BPC-LOAS (GMADI MDS/INSS)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BPC-LOAS (GMADI MDS/INSS)"

Transcrição

1 Compreendendo a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde CIF (OMS/ONU, 2001) e suas interfaces com a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (ONU, 2006). Miguel Abud Marcelino Perito Médico Previdenciário INSS Gex Petrópolis/RJ Professor Assistente de Saúde Coletiva FMP/FASE Petrópolis/RJ Integrante do Grupo de Trabalho responsável pelo acompanhamento monitoramento e aprimoramento do modelo de avaliação de pessoas com deficiência para acesso ao BPC-LOAS (GMADI MDS/INSS)

2

3 Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ]

4 Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ]

5 Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ]

6 Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ] Art. 1º Propósito Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

7 Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ] Art. 1º Propósito Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

8 Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ] Art. 1º Propósito Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

9 Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ] Art. 1º Propósito Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

10 Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ] Art. 1º Propósito Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

11 Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ] Art. 1º Propósito Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

12 IMPORTANTES DOCUMENTOS DEFINIRAM CONCEITOS CIDID (1980) CIF (2001) CONVENÇÃO DA ONU (2006) A Família das Classificações da OMS, da qual fazem parte a CIDID, a CIF e a CID-10, integra o grupo de Classificações Sociais ou de Saúde da Família das Classificações das Nações Unidas.

13 Classificação Internacional das Deficiências, Incapacidades e Desvantagens - CIDID PARADIGMA INICIAL

14 Classificação Internacional das Deficiências, Incapacidades e Desvantagens - CIDID Modelo Biomédico Linear Distúrbio ou Doença Deficiência Impairment Incapacidade Disability Desvantagem Handicap

15 Classificação Internacional das Deficiências, Incapacidades e Desvantagens - CIDID Modelo Biomédico Linear Distúrbio ou Doença Deficiência Impairment Incapacidade Disability Desvantagem Handicap

16 Classificação Internacional das Deficiências, Incapacidades e Desvantagens - CIDID Modelo Biomédico Linear Distúrbio ou Doença Deficiência Impairment Incapacidade Disability Desvantagem Handicap DEFICIÊNCIA é qualquer perda ou anormalidade de estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica.

17 Classificação Internacional das Deficiências, Incapacidades e Desvantagens - CIDID Modelo Biomédico Linear Distúrbio ou Doença Deficiência Impairment Incapacidade Disability Desvantagem Handicap INCAPACIDADE é qualquer restrição ou falta (resultante de uma deficiência) de capacidade para realizar uma atividade na forma ou dentro da faixa considerada normal para um ser humano.

18 Classificação Internacional das Deficiências, Incapacidades e Desvantagens - CIDID Modelo Biomédico Linear Distúrbio ou Doença Deficiência Impairment Incapacidade Disability Desvantagem Handicap DESVANTAGEM é resultante de uma deficiência ou uma incapacidade que limita ou impede o desempenho de um papel que é normal (dependendo da idade, sexo e fatores sociais e culturais) para aquele indivíduo.

19 Classificação Internacional das Deficiências, Incapacidades e Desvantagens - CIDID Modelo Biomédico Linear Distúrbio ou Doença Deficiência Impairment Incapacidade Disability Desvantagem Handicap O foco estava no indivíduo

20 Classificação Internacional das Deficiências, Incapacidades e Desvantagens - CIDID Modelo Biomédico Linear Distúrbio ou Doença Deficiência Impairment Incapacidade Disability Desvantagem Handicap Constitui a base dos Decretos: 3.298/1999 Trata da Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência. Define: deficiência, deficência permanente e incapacidade. Classifica e define: Deficiência física, auditiva, visual, mental e múltipla /2004 Trata da Prioridade de atendimento às pessoas portadoras de deficiência e promoção da acessibilidade. Altera o artigo 4º do Decreto 3.298/99 (Inclui os ostomizados, nanismo, autismo (ao se referir à Lei /2003) e redefine os parâmetros para as deficiências auditiva e visual.

21 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF NOVO PARADIGMA

22 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo

23 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo

24 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo Funções do Corpo Funções mentais - b1 Funções sensoriais e dor - b2 Funções da voz e da fala b3 Funções do sistema cardiovascular, dos sistemas hematológico e imunológico e do sistema respiratório b4 Funções dos sistemas digestivo, metabólico e endócrino b5 Funções geniturinárias e reprodutivas b6 Funções neuromusculoesqueléticas e relacionadas ao movimento b7 Funções da pele e estruturas relacionadas b8

25 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo Funções do Corpo Funções mentais - b1 Funções sensoriais e dor - b2 Funções da voz e da fala b3 Funções do sistema cardiovascular, dos sistemas hematológico e imunológico e do sistema respiratório b4 Funções dos sistemas digestivo, metabólico e endócrino b5 Funções geniturinárias e reprodutivas b6 Funções neuromusculoesqueléticas e relacionadas ao movimento b7 Funções da pele e estruturas relacionadas b8 Estruturas do Corpo Estruturas do sistema nervoso s1 Olho, ouvido e estruturas relacionadas s2 Estruturas relacionadas à voz e à fala s3 Estruturas dos sistemas cardiovascular, imunológico e respiratório s4 Estruturas relacionadas aos sistemas digestivo, metabólico e endócrino s5 Estruturas relacionadas aos sistemas geniturinário e reprodutivo s6 Estruturas relacionadas ao movimento s7 Pele e estruturas relacionadas s8

26 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo Qualificam as alterações nas funções ou estruturas corporais (Impairments) A tradução da CIF chamou isso de DEFICIÊNCIAS (no corpo)

27 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo Qualificam as alterações nas funções ou estruturas corporais (Impairments) A tradução da CIF chamou isso de DEFICIÊNCIAS (no corpo) A tradução da Convenção da ONU passou a chamar de IMPEDIMENTOS.

