Editorial EDITORIAL. MeGAZINE 3

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Editorial EDITORIAL. MeGAZINE 3"

Transcrição

1

2

3 EDITORIAL Editorial Editorial THE CLUB Av. Celso Ferreira da Silva, 190 Jd. Europa - Avaré - SP - CEP Informações: (0xx14) Suporte: (0xx14) Fax: (0xx14) Internet Cadastro: Suporte: Informações: Dúvidas Correspondência ou fax com dúvidas devem ser enviados ao - THE CLUB, indicando "Suporte". Opinião Se você quer dar a sua opinião sobre o clube em geral, mande a sua correspondência para a seção "Tire sua dúvida". Reprodução A utilização, reprodução, apropriação, armazenamento em banco de dados, sob qualquer forma ou meio, de textos, fotos e outras criações intelectuais em cada publicação da Revista The Club são terminantemente proibidos sem autorização escrita dos titulares dos direitos autorais. Olá amigos, Muita enforia na comunidade Delphi com o recente lançamento do Delphi 2005, a mais nova versão do Delphi. Conforme já mencionamos na edição de Outubro/2004, são muitas as novidades do novo Delphi, onde destacamos a integração do desenvolvimento Delphi Win32 (análogo ao Delphi 7), Delphi For.NET (análogo ao Delphi 8) e a linguagem C# (análogo ao C#Builder). Além das novidades, foram efetuadas muitas correções de bugs e melhorias nos componentes já existentes. Confira o tour do Delphi 2005 pelo Brasil, para maiores informações acesse: Deixando a euforia de lado, trazemos até você mais uma edição da The Club Megazine, com artigos, dicas e muita informação para tornar o dia-a-dia do programador Delphi, boa leitura e abraços à todos. Copyright The Club 2004 Impressão e acabamento: GRAFILAR Tel.: (0xx14) Fax: (0xx14) Rua Cel. Amando Simôes, Cep São Manuel - SP Tiragem: exemplares Diretor - Presidente Celso Jefferson M. Paganelli Diretor Técnico Mauro Sant Anna Colaboradores Victory Fernandes, Marcelo Nogueira Delphi é marca registrada da Borland International, as demais marcas citadas são registradas pelos seus respectivos proprietários. Celso Jefferson Paganelli Presidente - The Club Editorial Dicas & Truques Indy - Obtendo a cotação do dólar on-line SIntegra - Abordagem completa - Parte Acessando o Active Directory via ADO Delphi 8 - Visualizando Imagens na Web (thumbnail).. 16 Ajustes no Firewall do Windows XP Service Pack 2 para rodar o Interbase/Firebird Aspectos relevantes na gestão de projetos e Software Perguntas & Respostas MeGAZINE 3

4 Dicas & Truques QuickReport Criando controle de número de cópias O QuickReport possui vários problemas relacionados a incompatibilidade com muitos drivers de impressoras existentes no mercado. Uma destas incompatibilidades, faz com que a propriedade Copies responsável em enviar várias cópias de um mesmo relatório à impressora, não funcione e até o momento, sem solução por parte do fabricante, pelo menos na versão standard do QuickReport que acompanha o Delphi. Aqui apresentamos um solução paliativa para o problema, na qual efetuamos uma cópia da imagem gerada pelo preview do QuickReport e depois, fazemos a impressão da mesma quantas vezes necessário. Para estes exemplo, vamos utilizar um componente TspinEdit o qual será responsável em setar o número de cópias à imprimir e um botão para chamar o relatório. Declare na sessão private uma variável chamada Copia, do tipo TQRPrinter. private { Private declarations } Copia: TQRPrinter; { declarar na lista uses QrPrNtr } public { Public declarations } var Form1: TForm1; implementation {$R *.dfm} { Evento AfterPrint do QuickReport } procedure TForm1.QuickRep1AfterPrint(Sender: TObject); var i: Integer; if (QuickRep1.QRPrinter.PrinterOK) and (Tag=0) and (Spin_Copias.Value > 1) then Tag := 1; { Propriedade Tag do formulário } for i := 1 to Spin_Copias.Value-1 do Copia.Print; { Imprime as cópias } procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject); { Propriedade Tag do formulário } Tag := 0; { instância objeto que irá receber a cópia do relatório } Copia := TQRPrinter.Create; try QuickRep1.Prepare; { Copia a imagem do preview gerado } Copia := QuickRep1.QRPrinter; QuickRep1.Preview; finally Copia.Free; O projeto de exemplo referente esta dica está disponível para download em qrcopies.zip 4 MeGAZINE

5 Indy Obtendo a cotação do dólar on-line por Alessandro Ferreira, Introdução Uma solicitação que temos recebido frequentemente aqui no suporte técnico The Club, é de como buscar a cotação on-line do dólar para ser utilizada em aplicações desenvolvidas em Delphi. Existem várias abordagens que poderiam ser utilizadas para esta implementação e particularmente acho a mais prática e viável fazer acesso a um serviço de web ou seja, um WebService, contudo, desconheço algum serviço gratuíto que disponibilize este tipo de informação. Dentro deste contexto, vamos demonstrar aqui uma abordagem paliativa que disponibilizará esta informação (cotação do dólar), utilizando como fonte o site do Banco Central do Brasil (http://www.bcb.gov.br), o qual disponibiliza uma página com a cotação do dólar no endereço: Nossa abordagem será bastante simples, consistindo em acessar o endereço da página que possui a cotação do dólar, contudo, trazendo o seu código fonte. De posse do código fonte da página iremos processá-lo a fim de extrair somente as informações que nos interessam. Este tipo de abordagem tem um problema, pois, caso a página sofra alguma alteração, teremos que fazer um novo estudo do código fonte da mesma para conseguir extrair a informação desejada. (Por isso, a utilização de um webservice seria o mais indicado!). Para a obtermos o código fonte da página, iremos utilizar o componente TIdHTTP (pertencente a suite de componente Indy), o qual através do método GET devolve o código fonte de um URL informada como parâmetro. Verificando o código HTML Ao executarmos o método GET do componente TIdHTTP, iremos receber o código fonte apresentado na listagem 1. <HTML><HEAD><TITLE>BCB - Taxas de Câmbio </TITLE><Link rel= stylesheet href= > <STYLE TYPE= text/css ><! A:hover {color:blue;} ></STYLE></HEAD> <BODY class= semtemplate ><br><blockquote> <table> <tr><td><img src= /gifs/quadro-p.gif align=middle></td><td>cotação de fechamento do dólar no dia 05/11/2004, sexta-feira: </td></tr><tr><td> </ td><td><blockquote><li>dólar-dos-eua:<br> <table cellspacing=1><tr><th VALIGN=TOP class= fundopadraobescuro3">data</th> <th class= fundopadraobescuro3" NOWRAP>Taxa de Compra</th><th class= fundopadraobescuro3" NOWRAP>Taxa de Venda</th></TR><tr> <td ALIGN=CENTER class= fundopadraobclaro2"> 05/11/2004</td><td ALIGN=RIGHT class= fundopadraobclaro2">2,8178 2,8178</td><td ALIGN=RIGHT class= fundopadraobclaro2"> 2,8186</td></tr></table></td></tr></table> </blockquote></ol></center></body></html> Listagem 1 Código fonte da página Analisando o código fonte recebido, não é muito difícil identificar as informações que nos serão úteis, ou seja, a data, a cotação de compra e a cotação de venda. Contudo, para facilitar nossa abordagem, iremos utilizar uma unit de terceiros (HtmlUtils) que disponibiliza uma função (HTMLToPlainText) para limparmos o código HTML, deixando o texto puro, o qual MeGAZINE 5

