FICHA DE CARACTERIZAÇÃO/ DIAGNÓSTICO E PROPOSTA DE INTERVENÇÃO GIPS Sinalizações: (data e fonte sinalizadora) 1ª / /, 2ª / /, 3ª / /,

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FICHA DE CARACTERIZAÇÃO/ DIAGNÓSTICO E PROPOSTA DE INTERVENÇÃO GIPS Sinalizações: (data e fonte sinalizadora) 1ª / /, 2ª / /, 3ª / /,"

Transcrição

1 GIPS Sinalizações: (data e fonte sinalizadora) 1ª / /, 2ª / /, 3ª / /, FICHA DE CARACTERIZAÇÃO/ DIAGNÓSTICO E PROPOSTA DE INTERVENÇÃO Nº de Processo: Nome: Freguesia: Concelho Técnico responsável do GIPS:

2 A - FICHA DE CARACTERIZAÇÃO DA CRIANÇA/JOVEM I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Nome: 2. Data de Nascimento (DD/MM/AAAA) Idade 3. Nacionalidade Sexo F M 4. BI / Cartão do Cidadão 5. NISS 6. Filiação Pai Data Arq. Identificação Nacionalidade NISS Mãe Nacionalidade NISS 7. Morada Distrito Concelho 8. Contactos TLF Casa TLF Emprego TLM. TLM 9. SITUAÇÃO DE RISCO/PERIGO TIPO DE SITUAÇÃO DE RISCO/PERIGO QUE JUSTIFICA A INTERVENÇÃO (ASSINALAR COM X) 1. Absentismo escolar 2. Insucesso escolar 3. Abandono escolar 4. Analfabetismo 5. Comportamento de risco/desviante 6. Trabalho infantil 7. Indícios de utilização de criança/jovem em pornografia/prostituição 8. Indícios de utilização de criança/jovem em tráfico de droga 9. Mendicidade 10. Carência socioeconómica 11.Outra situação. Qual? FONTE(S) DE INFORMAÇÃO: OBSERVAÇÕES 1

3 II - CARACTERIZAÇÃO DA SITUAÇÃO ESCOLAR 1. Último Estabelecimento de Ensino Frequentado: 2. Ano de Escolaridade concluído com aproveitamento 3. Abandono Escolar Sim Não (Se não, passar para a alínea 4) Data de abandono escolar Mês Ano 4. Beneficia de apoio da acção social escolar Sim A B C Não 5. PERCURSO ESCOLAR 5.1 MATRÍCULAS Nº ANO LECTIVO ANO DE ESCOLARIDADE ESTABELECIMENTO DE ENSINO OBSERVAÇÕES 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 5.2 OUTROS DADOS RELEVANTES DO PERCURSO ESCOLAR 2

4 6. PROGRAMAS OU MEDIDAS EDUCATIVAS IMPLEMENTADAS DURANTE O PERCURSO ESCOLAR Apoios Educativos Decreto Lei n.º 3/2008 de 7 Janeiro (necessidades educativas especiais), Alíneas: Apoio Pedagógico Acrescido. Disciplinas: Apoio Psicológico Outros Apoios. Quais? 7. COMPORTAMENTO / RELACIONAMENTO INTERPESSOAL NA ESCOLA 8. PROBLEMAS E NECESSIDADES EVIDENCIADAS DURANTE O PERCURSO ESCOLAR 9. POTENCIALIDADES EVIDENCIADAS DURANTE O PERCURSO ESCOLAR FONTE(S) DE INFORMAÇÃO 3

5 III - CARACTERIZAÇÃO DA SITUAÇÃO PERANTE O TRABALHO 1. TRABALHA Sim Não (Se não, passar para o grupo IV) 1.1 a. Trabalha em casa (trabalhos domésticos em excesso) 1.2 b. Trabalha para a família, numa empresa familiar (restaurante, café, exploração agrícola, etc) trabalho familiar não remunerado c. Trabalha para outra pessoa/empresa (Trabalho por conta de outrem) Sector de actividade (agricultura, alojamento e restauração, comércio, construção civil, indústria, etc): FONTE(S) DE INFORMAÇÃO IV - CARACTERIZAÇÃO DA SITUAÇÃO INDIVIDUAL 1. CARACTERÍSTICAS INDIVIDUAIS DO JOVEM 2. SAÚDE (FÍSICA E PSICOLÓGICA) 3. RELACIONAMENTO SOCIAL 4. ROTINAS, ACTIVIDADES E COMPORTAMENTOS 5. EXPECTATIVAS DO JOVEM PARA O FUTURO EM RELAÇÃO A: 4

6 EDUCAÇÃO / FORMAÇÃO TRABALHO OUTROS OBSERVAÇÕES: FONTE(S) DE INFORMAÇÃO 1. COMPOSIÇÃO DO AGREGADO FAMILIAR V - CARACTERIZAÇÃO DO AGREGADO FAMILIAR Nome Parentesco Idade Escolaridade Situação face ao trabalho (trabalha/ desempregado/inactivo) Profissão Sector de actividade OBSERVAÇÕES 2. SAÚDE DO AGREGADO 5

