Engenharia Automotiva Parte II

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Engenharia Automotiva Parte II"

Transcrição

1 Engenharia Automotiva Parte II PROF. KEY FONSECA DE LIMA Medições de Ruído AMBIENTAL Levantamento ponto a ponto com medições instantâneas para conhecimento do perfil do ruído na área; Rastreamento da área que pode ser obtido unindo-se os pontos de mesmo nível de ruído. PESSOAL Através da dosimetria de ruído para avaliação de funções, sendo geralmente feito por audiosímetros. 1

2 Ruído Ambiental - Medições Calibrar o medidor de nível sonoro antes e após as medições; Utilizar um croqui da área, com a posição dos equipamentos; Posicionar o medidor de forma a medir o maior valor no ponto. Ruído Ambiental - Medições Calibrar o medidor de nível sonoro antes e após as medições; Utilizar um croqui da área, com a posição dos equipamentos; Posicionar o medidor de forma a medir o maior valor no ponto. 2

3 Ruído Ambiental - Medições Manter o medidor na altura da região auditiva (1,5 m do solo); Afastado do corpo de 0,5 m. Ruído Ambiental - Medições Medições ocupacionais: Campo Próximo ( 4,0 db); Controle de Ruído Industrial: Campo Próximo; Anotar todas as condições ambientais e operacionais; N de trabalhadores expostos na área; Registrar marca, tipo e sério do equipamento de medição; 3

4 Ruído Ambiental - Medições Em ambientes externos sempre utilizar o protetor de vento; Mantenha o equipamento de medição longe de superfícies refletoras; Verifique o ruído de fundo e deve estar abaixo de 10 db do NPS do ambiente. Ruído Ambiental - Medições Se a medição é em campo livre direcione o equipamento diretamente para fonte (IEC); Quando utilizar microfones de incidência aleatória, oriente o medidor a da fonte (ANSI); Faça um bom relatório. 4

5 Ruído Ambiental - Medições Taxa de Aquisição Slow = 1 s Fast = 125 ms Impulse = 35 ms Fonte: E. Brevigliero, J. Possebon, R. Spinelli, Higiene Ocupacional Agentes Biológicos, Químicos e Físicos, (2006). Propagação do Som O isolamento de ruído fornecido por paredes, pisos, divisórias ou partições é apenas uma maneira de atenuar a transmissão da energia sonora de um ambiente para outro. 5

6 Isolamento de Ruído TRANSMISSION LOSS (TL) TL=10log 1 α α T Coeficiente de Transmissão Acústica α = Energia Transmitida Energia Incidente Transmissão do Som TRANSMISSÃO ATRAVÉS DE DOIS MEIOS (Incidência Normal) TL=10log α = Z=ρc Z Impedância Característica do meio 6

7 Transmissão do Som Exemplo 01. Uma maquita é utilizada para corte de ladrilhos de granitos. Cortado seco este processo emite um ruído de 104 db(a). Um azulejista experiente fez este mesmo corte sob água por dois motivos, primeiro para refrigerar a ferramenta e segundo, para atenuar o ruído emitido. Qual é o valor desta atenuação? Sabe-se tanto a água como o ar estão a 25ºC. Transmissão do Som Exemplo 01. Uma maquita é utilizada para corte de ladrilhos de granitos. Cortado seco este processo emite um ruído de 104 db. Um azulejista experiente fez este mesmo corte sob água por dois motivos, primeiro para refrigerar a ferramenta e segundo, para atenuar o ruído emitido. Qual é o valor desta atenuação? Sabe-se tanto a água como o ar estão a 25ºC. Água a 25ºC = Ar a 25 C =409,8 α = 4 409,8 + = ( =1, ,8) TL=10log 1 1 =10log α 1,1 10 =59,6dB 7

8 Transmissão do Som TRANSMISSÃO ATRAVÉS DE DOIS MEIOS (Incidência Oblíqua) TL10log α 4Z Z cosθ cosθ Z cosθ Z cosθ Zρc Transmissão do Som TRANSMISSÃO ATRAVÉS DE UMA PAREDE TL10log α 1 Z Z 4Z /Z cosk L Z Z Z Z sink L k 2 Número da onda no meio 2 (Wavenumber) k 8

9 Transmissão do Som Exemplo 02. Uma chapa de madeira compensada com espessura de 1,2 mm separa dois meios conforme o esquema abaixo. Sabe-se que a frequência predominante do onda sonora incidente é de 1,25 khz. Qual é o valor da atenuação promovida por este arranjo? Transmissão do Som Exemplo 02. Uma chapa de aço com espessura de 15 mm separa dois meios conforme o esquema abaixo. Sabe-se que a frequência predominante do onda sonora incidente é de 1250 Hz. Qual é o valor da atenuação promovida por este arranjo? (veloc. do som para madeira é 3100 m/s) Número da Onda L k L 0,015 k L0,038 rad Ar a 25ºC c γr273t 1, c346 m/s ρ P RT ,22 kg/m Z Z ρc346 1,22422,1 9

10 Transmissão do Som Exemplo 02. Uma chapa de madeira compensada com espessura de 15 mm separa dois meios conforme o esquema abaixo. Sabe-se que a frequência predominante do onda sonora incidente é de 1250 Hz. Qual é o valor da atenuação promovida por este arranjo? Madeira Compensada Z =ρc ,2 10 Transmissão do Som Exemplo 02. Uma chapa madeira compensada com espessura de 15 mm separa dois meios conforme o esquema abaixo. Sabe-se que a frequência predominante do onda sonora incidente é de 1250 Hz. Qual é o valor da atenuação promovida por este arranjo? α = 1 Z Z 4Z /Z cos(k L) + Z + Z Z Z sin(k L) α = cos(0,038) + 422,1 17, ,2 10 sin(0,038) 422,1 α =0, TL=10log 1 1 =10log TL=37,8 db α 0,

