I ANTICORPOS PRIMÁRIOS POLICLONAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I ANTICORPOS PRIMÁRIOS POLICLONAIS"

Transcrição

1 CATÁLOGO DE PRODUTOS 1

2 I ANTICORPOS PRIMÁRIOS POLICLONAIS Concentração: 1 mg/ml Apresentações: 250 µg, 500 µg, 1 mg Anti-Bcl-2 Reatividade: Guinea pig e camundongo, Anti-Bax Reatividade: Guinea pig, Anti-Beta Catenina Reatividade: Rato, Anti-Caspase 3 Clivada Anti-Galectina-1 Reatividade: Humano, camundongo e rato, Anti-NOD1 Anti-NOD2 Anti-MMP-20 Reatividade: Rattus norvegicus, IM-0015 Técnicas: ELISA,WB, IHQ IM-0017 IM-0021 Técnicas: ELISA, WB,IHQ IM-0035 IM-0124 IM-0361 Técnicas: ELISA, WB,IHQ IM-0362 Técnicas: ELISA, WB,IHQ IM-0376 Anti-IR IM

3 Reatividade: Humano, camundongo e rato, Anti-IRS-1 Anti-IRS-2 Anti-IRS-3 Anti-JAK2 Reatividade: Humano, camundongo e rato, Anti-c-Fos Anti-TUG Anti-RaCDK10 Anti-AKT Reatividade: Humano, camundongo e rato, Anti-TRIM37 Técnicas: ELISA, WB,IHQ IM-0332 IM-0037 IM-0038 IM-0039 IM-0040 Produzido em: Galinha IM-0043 IM-0063 IM-0051 IM

4 Anti-XF6123 Reatividade: Xyllela fastidiosa, Anti-SOCS3 Anti-p34 (cdc2) fosforilado Reatividade: Bovino, IM-0325 IM-0379 Técnicas: ELISA, WB,IHQ IM-0394 Anti-Receptor Muscarínico Reatividade: Humano, camundongo e rato, Anti-Receptor de Angiotensina I (AT1) Reatividade: Humano, camundongo e coelho, Anti-Receptor de Angiotensina II (AT2) Reatividade: Humano, camundongo e coelho, Anti-RAR gama Reatividade: Rato, Anti-Receptor MT1 Reatividade: Rato, Anti-Receptor MT2 Reatividade: Rato, IM-0050 IM-0061 IM-0062 IM-0065 IM-0482 Técnicas: ELISA, WB,IHQ IM-0356 Técnicas: ELISA, WB,IHQ 4

5 Anti-STOML2 Reatividade: Rato, Anti-Caveolin 1 Reatividade: Rato, Anti-PGC1-α Reatividade: Humano, camundongo e rato, Anti-PGC1-β Reatividade: Humano, camundongo e rato, Anti-TLR-2 Reatividade: Humano e camundongo, Anti-TLR-4 Reatividade: Humano e Camundongo, Anti-Receptor de Cinina B1 Reatividade: Camundongo, Anti-CTX colágeno Reatividade: Rato e camundongo, Anti-PGC-N-terminal Reatividade: Humano, rato e camundongo, IM-0483 Técnicas: ELISA, WB,IHQ IM-0484 Técnicas: ELISA, WB,IHQ IM-0041 IM-0048 IM-0071 IM-0072 IM-0133 IM-0290 IM

6 Anti-PGC-Intermediária Reatividade: Humano, rato e camundongo, Anti-PGC-C-terminal Reatividade: Humano, rato e camundongo, Anti-Receptor TNF IM-0381 IM-0382 IM-0475 Anti-INPP5E Anti NOXA-1 Anti-NOXO-1 Anti-Enzima Conversora de Angiotensina 1 (ACE1) Anti-Enzima Conversora de Angiotensina 2 (ACE2) Anti-ACC sintase Reatividade: Zea mays (milho), IM-0042 IM-0056 IM-0057 IM-0059 IM-0060 IM-0073 Anti-Anidrase Carbônica III Reatividade: Cavalo, 6 IM-0134

7 Anti-ATPase Reatividade: Rato, Anti-Sódio/Potássio ATPase Reatividade: Rato, Anti-Carboxipeptidase M Reatividade: Camundongo, Anti-ATPase Reatividade: Sacchromyces cerevisiae, Anti-PKC Anti-Indoleamina 2, 3-dioxigenase (IDO 1) Anti-Atg8 Anti-Sinaptofisina Anti-Acetilserotonina O-metiltransferase Anti-PI3Kinase Reatividade: Humano e camundongo, 7 IM-0136 IM-0139 IM-0140 Técnicas: ELISA, WB,IHQ IM-0327 IM-0377 IM-0402 IM-0413 IM-0414 IM-0441 IM-0459

8 Anti-E-caderina Anti-ICAM-1 Anti-L-selectina Anti-Cadeia -1 (I) do colágeno (COL 1A1) Anti-Cadeia -2 (I) do colágeno (COL 1A2) IM-0066 IM-0067 IM-0068 IM-0283 IM-0286 Anti-Canal de Cálcio Reatividade: Rato, Anti-Canal de Sódio Reatividade: Rato, Anti-UCP3 Reatividade: Humano, camundongo e rato, IM-0131 IM-0132 IM-0044 Anti- actina IM

9 Anti-Dihidrina Anti-eCATH 1 Reatividade: Cavalo, Anti-eCATH 2 Reatividade: Cavalo, Anti-eCATH 3 Reatividade: Cavalo, Anti-Proteina principal da geléia real 1 (MJRP1) Reatividade: Rato, Anti-PKA Reatividade: Rattus norvegicus, Anti-PKC Reatividade: Rattus norvegicus, Anti-GFAP Anti-lba 1 Anti-Aquaporina 2 IM-0285 IM-0287 IM-0288 IM-0289 IM-0291 IM-0409 IM-0410 IM-0415 IM-0416 IM

10 Anti-Aquaporina 4 Anti-NF 50 Anti-NF p65 Anti-NF Rel B Anti-NF crel Anti-NF 2 Anti-STAT3 Anti-STAT3 fosforilado (Tyr 705) Anti-STAT1 fosforilado (Tyr 701) Anti-AA-NAT IM-0424 IM-0442 IM-0443 IM-0444 IM-0445 IM-0446 IM-0447 IM-0448 IM-0449 IM

11 Anti-AA-NAT fosforilado (Thr29) Anti-Fator de von Willebrand Reatividade: Canis familiaris, Anti-Poly-His Tag Reatividade: His, IM-0451 IM-0452 IM-0453 Anti-cJun Reatividade: Humano, camundongo e rato, Anti-STAT1 Anti-STAT3 c-terminal Anti-HIF-1 Reatividade: Camundongo, Anti-c-Myc Reatividade: Humano e camundongo, IM-0045 IM-0049 IM-0437 IM-0374 IM-0460 Anti-Proteína morfogênica óssea-9 (BMP9) Reatividade: Humano e camundongo, Anti-Glucagon IM-0046 IM

12 Anti-IL-13 Reatividade: Humano e camundongo, Anti-Vitelogenina Reatividade: Camundongo, Anti-GIP Anti-NGC Anti-SmNR1 Reatividade: Schistossoma mansoni, Anti-SmRXR1 Reatividade: Schistossoma mansoni, Anti-SmGCN5 Reatividade: Schistossoma mansoni, Anti-SmCBP Reatividade: Schistossoma mansoni, IM-0069 IM-0129 IM-0296 IM-0354 IM-0403 IM-0404 IM-0405 IM-0408 Anti-Fukitina Anti-T. brucei Reatividade: T. brucei, IM-0052 IM

