A Revolução da Longevidade: impacto na sociedade, na família e no indivíduo1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Revolução da Longevidade: impacto na sociedade, na família e no indivíduo1"

Transcrição

1 A Rvluçã d Lngvid: impct n scid, n fmíli n indivídu1 Ursul Lhr2 Rs A plstr mnstr s mudnçs mgráfics (lt xpcttiv vid, nt rápi grup ds pss iss), trzn ds d Almnh Singpur, nlisn impct sts ltrçõs d strutur ppulcinl pr mun trblh, bm pr s rlçõs fmilirs. As scids prcism s dptr númr cd vz mir pss iss, prvitn s cpcids ptnciis st grup ppulcinl crin struturs qu tndm ncssids spcífics. A prtir ml crrlçõs ntr lngvid ftrs qu influncim nvlhcimnt sudávl, sã clcds sugstõs m nívl individul, bm lmnt imprtnts pr plític is. Plvrs-chv: lngvid; nvlhcimnt sudávl; mudnçs mgráfics. Abstrct This ppr shws th mgrphic trnds in ppultin chng (high lif xpctncy, incrsing nbr f snirs) with sttistics frm Grmny nd Singpr, which nlyz th ffcts f lngvity chng n th wrking wrld nd n fmily rltinships. Scitis nd t djust t n incrsing nbr f lr ppl by prfiting frm th xprtis nd th ptntils f this prt f th ppultin nd by crting structurs t ttnd t thir spcific nds. A ml f intrcting influncs n lngvity pints ut suggstins fr th individul n hw t gt lr in hlthy wy, nd imprtnt lmnts fr plicy fr th gd r ls shwn. Ky wrds: lngvity; psych-physicl wll-bing; mgrphi trnds. 1 Asscitin Plstr prsntd f Grntlgy, n Pré-Cngrss Singpur, 17 Cngrss gt Mundil Trduçã d Intrntinl McFrln rvisã Jhnns Dll. Mrli R 2 Envlhcimnt, Prf. Dr. Dr. Univrsid Hnris Cus, Hilbrg/Almnh. Dirtr Cntr Almã Psquis sbr Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

2 Intrduçã m t Estm tmp, vivn tnt n indivídu mun qu pdim stá ficn tingir grislh. id Jmis, vnçd. A xpcttiv vid ntu nrmmnt m t tã bém píss urpus, diminuiçã bm n índic m t ntlid. píss Dv-s mun. ist à mlhri Há tm- ds mrn cndiçõs - é tmbém sóci-cnômics influncid vid pl stil prgrss vid. d mdicin ms tmbém Cntu, crscntr nã é smnt vid imprtnt n. Muit crscntr n n trás, à Hns vid, st Schfr, Univrsid rnm spcilist Hilbrg, m firmu: mdicin Ns scil xpcttiv prfssr signific vid pn smnt tmp ns stil vid ms vid. tmbém Expcttiv qulid vid vid; nã nã ms lv m l cnsirçã nvlhcrá. smnt (Schfr, id 1975). qu indivídu trá, nós, A pr trnsfrmçã scid, mgráfic cnmi, é plític sfi s pr ciêncis, cd bm pr fmíli indivídu. Tndêncis mgráfics n mdificçã d ppulçã sus cnsquêncis Almnh, Os spct qu vm rlvnts sr nftizs, n trnsfrmçã sã prsnts d ppulçã sb d sguints sis spct: O nt d xpcttiv vid indivídu Eurp A r xpcttiv 45 n há vid cm n trás; crinç hj, rcém-nscid Almnh, n 72,7 pr hmns 79,2 pr s mulhrs. Em Singpur, é é 74,1 Hj pr s mulhrs hmns 60 n, 78,4 n pr Almnh, s mulhrs. vivr mis 23 n; hmm 60 n, 19 n pm mis. sprr qur dizr qu, pós pntri, indivídu vivrá crc Ist 20 n mis - qurt su vid! 8 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

3 A ppulçã qu stá nvlhcn cm n Estm trás, vivn prcntul n mun pss qu stá ficn 60 n grislh. id Há mis vlhs, n Almnh, r 5%, hj é 21%, m Singpur, u 9%; m 2030, n n qun 2000 srá studnts 26% n Almnh hj frm indivídu 11% m Singpur; s, crc 37% td ppulçã d Almnh trá 60 pnt- id u mis, m Singpur, 26%. n 70, 80, Tmbém huv n id. nt Há n 25 grup n trás, indivídu tínhm mnt 385 cntnári m ns pís; m 1994, ns Prsint s- cngrtulu Frm 582 hmns pss 4020 mulhrs. qu pltrm Pr n , n spr-s u mis. qu tds mis s disciplins indivídu Fculds, tinjm dministrrs cntnári. plític Cintists tmbém nívl trã bm-str discutir psic-físic. qustã d lngvid O qu p bind sr fit pr ssgurr pr ssgurr nvlhcimnt qulid vid sudávl? n vlhic? O qu p sr fit A prprçã ntr difrnts grup tári cim Há bix cm n 75 trás, n n prprçã ns pís r indivídu 1:79; m 1925, id índic r 1:67; m 1936, 1:45; m 1950, 1:35; m 1970, 1:25, m 1994, Tivm 1:14,8; tmbém, n n 2000, nrm srá diminuiçã 8,7; m n 2040, índic 1.6,2. tlid m t píss d Eurp. A Irlnd tm índic n- mis bix, lt 1,17 frtilid, 1,18, sguis 1,87, pl Itáli Almnh Espnh, índic mis nuiçã frtilid n índic 1,24. ntlid. Singpur Fi tmbém muit prsntu bm sucdid n dimi- plític nti-ntl Cm rsult d plític pr su n pr sgun, 2,0. Em sguid, índic vm ttl Tilândi frtilid ciu 2,6, Innési 3,08 m ,3, Mlási 3,6 s Filipins 4,3 (T, 1996, p.270). Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

4 A strutur s lrs rçõs Exist pr frt dus tndênci pr s pssr grçã lr - dqui três pr g- mnh lr tm s três só pss. grçõs Smnt prsnts. 1,1% t lrs n Als 40% D vivm t m indivídu lr só pss 65 n - 63% id ds mulhrs u mis, qu- 75 n id u mis vivm sós. Em Singpur, 85% s s vivm sus fmílis smnt 2% m lrs i- pss. A strutur tmnh lr is é muit difrnt. só dus pss; Em Singpur n Almnh, 17,1% s 86,4%. is 82,9% mrm s m singpurn lrs vivm nh smnt m lrs 13,8%. três Tlvz u mis ist pss, tmbém nqunt s mdifiqu. qu n Dv-s Alm- tr rlizs m mnt, m divrs n ntnt, píss qu, d Eurp, cr st mudnç muit n stus tur lr nã v sr intificd islmnt is, stru- vist inpnntmnt trm si rprts d strutur cntt lr. frqünts intgrçã, mis, N vivm Almnh, m sil 4% u d lrs ppulçã pr is; m 60 n Singpur id 1,6%. u mgráfíc Um prcupçã m Singpur muit é prblm séri qunt dçã. à trnsfrmçã tur, s dçõs pr is vivrm junt sus N fulh, srã rduzids; ntrã lrs dus pss. fidm Cnsqüntmnt, is m cs. srã ncssári mis srviç qu tn- nt O rsult d frç d binçã mã--br fmíli fminin, tmnh nt mnr d lngvid ri), signific (tlvz qu fmíli dus p grçõs nfrntr m dificulds id pnt- imprtnt instituiçã scil pr cuid s is. Pr sr utr l, 1995) xist qu mtr stu qu mrr fit m junt Singpur fmíli (Mht, fi Osmn; prfri L, pr nnt t dçã rspnnts pr muit qu st is ind (vj r T, tip 1996, prmi- p. 274). 10 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

5 D grçõs fmíli três grçõs pr fmíli qutr u cinc prtunid Antigmnt, cnhcr crinç sus rcém-nscid qutr vós. Hj, rrmnt muit tinh frqüênci, té msm is crinç u três chg sus cnhcr bisvós. t É muit sus qutr pss vós n mis, cs qu s stjm 60 cuidn bisnt, sus tmbém, pis (crc pss n 20%). sus Dvi 60 u ist, s há lguns n trás, grntólg stã nftizn mis ft lrs!) qu discussõs nã sã mis sbr tã s fmílis rlvnts três pr grçõs situçã (nã mgráfic númr fmílis cntmprân, qutr vist ( cinc) hvr grçõs. ntávl nt n ptnts, Msm qu s mdificçõs miri ds pss n strutur iss ind lr stjm d fmíli tivs vm ns sr lmbrds cuid smpr is. qu s discutirm prblms rlci- mmbr Ist ind signific mis qu vlh n muit fmíli. frqüênci, vós cuidm D cntrt três grçõs pr cntrt cinc grçõs ind A stã idéi n frç cntrt trblh três têm grçõs sustntr é qu (vi s cntribuiçõs pss qu lhn sgur bm impt) quls quls qu indivídu já ncrrrm qu su ind tp nã stã trblh trb- s pntrm. Lá pl iníci st sécul, indivídu mis n 70 id n trblhvm ss mnir. pr Ms, sustntr nss épc, smnt mn 2% 15 d ppulçã 60 n, qu tinh stã 70 n n frç u mis. trblh, Hj, sustntm indivídu quls 25 qu té indçõs, nã prqu stã lguns trblhn studnts (qu, m 30 lguns n cs, têm sã sus própri dus gr- 58/ lh ind pqun), quls qu já nã trblhm mis - sts fi- sã ns 25% sistm d ppulçã, pgmnt frqüntmnt pntris. dus grçõs. Ist ft Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

6 ind Atulmnt stá b. Smnt situçã 1,5% s cnômic indivídu is 60 n n ns u mis, pís vivm n cim) bix d ncssitm linh pbrz pi (n sistm miri prvidênci mulhrs scil 75 prcism (s 3,9% s pi is d qu prvidênci vivm m scil). lrs pr is, qus 70%, dêm É pi bstnt finncir in mtril m ns sus pis. pís Muit qu frqüntmnt filh dult tri pis is qu rcbm. vós sustntm Ouvi dizr sus qu filh m Singpur nt smnt pn- s hmns 6,2% ds mulhrs nã rcbrm nnh pi 8,3 finncir lh, msm n sus cs filh. nã A cntribuiçâ chbitrm. finncir 84% ds pss vm s ism rcbm d fmíli pi mtril utr prnts finncir (T, s 1996, mmbr p.275). mis Ms próxi- fi- cntcrá qun, vi à rvluçã d lngvid, s dus qu próxims tntds grçõs cuidds? m id pntri tivrm sr sus- Psívis trblh fit ds mudnçs n lngvid, n mun n A m id brv ficil srá pr 65. pntri Cntu, miri n Almnh s mprgs, é 63 hj qur m dizr di, qu s ls pntm ind trã ntr mis 58 u qurt 59 n tmp id. sus Ist vids sú. qun Ests indivídu prrm stã trblhr, inicin muit ls nv ind fs d m vid, ótim ssim chmd librd trdi, muits tivids lzr. t c; Em s Singpur, 1988, subiu id pr pntri, 60 n -, qu 55 u n, sib, r stã mui- pnsn smnt pr m stndê-l situçã cnômic pr 65. Ist is trá fit ms pr pitiv su imgm. nã nncir, Pggy indivídu T (1996) firmu: 60 n Em u trm mis sã vist cntribuiçã pl Est firá qun is crg s pr trnr cnmicmnt singpurn. (p.272). mis tiv. Ist mud- 12 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

