Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008"

Transcrição

1 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Brasília DF 2009

2 SUMÁRIO LISTA DE TABELAS... 3 APRESENTAÇÃO... 5 APRESENTAÇÃO... 5 PROCESSO DE COLETA DOS DADOS... 6 PANORAMA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Instituições Cursos Graduação presencial Educação tecnológica Vagas, Ingressos, Concluintes e Matrículas Graduação presencial Educação tecnológica Educação a distância Funções docentes Principais considerações ANEXO TABELAS COMPLEMENTARES

3 LISTA DE TABELAS Tabela 1: Evolução do Número de Instituições, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a Tabela 2: Evolução do Número de Instituições, segundo a Organização Acadêmica - Brasil a Tabela 3: Instituições de Educação Superior, públicas e privadas, segundo a Organização Acadêmica - Brasil Tabela 4. Evolução do Número de Cursos de Graduação Presencial, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a Tabela 5. Evolução do Número de Cursos de Graduação Presencial, segundo a Organização Acadêmica - Brasil a Tabela 6. Evolução do Número de Cursos de Educação Tecnológica, segundo a Organização Acadêmica - Brasil a Tabela 7. Evolução do Número de Vagas na Graduação Presencial, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a Tabela 8. Evolução do Número de Vagas na Graduação Presencial, segundo a Organização Acadêmica - Brasil a Tabela 9. Evolução do Número de Vagas Ociosas na Graduação Presencial, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a Tabela 10. Evolução do Número de Vagas Ociosas na Graduação Presencial, segundo a Organização Acadêmica - Brasil a Tabela 11. Evolução da relação Candidatos/Vaga na Graduação Presencial, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a Tabela 12. Evolução do Número de Ingressos na Graduação Presencial, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a Tabela 13: Evolução do Número de Ingressos na Graduação Presencial, segundo a Organização Acadêmica - Brasil Tabela 14. Percentual do Número de Concluintes em relação ao Número de Ingressantes quatro anos antes na Graduação Presencial Tabela 15. Evolução do Número de Matrículas na Graduação Presencial, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a Tabela 16. Evolução do Número de Matrículas na Graduação Presencial, segundo a Organização Acadêmica - Brasil Tabela 17. Evolução do Número de Matrículas na Graduação Presencial por Categoria Administrativa, segundo a localização - Brasil Tabela 18. Evolução do Número de Matrículas na Graduação Presencial por Categoria Administrativa, segundo o Turno - Brasil Tabela 19. Evolução do Número de Vagas na Educação Tecnológica, segundo a categoria Administrativa - Brasil a Tabela 20. Evolução do Número de Vagas na Educação Tecnológica, segundo a Organização Acadêmica - Brasil a

4 Tabela 21. Evolução do Número de Inscritos em cursos de Educação Tecnológica, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a Tabela 22. Evolução do Número de Ingressos na Educação Tecnológica, segundo a Categoria Administrativa Brasil Tabela 23. Evolução do Número Concluintes na Educação Tecnológica, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a Tabela 24. Evolução do Número de Concluintes na Educação Tecnológica, segundo a Organização Acadêmica - Brasil Tabela 25. Evolução do Número de Matrículas na Educação Tecnológica, segundo a Categoria Administrativa - Brasil Tabela 26. Evolução do Número de Matrículas na Educação Tecnológica, segundo a Organização Acadêmica - Brasil Tabela 27. Evolução do Número de IES, Cursos, Vagas e Inscritos na Educação a Distância Brasil Tabela 28. Evolução do Número de Ingressos, Matrículas e Concluintes na Educação a Distância - Brasil Tabela 29. Evolução do Número de Docentes em Exercício, por Titulação - Brasil Tabela 30. Funções docentes em exercício, por Titulação e Organização Acadêmica - Brasil Tabela 31. Funções docentes (em exercício e afastados) por Regime de Trabalho e Organização Acadêmica - Brasil Tabela 32. Relação Alunos por função Docente, segundo a região - Brasil

5 APRESENTAÇÃO O Censo da Educação Superior, realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), coleta dados sobre a educação superior brasileira com o objetivo de oferecer aos dirigentes das instituições, aos gestores das políticas educacionais, aos pesquisadores e à sociedade em geral, informações detalhadas sobre a situação atual e as grandes tendências do setor. A coleta anual dessas informações tem por referência as diretrizes gerais previstas pelo Decreto No de 4 de abril de 2008 sobre o censo da educação superior. Essa atividade reúne dados sobre as Instituições de educação superior em suas diferentes formas de organização acadêmica e categorias administrativas; os cursos de graduação presenciais ou a distância; os cursos seqüenciais; as vagas oferecidas; as inscrições; as matrículas; os ingressos e concluintes, além de informações sobre as funções docentes. O presente resumo técnico tem por finalidade ser um dos instrumentos de divulgação do Censo 2008, apresentando a estrutura de coleta, sintetizando alguns resultados e antecipando algumas análises preliminares das séries históricas. Este documento está dividido em duas partes. A primeira expõe brevemente o processo de coleta dos dados. A segunda parte esboça um panorama da educação superior brasileira no ano de 2008 por meio da análise descritiva dos principais dados levantados, relativos à graduação presencial, à tecnológica e a modalidade a distancia. Além disso, o Resumo Técnico apresenta um anexo contendo tabelas complementares com os resultados das variáveis mais relevantes. Informações mais específicas do censo podem ser encontradas nas Sinopses dos Censos, publicadas anualmente e disponíveis na página do Inep (www.inep.gov.br). O Inep pretende, ao tornar públicos estes dados e divulgar uma análise preliminar dos mesmos, colaborar com todos aqueles que tenham interesse nas questões relativas à educação superior. 5

6 PROCESSO DE COLETA DOS DADOS A primeira etapa de coleta de dados do Censo de 2008 foi iniciada no dia 25 de março de 2009 e encerrada no dia 12 de junho, porém, de modo a permitir a complementação dos dados pelas IES, um novo período foi estabelecido entre 4 de agosto e 5 de setembro de O Inep preparou um questionário eletrônico que as Instituições de Educação Superior (IES), representadas por seu Pesquisador Institucional, utilizaram para o envio dos dados requeridos. Conforme estabelece o artigo 4º do Decreto 6425 de 4 de abril de 2008, O fornecimento das informações solicitadas por ocasião do censo da educação básica e da educação superior, bem como para fins de elaboração de indicadores educacionais, é obrigatório para todos os estabelecimentos públicos e privados de educação básica e para todas as instituições de educação superior, na forma do art. 9o, inciso V e 2o, da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de O instrumento de coleta foi composto por itens sobre as IES e seus respectivos cursos. Durante o período de preenchimento, os pesquisadores institucionais puderam fazer, a qualquer momento, alterações ou inclusões necessárias no conjunto de dados de suas respectivas instituições. Encerrado o prazo de preenchimento dos questionários eletrônicos, o sistema tornou-se indisponível e os dados foram colocados à disposição das IES, sob a forma de relatório, para consulta, validação ou correção das informações prestadas. Após esse período de validação ou correção, o Inep verificou a consistência das informações prestadas pelas instituições por meio de rotinas de testes na base de dados. Após uma última etapa de correções, efetivada em colaboração com os Pesquisadores Institucionais, o censo 2008 foi finalizado. Após a organização a 6

7 divulgação dos dados e publicação da Sinopse Estatística não é possível realizar qualquer alteração nas informações do censo, visto que as mesmas passam a figurar como estatísticas oficiais da educação superior. 7

8 PANORAMA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Nesta segunda parte serão apresentados os principais resultados do Censo da Educação Superior de 2008, comparados com os censos anteriores, organizados pelos seguintes eixos: 1. Instituições. 2. Cursos Graduação presencial Educação tecnológica. 3. Vagas, ingressantes, concluintes e matrículas Graduação presencial Educação tecnológica. 4. Educação a distância. 5. Funções docentes. 8