6 ficará mais simples de manipularmos. (O código fonte da HTMLUtils está disponível junto ao projeto de exemplo que será apresentado neste artigo, o qual está disponível para download no endereço indicado no final deste artigo). Após submetermos o código fonte da página a função HTMLToPlainText, teremos o resultado apresentado na listagem 2. BCB - Taxas de CâmbioCotação de fechamento do dólar no dia 05/11/2004, sexta-feira: Dólardos-EUA:DataTaxa de CompraTaxa de Venda05/11/ 20042,81782,8186 Listagem 2 Código fonte sem as tags HTML Bem, agora o texto ficou bem mais simples e fácil de ser manipulado! Usando o componente TIdHTTP Bem, vamos agora implementar nosso projeto para trazer a cotação do dólar. Para isso, vamos utilizar um componente TIdHTTP, o qual poderá ser nomeado como IdHTTP_PegaDolar, um componente TEdit, nomeie como EdURL e configure a propriedade Text= (que é o endereço onde iremos buscar a cotação do dólar), um Tlabel, ajuste a propriedade Caption= URL para obtenção da cotação do Dólar, um componente TSpeedButton, nomeie como sbtndolar e finalmente um componente TMemo o qual será responsável em apresentar as informações obtidas, nomeie como Memo_Dolar. Na figura 1 poderá verificar o layout sugerido para o formulário de nosso projeto de exemplo. HTMLToPlainText } {$R *.dfm} procedure DevolveUS(var HTML: String; out Dia: String; out UsVenda, UsCompra: Double); var PosI, PosF: Integer; Tmp: String; { Remove formatação HTML } HTML := HTMLToPlainText(HTML); { converte tudo para minúsculo } HTML := AnsiLowerCase(HTML); { Apaga o início do texto até a palavra dia } Delete(HTML, 1, Pos( dia, HTML)+2); { Pega a data } Dia := Trim(Copy(HTML, 1, Pos(,, HTML)- 1)); { Apaga a primeira data encontrada } Delete(HTML, 1, Pos(,, HTML)); { Apaga a segunda data e deixa apenas os valores na string } Delete(HTML, 1, Pos(Dia, HTML)+9); { Tenta converter valor de compra } if not TryStrToFloat(Copy(HTML, 1, 6), UsCompra) then raise Exception.Create( Problemas ao obter valor do dólar! ); { Tenta converter valor de venda } if not TryStrToFloat(Copy(HTML, 7, 6), UsVenda) then raise Exception.Create( Problemas ao obter valor do dólar! ); Listagem 3 procedimento DevolveUS. Figura 1 layout sugerido Vamos agora implementar o código fonte que irá fazer a coisa funcionar. Primeiramente, vamos criar uma procedure que irá receber como parâmetro o código fonte (HTML) obtido via TIdHTTP, e três parâmetros de saída onde retornaremos a data, o valor de venda e o valor de compra. Acompanhe o codigo na listagem 3. implementation uses HtmlUtils; { Responsável pela função A lógica da procedure DevolveUS é bastante simples. Primeiro, efetuamos um tratamento para retirar as tags HTML do código fonte recebido (veja listagem 1 e 2 anteriormente apresentadas). Para evitar problemas com caixa alta/baixa, converteremos tudo para minúsculo e após isso, apagaremos todo o texto até a primeira ocorrência da palabra dia. Após isso, apenar iremos copiando e apagando o texto e retornando apenas o que nos interessa. (Através da função TryStrToFloat tentamos fazer a conversão dos valores obtidos e caso a conversão não seja bem sucedida, levantaremos um exceção). 6 MeGAZINE

7 Prosseguindo, vamos agora codificar o evento OnClick do botão sbtndolar, confira o código apresentado na listagem 4. var HTML, Dia: String; UsVenda, UsCompra: Double; { Buscar página com a cotação do dolar } HTML := IdHTTP_PegaDolar.Get(EdURL.Text); DevolveUS(HTML, Dia, UsVenda, UsCompra); Memo_Dolar.Lines.Add( Cotação do Dólar ); Memo_Dolar.Lines.Add(Format( Dia: %s, Venda: %g, Compra: %g, [Dia, UsVenda, UsCompra])); Listagem 4 Código responsável em buscar a cotação do dólar O código utilizado no evento OnClick do botão sbtndolar é bastante simples. Primeiro, chamamos o método GET do componente TIdHTTP e atribuímos o resultado para a variável string HTML. Depois, executamos a procedure DevolveUS passando o HTML e as variáveis que irão receber/retornar a data e a cotação de venda e compra do dólar, as quais serão apresentada no componente TMemo. Validando a URL Nosso código poderia parar por aqui, contudo, antes de tentarmos obter a cotação do dólar seria interessante verificar se o endereço (URL) está respondendo, ou seja, se a referida URL está no ar e dessa forma evitar uma mensagem de erro desagradável ao usuário. Uma forma para efetuar este tipo de verificação é disparar um PING contra o endereço desejado e analisar a resposta. Para isso, vamos lançar mão do componente TIdIcmpClient, também pertecente a suíte de componente Indy, o qual serve exatamente para este fim. Mãos a massa, adicione um componente TIdIcmpClient e vamos nomeá-lo como ICMP. Continuando nossa implementação, declare uma variável chamada abytesreceived do tipo integer na sessão private (abaixo o type TForm1). Vamos agora criar um método para disparar o ping e verificar se o endereço está respondendo, veja a listagem 5. procedure TForm1.PingBCB; var i: integer; abytesreceived := 0; ICMP.ReceiveTimeout := 1000; ICMP.Host := ; { Vamos disparar 4 pings } try for i := 1 to 4 do ICMP.Ping; Application.ProcessMessages; except {exceção silenciosa. Trataremos o valor da variável abytesreceived.} Listagem 5 método para executar o ping. Lembre-se de declarar o método PingBCB abaixo do type TForm1. Para isso, poderá utilizar o atalho Shift+Ctrl+C. Vamos agora codificar o evento OnReply do componente TIdIcmpClient. É através deste evento que iremos analisar o retorno da execução do Ping, onde iremos verificar a quantidade de bytes recebidos acumulando na variável abytesreceived, confira a listagem 6. procedure TForm1.ICMPReply(ASender: TComponent; const AReplyStatus: TReplyStatus); { Totaliza bytes recebidos na execução do ping } abytesreceived := abytesreceived + AReplyStatus.BytesReceived; Listagem 6 Evento OnReply. E para finalizar, vamos efetuar uma pequena implementação no evento OnClick do botão sbtndolar, acompanha na listagem 7. procedure TForm1.sbtnDolarClick(Sender: TObject); var HTML, Dia: String; UsVenda, UsCompra: Double; { Testa a URL executando ping } PingBCB; { Verifica número de bytes recebidos } if abytesreceived = 0 then MeGAZINE 7

8 raise Exception.Create( URL indisponível no momento! Verifique sua conexão de internet. ); { Buscar página com a cotação do dolar } HTML := IdHTTP_PegaDolar.Get(EdURL.Text); DevolveUS(HTML, Dia, UsVenda, UsCompra); Memo_Dolar.Lines.Add( Cotação do Dólar ); Memo_Dolar.Lines.Add(Format( Dia: %s, Venda: %g, Compra: %g, [Dia, UsVenda, UsCompra])); Listagem 7 Evento OnClick do sbtndolar com implementação do ping. A alteração é bem simples. Primeiramente, vamos executar o método PingBCB o qual irá disparar 4 pings contra a URL do Banco Central do Brasil. Depois, testamos o valor da variável abytesreceived e caso o resultado seja igual a zero, indica que a URL não está respondendo e dessa forma levantaremos uma exceção informando ao usuário para verificar a conexão internet ou, caso o retorno seja maior que zero, continuaremos o processamento e apresentaremos a cotação do dólar ao usuário. Conclusão Apresentamos aqui uma abordagem demonstrando a utilização dos componentes TIdHTTP e TIdIcmpClient da suite Indy, a qual possui muitos componentes interessantes para diversas situações do dia-a-dia. Como mencionamos no início deste artigo, o ideal seria obter este tipo de informação através de um webservice, contudo, na falta deste, a abordagem aqui sugerida funciona bem, lembrando que o único cuidado à ser tomando seria em relação a possíveis mudanças na página HTML utilizada para obtenção das informações, apesar ainda, de ser possível criar parâmetros na aplicação a fim de deixar customizável o endereço (URL) e posicionamento dos campos na mesma. Abraços à todos e até a próxima... Download disponível em: Sobre o autor Alessandro Ferreira, Consultor Técnico do The Club 8 MeGAZINE