11 Transmissão do Som Exemplo 02. Uma chapa madeira compensada com espessura de 15 mm separa dois meios conforme o esquema abaixo. Sabe-se que a frequência predominante do onda sonora incidente é de 1250 Hz. Qual é o valor da atenuação promovida por este arranjo? TL [db] Frequência [Hz]

Audição e Trabalho. Marcelo Madureira

Audição e Trabalho. Marcelo Madureira Audição e Trabalho Marcelo Madureira Som Qualquer perturbação vibratória em meio elástico, a qual produz uma sensação auditiva Energia transmitida por vibrações no ar (ou outros materiais) e que causa

Leia mais

TRANSMISSÃO. Ao ser atingido por uma onda sonora, o obstáculo vibra, funcionando como uma nova fonte sonora.

TRANSMISSÃO. Ao ser atingido por uma onda sonora, o obstáculo vibra, funcionando como uma nova fonte sonora. TRANSMISSÃO Ao ser atingido por uma onda sonora, o obstáculo vibra, funcionando como uma nova fonte sonora. PAREDES HOMOGÊNEAS obedecem à LEI DA MASSA : o isolamento sonoro aumenta de db a cada vez que

Leia mais

INSTITUTO DE ENGENHARIA DE SÃO PAULO SOLUÇÕES PARA RUÍDO OCUPACIONAL

INSTITUTO DE ENGENHARIA DE SÃO PAULO SOLUÇÕES PARA RUÍDO OCUPACIONAL INSTITUTO DE ENGENHARIA DE SÃO PAULO SOLUÇÕES PARA RUÍDO OCUPACIONAL HISTÓRIA DE CASOS DIVISÃO TÉCNICA SEGURANÇA NO TRABALHO e DIVISÃO TÉCNICA DE ACÚSTICA 22/05/2012 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO ALGUNS

Leia mais

MINERAÇÃO SERRA ALTA DE SÃO TOMÉ LTDA.

MINERAÇÃO SERRA ALTA DE SÃO TOMÉ LTDA. ESTABELECIMENTO: MINERAÇÃO SERRA ALTA DE SÃO TOMÉ LTDA. ENDEREÇO: SERRA DO CARIMBADO, S/N SÃO TOMÉ DAS LETRAS-MG CNPJ: 70.986.153/0001-35 RAMO DE ATIVIDADE: MINERAÇÃO CNAE: 08.10.0-99 GRAU DE RISCO: 4

Leia mais

Engenharia Automotiva Parte I

Engenharia Automotiva Parte I Engenharia Automotiva Parte I PROF. KEY FONSECA DE LIMA 2 0 1 1 Som Definições Básicas Som Se caracteriza por flutuações em um meio elástico (sólido, líquido ou gasoso). É a parte da vida diária como uma

Leia mais

MANUAL DE MEDIÇÃO E CÁLCULO DAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS

MANUAL DE MEDIÇÃO E CÁLCULO DAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS 1 Programa de Recuperação de Espaços Didáticos Pró-Reitoria de Graduação MANUAL DE MEDIÇÃO E CÁLCULO DAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS 2 1. INTRODUÇÃO Adotou-se um processo de trabalho convencional, de desenvolvimento

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DO RUÍDO

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DO RUÍDO LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DO RUÍDO Contratante: Sistema Ribrane de Ensino Ltda ME Praça Padre Tavares, 46 - Centro Avaré - SP. Responsável Técnico: Engenheiro Eletricista e de Segurança do Trabalho CREA:

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO DECIBELÍMETRO MODELO DL-4050

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO DECIBELÍMETRO MODELO DL-4050 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO DECIBELÍMETRO MODELO DL-4050 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. Introdução...01 2. Regras de segurança...01 3.

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO 046/15-A

RELATÓRIO TÉCNICO 046/15-A SPE FASHION CITY RUÍDO AMBIENTAL R.T 046/15-A PÁG. 1/21 RELATÓRIO TÉCNICO 046/15-A RUÍDO AMBIENTAL NATUREZA DO TRABALHO: AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE PRESSÃO SONORA CLIENTE: SPE FASHION CITY BRASIL S/A RODOVIA:

Leia mais

VALIAÇÃO DO RUÍDO EM ÁREAS HABITADAS VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE

VALIAÇÃO DO RUÍDO EM ÁREAS HABITADAS VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE VALIAÇÃO DO RUÍDO EM ÁREAS HABITADAS VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE 1. OBJETIVO 1.1 Esta Norma fixa as condições exigíveis para avaliação da aceitabilidade do ruído em comunidades. Ela especifica um

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO No. RT002-062010 AVALIAÇÃO DA ISOLAÇÃO SONORA AÉREA DE PAINEL DE FIBROCIMENTO E GESSO ACARTONADO

RELATÓRIO TÉCNICO No. RT002-062010 AVALIAÇÃO DA ISOLAÇÃO SONORA AÉREA DE PAINEL DE FIBROCIMENTO E GESSO ACARTONADO Universidade Federal de Santa Maria Centro de Tecnologia Laboratório de Acústica Av. Roraima 1000, Campus Universitário, Bloco 10, Sala 439, Camobi, CEP 97105-900, Santa Maria/RS, Brasil Tel.: 55-55 -

Leia mais

O Radar Meteorológico

O Radar Meteorológico O Radar Meteorológico Demilson Quintão PY2UEP Bauru, 2014 1 Previsão Meteorológica 1-Climática: indica tendência das estações em escalas regionais, continentais, globais. 2-Previsão Meteorológica comum