28 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo Fatores Ambientais Qualificam as alterações nas funções ou estruturas corporais (Impairments) A tradução da CIF chamou isso de DEFICIÊNCIAS (no corpo)

29 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo Fatores Ambientais Qualificam as alterações nas funções ou estruturas corporais (Impairments) A tradução da CIF chamou isso de DEFICIÊNCIAS (no corpo) Qualifica a intensidade das BARREIRAS e FACILITADORES

30 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo Fatores Ambientais Qualificam as alterações nas funções ou estruturas corporais (Impairments) A tradução da CIF chamou isso de DEFICIÊNCIAS (no corpo) Qualifica a intensidade das BARREIRAS e FACILITADORES Produtos e Tecnologia e1 Condições de moradia e mudanças ambientais e2 Apoio e relacionamentos e3 Atitudes e4 Serviços, sistemas e políticas e5

31 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo Fatores Ambientais Atividades e Participação Qualificam as alterações nas funções ou estruturas corporais (Impairments) A tradução da CIF chamou isso de DEFICIÊNCIAS (no corpo) Qualifica a intensidade das BARREIRAS e FACILITADORES

32 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo Fatores Ambientais Atividades e Participação Qualificam as alterações nas funções ou estruturas corporais (Impairments) A tradução da CIF chamou isso de DEFICIÊNCIAS (no corpo) Qualifica a intensidade das BARREIRAS e FACILITADORES Qualifica a intensidade das DIFICULDADES para fazer algo ou participar de algo

33 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo Fatores Ambientais Atividades e Participação Qualificam as alterações nas funções ou estruturas corporais (Impairments) A tradução da CIF chamou isso de DEFICIÊNCIAS (no corpo) Qualifica a intensidade das BARREIRAS e FACILITADORES Qualifica a intensidade das DIFICULDADES para fazer algo ou participar de algo DESEMPENHO e CAPACIDADE

34 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo Fatores Ambientais Atividades e Participação Qualificam as alterações nas funções ou estruturas corporais (Impairments) Qualifica a intensidade das BARREIRAS e FACILITADORES Qualifica a intensidade das DIFICULDADES para fazer algo ou participar de algo Aprendizagem e aplicação de conhecimento d1 Tarefas e demandas gerais d2 Comunicação d3 Mobilidade e locomoção d4 Cuidado pessoal d5 Vida doméstica d6 Relação e interações interpessoais d7 Áreas principais da vida d8 Vida comunitária, social e cívica d9

35 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo Funções do Corpo Estruturas do Corpo Fatores Ambientais Atividades e Participação Qualificam as alterações nas funções ou estruturas corporais (Impairments) A tradução da CIF chamou isso de DEFICIÊNCIAS (no corpo) Qualifica a intensidade das BARREIRAS e FACILITADORES QUALIFICADORES 0 = NENHUM(A) 1 = LEVE 2 = MODERADO(A) 3 = GRAVE 4 = COMPLETO(A) Qualifica a intensidade das DIFICULDADES para fazer algo ou participar de algo 8 = NÃO ESPECIFICADO 9 = NÃO APLICÁVEL

36 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo

37 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo

38 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo V

39 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo VC

40 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo V

41 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo V

42 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo INCAPACIDADE Disability Indica os ASPECTOS NEGATIVOS da interação entre um indivíduo (com uma condição de saúde) e seus fatores contextuais (ambientais e pessoais)

43 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo INCAPACIDADE Disability Indica os ASPECTOS NEGATIVOS da interação entre um indivíduo (com uma condição de saúde) e seus fatores contextuais (ambientais e pessoais) FUNCIONALIDADE Functioning Indica os ASPECTOS POSITIVOS da interação entre um indivíduo (com uma condição de saúde) e seus fatores contextuais (ambientais e pessoais)

44 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo INCAPACIDADE Disability Indica os ASPECTOS NEGATIVOS da interação entre um indivíduo (com uma condição de saúde) e seus fatores contextuais (ambientais e pessoais) FUNCIONALIDADE Functioning Indica os ASPECTOS POSITIVOS da interação entre um indivíduo (com uma condição de saúde) e seus fatores contextuais (ambientais e pessoais) Limitações para a execução de atividades e Restrições à participação social.

45 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo INCAPACIDADE Disability Indica os ASPECTOS NEGATIVOS da interação entre um indivíduo (com uma condição de saúde) e seus fatores contextuais (ambientais e pessoais) FUNCIONALIDADE Functioning Indica os ASPECTOS POSITIVOS da interação entre um indivíduo (com uma condição de saúde) e seus fatores contextuais (ambientais e pessoais) A tradução da Convenção da ONU, em seu preâmbulo, define isso como DEFICIÊNCIA. Limitações para a execução de atividades e Restrições à participação social.

46 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo

47 Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF Modelo Biopsicossocial, Dinâmico e Interativo

48 CIDID (OMS,1980) X CIF (OMS,2001)

49 CIDID (OMS,1980) X CIF (OMS,2001)

50 CIDID (OMS,1980) X CIF (OMS,2001)

51 CIDID (OMS,1980) X CIF (OMS,2001)

52 CIDID (OMS,1980) X CIF (OMS,2001)

53 CIDID (OMS,1980) X CIF (OMS,2001)

54 CIDID (OMS,1980) X CIF (OMS,2001)

55 CIDID (OMS,1980) X CIF (OMS,2001)

56 CIDID (OMS,1980) X CIF (OMS,2001)

57 CIDID (OMS,1980) X CIF (OMS,2001)

58 Integração ou inclusão?

59 Diferenças na terminologia adotada nas traduções da CIF e da Convenção da ONU para a língua portuguesa.

60 Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ]

61 Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ] [ ] e) Recognizing that disability is an evolving concept and that disability results from the interaction between persons with impairments and attitudinal and environmental barriers that hinders their full and effective participation in society on an equal basis with others, [ ]

62 Art. 1º Propósito Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

63 Art. 1º Propósito Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas. Persons with disabilities include those who have long-term physical, mental, intellectual or sensory impairments which in interaction with various barriers may hinder their full and effective participation in society on an equal basis with others.

64 Em resumo

65 Em resumo

66 IMPORTANTE Não existe qualquer incompatibilidade entre os termos usados pela CIF e pela Convenção da ONU, em seus textos originais em inglês.

67 IMPORTANTE Não existe qualquer incompatibilidade entre os termos usados pela CIF e pela Convenção da ONU, em seus textos originais em inglês. A divergência existe na tradução para o português, porém não compromete o entendimento, desde que se tenha clareza da aplicação de cada termo nas diferentes situações.

68 IMPORTANTE Não existe qualquer incompatibilidade entre os termos usados pela CIF e pela Convenção da ONU, em seus textos originais em inglês. A divergência existe na tradução para o português, porém não compromete o entendimento, desde que se tenha clareza da aplicação de cada termo nas diferentes situações. INCAPACIDADE é um termo muito utilizado no campo da Saúde do Trabalhador e dificilmente será substituído pelo termo DEFICIÊNCIA (na concepção guarda chuva ), conforme o foi pelo movimento pelos direitos das pessoas com deficiência. No entanto, é plenamente possível que as legislações trabalhista e previdenciária possam um dia assumir, em substituição, o conceito de FUNCIONALIDADE, que atende plenamente a todas as áreas.