9 SIntegra Abordagem Completa - Ferramentas Relacionadas Parte 3 por Victory Fernandes No segundo artigo da série, foram abordados os conceitos gerais acerca da implementação do Sintegra, estruturação básica do sistema gerencial e o fluxograma de procedimentos a serem seguidos para a geração do arquivo. Tendo sido demonstrado a partir do exemplo do registro 50, a forma geral de implementação, geração e tratamento de erros de um registro do Sintegra a partir de informações contidas em um banco de dados Interbase. Continuando a nossa série de artigos sobre o Sintegra, iremos agora abordar o processo de validação, visualização e transmissão do arquivo gerado, utilizando as ferramentas oficiais disponíveis relacionadas ao tema. Serão abordados o Programa Validador, Programa Visualizador de Arquivos do Sintegra, Programa Visualizador de Notas Fiscais de Arquivos do Sintegra e o Programa para Transferência Eletrônica de Documentos (TED) sob a ótica de aplicação do desenvolvedor. O Programa Validador Uma vez gerado o arquivo de saída, estamos prontos para verificar no Programa Validador a consistência do arquivo gerado. Vamos agora conhecer um pouco mais sobre o Programa Validador, mostrado na Figura 04, que verifica a consistência dos dados informados pelos contribuintes e prepara os arquivos para entrega às repartições fazendárias estaduais, com uso de algoritmos de integridade e criptografia. O programa evita o fornecimento de dados incorretos, como Inscrições Estaduais e CNPJ inválidos, registros inexistentes, inconsistência entre os registros informados, etc. Após a validação, o programa permite gerar um arquivo de mídia para ser enviado às repartições fiscais. Criado o arquivo de mídia, pode-se emitir um recibo, contendo dados informativos sobre a validação. Se o arquivo for transmitido pela Internet, através do programa de Transmissão Eletrônica de Documentos (TED), é emitido também um recibo comprovando a transmissão do documento ao órgão competente. Este recibo garante que o arquivo passou pela validação prévia e foi encaminhado corretamente. Figura 04: Programa oficial do Fisco para validação de arquivos do Sintegra Validando um arquivo.txt 1- Ative a página Validar 2- Selecione o arquivo do documento. 3- Clique no botão Abrir. 4- Clique no botão Validar. Se a validação não for cancelada pelo usuário, a página Resumo ficará ativa, onde poderão ser analisados os resultados da MeGAZINE 9

10 validação e a quantidade de registros aceitos e/ou rejeitados. Após a validação, a página Criticas lista todos os erros e/ou advertências encontrados durante o processamento. Teoricamente, se o seu programa foi bem implementado, o nível de falhas apresentados na validação será mínimo, mas ainda assim existem erros de operação por parte do usuário no momento da entrada de dados que podem gerar problemas na validação. Neste momento o usuário deve ser capaz de identificar as falhas apresentadas, voltando ao programa gerencial, para realizar as alterações nos dados que apresentarem problemas e gerar o arquivo.txt novamente. Acontece que nem sempre seu usuário será capaz de interpretar as informações de erro e associá-las com o tipo de alteração que deve ser feita em seu programa gerencial. Nestes casos, a experiência mostra que a melhor solução é pedir que o usuário envie por o arquivo.txt gerado com erro e o relatório de críticas do Validador, para que você interprete o mesmo e sugira as devidas correções no banco de dados. Este serviço de consultoria na geração do arquivo do Sintegra é, na maioria dos casos, indispensável ao usuário inexperiente e é mais um serviço que pode ser oferecido pela software house e acrescido ao valor de manutenção do software. Para exportar o Relatório de Críticas para um arquivo texto, clique no botão Exportar na tela de críticas. O arquivo do Relatório de Críticas exportado é do tipo texto ASCII e contém campos de tamanho fixo conforme o seguinte formato, sendo a primeira linha a identificação do Contribuinte e Declaração: (ver tabela acima). Além do arquivo de Relatório de Críticas, constituem também ferramentas poderosas para a análise das informações dos clientes, o programa Visualizador de Arquivos Texto e o programa Visualizador de Notas Fiscais. O Programa Visualizador de Arquivos do Sintegra É uma ferramenta para leitura de arquivos no padrão do Sintegra com o objetivo esclarecer dúvidas quanto ao conteúdo dos mesmos, através da visualização campo a campo dos registros contidos no arquivo. Quando a opção de navegação campo a campo está ativa, ao selecionar um campo como mostrado na Figura 05, são mostradas na barra inferior as informações referentes de Número da linha, Número da coluna, Tipo de Registro, Posição do campo na linha (intervalo) e Descrição do campo. Descrição Tamanho Posição Inicial Nº Seqüencial do Erro Linha do Erro Tipo do Registro Nome do Campo Documento Item Conteúdo do Campo Mensagem de Erro Tipo do Erro Posição Final Esta ferramenta é super importante quando nós desenvolvedores estamos testando nossas implementações ou desejamos obter informações mais detalhadas sobre um determinado campo do arquivo gerado. Em arquivos muito grandes, fica praticamente impossível se verificar visualmente, por exemplo, se um determinado campo foi colocado na posição correta durante a construção do arquivo. Neste momento a ferramenta entra em ação, permitindo o cruzamento imediato entre as informações passadas pelo programa e o respectivo valor encontrado no campo. Figura 05: Programa oficial do Fisco para visualização de arquivos do Sintegra. 10 MeGAZINE

11 O Programa Visualizador de Notas Fiscais de Arquivos do Sintegra Constitui, a partir dos registros 50, 51, 53, 54 e 75, o espelho completo das notas fiscais de entrada e saída, permitindo ao usuário, a conferência e análise do arquivo magnético selecionado. Com ele é possível navegar de forma rápida e intuitiva nas notas fiscais contidas em um determinado arquivo, visualizando todos os parâmetros das notas individualmente e com a possibilidade de filtrar as notas para visualização apenas das notas de saída ou entrada. Ao contrário do programa Visualizador de Arquivos do Sintegra descrito anteriormente, o programa Visualizador de Notas Fiscais de Arquivos do Sintegra é muito mais aplicável aos usuários finais, que desejam fazer a leitura do arquivo magnético gerado sob uma ótica de mais alto nível, na maioria das vezes, para ver se as notas fiscais lançadas no sistema gerencial para um determinado mês correspondem às notas fiscais listadas no arquivo final. Caso contrário, houve erro no lançamento do documento fiscal em questão ou erro na implementação da seleção dos dados no sistema gerencial utilizado. O Programa para Transferência Eletrônica de Documentos (TED) Uma vez validado o arquivo magnético.txt e gerado o arquivo de mídia no formato.zip, o programa validador pergunta de você deseja enviar as informações e em caso positivo chama o TED, para que seja efetuada a transmissão dos documentos pela Internet. O TED é um programa muito simples, e devemos apenas instruir nossos clientes a operá-lo, uma vez que a transmissão dos arquivos para o Fisco é de responsabilidade do informante. Para efetuar o envio basta selecionar o arquivo de mídia gerado pelo validador, testar a conexão com a secretaria do estado respectivo através da página Testar, e por fim enviar o arquivo clicando no botão Enviar. Após o envio, aconselha-se que o cliente guarde em local Figura 06: Programa oficial do Fisco para visualização de Notas Fiscais em arquivos do Sintegra MeGAZINE 11

12 Figura 07: Programa oficial do Fisco para Transferência seguro o comprovante de validação e envio do arquivo, bem como o arquivo magnético.txt e a mídia.zip geradas, para caso seja solicitado durante fiscalização ou em caso de eventual necessidade de reenvio. Conclusão Com esta série de artigos, espero ter esclarecido critérios e questionamentos básicos sobre a sistemática do Sintegra, sua implementação e utilização das ferramentas relacionadas, bem como ter trazido ao seu conhecimento a SIntegra32Dll.dll, uma solução única no mercado, capaz de simplificar, e muito, o trabalho de implementação ou adaptação do seu software ao Sintegra. Sobre o autor Victory Fernandes é Mestrando em Redes de Computadores e desenvolvedor sócio da TKS Software - Soluções de Automação Softwares Dedicados. Pode ser contactado em ou através dos sites 12 MeGAZINE

13 Acessando o Active Directory via ADO Por Claudinei Rodrigues Sobre o autor Claudinei Rodrigues, Consultor Técnico do The Club Neste artigo eu vou mostrar como você pode acessar o Active Directory através do ADO. O Active Directory é instalado a partir do Windows Ele armazena informações sobre todos os recursos em uma rede, como usuários, grupos, computadores, arquivos, impressoras e aplicativos. O Active Directory armazena informações sobre recursos em uma estrutura hierárquica. Ele contém objetos que representam os diferentes tipos de recursos da rede: usuários, impressoras, etc. Cada objeto tem atributos, como o nome, o sobrenome e o endereço eletrônico de um usuário, a localização de uma impressora. Os objetos são mantidos em um domínio. Um domínio é a unidade básica de organização e segurança no Active Directory. Figura 1: Propriedades do componente ADOConnection Bem, agora vamos criar a nossa aplicação. Chame o seu Delphi e crie um novo projeto. Adicione um Data Module a este projeto. Vá até a palheta de componentes na aba ADO e arraste um componente ADOConnection e um componente ADOQuery para o Data Module. Clique no componente ADOConnection e altere a propriedade LoginPrompt para False e configure a propriedade Provider para ADsDSOObject, como mostrado na figura 1. Agora dê um duplo clique sobre o componente ADOConnection para que possamos montar a string de conexão. Agora clique no botão Build..., veja figura 2. Após clicar no botão Build... você terá acesso a próxima tela. Na aba Provider selecione o item OLE DB Provider for Microsoft Directory Services e depois clique no botão Next >> (ver figura 3) Figura 2: Montagem da string de conexão MeGAZINE 13