9 1. Instituições O Censo da Educação Superior de 2008 registrou a participação de IES no país, representando uma diminuição de 29 instituições em relação ao ano de Como é possível observar na tabela 1, houve uma inversão da tendência, observada até o ano de 2007, de aumento do número de IES. Tal diminuição pode ser explicada pela integração de instituições, por fusão ou compra, que também vem sendo registrada nos últimos anos. A queda 12,3% no número de Instituições Federais de Ensino é explicada pela criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia a partir da fusão de Centros Federais de Educação Tecnológica, em muitos casos. A única parte do país onde se verificou um acréscimo no número de IES foi a região Nordeste, com 10 instituições a mais do que em Cabe ressaltar que o declínio no número das IES, assim como em 2007, não se refletiu na oferta de vagas, número de ingressos, matrículas e concluintes, que mantiveram um crescimento semelhante aos dos anos anteriores como se constata no item 3 deste relatório. A distribuição de IES por categoria administrativa aproxima-se à verificada no ano anterior, com 90% de instituições privadas e 10% de instituições públicas, divididas entre federais (4,1%), estaduais (3,6%) e municipais (2,7%). É importante salientar que estão incluídas aqui todas as IES que oferecem cursos de graduação (presencial e a distância). Tabela 1: Evolução do Número de Instituições, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a

10 Pública Ano Total % Privada % Total % Federal % Estadual % Municipal % _ 195 _ 73 _ 65 _ 57 _ _ , , ,7 65 0,0 59 3, , , ,2 87 4, ,4 62 5, , , , ,5 75 0,0 59-4, , , , , ,7 60 1, , , , ,0 82-1,2 61 1, , , , ,3 82 0,0 61 0, ,8 De acordo com os dados da tabela 2, em relação à organização acadêmica, observa-se um incremento de 3,2% no número de centros universitários em relação a 2007 e um ligeiro decréscimo no número de faculdades. No entanto as faculdades (faculdades, escolas, institutos, faculdades integradas, centros federais de educação tecnológica e faculdades de tecnologia Decreto 5773/2006), conforme nos anos anteriores, mantiveram o predomínio, com quase estabelecimentos, correspondente a 86,4% do total de IES, enquanto as universidades e centros universitários respondem por 8,1% e 5,5%, respectivamente. Tabela 2: Evolução do Número de Instituições, segundo a Organização Acadêmica - Brasil a Ano Total % Universidades % Centros Universitários % Faculdades % _ 162 _ 77 _ _ , ,6 81 5, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,7 Conforme mostrado na tabela 3, a maior parte das faculdades (93,1%) e dos centros universitários (96%) está vinculada ao setor privado, enquanto as 10

11 universidades estão distribuídas em proporções semelhantes entre setor público e o privado, 53% e 47% respectivamente. É interessante ressaltar as diferenças existentes na conformação das redes públicas e privadas, no que se refere à organização acadêmica de suas IES. Enquanto 90% das IES do setor privado são faculdades, 6% são centros universitários e 4% são universidades, o setor público possui uma rede instalada assim distribuída: 57% de faculdades, 4% de centros universitários e 40% de universidades. Este dado é importante por destacar uma importante característica da rede de ensino superior público, qual seja a oferta de cursos de ensino superior em instituições mais complexas e que atuam nas áreas de ensino, pesquisa e extensão. Tabela 3: Instituições de Educação Superior, públicas e privadas, segundo a Organização Acadêmica - Brasil Organização Acadêmica N % N % N % N % N % N % N % Universidade Centro Universitário Faculdade Pública 78 48, , , , , , ,0 Privada 84 51, , , , , , ,0 Pública 3 3,9 3 3,7 3 2,8 3 2,6 4 3,4 4 3,3 5 4,0 Privada 74 96, , , , , , ,0 Pública 114 8, , , , , , ,9 Privada , , , , , , ,1 11

12 2. Cursos Graduação presencial. Este item aborda os resultados sobre o ensino de Graduação presencial que engloba a formação de bacharéis, licenciados e tecnólogos. A Educação Tecnológica presencial será tratada também nos itens 2.2. e 3.2, em uma análise específica. Com relação ao ensino presencial de graduação, foi registrado pelo Censo de 2008 o funcionamento de cursos em todo o Brasil, representando um aumento de 5,2% em relação a O menor crescimento no número de cursos se deu na região Norte (0,5%), embora outras regiões com baixo percentual de cobertura do ensino superior tenham apresentado crescimento acima da média brasileira, casos da região Nordeste (6,4%) e Centro-Oeste (7,5%), como demonstra a tabela 2.2 do anexo. Do mesmo modo que nos anos anteriores, as IES privadas foram responsáveis pela oferta do maior número de cursos em 2008, um total de Contudo, as instituições federais de ensino superior apresentaram novamente o maior crescimento relativo (6,8%) do número de cursos em relação a 2007 (tabela 4). Tabela 4. Evolução do Número de Cursos de Graduação Presencial, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a 2008 Ano Total % Pública Total % Federal % Estadual % Municipal % Privada % _ _ _ _ 380 _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,2 12

13 Observando por organização acadêmica, embora o maior crescimento relativo da oferta de cursos tenha se verificado entre os centros universitários (12,4%), as universidades continuam sendo responsáveis pela maior parte dos cursos existentes e, em 2008, gerenciaram cursos, isto é, quase a metade de toda a oferta de cursos de graduação presencial (tabela 5). Tabela 5. Evolução do Número de Cursos de Graduação Presencial, segundo a Organização Acadêmica - Brasil a Ano Total % Universidades % Centros Universitários % Faculdades % _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , Educação tecnológica. O Censo da Educação Superior 2008 revela que o ritmo de crescimento dos cursos de educação tecnológica foi ligeiramente menor do que o observado no ano anterior, ainda que nos centros universitários tenha sido registrado um incremento de 28,9%. Foram computados cerca de 650 novos cursos de educação tecnológica no Brasil, grande parte ofertados pelas faculdades (45,7%) seguidos pelas universidades (37,4%). Tabela 6. Evolução do Número de Cursos de Educação Tecnológica, segundo a Organização Acadêmica - Brasil a

14 Ano Total % Universidades % Centros Universitários % Faculdades % _ 164 _ 69 _ 403 _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,4 3. Vagas, Ingressos, Concluintes e Matrículas Graduação presencial. O número total de vagas ofertadas por processos seletivos na graduação presencial foi de em todo o Brasil, com a oferta vagas, que corresponde a um incremento de 5,7% em relação ao ano anterior. As instituições federais foram responsáveis pelo maior aumento proporcional de vagas oferecidas, equivalente ao dobro do crescimento total. As instituições públicas da rede federal registraram aumento de novas vagas em relação a 2007, conforme mostrado na tabela a seguir. Tabela 7. Evolução do Número de Vagas na Graduação Presencial, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a 2008, Ano Total % Pública Total % Federal % Estadual % Municipal % Privada % _ _ _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,9 14

15 Os dados do censo apontam para um aumento do número de vagas oferecidas pelas IES nos três tipo de organização acadêmica, com destaque para os centros universitários, que registraram um incremento de 9 % da oferta de vagas (tabela 8). 15

