SIMULAÇÃO ESPECTRAL DE DADOS MULTIESPECTRAIS DO COMPORTAMENTO ESPECTRAL DE UM CORPO D ÁGUA A PARTIR DE DADOS HIPERESPECTRAIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SIMULAÇÃO ESPECTRAL DE DADOS MULTIESPECTRAIS DO COMPORTAMENTO ESPECTRAL DE UM CORPO D ÁGUA A PARTIR DE DADOS HIPERESPECTRAIS"

Transcrição

1 p SIMULAÇÃO ESPECTRAL DE DADOS MULTIESPECTRAIS DO COMPORTAMENTO ESPECTRAL DE UM CORPO D ÁGUA A PARTIR DE DADOS HIPERESPECTRAIS REJANE ENNES MARIA DE LOURDES BUENO TRINDADE GALO Universidade Estadual Paulista - UNESP Faculdade de Ciências e Tecnologia - FCT Programa de Pós-Graduação em Ciências Cartográficas Departamento de Cartografia RESUMO - O estudo dos ecossistemas aquáticos tem sido de fundamental importância nos dias atuais, pois permite o planejamento de ações de uso sustentável deste recurso que vem sendo degradado constantemente por ações antrópicas. Nesse sentido, o Sensoriamento Remoto mostra-se uma ferramenta eficaz, por registrar a variação espacial e temporal de parâmetros indicadores da qualidade da água. Essas características aliadas ao potencial espectral de imagens hiperespectrais trouxe novas perspectivas para estudos de ambientes aquáticos, tornando possível também identificar de modo mais acurado as regiões espectrais mais influenciadas por COAs (Componentes Opticamente Ativos). O grande benefício na identificação dessas regiões espectrais é a possibilidade de analisar de modo eficiente às respostas espectrais extraídas de sensores multiespectrais tradicionais e ainda obter um melhor ajuste da abrangência espectral de bandas de sensores em construção. Assim, com o objetivo de analisar a qualidade do posicionamento e abrangência espectral das bandas de sensores multiespectrais tradicionais na identificação de COAs, uma imagem hiperespectral foi adquirida simultaneamente com a concentração de COAs em pontos amostrais georreferenciados. Após os pré-processamentos necessários, foram simuladas curvas espectrais dos sensores MODIS, CBERS/CCD e LANDSAT/TM e correlacionadas com COAs. Os resultados obtidos indicam que o sensor MODIS possui bandas espectrais melhor posicionadas para estudos em ambientes aquáticos. ABSTRACT - The study of aquatic ecosystems is important nowadays, because it allows the planning of actions for sustainable use of that resource that has constantly been degraded by human actions. Thus, the remote sensing proves to be an effective tool for recording the spatial and temporal parameters indicators of water quality. Those characteristics, combined with the potential hyperspectral images have opened new perspectives for studies of aquatic environments, making it possible to identify accurately the spectral regions affected by OACs (Optically Active Constituents). The great benefit of identifying those spectral regions is the ability of adjustment of the range of spectral bands multispectral sensors and the possibility of analyze spectral responses from traditional multispectral sensors. Thus, with the objective of analyzing the efficiency of the spectral range of traditional multispectral sensors to identify COAs, a hyperspectral image was acquired simultaneously with the concentration of OACs in georeferenced points. After the pre-processing, were simulated spectral curves of the sensors MODIS, CBERS/CCD and LANDSAT / TM and correlated with OACs. The results indicate that the MODIS spectral bands have better positioning for studies in aquatic environments. 1 INTRODUÇÃO As atividades de monitoramento e avaliação da qualidade dos corpos d água são indispensáveis para um manejo adequado e aprimoramento de sua qualidade. No Brasil, a principal rede hidrológica básica de monitoramento (Agência Nacional de Águas - ANA), realiza a coleta e análise de dados de qualidade de água em 969 rios do território brasileiro, com base em métodos convencionais de coleta, sendo realizadas 4 campanhas por ano, em 1276 estações, o que representa uma densidade de amostragem inferior a 15 x 10-5 amostras por km 2. Essa cobertura insuficiente do território brasileiro aliado à falta de agilidade entre a coleta e sua disponibilidade dos dados para o uso, torna o sistema de monitoramento falho (NOVO, 2007). É nesse contexto que a tecnologia de Sensoriamento Remoto se insere como fonte de

2 informação a ser integrada às técnicas convencionais, devido à natureza sinóptica dos dados e capacidade de imageamento de grandes áreas da superfície terrestre. Observando o grande potencial dessa ferramenta, diversas tecnologias surgiram, dentre as quais, podemos citar os sensores orbitais de altíssima resolução espectral, capazes de fornecer medidas radiométricas em bandas estreitas e contínuas para cada pixel da imagem, definindo curvas espectrais com potencial de discriminar diferentes componentes da matéria, com a vantagem de oferecer uma abrangência espacial, que viabiliza verificar a variação espacial e temporal de alvos da superfície terrestre (GREEN et al., 1998). Em se tratando de ambientes aquáticos, as contribuições são inúmeras, já que permitem investigar a origem e o deslocamento de substâncias específicas em suspensão ou dissolvidas na água que causam mudanças na sua resposta espectral (JENSEN, 2002). Todavia, imagens obtidas por sensores hiperespectrais ainda são de difícil acesso, sendo normalmente obtidas em plataformas aerotransportadas, o que aumenta o custo na aquisição de cenas, ou no caso de dados orbitais como o Hyperion, adquirem dados em faixas de imageamento de largura estreita (7,5 km), que torna o sensor inadequado para o estudo de grandes corpos d água e ainda ocorre uma baixa freqüência de recobrimento, que inviabiliza análise no tempo (NOVO, 2007). Mas, em virtude das grandes revelações científicas, a análise de dados hiperespectrais ainda possui um vasto universo de exploração. Uma das possibilidades para estudos em ambientes aquáticos é a investigação de regiões espectrais específicas, onde ocorrem intensa interação da energia eletromagnética com a água e seus Componentes Opticamente Ativos (COAs). Essa particularidade torna possível analisar de modo mais eficiente às respostas espectrais extraídas de sensores multiespectrais tradicionais e obter um melhor ajuste no posicionamento e abrangência espectral das bandas na construção de sensores multiespectrais. Análises desse tipo são de fundamental importância, visto que imagens multiespectrais possuem poucas bandas espectrais, caracterizando um sistema mais simplificado, permitindo o usuário ter total controle no processo de calibração absoluta e processamento dos dados, além de serem menos custosos (PONZONI et al., 2007). Essas características, aliadas a alta temporalidade dos dados de diversos sensores disponíveis no mercado, podem auxiliar a comunidade gestora de recursos hídricos no domínio das mudanças do comportamento dos corpos d água, facilitando a tomada de decisões. Diante disso, o presente trabalho realiza uma análise em dados obtidos com o sensor Hyperion, relacionando suas informações espectrais altamente detalhadas com a abrangência espectral de sensores multiespectrais tradicionais, buscando apresentar a eficiência da localização e abrangência espectral dos sensores multiespectrais na identificação de COAs, tornando possível a indicação de um sensor multiespectral p disponível no mercado com especificidades para estudos em ambientes aquáticos. 2 ABORDAGEM METODOLÓGICA O Reservatório de Itupararanga localiza-se no Estado de São Paulo, próximo à cidade de Sorocaba. A Figura 1 mostra sua localização no estado. As coordenadas no sistema de projeção UTM e datum WGS84, referentes à parte central do reservatório são E (m): ,185 e N (m): ,742 com e zona UTM 23. Em sua região circundante, observou-se um intenso uso agrícola, empreendimentos imobiliários e atividade pecuária, caracterizada por ser um sistema extensivo de baixa produtividade. Figura 1 Reservatório de Itupararanga SP O desenvolvimento do trabalho teve início com a realização de uma campanha de campo para medir dados limnológicos em 13 pontos de coleta para variável pigmentos totais (clorofila a + feofitina a) e 26 pontos para as demais variáveis no dia 09 de outubro de 2007, cobrindo um segmento do reservatório, em que a imagem Hyperion foi adquirida simultaneamente. Para a distribuição dos pontos de coleta e análise da água ao longo do reservatório, definiu-se um esquema de amostragem, em que utilizou-se cenas ETM+/Landsat tomadas em maio de 2003 e de maio de Em cada elemento amostral, foram coletadas as seguintes variáveis limnológicas: transparência (penetração vertical da luz solar na coluna d água com o disco de Secchi), em metros, ph, condutividade elétrica (µs/cm), temperatura, sólidos em suspensão, sólidos dissolvidos, sólidos totais, oxigênio dissolvido (mg/l), turbidez (NTU-Nephelometric Turbidity Unit) e pigmentos totais (medida indireta de clorofila em µg/l). O sistema de posicionamento Global Positioning System (GPS) foi usado para registrar a localização geográfica. Após a aquisição da imagem hiperespectral Hyperion, foram realizados pré-processamentos como remoção de pixels anômalos, correção atmosférica, ajuste geométrico, aplicação de máscaras para isolar o corpo d água, entre outros. Na remoção de pixels anômalos foi utilizada a metodologia proposta por Goodenough et al.