Leia mais

Decibelímetro Modelo SL130

Decibelímetro Modelo SL130 Manual do Usuário Decibelímetro Modelo SL130 Introdução Parabéns pela sua compra do Decibelímetro SL130 Extech. Desenhado para montagem em parede, mesa, ou montagem em tripé, este medidor está de acordo

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO DECIBELÍMETRO MODELO DL-4100

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO DECIBELÍMETRO MODELO DL-4100 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO DECIBELÍMETRO MODELO DL-4100 revisão novembro de 2008 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...1 2. REGRAS

Leia mais

O Ouvido Humano e a Audição

O Ouvido Humano e a Audição 36 Capítulo 4 O Ouvido Humano e a Audição Neste capítulo faremos um estudo sobre o ouvido humano, a fisiologia da audição e a sensibilidade do nosso sistema auditivo. 1. Conceitos básicos sobre a anatomia

Leia mais

Realizando o ensaio de ultra-som

Realizando o ensaio de ultra-som Realizando o ensaio de ultra-som A UU L AL A Na aula anterior, você ficou sabendo que o ultra-som é uma onda mecânica que se propaga de uma fonte emissora até uma fonte receptora, através de um meio físico.

Leia mais

Trabalho apresentado no SEMINÁRIO DE PERÍCIAS TRABALHISTAS Florianópolis, 7 a 9 de setembro de 2.006. ACEST/ANEST MARCELO FONTANELLA WEBSTER/UFSC

Trabalho apresentado no SEMINÁRIO DE PERÍCIAS TRABALHISTAS Florianópolis, 7 a 9 de setembro de 2.006. ACEST/ANEST MARCELO FONTANELLA WEBSTER/UFSC Trabalho apresentado no SEMINÁRIO DE PERÍCIAS TRABALHISTAS Florianópolis, 7 a 9 de setembro de 2.006. ACEST/ANEST DEFINIÇÕES: SOM - Fenômeno acústico que consiste na propagação de ondas sonoras produzidas

Leia mais

Introdução ao Ruído. Vibrações e Ruído (10375) 2014 Pedro V. Gamboa. Departamento de Ciências Aeroespaciais

Introdução ao Ruído. Vibrações e Ruído (10375) 2014 Pedro V. Gamboa. Departamento de Ciências Aeroespaciais Introdução ao Ruído Vibrações e Ruído (10375) 2014 Tópicos Som. Pressão Sonora e Potência Sonora. Níveis Sonoros. 2 1. Som O som pode ser definido como uma manifestação positiva resultante da variação

Leia mais

Processamento Sísmico:

Processamento Sísmico: Processamento Sísmico: Até aqui vimos que um pulso sísmico artificial atravessa as camadas e parte de sua energia é refletida em cada superfície de contraste de impedância acústica. A fração da amplitude

Leia mais

ESTUDO E ESPECIFICAÇÕES PARA REVESTIMENTO E ISOLAMENTO ACÚSTICO DA SALA DE PENEIRAS DO LABORATÓRIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO DO CTU

ESTUDO E ESPECIFICAÇÕES PARA REVESTIMENTO E ISOLAMENTO ACÚSTICO DA SALA DE PENEIRAS DO LABORATÓRIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO DO CTU ESTUDO E ESPECIFICAÇÕES PARA REVESTIMENTO E ISOLAMENTO ACÚSTICO DA SALA DE PENEIRAS DO LABORATÓRIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO DO CTU Referência PACS: 43.50.Gf Barbosa Miriam Jerônimo; Zeballos Adachi Andrea

Leia mais

Para melhorar o conforto acústico das edificações é essencial realizar estudos de avaliação prévia e utilizar produtos submetidos a ensaios

Para melhorar o conforto acústico das edificações é essencial realizar estudos de avaliação prévia e utilizar produtos submetidos a ensaios Esquadrias anti-ruídos Para melhorar o conforto acústico das edificações é essencial realizar estudos de avaliação prévia e utilizar produtos submetidos a ensaios Laboratório de acústica da Divisão de

Leia mais

O Ruído e sua Medição

O Ruído e sua Medição 61 Capítulo 8 O Ruído e sua Medição 1. - Introdução Como já vimos no capítulo 2, podemos definir Ruído, de maneira subjetiva, como toda sensação auditiva desagradável, ou fisicamente, como todo fenômeno

Leia mais

PROPRIEDADES ACÚSTICAS DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO PARA USO EM EDIFICAÇÕES NO ENTORNO DE AEROPORTOS

PROPRIEDADES ACÚSTICAS DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO PARA USO EM EDIFICAÇÕES NO ENTORNO DE AEROPORTOS Anais do 15 O Encontro de Iniciação Científica e Pós-Graduação do ITA XV ENCITA / 2009 Instituto Tecnológico de Aeronáutica São José dos Campos SP Brasil Outubro 19 a 22 2009. PROPRIEDADES ACÚSTICAS DE

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

Ruído. 1) Introdução. 2) Principais grandezas e parâmetros definidores do som

Ruído. 1) Introdução. 2) Principais grandezas e parâmetros definidores do som 1) Introdução A movimentação mecânica de cargas pode ser definida como o conjunto de ações, de materiais e de meios que permitem, de um modo planeado e seguro, movimentar cargas de um determinado local

Leia mais

NORMA DE HIGIENE OCUPACIONAL PROCEDIMENTO TÉCNICO

NORMA DE HIGIENE OCUPACIONAL PROCEDIMENTO TÉCNICO NORMA DE HIGIENE OCUPACIONAL PROCEDIMENTO TÉCNICO PRESIDENTE DA REPÚBLICA Fernando Henrique Cardoso MINISTRO DO TRABALHO E EMPREGO Francisco Dornelles FUNDACENTRO PRESIDÊNCIA Humberto Carlos Parro DIRETORIA

