Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde. O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições e considerando:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde. O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições e considerando:"

Transcrição

1 Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições e considerando: - a constante atualização e revisão dos Sistemas de Informação do SUS; - a incorporação tecnológica e modernização das práticas médicas; - o atual desenvolvimento da descentralização do processamento do SIH; - a necessidade de aprimorar permanentemente os instrumentos de gestão; - a necessidade de permitir uma maior qualidade e controle das AIH - Autorização de Internação Hospitalar, resolve: Art. 1º - Determinar que todos os Procedimentos Especiais deverão ser lançados no campo Atos Médicos da AIH. Parágrafo 1º- Alterar a denominação do campo Atos Médicos para Atos e procedimentos realizados. Parágrafo 2º- Alterar a denominação do campo Procedimentos Especiais para Procedimentos Principais. Art 2º - Definir que os códigos de procedimentos especiais sejam lançados no campo Serviços Profissionais, de acordo com a codificação contida no Anexo I (tem que completar, colocar os códigos com tipo de ato e tipo, isto é, construir o anexo I) desta portaria. Art 3º - Definir que, para efeito de processamento do SIH, entende-se por: a. Cirurgia Múltipla são atos cirúrgicos distintos, realizados por equipes distintas ou pela mesma equipe, aplicados em órgãos diferentes ou no mesmo órgão ou mesma região anatômica, com doenças diferentes sem vínculo de continuidade ou interdependência entre si, executados através de única ou várias vias de acesso, mas praticados sob o mesmo ato anestésico. a.1 na definição da alínea a, entende-se como continuidade a ação que é parte integrante e indissociável de determinado ato. a.2 na definição da alínea a, entende-se como interdependentes, situações ligadas entre si por recíproca e subordinada vinculação. b. Para efeito de preenchimento no SISAIH01, deverá ser colocado cada procedimento realizado seguido de seus relativos procediementos especiais e OPM, para só então passar ao procediemto realizado seguinte, continuando a mesma lógiica para procedimentos especiais e OPM até o último procediemento realizado. c. Politraumatizado - considera-se o indivíduo que sofre traumatismos ou golpes em múltiplos órgãos (fígado, baço, pulmão, etc) ou sistemas corporais (circulatório, nervoso, respiratório, etc), alguns dos quais comporta, ainda que potencialmente, risco de vida para o acidentado. Art 4º - Autorizar a cobrança de mais de até oito procedimentos principais realizados, no campo de procedimentos especiais, quando o procedimento principal for cirurgia múltipla, código Parágrafo Primeiro - No campo procedimentos especiais deverão ser lançados, em ordem decrescente de complexidade e valores, os procedimentos realizados que serão remunerados conforme tabela abaixo:

2 1 procedimento 100% 5 procedimento 50% 2 procedimento 80% 6 procedimento 50% 3 procedimento 70% 7 procedimento 40% 4 procedimento 60% 8 procedimento 30% Parágrafo Segundo - Serão admitidos até 08 (oito) procedimentos realizados na mesma AIH. Parágrafo Terceiro - Quando ocorrerem novas cirurgias, de emergência, em atos anestésicos diferentes, inclusive em reoperações, o médico assistente deverá solicitar nova AIH. Parágrafo Quarto - Cirurgia bilateral não é considerada cirurgia múltipla; tem código específico na Tabela de Procedimentos do SIH/SUS. Art. 5º - Permitir ou criar campo para registro de CID principal, CID associado e CID da causa básica, que deverá ser preenchido de acordo com as definições a seguir: (Emília tem todas essas definições prontas) Principal Básica Associada Art. 6º- Ratificar que, de acordo com as responsabilidades inerente aos tipos de gestão de estados e municípios, compete aos gestores locais a supervisão dos serviços de saúde, no caso específico, a regulação dos leitos de UTI cadastrados e controlados pelas Centrais de Regulação, de forma a garantir a otimização de sua utilização e ampliar o acesso dos pacientes aos respectivos leitos. Art. 7º - Determinar que o Departamento de Informática e Informação do SUS/DATASUS tome as medidas necessárias para a adequação do Sistema de Informação Hospitalar/SIH ao disposto nessa portaria. Art. 8º - Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação com efeitos para o processamento do SIH competência XXXX de Jorge Solla Secretário de Atenção à Saúde ANEXO I

3 CODIGO Quant. Máxima TABELA DE PROCEDIMENTOS ESPECIAIS Idade MN MX DESCR CONCENTRADO FATOR VIII HUMANO 250 UI FATOR IX DE COAGULACAO HUMANA 500 UI FATORES II, VII, IX, X DE COAGULACAO 500 UI IMUNOGLOBINA ANTITETANICA FR/AMP C/250UI + SOL 2ML IMUNOGLOBINA HUMANA FR/AMP C/320MG+DILUENTE 2ML IMUNOGLOBINA "G" P/USO ENDOVENOSO FR/AMP 250MG+DIL ALBUMINA HUMANA 20% FR/AMP C/ 50ML FRAC PLASMA HUM.C/ACAO ANTI.INIBID FAT VIII-250UI PRAZIQUANTEL 500MG (4 COMPR) FIBRINOGENIO HUMANO FR/AMP 1G + DILUENTE PEROLAS DE BENTAMICINA IMUNOGLOBINA HUMANA ENDOVENOSA 1 G ATENDIMENTO AO RN NA SALA DE PARTO INCENTIVO PARTO COMP. I - INCENTIVO A ASSIST. PRE-NATAL ATENDIMENTO AO RN NA SALA DE PARTO II ANALGESIA OBSTETRICA REALIZADA POR ANESTESIA I PEDIATRA PRIMEIRA CONSULTA ANALGESIA OBSTETRICA REALIZADA POR ANESTESIA II ANALGESIA OBSTETRICA REALIZADA POR ANESTESISTA III TESTES RÁPIDOS P/ TRIAGEM DE INFECÇÃO PELO HIV (POR TESTE) MICROHEMAGLUTINAÇÃO P/ O TREPONEMA PALLIDUM P/ O DIGN. DE SÍFILIS ANGIOGRAFIA CEREBRAL UNILATERAL ESTUDO HEMODINAMICO INFANTIL ANGIOGRAFIA CEREBRAL BILATERAL ARTERIOGRAFIAS SELETIVAS ARTERIOGRAFIA DOS MEMBROS ESTUDO HEMODINAMICO ARTERIOGRAFIA DE CAROTIDA UNILATERAL ARTERIOGRAFIA DE CAROTIDA BILATERAL ARTERIOGRAFIA VERTEBRAL ARTERIOGRAFIA CERVICO-TORACICA AORTOGRAFIA ESPLENOPORTOGRAFIA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA I (CRANIO E COLUNA) TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (CRANIO E COLUNA) TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA II (TORAX) TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA III (ABDOMEN) RESSONÂNCIA MAGNÉTICA COLANGIORESSONÃNCIA MAGNÉTICA MIELOGRAFIA PNEUMOENCEFALOGRAFIA ANGIOGRAFIA MEDULAR CISTERNOGRAFIA VENTRICULOGRAFIA LITOTRIPSIA EXTRA-CORPOREA MONITORIZACAO DA PRESSAO INTRACRANIANA (MPIC)/DIA LOCALIZAÇAO ESTERIOTAXICA DE LESOES INTRACRANIANAS (NAO INCLUIDO TC OU RNM) TC DE CRANIO EM SERVICO CREDENCIADO EM NEUROCIRURGIA RNM DE CRANIO EM SERVICO CREDENCIADO DE NEUROCIRURGIA

