A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA"

Transcrição

1 A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA Ana Lia Ferreira Mendes de Carvalho Geografia Bacharelado - UNIFAL-MG INTRODUÇÃO O presente estudo irá apresentar a evolução histórica do bairro Pinheirinho, no intuito de resgatar as características principais e associá-las com os conceitos da geografia urbana, procurando entender que a dinâmica e a expansão da cidade de São José dos Campos ocasionaram várias transformações no espaço urbano analisado. Deste modo, o contexto histórico do Pinheirinho ocorre em três fases. A primeira seria em 1960 quando o bairro era uma grande gleba de terra com características rurais e pertencia aos quatros irmãos de origem alemã, mas vieram a falecer sem deixar herdeiro e nem documentação. Segunda fase é definida pela apropriação dessa gleba por um empresário libanês que atua na área de investimentos e especulação imobiliária, chamado Naji Nahas, sendo essa posse é questionada por muitos. Por fim, a última fase seria a entrada dos segmentos excluídos nessa terra, popularmente conhecida como a população do bairro Pinheirinho. E o desfecho é marcado pela expulsão dos moradores do bairro Pinheirinho, devido à especulação imobiliária local, à valorização fundiária que ocorre em todo o município e à segregação socioeconômica e espacial. O trabalho em fase de desenvolvimento procura definir a problemática abordada utilizando contradições expostas naquele local, além de conceitos e conteúdos sobre geografia urbana e planejamento urbano com a finalidade de ter uma aproximação com o bairro Pinheirinho.

2 Portanto, pretende-se aqui analisar fatores históricos e identificar atributos que favoreceram para a produção do espaço e a fragmentação urbana presente. Então, é válido deixar claro que a ideia do estudo desse objeto é utilizar conteúdos sobre a especulação imobiliária, as particularidades da evolução urbana e os agentes que produzem e consomem o espaço tendo como base a regressão histórica. Imagem 1: Localização da cidade da área de estudo. OBJETIVO Fazer um regaste histórico do bairro Pinheirinho associando com a dinâmica da cidade de São José dos Campos, permitindo identificar os fatores, como: aumento da especulação imobiliária no local, a alta densidade demográfica, a questão socioespacial e as lutas pelo direito da terra, que atuam nesse cenário. Para tanto, é necessário realizar uma pesquisa sobre os índices de expansão (vertical e horizontal), e quais foram os atributos que favoreceram tal expansão, além de analisar o perfil socioeconômico de cada bairro da cidade possibilitando relacionar esses dados com o bairro Pinheirinho. E por fim, entender como o Estado irá exercer sua função no contexto histórico.

3 METODOLOGIA Para a abordagem metodológica é necessário fazer um levantamento bibliográfico por meio de monografias, dissertações, livros, artigos, reportagens, blogs que contribuem para o tema do trabalho, com intuito de identificar fatores que ajudaram na construção e transformação do espaço. Para complementação dessa primeira fase é interessante também, uma análise sobre o plano diretor e perceber como este atua na cidade, juntamente, se possível, com imagens aéreas e fotos que marcam o crescimento de São José dos Campos e especificamente, o bairro Pinheirinho. Na realização da pesquisa de campo é importante a obtenção de entrevistas realizadas com os moradores do bairro Pinheirinho, com os demais habitantes do município (enxergar como era visto o bairro por meio deles), o advogado que tomou iniciativa desde o princípio pelo direito da terra e com os empreendedores privados. RESULTADOS PRELIMINARES É necessário ter como base para este trabalho a questão dos agentes que produzem e consomem o espaço, que causam a homogeneização, a fragmentação e a hierarquização do mesmo. Assim, CORRÊA (1995) mostra que os agentes produtores do espaço urbano são divididos em cinco principais, tais como: os proprietários dos meios de produção, proprietários fundiários, promotores imobiliários, o estado e os grupos sociais excluídos. O primeiro agente está associado aos grandes consumidores do espaço, que são os proprietários industriais que viabilizam locais amplos, baratos, e de preferência como ponto ótimo e acesso para a implantação de suas empresas, ocasionando dessa forma um conflito. O segundo procura extrair maior renda possível da terra. Os promotores imobiliários são aqueles que regulam o preço do terreno, no qual este carrega atributos, como a sua localização, a segurança e a questão da acessibilidade. Já o Estado é responsável pelas leis e diretrizes do espaço, e por último, os agentes sociais excluídos são aqueles que estão a mercê das classes altas, ou seja, elas que configuram o espaço e ditam o modo de vida desses agentes. VILLAÇA (2001)

4 também contribui com o tema apontando a forma do crescimento dentro da cidade, ou seja, é possível identificar dois pontos. O primeiro seria sobre os objetos da cidade, como: praças, ruas, edifícios, casas e entre outros. O outro ponto é a questão do valor desses produtos, sendo assim, o valor do uso e valor de troca. Deste modo, esses conceitos vão ajudar no melhor entendimento da expansão de São José dos Campos e a questão dos segmentos excluídos, sendo um deles, o bairro Pinheirinho. Para entender a entrada da especulação imobiliária no local onde era o bairro Pinheirinho é válido levar em consideração a abordagem teórica feita por CARLOS (2004): [...] processo de transformação presenciamos a aceleração do tempo no mundo moderno, com mudanças muito rápidas que se revelam na morfologia da cidade, ao mesmo tempo em que na vida cotidiana, modificando-a. Como resultado surgem novos padrões e formas de adaptação decorrentes da imposição de um novo modo de apropriação do espaço da cidade. (CARLOS, 2004, p.13) Deste modo, a partir da segunda fase marcada pelo Naji Nahas na compra da gleba de terra, São José dos Campos começa a apresentar diferentes características na sua dinâmica, principalmente na zona sul, no qual é localizado o objeto de estudo. Essa região da cidade começou a ter um crescimento demográfico significativo e não possui uma grande extensão territorial se comparada com outras regiões, o que levou a uma valorização fundiária e especulação imobiliária no local. Vale ressaltar que essa nova morfologia da cidade começou a tomar conta por volta da década de 80 e continua atualmente. É possível verificar esse fator na tabela 1 fornecida pelo IPPLAN (Instituto de Pesquisa, Administração e Planejamento de São José dos Campos):

5 Tabela 1: Densidade demográfica das zonas de São José dos Campos. SAULE JÚNIOR e ROLNIK (2001) colocam sobre o Estatuto da Cidade o seguinte: [...] o Estatuto aprovado no Congresso previa a regulamentação usucapião (inclusive coletivo) para regularizar posses em terrenos privados, e a concessão do direito real de uso para imóveis públicos ocupados por posseiros. Tanto o usucapião como concessão só aplicariam para imóveis até 250 metros quadrados, que sejam a única moradia do ocupante, que se encontra na terra há mais de 5 anos. (SAULE JÚNIOR; ROLNIK, 2001, p.8) A comunidade do Pinheirinho se caracteriza como uma população à base do emprego mal remunerado, sem moradia e sem condições de renda para a compra ou aluguel de um imóvel. E, no entanto, a prefeitura não tinha perspectiva para construções de habitações a essas pessoas, o que levou a criar um movimento social de luta pela moradia e ocupar um terreno durante oito anos, no qual é caracterizado pelo local da empresa Selecta S/A do empresário libanês, que não apresentava uma função social na cidade e Naji Nahas nunca pagou o IPTU. É possível identificar nas Imagens 2 e 3 a extensão territorial do local onde era o Pinheirinho. O bairro era bem organizado e seguia as diretrizes básicas de um

6 zoneamento, pois havia ruas bem ordenadas, evitando a formação de vielas, possuía quadras e em cada um desses tinha em média 100 casas com uma área aproximadamente de 250m², vale ressaltar que em áreas de relevo íngreme não era permitido a construção de casas ou a alteração deste. Imagem 2: Bairro Pinheirinho antes da desocupação realizada em Janeiro de Fonte: Blog do Luis Nassif.