Leia mais

ACÚSTICA. Instrutor: José Carlos Giner, BSc (EEng) CEng Aco

ACÚSTICA. Instrutor: José Carlos Giner, BSc (EEng) CEng Aco ACÚSTICA Instrutor: José Carlos Giner, BSc (EEng) CEng Aco Todas as fotos e desenhos são de propriedade da Environmental Solutions Consultoria S/S Ltda Home Expert Acústica Módulo 1 Apresentado por: José

Leia mais

Minuta de Norma AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO HUMANA À VIBRAÇÃO VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE PREFÁCIO

Minuta de Norma AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO HUMANA À VIBRAÇÃO VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE PREFÁCIO Minuta de Norma AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO HUMANA À VIBRAÇÃO VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE PREFÁCIO As vibrações afetam as pessoas de muitas formas causando desconforto, problemas de saúde, diminuição da

Leia mais

Fonte: Ruído e a Cidade Instituto do Ambiente

Fonte: Ruído e a Cidade Instituto do Ambiente Ruído Como se define Define-se ruído, como sendo um som sem interesse ou desagradável para o auditor. O ruído (som) pode ser mais ou menos intenso, composto por uma só tonalidade ou composto por várias

Leia mais

Programa de Conservação Auditiva Willes de Oliveira e Souza 14/11/2014

Programa de Conservação Auditiva Willes de Oliveira e Souza 14/11/2014 Pontos fundamentais para o êxito de programas relacionados a riscos ambientais Programa de Conservação Auditiva Willes de Oliveira e Souza 14/11/2014 Histórico ANEXO I do QUADRO II NR 7 (Port. 19-04/1998

Leia mais

SOM. Ruído. Frequência. Ruído. Amplitude da vibração. Ruído. Isabel Lopes Nunes FCT/UNL. Som - produz vibrações (ondas) que entram no ouvido interno

SOM. Ruído. Frequência. Ruído. Amplitude da vibração. Ruído. Isabel Lopes Nunes FCT/UNL. Som - produz vibrações (ondas) que entram no ouvido interno SOM Isabel Lopes Nunes FCT/UNL toda a vibração mecânica que se propaga num meio elástico (ar, metais, líquidos ), desde que as frequências que a compõem se encontrem dentro de uma determinada faixa audível

Leia mais

Som: qualidades, quantidades, sensações.

Som: qualidades, quantidades, sensações. Companhia dos Cursos Arquitetura Bioclimática 038 Acústica II Marco Romanelli, Ph. D. Vitória, ES Agosto/2010 Som: qualidades, quantidades, sensações. Som: variação pulsante da pressão atmosférica, capaz

Leia mais

Estudo comparativo do comportamento térmico de quatro sistemas de cobertura. Um estudo experimental para a reação frente ao calor.

Estudo comparativo do comportamento térmico de quatro sistemas de cobertura. Um estudo experimental para a reação frente ao calor. Estudo comparativo do comportamento térmico de quatro sistemas de cobertura. Um estudo experimental para a reação frente ao calor. Francisco Vecchia Departamento de Hidráulica e Saneamento Escola de Engenharia

Leia mais

Comunicação da informação a curta distância. FQA Unidade 2 - FÍSICA

Comunicação da informação a curta distância. FQA Unidade 2 - FÍSICA Comunicação da informação a curta distância FQA Unidade 2 - FÍSICA Meios de comunicação É possível imaginar como seria o nosso mundo sem os meios de comunicação de que dispomos? Os * * * * Aparelhos de

Leia mais

PARÂMETROS PARA QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES CONFORME NBR 15.575

PARÂMETROS PARA QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES CONFORME NBR 15.575 EMPRESA NBR 15.575 DESEMPENHO ACÚSTICO PROJETO ACÚSTICO EXECUÇÃO PARÂMETROS PARA QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES CONFORME NBR 15.575 EMPRESA NBR 15.575 DESEMPENHO ACÚSTICO PROJETO ACÚSTICO EXECUÇÃO

Leia mais

Experimento de medição da intensidade sonora em campo ON/OFF para ligar ou desligar o aparelho. DECIBELÍMETRO Microfone Escala: 35 a 130 db em 3 faixas Precisão: ± 5 db Resolução: 0.1 db C/A Seleciona

Leia mais

Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA. Ondas Sonoras. Prof. Luis Gomez

Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA. Ondas Sonoras. Prof. Luis Gomez Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA Ondas Sonoras Prof. Luis Gomez SUMÁRIO Introdução Ondas sonoras. Características de som Velocidade do som Ondas sonoras em propagação Interferência Potencia, intensidade

Leia mais

Anexo VIII - Fichas de medições de ruídos e de vibrações e Certificado de Calibração do Equipamento

Anexo VIII - Fichas de medições de ruídos e de vibrações e Certificado de Calibração do Equipamento RELATÓRIO TÉCNICO Código RT-020.00/RA2/004 Emissão O.S. 15/08/13 Folha 10 de 12 Rev. A Emitente Resp. Técnico Emitente 15/08/13 Verificação / São Paulo Transporte Anexo VIII - Fichas de medições de ruídos

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Gerência de Pesquisa e Pós-Graduação ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA

Leia mais

COMUNICADO/SOLICITAÇÃO

COMUNICADO/SOLICITAÇÃO COMUNICADO/SOLICITAÇÃO Nos dias 5, 6 e 7 de novembro de 2013, na Universidade Aberta do Brasil Polo/UAB Imperatriz, será realizado o Curso de Medição e Avaliação de Ruído Ambiental, a ser ministrado pelo

Leia mais

ECOTELHADO BRANCO. Revestimento Reflexivo

ECOTELHADO BRANCO. Revestimento Reflexivo ECOTELHADO BRANCO Revestimento Reflexivo 2 Especificações Quando se trata de problemas com elevadas temperaturas devido a incidência solar e falta de estrutura para telhado verde, a refletância é a melhor