7 qurm Pr mntr utr l, mprg. muit As frqüênci mudnçs tcnlógics mprgrs rápids nã trnm sári qu trblhrs trblhrs mis mis vlh vlh m psm grup prblm. tulizr É s ncs- hbilids tmbém dquirir utrs. Aprndizgm durnt td sus Vid m trnsfrmçã. u ducçã Afim cntinud fzr é qu ncssid trblhrs n munmnçm n frç trblh, fi intrduzi trblh m mi pr- turn bjtiv mlhrr hrári flxívl prdutivid prgrms trblhr rtrinmnt mis vlh. sclrid N ntnt, ist stivr é mlhr ct psívl s prnr. l tivr nívl mis lt mnhã. Há Os ds prblm cns pr is 1990 mtrrm hj, nã qu pr miri ds sclrid pss frml id u m nã Singpur tinhm plt (81,8%) nã tinh scl nnh ri. N Almnh, n ducçã pulsóri fi intrduzid primá- n cntu, mt 12% têm sécul mn pss, it n is têm sclrid sclrid - miri frml; smnt stá mudn. sis u T st n is (Höhn, 1994, mnhã p. 121). m Ms Singpur, ist tmbém m ns pís, trã sclrid frml bm mlhr. bm vist Cntu, indivídu; tm v-s discutir tmbém st discutir tópic pr nã qunt só pnt tmp indústri prá vivr sm xpriênci técnic s hbilids frmçã spciis mgráfic, s mprgs mprgrs is. N vm qu diz prprr-s rspit à trns- bsrvr indivídu 60 n u mis, s qu tnhm cndiçõs pr N quirm futur trblhr. stá s trnn strm grislh vivn (Stngr, n 1985; mun Strns; industril Alxnr, qu 1987). blh, Em tinhm 1989, mis n Eurp, 40 n 44,6% id; s indivídu st prprçã tiv ntrá n tr- cnsirvlmnt. mn 30 n ind Em 2010 srá prcntgm 23-25%; indivídu n ntrá pr 26% (Bäckr; Ngl, 1993). Est mis prcss 50 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

8 tiv cntinurá srá té indivídu Supõ-s mis qu, ntã, id, nqunt trç d qu ppulçã quint srá jvns. smnt mrc Dvi mã--br à situçã mgráfic, pós milêni (2010, snvlvimnt 2020), dã mtiv n tncil, pr qu m s spr qu xistm clíni pln n pr frç ntr trblh id m p- pntri, d tul id ficil 63 pr 65 n, n Almnh ( prtir prxl qu, mbr 2001). hj Ist ind fz hj qu flt surj mprg situçã nívl smprg sj lt (mis 4 millhõs), hvrá, n ntnt, mnd flt cd vz trblhrs mir trblhrs n futur. Hvrá mis vlh. ntã, Est mrc tndênci trblh. trrá divrss P-s sprr cnsqüêncis cnsqüêncis à cnmi n ár qulificçã mprss cntinurm trinmnt. qu Vist ind qu é srá prátic mis difícil, pr ist s é, brt), rcrutr indivídu mir trinmnt mis jvns, pr mlhr trblhrs qulifics ( mis id s trnrá cd vz mis imprtnt. Supnhm qu mis cnhcimnt qu hj é nv strá stuliz dqui z n, prvrá trinmnt sr tã frutífr indivídu qunt frci 50 u 55 n indivídu id 20 n (Jhnsn, 1993). s mudr; A imgm prcncit ngtiv v tul dr lugr trblhr mis vliçã vlh rlist prcirir d hbilid nt cupcinl d id. qu, n miri ds árs, nã s td m É ncssári hrári trblh, mir ms flxibilid tmbém - nã brdgm só flxibilixívl qunt fim d vid tiv trnsiçã pr fs fl- pntri. Qulqur id fix pr pntri bsis ns n supiçã hbilids. qu N ntnt, hj clíni ist cntrdiz grl n s smpnh cintífics qu, há muit tmp trás, scrditvm scbrts cit ficiêncis cusds pl id mtrvm qu cn- há 14 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

9 difrnçs vlhcimnt. cnsirávis Tm ntr prnr indivídu muit mis m sbr prcss ptênci nçã mis vlh. ptnciis spciis muit indivídu d grs. Já Há m muit 1972, tip Hrnshw flxibilid sugriu qu intrduzir pm licnçs-prêmi sr cnsirs priódics, cd sis u ist st é, n n, sm ntr trblh, prí u prí prticipçã intrcl- tiv snvlvr n frç nvs trblh. tivids Prí lzr. pr studr mis, trinr sntri Outrs prcil psibilids u pnsã sã pntri prcil, mbr grdul, sjm puc p- sucss uns n n Almnh. Escndinávi, Esss Cndá ml, Ests qu têm Unis, si utilizs prmit trblhrs mis vlh cidm, ls msm, rduçã qu hrári trblh. O pln pntri prcil sltiv (SEPR) ri prtir n s Ests 55 n, Unis prém, prmit sm id rduçã tt, n limit crg hrá- m qu té msm indivídu 70 n ind pm fix, trblhr slári 75% z hrs d pnsã. pr smn, Psiclgicmnt, pr xmpl, st rcbn é sluçã 25% sjd mncm pr tiv muit sm indivídu: s strssrm. trblhrs O trblh mis stimul vlh prsfi, usm sus hbilids ssim s stã xrcitn, mntêm sus cntt sciis têm rtin smnl - diári struturd. Lngvid rlcinmnt fmilirs dificn. Cm É fi ncssári mncin vr ntrirmnt, fmíli fmíli ntid stá intir. s m- 1. li O rlcinmnt pr is bm fmilir n vlhic is pr rlvânci fmíli vrim d fmí- sr p discutis vid. n rfrncil d fmíli durnt t tm- Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

10 2 A muit fmíli frqüntmnt - cnsistin vist pi, mã filh ntid (pnnts) státic invés - é t prcss mmbr dinâmic d fmíli. xpcttiv É ncssári trc vr fmíli ppéis snvlvimnt prcss dinâmic s mdificçõs intrçã durnt mmbr td d vid: míli cus snvlvimnt mdificçõs m t f- utr mmbr d fmíli. Smnt tl visã prcss is snvlvimnt frm qud. n fmíli trnrá psívl inclusã 3 As dircinds plítics fmilirs, smnt pr n miri sistms s pi píss urpus, bbês, crinçs stã cicl lscnts. vid fmilir, Cm frqüênci, bm cuid stági mis vnçs utr mmbr li pr d fmíli Singpur, (pis n mãs) sã pis ngligncis. is stã intgrs. Ist nã é vá- durnt Tmbém muit tmp, visã cintífic crinç sbr influênci fmíli mã tv n su snvlvimnt. fc, fluênci pi Mis sbr rcntmnt, snvlvimnt tmbém tm d crinç. si studd Durnt in- últim n, tmbém fi dd tnçã à influênci s filh sbr 50/60 n snvlvimnt id u mis, s pis. nã N frm ntnt, cnsirs indivídu ns psquiss sbr snvlvimnt d fmíli plític fmilir. 4 Ds fmíli, tm iníci hvi d décd intrss sssnt, cd vz ntr mir d n scilgi is. Os d stus fmilirs chgrm hrmni cr stã rlcins grl qu rlcinmnt clógic is. Além diss, t cncrdm qu bm-str intrçã psi- trc ntr ds ppéis, fmílis ms nã nã diminui ncssrimnt nt prds d id. smpnh Há Um ppéis firmtiv fmilirs. turl pr is é ntr grl d fmíli vid nã qu p mi sr mbint pid pl n- rsult ds psquiss fits n píss urpus. Intimid 16 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

11 is, distânci nã é lrs fórmul qu três fin grçõs. stil Aqui tmbém vid ótim xistm pr difrnçs ntr ns píss. 5 A p, plític stá gr, fmilir, dn qu mis nglignciu tnçã is mis durnt vlh s muit tmmnt m qu cnmists lgislrs cidirm sugrir m- cuid cuidr s m fmíli is frágis pnnts. mlhr mnir Enqunt mis qu brt, d qu cuid ds fmílis pr sus is, é mntn- prblmátic fr lgir sil, st v tip sr cuid-fmilir pi pls scids, únic é vrgis mlhr m ns sluçã. pís Oitnt sã cuids três pl pr cnt mmbr (83%) d s fmíli, is 18% frá- pr nfrmir prfissinis pl srviç scil. lhs iss Ns psquis pis is mpíric mtru sbr qu rlcinmnt cnflit strss ntr têm fi- bigráfic cus stã muits influncin situçõs muit pss intrçã. prsnt. Ftrs 6 sr Dv-s, cuid n ntnt, qu é pnnt vitr vr is su fmíli. Os bjt ppéis nt srm pl smpnhs rcbr jud n ms fmíli tmbém n vlhic pr dr nã jud. sã finis Est jud smnt rcid nã smnt pr grçã cim - frqüntmnt é bisvós sã muits -, ms é vzs tmbém vist frcid grçã filh snduích. nt dult. Os vós f- 7 Tmbém ri rr xistm vê-l muit ppéis substitut intr-fmilirs pr prticipçã n vlhic xtrfmilir s- xtr-fmilirs inxistnt. pm Ns prduzir stus mtrm: quntid cntt mnr, sciis qulid mlhr, cntt intrfmilirs. Nsts ms s, há gru mis lt stisfçã vid. A flt prticipçã cd mir, scil ms xtr-fmilir qulid crrlcin-s mnr, cntt fmilirs qunti- mn stisfçã vid. Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

12 8 A xprss ncssid mis frqüênci mir cntt pr quls fmilir is: filh, é qu mnt têm ns lg mulhrs); prblm n ppl sp() (spcil- u qu têm tnhm sú mis prdi prcári sus prcir sã pnnts (viuvz); qu têm dificulds cnômics; físic; qu qu têm têm intrsss flt prticipçã rstrit bix xtr-fmilir; - ns mulhrs iss, qu vivrm gru td tivid smnt mntl; pr nnh su utr fmíli snti sus pr filh, s sus qu vids. nã ncntrrm rlcin Tr filh prcpçã fc ngtiv ds tnçõs d id stá u muits situçõs vzs vid qu sã finids pr privçõs strss. Nã s v vr st nrml tip nm xtrm il. cntrlizçã n fmíli, n vlhic, 9 A dá ncssid principlmnt mirs m situçõs-prblm cntt fmilirs s filh ( pis is prblms d cs). sú O rlcinmnt u cnômic, u ncssid própri pis uxíli é frqüntmnt n trblh s vist qu mis rlcinmnt fnt sus cnflit própri durnt filh. t cicl vid 10 pitiv A prticipçã grtificnt intrfmilir qu cntribui é vist pr mnir qulid muit vid n vlhic s stivr bsd m intrsss uns stímul nriqucimnt mútu, invés n pndêncimul nriqucimnt mútu. Muit mútu frqüntmnt stá n prticipçã fnt st xtr- stí- milir, qul vri sr cultivd durnt td vid. f- 11Um xpcttivs lt gru ppl cntrlizçã trdicinl) n cus fmíli prblms ( é sugri dptçã, ns mr spcilmnt qu, pr pr hmns, s mulhrs, xtrm n vlhic. cntrlizçã Tmbém n trblh pm cus fir- prblms mnt pnnt just d n pss vlhic: qu frqüntmnt tm cnt d l cs. s trn ttl- 18 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

13 t O qu mmbr é ncssári d fmíli é sb plític prspctiv fmilir qu qu lh brnj pr td rintçã vid, xtr-fmilir qu stimul ns, mulhrs, n hmns, qun ind rintçã jvns, mis intrfmilir. nã stj bsd Smnt m ssim pndênci srá stblcid mútu, ms n rlçã lt gru qu srá unid, cisiv pr m intrsss stisfçã trfs vid mútus. n vlhic. Tl rlcinmnt 12 sã A prticipçã ncssáris scil pr xtr-fmilir, qulid bm vid n vlhic. intrfmilir, cntt sciis ntr fr d fmíli nã vm sr Intrsss funçõs pnstóris u substitut. Os intrsss vist prticipçã plmnt xtr-fmilir ncssári intrfmilir u suplmnt vm sr pr vist sp sps, pis filh, durnt t su cicl vid. Lngvid trcir id hj n futur m O qu iníci hj d crc Trcir 26% Id d ppulçã cinci lmã pntri; viv ntr st prí Id inici, d vid. p-s Qun ind sprr prí mis trblh qurt trmin tmp Trcir vid. mnhã Em é prçã trmind pr: pss, trcir id hj - mlhrs sid cndiçõs prvnçã sfrç sú, mir pr cnsciênci vid sudávl ; d ncs- - mis ficds, sgurnç tmbém cnômic pr s mulhrs; vi crrirs mis quli- - mnr singulrizçã; gru intgrçã ntr d fmíli, ntn- - mnr n scid; gru sr ncssári n fmíli, n mprg - -lt strótip gru divrsid mis ngtiv intrsss is ns n hrs ns scid, qu ng ptênci is xig lzr; rjuv- Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