7 Imagem 3: Bairro Pinheirinho depois de dois anos da desocupação. Fonte: Google Earth. 22/05/2014 Com relação ao uso e ocupação do solo, o bairro tinha três nascentes, as quais eram preservadas, e a maioria da população local produzia agricultura familiar. É possível identificar os fatores que contribuíram para a desocupação do bairro Pinheirinho. Com base em entrevistas e análises de imagens nota-se a construção de um condomínio de luxo próximo ao bairro, mas já na cidade de Jacareí, além de outro condomínio de empresas chamado Eldorado possível de observar na imagem 3 e 4, sendo esse último pertencente a São José dos Campos. Esses condomínios não existiam em 2004, no ano que iniciou o Pinheirinho, portanto, com a valorização do local, favoreceram a expulsão desses segmentos excluídos. Vale ressaltar que com a retirada dos moradores, houve uma grande procura de casa para alugar, pois famílias estavam desabrigadas, gerando assim um aumento considerável do valor do aluguel na zona sul de São José dos Campos. Também perto do bairro, aos domingos é realizada

8 uma feira, sendo classificada como a maior da região, oferecendo vários tipos de produtos, como: hortifrutis, brinquedos, carnes, ferramentas, sapatos etc., houve uma redução de pelo menos 50% da feira, pois muitos moradores do Pinheirinho trabalhavam lá, deixando então, espaço vago nas ruas, como na economia em geral, prejudicando também feirantes que moram em outros locais e dependem daquele comércio. Em relação ao Estado, a população do bairro Pinheirinho fez muitas reivindicações pelo direito à moradia, e principalmente pela aprovação da regularização da propriedade, mas durante oito anos nada foi feito. Após a desocupação, a população começou a receber auxílio aluguel no valor de 500 reais e aguarda a construção das casas no bairro Putim. E por fim, o caso do Pinheirinho conseguiu que a Prefeitura trabalhasse em cima de uma política habitacional para a população pobre. BIBLIOGRAFIA CARLOS, Ana Fani A.O espaço urbano, novos escritos sobre a cidade. São Paulo, Editora Contexto, CORRÊA, R. L. A dimensão cultural do espaço: alguns temas. Espaço e Cultura - Universidade Federal do Rio de Janeiro, CORREA, R. L. O espaço urbano. Professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Geógrafo do IBGE. Série Princípios, Editora Ática. 1995, 11-31p. GOMES, F. Pinheirinho. Blog do gp, Disponível em: Acessado em 10/02/2014 OLIVEIRA, C. Pinheirinho: uma canudos em são josé dos campo. Porto alegre, Disponível em: Acessado em 09/02/2014

9 PREFEITURA MUNCIPAL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado da Prefeitura Municipal de São José dos Campos Diagnóstico PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. IPPLAN Instituto de Pesquisa, Administração e Planejamento de São José dos Campos SAULE JÚNIOR, Nelson; ROLNIK, Raquel. Estatuto da Cidade: novos horizontes para a reforma urbana. São Paulo, Pólis, VILLAÇA, Flávio. Espaço intra-urbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel/FAPESP: Lincoln Institute,2001. "Este trabalho teve apoio da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais - FAPEMIG"

Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP)

Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP) Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP) Mariana Ferreira Cisotto maricisotto@yahoo.com.br IG/UNICAMP Antonio Carlos Vitte IG/UNICAMP Palavras-chave:

Leia mais

DINÂMICA ESPECULATIVA NO PROCESSO DE EXPANSÃO URBANA DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON-PR Josiane de Oliveira Medeiros Führ 1 Edson dos Santos Dias 2

DINÂMICA ESPECULATIVA NO PROCESSO DE EXPANSÃO URBANA DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON-PR Josiane de Oliveira Medeiros Führ 1 Edson dos Santos Dias 2 DINÂMICA ESPECULATIVA NO PROCESSO DE EXPANSÃO URBANA DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON-PR Josiane de Oliveira Medeiros Führ 1 Edson dos Santos Dias 2 Introdução Impulsionado por fatores econômicos, o processo

Leia mais

DIVISÃO GEOGRÁFICA DE CLASSES SOCIAIS

DIVISÃO GEOGRÁFICA DE CLASSES SOCIAIS CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE CURITIBA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO CURSO TÉCNICO DE... Tema do Pôster DIVISÃO GEOGRÁFICA DE CLASSES SOCIAIS ALUNO: EXEMPLO TURMA: XXXXXXXXXXX CURITIBA 2013 SUMÁRIO

Leia mais

PLANO HABITACIONAL FRANCA PLHIS PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

PLANO HABITACIONAL FRANCA PLHIS PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PLANO HABITACIONAL FRANCA PLHIS PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL HABITAÇÃO: COMO NECESSIDADE HUMANA ABRIGO As pessoas precisam de proteção para si e suas famílias contra as intempéries da natureza.

Leia mais

DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL E ESTRUTURAL DO BAIRRO SHOPPING PARK, MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA MG

DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL E ESTRUTURAL DO BAIRRO SHOPPING PARK, MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA MG DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL E ESTRUTURAL DO BAIRRO SHOPPING PARK, MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA MG Vinícius Borges Moreira Graduando em Geografia Universidade Federal de Uberlândia vinicius_sammet@hotmail.com

Leia mais

A QUESTÃO DA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NO BAIRRO SANGA FUNDA, PELOTAS, RS.

A QUESTÃO DA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NO BAIRRO SANGA FUNDA, PELOTAS, RS. A QUESTÃO DA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NO BAIRRO SANGA FUNDA, PELOTAS, RS. Carina da Silva UFPel, carinasg2013@gmail.com INTRODUÇÃO A atual sociedade capitalista tem como alicerce, que fundamenta sua manutenção,

Leia mais

A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL E A PERIFERIZAÇÃO DA MORADIA DAS CAMADAS POPULARES, NA ÁREA CONURBADA DE FLORIANÓPOLIS.

A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL E A PERIFERIZAÇÃO DA MORADIA DAS CAMADAS POPULARES, NA ÁREA CONURBADA DE FLORIANÓPOLIS. A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL E A PERIFERIZAÇÃO DA MORADIA DAS CAMADAS POPULARES, NA ÁREA CONURBADA DE FLORIANÓPOLIS. Eixo Temático: Políticas públicas, demandas sociais e a questão

Leia mais

-Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros.

-Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros. -Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros. -Data: 05/12/2008 -Local: Instituto Pólis MORADIA É CENTRAL

Leia mais

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco Danilo Corsino de Queiróz Albuquerque¹ Ana Regina Marinho Dantas Barboza da Rocha Serafim² ¹Graduando do 5º Período no Curso de Licenciatura em Geografia pela Universidade de Pernambuco (UPE), E-mail:

Leia mais

Estatuto da Cidade 22/05/2015. Lei Nº 10.257, de 10/07/2001. Medida Provisória Nº 2.220, de 04/09/2001. MP Nº 103, de 01/01/2003. Conselho das Cidades

Estatuto da Cidade 22/05/2015. Lei Nº 10.257, de 10/07/2001. Medida Provisória Nº 2.220, de 04/09/2001. MP Nº 103, de 01/01/2003. Conselho das Cidades Estatuto Estatuto da da Cidade Cidade Referencia : Conhecendo o Estatuto das Cidades, Manual do Instituto Polis, autor(es): Caixa Economica Federal, FASE - Federação de Órgãos para Assistência Social e

Leia mais

O programa de urbanização de favelas da prefeitura de São Paulo um estudo de caso da favela de Heliópolis

O programa de urbanização de favelas da prefeitura de São Paulo um estudo de caso da favela de Heliópolis O programa de urbanização de favelas da prefeitura de São Paulo um estudo de caso da favela de Heliópolis Fabiana Cristina da Luz luz.fabiana@yahoo.com.br Universidade Cruzeiro do Sul Palavras-chave: Urbanização

Leia mais

ESPAÇO URBANO: EXCLUSÃO, SEGREGAÇÃO E OS VÁRIOS NIVÉIS DE HABITAÇÃO EM JUIZ DE FORA. Estágio da pesquisa: Estudo experimental inicial e bibliográfico

ESPAÇO URBANO: EXCLUSÃO, SEGREGAÇÃO E OS VÁRIOS NIVÉIS DE HABITAÇÃO EM JUIZ DE FORA. Estágio da pesquisa: Estudo experimental inicial e bibliográfico ESPAÇO URBANO: EXCLUSÃO, SEGREGAÇÃO E OS VÁRIOS NIVÉIS DE HABITAÇÃO EM JUIZ DE FORA Estágio da pesquisa: Estudo experimental inicial e bibliográfico Rafael Santos Silva Universidade Federal de Juiz de

Leia mais

AULA 3. Aspectos Técnicos da Regularização Fundiária.

AULA 3. Aspectos Técnicos da Regularização Fundiária. Regularização Fundiária de Assentamentos Informais em Áreas Urbanas Disciplina: Regularização Fundiária e Plano Diretor Unidade 03 Professor(a): Laura Bueno e Pedro Monteiro AULA 3. Aspectos Técnicos da

Leia mais

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Marcia Heloisa P. S. Buccolo, consultora jurídica de Edgard Leite Advogados

Leia mais

COPA. Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo. José Roberto Bernasconi. Presidente Sinaenco São Paulo

COPA. Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo. José Roberto Bernasconi. Presidente Sinaenco São Paulo COPA Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo José Roberto Bernasconi Presidente Sinaenco São Paulo SP/Agosto/ 2010 1 1 Um histórico Os dois principais estádios

Leia mais

Déficit habitacional é a principal preocupação da política urbana

Déficit habitacional é a principal preocupação da política urbana Página 1 de 5 Busca Déficit habitacional é a principal preocupação da política urbana O Estatuto da Cidade prevê a criação de planos pilotos para o desenvolvimento de cidades e municípios. Para tornar

Leia mais

INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE

INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 244 INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE João Victor de Souza

Leia mais

Planejamento Urbano Governança Fundiária

Planejamento Urbano Governança Fundiária Planejamento Urbano Governança Fundiária Instrumentos de Gestão, Conflitos Possibilidades de Inclusão Socioespacial Alexandre Pedrozo agosto. 2014 mobiliza Curitiba...... de antes de ontem...... de ontem......

Leia mais

Planejamento Urbano no Brasil, Estatuto da Cidade e o GIS

Planejamento Urbano no Brasil, Estatuto da Cidade e o GIS ALÍCIA FERNANDINO RODRIGUES aliciarodrigues@terra.com.br Título: Planejamento Urbano no Brasil, Estatuto da Cidade e o GIS GRUPO 1 : Planos Diretores e Sustentabilidade urbano-ambiental Planejamento Urbano

Leia mais

MUDANÇAS DA ORDEM URBANA DAS METRÓPOLES LIVROS COMPARATIVOS Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia

MUDANÇAS DA ORDEM URBANA DAS METRÓPOLES LIVROS COMPARATIVOS Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia MUDANÇAS DA ORDEM URBANA DAS METRÓPOLES LIVROS COMPARATIVOS Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Capítulo 6 Organização Social do Território e formas de provisão de moradia Seminário

Leia mais

PROGRAMA PARAISÓPOLIS Regularização Fundiária

PROGRAMA PARAISÓPOLIS Regularização Fundiária PROGRAMA PARAISÓPOLIS Regularização Fundiária POLÍTICA HABITACIONAL DA CIDADE DE SÃO PAULO Plano Diretor Estratégico do Município (Lei 13.430/02, art. 79): Moradia digna é aquela que garante ao morador

Leia mais

Vamos mudar nossas cidades?

Vamos mudar nossas cidades? Vamos mudar nossas cidades? Conheça o Estatuto da Cidade 1 O Estatuto quer garantir a cidade para todos 3 O Plano Diretor põe o Estatuto da Cidade em prática...6 As etapas do Plano Diretor 8 O Estatuto

Leia mais

Metodologia. Resultados

Metodologia. Resultados ENCONTRO INTERNACIONAL PARTICIPAÇÃO, DEMOCRACIA E POLÍTICAS PÚBLICAS: APROXIMANDO AGENDAS E AGENTES UNESP SP 23 a 25 de abril de 2013, UNESP, Araraquara (SP) AGENTES SOCIAIS E A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO

Leia mais

26º. Encontro Técnico AESABESP DIAGNÓSTICO DAS CONDIÇÕES DE SANEAMENTO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE MACAPÁ- AP.

