António José dos Santos Marinho da Silva. Integração de dados entre sistemas heterogéneos. Tese de Mestrado Informática Industrial

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "António José dos Santos Marinho da Silva. Integração de dados entre sistemas heterogéneos. Tese de Mestrado Informática Industrial"

Transcrição

1 António José dos Santos Marinho da Silva Integração de dados entre sistemas heterogéneos Tese de Mestrado Informática Industrial Trabalho efectuado sobre orientação do Doutor José Manuel Tavares Vieira Cabral Setembro de 2010

2 DECLARAÇÃO Nome _António José dos Santos Marinho da Silva Endereço electrónico: Telefone: _ _ / Número do Bilhete de Identidade: _ Título dissertação /tese _ Integração de dados entre sistemas heterogéneos Orientador(es): _José Manuel Tavares Vieira Cabral Ano de conclusão: _2010 Designação do Mestrado ou do Ramo de Conhecimento do Doutoramento: _Integração de dados entre sistemas heterogéneos Nos exemplares das teses de doutoramento ou de mestrado ou de outros trabalhos entregues para prestação de provas públicas nas universidades ou outros estabelecimentos de ensino, e dos quais é obrigatoriamente enviado um exemplar para depósito legal na Biblioteca Nacional e, pelo menos outro para a biblioteca da universidade respectiva, deve constar uma das seguintes declarações: 1. É AUTORIZADA A REPRODUÇÃO INTEGRAL DESTA TESE/TRABALHO APENAS PARA EFEITOS DE INVESTIGAÇÃO, MEDIANTE DECLARAÇÃO ESCRITA DO INTERESSADO, QUE A TAL SE COMPROMETE; 2. É AUTORIZADA A REPRODUÇÃO PARCIAL DESTA TESE/TRABALHO (indicar, caso tal seja necessário, nº máximo de páginas, ilustrações, gráficos, etc.), APENAS PARA EFEITOS DE INVESTIGAÇÃO,, MEDIANTE DECLARAÇÃO ESCRITA DO INTERESSADO, QUE A TAL SE COMPROMETE; 3. DE ACORDO COM A LEGISLAÇÃO EM VIGOR, NÃO É PERMITIDA A REPRODUÇÃO DE QUALQUER PARTE DESTA TESE/TRABALHO Universidade do Minho, _15/_10/_2010_ Assinatura: ii

3 Agradecimentos Quero expressar o meu sincero agradecimento a todas as pessoas que me apoiaram e encorajaram, tornando este projecto possível, em especial, ao meu orientador, o Doutor José Manuel Tavares Vieira Cabral. Agradeço à Petrotec Inovação e Industria, S. A., na pessoa do seu administrador Doutor José Manuel Silva Bernardo Monteiro, pela disponibilidade de meios físicos e técnicos indispensáveis à realização dos trabalhos que suportaram este projecto. Gostaria ainda de expressar os meus sinceros agradecimentos ao colega desta instituição o Engenheiro José Gabriel Martins Machado, no apoio à realização de alterações em bases de dados Lotus Notes, utilizadas em algumas das integrações referidas neste projecto. A todos, muito obrigada. iii

4 Resumo O projecto que serviu de base a esta dissertação consistiu no desenvolvimento de um conjunto de ferramentas de integração de dados, com os seguintes objectivos: simplificar e automatizar processos, reduzir substancialmente o trabalho de manutenção, realizar o registo automático de dados, integrar aplicações e resolver problemas de acesso à informação. Este estudo surgiu na sequência da necessidade de diminuição da carga de trabalho que a manutenção de dados provocava numa organização. Como consequência deste estudo foram identificadas outras áreas onde surgiu a oportunidade de optimizar ou melhorar processos recorrendo à integração de informação. Foram criados e implementados diferentes métodos de integração de dados, entre várias plataformas distintas, das quais se destacam as tradicionais bases de dados relacionais, bases de dados documentais, diversos formatos de ficheiros como por exemplo XML, Excel, texto e PDF e ainda equipamentos de rede activos. Dos vários trabalhos de integração realizados, são apresentados apenas aqueles que, por um lado são os mais relevantes e demonstrativos de diferentes exemplos de integração e, por outro, demonstram algumas das principais funcionalidades da ferramenta de integração utilizada, o IBS Integrator [1]. Palavras-chave (Tema): IBS Integrator, Integração de Dados iv