7 DESCRIÇÃO - PROBLEMAS DE SAÚDE RELEVANTES NO AGREGADO SIM NÃO 3. SITUAÇÕES DE CARÊNCIA E/OU DIFICULDADES OBSERVADAS NA FAMÍLIA: ECONÓMICA HABITACIONAL ALIMENTAR HIGIENE OUTRAS. QUAIS? 4. RELAÇÃO DA FAMÍLIA COM O JOVEM 5. EXPECTATIVAS DA FAMÍLIA FACE AO FUTURO DO JOVEM 6. EXISTÊNCIA DE MEDIDAS DA CPCJ (NÃO JUDICIAIS) OU DE TRIBUNAL (JUDICIAIS) Lei nº 147/99 de 1 Set. Lei de protecção de crianças e jovens em perigo Medida aplicada por: CPCJ de Tribunal de Com EMAT Lei nº 166/99 de 14 Set. Lei Tutelar Educativa Medidas aplicadas: por: Tribunal de Com DGRS Outras (processo penal, p.e.) Medidas aplicadas: por: Tribunal de 6

8 7. SITUAÇÃO A SER ACOMPANHADA POR OUTROS SERVIÇOS E ENTIDADES NOME DO TÉCNICO CONTACTOS NATUREZA E MOTIVO DO APOIO SERVIÇO DE ACÇÃO SOCIAL SEGURANÇA SOCIAL RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO EQUIPA DE ASSESSORIA AO TRIBUNAL COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS DIRECÇÃO GERAL DE REINSERÇÃO SOCIAL TRIBUNAL ÁREA DA SAÚDE MENTAL OUTRO QUAL? 7

9 OBSERVAÇÕES FONTE(S) DE INFORMAÇÃO OUTRAS INFORMAÇÕES RELEVANTES 8

10 REGISTO DE CONTACTOS ESTABELECIDOS Data Tipo de contacto/ objectivos / resultados / pessoas envolvidas 9

11 B - DIAGNÓSTICO FRAGILIDADES/NECESSIDADES IDENTIFICADAS 1 PERCURSO ESCOLAR 2 CARACTERÍSTICAS INDIVIDUAIS DO JOVEM 3 ENQUADRAMENTO SÓCIO FAMILIAR DO JOVEM 10

12 C. PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 1. DISPOSITIVO DE EDUCAÇÃO / FORMAÇÃO Para conclusão da Escolaridade Obrigatória: 1º ciclo 2º ciclo 3ºciclo Secundário ENSINO REGULAR APOIOS ESPECIALIZADOS / ENSINO ESPECIAL (Decreto-Lei nº.3/2008 de 7 Janeiro) PERCURSO CURRICULAR ALTERNATIVO (Despacho normativo n.º1/2006 de 6 Janeiro) CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO PARA JOVENS (Despacho conjunto n.º453/2004 de 27 julho e rectificação n.º1673/2004) CURSO DO SISTEMA DE APRENDIZAGEM (Portaria n,º1497/2008, de 19 de Dezembro) PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS E INCAPACIDADES (Decreto-Lei n.º 396/2007, de 31 de Dezembro e Portaria n.º 781/2009 de 23 de Julho) CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS (Despacho Conjunto n.º 650/2001 de 20 de Julho, Despacho n.º 26401/2006 de 29 de Dezembro e Portarias 817/2007 de 27 de Julho e 230/2008 de 7 de Março) NOVAS OPORTUNIDADES CENTRO RESPONSÁVEL CURSO DE ALFABETIZAÇÃO PARA ESTRANGEIROS GRUPO-TURMA PROGRAMA INTEGRADO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO PIEF (Despacho Conjunto 948/2003, de 26 de Setembro) PLANO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO PEF (Despacho Conjunto 948/2003, de 26 de Setembro) noutra modalidade de educação e formação OBSERVAÇÕES 11

13 2. APOIO E ACOMPANHAMENTO INDIVIDUAL Ensino diferenciado e individualizado Integração em Actividades Extracurriculares / Ocupação dos tempos livres Apoio da Acção Social Escolar Desenvolvimento Vocacional e Orientação Profissional Actividades de desenvolvimento de competências pessoais e sociais Apoio e Acompanhamento técnico Psicossocial e de Saúde Psicológico/psiquiátrico Tutor Médico Outros, quais? 3. APOIOS À FAMÍLIA Rendimento Social de Inserção (RSI) Subsídio de carência social: Apoio Alimentar Apoios económicos diversos Disponibilização de respostas sociais: ATL Ama/creche Outras Ajudas técnicas (só para pessoas com deficiência) Apoio técnico para: Desenvolvimento de competências parentais Outro. Qual? DATA DE DE 20. OS TÉCNICOS DA EM/ GIPS 12

DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO

DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO Apresentação do Projecto Escola E.B 2,3 Passos José OBJECTIVOS GERAIS Fomentar a integração dos alunos no contexto escolar, promovendo o sucesso educativo Agir preventiva

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO (INCLUINDO ALTERAÇÃO): COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO

GRUPO DE TRABALHO (INCLUINDO ALTERAÇÃO): COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO GRUPO DE TRABALHO (INCLUINDO ALTERAÇÃO): COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO Índice: DIAGNÓSTICO... 51 OBJECTIVO GERAL: PROMOVER OS DIREITOS DA CRIANÇA JUNTO

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO REDE SOCIAL MIRANDELA SISTEMA DE INFORMAÇÃO

SISTEMA DE INFORMAÇÃO REDE SOCIAL MIRANDELA SISTEMA DE INFORMAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 TERRITÓRIO Número de Freguesias Tipologia das Freguesias (urbano, rural, semi urbano) Área Total das Freguesias Cidades Estatísticas Total (2001, 2008, 2009) Freguesias Área Média

Leia mais

Base de dados I. Questionário de levantamento de recursos institucionais/ 2009

Base de dados I. Questionário de levantamento de recursos institucionais/ 2009 Base de dados I Nº de referência da instituição Nº de registo Questionário de levantamento de recursos institucionais/ 2009 Este questionário tem como objectivo proceder à actualização do Diagnóstico Social,