26º. Encontro Técnico AESABESP DIAGNÓSTICO DAS CONDIÇÕES DE SANEAMENTO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE MACAPÁ- AP. 26º. Encontro Técnico AESABESP Izanilde Barbosa da Silva Elivania Silva de Abreu DIAGNÓSTICO DAS CONDIÇÕES DE SANEAMENTO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE MACAPÁ- AP. São Paulo-SP INTRODUÇÃO O Brasil é um pais

Leia mais

ZEIS ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL SECOVI-SP VICE- PRESIDÊNCIA DE INCORPORAÇÃO E TERRENOS URBANOS 18-04-2013

ZEIS ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL SECOVI-SP VICE- PRESIDÊNCIA DE INCORPORAÇÃO E TERRENOS URBANOS 18-04-2013 ZEIS ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL SECOVI-SP VICE- PRESIDÊNCIA DE INCORPORAÇÃO E TERRENOS URBANOS 18-04-2013 ZEIS-ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL década de 1980 surgimento de movimentos sociais

Leia mais

Intervenção Pública na década de 90:

Intervenção Pública na década de 90: Intervenção Pública na década de 90: Uma análise dos impactos espaciais do Programa Rio-Cidade no mercado imobiliário da cidade do Rio de Janeiro Andrea Paulo da Cunha PULICI Observatório Imobiliário e

Leia mais

Projetos de intervenção urbanística no Centro Velho de São Paulo: estudo sobre seus impactos nos movimentos sociais por moradia.

Projetos de intervenção urbanística no Centro Velho de São Paulo: estudo sobre seus impactos nos movimentos sociais por moradia. Projetos de intervenção urbanística no Centro Velho de São Paulo: estudo sobre seus impactos nos movimentos sociais por moradia. Leianne Theresa Guedes Miranda lannethe@gmail.com Orientadora: Arlete Moysés

Leia mais

DIRETRIZES URBANÍSTICAS EXPANSÃO DO PARANOÁ

DIRETRIZES URBANÍSTICAS EXPANSÃO DO PARANOÁ 1 DIRETRIZES URBANÍSTICAS EXPANSÃO DO PARANOÁ Brasília, 29 de novembro de 2012 DIRETRIZES URBANÍSTICAS Marco Legal 2 Lei nº 6.766/79: Art. 6 - Antes da elaboração do projeto de loteamento, o interessado

Leia mais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais AS TRANSFORMAÇÕES ESPACIAIS NA ZONA OESTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A PARTIR DOS INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA PARA COPA DO MUNDO EM 2014 E AS OLIMPÍADAS DE 2016 Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino

Leia mais

MERCADO IMOBILIÁRIO E ESTRUTURAÇÃO DO ESPAÇO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA. Espacialização e análise dos dados sobre o mercado formal de terras.

MERCADO IMOBILIÁRIO E ESTRUTURAÇÃO DO ESPAÇO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA. Espacialização e análise dos dados sobre o mercado formal de terras. MERCADO IMOBILIÁRIO E ESTRUTURAÇÃO DO ESPAÇO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA. Espacialização e análise dos dados sobre o mercado formal de terras. RESUMO Diogo Labiak Neves 1 dlneves@facinter.br Fernanda

Leia mais

BOLSA VERDE: AVALIAÇÃO PRELIMINAR DO PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS A PROPRIEDADES RURAIS LOCALIZADAS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO XOPOTÓ MG

BOLSA VERDE: AVALIAÇÃO PRELIMINAR DO PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS A PROPRIEDADES RURAIS LOCALIZADAS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO XOPOTÓ MG BOLSA VERDE: AVALIAÇÃO PRELIMINAR DO PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS A PROPRIEDADES RURAIS LOCALIZADAS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO XOPOTÓ MG Marcelo Oliveira Santos; Laércio Antônio Gonçalves Jacovine;

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS Considerando a ratificação do Pacto Internacional de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, que reconhece o direito de todos a um adequado nível de vida, incluindo alimentação adequada,

Leia mais

ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL E MEIO AMBIENTE: O CASO DE BRASÍLIA TEIMOSA

ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL E MEIO AMBIENTE: O CASO DE BRASÍLIA TEIMOSA Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL E MEIO AMBIENTE: O CASO DE BRASÍLIA TEIMOSA Tatiana Cavalcanti Fonseca*, Elizabeth Amaral Pastich, Hélida Karla Philippini da Silva

Leia mais

OS ARRENDAMENTOS DE TERRA PARA A PRODUÇÃO DE CANA- DE- AÇÚCAR

OS ARRENDAMENTOS DE TERRA PARA A PRODUÇÃO DE CANA- DE- AÇÚCAR Tamires Silva Gama Acadêmica do Curso de Geografia da UEM. Bolsista do CNPq Tamires_gama@hotmail.com OS ARRENDAMENTOS DE TERRA PARA A PRODUÇÃO DE CANA- DE- AÇÚCAR INTRODUÇÃO Frente os avanços da modernização

Leia mais

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO Nas últimas décadas a exclusão social tornou-se assunto de importância mundial nos debates sobre planejamento e direcionamento de políticas públicas (Teague & Wilson, 1995). A persistência

Leia mais

2- Qual é o fato gerador? O fato gerador do IPTU é a propriedade predial e territorial, assim como o seu domínio útil e a posse.

2- Qual é o fato gerador? O fato gerador do IPTU é a propriedade predial e territorial, assim como o seu domínio útil e a posse. 1- O que é? O IPTU é um tributo que incide sobre a propriedade imobiliária, incluindo todos os tipos de imóveis residências, prédios comerciais e industriais, terrenos e chácaras de recreio. 2- Qual é

Leia mais

A REINSERÇÃO DE NOVA ESPERANÇA NA REDE URBANA DE MARINGÁ: UMA PROPOSTA DE ESTUDO

A REINSERÇÃO DE NOVA ESPERANÇA NA REDE URBANA DE MARINGÁ: UMA PROPOSTA DE ESTUDO A REINSERÇÃO DE NOVA ESPERANÇA NA REDE URBANA DE MARINGÁ: UMA PROPOSTA DE ESTUDO 5 Amanda dos Santos Galeti Acadêmica de Geografia - UNESPAR/Paranavaí amanda_galeti@hotmail.com Kamily Alanis Montina Acadêmica

Leia mais

A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA UNIFAL-MG E A DESIGUALDADE SOCIOESPACIAL ENTRE OS ALUNOS ALFENENSES

A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA UNIFAL-MG E A DESIGUALDADE SOCIOESPACIAL ENTRE OS ALUNOS ALFENENSES A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA UNIFAL-MG E A DESIGUALDADE SOCIOESPACIAL ENTRE OS ALUNOS ALFENENSES Larissa da Silva Barbosa lariibarbosa@ig.com.br Geografia Bacharelado - UNIFAL-MG INTRODUÇÃO

Leia mais

NOVAS FORMAS DE EXPANSÃO URBANA: OS LOTEAMENTOS FECHADOS E OS CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS HORIZONTAIS NA CIDADE DE JACAREÍ/SP.

NOVAS FORMAS DE EXPANSÃO URBANA: OS LOTEAMENTOS FECHADOS E OS CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS HORIZONTAIS NA CIDADE DE JACAREÍ/SP. NOVAS FORMAS DE EXPANSÃO URBANA: OS LOTEAMENTOS FECHADOS E OS CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS HORIZONTAIS NA CIDADE DE JACAREÍ/SP. Alex Pires Rabelo¹, Harley Rogério Sant Anna², Kell en Suleyzy Sant Anna³. Orientador

Leia mais

A FUNÇÃO SOCIAL DA PROPRIEDADE E SUAS IMPLICAÇÕES NO DIREITO BRASILEIRO.