5 Abstract The Project that served as a basis for this dissertation was based upon the development of several data integration tools for the following purposes: simplification and automation of processes, substantial reduction of maintenance, automatic recording of data, applications integration and the resolution of problems regarding information access. This study was due to the necessary downsizing (reduction) of maintenance tasks in the data management of an organization. As a result of this, other areas were also identified, making it possible to optimize these processes as well, through the use of data integration. Different methods of data integration were created and implemented, among these distinct platforms were the traditional relational data base, document data base, several file extensions such as XML, Excel, Text and PDF, as well as active network equipment/hardware. Of the various integration studies done, only the most relevant and those that demonstrated the different examples of integration as well as the different functionalities of the integration tool used, IBS Integrator [1], are presented. Keywords: IBS Integrator, Data Integration v

6 Índice Índice de Figuras... viii Índice de Tabelas... ix Índice de Acrónimos... x 1 Introdução Organização Acolhedora do Projecto Enquadramento e Apresentação do Projecto Contributos do Trabalho Ferramenta de Integração Utilizada Organização da Tese Estado da Arte Materiais e Métodos IBS Integrator Visão Geral do IBS Integrator IBS Integrator Design Studio IBS Integrator Web Administration Actividades do Processo de Integração Discussão dos Resultados Integração de Aplicações Lotus Notes/SAP Descrição do Processo Cenário de Integração Ganhos Obtidos com a Automatização do Processo Integração de Aplicações CRM/ERP Descrição do Processo Cenário de Integração Ganhos Obtidos com a Automatização do Processo Envio de Encomendas a Fornecedores vi Índice

7 4.3.1 Descrição do Processo Cenário de Integração Ganhos Obtidos com a Automatização do Processo Controlo de Temperatura do Centro de Dados Descrição do Processo Cenário de Integração Ganhos Obtidos com a Automatização do Processo Conclusões Integração de Aplicações Lotus Notes/SA Integração de Aplicações CRM/ERP Envio de Encomendas a Fornecedores Controlo de Temperatura do centro de dados Avaliação do Trabalho Realizado Objectivos Realizados Outros Trabalhos Realizados Limitações e Trabalho Futuro Apreciação Final Referências Anexo A : Overview funcional do IBS Integrator Anexo B : Código da classe de registo da temperatura do Centro de Dados: Anexo C : Overview do Centro de Dados do Grupo Índice vii

8 Índice de Figuras Figura 1 - Esquema simplificado de armazenamento de dados... 5 Figura 2 - Esquema simplificado de base de dados virtual... 6 Figura 3 Tendência da Integração de Dados ao Longo do Tempo... 7 Figura 4 Relação do IBS Integrator com os dados por ele suportados Figura 5 IBS Integrator Design Studio Figura 6 - IBS Web Administracion, serviços Figura 7 IBS Integrator Web Administration, Timer Figura 8 IBS Integrator Web Administration, Folder Watcher Figura 9 Actividades no desenho de integradores Figura 10 - Cenários de integração possíveis Figura 11 Cenário de integração por Web Services Figura 12 Cenário de integração por EAI Figura 13 Fluxograma do processo de integração de encomendas de fornecedores Figura 14 Cenário de integração por EII (um destino) Figura 15 Cenário de integração por EII (vários destinos) Figura 16 Fluxograma do processo de integração de temperatura do centro de dados Figura 17 Cenário de integração por ETL viii Índice

9 Índice de Tabelas Tabela 1 Registo da temperatura do centro de dados Tabela 2 Número de pedidos integrados por mês Tabela 3 Número de encomendas emitidas por mês Índice de Acrónimos ix

10 Índice de Acrónimos ADO.NET ActiveX Data Objects (Conjunto de classes que podem ser utilizadas para troca de dados) B2B Business to Business (sigla que identifica os negócios realizados entre empresas) CRM Customeer Relationship Management (Gestão do Relacionamento com o Cliente) DTS Data Transformation Services (Serviços de Transformação de Dados) EAI Enterprise Application Integration (Interação de Aplicações Corporativas) EDI Electronic Data Interchange (Troca Estruturada de Dados) EII Enterprise Information Integration (Integração de Dados Empresariais) ERP Enterprise Resource Planning (Sistema Integrado de Gestão Empresarial) ETL Extract Transform and Load (Extracção Transformação e Carga) FTP File Transfer Protocol (Protocolo de Transferência de Ficheiros) GAV Global-as-View (consulta de dados Vista como Global) HTTP Hyper Text Transfer Protocol (Protocolo de Transferência de HiperTexto) HTTPS Hyper Text Transfer Protocol Secure (Protocolo de Transferência de HiperTexto Seguro) IBM International Business Machines (Conhecida empresa americana do ramo da informática) IS Integration Services (Serviços de Integração) JDBC Java DataBase Connectivity (Conector de Base de Dados escrito em Java) LAV Local-as-View (consulta dados Vista como Local) ODBC Open DataBase Connectivity (Conector de Base de Dados) OLE DB Object Linking and Embedding, Database (interface desenvolvido pela Microsoft para acesso a dados) PDF Portable Document Format (Formato de Documento) SAP Systeme Anwendungen und Produkte (Sistemas Aplicações e Produtos) SCM Supply Chain Management (Gestão da Cadeia de Abastecimento) SOA Service-Oriented Architecture) (Arquitectura Orientada a Serviços) x Índice de Acrónimos