3 (2003) e Han et al. (2002), sendo substituída a resposta radiométrica dos pixels nas faixas ruidosas pela média de seus vizinhos na direção horizontal. Para correção dos efeitos atmosféricos da imagem Hyperion, optou-se em utilizar o módulo FLAASH (Fast Line-of-sight Atmospheric Analysis of Spectral Hypercubes) que tem como base o código MODTRAN4, disponível comercialmente no software ENVI 4.4. Esse algoritmo procura minimizar os efeitos de espalhamento e absorção dos gases da atmosfera. O georreferenciamento da imagem foi realizado no software ENVI 4.4, utilizando-se quatorze pontos de controle sobre feições correspondentes entre a imagem Hyperion e uma imagem ETM+/Landsat, que serviu como referência. Para a transformação foi usado um polinômio do primeiro grau, adotando-se o sistema de projeção UTM, datum WGS-84 e zona UTM 23. Após o georreferenciamento, foi avaliado o resíduo em unidades de pixel, seguido pela reamostragem dos pixels da cena Hyperion pelo método de vizinho mais próximo. Na seqüência, nos pontos amostrais georrefenciados, em que se coletaram variáveis limnológicas, foram sobrepostos da imagem Hyperion, e nos pixels geograficamente correspondentes aos locais dos elementos amostrais, foram extraídas curvas espectrais a partir da média de 3x3 pixels na imagem. Para suavizar as curvas e evitar a presença de possíveis ruídos remanescentes e também reduzir as oscilações radiométricas, ainda observadas nos espectros Hyperion, os dados foram filtrados utilizando-se um filtro de média móvel simples com três pontos (bandas) (TSAI; PHILPOT, 1998). O filtro de média móvel calcula uma média dos valores espectrais de todos os pontos dentro de um intervalo discreto, com tamanho pré-especificado. Essa média então é definida como o novo valor do ponto central da janela. A aplicação do filtro nos espectros Hyperion reduziu algumas oscilações radiométricas introduzidas pela baixa razão sinal/ruído deste sensor. Após obtenção das curvas espectrais do sensor Hyperion, primeiramente delimitou-se a região espectral, em que a água é capaz de provocar alterações significativas na resposta espectral ( nm). Para verificar a aplicabilidade da localização e abrangência das bandas espectrais de sensores multiespectrais, foi feita uma simulação da resposta espectral de diferentes sensores, utilizando a abrangência espectral e o posicionamento das bandas dos sensores LANDSAT/TM, CCD/CBERS e MODIS (Produto MOD 09 - Surface Reflectance). Assim, selecionaram-se nos dados Hyperion os valores de reflectância localizados no intervalo espectral das bandas dos sensores multiespectrais, no qual, posteriormente se calculou a média para obtenção de um único valor de reflectância representativo da resposta espectral de cada banda dos sensores multiespectrais. Como o sensor Hyperion possui resolução espectral de 10 nm, em alguns casos houve a necessidade de interpolar os valores das extremidades para que houvesse uma perfeita compatibilidade abrangência espectral dos dados Hyperion com as bandas dos sensores tradicionais. p Com as curvas multiespectrais estruturadas, observou-se a relação existente entre elas e a concentração de COAs, sendo que as correlações mais elevadas mostram os sensores tradicionais com bandas espectrais melhor localizadas para estudos em ambientes aquáticos. 3 RESULTADOS As curvas espectrais obtidas a partir de dados do sensor Hyperion são apresentadas na Figura 2: Reflectância ρ (%) Comprimento de Onda (nm) Figura 2 Curvas espectrais do reservatório de Itupararanta obtidas a partir de dados do sensor Hyperion As curvas originais da imagem Hyperion do reservatório de Itupararanga (Figura 2) definem espectros que, aparentemente, apresentam forma similar, com baixa reflectância na faixa espectral considerada, com um valor máximo em torno de 6%, conforme esperado para alvos dessa natureza (GOODIN et al., 1993). A baixa reflectância da água observada na faixa dos menores comprimentos de onda (entre 436 e 450 nm, principalmente) tem sido atribuída, por alguns autores, à forte absorção pela matéria orgânica dissolvida e clorofila (GITELSON, 1992; KIRK, 1994). Nota-se um pico de reflectância máxima no verde entre 560 a 570 nm, um pequeno ponto de inflexão em torno de 630 nm, uma região de absorção no vermelho (671 nm) e picos de reflectância no infravermelho próximo (700 nm) e em 770 e 820 nm, com menor magnitude. Essas variações nos valores de reflectância mostram-se similares àquelas observadas nas curvas obtidas por Rundquist et al. (1996), Han et al. (1994) e Kirk (1994) para corpos d água com presença predominante de clorofila a. Assim, em uma análise preliminar das curvas espectrais originais, considerou-se que a radiação eletromagnética, ao atravessar a camada superior do corpo d água, foi absorvida e espalhada principalmente pelo fitoplâncton. Para a simulação foram considerados os intervalos espectrais das bandas dos sensores multiespectrais MODIS, LANDSAT/TM e CCD/CBERS, cujos comportamentos espectrais são representados nas Figuras 3, 4 e 5 respectivamente. Deve-se lembrar que as bandas espectrais selecionadas são aquelas cuja cobertura espectral abrange a região do espectro eletromagnético P1 P2 P4 P5 P6 P8 P9 P10 P12 P14 P15 P16 P18 P19 P20 P21 P22 P23 P24 P25 P26 P29 P30 P31 P32 P33

4 em que a radiação eletromagnética interage com o corpo d água, ou seja, entre 400 à 900nm. Figura 3 Curvas espectrais obtidas pela simulação da resposta espectral do Sensor MODIS a partir de dados do sensor Hyperion Figura 4 Curvas espectrais obtidas pela simulação da resposta espectral do Sensor LANDSAT/TM a partir de dados do sensor Hyperion p Das feições espectrais observadas nos dados hiperespectrais, as que apresentam uma tênue tendência visual de ocorrência em todas as representações de resposta espectral de sensores multiespectrais (Figura 3, 4 e 5), é o pico de reflectância máxima no verde entre 560 a 570. Nos Sensores MODIS e CBERS, pode-se visualizar uma leve mudança de ângulo de inclinação da curva, entre as Bandas 1 (620 a 670 nm) e 2 (841 a 876 nm) no caso do MODIS (Figura 3), e para o sensor CBERS (Figura 5) entre 3 (630 a 690 nm) e 4 (770 a 890), que pode estar indicando conjuntamente o pequeno ponto de inflexão em torno de 630 nm, a região de absorção no vermelho (671 nm) e o pico de reflectância no infravermelho próximo (700 nm), visualizadas na Figura 2 e que sobrepõem os intervalos espectrais das bandas 1 e 3 dos Sensores MODIS e CBERS respectivamente. Apesar de se tratar de uma generalização da resposta espectral, as bandas espectrais mencionadas podem trazer grandes contribuições na discriminação da resposta espectral de reservatórios com alta concentração de fitoplâncton e baixa concentração de sedimentos, que é o caso do reservatório em análise. Para corroborar as informações supracitadas, uma análise de correlação foi realizada entre valores de reflectância original medidos pelo sensor Hyperion/EO1, os simulados de acordo com a abrangência espectral dos sensores MODIS, LANDSAT/TM e CBERS/CCD com algumas variáveis limnológicas em função do comprimento de onda. A Figura 6 apresenta os correlogramas obtidos entre os valores de reflectância originais do sensor Hyperion, na faixa espectral entre 436 e 900 nm (46 bandas do Hyperion) e COAs. A finalidade é comparar a correlação obtida ao longo de todo o espectro eletromagnético com a correlação resultante da simulação das bandas espectrais dos sensores tradicionais. Figura 5 Curvas espectrais obtidas pela simulação da resposta espectral do Sensor LANDSAT/TM a partir de dados do sensor Hyperion Analisando as Figuras 3, 4 e 5, fica evidente que a informação apresentada por sensores multiespectrais perde todo o refinamento, antes verificado nos dados hiperespectrais da Figura 2. Diversas feições espectrais do corpo d água antes facilmente identificadas pelos dados hiperespectrais, nessas condições não são representadas. Figura 6 Correlação entre valores de reflectância medidos pelo sensor Hyperion/EO1 e COAs em função do comprimento de onda. Analisando a Figura 6 é possível visualizar que para sólidos em suspensão, observam-se valores não significativos de correlação, os quais podem ser explicados pelas baixas concentrações e variabilidade desses constituintes no reservatório. As maiores correlações positivas com a reflectância foram obtidas para pigmentos totais, o que é confirmado pelos valores