Leia mais

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO DECRETO-LEI Nº190/1991 DE 17 MAIO DECRETO-LEI Nº300/1997 DE 31 OUTUBRO / PORTARIA Nº 63 / 2001 DE 30 DE JANEIRO A escola e seus actores Agrupamento de Escolas de

Leia mais

Avaliação de Desempenho. Orientações aos relatores

Avaliação de Desempenho. Orientações aos relatores Avaliação de Desempenho Orientações aos relatores 1. Referenciais de avaliação 1.1. Legislação 1. Referenciais de avaliação 1.2. Referentes internos: a. Projeto Educativo do Agrupamento, b. Projeto Curricular

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL. DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL. DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura (APRESENTAR ORIGINAIS E ENTREGAR FOTOCÓPIAS DE TODOS OS DOCUMENTOS) B.I./ C.C./Cédula

Leia mais

Apresentação Programa TEIP3

Apresentação Programa TEIP3 Apresentação Programa TEIP3 Programa TEIP O Programa TEIP visa estabelecer condições para a promoção do sucesso educativo de todos os alunos e, em particular, das crianças e dos jovens que se encontram

Leia mais

3,11% 3,03% 2,82% 2,76% 2,56% 1,92% 1,62% 1,52% 1,48% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00%

3,11% 3,03% 2,82% 2,76% 2,56% 1,92% 1,62% 1,52% 1,48% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00% Problemáticas Especificas e Respostas Sociais Famílias e comunidade Rendimento Social de Inserção População Beneficiária de RSI (%) Barreiro Montijo Almada Setúbal Peninsula de Setúbal Portugal Continental

Leia mais

Calendário de matrículas

Calendário de matrículas Calendário de matrículas 18 de abril a 20 de junho Horário 2ª, 3ª,5ª e 6ª feira das 9h:30m às 11h:00m das 14h:00m às 16h:00m (4ª feira das 9h:30m às 11h:00m) DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA/DISPONIBILIZADA: 1

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO Estabelecimentos de Educação Pré-escolar Monte Abraão e Monte Abraão 2

FICHA DE INSCRIÇÃO Estabelecimentos de Educação Pré-escolar Monte Abraão e Monte Abraão 2 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS RUY BELO Nº Processo: FICHA DE INSCRIÇÃO Estabelecimentos de Educação Pré-escolar Monte Abraão e Monte Abraão 2 Rubrica do Encarregado de Educação Inscrição em / / Admissão em /

Leia mais

Programa Educativo Individual

Programa Educativo Individual Programa Educativo Individual Ano Lectivo 2007/2008 Estabelecimento de Ensino: Escola Básica do 1º ciclo Agrupamento de Escolas: Agrupamento de Escolas Pedro Eanes Lobato Nome: Data de Nascimento: Morada:

Leia mais

FICHA DE PRÉ-INSCRIÇÃO MOD.091/1 / / DATA EFECTIVA DE ENTRADA:. / /20 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CRIANÇA CRECHE PRÉ-ESCOLAR.

FICHA DE PRÉ-INSCRIÇÃO MOD.091/1 / / DATA EFECTIVA DE ENTRADA:. / /20 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CRIANÇA CRECHE PRÉ-ESCOLAR. DATA DE PRÉ-INSCRIÇÃO:. / /20 DATA PREVISTA DE ENTRADA:. / /20 DATA EFECTIVA DE ENTRADA:. / /20 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CRIANÇA CRECHE PRÉ-ESCOLAR Nome: Data de Nascimento: / / Idade: 2. FILIAÇÃO

Leia mais

Currículo Específico Individual (CEI) 20 /20

Currículo Específico Individual (CEI) 20 /20 Programa Educativo Individualizado Cap. III, Art.º 8.º do Decreto-Lei 3/2008 de 7 de janeiro Currículo Específico Individual (CEI) Cap. IV, art.º. 21º, decreto-lei 3/2008, de 7 de janeiro 20 /20 1 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho

Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho ESCOLA BÁSICA E INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO Ano Letivo 2016/2017 PLANIFICAÇÃO Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho PROFIJ Nível II, Tipo 2 2ºano Curso Operador de Informática ENQUADRAMENTO LEGAL Portaria

Leia mais

*Preenchimento facultativo Mod G Atualizado e aprovado a Página 1 de 8. Mod G - FICHA DE INSCRIÇÃO PROCESSO Nº

*Preenchimento facultativo Mod G Atualizado e aprovado a Página 1 de 8. Mod G - FICHA DE INSCRIÇÃO PROCESSO Nº Mod.21.002.G - FICHA DE INSCRIÇÃO PROCESSO Nº CRECHE PRÉ-ESCOLAR CATL Data da Inscrição / / Anulação da inscrição / / Ass. E.E. Admitido em / / Ass. E.E. Saído em / / Ass. E.E. Anulação da frequência /

Leia mais

Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho

Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho ESCOLA BÁSICA E INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO Ano Letivo 2016/2017 PLANIFICAÇÃO Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho PROFIJ Nível II, Tipo 2 1ºano Curso Acompanhante de Crianças ENQUADRAMENTO LEGAL