A FUNÇÃO SOCIAL DA PROPRIEDADE E SUAS IMPLICAÇÕES NO DIREITO BRASILEIRO. A FUNÇÃO SOCIAL DA PROPRIEDADE E SUAS IMPLICAÇÕES NO DIREITO BRASILEIRO. 1 AS SANÇÕES APLICÁVEIS NO CASO DE SOLO NÃO EDIFICADO, SUBUTILIZADO, OU NÃO UTILIZADO. Gina Copola (outubro de 2.012) I Tema atual

Leia mais

APLICAÇÃO DE MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS E MONITORAMENTO DA VARIAÇÃO DO VALOR DO SOLO.

APLICAÇÃO DE MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS E MONITORAMENTO DA VARIAÇÃO DO VALOR DO SOLO. APLICAÇÃO DE MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS E MONITORAMENTO DA VARIAÇÃO DO VALOR DO SOLO. Laura Pereira Aniceto Faculdade de Arquitetura e Urbanismo CEATEC Laura.aniceto@gmail.com Jonathas

Leia mais

E CONFLITOS. Painel: Habitação Popular e Mercados Informais (Regularização Fundiária) / Outros Temas de Interesse Geral

E CONFLITOS. Painel: Habitação Popular e Mercados Informais (Regularização Fundiária) / Outros Temas de Interesse Geral REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NA CIDADE DE PIRACICABA - SP: AÇÕES A E CONFLITOS Painel: Habitação Popular e Mercados Informais (Regularização Fundiária) / Outros Temas de Interesse Geral Engª Civil Silvia Maria

Leia mais

DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL COMO SUBSÍDIO À GESTÃO DAS ÁREAS DE VULNERABILIDADE AMBIENTAL DA CIDADEDE CORUMBÁ MS

DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL COMO SUBSÍDIO À GESTÃO DAS ÁREAS DE VULNERABILIDADE AMBIENTAL DA CIDADEDE CORUMBÁ MS DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL COMO SUBSÍDIO À GESTÃO DAS ÁREAS DE VULNERABILIDADE AMBIENTAL DA CIDADEDE CORUMBÁ MS Nayane Cristina Costa Silva 1 ; Graciela Gonçalves de Almeida 1 ; Joelson Gonçalves Pereira

Leia mais

Bolha imobiliária: realidade ou ficção? Marcelo Barros, economista, professor da FBV Antônio Pessoa, economista, professor da FBV

Bolha imobiliária: realidade ou ficção? Marcelo Barros, economista, professor da FBV Antônio Pessoa, economista, professor da FBV Bolha imobiliária: realidade ou ficção? Marcelo Barros, economista, professor da FBV Antônio Pessoa, economista, professor da FBV Las Vegas - EUA Barro Recife/PE Qual é o imóvel mais caro? Fonte: Blog

Leia mais

RESULTADOS E/ OU DISCUSSÕES:

RESULTADOS E/ OU DISCUSSÕES: 1761 A INFLUÊNCIA DA INDUSTRUALIZAÇÃO COMO CONDICIONANTE PARA AS MUDANÇAS NO ESPAÇO URBANO EM FEIRA DE SANTANA- BAHIA Juliana da Silva Correia 1 ; Juarez Duarte Bomfim 2 1. Bolsista PROBIC/UEFS, Graduanda

Leia mais

Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Salvador

Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Salvador Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Salvador O Plano Diretor é uma lei aprovada na Câmara de Vereadores de cada município, com a participação ativa da comunidade. Mas do que isto, o Plano Diretor

Leia mais

BREVES NOTAS SOBRE O PLANEJAMENTO FÍSICO-TERRITORIAL. Prof. Leandro Cardoso Trabalho Integralizador Multidisciplinar 1 (TIM-1) Engenharia Civil

BREVES NOTAS SOBRE O PLANEJAMENTO FÍSICO-TERRITORIAL. Prof. Leandro Cardoso Trabalho Integralizador Multidisciplinar 1 (TIM-1) Engenharia Civil BREVES NOTAS SOBRE O PLANEJAMENTO FÍSICO-TERRITORIAL Prof. Leandro Cardoso Trabalho Integralizador Multidisciplinar 1 (TIM-1) Engenharia Civil PLANEJAMENTO URBANO O planejamento urbano é o processo de

Leia mais

Planejamento e gestão da expansão urbana

Planejamento e gestão da expansão urbana CURSO GESTÃO DA VALORIZAÇÃO IMOBILIÁRIA: Contribuição de Melhoria, Reajuste de Terrenos e Redesenvolvimento Belo Horizonte, 24 a 26 de outubro de 2012 Planejamento e gestão da expansão urbana Daniel Todtmann

Leia mais

Etapas do PLHIS PROPOSTAS

Etapas do PLHIS PROPOSTAS Plano Local de Habitação de Interesse Social de Boituva Seminário de Homologação do PLHIS de Boituva 25 de Fevereiro de 2010 Etapas do PLHIS etapa 1 etapa 2 etapa 3 METODOLOGIA DIAGNÓSTICO PROPOSTAS Princípios

Leia mais

4º CONFERENCIA ESTADUAL DAS CIDADES 07 a 09 abril 2010 Foz do Iguaçu PR

4º CONFERENCIA ESTADUAL DAS CIDADES 07 a 09 abril 2010 Foz do Iguaçu PR 4º CONFERENCIA ESTADUAL DAS CIDADES 07 a 09 abril 2010 Foz do Iguaçu PR CIDADE PARA TODOS E TODAS COM GESTÃO DEMOCRÁTICA, PARTICIPATIVA E CONTROLE SOCIAL Avanços, Dificuldades e Deságios na Implementação

Leia mais

O DIREITO À MORADIA E O PROCESSO DE VALORIZAÇÃO DO SOLO. Instrumentos de planejamento e gestão do solo urbano em disputa

O DIREITO À MORADIA E O PROCESSO DE VALORIZAÇÃO DO SOLO. Instrumentos de planejamento e gestão do solo urbano em disputa Promoção: O DIREITO À MORADIA E O PROCESSO DE VALORIZAÇÃO DO SOLO Instrumentos de planejamento e gestão do solo urbano em disputa Rosane Biasotto Coordenadora técnica Planos de Habitação de Interesse Social

Leia mais

Regularização Fundiária. Rosane Tierno 02 julho -2011

Regularização Fundiária. Rosane Tierno 02 julho -2011 Regularização Fundiária Rosane Tierno 02 julho -2011 Parte I - Informalidade fundiária Imagem interna de um cortiço Regularização Fundiária Por que?? INFORMALIDADE FUNDIÁRIA URBANA MUNICÍPIOS POR FAIXA

Leia mais

XV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e XI Encontro Latino Americano de Pós-Graduação Universidade do Vale do Paraíba

XV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e XI Encontro Latino Americano de Pós-Graduação Universidade do Vale do Paraíba Resumo Habitação Social em São José dos Campos Um estudo do caso Pinheirinho (2004/2012) Autor ¹:Camila Goulart Duarte Autor ² : Emmily Caroline Leandro Orientador: Paulo Romano Reschilian ¹ ² Faculdade

Leia mais

OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados

OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados DEAP/SNAPU/MCIDADES Maio/2015 Contexto brasileiro Necessidade de obras públicas para requalificação e reabilitação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS Instituto de Ciências da Natureza Geografia Bacharelado Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como parte dos requisitos para a obtenção do título de Bacharel em Geografia

Leia mais

Distritos Industriais. e o Desenvolvimento das Cidades

Distritos Industriais. e o Desenvolvimento das Cidades Distritos Industriais e o Desenvolvimento das Cidades Expediente Distritos Industriais e o Desenvolvimento das Cidades Cartilha produzida pelo Sistema Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná).