Leia mais

Sinal analógico x sinal digital. Sinal analógico. Exemplos de variações nas grandezas básicas. Grandezas básicas em sinais periódicos

Sinal analógico x sinal digital. Sinal analógico. Exemplos de variações nas grandezas básicas. Grandezas básicas em sinais periódicos Plano Redes de Computadores Transmissão de Informações nálise de Sinais ula 04 Introdução Dados, sinais e transmissão Sinal analógico x sinal digital Sinais analógicos Grandezas básicas Domínio tempo x

Leia mais

Outono 2002 13.00 Conjunto de problemas 9 - Respostas

Outono 2002 13.00 Conjunto de problemas 9 - Respostas Outono 2002 13.00 Conjunto de problemas 9 - Respostas 1. Sistema de Tomografia Acústica do Oceano (a) (b) Local Distância da fonte Tempo de percurso Mudança no tempo de percurso por 1 m/seg. Ilhas Aleutas

Leia mais

CAPÍTULO 08/ MÓDULO 01: ONDAS.

CAPÍTULO 08/ MÓDULO 01: ONDAS. FÍSICA PROF. HELTON CAPÍTULO 08/ MÓDULO 01: ONDAS. MOVIMENTO PERIÓDICO Um fenômeno é periódico quando se repete identicamente em intervalos de tempos iguais. Exemplos: DEFINIÇÕES: Amplitude: distância

Leia mais

ULTRA SOM - HISTÓRIA

ULTRA SOM - HISTÓRIA ULTRA SOM Usa ondas de som para interagir com tecidos Mostra características específicas de tecidos Ondas mecânicas e longitudinais que viajam através da matéria Em ondas longitudinais, o movimento do

Leia mais

1. INFORMAÇÕES GERAIS

1. INFORMAÇÕES GERAIS 1. INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 EMPRESA CONTRATANTE Razão Social: Multiplan Greenfield VII Empreendimento Imobiliário Ltda. CNPJ: 14.447.630/0001-13 Endereço: Av. das Américas, 4.200 - Bloco 02 / Sala 501 -

Leia mais

Prof. Eduardo Loureiro, DSc.

Prof. Eduardo Loureiro, DSc. Prof. Eduardo Loureiro, DSc. Transmissão de Calor é a disciplina que estuda a transferência de energia entre dois corpos materiais que ocorre devido a uma diferença de temperatura. Quanta energia é transferida

Leia mais

DC112d/DC112. Dosímetro / Dosímetro analisador

DC112d/DC112. Dosímetro / Dosímetro analisador Dosímetro / Dosímetro analisador D_DC112dDC112_v0027_20120703_PRT Aplicações Avaliação da exposição dos trabalhadores ao ruído no trabalho, simultaneamente à verificação dos EPI (Equipamentos de Protecção

Leia mais

8.2. Na extremidade de uma corda suficientemente longa é imposta uma perturbação com frequência f = 5 Hz que provoca uma onda de amplitude

8.2. Na extremidade de uma corda suficientemente longa é imposta uma perturbação com frequência f = 5 Hz que provoca uma onda de amplitude Constantes Velocidade do som no ar: v som = 344 m /s Velocidade da luz no vácuo c = 3 10 8 m/s 8.1. Considere uma corda de comprimento L e densidade linear µ = m/l, onde m é a massa da corda. Partindo

Leia mais

RESUMO 1. INTRODUÇÃO 2. AS NORMAS DE RUÍDO 3. DEFINIÇÕES UTILIZADAS NAS NORMAS DE ENSAIO = P

RESUMO 1. INTRODUÇÃO 2. AS NORMAS DE RUÍDO 3. DEFINIÇÕES UTILIZADAS NAS NORMAS DE ENSAIO = P ASPECTOS NORMATIVOS REFERENTES AOS ENSAIOS DE RUÍDO EM MÁQUINAS GIRANTES ADOTADOS PEA WEG Agnaldo Reus Medeiros Rodrigues - cq-lab1@weg.com.br Seção de Controle de Produtos I WMO RESUMO Este trabalho procura

Leia mais

Valores eternos. MATÉRIA PROFESSOR(A) ---- ----

Valores eternos. MATÉRIA PROFESSOR(A) ---- ---- Valores eternos. TD Recuperação ALUNO(A) MATÉRIA Física II PROFESSOR(A) Fernando ANO SEMESTRE DATA 2º 1º Julho/2013 TOTAL DE ESCORES ESCORES OBTIDOS ---- ---- 1. Considere a figura ao lado. Com base no

Leia mais

PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE RUIDO EM AMBIENTES INTERNOS.

PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE RUIDO EM AMBIENTES INTERNOS. PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE RUIDO EM AMBIENTES INTERNOS. Prof. Msc. Lucas C. Azevedo Pereira ALTAMIRA/PA 04 de novembro de 2016 A ACÚSTICA é a ciência do som, incluindo sua produção, transmissão e efeitos.