4 RNM DE COLUNA CERVICAL OU TORACICA OU LOMBO SACRA EM SERVICO CREDENCIADO D ANGIOGRAFIA POR RNM EM SERVICO CREDENCIADO DE NEUROCIRURGIA TC DE COLUNA EM SERVICO CREDENCIADO DE NEUROCIRURGIA NUTRICAO ENTERAL EM PEDIATRIA(APLICACAO/DIA) NUTRICAO ENTERAL EM ADULTO(APLICACAO/DIA) RECEM NATO PERMANENCIA MAIOR VACINA ANTI-RH HEMODIÁLISE PARA PACIENTES RENAIS AGUDOS DIÁLISE PERITONEAL PARA PACIENTES RENAIS AGUDOS HEMOPERFUSÃO ULTRAFILTRAÇÃO CONTÍNUA HEMODIÁLISE CONTÍNUA HEMOFILTRAÇÃO CONTÍNUA HEDIAFILTRAÇÃO CONTÍNUA HEMOFILTRAÇÃO DIÁLISE PERITONEAL CONTÍNUA CRIACAO DE/OU INTERVENCAO SOBRE FISTULA ARTERIVENOSA INSTALACAO DE CATETER DE TENCKHOFF OU SIMILAR DE LONGA PERMANENCIA PARA DIÁLISE ENXERTO AUTOLOGO - CRIACAO DE/OU INTERVENCAO SOBRE ALCA DE SAFENA INSTALACAO DE ENXERTO HETEROLOGO TUBULAR DE PTFE EXOSANGUINEOTRANSFUSAO CICLOSPORINA SOLUCAO ORAL CICLOSPORINA INJETAVEL ESTREPTOQUINASE UI SURFACTANTE FR/AMP CICLOSPORINA 25 MG - CAPSULAS (BLISTER COM 10) CICLOSPORINA 50 MG - CAPLSULAS (BLISTER COM 10) CICLOSPORINA 100 MG - CAPSULAS (BLISTER COM 10) METILPREDNISOLONA 500 MG - FRASCO - AMPOLA ANTICORPO MONOCLONAL MURINO ANTI-CD3, 05ML/5MG GLOBULINA ANTITIMOCITARIA, ORIGEM EQUINA: 05ML/100MG GLOBULINA ANTITIMOCITARIA, OBTIDA/COELHOS: 05ML/25MG GLOBULINA ANTITIMOCITARIA, OBTIDA COELHOS: 05ML/100MG GLOBULINA ANTITIMOCITARIA, OBTIDA/COELHOS: 10ML/200MG DIARIA DE ACOMPANHANTE PARA PACIENTES IDOSOS COM PERNOITE DIARIA DE ACOMPANHANTE PARA PACIENTES IDOSOS SEM PERNOITE ABCIXIMAB NOTIFICAÇÃO DE CAUSAS EXTERNAS E DE AGRAVOS RELACIONADOS AO TRABALHO METIL METACRILATO PÓ E DILUENTE INCENTIVO AO REGISTRO CIVIL DE NASCIMENTO PERFUSIONISTA CLORIDRATO DE TIROFIBAN CLORIDRATO DE TIROFIBAN CLORIDRATO DE TIROFIBAN RETIRADA DE ENXERTO ÓSSEO AUTÓGENO, OUTRA VIA DE ACESSO, DE PEQUENO VOLUME (ZONA METAFISÁRIA DE OSSOS LONGOS) RETIRADA DE ENXERTO ÓSSEO AUTÓGENO, OUTRA VIA DE ACESSO, DE GRANDE VOLUME (ILIACO OU OSSO DIAFISÁRIO DA TIBIA OU FIBULA) INSTALAÇÃO CATETER VENOSO DE L.P.,TOTALMENTE IMPLANTÁVEL E/OU SEMI- IMPLANTÁVEL RETIRADA DE ENXERTO ÓSSEO AUTÓGENO, MESMO ACESSO

5 ADMINISTRAÇÃO DE INIBIDOR DE LACTAÇÃO EM PUÉRPERAS HIV+ (CABERGOLINA 0,5mg) NUTRICAO PARENTERAL - PEDIATRIA NUTRICAO PARENTERAL - CLINICA MEDICA ANESTESIA PARA PROCEDIMENTOS EM QUEIMADOS INTERCORRENCIA DO PACIENTE MEDIO E GRANDE QUEIMADO REALIZACAO DE TIPAGEM SANGUINEA - ABO E OUTROS EXAMES HEMATOLOGICOS EM POS REALIZACAO DE EEG EM POSSIVEL DOADOR DE ORGAOS (DETECCAO DE SILENCIO ENCEF REALIZACAO DE ANGIOGRAFIA CEREBRAL (4 VASOS) EM POSSIVEL DOADOR DE ORGAOS REALIZACAO DE ECO DOPLER COLORIDO CEREBRAL EM POSSIVEL DOADOR DE ORGAOS TAXA DE SALA CIRURGICA E MATERIAIS PARA RETIRADA DE ORGAOS PARA TRANSPLANT ENUCLEACAO UNILATERAL OU BILATERAL RETIRADA DE CORACAO PARA TRANSPLANTE (PRIMEIRO CIRURGIAO) RETIRADA DE CORACAO PARA TRANSPLANTE (SEGUNDO CIRURGIAO) RETIRADA DE PULMOES PARA TRASNPLANTE (PRIMEIRO CIRURGIAO) RETIRADA DE PULMOES PARA TRANSPLANTE (SEGUNDO CIRURGIAO) RETIRADA UNILATERAL/BILATERAL DE RIM PARA TRANSPLANTE (PRIMEIRO CIRURGIAO) RETIRADA UNILATERAL/BILATERAL DE RIM PARA TRANSPLANTE (SEGUNDO CIRURGIAO) RETIRADA DE FIGADO PARA TRANSPLANTE (PRIMEIRO CIRURGIAO) RETIRADA DE FIGADO PARA TRANSPLANTE (SEGUNDO CIRURGIAO) COORDENADOR DE SALA CIRURGICA EM RETIRADA DE ORGAO RETIRADA DE PANCREAS PARA TRANSPLANTE ( PRIMEIRO CIRURGIAO) RETIRADA DE PANCREAS PARA TRANSPLANTE (SEGUNDO CIRURGIAO) EEG EM POSSIVEL DOADOR DE ORGAOS (MENOR DE 2 ANOS) CINTILOGRAFIA RADIOISOTOPICA CEREBRAL MANUTENCAO HEMODINAMICA DURANTE A RETIRADA DE ORGAOS MANUTENCAO HEMODINAMICA DE DOADOR PARA RETIRADA DE ORGAOS POR EQUIPE DE H PROCESSAMENTO/PRESERVAÇÃO/AVALIAÇÃO MICROSCÓPICA DE CÓRNEA PARA TRANSPLANTE DOSAGEM DE CICLOSPORINA ECOGRAFIA BIOPSIA EM PACIENTE TRANSPLANTADO RADIOLOGIA EM PACIENTE TRANSPLANTADO CD4/CD3 EM PACIENTE TRANSPLANTADO MODULO SOROLOGICO EM PACIENTE TRANSPLANTADO MODULO MICROBIOLOGICO EM PACIENTE TRANSPLANTADO INTERCORRENCIA POS TRANSPLANTE DE RIM INTERCORRENCIA POS TRANSPLANTE - OUTROS DOSAGEM DE SIROLIMUS CICLOSPORINA 25MG PROCESSAMENTO DE TECIDO MUSCULOESQUELETICO (ENTRE 5 E 25 GRAMAS) (FAEC ESTRATÉGICO) PROCESSAMENTO DE TECIDO MUSCULOESQUELETICO (ENTRE 26 E 50 GRAMAS) (FAEC ESTRATÉGICO) PROCESSAMENTO DE TECIDO MUSCULOESQUELETICO (ENTRE 51 E 100 GRAMAS) (FAEC ESTRATÉGICO) PROCESSAMENTO DE TECIDO MUSCULOESQUELETICO (ENTRE 101 E 200 GRAMAS) (FAEC ESTRATÉGICO) PROCESSAMENTO DE TECIDO MUSCULOESQUELETICO (ENTRE 201 E 300 GRAMAS) (FAEC ESTRATÉGICO)