Leia mais

SL-04. Análise das condições de inserção urbana do Programa Minha Casa Minha Vida nas cidades brasileiras: segregação e negação do direito à cidade

SL-04. Análise das condições de inserção urbana do Programa Minha Casa Minha Vida nas cidades brasileiras: segregação e negação do direito à cidade SL-04. Análise das condições de inserção urbana do Programa Minha Casa Minha Vida nas cidades brasileiras: segregação e negação do direito à cidade Coordenador: Luis Renato Bezerra Pequeno (UFC) Resumo:

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE CAMPO

RESULTADOS DA PESQUISA DE CAMPO CENTRO UNIVERSITÁRIO ANTÔNIO EUFRÁSIO DE TOLEDO DE PRESIDENTE PRUDENTE RESULTADOS DA PESQUISA DE CAMPO BAIRRO PARQUE FURQUIM, PRESIDENTE PRUDENTE - SP Introdução/Metodologia Iniciação Científica NEPE/TOLEDO

Leia mais

CONSTRUINDO CIDADES E CIDADANIA

CONSTRUINDO CIDADES E CIDADANIA UCLG Congress Parallel Session: CONSTRUINDO CIDADES E CIDADANIA Inês da Silva Magalhães Secretária Nacional de Habitação - Brasil Cidade do México 18 de novembro de 2010 PRINCIPAIS MARCOS INSTITUCIONAIS

Leia mais

Especulação imobiliária e verticalização: um estudo a partir da implantação do Parque Cascavel 1

Especulação imobiliária e verticalização: um estudo a partir da implantação do Parque Cascavel 1 Especulação imobiliária e verticalização: um estudo a partir da implantação do Parque Cascavel 1 RESENDE, Ubiratan Pereira de 2. ARRAIS, Tadeu Pereira Alencar 3. Palavras-chave Especulação Imobiliária.

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO APLICADO AO PLANEJAMENTO URBANO UM OLHAR SOBRE AS TRANSFORMAÇÕES NA PAISAGEM URBANA OCORRIDAS NO BAIRRO JABOTIANA, ARACAJU/SE.

GEOPROCESSAMENTO APLICADO AO PLANEJAMENTO URBANO UM OLHAR SOBRE AS TRANSFORMAÇÕES NA PAISAGEM URBANA OCORRIDAS NO BAIRRO JABOTIANA, ARACAJU/SE. GEOPROCESSAMENTO APLICADO AO PLANEJAMENTO URBANO UM OLHAR SOBRE AS TRANSFORMAÇÕES NA PAISAGEM URBANA OCORRIDAS NO BAIRRO JABOTIANA, ARACAJU/SE. Rafael da Cruz 1, Anna Allice Souza Silva 2, Luana Pereira

Leia mais

COMBATENDO EFFICAZMENTE A PRAGA DO ANALPHABETISMO : A CRIAÇÃO E INSTALAÇÃO DO GRUPO ESCOLAR DE SÃO MATHEUS-JUIZ DE FORA (1915-1927)

COMBATENDO EFFICAZMENTE A PRAGA DO ANALPHABETISMO : A CRIAÇÃO E INSTALAÇÃO DO GRUPO ESCOLAR DE SÃO MATHEUS-JUIZ DE FORA (1915-1927) COMBATENDO EFFICAZMENTE A PRAGA DO ANALPHABETISMO : A CRIAÇÃO E INSTALAÇÃO DO GRUPO ESCOLAR DE SÃO MATHEUS-JUIZ DE FORA (1915-1927) Pereira, Tatiana Aparecida Universidade Federal de Juiz de Fora tatianapereira_2009@yahoo.com.br

Leia mais

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL E SEU CONTROLE POR MEIO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE 1996

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL E SEU CONTROLE POR MEIO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE 1996 229 HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL E SEU CONTROLE POR MEIO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE 1996 Jéssica Telles Zanateli¹; Lennon Gomes¹; Marcela do Carmo Vieira²; Sibila Corral de Arêa Leão Honda³ 1 Discente

Leia mais

PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO A PARTIR DA MEMÓRIA: O CASO REALENGO. Palavras-chave: Memória Urbana. Geografia Urbana. Geografia Histórica. Realengo.

PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO A PARTIR DA MEMÓRIA: O CASO REALENGO. Palavras-chave: Memória Urbana. Geografia Urbana. Geografia Histórica. Realengo. PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO A PARTIR DA MEMÓRIA: O CASO REALENGO MENDES, Andréa Ribeiro (Orientador) 1 SILVA, Fábio Ferreira da (Co-orientador) 2 SILVA, Luciana Conceição da 3 Palavras-chave: Memória Urbana.

Leia mais

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais Secretaria Nacional de Programas Urbanos CONCEITOS Área Urbana Central Bairro ou um conjunto de bairros consolidados com significativo acervo edificado

Leia mais

Ata de Reunião do Conselho Gestor de Paraisópolis Local: Auditório do Albert Einstein Data: 15/05/2012 Pauta DESCRIÇÃO REFERÊNCIA AUTOR

Ata de Reunião do Conselho Gestor de Paraisópolis Local: Auditório do Albert Einstein Data: 15/05/2012 Pauta DESCRIÇÃO REFERÊNCIA AUTOR Ata de Reunião do Conselho Gestor de Local: Auditório do Albert Einstein Data: 15/05/2012 Pauta 1. Apresentação do Projeto de Urbanização para ; 2. Auxilio Aluguel 3. Informes Horário: 18h30 às 20h20 Por:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL BOQUEIRÃO 18/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Realizações no dia

Leia mais

PROGRAMA ESTADUAL DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA LAR LEGAL

PROGRAMA ESTADUAL DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA LAR LEGAL Governo de Santa Catarina Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação PROGRAMA ESTADUAL DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA LAR LEGAL Florianópolis REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DE ASSENTAMENTOS

Leia mais

ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA

ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA No Brasil, as capitais nordestinas são as que mais sofrem com a especulação imobiliária. Na foto, Maceió, capital do estado de Alagoas. Especulação imobiliária é a compra ou aquisição

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, de 2009. (Do Sr. Marcelo Itagiba)

PROJETO DE LEI Nº, de 2009. (Do Sr. Marcelo Itagiba) PROJETO DE LEI Nº, de 2009. (Do Sr. Marcelo Itagiba) Altera a Lei n o 6.015, de 31 de dezembro de 1973, a fim de prever o registro de legitimação de posse e de ocupação urbanas no Registro de Títulos e

Leia mais

História da Habitação em Florianópolis

História da Habitação em Florianópolis História da Habitação em Florianópolis CARACTERIZAÇÃO DAS FAVELAS EM FLORIANÓPOLIS No início do século XX temos as favelas mais antigas, sendo que as primeiras se instalaram em torno da região central,

Leia mais

Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A.

Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A. Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A. Será que nós podemos viver melhor nas cidades? Com mais tempo para nossas famílias; com menos stress, com menos doenças e mais saúde; com mais produtividade;

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Butantã: a bola da vez na corrida imobiliária paulistana

Urban View. Urban Reports. Butantã: a bola da vez na corrida imobiliária paulistana Urban View Urban Reports Butantã: a bola da vez na corrida imobiliária paulistana coluna Minha cidade, meu jeito de morar e de investir programa Falando em Dinheiro Rádio Estadão ESPN Butantã: a bola da

Leia mais

Estatuto da Cidade e Plano Diretor Participativo

Estatuto da Cidade e Plano Diretor Participativo AUP-266 Estatuto da Cidade e Plano Diretor Participativo Prof. Dr Nabil Bonduki maio 2008 Antecedentes do Estatuto da Cidade Aceleração do crescimento urbano dos anos 40 aos anos 80 Ausência de instrumentos

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO E CUSTO DA TERRA: TENDÊNCIAS DE EXPANSÃO DA CIDADE DE CURITIBA

VERTICALIZAÇÃO E CUSTO DA TERRA: TENDÊNCIAS DE EXPANSÃO DA CIDADE DE CURITIBA VERTICALIZAÇÃO E CUSTO DA TERRA: TENDÊNCIAS DE EXPANSÃO DA CIDADE DE CURITIBA Gislene Pereira Universidade Federal do Paraná (UFPR) gislenepereira42@gmail.com Bruna Gregorini Universidade Federal do Paraná

Leia mais

O mercado imobiliário em São José do Rio Preto e Presidente Prudente SP: análise comparativa dos processos de estruturação intra-urbano recentes.

O mercado imobiliário em São José do Rio Preto e Presidente Prudente SP: análise comparativa dos processos de estruturação intra-urbano recentes. O mercado imobiliário em São José do Rio Preto e Presidente Prudente SP: análise comparativa dos processos de estruturação intra-urbano recentes. Bruno Pereira Reis 1 ; Everaldo Santos Melazzo 2 Universidade

Leia mais

HABITAR BELO HORIZONTE - HBH PROJETO HABITAR BELO HORIZONTE - OCUPANDO O CENTRO

HABITAR BELO HORIZONTE - HBH PROJETO HABITAR BELO HORIZONTE - OCUPANDO O CENTRO PROJETO HABITAR BELO HORIZONTE - OCUPANDO O CENTRO Objetivos específicos (1) Desenvolver métodos e técnicas para a recuperação e adaptação (para uso habitacional) de edificações existentes desocupadas.

Leia mais

Prevenção e mediação de conflitos fundiários urbanos

Prevenção e mediação de conflitos fundiários urbanos Prevenção e mediação de conflitos fundiários urbanos 1 Fatores geradores dos conflitos fundiários urbanos Reintegração de posse de imóveis públicos e privados, em que o processo tenha ocorrido em desconformidade

Leia mais

Boletim de Conjuntura Imobiliária. Versão Comercial - Novembro de 2010

Boletim de Conjuntura Imobiliária. Versão Comercial - Novembro de 2010 O Censo Demográfico 2010 e o mercado do DF Boletim de Conjuntura Imobiliária Alguns resultados do último recenseamento feito pelo IBGE foram divulgados. Os dados mostram que o Distrito Federal registrou

Leia mais

DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL COMO SUBSÍDIO À GESTÃO DAS ÁREAS DE VULNERABILIDADE AMBIENTAL DA CIDADE DE CORUMBÁ - MS

DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL COMO SUBSÍDIO À GESTÃO DAS ÁREAS DE VULNERABILIDADE AMBIENTAL DA CIDADE DE CORUMBÁ - MS DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL COMO SUBSÍDIO À GESTÃO DAS ÁREAS DE VULNERABILIDADE AMBIENTAL DA CIDADE DE CORUMBÁ - MS Nayane Cristina Costa Silva *, Graciela Gonçalves de Almeida, Joelson Gonçalves Pereira

Leia mais

O uso do gvsig na Identificação de locais estratégicos para instalação de uma loja de confecções

O uso do gvsig na Identificação de locais estratégicos para instalação de uma loja de confecções O uso do gvsig na Identificação de locais estratégicos para instalação de uma loja de confecções Dionísio Costa Cruz Junior dionisiojunior@iquali.com.br (orientador) Ismael Fiuza Ramos maelfiuza@gmail.com

Leia mais

MÓDULO IV - Gestão social da valorização imobiliária para a inclusão territorial

MÓDULO IV - Gestão social da valorização imobiliária para a inclusão territorial MÓDULO IV - Gestão social da valorização imobiliária para a inclusão territorial Produção social da valorização imobiliária A valorização imobiliária é definida por: Distribuição de investimentos públicos

Leia mais

EVOLUÇÃO E OS MÚLTIPLOS USOS DO BAIRRO DE SANTO AMARO RECIFE- PE INTRODUÇÃO

EVOLUÇÃO E OS MÚLTIPLOS USOS DO BAIRRO DE SANTO AMARO RECIFE- PE INTRODUÇÃO Isabel Cristina Cavalcante Universidade Federal de Pernambuco UFPE isabelcavalcante@hotmail.com EVOLUÇÃO E OS MÚLTIPLOS USOS DO BAIRRO DE SANTO AMARO RECIFE- PE INTRODUÇÃO A narrativa apresentada foi construída

Leia mais

RECOMENDAÇÃO GT/HIS Nº 02, de 26 de novembro de 2014

RECOMENDAÇÃO GT/HIS Nº 02, de 26 de novembro de 2014 RECOMENDAÇÃO GT/HIS Nº 02, de 26 de novembro de 2014 Inquérito Civil Público nº 1.22.000.002106/2010-13 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, por intermédio do Grupo de Trabalho Intercameral Habitação de Interesse,

Leia mais

MOBILIDADE URBANA EM PRESIDENTE PRUDENTE: O TRANSPORTE COLETIVO E SUAS POSSIBILIDADES

MOBILIDADE URBANA EM PRESIDENTE PRUDENTE: O TRANSPORTE COLETIVO E SUAS POSSIBILIDADES 480 MOBILIDADE URBANA EM PRESIDENTE PRUDENTE: O TRANSPORTE COLETIVO E SUAS POSSIBILIDADES Poliana de Oliveira Basso¹, Sibila Corral de Arêa Leão Honda². ¹Discente do curso de Arquitetura e Urbanismo da

Leia mais

CENTRALIDADE POLINUCLEADA: UMA ANÁLISE DOS SUBCENTROS POPULARES DE GOIÂNIA O CASO DO SETOR CAMPINAS

CENTRALIDADE POLINUCLEADA: UMA ANÁLISE DOS SUBCENTROS POPULARES DE GOIÂNIA O CASO DO SETOR CAMPINAS CENTRALIDADE POLINUCLEADA: UMA ANÁLISE DOS SUBCENTROS POPULARES DE GOIÂNIA O CASO DO SETOR CAMPINAS Flavia Maria de Assis Paula 1,3 Elaine Alves Lobo Correa 2,3 José Vandério Cirqueira Pinto 2,3 RESUMO

Leia mais

Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Volume 1

Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Volume 1 Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Volume 1 Entenda quais são os Instrumentos de Planejamento e Gestão Urbana que serão revistos Revisão Participativa

Leia mais

Portaria de acesso social, vista interna. Fonte: SAMPAIO, 10/out/2009. Portaria de serviços, vista interna Fonte: SAMPAIO, 10/out/2009.

