A LOGÍSTICA NA VISÃO DE EMPRESAS DO RAMO METALMECÂNICO DO NORTE DO ESTADO DO RS 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A LOGÍSTICA NA VISÃO DE EMPRESAS DO RAMO METALMECÂNICO DO NORTE DO ESTADO DO RS 1"

Transcrição

1 A LOGÍSTICA NA VISÃO DE EMPRESAS DO RAMO METALMECÂNICO DO NORTE DO ESTADO DO RS 1 Fabio Rodrigo Gomes de Oliveira 2 Marcos Paulo Dhein Griebeler 3 RESUMO O artigo aborda uma pesquisa realizada junto a empresas do setor metalmecânico, situadas no norte do Rio Grande do Sul, com o objetivo de compreender a relevância que elas atribuem à logística no desenvolvimento e no resultado de suas atividades. Para tanto, recorre à bibliografia para apresentar alguns conceitos de logística. Em seguida apresenta os dados coletados a partir da aplicação de questionários a gestores das organizações pesquisadas, com gráficos ilustrativos do entendimento manifestado em cada uma das respostas. Na sequência, traz uma análise dos dados coletados, que demonstra a necessidade do gestor de logística ter conhecimento não só dos processos dentro da empresa, mas um saber sistêmico que lhe permita estabelecer relações entre os setores e os processos a fim de encontrar alternativas que otimizem a utilização dos recursos e os resultados. A última parte do trabalho enfatiza em que medida as empresas contatadas consideram a logística como diferencial competitivo em suas atividades. Palavras-chave: Logística. Empresas. Processos. Gestor. Competitividade. INTRODUÇÃO Este artigo apresenta o tema da logística na visão das empresas, sendo que para desenvolvê-lo foi realizada uma pesquisa em organizações do norte do estado do Rio Grande do Sul, através da aplicação de um questionário composto por dez perguntas cujas respostas são apresentadas e analisadas no decorrer deste texto. Na primeira parte do trabalho, apresenta-se conceitos de logística que contribuem para o entendimento da temática, a fim de garantir a compreensão da importância de que as organizações estruturem os setores e qualifiquem seus colaboradores para atuar de forma sistêmica no que se refere à logística. A segunda parte do artigo detalha as perguntas que integraram a entrevista e apresenta a distribuição percentual dos resultados (APÊNDICE A), a fim de, na sequência, analisar-se como a logística contribui ou deve contribuir diante dos desafios para a redução de custos e 1 Artigo apresentado ao Curso de Pós Graduação MBA em Logística da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul UNIJUÍ. 2 Pós-graduando. Graduado em Tecnologia em Logística. 3 Orientador. Docente do Curso de Pós Graduação MBA em Logística da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul UNIJUÍ. Mestre e Doutor em Desenvolvimento Regional.

2 2 para a agilidade dos processos nas empresas do norte do Estado do Rio Grande do Sul, no ramo metalmecânico. Por fim, analisa-se o resultado do questionário aplicado, abordando o perfil que um gestor de logística deve assumir diante dos desafios para redução de custos e para agilizar os processos nas organizações, bem como a influência que a área tem nas decisões estratégicas e como as direções das empresas enxergam a logística em suas atividades. A última parte do trabalho enfatiza em que medida as empresas contatadas consideram a logística como diferencial competitivo em suas ações, sendo que estas são nomeadas como Empresa e numeradas de 1 (um) a 13 (treze), ou seja Empresa 1, Empresa 2 e assim sucessivamente, a fim de preservar sua identidade. 1 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL PARA A COMPETITIVIDADE Recorreu-se à pesquisa bibliográfica para conceituar logística bem como para apresentar alguns aspectos que as organizações empresariais devem considerar ao investir na área. Segundo Gil (2002, p ), a pesquisa bibliográfica é desenvolvida com base em material já elaborado, constituído principalmente por livros e artigos científicos. Aborda-se, então, os estudos de Christopher (1997); Ballou (1993); e Bowersox (1986). Christopher (1997) diz que a logística é o processo de gerenciar estrategicamente a aquisição, a movimentação e a armazenagem de materiais de modo a poder maximizar as lucratividades presentes e futuras por meio de atendimento dos pedidos a baixo custo. Para Ballou (1993), a logística pode prover melhor nível de rentabilidade nos serviços de distribuição aos clientes e aos consumidores através de planejamento, organização e controle efetivos para as atividades de movimentação e armazenagem que visem facilitar o fluxo de produtos. Segundo Bowersox (1986), a logística é um esforço integrado, que objetiva ajudar a criar valor para o cliente com o menor custo total possível. Gil (2002) diz que a coleta de dados geralmente apresenta a forma de uma coleção de itens ordenados em seções correspondentes ao desenvolvimento que se pretende dar à pesquisa. Para coletar os dados, então, elaborou-se um questionário incluindo os itens considerados relevantes pelo pesquisador, com oito questões de múltipla escolha e duas descritivas. Sendo assim, para realização da pesquisa foram enviados os questionários (APÊNDICE A) via e.mail para 190 (cento e noventa) organizações, sendo que 150 (cento e

3 3 cinquenta) responderam, e 14 (quatorze) delas deixaram suas considerações sobre como percebiam a logística. As respostas tabuladas estão no Apêndice A e ao longo desta sessão aparecem sintetizadas em gráficos. Os gráficos ilustram o entendimento manifestado em cada uma das respostas. Na sequência, uma análise dos dados coletados demonstra a necessidade do gestor de logística ter conhecimento não só dos processos dentro da empresa, mas um saber amplo que lhe permita estabelecer relações entre os setores e os processos a fim de encontrar alternativas que otimizem a utilização dos recursos e os resultados. Para responder a primeira pergunta do questionário aplicado (APÊNDICE A), deveria ser manifestada a existência ou não de um setor voltado aos processos de logística na empresa, pelo que se verificou, conforme a Figura 1, que 62% das pesquisadas têm um setor de processos logísticos. Essas podem se beneficiar dos conceitos para obterem um processo mais enxuto e rentável em suas organizações, tomando o setor como um diferencial competitivo para melhorar sua eficiência. Porém, 38 % das empresas ainda desconhecem os referidos processos e a evolução da logística com sua diversidade de alternativas para as operações na área de estoque, armazenamento e transporte. Figura 1: Existe um setor voltado a processos de Logística na empresa? (1) 62% Sim (2) 38% Não Em seguida, perguntou-se como se apresenta a logística na empresa do pesquisado. Pelas respostas, apurou-se que 19% consideram-na bem definida na organização; 75% manifestaram que a área está interligada com outras; e 6% afirmaram que não há uma clara definição de logística na empresa. (FIGURA 2).

4 4 Figura 2: Como se apresenta a Logística na sua empresa? (1) 19% Bem definida (2) 75% Interligada com outras áreas (3) 6% Não ha uma clara definição de logística aqui A terceira questão abordou a importância da logística na empresa. No que se refere a esse aspecto, como se pode verificar na Figura 3, 50% das respostas afirmaram ser muito importante; para 37% é importante; para 13% ela é pouco importante na empresa; nenhum dos entrevistados disse que logística não teria importância para sua organização. Figura 3: Qual a importância da Logística para a empresa? (1) 0 Nenhuma importância (2) 13% Pouco importante (3) 37% Importante (4) 0 Não sei responder (5) 50% Muito importante Na Figura 4 estão representadas as respostas para a questão: O setor de logística tem poder de decisão no planejamento estratégico e no desenvolvimento de novos projetos? Constatou-se que 68% afirmaram que sim e 32% responderam que não.