6 CICLOSPORINA 50MG CICLOSPORINA 100MG METILPREDNISOLONA 500MG INJ ANTICORPO MONOCLONAL MURINO ANTI CD3 05ML/100MG GLOBULINA ANTILINFOCITARIA, ORIGEM EQUINA 05ML/100 MG GLOBULINA ANTITIMOCITARIA OBTIDA/COELHOS 05ML/25MG GLOBULINA ANTITIMOCITARIA OBTIDA/COELHOS 05ML/100MG GLOBULINA ANTITIMOCITARIA OBTIDA/COELHOS 10ML/200MG MICOFENOLATO MOFETIL 500 MG COMPRIMIDOS TACROLIMUS,5MG - CAPSULA/MES TACROLIMUS 0,5MG/01ML AMP/MES BASILIXIMAB, 20MG-AMPOLA/MES CICLOSPORINA, 10MG CAPSULA/DIA DOSAGEM DO TACROLIMUS TACROLIMUS 1MG - CAPSULA/MES IMUNOGLOBULINA HIPERIMUNE ANTI-HBS APRESENTACAO FRASCO/AMPOLA 02 E 10 ML DACLIZUMAB - APRESENTACAO AMPOLA 25 MG SIROLIMUS 1 MG/ML HEMOTE RAPIA CRIOPRECITADO DE FATOR VIII CONCENTRADO DE PLAQUETAS DE 1 UNID DE SANGUE TOTAL SANGUE TOTAL IRRADIADO OU COMPONENTES IRRADIADOS CONCENTRADO DE LEUCOCITOS DE 1 UNID SANGUE TOTAL PLASMA INDIVIDUAL CONCENTRADO DE HEMACIAS UNIDADE DE SANGUE TOTAL PLASMAFERESE TERAP CORR A 1 UNID ADULT PLASMA INDI SANGRIA TERAPEUTICA MODULO TRANSFUSIONAL DIÁRIAS NÃO ESPECIA LIZADA DIÁRIA DE ACOMPA NHANTE DIÁRIA (TIPO I) ATÉ 3 DIAS DIÁRIA (TIPO I) A PARTIR DE 4 DIAS

7 DIÁRIAS ESPECIA LIZADA DIARIA II / MES INICIAL DIARIA II / MES ANTERIOR DIARIA II / MES ALTA DIARIA III / MES INICIAL DIARIA III / MES ANTERIOR DIARIA III / MES ALTA DIARIA III - NEONATAL / MES INICIAL DIARIA III - NEONATAL DIARIA III - NEONATAL DIARIA II NEONATAL / MES INICIAL DIARIA II NEONATAL / MES ANTERIOR DIARIA II NEONATAL / MES ALTA DIARIA II PEDIATRICA / MES INICIAL DIARIA II PEDIATRICA / MES ANTERIOR DIARIA II PEDIATRICA / MES ALTA DIARIA III PEDIATRICA / MES INICIAL DIARIA III PEDIATRICA / MES ANTERIOR DIARIA III PEDIATRICA / MES ALTA DIARIA DE UNIDADE DE CUIDADOS INTERMEDIARIOS NEONATAL - MES INICIAL DIARIA DE UNIDADE DE CUIDADOS INTERMEDIARIOS NEONATAL / MES ANTERIOR DIARIA DE UNIDADE DE CUIDADOS INTERMEDIARIOS NEONATAL / MES DA ALTA DIARIA DE QUEIMADOS INICIAL DIARIA DE QUEIMADOS / MES ANTERIOR DIARIA DE QUEIMADOS / MES DA ALTA DIARIA DE POSSIVEL DOADOR DE ORGAOS - MENOR DE 2 ANOS DIARIA DE POSSIVEL DOADOR DE ORGAOS - MAIOR DE 2 ANOS

- Busca Ativa de Doador de Órgãos e Tecidos

- Busca Ativa de Doador de Órgãos e Tecidos Portaria n.º 92/GM Em 23 de janeiro de 2001. O Ministro de Estado da Saúde no uso de suas atribuições legais, Considerando a Lei nº 9.434, de 04 de fevereiro de 1997, que dispõe sobre a remoção de órgãos,

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE Portaria nº 270 de 24 de junho de 1999

MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE Portaria nº 270 de 24 de junho de 1999 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE Portaria nº 270 de 24 de junho de 1999 O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, e: Considerando as disposições da Lei

Leia mais

05-TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS

05-TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS 05-TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS Grupo: Sub-Grupo: 05-TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS 01-EXAMES LABORATORIAIS PARA IDENTIFICACAO DE DOADOR E RECEPTOR DE CELULAS-TRONCO HEMATOPOETICAS

Leia mais

PORTARIA Nº 344, DE 20 DE JUNHO DE 2008(*)

PORTARIA Nº 344, DE 20 DE JUNHO DE 2008(*) PORTARIA Nº 344, DE 20 DE JUNHO DE 2008(*) O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 2.8/GM, de 06 de novembro de 200, que aprova a estrutura e o detalhamento

Leia mais

Manual do Sistema de Informações

Manual do Sistema de Informações MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde - SAS Departamento de Regulação, Avaliação e Controle - DRAC Coordenação-Geral de Sistemas de Informação - CGSI Manual do Sistema de Informações Hospitalares

Leia mais

Art. 1º - Criar os Grupos de Procedimentos e procedimentos no SIH / SUS (Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde ) :

Art. 1º - Criar os Grupos de Procedimentos e procedimentos no SIH / SUS (Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde ) : PORTARIA N º 3.410, de 5 de agosto de 1998. O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, e considerando: a) a necessidade de incentivar as atividades de busca de doadores de órgãos;

Leia mais

PORTARIA N 344 DE 20 DE JUNHO DE 2008.