13 Anti-Sarcotoxina S. peregrina Reatividade: S. peregrina, Anti-Glut-2 Anti-Hexamerina 70b Reatividade: Apis mellifera, Anti-Hexamerina 70c Reatividade: Apis mellifera, Anti-Hexamerina 110 Reatividade: Apis mellifera, Anti-PUMP Reatividade: Arabidopsis ithaliana, Anti-CD13 Reatividade: Equino, Anti-CD14 Reatividade: Equino, Anti-Scrt 2 Reatividade: Rato, IM-0126 IM-0127 IM-0137 IM-0138 IM-0053 IM-0284 IM-0293 IM-0294 IM-0331 Anti-Transportador de Taurina Reatividade: Mus musculus, 13 IM-0384

14 Anti-EAT1 Reatividade: Camundongo, Anti-ILIT Reatividade: Camundongo, Anti-Florfenicol Amina IM-0373 IM-0418 IM-0425 Anti-PCNA Reatividade: Rattus norvergicus, Anti-SOFAT Anti-GAC Anti-Calcineurina 4 Reatividade: Rato, Anti-XadA3 Reatividade: Rato, Anti-VASA Reatividade: Peixe, Anti-T. canis IM-0301 IM-0330 IM-0322 IM-0336 IM-0337 IM-0338 IM

15 Reatividade: T. canis, Anti-VirJ2 Reatividade: Xyllela fastidiosa, Anti-TolC Reatividade: Xyllela fastidiosa, Anti-BAT Anti-Talisin Reatividade: Anti-S. mutans Reatividade: S. mutans, Anti-Blastocrithidia culicis Reatividade: Blastocrithidia culicis, Anti-His IBMP Reatividade: Trypanosoma cruzi, Anti-HAD IM-0347 IM-0457 IM-0493 IM-0438 IM-0366 IM-0372 IM-0392 IM-0439 Anti-Proteína A de S. aureus Reatividade: S. aureus, IM

16 Anti-Glicogênio Sintase Reatividade: Humano, Rato e Camundongo, IM-0398 Anti-Glicogênio Sintase Fosoforilado (Ser641) Reatividade: Humano, Rato e Camundongo, IM-0399 Anti-Glicose -6Fosfatase (G6Pase) Reatividade: Humano, Rato e Camundongo, IM-0400 Anti-Glicogênio Fosforilase Reatividade: Humano, Rato e Camundongo, Anti-Phakopsora pachyrhizi Reatividade: Phakopsora pachyrhizi, Anti-CD4 Reatividade: Canis familiaris, Anti-Vitelogenina Reatividade: humano, Anti-IL6 Reatividade: Rattus norvegicus, Anti- AtbZip63 Reatividade: Arabdosis italiana, IM-0401 IM-0434 IM-0454 IM-0519 IM-0468 IM

17 Kit para detecção de Enterotoxina A de Staphylococcus aureus Reatividade: S. aureus, Kit para detecção de Panton Valentine de Staphylococcus aureus Reatividade: S. aureus, IM-0323 IM-0324 II ANTICORPOS PRIMÁRIOS MONOCLONAIS Anti-CD3 Reatividade: Camundongo e rato, monoclonal Anti-Glut-5 Reatividade: Camundongo e rato, monoclonal IM-0070 IM-0292 Anti-Mast Cell Protease Reatividade: Camundongo, monoclonal Anti-MMP-2 Reatividade: Humano, monoclonal Anti-Cálcio ATPase Reatividade: Humano e rato, monoclonal Anti-Hidrogênio/Potássio ATPase Reatividade: Humano e rato, monoclonal Anti-IGF-1 IM-0257 IM-0258 Técnicas: ELISA, WB,IHQ IM-0261 IM-0262 IM

18 Reatividade: Humano, monoclonal Anti-C-erB-2/Her-2 Reatividade: Humano, monoclonal Anti-TNF Reatividade: Humano, monoclonal Anti- AtbZip6 Reatividade: Arabdopsis italiana, monoclonal Anti-IL6 (Clone B3A12) Reatividade: Humano, monoclonal Anti-IL6 (Clone C6H2) Reatividade: Humano, monoclonal Anti-IL6 (Clone C6F3) Reatividade: Humano, monoclonal Anti-IL6 (Clone A6F10) Reatividade: Humano, monoclonal Anti-RaHMG-D Reatividade: Humano, monoclonal Anti- Luciferase Reatividade: Humano, monoclonal IM-0022 IM-0263 IM-0318 IM-0420 IM-0421 IM-0422 IM-0488 IM-0487 IM

19 Anti-IFNγ Reatividade: Humano, camundongo e rato, monoclonal IM-0265 Anti-CD3 Reatividade: Camundongo, monoclonal Anti-CD4 Reatividade: Camundongo, monoclonal Anti-CD8 Reatividade: Camundongo, monoclonal Anti-TNF Reatividade: Rattus norvegicus, monoclonal Anti-IL6 Reatividade: Rattus norvegicus, monoclonal Anti-CD8 Reatividade: Canis familiaris, Anti-TCR Gama/Delta Reatividade: Camundongo, monoclonal IM-0277 Produzido em: Rato IM-0278 Produzido em: Rato IM-0279 Produzido em: Rato IM-0406 IM-0407 IM-0455 IM-0280 Produzido em: Rato Anti-Aminopeptidase A Reatividade: Humano, camundongo e rato, monoclonal IM-0360 Anti-Enrofloxacina Reatividade: Enrofloxacina, monoclonal 19 IM-0317

20 Anti-TGEV Reatividade: Virus da gastroenteritis (suína), monoclonal Anti-Scrt 2 Reatividade: Rato, monoclonal Anti- Phakopsora pachirhyzi Reatividade: Phakopsora pachirhyzi, monoclonal Anti- PCV2 (porcine virus 2) Reatividade: porcine virus, monoclonal Anti- TNFRSF4 Reatividade: Humano, rato e camundongo, monoclonal Anti- TNFRSF9 Reatividade: Humano, rato e camundongo, monoclonal Anti-DENV-1 Reatividade: Humano e rato, monoclonal Anti-DENV-3 Reatividade: Humano e rato, monoclonal Anti-DENV-4 Reatividade: Humano e rato, monoclonal IM-0321 IM-0365 IM-0319 IM-0320 IM-0348 IM-0349 IM-0368 IM-0369 IM

21 Anti-T. gondii (Clone P2B6) Reatividade: T. gondii, monoclonal IM-0433 III ANTICORPOS SECUNDÁRIOS Concentração: 1 mg/ml Apresentações: 0,5; 1 e 2 ml Anti-camundongo, molécula inteira Reatividade: IgG camundongo Anti-camundongo conjugado com peroxidase Reatividade: IgG camundongo Anti-camundongo conjugado com biotina Reatividade: IgG camundongo Anti-camundongo conjugado com fosfatase alcalina Reatividade: IgG camundongo Anti-camundongo conjugado com FITC Reatividade: IgG camundongo Anti-camundongo conjugado com Cy5 Reatividade: IgG camundongo Anti-camundongo conjugado com Atto633 Reatividade: IgG camundongo Anti-camundongo conjugado com Cy3 Reatividade: IgG camundongo Anti-coelho, molécula inteira Reatividade: IgG coelho Anti-coelho conjugado com peroxidase Reatividade: IgG coelho IC-1M00 IC-1M01 IC-1M02 IC-1M03 IC-1M04 IC-1M05 IC-1M06 IC-1M07 IC-3R00 Produzido em: Cabra IC-3R01 Produzido em: Cabra 21