69 Preâmbulo [...] e) Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [...] Art. 1º - Propósito Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas. Atentar que o verbo IMPEDIR, conjugado no preâmbulo, tem conotação diferente do termo IMPEDIMENTOS utilizado no artigo 1º.

70 Preâmbulo [...] e) Reconhecendo que a DEFICIÊNCIA é um conceito em evolução e que a deficiência resulta da interação entre pessoas com deficiência e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [...] Art. 1º - Propósito PESSOAS COM DEFICIÊNCIA são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas. Atentar que o Preâmbulo é bem mais abrangente do que o artigo 1º, que define Pessoa com Deficiência.

71 ^ IMPORTANTE Em essência, a Convenção da ONU objetiva garantir a equiparação de direitos e oportunidades, a independência, a autonomia e o protagonismo das PESSOAS COM DEFICIÊNCIA.

72 IMPORTANTE Em essência, a Convenção da ONU objetiva garantir a equiparação de direitos e oportunidades, a independência, a autonomia e o protagonismo das PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. A CIF, por sua vez, é uma Classificação Internacional e, como tal, contempla todos os indivíduos indistintamente, com diferentes estados de saúde, em interação com o ambiente em vivem, numa dimensão biopsicossocial. NÃO É UM INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO.

73 IMPORTANTE Em essência, a Convenção da ONU objetiva garantir a equiparação de direitos e oportunidades, a independência, a autonomia e o protagonismo das PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. A CIF, por sua vez, é uma Classificação Internacional e, como tal, contempla todos os indivíduos indistintamente, com diferentes estados de saúde, em interação com o ambiente em vivem, numa dimensão biopsicossocial. NÃO É UM INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO. ELAS SE COMPLEMENTAM.

74 ^ Grato pela atenção.

Capacitação de multiplicadores Aposentadoria da Pessoa com Deficiência Lei Complementar 142/2013

Capacitação de multiplicadores Aposentadoria da Pessoa com Deficiência Lei Complementar 142/2013 Capacitação de multiplicadores Aposentadoria da Pessoa com Deficiência Lei Complementar 142/2013 CIDID, CIF, CONVENÇÃO E PROPOSTA DE MODELO ÚNICO DE AVALIAÇÃO Brasília - Dezembro 2013 Os Slides selecionados

Leia mais

CIF e Convenção da ONU

CIF e Convenção da ONU Mesa 3 E agora fui trabalhar CIF e Convenção da ONU Compreendendo as interfaces para a conquista de direitos. Miguel Abud Marcelino Perito Médico Previdenciário Gex Petrópolis/RJ Integrante do Grupo de

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO EVOLUÇÃO DA LEGISLAÇÃO E DA TERMINOLOGIA CONSTITUIÇÕES ANTERIORES: - DESVALIDOS; - EXCEPCIONAIS. COMENTÁRIOS SOBRE

CLASSIFICAÇÃO EVOLUÇÃO DA LEGISLAÇÃO E DA TERMINOLOGIA CONSTITUIÇÕES ANTERIORES: - DESVALIDOS; - EXCEPCIONAIS. COMENTÁRIOS SOBRE COMENTÁRIOS SOBRE A AVALIAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E INCAPACIDADES NA PERSPECTIVA DE UMA NOVA CLASSIFICAÇÃO NO BRASIL COORDENADORIA NACIONAL PARA INTEGRAÇÃO DA PESSOA PORTADORA DE DEFICIÊNCIA CORDE

Leia mais

Seminário. Nações Unidas.

Seminário. Nações Unidas. Seminário Deficiência, funcionalidade e acessibilidade: implicações para os direitos à comunicação, informação e saúde Evolução de conceitos, interfaces e aplicações da Classificação Internacional e Funcionalidade,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA NO RGPS

AVALIAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA NO RGPS AVALIAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA NO RGPS Movimentos Sociais X Modelo biomédico Modelo biomédico: Estático; localizado ao corpo; Especialidade dos saberes centralidade

Leia mais

Wederson Santos Assistente Social Chefe da Divisão do Serviço Social do INSS Doutorando em Sociologia pela UnB

Wederson Santos Assistente Social Chefe da Divisão do Serviço Social do INSS Doutorando em Sociologia pela UnB Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU, Funcionalidade e Lei Complementar 142: a implementação do modelo biopsicossocial da deficiência na política de Previdência Social brasileira

Leia mais

NORMATIVA DE ADAPTAÇÃO CURRICULAR E TERMINALIDADE ESPECÍFICA PARA PESSOAS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECÍFICAS

NORMATIVA DE ADAPTAÇÃO CURRICULAR E TERMINALIDADE ESPECÍFICA PARA PESSOAS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECÍFICAS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE CAMPUS CAMPOS CENTRO DIREÇÃO GERAL DIRETORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS NÚCLEO DE APOIO A PESSOAS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NORMATIVA

Leia mais

Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação

Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação Deficiência Deficiência Estabelecidos pelo Decreto Federal 3.298 de 20 de dezembro de 1999 (art. 3º, I e 4 ), que foi alterado pelo Decreto 5.296 de 02 de dezembro de 2004. É todo e qualquer comprometimento

Leia mais

NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS

NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS Atualização da Minuta de portaria para a Assembleia do CONASS em 21/03/2012 1. Contextualização Pessoas com deficiência são

Leia mais

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção da Igualdade de Oportunidades e Eliminação da Discriminação no Trabalho Criada em 28/10/2002, com o objetivo

Leia mais

DESAFIOS DA INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PSICOSSOCIAL NO MUNDO DO TRABALHO

DESAFIOS DA INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PSICOSSOCIAL NO MUNDO DO TRABALHO DESAFIOS DA INCLUSÃO Romeu Sassaki DE PESSOAS COM romeukf@uol.com.br DEFICIÊNCIA PSICOSSOCIAL NO MUNDO DO TRABALHO Romeu Kazumi Sassaki 7ª Reabilitação, Inclusão e Tecnologia de Curitiba (Reatiba) Equidade

Leia mais

Portadores de necessidades especiais: trabalhando com saúde. Lailah Vasconcelos de Oliveira Vilela

Portadores de necessidades especiais: trabalhando com saúde. Lailah Vasconcelos de Oliveira Vilela Portadores de necessidades especiais: trabalhando com saúde Lailah Vasconcelos de Oliveira Vilela Quem são as pessoas com necessidades especiais? Todos nós!!! Termos Pessoa Portadora de Deficiência x Pessoa

Leia mais

LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O SISTEMA DE COTAS.

LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O SISTEMA DE COTAS. LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O SISTEMA DE COTAS. Entra em vigor nesse mês a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência - Lei 13.146/2015, sancionada em julho e publicada

Leia mais

CONCEITO DE DEFICIÊNCIA SEGUNDO A CONVENÇÃO DA ONU E OS CRITÉRIOS RIOS DA CIF. Linamara Rizzo Battistella Secretária de Estado

CONCEITO DE DEFICIÊNCIA SEGUNDO A CONVENÇÃO DA ONU E OS CRITÉRIOS RIOS DA CIF. Linamara Rizzo Battistella Secretária de Estado CONCEITO DE DEFICIÊNCIA SEGUNDO A CONVENÇÃO DA ONU E OS CRITÉRIOS RIOS DA CIF Linamara Rizzo Battistella Secretária de Estado Repensando a Escola! Considerar a expansão da Educação Inclusiva como uma construção

Leia mais

A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva

A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva Instituto Paradigma O Instituto Paradigma é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), dedicada a desenvolver e implementar projetos nas

Leia mais

"Nós não devemos deixar que as incapacidades das pessoas nos impossibilitem de reconhecer as suas habilidades." Hallahan e Kauffman, 1994

Nós não devemos deixar que as incapacidades das pessoas nos impossibilitem de reconhecer as suas habilidades. Hallahan e Kauffman, 1994 "Nós não devemos deixar que as incapacidades das pessoas nos impossibilitem de reconhecer as suas habilidades." Hallahan e Kauffman, 1994 Deficiência é o termo usado para definir a ausência ou a disfunção

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas Área Técnica Saúde da Pessoa com Deficiência

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas Área Técnica Saúde da Pessoa com Deficiência Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas Área Técnica Saúde da Pessoa com Deficiência Atenção à Saúde das Pessoas com Deficiência Intelectual e

Leia mais

Restabelecimento do BPC após s rescisão do contrato de trabalho

Restabelecimento do BPC após s rescisão do contrato de trabalho Audiência Pública no Senado Federal Subcomissão Permanente de Assuntos Sociais das Pessoas com Deficiência, da Comissão de Assuntos Sociais Restabelecimento do BPC após s rescisão do contrato de trabalho

Leia mais

Romeu Sassaki romeukf@uol.com.br

Romeu Sassaki romeukf@uol.com.br Romeu Sassaki romeukf@uol.com.br A CESSI BILIDADE BARREIRAS A CESSI BILIDADE 7 DIMENSÕES DE BARREIRAS A CESSI BILIDADE IDENTIFICAR 7 DIMENSÕES DE BARREIRAS BARREIRAS 1. ARQUITETÔNICAS 2. COMUNICACIONAIS

Leia mais

PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL N.º, DE 2011 (Da Sra. Rosinha da Adefal)

PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL N.º, DE 2011 (Da Sra. Rosinha da Adefal) PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL N.º, DE 2011 (Da Sra. Rosinha da Adefal) Altera o art. 6º da Constituição Federal para incluir o direito à Acessibilidade entre os direitos e garantias fundamentais

Leia mais

Nome do projeto: PROJETO DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTO DE CLASSIFICAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PARA CIDADÃOS BRASILEIROS

Nome do projeto: PROJETO DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTO DE CLASSIFICAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PARA CIDADÃOS BRASILEIROS 1. IDENTIFICAÇÃO Nome do projeto: PROJETO DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTO DE CLASSIFICAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PARA CIDADÃOS BRASILEIROS Instituição proponente: INSTITUTO DE ESTUDOS DO TRABALHO E SOCIEDADE

Leia mais

BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - BPC

BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - BPC BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - BPC CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 O artigo que trata da garantia de um salário mínimo ao idoso e a pessoa com deficiência, foi inserido na Constituição

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Profª Drª Sonia Maria Rodrigues

EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Profª Drª Sonia Maria Rodrigues EDUCAÇÃO INCLUSIVA Profª Drª Sonia Maria Rodrigues INICIANDO NOSSA CONVERSA - Música Vagalume em Libras INCLUSÃO LEGAL Legislação que respalda a política de Educação Inclusiva (nacional e estadual) Leitura

Leia mais

POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE. - Não seja portador de Preconceito -

POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE. - Não seja portador de Preconceito - POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE - Não seja portador de Preconceito - 2014 1 OBJETO As Políticas Institucionais de Acessibilidade Não seja portador de preconceito tem como objetivo promover ações

Leia mais

Rede de Cuidados à Saúde da Pessoa com Deficiência

Rede de Cuidados à Saúde da Pessoa com Deficiência Rede de Cuidados à Saúde da Pessoa com Deficiência CER O Brasil é o único país com mais de 100 milhões de habitantes que assumiu o desafio de ter um sistema universal, público e gratuito de Saúde DADOS

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 2597, DE 22 DE SETEMBRO DE 2003. Regulamenta a Lei n.º 8.160, de 31 de março de 2003, que dispõe sobre a Política Municipal de Atenção às Pessoas

Leia mais

Educação Acessível para Todos

Educação Acessível para Todos Educação Acessível para Todos Instituto Paradigma A inclusão das crianças com deficiência nas escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental não constitui um debate diferente da inclusão social de todos

Leia mais

O Estado e a garantia dos direitos das pessoas com deficiência

O Estado e a garantia dos direitos das pessoas com deficiência O Estado e a garantia dos direitos das pessoas com deficiência Izabel de Loureiro Maior Universidade Federal do Rio de Janeiro Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência - CoMDef

Leia mais

I Fórum Municipal de Autismo, Acessibilidade e Mobilidade Territorial PROGRAMA DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA

I Fórum Municipal de Autismo, Acessibilidade e Mobilidade Territorial PROGRAMA DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA I Fórum Municipal de Autismo, Acessibilidade e Mobilidade Territorial PROGRAMA DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA OBJETIVO Proporcionar aos trabalhadores com deficiência a obtenção e a manutenção do emprego,

Leia mais

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Instituto Municipal Helena Antipoff Educação Especial no Município do Rio de

Leia mais

I SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE DEFICIÊNCIA E FUNCIONALIDADE TRANSITANDO DO MODELO MÉDICO PARA O BIOPSICOSSOCIAL

I SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE DEFICIÊNCIA E FUNCIONALIDADE TRANSITANDO DO MODELO MÉDICO PARA O BIOPSICOSSOCIAL I SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE DEFICIÊNCIA E FUNCIONALIDADE TRANSITANDO DO MODELO MÉDICO PARA O BIOPSICOSSOCIAL Capacidade Legal e Acesso a Justiça Quem são os incapazes? Quais os apoios que o estado precisa

Leia mais

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO - Abordagem multiprofissional e interdisciplinar - assistência prestada por

Leia mais

DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Maria Izabel do Amaral Sampaio Castro 8.ª Promotora de Justiça de São Caetano do Sul miasc@mp.sp.gov.br (11) 4238-8757 1 TERMINOLOGIA 1) Pessoa PORTADORA de Deficiência:

Leia mais

a convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência 2007 e o decreto n o 6.949, de 25 de agosto de 2009. 1

a convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência 2007 e o decreto n o 6.949, de 25 de agosto de 2009. 1 a convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência 2007 e o decreto n o 6.949, de 25 de agosto de 2009. 1 Depois de concluídas todas as etapas, podemos inferir que a Convenção sobre os Direitos

Leia mais

SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, IDOSAS E SUAS FAMÍLIAS NO SUAS Tipificação Nacional dos Serviços SUAS/2009

SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, IDOSAS E SUAS FAMÍLIAS NO SUAS Tipificação Nacional dos Serviços SUAS/2009 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SNAS DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL - DPSE SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS E RECURSOS DE ACESSIBILIDADE POR CANDIDATOS COM DEFICIÊNCIA E OUTRAS CONDIÇÕES ESPECIAIS COMPERVE

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS E RECURSOS DE ACESSIBILIDADE POR CANDIDATOS COM DEFICIÊNCIA E OUTRAS CONDIÇÕES ESPECIAIS COMPERVE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UFRN NÚCLEO PERMANENTE DE CONCURSOS COMPERVE COMISSÃO PERMANENTE DE APOIO A ESTUDANTES COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS CAENE MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A LEGISLAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Atualizadas pela Lei Brasileira de Inclusão da PCD (Lei 13.

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A LEGISLAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Atualizadas pela Lei Brasileira de Inclusão da PCD (Lei 13. PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A LEGISLAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Atualizadas pela Lei Brasileira de Inclusão da PCD (Lei 13.146/2015) Sumário: I Direitos previstos na Constituição Federal II Direitos

Leia mais

Experiências na aplicação da CIF para concessão do BPC para as Pessoas com Deficiência trabalhando conceitos e instrumentos

Experiências na aplicação da CIF para concessão do BPC para as Pessoas com Deficiência trabalhando conceitos e instrumentos Experiências na aplicação da CIF para concessão do BPC para as Pessoas com Deficiência trabalhando conceitos e instrumentos I Seminário Nacional sobre Deficiência e Funcionalidade Trasitando do modelo

Leia mais

Benefício de prestação continuada (BPC) à Pessoa com Deficiência GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM CURITIBA SERVIÇO SOCIAL

Benefício de prestação continuada (BPC) à Pessoa com Deficiência GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM CURITIBA SERVIÇO SOCIAL Benefício de prestação continuada (BPC) à Pessoa com Deficiência GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM CURITIBA SERVIÇO SOCIAL Maio/2014 1 Superintendência Regional SUL Gerencia Executiva em Curitiba Gerencias

Leia mais

Atendimento às pessoas com deficiência no serviço ao cidadão

Atendimento às pessoas com deficiência no serviço ao cidadão Atendimento às pessoas com deficiência no serviço ao cidadão 1 2 Apresentação Considerando a inclusão social como um processo bilateral, em que a sociedade se adapta às necessidades de seus habitantes

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011. O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MANAUS, no uso de suas atribuições legais e;

RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011. O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MANAUS, no uso de suas atribuições legais e; RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011 Institui os procedimentos e orientações para Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva no Sistema Municipal de Ensino de Manaus. O CONSELHO

Leia mais

Instrução Normativa SIT 98/2012 do Ministério do Trabalho e Emprego

Instrução Normativa SIT 98/2012 do Ministério do Trabalho e Emprego Instrução Normativa SIT 98/2012 do Ministério do Trabalho e Emprego "Triste não é mudar de ideia. Triste é não ter ideias para mudar" Francis Bacon, filósofo inglês Dificuldades enfrentadas pelas empresas

Leia mais

Viva Acessibilidade!

Viva Acessibilidade! MARKETING/MP-GO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS Procuradoria-Geral de Justiça do Estado de Goiás Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos e do Cidadão Viva Acessibilidade! Goiânia 2013 MINISTÉRIO

Leia mais

Carta de recomendações para o enfrentamento às violências na primeira infância

Carta de recomendações para o enfrentamento às violências na primeira infância Carta de recomendações para o enfrentamento às violências na primeira infância Rio de Janeiro, 2 de abril de 2015 A todas as pessoas que atuam na promoção e defesa dos direitos das crianças A Rede Nacional

Leia mais

Assunto: Orientações para a Organização de Centros de Atendimento Educacional Especializado

Assunto: Orientações para a Organização de Centros de Atendimento Educacional Especializado Ministério da Educação Secretaria de Educação Especial Esplanada dos Ministérios, Bloco L 6º andar - Gabinete -CEP: 70047-900 Fone: (61) 2022 7635 FAX: (61) 2022 7667 NOTA TÉCNICA SEESP/GAB/Nº 9/2010 Data:

Leia mais

Brasília DF Abril, 2014

Brasília DF Abril, 2014 Avaliação do processo de implementação dos Centros-dia de Referência para a Pessoa com Deficiência e suas Famílias, no âmbito do Plano Viver Sem Limite, na Região Nordeste Projeto de pesquisa apresentado

Leia mais

Lei Municipal Nº 172/2010 De 30 de Dezembro de 2010.