PORTARIA N 344 DE 20 DE JUNHO DE 2008. Page 1 of 8 PORTARIA N 344 DE 20 DE JUNHO DE 2008. A Secretária de Atenção à Saúde Substituta, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 2.848/GM, de 06 de novembro de 200, que aprova a estrutura

Leia mais

CÓDIGO DOS PROCEDIMENTOS

CÓDIGO DOS PROCEDIMENTOS CÓDIGO DOS PROCEDIMENTOS Coração 0505020041 TRANSPLANTE DE CORACAO Fígado 0505020050 TRANSPLANTE DE FIGADO (ORGAO DE DOADOR FALECIDO) 0505020068 TRANSPLANTE DE FIGADO (ORGAO DE DOADOR VIVO) Pâncreas 0505020076

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO AIH AUTORIZAÇÃO DE INTERNAÇÃO HOSPITALAR - SUS

MANUAL DE ORIENTAÇÃO AIH AUTORIZAÇÃO DE INTERNAÇÃO HOSPITALAR - SUS MANUAL DE ORIENTAÇÃO AIH AUTORIZAÇÃO DE INTERNAÇÃO HOSPITALAR - SUS MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS AUTORIZAÇÕES DE INTERNAÇÕES HOSPITALARES - AIH'S Este manual tem por objetivo capacitar os servidores das Unidades

Leia mais

Ato Normativo PORTARIA Nº 511, DE 27 DE SETEMBRO DE 2010

Ato Normativo PORTARIA Nº 511, DE 27 DE SETEMBRO DE 2010 Ato Normativo PT SAS nº 511 Publicação DOU Diário Oficial da União Data: 27/09/2010 Data: 28/09/2010 PORTARIA Nº 511, DE 27 DE SETEMBRO DE 2010 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Diário Oficial Imprensa Nacional

Diário Oficial Imprensa Nacional Diário Oficial Imprensa Nacional REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL BRASÍLIA - DF DOU de 28/09/2010 seção 1 Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 511, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2010 O Secretário

Leia mais

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Ministério da Saúde Sistema Único de Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Grupo: 05 - TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS Sub-Grupo: - COLETA E EXAMES PARA FINS DE DOACAO DE ORGAOS,

Leia mais

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Ministério da Saúde Sistema Único de Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Grupo: 05 - TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS Sub-Grupo: - COLETA E EXAMES PARA FINS DE DOACAO DE ORGAOS,

Leia mais

Portaria Conjunta SE/SAS n 10 de 11 de maio de 2000

Portaria Conjunta SE/SAS n 10 de 11 de maio de 2000 Página 1 de 7 Portaria Conjunta SE/SAS n 10 de 11 de maio de 2000 O Secretário Executivo e o Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria GM/MS nº 3410, de 05

Leia mais

PORTARIA No- 845, DE 2 DE MAIO DE 2012

PORTARIA No- 845, DE 2 DE MAIO DE 2012 PORTARIA No- 845, DE 2 DE MAIO DE 2012 Estabelece estratégia de qualificação e ampliação do acesso aos transplantes de órgãos sólidos e de medula óssea, por meio da criação de novos procedimentos e de

Leia mais

Portaria nº 1.117, DE 01 DE AGOSTO DE 2001.

Portaria nº 1.117, DE 01 DE AGOSTO DE 2001. Portaria nº 1.117, DE 01 DE AGOSTO DE 2001. O Ministro de Estado da Saúde no uso de suas atribuições legais, Considerando a Lei nº 9.434, de 04 de fevereiro de 1997, que dispõe sobre a remoção de órgãos,

Leia mais

Módulo Ambulatorial+Hospitalar +Obstetrícia PREZADO ASSOCIADO

Módulo Ambulatorial+Hospitalar +Obstetrícia PREZADO ASSOCIADO Tabela Comercial UNIFAMÍLIA EMPRESARIAL POR ADESÃO COPARTICIPATIVO 50% Módulo Ambulatorial+Hospitalar +Obstetrícia Cobertura de consultas médicas de pré-natal, exames complementares bem como atendimentos

Leia mais

Ministério da Saúde GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 3.193, DE 24 DEZEMBRO DE 2008

Ministério da Saúde GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 3.193, DE 24 DEZEMBRO DE 2008 Ministério da Saúde GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 3.193, DE 24 DEZEMBRO DE 2008 Altera a Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais do Sistema Único de Saúde - SUS.

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 511, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2010

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 511, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2010 Ministério da Saú Secretaria Atenção à Saú PORTARIA Nº 511, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2010 O Secretário Atenção à Saú, no uso suas atribuições, Consirando a Lei Nº 9.434, 04 fevereiro 1997, que dispõe sobre

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO *PORTARIA Nº 3.409/GM, DE 05 DE AGOSTO DE 1998 *

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO *PORTARIA Nº 3.409/GM, DE 05 DE AGOSTO DE 1998 * MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO *PORTARIA Nº 3.409/GM, DE 05 DE AGOSTO DE 1998 * O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando: a) a importância de garantir o

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2009/prt2620_21_10_2009_rep.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2009/prt2620_21_10_2009_rep.html Page 1 of 8 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.620, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009(*) Inclui habilitação na Tabela

Leia mais

FATURAMENTO HOSPITALAR VANDERLEI SOARES MOYA

FATURAMENTO HOSPITALAR VANDERLEI SOARES MOYA FATURAMENTO HOSPITALAR VANDERLEI SOARES MOYA Decreto 7508/2011 Art. 3º. O SUS é constituído pela conjugação das ações e serviços de promoção, proteção e recuperação da saúde executados pelos entes federativos,

Leia mais

Manual do Sistema de Informações. Hospitalares do SUS (SIH/SUS)

Manual do Sistema de Informações. Hospitalares do SUS (SIH/SUS) MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde - SAS Departamento de Regulação, Avaliação e Controle - DRAC Coordenação-Geral de Sistemas de Informação - CGSI Manual do Sistema de Informações Hospitalares

Leia mais

CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANA

CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANA CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANA MANUAL DE COBRANÇA DE PROCEDIMENTOS E AÇÕES RELACIONADAS A DOAÇÕES/TRANSPLANTES - PARA HOSPITAIS SUS E NÃO SUS CURITIBA 2013 ÍNDICE: INTRODUÇÃO... 3 CAPITULO

Leia mais

FATURAMENTO E A AUDITORIA

FATURAMENTO E A AUDITORIA SISTEMA DE INFORMAÇÕES AMBULATORIAS -S I A FATURAMENTO E A AUDITORIA Vanderlei Soares Moya Sonia Murad José dos Santos Edson Aparecido Cezar Águas de Lindóia Setembro de 2012 EU NUNCA APRENDI NADA COM

Leia mais

Diário Oficial. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Imprensa Nacional

Diário Oficial. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Imprensa Nacional Diário Oficial REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Imprensa Nacional BRASÍLIA - DF Nº 142 DOU de 25/07/08 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE CONSULTA PÚBLICA Nº 7, DE 24 DE JULHO DE 2008. A Secretária

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE EXAMES LABORATORIAIS. Publicado na PORTARIA Nº. 110-S, DE 02 DE MARÇO DE 2015.

