Resolução CONSAD nº 01/2001 R E S O L V E

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resolução CONSAD nº 01/2001 R E S O L V E"

Transcrição

1 CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIA CONSAD Resolução CONSAD nº 01/2001 O Presidente do Conselho Superior de Administração Universitária CONSAD e Reitor da Universidade de Cuiabá, Professor Altamiro Belo Galindo, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 5º, inciso IV, do Regimento Geral da Universidade de Cuiabá, e à vista da manifestação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão em reunião extraordinária realizada em 08 de maio do corrente ano e do que deliberou este Conselho em reunião extraordinária de 21 de maio de 2001, R E S O L V E art. 1º - Fixar, pela presente Resolução, as regras básicas, critérios e procedimentos a serem adotados pela comunidade universitária, quando das solenidades de outorga de grau. Capítulo I Das Disposições Gerais art. 2º - A outorga ou colação de grau é evento solene do Conselho Superior de Administração Universitária, através do qual o seu Presidente, o Reitor, usando das prerrogativas que lhe são atribuídas pela legislação, confere ao formando o grau de bacharel, licenciado, ou ambos, no âmbito da área de conhecimento por ele concluída. art. 3º - Ato solene que é, as atividades antecedentes e preparatórias, além

2 do próprio desenvolvimento da cerimônia de colação de grau, deverão atender criteriosamente a totalidade da presente Resolução, sob pena de aplicação das disposições disciplinares previstas no Regimento Geral, além de sanções àquele que, por circunstância pessoal, não está sujeito ao regime disciplinar da Universidade. art. 4º - Os formandos serão representados pela respectiva Comissão de Formatura, bem como as comunicações de e para os mesmos, serão sempre realizadas através da Comissão. 1º - Os formandos designarão sua Comissão de Formatura, através do critério que entenderem satisfatório e deverão entregar ao Cerimoninal Universitário, tão logo a escolha seja feita, a relação de seus membros e cópia da respectiva ata do processo de escolha, contendo as assinaturas dos formandos. 2º Na hipótese de os formandos não comporem mencionada Comissão, a Universidade designará um deles para desenvolver tais atividades, ficando o mesmo responsável por todos os procedimentos preparatórios da formatura, e somente será substituído quando for apresentada, por escrito, a comissão escolhida na forma do parágrafo anterior. 3º - É obrigação dos membros da Comissão de Formatura, bem como do aluno a que se refere o 1º, manterem criteriosamente atualizados seus respectivos endereços, CEPs, telefones, e.mails ou telefones de contato, para a mais rápida e segura comunicação entre as partes, sob pena de os prejuízos daí decorrentes serem de responsabilidade exclusiva dos formandos. Capítulo II Dos Calendários 2

3 Seção I Do Calendário Oficial art. 5º - O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, quando da elaboração do Calendário Escolar, fixará o período em que deverão ser realizadas as colações de grau, identificado por Calendário Oficial de Colação de Grau. único - O Calendário Oficial de Colação de Grau, divulgado em setembro de cada ano, fixará as datas de colação de grau de agosto do ano seguinte, bem como o de janeiro subseqüente 1. art. 6º - Nas colações de grau realizadas na forma do Calendário Oficial, todas as despesas tais como aluguel de salão, som, decoração, cerimonial e similares correrão à conta da Universidade. Seção II Do Calendário Especial art. 7º - Os formandos poderão requerer a fixação de data especial para a solenidade de colação de grau, que não aquelas previstas no Calendário Oficial, desde que o requerimento seja firmado pela totalidade dos formandos. 1º - O pedido de Calendário Especial deverá ser apresentado ao Cerimonial Universitário, improrrogavelmente, até 60 (sessenta) dias após a divulgação do Calendário Oficial de Colação de Grau, quer para as colações de grau a serem realizadas em agosto, quer para aquelas a serem realizadas em janeiro subseqüente 2. 2º - Na hipótese de ocorrer coincidência de datas pretendidas por mais de uma Comissão de formandos, a data pretendida será deferida àquela que 1. Com a redação dada pelo art. 1º da Resolução CONSAD nº 04/02, de Com a redação dada pelo art. 2º da Resolução CONSAD nº 04/02, de

4 primeiro requereu, verificada esta circunstância pelo protocolo de recebimento do respectivo requerimento, expediente este de responsabilidade da Comissão interessada. 3º - Os pedidos de data especial formulados em desacordo com este artigo serão indeferidas de plano. 4º - A data escolhida pela Comissão de Formatura de que trata esta Seção, não poderá ser antecedente à data respectiva, fixada no Calendário Oficial e designada na forma da Seção anterior 3. art. 8º - Uma vez marcadas para ocorrerem no transcorrer de período letivo, as colações de grau em data especial de cursos oferecidos no período diurno e noturno, somente poderão ser realizadas aos sábados, sob pena de indeferimento de plano de pedido que não atenda esta condição. único - Sendo o Curso oferecido em apenas um período (diurno ou noturno), o horário da colação de grau em data especial será marcada para aquele em que o curso não é oferecido. art. 9º - Nas colações de grau realizadas na forma do artigo 7º e seus parágrafos, todas as despesas tais como aluguel de salão, som, decoração, cerimonial correrão à conta e serão de responsabilidade dos formandos. Capítulo III Dos Procedimentos art O Calendário Oficial de que trata o artigo 5º, designará as datas das solenidades de colação de grau dos diversos Cursos oferecidos pela Universidade de Cuiabá, sendo prerrogativa desta, buscando atender os interesses envolvidos, agrupar em uma mesma solenidade os formandos de um ou mais Cursos, ou promover colações de grau que envolva apenas um 3 Parágrafo acrescido pelo art. 3º da Resolução CONSAD nº 04/02, de

5 Curso. art O calendário organizado na forma do artigo anterior somente poderá ser alterado por iniciativa exclusiva da Universidade. Capítulo IV Dos Locais art. 12 Para as solenidades de Colação de Grau do Calendário Oficial, a Universidade reserva-se o direito exclusivo de escolher o local em que a mesma ocorrerá, podendo para tanto locar espaço físico que entenda conveniente, ou utilizar espaço próprio, que exista ou que venha a existir, onde entenda que possa a solenidade ser realizada. art. 13 Para as solenidades de Colação de Grau do Calendário Especial, a Comissão de Formatura, quando da apresentação do requerimento de que trata o 1º do artigo 7º, indicará o local em que pretenda realizar a solenidade, podendo a Universidade aceitar ou não o local, devendo tal manifestação realizar-se no prazo de dez dias da entrega do requerimento. O silêncio da Universidade, neste aspecto, será interpretado como aquiescência com a escolha do local pela Comissão. art O local escolhido pela Comissão deverá contar com sala reservada, com ar condicionado, que abrigue a totalidade dos formandos, das autoridades acadêmicas e dos convidados de honra que comporão a mesa. O salão destinado à solenidade deverá conter palco principal e palco para alunos, professores e músicos. Capítulo V Dos Serviços Prestados por Terceiros art. 15 Poderão os formandos, representados pela respectiva Comissão, requerer que determinados serviços a serem prestados no transcorrer da 5