5 negativos de correlação entre reflectância e transparência da água. As correlações entre valores de reflectância, simulados a partir dos dados hiperespectrais para sensores multiespectrais, considerando o posicionamento e a abrangência espectral, e COAs são apresentadas na Tabela 1. Tabela 1 Correlações entre valores de reflectância simulados de sensores multiespectrais e COAs. Sensores Pigmentos Totais MODIS COAs Sólidos Transparência Totais B3 ( nm) B4( nm) B1 ( nm) B2 ( nm) LANDSAT/TM B1 ( nm) B2( nm) B3( nm) CBERS/CCD B1 ( nm) B2( nm) B3( nm) B4 ( nm) Diante dos valores de correlação apresentados na Tabela 1, observa-se que a simulação da abrangência espectral das bandas de sensores multiespectrais também indicaram correlações significativas com a variável limnologia pigmentos totais, como no correlograma representando todo o espectro da Figura 6. Para essa variável, observa-se que os valores de correção mais significativos ocorreram nas bandas espectrais posicionadas após 750 nm. Verifica-se que a abrangência espectral das bandas do sensor LANDSAT/TM estão posicionadas em locais espectrais menos estratégicos para estudos em corpos d água dos que os do MODIS e CBERS/CCD. De acordo com os dados, considerando que o reservatório apresenta predominância de fitoplâncton, o sensor MODIS mostrouse o mais adequado para estudos em ambientes aquáticos, isso em decorrência da maioria das bandas terem apresentado valores de correlação significativos com pigmentos totais e para alguns casos com a variável transparência. No caso do sensor CBERS/CCD valores de correlação significativos também foram observados, que pode ser explicado pela semelhança do posicionamento e abrangência espectral com o sensor MODIS, principalmente entre as bandas B1 (620 a 670nm) do MODIS e B3 (630 a 690 nm) do CBERS/CCD. Considerando ambientes aquáticos interiores, deve-se lembrar que apesar das vantagens aqui mostradas para o intervalo espectral das bandas MODIS, sua p resolução espacial inviabiliza análise de corpos d água menos extensos. Para o CBERS/CCD, alguns trabalhos desenvolvidos mostram sua eficiência na detecção de COAs (FERREIRA et al., 2009; ROTTA et al., 2009). 4 CONCLUSÕES A simulação espectral de dados multiespectrais do comportamento espectral de um corpo d água a partir de dados hiperespectrais mostrou que os sensores MODIS e CBERS/CCD apresentam posicionamento e abrangência das bandas espectrais mais eficientes dos que a do sensor LANDSAT/TM para estudos em ambientes aquáticos. No entanto, deve-se considerar que o reservatório analisado apresenta predominância na concentração de fitoplâncton, fazendo com que curva formada represente basicamente feições relacionadas à ocorrência desse COA. Sugere-se a realização de um trabalho similar em reservatórios com comportamentos espectrais distintos, para diagnosticar se a eficiência do posicionamento e abrangência espectral ainda permanece. Oportuno ressaltar que em nenhum momento do trabalho avaliou-se a qualidade da resposta espectral dos sensores tradicionais analisados, sendo utilizado uma estimativa desses valores de reflectância obtidos através de dados espectrais do sensor Hyperion. Assim sendo, adverte-se que a qualidade na extração de informações em ambientes aquáticos também depende da saúde dos detetores dos sensores utilizados na investigação. Ao final, resta enfatizar a importância da investigação de regiões espectrais altamente sensíveis a ocorrência de feições em estudo, buscando aprimorar cada vez mais a construção de sistemas de Sensoriamento Remoto orientados para a detecção do parâmetro de interesse. AGRADECIMENTOS Os autores agradecem às seguintes instituições e pessoas: Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico - CNPq, pelo auxilio financeiro destinado a essa pesquisa na forma de uma bolsa de estudo; aos pesquisadores da Faculdade de Ciências Agrárias Unesp, Campus de Botucatu, Dr. Eduardo Negrisoli e Dr. Marcelo Rocha Corrêa, por realizarem a coleta e análise limnológica nos elementos amostrais definidos no reservatório de Itupararanga e ao Dr. Lênio S. Galvão, pesquisador do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), que instruiu todo o processo de préprocessamento da imagem hiperespectral Hyperion. BIBLIOGRAFIA GITELSON, A. The peak near 700 nm on radiance spectra of algae and water: relationships of its magnitude

6 and position with chlorophyll concentration. International Journal of Remote Sensing, v. 13, n. 17, p , GOODIN, D. G. et al. Analysis of suspended solids in water using remotely sensed high resolution derivate spectra. Photogrammetric Engineering and Remote Sensing: Manhattan, v. 59, n. 4, p , GOODENOUGH, D. G. et al. Processing Hyperion and ALI for forest classification. IEEE Transactions on Geocience and Remote Sensing, v. 41, n.6, p , GREEN, R. O. et al. Imaging Spectroscopy and the Airborne Visible/Infrared Imaging Spectrometer (AVIRIS). Elsevier. Remote Sensing of Environment, St. Paul, v. 65, n. 3, p , jul FERREIRA, M. S. et al. Um estudo da distribuição espacial de pigmentos totais na planície de inundação do Alto Rio Paraná a partir de imagens multiespectrais. In: XIV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 2009, Natal. Anais. São José dos Campos, p HAN, L. et al. The spectral responses of algal chlorophyll in water with varying levels of suspended sediment. International Journal of Remote Sensing, Abingdon, v. 15, n. 18, p , HAN, T. et al. Detection and correction of abnormal pixels in Hyperion images, Toronto, In: Geoscience and Remote Sensing Symposium - IEEE International, p , JENSEN, J. R., Remote Sensing of the Environment: An Earth Resource Perspective, Upper Saddle River: Prentice-Hall, 2002, 544 p. KIRK, J.T.O. Light & Photosynthesis in Aquatic Ecosystems, London, Cambridge University Press, 1994, v. 2, p NOVO, E. Monitoramento de quantidade e qualidade da água e Sensoriamento Remoto, São Paulo, 2007, p.1-20, In: Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 17. Anais: Associação Brasileira de Recursos Hídricos. ROTTA, L. H. S., et al. Modelo de regressão na estimativa de sólidos em suspensão por meio de imagens multiespectrais TM-Landsat 5 e CCD-CBERS 2B - Estudo de caso:planíciie de inundação do Alto Rio Paraná. In: XIV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Natal. Anais. São José dos Campos, RUNDQUIST D. C. et al. Remote measurement of Algal Chlorophyll in surface waters: the case for the first derivative of reflectance near 690 nm. Photogrammetric p Engineering e Remote Sensing, Lincoln, v. 62, n. 2, p , fev PONZONI, F. J. Calibração absoluta de sensores orbitais: conceituação, principais procedimentos e aplicação. Parêntese: São Paulo, p. TSAI F., PHILPOT W. Derivative Analyses of Hyperspectral Data. Remote sensing Environoment, St. Paul, v. 66, p , 1998.

AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO ESPECTRAL DA ÁGUA: ESTUDO DE CASO DO ALTO CURSO DO RIO PARANÁ (PRESIDENTE EPITÁCIO SP)

AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO ESPECTRAL DA ÁGUA: ESTUDO DE CASO DO ALTO CURSO DO RIO PARANÁ (PRESIDENTE EPITÁCIO SP) III Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação Recife - PE, 27-3 de Julho de 21 p. 1-8 AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO ESPECTRAL DA ÁGUA: ESTUDO DE CASO DO ALTO CURSO DO RIO PARANÁ

Leia mais

Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa

Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa O que é Sensoriamento Remoto? Utilização conjunta de sensores, equipamentos

Leia mais

Potencial do uso da banda do infravermelho próximo na classificação de imagens adquiridas por câmaras digitais

Potencial do uso da banda do infravermelho próximo na classificação de imagens adquiridas por câmaras digitais Potencial do uso da banda do infravermelho próximo na classificação de imagens adquiridas por câmaras digitais Lauriana Rúbio Sartori Nilton Nobuhiro Imai Antônio Maria Garcia Tommaselli Roberto da Silva

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE NOVAS BANDAS ESPECTRAIS PARA OS SATÉLITES LANDSAT/TM-5 E SPOT 1

DETERMINAÇÃO DE NOVAS BANDAS ESPECTRAIS PARA OS SATÉLITES LANDSAT/TM-5 E SPOT 1 DETERMINAÇÃO DE NOVAS BANDAS ESPECTRAIS PARA OS SATÉLITES LANDSAT/TM-5 E SPOT 1 Míriam Regina Bordinhon PEGORARI 1, Erivaldo Antonio da SILVA 2, Vilma Mayumi TACHIBANA 2 (1) Departamento de Informática,