Portaria de acesso social, vista interna. Fonte: SAMPAIO, 10/out/2009. Portaria de serviços, vista interna Fonte: SAMPAIO, 10/out/2009. CONDOMÍNIOS VERTICAIS RESIDENCIAIS NA CIDADE DE SÃO PAULO (2000-2008): CONDOMÍNIOS - CLUBE O Condomínio Ilhas do Sul abrange uma área total de 30.178m² e tem 118.000m² de área construída. O acesso se faz

Leia mais

O Acesso à Casa Própria como principal motivo da mudança de endereço e ratificador da estrutura urbana em Belo Horizonte

O Acesso à Casa Própria como principal motivo da mudança de endereço e ratificador da estrutura urbana em Belo Horizonte O Acesso à Casa Própria como principal motivo da mudança de endereço e ratificador da estrutura urbana em Belo Horizonte David Jose A. V. de Magalhães 1 Elisa Araujo de Salvo Brito 2 Iara Almeida Silva

Leia mais

Sciesp. Clipping 07.06. A s s e s s o r i a d e I m p r e n s a i m p r e n s a @ s c i e s p. c o m. b r ( 1 1 ) 3 8 8 9-5 8 9 9 Página 1

Sciesp. Clipping 07.06. A s s e s s o r i a d e I m p r e n s a i m p r e n s a @ s c i e s p. c o m. b r ( 1 1 ) 3 8 8 9-5 8 9 9 Página 1 Sciesp Clipping 07.06 A s s e s s o r i a d e I m p r e n s a i m p r e n s a @ s c i e s p. c o m. b r ( 1 1 ) 3 8 8 9-5 8 9 9 Página 1 BAGARAI Mercado imobiliário brasileiro deve vender ainda mais neste

Leia mais

TÍTULO: EVOLUÇÃO URBANA NO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS: ESTUDO DO BAIRRO FUNCIONÁRIOS

TÍTULO: EVOLUÇÃO URBANA NO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS: ESTUDO DO BAIRRO FUNCIONÁRIOS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: EVOLUÇÃO URBANA NO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS: ESTUDO DO BAIRRO FUNCIONÁRIOS CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING.

ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING. ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING. RODRIGUES, Caroline Gomes 1, COSTA, Bruno Lopes ², CORREIA, Mariana Ribeiro³ 1 Universidade do Estado do Rio de

Leia mais

PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO: A APROPRIAÇÃO DA PLANICIE DE INUNDAÇÃO DO RIO MARANGUAPINHO EM FORTALEZA-CEARÁ.

PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO: A APROPRIAÇÃO DA PLANICIE DE INUNDAÇÃO DO RIO MARANGUAPINHO EM FORTALEZA-CEARÁ. PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO: A APROPRIAÇÃO DA PLANICIE DE INUNDAÇÃO DO RIO MARANGUAPINHO EM FORTALEZA-CEARÁ. Denis Melo da Silva Universidade Estadual do Ceará UECE. Bolsista do Programa de Educação Tutorial

Leia mais

Cristiane Santana Rosa Forti¹, Jéssica Midori Komuro¹, Everson Rodrigo da Silva¹ Sibila Corral de Arêa Leão Honda²

Cristiane Santana Rosa Forti¹, Jéssica Midori Komuro¹, Everson Rodrigo da Silva¹ Sibila Corral de Arêa Leão Honda² 471 FAVELA DE PIRAPOZINHO: DIRETRIZES PARA PLANEJAMENTO URBANO Cristiane Santana Rosa Forti¹, Jéssica Midori Komuro¹, Everson Rodrigo da Silva¹ Sibila Corral de Arêa Leão Honda² ¹ Alunos do curso de Arquitetura

Leia mais

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NO ESPAÇO URBANO: BAIRRO JARDIM ALVORADA EM CUIABÁ-MT.

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NO ESPAÇO URBANO: BAIRRO JARDIM ALVORADA EM CUIABÁ-MT. REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NO ESPAÇO URBANO: BAIRRO JARDIM ALVORADA EM CUIABÁ-MT. INTRODUÇÃO O presente artigo é um ensaio de um trabalho de dissertação que será realizado pelo Programa de Pós Graduação em

Leia mais

REPARTIÇÃO DE COMPETÊNCIAS E NORMAS GERAIS DE DIREITO URBANÍSTICO

REPARTIÇÃO DE COMPETÊNCIAS E NORMAS GERAIS DE DIREITO URBANÍSTICO REPARTIÇÃO DE COMPETÊNCIAS E NORMAS GERAIS DE DIREITO URBANÍSTICO O Desenvolvimento Urbano e a Constituição Federal AS COMPETÊNCIAS DA UNIÃO Art. 21. Compete à União: XX - instituir diretrizes para o desenvolvimento

Leia mais

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2012 DISCIPLINA: GEOGRAFIA - PROFESSOR: ADEMIR REMPEL SÉRIE: 8º

Leia mais

CURSO REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA. Tratamento Constitucional da Política Urbana: Estatuto da Cidade; Regularização Fundiária e o Papel do Plano Diretor.

CURSO REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA. Tratamento Constitucional da Política Urbana: Estatuto da Cidade; Regularização Fundiária e o Papel do Plano Diretor. CURSO REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA Tratamento Constitucional da Política Urbana: Estatuto da Cidade; Regularização Fundiária e o Papel do Plano Diretor. INSTITUTO PÓLIS 2009 Heliópolis São Paulo Estatuto da

Leia mais

Diretrizes visando a melhoria de projetos e soluções construtivas na expansão de habitações de interesse social 1

Diretrizes visando a melhoria de projetos e soluções construtivas na expansão de habitações de interesse social 1 Diretrizes visando a melhoria de projetos e soluções construtivas na expansão de habitações de interesse social 1 1. INTRODUÇÃO 1.1. Justificativa O tema estudado no presente trabalho é a expansão de habitações

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO [ZONEMANENTO BAIRRO ESPLANADA]

PESQUISA DE OPINIÃO [ZONEMANENTO BAIRRO ESPLANADA] PESQUISA DE OPINIÃO [ZONEMANENTO BAIRRO ESPLANADA] OBJETIVO Diagnosticar a opinião de moradores proprietários de imóveis no Jardim Esplanada sobre a possível mudança de zoneamento de residencial para comercial

Leia mais