16 Tabela 8. Evolução do Número de Vagas na Graduação Presencial, segundo a Organização Acadêmica - Brasil a Ano Total % Universidades % Centros Universitários % Faculdades % _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,4 Destaca-se que o aumento do número de vagas oferecidas não foi acompanhado por um crescimento proporcional no número de ingressos por processos seletivos (ver tabelas 12 e 13), resultando no aumento das vagas ociosas em quase todas as categorias administrativas. Conforme dados da tabela 9, verificase que em todo o Brasil foram registradas vagas ociosas em relação ao número total de ingressos em 2008, sendo que as IES privadas respondem por 98% dessas vagas. Ainda que o crescimento do número de vagas ociosas tenha sido menor que nos últimos dois anos, e considerando se que a oferta de vagas deve refletir a capacidade instalada do setor para atender à demanda por cursos de graduação, é necessário verificar as razões que provocam a existência de tão grande número de vagas ociosas. Tabela 9. Evolução do Número de Vagas Ociosas na Graduação Presencial, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a

17 Ano Total % Pública Total % Federal % Estadual % Municipal % Privada % _ _ _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,0 De acordo com a tabela 10, pode-se verificar que em 2008 o maior aumento percentual no número de vagas ociosas em relação a 2007 ocorreu nos centros universitários (15,7%), seguido pelas universidades (9,5%). A maior concentração de vagas ociosas está no setor privado. Nas IES públicas, o percentual de vagas ociosas foi de 1,7% nos centros universitários, 2,3% nas faculdades e 3% nas universidades. Tabela 10. Evolução do Número de Vagas Ociosas na Graduação Presencial, segundo a Organização Acadêmica - Brasil a Ano Total % Universidades % Centros Universitários % Faculdades % _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,7 Concorreram para as vagas totais do ensino superior, candidatos no ano de A maior razão de candidatos por vagas foi observada nas IES publicas estaduais e federais, com média de 8,8 candidatos por vaga nas primeiras e 8,1 nas segundas, conforme aponta a tabela 11. Nos últimos anos é possível observar uma queda nessa concorrência em todas as categorias administrativas, à exceção das IES estaduais. 17

18 Tabela 11. Evolução da relação Candidatos / Vaga na Graduação Presencial, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a 2008 Ano Total % Pública Total % Federal % Estadual % Municipal % Privada % ,81 _ 8,90 _ 9,93 _ 9,95 _ 2,00 _ 1,60 _ ,45-13,0 8,42-5,4 10,45 5,2 9,07-8,8 1,74-12,9 1,47-7, ,18-11,0 7,88-6,4 10,39-0,6 8,04-11,3 1,61-7,9 1,30-11, ,08-4,6 7,36-6,6 9,98-3,9 7,39-8,1 1,46-9,4 1,30-0, ,97-5,2 7,10-3,6 8,86-11,1 7,84 6,0 1,37-6,1 1,23-5, ,84-6,7 6,96-2,0 8,33-6,1 8,10 3,3 1,30-4,8 1,16-5, ,85 0,6 7,13 2,5 8,01-3,8 8,78 8,4 1,29-0,9 1,17 0,6 O censo da educação superior de 2008 registrou o ingresso de novos alunos, confirmando a continuidade do crescimento observado nos últimos anos, ainda que em ritmo menor. As IES privadas foram responsáveis por 79,6% desses ingressos. Entre as IES públicas, observou-se uma diminuição de 10,4% do número de ingressos das instituições municipais. Contudo, as IES estaduais registraram incremento de 2% e as instituições federais um aumento de 6,9% de ingressos em relação a Dessa forma, as IES federais foram responsáveis por mais da metade (52,7%) do total de ingressos em instituições públicas, como mostrado na tabela 12. Tabela 12. Evolução do Número de Ingressos na Graduação Presencial, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a 2008 Ano Total % Pública Total % Federal % Estadual % Municipal % Privada % _ _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,3 De acordo com o tipo de organização acadêmica, nota-se que nas faculdades houve um aumento percentual no número de ingressos em relação ao ano de 2007 da ordem de 4%, nos centros universitários o aumento foi de 1,7% 18

19 enquanto as universidades registraram uma diminuição de 0,3% de ingressos em relação ao ano anterior (tabela 13). 19

20 Tabela 13: Evolução do Número de Ingressos na Graduação Presencial, segundo a Organização Acadêmica - Brasil Ano Total % Universidades % Centros Universitários % Faculdades % _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,0 A diminuição na taxa de evasão de alunos é um dos objetivos propostos pelo Plano Nacional de Educação (PNE) para o ensino superior. Embora ainda não existam dados que permitam o cálculo específico da taxa de evasão no ensino superior, é possível, com base nos dados do Censo da Educação Superior, utilizar um outro indicador que trata, ainda que indiretamente, das perdas do ensino superior. Trata-se da taxa de conclusão. Embora este seja um indicador mais associado à produtividade do ensino superior, a taxa de conclusão, calculada pela razão entre o número de concluintes de um ano e o de ingressantes quatro anos antes, apresentou pouca variação no período recente. No ano de 2008, o percentual de concluintes em relação aos ingressantes de 2005 foi de 57,3%. Taxas mais altas que a taxa de conclusão total foram observadas entre os alunos das instituições federais (67%) seguidos pelos alunos das instituições estaduais (64,3%) e das municipais (61,2%). As instituições privadas continuam a apresentar as menores taxas de conclusão nos cursos de graduação presencial, como mostrado na tabela

21 Tabela 14. Percentual do Número de Concluintes em relação ao Número de Ingressantes quatro anos antes na Graduação Presencial Concluintes/ingressos (%) Ano Total Público Total Federal Estadual Municipal Privada ,2 69,5 69,0 76,2 52,5 55, ,9 72,6 71,8 71,3 81,5 54, ,4 82,7 72,7 95,9 79,8 53, ,6 69,7 70,2 69,9 67,3 56, ,3 68,6 69,4 70,3 60,6 55, ,1 67,4 72,6 63,8 62,4 55, ,3 65,0 67,0 64,3 61,2 55,3 O número total de matrículas na educação superior cresceu 4,1% em 2008 (tabela 15), mantendo o ritmo dos últimos dois anos. Como observado em relação aos ingressos, verifica-se que a maior parte das matrículas, cerca de 3,8 milhões (74,9%) pertencem às instituições privadas, que registraram aumento de 4,6% em relação ao ano anterior. As demais matrículas estão distribuídas em IES federais, estaduais e municipais, e correspondem a 12,7%, 9,7% e 2,8% do total, respectivamente. Tabela 15. Evolução do Número de Matrículas na Graduação Presencial, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a 2008 Ano Total % Pública Total % Federal % Estadual % Municipal % Privada % _ _ _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,6 21

22 Nas universidades foi registrado um aumento no número de matrículas na ordem de 1,6%. O maior crescimento de matrículas deu-se entre os centros universitários e faculdades com 5,8% e 7,6% de aumento, respectivamente (tabela 16). Tabela 16. Evolução do Número de Matrículas na Graduação Presencial, segundo a Organização Acadêmica - Brasil Ano Total % Universidades % Centros Universitários % Faculdades % _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,6 Dois aspectos merecem ser destacados em relação ao total de matrículas de O primeiro é o aumento no número de matrículas em cidades do interior em instituições federais. Nessas instituições, de acordo com os dados do censo mostrados na tabela 17, foi registrado um aumento de 10,1% em matrículas fora das capitais brasileiras, em relação a Tabela 17. Evolução do Número de Matrículas na Graduação Presencial por Categoria Administrativa, segundo a localização - Brasil Pública Ano e localização Total % Privada Total % Federal % Estadual % Municipal % % 2007 Total , , , , , ,0 Capital , , , , , ,9 Interior , , , , , , Total , , , , , ,6 Capital , , , , , ,8 Interior , , , , , ,5 22