Leia mais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais Sensoriamento Remoto Características das Imagens Orbitais 1 - RESOLUÇÃO: O termo resolução em sensoriamento remoto pode ser atribuído a quatro diferentes parâmetros: resolução espacial resolução espectral

Leia mais

044.ASR.SRE.16 - Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto

044.ASR.SRE.16 - Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto Texto: PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO Autor: BERNARDO F. T. RUDORFF Divisão de Sensoriamento Remoto - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais São José dos Campos-SP - bernardo@ltid.inpe.br Sensoriamento

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. Herondino

Processamento de Imagem. Prof. Herondino Processamento de Imagem Prof. Herondino Sensoriamento Remoto Para o Canada Centre for Remote Sensing - CCRS (2010), o sensoriamento remoto é a ciência (e em certa medida, a arte) de aquisição de informações

Leia mais

DETECÇÃO DE COMPONENTES ÓPTICAMENTE ATIVOS NO RESERVATÓRIO DE ITUPARARANGA A PARTIR DE IMAGENS HIPERESPECTRAIS: UMA APLICAÇÃO DE ANÁLISE DERIVATIVA

DETECÇÃO DE COMPONENTES ÓPTICAMENTE ATIVOS NO RESERVATÓRIO DE ITUPARARANGA A PARTIR DE IMAGENS HIPERESPECTRAIS: UMA APLICAÇÃO DE ANÁLISE DERIVATIVA DETECÇÃO DE COMPONENTES ÓPTICAMENTE ATIVOS NO RESERVATÓRIO DE ITUPARARANGA A PARTIR DE IMAGENS HIPERESPECTRAIS: UMA APLICAÇÃO DE ANÁLISE DERIVATIVA MARIA DE LOURDES BUENO TRINDADE GALO REJANE ENNES TIAGO

Leia mais

RESPOSTA ESPECTRAL DE SÓLIDOS EM SUSPENSÃO COM O USO DO ESPECTRORADIÔMETRO

RESPOSTA ESPECTRAL DE SÓLIDOS EM SUSPENSÃO COM O USO DO ESPECTRORADIÔMETRO RESPOSTA ESPECTRAL DE SÓLIDOS EM SUSPENSÃO COM O USO DO ESPECTRORADIÔMETRO Patricia Michele Pereira Trindade¹ Greice Vieira Silveira¹ Diego de Almeida Prado¹ Waterloo Pereira Filho¹ 1 Universidade Federal

Leia mais

MundoGEOXperience - Maratona de Ideias Geográficas 07/05/2014

MundoGEOXperience - Maratona de Ideias Geográficas 07/05/2014 MundoGEOXperience - Maratona de Ideias Geográficas 07/05/2014 ANÁLISE DE TÉCNICAS PARA DETECÇÃO DE MUDANÇA UTILIZANDO IMAGENS DO SENSORIAMENTO REMOTO DESLIZAMENTOS EM NOVA FRIBURGO/RJ EM 2011 Trabalho

Leia mais

Reflectância espectral de classes e alvos urbanos no Rio de Janeiro, utilizando imagem do sensor Hyperion

Reflectância espectral de classes e alvos urbanos no Rio de Janeiro, utilizando imagem do sensor Hyperion Reflectância espectral de classes e alvos urbanos no Rio de Janeiro, utilizando imagem do sensor Hyperion Vandré Soares Viégas 1 Elizabeth Maria Feitosa da Rocha de Souza 2 1,2 Universidade Federal do

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO ESPECTRAL DAS ÁGUAS DO RESERVATÓRIO PASSO REAL RS/BRASIL

CARACTERIZAÇÃO ESPECTRAL DAS ÁGUAS DO RESERVATÓRIO PASSO REAL RS/BRASIL CARACTERIZAÇÃO ESPECTRAL DAS ÁGUAS DO RESERVATÓRIO PASSO REAL RS/BRASIL Aline Biasoli Trentin, Carline Biasoli Trentin, Flávio Wachholz, Gisieli Kramer, Waterloo Pereira Filho INTRODUÇÃO As diferenças

Leia mais

USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR COMPONENTE PRINCIPAL NA DETECÇÃO DE MUDANÇAS NA COBERTURA DO SOLO

USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR COMPONENTE PRINCIPAL NA DETECÇÃO DE MUDANÇAS NA COBERTURA DO SOLO Samuel da Silva Farias, Graduando do curso de geografia da UFPE samuel.farias763@gmail.com Rafhael Fhelipe de Lima Farias, Mestrando do PPGEO/UFPE, rafhaelfarias@hotmail.com USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR

Leia mais

Aplicações CBERS na Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Aplicações CBERS na Universidade Federal do Rio Grande do Sul Aplicações CBERS na Universidade Federal do Rio Grande do Sul Pesquisas CBERS - UFRGS 2001: Início do projeto Participantes: - PPG-SR / CEPSRM - Instituto de Geociências Geodésia Geografia Geologia - Faculdade

Leia mais

MONITORAMENTO DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE EM ÁREAS URBANAS UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS

MONITORAMENTO DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE EM ÁREAS URBANAS UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS MONITORAMENTO DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE EM ÁREAS URBANAS UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS Erika Gonçalves Pires 1, Manuel Eduardo Ferreira 2 1 Agrimensora, Professora do IFTO, Doutoranda em Geografia - UFG,

Leia mais

UMA APLICAÇÃO DE SENSORIAMENTO REMOTO ORBITAL NO MONITORAMENTO DE ÁREAS INFESTADAS POR PLANTAS AQUÁTICAS

UMA APLICAÇÃO DE SENSORIAMENTO REMOTO ORBITAL NO MONITORAMENTO DE ÁREAS INFESTADAS POR PLANTAS AQUÁTICAS UMA APLICAÇÃO DE SENSORIAMENTO REMOTO ORBITAL NO MONITORAMENTO DE ÁREAS INFESTADAS POR PLANTAS AQUÁTICAS Maria de Lourdes Bueno Trindade Galo 1 Edivaldo Domingues Velini 2 Maria Lúcia Bueno Trindade 3

Leia mais

Geomática e SIGDR aula teórica 23 17/05/11. Sistemas de Detecção Remota Resolução de imagens

Geomática e SIGDR aula teórica 23 17/05/11. Sistemas de Detecção Remota Resolução de imagens Geomática e SIGDR aula teórica 23 17/05/11 Sistemas de Detecção Remota Resolução de imagens Manuel Campagnolo ISA Manuel Campagnolo (ISA) Geomática e SIGDR 2010-2011 17/05/11 1 / 16 Tipos de resolução

Leia mais

Análise das técnicas de fusão de imagens aplicadas ao satélite CBERS-2B (CCD-HRC) Claudinei Rodrigues de Aguiar¹ Danielli Batistella¹

Análise das técnicas de fusão de imagens aplicadas ao satélite CBERS-2B (CCD-HRC) Claudinei Rodrigues de Aguiar¹ Danielli Batistella¹ Análise das técnicas de fusão de imagens aplicadas ao satélite CBERS-2B (CCD-HRC) Claudinei Rodrigues de Aguiar¹ Danielli Batistella¹ 1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR Via do Conhecimento,

Leia mais

C A P Í T U L O 1 F U N D A M E N T O S S E N S O R I A M E N T O

C A P Í T U L O 1 F U N D A M E N T O S S E N S O R I A M E N T O C A P Í T U L O 1 F U N D A M E N T O S D E S E N S O R I A M E N T O R E M O T O E l i s a b e t e C a r i a d e M o r a e s 1 INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS-INPE 1 e.mail : bete@ltid.inpe.br

Leia mais

USOS E Aplicações DE SENSORIAMENTO REMOTO I

USOS E Aplicações DE SENSORIAMENTO REMOTO I USOS E Aplicações DE SENSORIAMENTO REMOTO I AGRICULTURA, E RECURSOS FLORESTAIS DISCRIMINAÇÃO DE TIPOS DE VEGETAÇÃO Tipos de colheita Tipos de madeiras DETERMINAÇÃO DA VARIAÇÃO DE APTIDÃO E BIOMASSA DETERMINAÇÃO

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Informação Geográfica

Introdução aos Sistemas de Informação Geográfica Introdução aos Sistemas de Informação Geográfica Mestrado Profissionalizante 2015 Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br IFMA / DAI Motivação Alguns princípios físicos dão suporte ao Sensoriamento Remoto...