Leia mais

ATENUAÇÃO ACÚSTICA DE UM SISTEMA DE VENTILAÇÃO INDUSTRIAL

ATENUAÇÃO ACÚSTICA DE UM SISTEMA DE VENTILAÇÃO INDUSTRIAL ATENUAÇÃO ACÚSTICA DE UM SISTEMA DE VENTILAÇÃO INDUSTRIAL PACS: 43.50.GF L. Bragança; J. Matos Departamento de Engenharia Civil, Universidade do Minho Campus de Azurém 4800-058, Guimarães, Portugal Tel.:

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO 028/14 B

RELATÓRIO TÉCNICO 028/14 B SPE FASHION CITY RUÍDO AMBIENTAL R.T 028/14 B PÁG. 1/23 RELATÓRIO TÉCNICO 028/14 B RUÍDO AMBIENTAL NATUREZA DO TRABALHO: AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE PRESSÃO SONORA CLIENTE: SPE FASHION CITY BRASIL S/A RODOVIA:

Leia mais

Programa de Revisão Paralela 4º Bimestre

Programa de Revisão Paralela 4º Bimestre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular. Rua Cantagalo 313, 325, 337 e 339 Tatuapé Fones: 2293-9393 e 2293-9166 Diretoria de Ensino Região LESTE 5 Programa de Revisão Paralela 4º Bimestre

Leia mais

Ondas Sonoras. Velocidade do som

Ondas Sonoras. Velocidade do som Ondas Sonoras Velocidade do som Ondas sonoras são o exemplo mais comum de ondas longitudinais. Tais ondas se propagam em qualquer meio material e sua velocidade depende das características do meio. Se

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Curso de Engenharia de Segurança do Trabalho Disciplina: Higiene do Trabalho III Aula 47

Leia mais

ROTEIRO DE CÁLCULO PARA ACÚSTICA

ROTEIRO DE CÁLCULO PARA ACÚSTICA ROTEIRO DE CÁLCULO PARA ACÚSTICA DIAGNÓSTICO, PROJETO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO a. Caracterizar as condições de exposição: ruído urbano móvel (tráfego viário, aéreo, etc) e fixo (casas noturnas, indústrias,

Leia mais

Modelos de cobertura em redes WIFI

Modelos de cobertura em redes WIFI Comunicação sem fios Departamento de Engenharia Electrotécnica Secção de Telecomunicações Mestrado em Fisica 2005/2006 Grupo: nº e Modelos de cobertura em redes WIFI 1 Introdução Nos sistemas de comunicações

Leia mais

DIVISÃO DE ACÚSTICA. 2 - Equipamento SONÔMETRO, medidor do nível de pressão sonora (NPS)

DIVISÃO DE ACÚSTICA. 2 - Equipamento SONÔMETRO, medidor do nível de pressão sonora (NPS) ENSAIO DE DESEMPENHO DE LAJE PARA ISOLAMENTO DE RUÍDO DE IMPACTO NBR 15575-3:2013 2 - Equipamento SONÔMETRO, medidor do nível de pressão sonora (NPS) deve estar de acordo com as exigência da norma IEC

Leia mais

Os Fundamentos da ACÚSTICA

Os Fundamentos da ACÚSTICA Os Fundamentos da ACÚSTICA Controle de Ruídos e Qualidade do Som Bill Tolliver Gerente de Suporte Técnico America do Sul Acústica O que é Som? Propriedades Ondas, frequência, db, absorção, reflexão Controle

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Josevan Ursine Fudoli ENGº CIVIL E DE SEGURANÇA DO TRABALHO HIGIENE OCUPACIONAL RUÍDO Aula

Leia mais

Knauf Folheto Técnico. Knauf Flexboard Porque a mente criativa gera mais que linhas retas.

Knauf Folheto Técnico. Knauf Flexboard Porque a mente criativa gera mais que linhas retas. Knauf Folheto Técnico 01 / 2015 Knauf Flexboard Porque a mente criativa gera mais que linhas retas. Knauf Flexboard Flexboard é a mais delgada chapa Knauf Drywall, desenvolvida especialmente para permitir

Leia mais

Freqüência dos sons audíveis: entre 20Hz (infra-sônica) e 20.000Hz (ultra-sônica, audíveis para muitos animais).

Freqüência dos sons audíveis: entre 20Hz (infra-sônica) e 20.000Hz (ultra-sônica, audíveis para muitos animais). Ondas Sonoras: - São ondas longitudinais de pressão, que se propagam no ar ou em outros meios. - Têm origem mecânica, pois são produzidas por deformação em um meio elástico. - As ondas sonoras não se propagam

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 6 Programa de ConservaÇÉo Auditiva

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 6 Programa de ConservaÇÉo Auditiva Curso Técnico Segurança do Trabalho Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 6 Programa de ConservaÇÉo Auditiva Propósito (Objetivo) do Programa O propósito (objetivo) do programa de Conservação

Leia mais

Para que possam oferecer a protecção adequada os produtos deverão ser:

Para que possam oferecer a protecção adequada os produtos deverão ser: proteção facial Proteção Facial Porquê o uso de viseiras? As viseiras são concebidas para proteger os olhos e o rosto. A protecção pode ser conferida através de uma rede metálica de malha fina ou em material

Leia mais

Analisador de Linhas TN-10E

Analisador de Linhas TN-10E Analisador de Linhas TN-10E O Analisador de Linhas TN-10E é um instrumento compacto com capacidade de realizar medições digitais e analógicas para testes e ensaios em linhas de transmissão de dados que

Leia mais

Tabela 1- Intensidades sonoras características em db(a)

Tabela 1- Intensidades sonoras características em db(a) Desempenho Acústico DESEMPENHO ACÚSTICO O ruído gerado pela circulação de veículos, crianças brincando no playground e música alta no apartamento vizinho são causas de desentendimentos e de estresse. Por

Leia mais

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx LTDA

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx LTDA xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx LTDA R E C I F E MURIBECA - SETEMBRO / 2009 Levantamento ruído - set/2009 - Pág. 1/6. Í N D I C E 1. - APRESENTAÇÃO 2. - OBJETIVO 3. - EMPRESA BENEFICIADA 4. - AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO

Leia mais

Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática. 1ª Parte Frequência

Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática. 1ª Parte Frequência ISCTE Ano Lectivo 2005/2006 Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática Física Frequência / 2º Teste Duração: Frequência 3h, Teste 1h 30min. Não é permitido o uso de telemóveis durante

Leia mais

Cores. Cristal Opal Bronze Cinza. 0,98 Opal. 0,66 Bronze Cinza. 2100 x 5800 Não Consta. Azul. Reflexivo Hot Climate. Reflexivo.