14 Figura 3: Selecionando o Provider Figura 4: Informações para a conexão Na próxima tela (figura 4) selecione o radiobutton Use Windows NT Integrated Security. Não há necessidade de alterar nenhuma informação das abas Advanced e All, apenas clique no botão OK. Agora nós vamos testar a conexão alterando a propriedade Connected para True. Agora estando conectado ligue o componente ADOQuery ao componente ADOConnection através da propriedade Connection. A instrução SQL que você vai usar é muito similar às instruções padrão. O código da listagem 1 mostra um exemplo de instrução SQL que retorna as informações de um determinado usuário cadastrado no ActiveDirectory. domínio de modo que um domínio especifico não seja requerido. Cada diretório servidor tem uma entrada chamada RootDSE. Através do RootDSE, você pode determinar o domínio que o usuário atual está logado. Ele fornece um caminho fácil para adicionar flexibilidade ao seu programa. Para usar o RootDSE, você precisa importar a biblioteca ADSI Para isto vá até o menu do Delphi e clique em Project Import Type Library. procedure TDataModule2.GetUserInfo; var Query: string; ADOQuery1.Sql.Clear; Query := SELECT Name, distinguishedname, + samaccountname, PrimaryGroupID + FROM LDAP://DC=teste2000server, DC=com, DC=br + WHERE samaccountname = antonio ; ADOQuery1.Sql.Add(Query); ADOQuery1.Open; Listagem 1: Este trecho utiliza uma query LDAP para obter informações de usuários do ActiveDirectory. A interface ADSI fornece um caminho para determinar o seu Figura 5: Opção do menu do Delphi Selecione o item Active DS Type Library como mostrado na figura 6 e clique no botão Create Unit. Uma unit ActiveDs_TLB.pas será criada e adicionada ao seu projeto. Adicione esta unit a cláusula uses da unit1. (ver figura 6) Existem duas funções que nós precisamos criar para poder receber o RootDSE. São elas, GetObject e GetDefaultPath. Veja as funções na listagem 2. function GetObject(const const Name: string): IDispatch; var Moniker: IMoniker; 14 MeGAZINE

15 Figura 6: Importando a biblioteca. Result) then Raise Exception.Create(E.Message); Listagem 2: Funções usadas para pegar o path do dominio corrente Usando o caminho do seu domínio como o nome da tabela em suas querys, você pode construir instruções SQL para pesquisar um usuário ou grupo especifico. Veja a seguir na listagem 3 alguns exemplos de pesquisa. Eaten: integer; BindContext: IBindCtx; Dispatch: IDispatch; OleCheck(CreateBindCtx(0, BindContext)); OleCheck(MkParseDisplayName(BindContext, PWideChar(WideString(Name)),Eaten,Moniker)); OleCheck(Moniker.BindToObject(BindContext, nil, IDispatch, Dispatch)); Result := Dispatch; function GetDefaultPath: string; var RootDse : Iads; Result := ; try rootdse := GetObject( LDAP://rootDSE ) as IAds; Result := LDAP:// +rootdse.get ( defaultnamingcontext ); rootdse := nil; except on E:Exception do Result := LDAP://DC=activenet, DC=com,DC=br ; if not InputQuery] ( Dominio não encontrado., Por favor, informe o dominio correto., // Retorna informações de um usuário especifico Query := SELECT Name,distinguishedName, samaccountname, + PrimaryGroupID,MemberOf FROM +GetDefaultPath + WHERE samaccountname = + FUsername + ; // Retorna a lista de Organizational Units. Query := SELECT name FROM + GetdefaultPath + WHERE objectclass= organizationalunit ; // Retorna uma lista de usuários. Query := SELECT distinguishedname FROM +GetDefaultPath + WHERE objectclass= user ; // Se você configurar Groupnname = Domain Users você recebe um VarArray // dos membros daquele grupo. Query := SELECT member FROM +GetDafaultPath+ WHERE samaccountname= +GroupName+ ; // Recebe a lista de computadores. Query := SELECT distinguishedname FROM +GetDefaultPath+ WHERE objectclass= computer ; Listagem 3: Alguns exemplos de pesquisa Conclusão Acessar o Active Directory através do ADO é o caminho mais fácil para obter as informações de usuário que você precisa. Você pode obter maiores informações sobre o ActiveDirectory no próprio site da Microsoft no link windows2000/techinfo/howitworks/activedirectory/adsilinks.asp. Até a próxima edição e um forte abraço a todos. MeGAZINE 15

16 Delphi 8 Visualizando imagens na Web (Thumbnail ) Sobre o autor por André Colavite André Colavite Consultor Técnico do The Club Introdução Montando projetos para web algumas vezes nos deparamos com a necessidade de apresentar uma lista de imagens ao usuário e para facilitar a visualização essas imagens devem ser apresentadas em miniatura, mas também devem permitir ao usuário clicar sobre a imagem para visualizá-la em seu tamanho real. Sendo assim o propósito dessa matéria é exatamente esse, montar um projeto em Delphi8 Web Application para a visualização de imagens em tamanho reduzido. Configurando o DataList Vamos criar nosso projeto no Delphi8 do tipo ASP.NET Web Application e como primeiro passo vamos montar uma grade para visualização das imagens pelo usuário. Esse processo é bastante simples sendo que para essa visualização usaremos um componente do tipo DataList. Portanto coloque na janela um componente DataList e neste componente iremos configurar as propriedades para definir a apresentação da grade, são elas: CellSpacing = 5 RepeatColumns = 6 RepeatDirection = Vertical O componente DataList é uma componente de grade que utiliza outros componentes para apresentar valores ao usuário. Ao incluir um componente dentro desse DataList, como por exemplo um Label, esse Label será apresentado sequencialmente seguindo a estrutura de linha e coluna da grade do DataList. Neste momento iremos incluir os componentes dentro do DataList e para isso iremos visualizar a codificação ASPX do projeto para incluir no DataList um itemtemplate, pois é dentro desse itemtemplate que iremos incluir os componentes utilizados para a visualização dos valores na grade. Portanto clique na aba WebForm1.aspx e procure a codificação do DataList, conforme o exemplo abaixo: <asp:datalist id=datalist1 runat= server > </asp:datalist> Dentro dessa instrução iremos incluir a codificação que define o itemtemplate e dentro desse itemtemplate iremos incluir os componentes para visualização dos dados que serão, um Label utilizado para apresentar o nome do arquivo, e um ImageButton utilizado para apresentar a imagem com a possibilidade de clicar sobre essa imagem. Abaixo poderemos observar a instrução do itemtemplate contendo o Label e o ImageButton: <itemtemplate> <asp:label id=lbarquivo runat= server > LbArquivo</asp:label> <p> <asp:imagebutton id=imagebutton1 runat= server > </asp:imagebutton> </p> </itemtemplate> Após incluir essa codificação a instrução do DataList ficará da seguinte forma: <asp:datalist id=datalist1 runat= server repeatcolumns= 6"> 16 MeGAZINE