14 nscimnt tr n plític n cur indústri); pr tu (ist p sr ncn- - bix s, tis gru vigns citçã pr is, prgrms rfiçõs spciis spciis pr pr i- is, grgs; tc. Os is qurm sr intgrs nã s- - nsid miri ds qunt pss ft id strm nã qurm sn sr cuids; judds; - nsid qu nã cinci pl ft strm rl prvlênci ficn d pnnts, pndênci. trnsiçã Pr lguns muit indivídu difícil qu iníci p licitr d Trcir cris Id s signific du nã stivr prpr pr l nã tivr ntcip st indivítuçã. Qurnt cinc n trás, médic rfrim-s chqu si- vi d pntri à pntri (Pnsinirungs-Schck) (Pnsinstd) mdid u m msm qu à prvlci mrt indivídu nt sntm rápi qu ds nã nçs sã mis pós ncssári, pntri. qu stã Muit mpurrs pr piçã mrginl n scid. sn mudrm. Ests Hj, rçõs miri sã mn s frqünts indivídu hj vêm m di. pntri Os tmp librd sntimnt trdi, pitiv têm muit nsim pln pr difrnts l; dã b-vinds qurm prvitr à s trblh ciss qu prmiss nã purm lcnçr fmíli. vi nvlvimnt Tm fzr tu pr nvlhcimnt sudávl. Nvs ncssids nvs prtunids: sfi pr indústri cinci Em spcil, prí v-s pndênci nftizr qu físic, Trcir pndênci Id ttl nã u inutilid. is, Entr stá s xigênci ncssids prtunids grn grup srm incluís indivídu ns 20 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

15 cisõs du d Trcir rspit d Id scid nã sjm su sr vid sligs diári. Os indiví- rtuls bjt cuid smnt! srm Eurp A mir Ests prt Unis ds ncssids sã rintds d pr Trcir Id pssr n hrs lzr; intrsss s is sã dircins bsic- s mnt pln pr tivids mis frqüntmnt físics culturis. mncins As vigns pr fzm futur prt próxim, sr vist vist fvrávl. qu situçã Mis cnômic 50% s d indivídu miri ls p 60 n têm su própri cs u prtmnt; s crnts mis qulqur pupnç utr dquls grup tári. mis Muit indivídu 65 n é pnts mir qu sã mis pqun ric hj grup, qu spcilmnt nts. Cntu, mulhrs nã s v squcr mis qu n, viv m st pbrz. 75 pr As qu prtunids stã b sú tivids fisicmnt pr m s hrs frm, - ist lzr vrd pr 80-90% d fix tári s 60-86, pr 60-70% é s m ir mis ncntr 85 n ds id, divrss - vrim ncssids sr mis spirçõs. mpls Envlhcimnt xist! Nã xist nã signific is, nã hmginizçã; xistm nrms is id, nã ms drõs xistm nvlhcimnt. muits vriçõs, xistm mis difrnts psultm Tn xpriêncis m vist qu frms lng d spcífics vid, is nvlhcimnt mnhã trá r- utrs stá ctd ncssids pririds pdrã vid qu mis hj. lt, A mlhr miri mrdi ls p, utr n miri hábit ds cns. vzs tivrm Frqüntrm ducçã scl vccinl pr mis tm- univrsitári: mir prt ds mulhrs s juntu à frç trblh. u médi, Espr-s mlhr qu qu sú sus prcssrs. s próxim jvns (Friis, vlh 1991) sj, m vm sr N bsrvds ntnt, ind m grup xistm mis lgs u mn tndêncis grns qu indivídu is - tuis: Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

16 vd n Um ns tndênci scid crscnt vi à singulrizçã númr cd p vz sr mnr bsr- csmnt, númr crscnts divórci, viuvz. Ist signific du sós qu invés prgrms pr vm fmílis. sr mis Ist é dircins váli pr limntçã indiví- prgrms rtig culturis us diári, (qu vrim ms tmbém tmbém pr runiõs, incluir tivids vigns sciis). ut-jud A singulrizçã m situçõs tmbém difícis, implic m muit s vr vlis. s instituiçõs qüntmnt, vnt prticipr rgnizçõs vluntáris u Cns is. prstçã srviç, stá prsnt m muit indivídu- prvlc O sj n grn fzr grup lg qu indivídu sj bm pr is. própri N stu sú rliz mncr m m frm 1992, 87% físic s mntlmnt is xprssrm (primir sj lugr), prpr 79% qu stvm prcups sgurnç - cnômic Muit scil indivídu (sgun is lugr). grms prvnçã, s qu stã sjm prnt plnjs prticipr frm trnt. pr- sr pg É sjávl pl própri ncrjr is. s curs Em m spcil, sps, msm prgrms qu tnhm cndicinmnt rã cit pl físic miri n s sps, is. s plnjs Ests prgrms frm pm trnt, nftizr s- tivids mntr intrçã físics u scil. mntis/culturis Outrs mnirs /u pm trir judr is cnsistm u- grup tári, m grup sbr tópic discussã, tis pr rfltir pntri, sbr vnt situçã n vid ninh vzi, prtilhr piniõs rstriçõs sbr vi nfrntr limitçõs sts físics, vnt. viuvz, tc. - bjtiv Fr v lguns sr tip fini Lbnshilf pl mnutnçã (rintçã rcuprçã prátic) prpr m ir s mntl plvrs físic. cruzds Os prgrms té crrid crbrl trinmnt (brin mntl jgging), p- curs língus strngirs m pqun grup u pr ut- 22 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

17 instruçã tir m curs fits, prprçã té utr pr cntús. xcursõs Tmbém ductivs. pm cnsispit As ut-imgm utrs ncssids pitiv. Els muit nã qurm indivídu fzr is lg smnt diz rs- pr psm su citá-l. sú, ms Um tmbém mrc pr vstuári su prênci, cnfrtávl, m ms qu mrn c pr pl lgnt; cbl spt sã imprtnts. lgnts ms Prgrms qus, rintçã cméti- qu tmbém incl prblms nutriçã sã muit prcis. Ajud pr vid diári n vlhic d Trcir Msm Id qu psm stj m supr b qu cndiçõs miri físics s indivídu xistm lgs limitçõs rstrits sss cndiçõs, mntis, m trnr vid diári plicd, msm pr pnsinists qu p- tiv. mã u Msm qubrm indivídu brç, mis têm jvns, cnsciênci qun d dificuld mchucm m vidr brir gléi, grrf brir águ lt u minrl, grrf m tirr vinh, tmp só pr mncinr pm uxilir lguns suprr xmpl. sts Existm prblms muit diári. dispitiv Aind qu spç pr nvs inicitivs industriis, inspirçõs critivs tm nv signs. cmnt Um utr plicçã xmpl s mini rfr drágs, às tmps qu s às vzs vidr têm mdi- prtids mi u m qutr! Ou tnt brir s sr rtism fchdur d (qu prt nrmlmnt su cs nã u girr trn ninguém chv pnnt) Tnt justr btõs su fgã létric. Ou justr rmári. bnhir pr tmprtur xt. E qu tl nfir trnir lh pr cturr? Cm vrim sr plnjs tlfns gu- fim srm uss tmbém pr s lg prblm? E pr ms qu tnt cbcir? prlh Existm uditiv tnts sã ciss ixs imprtnts sm us pr sbr vid diári qu pm vrim sr mlhrds. Dv-s dr mis tnçã sts spct lv pndênci físic, pis Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

18 intrfrm Dvrim str n snvlvimnt incluís ntr principis lvm à pndênci tms prvnçã ttl. A grprfilxi! c, m cs list uxíli ficiêncis pr vid mnr diári imprtânci n ssistênci ns hbilidd mtrs m mvimntr snsriis, s prsins pri sr ds mir. jnls Imgin u pgr só dificul- à vlhi- pnls n prtlir bm bix su rmári czinh. luç E, só ri pr sr mncinr fit pr trnr utr mis ár fácil sfi dirigir n diári: Trcir qu Id? Cm tmp pt tnqu gslin prim gslin s pri dptr sr fcilmnt mlhr- pd, indivídu Pr qu is? nã sã quips wlk-mn lg têm pqun smnt dispitiv sign xtr pr pr jvns sr us sfrç pr pr s dptr mn flxívis? sus prdut A indústri pr tm trnsfrmçã fzr muit mgráfic, vid qurt fim ntrr prí n spç médi vid vid s n indivídu! qulid nrmlmnt Dv-s lmbrr nã intrfr qu n mbint prtmnt físic, mi indivídu mbint, cpzs. mbint N pss ntnt, trminr diminuiçã prtmnt prpr s físic, indivídu. mi O rstriçã mi mbint spç físic vid p ( cntribuir qu p pr lvr pndênci diminui- vl, stimuln prpr físic tivids mntl) u ntn p sr fvrávl s ptêncis dptá- xistnts Ests ssim firmçõs sã ind rcurs mis pssis. pnnts u incpcits. Msm vrdirs nã suprstimn pr indivídu prminânci, tu vri sr fit pr prcurr nvs psibilids sss pss, snvlvimnt tmbém pr quls fim tmr qu stã vid cuidn. mis fácil pr su Ajud pr indivídu pnnts u incpcits prvlênci Um stu d pndênci rprsnttiv n vlhic INFRATEST mtr qu (1992) nvlhcimnt nã é, m lg msm qu ficr pnnt. sbr N 24 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

19 fix cism tári s mir n, u mnr smnt jud. 3-4% N sã fix pnnts tári s pr- n grup smnt sã ttlmnt 10% sã cpzs pnnts nfrntr - indicn sfi qu 90% diári. st Smnt 28% ds mulhrs, n grup frm s vlis 85 n pr cim, sn 21% pnnts. s hmns Em utrs u mis plvrs: sã cpzs 79% s inpnnts hmns 72% n ds su mulhrs vid diári. 85 n prçã Est stu indivídu INFRATEST pnnts tmbém prcis mtr d jud qu utr, grn simplsmnt prvrávl, vist prqu nã trm situçã lvrs; n su cs r difícil n vizinhnç mntr r prtmnt sfc. Aqui limp s u cndiçõs quci, mbintis u, ind, têm muit sr lng mdificds! suprmr- is Nv pnnts. mrcs Ests srã srã brt mrcs n str n pr ár cuid prvnçã mrcs primári, scundári pr indivídu trciári, cuj u pndênci n rbilitçã, nã p, finlmnt, d qu tnhm prnr lidr s rstriçõs sr incpcids. rvrti- lívi Dv-s su situçã sclrcr pr qui prmçã quil qu d p qulid cntribuir vid pr indivídu Tnt pnnt pr médic dquls qu pr s stã pss cuidn. is, é ncssári sóli trinmnt griátric, qu incluin cuidm infrmçõs nã smnt sbr gritri). nvlhcimnt nrml (i.. Grntlgi d cnslhmnt Os própri prfissinis fim suprtrm nfrmgm difícil prcism trf vitr ju- rttivid fit burn-ut pssl (sgtmnt). é tã grn qunt Em nnh n str utr prfissinis lugr s. D nfrmgm, msm frm, spcilmnt mmbr d dquls fmíli qu qu cuidm cuidm i- pi, mã u utr prnt pnnt, prcism rintçã, ssistênci mnt n númr jud spcil cs (pr mus xmpl, trt fim is ). vitr u- Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

20 mntm Além inpndênci mis, xistm pcint, muit uxíli pl mn técnic m lgs qu u- árs, fissinl, cnsqüntmnt, nfrmgm. Pr trn xmpl, mis fácil cms trblh ltur justávl, prc qu clchõs uxilim nti-cúbit, n lvntr-s, clchõs chuvir d águ, dpts lvrs pr hidráulicpcits fisicmnt, lvntrs pr bnhirs, u sistms in- Em chmds nnh cs mrgênci. n ns scid. Mis s v vz, rfrçr v-s imgm nftizr: ngtiv lngvid, is ds nvlhcr, rndçõs nã qur dizr Pln ficr Açã pnnt. Vin, Dvm qu Assmbléi lmbrr Mundil pls 140 nçõs Is d prvu Assmbléi unnimmnt Mundil ds m Nçõs 1982 Unids: qu fi cit Lgislrs ss públic m psquisrs, grl tlvz bm prcism mídi mudnç nvlhcimnt, grl prspctiv hj m fim di, nã vrm é simplsmnt qu prblm ms- frncr prticipçã prtçã s is cuid, s qu ms stã nvlvimnt nvlhcn. Evntulmnt, rintd m trnsiçã snvlvr pr visã prcss pitiv, nvlhcimntpri is, prá trvés muit d simpls bm rsultr frç s su d çã númr s crs- pró- tiv cnt is, su influênci. cncit A cnscintizçã scilmnt unificr, cltiv p sr ssim, trnr-s ftr pitiv. ( 32, p.23). Lngvid sus cnsqüêncis pr indivídu pr nvlhcimnt sudávl nã pnm Sbm qu smnt xpcttiv cndiçõs vid físics qulid u bilógics. vid trs sciis, psiclógic mbintis tmbém sã imprtnts. Nã só nívl d mdicin curtiv ft F- xpcttiv 26 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

