medina Long 4 Orientadora: Profª. Mª. Ana Cleusa

Leia mais

Regime de bens no casamento. 14/dez/2010

Regime de bens no casamento. 14/dez/2010 1 Registro Civil Registro de Pessoas Jurídicas Registro de Títulos e Documentos Regime de bens no casamento 14/dez/2010 Noções gerais, administração e disponibilidade de bens, pacto antenupcial, regime

Leia mais

DIREITO FAMÍLIA SUCESSÃO PRINCÍPIOS ORIENTADORES

DIREITO FAMÍLIA SUCESSÃO PRINCÍPIOS ORIENTADORES DIREITO FAMÍLIA SUCESSÃO DE DIREITO FAMÍLIA PONTO 1: SUCESSÃO PONTO 2: PRINCÍPIOS ORIENTADORES; SUCESSÃO LEGÍTIMA E TESTAMENTÁRIA, EXCLUSÃO DOS HERDEIROS; PONTO 3: ESPÉCIES DE HERDEIROS, CESSÃO DE DIREITOS;

Leia mais

SUMÁRIO PREFÁCIO... 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 3 1.2 AS ATUAÇÕES DO MAGISTRADO (ESTADO-JUIZ) E DO

SUMÁRIO PREFÁCIO... 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 3 1.2 AS ATUAÇÕES DO MAGISTRADO (ESTADO-JUIZ) E DO SUMÁRIO PREFÁCIO... 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 3 1.2 AS ATUAÇÕES DO MAGISTRADO (ESTADO-JUIZ) E DO TABELIÃO (PRESTADOR DE SERVIÇO PÚBLICO EM CARÁTER PRIVADO)... 5 1.3 NOVA LEI HOMENAGEIA

Leia mais

REGIME DE BENS NO NOVO CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO

REGIME DE BENS NO NOVO CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO 1 REGIME DE BENS NO NOVO CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO Cleiton Graciano dos Santos 1 RESUMO: Este artigo trata sobre o Regime de Bens no novo Código Civil brasileiro, apresentando os principais aspectos do assunto,

Leia mais

Grupo de Estudos de Empresas Familiares GVlaw/ Direito GV. Reflexos Familiares e Sucessórios na Empresa Familiar. Apresentação 10.08.

Grupo de Estudos de Empresas Familiares GVlaw/ Direito GV. Reflexos Familiares e Sucessórios na Empresa Familiar. Apresentação 10.08. Grupo de Estudos de Empresas Familiares GVlaw/ Direito GV Reflexos Familiares e Sucessórios na Empresa Familiar Apresentação 10.08.10 Luiz Kignel Karime Costalunga F 1 F 2 F 3 F 1 F 2 F 3 F 4 Fundador

Leia mais

~ ~ McTODO SÃO PAULO

~ ~ McTODO SÃO PAULO Flávio Tartuce :C I.. 'r1'i Direito das Sucessões B. a edição revista, atualizada e ampliada *** ~ ~ McTODO SÃO PAULO ~~::;'S 1: STJ00100365 A EDITORA Mt::TODO se responsabiliza pelos vlcios do produto

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES

DIREITO DAS SUCESSÕES DIREITO DAS SUCESSÕES 2.º Ano Turma A (Dia) Exame de Coincidência Professor Doutor Luís Menezes Leitão 26 de junho de 2015 Duração da prova: 90 minutos GRELHA DE CORREÇÃO A morte de A desencadeia a abertura

Leia mais

1. Princípios Orientadores: - a herança é uma universalidade de direito - indivisível até a partilha;

1. Princípios Orientadores: - a herança é uma universalidade de direito - indivisível até a partilha; 1 PONTO 1: Princípios Orientadores PONTO 2: Sucessão Legítima e Testamentária PONTO 3: Morte PONTO 4: Cessão e Direitos Hereditários PONTO 5: Exclusão da Herança PONTO 6: Herança Jacente e Vacante 1. Princípios

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2013

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2013 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2013 Disciplina: Direito Civil V Departamento II Direito Privado Docente Responsável: Clineu Ferreira Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo: Anual 5º ano Objetivos: Terminar