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE EXAMES LABORATORIAIS. Publicado na PORTARIA Nº. 110-S, DE 02 DE MARÇO DE 2015. TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE 103203 SERVICO, TITULO: EXAME, SUBTITULO: ANGIOGRAFIA CEREBRAL (4 VASOS), COM 103204 SERVICO, TITULO: EXAME, SUBTITULO: ANGIOGRAFIA CEREBRAL (4 VASOS), SEM EXAME 2.525,0000

Leia mais

O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando:

O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando: PORTARIA Nº 3.432/MS/GM, DE 12 DE AGOSTO DE 1998 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando: a importância na assistência das unidades que realizam tratamento intensivo

Leia mais

Digite o título do capítulo (nível 3)... 6

Digite o título do capítulo (nível 3)... 6 Digite o título do capítulo (nível 3)... 6 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE REGULAÇÃO, AVALIAÇÃO E CONTROLE COORDENAÇÃO-GERAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SIH Sistema de Informação

Leia mais

ABRANGÊNCIA DO PLANO EMPRESARIAL HOSPITALAR COM/SEM OBSTETRÍCIA:

ABRANGÊNCIA DO PLANO EMPRESARIAL HOSPITALAR COM/SEM OBSTETRÍCIA: C o b e r t u r a C o n t r a t u a l ABRANGÊNCIA DO PLANO EMPRESARIAL HOSPITALAR COM/SEM OBSTETRÍCIA: -ATENDIMENTO 24 horas; I - AS CONSULTAS DE URGÊNCIA serão realizadas com médico plantonista no HOSPITAL

Leia mais

Atualizado em JANEIRO/2009 Informações e tabelas de preços cedidas pela UNIMED Guarapuava

Atualizado em JANEIRO/2009 Informações e tabelas de preços cedidas pela UNIMED Guarapuava A Unimed Guarapuava, tem por objetivo, oferecer sempre as melhores opções, com produtos que supram a necessidade de nossos clientes, garantindo-lhes inúmeras vantagens como: cobertura mais ampla, profissionais

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E REDES ASSISTENCIAIS ANEXO I

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E REDES ASSISTENCIAIS ANEXO I MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E REDES ASSISTENCIAIS ANEXO I DE ACORDO COM O ESTABELECIDO PELA PORTARIA Nº 3432 /GM/MS, DE 12 DE AGOSTO DE 1998, REFERENTE

Leia mais

Linhas de Cuidado da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis. 18 de junho de 2012

Linhas de Cuidado da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis. 18 de junho de 2012 Linhas de Cuidado da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis 18 de junho de 2012 LINHA DE CUIDADO TV DO HIV Unidade Básica de Saúde (diagnóstico e encaminhamento) Serviço de Atenção Especializada (Pré-natal,

Leia mais

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 Aprova o Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes. [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

Leia mais

Plano de Saúde C let let vo v o p or o r A des es o

Plano de Saúde C let let vo v o p or o r A des es o Plano de Saúde Coletivo por Adesão UNIMED GRANDE FLORIANÓPOLIS REDE CREDENCIADA 247.000 clientes 1.644 médicos cooperados 43 laboratórios 39 hospitais 257 clínicas 19 municípios cobertos REDE CREDENCIADA

Leia mais

Alterações em relação à última versão SETEMBRO_2010 estão marcadas em ROXO.

Alterações em relação à última versão SETEMBRO_2010 estão marcadas em ROXO. - M I N I S T É R I O D A S A Ú D E S E C R E T A R I A D E A T E N Ç Ã O À S A Ú D E D E P A R T A M E N T O D E R E G U L A Ç Ã O, A V A L I A Ç Ã O E C O N T R O L E C O O R D E N A Ç Ã O G E R A L

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM. Santa Maria, 06 de Junho de 2013.

PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM. Santa Maria, 06 de Junho de 2013. PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM Santa Maria, 06 de Junho de 2013. INTRODUÇÃO Trata-se de uma proposta de Plano de Saúde no sistema de pré-pagamento para atender os associados da ASSUFSM de Santa Maria/RS,

Leia mais

13º - AUDHOSP ANO 2014

13º - AUDHOSP ANO 2014 13º - AUDHOSP ANO 2014 PROCEDIMENTOS MÚLTIPLOS Mais de um procedimento principal em uma mesma AIH. VANDERLEI SOARES MOYA OBRIGATÓRIO O LANÇAMENTO DE PELO MENOS DOIS PROCEDIMENTOS PRINCIPAIS DIFERENTES

Leia mais

Apenas coparticipação em exames de alta complexidade R$ 30,00

Apenas coparticipação em exames de alta complexidade R$ 30,00 R$,00 121 R$,00 122 R$,00 Reajuste: ABRIL 123 R$,00 CREFITO 1 CARÊNCIAS PLANO UNIMED Redução Parcial de Carência para Clientes com Plano Anterior CONTRATUAL ADESÃO PME INDIVIDUAL 1 2 3 4 5 6 7 8 A - Urgência

Leia mais

rim medula óssea familiar tecidos córneas tecidos órgãos fígado fígado pulmão pulmão pâncreas pâncreas intestino intestino pâncreas pâncreas

rim medula óssea familiar tecidos córneas tecidos órgãos fígado fígado pulmão pulmão pâncreas pâncreas intestino intestino pâncreas pâncreas familiar rim medula óssea fígado fígado pulmão pulmão pâncreas pâncreas intestino intestino tecidos córneas rim rim pâncreas pâncreas fígado fígado pulmão pulmão órgãos tecidos órgãos rins rins coração

Leia mais

844, DE 2 DE MAIO DE 2012

844, DE 2 DE MAIO DE 2012 30 ISSN 677-7042 VI - ação ou serviço voltado para a saúde coletiva, com intervenções individuais, em grupo e na regulação e controle de produtos e serviços, no campo da vigilância: ação ou serviço voltado

Leia mais

COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES

COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES A Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes-CIHDOTT tem por objetivo a organizar todo o processo

Leia mais

ADITIVO DE REDUÇÃO MÁXIMA DE CARÊNCIA E DOS PRAZOS PARA INÍCIO DA COBERTURA DE DOENÇAS PREEXISTENTES - CONTRATOS - PESSOA FÍSICA

ADITIVO DE REDUÇÃO MÁXIMA DE CARÊNCIA E DOS PRAZOS PARA INÍCIO DA COBERTURA DE DOENÇAS PREEXISTENTES - CONTRATOS - PESSOA FÍSICA FOLHA 1/5 DO OBJETO Este aditivo tem por finalidade alterar a redução dos prazos de carência e dos prazos para início das coberturas e eventos cirúrgicos, leitos de alta tecnologia e procedimentos de alta

Leia mais

Introdução à Neuroimagem

Introdução à Neuroimagem FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL Introdução à Neuroimagem Prof. Gerardo Cristino Aula disponível em: www.gerardocristino.com.br Neuroimagem Técnicas de Imagem

Leia mais

IESUS. Anexo 1. Novas Metodologias para Vigilância Epidemiológica: Uso do SIH/SUS. Informe Epidemiológico do SUS 22

IESUS. Anexo 1. Novas Metodologias para Vigilância Epidemiológica: Uso do SIH/SUS. Informe Epidemiológico do SUS 22 IESUS Novas Metodologias para Vigilância Epidemiológica: Uso do SIH/SUS Anexo 1 Instrumentos do Sistema de Informação Hospitalar Laudo Médico para Emissão de AIH O Laudo Médico é o instrumento para solicitação

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 2.918, DE 9 DE JUNHO DE 1998.