23 O segundo aspecto é o aumento da proporção de matrículas em período noturno. O crescimento das matrículas nesse turno, em relação ao ano de 2007, foi de 5,7%. O maior crescimento foi observado nas instituições privadas (6,0%) e nas instituições federais (5,9%), conforme a tabela que se segue: Tabela 18. Evolução do Número de Matrículas na Graduação Presencial por Categoria Administrativa, segundo o Turno - Brasil Pública Ano e localização Total % % Privada % Total % Federal % Estadual % Municipal 2007 Total , , , , , ,0 Diurno , , , , , ,6 Noturno , , , , , , Total , , , , , ,6 Diurno , , , , , ,2 Noturno , , , , , , Educação tecnológica Em 2008 foram ofertadas vagas nos cursos de Educação Tecnológica (tabela 19), significando um acréscimo de 17,8% em relação a As IES privadas foram responsáveis por mais de 90% dessa oferta. Tabela 19. Evolução do Número de Vagas na Educação Tecnológica, segundo a categoria Administrativa - Brasil a

24 Pública Ano Total % Privada % Total % Federal % Estadual % Municipal % _ _ _ _ 601 _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,0 Segundo a organização acadêmica, é possível observar que os centros universitários apresentaram maior crescimento na oferta de vagas de Educação Tecnológica. Foram vagas a mais em 2008 e um crescimento de 36,2% em relação a 2007 (tabela 20). Embora apresentem um crescimento menor, as vagas nas Faculdades ainda são preponderantes e representam 44% do total de vagas da Educação Tecnológica. Tabela 20. Evolução do Número de Vagas na Educação Tecnológica, segundo a Organização Acadêmica - Brasil a Ano Total % Universidades % Centros Universitários % Faculdades % _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,2 Em 2008, as IES privadas registraram um aumento de 19,9% no número de inscritos e foram responsáveis pelo acréscimo de 12,2% no total de inscritos em cursos tecnológicos no Brasil. As IES públicas, nas diversas categorias administrativas, apresentaram redução no número de inscritos. Os cursos tecnológicos das IES federais apresentaram a maior concorrência, com média de 5,8 candidatos para cada vaga. 24

25 Tabela 21. Evolução do Número de Inscritos em cursos de Educação Tecnológica, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a Ano Total % Pública Total % Federal % Estadual % Municipal % Privada % _ _ _ _ 948 _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,0 O número de ingressos em cursos de educação tecnológica apresentou um crescimento de 16,4% em relação ao ano de Como aponta a tabela 22, em todas as categorias administrativas verifica-se aumento no número de ingressantes, com exceção das IES municipais que apresentaram um decréscimo de 2% em relação ao ano anterior. Tabela 22. Evolução do Número de Ingressos na Educação Tecnológica, segundo a Categoria Administrativa Brasil Ano Total % Pública Total % Federal % Estadual % Municipal % Privada % _ _ _ _ 531 _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,3 O número de concluintes nos cursos de Educação Tecnológica também aumentou entre 2007 e 2008, quando foram registrados concluintes, ou seja, 21,4% de crescimento no período, como exposto na tabela

26 Tabela 23. Evolução do Número Concluintes na Educação Tecnológica, segundo a Categoria Administrativa - Brasil a Ano Total % Pública Total % Federal % Estadual % Municipal % Privada % _ _ _ _ 130 _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,8 Os centros universitários apresentaram o maior percentual de crescimento do número de concluintes (34,5%), seguidos pelas universidades (22,1%) e faculdades (16,1%) (tabela 24). 26

27 Tabela 24. Evolução do Número de Concluintes na Educação Tecnológica, segundo a Organização Acadêmica - Brasil Ano Total % Universidades % Centros Universitários % Faculdades % _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,1 O censo de 2008 registrou matrículas nesse segmento, correspondendo a um aumento de 18,7% em relação a O maior número de matrículas, , encontra-se nas instituições privadas e representa 83,3% do total de matrículas em cursos de educação tecnológica do país (tabela 25). Tabela 25. Evolução do Número de Matrículas na Educação Tecnológica, segundo a Categoria Administrativa - Brasil Ano Total % Pública Total % Federal % Estadual % Municipal % Privada % _ , _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,0 Quanto ao tipo de organização acadêmica (tabela 26), as faculdades, com , e as universidades, com , dividem a maior parte do total de matrículas na educação tecnológica. Embora os centros universitários tenham registrado o menor número de matrículas, os mesmos apresentaram o maior crescimento em relação a

28 (39,1%), seguidos pelas faculdades (16,4%) e pelas universidades, com um crescimento de 14,4. Tabela 26. Evolução do Número de Matrículas na Educação Tecnológica, segundo a Organização Acadêmica - Brasil Ano Total % Universidades % Centros Universitários % Faculdades % _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,4 4. Educação a distância. De acordo com os dados do Censo, 115 instituições ofereceram, em 2008, cursos de graduação a distância. São 18 IES a mais em relação às registradas no ano de É possível observar (tabela 27) que o número de cursos de graduação a distância aumentou de maneira significativa nos últimos anos. Comparado ao ano de 2007, foram criados 239 novos cursos, representando um aumento de 58,6% no período. O número de vagas oferecidas em 2008 registrou um aumento de 10,3%, ou seja, uma oferta de vagas a mais. O crescimento no número de vagas da educação a distância deu prosseguimento a um aumento que se observa desde Nesse período registrou-se uma variação de mais de 70 vezes no número de vagas ofertadas. Outro aspecto que se destaca é a razão entre inscritos e vagas, enquanto em 2007 foram registrados 0,35 candidatos para cada vaga, no ano seguinte essa relação foi de 0,41. 28

29 29

30 Tabela 27. Evolução do Número de IES, Cursos, Vagas e Inscritos na Educação a Distância Brasil Ano IES % Cursos % Vagas % Inscritos % _ 46 _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,8 Com relação ao ano de 2007, o total de ingressantes apresentou um aumento de 42,2% em 2008 (tabela 28). O total de matrículas apresentou um crescimento alto nos últimos anos e, em 2008, chegou ao número de matrículas, quase dobrando o número de matrículas em relação ao ano anterior. O número de matrículas em cursos a distância representa 14,3% do total das matrículas dos cursos de graduação, incluindo os presenciais. No ano de 2007, esse percentual esteve em torno dos 7%. A quantidade de concluintes em educação a distância também apresentou um forte aumento de 135% em relação ao ano de Tabela 28. Evolução do Número de Ingressos, Matrículas e Concluintes na Educação a Distância - Brasil Ano Ingressos % Matrículas % Concluintes % _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , ,0 30

31 5. Funções docentes A categoria funções docentes está relacionada aos docentes declarados pelas IES às quais estão vinculados. Portanto, é importante destacar que o número de funções docentes não corresponde, necessariamente, ao número de docentes, já que profissionais que trabalham em mais de uma instituição são declarados no censo por todas as IES nas quais exercem alguma função e, dessa forma, há a possibilidade de múltipla contagem de um mesmo docente. A quantidade de funções docentes em exercício no Brasil cresceu em Nesse ano foram observadas funções docentes no ensino superior, um acréscimo de em comparação com 2007, ou seja, de 1,4%. Quanto ao tipo de qualificação observado, verificou-se uma redução de 1% nas funções docentes com titulação até especialização, enquanto nas de mestres foi registrado um aumento de 1,4%. O maior crescimento foi registrado entre doutores, com 5,5% a mais do que em 2007 (tabela 29). Decorrente desse aumento, o percentual de doutores em relação ao total de funções docentes no ensino superior brasileiro subiu de 23% no ano de 2007 para 24% no ano seguinte. Tabela 29. Evolução do Número de Docentes em Exercício, por Titulação - Brasil Ano Total % Titulação Até especialização % Mestrado % Doutorado % _ _ _ _ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,5 31