Leia mais

Sumário. 00_abertura_Direito das Sucessoes_Dimas.pmd11

Sumário. 00_abertura_Direito das Sucessoes_Dimas.pmd11 Sumário Apresentação... 17 Prefácio... 21 1- INTRODUÇÃO... 25 1.1- Histórico... 25 1.2- Acepção jurídica de sucessão... 26 2- TRANSMISSÃO DA HERANÇA/VOCAÇÃO HEREDITÁRIA... 31 3- HERANÇA JACENTE... 35 4-

Leia mais

Direito Civil. Direito das Sucessões. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Direito das Sucessões. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Direito das Sucessões Prof. Marcio Pereira Sucessões (art. 1.784 do CC) É a transmissão de bens, direitos e obrigações de uma pessoa para outra que se dá em razão de sua morte. Aberta a successão,

Leia mais

SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA

SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA Art. 1857 e ss CC 1. Conceito e generalidades Testamento é o ato pelo qual uma pessoa dispõe da totalidade ou de parte de seus bens depois da morte (art. 1857) ou faz outras declarações

Leia mais

DOAÇÃO. 1. Referência legal do assunto. Arts. 538 a 564 do CC. 2. Conceito e características da doação

DOAÇÃO. 1. Referência legal do assunto. Arts. 538 a 564 do CC. 2. Conceito e características da doação 1. Referência legal do assunto Arts. 538 a 564 do CC. DOAÇÃO 2. Conceito e características da doação O art. 538 do CC define a doação como um contrato pelo qual uma pessoa, por liberalidade, transfere

Leia mais

IV. 1 DIREITO DE FAMÍLIA INTRODUÇÃO

IV. 1 DIREITO DE FAMÍLIA INTRODUÇÃO PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso: DIREITO Disciplina:

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO SOBRE TUTELA E CURATELA 1

ESTUDO DIRIGIDO SOBRE TUTELA E CURATELA 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Campus Norte Curso: Direito Disciplina: Direito de Família Orientadora: MSc. Patrícia Fontanella Acadêmico: ESTUDO DIRIGIDO SOBRE TUTELA E CURATELA 1 BIBLIOGRAFIA

Leia mais

Profª Helisia Góes Disciplina: DIREITO CIVIL VI SUCESSÕES Turmas: 8ºDIV, 8DIN-1 e 8DIN-2 Data: 08/08/2012 AULA 04

Profª Helisia Góes Disciplina: DIREITO CIVIL VI SUCESSÕES Turmas: 8ºDIV, 8DIN-1 e 8DIN-2 Data: 08/08/2012 AULA 04 01 Profª Helisia Góes Disciplina: DIREITO CIVIL VI SUCESSÕES Turmas: 8ºDIV, 8DIN-1 e 8DIN-2 Data: 08/08/2012 AULA 04 II - SUCESSÃO EM GERAL (Cont...) 7. Aceitação e Renúncia da Herança (arts. 1.804 a 1.813,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 17 DE SETEMBRO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 17 DE SETEMBRO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 17 DE SETEMBRO DE 2007 Publicada no DOE(Pa) de 19.09.07. Retificação no DOE(Pa) de 25.09.07. Institui a Declaração de Bens e Direitos, relativa ao Imposto sobre Transmissão

Leia mais

Direito das Sucessões. Inventário e Partilha

Direito das Sucessões. Inventário e Partilha Direito das Sucessões Inventário e Partilha OBJETIVO Conhecer as disposições legais a respeito do inventário e da partilha. ROTEIRO Introdução O inventário formas simplificadas Colação Sonegados Partilha

Leia mais

CONCEITO DE INVENTÁRIO

CONCEITO DE INVENTÁRIO DIREITO CIVIL Inventário e Partilha CONCEITO DE INVENTÁRIO Inventárioéoprocedimentojudicialatravésdoqual será realizado o levantamento dos bens, valores, dívidas e sucessores do autor da herança. OBJETIVO

Leia mais

Art. 1.784. Aberta a sucessão, a herança transmite-se, desde logo, aos herdeiros legítimos e testamentários.