6 solenidade de colação de grau, ou a totalidade deles, sejam prestados por empresa(s) especializada(s) por eles contratada. único Tal pedido poderá ter por objeto tanto as colações de grau do Calendário Oficial como as do Especial. art. 16 Optando pela prestação dos serviços de que trata anterior, os formandos arcarão com todas as despesas daí decorrentes, seja a colação de grau do Calendário Oficial ou do Especial. Seção I Do Cadastramento art. 17 A empresa prestadora dos serviços referidos neste Capítulo deverá cadastrar-se previamente junto à Universidade, no Setor de Cerimonial, apresentando para tanto: I Contrato social ou equivalente, atualizado, devidamente registrado no órgão competente; II Certidão Negativa de Débitos, atualizada; III Prova de estar registrado no Cadastro Nacional de Cerimonial Público; IV Apresentar referências de serviços já prestados em cerimonial universitário; V Declaração firmada pelos titulares da empresa, designando pessoa(s) para representá-la junto à Universidade e as Comissões de Formatura, bem como para tomar as providências necessárias ao desempenho de seus trabalhos; VI Declaração firmada pelos titulares da empresa pela qual assumem total 6

7 responsabilidade pelas despesas de qualquer natureza, realizadas em função da contratação de seus serviços, relativas a pessoal, máquinas, equipamentos, direitos de terceiros, inclusive junto à Ordem dos Músicos e sociedades arrecadadoras de direitos autorais; VII Declaração firmada pelos titulares da empresa, pela qual assumem total responsabilidade pelos danos que vierem a ser causados a pessoas ou patrimônio, quer da Universidade, quer do eventual locador do local da realização da cerimônia, quer dos formandos ou das demais pessoas presentes, em decorrência da utilização inadequada, defeituosa ou deficiente de maquinas, instalações, fios condutores, lâmpadas, equipamentos acústicos, de projeção, gravação ou qualquer outro que venha a ser por ela utilizado. VIII - Declaração firmada pelos titulares da empresa, pela qual informam conhecer o teor da presente Resolução, a ela se subordinando e comprometendo-se a cumpri-la em todos os seus termos. art. 18 Ao cadastramento prévio estão sujeitas todas as empresas que, direta ou indiretamente, prestarem serviços de qualquer espécie no transcorrer da solenidade ou em virtude dela. art. 19 Vindo determinada empresa sub-contratar com outra a prestação, parcial ou total de seus serviços, aquela responderá por esta, para os efeitos desta Seção. Seção II Das Penalidades art. 20 Ocorrendo infringência pela empresa de prestação de serviços de dispositivo constante desta Resolução, ou de outra determinação que tenha recebido da Universidade de Cuiabá, esta se reserva o direito de excluí-la do cadastro referido no artigo 17, acarretando sua impossibilidade de participar 7

8 de outras solenidades, mesmo que já tenha sido contratada pelos formandos. único A reinclusão no cadastro de empresa que já tenha sido excluída anteriormente é ato que decorre de decisão soberana da Universidade de Cuiabá. Capítulo VI Do Desenvolvimento da Solenidade de Colação de Grau Seção I Da Competência art A outorga de grau é de competência do Reitor da Universidade de Cuiabá, podendo o mesmo ser substituído, em suas faltas e impedimentos, na forma do Estatuto e do Regimento Geral da instituição. Seção II Das Vestes Talares art. 22 Para a cerimônia de colação de grau, as autoridades acadêmicas usarão as vestes talares próprias, compostas de beca preta, superposta de sobrepeliz e faixa de cintura. 1º É branca a sobrepeliz, o capelo e a faixa utilizada pelo Reitor. O seu substituto utilizará a que lhe é própria, em virtude do cargo que ocupe na Universidade de Cuiabá. 2º - As demais autoridades acadêmicas integrantes da mesa de honra ou aquelas homenageadas em palco especial, trajarão beca preta, somada à sobrepeliz e faixa de cintura na cor designativa do Curso do qual pertençam. 3º - Os formandos trajarão beca preta, com faixa de cintura na cor designativa do Curso no qual se graduam. O capelo, que deve ser mantido à mão pelos formandos, somente poderá ser vestido no momento da outorga 8

9 do grau e nos atos que lhe são subseqüentes. 4º - Aos demais integrantes da mesa de honra o traje recomendado é passeio completo, em cor escura. Seção III Dos Oradores e do Juramento art Um dos formandos, escolhido por seus pares, fará uso da palavra em determinado momento da solenidade de formatura, devendo elaborar o discurso a ser submetido à turma e, após, ao Diretor de sua Faculdade que o encaminhará ao Guichê de Redação para revisão gramatical e ortográfica. 1º - Haverá apenas um orador dos Cursos de uma mesma Faculdade, escolhido entre os alunos, através de reunião entre as comissões de formatura e informado ao Cerimonial Universitário. 2º - O Orador da Turma falará da tribuna, em nome dos formandos, pelo tempo máximo de 5 (cinco) minutos. art Cada turma poderá escolher até três pessoas para homenagear. Tais homenagens deverão contemplar o Patrono, o Paraninfo, o Nome de Turma ou o Amigo da Turma. 1º - Apenas um dos homenageados pela turma fará uso da palavra na solenidade de formatura, e seu discurso não deverá exceder a cinco minutos. 2º - Revogado 4. art Na colação de grau de Cursos da mesma Faculdade, sendo o juramento único para todos os Cursos, haverá apenas um jurador; ao contrário, tantos haverá quantos forem os juramentos a serem proferidos. 4 Parágrafo revogado pelo art. 5º da Resolução CONSAD nº 04/02, de

10 único - O condutor da cerimônia convidará o jurador para usar a tribuna e proferir o juramento em nome da turma. Com o braço direito estendido, o jurador lê o juramento, enquanto os demais formandos, em pé e também com braço direito estendido, repetem-no. Capítulo VII Dos Participantes da Solenidade de Colação de Grau art. 26 Participam da solenidade de colação de grau: I - Reitor ou seu representante legal; II Pró-Reitor Acadêmico; III Pró-Reitor Administrativo; IV - Diretor de Faculdade; V - Diretor de Clínica, Hospital ou do Estágio; VI - Coordenador de Ensino; VII Autoridades públicas; VIII Convidados; IX Homenageados, e X Formandos. único É condição indispensável para o formando participar da solenidade de colação de grau: 10

11 I - Ter concluído a estrutura curricular do curso, obtendo aprovação em todas as disciplinas ou atividades exigidas como obrigatórias para a conclusão do curso; II - Ter apresentado a documentação completa, de acordo com a Portaria 33 do Ministério da Educação, necessária à expedição do diploma, a saber: a) Carteira de Identidade ou documento equivalente que a lei reconheça como prova de identidade civil 5 ; b) Título de Eleitor; c) Documento Militar; d) Certidão de nascimento e/ou casamento; e) Histórico e Certificado do Ensino Médio devidamente registrado pelo órgão competente; art Para o acadêmico que se transferiu para a Universidade de Cuiabá, no transcorrer do curso no qual se gradua, além da documentação de que trata o único do artigo anterior, é indispensável a Guia de Transferência, acompanhada de Histórico Escolar. 1º - O acadêmico que requereu e teve deferido aproveitamento de disciplina, além da documentação de que trata o único do artigo anterior, é indispensável apresentar Histórico Escolar de 3º Grau. 2º - O acadêmico que já seja graduado em outro Curso Superior e que deste fato se tenha utilizado para ingresso da Universidade de Cuiabá, além da documentação de que trata o único do artigo anterior, é indispensável a 5 Com a redação data pelo art. 6º da Resolução CONSAD nº 04/02, de