5 5 Figura 4: O setor de Logística tem poder de decisão no planejamento estratégico e no desenvolvimento de novos projetos. 1 2 (1) 68% Sim ( 2) 32% Não Em caso de resposta afirmativa à pergunta sobre o poder de decisão do setor de logística no planejamento estratégico e no desenvolvimento de novos projetos, deveriam ser apontados os referidos projetos, pelo entrevistado. (FIGURA 5). Os percentuais ficaram assim distribuídos: 56% compras; 63% fornecedores; 37% embalagens; 69% transporte 43% logística reversa; 31% comercial; 31% faturamento; 44% armazenamento; 12% controladoria; 38% estoque; 19% layout no desenvolvimento de novas linhas de produção; 44% PCP ; 44% movimentação interna; 19% sistemas ( WMS); 44% importação e exportação. Figura 5: O setor de Logística tem poder de decisão no planejamento estratégico e no desenvolvimento de quais projetos? Série1 Série (1) 56% compras (2) 63% ) fornecedores (3) 37% embalagens (4) 69% transporte (5) 43% logística reversa (6) 31% comercial (7) 31% faturamento (8) 44% armazenamento (9) 12% controladoria (10) 38% estoque

6 6 Na Figura 6, observa-se que 69% dos entrevistados acreditam que a organização em que trabalham vê a logística como um diferencial competitivo e 31%, em contrapartida, acreditam que não. Figura 6: A empresa vê a Logística como um diferencial competitivo? 1 2 (1) 69% Sim (2) 31% Não Questionou-se em qual área a logística possui maior influência. Entre as empresas, o percentual de influência da logística, conforme as organizações pesquisadas, ficou distribuído entre os setores da forma como está expresso na Figura 7. Figura 7: Em qual área ela possui maior influência. Entre as empresas pesquisadas o percentual dos setores em que a logística tem maior influência recai sobre Série1 Série (1) 25% compras (2) 12% fornecedores (3) 25% embalagens (4) 75% transporte (5) 19% Logística reversa (6) 12% comercial (7) 12% faturamento (8) 37% armazenamento (9) 0 controladoria (10) 12% estoque (11) 6% layout no desenvolvimento de novas linhas de produção (12) 5% PCP (13) 37% movimentação interna

7 7 Pela Figura 8, percebe-se que transporte, processos e estoques são os mais beneficiados com redução de custos, seguidos por fornecedores, prazos e programação. Figura 8: No seu entendimento, a Logística contribui na redução de custos em quais destes itens? Série1 Série (1) 69% processos (processos mais eficaz lean manufacturing) (2) 88% transporte ( cotação de fretes e análise dos diversos modais de transporte ) (3) 63% estoque (redução de estoque e processo Just in time) (4) 37% fornecedores ( desenvolvimento de novos fornecedores com maior eficácia) (5) 44% prazos ( prazos de entregas e com lead time menor) (6) 25% programação (suta pé mais curtos com maior produção de itens com maior giro) (7) 6% nenhum A última pergunta visou verificar a existência de interação da logística com alguma das seguintes áreas: comercial (24% conforme respostas); marketing (12%); RH (9%); produção (55%), como mostra a Figura 9. A maior interação se dá com a área de produção, 55%. Figura 9: Existe interação da Logística com algumas dessas áreas? (1) 24% Comercial (2) 12% Marketing (3) 9% RH (4) 55% Produção

8 8 Na continuidade, serão apresentadas as considerações sobre a relação logística e competitividade, na visão dos entrevistados que responderam as duas últimas perguntas do instrumento de coleta de dados, de forma descritiva. 2 A LOGÍSTICA NA VISÃO DE EMPRESAS DO RAMO METALMECÂNICO DO NORTE DO ESTADO DO RS Com as informações obtidas na pesquisa, pode-se analisar a necessidade de um gestor de logística ter conhecimento não só dos processos dentro da empresa, mas conhecer aspectos como a aquisição da matéria prima, dos processos da área fabril, do armazenamento, da expedição e do transporte até o cliente final. Conhecer a Cadeia de Suprimentos ou Supply Chain Management é importante para o planejamento de processos nas empresas que integram toda cadeia, não somente as áreas funcionais da organização, mas também o alinhamento dos esforços de diversas áreas em busca da redução de custos. Isso visando agregar o máximo de valor ao cliente final e, consequentemente, maior rentabilidade com o uso das diversas ferramentas da logística como Just In Time, Kaban, Cross-Docking e sistema Lean, para diminuir os custos e aumentar a produtividade. (WOMACK, 2004). Possuir esse conhecimento pode ser considerado um diferencial na hora da empresa se posicionar no mercado. Um dos maiores custos envolvidos na logística são os modais de transporte, que giram em torno de 60%. Saber dimensionar esses custos, utilizando os diversos tipos de modais para baixá-los pode trazer grandes resultados, com a redução sem deixar de atender as necessidades dos clientes e sem comprometer o planejamento da empresa. Embora não existam levantamentos específicos, estima-se que no Brasil os gastos com as atividades logísticas correspondam a cerca de 17% do PIB, com base no fato de que os gastos com transporte correspondem a 10% do PIB, e que na média o transporte corresponde a 60% dos custos logísticos. (FLEURY, 2000). Buscar novas alternativas em todas as áreas, utilizando as ferramentas de que a logística dispõe, como mesclar os diversos tipos de modais, pode auxiliar as empresas a desenvolverem novos fornecedores, além de melhorar os processos de produção com sistema mais enxuto Diante disso, são muitos os desafios inerentes ao cotidiano de um gestor de logística. Com um mercado cada vez mais exigente, eficiência e agilidade com menor custo são demandados. Por isso, cada vez mais a logística inbound e outbound (BOWERSOX; CLOSS, 2001) devem ser exploradas e os gestores de logística devem ter como base, em seu

9 9 perfil, domínio ou conhecimento em diversas áreas para poder analisar e tomar as melhores decisões num mercado altamente competitivo. Logística inbound e logística outbound, segundo Bowersox; Closs (2001), incluem a tomada de decisão em transportes, o que requer informações disponíveis e equipes capacitadas e treinadas para processar as informações, a fim de que a empresa possa atender suas necessidades operacionais e as estratégicas Além disso, a armazenagem e o manuseio de materiais, segundo Ballou (1993), são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas, e seus custos podem absorver até 40% das despesas com logística. Por se tratar de um setor que é responsável por suprir as necessidades da produção e também do atendimento às obras, se a logística funcionar de forma satisfatória, isso se refletirá positivamente nos demais processos da empresa. Por isso, o setor deve ser dinâmico e funcionar de forma ágil, a fim de atender à demanda de entrada e saída de materiais na empresa, buscando de todas as formas reduzir custos, tempo de processos e satisfazer as necessidades da empresa, tal como do cliente final. Os questionários (APÊNDICE A) foram respondidos por 150 (cento e cinquenta) empresas, sendo que 14 (quatorze) deixaram suas considerações sobre como percebiam a logística. A partir deste ponto da sessão, serão apresentadas as considerações sobre a relação entre a logística e a competitividade, na visão dos entrevistados. A Empresa 1 não vê a logística como diferencial competitivo porque, segundo o entrevistado, não é o foco da empresa. A Empresa 2 vê a logística como um diferencial competitivo por estar afastada dos clientes e fornecedores dos grandes centros. O diferencial foi referido principalmente no que tange à movimentação de materiais no tempo certo e sem avarias, considerando que equipamentos entregues com avarias geram descontentamento e retrabalho para a área de pós-vendas. A próxima empresa pesquisada, Empresa 3, percebe a logística como um diferencial competitivo porque contribui diretamente com os processos produtivos da empresa, através da criação de dispositivos para facilitar a movimentação, produção, transporte e armazenagem, assim como a obtenção de matéria prima, a definição de métodos e processos, entre outros. Entende, ainda, que a logística poderia ser um diferencial ainda maior com ênfase no uso dos recursos como JIT, que procura constantemente a melhoria do processo produtivo. (SCANDOLARA et al, 2002). e Lean, manufatura enxuta, também chamado de Sistema Toyota de Produção, uma filosofia de gestão focada na redução dos sete tipos de desperdícios: superprodução, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário,