Art. 1.784. Aberta a sucessão, a herança transmite-se, desde logo, aos herdeiros legítimos e testamentários. Código Civil Parte Especial - Arts. 1784 a 1896 LIVRO V Do Direito das Sucessões TÍTULO I Da Sucessão em Geral CAPÍTULO I Disposições Gerais Art. 1.784. Aberta a sucessão, a herança transmite-se, desde

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA E PROCURADORIAS NOTURNO Direito Civil Professor Murilo Sechieri Data: 02/10/2012 Aula 07 RESUMO. SUMÁRIO (continuação)

DEFENSORIA PÚBLICA E PROCURADORIAS NOTURNO Direito Civil Professor Murilo Sechieri Data: 02/10/2012 Aula 07 RESUMO. SUMÁRIO (continuação) Direito Civil Professor Murilo Sechieri Data: 02/10/2012 Aula 07 RESUMO SUMÁRIO (continuação) I. DIREITO DE FAMÍLIA 5. FILIAÇÃO 5.2. Tipos de reconhecimento 5.3. Ação investigatória de paternidade 5.3.1.

Leia mais

Regime de bens e divisão da herança

Regime de bens e divisão da herança Regime de bens e divisão da herança Antes da celebração do casamento, os noivos têm a possibilidade de escolher o regime de bens a ser adotado, que determinará se haverá ou não a comunicação (compartilhamento)

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES CONCEITO

DIREITO DAS SUCESSÕES CONCEITO DIREITO DAS SUCESSÕES CONCEITO Direito das sucessões é o conjunto de princípios e normas que regem a transferência da herança, ou do legado, ao herdeiro ou legatário, em razão da morte de alguém. O direito

Leia mais

Direito Civil VI - Sucessões. Prof. Marcos Alves da Silva

Direito Civil VI - Sucessões. Prof. Marcos Alves da Silva Direito Civil VI - Sucessões Prof. Marcos Alves da Silva TESTAMENTO Noções Introdutórias. - A sucessão testamentária é secundária em nosso sistema. (uma raridade) - Questões de ordem sociológica: a) testar

Leia mais

PACTO ANTENUPCIAL REGIMES DE BENS

PACTO ANTENUPCIAL REGIMES DE BENS PACTO ANTENUPCIAL O Código Civil dita, em seu art. 1.639, que é lícito aos nubentes, antes de celebrado o casamento, estipular, quanto aos seus bens, o que lhes aprouver. Por oportuno, anote-se que segundo

Leia mais

O DIREITO DAS Sucessões na Contemporaneidade. http://patriciafontanella.adv.br

O DIREITO DAS Sucessões na Contemporaneidade. http://patriciafontanella.adv.br O DIREITO DAS Sucessões na Contemporaneidade http://patriciafontanella.adv.br Viés Constitucional Assento constitucional (art. 5º XXX, CF/88). Mudança dos poderes individuais da propriedade, trazendo a

Leia mais

ESPÉCIES DE RENÚNCIA AO DIREITO HEREDITÁRIO E EFEITOS TRIBUTÁRIOS. Artur Francisco Mori Rodrigues Motta

ESPÉCIES DE RENÚNCIA AO DIREITO HEREDITÁRIO E EFEITOS TRIBUTÁRIOS. Artur Francisco Mori Rodrigues Motta ESPÉCIES DE RENÚNCIA AO DIREITO HEREDITÁRIO E EFEITOS TRIBUTÁRIOS Artur Francisco Mori Rodrigues Motta ESPÉCIES DE RENÚNCIA AO DIREITO HEREDITÁRIO E EFEITOS TRIBUTÁRIOS Artur Francisco Mori Rodrigues Motta

Leia mais

N e w s l e t t e r AAPS

N e w s l e t t e r AAPS Caros Associados, A AAPS interessada nos temas que possam ser de utilidade aos associados, tem participado em eventos sobre o assunto em questão. No contexto das atividades desenvolvidas pelo GEPS (Grupo