Lei Municipal Nº 172/2010 De 30 de Dezembro de 2010. Lei Municipal Nº 172/2010 De 30 de Dezembro de 2010. Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência, do Município de São Francisco do Conde - CMDPPD

Leia mais

Presença da Pessoa com Deficiência Atenção e Reabilitação desde a Equipe Saúde da Família

Presença da Pessoa com Deficiência Atenção e Reabilitação desde a Equipe Saúde da Família A Intersetorialidade como estratégia ao atendimento integral à Pessoa com Deficiência, desde a Atenção Básica Coordenação de Programas de Reabilitação\SMS Rio de Janeiro Coordenação de Reabilitação e Atenção

Leia mais

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL ISSN 677-7042 Ano CLII N o - 27 Brasília - DF, segunda-feira, 9 de fevereiro de 205. Sumário PÁGINA Presidência da República... Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento... 7 Ministério da Ciência,

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Especial

Ministério da Educação Secretaria de Educação Especial Ministério da Educação Secretaria de Educação Especial DIRETRIZES OPERACIONAIS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL PARA O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NA EDUCAÇÃO BÁSICA O Ministério da Educação, por intermédio

Leia mais

2º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde (CIMES) Tecnologia Assistiva CTI CNRTA www.cti.gov.br/cnrta Fabiana Bonilha

2º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde (CIMES) Tecnologia Assistiva CTI CNRTA www.cti.gov.br/cnrta Fabiana Bonilha 2º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde (CIMES) Tecnologia Assistiva CTI CNRTA www.cti.gov.br/cnrta Fabiana Bonilha Público-alvo "Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos

Leia mais

II Encontro MPSP/MEC/UNDIME-SP. Material das Palestras

II Encontro MPSP/MEC/UNDIME-SP. Material das Palestras II Encontro MPSP/MEC/UNDIME-SP Material das Palestras II Encontro MPSP e MEC Educação Inclusiva MARCOS LEGAIS CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Art. 208. O dever do Estado com a educação

Leia mais

APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Professor Cláudio José Vistue Rios E-mail: claudiorios05@hotmail.com APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL CF 05/10/1988 Art. 201 1º; Lei

Leia mais

6º FÓRUM SENADO DEBATE BRASIL. Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência : uma Constituição viva e cidadã

6º FÓRUM SENADO DEBATE BRASIL. Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência : uma Constituição viva e cidadã 6º FÓRUM SENADO DEBATE BRASIL Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência : uma Constituição viva e cidadã Denise Granja Presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência

Leia mais

Perícias médicas em ações de Interdição: Compreensão do sujeito de direito e dos

Perícias médicas em ações de Interdição: Compreensão do sujeito de direito e dos Responsabilidade civil por perícias médicas Renata Barbosa de Almeida Perícias médicas em ações de Interdição: Compreensão do sujeito de direito e dos reflexos da restrição a sua capacidade de fato; Definição

Leia mais

Benefício Assistencial: tensões e avanços na concretização deste direito constitucional

Benefício Assistencial: tensões e avanços na concretização deste direito constitucional Seminário Nacional Serviço Social na Previdência Social Benefício Assistencial: tensões e avanços na concretização deste direito Porto Alegre, 19 de junho de 2010. Marinete Cordeiro Moreira Seminário Nacional

Leia mais

Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Sede das Nações Unidas, Nova Iorque, agosto de 2006 Vandir da Silva Ferreia Lilia Novais de Oliveira (Publicado na Revista Reviva, Ano 4 2007, PRODIDE)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Diretoria de Políticas de Educação Especial Inclusão A concepção da inclusão educacional expressa o conceito

Leia mais

ACESSIBILIDADE E DIREITOS DOS CIDADÃOS: BREVE DISCUSSÃO

ACESSIBILIDADE E DIREITOS DOS CIDADÃOS: BREVE DISCUSSÃO ACESSIBILIDADE E DIREITOS DOS CIDADÃOS: BREVE DISCUSSÃO Ana Elizabeth Gondim Gomes Luciana Krauss Rezende Mariana Fernandes Prado Tortorelli Índice Mini currículo dos autores RESUMO Observa-se atualmente

Leia mais

INFORMATIVO 16 / 2015 NOVA LEI FEDERAL 13.146 DE 07/07/2015 ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

INFORMATIVO 16 / 2015 NOVA LEI FEDERAL 13.146 DE 07/07/2015 ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA 016inf15 (13/07/2015) HMF INFORMATIVO 16 / 2015 NOVA LEI FEDERAL 13.146 DE 07/07/2015 ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA No dia 07 de julho de 2015, foi publicada a lei federal 13.146, chamada de Lei Brasileira

Leia mais

Atendimento Educacional Especializado

Atendimento Educacional Especializado Atendimento Educacional Especializado Do preferencial ao necessário Meire Cavalcante Insira aqui o seu nome Deficiência... EXCLUSÃO NÃO HUMANIDADE SEGREGAÇÃO INTEGRAÇÃO INCLUSÃO Concepções... Segregação

Leia mais

BPC NA ESCOLA: FREQUÊNCIA ESCOLAR POR CRIANÇAS E JOVENS BENEFICÁRIOS DO PROGRAMA EM PRESIDENTE PRUDENTE/SP

BPC NA ESCOLA: FREQUÊNCIA ESCOLAR POR CRIANÇAS E JOVENS BENEFICÁRIOS DO PROGRAMA EM PRESIDENTE PRUDENTE/SP BPC NA ESCOLA: FREQUÊNCIA ESCOLAR POR CRIANÇAS E JOVENS BENEFICÁRIOS DO PROGRAMA EM PRESIDENTE PRUDENTE/SP Magda Campos Curcino¹ Marli de Oliveira Rodrigues² Ariane Lopes Toledo Cesar³ Eliane Ferrari Chagas¹

Leia mais

Educação Especial. Manual de Procedimentos e Documentos

Educação Especial. Manual de Procedimentos e Documentos (152778) Educação Especial Manual de Procedimentos e Documentos Agrupamento de Escolas de Murça SIGLAS NEE Necessidades Educativas Especiais EE Educação Especial CIF - CJ - Classificação Internacional

Leia mais

O Reconhecimento da Pessoa com Transtorno Mental Severo Como Pessoa Com. deficiência: Uma Questão de Justiça

O Reconhecimento da Pessoa com Transtorno Mental Severo Como Pessoa Com. deficiência: Uma Questão de Justiça O Reconhecimento da Pessoa com Transtorno Mental Severo Como Pessoa Com deficiência: Uma Questão de Justiça Ana Maria Machado da Costa 1 A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU

Leia mais

No Brasil, existem cerca de 45 milhões de Pessoas com Deficiência, o que representa ¼ da população geral (Censo IBGE, 2010).