10 10 movimento e defeitos. (CHRISTOPHER, 1997). A Empresa 4 acredita na logística como um diferencial competitivo, por entender que esta, dentro do parque fabril, em um layout bem definido e trabalhado, diminui o custo de logística da matéria prima tanto na sua entrada quanto na saída dos produtos acabados, bem como do frete, porque o valor de um transporte pode interferir em uma futura venda. A logística também pode ser mais eficaz e contribuir com uma visão ampla e detalhada dos pontos de compra e venda da empresa. A Empresa 5 vê a logística como um diferencial competitivo, porque influencia diretamente nos custos, nos prazos e, assim, na satisfação do cliente. Entende que a logística precisa ser algo definido e estratégico; precisa ser envolvida e pensada desde o momento comercial, na venda de uma obra, até na expedição do produto pronto, assim, pode contribuir para diminuir os custos. A Empresa 6 entende a logística como um diferencial competitivo porque é um setor de apoio fundamental à área de produção. Faz um intercâmbio de processos e execuções entre os demais setores operacionais. Por outro lado, aponta que isso depende da sistemática interna de cada empresa. Quanto à Empresa 7, compreende que a logística é a principal fonte de abastecimento e movimentação de recursos para a produção, gerando como consequência maior produtividade e eficiência produtiva. Para ela, a logística contribui na otimização dos custos, diminuição do lead time e melhoria na competitividade. Além disso, pode ser mais eficaz e contribuir buscando entre os modais disponíveis o melhor custo benefício possível, analisando tempos e valores. A Empresa 8 informou que apesar de na empresa não haver um departamento de logística é interligado às áreas comercial e suprimentos entende o processo como diferencial, uma vez que à medida que encurta o prazo desde a compra de matérias primas até a fabricação dos produtos, é possível disponibilizar menor volume de recursos para estoques e receber matérias primas e consumíveis no menor prazo possível e necessário para a fabricação. Para a Empresa 9, a logística pode ser mais eficaz e contribuir tendo maior participação nas decisões desde quanto aos novos fornecedores como também na manufatura enxuta para redução dos estoques. A Empresa 10 acredita que a logística é um diferencial na busca constante da qualidade e de preços atrativos. Outra organização entrevistada, a Empresa 11, defende a logística como um diferencial competitivo porque é um departamento que controla o estoque e o transporte, em função dos altos valores agregados. A logística, como os

11 11 demais departamentos da empresa, tem a missão de proporcionar melhores resultados, para isso deve utilizar ferramentas como A3, Ishikawa, 5 Por quês, etc. O objetivo dessas ferramentas é entender todo tipo de problema e atacar a causa raiz, fazendo com que as ações sejam efetivas e eficazes. A logística deve ter a visão de resolver seus problemas de uma forma definitiva para depois conseguir trabalhar em melhoria contínua (Lean). A Empresa 12 expõe que a logística apresenta-se como um diferencial competitivo na redução de custos de movimentação e estoques. Cita, ainda, manufatura enxuta, respostas rápidas, otimização de tempos e eliminação de perdas. Outra organização pesquisada, a Empresa 13, diz que a logística tem diferencial competitivo no seu caso, em função da distância entre a sede e seus clientes. Defende que a integração entre os setores é a chave do sucesso da logística, sendo que todas as áreas devem ser envolvidas nas questões da logística, pois todas têm grande influência para a excelência deste aspecto. As respostas aos questionários aplicados e devolvidos pelas organizações, sendo um total de quatorze, demonstram que treze delas consideravam a logística como um diferencial para a competitividade, o que reitera a importância de estudos que esclareçam conceitos e indiquem possibilidades de atuação na área. CONSIDERAÇÕES FINAIS A realização da pesquisa permitiu avaliar-se as áreas de uma empresa que apresentam maior deficiência no que se refere à logística e que devem ser melhor exploradas para que se tornem um diferencial e tragam melhores resultados. Na visão das organizações que responderam à pesquisa, a maior interação com a logística se dá com a área de produção, seguida da área comercial, entretanto, áreas como marketing e RH apresentam pouco envolvimento com este aspecto fundamental que é a logística dentro de uma empresa. Além disso, concluiu-se sobre a importância de sempre buscar atualização através da melhoria contínua com conhecimento de novos conceitos dentro e fora da empresa. Mais que isso, possuir um saber sistêmico, como da aquisição da matéria prima, dos processos da área fabril, do armazenamento, da expedição e do transporte até o cliente final. Por outro lado, pode-se analisar que uma grande porcentagem das empresas (38%), estão deixando de se beneficiar das ferramentas que a logística tem para reduzir seus custos e maximizar seus lucros. Essas estão, portanto, perdendo oportunidades de se tornarem mais competitivas dentro de um mercado que cada vez mais exige agilidade e respostas rápidas

12 12 com menores custos, através de processos enxutos e com menores perdas, sem deixar de atender as exigências dos clientes. Dentre os benefícios apontam que a logística controla e reduz custos de estoque e de transporte; garante manufatura enxuta, respostas rápidas, otimização de tempos e eliminação de perdas; busca constantemente qualidade e preços atrativos; encurta o prazo desde a compra de matérias primas até a fabricação dos produtos; faz um intercâmbio de processos e execuções entre os demais setores operacionais; REFERÊNCIAS BALLOU, R. H. Logística empresarial: transporte, administração de materiais e distribuição física. São Paulo. Atlas, BOWERSOX, D.J.; CLOSS, D.J. Logística empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimento. São Paulo. Atlas, CHRISTOPHER, M. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos: estratégias para redução de custos e melhoria de serviços. São Paulo: Pioneira, FLEURY, Paulo Fernando. Perspectivas para a logística brasileira. Revista Tecnologística, v. 30, n., Disponível em: <http://professorricardo.tripod.com>. Acesso em: 20 out GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. - São Paulo: Atlas, SCANDOLARA, Neudi Luís; HOLANDA, Lucyanno Moreira Cardoso; COLMENERO, João Carlos; FRANCISCO, Antonio Carlos de. K. A. Logística e transportes: uma discussão sobre os modais de transporte e o panorama brasileiro. In: ENEGEP, v. XXII, n. 6, out Disponível em: <http://tecspace.com.br>. Acesso em: 22 out WOMACK, James; JONES, Daniel. Lean Thinking, a mentalidade enxuta nas empresas. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

13 13 APÊNDICE APÊNDICE A QUESTIONÁRIOS PARA COLETA DE DADOS Com base nas informações vamos analisar o perfil que um gestor de Logística deve assumir diante dos desafios para redução de custos e agilidade nos processos nas empresas do norte do Estado do Rio Grande Do sul no ramo metal mecânico. Vamos analisar e influencia nas decisões estratégicas e como as direções das empresas enxergam a Logística em suas entidades. A) Existe um setor voltado a processos de Logística na empresa? ( 62% ) sim ( 38% ) não B) Como se apresenta a Logística na sua empresa? ( 19% ) Bem definida (75% ) Interligada com outras áreas (6% ) Não ha uma clara definição de logística aqui C) Qual a importância da Logística para empresa? ( 0 ) Nenhuma importância ( 13% ) Pouco importante ( 37% ) Importante ( 0 ) Não sei responder ( 50% ) Muito importante D) O setor de Logística tem poder de decisão no planejamento estratégico e no desenvolvimento de novos projetos. ( 68% ) sim ( 32% ) não Se sim, em quais? ( 56% ) compras ( 63% ) fornecedores ( 37% ) embalagens ( 69% ) transporte ( 43% ) Logística reversa ( 31% ) comercial ( 31% ) faturamento ( 44% ) armazenamento ( 12% ) controladoria ( 38% ) estoque ( 19% ) layout no desenvolvimento de novas linhas de produção ( 44% ) PCP ( 44% ) movimentação interna ( 19% ) sistemas ( WMS) ( 44% ) importação e exportação E) A empresa vê a Logística como um diferencial competitivo