Leia mais

Dados para mapeamento

Dados para mapeamento Dados para mapeamento Existem dois aspectos com relação aos dados: 1. Aquisição dos dados para gerar os mapas 2. Uso do mapa como fonte de dados Os métodos de aquisição de dados para o mapeamento divergem,

Leia mais

Introdução ao Sensoriamento Remoto. Sensoriamento Remoto

Introdução ao Sensoriamento Remoto. Sensoriamento Remoto Introdução ao Sensoriamento Remoto Sensoriamento Remoto Definição; Breve Histórico; Princípios do SR; Espectro Eletromagnético; Interação Energia com a Terra; Sensores & Satélites; O que é Sensoriamento

Leia mais

Opções de Imageamento para a área do Reservatório da UHE Santo Antônio, Cidade de Porto Velho e trecho a jusante até Humaitá

Opções de Imageamento para a área do Reservatório da UHE Santo Antônio, Cidade de Porto Velho e trecho a jusante até Humaitá Avaliacao_Imageamento_SAE_Ano-Hidro-2010-2011 Relatório simplificado Opções de Imageamento para a área do Reservatório da UHE Santo Antônio, Cidade de Porto Velho e trecho a jusante até Humaitá Cliente:

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Biociências Pós Graduação em Ecologia

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Biociências Pós Graduação em Ecologia UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Biociências Pós Graduação em Ecologia ANÁLISE DO COMPORTAMENTO ESPECTRAL DA ÁGUA NO RESERVATÓRIO GUARAPIRANGA, RIO GRANDE E BRAÇO TAQUACETUBA DO COMPLEXO BILLINGS

Leia mais

Sistemas Sensores. Introdução

Sistemas Sensores. Introdução Sistemas Sensores 5ª Aulas Introdução O sol foi citado como sendo uma fonte de energia ou radiação. O sol é uma fonte muito consistente de energia para o sensoriamento remoto (REM). REM interage com os

Leia mais

Introdução ao Sensoriamento Remoto

Introdução ao Sensoriamento Remoto Introdução ao Sensoriamento Remoto Cachoeira Paulista, 24 a 28 novembro de 2008 Bernardo Rudorff Pesquisador da Divisão de Sensoriamento Remoto Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE Sensoriamento

Leia mais

DESCRIÇÃO DA INFLUÊNCIA DO RIO PARAITINGA NA ÁGUA DA REPRESA DE PARAIBUNA COM O USO DE IMAGEM HIPERESPECTRAL

DESCRIÇÃO DA INFLUÊNCIA DO RIO PARAITINGA NA ÁGUA DA REPRESA DE PARAIBUNA COM O USO DE IMAGEM HIPERESPECTRAL DESCRIÇÃO DA INFLUÊNCIA DO RIO PARAITINGA NA ÁGUA DA REPRESA DE PARAIBUNA COM O USO DE IMAGEM HIPERESPECTRAL Nelson Wellausen Dias 1 Getulio Teixeira Batista 1 Ruy Morgado de Castro 2 Romero da Costa Moreira

Leia mais

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal 1/38 Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal Cota de Reserva Ambiental (CRA) Eng. Allan Saddi Arnesen Eng. Frederico Genofre Eng. Matheus Ferreira Eng. Marcelo Pedroso

Leia mais

10 FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM COMPARAÇÃO DE FUSÃO ENTRE AS IMAGENS DO SATÉLITE RAPID EYE, CBERS E SPOT.

10 FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM COMPARAÇÃO DE FUSÃO ENTRE AS IMAGENS DO SATÉLITE RAPID EYE, CBERS E SPOT. 10 FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM COMPARAÇÃO DE FUSÃO ENTRE AS IMAGENS DO SATÉLITE RAPID EYE, CBERS E SPOT. Thalita Dal Santo 1 Antonio de Oliveira¹ Fernando Ricardo dos Santos² A técnica de fusão

Leia mais

Sensoriamento Remoto aplicado ao Monitoramento Ambiental

Sensoriamento Remoto aplicado ao Monitoramento Ambiental Disciplina: Monitoramento e Controle Ambiental Prof.: Oscar Luiz Monteiro de Farias Sensoriamento Remoto aplicado ao Monitoramento Ambiental Andrei Olak Alves 2 espectro visível ultravioleta Sol infravermelho

Leia mais

C a p í t u l o I V. P r o c e s s a m e n t o d a s I m a g e n s O r b i t a i s d o s S e n s o r e s T M e E T M

C a p í t u l o I V. P r o c e s s a m e n t o d a s I m a g e n s O r b i t a i s d o s S e n s o r e s T M e E T M C a p í t u l o I V P r o c e s s a m e n t o d a s I m a g e n s O r b i t a i s d o s S e n s o r e s T M e E T M IV.1 Processamento Digital das Imagens Orbitais dos Sensores TM e ETM + IV.1.1 Introdução

Leia mais

Comparação entre classificadores por pixel e por região com imagem SPOT-5 para o estado de Minas Gerais

Comparação entre classificadores por pixel e por região com imagem SPOT-5 para o estado de Minas Gerais Comparação entre classificadores por pixel e por região com imagem SPOT-5 para o estado de Minas Gerais Fernanda Rodrigues Fonseca 1 Thiago Duarte Pereira 1 Luciano Vieira Dutra 1 Eliana Pantaleão 1 Corina

Leia mais

Sensoriamento Remoto

Sensoriamento Remoto Sensoriamento Remoto É a utilização conjunta de modernos sensores, equipamentos para processamento de dados, equipamentos de transmissão de dados, aeronaves, espaçonaves etc, com o objetivo de estudar

Leia mais

VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO IVDN NO MUNICIPIO DE ÁGUAS BELAS-PE COM BASE EM IMAGENS TM LANDSAT 5

VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO IVDN NO MUNICIPIO DE ÁGUAS BELAS-PE COM BASE EM IMAGENS TM LANDSAT 5 VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO IVDN NO MUNICIPIO DE ÁGUAS BELAS-PE COM BASE EM IMAGENS TM LANDSAT 5 Maurílio Neemias dos Santos 1, Heliofábio Barros Gomes 1,, Yasmim Uchoa da Silva 1, Sâmara dos Santos

Leia mais

VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DE NDVI NO RIO MADEIRA, NA ÁREA DE APROVEITAMENTO HIDRELÉTRICO DA UHE SANTO ANTÔNIO - RO

VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DE NDVI NO RIO MADEIRA, NA ÁREA DE APROVEITAMENTO HIDRELÉTRICO DA UHE SANTO ANTÔNIO - RO VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DE NDVI NO RIO MADEIRA, NA ÁREA DE APROVEITAMENTO HIDRELÉTRICO DA Letícia Celise Ballejo de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul leticelise@yahoo.com.br Laurindo

Leia mais

USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO. Geoprocessamento

USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO. Geoprocessamento USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO Geog.Ms. Maria G. da Silva Barbalho maria-gsb@sefaz.go.gov.br Conceito Disciplina do conhecimento que utiliza

Leia mais

Influência de reservatórios em cascata nos dados de reflectância e de limnologia - Reservatórios de Passo Real e Dona Francisca, Rio Jacuí RS

Influência de reservatórios em cascata nos dados de reflectância e de limnologia - Reservatórios de Passo Real e Dona Francisca, Rio Jacuí RS Influência de reservatórios em cascata nos dados de reflectância e de limnologia - Reservatórios de Passo Real e Dona Francisca, Rio Jacuí RS Waterloo Pereira Filho 1 Rosana Corazza 1 Flávio Wachholz 2

Leia mais

ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MACHADO (MG) POR MEIO DE COMPOSIÇÕES COLORIDAS MULTITEMPORAIS

ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MACHADO (MG) POR MEIO DE COMPOSIÇÕES COLORIDAS MULTITEMPORAIS ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MACHADO (MG) POR MEIO DE COMPOSIÇÕES COLORIDAS MULTITEMPORAIS ALENCAR SANTOS PAIXÃO 1 ; ÉLIDA LOPES SOUZA ROCHA2 e FERNANDO SHINJI KAWAKUBO 3 alencarspgeo@gmail.com,

Leia mais

Renzo Joel Flores Ortiz e Ilka Afonso Reis

Renzo Joel Flores Ortiz e Ilka Afonso Reis ESTIMAÇÃO DE POPULAÇÕES HUMANAS VIA IMAGENS DE SATÉLITE: COMPARANDO ABORDAGENS E MODELOS Renzo Joel Flores Ortiz e Ilka Afonso Reis Laboratório de Estatística Espacial (LESTE) Departamento de Estatística

Leia mais

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana.