22 Anti-coelho conjugado com biotina Reatividade: IgG coelho Anti-coelho conjugado com fosfatase alcalina Reatividade: IgG coelho Anti-coelho conjugado com FITC Reatividade: IgG coelho Anti-coelho conjugado com Cy5 Reatividade: IgG coelho Anti-coelho conjugado com Atto 633 Reatividade: IgG coelho Anti-coelho conjugado com Cy3 Reatividade: IgG coelho Anti-rato, molécula inteira Reatividade: IgG rato Anti-rato, conjugado com peroxidase Reatividade: IgG rato Anti-rato, conjugado com biotina Reatividade: IgG rato Anti-rato, conjugado com fosfatase alcalina Reatividade: IgG rato Anti-rato, conjugado com FITC Reatividade: IgG rato Anti-rato, conjugado com Cy5 Reatividade: IgG rato Anti-rato, conjugado com Atto 633 Reatividade: IgG rato Anti-rato, conjugado com Cy3 IC-3R02 Produzido em: Cabra IC-3R03 Produzido em: Cabra IC-3R04 Produzido em: Cabra IC-3R05 Produzido em: Cabra IC-3R06 Produzido em: Cabra IC-3R07 Produzido em: Cabra IC-1r00 IC-1r01 IC-1r02 IC-1r03 IC-1r04 IC-1r05 IC-1r06 IC-1r07 22

23 Reatividade: IgG rato Anti-cabra, molécula inteira Reatividade: IgG cabra Anti-cabra conjugado com peroxidase Reatividade: IgG cabra Anti-cabra conjugado com biotina Reatividade: IgG cabra Anti-cabra conjugado com fosfatase alcalina Reatividade: IgG cabra Anti-cabra conjugado com FITC Reatividade: IgG cabra Anti-cabra conjugado com Cy5 Reatividade: IgG cabra Anti-cabra conjugado com Atto 633 Reatividade: IgG cabra Anti-cabra conjugado com Cy3 Reatividade: IgG cabra Anti-humano, molécula inteira Reatividade: IgG humano Anti-humano conjugado com peroxidase Reatividade: IgG humano Anti-humano conjugado com biotina Reatividade: IgG humano Anti-humano conjugado com fosfatase alcalina Reatividade: IgG humano Anti-humano conjugado com FITC Reatividade: IgG humano IC-1G00 IC-1G01 IC-1G02 IC-1G03 IC-1G04 IC-1G05 IC-1G06 IC-1G07 IC-1H00 IC-1H01 IC-1H02 IC-1H03 IC-1H04 23

24 Anti-Fc de IgG de rato Reatividade: Rato, Anti-Fc de IgA de rato Reatividade: Rato, Anti-IgG canino, molécula inteira Reatividade: Cachorro, Anti-IgG canino conjugado com FITC Reatividade: Cachorro, Anti-IgG porcino Reatividade: porco, Anti-IgG porcino conjugado com peroxidase Reatividade: porco, IM-0295 IM-0316 IC-3D00 Produzido em: Cabra IC-3D04 Produzido em: Cabra IC-1P00 Produzido em: Cabra IC-1P01 Produzido em: Cabra IV ANTICORPOS SOB ENCOMENDA Serviço Prazo (dias) Peptídeo sintético, 20 aa, 5 mg 30 Policlonal (5 ml) 35 Policlonal purificado (2 mg) 42 Monoclonal purificado (2 mg) Teste Western Blot ou Elisa (1 placa ou gel) 7 *No caso do cliente disponibilizar o antígeno, deve fornecer, no mínimo, 2 mg e precisa possuir PM > 20 kda. Caso o PM seja menor do que 20 kda, o peptídeo pode ser entregue conjugado com uma proteína carreadora. Se for de interesse, também realizamos esta conjugação. 24

CATءLOGO. www.vbpbiotecnologia.com.br

CATءLOGO. www.vbpbiotecnologia.com.br CATءLOGO 2015 Anti-34BE12 Anti-3-beta-HSD Anti-5-alfa-redutase Anti-AA-NAT Anti-AA-NAT fosforilado (Thr29) Anti-ACC sintase Anti-Acetilserotonina O-metiltransferase Anti-ACTH humano Anti-Adrenalina Anti-Adrenalina

Leia mais

I ANTICORPOS PRIMÁRIOS POLICLONAIS

I ANTICORPOS PRIMÁRIOS POLICLONAIS CATÁLOGO DE PRODUTOS I ANTICORPOS PRIMÁRIOS POLICLONAIS Concentração: 1 mg/ml 1 Apresentações: 250 µg, 500 µg, 1 mg Anti- Bcl- 2 Reatividade: Guinea pig e camundongo, Anti- Bax Reatividade: Guinea pig,

Leia mais

A Imuny Rheabiotech desenvolve e produz anticorpos para a

A Imuny Rheabiotech desenvolve e produz anticorpos para a A Imuny Rheabiotech desenvolve e produz anticorpos para a comunidade cientifica nacional desde 2004, atendendo rigorosas exigências de qualidade e prazo. Neste fim de ano temos ofertas especiais para atender

Leia mais

IMUNO ENSAIOS USANDO CONJUGADOS

IMUNO ENSAIOS USANDO CONJUGADOS IMUNO ENSAIOS USANDO CONJUGADOS REAÇÕES USANDO REAGENTES MARCADOS Conjugado: molécula constituída por duas substâncias ligadas covalentemente e que mantêm as propriedades funcionais de ambas Ex: globulina

Leia mais

Elaborado por: Karina Salvador Revisado por: Hilda Helena Wolff Aprovado por: Andréa Cauduro

Elaborado por: Karina Salvador Revisado por: Hilda Helena Wolff Aprovado por: Andréa Cauduro ANTI- 1 Manual CAMBRIDGE BIOTECH -1 POP: BM 05 Página 1 de 7 1. Sinonímia ANTI, TESTE CONFIRMATÓRIO. 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos e técnicos do setor de imunologia. 3. Aplicação clínica Os testes

Leia mais

Padronização de imunoblot para diagnóstico sorológico da esquistossomose utilizando antígeno de vermes adultos

Padronização de imunoblot para diagnóstico sorológico da esquistossomose utilizando antígeno de vermes adultos Padronização de imunoblot para diagnóstico sorológico da esquistossomose utilizando antígeno de vermes adultos Guedes, PP 1 ; Pinto, PLS 1 e Oliveira, KC 1. 1 Núcleo de Enteroparasitas, Centro de Parasitologia

Leia mais

Métodos Imunológicos Guido Lenz Biofísica, 2004

Métodos Imunológicos Guido Lenz Biofísica, 2004 1. Introdução Métodos Imunológicos Guido Lenz Biofísica, 2004 Ter como função proteger um organismo de qualquer componente externo num mundo de miriades de componentes internos e de uma imensidão de prováveis

Leia mais

Incubação. Incubação. Fase sólida (Poço de uma placa de 96 poços) IgG Anti-HIV Presente na amostra do indivíduo

Incubação. Incubação. Fase sólida (Poço de uma placa de 96 poços) IgG Anti-HIV Presente na amostra do indivíduo Aula 5 Diagnóstico laboratorial da infecção pelo HIV Em 1985, surgiu a primeira geração de ensaios para o diagnóstico da infecção pelo HIV. Esses ensaios empregavam antígenos virais, obtidos a partir da

Leia mais

EIE ENSAIOS ENSAIOS IMUNOENZIMÁTICOS. ImmunoSorbent Assay ENSAIOS IMUNOENZIMÁTICOS (EIE) Profa MsC. Priscila P. S. dos Santos