12 apresentação do Histórico Escolar e do Diploma do Curso Superior no qual é graduado. Capítulo VIII Do Ato Solene de Colação de Grau art Sendo a Colação de Grau uma solenidade de cunho acadêmico, à cerimônia e a todos os presentes é devido absoluto respeito, razão pela qual o horário determinado para sua realização deverá ser cumprido pontualmente. art Os formandos deverão estar presentes no local da solenidade com antecedência mínima de uma hora do início da cerimônia, para conferência e assinatura do livro ata. Caberá à Comissão de Formatura alertar seus homenageados, para que estejam presentes ao local da cerimônia com pelo menos trinta minutos de antecedência e tão logo cheguem ao local, deverão identificar-se à recepção do cerimonial, para facilitar o trabalho e evitar-se, assim, atraso da solenidade. art. 30 A solenidade de colação de grau será desenvolvida segundo o roteiro assim fixado 6 : I Composição da mesa: a) Reitor ou seu representante legal; b) Pró-Reitor Acadêmico; c) Pró-Reitor Administrativo; d) Diretor da Faculdade; e) Coordenador de Clínica, Hospital, Estágio ou equivalente; f) Homenageados, g) Autoridades Públicas. 6 A redação dos incisos do artigo 30 foi alterada pelo art. 1º da Resolução CONSAD nº 06/2002, de

13 II Entrada do Corpo Docente; III Entrada dos formandos; IV Abertura pelo Reitor, seguida da execução do Hino Nacional Brasileiro; V Discursos: a) Orador da Turma, b) Um dos representantes dos homenageados. VI Homenagens da Universidade; VII Juramentos; VIII Termo de Colação de Grau; IX Entrega dos Certificados, X Encerramento. único Com o fim de atender circunstâncias específicas, pode o Reitor alterar a ordem de composição da mesa de que trata o inciso I deste artigo, bem como do próprio desenrolar da cerimônia, descrita nos demais incisos. art. 31 Outorgando o grau, o Reitor procede a entrega do certificado de conclusão do curso, sendo que o diploma respectivo será entregue pelo Setor de Expedição de Diplomas, até oito meses após a colação de grau. 1º A retirada do diploma deverá ser feita pessoalmente pelo graduado, e somente será deferida a terceiro, quando munido de procuração específica para tal fim, com firma reconhecida, a qual ficará arquivada no local próprio. 13

14 2º - No período a ser marcado pelo Setor de Expedição de Diplomas, o formando deverá preencher a solicitação de diploma. O diploma será emitido no tipo de papel escolhido pelo aluno, no Setor de Expedição de Diplomas, não sendo confeccionado o diploma do formando que não fizer a solicitação. 3º - Conforme estipula o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais firmado entre o acadêmico e a Universidade, o diploma e seu respectivo registro deverá ser pago pelo formando, não estando tais despesas cobertas pelas anuidades escolares. 4º - Os porta-diplomas ( canudos ) deverão ser entregues pela Comissão de Formatura, com 30 (trinta) dias de antecedência da data da colação de grau, no Setor de Expedição de Diplomas da UNIC. art A outorga de grau não será dispensada em nenhuma hipótese. Na impossibilidade de comparecimento do formando à solenidade oficial de Outorga de Grau, por motivo justificado, comprovado por meio de requerimento e documentos comprobatórios, este poderá, posteriormente, prestar juramento e receber o grau, na Reitoria da Universidade, recebendo nesta ocasião, o Certificado de Conclusão do Curso, em data e horário designados junto à Coordenação de Cerimonial, em cerimônia coletiva com todos os demais em situação semelhante. art A elaboração da Ata de Outorga de Grau é de competência da Secretaria Acadêmica, que a enviará à Coordenação de Cerimonial em data prevista no Calendário Acadêmico e confirmada na solenidade oficial pelo Cerimonial Universitário. único - A Ata deverá ser assinada por todos os formandos, sendo condição sine qua non para o recebimento do Certificado de Conclusão de Curso na solenidade de Outorga de Grau e para o registro do diploma respectivo. 14

15 art A Comissão de Formatura deverá convidar, por escrito, as pessoas que pretenda homenagear. Após receber a aceitação e a confirmação da presença dos homenageados, a Comissão providenciará a confecção dos convites. 1º - O Cerimonial deverá receber um convite, com antecedência de 30 dias, para elaboração do roteiro da cerimônia. 2º - A entrega dos Convites aos diretores, coordenadores, professores e funcionários, ficará a cargo da Comissão de Formatura. 3º - Os convites das autoridades públicas ficarão a cargo da Universidade. 4º - A confecção, o modelo e os custos do convite são de encargo da Comissão de Formatura, devendo conter obrigatoriamente a seguinte estrutura: o nome da Universidade de Cuiabá, o nome do Reitor, do Pró- Reitor Acadêmico, do Pró-Reitor Administrativo, além dos nomes do Diretor de Faculdade, Vice Diretor da Faculdade, Diretor de Clínica e ou Hospital, Coordenador de Estágio, Paraninfo, Patrono, Corpo Docente, Professores e Funcionários Homenageados, se houver, os nomes de todos os formandos, do orador da turma e do jurador. art A comissão de formatura deverá marcar com antecedência mínima de quinze dias, junto à Coordenação de Extensão - COEX, o local de fixação, data e hora do descerramento da Placa da Turma, alusiva à colação de grau. O local de fixação da placa será determinado pela Universidade, dentre aqueles sugeridos pela Comissão, sendo que a marcação do local será feita atendida a rigorosa ordem cronológica em que os pedidos foram apresentados 7. 7 Com a redação dada pelo art. 7º da Resolução CONSAD nº 04/02, de

16 Capítulo IX Das Disposições Finais art. 36 Em dia designado pelo Setor de Cerimonial, preferentemente no próprio dia da colação de grau, será realizado o ensaio da solenidade, ao qual deverão comparecer todos os formandos. art Na cerimônia de colação de grau, não será permitido fazer homenagens, exceto nos discursos, a quaisquer alunos, professores ou convidados. art Fica terminantemente proibido o uso de buzinas, apitos ou qualquer outro meio ou instrumento sonoro, no decorrer da cerimônia. único Sendo ato do Conselho Superior de Administração Universitária e presidido pelo Reitor, a solenidade de colação de grau poderá ser suspensa por determinação do Reitor ou daquele que o substituir, sempre que se verificar, no seu transcurso, desrespeito às normas fixadas nesta Resolução, ou ainda o comportamento inadequado ou inconveniente de quaisquer dos participantes da solenidade. art A empresa contratada para fazer fotografias, filmagens e/ou instalação de telão deverá enviar um representante ao ensaio, para verificar as posições que deverão tomar no decorrer da cerimônia. único A localização do telão deverá atender o que determinar o Setor de Cerimonial no que respeita a sua localização, indicando este o mais adequado local para sua instalação. art Os estúdios de fotografias deverão ser montados na sala reservada, onde somente os formandos, autoridades acadêmicas e homenageados terão acesso, visando não tumultuar a chegada e acomodação dos convidados no salão onde será realizada a cerimônia. 16