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 2.918, DE 9 DE JUNHO DE 1998. MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 2.918, DE 9 DE JUNHO DE 1998. O Ministro de Estado da Saúde no uso de suas atribuições, considerando: - a importância na assistência das unidades que

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE PORTARIA Nº 196, DE 6 DE FEVEREIRO DE 2012 (*)

MINISTÉRIO DA SAÚDE PORTARIA Nº 196, DE 6 DE FEVEREIRO DE 2012 (*) 1 MINISTÉRIO DA SAÚDE PORTARIA Nº 196, DE 6 DE FEVEREIRO DE 2012 (*) Aprova a diretriz para acompanhamento e tratamento de pacientes portadores de implantes mamários das marcas PIP (Poly Implants Prothèse)

Leia mais

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE:

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: PORTARIA N 42/MS/SAS DE 17 DE MARÇO DE 1994 O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: 1. Estabelecer os procedimentos de Alta Complexidade da área de Ortopedia. constantes

Leia mais

FAMILIAR Planos IND 200 IND 250 Acomodação Enfer. Apto. 00 a 18 anos 76,35 106,89 19 a 23 anos 76,35 106,89 24 a 28 anos 92,75 129,85

FAMILIAR Planos IND 200 IND 250 Acomodação Enfer. Apto. 00 a 18 anos 76,35 106,89 19 a 23 anos 76,35 106,89 24 a 28 anos 92,75 129,85 Imprimir Voltar http://www.melhoresplanosdesaude.com.br (11 ) 2348-1100 - 3226-3000 MEDICAL HEALTH - MAIO 2014 - Taxa de Adesão : R$ 20,00 INDIVIDUAL Planos IND 200 IND 250 Acomodação Enfer. Apto. 00 a

Leia mais

Comparando a saúde no Brasil com os países da OCDE: Minerando Dados de Saúde Pública. Anexos

Comparando a saúde no Brasil com os países da OCDE: Minerando Dados de Saúde Pública. Anexos Cecília Pessanha Lima Comparando a saúde no Brasil com os países da OCDE: Minerando Dados de Saúde Pública Anexos Mestrado em Modelagem Matemática da Informação EMAP - Escola de Matemática Aplicada FGV

Leia mais

Atuação do Enfermeiro na Coordenação de Sala, Perfusão e Acondicionamento de Enxertos

Atuação do Enfermeiro na Coordenação de Sala, Perfusão e Acondicionamento de Enxertos Curso Prático de Extração, Perfusão e Acondicionamento de Múltiplos Órgãos para Transplantes Atuação do Enfermeiro na Coordenação de Sala, Perfusão e Acondicionamento de Enxertos Fluxo da Captação Atuações

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM NEFROLOGIA

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM NEFROLOGIA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM NEFROLOGIA 2) Objetivo Geral Capacitar o profissional médico durante os dois anos de treinamento de conteúdo programático teórico e prático

Leia mais

GRÁFICO 136. Gasto anual total com transplante (R$)

GRÁFICO 136. Gasto anual total com transplante (R$) GRÁFICO 136 Gasto anual total com transplante (R$) 451 3.5.2.13 Freqüência de transplantes por procedimentos Pela tabela da freqüência anual de transplantes por procedimentos, estes cresceram cerca de

Leia mais

MARÇO 2009 Treinamento O IMIP promoveu, no último dia 26 de março, treinamento para novos voluntários, no Auditório Alice Figueira. A abertura foi realizada pela coordenadora do Voluntariado do IMIP, Rejane

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PORTARIA CONJUNTA Nº 55, DE 29 DE AGOSTO DE 2001

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PORTARIA CONJUNTA Nº 55, DE 29 DE AGOSTO DE 2001 TABELAS: S SIA/SUS MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PORTARIA CONJUNTA Nº 55, DE 29 DE AGOSTO DE 2001 DO 168-E, de 31/8/01 O Secretário Executivo e o Secretário

Leia mais

O mesmo código de origem (Tabelas SIA ou SIH) gerando mais de um código novo.

O mesmo código de origem (Tabelas SIA ou SIH) gerando mais de um código novo. Procedimento Origem: H 10001042 TERMOMETRIA SUPERFICIAL, C/ FORNO DE BIER(P/APLIC) 0302050019 6068 ATENDIMENTO FISIOTERAPEUTICO PRE E POS-OPERATORIO NAS DISFUNCOES 0302050035 6069 ATENDIMENTO FISIOTERAPEUTICO

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 10 DE JANEIRO DE 2001

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 10 DE JANEIRO DE 2001 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 10 DE JANEIRO DE 2001 DO 9-E, de 12/1/01 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria SAS/MS nº 224, de

Leia mais

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Banco de Tecidos Salvador Arena BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Banco de Tecidos Salvador Arena BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17 Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17 ORIENTAÇÕES PARA CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTO PARA TRANSPLANTES Formular o processo de

Leia mais

Protocolo para Transfusão de Hemocomponentes em Crianças Grupo Hospitalar Conceição - Hospital da Criança Conceição.

Protocolo para Transfusão de Hemocomponentes em Crianças Grupo Hospitalar Conceição - Hospital da Criança Conceição. Protocolo para Transfusão de Hemocomponentes em Crianças Grupo Hospitalar Conceição - Hospital da Criança Conceição. 1. Introdução: Atualmente, a transfusão de hemocomponentes é considerado um procedimento

Leia mais

RelatóRio de execução

RelatóRio de execução RelatóRio de execução JANEIRO/2015 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Início de um novo ano seguindo as diretrizes de qualidade e excelência técnica preconizadas pelo Instituto D or de Gestão de Saúde Pública. O Contrato

Leia mais

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Ministério da Saúde Sistema Único de Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Grupo: 08 ACOES COMPLEMENTARES DA ATENCAO A SAUDE SubGrupo: 01 ACOES RELACIONADAS AO ESTABELECIMENTO Forma

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA OBJETIVOS DO PROGRAMA Objetivo Geral Capacitar o profissional médico durante os dois anos de treinamento de conteúdo programático teórico e prático essenciais,

Leia mais

SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE REGULAÇÃO AVALIAÇÃO E CONTROLE

SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE REGULAÇÃO AVALIAÇÃO E CONTROLE M I N I S T É R I O D A S A Ú D E SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE REGULAÇÃO AVALIAÇÃO E CONTROLE COORDENAÇÃO GERAL DE SIISTEMAS DE IINFORMAÇÃO MANUAL TÉCNICO OPERACIONAL DO SISTEMA DE INFORMACÃO

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO HOSPITALAR

MANUAL TÉCNICO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO HOSPITALAR MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Regulação, Avaliação e Controle MANUAL TÉCNICO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO HOSPITALAR Série A. Normas e Manuais Técnicos Brasília DF 2007

Leia mais

COBERTURAS E CARÊNCIAS:

COBERTURAS E CARÊNCIAS: PLANO REGIONAL E LOCAL UNIVERSITARIO PESSOA FÍSICA Lei 9656/98 ANS Beneficiários que residem em Guaratinguetá, Aparecida, Cunha ou Potim Definições: Unimed: Cooperativa de Trabalho Médico, regida pela

Leia mais

TÉCNICA EM RADIOLOGIA

TÉCNICA EM RADIOLOGIA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO Hospital Universitário TÉCNICA EM RADIOLOGIA Parte I: Múltipla Escolha Hospital Universitário

Leia mais

Este Manual é atualizado periodicamente pela CGSI Alterações em relação à última versão SETEMBRO_2010 estão marcadas em VERMELHO.