17 <itemtemplate> <asp:label id=lbarquivo runat= server >LbArquivo</asp:label> <p> <asp:imagebutton id=imagebutton1 runat= server > </asp:imagebutton> </p> </itemtemplate> </asp:datalist> Voltando a visualização do Design podemos observar que o DataList irá apresentar os dois componentes, conforme figura 1: uses. A nossa visualização está quase pronta, na verdade agora somente devemos configurar no DataList qual o tipo de informação que iremos apresentar ao usuário, pois essa classe System.IO.DirectoryInfo utilizada nos permite visualizar diversas informações, como por exemplo: Name - apresenta somente o nome do arquivo FullName - apresenta o caminho e o nome do arquivo Extension - apresenta somente a extensão do arquivo Conforme já indicado iremos apresentar no DataList o nome do arquivo e visualizar a imagem, portanto iremos trabalhar com a propriedade Name e FullName. Sendo assim visualize novamente a codificação WebForm1.aspx e inclua no label a seguinte codificação: Figura1: Visualizando o DataList Lendo os arquivos do diretório Neste momento iremos criar a instrução para ler os arquivos de imagens que estão num subdiretório IMAGENS do projeto, sendo que para isso iremos utilizar a seguinte instrução no evento Page_Load. procedure TWebForm1.Page_Load(sender: System.Object; e: System.EventArgs); var dirinfo: System.IO.DirectoryInfo; if (not IsPostBack) then { lê o subdiretório imagens do projeto } dirinfo := System.IO.DirectoryInfo.Create (Server.MapPath(.\imagens )); { Retorna informações dos arquivos com extensão JPG } DataList1.DataSource := dirinfo. GetFiles( *.jpg ); { atualiza a visualização do DataList } DataList1.DataBind(); Podemos observar que atribuímos diretamente para o DataList a lista de arquivos que visualizamos. Observação: Devemos declarar a unit System.IO na lista de <%# DataBinder.Eval (Container.DataItem, Name ) %> Ficando a instrução do Label da seguinte forma: <asp:label id=lbarquivo runat= server > <%# DataBinder.Eval(Container. DataItem, Name ) %> </asp:label> Agora iremos incluir no componente ImageButton a codificação que irá atribuir às propriedades imageurl e commandname o caminho com o nome do arquivo a ser apresentado ao usuário no DataList. Sendo assim atribua ao ImageButton a seguinte instrução: <%# DataBinder.Eval(Container. DataItem, FullName ) %> Segue abaixo como ficou a codificação do ImageButton: <asp:imagebutton id=imagebutton1 runat= server imageurl= <%# DataBinder.Eval(Container.DataItem, FullName ) %> commandname= <%# DataBinder.Eval (Container.DataItem, FullName ) %> > </asp:imagebutton> A propriedade imageurl é utilizada para ler o arquivo da imagem a ser apresentada, já a propriedade commandname é MeGAZINE 17

18 utilizada para definir um comando que será lido no evento ItemCommand acessado quando o usuário clica sobre a imagem. Esse evento será codificado mais a frente. Após incluir os dois componentes e a instrução para ler os valores a codificação do DataList ficará da seguinte forma: <asp:datalist id=datalist1 runat= server repeatcolumns= 6"> <itemtemplate> <asp:label id=lbarquivo runat= server ><%# DataBinder.Eval(Container.DataItem, Name ) %></asp:label> <p> <asp:imagebutton id=imagebutton1 runat= server imageurl= <%# DataBinder.Eval(Container.DataItem, FullName ) %> commandname= <%# DataBinder.Eval(Container.DataItem, FullName ) %> > </asp:imagebutton> </p> </itemtemplate> </asp:datalist> Pronto, podemos voltar a visualização do Design. Neste momento podemos compilar e executar o projeto ao qual irá apresentar as imagens existentes no subdiretório imagens do diretório do projeto. Observação: Não se esqueça de criar esse subdiretório e incluir algumas imagens para serem visualizadas. Visualizando as imagens reduzidas Nesta segunda parte do projeto iremos incluir as instruções para visualizar as imagens num tamanho reduzido dentro do DataList, permitindo assim que todas as imagens fiquem visíveis com o mesmo tamanho. Para montar esse visualização iremos utilizar o método GetThumbnailImage do objeto System.Drawing.Image, ao qual permitirá gerar um cópia da imagem no tamanho desejado. Para fazer esse processo iremos ler a imagem no tamanho real e atribuí-la ao DataList. Antes de apresentar a imagem ao usuário o evento ItemDataBound do DataList é executado e neste momento é gerado uma miniatura da imagem, apresentando essa miniatura ao usuário. Veja abaixo como ficou a instrução dentro do evento ItemDataBound do DataList: procedure TWebForm1.DataList1_ItemDataBound(sender: System.Object; e: System.Web.UI.WebControls. DataListItemEventArgs); var Nome_Arq, Nome_Mini: String; { pesquisa o item colocado dentro do Datalist } if e.item.findcontrol( ImageButton1 ) <> Nil then { lê a informação da propriedade imageurl do item do datalist } Nome_Arq :=ImageButton(e.item.FindControl ( ImageButton1 )).ImageUrl; { gera a imagem em miniatura } Nome_Mini := Gerar_Miniatura( Nome_Arq ); { apresenta a imagem em miniatura no item dentro do datalist } ImageButton(e.item.FindControl ( ImageButton1 )).ImageUrl := Nome_Mini; Neste evento foi utilizado a function Gerar_Miniatura, sendo que essa function irá ler a imagem no seu tamanho original calcular uma porcentagem de diminuição para chegar ao tamanho miniatura. Essa porcentagem é necessária para poder diminuir o tamanho da imagem por igual tanto na sua altura como no seu comprimento evitando assim deformar a imagem. Veja abaixo a function contendo algumas explicações das linhas utilizadas: function TWebForm1.Gerar_Miniatura (NomeArqOrigem: String): String; var Img, Img2: System.Drawing.Image; mycallback: System.Drawing.Image.GetThumbnailImageAbort; ntamimg, np, nt : Integer; ntamimg := 100; {tamanho das mini-imagens } try Img := System.Drawing.Image.FromFile ( NomeArqOrigem ); try { verifica se a imagem apresentada já não é menor que o tamanho pré-definido } if (Img.Width > ntamimg) or (Img.Height 18 MeGAZINE

19 > ntamimg) then mycallback := System.Drawing.Image. GetThumbnailImageAbort (ThumbnailCallback); { calcula a porcentagem de diminuição da imagem. Essa porcentagem é utilizada para definir o novo tamanho da imagem na altura e no comprimento } if (Img.Width > Img.Height) and (Img.Width > ntamimg) then np := Round((nTamImg*100)/ img.width); nt := Round((img.Height*nP)/100); {gera uma nova imagem em miniatura } img2 := img.getthumbnailimage (ntamimg, nt, mycallback, System.IntPtr.Zero); end else if img.height > ntamimg then np := Round((nTamImg*100)/ img.height); nt := Round((img.Width*nP)/100); {gera uma nova imagem em miniatura } img2 := img.getthumbnailimage(nt, ntamimg, mycallback, System.IntPtr.Zero); try {cria a string contendo a path e o nome da imagem no sub-diretório imagens_mini } Result := GetTempPath + imagens_mini\ + PrepareFileName( Path.GetFileName(NomeArqOrigem) ); { salva a imagem em miniatura no subdiretorio } img2.save( Result, ImageFormat. Jpeg); finally img2.free; end else { imagem já é miniatura, portanto visualiza ela mesma } Result := NomeArqOrigem; finally img.free; except Dentro dessa function utilizamos três functions, são elas: Function ThumbnailCallback, sendo uma function de controle obrigatório no uso do método GetThumbnailImage. function ThumbnailCallback: boolean; Result := false; Function GetTempPath, utilizada para retornar o caminho físico do servidor onde o projeto está. function TWebForm1.GetTempPath: string; Result := Page.Request. PhysicalApplicationPath; Function PrepareFileName, utilizada para preparar o nome do arquivo a ser gerado em miniatura. function TWebForm1.PrepareFileName (aname: string): string; Result := aname.replace(, ) +.jpg ; Observação: Devemos declarar a unit System.Drawing.Imaging na lista de uses e declarar também as functions criadas na seção private, veja exemplo abaixo: private function Gerar_Miniatura (NomeArqOrigem: String): String; function GetTempPath: string; function PrepareFileName (aname: string): string; public Para concluir o nosso projeto iremos criar o evento ItemCommand do componente DataList, pois através desse evento iremos controlar quando o usuário clicar sobre a miniatura da imagem ao qual irá apresentar uma nova janela mostrando a imagem em seu tamanho original. MeGAZINE 19

20 Segue a instrução do evento ItemCommand do DataList: procedure TWebForm1.DataList1_ItemCommand (source: System.Object; e: System.Web.UI.WebControls. DataListCommandEventArgs); var Img: System.Drawing.Image; nw, nh: integer; { verifica o tamanho da imagem para controlar o tamanho da janela } nw := 200; nh := 200; try Img := System.Drawing.Image. FromFile(e.CommandName); if Img.Width > nw then nw := Img.Width+20; if Img.Height > nh then nh := Img.Height+20; Img.Free; except { Executa uma instrução Java Script para abrir uma nova janela contendo a página webform2.aspx} Response.Write( <script language= javascript > window.open( webform2.aspx?arq= + Path.GetFileName(e.CommandName)+, _blank,[ toolbar=no,width= +nw.tostring+,height= +nh.tostring+ ] ) </script> ); Observação: Devemos criar um subdiretório do projeto chamado Imagens, contendo algumas imagens, e criar também um subdiretório chamado imagens_mini. Neste momento nosso pequeno projeto está pronto, podemos executá-lo normalmente ao qual irá apresentar as imagens em miniatura, conforme figura 2 e clicando sobre a imagem poderemos vê-las em seu tamanho original, conforme figura 3. Figura2: Apresentando imagem em miniatura Crie essa nova página webform2.aspx no projeto e dentro dela coloque um componente Image ao qual irá apresentar a imagem em seu tamanho original. No evento Page_Load dessa nova página coloque a instrução que irá atribuir o arquivo original para o componente Image, veja a instrução do evento PageLoad. procedure TWebForm2.Page_Load(sender: System.Object; e: System.EventArgs); Image1.ImageUrl := Page.Request.PhysicalApplicationPath+ imagens\ +Request.Params[ arq ].ToString; Figura3: Apresentando imagem no tamanho original Conclusão Conforme podemos observar nesta matéria, utilizando o Framework é bastante simples mostrar uma grade de imagens em miniatura no browse, com isso poderemos montar projetos com visualização de imagens no Delphi 8 com bastante facilidade. Um abraço a todos e até a próxima. Download: Visual_Imagem_D8.zip 20 MeGAZINE

SIntegra Abordagem Completa Ferramentas Relacionadas.