Leia mais

II ENCONTROS REGIONAIS DA EDUCAÇÃO

II ENCONTROS REGIONAIS DA EDUCAÇÃO II ENCONTROS REGIONAIS DA EDUCAÇÃO OFERTA CURRICULAR NO ENSINO BÁSICO PCA E PIEF EPIPSE Equipa de Projetos de Inclusão e Promoção do Sucesso Educativo OFERTA CURRICULAR Ensino Básico MEDIDAS TRANSVERSAIS

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES (90 horas)

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES (90 horas) FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES (90 horas) DESTINATÁRIOS: O curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores da SALSUS destina-se a 14 formandos por grupo, sendo que deverá cumprir as seguintes

Leia mais

GUIA PRÁTICO RESPOSTAS SOCIAIS INFÂNCIA E JUVENTUDE CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO

GUIA PRÁTICO RESPOSTAS SOCIAIS INFÂNCIA E JUVENTUDE CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO Manual de GUIA PRÁTICO RESPOSTAS SOCIAIS INFÂNCIA E JUVENTUDE CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia

Leia mais

Actividades de dinamização social e melhoria da qualidade de vida

Actividades de dinamização social e melhoria da qualidade de vida Actividades de dinamização social e melhoria da qualidade de vida O EXEMPLO DA CÂMARA MUNICIPAL DE VALONGO EUNICE NEVES OBJECTIVOS Igualdade Direitos Humanos Cidadania Activa e Inclusiva Conciliação Novas

Leia mais

Sistema Educativo Português 2011/2012

Sistema Educativo Português 2011/2012 Sistema Educativo Português 011/01 Objectivos Promover a auto - exploração (interesses, capacidades e valores profissionais) Auto Conhecimento; Explorar o Mundo das Profissões; Explorar as oportunidades

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MONCHIQUE FORMULÁRIO DE CANDIDATURA

CÂMARA MUNICIPAL DE MONCHIQUE FORMULÁRIO DE CANDIDATURA CÂMARA MUNICIPAL DE MONCHIQUE FORMULÁRIO DE CANDIDATURA CONCESSÃO DE APOIO A ESTRUTURAS SOCIAIS DESFAVORECIDAS OU DEPENDENTES (Modelo A1) No âmbito da alínea c) do artº 64 do DL 169/99 de 18 de Setembro

Leia mais

Promover condições de empregabilidade das pessoas com deficiências e incapacidades, visando a consagração do direito de exercício pleno da cidadania.

Promover condições de empregabilidade das pessoas com deficiências e incapacidades, visando a consagração do direito de exercício pleno da cidadania. Formação Profissional para Pessoas ou Grupos com Necessidades Especiais Práticas do Centro de Reabilitação Profissional da CERCIPENICHE Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de

Leia mais

Disposições Específicas para Alunos com Necessidades Educativas Especiais da Universidade do Porto.

Disposições Específicas para Alunos com Necessidades Educativas Especiais da Universidade do Porto. 1 Disposições Específicas para Alunos com Necessidades Educativas Especiais da Universidade do Porto. I Preâmbulo. O Regulamento do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior Público, definido anualmente

Leia mais

Frequenta ou já frequentou algum projeto financiado pelo Programa Escolhas? Sim Não Se respondeu sim, indique o nome do projeto:

Frequenta ou já frequentou algum projeto financiado pelo Programa Escolhas? Sim Não Se respondeu sim, indique o nome do projeto: FORMULÁRIO DE CANDIDATURA Atribuição de Bolsas de Estudo a alunos(as) do Ensino Superior Ano letivo 2016/2017 1. IDENTIFICAÇÃO DO(A) CANDIDATO(A) 1.1. Dados Pessoais Nome Completo Data de Nascimento /

Leia mais

GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR

GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR Manual de GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Acolhimento Familiar (33 V4.02) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

CANDIDATURA A BOLSA DE ESTUDO

CANDIDATURA A BOLSA DE ESTUDO Ex. mo Sr. Presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova I - IDENTIFICAÇÃO E RESIDÊNCIA BI/Cartão do Cidadão NIF E-mail Data de Nascimento NIB Estado Civil Naturalidade Sexo Filiação do Cônjuge (Se

Leia mais

DOCUMENTOS PARA A INSCRIÇÃO/RENOVAÇÃO/MATRÍCULA (PARA RENOVAÇÕES ENTREGAR OS DOCUMENTOS ASSINALADOS COM *)

DOCUMENTOS PARA A INSCRIÇÃO/RENOVAÇÃO/MATRÍCULA (PARA RENOVAÇÕES ENTREGAR OS DOCUMENTOS ASSINALADOS COM *) CRIANÇA Liga dos Amigos da Quinta do Conde Ano letivo / DOCUMENTOS PARA A INSCRIÇÃO/RENOVAÇÃO/MATRÍCULA (PARA RENOVAÇÕES ENTREGAR OS DOCUMENTOS ASSINALADOS COM *) Fotocópia do C.C. /Cédula ou outro documento

Leia mais

Quadro 1: Listagem dos instrumentos de recolha de informação por Comissão de Protecção

Quadro 1: Listagem dos instrumentos de recolha de informação por Comissão de Protecção Anexo V - Algarve (215-232) 03.10.02 16:25 Página 215 Quadro 1: Listagem dos instrumentos de recolha de informação por Comissão de Protecção REGIÃO DISTRITO CONCELHO CPCJ Envio CPCJ Relatórios Envio Ficha

Leia mais

PLANO DE AÇÃO TUTORIAL

PLANO DE AÇÃO TUTORIAL PLANO DE AÇÃO TUTORIAL 2013/ 2014 agrupamentodeescolasdagafanhadaencarnação Índice ÍNDICE... 2 I. INTRODUÇÃO... 3 II. OBJECTIVOS GERAIS... 4 III. PÚBLICO-ALVO... 4 IV. PLANO DE TUTORIA... 4 V. PERFIL DO