17 art. 41 Os fotógrafos, operadores de câmaras, iluminadores e outros prestadores de serviços similares, em suas movimentações, deverão acatar as determinações oriundas do Setor de Cerimonial, sob pena de descredenciamento. art. 42 Os casos omissos neste Regulamento serão resolvidos pelo Conselho Superior de Administração Universitária ou a autoridade acadêmica competente para tanto. art. 43 O presente Regulamento entra em vigência na data de sua aprovação pelo Conselho Superior de Administração Universitária. art Revogam-se as disposições em contrário. Cuiabá, 21 de maio de Altamiro Belo Galindo Presidente do Conselho Superior de Administração Universitária Reitor da Universidade de Cuiabá 17

18 Índice Analítico CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO...1 UNIVERSITÁRIA CONSAD...1 Resolução CONSAD nº 01/ Capítulo I...1 Das Disposições Gerais...1 Capítulo II...2 Dos Calendários...2 Seção I...3 Do Calendário Oficial...3 Seção II...3 Do Calendário Especial...3 Capítulo III...4 Dos Procedimentos...4 Capítulo IV...5 Dos Locais...5 Capítulo V...5 Dos Serviços Prestados por Terceiros...5 Seção I...6 Do Cadastramento...6 Seção II...7 Das Penalidades...7 Capítulo VI...8 Do Desenvolvimento da Solenidade de Colação de Grau...8 Seção I...8 Da Competência...8 Seção II...8 Das Vestes Talares...8 Seção III...9 Dos Oradores e do Juramento...9 Capítulo VII...10 Dos Participantes da Solenidade de Colação de Grau...10 Capítulo VIII...12 Do Ato Solene de Colação de Grau...12 Capítulo IX...16 Das Disposições Finais

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT MANTIDA PELA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MONTES CLAROS - FEMC TÍTULO I - DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente

Leia mais

I. DA COLAÇÃO DE GRAU E COMISSÃO DE FORMATURA 1) O

I. DA COLAÇÃO DE GRAU E COMISSÃO DE FORMATURA 1) O COLAÇÃO DE GRAU O presente documento tem por objetivo orientar os acadêmicos quanto as normas e procedimentos relativos a Colação de Grau dos Cursos de Graduação do Instituto de Ensino Superior de Londrina

Leia mais

MANUAL de FORMATURA UCPEL MANUAL DE FORMATURA

MANUAL de FORMATURA UCPEL MANUAL DE FORMATURA MANUAL DE FORMATURA INTRODUÇÃO Este manual tem por objetivo publicar normas e procedimentos para o planejamento, a organização e a execução das cerimônias de formatura da Universidade Católica de Pelotas

Leia mais

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 RESOLUÇÃO Nº.01/2010 Dispõe sobre Procedimentos para as Solenidades de Colação de Grau O Conselho

Leia mais

Manual de Formaturas. Faculdades Opet. Normas e procedimentos

Manual de Formaturas. Faculdades Opet. Normas e procedimentos Manual de Formaturas Faculdades Opet Normas e procedimentos 2014 0 Prof. José Antonio Karam Presidente do Grupo Educacional Opet Profª Adriana Veríssimo Karam Koleski Superintendente Educacional do Grupo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 012/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 012/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO RESOLUÇÃO Nº 012/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

Leia mais

Faculdade SENAC [REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU]

Faculdade SENAC [REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU] Faculdade SENAC [REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU] Regulamento de Colação de Grau Documento revisado em MARÇO/2012 APRESENTAÇÃO A conclusão de um curso superior é a celebração de uma grande conquista, portanto,

Leia mais

REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU. Art. 2º Em hipótese alguma haverá dispensa de Colação de Grau.

REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU. Art. 2º Em hipótese alguma haverá dispensa de Colação de Grau. REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU Art. 1º A Colação de Grau é ato oficial, público e obrigatório para os acadêmicos que tenham concluído integralmente um Curso de Graduação da Faculdade de Filosofia, Ciências

Leia mais

Do Ato. Da Competência. Art.2º - A outorga de grau compete ao Diretor Acadêmico das Faculdades Integradas de Itararé. Da Dispensa

Do Ato. Da Competência. Art.2º - A outorga de grau compete ao Diretor Acadêmico das Faculdades Integradas de Itararé. Da Dispensa Portaria 03/2008 Regulamento para a cerimônia de colação de Grau conferida aos concluintes dos cursos de graduação das Faculdades Integradas de Itararé. Do Ato Art.1º - A colação de grau nas Faculdades

Leia mais

COLÉGIO SALESIANO SAGRADO CORAÇÃO FACULDADE SALESIANA

COLÉGIO SALESIANO SAGRADO CORAÇÃO FACULDADE SALESIANA RESOLUÇÃO No. 01/2010 COLÉGIO SALESIANO SAGRADO CORAÇÃO Formaliza, regulamenta e disciplina os procedimentos para a solenidade de colação de grau dos Cursos Superiores da Faculdade Salesiana. O Diretor

Leia mais

SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU

SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU Por meio deste documento, a Faculdade Campo Limpo Paulista FACCAMP define critérios e regulamenta as seguintes diretrizes para o Cerimonial de Colação de Grau. A Cerimônia

Leia mais

FORMATURA INTRODUÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS 01 MANUAL DE

FORMATURA INTRODUÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS 01 MANUAL DE 01 MANUAL DE FORMATURA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS INTRODUÇÃO Este manual tem por objetivo publicar normas e procedimentos para o planejamento, a organização e a execução das cerimônias de formatura

Leia mais

FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ. Regulamento da Colação de Grau

FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ. Regulamento da Colação de Grau FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ Regulamento da Colação de Grau 2009 TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Colação de grau é um ato acadêmico-administrativo de reconhecimento institucional

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DAS COLAÇÕES DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CNEC GRAVATAÍ FCG

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DAS COLAÇÕES DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CNEC GRAVATAÍ FCG REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DAS COLAÇÕES DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CNEC GRAVATAÍ FCG CATÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA Art.1º A colação de grau ou formatura é ato

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 041/2004. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do Processo nº R- 045/2004, aprovou e eu promulgo a seguinte Deliberação:

DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 041/2004. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do Processo nº R- 045/2004, aprovou e eu promulgo a seguinte Deliberação: DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 041/2004 Dispõe sobre a Colação de Grau e dá outras providências. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do Processo nº R- 045/2004, aprovou e eu promulgo a seguinte Deliberação:

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Av. Engenheiro Diniz, 1178 - Bairro Martins - CP 593 38400-462 - Uberlândia-MG

Universidade Federal de Uberlândia Av. Engenheiro Diniz, 1178 - Bairro Martins - CP 593 38400-462 - Uberlândia-MG RESOLUÇÃO N o 04/2004, DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO, AD REFERENDUM Estabelece normas para a Colação de Grau dos alunos dos cursos de graduação da Universidade Federal de Uberlândia. O VICE-PRESIDENTE NO EXERCÍCIO

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMATURAS

REGULAMENTO DE FORMATURAS Texto Aprovado CONSU 2008-24 de 24/11/2008 Texto Revisado CONSU 2011-19 de 09/06/2011 Texto Revisado CONSU 2014-01 de 31/03/2014 REGULAMENTO DE FORMATURAS 2014 Sumário Seção I Das Disposições Gerais...