SIntegra Abordagem Completa Ferramentas Relacionadas. SIntegra Abordagem Completa Ferramentas Relacionadas. 1 por Victory Fernandes No segundo artigo da série, foram abordados os conceitos gerais acerca da implementação do Sintegra, estruturação básica do

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS FORMULÁRIOS COM ABAS Trabalhar com abas (ou guias) é um recurso

Leia mais

Projeto Supermercado - Produtos

Projeto Supermercado - Produtos OBJETIVO: Este projeto possibilitará fazer a manutenção dos dados da tabela de Produtos. Didaticamente, ele permite ao programador iniciante ter os primeiros contatos com os objetos de visualização individual

Leia mais

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10 Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212

Leia mais

1- ASP.NET - HTML Server Controls

1- ASP.NET - HTML Server Controls 1- ASP.NET - HTML Server Controls Os controles de servidor - Server Controls - HTML são tags HTML padrão, com exceção de possuirem o atributo : runat="server". Vejamos um código que ilustra isto: O atributo

Leia mais

SINTEGRA GUIA PARA GERAÇÃO DO VIA MÓDULO LBCGAS. Versão 1.00 15 de Abril de 2010.

SINTEGRA GUIA PARA GERAÇÃO DO VIA MÓDULO LBCGAS. Versão 1.00 15 de Abril de 2010. GUIA PARA GERAÇÃO DO SINTEGRA VIA MÓDULO LBCGAS Versão 1.00 15 de Abril de 2010. 1 a ETAPA CADASTRANDO IMPRESSORAS FISCAIS (ECFs) Antes de iniciarmos o lançamento das reduções Z que farão a consolidação

Leia mais

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Memória Flash Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Notas de Versão. Versão 6.0 SP1

Notas de Versão. Versão 6.0 SP1 Notas de Versão Versão 6.0 SP1 2013 Pitney Bowes Software Inc. Todos os direitos reservados. Esse documento pode conter informações confidenciais ou protegidas por direitos autorais pertencentes à Pitney

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br 2013 inux Sistemas Ltda. s MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br Sumário 1 Introdução... 2 2 Visão Geral do Sistema... 2 3 Tela de Configuração... 3 4 Tela de Mensagens... 5 5 Tela de Importação... 8 6 Tela

Leia mais

Display de 7. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Display de 7. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Display de 7 Segmentos Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

MANUAL DO ANIMAIL 1.0.0.1142 Terti Software

MANUAL DO ANIMAIL 1.0.0.1142 Terti Software O Animail é um software para criar campanhas de envio de email (email Marketing). Você pode criar diversas campanhas para públicos diferenciados. Tela Principal do sistema Para melhor apresentar o sistema,

Leia mais

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes)

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) 1. Sobre o Microsoft Dynamics CRM - O Microsoft Dynamics CRM permite criar e manter facilmente uma visão clara dos clientes,

Leia mais

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho.

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho. DELPHI BÁSICO VANTAGENS Ambiente de desenvolvimento fácil de usar; 1. Grande Biblioteca de Componentes Visuais (VCL - Visual Component Library), que são botões, campos, gráficos, caixas de diálogo e acesso

Leia mais

PROJECT 1 Delphi Project (Extensão. DPR)

PROJECT 1 Delphi Project (Extensão. DPR) CAPÍTULO2 1. A ESTRUTURA DE UM APLICATIVO Quando iniciamos uma aplicação em Delphi ele interpreta que iremos desenvolver um projeto. Este gerencia um conjunto de recursos como Forms, Units, objetos, funções

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA CONVERSÃO DE IMAGENS DIGITALIZADAS EM DOCUMENTO PDF ÚNICO UTILIZANDO A IMPRESSORA FREEPDF XP.

PROCEDIMENTOS PARA CONVERSÃO DE IMAGENS DIGITALIZADAS EM DOCUMENTO PDF ÚNICO UTILIZANDO A IMPRESSORA FREEPDF XP. PROCEDIMENTOS PARA CONVERSÃO DE IMAGENS DIGITALIZADAS EM DOCUMENTO PDF ÚNICO UTILIZANDO A IMPRESSORA FREEPDF XP. O objetivo deste manual é orientar os usuários do sistema de Processo Eletrônico a transformar

Leia mais

SIntegra Abordagem Completa - Conceitos Gerais.

SIntegra Abordagem Completa - Conceitos Gerais. SIntegra Abordagem Completa - Conceitos Gerais. 1 por Victory Fernandes Creio que muitos de vocês leitores, assim como eu, venham sendo constantemente abordados por seus clientes a respeito da obrigatoriedade

Leia mais

SUMÁRIO 1. AULA 7 INTRODUÇÃO À REDES PONTO A PONTO = PARTE 1:... 2

SUMÁRIO 1. AULA 7 INTRODUÇÃO À REDES PONTO A PONTO = PARTE 1:... 2 SUMÁRIO 1. AULA 7 INTRODUÇÃO À REDES PONTO A PONTO = PARTE 1:... 2 1.1 Introdução... 2 1.2 Montando Redes Ponto-a-Ponto... 3 1.2.1 Parte lógica... 3 1.2.2 Escolhendo o sistema operacional... 3 1.2.3 Instalação

Leia mais

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato Introdução ao X3 Exercício 1: Criando um registro de Contato Inicie por adicionar um novo registro de Contato. Navegue para a tabela de Contato clicando na aba de Contato no alto da página. Existem duas

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

Corregedoria-Geral de Justiça. Serviço Notarial e de Registro. Manual do Sistema SISNOR CARTÓRIO

Corregedoria-Geral de Justiça. Serviço Notarial e de Registro. Manual do Sistema SISNOR CARTÓRIO Corregedoria-Geral de Justiça Serviço Notarial e de Registro Manual do Sistema SISNOR CARTÓRIO Atualizado em 29/04/2015 CONTEÚDO APRESENTAÇÃO... 4 CAPÍTULO 1 DOWNLOAD DO SISNOR CARTÓRIO... 5 CAPÍTULO 2

Leia mais

[MANUAL DE INTEGRAÇÃO PARA SITES DE MEMBROS]

[MANUAL DE INTEGRAÇÃO PARA SITES DE MEMBROS] 2011 [MANUAL DE INTEGRAÇÃO PARA SITES DE MEMBROS] Destinado a usuários que desejam vender conteúdo premium, disponível em sites de membros, através da plataforma Hotmart. Versão do documento: 1.0, 11/04/2011.

Leia mais

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 4 O Componente Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Ano: 03/2011

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal)

Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal) Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal) Acessando o Sistema Para acessar a interface de colaboração de conteúdo, entre no endereço http://paginapessoal.utfpr.edu.br. No formulário

Leia mais

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Desenvolvido por Fábrica de Software Coordenação de Tecnologia da Informação Pág 1/22 Módulo: 1 Responsável: Desenvolvimento Ti Data: 01/11/2012 Versão: 1.0 Empresa:

Leia mais

Entradas Digitais. PdP. Autores: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 27/12/2005 Última versão: 18/12/2006

Entradas Digitais. PdP. Autores: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 27/12/2005 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Entradas Digitais Autores: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 27/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência Produto IV: ATU SAAP Manual de Referência Pablo Nogueira Oliveira Termo de Referência nº 129275 Contrato Número 2008/000988 Brasília, 30 de outubro de 2008 1 Sistema de Apoio à Ativideade Parlamentar SAAP

Leia mais

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 1 Sumário 1 - Instalação Normal do Despachante Express... 3 2 - Instalação do Despachante Express em Rede... 5 3 - Registrando o Despachante Express...