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Santo António

Agrupamento de Escolas de Santo António Matrículas 2016/2017 Educação pré-escolar Prazo de inscrição: 18/04/2016 a 22/06/2016 Idade dos alunos a inscrever: 6,5,4 anos e 3 anos completos até 15 de setembro de 2016. A matrícula de crianças, na

Leia mais

EIXO I ATRACTIVIDADE TERRITORIAL

EIXO I ATRACTIVIDADE TERRITORIAL Plano de Acção para 2007 1 Um Plano de Acção, mais do que um documento, pretende-se que seja um instrumento de trabalho manuseável, flexível, ajustável à realidade e útil. Neste sentido, considerou-se

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V Ensino Básico 2º Ciclo CIÊNCIAS NATURAIS Peso na Avaliação Final Testes de avaliação e/ou outros trabalhos escritos; Aquisição de conhecimentos; Domínio da Língua Portuguesa ao nível da expressão oral

Leia mais

Necessidades Educativas Especiais

Necessidades Educativas Especiais Pré-Escolar Documentos Úteis Ensino Básico Sites Úteis Ensino Secundário Bibliografia Útil Intervenção Precoce Glossário Necessidades Educativas Especiais Outros Pré-Escolar Lei de Bases do Sistema Educativo

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA COMUNIDADE ESCOLAR. Ano Letivo 2015/2016 EPRM ESCOLA PROFISSIONAL DE RIO MAIOR, LDA., EM

CARACTERIZAÇÃO DA COMUNIDADE ESCOLAR. Ano Letivo 2015/2016 EPRM ESCOLA PROFISSIONAL DE RIO MAIOR, LDA., EM CARACTERIZAÇÃO DA COMUNIDADE ESCOLAR Ano Letivo 215/216 RL.FIJ.1. 1/1 ANO LETIVO 215/216 INDICE 1. ENQUADRAMENTO... 3 2. ALUNOS... 4 2.1. Género... 4 2.2. Distribuição pelas Idades... 4 2.3. Proveniência

Leia mais

Data de nascimento Sexo: Masculino Feminino

Data de nascimento Sexo: Masculino Feminino FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO Carreira Categoria

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas de Fajões 2014-2015 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas de Fajões

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social

Plano de Desenvolvimento Social Plano de Desenvolvimento Social 65 6. Planear para Intervir Objectivos e Estratégias Numa fase seguinte, após a consequente identificação das vulnerabilidades concelhias /eixos estratégicos de intervenção

Leia mais

ESTABELECIMENTO - MODIFICAÇÃO

ESTABELECIMENTO - MODIFICAÇÃO TIPO DE MODIFICAÇÃO Ampliação ou redução da área de venda ou de armazenagem Categoria de produtos comercializados Domicílio fiscal Método de venda Modalidade de venda Nome ou insígnia N.º de máquinas em

Leia mais

LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA

LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VERGÍLIO FERREIRA LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA Autonomia Avaliação externa dos estabelecimentos de educação e ensino Delegação de competências Professor bibliotecário Manuais escolares

Leia mais

CAPÍTULO I ÂMBITO E DEFINIÇÃO. Artigo 1.º

CAPÍTULO I ÂMBITO E DEFINIÇÃO. Artigo 1.º Regulamento de Formação em Contexto de Trabalho (FCT) CAPÍTULO I ÂMBITO E DEFINIÇÃO Artigo 1.º A FCT é um conjunto de atividades profissionais desenvolvidas sob a coordenação e acompanhamento da escola,

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO 2007-201 Apresentação da Proposta ÍNDICE 1 O PROBLEMA 2 A ESTRATÉGIA 4 PLANO DE FINANCIAMENTO 1 1 O PROBLEMA Taxa de emprego Emprego em média e alta tecnologia

Leia mais

Plano de Acção 2006/2007. Rede Social Concelho da Lourinhã

Plano de Acção 2006/2007. Rede Social Concelho da Lourinhã Plano de Acção 2006/2007 Rede Social Concelho da Lourinhã E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos EIXO I : INTERVENÇÃO DIRIGIDA A GRUPOS ESPECIFICOS OBJECTIVO GERAL: Até Dezembro de 2007 existem

Leia mais

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ANDRÉ DE GOUVEIA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO outubro

Leia mais

Critérios de Avaliação. Departamento de Expressões

Critérios de Avaliação. Departamento de Expressões Critérios de Avaliação Departamento de Expressões 2015/2016 5.º ano Disciplina Educação Visual instrumental 60% Trabalhos realizados de acordo com a planificação da disciplina Interesse e empenho 10% Comportamento/adequação

Leia mais

O PERCURSO DE UM ALUNO COM SINDROME DE ASPERGER NO ENSINO TÉCNICO EM UMA PERSPECTIVA INTERDISCIPLINAR

O PERCURSO DE UM ALUNO COM SINDROME DE ASPERGER NO ENSINO TÉCNICO EM UMA PERSPECTIVA INTERDISCIPLINAR O PERCURSO DE UM ALUNO COM SINDROME DE ASPERGER NO ENSINO TÉCNICO EM UMA PERSPECTIVA INTERDISCIPLINAR Paulo Osni Silverio Universidade de Taubaté Cibele Sales da Silva IFSP Campus Suzano Rita Schlinz Universidade

Leia mais

Paula Cristina Pereira de Azevedo Pamplona Ramos, casada, nascida a , na freguesia de Nossa Senhora da Conceição, Angra do Heroísmo.