Leia mais

Norma nº 04/2001. Páginas: 09

Norma nº 04/2001. Páginas: 09 Norma nº 04/2001 Páginas: 09 Preparado por: Núcleo de Eventos Autorizado por: Portaria do Reitor nº 42/2001, de 20.12.2001 Objeto: Norma de Colação de Grau e Diplomação Abrangência: Universidade Vila Velha

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

Leia mais

CONSELHO DIRETOR - CONSED. Resolução CONSED nº 01/2006

CONSELHO DIRETOR - CONSED. Resolução CONSED nº 01/2006 1 CONSELHO DIRETOR - CONSED Resolução CONSED nº 01/2006 O Presidente do Conselho Diretor CONSED da Faculdade do Acre e Barão do Rio Branco, Professor Marco Antonio Carvalho Falcão, no uso das atribuições

Leia mais

MANUAL DA SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU. Cerimonial Acadêmico

MANUAL DA SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU. Cerimonial Acadêmico MANUAL DA SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU Cerimonial Acadêmico Juína MT 1 Disposições Gerais A conclusão de um curso superior, certamente é o ápice da celebração do acadêmico - resultado de uma grande conquista.

Leia mais

Manual de Formatura. Manual de Formatura NOVA Faculdade

Manual de Formatura. Manual de Formatura NOVA Faculdade Manual de Formatura Direção Diretora Executiva Renata Carla Castro Diretor Geral Pablo Bittencourt Diretor Acadêmico Ricardo Medeiros Ferreira Este manual tem a finalidade de orientar os procedimentos

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA COLAÇÃO DE GRAU COMISSÕES DE FORMATURA

INSTRUÇÕES PARA COLAÇÃO DE GRAU COMISSÕES DE FORMATURA INSTRUÇÕES PARA COLAÇÃO DE GRAU COMISSÕES DE FORMATURA Caros formandos A solenidade de outorga de grau, denominada Colação de Grau, é o ato oficial, público e obrigatório, por meio do qual o aluno, concluinte

Leia mais

MANUAL DE FORMATURA 2015

MANUAL DE FORMATURA 2015 MANUAL DE FORMATURA 2015 MANUAL DE FORMATURA DA FACIG válido para turmas que Colarão Grau a partir de dezembro de 2015 1. FORMATURA A Formatura ou Colação de Grau é um ato oficial que marca o fim do curso

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU 1. Da Compreensão da Solenidade de Colação de Grau A Solenidade de Colação de Grau, informalmente denominada de formatura, constitui um ato oficial e solene da Universidade destinado

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as

Leia mais

CERIMONIAL UNIVERSITÁRIO. Solenidade de Colação de Grau

CERIMONIAL UNIVERSITÁRIO. Solenidade de Colação de Grau CERIMONIAL UNIVERSITÁRIO Solenidade de Colação de Grau A cerimônia de colação de grau é o último ato institucional da Faculdade, quando, perante a comunidade acadêmica e representantes externos, é outorgado

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 16, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 16, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014 RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 16, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014 Estabelece o Manual de Formatura dos cursos de graduação das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão das Faculdades

Leia mais

4º É obrigatório o uso da beca durante a solenidade de Colação de Grau, exceto para o ato de colação de grau em gabinete.

4º É obrigatório o uso da beca durante a solenidade de Colação de Grau, exceto para o ato de colação de grau em gabinete. O Diretor Presidente do Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras (IAESB) e o Diretor Acadêmico da Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB), no uso de suas respectivas atribuições estatutárias

Leia mais

PORTARIA N 015/2011/FEST REGULA OS ATOS SOLENES DE COLAÇÃO DE GRAU DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SANTA TEREZINHA (FEST).

PORTARIA N 015/2011/FEST REGULA OS ATOS SOLENES DE COLAÇÃO DE GRAU DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SANTA TEREZINHA (FEST). PORTARIA N 015/2011/FEST REGULA OS ATOS SOLENES DE COLAÇÃO DE GRAU DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SANTA TEREZINHA (FEST). A DIRETORA GERAL da Faculdade de Educação Santa Terezinha (FEST) no uso de suas prerrogativas,

Leia mais

REITORIA REGULAMENTO CERIMÔNIAS OFICIAIS DE COLAÇÃO DE GRAU

REITORIA REGULAMENTO CERIMÔNIAS OFICIAIS DE COLAÇÃO DE GRAU REITORIA REGULAMENTO CERIMÔNIAS OFICIAIS DE COLAÇÃO DE GRAU Aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Vila Velha, em 24/06/2015, através da Resolução nº 12/2015. VILA VELHA

Leia mais

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CEFET-BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CEFET-BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CEFET-BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

Norma de Eventos Institucionais e Oficiais - Universidade Federal de Itajubá

Norma de Eventos Institucionais e Oficiais - Universidade Federal de Itajubá Norma de Eventos Institucionais e Oficiais - Universidade Federal de Itajubá 1 Esta norma regulamenta a realização dos eventos institucionais e oficiais da Universidade Federal de Itajubá, padronizando

Leia mais

Manual de Formatura 2010. Manual de Formatura UNIPBFPB

Manual de Formatura 2010. Manual de Formatura UNIPBFPB Manual de Formatura UNIPBFPB 2010 I FORMATURA SUMÁRIO Manual de Formatura 2010 II ORIENTAÇÕES PARA OS FORMANDOS 1. Solicitação de Colação de Grau 2. Documentação para a Colação de Grau III INFORMAÇÕES

Leia mais

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU INTRODUÇÃO A outorga de grau acadêmico é a confirmação de que o aluno formando completou todos os requisitos exigidos pela lei e pelos regulamentos do país para ter acesso ao

Leia mais

PORTARIA-DG-025/2008 REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA COLAÇÃO DE GRAU NO ÂMBITO DAS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA (FARESC)

PORTARIA-DG-025/2008 REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA COLAÇÃO DE GRAU NO ÂMBITO DAS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA (FARESC) PORTARIA-DG-025/2008 REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA COLAÇÃO DE GRAU NO ÂMBITO DAS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA (FARESC) O Diretor Geral, no uso das atribuições que lhe confere os incisos

Leia mais

Prezado(a) Acadêmico(a),

Prezado(a) Acadêmico(a), MANUAL DE FORMATURA 2 Prezado(a) Acadêmico(a), Ao cumprir a integralização curricular estabelecida para seu curso, está na hora de organizar a comemoração. Para tentar facilitar esta tarefa, a FACIMP elaborou

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Colação de Grau Solene

APRESENTAÇÃO. Colação de Grau Solene 1 APRESENTAÇÃO A Solenidade de Colação de Grau ou Formatura é um dos momentos mais importantes para a comunidade acadêmica, pois concretiza o trabalho desenvolvido durante o período de estudos na faculdade

Leia mais

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CAMPUS BARBACENA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CAMPUS BARBACENA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CAMPUS BARBACENA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS COLAÇÃO DE GRAU 2 Faculdade Católica Dom Orione Cerimonial e Eventos Universitários - CEU MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS COLAÇÃO DE GRAU Araguaína, 2014 3 O Cerimonial é a rigorosa observância de um conjunto de formalidades,