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana. Cartografia Desde os primórdios o homem tentou compreender a forma e as características do nosso planeta, bem como representar os seus diferentes aspectos através de croquis, plantas e mapas. Desenhar

Leia mais

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS (SERP11) OPERAÇÕES ARITMÉTICAS. Daniel C. Zanotta

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS (SERP11) OPERAÇÕES ARITMÉTICAS. Daniel C. Zanotta PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS (SERP11) OPERAÇÕES ARITMÉTICAS Daniel C. Zanotta RAZÃO DE BANDAS Dividir uma banda por outra (pixel a pixel) pode trazer diversas informações a respeitos dos alvos contidos

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO ESPECTRAL DA ÁGUA DO RESERVATÓRIO DE ITUPARARANGA, SP, A PARTIR DE IMAGENS HIPERESPECTRAIS HYPERION E ANÁLISE DERIVATIVA

CARACTERIZAÇÃO ESPECTRAL DA ÁGUA DO RESERVATÓRIO DE ITUPARARANGA, SP, A PARTIR DE IMAGENS HIPERESPECTRAIS HYPERION E ANÁLISE DERIVATIVA CARACTERIZAÇÃO ESPECTRAL DA ÁGUA DO RESERVATÓRIO DE ITUPARARANGA, SP, A PARTIR DE IMAGENS HIPERESPECTRAIS HYPERION E ANÁLISE DERIVATIVA Spectral characterization of water in Itupararanga reservoir, SP,

Leia mais

15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto

15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto 15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto O Sensoriamento Remoto é uma técnica que utiliza sensores, na captação e registro da energia refletida e emitida

Leia mais

ESTUDOS DE ILHA DE CALOR URBANA POR MEIO DE IMAGENS DO LANDSAT 7 ETM+: ESTUDO DE CASO EM SÃO CARLOS (SP)

ESTUDOS DE ILHA DE CALOR URBANA POR MEIO DE IMAGENS DO LANDSAT 7 ETM+: ESTUDO DE CASO EM SÃO CARLOS (SP) ESTUDOS DE ILHA DE CALOR URBANA POR MEIO DE IMAGENS DO LANDSAT 7 ETM+... 273 ESTUDOS DE ILHA DE CALOR URBANA POR MEIO DE IMAGENS DO LANDSAT 7 ETM+: ESTUDO DE CASO EM SÃO CARLOS (SP) Ricardo Victor Rodrigues

Leia mais

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago FOTOINTERPRETAÇÃO a) conceito A fotointerpretação é a técnica de examinar as imagens dos objetos na fotografia e deduzir sua significação. A fotointerpretação é bastante importante à elaboração de mapas

Leia mais

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Maio de 2008 Introdução O município de Alta Floresta está localizado na região norte do estado de Mato

Leia mais

Uso de técnicas de segmentação de imagens SAR JERS-1 na Floresta Amazônica. Gerardo Kuntschik 1 Luciano V. Dutra 1 Pedro Hernandez Filho 2

Uso de técnicas de segmentação de imagens SAR JERS-1 na Floresta Amazônica. Gerardo Kuntschik 1 Luciano V. Dutra 1 Pedro Hernandez Filho 2 Uso de técnicas de segmentação de imagens SAR JERS-1 na Floresta Amazônica Gerardo Kuntschik 1 Luciano V. Dutra 1 Pedro Hernandez Filho 2 Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE Av. dos Astronautas

Leia mais

ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E EVI, IAF E FPAR DA CANOLA A PARTIR DE IMAGENS DO SATÉLITE MODIS.

ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E EVI, IAF E FPAR DA CANOLA A PARTIR DE IMAGENS DO SATÉLITE MODIS. ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E EVI, IAF E FPAR DA CANOLA A PARTIR DE IMAGENS DO SATÉLITE MODIS. Daniele G. Pinto 1, Matheus B. Vicari 2, Denise C. Fontana 3, Genei A. Dalmago 4, Gilberto R. da Cunha 5, Jorge

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DA SAZONALIDADE DAS VAZÕES CARACTERÍSTICAS PARA FLEXIBILIZAÇÃO DA OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS

SISTEMATIZAÇÃO DA SAZONALIDADE DAS VAZÕES CARACTERÍSTICAS PARA FLEXIBILIZAÇÃO DA OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS SISTEMATIZAÇÃO DA SAZONALIDADE DAS VAZÕES CARACTERÍSTICAS PARA FLEXIBILIZAÇÃO DA OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS Rafael dos Santos Cordeiro 1 ; Felipe de Azevedo Marques 2 1 Aluno do Curso

Leia mais

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Servílio Souza de ASSIS 1,3,4 ; Izadora Aparecida RAMOS 1,3,4 ; Bruno Alberto Soares OLIVEIRA 1,3 ; Marlon MARCON 2,3 1 Estudante de Engenharia de

Leia mais

AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL PARA A ÁREA DE INTERESSE DO PROJETO DO ALTO TIETÊ

AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL PARA A ÁREA DE INTERESSE DO PROJETO DO ALTO TIETÊ TERMO DE REFERENCIA AQUISIÇÃO E PROCESSAMENTO DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL PARA A ÁREA DE INTERESSE DO PROJETO DO ALTO TIETÊ

Leia mais

APÊNDICE D. D.1 - Arquivos de Entrada para o Processamento da Terceira Rotina (Vlsfit)

APÊNDICE D. D.1 - Arquivos de Entrada para o Processamento da Terceira Rotina (Vlsfit) APÊNDICE D Neste apêndice são comentados os arquivos de entrada e saída da terceira rotina do método de Green et al. (1993). D.1 - Arquivos de Entrada para o Processamento da Terceira Rotina (Vlsfit) Os

Leia mais

Utilização de razões espectrais para avaliar atividade fitoplanctônica em um ambiente aquático continental

Utilização de razões espectrais para avaliar atividade fitoplanctônica em um ambiente aquático continental Utilização de razões espectrais para avaliar atividade fitoplanctônica em um ambiente aquático continental Rejane Ennes Cicerelli 1 Fernanda Sayuri Yoshino Watanabe 1 Luiz Henrique da Silva Rotta 1 Ricardo

Leia mais

Características dos Sensores. Aula 3 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa

Características dos Sensores. Aula 3 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa Características dos Sensores Aula 3 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa TAMANHO DO PIXEL Alta Resolução Média Resolução Cobertura Sinótica Meteorológicos

Leia mais

Calibração de câmera fotográfica digital para uso em sensoriamento remoto

Calibração de câmera fotográfica digital para uso em sensoriamento remoto Calibração de câmera fotográfica digital para uso em sensoriamento remoto Aline de Carvalho Gasparotto 1 Marcos Rafael Nanni 1 Carlos Antonio da Silva Junior 1 Anderson Antonio da Silva 1 Franciele Romagnoli

Leia mais

VI-004 MONITORAMENTO EM TEMPO REAL DA QUALIDADE DA ÁGUA DOS MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO - RMSP

VI-004 MONITORAMENTO EM TEMPO REAL DA QUALIDADE DA ÁGUA DOS MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO - RMSP VI-004 MONITORAMENTO EM TEMPO REAL DA QUALIDADE DA ÁGUA DOS MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO - RMSP Armando Perez Flores (1) Bacharel em Química pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras

Leia mais

ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8

ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8 ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8 2013 LANDSAT-8: Informações para Novos Usuários de Imagens Licença: As imagens Landsat-8 são gratuitas; Download: Para baixar

Leia mais

LEAA Laboratório de Estudos em Agricultura e Agrometeorologia

LEAA Laboratório de Estudos em Agricultura e Agrometeorologia Roteiro de aula Índices de Vegetação Composição de máximo valor (CMV) Perfis temporais - Estudos agrícolas - Estudos ambientais - Estudos climáticos Exercício prático Curva da reflectância de uma folha

Leia mais

ANÁLISE DE ÁREAS DEGRADADAS NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA - SP, UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR TM LANDAST 5

ANÁLISE DE ÁREAS DEGRADADAS NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA - SP, UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR TM LANDAST 5 ANÁLISE DE ÁREAS DEGRADADAS NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA - SP, UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR TM LANDAST 5 Fabiano Barbosa dos Santos 1, Heliofábio Barros Gomes 2, Lucas Barbosa Cavalcante 3, Maurílio Neemias

Leia mais

Autor: Uriálisson Mattos Queiroz Instituição: Escola de Engenharia Mecânica da Bahia(EEMBA)/IQUALI

Autor: Uriálisson Mattos Queiroz Instituição: Escola de Engenharia Mecânica da Bahia(EEMBA)/IQUALI UTILIZAÇÃO DO GEOPROCESSAMENTO PARA ESTUDOS ECOLÓGICOS DA REGIÃO DA SUB-BACIA DO RIO CAPIVARI-BA NOS MUNICÍPIOS DE CRUZ DAS ALMAS, MURITIBA E SÃO FÉLIX. Autor: Gabriel Barbosa Lobo Instituição: Escola

Leia mais

Tópicos em Meio Ambiente e Ciências Atmosféricas

Tópicos em Meio Ambiente e Ciências Atmosféricas INPE-13139-PRE/8398 SENSORIAMENTO REMOTO Tania Sausen Tópicos em Meio Ambiente e Ciências Atmosféricas INPE São José dos Campos 2005 MEIO AMBIENTE E CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS 8 Sensoriamento Remoto Tania Sauzen