Paula Cristina Pereira de Azevedo Pamplona Ramos, casada, nascida a , na freguesia de Nossa Senhora da Conceição, Angra do Heroísmo. NOTA BIOGRÁFICA. 1 - Dados Pessoais Paula Cristina Pereira de Azevedo Pamplona Ramos, casada, nascida a 23-08- 1967, na freguesia de Nossa Senhora da Conceição, Angra do 2 - Habilitações Literárias Ensino

Leia mais

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO CENTRO DE DIA

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO CENTRO DE DIA CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO CENTRO DE DIA Artigo 1º Definição 1. O Centro Social Paroquial de Oeiras com sede na Igreja Matriz de Oeiras, é uma Instituição Particular de Solidariedade

Leia mais

Circular nº04/ Incidência da Comparticipação Crianças com idades compreendidas entre os 0 e os 5 anos:

Circular nº04/ Incidência da Comparticipação Crianças com idades compreendidas entre os 0 e os 5 anos: Circular nº04/2012 Assunto: COMPARTICIPAÇÃO DAS DESPESAS DE EDUCAÇÃO PARA O ANO LECTIVO DE 2012/2013 (Creches, Infantários, Componente de Apoio à Família e Actividades de Tempos Livres) Caro Associado:

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO Carreira Categoria

Leia mais

2008 Concelho de Ourique

2008 Concelho de Ourique Plano de Acção 2008 Concelho de Rede Social Programa Rede Social Conselho Local de Acção Social de Janeiro 2008 Ficha Técnica Título: Plano de Acção 2008 do Concelho de Autoria: Núcleo Executivo da Rede

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO 2014-2015 1. Enquadramento. O Plano Estratégico apresentado para o ano letivo 2014-2015 e elaborado nos termos do

Leia mais

MUNICÍPIO DE BRAGANÇA FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

MUNICÍPIO DE BRAGANÇA FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO Carreira Categoria

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação ÍNDICE Introdução 3 A A avaliação na educação pré-escolar 3 1 Intervenientes 3 2 Modalidades da avaliação 3 3 Critérios de avaliação 3 4 Ponderação 4 B A avaliação no ensino

Leia mais

Boletim de Matrícula

Boletim de Matrícula Ano Letivo 2016/2017 Agrupamento / Escola: Localidade: Vai frequentar: Pré-escolar Boletim de Matrícula Estabelecimento de Ensino a Frequentar 1º ano do 1º Ciclo AP Pré-Escolar / 1ºAno do 1ºCiclo Inscrição

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2016/2017 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO Enquadramento Normativo Avaliar o processo e os efeitos, implica

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR DELIBERAÇÃO

COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR DELIBERAÇÃO DELIBERAÇÃO Ao abrigo do disposto no n.º 1 do artigo 21.º do Decreto-Lei n.º 296-A/98, de 25 de Setembro, alterado pelos Decretos-Lei n. os 99/99, de 30 de Março, 26/2003, de 7 de Fevereiro, 76/2004, de

Leia mais

Documento de critérios de avaliação

Documento de critérios de avaliação Disciplina - PORTUGUÊS Metas curriculares (Despacho n.º 5122/2013, de 16 de abril) As Metas Curriculares identificam a aprendizagem essencial a realizar, tendo por base os conteúdos do programa em vigor.

Leia mais

Plano de Melhoria

Plano de Melhoria Plano de Melhoria 1 Enquadramento O presente Plano de Melhoria resulta, simultaneamente, das orientações emanadas da Inspeção-Geral da Educação e Ciência, que assentam nas sugestões do Conselho Nacional

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato A preencher pela entidade empregadora CARACTERIZAÇÃO DO

Leia mais

TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA

TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA CAMPOS DE ANÁLISE DE DESEMPENHO Como elemento fundamental de preparação da avaliação, solicita-se a cada escola 1 em processo de avaliação que elabore um texto que:

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo A avaliação, como parte integrante do processo de ensino/ aprendizagem, deverá ter em conta: Os programas e as metas curriculares em vigor para o 1º ciclo;

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE BAGUIM DO MONTE

JUNTA DE FREGUESIA DE BAGUIM DO MONTE FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Publicitação do procedimento D.R. Nº de / / Código

Leia mais

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS - PESSOAS COM DOENÇA DO FORO MENTAL OU PSIQUIÁTRICO

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS - PESSOAS COM DOENÇA DO FORO MENTAL OU PSIQUIÁTRICO Manual de GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS - PESSOAS COM DOENÇA DO FORO MENTAL OU PSIQUIÁTRICO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/7 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Apoios

Leia mais

COLÉGIO DE ALBERGARIA REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS

COLÉGIO DE ALBERGARIA REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS 1. INTRODUÇÃO De acordo com o Projecto Educativo do Colégio de Albergaria e a legislação em vigor sobre a avaliação das aprendizagens dos alunos nos vários

Leia mais

PLANO DE ORGANIZAÇÃO DA ACTIVIDADE LECTIVA. Alda Amaro Dr. João Paulo Trigueiros Expressões Artes Visuais (600)

PLANO DE ORGANIZAÇÃO DA ACTIVIDADE LECTIVA. Alda Amaro Dr. João Paulo Trigueiros Expressões Artes Visuais (600) Direcção Regional de Educação do Centro AULA ASSISTIDA Nº 16 PRÁTICA DE ENSINO SUPERVISIONADA EM ARTES VISUAIS ANO LECTIVO 2011/2012 PLANO DE ORGANIZAÇÃO DA ACTIVIDADE LECTIVA IDENTIFICAÇÃO PROFESSOR ESTAGIÁRIO