21 nhcimnt vid, ms tmbém, citçã n nívl mdids muit prvntivs. mis lv, Dí qu, c- muit çã. Os mis indivídu tnçã stã v vivn sr dd mis. à prvnçã N vrd, à é rbilitf pr t, ms tmbém pr scid, fzr t trsívlpr prlngr prí vid tiv sudávl pvés simplsmnt rtrdr hr d mrt. ingic té O ns à id bjtiv vnçd. é lcnçr Cm scid st m bm-str st psiclólhcimnt, prblms sú tmm nv frm. nv- Mntr-s d, sudávl trf pr s trn t. Dv-s bjtiv vitr cntrl d risc vid, v-s n vrctin dr tnçã álcl prvr nutriçã tivids sudávl, físics bstnçã mntis. drgs, Ms tmbém nivlvr é ncssári, hbilid msm m lidr n primir strss n dificulds. vid, sn) nftiz O ml spct clássic médic d OMS d (Orgnizçã mrtlid, Mundil mrbiz incpcid Sú- stá intgrn físic. O s nv ciêncis ml sciis. OMS O é nvlhcimnt intrdisciplinr sudávl tmbém influnci tnt m nívl individul pssl, m nívl é sistm css bilógic-fisilógic mi mbint. O nvlhcimnt psiclógic. O nvlhcimnt nã é smnt é tmbém pr- N stin Almnh scil. dicin Intrn ntig Ocintl, lun Rn Mx Schubrt, Bürgr, prfssr s 1972, prfssr Mprsntnts Gritri utrs n árs Univrsid d mdicin, Erlngn ms tmbém (junt junt r- psiclgi Grntlgi. scilgi) Fi rgnizçã funu, m intrdisciplinr. 1967, Scid Schubrt Almã trás: nftizu Grntlgi muit st ft, tm, pr crtmnt, xmpl, qu firmn, tr já fc há 30 n ritri, ms v tr pi psicólg, sciólg, pdrs, G- rquitt, vm uxilir pr fim implmntr nã mn pln imprtnt, bm lbrs. plític qu Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

22 fit pr Prcism ssgurr mdids lt qulid intrvnçã: vid O qu n p vlhic? sr Sã tçã ncssáris mnutnçã. mdids timizçã, prvnçã, rbili- bm Nã xist sistm nnh ssistênci dúvid: à sú higin, grl cuids sã ssnciis prvntiv iss. Ms tmbém é imprtnt timizr snvlvimnt pr indivídu, stimuln- tivids físics, mntis sciis s Existm infânci muit lscênci. sic é pré-rquisit stus pr qu cnfirmm nvlhcimnt qu tivid sucss. fípcitçã Mudnçs funcinl físics s trminds órgã, mdificçõs pl id, n tis sistms inctr musculr, bm mdificçõs n órgã rspirtóri m- (qu, qulqur é clr, id), pnn sã smlhnts indivídu, fit pm d flt prcr xrcíci. m xtmnt O indivídu jvm indivídu fisicmnt vlh tiv intiv prc prc jvm. vlh, crt vrd n slgn : sprts tivid Exist judm ficr n 40 pr 20 n, u 50 n pr 30. físic tivid físic tmbém ft bm-str psiclógic n qu diz A rspit sciis às ut-stim. hbilids, bm-str pssl, hbilids (skills) vlhcimnt A tivid mntl sucss. tmbém Muit é stus, pré-rquisit spcilmnt pr stus lngitudinis, n- tiv, QI scbrirm mis lt, qu indivídu mir gm mntlmnt intrsss, mis cntt prspctiv sciis, lcnçm futur mis vlhic distnt, mir grn sntimnt númr bm-str psic-físic. Ficu stblci qu tivid cgnitiv é vrim ssncil rcbr pr trfs nvlhcimnt mntis; s sudávl. vri frncr-lhs As pss iss infrmçõs srm sfis tivids mntis. A rduçã nvs d tivid mntl p clrr prcss nvlhcimnt. 28 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

23 Ist fzr tmbém qu p s funcinr pss mis cntrári: vlhs jm sfi spntnmnt, mntl p du mis mnir jvns. smlhnt àqul qu s spr s indivíis tm A mtivçã sr ntd. pr s tivids Um vrid mntis, tivids físics sci- sr frcid tmbém pl unid scid, fim v trnr sss bjtiv trnts pr cd s indivídu. muits brrirs d ns scid ( imgm ngtiv E d cndiçõs scid trnsprt m rlçã sfvrávis, is, cndiçõs tc.) vm mbintis, sr rduzids u Tdvi, liminds nvlhcimnt ttlmnt. rl lng d vid. O ppl imprtnt é prcss qu smpnhm qu s sn- s infânci. tivids Tmbém físics s fz mntis ncssári v mntr s trnr clr lt gru s tivid id dult. físic, Um scil utr mntl tip n prvnçã hmns qu mulhrs v sr durnt mncin (cping-strtgis). qui, é snvlvimnt O indivídu v ds prnr, strtégis n crrr suprçã td su vid, lidr situçõs difícis, criss suprr tis situçõs (Lhr, 1985; Thm, 1983). Crrlçã ntr nvlhcimnt sudávl lngvid utrs A scbrts prtir rsults prtir stus ns stu intrncinis BOLSA, pm muits cncluir xplicr qu lngvid nnh únic nvlhcimnt vriávl p, sudávl. inpnntmnt, ts qunt psm sr ftrs físic gnétic, Tã nftizn influn- lngvid. ftrs bilógic, nã sã suficints pr xplicr Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

24 Ftrs Gnétic Ftrs Bilógic Educçã/cupçã Intrsss pssis Intrçã scil Prsnlid; intligênci Cmprtmnt: tivid O mrl Adptbilid 5 3 Ftrs Bilógic 6 Bm-str psiclógic lngvid Nutriçã Ftrs Eclógic Ativids físics Esprts Higin Cuid médic prvntiv Figur 1. Crrlçã bm-str psicfísic 30 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

25 pnt Os rsults númr d psquis rlçõs intrssnts. intrncinl Cntu, sbr lngvid rn-s tul st d psquis, ind é prmtur chgr cnsi- tris u msm rlçõs frç li, qu psm str rlcinds nftizr qu, xpcttiv séri ftrs vid qu lng. psivlmnt Em spcil, psm v-s fluncir nt d xpcttiv vid intrgm ntr in- Ess intrçã prntmnt lv plx r cusl si. rcíprc. lngvid Um psívl p ml sr vist pr n sts Figur. influêncis intrtivs sbr tn Ftrs influênci gnétic, dirt físic sbr bilógic lngvid pm sr (1) vist tmbém sbr snlid, snvlvimnt intligênci, tivid, d prsnlid mrl, (2) dptbilid, indivídu uttim, (pr- é trmin tc.). Além pl prcss mis, snvlvimnt scilizçã: mét d prsnlid crir filh, prfssrs, s pss próxims (significnt thrs) êncis prtmnt mi mbint scil indivídu; m grl, trminm ftrs históric s xpribém smpnhm ppl nst prcss scilizçã tm- Além diss, trminnts clógic tis mi mbint (3). físic, pcífic, vivr s m cndiçõs árs urbns climátics u ruris têm impct sus stímul sbr snvlvimnt s- xistênci d rlçõs prsnlid dirts (4). ntr Muit prsnlid stus intificm lngvid (5). Crrlçõs ntr ftrs clógic lngvid (6) tnári. tmbém As sã vriávis rfrids prsnlid, frqüênci n pr stus utr l, sbr têm cn- impct sbr sclrid trinmnt cupcinl, sbr (7). s tivids A crrlçã cupcinis ntr sttus, ssim, scil sbr lngvid sttus sóci-cnômic nd, principlmnt, prtir sttístics vid (8) fi trmi- mgráfics, bm pr stus lngitudinis pnhmnt, náliss indivídu ncntrn sttus sóci-cnômic nt n lt. xpcttiv vid s Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

26 trs clógic O sttus scil (11) influncim (9) prsnlid hábit (10) limntrs. ssim Além f- mis, firm-s qu xist crrlçã dirt ntr nutriçã lngvid (12). O ppl d nutriçã pr dibts m rlçã à vm id, sr mncinds spct nutricinis qui. d rtriclr nfrt - (13), prsnlid Chgu-s à cnclusã (14), vriávis qu clógics ftrs gnétic (15), sttus bilógic cnômic (16) influncim s tivids físics sprts, cuid sóciávis médic prvntiv lngvid (17) higin. tmbém As crrlçõs frm prvds. tds sts vri- qu psm O ns influncir ml, frm lngvid. lg, Simplsmnt inclui tds s tm vriávis bjtiv stimulr utr stus mpíric dr stímul rs mdificçõs, lbrçã difrnciçã (vj Lhr 1982). futu- Vlhic A nális ssinl s muits ds scbrts Estu Lngitudinl n qu diz rspit Bnn às sbr rlçõs ntr lngvid nvlhcimnt sudávl, qu lv cr- si só, xplicr imprtnt lngvid cnclusã: nnh bm-str únic n vlhic. vriávl Tã p, influnts pr s qunt ftrs psm bilógic, sr ftrs nã pm gnétic sr vist físic, nftizn- trminnts d lngvid. O qu v rcbr tnçã únic mrdil é ft qu séri ftrs psiclógic, pri- scilizçã, stil vid prsnlid, spciis, qu, stímul psivlmnt, mbintl, pm sttus influncir scil n fzr nt prt d xpcttiv r cusl vid, rcíprc intrgm plx. ntr si prcm st Cintists qustã d tds lngvid s disciplins bind fculds têm st discuti- bm-str psic-físic. Sbm qu nvlhcimnt é ft indivídu, m difrnt, pr pr grn hrnç gm bilógic, ftrs prtmnt sciis, mi mbint, t culturis prcss plític. lng O nvlhcimnt d vid. Sbm sudávl qu é rsul- influêncis n infânci, lscênci, iníci mi d vid dul- séri 32 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

27 t, trminnts ms tmbém n prcss tul situçã nvlhcimnt vid bm-str is sã vlhic. A cprçã intrdisciplinr é ncssári, pr qul n bilgi nvlhcimnt, gritri, ciêncis prtmnt vl é ciêncis sfi sciis pr vm t cntribuir. grntólg, O nvlhcimnt sfi sudá- cintists muits disciplins, sfi tmbém pr pr plític. Obsrvçõs cnclusã: plític pr is principis: Um plític pr is tm bsr-s n três itns - primir fim prvnir é mntr pndênci ntr s ptêncis ssgurr nvlhcimnt is - sgun sudávl; tçã fim é xtnsã rcpcitr mlhri is ds mdids vid inpnnt. rbili- pr É is; ncssári prmvr prgrms rbilitçã - nt, trcir rslvr é rslvr prblm prblms cuid. is frágil pn- plític Ms cuid plític (cr) vltd u pr plític is é mis sistms qu pntris. tr spct E lém plític s finncir. cuid tm tmbém incluir utu, nvlhcimnt A plític pr sudávl is é nã plític v sr fini str sudávl. smnt Cn- usênci nçs, u pl bm-str psic-scil psic-fisic pl ( suprr qudmnt finiçã d OMS), situçõs ms tmbém difícis, inclui prblms hbilid sú, m limitçõs A titu ficiêncis d scid físics, m rlçã cntinur prvitn vlh tmbém é vid. ftr cisiv pr bm-str físic psiclógic n vlhic. cnsqüntmnt, mtiv prcupçã ft qu, m É, muit píss, prblm d vlhic sj cnsir hj, s- Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