Cores. Cristal Opal Bronze Cinza. 0,98 Opal. 0,66 Bronze Cinza. 2100 x 5800 Não Consta. Azul. Reflexivo Hot Climate. Reflexivo. POLICARBONATO AVEOLAR Chapas em policarbonato alveolar, com tratamento em um dos lados contra ataque dos raios ultra violeta (garantia de 10 anos contra amarelamento). Por possuir cavidades internas (alvéolos),

Leia mais

Fundamentos de Engenharia Solar. Racine T. A. Prado

Fundamentos de Engenharia Solar. Racine T. A. Prado Fundamentos de Engenharia Solar Racine T. A. Prado Coletores Solares Um coletor solar é um tipo específico de trocador de calor que transforma energia solar radiante em calor. Duffie; Beckman Equação básica

Leia mais

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO Disciplina ministrada ao IV semestre do curso de Engenharia Civil Universidade do Estado de Mato Grosso Campus Sinop/MT Profa. Dr.-Ing. Erika Borges Leão PROGRAMAÇÃO 18/08 - Apresentação

Leia mais

O SOM. 2. Um fenómeno vibratório que produz essa sensação;

O SOM. 2. Um fenómeno vibratório que produz essa sensação; O SOM Segundo a Diciopédia, o som pode ser: 1. Física: sensação auditiva produzida por vibrações mecânicas de frequência compreendida entre determinados valores (20 e 20 000 vibrações por segundo, em média);

Leia mais

DRAFT. Higiene Ocupacional CONCURSO PETROBRAS. Questões Resolvidas ENGENHEIRO(A) DE SEGURANÇA JÚNIOR

DRAFT. Higiene Ocupacional CONCURSO PETROBRAS. Questões Resolvidas ENGENHEIRO(A) DE SEGURANÇA JÚNIOR CONCURSO PETROBRAS ENGENHEIRO(A) DE SEGURANÇA JÚNIOR ENGENHEIRO(A) JÚNIOR - ÁREA: SEGURANÇA PROFISSIONAL JÚNIOR - ENG. SEGURANÇA DO TRABALHO Higiene Ocupacional Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS DE

Leia mais

CONTROLE DE RUÍDO. Samir N. Y. Gerges

CONTROLE DE RUÍDO. Samir N. Y. Gerges CONTROLE DE RUÍDO Samir N. Y. Gerges Supervisor do Lab. de Ruído Industrial Universidade Federal de Santa Catarina Dept. Engenharia Mecânica Cx.P. 476 Florianópolis SC Tel: (048) 2344074 Fax: (048) 2334455

Leia mais

Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES

Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES Prof. Roberto Leal Sensores Dispositivo capaz de detectar sinais ou de receber estímulos de natureza física (tais como calor, pressão, vibração, velocidade, etc.),

Leia mais

2 SISTEMAS DE DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM DUTOS

2 SISTEMAS DE DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM DUTOS 2 SISTEMAS DE DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM DUTOS Neste capítulo vamos apresentar um breve estudo de técnicas e sistemas de detecção de vazamentos mais utilizados atualmente. Nosso objetivo é demonstrar que

Leia mais

DH 406A SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS. Descrição de componentes

DH 406A SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS. Descrição de componentes DH 406A SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS Descrição de componentes 2 1 INTRODUÇÃO O sistema de treinamento em microondas DH-0406A foi desenvolvido para permitir explorar experimentalmente alguns conceitos

Leia mais

Física IV. Interferência

Física IV. Interferência Física IV Interferência Sears capítulo 35 Prof. Nelson Luiz Reyes Marques Interferência Arco-íris = Bolha de sabão refração interferência Princípio da superposição Quando duas ou mais ondas se superpõem,

Leia mais

A Acústica no Interior de Ambientes

A Acústica no Interior de Ambientes 54 Capítulo 7 A Acústica no Interior de Ambientes O projeto acústico de ambientes é um dos maiores desafios enfrentados por Arquitetos e Engenheiros Civis. Isto em razão da rara literatura em língua portuguesa

Leia mais

CAPÍTULO 3 INSPEÇÃO E METROLOGIA

CAPÍTULO 3 INSPEÇÃO E METROLOGIA CAPÍTULO 3 INSPEÇÃO E METROLOGIA 3.1. INSPEÇÃO Conjunto de procedimentos técnicos com a finalidade de classificar o produto ou lote de produtos em aceito ou rejeitado. Pode ser efetuada em: Produtos acabados

Leia mais

Descobertas do electromagnetismo e a comunicação

Descobertas do electromagnetismo e a comunicação Descobertas do electromagnetismo e a comunicação Porque é importante comunicar? - Desde o «início dos tempos» que o progresso e o bem estar das sociedades depende da sua capacidade de comunicar e aceder

Leia mais

Sensores Ultrasônicos

Sensores Ultrasônicos Sensores Ultrasônicos Introdução A maioria dos transdutores de ultra-som utiliza materiais piezelétricos para converter energia elétrica em mecânica e vice-versa. Um transdutor de Ultra-som é basicamente

Leia mais

0932 INF 01/12. Pág. 1 de 8

0932 INF 01/12. Pág. 1 de 8 Pág. 1 de 8 LABORÓRIO Laboratóro de ensaios da TÜV RHEINLAND DO BRASIL Técnico responsável Gerente Técnico do Laboratório Laboratório...: TÜV Rheinland do Brasil Ltda. Endereço...: Rua dos Comerciários,

Leia mais

ÁREA DE ENSAIOS ACÚSTICA RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 82636 Amostra nº: 092013 Data de entrada: 25 / 09 / 2013