Leia mais

DIREITO CIVIL VI Direito das Sucessões

DIREITO CIVIL VI Direito das Sucessões DIREITO CIVIL VI Direito das Sucessões O conhecimento quando compartilhado é muito melhor, pois, todos são beneficiados com novas formas de enxergar o mundo Paulo Henrique 2015 1 DIREITO CIVIL 6 Conteúdo

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA

ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA ITCMD Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de quaisquer Bens ou Direitos MANUAL DO USUÁRIO 2012 O ITCMD tem como fato gerador a transmissão de bens e direitos

Leia mais

Direitos das Sucessões

Direitos das Sucessões Há 4 títulos do capítulo das sucessões: Sucessões em geral: aplicada a qualquer hipótese; Sucessão Legítima: prevista em lei; Sucessão testamentária: disposições de vontade; Inventário e partilha: regras

Leia mais

DOAÇÃO E SEUS IMPACTOS NO DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÃO. http://patriciafontanella.adv.br

DOAÇÃO E SEUS IMPACTOS NO DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÃO. http://patriciafontanella.adv.br DOAÇÃO E SEUS IMPACTOS NO DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÃO doação Conceito: é negócio jurídico unilateral inter vivos, em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº Dados Básicos Fonte: 70039973367 Tipo: Acórdão TJRS Data de Julgamento: 08/06/2011 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:14/06/2011 Estado: Rio Grande do Sul Cidade: Porto Alegre Relator:

Leia mais

Noções Introdutórias Abertura da Sucessão. Transmissão da Herança. Aceitação e Renúncia da Herança. Cessão da Herança

Noções Introdutórias Abertura da Sucessão. Transmissão da Herança. Aceitação e Renúncia da Herança. Cessão da Herança Sumário 1. Noções Introdutórias 1.1 Sucessão. Compreensão do Vocábulo. O Direito das Sucessões 1.2 Direito das Sucessões no Direito Romano 1.3 Ideia Central do Direito das Sucessões 1.4 Noção de Herança

Leia mais

AULA 07 DIREITO DAS SUCESSÕES SUCESSÃO EM GERAL: LEGÍTIMA E TESTAMENTÁRIA

AULA 07 DIREITO DAS SUCESSÕES SUCESSÃO EM GERAL: LEGÍTIMA E TESTAMENTÁRIA AULA 07 DIREITO DAS SUCESSÕES SUCESSÃO EM GERAL: LEGÍTIMA E TESTAMENTÁRIA INTRODUÇÃO Caros amigos e alunos. Iniciamos hoje mais uma etapa em nossos estudos. Marchamos para a parte final de nosso curso.

Leia mais

Sumário PARTE I DIREITO DAS FAMÍLIAS

Sumário PARTE I DIREITO DAS FAMÍLIAS PARTE I DIREITO DAS FAMÍLIAS Capítulo I INTRODUÇÃO AO DIREITO DAS FAMÍLIAS... 27 1. Conceito Dinamizado pela Perspectiva Histórico-Axiológica... 27 1.1. Qual a Natureza Jurídica da Família? Seria Pessoa

Leia mais

Marcos Puglisi de Assumpção 4. A SUCESSÃO NO CASAMENTO, NA UNIÃO ESTÁVEL E NO CONCUBINATO

Marcos Puglisi de Assumpção 4. A SUCESSÃO NO CASAMENTO, NA UNIÃO ESTÁVEL E NO CONCUBINATO Marcos Puglisi de Assumpção 4. A SUCESSÃO NO CASAMENTO, NA UNIÃO ESTÁVEL E NO CONCUBINATO 2010 A SUCESSÃO NO CASAMENTO, NA UNIÃO ESTÁVEL E NO CONCUBINATO Para se obter um bom entendimento como se processa

Leia mais

TEORIA E PRÁTICA DO INVENTÁRIO JUDICIAL E EXTRAJ U DICIAL

TEORIA E PRÁTICA DO INVENTÁRIO JUDICIAL E EXTRAJ U DICIAL JOÃO ROBERTO PARIZATTO TEORIA E PRÁTICA DO INVENTÁRIO JUDICIAL E EXTRAJ U DICIAL 5. a Edição EDITORA PARIZATTO Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio eletrônico, mecânico ou xerográfico,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO-LEI Nº 4.657, DE 4 DE SETEMBRO DE 1942. Vide Decreto-Lei nº 4.707, de 1942 Lei de Introdução ao Código Civil Brasileiro O PRESIDENTE