28 mnt trás, spcilists m trm intrncinis ncssid m cuid. grntlgi Já, há (médic, quinz n cólg, sciólg cintists utr cmp) n unicçã à Assmbléi psicimnt (Vin, gt Mundil 1982) ds Nçõs bsrvrm Unids qu sbr s psquiss Envlh- mtrvm závl sú clrmnt sã, ntr qu: A miri sus limitçõs, s is gzm cpzs r- tivids prdutivs. Muits plítics gvrnmntis, n ntnt, cinis, nã s rcnhcm ncssids s cpcids s is, físics, cntrári, intlctuis nftizm m- l ngtiv s ficiêncis d id. Est piçã ngtiv dênci. influnci A scid sú físic v rcnhcr ptênci is mntl prduz fnt pn- qul própri scid is pm s bnficir. d pss Em mis 1985, vlhs Rbrt nriquc N. Butlr s nftizv: scids... cnômic, prticipçã culturl ligds. spiritulmnt. A prd A sú ls p prdutivid lvr à prd stã d intimmnt sim, lvr clíni ds hbilids mntis, psiclógics utr físics, s- prdutivid, à inptênci prticipçã,, finlmnt, rspnsbilid à pndênci - nqunt sntimnt sr qu Tm ncssári, (...) têm rcnhcr fit qu fvrávl sú sbr prdutivid sú. sã tiv cndiçõs tm risc mis qu intrgm. lt nçs A pss pndênci hn qu cnômic; nã é prdu- pss nt é limitd n su prdutivid, cnsqüntmnt, crr Existm risc muit mir stus pndênci. qu cnfirmm (p. qu 12). c bm tivid mntl sã cndiçõs pr tivid nvlhcimnt físimnt bm lngitudinis, sucdi. D indivídu cr qu muit stã stus, lcnçn spcil- vid lng mis pnsr sã qu prmncrm mntlmnt têm mis prspctiv tiv, snvlvrm mir tmp vid mir futur gm têm intrsss, númr cntt sciis. Fi prv tmbém qu tivid mir cgnitiv é ssncil pr nvlhcimnt sudávl. 34 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

29 ri sr A rfrçd. mtivçã Um pr gm tivids pçõs físics, v mntis sr frcid sciis v- scid fim trnr sss bjtiv mis trnts pr cd pl indivídu. (spcilmnt E muits n qu brrirs diz rspit qu sã mi clcds mbint pl u scid prt) vm sr rduzids u liminds ttlmnt. trns- funcinári N ns scid, hpitis, xistm msm muit ntr strótip médic, nfrmir ngtiv rspit n vlhic is. invitávis Muits pss irrvrsívis. vêm clíni Nst cntxt, ds hbilids lmbrr qu s xpcttivs s utr trminrã ut-cncit v-s st, cnsqüntmnt, strótip ngtiv, prtmnt is é, muits indivídu. vzs, Dvi- prblm d scid. S quisrm lidr is frm cs qud, Vlhic, nós tm lngvid rvisr nã vm imgm sr qu vists l fzm. blm ms prtunid sfi - sfi pr- pr su t: fmíli pr pr indivídu ns scid. m fs Nã nvlhcimnt, vm smnt pr prguntr d vlhic! sbr Envlhcimnt prblms é ficiêncis prcss nvlhcimnt snvlvimnt qu t! E ç nós tm prguntr nscimnt - ( tm cncpçã) brir ns vi té lh, mr- tm inicir psquiss sbr - s ptêncis nv ptnciis nh crtz, ncntrrm is, tmbém nv ds pss ptnciis muit - msm vlhs. n E, grup is frágis incpcits t- fisicmnt. Rfrêncis bibligráfics 1 Bund BÄCKER, Vrlg, G.; NAEGELE, G. Altrn Gsllschft und Erwrbstätigkit. Köln, 2 Vitlity. BUTLER, In Ltr R. N.; Lif, GLEASON, Nw Yrk, Springr H.P. (Orgs.) Publ. Prductiv Cmp., Aging - Enhncing 3 Grntlgy, FRIIS, H. Opning Mdrid, Plnry Spt. Sssin f th II Eurpn Cngrss f Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36,

30 4 HEARNSHAW, L. S. Ag nd Wrk. Ag nd Aging, n.1, p , Dutschn HÖHN. Gsllschft Ds Übrgwicht für di r Vrintn Altn - Ntinn, in Whlstndsphänmn. Wltbvölkrung und ln: Entwicklung. Bnn und INFRATEST. Grnzn slbständigr Hilf-und Pflgbdrf Lbnsführung, in Dutschlnd Münchn. 1991: Infrtst, Möglichkitn JOHNSON; ZIMMERMANN. Lbr Mrkts in n Aging Eurp. Lnn, 8 f Grntlgy LEHR, Ursul. nd Sci-psychlgicl Gritris, n.3, , Crrlts f Lngvity. Annul Rviw 9 Ergbniss LEHR, Ursul r Bnnr & THOMAE, Gmtlgischn Hns (Orgs). Längsschnittstudi Frmn slischn (BOLSA). Altrns. Stuttgrt, Enk, LEHR, SCHAEFER, U. (Org.) Hns. Snirinnn Di Fru - Zur im Altr Situtin ls Prblm r ditrn r Fru, Szilmdizin. Drmstdt, In Stinkpff, 1978, p Hndbk 11 STAGNER, f th Psychlgy R. Aging in f Industry. Aging. 2. In: d. BIRREN, Nw Yrk, J.E. ; Vn SCHAIE, Ntrnd, W. K (Orgs.) p. 12 individul STERNS, nd H. wrk. L.; ALEXANDER, Annul Rviw R. f A. Grntlgy Industril nd Grntlgy: Gritrics, n.7, Th p. ging 264, TEO, Pggy. Aging Trnds: Aging in Singpr, Diffrnticiln THOMAE, Grntlgi. H. Altrnstil Brn, und Hubr, Altrsschicksl: Ein Bitrg zur 36 Est. Intrdiscipl. Envlhc., Prt Algr, v. 1, p. 7-36, 1999

Alteração da seqüência de execução de instruções

Alteração da seqüência de execução de instruções Iníci Busc d próxim Excut Prd Cicl busc Cicl xcuçã Prgrm Sqüênci instruçõs m mmóri Trdutr : Cmpilr X Intrprtr / Linkditr Cnvrt prgrm-fnt m prgrm bjt (lingugm máqui) Prgrm cmpil = mis rápi Prgrm Intrprt

Leia mais

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas Aprsntçã Instlçõs ds A l A Nrmlmnt A Além sc Filipins. ds sgur mis lugr Cbu trnnd td, tmp sgurnç ficiis prsnç cm cnt rgiã diss, pdris. tips váris Strbucks Dnld's, Mc cm 24hrs ljs tmbém váris prt pr Tms

Leia mais

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês Apns 5% ds Brsilirs sb flr Inglês D crd cm um lvntmnt fit pl British Cncil pns 5% d ppulçã sb fl r Dvs lbrr stms épcs pré-vnts sprtivs s lhs d mund td cmçm s vltr cd vz mis pr Brsil pr iss nã bst dminr

Leia mais

Eu sou feliz, tu és feliz CD Liturgia II (Caderno de partituras) Coordenação: Ir. Miria T. Kolling

Eu sou feliz, tu és feliz CD Liturgia II (Caderno de partituras) Coordenação: Ir. Miria T. Kolling Eu su iz, s iz Lirgi II (drn d prtirs) rdnçã: Ir. Miri T. King 1) Eu su iz, s iz (brr) & # #2 4. _ k.... k. 1 Eu su "Eu su iz, s iz!" ( "Lirgi II" Puus) iz, s _ iz, & # º #.. b... _ k _. Em cm Pi n cn

Leia mais

BALIZA. Cor central.da PLAYMOBIL podes fazer passes. verde-claro curtos, passes longos e, até, rematar para com a nova função de rotação.

BALIZA. Cor central.da PLAYMOBIL podes fazer passes. verde-claro curtos, passes longos e, até, rematar para com a nova função de rotação. PONTAP DE SAÍDA TCNICAS DE Pntpé bliz Est lnc cntc n iníci jg pós cd gl. Est Gnhs cntr p dis"d jg- bl qund cm dis st jgdrs cir list d cmp tu d quip: pntpé é dd REMATE ntr d círcul cntrl. Os jgdrs jg cm

Leia mais

São Paulo capta a maior parte dos fluxos aéreos, como mostra zona de influência potencial, regional, local dos aeroportos do Rio de Janeiro, vis-àvis

São Paulo capta a maior parte dos fluxos aéreos, como mostra zona de influência potencial, regional, local dos aeroportos do Rio de Janeiro, vis-àvis Sã Pul cpt mir prt s fluxs rs, cm mstr zn influênci ptncil, rginl, lcl s rprts Ri Jnir, vis-vis principis rprts vizinhs - Sã Pul, Mins Gris Espírit Snt 148 Sã ftrs strtgics ligs rprts n snvlvimnt rginl

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

Vamos analisar o seguinte circuito trifásico: Esta aula:! Sistemas Trifásicos equilibrados com Transformador ideal

Vamos analisar o seguinte circuito trifásico: Esta aula:! Sistemas Trifásicos equilibrados com Transformador ideal EA6 Circuits FEEC UNCAMP Aul 6 Est ul:! Sistms Trifásics quilibrds cm Trnsfrmdr idl Nst ul nlisrms um sistm trifásic quilibrd cm trnsfrmdr Cm sistm é quilibrd, pdms nlisr circuit trifásic trtnd pns d um

Leia mais

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas Cm s trnar flunt m Inglês m tdas as áras Tds s dias rcbms muits -mails pssas rm sabr pm fazr aprnr a falar ingls bm A fórmula xist sim funcina! Qur prvar iss dand minha própria xpriência cm aprndizad da

Leia mais

C A PA. Por Ví v i a n Ga m ba

C A PA. Por Ví v i a n Ga m ba Brunn Luz C A PA O mdic Ptrsn Lddi rtrt ss nv grçã: plnj trcr Mdicin pr sguir snh sr tr Pr Ví v i n G m b mrc trblh stá m cnstnt mudnç, s jvns qu stã sin ds univrsids m busc clcçã tmbm. Em funçã diss,

Leia mais

Instituto de Pesquisa Económico Aplicada (IPEA)

Instituto de Pesquisa Económico Aplicada (IPEA) Emprgs n Brsil ririds lítics Escritri d Bnc Mundil n Brsil Rgiã d Améric Ltin Crib Institut squis Ecnómic Aplicd (IEA) Vic rsint LCR: Dirtr LCC5C: Dirtr LCSHD: Ecnmist rincipl: Lír d Equip: Dvid Frrnti

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

PROFESSORA ======================= & ˆ«======================= & «G Emˆ_ «ˆ«j ˆ«

PROFESSORA ======================= & ˆ«======================= & «G Emˆ_ «ˆ«j ˆ« PROSSOR L M: Trz d átim R. rvh & # m _ Ó Œ bm cm c ri nh n si & # Ó Œ du c tm _ bém. Ns s n, qu ri ri n t, d, ju v cê tm d ns & # 2 4 _ V cê é u m grn d mi g pr fs s r qu ri d qu ns qur tn t ms tr ns s

Leia mais

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14 Eu só qu u xdó Músic n scl: xcíci 14 Eu só qu u xdó Ptitus Mi, hni lt Aut: Dinguinhs stáci Rgiã: Pnbuc : 1973 Fix: 14 Anj: Edsn Jsé Alvs Músics: Edsn Jsé Alvs vilã Pvt clints, sx t Jsé Alvs Sbinh Zzinh

Leia mais

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte Vi vijr pr? Situ-s com nosss dics roportos trns mtrôs Chgd m Avião: Aroporto Hthrow: Situdo crc 20 km ost um dos mis movim ntdos d Europ possui cinco trminis Dpois pssr pls formlids imigrção pgr su bggm

Leia mais

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete,

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete, Cpítul 3 N ã p! Abu! On já viu? Et qu é n! Cê minh mã? Qun mnin chgm p jg nqul ming, qu ncntm? Um gup mnin. D cmit, têni, clçã muit ipiçã. E g? Afinl, qum tinh ti qul ii mluc? D qun vcê gtm futl? pguntu

Leia mais

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA S VI VOLTRÁ PR RINR 1. US, TU ÉS MU US #m US, TU ÉS MU US SNHOR TRR ÉUS MR U T LOUVRI #m SM TI NÃO POSSO VIVR M HGO TI OM LGRI MOR NST NOV NÇÃO #m #m OH...OH...OH LVNTO MINH VOZ #m LVNTO MINHS MÃOS #m

Leia mais

Armazenamento de Sementes de Milho em Recipientes Reutilizáveis

Armazenamento de Sementes de Milho em Recipientes Reutilizáveis Arznnt d Snt d Milh Rcipint Rutilizávi Miz Sd Strg In Rubl Cntinr SANAZÁRIO, Ann Chritin 1. kinzri@yh.c.br; COELHO, Fábi Cunh 1. fclh@unf.br; VIEIRA, Hnriqu Durt 1. hnriqu@unf.br; RUBIM, RqulL Filh 1.