Leia mais

Utilização da resposta espectral para discriminação de plantas daninhas em áreas de plantação de café

Utilização da resposta espectral para discriminação de plantas daninhas em áreas de plantação de café Utilização da resposta espectral para discriminação de plantas daninhas em áreas de plantação de café Lauriana Rúbio Sartori Nilton Nobuhiro Imai Maria de Lourdes Bueno Trindade Galo Programa de Pós Graduação

Leia mais

EXPANSÃO DA SOJA PARA A PORÇÃO NORTE DO BIOMA CERRADO NO ESTADO DO PIAUÍ

EXPANSÃO DA SOJA PARA A PORÇÃO NORTE DO BIOMA CERRADO NO ESTADO DO PIAUÍ EXPANSÃO DA SOJA PARA A PORÇÃO NORTE DO BIOMA CERRADO NO ESTADO DO PIAUÍ Resumo Patrícia Ladeira Pinheiro¹ Gabriel Pereira² (patricia.ladeira@gmail.com; pereira@ufsj.edu.br) Graduanda em Geografia - UFSJ

Leia mais

Para que um sensor possa coletar e registrar a energia refletida ou emitida por um objeto ou superfície, ele tem que estar instalado em uma

Para que um sensor possa coletar e registrar a energia refletida ou emitida por um objeto ou superfície, ele tem que estar instalado em uma Sensores e Satélites Para que um sensor possa coletar e registrar a energia refletida ou emitida por um objeto ou superfície, ele tem que estar instalado em uma plataforma estável à distância do objeto

Leia mais

Índice de vegetação em clone de seringueira após a desfolha anual Vegetation Index in rubber clone after the annual defoliation

Índice de vegetação em clone de seringueira após a desfolha anual Vegetation Index in rubber clone after the annual defoliation Índice de vegetação em clone de seringueira após a desfolha anual Vegetation Index in rubber clone after the annual defoliation José Carlos Pezzoni Filho 1 ; Lucas Benso 1 ; Edson Luiz Furtado 1 ; Célia

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS Executar as principais técnicas utilizadas em processamento de imagens, como contraste, leitura de pixels, transformação IHS, operações aritméticas

Leia mais

XV COBREAP CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS IBAPE/SP 2009

XV COBREAP CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS IBAPE/SP 2009 XV COBREAP CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS IBAPE/SP 2009 ANÁLISE COMPARATIVA DOS USOS DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS ORBITAIS COM DIFERENTES RESOLUÇÕES ESPACIAIS. JUSSARA D'AMBROSIO

Leia mais

V-041 - USO DE IMAGENS ORBITAIS NO MONITORAMENTO DA TURBIDEZ E SÓLIDOS EM RIOS

V-041 - USO DE IMAGENS ORBITAIS NO MONITORAMENTO DA TURBIDEZ E SÓLIDOS EM RIOS V-041 - USO DE IMAGENS ORBITAIS NO MONITORAMENTO DA TURBIDEZ E SÓLIDOS EM RIOS Adilson Pinheiro (1) Engenheiro Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre em Engenharia de Recursos hídricos

Leia mais

GERAÇÃO DE CARTA IMAGEM DO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO-PR

GERAÇÃO DE CARTA IMAGEM DO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO-PR GERAÇÃO DE CARTA IMAGEM DO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO-PR Ana Laura Reichert CENTENARO 1, Danielli BATISTELLA 1 Gabriela SUZIN 1, Morgana Gabriela RAYMUNDI 1 1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná,

Leia mais

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE DE SEDIMENTOS DO RIO PARAGUAI SUPERIOR EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE DE SEDIMENTOS DO RIO PARAGUAI SUPERIOR

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE DE SEDIMENTOS DO RIO PARAGUAI SUPERIOR EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE DE SEDIMENTOS DO RIO PARAGUAI SUPERIOR EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE DE SEDIMENTOS DO RIO PARAGUAI Grizio-orita, E.V. 1 ; Souza Filho, E.E. 2 ; 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Email:edineia_grizio@hotmail.com; 2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

Leia mais

Imagens de Satélite (características):

Imagens de Satélite (características): Imagens de Satélite (características): São captadas por sensores electro ópticos que registam a radiação electromagnética reflectida e emitida pelos objectos que se encontram à superfície da terra através

Leia mais

Análise da variação da camada de ozônio sobre o território brasileiro e seu impacto sobre os níveis de radiação ultravioleta

Análise da variação da camada de ozônio sobre o território brasileiro e seu impacto sobre os níveis de radiação ultravioleta Análise da variação da camada de ozônio sobre o território brasileiro e seu impacto sobre os níveis de radiação ultravioleta Gabriela Junqueira da Silva¹, Marcelo de Paula Corrêa¹, Ana Paula Figueiredo¹

Leia mais

GNE 109 AGROMETEOROLOGIA Características Espectrais da Radiação Solar

GNE 109 AGROMETEOROLOGIA Características Espectrais da Radiação Solar GNE 109 AGROMETEOROLOGIA Características Espectrais da Radiação Solar Prof. Dr. Luiz Gonsaga de Carvalho Núcleo Agrometeorologia e Climatologia DEG/UFLA Absorção seletiva de radiação Absorção seletiva

Leia mais

Aula 3 - Registro de Imagem

Aula 3 - Registro de Imagem 1. Registro de Imagens Aula 3 - Registro de Imagem Registro é uma transformação geométrica que relaciona as coordenadas da imagem (linha e coluna) com as coordenadas geográficas (latitude e longitude)

Leia mais

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR Maria G. Almeida 1, Bernardo F. T. Rudorff 2, Yosio E. Shimabukuro 2 graca@dppg.cefetmg.br, bernardo@ltid.inpe.br,

Leia mais

PRINCÍPIOS FÍSICOS DO SENSORIAMENTO REMOTO. Peterson Ricardo Fiorio

PRINCÍPIOS FÍSICOS DO SENSORIAMENTO REMOTO. Peterson Ricardo Fiorio PRINCÍPIOS FÍSICOS DO SENSORIAMENTO REMOTO Peterson Ricardo Fiorio Definição: Sensoriamento Remoto É a ciência ou a arte de se obterem informações sobre um objeto, área ou fenômeno, através de dados coletados

Leia mais

SENSORIAMENTO REMOTO APLICADO AO CADASTRO URBANO

SENSORIAMENTO REMOTO APLICADO AO CADASTRO URBANO SENSORIAMENTO REMOTO APLICADO AO CADASTRO URBANO 04/04/2013 Leonardo Scharth Loureiro Silva Sumário 1 Fundamentos básicos de Sensoriamento Remoto 2 Levantamento aerofotogramétrico para fins de cadastro

Leia mais

Sensoriamento Remoto aplicado ao Monitoramento Ambiental

Sensoriamento Remoto aplicado ao Monitoramento Ambiental Disciplina: Monitoramento e Controle Ambiental Prof.: Oscar Luiz Monteiro de Farias Sensoriamento Remoto aplicado ao Monitoramento Ambiental Andrei Olak Alves 1 2 PROCESSAMENTO DE IMAGENS espectro visível

Leia mais

Uso de geotecnologias no monitoramento de sistemas de integração lavourapecuária- floresta

Uso de geotecnologias no monitoramento de sistemas de integração lavourapecuária- floresta Uso de geotecnologias no monitoramento de sistemas de integração lavourapecuária- floresta Sistemas de integração lavoura pecuária- floresta: a produção sustentável Sistemas de produção em inte ra ão Atualmente

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE DADOS E TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO NO MONITORAMENTO DA INFESTAÇÃO POR PLANTAS AQUÁTICAS EM RESERVATÓRIO DE HIDRELÉTRICA

UTILIZAÇÃO DE DADOS E TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO NO MONITORAMENTO DA INFESTAÇÃO POR PLANTAS AQUÁTICAS EM RESERVATÓRIO DE HIDRELÉTRICA UTILIZAÇÃO DE DADOS E TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO NO MONITORAMENTO DA INFESTAÇÃO POR PLANTAS AQUÁTICAS EM RESERVATÓRIO DE HIDRELÉTRICA Carina Regina de Macedo 1 & Maria de Lourdes Bueno Trindade Galo

Leia mais

Hyperspectral remote sensing; first derivative; optically active constituents, Hyperion, Amazon.