EIE ENSAIOS ENSAIOS IMUNOENZIMÁTICOS. ImmunoSorbent Assay ENSAIOS IMUNOENZIMÁTICOS (EIE) Profa MsC. Priscila P. S. dos Santos ENSAIOS IMUNOENZIMÁTICOS (EIE) CURSO DE FARMÁCIA DISCILINA DE IMUNOLOGIA CLÍNICA rofa MsC. riscila. S. dos Santos ENSAIOS IMUNOENZIMÁTICOS EIE HOMOGÊNEOS HETEROGÊNEOS CROMÓGENOS SOLÚVEIS Todo em fase líquida

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ-UECE

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ-UECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ-UECE LABORATÓRIO DE BIOQUÍMICA HUMANA Maria Izabel Florindo Guedes Grupo de Pesquisa: Grupo de Inovação Biotecnológica em Saúde Maria Izabel Florindo Guedes Desenvolvimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM 95591764000105 Termo de Referência. 358 / 2014 Data da Emissão: 13/10/2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM 95591764000105 Termo de Referência. 358 / 2014 Data da Emissão: 13/10/2014 Processo..: 23081.014681/2014-40 Pregão SRP 358 / 2014 Data da Emissão: 13/10/2014 Abertura: Dia: 06/11/2014 Hora: 09:00:00 Objeto Resumido: Modalidade de Julgamento : Menor Preço 1 ANTICORPO MONOCLONAL

Leia mais

Hemocentro do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu UNESP. Elenice Deffune www.hemocentro.fmb.unesp.br

Hemocentro do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu UNESP. Elenice Deffune www.hemocentro.fmb.unesp.br Hemocentro do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu UNESP. Elenice Deffune www.hemocentro.fmb.unesp.br ÁREA DE ABRANGÊNCIA Atendimento Direto: 31 municípios; Referência para HIV: CD4/8:

Leia mais

Órgão/Entidade : SECRETARIA DA SAUDE Unidade Licitação : FUNDO ESTADUAL DE SAUDE - HOSPITAL GERAL DO ESTADO. Preço Total: Preço Total: Preço Total:

Órgão/Entidade : SECRETARIA DA SAUDE Unidade Licitação : FUNDO ESTADUAL DE SAUDE - HOSPITAL GERAL DO ESTADO. Preço Total: Preço Total: Preço Total: Licitação : PP154/2014 Data e Hora da Entrega das Propostas: 03/10/2014-09:00 Grupo :027-Materiais e Equip. de Uso Hospitalar, Odontológico, Veterinário e de Laboratório Órgão/Entidade : SECRETARIA DA

Leia mais

Produção de Anticorpos Monoclonais contra Listeria monocytogenes para Utilização em Métodos Rápidos de Diagnóstico em Alimentos

Produção de Anticorpos Monoclonais contra Listeria monocytogenes para Utilização em Métodos Rápidos de Diagnóstico em Alimentos Universidade Federal de Pelotas Centro de Desenvolvimento Tecnológico - CDTec Núcleo de Biotecnologia Encontro de Inovação Tecnológica em Defesa Agropecuária Leite Belo Horizonte - 21/03/2013 Produção

Leia mais

A agricultura moderna está sendo revolucionada pela introdução de plantas geneticamente modificadas;

A agricultura moderna está sendo revolucionada pela introdução de plantas geneticamente modificadas; EXPRESSÃO DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO HUMANO PROCESSADO EM SEMENTES DE PLANTAS TRANSGÊNICAS DE TABACO ADILSON LEITE, EDSON L. KEMPER, MÁRCIO J. DA SILVA, AUGUSTO D. LUCHESI, RODRIGO M.P. SILOTO, ERIC D.

Leia mais

Anticorpos de valor. Eduardo Cesar

Anticorpos de valor. Eduardo Cesar tecnologia Anticorpos de valor Eduardo Cesar Na Rheabiotech, purificação de anticorpos monoclonais [ química ] Empresas e institutos produzem no Brasil insumos essenciais para a pesquisa Yuri Vasconcelos

Leia mais

Métodos para detecção de alérgenos em alimentos. Gerlinde Teixeira Departamento de Imunobiologia Universidade Federal Fluminense

Métodos para detecção de alérgenos em alimentos. Gerlinde Teixeira Departamento de Imunobiologia Universidade Federal Fluminense Métodos para detecção de alérgenos em alimentos Gerlinde Teixeira Departamento de Imunobiologia Universidade Federal Fluminense Antigenos vs Alérgenos Antigeno Imunógeno Qualquer substância capaz de estimular

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS 1. Sinonímia VIDAS DUO 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos do setor de imunologia. 3. Aplicação clínica POP n.º: I 56 Página 1 de 7 O vírus da imunodeficiência humana () é um retrovírus RNA, transmitido

Leia mais

Imunodiagnóstico. Conceitos. Fatôres que afetam as reações de Ag/Acs. Reatividade Cruzada. Quantificação. da Resposta Imune.

Imunodiagnóstico. Conceitos. Fatôres que afetam as reações de Ag/Acs. Reatividade Cruzada. Quantificação. da Resposta Imune. O QU SÃO TSTS SOROLÓGICOS? Imunodiagnóstico Conceitos Prof: Prof: Teresa Teresa Gomes Gomes de de Oliveira Oliveira São técnicas para a detecção e quantificação de antígenos e anticorpos, ou outras substâncias

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO. Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 5 TIPO DE INSTALAÇÃO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO. Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 5 TIPO DE INSTALAÇÃO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 5 RAZÃO SOCIAL/SIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO MERCOLAB LABORATÓRIOS LTDA MERCOLAB CASCAVEL SORO AVES

Leia mais

Diagnóstico Laboratorial de Chikungunya

Diagnóstico Laboratorial de Chikungunya Diagnóstico Laboratorial de Chikungunya Fernanda Montenegro de Carvalho Araújo Dezembro/2014 Introdução A febre do CHIKUNGUNYA é uma doença endêmica nos países do Sudeste da Ásia, África e Oceania e emergente

Leia mais

INUMO-HEMATOLOGIA DOADOR E RECEPTOR VITÓRIA 2014

INUMO-HEMATOLOGIA DOADOR E RECEPTOR VITÓRIA 2014 INUMO-HEMATOLOGIA DOADOR E RECEPTOR VITÓRIA 2014 Imuno-Hematologia Conceito: é o estudo relacionado com imunologia de grupos sanguíneos presentes nas hemácias, e imunologia de plaquetas e leucócitos. É

Leia mais

Terapia medicamentosa

Terapia medicamentosa www.printo.it/pediatric-rheumatology/pt/intro Terapia medicamentosa Versão de 2016 13. Medicamentos biológicos Nos últimos anos foram introduzidas novas perspetivas terapêuticas com substâncias conhecidas

Leia mais

Biologia Celular e Molecular

Biologia Celular e Molecular DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Biologia Celular e Molecular Detecção de proteínas por western-blotting 2007-2008 Na electroforese em gel de poliacrilamida

Leia mais

Géis de Entrada e Separação

Géis de Entrada e Separação (1) Géis de Entrada e Separação ESCOLHA DO GEL Depende do tamanho da proteína que se quer detectar: Tamanho da Proteína Gel 4 40 kda 20% 12 45 kda 15% 10 70 kda 12% 15 100 kda 10% 25 200 kda 8% PREPARO

Leia mais

Diagnóstico de infecções virais

Diagnóstico de infecções virais Diagnóstico de infecções virais Diagnóstico de infecções virais Duas formas: - buscar o vírus ( ou seus efeitos) ou - buscar a resposta do organismo (especialmente anticorpos) 1- na busca do vírus Diagnóstico

Leia mais

Complexidade 0202030016 CONTAGEM DE LINFOCITOS B MC 0202030024 CONTAGEM DE LINFOCITOS CD4/CD8 AC 0202030032 CONTAGEM DE LINFOCITOS T TOTAIS

Complexidade 0202030016 CONTAGEM DE LINFOCITOS B MC 0202030024 CONTAGEM DE LINFOCITOS CD4/CD8 AC 0202030032 CONTAGEM DE LINFOCITOS T TOTAIS Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS ANEXO I - LOTE 03 Procedimento (Sintético com Valor) Situação

Leia mais

PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE UM ANTISSORO POLICLONAL PARA DETECÇÃO DE ds-rna. Relatório Final de Estágio Licenciatura em Engenharia Agrícola

PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE UM ANTISSORO POLICLONAL PARA DETECÇÃO DE ds-rna. Relatório Final de Estágio Licenciatura em Engenharia Agrícola PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE UM ANTISSORO POLICLONAL PARA DETECÇÃO DE ds-rna Relatório Final de Estágio Licenciatura em Engenharia Agrícola PAULA CRISTINA AZEVEDO RODRIGUES UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES

Leia mais

Tania C. Araújo-Jorge Solange L. de Castro (Orgs.)