Leia mais

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas Imgns problms mbintis no sul Snt Ctrin, corrnts s tivis minrção crvão, su lvgm su uso m usin trmlétric + fotos ilustrçõs técnics outrs usins Fotos fits por Oswl Svá ntr 1992 2001, durnt visits fits juntmnt

Leia mais

EM NOME DO PAI ====================== j ˆ«. ˆ««=======================

EM NOME DO PAI ====================== j ˆ«. ˆ««======================= œ» EM NOME O PI Trnscçã Isbel rc Ver Snts Pe. Jãzinh Bm & # #6 8 j. j... Œ. ll { l l l l n me d Pi e d Fi lh ed_es & #. 2. #. _. _ j.. Œ. Œ l l l j {.. l. pí t Sn t_ mém Sn t_ mém LÓRI O PI Trnscçã Isbel

Leia mais

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos 2º/3º cicl s O Ã Ç T N E M I d pguns u m mu um p z pdms f ps O qu sudávl? blnç d i c n c id p Sá d p d n cm p, ic mbém é g á s n v ic. Dsc ís f m f civ b id v m u i d lóics. c s impânc s g õs sb ç n s

Leia mais

Borboletas da vida. Direção de Vagner de Almeida. Rio de Janeiro: Abia, 2004, 38 min.

Borboletas da vida. Direção de Vagner de Almeida. Rio de Janeiro: Abia, 2004, 38 min. Borbolts d vid. Dirção Vgnr Almid. Rio Jniro: Abi, 2004, 38 min. BASTA um di. Dirção Vgnr Almid. Rio Jniro: Abi, 2006, 55min. Brnic Bnto Univrsid Doutor m Brclon. Sociologi Autor pl Univrsid s livr A Rinvnção

Leia mais

Turismo Fotografia Mergulho Técnico Naufrágios Cavernas Equipamentos Meio Ambiente Novidades PUBLICIDADE 2014

Turismo Fotografia Mergulho Técnico Naufrágios Cavernas Equipamentos Meio Ambiente Novidades PUBLICIDADE 2014 Turi Ftgrfi Mrgulh Técnic Nufrági Cvrn Equipnt Mi Abint Nvidd PUBLICIDADE 2014 2014 Objtiv ditrii d rvit: A rvit t bjtiv d trr públic rvilh d fund d r, nfcnd pct cini frind iprtânci d cnrvçã bintl. Vi

Leia mais

Fabiano Gontijo. fgontijo@hotmail.com. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Fabiano Gontijo. fgontijo@hotmail.com. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UZIEL, Ann Pul. Rio Homossxulid Jniro: Grmond, ção. 2007. Fbino Gontijo Doutor m Antropologi m pl Scincs Écol s Socils Huts Frnç. Étus Profssor Adjunto Bolsist Antropologi Produtivid d m Univrsid Psquis

Leia mais

Quem são? Um refugiado é toda pessoa que devido a temores de ser perseguida por motivos de raça,

Quem são? Um refugiado é toda pessoa que devido a temores de ser perseguida por motivos de raça, g u f R d Qum ã? Um fugd é td p qu dvd tm d pgud p mtv d ç, lgã, ncnldd, p ptnc dtmnd gup cl p u pnõ plítc, ncnt f d pí d u ncnldd nã p u nã qu c à ptçã d tl pí. Ou qu, ccnd d ncnldd tnd f d pí nd tv u

Leia mais

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia brlim sã l brlim santg rcif curi sul punta dl st rma sul nrnha r rcif rcif garpabacapa nrnha mntvidéu r barilch punta dl st mació sã paul mació sul capadóc r mnt SUPER sã l ngóci gramad turism FÉRIAS crprat

Leia mais

Atendimento por marcação Atualizado em:

Atendimento por marcação Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL pr rcçã Atulizd : 23-01-2017 O qu é O tn pr rcçã é u rvi qu prit gn d tn di hr prvint finid. C t rvi cidã é tndid n di hr qu i qu à u dipnibili, tr prncr fil pr. O tn pr rcçã p r fit n-lin

Leia mais

A atual relevância do ensino do inglês jurídico nos cursos de graduação em Direito

A atual relevância do ensino do inglês jurídico nos cursos de graduação em Direito A tul rlvânci nsino nos cursos grdução m Brv rflxão crc d ncssid s pssr lcionr o nos cursos grdução m sort mlhor prprr os futuros profissionis r pr o xrcício d dvocci mgistrtur promotori Cro migo litor:

Leia mais

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM Fns Chs C. 9 Mlgm nrsrs: ml h PWM J. A. Pml 9. MOEAGEM E CONERSORES: MOEO A CHAE PWM As lgs báss nrsrs CCCC ssum um h nrl ur nãnrl sss lmns lnrs nrns n m. A njun ss us hs r nm h PWM [9.]. O bj ns íul é

Leia mais

FUND. Empréstimo. Empréstimo Sabesprev Uma opção segura para seu sonho virar realidade

FUND. Empréstimo. Empréstimo Sabesprev Uma opção segura para seu sonho virar realidade An XX nº 77 nvmbr/zmbr 2011 FUND PET SHO P Empréstim Empréstim Sbsprv Um pçã sgur pr su snh virr rlid Sbsprv Entr s mlhrs plns sú d pís. Cbrnç Pglirini Mrls Advgds Asscids é cntrtd pr cbrr indimplnts.

Leia mais

Histórico e fundamentação teórica do Programa São Paulo pela Primeiríssima Infância

Histórico e fundamentação teórica do Programa São Paulo pela Primeiríssima Infância ÚD S ICO rn cd m ics çã lúd rm s F pç s 3 FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL 0 A 3 ANOS 5 c rn Pr Sã gr Pr P m I n im ul fân ir í ci ssim pl ÃO AÇ RM FO O C n tít scim rn ul 5 s p nt F ut rm V rd é Pr i idig

Leia mais

«ˆ «======================== & ˆ. ˆ. ˆ ˆ«======================== & œ G«

«ˆ «======================== & ˆ. ˆ. ˆ ˆ«======================== & œ G« œ œ 1) Oh! egri (bertur) est d mr Mis de Priir ucristi ( "Liturgi I" Puus) Letr e Músic: Ir. Miri T. King (x) ======================== & 2 º 4.. œ œ. œ œ. œ _.. = m ======================== &.... = gri

Leia mais

Resoluções de Exercícios

Resoluções de Exercícios sluçõs Ecícis MTEMÁTI IV LOO 0 nhcimnts lgébics pítul 0 Funçõs Tignmétics 0 p.( p-)( p-b).( p- c), n + b+ c 8+ + p 8 8.0...9..... LOO 0 0 D + D sn cs tg 0 + 0... sn +.,8.,8. sn 0. +,.,8. +, cm. sn 0 0

Leia mais

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO EIC0011 MATEMÁTICA DISCRETA

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO EIC0011 MATEMÁTICA DISCRETA 1. Tm 40 livros irnts qu vi gurr m 4 ixs ors irnts, olono 10 livros m ix.. Qunts possiilis tm istriuir os livros pls ixs irnts? Justiiqu.. Suponh gor qu tinh 60 livros. Qunts possiilis pr os olor ns 4

Leia mais

PADRE JÚLIO MARIA DE LOMBAERDE

PADRE JÚLIO MARIA DE LOMBAERDE Históri Escrit pr scrmn Sg, 20 Junh 2011 17:22 - Últim tulizçã Tr, 30 gst 2011 18:44 PDRE JÚLI MRI DE LMBERDE Nscu di 7 Jnir 1878 n li Bvrn, municípi Wrgm n Bélgic. Fi btiz di 8 jnir, prssdmnt, pis nscu

Leia mais

a posição de defensor dos interesses

a posição de defensor dos interesses BLETIM Mvimnt Cprtiv v firmmnt psiçã fnsr ds intrsss firmr d cnsidr. CPERTIVIST REDCÇÃ E DMINISTRÇÃ: R u d Cruzir. 1 - Tlf. 68 26 49 - Lisb 3 CRDEND NTÓNI PR SÉRGI PRPÓSIT DE UM NIVERSRI di 19 Dzmbr já

Leia mais

Chotes. Música na escola: exercício 12

Chotes. Música na escola: exercício 12 Chts Músic n scl: xcíci 12 Chts Aut: Aut scnhci, cnçã flclóic Rgiã: Ri Gn Sul Fix: 12 Anj: Nil Azv Pvt Músics: Cls Rbt Olivi pin Nil Azv Pvt clints sx lt Cnts: lic Alid Pi Guilh Cnciçã Sntn Eily Ryn Buin

Leia mais

Escrito por Sônia Oliveira Qua, 19 de Janeiro de :03 - Última atualização Dom, 25 de Dezembro de :18

Escrito por Sônia Oliveira Qua, 19 de Janeiro de :03 - Última atualização Dom, 25 de Dezembro de :18 Brilid O fntástic reveilln Cpcbn Escrit pr Sôni Oliveir Qu, 19 Jneir 2011 22:03 - Últim tulizçã Dm, 25 Dezembr 2011 08:18 Ess mensgem reveilln me fi envid pr pess só vi vez e já vi fzer is ns, jur se encntrr

Leia mais

sábado, 5 de março de 2016 Destaque Foto: Leandro Brito Sessão fofura Liz Muniz Casamento Sarah e Luis Henrique

sábado, 5 de março de 2016 Destaque Foto: Leandro Brito Sessão fofura Liz Muniz Casamento Sarah e Luis Henrique Em áb, 5 mç 2016 Dtqu Ft: Ln Bit Sã ffu Liz uniz Cmnt Sh Lui Hniqu OGI GUAÇU, áb, 5 mç 2016 OGI GUAÇU, áb, 5 mç 2016 2 3 Sh LuiHniqu O mnt Sh hi Suz Lui Hniqu Bini Hnói fi liz n i 24 jni. Amig fmili fm

Leia mais

Definição e Criação de Molduras

Definição e Criação de Molduras TQS - Mldur Escrit pr Eng. Cmil Ferreir Seg, 20 Mi 2013 09:47 - Ness mensg rei lg dic crir nv mldur pltg n TQS. Ain nesse mesm text, lbrrei ts sbre recurs interessnte p uxiliá-ls criçã crimbs (u sels)

Leia mais

= 1, independente do valor de x, logo seria uma função afim e não exponencial.