ÁREA DE ENSAIOS ACÚSTICA RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 82636 Amostra nº: 092013 Data de entrada: 25 / 09 / 2013 LABORATÓRIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL LMCC 1/8 ENDEREÇO: Av. Roraima, 1000 Prédio 10, Campus Camobi, Santa Maria/RS CEP 97105-900 TELEFONE: (55) 3220.8608 (Fax) Direção 3220.8313 Secretaria 3220.8461

Leia mais

Mantas de Isolamento termoacústico

Mantas de Isolamento termoacústico Espessura Manta 5 mm (400gr/m²) Manta 10 mm (500gr/m²) Manta Duto Manta 20 mm (700gr/m²) Capacidade de isolamento térmica elevada. Maior rendimento do ar condicionado. Cinta Duto metálico MANTA DUTO 03

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 8 Programa de ConservaÇÉo Auditiva

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 8 Programa de ConservaÇÉo Auditiva Curso Técnico Segurança do Trabalho Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 8 Programa de ConservaÇÉo Auditiva O ouvido humano pode ser separado em três grandes partes, de acordo com

Leia mais

MADETAL RUA SANTA ISABEL, 68. Porto Alegre RS. Ref.: LAUDO TÉCNICO DE ISOLAMENTO ACÚSTICO. Porto Alegre, 21 de abril de 2014. Prezados Senhores:

MADETAL RUA SANTA ISABEL, 68. Porto Alegre RS. Ref.: LAUDO TÉCNICO DE ISOLAMENTO ACÚSTICO. Porto Alegre, 21 de abril de 2014. Prezados Senhores: MADETAL RUA SANTA ISABEL, 68 Porto Alegre RS Ref.: LAUDO TÉCNICO DE ISOLAMENTO ACÚSTICO Porto Alegre, 21 de abril de 2014. Prezados Senhores: Vimos por meio desta apresentar os resultados de Medição e

Leia mais

Telefone e Lacete de Assinante Analógico

Telefone e Lacete de Assinante Analógico Telefone e Lacete de Assinante Analógico Sistemas e Redes de Telecomunicações Sistemas e Redes de Telecomunicações (06/07), Telefone e Lacete 1 Lacete de assinante analógico Telefone Linha telefónica Central

Leia mais

Associação Brasileira de Cinematografia, ABC Recomendação Técnica Arquitetura de Salas de Projeção Cinematográfica

Associação Brasileira de Cinematografia, ABC Recomendação Técnica Arquitetura de Salas de Projeção Cinematográfica Associação Brasileira de Cinematografia, ABC Recomendação Técnica Arquitetura de Salas de Projeção Cinematográfica 1 Escopo da Recomendação: Esta Recomendação Técnica é uma iniciativa conjunta da Associação

Leia mais

Poluição sonora no município de São Paulo: avaliação do ruído e o impacto da exposição na saúde da população

Poluição sonora no município de São Paulo: avaliação do ruído e o impacto da exposição na saúde da população Poluição sonora no município de São Paulo: avaliação do ruído e o impacto da exposição na saúde da população Introdução O ruído pode ser definido como um som desagradável e indesejável que pode afetar

Leia mais

Curso de Capacitação Básica em Ultrassonografia haroldomillet.com

Curso de Capacitação Básica em Ultrassonografia haroldomillet.com Curso de Capacitação Básica em Ultrassonografia haroldomillet.com PRINCÍPIOS FÍSICOS DO ULTRASSOM O ultrassom é uma onda mecânica, longitudinal produzida pelo movimento oscilatório das partículas de um

Leia mais

Antena Escrito por André

Antena Escrito por André Antena Escrito por André Antenas A antena é um dispositivo passivo que emite ou recebe energia eletromagnéticas irradiada. Em comunicações radioelétricas é um dispositivo fundamental. Alcance de uma Antena

Leia mais

Do local onde está, Paulo não vê Pedro, mas escuta-o muito bem porque, ao passarem pela quina do barranco, as ondas sonoras sofrem

Do local onde está, Paulo não vê Pedro, mas escuta-o muito bem porque, ao passarem pela quina do barranco, as ondas sonoras sofrem Lista de exercícios -Fenômenos Física Dudu 1-Pedro está trabalhando na base de um barranco e pede uma ferramenta a Paulo, que está na parte de cima (ver figura). Além do barranco, não existe, nas proximidades,

Leia mais

REINVENTANDO O ISOLAMENTO ACÚSTICO E SUSTENTÁVEL

REINVENTANDO O ISOLAMENTO ACÚSTICO E SUSTENTÁVEL REINVENTANDO O ISOLAMENTO ACÚSTICO E SUSTENTÁVEL Reinventing how cork engages the world. A REINVENÇÃO DO CONFORTO E DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Maximizando o conforto e a eficiência energética com ACOUSTICORK.

Leia mais

Consultoria Assessoria Projetos

Consultoria Assessoria Projetos Consultoria Assessoria Projetos Giner Sound Vibration Transmissão Interfaces Acústica Recepção Massa Rigidez Amortecimento Conforto Acústico Interno em Hotéis José Carlos Giner, BSc(EEng) CEng Aco Principal

Leia mais

ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ACÚSTICA

ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ACÚSTICA ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ACÚSTICA INTRODUÇÃO É o segmento da Física que interpreta o comportamento das ondas sonoras audíveis frente aos diversos fenômenos ondulatórios. Acústica

Leia mais

Campo Magnético de Espiras e a Lei de Faraday

Campo Magnético de Espiras e a Lei de Faraday Campo Magnético de Espiras e a Lei de Faraday Semestre I - 005/006 1.Objectivos 1) Estudo do campo magnético de espiras percorridas por corrente eléctrica. ) Estudo da lei de indução de Faraday.. Introdução

Leia mais

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL SISTEMA DE VEDAÇÃO Um subsistema

Leia mais