Tania C. Araújo-Jorge Solange L. de Castro (Orgs.) Parte II Protocolos e métodos de trabalho em doença de Chagas experimental 15. Quantificação de marcadores humorais de inflamação, de resposta imune e de lesão tissular nos animais infectados Tania C.

Leia mais

Ata Parcial. Item 0001

Ata Parcial. Item 0001 Ata Parcial Às 09:00 horas do dia 12 de abril de 2012, reuniu-se o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Santana do Livramento e respectivos membros da Equipe de apoio, designados pela portaria

Leia mais

Materiais e Métodos. 3. MATERIAL E MÉTODOS 3.1. Casuística

Materiais e Métodos. 3. MATERIAL E MÉTODOS 3.1. Casuística 3. MATERIAL E MÉTODOS 3.1. Casuística Foram selecionadas dos arquivos da Seção de Anatomia Patológica do Instituto Lauro de Souza Lima, pertencente à Coordenadoria dos Institutos de Pesquisa da Secretaria

Leia mais

HIV-1/2 3.0 STRIP TEST BIOEASY

HIV-1/2 3.0 STRIP TEST BIOEASY To remove this message please register.instruções de Uso 3.0 STRIP TEST BIOEASY pág. 1 HIV-1/2 3.0 STRIP TEST BIOEASY ód.: 03FK12 MÉTODO: Teste imunocromatográfico FINALIDADE: A síndrome da imunodeficiência

Leia mais

TÂNIA REGINA PENHA. PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE ANTICORPOS MONOCLONAIS ANTI FRAGMENTO Fc DE IgG DE BOVINO CURITIBA 2007. viii

TÂNIA REGINA PENHA. PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE ANTICORPOS MONOCLONAIS ANTI FRAGMENTO Fc DE IgG DE BOVINO CURITIBA 2007. viii TÂNIA REGINA PENHA PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE ANTICORPOS MONOCLONAIS ANTI FRAGMENTO Fc DE IgG DE BOVINO CURITIBA 2007 viii TÂNIA REGINA PENHA PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE ANTICORPOS MONOCLONAIS ANTI

Leia mais

ANTI HUMANO. Anti IgG Anti C 3 d Poliespecífico

ANTI HUMANO. Anti IgG Anti C 3 d Poliespecífico ANTI HUMANO Anti IgG Anti C 3 d Poliespecífico PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO Conservar entre: 2º e 8ºC Não congelar Conservante:

Leia mais

ANTI IgG (Soro de Coombs)

ANTI IgG (Soro de Coombs) ANTI IgG (Soro de Coombs) Soro Anti Gamaglobulinas Humanas PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO Conservar entre: 2º e 8ºC Não congelar

Leia mais

NADAL Testes Médicos Rápidos

NADAL Testes Médicos Rápidos NADAL Testes Médicos Rápidos Testes Imunológicos de Diagnóstico Imediato (Point-of-Care) Competente Inovador Personalizado 4 Infecciologia / Pediatria / Imunologia Na área das doenças infecciosas temos

Leia mais

Conforme solicitado, segue em anexo o parecer técnico prévio e fundamentado

Conforme solicitado, segue em anexo o parecer técnico prévio e fundamentado Campinas, 12 de julho de 2008. Dr. Jairon Alcir Santos do Nascimento Coordenador Geral da CTNBio SPO Área 05 Quadra 03 Bloco B Térreo Sala 14 Brasília, DF 70610-200 Estimado Dr. Jairon A.S. Nascimento,

Leia mais

Antes da descoberta dos sirnas oligonucleotídeos antisenso (ASO) eram usados para silenciar genes

Antes da descoberta dos sirnas oligonucleotídeos antisenso (ASO) eram usados para silenciar genes Antes da descoberta dos sirnas oligonucleotídeos antisenso (ASO) eram usados para silenciar genes Zamecnik PC and Stephenson ML, 1978: oligonucleotídeos como agentes antisenso para inibir replicação viral.

Leia mais

Questionário - Proficiência Clínica

Questionário - Proficiência Clínica Tema Elaboradora TESTE DE ANTIGLOBULINA E SUA APLICAÇÃO EM LABORATÓRIOS Margarida de Oliveira Pinho, Bióloga, Responsável pelo Setor de Imunohematologia e Coordenação da equipe técnica do Serviço de Hemoterapia

Leia mais

Tabela de Exames Multilab Liquor 2014

Tabela de Exames Multilab Liquor 2014 ADA (Adenosina Deaminase), Dosagem de Colorimétrico 3 dias úteis 0,5 ml refrigerado/ Adenovírus, PCR para Nested PCR 15 dias úteis 2,0 ml até 15 dias Alfa Feto Proteína, Dosagem de Quimioluminescência

Leia mais

Biologia molecular aplicada ao diagnóstico de vírus

Biologia molecular aplicada ao diagnóstico de vírus Biologia molecular aplicada ao diagnóstico de vírus Tânia Rosária Pereira Freitas Pesquisadora em Ciências Exatas e da Natureza Virologia Animal - Lanagro/MG Biologia Molecular DNA RNA Proteínas Célula

Leia mais

Anti HBc Ref. 414. Controle Negativo

Anti HBc Ref. 414. Controle Negativo Anti HBc Ref. 414 Sistema para a determinação qualitativa de anticorpos totais contra o antígeno core do vírus da hepatite B (anti-hbc) em soro ou plasma. ELISA - Competição PREPARO DA SOLUÇÃO DE LAVAGEM

Leia mais

ISOLAMENTO E MANIPULAÇÃO DE UM GENE

ISOLAMENTO E MANIPULAÇÃO DE UM GENE ISOLAMENTO E MANIPULAÇÃO DE UM GENE ISOLAMENTO E MANIPULAÇÃO DE UM GENE Importância da Engenharia Genética Diversidade biológica X Diversidade gênica Etapas básicas da Clonagem Escolha e amplificação do

Leia mais

Aula 6. Introdução a Bioquímica: Biomoléculas. Níveis estruturais das proteínas. Estruturas 3D, domínios motivos 1º 2º 3º 4º

Aula 6. Introdução a Bioquímica: Biomoléculas. Níveis estruturais das proteínas. Estruturas 3D, domínios motivos 1º 2º 3º 4º Introdução a Bioquímica: Biomoléculas Ignez Caracelli BioMat DF UNESP/Bauru Aula 6 Estruturas 3D, domínios motivos Julio Zukerman Schpector Bauru, 24 de setembro de 2007 LaCrEMM DQ UFSCar Níveis estruturais