= 1, independente do valor de x, logo seria uma função afim e não exponencial. 6. Função Eponncil É todo função qu pod sr scrit n form: f: R R + = Em qu é um númro rl tl qu 0

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO. Prof. Dr. Roberto Valdés Puentes

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO. Prof. Dr. Roberto Valdés Puentes ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO Prf. Dr. Rbr Vdés Pus PPGED/FACED/UFU rbrpus@fcd.ufu.br MOMENTOS DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Associação de Resistores e Resistência Equivalente

Associação de Resistores e Resistência Equivalente Associção d sistors sistêci Equivlt. Itrodução A ális projto d circuitos rqurm m muitos csos dtrmição d rsistêci quivlt prtir d dois trmiis quisqur do circuito. Além disso, pod-s um séri d csos práticos

Leia mais

Estimativas dos impactos das mudanças climáticas nos zoneamentos da cultura da banana e da maçã no Estado de Santa Catarina

Estimativas dos impactos das mudanças climáticas nos zoneamentos da cultura da banana e da maçã no Estado de Santa Catarina Estimtivs s impcts s munçs climátics s znmnts cultur bnn mçã Est Snt Ctrin Cristin Pnlf1, Luiz Alb Hmms2, Cláudi Cmrg3, Angl Mns Mssignm4, Emnul Sl Prir Pint5 Mriln Lim6 qustã mátics t s munçs si discuti

Leia mais

UTL Faculdade de Motricidade Humana. Mestrado em Reabilitação Psicomotora. Estágio CERCI Lisboa

UTL Faculdade de Motricidade Humana. Mestrado em Reabilitação Psicomotora. Estágio CERCI Lisboa UTL Fculd Motricid Humn Mstrdo m Rbilitção Psicomotor Estágio CERCI Lisbo Sssão Activid no Mio Aquático 16/11/2011 Clint: C.M., L.V., A.E., F.C. S.C. domínio Nom Dscrição Obj. Esp. Mtriis Estrtégis Critério

Leia mais

RECURSOS HUMANOS ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO

RECURSOS HUMANOS ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO RECURSOS HUMANOS Intduçã Cncits dfiniçã Digms d flux d pcsss Gáfics d flux d pcsss Estud d cs: DDT d FPFutbl Intduçã Cncits dfiniçã Digms d flux d pcsss Gáfics d flux d pcsss Estud d cs: DDT d FPFutbl

Leia mais

Encontro na casa de Dona Altina

Encontro na casa de Dona Altina Ano 1 Lagdo, Domingo, 29 d junho d 2014 N o 2 Encontro na casa d Dona Altina Na última visita dos studants da UFMG não foi possívl fazr a runião sobr a água. Houv um ncontro com a Associação Quilombola,

Leia mais

NESS-A TOUCH SCREEN 7" C/ MODEM

NESS-A TOUCH SCREEN 7 C/ MODEM 6 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS OMPRSSOR LTRNTIVO // LTRÇÃO LYOUT-IM MUTI PR SOPOST OTÃO MRÊNI LLN9 0 07/0/ LTRÇÃO O MOM O LYOUT LOUV 7 0 06// INLUSÃO O ORINTTIVO O LÇO OMUNIÇÃO IO V. 00 8/0/ INIIL TOS R.

Leia mais

Expressão Semi-Empírica da Energia de Ligação

Expressão Semi-Empírica da Energia de Ligação Exprssão Smi-Empíric d Enrgi d Ligção om o pssr do tmpo n usênci d um tori dtlhd pr dscrvr strutur nuclr, vários modlos form dsnvolvidos, cd qul corrlcionndo os ddos xprimntis d um conjunto mis ou mnos

Leia mais

Sem a tua pedra a minha não construirá nada. ATIV. Coordenado por. alguns dias d u r a n t e o m ê s, o que é s u f i c i e n t e

Sem a tua pedra a minha não construirá nada. ATIV. Coordenado por. alguns dias d u r a n t e o m ê s, o que é s u f i c i e n t e Sm tu pdr minh nã cnstruirá n. B L E T I M CHRLES-HENR! BRBIER TIV N. 60 S E T E M B R, 1958 Crn pr Rcçã dministrçã NTÓNS Lrg Pz, 22- Lisb SÉRGÍ DISTRIBUIÇÃ á i v i 4 t â - principl: Embr n ã cnhç mvimnt

Leia mais

Uma publicação que é referência no setor

Uma publicação que é referência no setor ublic qu é rfrêci Vlt r rfiii ii frcêuc, viári, c, bitclgi, litíci, quíic fi, quit hitlr, i vi qu cl cti é u xigêci, rvit Cl Cti fc luçõ tclógic r rli brilir. C iibui irigi, ublic g rtt ghri ut, r Quli,

Leia mais

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM...

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM... C CORÇÃO NOIV - 1. O SNHOR É OM INTR: /C# C7+ /C# O SNHOR É OM C7+ SU MOR UR PR SMPR L É OM... Letra e Música: avi Silva C CORÇÃO NOIV - 2. SNTO É O TU NOM M TO TRR S OUVIRÁ UM NOVO SOM UM CNÇÃO MOR PRCORRRÁ

Leia mais

Grafos. Luís Antunes. Grafos dirigidos. Grafos não dirigidos. Definição: Um grafo em que os ramos não são direccionados.

Grafos. Luís Antunes. Grafos dirigidos. Grafos não dirigidos. Definição: Um grafo em que os ramos não são direccionados. Luís Antuns Grfos Grfo: G=(V,E): onjunto vértis/nós V um onjunto rmos/ros E VxV. Rprsntção visul: Grfos não irigios Dfinição: Um grfo m qu os rmos não são irionos. Grfos irigios Dfinição: Um grfo m qu

Leia mais

O ENSINO DA LÍNGUA ALEMÃ NO SUL DO BRASIL

O ENSINO DA LÍNGUA ALEMÃ NO SUL DO BRASIL O ENSINO DA LÍNGUA ALEMÃ NO SUL DO BRASIL Diys Knyl Fssil1 RESUMO: Nst rtig, tnt-s discutir situçã linguístic à qul s imigrnts scnnts imigrnts lãs frm /u sã submtis, qui, n Brsil. Qustin-s qul é qudr jurídic

Leia mais

Instituto de Física USP. Física Moderna I. Aula 29. Professora: Mazé Bechara

Instituto de Física USP. Física Moderna I. Aula 29. Professora: Mazé Bechara Institut d Físic USP Físic Mdn I Aul 9 Pfss: Mzé Bch Aul 9 O átm d hidgêni n ti d Schding 1. A sluçã d átm d H n ti d Schding. Cmpçã cm s sultds d Bh.. Os stds dgnds m ngi: stds d msm ngi divss móduls

Leia mais

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES Luiz Frncisco d Cruz Drtmnto d Mtmátic Uns/Buru CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES O lno, tmbém chmdo d R, ond R RR {(,)/, R}, ou sj, o roduto crtsino d R or R, é o conjunto d todos os rs ordndos (,), R El

Leia mais

Obrigado. A paz do Senhor. Marcos Daniel V. Baroni

Obrigado. A paz do Senhor. Marcos Daniel V. Baroni 2 Snti ncssid rgnizr mlhr s vrs grup cidi trblhr nst cumn utilizn frrmnts grtuits. Pr nã sr vrsã finl, nã v sr utiliz cm tlmnt cnfiávl. Qulqur dúd é rcmndávl cnfrir s prtiturs riginis. Encntrn rrs qulqur

Leia mais

Mother s D. Recepção. A Festa. continua...

Mother s D. Recepção. A Festa. continua... 3 Ediçã 35 Mi 2013 Fi c i cih q s ls, fsss clbs d FC cçã di ds ãs. Cd lh d Mh's Dy fi sd ibi d cih dçã dd ls ãs. Os ls si bs fz c q d ccss c fiçã: c s cgfis, s sis s ls úss. Cd sçã fi cid c bs s s sdds

Leia mais

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR EIO DE DETERINANTES Dtrmt um mtrz su orm Sj mtrz: O trmt st mtrz é: Emlo: Vmos suor o sstm us quçõs om us óts y: y y Est sstm quçõs o sr srto orm mtrl: y Est qução r três mtrzs:.

Leia mais

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário Trnsporte de solvente trvés de membrns: estdo estcionário Estudos experimentis mostrm que o fluxo de solvente (águ) em respost pressão hidráulic, em um meio homogêneo e poroso, é nálogo o fluxo difusivo

Leia mais

ESCALA DE PITTSBURGH PARA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO SONO

ESCALA DE PITTSBURGH PARA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO SONO ESCALA DE PITTSBURGH PARA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO SONO As qustõs sguints rfrm-s as sus hábits d sn durant mês passad. Suas rspstas dvm dmnstrar, d frma mais prcisa pssívl, qu acntcu na mairia ds dias

Leia mais

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem PSI-2432: Projto Implmntação d Filtros Digitais Projto Proposto: Convrsor d taxas d amostragm Migul Arjona Ramírz 3 d novmbro d 2005 Est projto consist m implmntar no MATLAB um sistma para troca d taxa

Leia mais

VIBRAÇÃO NO NÚCLEO ESTATÓRICO DO GERADOR DA UG-05 DA USINA HIDRELÉTRICA ENGº. SÉRGIO MOTTA (PORTO PRIMAVERA) 1.0 INTRODUÇÃO

VIBRAÇÃO NO NÚCLEO ESTATÓRICO DO GERADOR DA UG-05 DA USINA HIDRELÉTRICA ENGº. SÉRGIO MOTTA (PORTO PRIMAVERA) 1.0 INTRODUÇÃO GGH/008 6 de Outubr de 00 Cmpins - Sã Pul - Brsil GRUPO I GRUPO DE ESTUDO DE GERAÇÃO HIDRÁULICA - GGH VIBRAÇÃO NO NÚCLEO ESTATÓRICO DO GERADOR DA UG-05 DA USINA HIDRELÉTRICA ENGº. SÉRGIO MOTTA (PORTO PRIMAVERA)

Leia mais

Hino da CF 2010 ====================== & 2 C. ci - por ======================= ˆ ˆ ˆ ˆ««« ˆ ˆ« ====================== & œ ««« mui - to

Hino da CF 2010 ====================== & 2 C. ci - por ======================= ˆ ˆ ˆ ˆ««« ˆ ˆ« ====================== & œ ««« mui - to œ ====================== & 2 4 Œ = Rfr.: J sus ci v pr pri mi r um Ri n d jus ti ç_ sus v rs: "Vós nã p s ====================== & = us nhi r mui t gr & 2. j j { nh rs." "Vós nã p nh rs." dr Vz d_um s

Leia mais

Missa Ave Maris Stella

Missa Ave Maris Stella Missa Av Maris Stlla Para coro a calla a quatro vozs SATB Notas sobr a comosição A rsnt comosição constituis a artir d um ordinário da missa m latim ara coro a quatro vozs a calla, sm divisi Sorano, Alto,

Leia mais

Preciso De Ti (Diante do Trono)

Preciso De Ti (Diante do Trono) Pres e (inte d Trn) rrnj r MRCLO MINL úvids, sugestões, cntt: mrcelminl@yh.cm.br Srn ndnte /F# /F# lt Tenr Bss rárárá rá rárá 6 1.Pre 4/6 s Pre s d Teu 2.Nã ss_esque cer que i zes Teu 1.Pre s Pre s d 2.Nã

Leia mais

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial º semestre de Engenhri Civil/Mecânic Cálculo Prof Olg (º sem de 05) Função Eponencil Definição: É tod função f: R R d form =, com R >0 e. Eemplos: = ; = ( ) ; = 3 ; = e Gráfico: ) Construir o gráfico d

Leia mais

Para Vik Lovell, do cuco.

Para Vik Lovell, do cuco. Pr Vik Lvll, m pis diss m lvu s drgõs té sus tcs. xistim, n...n flw flw vr st, th cuck s n flw nst. * wst, Cntig ppulr rd *... vu lst, vu st, vu pr cim d ninh d cuc. UM ESTRANHO NO NINHO.p65 5 UM ESTRANHO

Leia mais

Código PE-ACSH-2. Título:

Código PE-ACSH-2. Título: CISI Ctro Itrção Srvços Iformtc rão Excução Atv Itr o CISI Cóo Emto por: Grêc o Stor 1. Objtvo cmpo plcção Est ocumto tm como fl fr o prão brtur chmos suport o CISI. A brtur chmos é rlz o sstm hlpsk, qu

Leia mais

Letras^Artes. 9feí: sr -1 ^19. ''**>«?sh :. v/*í******* *** 1 fciüíi 1^^ I hsíi 991 9. ^ gfllflpv>/^.j' 'A-A^mW

Letras^Artes. 9feí: sr -1 ^19. ''**>«?sh :. v/*í******* *** 1 fciüíi 1^^ I hsíi 991 9. ^ gfllflpv>/^.j' 'A-A^mW Ltrs^Arts ANO 6. N. 222 I EAN Cssu, qu ns vi- trá prximmnt chfind lgçã frn-- ês à 1.** Binl S. Pul, cb publicr um livr in-. trssnt discutívl sbr rituçâ d rt mrn. Li-. vr intrssnt prqu td bt intlignt sbr

Leia mais

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24.