Leia mais

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA Coronel Fabriciano, Abril de 2010 1 SUMÁRIO TITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 TÍTULO II DA COMISSÃO PERMANENTE DE FORMATURA 3 TÍTULO III DA SOLENIDADE 5 CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS COLAÇÕES DE GRAU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UnirG CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO PARA AS COLAÇÕES DE GRAU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UnirG CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS E FINS MUNICÍPIO DE GURUPI ESTADO DO TOCANTINS FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSIÁRIO UNIRG REITORIA REGULAMENTO PARA AS COLAÇÕES DE GRAU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UnirG CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º Este

Leia mais

EDITAL Nº 01/2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DO IFPR CAMPUS PITANGA

EDITAL Nº 01/2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DO IFPR CAMPUS PITANGA EDITAL Nº 01/2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DO IFPR CAMPUS PITANGA O INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ IFPR, no uso de suas atribuições, torna público o presente Edital com normas que regem o Processo simplificado

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES PÚBLICAS SOLENES OU SIMPLES DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E TECNÓLOGOS

REGULAMENTO DAS SESSÕES PÚBLICAS SOLENES OU SIMPLES DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E TECNÓLOGOS REGULAMENTO DAS SESSÕES PÚBLICAS SOLENES OU SIMPLES DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E TECNÓLOGOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E LETRAS FACEL Este regulamento pretende servir

Leia mais

REGULAMENTO DO TCC DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE SÃO LOURENÇO

REGULAMENTO DO TCC DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE SÃO LOURENÇO REGULAMENTO DO TCC DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE SÃO LOURENÇO São Lourenço 2016 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. O Trabalho de Conclusão do Curso TCC é atividade curricular obrigatória e

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE GUAIRACÁ CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE GUAIRACÁ CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINS REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE GUAIRACÁ CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINS Este regulamento serve como instrumento informativo e orientador

Leia mais

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA Coronel Fabriciano, Abril de 2010 SUMÁRIO TITULO I TÍTULO II TÍTULO III DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DA COMISSÃO PERMANENTE DE FORMATURA DA SOLENIDADE 3 3 4 CAPÍTULO

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU Nº 030/2013,

RESOLUÇÃO CONSU Nº 030/2013, IF SUDESTE MG REITORIA Av. Francisco Bernardino, 165 4º andar Centro 36.013-100 Juiz de Fora MG Telefax: (32) 3257-4100/4149 e-mail: gabinete@ifsudestemg.edu.br RESOLUÇÃO CONSU Nº 030/2013, de 25 de novembro

Leia mais

SOBRESP - Faculdade de Ciências da Saúde. Edital 002/2016. Processo Seletivo

SOBRESP - Faculdade de Ciências da Saúde. Edital 002/2016. Processo Seletivo SOBRESP - Faculdade de Ciências da Saúde Edital 002/2016 Processo Seletivo A Direção da SOBRESP - Faculdade de Ciências da Saúde torna públicas as normas a seguir, que regem o Processo Seletivo Vestibular

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 010, de 19 de dezembro de 2012.

RESOLUÇÃO Nº 010, de 19 de dezembro de 2012. Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Ibirubá RESOLUÇÃO Nº 010, de 19 de dezembro de 2012.

Leia mais

NORMAS DA COLAÇÃO DE GRAU E CERIMONIAL DE FORMATURA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFCSPA. CAPÍTULO I Da Solenidade

NORMAS DA COLAÇÃO DE GRAU E CERIMONIAL DE FORMATURA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFCSPA. CAPÍTULO I Da Solenidade NORMAS DA COLAÇÃO DE GRAU E CERIMONIAL DE FORMATURA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFCSPA CAPÍTULO I Da Solenidade Art. 1º A colação de grau da UFCSPA é o ato oficial, de caráter obrigatório, público e solene

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. PREÂMBULO. A Faculdade Cenecista de Osório, no uso de suas atribuições decorrentes da Resolução nº. 1 de junho

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO SALVADOR.

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO SALVADOR. REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO SALVADOR. Este regulamento pretende servir de instrumento informativo e orientador das cerimônias

Leia mais

Anexo I da Organização Didática Resolução nº 031/2010 33

Anexo I da Organização Didática Resolução nº 031/2010 33 ANEXO I ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 NORMAS ACADÊMICAS DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA,

Leia mais

Informações gerais 3. A Cerimônia/Categorias 4. Passo-a-passo 5. Responsabilidades da Comissão de Formatura 6. Músicas da Cerimônia 7

Informações gerais 3. A Cerimônia/Categorias 4. Passo-a-passo 5. Responsabilidades da Comissão de Formatura 6. Músicas da Cerimônia 7 Índice Informações gerais 3 A Cerimônia/Categorias 4 Passo-a-passo 5 Responsabilidades da Comissão de Formatura 6 Músicas da Cerimônia 7 Convite de Formatura 8 O Juramento 10 O orador 11 Perguntas Frequentes

Leia mais

RESOLUÇÃO DE REITORIA Nº 109/2008, DE 05 DE MAIO DE 2008.

RESOLUÇÃO DE REITORIA Nº 109/2008, DE 05 DE MAIO DE 2008. RESOLUÇÃO DE REITORIA Nº 109/2008, DE 05 DE MAIO DE 2008. Institui Normas e Procedimentos para as Solenidades de Colação de Grau dos Cursos de Graduação e Graduação Tecnológica do Unilasalle. O Reitor

Leia mais

UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇO, ENSINO E PESQUISA LTDA - UNISEPE REGIMENTO INTERNO COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS (CEUA)

UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇO, ENSINO E PESQUISA LTDA - UNISEPE REGIMENTO INTERNO COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS (CEUA) REGIMENTO INTERNO COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS (CEUA) Agosto/2011 CAPÍTULO I SEÇÃO I DA NATUREZA Art. 1º A Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) da União das Instituições de Serviço, Ensino

Leia mais

CAPÍTULO I DO OBJETIVO

CAPÍTULO I DO OBJETIVO REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E INTEGRADO CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1º. O presente regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

Manual de Procedimentos - Colação Oficial UNILASALLE/RJ

Manual de Procedimentos - Colação Oficial UNILASALLE/RJ Manual de Procedimentos - Colação Oficial UNILASALLE/RJ As solenidades de Colação de Grau dos formandos do Centro Universitário La Salle (UNILASALLE/RJ), a contar do primeiro semestre de 2012 (solenidades

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL D.O.U nº. 078 - de 23/04/84, Seção I, Pág.5742 RESOLUÇÃO COFFITO-37

CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL D.O.U nº. 078 - de 23/04/84, Seção I, Pág.5742 RESOLUÇÃO COFFITO-37 CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL D.O.U nº. 078 - de 23/04/84, Seção I, Pág.5742 RESOLUÇÃO COFFITO-37 Baixa o novo texto do REGULAMENTO para registro de empresas nos Conselhos Regionais

Leia mais

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário. ATO ADMINISTRATIVO REITORIA Nº 15/2015 Aprova o Edital do Processo Seletivo do Programa de Integralização de Créditos para a Conclusão do Curso Superior de Teologia Vestibular 2º semestre de 2015 O REITOR

Leia mais

Solenidade de Colação de Grau

Solenidade de Colação de Grau Solenidade de Colação de Grau A conclusão do curso é a celebração do estudante em face de uma grande conquista. A Cerimônia de Conclusão é um dos mais belos momentos da jornada. Com ela se compartilha