Leia mais

7.012 Conjunto de Problemas 5

7.012 Conjunto de Problemas 5 Nome Seção 7.012 Conjunto de Problemas 5 Pergunta 1 Enquanto estudava um problema de infertilidade, você tentou isolar um gene hipotético de coelho que seria responsável pela prolífica reprodução desses

Leia mais

Diagnóstico Laboratorial das Infecções Virais

Diagnóstico Laboratorial das Infecções Virais Departamento de Microbiologia Instituto de Ciências Biológicas Universidade Federal de Minas Gerais http://www.icb.ufmg.br/mic/diaadia Diagnóstico Laboratorial das Infecções Virais Introdução A análise

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO Página 1 de 16 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO Receptal, 0,004 mg/ml solução aquosa injetável destinada a vacas, éguas, porcas e coelhas. 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA

Leia mais

A expressão de proteínas pela técnica de imuno-histoquímica em doenças infecciosas

A expressão de proteínas pela técnica de imuno-histoquímica em doenças infecciosas cpagliari@usp.br A expressão de proteínas pela técnica de imuno-histoquímica em doenças infecciosas Carla Pagliari Imuno-histoquímica: etapas Coleta, preservação e fixação Processamento e obtenção dos

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS MATERIAIS LABORATORIAIS

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS MATERIAIS LABORATORIAIS 60300 49247 49248 BOLSA COLETA SANGUE, MODELO: SIMPLES, MATERIAL: PVC ATOXICO E PLASTIFICANTE DI(2-ETILHEXIL)FTALATO (DEHP), CAPACIDADE: 450 ML, ANTICOAGULANTE: CPDA -1, ESTERILIZACAO: ESTERIL, PROPRIEDADES

Leia mais

Ensaio LIFECODES Quik-ID Class I

Ensaio LIFECODES Quik-ID Class I INSTRUÇÕES DE USO Ensaio LIFECODES Quik-ID Class I REF QID IVD SUMÁRIO UTILIZAÇÃO... 2 SUMÁRIO E EXPLICAÇÃO... 2 PRINCÍPIO DO PROCEDIMENTO... 2 REAGENTES... 2 PRECAUÇÕES... 3 ATENÇÃO... 3 COLHEITA E ARMAZENAMENTO

Leia mais

ANTICORPOS: ESTRUTURA E FUNÇÃO

ANTICORPOS: ESTRUTURA E FUNÇÃO ANTICORPOS: ESTRUTURA E FUNÇÃO Por definição, anticorpos são moléculas de glicoproteína, também chamadas de imunoglobulinas. São glicoproteínas altamente específicas sintetizadas em resposta a um antígeno,

Leia mais

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia.

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia. POP-I 67 Página 1 de 5 1. Sinonímia Teste rápido Anti-½ - OraQuick ADVANCE 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia. 3. Aplicação clínica O ensaio

Leia mais

ANEXO II. 1 HEPATITE B VÍRUS DA HEPATITE B (Hepatitis B Vírus HBV)

ANEXO II. 1 HEPATITE B VÍRUS DA HEPATITE B (Hepatitis B Vírus HBV) ANEXO II ANEXO DA RESOLUÇÃO SESA Nº.../2009 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ALTERAÇÃO DA CAUSA DE REJEIÇÃO DO CÓDIGO 57 (INCONCLUSIVO), PELOS SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA NO SHTWEB. 1. Segundo a RDC nº 153 de 14

Leia mais

Complexo principal de histocompatibilidade

Complexo principal de histocompatibilidade Complexo principal de histocompatibilidade Todas as espécies possuem um conjunto de genes denominado MHC, cujos produtos são de importância para o reconhecimento intercelular e a discriminação do que é

Leia mais

PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES DE DROGAS IMUNOBIOLÓGICAS EM UTILIZAÇÃO NO BRASIL

PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES DE DROGAS IMUNOBIOLÓGICAS EM UTILIZAÇÃO NO BRASIL PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES DE DROGAS IMUNOBIOLÓGICAS EM UTILIZAÇÃO NO BRASIL Dra. Ana Cristina de Medeiros Ribeiro Reumatologista do HC FMUSP e CEDMAC Doutoranda pela FMUSP IMUNOBIOLÓGICOS NO BRASIL Anti-TNF

Leia mais

RESPOSTA IMUNE ADAPTATIVA. Resposta Imune Humoral - Ac

RESPOSTA IMUNE ADAPTATIVA. Resposta Imune Humoral - Ac RESPOSTA IMUNE ADAPTATIVA Resposta Imune Humoral - Ac IgG (memória ) atravessa a placenta (IgG1, IgG3, IgG4). Fixa complemento. Liga (Fc) a M e NK resposta secundária (memória) IgA (defesa mucosas) elevada

Leia mais

PRODUTOS PARA A SAÚDE

PRODUTOS PARA A SAÚDE PRODUTOS PARA A SAÚDE PRODUTOS PARA DIAGNÓSTICO IN VITRO Cristiane Oliveira de Sena Bernardes Brasília, 9 de dezembro 2005 PRODUTOS PARA DIAGNÓSTICO IN VITRO São reagentes, instrumentos e sistemas que,

Leia mais

O Sistema do Complemento

O Sistema do Complemento UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Programa de Pós- Graduação em Imunologia Básica e Aplicada Disciplina- Integração Imunologia Básica- Clínica O Sistema do Complemento Elyara

Leia mais

Imunohistoquímica Sumário

Imunohistoquímica Sumário Imunohistoquímica Sumário Definição... 2 Glossário... 2 Aplicação... 2 reparo do tecido... 3 Fixação... 3 Soluções fixadoras... 3 Desidratação e clareamento.... 3 Inclusão... 3 Métodos Imunohistoquímicos...

Leia mais

Nutrição completa para equinos. Linha Equinos. Rações Suplementos Minerais

Nutrição completa para equinos. Linha Equinos. Rações Suplementos Minerais Nutrição completa para equinos Linha Equinos Rações Suplementos Minerais Confiança, Tecnologia, Qualidade e Resultado Estes são os ingredientes que fazem a diferença dos produtos Fanton. Há mais de 25

Leia mais

Extração de DNA. Prof. Silmar Primieri

Extração de DNA. Prof. Silmar Primieri Extração de DNA Prof. Silmar Primieri Conceitos Prévios O que é DNA? Onde se localiza o DNA na célula? Do que são formadas as membranas celulares? Qual a estrutura do DNA? O que é DNA? Unidade básica informacional

Leia mais

Sorbente de troca iônica HyperCel STAR AX

Sorbente de troca iônica HyperCel STAR AX Life Sciences USD 2831(2) Sorbente de troca iônica Sorbente para Cromatografia de Troca Aniônica de Recuperação Avançada Tolerante a Sal Um sorbente para cromatografia de troca aniônica, escalonável industrialmente,

Leia mais

Investigação sorológica de autoanticorpos frios e quentes. Shirley Castilho Instituto Estadual de Hematologia Arthur Siqueira Cavalcanti HEMORIO

Investigação sorológica de autoanticorpos frios e quentes. Shirley Castilho Instituto Estadual de Hematologia Arthur Siqueira Cavalcanti HEMORIO Investigação sorológica de autoanticorpos frios e quentes Shirley Castilho Instituto Estadual de Hematologia Arthur Siqueira Cavalcanti HEMORIO Definição: Autoanticorpos eritrocitarios São imunoglobulinas

Leia mais

Ensaio LIFECODES Quik-ID Class II

Ensaio LIFECODES Quik-ID Class II INSTRUÇÕES DE USO Ensaio LIFECODES Quik-ID Class II REF C2ID IVD SUMÁRIO UTILIZAÇÃO... 2 SUMÁRIO E EXPLICAÇÃO... 2 PRINCÍPIO... 2 REAGENTES... 2 PRECAUÇÕES... 3 ATENÇÃO... 3 COLHEITA DA AMOSTRA... 3 PROCEDIMENTO...