14 14 ( 69% ) sim. ( 31% ) Não. F) Em qual área ela possui maior influência ( 25% ) compras ( 12% ) fornecedores ( 25% ) embalagens ( 75% ) transporte ( 19% ) Logística reversa ( 12% ) comercial ( 12% ) faturamento ( 37% ) armazenamento ( 0 ) controladoria ( 12% ) estoque ( 6% ) layout no desenvolvimento de novas linhas de produção ( 5% ) PCP ( 37% ) movimentação interna ( 6% ) sistemas ( WMS) ( 25% ) importação e exportação G) No seu entendimento, a logística contribui na redução de custos em quais destes itens abaixo? ( 69% ) processos ( processos mais eficaz lean manufacturing ) ( 88% ) transporte ( cotação de fretes e analise dos diversos modais de transporte ) ( 63% ) estoque ( redução de estoque e processo Just time ) ( 37% ) fornecedores ( desenvolvimento de novos fornecedores com maior eficácia ) ( 44% ) prazos ( prazos de entregas e com lead time menor ) ( 25% ) programação ( suta pé mais curtos com maior produção de itens com maior giro ) ( 6% ) nenhum H) Existe interação da Logística com algumas dessas áreas? ( 24% ) comercial ( 12% ) marketing ( 9% ) RH ( 55% ) Produção

LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS

LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING SUPPLY CHAIN (INCLUI LOGÍSTICA) 2 2 INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING 3 INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING Pensar fora da caixa... Lean

Leia mais

Aula 2º bim. GEBD dia16/10

Aula 2º bim. GEBD dia16/10 Aula 2º bim. GEBD dia16/10 Compras e Manufatura (produção) O ciclo de compras liga uma organização a seus fornecedores. O ciclo de manufatura envolve a logística de apoio à produção. O ciclo de atendimento

Leia mais

Código da Disciplina: ENEX01427. Semestre Letivo: 1ºSEM/2015

Código da Disciplina: ENEX01427. Semestre Letivo: 1ºSEM/2015 Unidade Universitária: FACULDADE DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA Curso: Sistemas de Informação Disciplina: SISTEMAS DE GESTÃO DE FINANÇAS E CUSTOS Etapa: 07 Carga horária: 68 Teóricas, 0 Práticas, 0 EaD Ementa:

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000571 - TECNOL.GESTAO FINANCEIRA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000571 - TECNOL.GESTAO FINANCEIRA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000571 - TECNOL.GESTAO FINANCEIRA Nivel: Superior Area Profissional: ECONOMIA Area de Atuacao: GESTAO FINANCEIRA/ECONOMIA Administrar os

Leia mais

Antes de começar... Perguntas no final da apresentação. Tempo de duração: 30' Celular no modo silencioso

Antes de começar... Perguntas no final da apresentação. Tempo de duração: 30' Celular no modo silencioso Antes de começar... Celular no modo silencioso Tempo de duração: 30' Perguntas no final da apresentação Jornada Excelência e Eficiência Operacional Seja Lean: diga não ao desperdício Planejament o preciso:

Leia mais

INTRODUÇÃO A LE L A E N A N M AN A U N FA F C A TURI R NG N

INTRODUÇÃO A LE L A E N A N M AN A U N FA F C A TURI R NG N INTRODUÇÃO A LEAN MANUFACTURING O queé LEAN? Uma filosofia de produção que enfatiza o minimização da quantidade de todos os recursos (inclusive tempo) usados nas várias atividades da empresa. Envolve a

Leia mais

Fasci-Tech. Tecnologia da Informação aplicada a Logística na Estratégia Empresarial

Fasci-Tech. Tecnologia da Informação aplicada a Logística na Estratégia Empresarial Resumo: Abstract: Tecnologia da Informação aplicada a Logística na Estratégia Empresarial Rogério Fernandes da Costa 1 A globalização impõe uma maior competitividade; as empresas vivem um momento extremamente

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico

Leia mais

15/09/2011. Historico / Conceito. Lean Production é um programa corporativo ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II. Evolucao do Conceito LEAN THINKING

15/09/2011. Historico / Conceito. Lean Production é um programa corporativo ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II. Evolucao do Conceito LEAN THINKING Historico / Conceito Lean : década de 80 James Womack (MIT) Projeto de pesquisa: fabricantes de motores automotivos; ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II Lean Production é um programa corporativo composto por

Leia mais

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING MANUFATURA ENXUTA DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING A ORIGEM DA PALAVRA LEAN O termo LEAN foi cunhado originalmente no livro A Máquina que Mudou o Mundo de Womack, Jones e Roos, publicado nos EUA em 1990.

Leia mais

Vamos nos conhecer. Avaliações 23/08/2015. Módulo I Introdução à Logistica Empresarial Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc.

Vamos nos conhecer. Avaliações 23/08/2015. Módulo I Introdução à Logistica Empresarial Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc. Módulo I Introdução à Logistica Empresarial Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc. Vamos nos conhecer Danillo Tourinho Sancho da Silva, M.Sc Bacharel em Administração, UNEB Especialista em Gestão da Produção

Leia mais

Lean manufacturing ou Toyotismo. Lean manufacturing

Lean manufacturing ou Toyotismo. Lean manufacturing ou Toyotismo Resultados impressionantes 1 Trimestre 2007 Toyota supera GM como líder mundial em vendas Vendas Mundiais 1º Trimestre Nº Carros Toyota 2.348.000 GM 2.260.000 2007 termina empatado tecnicamente

Leia mais

Pós-Graduação Fórum Lean Vale do Paraíba A contribuição do Lean-TOC-VMI para a gestão eficaz da cadeia de suprimentos Prof. MSc. Artur Henrique Moellmann CIS-ERP / Grupo Everel 16maio2009 artur.moellmann@terra.com.br

Leia mais

Gerenciamento da cadeia de suprimentos no setor automobilístico: um estudo de caso no consórcio modular

Gerenciamento da cadeia de suprimentos no setor automobilístico: um estudo de caso no consórcio modular Gerenciamento da cadeia de suprimentos no setor automobilístico: um estudo de caso no consórcio modular Ana Carolina Cardoso Firmo (UNIFEI) accfirmo@unifei.edu.br Renato da Silva Lima (UNIFEI) rslima@unifei.edu.br

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO PLANO DE DISCIPLINA DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Gerenciamento Logístico Gerenciamento Logístico A missão do gerenciamento logístico é planejar

Leia mais

ESTUDO SOBRE O USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA INTEGRAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA SOB AS DEMANDAS DE UM AMBIENTE DE PRODUÇÃO ENXUTA

ESTUDO SOBRE O USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA INTEGRAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA SOB AS DEMANDAS DE UM AMBIENTE DE PRODUÇÃO ENXUTA ESTUDO SOBRE O USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA INTEGRAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA SOB AS DEMANDAS DE UM AMBIENTE DE PRODUÇÃO ENXUTA Claudia Miyuki Werhmüller 1 Eduardo Hidenori Enari 2 Atualmente, o uso