Leia mais

Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática para Zebra EPL2

Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática para Zebra EPL2 1 Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática para Zebra EPL2 por Victory Fernandes Na internet estão disponíveis diversos componentes para geração e impressão de Código de Barras utilizando o

Leia mais

Alternate Technologies Fevereiro/2013. FórmulaCerta Procedimentos para Atualização Versão 5.8 (Fevereiro/2013)

Alternate Technologies Fevereiro/2013. FórmulaCerta Procedimentos para Atualização Versão 5.8 (Fevereiro/2013) FórmulaCerta Procedimentos para Atualização Versão 5.8 () 1 Sumário: PROCEDIMENTOS PARA ATUALIZAÇÃO VERSÃO 5.8... 4 ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA VIA CD... 6 1º Passo Atualizações e Alterações da Versão 5.8...

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. - INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Coleção de Dicas sobre programação Delphi. Retiradas do E-Zine Grandes Dicas em Delphi

Coleção de Dicas sobre programação Delphi. Retiradas do E-Zine Grandes Dicas em Delphi Coleção de Dicas sobre programação Delphi. Retiradas do E-Zine Grandes Dicas em Delphi Por Ramos de Souza Janones www.ramosdainformatica.com.br 1 Índice 1 Índice... 2 Descobrindo o código ASCII de uma

Leia mais

Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Professor Sérgio Furgeri

Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Professor Sérgio Furgeri OBJETIVOS DA AULA: Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Fazer uma breve introdução a respeito do MS SQL Server 7.0; Criar uma pequena base de dados no MS SQL Server 7.0; Elaborar

Leia mais

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Nota Fiscal Paulista Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) Versão 1.1 15/02/2008 Página 1 de 17 Índice Analítico 1. Considerações Iniciais 3 2. Instalação do

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

Manual para geração do SINTEGRA Março/ 2010

Manual para geração do SINTEGRA Março/ 2010 As instruções que se seguem referem-se a geração do arquivo SINTEGRA para a Radio Extra. É importante esta informação pois as exigibilidades do SINTEGRA variam de acordo com tributação estadual incidente

Leia mais

Microsoft Access XP Módulo Um

Microsoft Access XP Módulo Um Microsoft Access XP Módulo Um Neste primeiro módulo de aula do curso completo de Access XP vamos nos dedicar ao estudo de alguns termos relacionados com banco de dados e as principais novidades do novo

Leia mais

Kerio Exchange Migration Tool

Kerio Exchange Migration Tool Kerio Exchange Migration Tool Versão: 7.3 2012 Kerio Technologies, Inc. Todos os direitos reservados. 1 Introdução Documento fornece orientações para a migração de contas de usuário e as pastas públicas

Leia mais

1ª ETAPA IMPRIMIR LAUDO

1ª ETAPA IMPRIMIR LAUDO PROCEDIMENTOS PARA IMPRESSÃO DOS LAUDOS DE AVALIAÇÃO SÓCIO-ECONÔMICA COM FOTOS EM PDF PARA USO NO SISTEMA DO PROCESSO ELETRÔNICO. Inicialmente digite seu laudo de avaliação conforme modelo padronizado

Leia mais

Características do PHP. Começando a programar

Características do PHP. Começando a programar PHP Introdução Olá pessoal. Desculpe o atraso na publicação da aula. Pude perceber pelas respostas (poucas) ao fórum que a realização da atividade do módulo I foi relativamente tranquila. Assistam ao vídeo

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI CRIANDO UMA AUTENTICAÇÃO DE USUÁRIO UTILIZANDO O COMPONENTE QUERY A autenticação de usuários serve para

Leia mais

Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado da Fazenda

Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado da Fazenda Manual do Usuário Sistema Notapará Programa Nota Fiscal Cidadã Objetivo: Estabelecer orientações aos usuários do sistema Notapará, tais como: usabilidade, funcionalidade e navegabilidade. Manual do Usuário

Leia mais

Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas

Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas Geração e transmissão de NF-e Após preencher os dados da nota fiscal, se não houver alguma informação faltando, o sistema sugere a geração do arquivo texto necessário

Leia mais

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Abril 2013 Sumário 1. Agente... 1 2. Onde instalar... 1 3. Etapas da Instalação do Agente... 1 a. Etapa de Instalação do Agente... 1 b. Etapa de Inserção

Leia mais

NOVO COMPONENTE ASSINADOR ESEC

NOVO COMPONENTE ASSINADOR ESEC NOTAS FISCAIS DE SERVIÇO ELETRÔNICAS PREFEITURA DE JUIZ DE FORA COMPLEMENTO AO SUPORTE A ATENDIMENTO NÍVEL 1 1.0 Autor: Juiz de Fora, Fevereiro 2015. PÁGINA 1 DE 38 SUMÁRIO 1REQUISITOS MÍNIMOS CONFIGURAÇÕES

Leia mais

Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática ZEBRA ZPL2

Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática ZEBRA ZPL2 1 Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática ZEBRA ZPL2 por Victory Fernandes e Augusto Frederico Na Internet estão disponíveis diversos componentes para geração e impressão de Código de Barras

Leia mais

Laplink PCmover Express A Maneira Mais Fácil de Migrar para um Novo PC Windows. Guia do Usuário

Laplink PCmover Express A Maneira Mais Fácil de Migrar para um Novo PC Windows. Guia do Usuário Laplink PCmover Express A Maneira Mais Fácil de Migrar para um Novo PC Windows Guia do Usuário Serviço de Atendimento ao Cliente/ Suporte Técnico Site: http://www.laplink.com/index.php/por/contact E-mail:

Leia mais

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox.

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. - Construção do Banco de Dados: Para podermos inserir algo em um banco precisaremos de um Banco de Dados, para isto iremos montar um utilizando o Programa Database

Leia mais

Interface para Regras de Negócios em Multi-Banco

Interface para Regras de Negócios em Multi-Banco 1 Interface para Regras de Negócios em Multi-Banco MARCELO JALOTO (marcelo@jaloto.net) é graduado no curso superior Projetos e Gestão de Redes de Computadores e formado no curso Técnico em Processamento

Leia mais

Daruma NFCe Conheça todos os passos para testar a NFCe Daruma

Daruma NFCe Conheça todos os passos para testar a NFCe Daruma Pré-requisitos Mini Impressora Daruma versão 02.50.02 ou superior. Cadastro no servidor de Testes Daruma NFCe Conheça todos os passos para testar a NFCe Daruma Adquirir Mini Impressora a preço subsidiado

Leia mais

Front-End Uso da Linguagem Turbo Delphi para Acesso ao Banco de Dados Mysql

Front-End Uso da Linguagem Turbo Delphi para Acesso ao Banco de Dados Mysql Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT Sistemas de Informação Laboratório de Programação Visual Prof. Clóvis Júnior Front-End Uso da Linguagem Turbo Delphi para Acesso ao Banco de Dados Mysql Estrutura

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. Conteúdo 1. Descrição geral 2 2. Resumo das funcionalidades 3 3. Efetuar cadastro no sistema 4 4. Acessar o sistema 6 5. Funcionalidades do menu 7 5.1 Dados cadastrais 7 5.2 Grupos de usuários 7 5.3 Funcionários

Leia mais

Manual de Administração

Manual de Administração Manual de Administração Produto: n-mf Xerox Versão do produto: 4.7 Autor: Bárbara Vieira Souza Versão do documento: 1 Versão do template: Data: 04/04/01 Documento destinado a: Parceiros NDDigital, técnicos

Leia mais

Tutorial de Computação PWM v2010.08

Tutorial de Computação PWM v2010.08 Tutorial de Computação PWM v2010.08 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212 Londrina PR Brasil http://www.maxwellbohr.com.br 1 Introdução

Leia mais

Manual de Instalação, Configuração e Uso

Manual de Instalação, Configuração e Uso Manual de Instalação, Configuração e Uso Este Manual destina-se ao usuário do sistema Smart Manager. É proibida a duplicação ou reprodução, no todo ou em parte, sob quaisquer formas ou qualquer meio, sem

Leia mais

SIAFRO Módulo de Devolução 1.0

SIAFRO Módulo de Devolução 1.0 Conteúdo do Manual. Introdução. Capítulo Requisitos. Capítulo Instalação 4. Capítulo Configuração 5. Capítulo 4 Cadastro de Devolução 6. Capítulo 5 Relatório 7. Capítulo 6 Backup 8. Capítulo 7 Atualização

Leia mais

Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 1 Levante e ande - Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Ano: 02/2011 Nesta Edição

Leia mais

e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico

e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico Página1 e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é MDF-e?... 03 2. Safeweb e-nota MDF-e... 04 3. Acesso e-nota

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 18 de fevereiro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é

Leia mais

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário MANUAL DO USUÁRIO 2 ÍNDICE 1. PRÉ REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SIGEP WEB 04 2. PROCEDIMENTOS PARA DOWNLOAD DO SISTEMA 04 3. INSTALANDO O SIGEP WEB 07 4. CONFIGURAÇÕES DO SISTEMA 09 COMPARTILHANDO O BANCO

Leia mais

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel Avançado Trabalhando com VBA Descubra a linguagem de programação do Microsoft Office e torne-se um expert no desenvolvimento de funções, macros e planilhas eletrônicas Nas edições anteriores da revista

Leia mais

Presskit Guia Rápido. Release 2.0. Presskit

Presskit Guia Rápido. Release 2.0. Presskit Presskit Guia Rápido Release 2.0 Presskit 06/07/2009 Sumário 1 Login 2 Login e Senha...................................... 2 Esqueci minha senha.................................. 2 Fale Com o Suporte...................................