Leia mais

ESCOLA DO DIREITO COMUNICADO AOS ALUNOS CONCLUINTES E COMISSÕES DE FORMATURA

ESCOLA DO DIREITO COMUNICADO AOS ALUNOS CONCLUINTES E COMISSÕES DE FORMATURA COMUNICADO AOS ALUNOS CONCLUINTES E COMISSÕES DE FORMATURA Inicia-se a contagem regressiva para o momento de importância peculiar na vida de todos vocês: a Colação de Grau no Curso de Direito da Universidade

Leia mais

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário. ATO ADMINISTRATIVO REITORIA Nº 16/2015 Aprova o Edital do Processo Seletivo dos Cursos Superiores na modalidade a Distância Vestibular 2º Semestre de 2015 O REITOR DA UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO,

Leia mais

Manual de Colação de Grau

Manual de Colação de Grau Manual de Colação de Grau Sumário INTRODUÇÃO...3 1 REGULAMENTO DAS SOLENIDADES DE COLAÇÃO DE GRAU...3 2 SETOR DE FORMATURAS...3 3 ATRIBUIÇÕES DA SECRETARIA E COORDENAÇÃO ACADÊMICA...4 4 TIPOS DE SOLENIDADES

Leia mais

FACULDADE CESUMAR DE CURITIBA EDITAL Nº 01/2016, de 15 de janeiro de 2016.

FACULDADE CESUMAR DE CURITIBA EDITAL Nº 01/2016, de 15 de janeiro de 2016. FACULDADE CESUMAR DE CURITIBA EDITAL Nº 01/2016, de 15 de janeiro de 2016. NORMAS DO PROCESSO SELETIVO AGENDADO PARA INGRESSO NA FACULDADE CESUMAR DE CURITIBA EM 2016. A Direção da Faculdade Cesumar de

Leia mais

EDITAL Nº 004/2013. 1.4- As funções públicas deverão ser tão somente as vinculadas ao impedimento de titular.

EDITAL Nº 004/2013. 1.4- As funções públicas deverão ser tão somente as vinculadas ao impedimento de titular. EDITAL Nº 004/2013 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS PÚBLICOS E O SECRETARIO MUNICIPAL DE SÁUDE, no uso de suas atribuições legais e com base nos dispositivos de leis municipais vigentes,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE CACHOEIRINHA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI Nº 2264, DE 29 DE ABRIL DE 2004.

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE CACHOEIRINHA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI Nº 2264, DE 29 DE ABRIL DE 2004. LEI Nº 2264, DE 29 DE ABRIL DE 2004. Institui o Plano de Carreira do Magistério Público Municipal e dá outras providências. Grande do Sul. O PREFEITO MUNICIPAL DE CACHOEIRINHA, Estado do Rio FAÇO SABER

Leia mais

CHEFIA DE CERIMONIAL E EVENTOS

CHEFIA DE CERIMONIAL E EVENTOS CHEFIA DE CERIMONIAL E EVENTOS REGIMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS TÉCNICOS E DE GRADUAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ CAPÍTULO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERALDE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERALDE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERALDE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO legal. Art. 1º. NORMAS PARA COLAÇÕES DE GRAU Capítulo I DO ATO As cerimônias de colação de grau serão presididas pelo Reitor

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DO IPÊ - FAIPE EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 002/2013

FACULDADE DE TECNOLOGIA DO IPÊ - FAIPE EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 002/2013 FACULDADE DE TECNOLOGIA DO IPÊ - FAIPE EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 002/2013 Dispõe as normas do Processo de Seleção FAIPE 2013/2 para ingresso de alunos ao Curso Superior de Tecnologia em Marketing

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS - CEP-CH -

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS - CEP-CH - SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS Estrada de São Lázaro, 197. Federação. Salvador/Bahia. CEP.: 40210-730. Tel/Fax: +55 71 3331-2755 REGIMENTO

Leia mais

Dispõe sobre normas para os Processos Seletivos de Inverno 2016.

Dispõe sobre normas para os Processos Seletivos de Inverno 2016. UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA UNOESTE EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES DE GRADUAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA VESTIBULAR 2º SEMESTRE 2016 PORTARIA N.º 20, Reitoria da UNOESTE, de 02 de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA (UNILA) COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA (UNILA) COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA (UNILA) COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO COSUEN N 027/2014, DE 01 DE SETEMBRO DE 2013. Aprova o Regulamento do Trabalho de

Leia mais

FACULDADE CESUMAR DE CURITIBA - EDITAL Nº 02/2016, de 29 de janeiro de 2016.

FACULDADE CESUMAR DE CURITIBA - EDITAL Nº 02/2016, de 29 de janeiro de 2016. FACULDADE CESUMAR DE CURITIBA - EDITAL Nº 02/2016, de 29 de janeiro de 2016. NORMAS DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NA FACULDADE CESUMAR DE CURITIBA EM 2016. A Faculdade Cesumar de Curitiba torna públicas

Leia mais

EDITAL DO 1º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL VESTIBULAR 2º SEMESTRE 2015

EDITAL DO 1º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL VESTIBULAR 2º SEMESTRE 2015 EDITAL DO 1º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL VESTIBULAR 2º SEMESTRE 2015 A Faculdade Panamericana de Ji Paraná (UNIJIPA), Instituição de Ensino Superior comprometida a

Leia mais

REGULAMENTO DA PORTARIA - DOS LOCAIS DE ACESSO AO CLUBE. - DOCUMENTOS A SEREM EXIGIDOS.

REGULAMENTO DA PORTARIA - DOS LOCAIS DE ACESSO AO CLUBE. - DOCUMENTOS A SEREM EXIGIDOS. REGULAMENTO DA PORTARIA INDICE CAPÍTULO I CAPÍTULO II CAPÍTULO III - DO OBJETIVO. - DOS LOCAIS DE ACESSO AO CLUBE. - DOCUMENTOS A SEREM EXIGIDOS. 1. Dos sócios titulares, seus dependentes e acompanhantes

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA NÍVEL MESTRADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA NÍVEL MESTRADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA NÍVEL MESTRADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA Art. 1º O Programa de Pós-Graduação em Economia (PPE),

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 161/CONSUN/2010.

RESOLUÇÃO Nº 161/CONSUN/2010. (Credenciada pelo Decreto Presidencial de 14 de agosto de 1996, publicado no DOU em 15 de agosto de 1996). RESOLUÇÃO Nº 161/CONSUN/2010. Normatiza os procedimentos para a solenidade de Outorga de Grau

Leia mais

REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES.

REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES. REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES Seção I Da Natureza e Finalidade das Inspetorias Art. 1º A Inspetoria

Leia mais

REGULAMENTO DA SECRETARIA GERAL

REGULAMENTO DA SECRETARIA GERAL FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO BAIXO SÃO FRANCISCO DR. RAIMUNDO MARINHO FACULDADE RAIMUNDO MARINHO REGULAMENTO DA SECRETARIA GERAL A Secretaria Geral é o órgão que operacionaliza todas as atividades ligadas à

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Instituto de Ensino Superior de Londrina, 17 de outubro de 2006.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Instituto de Ensino Superior de Londrina, 17 de outubro de 2006. RESOLUÇÃO CAS 02 / 2006 De 17 de outubro de 2006 Aprova o Regulamento da Colação de Grau no INESUL. CONSIDERANDO o disposto no artigo 133º do Regimento do Instituto de Ensino Superior de Londrina (INESUL);

Leia mais

Regulamento do Curso

Regulamento do Curso Regulamento do Curso Mestrado Profissional em Administração CAPÍTULO I DAS FINALIDADES DO PROGRAMA Artigo 1º - O Programa de Mestrado Profissional em Administração (MPA) tem os seguintes objetivos: I.