Este Manual é atualizado periodicamente pela CGSI Alterações em relação à última versão SETEMBRO_2010 estão marcadas em VERMELHO. - M I N I S T É R I O D A S A Ú D E S E C R E T A R I A D E A T E N Ç Ã O À S A Ú D E D E P A R T A M E N T O D E R E G U L A Ç Ã O, A V A L I A Ç Ã O E C O N T R O L E C O O R D E N A Ç Ã O G E R A L

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Transplante de Fígado para Situações Especiais

Diretrizes Assistenciais. Transplante de Fígado para Situações Especiais Diretrizes Assistenciais Transplante de Fígado para Situações Especiais Versão eletrônica atualizada em 2011 Transplante de Fígado para Situações Especiais INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA AGUDA GRAVE (IHAG) Condições

Leia mais

Apresentação. É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade

Apresentação. É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade Apresentação Projeto Cultura Doadora É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade e uma atitude proativa para a doação de órgãos e tecidos, bem como na

Leia mais

Orientações para o preenchimento da planilha dos dados de produção de Bancos de Tecidos Músculo-esqueléticos

Orientações para o preenchimento da planilha dos dados de produção de Bancos de Tecidos Músculo-esqueléticos Orientações para o preenchimento da planilha dos dados de produção de Bancos de Tecidos Músculo-esqueléticos 1. Considerações iniciais Estas orientações têm por objetivo instruir os Bancos de Tecidos Músculo-esqueléticos

Leia mais

A morte cerebral é diferente da morte cardíaca: a primeira permite a doação de órgãos e tecidos; a segunda, só a doação de tecidos.

A morte cerebral é diferente da morte cardíaca: a primeira permite a doação de órgãos e tecidos; a segunda, só a doação de tecidos. Doação de órgãos A doação de órgãos é um ato de caridade e amor ao próximo. A cada ano, muitas vidas são salvas por esse gesto altruísta. A conscientização da população sobre a importância da doação de

Leia mais

Medicamentos Excepcionais (Uso contínuo e alto custo)

Medicamentos Excepcionais (Uso contínuo e alto custo) Medicamentos Excepcionais (Uso contínuo e alto custo) Os medicamentos de dispensação excepcional são, geralmente, de uso contínuo e de alto custo. São usados no tratamento de doenças crônicas e raras,

Leia mais

04/06/2015. Imunologia dos Transplantes. Bases imunológicas da rejeição do enxerto

04/06/2015. Imunologia dos Transplantes. Bases imunológicas da rejeição do enxerto Imunologia dos Transplantes Dayse Locateli Transplante: ato de transferir células, tecidos ou órgãos de um lugar para outro. Indivíduo doador Receptor Dificuldades: Técnicas Cirúrgicas Quantidade de doadores

Leia mais

PORTARIA Nº 2.041 DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS.

PORTARIA Nº 2.041 DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS. PORTARIA Nº 2.041 DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. Tabela s, Medicamentos e OPM do SUS. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições, que lhe confere o inciso II do parágrafo único do art. 87, da Constituição

Leia mais

2 Conservação do sangue e hemocomponentes

2 Conservação do sangue e hemocomponentes 2 Conservação do sangue e hemocomponentes Alguns problemas de saúde hematológicos ou hemodinâmicos podem ser tratados utilizando produtos hemoterápicos, como por exemplo, problemas ligados à coagulação,

Leia mais

Programação Pactuada e Integrada Composição dos serviços ambulatoriais de alta complexidade

Programação Pactuada e Integrada Composição dos serviços ambulatoriais de alta complexidade Bolsas - Bolsas de Urostomia 0701060026 BOLSA COLETORA P/ UROSTOMIZADOS 0701060042 CONJUNTO DE PLACA E BOLSA P/ UROSTOMIZADOS Bolsas - Coletor Urinário 0701060034 COLETOR URINARIO DE PERNA OU DE CAMA Bolsas

Leia mais

TABELA DE PREÇO SUL AMERICA / SINAGÊNCIAS ATENDIMENTO NACIONAL

TABELA DE PREÇO SUL AMERICA / SINAGÊNCIAS ATENDIMENTO NACIONAL TABELA DE PREÇO SUL AMERICA / SINAGÊNCIAS ATENDIMENTO Válida para os Associados Residentes nos Estados - RIO GRANDE DO SUL, PARANA, ESPIRITO SANTOS 00-18 R$ 134,74 R$ 147,26 R$ 165,45 R$ 182,00 R$ 204,33

Leia mais

PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA TECNOLOGIA EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA II

PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA TECNOLOGIA EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA II PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA TECNOLOGIA EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA II 1 O SEMESTRE DE 2015 PROFESSORES: Andréa de Lima Bastos Giovanni Antônio Paiva de Oliveira 1. EMENTA: Procedimentos, Protocolos,

Leia mais

Técnica da CGSI responsáveis pela confeccção do manual: Ana Lourdes Marques Maia

Técnica da CGSI responsáveis pela confeccção do manual: Ana Lourdes Marques Maia - M I N I S T É R I O D A S A Ú D E S E C R E T A R I A D E A T E N Ç Ã O À S A Ú D E D E P A R T A M E N T O D E R E G U L A Ç Ã O, A V A L I A Ç Ã O E C O N T R O L E C O O R D E N A Ç Ã O G E R A L

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE SANTO ANDRÉ

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE SANTO ANDRÉ ANEXO I EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N 008/2014 PARA CREDENCIAMENTO DE HOSPITAIS E CLÍNICAS HABILITADOS PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ALTA COMPLEXIDADE, ASSIM COMPREENDIDOS OS CENTROS DE INFUSÃO DE IMUNOBIOLÓGICOS;

Leia mais

0204010136 - RADIOGRAFIA DE REGIAO ORBITARIA (LOCALIZACAO DE CORPO ESTRANHO)

0204010136 - RADIOGRAFIA DE REGIAO ORBITARIA (LOCALIZACAO DE CORPO ESTRANHO) ANEXO PT/SAS/MS Nº 420 DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009 GRUPO II 0204010012 - DACRIOCISTOGRAFIA 0204010020 - PLANIGRAFIA DE LARINGE 0204010039 - RADIOGRAFIA BILATERAL DE ORBITAS (PA + OBLIQUAS + HIRTZ) 0204010047

Leia mais

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN DIMENSIONAMENTO DE SERVIÇOS ASSISTENCIAIS E DA GERÊNCIA DE ENSINO E PESQUISA BRASÍLIA-DF, 27 DE MARÇO DE 2013. Página 1 de 20 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1.