Leia mais

A Excelência no Supply Chain Management Como Vantagem Competitiva no Mercado Nacional de Flores

A Excelência no Supply Chain Management Como Vantagem Competitiva no Mercado Nacional de Flores A Excelência no Supply Chain Management Como Vantagem Competitiva no Mercado Nacional de Flores Ana Cristina de Oliveira Souza Assunto: Introdução e Conclusão Patrícia Francisca de Souza Assunto: Conceito,

Leia mais

Lean manufacturing ou Toyotismo

Lean manufacturing ou Toyotismo ou Toyotismo Gestão da Qualidade Resultados impressionantes 1 Trimestre 2007 Toyota supera GM como líder mundial em vendas Vendas Mundiais 1º Trimestre Nº Carros Toyota 2.348.000 GM 2.260.000 2007 termina

Leia mais

ESCRITÓRIO ENXUTO (LEAN OFFICE)

ESCRITÓRIO ENXUTO (LEAN OFFICE) ESCRITÓRIO ENXUTO (LEAN OFFICE) Jeferson Duarte Oliveira * Este artigo tem como objetivo fazer uma revisão bibliográfica das mais importantes formas de desperdício nos escritórios e apresentar os métodos

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

APLICAÇÃO DA TÉCNICA CROSS DOCKING NA LOGÍSTICA DE EXPEDIÇÃO EM BUSCA DA REDUÇÃO DE TEMPO DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS

APLICAÇÃO DA TÉCNICA CROSS DOCKING NA LOGÍSTICA DE EXPEDIÇÃO EM BUSCA DA REDUÇÃO DE TEMPO DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS APLICAÇÃO DA TÉCNICA CROSS DOCKING NA LOGÍSTICA DE EXPEDIÇÃO EM BUSCA DA REDUÇÃO DE TEMPO DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS Tatiane Vaz Ferreira Daudte 1, Vilma da Silva Santos 2, Edson Aparecida de Araújo

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO - Pós-Graduação em Logística Empresarial

MANUAL DO CANDIDATO - Pós-Graduação em Logística Empresarial CONHEÇA A FACCENTRO Educação de excelência de mãos dadas com o mercado de trabalho. Esse é o compromisso da rede de ensino FACCENTRO, que possui mais de 15 anos de tradição e reconhecimento em ensino técnico.

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

Análise dos custos logísticos: um estudo de caso no setor alimentício.

Análise dos custos logísticos: um estudo de caso no setor alimentício. Análise dos custos logísticos: um estudo de caso no setor alimentício. Daniel Davi Boff ddboff@gmail.com Unochapecó Moacir Francisco Deimling moacir@unochapeco.edu.br Unochapecó Rodrigo Barichello rodrigo.b@unochapeco.edu.br

Leia mais

CURSO ANALISTA DE LOGISTICA E PRODUÇÃO INDUSTRIAL GRADE CURRICULAR @2014 - CENTRO EDUCACIONAL ANÍSIO PEDRUSSI

CURSO ANALISTA DE LOGISTICA E PRODUÇÃO INDUSTRIAL GRADE CURRICULAR @2014 - CENTRO EDUCACIONAL ANÍSIO PEDRUSSI MÓDULOS / DISCIPLINAS Carga Horária Módulo I - Introdução ao Estudo da Logística No Brasil e no Mundo 30 1. Introdução ao Estudo da Logística 2. História da Logística 3. Na Pré-História 4. No Exército

Leia mais

Ecogerma 2012 Lean Production na redução de uso de recursos em processos produtivos

Ecogerma 2012 Lean Production na redução de uso de recursos em processos produtivos Ecogerma 2012 Lean Production na redução de uso de recursos em processos produtivos Paulino G. Francischini pgfranci@usp.br Conteúdo 1. Conceito de Lean Production 2. Desperdícios no processos produtivo

Leia mais

A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE MANUFATURA ENXUTA EM UM PROCESSO PRODUTIVO: Um Estudo de Caso em uma Indústria Eletromecânico

A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE MANUFATURA ENXUTA EM UM PROCESSO PRODUTIVO: Um Estudo de Caso em uma Indústria Eletromecânico A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE MANUFATURA ENXUTA EM UM PROCESSO PRODUTIVO: Um Estudo de Caso em uma Indústria Eletromecânico Pedro Augusto da Cunha Prof. Dani Marcelo Nonato Marques Tecnologia em Produção

Leia mais

A Tecnologia de Informação na Gestão de Armazenagem

A Tecnologia de Informação na Gestão de Armazenagem A Tecnologia de Informação na Gestão de Armazenagem Nádia Veríssimo (EESC-USP) nadiaverissimo@hotmail.com Prof. Dr. Marcel Andreotti Musetti (EESC-USP) musetti@prod.eesc.sc.usp.br Resumo Este trabalho

Leia mais

O termo logística tem sua origem no meio militar, estando relacionado a atividade de abastecimento de tropas.

O termo logística tem sua origem no meio militar, estando relacionado a atividade de abastecimento de tropas. Logística e Distribuição Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT Histórico O termo logística tem sua origem no meio militar, estando relacionado a atividade de abastecimento de tropas. A história mostra que

Leia mais

Aplicação da metodologia lean manufacturing na área administrativa

Aplicação da metodologia lean manufacturing na área administrativa Aplicação da metodologia lean manufacturing na área administrativa Marcelo Scuccuglia (Aços Villares) mscuccu@villares.com.br Paulo Correa Lima (UNICAMP) plima@fem.unicamp.br Resumo: O panorama atual do

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 I. Dados Identificadores Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação (X) Pós-graduação ( ) Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, PESQUISA E EXTENSÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, PESQUISA E EXTENSÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, PESQUISA E EXTENSÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS A LOGÍSTICA COMO FATOR COMPETITIVO NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES ALUNO:

Leia mais

LOGÍSTICA EMPRESARIAL. Rodolfo Cola Santolin 2009

LOGÍSTICA EMPRESARIAL. Rodolfo Cola Santolin 2009 LOGÍSTICA EMPRESARIAL Rodolfo Cola Santolin 2009 Conteúdo Cadeia de suprimentos Custos Logísticos Administração de Compras e Suprimentos Logística Reversa CADEIA DE SUPRIMENTOS Logística Logística Fornecedor

Leia mais

Curso de Logísticas Integrada

Curso de Logísticas Integrada 1 Introdução a Logística; Capítulo 1 - Conceitos de logística; Breve Histórico da Logística; Historia da logística; SCM; Logística Onde estávamos para onde vamos? Estratégia para o futuro; 2 Conceitos

Leia mais

Por que Lean & Six Sigma?