Leia mais

Escola Secundária com o 3º ciclo do Ensino Básico de Valpaços CONTRADITÓRIO

Escola Secundária com o 3º ciclo do Ensino Básico de Valpaços CONTRADITÓRIO CONTRADITÓRIO 1.RESULTADOS É excluído por omissão o que foi escrito no documento de apresentação, no que concerne ao Contexto e caracterização da Escola, e proferido em reunião do painel do Conselho Executivo,

Leia mais

A Parceria CPCJ e Escolas na Garantia dos Direitos das Crianças

A Parceria CPCJ e Escolas na Garantia dos Direitos das Crianças A Parceria CPCJ e Escolas na Garantia dos Direitos das Crianças Setembro 2014 NENHUMA ESCOLA PODE SER UMA BOA ESCOLA A NÃO SER QUE SEJA UMA ESCOLA SEGURA E PROTETORA. Pressupostos gerais O reconhecimento

Leia mais

Nenhum a Menos: Integração de um Povo que viveu debaixo das Estrelas... Comunicação Maria Helena Carvalho Dias Pereira

Nenhum a Menos: Integração de um Povo que viveu debaixo das Estrelas... Comunicação Maria Helena Carvalho Dias Pereira Nenhum a Menos: Integração de um Povo que viveu debaixo das Estrelas... Comunicação Maria Helena Carvalho Dias Pereira Nenhum a Menos: Integração de um Povo que viveu debaixo das Estrelas Objectivo da

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOURÃO - Ano Letivo 2015/ 2016 PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES ( ) Eixo I - APOIO À MELHORIA DAS APRENDIZAGENS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOURÃO - Ano Letivo 2015/ 2016 PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES ( ) Eixo I - APOIO À MELHORIA DAS APRENDIZAGENS PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES (2015-2017) Eixo I - APOIO À MELHORIA DAS APRENDIZAGENS Designação da Ativida Calendarização Dinamizadores Público Alvo Oficina Gramática e leitura Oficina da escrita Plano

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA A melhoria da eficácia da resposta educativa decorre de uma articulação coerente entre: Projeto Educativo Currículo Plano de Turma Assim, o Plano de Turma, assume a forma

Leia mais

INFORMAÇÃO PESSOAL. Teresa Isabel Oliveira Neto

INFORMAÇÃO PESSOAL. Teresa Isabel Oliveira Neto M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Teresa Isabel Oliveira Neto Morada Rua 25 de Abril, 21 Casais Lagartos, 2070-366 Pontével Telefone 966384535 Correio

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código de publicitação do procedimento Código de candidato (A preencher pela entidade empregadora) CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente.

Leia mais

Iniciativa Novas Oportunidades. Julho de Av. 24 de Julho, nº Lisboa Telf.: Fax:

Iniciativa Novas Oportunidades. Julho de Av. 24 de Julho, nº Lisboa Telf.: Fax: Iniciativa Novas Oportunidades Julho de 2010 1 Índice A. Iniciativa Novas Oportunidades...3 B. A rede nacional de Centros Novas Oportunidades...4 C. Protocolos de cooperação no âmbito da Iniciativa Novas

Leia mais

PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE

PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE Ano lectivo 2009/2010 PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE Equipa: Ana Luísa Leal António Sousa Célia Oliveira Justa Costa PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE 1º PERÍODO ÁREA de INTERVENÇÃO- HÁBITOS ALIMENTARES DEFICITÁRIOS

Leia mais

MODELO DE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE. 9 de Janeiro de

MODELO DE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE. 9 de Janeiro de MODELO DE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE 9 de Janeiro de 2010 1 Modelo CRITÉRIOS RIOS MEIOS CRITÉRIO 1. LIDERANÇA, PLANEAMENTO E ESTRATÉGIA Como a gestão desenvolve e prossegue a missão, a visão e os valores da

Leia mais

Estratégias para a Saúde

Estratégias para a Saúde Estratégias para a Saúde V.1) Cadernos do PNS Acções e Recomendações Promoção da Cidadania em Saúde (Versão Discussão) ESTRATÉGIAS PARA A SAÚDE V.1) CADERNOS DO PNS - ACÇÕES E RECOMENDAÇÕES PROMOÇÃO DA

Leia mais

Acção Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico. Normas de Funcionamento

Acção Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico. Normas de Funcionamento Acção Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Normas de Funcionamento Nota justificativa As recentes alterações legislativas e de procedimentos verificadas no âmbito da acção social escolar, nomeadamente

Leia mais

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Actividade Formativa - Intervenção Comunitária Data 13 e 14 de Maio de 2009 Local Auditório do Edifício Cultural Município de Peniche Participação:

Leia mais

Fernando Luís de Sousa Correia (Correia, F.)

Fernando Luís de Sousa Correia (Correia, F.) Fernando Luís de Sousa Correia (Correia, F.) Atividades pedagógicas anteriores mais relevantes para a apreciação das capacidades nesse domínio, quando aplicável Universidade da Madeira 2016 A minha experiência

Leia mais

ENCONTRO SUCESSO NA DIFERENÇA COOPERATIVA DE EDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO DE CIDADÃOS INADAPTADOS DE CASCAIS

ENCONTRO SUCESSO NA DIFERENÇA COOPERATIVA DE EDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO DE CIDADÃOS INADAPTADOS DE CASCAIS ENCONTRO SUCESSO NA DIFERENÇA 15-03-2012 COOPERATIVA DE EDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO DE CIDADÃOS INADAPTADOS DE CASCAIS PERCURSOS DE INSERÇÃO MISSÃO A CERCICA existe para promover, de forma sustentada e num

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Referência a que se candidata 1 Código de candidato A preencher pela entidade

Leia mais

Melhorar as aprendizagens e consolidar conhecimentos. Colmatar as dificuldades ao nível da compreensão oral e escrita.