32 Ainda em relação à titulação, os dados do censo apresentados na tabela 30 mostram que a maior proporção de funções docentes com nível de doutorado (36,8%) é observada nas universidades, enquanto nas faculdades predominam as funções docentes com titulação até especialização, cerca de 52,6%. Tabela 30. Funções docentes em exercício, por Titulação e Organização Acadêmica - Brasil Total Universidades Centros Universitários Faculdades Titulação Nº % Nº % Nº % Nº % Total Até Especialização , , , ,6 Mestrado , , , ,1 Doutorado , , , ,2 Quanto ao regime de trabalho, o Censo de 2008 aponta um predomínio de funções docentes em regime de hora-aula (40,5%), conforme mostrado na tabela 31. Ao se analisar as IES por organização acadêmica, observa-se entre as faculdades uma presença ainda maior de funções docentes com esse regime laboral (63,2%). As universidades apresentam a menor proporção de funções docentes com regime de hora-aula (21,9%) e a maior proporção de professores em tempo integral (57,9%). Tabela 31. Funções docentes (em exercício e afastados) por Regime de Trabalho e Organização Acadêmica - Brasil Regime de Total Universidades Centros Universitários Faculdades Trabalho Nº % Nº % Nº % Nº % Total Integral , , , ,4 Parcial , , , ,4 Hora-aula , , , ,2 32

33 Conforme aponta a tabela 32, os dados do censo mostram que a razão de alunos por função docente é semelhante em todas as regiões do Brasil, variando de 14,6 (região Sul) a 16,8 (região Norte), com média aproximada de 15,8 alunos por função docente no País. 33

34 Tabela 32. Relação Alunos por função Docente, segundo a região - Brasil Ano Brasil % Norte % Nordeste % Sudeste % Sul % Centro- Oeste ,3 _ 21,6 _ 15,6 _ 14,6 _ 15,0 _ 16,6 _ ,3 0,1 22,0 2,0 15,5-0,8 14,7 0,8 14,6-2,6 16,8 1, ,9-2,4 19,1-13,3 14,8-4,7 14,7 0,0 14,0-3,6 16,1-4, ,2 2,0 18,6-2,7 14,5-2,0 15,5 5,0 14,4 2,7 15,4-4, ,5 1,7 18,1-2,3 15,1 4,3 15,7 1,7 14,6 1,5 15,2-1, ,4-0,6 17,1-6,0 14,5-3,5 16,1 2,2 14,3-2,3 14,8-2, ,8 2,6 16,8-1,5 14,9 2,4 16,5 2,6 14,6 2,1 15,7 6,4 % 34

35 6. Principais considerações. O Censo da Educação Superior 2008 revelou aspectos importantes da atual situação da Educação Superior brasileira, dentre os quais se destacam os seguintes: 1. Nas Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) houve um incremento de novas vagas na graduação presencial e a distancia, ou 12,2% em relação a Como conseqüência, a quantidade de candidatos por vaga diminuiu nessas instituições. 2. Em 2008, novos alunos ingressaram na Educação Superior, 8,5% a mais em relação a O número de matrículas em 2008 foi 10,6% maior em relação a 2007, com um total de alunos matriculados em cursos de graduação presencial e a distância. 4. Esses dados de matrícula se aproximam dos resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a PNAD 2008, pessoas freqüentaram cursos de graduação no Brasil. A diferença de apenas alunos entre os resultados das duas pesquisas pode ser atribuída à utilização de distintas metodologias e em razão do censo de educação superior não incluir matrículas em cursos seqüenciais de formação específica no total de matrículas citado. 5. O censo 2008 revelou um aumento de 10,1% no número das matrículas em graduação presencial vinculado a instituições federais (IFES) em cidades do interior. 6. Houve uma redução de 29 IES em funcionamento no Brasil em relação ao ano anterior, finalizando a tendência de crescimento verificada em anos anteriores. Tal diminuição pode ser explicada pela integração de instituições, por fusão ou compra, observada nos últimos anos. De fato, a criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, em muitos casos, se deu a partir da fusão de Centros Federais de Educação Tecnológica. Essa redução não se refletiu 35

36 diretamente no ritmo de crescimento do número de vagas, inscritos, ingressos e matrículas. 7. Com relação à organização acadêmica, as faculdades continuam representando a maior parte das IES no Brasil e cerca de 93% delas pertencem ao setor privado. No entanto, 53% dos alunos de graduação presencial estudam em universidades, 33% em faculdades e 14% em centros universitários. 8. Houve um incremento de (5,2%) novos cursos de graduação presencial nas IES brasileiras e apenas as IES estaduais não registraram crescimento em relação a 2007, com um decréscimo de 1,6% nos cursos ofertados. 9. Do mesmo modo, houve o aumento de 7,3% (cerca de 319 mil) no número de vagas ofertadas em graduação presencial e a distância. As Instituições privadas foram responsáveis pela oferta de cerca de 4 milhões de vagas em 2008, apresentando aumento de 4% em relação a Em 2008 foram ofertadas vagas nos cursos de Educação Tecnológica, com um aumento de 17,8% em relação a As IES privadas são responsáveis por cerca de 94% dessa oferta. 11. Na graduação a distância, 115 instituições ofereceram 647 cursos em As matrículas na modalidade de ensino a distância aumentaram 96,9% em relação ao ano anterior e, em 2008, passaram a representar 14,3% do total de matrículas no ensino superior. Além disso, o número de concluintes em EAD cresceu 135% em 2008, comparado a A quantidade de funções docentes em exercício no Brasil cresceu em Nesse ano foram observadas funções docentes no ensino superior, um acréscimo de em comparação com 2007, ou seja, de 1,4%. 36

37 ANEXO TABELAS COMPLEMENTARES As tabelas desta sessão apresentam um número maior de informações com o objetivo de servir àqueles que pretendem realizar análises mais aprofundadas. Os tópicos são os seguintes: 1. Instituições 2. Cursos 3. Vagas 4. Inscritos 5. Ingressos 6. Matrículas 7. Concluintes 8. Docentes 9. Estatísticas básicas e indicadores Os blocos de tabelas são organizados, sempre que possível, em uma seqüência padronizada e em séries históricas de ou Dados mais específicos estão disponíveis na Sinopse Estatística do Censo da Educação Superior de 2008, publicada na página do Inep (www.inep.gov.br). 37

38 1. INSTITUIÇÕES Tabela 1.1. Evolução do Número de Instituições de Educação Superior, por Região e Unidade da Federação - Brasil UF Brasil N RO AC AM RR PA AP TO NE MA PI CE RN PB PE AL SE BA SE MG ES RJ SP S PR SC RS C.O MS MT GO DF

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2007

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2007 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2007 Brasília DF 2009 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO.... 3 PROCESSO DE COLETA

Leia mais

MEC. Censo da Educação Superior 2014

MEC. Censo da Educação Superior 2014 MEC Censo da Educação Superior 2014 BRASÍLIA DF 04 DE DEZEMBRO DE 2015 Tabela Resumo Estatísticas Gerais da Educação Superior Brasil 2014 Categoria Administrativa Estatísticas Básicas Total Geral Pública

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR DE 2009

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR DE 2009 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR DE 2009 Brasília DF 2010 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 PROCESSO DE COLETA

Leia mais

Educação baseada em evidências

Educação baseada em evidências Educação baseada em evidências Textos para discussão Resultados do ENEM 2013 Texto 2015-01 Abril 2015 APRESENTAÇÃO Textos para discussão do apresentam dados, análise e evidências para informar o público

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010 1 CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010 O Censo da Educação Superior, realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), constitui se em importante instrumento

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010 CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010 Divulgação dos principais resultados Censo da Educação Superior 2010 Outubro de 2011 Estatísticas Básicas de Graduação (presencial e a distância) e Pós-Graduação por Categoria

Leia mais

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério das Comunicações Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD Suplementar 2013 Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular

Leia mais

Censo Nacional das Bibliotecas Públicas P

Censo Nacional das Bibliotecas Públicas P Ministério da Cultura Secretaria de Articulação Institucional Diretoria de Livro, Leitura e Literatura Fundação Biblioteca Nacional Sistema Nacional de Bibliotecas PúblicasP Censo Nacional das Bibliotecas

Leia mais

Censo da Educação Superior 2011

Censo da Educação Superior 2011 Censo da Educação Superior 2011 Quadro Resumo - Estatísticas Gerais da Educação Superior por Categoria Administrativa Categoria Administrativa Estatísticas Básicas Total Geral Pública Total Federal Estadual

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior 2013

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior 2013 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Censo da Educação Superior 2013 Quadro Resumo- Estatísticas gerais da Educação Superior, por Categoria Administrativa-

Leia mais

RELATÓRIO DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO PANORAMA DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO - ANO 2011

RELATÓRIO DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO PANORAMA DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO - ANO 2011 RELATÓRIO DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO PANORAMA DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO - ANO 2011 Março 2012 SUMÁRIO I - EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE COOPERATIVAS, COOPERADOS E EMPREGADOS, 3 II - ANÁLISE POR RAMO, 8 2.1

Leia mais

Tecnológicos Corpo docente Atendimento especial Licenciaturas Educação a distância Graduações mais procuradas -

Tecnológicos Corpo docente Atendimento especial Licenciaturas Educação a distância Graduações mais procuradas - Matrículas no ensino superior crescem 3,8% Texto-síntese do portal no INEP (http://portal.inep.gov.br/visualizar/-/asset_publisher/6ahj/content/matriculas-no-ensino-superior-crescem-3-8? redirect=http%3a%2f%2fportal.inep.gov.br%2f)

Leia mais

Evolução demográfica 1950-2010

Evolução demográfica 1950-2010 Evolução demográfica 195-1 37 A estrutura etária da população brasileira em 1 reflete as mudanças ocorridas nos parâmetros demográficos a partir da segunda metade do século XX. Houve declínio rápido dos

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

BANCO DE DADOS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EM SAÚDE BEPSAÚDE TECNÓLOGO

BANCO DE DADOS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EM SAÚDE BEPSAÚDE TECNÓLOGO Fundação Oswaldo Cruz Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Laboratório do Trabalho e da Educação Profissional em Saúde Observatório dos Técnicos em Saúde BANCO DE DADOS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

Ministério da Educação Censo da Educação Superior 2012

Ministério da Educação Censo da Educação Superior 2012 Ministério da Educação Censo da Educação Superior 2012 Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Quadro Resumo- Estatísticas Gerais da Educação Superior por Categoria Administrativa - - 2012 Categoria

Leia mais

A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO

A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO COM BASE NA LEI Nº 11738 DO PISO NACIONAL NA SUA FORMA ORIGINAL

Leia mais

INSTITUIÇÕES. Total Pública Privada 2.165 2.013 1.859

INSTITUIÇÕES. Total Pública Privada 2.165 2.013 1.859 CENSO 2005 INSTITUIÇÕES 1.859 2.013 2.165 89% 89% 89% Total Pública Privada 2.165 Instituições 231 Públicas 1.934 Privadas 97 Federais 1.520 Particulares 75 Estaduais 414 Com/Conf./Fil 59 Municipais !"#$%&'

Leia mais

O panorama do mercado educativo em saúde no Brasil

O panorama do mercado educativo em saúde no Brasil Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH O panorama do mercado educativo em saúde no Brasil Como consequência de políticas governamentais implementadas com o objetivo

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar Parcerias: PeNSE 1. Introdução Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar O IBGE, em parceria com o Ministério da Saúde e da Educação realizará, em 2015, a 3ª edição da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Janeiro de 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Janeiro de 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2009 Janeiro de 2011 PRINCIPAIS RESULTADOS - CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR GRADUAÇÃO

Leia mais

BRASILEIROS VÃO INVESTIR 13,5% A MAIS COM EDUCAÇÃO EM 2012

BRASILEIROS VÃO INVESTIR 13,5% A MAIS COM EDUCAÇÃO EM 2012 1 BRASILEIROS VÃO INVESTIR 13,5% A MAIS COM EDUCAÇÃO EM 2012 Antônio Eugênio Cunha* O brasileiro vai investir 13,5% a mais com educação em 2012 relativo ao ano anterior. Este é o levantamento divulgado

Leia mais

Acesso e permanência no Ensino Superior. Mozart Neves Ramos mozart@ias.org.br

Acesso e permanência no Ensino Superior. Mozart Neves Ramos mozart@ias.org.br Acesso e permanência no Ensino Superior Mozart Neves Ramos mozart@ias.org.br 1. Cenário atual e futuro 2. O que pode (e deve) mudar com o Enem 2.1. Ensino Médio e o Ciclo Básico das IES 2.2. SISU x Aumento

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2013 % Jan a Dez 2013 x Jan a Dez 2012 Morte 60.752 1 54.767 9% - Invalidez Permanente 352.495 69% 444.206 70% 2 Despesas Médicas (DAMS) 94.668 19% 134.872

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Diretoria Políticas de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos maio 2015 PANORAMA DA EDUCAÇÃO DE JOVENS

Leia mais

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil Número 24 Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 29 de julho de 2009 COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 2 1. Apresentação Este

Leia mais

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em 1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em discussão na Câmara dos Deputados (PL 8.035/2010). Até o

Leia mais

O Plano nacional de Educação e a Expansão da Educação Superior

O Plano nacional de Educação e a Expansão da Educação Superior O Plano nacional de Educação e a Expansão da Educação Superior Luiz Cláudio Costa Brasília - novembro 2012 Contexto Indicadores de acompanhamento: taxa líquida: percentual da população de 18-24 anos na

Leia mais

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação no Brasil Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação Infantil Taxas de atendimento Creches 36,3 23,6 9,4 12,2 Brasil Carinhoso: 2,8 milhões de

Leia mais

Integração dos sistemas PingIFES e Censup. Dourados, 01/11/2013

Integração dos sistemas PingIFES e Censup. Dourados, 01/11/2013 Integração dos sistemas PingIFES e Censup Dourados, 01/11/2013 Contextualização O Censo da Educação Superior é um levantamento de dados sobre a educação superior no Brasil, anual e sistemático, gerado

Leia mais

TRANSPORTE ESCOLAR PROGRAMAS DE APOIO DO GOVERNO FEDERAL

TRANSPORTE ESCOLAR PROGRAMAS DE APOIO DO GOVERNO FEDERAL TRANSPORTE ESCOLAR PROGRAMAS DE APOIO DO GOVERNO FEDERAL PAULO DE SENA MARTINS Consultor Legislativo da Área XV Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia MAIO/2008 Paulo de Sena Martins 2 2008

Leia mais

Panorama da Educação em Enfermagem no Brasil

Panorama da Educação em Enfermagem no Brasil Panorama da Educação em Enfermagem no Brasil Rede ABEn de Pesquisa em Educação em Enfermagem GT EDUCAÇÃO 2012 Portaria Nº 17/2012 Realizar a Pesquisa Panorama da Formação em Enfermagem no Brasil no período

Leia mais

Relatório de Curso ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES JORNALISMO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA FLORIANÓPOLIS

Relatório de Curso ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES JORNALISMO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA FLORIANÓPOLIS Relatório de Curso ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES JORNALISMO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA FLORIANÓPOLIS Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais G O V E

Leia mais

Brasília, agosto de 2012.

Brasília, agosto de 2012. Brasília, agosto de 2012. Contas de Governo Cap. 4 (Análise Setorial) Execução do gasto Orçamentário (OFSS + RPNP) Gasto tributário (renúncia de receita) Resultado da atuação governamental no exercício

Leia mais

FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME. Belo Horizonte, 3 de abril de 2013.

FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME. Belo Horizonte, 3 de abril de 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME MINAS GERAIS Belo Horizonte, 3 de abril de 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ALINHAMENTO DOS PLANOS MUNICIPAIS E ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO AO PNE SECRETARIA DE ARTICULAÇÃO

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

Metas do PNE para a educação e os impactos no seu financiamento: o Fundeb e as matrículas nas creches

Metas do PNE para a educação e os impactos no seu financiamento: o Fundeb e as matrículas nas creches 15 Metas do PNE para a educação e os impactos no seu financiamento: o Fundeb e as matrículas nas creches 1. Competências de Estados e Municípios e os investimentos em educação no País O sistema educacional

Leia mais

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social COMENTÁRIOS ACERCA DOS NÚMEROS FINAIS DO PIB DO RS E DAS DEMAIS UNIDADES DA FEDERAÇÃO EM 2010 Equipe

Leia mais

Censo da Educação Superior 2010: análise crítica dos resultados para a tomada de decisões estratégicas

Censo da Educação Superior 2010: análise crítica dos resultados para a tomada de decisões estratégicas Censo da Educação Superior 2010: análise crítica dos resultados para a tomada de decisões estratégicas 6 de dezembro de 2011 Sumário Apresentação Coleta Principais conceitos CICQES Apresentação Disposição:

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL

POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL (arquivo da Creche Carochinha) Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil é dever do Estado e direito de todos, sem qualquer

Leia mais

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO Resumo Executivo Pesquisa 2014 APRESENTAÇÃO Pelo terceiro ano consecutivo, o CBCA Centro Brasileiro da Construção em Aço e a ABCEM Associação Brasileira da Construção

Leia mais

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Objetivo e principais componentes Objetivo O PNAIC é um programa integrado cujo objetivo é a alfabetização em Língua Portuguesa e Matemática, até o

Leia mais

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS APRESENTAÇÃO POPULAÇÃO CARCERÁRIA BRASILEIRA O objetivo deste trabalho, elaborado pela Comissão de Monitoramento e Avaliação do DEPEN, é realizar um levantamento, de forma sucinta, sobre o quadro evolutivo

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES Brasília, janeiro/2011 Objetivos específicos da pesquisa 2 Avaliar a quantidade e a qualidade da rede credenciada. Avaliar os serviços oferecidos: o Plano CASSI Família

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

Cursos Sequenciais no Brasil: Uma nota técnica Nota Técnica nº. 83 David Morais (Versão preliminar) Maio de 2009

Cursos Sequenciais no Brasil: Uma nota técnica Nota Técnica nº. 83 David Morais (Versão preliminar) Maio de 2009 Cursos Sequenciais no Brasil: Uma nota técnica Nota Técnica nº. 83 David Morais (Versão preliminar) Maio de 2009 O Observatório Universitário dedica-se ao desenvolvimento de estudos e projetos sobre a

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO 552 PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO Silvio Carvalho Neto (USP) Hiro Takaoka (USP) PESQUISA EXPLORATÓRIA

Leia mais

Base Populacional do Território

Base Populacional do Território ORGÃO GESTOR - Sistema de Educação Ambiental Pesquisas Projetos EA Órgão Gestor / Comitê Assessor CIEAs / Redes de EA Fomento a projetos SIBEA PNE Coletivos Educadores Com-vida Comunicação CNIJMA Coletivos

Leia mais

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR 8 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR Secretaria de Vigilância em Saúde/MS 435 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA/COR MORTALIDADE POR CAUSAS EXTERNAS Evolução da mortalidade por causas externas

Leia mais

Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL

Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL JUSTIFICATIVA A experiência na implementação da primeira versão do Programa Contabilizando o Sucesso

Leia mais

Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Principais aspectos

Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Principais aspectos INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Principais aspectos XIX SEMINÁRIO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2003 Resumo Técnico Instituto

Leia mais

Ciências Biológicas. Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH

Ciências Biológicas. Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH Ciências Biológicas Os cursos de Ciências Biológicas remontam aos cursos de Ciências Naturais, História Natural, licenciatura

Leia mais

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Um total de 131 municípios da região Norte participou do Levantamento Nacional do Transporte Escolar. No Acre, 36% dos municípios responderam

Leia mais

Biomedicina. Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH

Biomedicina. Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH Biomedicina O curso de Biomedicina teve seu início na década de 50, como pós-graduação para formação de profissionais para

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Diretoria de Estatísticas Educacionais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Diretoria de Estatísticas Educacionais Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Diretoria de Estatísticas Educacionais RESULTADO DO CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2009 O Censo Escolar, realizado anualmente pelo

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Disque Denúncia Nacional: DDN 100

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Disque Denúncia Nacional: DDN 100 Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças

Leia mais

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP. Ministério da Educação MEC

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP. Ministério da Educação MEC 01) Qual o seu estado civil? A) Solteiro(a). B) Casado(a). C) Separado(a)/desquitado(a)/divorciado(a). D) Viúvo(a). E) Outro. 02) Como você se considera? A) Branco(a). B) Negro(a). C) Pardo(a)/mulato(a).

Leia mais

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília Apresentação do IDConselho Municipal Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília 5.366 Conselhos Municipais que preencheram o Censo SUAS 2014 Dinâmica de

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

Quantidade de pedidos registrados por mês

Quantidade de pedidos registrados por mês Relatório de Pedidos de Acesso à Informação e Solicitantes (*) Informações adicionais para o correto entendimento do relatório podem ser encontradas na última seção. Órgão(s) de referência: MinC - Ministério

Leia mais

Foz do Iguaçu PR Novembro de 2013. Willians Kaizer dos Santos Maciel Coordenador de Indicadores e Controle de Qualidade da Educação Superior Inep/MEC

Foz do Iguaçu PR Novembro de 2013. Willians Kaizer dos Santos Maciel Coordenador de Indicadores e Controle de Qualidade da Educação Superior Inep/MEC Foz do Iguaçu PR Novembro de 2013 Willians Kaizer dos Santos Maciel Coordenador de Indicadores e Controle de Qualidade da Educação Superior Inep/MEC Renan Carlos Dourado Técnico em Informações Educacionais

Leia mais

2009 2010 2011 total 58.888 158.947 124.881 344.910

2009 2010 2011 total 58.888 158.947 124.881 344.910 Formação inicial 80000 Plano Nacional de Formação de Professores 70000 60000 50000 40000 Formação Pedagógica 30000 2ªLicenciatura 1ªLicenciatura especial 20000 1ªLicenciatura existente 10000 0 Presencial

Leia mais

Geração de Emprego Formal no NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 2011

Geração de Emprego Formal no NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 2011 Geração de Emprego Formal no RIO DE JANEIRO NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 211 1 211 O crescimento da economia fluminense nos últimos

Leia mais

DADOS ESTATÍSTICOS DOS CURSOS DE BACHARELADO E DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIAS EM DETERMINADAS ÁREAS DA ADMINISTRAÇÃO

DADOS ESTATÍSTICOS DOS CURSOS DE BACHARELADO E DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIAS EM DETERMINADAS ÁREAS DA ADMINISTRAÇÃO Resultados do ENADE 2012 e do Censo da Educação Superior 2013 dos Cursos de Bacharelado em Administração e dos Cursos Superiores de Tecnologia em determinadas áreas da Administração Bahia Janeiro de 2015

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com

Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com 1 Instâncias de Avaliação MEC CNE CONAES SERES INEP CTAA 2 Desafios da educação superior brasileira 1. Como

Leia mais

Brasil Economia e Educação. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação

Brasil Economia e Educação. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Brasil Economia e Educação Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Gini e PIB Per Capita 380 Gini e Pib Per Capita (1960 - base =100) 120 PIB Per Capita 330 280 230 180 1995 111,42 108,07 1992

Leia mais

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP UBS Elpidio Moreira Souza AC Quadra da Escola Municipal Érico de Souza, Águas Lindas GO UPA município de Ribeirão Pires SP UBS Clínica da Família,

Leia mais

Realizar o projeto de vida do jovem trabalhador, promovendo crescimento e ascensão profissional, por meio da educação de qualidade

Realizar o projeto de vida do jovem trabalhador, promovendo crescimento e ascensão profissional, por meio da educação de qualidade Apimec 2013 Agenda Abertura - Roberto Valério Qualidade e Inovação - Prof. Ana Maria Sousa e Leonardo Costa Marketing e Relacionamento - Patrícia Abreu e Rodrigo Cavalcanti Centro de Inteligência e Serviços

Leia mais

O Desempenho do Investimento Público do Ceará, 2007 2012, uma análise comparativa entre os Estados.