No Brasil, existem cerca de 45 milhões de Pessoas com Deficiência, o que representa ¼ da população geral (Censo IBGE, 2010). O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência PLANO VIVER SEM LIMITE 2011-2014 foi instituído por meio do Decreto da Presidência da República nº 7.612, de 17/11/2011 e tem como finalidade promover,

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 234, DE 2010. Art. 1º A presente Lei regulamenta a profissão de Optometrista em todo o território nacional.

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 234, DE 2010. Art. 1º A presente Lei regulamenta a profissão de Optometrista em todo o território nacional. SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 234, DE 2010 Dispõe sobre a regulamentação da profissão de optometrista e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º A presente Lei regulamenta

Leia mais

LEGISLAÇÕES SOBRE AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

LEGISLAÇÕES SOBRE AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA LEGISLAÇÕES SOBRE AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Eduardo Jannone da Silva Advogado Mestre em Direito Constitucional ITE Bauru/SP Membro do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência COMUDE Bauru/SP

Leia mais

Organização Mundial da Saúde Direcção-Geral da Saúde

Organização Mundial da Saúde Direcção-Geral da Saúde Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde Organização Mundial da Saúde Direcção-Geral da Saúde Lisboa 2004 Tradução e revisão Amélia Leitão Sumário Introdução... 5 1. Antecedentes...

Leia mais

Acessibilidade: VOCÊ ESTÁ SENSÍVEL A ESSE TEMA? POR MARA GABRILLI

Acessibilidade: VOCÊ ESTÁ SENSÍVEL A ESSE TEMA? POR MARA GABRILLI Acessibilidade: VOCÊ ESTÁ SENSÍVEL A ESSE TEMA? POR MARA GABRILLI Quem é MARA GABRILLI... reabilitação, estudo, trabalho, inclusão... Quando eu ajudo a melhorar a vida de alguém, a minha vida melhora junto.

Leia mais

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA - APRESENTAÇÃO 1- COMO SURGIU A IDÉIA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 2- O QUE SIGNIFICA INCLUSÃO ESCOLAR? 3- QUAIS AS LEIS QUE GARANTEM A EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 4- O QUE É UMA ESCOLA

Leia mais

11/09/2015 Dir. Previdenciário Prof. Marcos 218 Dir. Previdenciário Prof. Marcos 219 12

11/09/2015 Dir. Previdenciário Prof. Marcos 218 Dir. Previdenciário Prof. Marcos 219 12 218 219 12 220 221 13 222 223 14 224 225 15 226 227 16 228 229 17 230 231 18 232 233 19 234 235 20 236 237 21 238 239 22 Direito Adquirido a Aposentadoria antes da EC nº 20/98 240 241 23 242 Benefício

Leia mais

Guia Metodológico para o Acesso das Pessoas com Deficiências e Incapacidades ao Processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências

Guia Metodológico para o Acesso das Pessoas com Deficiências e Incapacidades ao Processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências Guia Metodológico para o Acesso das Pessoas com Deficiências e Incapacidades ao Processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências NÍVEL BÁSICO Ficha técnica Título: Guia Metodológico

Leia mais

Desafios na inclusão de PCD

Desafios na inclusão de PCD Desafios na inclusão de PCD Narciso Guedes Chefe da Seção de Segurança e Saúde do Trabalhador da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego/RJ Auditor Fiscal do Trabalho Médico do Trabalho narciso.guedes@mte.gov.br

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

1º SEMINÁRIO DA SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR COM DEFICIÊNCIA NA INDÚSTRI DA CONSTRUÇÃO PESADA

1º SEMINÁRIO DA SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR COM DEFICIÊNCIA NA INDÚSTRI DA CONSTRUÇÃO PESADA 1º SEMINÁRIO DA SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR COM DEFICIÊNCIA NA INDÚSTRI DA CONSTRUÇÃO PESADA ASPECTOS PREVIDENCIÁRIOS DA INCLUSÃO DOS REABILITADOS E DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA 25 DE SETEMBRO DE 2012

Leia mais

Surdez e participação no mercado de trabalho

Surdez e participação no mercado de trabalho Escola Nacional de Saúde Pública Universidade Nova de Lisboa VI Mestrado em Gestão da Saúde Surdez e participação no mercado de trabalho Orientadoras: Prof. Doutora Céu Mateus Prof. Doutora Sílvia Sousa

Leia mais

SUMÁRIO. Introdução. Preâmbulo. I. Requisitos para a igualdade de participação. Norma 1. Conscientização. Cuidados médicos. Norma 2. Norma 3.

SUMÁRIO. Introdução. Preâmbulo. I. Requisitos para a igualdade de participação. Norma 1. Conscientização. Cuidados médicos. Norma 2. Norma 3. Normas sobre a Equiparação de Oportunidades para Pessoas com Deficiência Parte 1 As normas sobre equiparação de oportunidades para pessoas com deficiência foram adotadas pela Assembléia Geral das Nações

Leia mais

Pensão morte. Auxílioreclusão. Empregada doméstica. Pessoa com deficiência. Alterações legislativas de 2015. fanpage: melissa folmann

Pensão morte. Auxílioreclusão. Empregada doméstica. Pessoa com deficiência. Alterações legislativas de 2015. fanpage: melissa folmann Pensão morte. Auxílioreclusão. Auxílio-doença. Empregada doméstica. Pessoa com deficiência. Alterações legislativas de 2015. fanpage: melissa folmann 1. MP 676/2015 Antes MP 664 e MP Câmara dos Deputados

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Oficina: Articulação de propostas de políticas públicas para inclusão escolar de alunos portadores

Leia mais

SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE APOIO EDUCATIVO

SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE APOIO EDUCATIVO SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE APOIO EDUCATIVO Uma escola inclusiva tem como princípio fundamental que todos os alunos devem aprender juntos, independentemente das suas dificuldades e diferenças. O agrupamento

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas ÁREA TÉCNICA SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas ÁREA TÉCNICA SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas ÁREA TÉCNICA SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Maio 2011 I Simpósio Internacional Norte/Nordeste de Estomaterapia

Leia mais

CIF. Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Classificação Detalhada com definições

CIF. Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Classificação Detalhada com definições Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde Classificação Detalhada com definições Todas as categorias com as suas definições, inclusões e exclusões Organização Mundial da Saúde

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO ARCON-PA Concessão de Gratuidade

MINUTA DE RESOLUÇÃO ARCON-PA Concessão de Gratuidade MINUTA DE RESOLUÇÃO ARCON-PA Concessão de Gratuidade Estabelece procedimentos complementares necessários ao cumprimento das normas do Artigo Nº. 249, VI, a, da Constituição do Estado do Pará. O DIRETOR