Melhorar as aprendizagens e consolidar conhecimentos. Colmatar as dificuldades ao nível da compreensão oral e escrita. Escola Secundária Abel Salazar Sala de Estudo DEFINIÇÃO Pretende-se que a Sala de Estudo seja um espaço com um ambiente educativo diferente daquele a que o aluno está habituado a vivenciar nas áreas curriculares

Leia mais

C URRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL EXPERIÊNCIA GUIMARÃES PORTUGAL. Solteira.

C URRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL EXPERIÊNCIA GUIMARÃES PORTUGAL. Solteira. C URRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Nome ANDREIA SOFIA MIRANDA SOARES. Morada RUA DOS MÁRTIRES, Nº 742, 2º DIREITO AZURÉM, 4810-054 GUIMARÃES PORTUGAL. Telefone 253513750 / 965619858. Bilhete de Identidade

Leia mais

Portaria Conjunta CENP/COGSP/ CEI, de

Portaria Conjunta CENP/COGSP/ CEI, de Portaria Conjunta CENP/COGSP/ CEI, de 6 7 2009 Dispõe sobre a Terminalidade Escolar Específica de alunos com necessidades educacionais especiais na área da deficiência mental, das escolas da rede estadual

Leia mais

Marques Fernandes, Fernando Manuel Quaresma Coelho

Marques Fernandes, Fernando Manuel Quaresma Coelho INFORMAÇÃO PESSOAL Marques Fernandes, Fernando Manuel Quaresma Coelho Sexo Masculino Data de nascimento 21/10/1967 Nacionalidade Português ÁREA FUNCIONAL De 22/10/2013 VEREADOR DA CÂMARA MUNICIPAL DE PONTA

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO Carreira Categoria

Leia mais

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS ESTRUTURA PROGRAMÁTICA DO CURSO MÓDULOS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Acolhimento dos formandos e Apresentação do Curso A entidade formadora;

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação Ano letivo 204-205 ESCOLA LUÍS MADUREIRA PRÍNCIPIOS QUE REGULAM A AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS A avaliação tem uma vertente contínua e sistemática e fornece ao professor, ao

Leia mais

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES REGULAMENTO INTERNO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES JANEIRO 2014 Índice Capítulo I... 1 Disposições Gerais... 1 Introdução... 1 Artigo 1.º --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança

Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança Breve Enquadramento O Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança constitui o resultado do Projeto Tecer a, promovido pela Comissão Nacional de Promoção

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 512/X APOIOS À PERMANÊNCIA E INTEGRAÇÃO NA FAMÍLIA DE IDOSOS E PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 512/X APOIOS À PERMANÊNCIA E INTEGRAÇÃO NA FAMÍLIA DE IDOSOS E PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 512/X APOIOS À PERMANÊNCIA E INTEGRAÇÃO NA FAMÍLIA DE IDOSOS E PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA Exposição de motivos A sociedade moderna tem por obrigação fornecer os instrumentos

Leia mais

Designação do Projeto: Divida Zero

Designação do Projeto: Divida Zero Designação do Projeto: Divida Zero Objetivo Geral C5 (PDS) Objetivos Prevenir e apoiar situações de sobre endividamento pessoal e social. Reduzir o peso percentual de utentes com processos em anos anteriores.

Leia mais

NORMAS DE APOIO ÀS FAMÍLIAS PARA FREQUÊNCIA DOS CENTROS DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES, NO ÂMBITO DA AÇÃO SOCIAL

NORMAS DE APOIO ÀS FAMÍLIAS PARA FREQUÊNCIA DOS CENTROS DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES, NO ÂMBITO DA AÇÃO SOCIAL NORMAS DE APOIO ÀS FAMÍLIAS PARA FREQUÊNCIA DOS CENTROS DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES, NO ÂMBITO DA AÇÃO SOCIAL A Câmara Municipal de Sesimbra apoia famílias de contexto socioeconómico fragilizado, através

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS

REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS NOTA JUSTIFICATIVA (art.º 116.º do Código do Procedimento Administrativo) Considerando que: Cada vez mais é imprescindível a intervenção da freguesia no âmbito da Acção Social,

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato 5-2011 CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO Carreira Assistente

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL (PAE) Ações de Permanência 2º semestre de 2016 ANEXO I REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL (PAE) Ações de Permanência 2º semestre de 2016 ANEXO I REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL (PAE) Ações de Permanência 2º semestre de 2016 ANEXO I REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO 1. Identificação do Estudante: Nome: Prontuário: Curso Turma Semestre de Ingresso: Período:

Leia mais

Declaração de Instalação, Modificação e de Encerramento dos Estabelecimentos de Restauração ou de Bebidas

Declaração de Instalação, Modificação e de Encerramento dos Estabelecimentos de Restauração ou de Bebidas Declaração de Instalação, Modificação e de Encerramento dos Estabelecimentos de Restauração ou de Bebidas abrangidos pelo regime instituído pelo Decreto-Lei nº 234/2007, de 19 de Junho Uso exclusivo da

Leia mais