Leia mais

SUCESSÃO DO CÔNJUGE NO NOVO CÓDIGO CIVIL

SUCESSÃO DO CÔNJUGE NO NOVO CÓDIGO CIVIL SUCESSÃO DO CÔNJUGE NO NOVO CÓDIGO CIVIL Zeno Veloso 1 No palco em que se desenrolam as relações jurídicas da sucessão legítima, um personagem ganhou papel de grande destaque, podendo-se afirmar que é

Leia mais

P R O V A T É C N I C A TABELIONATO DE NOTAS

P R O V A T É C N I C A TABELIONATO DE NOTAS ESTADO DE SANTA CATARINA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA 1ª VICE-PRESIDÊNCIA SALA DAS COMISSÕES P R O V A T É C N I C A TABELIONATO DE NOTAS CONCURSO PARA INGRESSO NA ATIVIDADE NOTARIAL E DE REGISTRO LEIA

Leia mais

TODAS AS INFORMAÇÕES SÃO EXTREMAMENTE IMPORTANTES!!! CASAMENTO CIVIL (Brasileiros)

TODAS AS INFORMAÇÕES SÃO EXTREMAMENTE IMPORTANTES!!! CASAMENTO CIVIL (Brasileiros) TODAS AS INFORMAÇÕES SÃO EXTREMAMENTE IMPORTANTES!!! CASAMENTO CIVIL (Brasileiros) PREENCHER O FORMULÁRIO - MEMORIAL - DE CASAMENTO (MODELOS NAS FL 4, 5 E 6), ASSINAR E RECONHECER FIRMA DAS ASSINATURAS

Leia mais

Resumo Aula-tema 05: Direito de Família e das Sucessões.

Resumo Aula-tema 05: Direito de Família e das Sucessões. Resumo Aula-tema 05: Direito de Família e das Sucessões. Para o autor do nosso livro-texto, o Direito de família consiste num complexo de normas que regulam a celebração do casamento e o reconhecimento

Leia mais

DESTAQUES DO INVENTÁRIO 1

DESTAQUES DO INVENTÁRIO 1 DESTAQUES DO INVENTÁRIO 1 DO INVENTÁRIO EXTRAJUDICIAL A lei 11.441/2007 alterou os dispositivos do CPC, possibilitando a realização de inventário, partilha, separação consensual e divórcio consensual por

Leia mais

SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE E DO COMPANHEIRO NO NOVO CÓDIGO CIVIL

SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE E DO COMPANHEIRO NO NOVO CÓDIGO CIVIL DIMAS MESSIAS DE CARVALHO Promotor de Justiça no Estado de Minas Gerais. Autor do Livro Direito de Família, publicado em 2005, pela Editora Atenas. Professor de Direito de Família e Sucessões na Unifenas,

Leia mais

QUESTÕES OBJETIVAS SUCESSÕES

QUESTÕES OBJETIVAS SUCESSÕES QUESTÕES OBJETIVAS SUCESSÕES 1. Heitor, solteiro e pai de dois filhos também solteiros (Roberto, com trinta anos de idade, e Leonardo, com vinte e oito anos de idade), vem a falecer, sem deixar testamento.

Leia mais

Do ato formal da doação e da dispensa de colação em face do novo código civil José da Silva Pacheco

Do ato formal da doação e da dispensa de colação em face do novo código civil José da Silva Pacheco Do ato formal da doação e da dispensa de colação em face do novo código civil José da Silva Pacheco SUMÁRIO: 1. Da doação como ato de liberalidade e das formas de sua celebração. 2. A doação de ascendente

Leia mais

Modular Direito de Família Disposições Gerais Sobre o Casamento Incapacidade e Impedimento Causas Suspensivas Fernando Viana