Por que Lean & Six Sigma? CONTEÚDO DA PALESTRA O O que é LEAN? O O que é Six Sigma? Por que? LEAN LEAN ORIGEM DO LEAN A metodologia Lean já existe há algum tempo: A Ford foi pioneira no início do século XX 33 horas para concluir

Leia mais

O Lean Thinking aplicado ao Supply Chain. Alexandre Cardoso

O Lean Thinking aplicado ao Supply Chain. Alexandre Cardoso O Lean Thinking aplicado ao Supply Chain Alexandre Cardoso Agenda Logística lean Armazenagem Inbound Outbound Lean em Fornecedores 2 Competitividade além das operações e da empresa Produção Produção Produção

Leia mais

A importância da logística num ambiente de lean production

A importância da logística num ambiente de lean production A importância da logística num ambiente de lean production Alessandro Lucas da Silva (EESC-USP) als@sc.usp.br Gilberto Miller Devós Ganga (EESC-USP) gilberto_mdg@yahoo.com.br Resumo O bom desempenho de

Leia mais

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO A melhor formação cientifica, prática e metodológica. 1 POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA Marketing Vendas Logística ANTES: foco no produto - quantidade de produtos sem qualidade

Leia mais

JOGO DE NEGÓCIO SIMULADOR DOS EFEITOS POSITIVOS DA APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS LEAN PARA FUNCIONÁRIOS OPERACIONAIS E LIDERANÇAS DO CHÃO DE FÁBRICA

JOGO DE NEGÓCIO SIMULADOR DOS EFEITOS POSITIVOS DA APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS LEAN PARA FUNCIONÁRIOS OPERACIONAIS E LIDERANÇAS DO CHÃO DE FÁBRICA JOGO DE NEGÓCIO SIMULADOR DOS EFEITOS POSITIVOS DA APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS LEAN PARA FUNCIONÁRIOS OPERACIONAIS E LIDERANÇAS DO CHÃO DE FÁBRICA Gece Wallace Santos Reno (UFSCar) gece.reno@uol.com.br Carolina

Leia mais

Logística e Distribuição: Definições e Evolução da Logística em um Contexto Global

Logística e Distribuição: Definições e Evolução da Logística em um Contexto Global Logística e Distribuição: Definições e Evolução da Logística em um Contexto Global Neófita Maria de Oliveira (UERN) neofita_maria@yahoo.com.br Athenágoras José de Oliveira (UERN) mara_suy@hotmail.com Mara

Leia mais

Introdução ao Lean Manufacturing. Dário Spinola

Introdução ao Lean Manufacturing. Dário Spinola Introdução ao Lean Manufacturing Dário Spinola Dário Uriel P. Spinola Sócio da Táktica Consultoria em Manufatura MBA em Conhecimento, Tecnologia e Inovação pela FIA/FEA USP Mestrando e Engenheiro de Produção

Leia mais

Capítulo 2. Logística e Cadeia de Suprimentos

Capítulo 2. Logística e Cadeia de Suprimentos Capítulo 2 Logística e Cadeia de Suprimentos Prof. Glauber Santos glauber@justocantins.com.br 1 Capítulo 2 - Logística e Cadeia de Suprimentos Papel primordial da Logística na organização Gestão da Produção

Leia mais

ESCOLA DE ENGENHARIA

ESCOLA DE ENGENHARIA Unidade Universitária: Curso: Engenharia de Produção ESCOLA DE ENGENHARIA Disciplina: Tópicos em Logística Empresarial Professor(es): Celso Luchezzi Carga horária: 4 aulas (Teoria) DRT: 113599-4 Código

Leia mais

Análise dos indicadores de produtividade de duas indústrias do setor moveleiro: um estudo de casos múltiplos

Análise dos indicadores de produtividade de duas indústrias do setor moveleiro: um estudo de casos múltiplos Análise dos indicadores de produtividade de duas indústrias do setor moveleiro: um estudo de casos múltiplos Marcelo Macedo (IST/SOCIESC) marcelo.macedo@sociesc.org.br Edgar Augusto Lanzer (IST/SOCIESC)

Leia mais

Sistemas de Informações

Sistemas de Informações Sistemas de Informações UMC / EPN Prof. Marco Pozam mpozam@gmail.com A U L A 0 4 Maio / 2013 1 Ementa da Disciplina Sistemas de Informações Gerenciais: Conceitos e Operacionalização. Suporte ao processo

Leia mais

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que Supply Chain Management SUMÁRIO Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM) SCM X Logística Dinâmica Sugestões Definição Cadeia de Suprimentos É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até

Leia mais

Planejamento e Controle da Produção Cap. 0

Planejamento e Controle da Produção Cap. 0 Planejamento e Controle da Produção Cap. 0 Prof. Silene Seibel, Dra. silene@joinville.udesc.br sileneudesc@gmail.com Sistemas Produtivos O sistema de produção define de que maneira devemos organizar a

Leia mais

ANÁLISE DAS OPÇÕES DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAGEM PARA UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE UMA EMPRESA DO SETOR ELETRÔNICO

ANÁLISE DAS OPÇÕES DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAGEM PARA UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE UMA EMPRESA DO SETOR ELETRÔNICO ANÁLISE DAS OPÇÕES DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAGEM PARA UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE UMA EMPRESA DO SETOR ELETRÔNICO Maira Silva de Aguiar (UNIFEI) aguiarmaira@hotmail.com Renato da Silva Lima (UNIFEI) rslima74@gmail.com

Leia mais

LOGÍSTICA & BRASIL Artigo

LOGÍSTICA & BRASIL Artigo O artigo aborda relações entre logística, formação profissional e infra-estrutura do país. São debatidas questões sobre a evolução da logística no Brasil, a preparação educacional do profissional de logística

Leia mais

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting Soluções personalizadas para acelerar o crescimento do seu negócio Estratégia Operacional Projeto e Otimização de Redes Processos de Integração Eficácia

Leia mais

SEJAM BEM VINDOS!!!! 1

SEJAM BEM VINDOS!!!! 1 SEJAM BEM VINDOS!!!! 1 SEJAM BEM VINDOS AO QUARTO SEMESTRE!!! 2 Regras de ouro: Desligue o celular; Evitem ausentar-se da sala Evitem conversas paralelas (sem propósito com o assunto da aula); Dediquem-se

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO ENXUTA COMO ESTRATÉGIA PARA SE ALCANÇAR A VANTAGEM COMPETITIVA

A UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO ENXUTA COMO ESTRATÉGIA PARA SE ALCANÇAR A VANTAGEM COMPETITIVA A UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO ENXUTA COMO ESTRATÉGIA PARA SE ALCANÇAR A VANTAGEM COMPETITIVA THE USAGE OF LEAN MANUFACTURING AS A STRATEGY TO ACHIEVE A COMPETITIVE ADVANTAGE James Figueiredo da Cruz

Leia mais

Logística Lean: Conceituação e aplicação em uma empresa de cosmético.

Logística Lean: Conceituação e aplicação em uma empresa de cosmético. Priscila de Andrade Ramos Boisson Logística Lean: Conceituação e aplicação em uma empresa de cosmético. Dissertação de Mestrado (Opção profissional) Dissertação apresentada como requisito parcial para

Leia mais

Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Logística

Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Logística Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Logística - TLO 2005/1 Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Logística 1 DADOS LEGAIS: Reconhecido pela Portaria MEC 134 de

Leia mais

Planejamento e Controle da Produção

Planejamento e Controle da Produção MBA em Gestão de Logística Planejamento e Controle da Produção Prof. Lourenço Quem é quem? 1 Engenheiro Elétrico, 1983 UNITAU Especialização em Engenharia Financeira, 1995 UFMG Mestre em Administração,

Leia mais

Comércio eletrônico. Conceitos:

Comércio eletrônico. Conceitos: Comércio eletrônico Conceitos: O comércio eletrônico é a transação realizada por meio eletrônico de dados, normalmente internet. Situação em que a empresa vendedora cria um site, que funciona como uma

Leia mais

DANTE RAMACCIOTTI ABREU Consultor Associado a Luis Borges Assessoria em Gestão Ltda. FORMAÇÃO ACADÊMICA

DANTE RAMACCIOTTI ABREU Consultor Associado a Luis Borges Assessoria em Gestão Ltda. FORMAÇÃO ACADÊMICA DANTE RAMACCIOTTI ABREU Consultor Associado a Luis Borges Assessoria em Gestão Ltda. FORMAÇÃO ACADÊMICA Graduação Engenharia Industrial Mecânica CEFET MG 1992. PRINCIPAIS ÁREAS DE ATUAÇÃO NA GESTÃO DE

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0110 - EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

Conferência Internacional de Lean Management. 6 e 7 de Outubro 2015. Quality Resort & Convention Center, Itupeva-SP

Conferência Internacional de Lean Management. 6 e 7 de Outubro 2015. Quality Resort & Convention Center, Itupeva-SP Conferência Internacional de Lean Management Dr. Jeffrey Liker Professor e autor Universidade de Michigan Hubertus Koehne VP MFG e Supply Chain AGCO América do Sul Matthew Lovejoy CEO ACME Alliance 6 e

Leia mais

Identificação do perfil logístico das empresas atacadistas de distribuição de alimentos.