Leia mais

FORMATURAS Manual de procedimentos

FORMATURAS Manual de procedimentos FORMATURAS Manual de procedimentos Sumário 1. RESPONSABILIDADE DOS FORMANDOS... 3 1.1 Comissão de formatura... 3 1.2 Agendamento de data... 3 1.3 Contratação de empresa para cerimonial... 3 1.4 Convite...

Leia mais

P O R T A R I A. São José dos Pinhais, 05 de maio de 2014. Frei Nelson José Hillesheim, OFM Diretor-Geral FACULDADE FAE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS

P O R T A R I A. São José dos Pinhais, 05 de maio de 2014. Frei Nelson José Hillesheim, OFM Diretor-Geral FACULDADE FAE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS PORTARIA DG N.º 08/2014 APROVA, AD REFERENDUM DO CSA, O EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2014, 2 SEMESTRE, DA FACULDADE FAE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS. O Diretor-Geral da Faculdade FAE São José dos Pinhais, no uso

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO

FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO FAEC Regulamento da Colação de Grau 2007 TÍTULO I Disposições Gerais Art. 1º Colação de grau é um ato acadêmico-administrativo de reconhecimento institucional da conclusão

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua assinatura. São Bernardo do Campo, 14 de março de 2013 PROF. DR. MARCIO DE MORAES REITOR

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua assinatura. São Bernardo do Campo, 14 de março de 2013 PROF. DR. MARCIO DE MORAES REITOR RESOLUÇÃO CONSUN Nº 04/2013 Aprova Edital do Processo Seletivo do Programa de integralização de créditos para a conclusão do Curso Superior de Teologia 2º semestre de 2013 na modalidade a distância O Conselho

Leia mais

Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS. Capítulo II DOS CURSOS, PAGAMENTO DE MATRÍCULA E MENSALIDADES DOS INGRESSANTES

Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS. Capítulo II DOS CURSOS, PAGAMENTO DE MATRÍCULA E MENSALIDADES DOS INGRESSANTES 1 EDITAL Nº 05, DE 01 DE MARÇO DE 2016 Regulamenta o Processo Seletivo da Faculdade Alfredo Nasser, válido para ingresso em cursos de graduação, no segundo semestre letivo de 2016, com mensalidades solidárias,

Leia mais

Faculdade La Salle Mantida pela Sociedade Porvir Científico Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01.

Faculdade La Salle Mantida pela Sociedade Porvir Científico Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01. EDITAL Nº. 03/2009 Art. 1º O Diretor Geral da FACULDADE LA SALLE, na forma do disposto no art. 44, Inciso II da Lei de Diretrizes e Bases Nº 9.394, de 20/12/96, Portaria Ministerial Normativa MEC Nº 2.941,

Leia mais

IMEC INSTITUTO MACEIÓ DE ENSINO E CULTURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA

IMEC INSTITUTO MACEIÓ DE ENSINO E CULTURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA IMEC INSTITUTO MACEIÓ DE ENSINO E CULTURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA ÍNDICE PALAVRA DA DIRETORA...03 APRESENTAÇÃO...03 PROVIDÊNCIAS LEGAIS...03 COMISSÃO DE FORMATURA...04

Leia mais

CONSIDERANDO: DETERMINA:

CONSIDERANDO: DETERMINA: PORTARIA Nº 05/2007 Prof. Marcelo Chanes, Diretor Acadêmico da Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac Faculdade São Camilo Rio de Janeiro, no uso das atribuições que lhe são conferidas e CONSIDERANDO:

Leia mais

EDITAL Nº 02/2015 Processo Seletivo 2º Semestre de 2015 Transferência Externa e Obtenção de Novo Título

EDITAL Nº 02/2015 Processo Seletivo 2º Semestre de 2015 Transferência Externa e Obtenção de Novo Título EDITAL Nº 02/2015 Processo Seletivo 2º Semestre de 2015 Transferência Externa e Obtenção de Novo Título As Faculdades Santo Agostinho, por meio de seu Núcleo de Relacionamento Acadêmico e em conformidade

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL. Capítulo I Denominação, Sede, Duração e Objetivos. Denominação, Sede e Duração

ESTATUTO SOCIAL. Capítulo I Denominação, Sede, Duração e Objetivos. Denominação, Sede e Duração ESTATUTO SOCIAL Capítulo I Denominação, Sede, Duração e Objetivos Denominação, Sede e Duração Art. 1º - A Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração ABM, fundada em 10 de outubro de 1944

Leia mais

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM DIREITO Sumário CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... 1 CAPÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO DO PROGRAMA...2 CAPÍTULO III DO CORPO DOCENTE,

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA CADASTRO DE ALUNO CONCLUINTE COLAÇÃO DE GRAU REGISTRO NO CREA-RJ RECEBIMENTO DO DIPLOMA - FESTA DE FORMATURA CONVITES UERJ

PROCEDIMENTOS PARA CADASTRO DE ALUNO CONCLUINTE COLAÇÃO DE GRAU REGISTRO NO CREA-RJ RECEBIMENTO DO DIPLOMA - FESTA DE FORMATURA CONVITES UERJ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS FACULDADE DE ENGENHARIA PROCEDIMENTOS PARA CADASTRO DE ALUNO CONCLUINTE COLAÇÃO DE GRAU REGISTRO NO CREA-RJ RECEBIMENTO DO DIPLOMA

Leia mais

PARCIAL DE PROFICIÊNCIA COM BASE NO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM.

PARCIAL DE PROFICIÊNCIA COM BASE NO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO Av. Professor Mario Werneck, nº 2590,

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM ECONOMIA. Regulamento do Curso

MESTRADO PROFISSIONAL EM ECONOMIA. Regulamento do Curso MESTRADO PROFISSIONAL EM ECONOMIA Regulamento do Curso CAPÍTULO I DAS FINALIDADES DO PROGRAMA Artigo 1º - O Programa de Mestrado Profissional em Economia (MPE) tem os seguintes objetivos: I. formar recursos

Leia mais

RESOLUÇÃO CAS Nº 02/2012

RESOLUÇÃO CAS Nº 02/2012 RESOLUÇÃO CAS Nº 02/2012 Aprova o Regulamento de Colação de Grau da Faculdade Norte Paranaense. O Conselho Acadêmico Superior, em reunião ordinária realizada em 18 de maio de 2012, no uso de suas atribuições

Leia mais

Solenidade de Colação de Grau

Solenidade de Colação de Grau FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA FARESC CERIMONIAL UNIVERSITÁRIO Solenidade de Colação de Grau Orientações Gerais para Sessões Solenes de Colação de Grau A colação de grau é obrigatória e faz

Leia mais

BIBLIOTECA UEZO REGULAMENTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

BIBLIOTECA UEZO REGULAMENTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este documento tem por finalidade formalizar e instituir as normas de utilização da biblioteca, no que tange aos produtos e serviços oferecidos pela

Leia mais