Modular Direito de Família Disposições Gerais Sobre o Casamento Incapacidade e Impedimento Causas Suspensivas Fernando Viana Modular Direito de Família Disposições Gerais Sobre o Casamento Incapacidade e Impedimento Causas Suspensivas Fernando Viana 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Leia mais

. CURSO: DIREITO Turma: DISCIPLINA: Direito Civil VII Profª Ms. Tatyane Karen VALOR: 6 H/A NOTA: ALUNO(A):

. CURSO: DIREITO Turma: DISCIPLINA: Direito Civil VII Profª Ms. Tatyane Karen VALOR: 6 H/A NOTA: ALUNO(A): . CURSO: DIREITO Turma: DISCIPLINA: Direito Civil VII Profª Ms. Tatyane Karen Data: / / VALOR: 6 H/A NOTA: ALUNO(A): Questão 1 ( VUNESP - 2011 - TJ-SP Juiz) Assinale a alternativa correta. a) Na falta

Leia mais

ESTATUTO PESSOAL REGRAS SOBRE CASAMENTO ESTRANGEIRO

ESTATUTO PESSOAL REGRAS SOBRE CASAMENTO ESTRANGEIRO CONCURSO MANAUSPREV LINDB (AULA 2) Estatuto pessoal Aplicação da lei no espaço: casamento sucessão bens obrigações Prof. Caupolican ESTATUTO PESSOAL (DL 4657/42) Art. 7º A lei do país em que for domiciliada

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 4.908, DE 2012 (Do Sr. Takayama)

PROJETO DE LEI N.º 4.908, DE 2012 (Do Sr. Takayama) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 4.908, DE 2012 (Do Sr. Takayama) Dá nova redação aos arts. 544, 1.561, 1.723, 1.789, 1.797, 1.829, 1.830, 1.831, 1.832, 1.836, 1.837, 1.838, 1.839, 1.845, 1.846

Leia mais

ITCMD. Perguntas mais frequentes:

ITCMD. Perguntas mais frequentes: ITCMD Perguntas mais frequentes: 1. Quando nasce a obrigação de pagar o ITCMD? O ITCMD é o imposto estadual incidente sobre a transmissão de quaisquer bens ou direitos a título gratuito (ato não oneroso).

Leia mais

Sucessão que segue as regras da lei quando: DIREITO DAS SUCESSÕES

Sucessão que segue as regras da lei quando: DIREITO DAS SUCESSÕES DIREITO DAS SUCESSÕES I. SUCESSÃO EM GERAL II. SUCESSÃO LEGÍTIMA III. SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA IV. INVENTÁRIO E PARTILHA SUCESSÃO LEGÍTIMA 1. Conceito 2. Parentesco 3. Sucessão por direito próprio e por

Leia mais

(I) O CADASTRO PARA BLOQUEIO DE RECEBIMENTO DE LIGAÇÕES DE TELEMARKETING E O DIREITO DO CONSUMIDOR

(I) O CADASTRO PARA BLOQUEIO DE RECEBIMENTO DE LIGAÇÕES DE TELEMARKETING E O DIREITO DO CONSUMIDOR Ano III nº 12 (I) O CADASTRO PARA BLOQUEIO DE RECEBIMENTO DE LIGAÇÕES DE TELEMARKETING E O DIREITO DO CONSUMIDOR Barbara Brentani Lameirão Roncolatto Luiz Henrique Cruz Azevedo 01. Em 7 de outubro de 2008,

Leia mais

Regime de Bens no Casamento. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Regime de Bens no Casamento. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Regime de Bens no Casamento Regime de Bens no Casamento Regime de bens é o conjunto de determinações legais ou convencionais, obrigatórios e alteráveis, que regem as relações patrimoniais entre o casal,

Leia mais

CONTRATO DE CONVIVÊNCIA E SUAS REPERCUSSÕES NO DIREITO SUCESSÓRIO

CONTRATO DE CONVIVÊNCIA E SUAS REPERCUSSÕES NO DIREITO SUCESSÓRIO CONTRATO DE CONVIVÊNCIA E SUAS REPERCUSSÕES NO DIREITO SUCESSÓRIO Edgard Borba Fróes Neto 1 Resumo A possibilidade dos companheiros livremente estipularem regras de cunho patrimonial, mediante celebração