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA HIERARQUIZADA DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS

CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA HIERARQUIZADA DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA HIERARQUIZADA DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS Montagem: Dr. Jorge Utaliz Silveira - Diretor da AMRIGS Sra. Maria da Graça Gonzalez Schneider Gerente de Defesa Profissional AMRIGS Conceito:

Leia mais

É sempre bom ter com quem contar!

É sempre bom ter com quem contar! É sempre bom ter com quem contar! Unimed Fácil Regional Plano Coparticipativo Se você está procurando um plano econômico mas com a qualidade que você merece, acabou de achar! O Unimed Fácil Regional é

Leia mais

Mato Grosso do Sul conta com 80.665 pessoas cadastradas (até 2010) como doadoras de

Mato Grosso do Sul conta com 80.665 pessoas cadastradas (até 2010) como doadoras de Nesta sexta-feira (12) o Rádio Clube se dedica à solidariedade. Será feita uma campanha de captação de doadores de medula óssea no clube. A intenção da ação é sensibilizar as pessoas para aumentar o número

Leia mais

RADIOLOGIA PESSOALMENTE COM O PEDIDO MÉDICO. PEDIDO MÉDICO COM INDICAÇÃO CLINICA.

RADIOLOGIA PESSOALMENTE COM O PEDIDO MÉDICO. PEDIDO MÉDICO COM INDICAÇÃO CLINICA. Nome do setor/especialidade: Horário de funcionamento: Meios de agendamento oferecidos ao usuário para utilização/acesso aos serviços: Requisitos necessários para a obtenção dos serviços: Serviços oferecidos:

Leia mais

QUESTIONÁRIO PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL PARA HOSPITAIS, CLÍNICAS, LABORATÓRIOS E DEMAIS PRESTADORAS DE SERVIÇOS MÉDICOS

QUESTIONÁRIO PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL PARA HOSPITAIS, CLÍNICAS, LABORATÓRIOS E DEMAIS PRESTADORAS DE SERVIÇOS MÉDICOS QUESTIONÁRIO PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL PARA HOSPITAIS, CLÍNICAS, LABORATÓRIOS E DEMAIS PRESTADORAS DE SERVIÇOS MÉDICOS O objetivo deste questionário é analisar as atividades

Leia mais

Manual Específico Unimed-Rio - TISS

Manual Específico Unimed-Rio - TISS UNIME D-RIO Manual Específico Unimed-Rio - TISS Área de Relacionamento com Hospitais Rio 2 PADRONIZAÇÃO DOS NOVOS FORMULÁRIOS QUE SERÃO UTILIZADOS PELOS PRESTADORES PARA ENVIO PARA A UNIMED-RIO. Estes documentos

Leia mais

ABAD. Contrato de adesão Contrato de plano de saúde coletivo por adesão. Produto Participativo Nacional. Sestini. Proposta nº º

ABAD. Contrato de adesão Contrato de plano de saúde coletivo por adesão. Produto Participativo Nacional. Sestini. Proposta nº º Administradora de Benefícios ANS - 41.771-8 Contrato de adesão Contrato de plano de saúde coletivo por adesão. Produto Participativo Nacional º Início da vigência do benefício: 20 Entidade Associação Brasileira

Leia mais

TABELA SUS: uma avaliação do CRMMG

TABELA SUS: uma avaliação do CRMMG Debate: o reajuste da Tabela SUS aplicável aos hospitais filantrópicos 31 de março de 2015 TABELA SUS: uma avaliação do CRMMG Cons. Fábio Augusto Guerra CRMMG A Portaria nº 321/GM, de 8 de fevereiro de

Leia mais

Mesa redonda: TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS E TECIDOS

Mesa redonda: TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS E TECIDOS VI CONGRESSO DE BIOÉTICA DE RIBEIRÃO PRETO Mesa redonda: TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS E TECIDOS Maria Cristina Komatsu Braga Massarollo Escola de Enfermagem- USP massaro@usp.br TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS Modalidade

Leia mais

a) do Serviço de Hemoterapia para a Vigilância Sanitária Municipal, até o 10º dia útil subsequente ao mês/período informado;

a) do Serviço de Hemoterapia para a Vigilância Sanitária Municipal, até o 10º dia útil subsequente ao mês/período informado; Republicada no D.O. de 22/8/01 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11, inciso IV, do Regulamento da ANVISA, aprovado pelo Decreto

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 2000

MINISTÉRIO DA SAÚDE. GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 2000 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 20 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 569/GM, de 1º de junho

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS DA TABELA DE CÓDIGOS E PROCEDIMENTOS

INSTRUÇÕES GERAIS DA TABELA DE CÓDIGOS E PROCEDIMENTOS INTRODUÇÃO ORIENTAÇÕES GERAIS PARA IMPLANTAÇÃO 1. VALORIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS, CONSULTAS E SERVIÇOS AUXILIARES DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS. Para honorários de procedimentos pagos à pessoa física,

Leia mais

Curso para Implantação de Comissão Intra - Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT)

Curso para Implantação de Comissão Intra - Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) Curso para Implantação de Comissão Intra - Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos e Tecidos CNCDO/GO Tema: Operacionalização

Leia mais

MORTE ENCEFÁLICA E DOAÇÃO DE ORGÃOS

MORTE ENCEFÁLICA E DOAÇÃO DE ORGÃOS MORTE ENCEFÁLICA E DOAÇÃO DE ORGÃOS CONCEITO Parada total do funcionamento cerebral. Perda da função do Tronco Cerebral Os parâmetros clínicos a serem observados para constatação de morte encefálica são:

Leia mais

Tipos de Transplantes

Tipos de Transplantes TRANSPLANTADOS Tipos de Transplantes Doador Vivo Um dos Rins Parte dos Pulmões Parte do Fígado Medula Óssea Doador Falecido Diagnóstico de Morte Encefálica Rins, Pulmões, Coração, Valvas Cardíacas, Fígado

Leia mais

Hemoglobinopatias. Dra. Débora Silva Carmo

Hemoglobinopatias. Dra. Débora Silva Carmo Hemoglobinopatias Dra. Débora Silva Carmo Hemoglobinopatias O que é hemoglobina É a proteína do sangue responsável em carregar o oxigênio para os tecidos Qual é a hemoglobina normal? FA recém-nascido AA

Leia mais

INCLUI E ALTERA PROCEDIMENTOS NA TABELA DE HABILITAÇÕES DO SCNES E NA TABELA DE MEDICAMENTOS DE OPM DO SUS

INCLUI E ALTERA PROCEDIMENTOS NA TABELA DE HABILITAÇÕES DO SCNES E NA TABELA DE MEDICAMENTOS DE OPM DO SUS Circular 446/2009 São Paulo, 02 de dezembro de 2009. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) INCLUI E ALTERA PROCEDIMENTOS NA TABELA DE HABILITAÇÕES DO SCNES E NA TABELA DE MEDICAMENTOS DE OPM DO SUS Diário oficial

Leia mais