O Desempenho do Investimento Público do Ceará, 2007 2012, uma análise comparativa entre os Estados. Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA Programa Nacional de Capacitação e Qualificação ABLA Convênio nº 635/2007. Objeto: Aumentar a qualidade na prestação de serviços e competitividade dos

Leia mais

Balanço da Política de Cotas 2012-2013. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação

Balanço da Política de Cotas 2012-2013. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Balanço da Política de Cotas 2012-2013 Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Estabelece que: Lei 12.711, de 29 de Agosto de 2012 No mínimo 50% das vagas das Instituições Federais de Educação

Leia mais

Transporte Escolar nos Estados e no DF. Novembro/2011

Transporte Escolar nos Estados e no DF. Novembro/2011 Transporte Escolar nos Estados e no DF Novembro/2011 UFs onde existe terceirização total ou parcial (amostra de 16 UFs) AC AL AP AM DF GO MT MS PB PI RJ RN RO RR SE TO TERCEIRIZAÇÃO TERCEIRIZAÇÃO TERCEIRIZAÇÃO

Leia mais

Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes

Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes Sistema de pesquisas domiciliares existe no Brasil desde 1967, com a criação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD; Trata-se de um sistema de pesquisas

Leia mais

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007.

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. VA PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO DE 4/10/2007, SEÇÃO 3, PÁG.. EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. Divulgar a distribuição de vagas do Concurso Público para provimento de cargos e formação

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM HISTÓRIA DA UEPG SINAES ENADE 2011

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM HISTÓRIA DA UEPG SINAES ENADE 2011 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM HISTÓRIA DA UEPG SINAES ENADE 2011 Ponta Grossa 2013 REITORIA Reitor João Carlos Gomes Vice-Reitor Carlos Luciano Sant Ana Vargas PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO

Leia mais

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág.

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág. RELATÓRIO SIOR 2012 ÍNDICE NOTÍCIAS 2011/2012 ANÁLISE DAS DEMANDAS GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO TEMPO DE ATENDIMENTO DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES MAPA DAS PRINCIPAIS DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES

Leia mais

Nutrição. Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH

Nutrição. Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH Nutrição A contextualização histórica da profissão de Nutricionista remete ao primeiro curso universitário de Dietista, realizado

Leia mais

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Junho/2015

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Junho/2015 Carga Tributária dos Combustíveis por Estado Referência: Junho/2015 Pontos importantes da Lei 12.741/2012 para a revenda de combustíveis Art. 1º Emitidos por ocasião da venda ao consumidor de mercadorias

Leia mais

Avaliação Econômica. O Processo de Seleção de Diretores nas Escolas Públicas Brasileiras

Avaliação Econômica. O Processo de Seleção de Diretores nas Escolas Públicas Brasileiras Avaliação Econômica O Processo de Seleção de Diretores nas Escolas Públicas Brasileiras Objeto da avaliação: adoção de diferentes mecanismos para a seleção de diretores de escolas públicas brasileiras

Leia mais

Gráfico 01: Estados brasileiros - Evolução do emprego formal - primeiro semestre de 2014 Variação relativa (%)

Gráfico 01: Estados brasileiros - Evolução do emprego formal - primeiro semestre de 2014 Variação relativa (%) 1,96 1,96 1,76 1,73 1,54 1,47 1,37 0,92 0,85 0,74 0,50 0,46 0,31 Nº 17 / 14 Embora o cenário macroeconômico aponte perda de dinamismo para setores importantes da economia brasileira, os resultados do emprego

Leia mais

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO. Resumo Executivo Pesquisa 2013

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO. Resumo Executivo Pesquisa 2013 PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO Resumo Executivo Pesquisa 2013 APRESENTAÇÃO Em ação conjunta para o melhor conhecimento das capacidades do mercado brasileiro da construção em aço, o CBCA Centro

Leia mais

Manual do Usuário para o RDQ Versão 2

Manual do Usuário para o RDQ Versão 2 Ministério da Saúde Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Articulação Interfederativa Manual do Usuário para o RDQ Versão 2 Brasília DF Maio de 2014 3 ÍNDICE 1 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional 08/09/2010-10h00 Pesquisa visitou mais de 150 mil domicílios em 2009 Do UOL Notícias A edição 2009 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

As estimativas recentes para a população infantil no município do Rio de Janeiro e o atendimento na rede escolar municipal

As estimativas recentes para a população infantil no município do Rio de Janeiro e o atendimento na rede escolar municipal ISSN 1984-7203 C O L E Ç Ã O E S T U D O S C A R I O C A S As estimativas recentes para a população infantil no município do Rio de Janeiro e o atendimento na rede escolar municipal Nº 20080701 Julho -

Leia mais

Vigilância em saúde para prevenção de surtos de doenças de transmissão hídrica decorrentes dos eventos climáticos extremos

Vigilância em saúde para prevenção de surtos de doenças de transmissão hídrica decorrentes dos eventos climáticos extremos Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis Unidade de Vigilância das Doenças de Transmissão

Leia mais

Edital do Processo Seletivo para o Curso Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde Ênfase na Gestão Estadual do Sistema Único de Saúde

Edital do Processo Seletivo para o Curso Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde Ênfase na Gestão Estadual do Sistema Único de Saúde 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Rio de Janeiro, em 06 de outubro

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

RAIO X DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DO ENEM

RAIO X DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DO ENEM RAIO X DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DO ENEM CARMO, Erinaldo Ferreira 1 - UFPE OLIVEIRA, Érica Patrícia Barbosa de 2 - UFPE XIMENES, Lavinia de Melo e Silva 3 - UFPE SILVA, Fernanda Maria da 4 - UFPE BRANDÃO,

Leia mais

RIO ALÉM DO PETRÓLEO CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Adriana Fontes Mauricio Blanco Valéria Pero. Inovação tecnológica

RIO ALÉM DO PETRÓLEO CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Adriana Fontes Mauricio Blanco Valéria Pero. Inovação tecnológica RIO ALÉM DO PETRÓLEO CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Adriana Fontes Mauricio Blanco Valéria Pero Inovação tecnológica Uma das faces do desenvolvimento econômico pode ser vista

Leia mais

Política Nacional de Educação Infantil. Secretaria de Educação Básica Ministério da Educação

Política Nacional de Educação Infantil. Secretaria de Educação Básica Ministério da Educação Política Nacional de Educação Infantil Secretaria de Educação Básica Ministério da Educação Principais Marcos Normativos Constituição Federal - 1988 Lei de Diretrizes e Bases (LDB) - 1996 Estatuto da Criança

Leia mais

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA ( 44.ª EDIÇÃO ) AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PRESIDENTE Ronaldo Mota Sardenberg CONSELHEIROS Emília

Leia mais