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES 2.º Ano Turma A (Dia) Época de Recurso Professor Doutor Luís Menezes Leitão

DIREITO DAS SUCESSÕES 2.º Ano Turma A (Dia) Época de Recurso Professor Doutor Luís Menezes Leitão DIREITO DAS SUCESSÕES 2.º Ano Turma A (Dia) Época de Recurso Professor Doutor Luís Menezes Leitão EXAME 09 de junho de 2014 Duração da prova: 90 minutos GRELHA DE CORREÇÃO A morte de A desencadeia a aberta

Leia mais

Direito das Sucessões

Direito das Sucessões Direito das Sucessões Eduardo Domingues 12/02 A matéria é dividida em quatro partes. Primeiro temos a sucessão em geral traz uma série regras que permeiam todo o conteúdo que será tratado nesta disciplina.

Leia mais

Inventário e Partilhas. Ozéias J. Santos 01.06.2015

Inventário e Partilhas. Ozéias J. Santos 01.06.2015 Inventário e Partilhas Ozéias J. Santos 01.06.2015 O Novo CPC disciplina o inventário e partilha nos artigos 610 a 673. A pessoa morrendo, deixando um patrimônio, este patrimônio deve ser destinado a alguém.

Leia mais

SÍNTESE DAS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELO CÓDIGO CIVIL

SÍNTESE DAS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELO CÓDIGO CIVIL SÍNTESE DAS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELO CÓDIGO CIVIL Rénan Kfuri Lopes As alterações trazidas pelo novo Código Civil têm de ser constantemente analisadas e estudadas, para que possamos com elas nos familiarizar.

Leia mais

PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO ASPECTOS DO DIREITO CIVIL E TRIBUTÁRIO

PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO ASPECTOS DO DIREITO CIVIL E TRIBUTÁRIO PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO ASPECTOS DO DIREITO CIVIL E TRIBUTÁRIO Ricardo Lacaz Martins 20/03/2012 Sumário da aula 1. Objetivos a serem alcançados com o Planejamento Sucessório 2. Regime de bens e sucessão

Leia mais

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO DA PESSOA FÍSICA. José Henrique Longo. IBCPF Março, 2015 LEGITIMIDADE DO PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO:

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO DA PESSOA FÍSICA. José Henrique Longo. IBCPF Março, 2015 LEGITIMIDADE DO PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO DA PESSOA FÍSICA José Henrique Longo IBCPF Março, 2015 LEGITIMIDADE DO PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: Capacidade Contributiva & Solidariedade Direito de Auto Organização Planejamento

Leia mais

SEÇÃO III DIREITO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL SUBSEÇÃO I DIREITO CIVIL 1. ARTIGOS 1.1 SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE E DO COMPANHEIRO NO NOVO CÓDIGO CIVIL

SEÇÃO III DIREITO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL SUBSEÇÃO I DIREITO CIVIL 1. ARTIGOS 1.1 SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE E DO COMPANHEIRO NO NOVO CÓDIGO CIVIL SEÇÃO III DIREITO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL SUBSEÇÃO I DIREITO CIVIL 1. ARTIGOS 1.1 SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE E DO COMPANHEIRO NO NOVO CÓDIGO CIVIL DIMAS MESSIAS DE CARVALHO Promotor de Justiça no Estado

Leia mais

ORIENTAÇÕES DIREITO CIVIL ORIENTAÇÕES CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO

ORIENTAÇÕES DIREITO CIVIL ORIENTAÇÕES CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO ORIENTAÇÕES DIREITO CIVIL ORIENTAÇÕES CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO IGUALDADE ENTRE SEXOS - Em conformidade com a Constituição Federal de 1988, ao estabelecer que "homens e mulheres são iguais em direitos e

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - UNIPAC FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS

UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - UNIPAC FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - UNIPAC FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS DIREITO CIVIL VIII DIREITO DAS SUCESSÕES QUADROS ESQUEMÁTICOS MARCOS ALVES DE ANDRADE BARBACENA JULHO DE 2007 Direito

Leia mais