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24. R 3 R R D S VL L Ó S L U D K LÃ W -S / 3 SH FW -S Ã P UL F S SP / / : 8:3 3// 8/ 3/ : 6: SPCL - PRU C VCÊ UC VU.in 7 R Ú 8 9 - R$,,9 R$ CP.in S D PP R S G GS S - R$, 9 R D : : U Q R VG D R SÃ PU L FS H

Leia mais

RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO E DESPACHOS DE PROCESSOS

RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO E DESPACHOS DE PROCESSOS Dlibrçõs ANÚNCIOS ANÚNCIOS, AVISOS, EDITAIS E NOTICIÁRIO Anúncis brtur prcdimnt N.s 0/04/DCEP 03/04/DCEP 0/04/DCEP, pág. 094 ASSEMBLEIA RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO E DESPACHOS DE PROCESSOS Nt: Julh

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: TEMPO TOTAL APLICADO: h m TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: 01)

Leia mais

CAPA. Marketing Direto - Set/10 - nº 101 - Ano IX

CAPA. Marketing Direto - Set/10 - nº 101 - Ano IX CP 10 Mrkting n linh Dirt O mrcd tlfni stá m prcss trnsfrmçã. O bm crscimnt pssu, ufri d prtbilid tmbém. O rsultd é sgmnt qu gr brig mntr ptncilizr sus clints. Pr tnt, invst m rlcinmnt n mpliçã srviçs

Leia mais

P R Ó L O G O. Ele estava sentado em uma mesa no centro do salão, obviamente. M377-01(Ficção Estrangeira).p65 9

P R Ó L O G O. Ele estava sentado em uma mesa no centro do salão, obviamente. M377-01(Ficção Estrangeira).p65 9 P R Ó L O G O r só ppl séri TV, pns prtmnt E qunt mis côm s cnts, Nv stvm Yrk. ficn Ms ppéis difícis qulr ncntrr, tip, té msm Ls Angls ts cnhcim vlr pid-àtrr s ppéis Nv ficilizçã Yrk. Além diss, divórci.

Leia mais

Messinki PUSERRUSLIITIN EM 10 MM PUSERRUSLIITIN EM 12 MM PUSERRUSLIITIN EM 15 MM PUSERRUSLIITIN EM 18 MM PUSERRUSLIITIN EM 22 MM

Messinki PUSERRUSLIITIN EM 10 MM PUSERRUSLIITIN EM 12 MM PUSERRUSLIITIN EM 15 MM PUSERRUSLIITIN EM 18 MM PUSERRUSLIITIN EM 22 MM Messinki Tuote LVI-numero Pikakoodi PUSERRUSLIITIN EM 1551002 XV87 PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM 35 MM 10X

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG COMPANHIA ABERTA NIRE 313.000.363-75 CNPJ/MF nº 17.281.106/0001-03

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG COMPANHIA ABERTA NIRE 313.000.363-75 CNPJ/MF nº 17.281.106/0001-03 COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG COMPANHIA ABERTA NIRE 313.000.363-75 CNPJ/MF nº 17.281.106/0001-03 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 16 DE DEZEMBRO DE 2005 1.Dt,

Leia mais

OLETIM COOPERATIVISTA

OLETIM COOPERATIVISTA CPERTIVISM É DE I N I C I T I V PPULR E M T U D. TD ELE É EDIFICD PEL CTIVIDDE DS CIDDÃS LETIM CPERTIVIST R E D C Ç Ã Ru Cruzir. E CRDEND D M I N I S T R Ç Ã : 1 - Tlf. NTÓNI 63 26 49 - L i s b - 3 N.

Leia mais

COOPERATIVO E COORDENADOR. dense; em 1957, levou-se a efeito o I F e s t i v a l Cooperativo, na q u i n t a da Cooperativa

COOPERATIVO E COORDENADOR. dense; em 1957, levou-se a efeito o I F e s t i v a l Cooperativo, na q u i n t a da Cooperativa BOLETIM Espr firmnt sbrã tingir cprtivism vitóri frtrnid sbr dr lut ntr s hmns. JAMES P. WARBASSE COOPERATIVISTA COORNADO REDACÇÃO E ADMINISTRAÇÃO LARGO DA PAZ, 22-A LISBOA ANTÓNIO POR N. 68 - As próxims

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

O sinal Impulso Unitário 1. Definição

O sinal Impulso Unitário 1. Definição O sinl mpuls Uniári. Dfiniçã mpuls uniári mp iscr [n] [ n], n, cs cnrári mpuls uniári mp cnínu, 2. Hisóric O sinl l Dirc fi cri pl físic inglês Pul A. Muric Dirc 92-984 p sr is cm quiln cnínu l Krnckr

Leia mais

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte Curso grátis Inglês pr vigm Vi vijr pr? Situ-s com nosss dics roportos trns mtrôs Chgd m Avião: Aroporto Hthrow: Situdo crc 20 km ost um dos mis movim ntdos d Europ possui cinco trminis Dpois pssr pls

Leia mais

Mackenzie Voluntario. Caro apoiador, Redes sociais: 8668 de 30/11/1981), que atua em solo brasileiro há 141 anos.

Mackenzie Voluntario. Caro apoiador, Redes sociais: 8668 de 30/11/1981), que atua em solo brasileiro há 141 anos. C, O Mkz Vlá é m j sl Mkz, sm fs lvs (D º 8668 3/11/1981), q m sl bsl há 141 s. Iml m 24, m m l fl ssblz, mblz g s s ss gs, gss, lbs, fsss, ls, gs ls, fs, s, mgs fmls m mvm xmçã s ms q bgm s ss m, lém

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

Dia de combate ao fumo tem ação durante o dia

Dia de combate ao fumo tem ação durante o dia Criciúm mrç l Quint-fir diçã cncluíd h i bt f t çã durnt di m tivid srá brt ppulçã n str lrtn t rintçõs pquns çõs ductivs. PÁG 4 K PT / C / HU m PT lx ntn nã mis jgr Criciúm m cr tlt dirçã Tigr rscindirm

Leia mais

Obrigado. A paz do Senhor. Marcos Daniel V. Baroni

Obrigado. A paz do Senhor. Marcos Daniel V. Baroni 2 Snti ncssid rgnizr mlhr s vrs grup cidi trblhr nst cumnt utilizn frrmnts grtuits. Pr nã sr vrsã finl, nã v sr utiliz cm ttlmnt cnfiávl. Qulqur dúd é rcmndávl cnfrir s prtiturs riginis. ncntrn rrs qulqur

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

Física 1 Capítulo 3 2. Acelerado v aumenta com o tempo. Se progressivo ( v positivo ) a m positiva Se retrógrado ( v negativo ) a m negativa

Física 1 Capítulo 3 2. Acelerado v aumenta com o tempo. Se progressivo ( v positivo ) a m positiva Se retrógrado ( v negativo ) a m negativa Físic 1 - Cpítulo 3 Movimento Uniformemente Vrido (m.u.v.) Acelerção Esclr Médi v 1 v 2 Movimento Vrido: é o que tem vrições no vlor d velocidde. Uniddes de celerção: m/s 2 ; cm/s 2 ; km/h 2 1 2 Acelerção

Leia mais

Acervo: Biblioteca Pública de Santa Catarina

Acervo: Biblioteca Pública de Santa Catarina Acrv: Biblitc Públic d Snt Ctrin CCE d I [crt litr] Rvlu ã digitl J ur qu librdd smpr fi um tm xplrd m tds s rs d humnidd? Pdms ncntrr txts qu flm d ssunt dsd s pnsdrs grgs té hj, pssnd, clr, pl Rvluçã

Leia mais

Abordagens Administrativas. Abordagens Administrativas INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO AULA 4. Abordagem Sistêmica ORGANIZAÇÃO COMO UM SISTEMA FECHADO

Abordagens Administrativas. Abordagens Administrativas INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO AULA 4. Abordagem Sistêmica ORGANIZAÇÃO COMO UM SISTEMA FECHADO Abrgns Administrtivs ORGANIZAÇÃO COMO UM SISTEMA FECHADO INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO AULA 4 2009 Administrçã Cintífic Tylr (TAREFAS) Estu s rtis prdutivs slçã trblhr Incntiv slril cndiçõs mbintis trblh

Leia mais

Paulo Honório versus Madalena: um casamento conflituoso

Paulo Honório versus Madalena: um casamento conflituoso 88 Pul Hnóri vrsus Mln: csmnt cnflitus Mrcs Himi Lim* ft-s Rs:Nst lgs rtig cnsirçõs sbr rmnc sbr S. rltiv Brnrd vigr (1934), rm Grcilin ptrircl Rms, dispunh ns primirs décs d sécul XX, xplificd pl bt ntr

Leia mais

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira S 1- Litt, Lit Rflxã 3- t D q vz? Jé Rid Mi Cpítl 1 P gt Td é di pfit p l: U liv lgl, d lid. E t d di fz d! P Hê: U di vô lá íti, vid hitói d tp q l id gt. P Hit: Ah, di d ihd, it l, it ág, it hi! P L:

Leia mais

MATRIZES. Matriz é uma tabela de números formada por m linhas e n colunas. Dizemos que essa matriz tem ordem m x n (lê-se: m por n), com m, n N*

MATRIZES. Matriz é uma tabela de números formada por m linhas e n colunas. Dizemos que essa matriz tem ordem m x n (lê-se: m por n), com m, n N* MTRIZES DEFINIÇÃO: Mtriz é um tl d númros formd por m linhs n coluns. Dizmos qu ss mtriz tm ordm m n (lê-s: m por n), com m, n N* Grlmnt dispomos os lmntos d um mtriz ntr prêntss ou ntr colchts. m m m

Leia mais

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 06-06-10

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 2010 JUNHO/2010 RESOLUÇÃO DAS 10 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA TARDE - MÓDULO DISCURSIVO São curiosos os números. Às vezes é mis útil rredondá-los do que trblhr com seu vlor

Leia mais

População sofre com a falta de esgoto

População sofre com a falta de esgoto Jrnl Gurpuv, mi 2009 An 5 Ediçã 4 Ppulçã sfr cm flt sgt Gbril Jcubski Jrdim s Amrics Hj, mis 40.000 psss vivm sm r sgt m Gurpuv, mis 4.000 smnt n birr Jrdim s Amrics. p. 08 09 Prfitur x Snpr Entn pr Prfitur

Leia mais

, então ela é integrável em [ a, b] Interpretação geométrica: seja contínua e positiva em um intervalo [ a, b]

, então ela é integrável em [ a, b] Interpretação geométrica: seja contínua e positiva em um intervalo [ a, b] Interl Deinid Se é um unção de, então su interl deinid é um interl restrit à vlores em um intervlo especíico, dimos, O resultdo é um número que depende pens de e, e não de Vejmos deinição: Deinição: Sej

Leia mais

IFC Câmpus Santa Rosa do Sul capacita 18 profissionais locais para elaboração do Cadastro Ambiental Rural CAR

IFC Câmpus Santa Rosa do Sul capacita 18 profissionais locais para elaboração do Cadastro Ambiental Rural CAR IFC Câmpus Snt Ros do Sul cpcit 18 profissionis locis pr lborção do Cstro Ambintl Rurl CAR No di 10 bril 2015, no Cntro Trinmnto Arrnguá (CETRAR), foi rlizdo um curso cpcitção profissionis rgião pr lborção

Leia mais

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL 3 4 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM SOPOR 30.400.83.7 XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM MUTIR 30.400.84. IRM INTRLIÇÃO UTOMÇÃO XX -SL 3 0// INTIIÇÃO OS SNSORS UMI PRSSÃO /03/4

Leia mais

DICAS PARA CÁLCULOS MAIS RÁPIDOS ARTIGO 03

DICAS PARA CÁLCULOS MAIS RÁPIDOS ARTIGO 03 DICAS PARA CÁLCULOS MAIS RÁPIDOS ARTIGO 0 Em algum momnto da sua vida você dcorou a tabuada (ou boa part dla). Como você mmorizou qu x 6 = 0, não prcisa fazr st cálculo todas as vzs qu s dpara com l. Além

Leia mais

AQUECEDORES & PRESSURIZADORES. AF114 Catalogo Aquecedores 2014 AB 400x200mm.indd 1 04/06/14 10:32

AQUECEDORES & PRESSURIZADORES. AF114 Catalogo Aquecedores 2014 AB 400x200mm.indd 1 04/06/14 10:32 QUEEDORES & PRESSURIZDORES 2014 F114 lg qud 2014 400x200.indd 1 04/06/14 10:32 Linh Águ Qun Obi. Mi fiin, i unávl. S unávl é uiliz u nui d f i inlign. É iiz uld, duzi dpdíi, g i i fiz. É i qu Linh Águ

Leia mais