Leia mais

Imuno-hematologia Exames de qualificação de doadores de sangue

Imuno-hematologia Exames de qualificação de doadores de sangue MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO ESPECIALIZADA COORDENAÇÃO GERAL DE SANGUE E HEMODERIVADOS Exames de qualificação de doadores de sangue Ana Paula R. Diniz Zanelli

Leia mais

Etapa complementar para o diagnóstico da infecção pelo HIV princípios metodológicos

Etapa complementar para o diagnóstico da infecção pelo HIV princípios metodológicos Aula 11 Etapa complementar para o diagnóstico da infecção pelo HIV princípios metodológicos As amostras com resultados reagentes, na etapa de triagem, devem ser submetidas à etapa complementar. Nessa etapa,

Leia mais

Técnicas de biologia molecular. da análise de genes e produtos gênicos únicos a abordagens em larga escala

Técnicas de biologia molecular. da análise de genes e produtos gênicos únicos a abordagens em larga escala Técnicas de biologia molecular da análise de genes e produtos gênicos únicos a abordagens em larga escala os mesmos genes, qual a diferença? Dogma central Localizando alvos Técnicas iniciais para evidenciar

Leia mais

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia.

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia. POP n.º: I70 Página 1 de 5 1. Sinonímia Teste rápido Anti-, VIKIA Biomeriéux. 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia. 3. Aplicação

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE BIBLIOTECA GÊNICA DE MOLÉCULAS scfv DE ANTICORPOS ANTI-PLACENTAS SINEPTELIOCORIAIS

CONSTRUÇÃO DE BIBLIOTECA GÊNICA DE MOLÉCULAS scfv DE ANTICORPOS ANTI-PLACENTAS SINEPTELIOCORIAIS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PROGRAMA INTEGRADO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO ANIMAL - PPGPA CONSTRUÇÃO DE BIBLIOTECA GÊNICA DE MOLÉCULAS scfv DE

Leia mais

Helicobacter pylori IgG

Helicobacter pylori IgG Helicobacter pylori IgG B Princípio do Teste O teste ImmunoComb II Helicobacter pylori IgG é um ensaio imunoenzimático (EIA) indireto em fase sólida. A fase sólida é um pente com 12 projeções ( dentes

Leia mais

Ministério da Saúde FIOCRUZ Fundação Oswaldo Cruz Instituto Carlos Chagas - ICC- Fiocruz - PR

Ministério da Saúde FIOCRUZ Fundação Oswaldo Cruz Instituto Carlos Chagas - ICC- Fiocruz - PR Itamar Crispim Simpósio Temático - 01/07 e 02/07 Local: Auditório do TECPAR das 8:00 às 18:00 horas 01 de Julho Abertura e Apresentação Institucional Dr. Samuel Goldenberg Doença de Chagas: realidade e

Leia mais

Peço desculpa, mas perdi o documento e apenas o consegui recuperar nesta forma. Para não atrasar mais, envio-o mesmo assim.

Peço desculpa, mas perdi o documento e apenas o consegui recuperar nesta forma. Para não atrasar mais, envio-o mesmo assim. Peço desculpa, mas perdi o documento e apenas o consegui recuperar nesta forma. Para não atrasar mais, envio-o mesmo assim. Assinale com uma cruz no(s) quadrado(s) que antecede(m) a(s)resposta(s) verdadeira(s):

Leia mais

Texto: Discrepâncias na fenotipagem ABO AUTORAS Ana Lúcia Girello Telma Ingrid Borges de Bellis Kühn

Texto: Discrepâncias na fenotipagem ABO AUTORAS Ana Lúcia Girello Telma Ingrid Borges de Bellis Kühn Texto: Discrepâncias na fenotipagem ABO AUTORAS Ana Lúcia Girello Telma Ingrid Borges de Bellis Kühn 1 Discrepâncias na fenotipagem ABO Introdução Quando realizamos a fenotipagem ABO dos indivíduos utilizamos

Leia mais

HIV 1&2 CombFirm. Figura 1. Princípio do Teste

HIV 1&2 CombFirm. Figura 1. Princípio do Teste HIV 1&2 CombFirm B Os resultados dos testes do kit ImmunoComb II HIV1& 2 CombFirm são comparáveis àqueles obtidos por Western Blot. Ao invés da necessidade de realizar dois blots demorados, a reatividade

Leia mais

Anexo I Relação de exames laboratoriais Pregão presencial nº 20/2015

Anexo I Relação de exames laboratoriais Pregão presencial nº 20/2015 Anexo I Relação de exames laboratoriais Pregão presencial nº 20/2015 ITEM CÓDIGO DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO VALOR 01 02.02.05.001-7 ANÁLISE DE CARACTERES FÍSICOS, 3,70 ELEMENTOS E SEDIMENTOS NA URINA (EQU)

Leia mais

Semente da Fiocruz germina no Paraná

Semente da Fiocruz germina no Paraná P E S Q U I S A Semente da Fiocruz germina no Paraná Fernanda Marques D esenvolver e aprimorar insumos para a saúde humana e animal, além de qualificar recursos humanos e estabelecer parcerias com o setor

Leia mais

DIVISÃO DE LABORATÓRIO CENTRAL HC FMUSP PARAMETRIZAÇÃO DE COLETA

DIVISÃO DE LABORATÓRIO CENTRAL HC FMUSP PARAMETRIZAÇÃO DE COLETA Data aprovação:11/11/14 LABORATÓRIO DE HEMOSTASIA - 1º andar Sala 57 - Fone 3061 5544 ramal HC- 6077 - Ramal - 287 INSTRUÇÕES DE COLETA ACONDICIONAMENTO E TRANSPORTE DO MATERIAL Contagem de Plaquetas (manual)

Leia mais

Macromoléculas Biológicas

Macromoléculas Biológicas Macromoléculas Biológicas Objetivos Visualizar a estrutura tridimensional de peptídeos e proteínas, usando-se recursos computacionais. Montar modelos estruturais de proteínas, usando-se kit de plástico.

Leia mais

Sorbente de troca iônica HyperCel STAR AX

Sorbente de troca iônica HyperCel STAR AX Life Sciences USD 2831(1) Sorbente de troca iônica Sorbente para Cromatografia de Troca Aniônica de Recuperação Avançada Tolerante a Sal Um sorbente para cromatografia de troca aniônica, escalonável industrialmente,

Leia mais

VITAMINAS. Valores retirados de Tabela da composição de Alimentos. Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge

VITAMINAS. Valores retirados de Tabela da composição de Alimentos. Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge PELO SEU BEM ESTAR Tem alto teor de Proteína; é rico em Cálcio, Fósforo e Vitamina B12; fonte de Vitaminas A, E e B2. Valores de referência do requeijão com 13% proteína Energia (Kcal) 187 Proteína (g)

Leia mais

Entendendo. a Técnica de Detecção de Cadeias Leves Livres no Soro

Entendendo. a Técnica de Detecção de Cadeias Leves Livres no Soro Entendendo a Técnica de Detecção de Cadeias Leves Livres no Soro International Myeloma Foundation 12650 Riverside Drive, Suite 206 North Hollywood, CA 91607 USA Telephone: 800-452-CURE (2873) (USA & Canada)

Leia mais

- Instituto Politécnico de Lisboa - - Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa -

- Instituto Politécnico de Lisboa - - Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa - - Instituto Politécnico de Lisboa - - Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa - Licenciatura em Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica Imunocitoquímica Autor: Amadeu Borges Ferro Dezembro

Leia mais

Sequenciamento de genomas

Sequenciamento de genomas Sequenciamento de genomas 1 o genoma completo vírus OX174 5.000 nt (Sanger et al. 1977) em 1977 1000 pb sequenciados por ano neste ritmo genoma E. coli K-12 4.6-Mbp levaria mais de 1000 anos para ser completo

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO INSTITUTO QUALITTAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA CURSO DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO INSTITUTO QUALITTAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA CURSO DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO INSTITUTO QUALITTAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA CURSO DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA IMUNOFENOTIPAGEM: FERRAMENTA PROGNÓSTICA PARA LINFOMA EM CÃES E GATOS Thiago

Leia mais

Raiva humana VS Componente Epidemiológico

Raiva humana VS Componente Epidemiológico GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal Subsecretaria de Vigilância à Saúde Diretoria de Vigilância Epidemiológica Gerência de Vigilância Epidemiológica e Imunização

Leia mais

Aulas passadas. Células, tecidos e orgãos Reinos filogenéticos. Compartimentalização em sistemas biológicos - rompimento e fracionamento celular

Aulas passadas. Células, tecidos e orgãos Reinos filogenéticos. Compartimentalização em sistemas biológicos - rompimento e fracionamento celular Aulas passadas Células 1: Procariotos e eucariotos Células, tecidos e orgãos Reinos filogenéticos Compartimentalização em sistemas biológicos - rompimento e fracionamento celular QBQ2451-2013 Célula 2:

Leia mais

Tabela de Exames Veterinários. em Biologia Molecular. Fevereiro - 2016

Tabela de Exames Veterinários. em Biologia Molecular. Fevereiro - 2016 Tabela de Exames Veterinários em Biologia Molecular 2014 2014 Fevereiro - 2016 O laboratório VetDNA oferece diagnósticos para detecção de patógenos em aves, cães, gatos, bovinos, equinos e pequenos ruminantes

Leia mais

HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO CONTROLE DE QUALIDADE INTERNO DE REAGENTES VISÃO DO CLIENTE

HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO CONTROLE DE QUALIDADE INTERNO DE REAGENTES VISÃO DO CLIENTE HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO CONTROLE DE QUALIDADE INTERNO DE REAGENTES VISÃO DO CLIENTE Rodrigo Spessotto Morais Toledo Qual a importância do controle da qualidade dos reagentes imunohematológicos? O

Leia mais

ANÁLISE DA EXPRESSÃO E SEQÜENCIAMENTO DE FRAGMENTOS DE ANTICORPOS RECOMBINANTES CONTRA Ralstonia solancearum

ANÁLISE DA EXPRESSÃO E SEQÜENCIAMENTO DE FRAGMENTOS DE ANTICORPOS RECOMBINANTES CONTRA Ralstonia solancearum ANÁLISE DA EXPRESSÃO E SEQÜENCIAMENTO DE FRAGMENTOS DE ANTICORPOS RECOMBINANTES CONTRA Ralstonia solancearum Bruno Duarte Bertuloso 1, Guilherme Rocha Lino de Souza 2 1 Universidade Federal do Espírito

Leia mais

Ensaio LIFECODES QuikScreen

Ensaio LIFECODES QuikScreen INSTRUÇÕES DE USO Ensaio LIFECODES QuikScreen REF QS12G IVD SUMÁRIO UTILIZAÇÃO... 2 SUMÁRIO E EXPLICAÇÃO... 2 PRINCÍPIO... 2 REAGENTES... 2 PRECAUÇÕES... 3 ATENÇÃO... 3 COLHEITA DA AMOSTRA... 3 PROCEDIMENTO...

Leia mais

Múmia de Ramsés V com marcas sugestivas de varíola

Múmia de Ramsés V com marcas sugestivas de varíola Varíola Múmia de Ramsés V com marcas sugestivas de varíola Varíola: a primeira arma biológica? Hernan Cortez (1485-1547) Londres, 1844 POXVIRIDAE - os maiores vírus conhecidos (~ 300 nm) - simetria complexa

Leia mais

7.012 Conjunto de Problemas 5

7.012 Conjunto de Problemas 5 Nome Seção 7.012 Conjunto de Problemas 5 Pergunta 1 Enquanto estudava um problema de infertilidade, você tentou isolar um gene hipotético de coelho que seria responsável pela prolífica reprodução desses

Leia mais

Entendendo a Eletroforese de Proteínas

Entendendo a Eletroforese de Proteínas Entendendo a Eletroforese de Proteínas International Myeloma Foundation 12650 Riverside Drive, Suite 206 North Hollywood, CA 91607 USA Telephone: 800-452-CURE (2873) (USA & Canada) 818-487-7455 Fax: 818-487-7454

Leia mais

RELAÇÃO DE EXAMES REALIZADOS NO IBEx

RELAÇÃO DE EXAMES REALIZADOS NO IBEx 1 Ácido úrico 2 Albumina 3 Alfa 1 glicoproteína ácida 4 Alfa fetoproteína 5 Amilase 6 Androstenediona 7 Anticorpos Anti-HIV I, Western Blot 8 Anticorpos anti-hiv1 + HIV2 (Determinação Conjunta) ELISA 9

Leia mais

Ciclo de Palestras em Atualização no tratamento do Câncer Radioisótopos em Medicina

Ciclo de Palestras em Atualização no tratamento do Câncer Radioisótopos em Medicina Ciclo de Palestras em Atualização no tratamento do Câncer Radioisótopos em Medicina Introdução a Medicina Nuclear Radiofármacos de Terceira Geração Radiofármacos para Terapia Paliativa de Dor em Metástase

Leia mais

Exame de 1ª Época Engenharia Genética 16 de Janeiro de 2009 Duração: 2h30min

Exame de 1ª Época Engenharia Genética 16 de Janeiro de 2009 Duração: 2h30min Nome: Curso: Nº Exame de 1ª Época Engenharia Genética 16 de Janeiro de 2009 Duração: 2h30min As bactérias Gram-negativas como Salmonella typhi têm de se adaptar a uma variedade de stresses ambientais extremos

Leia mais

Rachel Siqueira de Queiroz Simões, Ph.D rachelsqsimoes@gmail.com rachel.simoes@ioc.fiocruz.br

Rachel Siqueira de Queiroz Simões, Ph.D rachelsqsimoes@gmail.com rachel.simoes@ioc.fiocruz.br Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Casa da Medicina Unidade Gávea Coordenação Central de Extensão EPIDEMIOLOGIA MOLECULAR Rachel Siqueira de Queiroz

Leia mais

Técnicas de análise de DNA e RNA

Técnicas de análise de DNA e RNA Técnicas de análise de DNA e RNA Fundamento e aplicação das técnicas de análise de DNA Extracção, purificação, quantificação e detecção de ácidos nucleicos Electroforese convencional em gel de agarose

Leia mais

Nome que consta no Site Nome Correto (conforme Linha de Produtos) Nomes dos arquivos para acrescentar. Anti - HBc --- Anti - HBs ---

Nome que consta no Site Nome Correto (conforme Linha de Produtos) Nomes dos arquivos para acrescentar. Anti - HBc --- Anti - HBs --- Ácido Úrico Uric Acid AFP AFP Albumina 001 Albumina AlfaAmilase a-amilase Amilase 002 Amilase Anti - HBc --- Anti - HBs --- Anti - HCV Anti-HCV Anti-HCV Double Spot Test --- Anti-n-DNA quick teste SLE

Leia mais