Hyperspectral remote sensing; first derivative; optically active constituents, Hyperion, Amazon. Análise derivativa de dados hiperespectrais medidos em nível de campo e orbital para caracterizar a composição de águas opticamente complexas na Amazônia Conrado M. RUDORFF 1, Evlyn M. L. M. NOVO 1, Lênio

Leia mais

AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL PARA A REGIÃO DO MUNICÍPIO DE ROSÁRIO DO SUL - RS

AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL PARA A REGIÃO DO MUNICÍPIO DE ROSÁRIO DO SUL - RS TERMO DE REFERENCIA AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL PARA A REGIÃO DO MUNICÍPIO DE ROSÁRIO DO SUL - RS 1. Objetivos.

Leia mais

Avaliação da qualidade radiométrica das imagens do satélite CBERS-2B. Érica Josiane Coelho Gouvêa Leila Maria Garcia Fonseca

Avaliação da qualidade radiométrica das imagens do satélite CBERS-2B. Érica Josiane Coelho Gouvêa Leila Maria Garcia Fonseca Avaliação da qualidade radiométrica das imagens do satélite CBERS-2B Érica Josiane Coelho Gouvêa Leila Maria Garcia Fonseca Instituto acional de Pesquisas Espaciais - IPE Caixa Postal 515-12245-970 - São

Leia mais

Processamento digital de imagens. introdução

Processamento digital de imagens. introdução Processamento digital de imagens introdução Imagem digital Imagem digital pode ser descrita como uma matriz bidimensional de números inteiros que corresponde a medidas discretas da energia eletromagnética

Leia mais

Aula 3 - Registro de Imagem

Aula 3 - Registro de Imagem Aula 3 - Registro de Imagem 1. Registro de Imagens Registro é uma transformação geométrica que relaciona coordenadas da imagem (linha e coluna) com coordenadas geográficas (latitude e longitude) de um

Leia mais

Departamento de Engenharia Civil Caixa Postal 476 - CEP:88010/970 - Florianópolis, SC {lia, lapolli, franzoni}@ecv.ufsc.br

Departamento de Engenharia Civil Caixa Postal 476 - CEP:88010/970 - Florianópolis, SC {lia, lapolli, franzoni}@ecv.ufsc.br O Ensino de Sensoriamento Remoto, Sistema de Informações Geográficas e Fotogramentria nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Engenharia Civil na UFSC LIA CAETANO BASTOS 1 ÉDIS MAFRA LAPOLLI 1 ANA MARIA

Leia mais

PROCESSAMENTO DOS DADOS AVHRR DO SATÉLITE NOAA E APLICAÇÃO SOBRE A REGIÃO SUL DO BRASIL. Leonid Bakst Yoshihiro Yamazaki

PROCESSAMENTO DOS DADOS AVHRR DO SATÉLITE NOAA E APLICAÇÃO SOBRE A REGIÃO SUL DO BRASIL. Leonid Bakst Yoshihiro Yamazaki PROCESSAMENTO DOS DADOS AVHRR DO SATÉLITE NOAA E APLICAÇÃO SOBRE A REGIÃO SUL DO BRASIL Leonid Bakst Yoshihiro Yamazaki Universidade Federal de Pelotas - UFPel Centro de Pesquisas Meteorológicas CPMet

Leia mais

FOTOGRAMETRIA I Prof Felipe: Aulas 1 e 2. 2- Câmaras Fotogramétricas

FOTOGRAMETRIA I Prof Felipe: Aulas 1 e 2. 2- Câmaras Fotogramétricas FOTOGRAMETRIA I Prof Felipe: Aulas 1 e 2 2- Câmaras Fotogramétricas Generalidades (fotografia) Elementos Fotografia aérea Espectro Eletromagnético 1 Fotogrametria é a arte, ciência, e tecnologia de obtenção

Leia mais

MONITORAMENTO DA COBERTURA FLORESTAL DA AMAZÔNIA POR SATÉLITES

MONITORAMENTO DA COBERTURA FLORESTAL DA AMAZÔNIA POR SATÉLITES MONITORAMENTO DA COBERTURA FLORESTAL DA AMAZÔNIA POR SATÉLITES INPE COORDENAÇÃO GERAL DE OBSERVAÇÃO DA TERRA SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, 20 DE JUNHO DE 2008 SISTEMA DE DETECÇÃO D0 DESMATAMENTO EM TEMPO REAL NA

Leia mais

USO DO MATLAB NA GERAÇÃO DE IMAGEM SINTÉTICA COM MENOR PROPORÇÃO DE NUVEM

USO DO MATLAB NA GERAÇÃO DE IMAGEM SINTÉTICA COM MENOR PROPORÇÃO DE NUVEM p.001 de 005 USO DO MATLAB NA GERAÇÃO DE IMAGEM SINTÉTICA COM MENOR PROPORÇÃO DE NUVEM JOSÉ ARIMATÉIA BARROSO NETO ANA LÚCIA BEZERRA CANDEIAS Universidade Federal de Pernambuco - UFPE Centro de Tecnologia

Leia mais

SENSORES REMOTOS. Daniel C. Zanotta 28/03/2015

SENSORES REMOTOS. Daniel C. Zanotta 28/03/2015 SENSORES REMOTOS Daniel C. Zanotta 28/03/2015 ESTRUTURA DE UM SATÉLITE Exemplo: Landsat 5 COMPONENTES DE UM SATÉLITE Exemplo: Landsat 5 LANÇAMENTO FOGUETES DE LANÇAMENTO SISTEMA SENSOR TIPOS DE SENSORES

Leia mais

ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO TARUMÃ AÇU/MIRIM, MANAUS, AMAZONAS, BRASIL

ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO TARUMÃ AÇU/MIRIM, MANAUS, AMAZONAS, BRASIL ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO TARUMÃ AÇU/MIRIM, MANAUS, AMAZONAS, BRASIL Maria Antônia Falcão de Oliveira, Engenheira Florestal 1 ; Mônica Alves de Vasconcelos,

Leia mais

"Protegendo as nascentes do Pantanal"

Protegendo as nascentes do Pantanal "Protegendo as nascentes do Pantanal" Diagnóstico da Paisagem: Região das Cabeceiras do Rio Paraguai Apresentação O ciclo de garimpo mecanizado (ocorrido nas décadas de 80 e 90), sucedido pelo avanço das

Leia mais

EMPREGO DE MODELAGEM NUMÉRICA PARA ESTIMATIVA DE RADIAÇÃO SOLAR NO ESTADO DO CEARÁ

EMPREGO DE MODELAGEM NUMÉRICA PARA ESTIMATIVA DE RADIAÇÃO SOLAR NO ESTADO DO CEARÁ EMPREGO DE MODELAGEM NUMÉRICA PARA ESTIMATIVA DE RADIAÇÃO SOLAR NO ESTADO DO CEARÁ Francisco José Lopes de Lima 1,2, Fernando Ramos Martins 1, Jerfferson Souza, 1 Enio Bueno Pereira 1 1 Instituto Nacional

Leia mais

Comparação de transformações radiométricas e técnicas de fusão de imagens CBERS-2/CCD e IRS-P6/LISS-IV: aplicação no município de Campinas SP *

Comparação de transformações radiométricas e técnicas de fusão de imagens CBERS-2/CCD e IRS-P6/LISS-IV: aplicação no município de Campinas SP * Comparação de transformações radiométricas e técnicas de fusão de imagens CBERS-2/CCD e IRS-P6/LISS-IV: aplicação no município de Campinas SP * Marcus Andre Fuckner¹ Roberta Rosemback¹ Viviane Gomes Cardoso

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA PÓS GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA PÓS GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA PÓS GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA INF2608 FUNDAMENTOS DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA RELATÓRIO: IMAGENS SÍSMICAS VISUALIZAÇÃO E DETECÇÃO

Leia mais

SENSORIAMENTO REMOTO. Revisão de conteúdo. Prof. Marckleuber

SENSORIAMENTO REMOTO. Revisão de conteúdo. Prof. Marckleuber SENSORIAMENTO REMOTO Revisão de conteúdo Prof. Marckleuber Engenharia de Agrimensura - 2013 SENSORIAMENTO REMOTO - Conceitos De um modo geral, o Sensoriamento Remoto pode ser definido como: O conjunto

Leia mais

ESTUDO DE CASO: ÍNDICE DE UMIDADE DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR MODIS PARA O MUNICÍPIO DE BELEM DO SÃO FRANCISCO, PE

ESTUDO DE CASO: ÍNDICE DE UMIDADE DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR MODIS PARA O MUNICÍPIO DE BELEM DO SÃO FRANCISCO, PE ESTUDO DE CASO: ÍNDICE DE UMIDADE DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR MODIS PARA O MUNICÍPIO DE BELEM DO SÃO FRANCISCO, PE Pabrício Marcos Oliveira Lopes 1, Glawber Spíndola Saraiva de Moura 2 1 Prof.

Leia mais

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Projeto de Engenharia Ambiental Sensoriamento remoto e Sistema de Informação Geográfica Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Sensoriamento

Leia mais