Identificação do perfil logístico das empresas atacadistas de distribuição de alimentos. Identificação do perfil logístico das empresas atacadistas de distribuição de alimentos. Daiane Menegatti daia.m@unochapeco.edu.br Unochapecó Moacir Francisco Deimling moacir@unochapeco.edu.br Unochapecó

Leia mais

Desafios da Logística Reversa

Desafios da Logística Reversa São Paulo, 11 e 12 de maio de 2011 Desafios da Logística Reversa Nextel Telecomunicações 1 Organização Patrocínio Apoio 2 Agenda Nextel Case de sucesso Objetivos da logística reversa Diferenciação entre

Leia mais

Excelência Operacional

Excelência Operacional Excelência Operacional Inter-relação entre Lean Manufacturing e TPM ( Total Productive Management) Paulo Yida - Diretor Solving Efeso America do Sul Renato Cosloski Iamondi Consultor Senior Solving Efeso

Leia mais

O Lean manufacturing aplicado à indústria metalmecânica Maia

O Lean manufacturing aplicado à indústria metalmecânica Maia O Lean manufacturing aplicado à indústria metalmecânica Maia Jordana Lemos Pinheiro Novaes - jordanalemos@hotmail.com MBA Gestão da Qualidade e Engenharia da Produção Instituto de Pós-Graduação IPOG Resumo

Leia mais

FACULDADE PORTO DAS MONÇÕES PORTO FELIZ

FACULDADE PORTO DAS MONÇÕES PORTO FELIZ FACULDADE PORTO DAS MONÇÕES PORTO FELIZ COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA Engenharia Logística 1. Nome do Curso e Área do Conhecimento Programa de Pós-Graduação

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS 2ª OFICINA MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR Lean Manufacturing é a busca da perfeição do processo através da eliminação de desperdícios Definir Valor Trabalhar

Leia mais

Lean Plant Design ALTA PERFORMANCE NO SEU PROJETO DE FÁBRICA

Lean Plant Design ALTA PERFORMANCE NO SEU PROJETO DE FÁBRICA Lean Plant Design ALTA PERFORMANCE NO SEU PROJETO DE FÁBRICA Olá! O primeiro passo para garantir um sistema de produção competitivo é um bom projeto de fábrica. Ele é que vai garantir que o seu pessoal

Leia mais

Capítulo 1 -Ambiente em Mutação dos Negócios

Capítulo 1 -Ambiente em Mutação dos Negócios 1 CENÁRIO ATUAL DOS NEGócIOS Existem atualmente três revoluções concomitantes no mercado A) REVOLUÇÃO ECONÔMICA Surgimentos dos bloc08 8Con6micos Transfertncia de riqu8z8s Globalizaçlo (velocid8de das

Leia mais

Universidade São Judas Tadeu

Universidade São Judas Tadeu Universidade São Judas Tadeu Anna Karoline Diniz Fortaleza Camila Moura Favaro Fernando dos Anjos Reinaldo Francisco Carvalho Tiago Souza Tecnologia da Informação no Transporte São Paulo 2013 1 Tecnologia

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COMÉRCIO EXTERIOR FABIANO SORATO BORGES

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COMÉRCIO EXTERIOR FABIANO SORATO BORGES UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COMÉRCIO EXTERIOR FABIANO SORATO BORGES ESTUDO PARA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO LOGÍSTICO WMS (WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM) EM UMA EMPRESA

Leia mais

Formação de. Gestores em Operações Logísticas

Formação de. Gestores em Operações Logísticas Formação de Gestores em Operações Logísticas Sumário 03. Nossa Empresa 05. Formação de Gestores Operações Logísticas 06. Conteúdo Programático 11. Principais Instrutores 13. Visão dos Participantes 14.

Leia mais

LEAN MANUFACTURING: REDUÇÃO DE DESPERDÍCIOS E A PADRONIZAÇÃO DO PROCESSO RESUMO. Palavras-Chaves: Lean Manufacturing. Cronoanálise. Padronização.

LEAN MANUFACTURING: REDUÇÃO DE DESPERDÍCIOS E A PADRONIZAÇÃO DO PROCESSO RESUMO. Palavras-Chaves: Lean Manufacturing. Cronoanálise. Padronização. LEAN MANUFACTURING: REDUÇÃO DE DESPERDÍCIOS E A PADRONIZAÇÃO DO PROCESSO Daiane Maciel Rezende ¹ Jessica Freitas da Silva ² Sheila Marcela Miranda ³ Anderson Barros 4 RESUMO O objetivo deste artigo é de

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Redução de custos por meio de departamentalização por família de produtos. Pesquisa Ação Numa Linha de Transformadores.

Redução de custos por meio de departamentalização por família de produtos. Pesquisa Ação Numa Linha de Transformadores. Redução de custos por meio de departamentalização por família de produtos. Pesquisa Ação Numa Linha de Transformadores. Anderson do Nascimento Jorge Muniz Universidade Estadual Paulista - UNESP RESUMO

Leia mais

Prof. Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br

Prof. Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Logística e Supply Chain Management Prof. Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br INTRODUÇÃO Histórico O comércio e a Logística Da Logística ao Supply Chain Management A Cadeia de Valor e a Logística

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DE MELHORIA CONTÍNUA.

OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DE MELHORIA CONTÍNUA. OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DE MELHORIA CONTÍNUA. Palestrante: Recife, Pernambuco LEAN THINK DEFINIÇÃO O Lean Manufacture é uma filosofia de administração da manufatura, surgida no Japão,

Leia mais

a WZ é uma empresa de consultoria em logística que surgiu para melhorar e oferecer soluções simples e inteligentes.

a WZ é uma empresa de consultoria em logística que surgiu para melhorar e oferecer soluções simples e inteligentes. EMPRESA CRIADA EM 2007, a WZ é uma empresa de consultoria em logística que surgiu para melhorar e oferecer soluções simples e inteligentes. Além de fazer um diagnóstico e sugerir recomendações, a WZ acredita

Leia mais

FACCAMP - FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA

FACCAMP - FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA FACCAMP - FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA Engenharia Logística 1. Nome do Curso e Área do Conhecimento Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda

Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda Tecnologia da Informação Aplicada à Logística Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda Como garantir

Leia mais

A Logística Enxuta em desenvolvimento

A Logística Enxuta em desenvolvimento Introdução A Logística Enxuta em desenvolvimento Rogério Bañolas Consultoria ProLean Logística Enxuta À abordagem enxuta (lean) é atribuída a obtenção de resultados efetivos e consistentes. Compare a Toyota,

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DOS SISTEMAS DE MANUFATURA ÁGIL, FLEXÍVEL E ENXUTO

ESTUDO COMPARATIVO DOS SISTEMAS DE MANUFATURA ÁGIL, FLEXÍVEL E ENXUTO ESTUDO COMPARATIVO DOS SISTEMAS DE ÁGIL, FLEÍVEL E ENUTO Luiz Dalmir Ferraz de Campos Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP Caixa Postal, 1524-13256-000- Itatiba SP Brasil FONE: (011) 7806-1432 Email:

Leia mais

Vendas na Empresa Lean

Vendas na Empresa Lean Vendas na Empresa Lean Autor: Alexandre Cardoso Publicado: 29/04/2011 Introdução Em uma empresa, a área de Vendas é de extrema importância para o sucesso do negócio. Aprimorar o seu desempenho tem sido

Leia mais

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos JOGO DA CERVEJA Experimento e 2: Abordagem gerencial hierárquica e centralizada Planejamento Integrado de todos os Estágios de Produção e Distribuição Motivação para um novo Experimento Atender à demanda

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Coordenação Acadêmica: Prof. Jamil Moysés Filho OBJETIVO: Ao final do Curso, o aluno será capaz de: Conhecer

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO INDICADOR DE EFICÁCIA GLOBAL DE EQUIPAMENTOS (OEE) NA GESTÃO DE MELHORIA CONTÍNUA DO SISTEMA DE MANUFATURA - UM ESTUDO DE CASO

UTILIZAÇÃO DO INDICADOR DE EFICÁCIA GLOBAL DE EQUIPAMENTOS (OEE) NA GESTÃO DE MELHORIA CONTÍNUA DO SISTEMA DE MANUFATURA - UM ESTUDO DE CASO ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& UTILIZAÇÃO DO INDICADOR DE EFICÁCIA GLOBAL DE EQUIPAMENTOS

Leia mais

Prestar assistencia tecnica no conserto e reparo de equipamentos eletronicos, domesticos, microprocessadores e microcontrolados.

Prestar assistencia tecnica no conserto e reparo de equipamentos eletronicos, domesticos, microprocessadores e microcontrolados. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 500702 - ELETROTECNICA - MOD. Nivel: Tecnico Area Profissional: 0047 - ELETRICA-ELETRONICA-TEC Area de Atuacao: 0349 - ASSIST.TEC./ELETR.-TEC

Leia mais

Lean IT Juliano Daniel Marcelino ( juliano@jmarcelino.com.br ) Orientador: Mehran Misaghi, Dr. ( mehran@sociesc.org.br )

Lean IT Juliano Daniel Marcelino ( juliano@jmarcelino.com.br ) Orientador: Mehran Misaghi, Dr. ( mehran@sociesc.org.br ) Lean IT Juliano Daniel Marcelino ( juliano@jmarcelino.com.br ) Orientador: Mehran Misaghi, Dr. ( mehran@sociesc.org.br ) Agenda Conceitos básicos Necessidade de usar Lean IT Ambiente Benefícios para melhoria

Leia mais

PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO

PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Móveis Integrado FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Estratégia Competitiva 16/08/2015. Módulo II Cadeia de Valor e a Logistica. CADEIA DE VALOR E A LOGISTICA A Logistica para as Empresas Cadeia de Valor

Estratégia Competitiva 16/08/2015. Módulo II Cadeia de Valor e a Logistica. CADEIA DE VALOR E A LOGISTICA A Logistica para as Empresas Cadeia de Valor Módulo II Cadeia de Valor e a Logistica Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc. CADEIA DE VALOR E A LOGISTICA A Logistica para as Empresas Cadeia de Valor Estratégia Competitiva é o conjunto de planos, políticas,

Leia mais

Palestras gratuitas durante nos encontros mensais (São Paulo e Rio de Janeiro)... Fevereiro a novembro

Palestras gratuitas durante nos encontros mensais (São Paulo e Rio de Janeiro)... Fevereiro a novembro EVENTOS ESPECIAIS: Palestras gratuitas durante nos encontros mensais (São Paulo e Rio de Janeiro)... Fevereiro a novembro Encontro da Federação Internacional de Compras (Rio de Janeiro)... 17 e 18 de março

Leia mais

DA DISTRIBUIÇÃO FÍSICA AO SUPPLY CHAIN MANAGEMENT: O PENSAMENTO, O ENSINO E AS NECESSIDADES DE CAPACITAÇÃO EM LOGÍSTICA

DA DISTRIBUIÇÃO FÍSICA AO SUPPLY CHAIN MANAGEMENT: O PENSAMENTO, O ENSINO E AS NECESSIDADES DE CAPACITAÇÃO EM LOGÍSTICA DA DISTRIBUIÇÃO FÍSICA AO SUPPLY CHAIN MANAGEMENT: O PENSAMENTO, O ENSINO E AS NECESSIDADES DE CAPACITAÇÃO EM LOGÍSTICA Kleber Figueiredo COPPEAD Universidade Federal do Rio de Janeiro e-mail: kleber@coppead.ufrj.br

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000184 - SISTEMAS DE INFORMACAO Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

ANÁLISE PARA APLICAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO NA LOGÍSTICA COMO ESTRATÉGIA COMPETITIVA DE UMA EMPRESA DE DISTRIBUIÇÃO

ANÁLISE PARA APLICAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO NA LOGÍSTICA COMO ESTRATÉGIA COMPETITIVA DE UMA EMPRESA DE DISTRIBUIÇÃO ANÁLISE PARA APLICAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO NA LOGÍSTICA COMO ESTRATÉGIA COMPETITIVA DE UMA EMPRESA DE DISTRIBUIÇÃO Wallace Passos Malheiros wallace.malheiros@gmail.com André Lima Duarte sesplife@yahoo.com.br

Leia mais

MBA EM LOGÍSTICA E SUPLLY CHAIN MANAGEMENT

MBA EM LOGÍSTICA E SUPLLY CHAIN MANAGEMENT PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA EM LOGÍSTICA E SUPLLY CHAIN MANAGEMENT SIGA: TMBALSC*11/01 Av. Conselheiro Nébias, 159 Bairro Paquetá Santos SP - CEP 11015-001 - Fone: (13) 3228 6000 Rua

Leia mais

Estudo de caso na implementação do Kanban em uma indústria de componentes plásticos rotomoldados

Estudo de caso na implementação do Kanban em uma indústria de componentes plásticos rotomoldados IX WORKSHOP DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DO CENTRO PAULA SOUZA São Paulo, 15 e 16 de outubro de 2014 Estratégias Globais e Sistemas Produtivos Brasileiros ISSN: 2175-1897 Estudo de caso na implementação

Leia mais

Matriz para avaliação do sistema de Distribuição de produtos do setor de bebidas

Matriz para avaliação do sistema de Distribuição de produtos do setor de bebidas Matriz para avaliação do sistema de Distribuição de produtos do setor de bebidas Isabel Marcia Rodrigues (UTFPR) imarcia.r@hotmail.com João Carlos Colmenero (UTFPR) colmenero@utfpr.edu.br Luiz Alberto

Leia mais

Introdução e Planejamento Cap. 1. Prof. Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br

Introdução e Planejamento Cap. 1. Prof. Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br BALLOU, Ronald H. Gerenciamenrto da Cadeia de Suprimentos / Logística Empresarial. 5ª ed. Porto Alegre: Bookman. 2006 Introdução e Planejamento Cap. 1 Prof. Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0021 - OPERACAO

Leia mais

APLICAÇÃO DA PRODUÇÃO ENXUTA EM UMA EMPRESA DE CONFECÇÃO APPLICATION OF LEAN PRODUCTION IN A CLOTHING COMPANY

APLICAÇÃO DA PRODUÇÃO ENXUTA EM UMA EMPRESA DE CONFECÇÃO APPLICATION OF LEAN PRODUCTION IN A CLOTHING COMPANY APLICAÇÃO DA PRODUÇÃO ENXUTA EM UMA EMPRESA DE CONFECÇÃO APPLICATION OF LEAN PRODUCTION IN A CLOTHING COMPANY Amábili Sierra Fernandes amabilisierra@yahoo.com.br Amanda Regina Pilla amandinha_pilla@hotmail.com

Leia mais