Leia mais

Integrated User Verification Guia de Implementação do Cliente 2015-05-04 Confidencial Versão 2.9

Integrated User Verification Guia de Implementação do Cliente 2015-05-04 Confidencial Versão 2.9 Integrated User Verification Guia de Implementação do Cliente 2015-05-04 Confidencial Versão 2.9 SUMÁRIO Introdução... 2 Finalidade e público-alvo... 2 Sobre este documento... 2 Termos mais utilizados...

Leia mais

FAQ PERGUNTAS FREQUENTES

FAQ PERGUNTAS FREQUENTES FAQ PERGUNTAS FREQUENTES 1 SUMÁRIO SUMÁRIO...2 1.Quais são as características do Programa?...4 2.Quais são os pré-requisitos para instalação do Sigep Web?...4 3.Como obter o aplicativo para instalação?...4

Leia mais

Sumário. Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido.

Sumário. Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido. Sumário Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido. Introdução ao Project Um projeto é uma seqüência bem definida de eventos, com um início e um final identificável. O foco de um projeto é obter

Leia mais

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos:

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos: Access 1 Tela Inicial: 2 ÁREA DE TRABALHO. Nosso primeiro passo consiste em criar o arquivo do Access (Banco de Dados), para isto utilizaremos o painel de tarefas clicando na opção Banco de Dados em Branco.

Leia mais

Podemos agora ver no IDE do Morfik os objetos que já incorporamos ao nosso projeto :

Podemos agora ver no IDE do Morfik os objetos que já incorporamos ao nosso projeto : Podemos agora ver no IDE do Morfik os objetos que já incorporamos ao nosso projeto : O form Index A tabela Fotos A query Q_seleção_de_fotos Vide figura 46. Figura 46 O próximo passo é criar um form que

Leia mais

Módulo e-rede Prestashop v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados

Módulo e-rede Prestashop v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados Módulo e-rede Prestashop v1.0 Manual de Instalação do Módulo estamos todos ligados ÍNDICE 01 02 03 04 Introdução 3 Versão 3 Requerimentos 3 Manual de instalação 4 05 06 4.1 Instruções iniciais 4 4.2 Instalação

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES

GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES SUMÁRIO 1. PREENCHIMENTO DA PLANILHA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS...3 1.1 Menu...3 1.2 Termo de Abertura...4 1.3 Plano do Projeto...5 1.4

Leia mais

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação Guia de Instalação 29 de setembro de 2010 1 Sumário Introdução... 3 Os Módulos do Andarta... 4 Instalação por módulo... 6 Módulo Andarta Server... 6 Módulo Reporter... 8 Módulo Agent... 9 Instalação individual...

Leia mais

Fortes Report Parte 1 Desenvolvendo o Primeiro Relatório

Fortes Report Parte 1 Desenvolvendo o Primeiro Relatório Fortes Report Parte 1 1 Fortes Report Parte 1 Desenvolvendo o Primeiro Relatório Amigos, fazer relatórios é o famoso mal necessário, que particularmente eu não me incomodo em desenvolver, até porque, geralmente

Leia mais

Exibindo imagens em um controle DataGrid

Exibindo imagens em um controle DataGrid Exibindo imagens em um controle DataGrid O ASP.NET além de oferecer uma interface muito amigável traz muitos controles que facilitam a vida de qualquer desenvolvedor. Um destes controles é o DataGrid.

Leia mais

Validação de formulário : CEP, Email e CPF

Validação de formulário : CEP, Email e CPF Validação de formulário : CEP, Email e CPF Publicado em: 14/09/2003 A ASP.NET veio para facilitar ainda mais o desenvolvimento para WEB, trazendo consigo todo um conjunto inovações que visam facilitar

Leia mais

PTA Versão 4.0.6 21/11/2012 Manual do Usuário ÍNDICE

PTA Versão 4.0.6 21/11/2012 Manual do Usuário ÍNDICE ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 Finalidade do Aplicativo... 2 Notas sobre a versão... 2 INSTALAÇÃO DO APLICATIVO... 3 Privilégios necessários para executar o instalador... 3 VISÃO GERAL DO PTA... 4 Quando utilizar

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais

Bem- Vindo ao manual de instruções do ECO Editor de COnteúdo.

Bem- Vindo ao manual de instruções do ECO Editor de COnteúdo. Manual de Instruções ECO Editor de Conteúdo Bem- Vindo ao manual de instruções do ECO Editor de COnteúdo. O ECO é um sistema amigável e intui?vo, mas abaixo você pode?rar eventuais dúvidas e aproveitar

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

END OF FILE: Tutorial Chat Em Delphi

END OF FILE: Tutorial Chat Em Delphi END OF FILE: Tutorial Chat Em Delphi fórum: http://offile.umforum.net site: http://fts315.xp3.biz autor: kõdo no kami (www.facebook.com/hacker.fts315) - skype: hackefts315 greetz: mmxm, sir.rafiki, suspeit0@virtual,

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL TISS. Manual. Usuário. Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL TISS. Manual. Usuário. Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013 Manual do Usuário Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013 1. CONFIGURAÇÕES E ORIENTAÇÕES PARA ACESSO... 4 2 GUIAS... 11 2.1 DIGITANDO AS GUIAS... 11 2.2 SALVANDO GUIAS... 12 2.3 FINALIZANDO UMA GUIA... 13

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

Manual de Solicitação e Instalação de Certificado Digital A3 e-cpf/e-cnpj AC-Correios no dispositivo criptográfico e-token PRO USB Aladdin.

Manual de Solicitação e Instalação de Certificado Digital A3 e-cpf/e-cnpj AC-Correios no dispositivo criptográfico e-token PRO USB Aladdin. Manual de Solicitação e Instalação de Certificado Digital A3 e-cpf/e-cnpj AC-Correios no dispositivo criptográfico e-token PRO USB Aladdin. Download do Dispositivo Criptográfico e-token PRO USB Aladdin:

Leia mais

Controle Patrimonial WEB

Controle Patrimonial WEB Cccc Controle Patrimonial WEB Manual Unidade de Guarda Conteúdo 1. Acessar o Controle Patrimonial - Web... 4 1.1. Login... 4 1.2. Esquecer sua senha?... 5 2. Alterar a senha... 6 3. Cadastrar novo usuário...

Leia mais

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 5 SELECT * FROM Minha_memoria Revisando Sintaxes SQL e Criando programa de Pesquisa Ano:

Leia mais

G-Bar IGV. Instalação Versão 4.0

G-Bar IGV. Instalação Versão 4.0 G-Bar Software para Gerenciamento de Centrais de Corte e Dobra de Aço IGV Software Interpretador/ Gerenciador/ Visualizador de dados digitais de projetos CAD-TQS Instalação Versão 4.0 Manual do Usuário

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO DO M3

MANUAL DO USUÁRIO DO M3 MANUAL DO USUÁRIO DO M3 1 CADASTROS 1.1 Clientes Abre uma tela de busca na qual o usuário poderá localizar o cadastro dos clientes da empresa. Preencha o campo de busca com o nome, ou parte do nome, e

Leia mais

PdP. Autor: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 26/12/2005 Última versão: 18/12/2006

PdP. Autor: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 26/12/2005 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Servo-motor Autor: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 26/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

Índice. Tutorial para Desenvolvimento de Conduits em Delphi

Índice. Tutorial para Desenvolvimento de Conduits em Delphi Índice Índice...1 Desenvolvendo Conduits...2 (Passo a Passo)...2 Criando um Arquivo.mdb... 2 Arquivos...6 Instalando os componentes... 7 Recompilando os Comonentes do Delphi...13 Configurando a Conexão

Leia mais