Leia mais

Quadro Comparativo. Lei Brasileira da Inclusão (Versão 1) Lei Brasileira da Inclusão da Pessoa com Deficiência *(Versão 09/12/2014) **

Quadro Comparativo. Lei Brasileira da Inclusão (Versão 1) Lei Brasileira da Inclusão da Pessoa com Deficiência *(Versão 09/12/2014) ** Quadro Comparativo Lei Brasileira da Inclusão (Versão 1) Lei Brasileira da Inclusão da Pessoa com Deficiência *(Versão 09/12/2014) ** *Institui a Lei Brasileira da Inclusão da Pessoa com Deficiência. **

Leia mais

Políticas. APPACDM Viana do Castelo

Políticas. APPACDM Viana do Castelo Políticas APPACDM Viana do Castelo Índice Introdução... 3 Política da Qualidade... 4 Liderança... 4 Recursos Humanos... 5 Direitos... 6 Ética... 6 Parcerias... 7 Participação... 7 Abordagem Centrada na

Leia mais

AVALIAÇÃO SOCIAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA: novas demandas e requisições para os assistentes sociais do INSS ABSTRACT

AVALIAÇÃO SOCIAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA: novas demandas e requisições para os assistentes sociais do INSS ABSTRACT 1 AVALIAÇÃO SOCIAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA: novas demandas e requisições para os assistentes sociais do INSS Júlio César Lopes de Jesus 1 Flavia Augusta Santos de Melo Lopes 2 RESUMO Este artigo resulta

Leia mais

Portadores de Deficiência: pauta de discussão Marta Rovery de Souza Alguns dados são significativos para expressar a magnitude da situação das pessoas com deficiência. Segundo a Organização Mundial de

Leia mais

CONSTRUINDO MATERIAIS ADAPTADOS PARA ALUNOS COM DIFICULDADES MOTORAS E DE COMUNICAÇÃO

CONSTRUINDO MATERIAIS ADAPTADOS PARA ALUNOS COM DIFICULDADES MOTORAS E DE COMUNICAÇÃO CONSTRUINDO MATERIAIS ADAPTADOS PARA ALUNOS COM DIFICULDADES MOTORAS E DE COMUNICAÇÃO Dilma Almeida Martins 1 Monica Moura Neves 2 Raquel Nery Mendes Silva 3 INTRODUÇÃO No estabelecimento de ensino onde

Leia mais

Carta dos Direitos do Cliente

Carta dos Direitos do Cliente A pessoa com deficiência ou incapacidade, deve ser educada e viver na comunidade, mas com programas e apoios especiais. Cercisiago Carta dos Direitos do Cliente Março de 2010 Carta dos Direitos do Cliente

Leia mais

Encontro sobre Informação Estatística e Indicadores no âmbito da Deficiência /Incapacidade

Encontro sobre Informação Estatística e Indicadores no âmbito da Deficiência /Incapacidade Encontro sobre Informação Estatística e Indicadores no âmbito da Deficiência /Incapacidade 1 de Junho, 2009 INR, I.P., GEP - MTSS A Mudança de Paradigma. A evolução dos conceitos de Deficiência e Incapacidade.

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL DA UNESP CAMPUS DE MARÍLIA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL DA UNESP CAMPUS DE MARÍLIA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL DA UNESP CAMPUS DE MARÍLIA Objetivos do Curso Curso da área da saúde, centrado nos aspectos ergonômicos e sociais da atividade humana. Visa à formação

Leia mais

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Regulamenta o inciso I do 4 do art. 40 da Constituição da República, que dispõe sobre a concessão de aposentadoria especial ao servidor público titular de cargo

Leia mais

DIREITO FUNDAMENTAL À ACESSIBILIDADE NO BRASIL: UMA REVISÃO NARRATIVA SOBRE O TEMA

DIREITO FUNDAMENTAL À ACESSIBILIDADE NO BRASIL: UMA REVISÃO NARRATIVA SOBRE O TEMA DIREITO FUNDAMENTAL À ACESSIBILIDADE NO BRASIL: UMA REVISÃO NARRATIVA SOBRE O TEMA Autoria: Tâmara Mirely Silveira Silva Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) (FACISA) Daniel Ferreira de Lima (orientador)

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO E EDUCAÇÃO ESPECIAL

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO E EDUCAÇÃO ESPECIAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO E EDUCAÇÃO ESPECIAL ÁREA DO CONHECIMENTO Educação. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em ATENDIMENTO EDUCACIONAL

Leia mais

A evolução do conceito de deficiência na linha do tempo

A evolução do conceito de deficiência na linha do tempo Capacitação de multiplicadores Aposentadoria da Pessoa com Deficiência Lei Complementar 142/2013 A evolução do conceito de deficiência na linha do tempo Brasília - Dezembro 2013 Em 1962 inicia-se nos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.949, DE 25 DE AGOSTO DE 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo

Leia mais

A Educação Especial de Macau: retrospectiva e perspectiva

A Educação Especial de Macau: retrospectiva e perspectiva Administração n.º 79, vol. XXI, 2008-1.º, 219-246 219 A Educação Especial de Macau: retrospectiva e perspectiva Yuen Pong Kau* I. Introdução O acelerado desenvolvimento da economia mundial do conhecimento

Leia mais

Art. 1º - Os Integrantes do Escritório deverão observar e fazer com que sejam observados os seguintes princípios gerais:

Art. 1º - Os Integrantes do Escritório deverão observar e fazer com que sejam observados os seguintes princípios gerais: CÓDIGO DE ÉTICA OBJETIVO Disciplinar formalmente os nossos deveres e obrigações dentro do cenário nacional jurídico, na busca do melhor resultado na prestação de serviços que oferece para os seus clientes,

Leia mais

Brasil. 5 O Direito à Convivência Familiar e Comunitária: Os abrigos para crianças e adolescentes no

Brasil. 5 O Direito à Convivência Familiar e Comunitária: Os abrigos para crianças e adolescentes no Introdução A convivência familiar e comunitária é um dos direitos fundamentais 1 garantidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA, 1990). A lei ainda enfatiza que: Toda criança ou adolescente

Leia mais

Considerações sobre o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

Considerações sobre o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência Considerações sobre o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência Vivemos um momento complexo no que diz respeito às pessoas com deficiência: por um lado, temos (no campo do Direito) uma legislação específica

Leia mais