11 SOAP Simple Object Access Protocol (Protocolo Simples de Acesso a Objectos) TI Tecnologias de Informação TXT Abreviatura para ficheiros de texto XML extensible Markup Language (Standard que define formato de ficheiro de dados) Índice de Acrónimos xi

12

13 1 Introdução A integração de dados é um problema recorrente das organizações. São vários os factores que contribuem para este tipo de problemas, sendo que o mais comum está relacionado com o crescimento das organizações, associado à falta de investimento num sistema de gestão integrado ERP [2] (Enterprise Resource Planning) que suporte todos os processos da empresa. Desta forma, são feitos investimentos em ferramentas externas ao ERP, normalmente mais económicas, para informatizar processos que a maioria dos ERP s não suportavam anteriormente como por exemplo a gestão da qualidade, gestão ambiental, avaliação de desempenho, recrutamento e selecção, entre outros. Outro exemplo típico, que leva as organizações a investir em integração de dados, prende-se com a necessidade das empresas trocarem informação com organizações com as quais existe algum tipo de relação comercial, ou motivadas pela aquisição e integração de novas empresas. 1.1 Organização Acolhedora do Projecto O Grupo Petrotec é um dos cinco maiores fabricantes mundiais, com tecnologia 100% própria, de equipamentos para as áreas de distribuição e retalho da indústria petrolífera e o único em soluções globais, desenvolvidas à medida de cada cliente. O Grupo conta já com mais de duas décadas de actividade, abrangendo não só os segmentos de Bombas de Combustível, Lavagem para Veículos e Sistemas para Frotas e Postos de Abastecimento, mas também a oferta de soluções abrangentes e flexíveis que, aliadas à sua capacidade tecnológica, de inovação e design, firmam a elevada notoriedade e prestígio alcançados. Líder Ibérico, o Grupo está também representado a nível internacional, com afiliadas e distribuidores em quatro continentes, assumindo-se, desta forma, como um "Player Global". As parcerias estabelecidas asseguram uma rede de distribuição organizada, sustentada actualmente em mais de 50 países. Com uma quota de mercado assinalável, o Grupo Petrotec tem-se afirmado pela dinâmica que tem incutido a um sector, caracterizado por uma extrema competitividade, mas também pelo grau de satisfação dos seus clientes, entre os quais fazem parte as maiores petrolíferas do mundo. As suas unidades fabris caracterizam-se pela funcionalidade e tecnologia, enquanto a sua força de trabalho é qualificada, jovem e altamente profissional, sendo a formação e renovação de conhecimentos uma aposta contínua do Grupo. Introdução 1

14 1.2 Enquadramento e Apresentação do Projecto O principal objectivo deste projecto é o desenvolvimento de um conjunto de integradores que permitam resolver alguns dos problemas de integração e acesso à informação existentes na organização, nomeadamente a integração de dados de uma aplicação de controlo de assistência técnica com uma aplicação semelhante de um dos seus clientes e, ainda, a integração de uma aplicação de CRM [3] (Customeer Relationship Management) existente na empresa com o ERP. A organização dispõe de várias bases de dados dispersas, adquiridas ou desenvolvidas à medida para a empresa ao longo dos anos, no sentido de dar resposta a necessidades pontuais não suportadas pelo ERP, ou quando suportadas, as funcionalidades são demasiado básicas para o nível de gestão pretendido. Fazem parte dessas bases de dados as seguintes aplicações: gestão da qualidade, gestão ambiental, gestão documental, gestão de higiene segurança e medicina no trabalho, avaliação de desempenho, gestão do recrutamento e selecção, CRM, configurador de produtos e gestão da assistência técnica. Adicionalmente, no decorrer do projecto, foram identificados processos, em que alguns deles são suportados pelo ERP mas que foram alvo de melhoria, sendo automatizados pelo recurso a processos de integração. 1.3 Contributos do Trabalho Com a execução deste projecto foi possível reduzir custos para a organização através da eliminação do trabalho de manutenção manual de dados em bases de dados externas ao ERP. Por outro lado, com a adopção de integradores, a actualização de dados mestre nos sistemas periféricos deixou de ser manual para passar a ser automática, o que garante que a informação se mantém consistente e actualizada. De seguida apresentam-se alguns exemplos abordados neste projecto: - O cadastro de colaborador era actualizado no ERP e, em simultâneo na aplicação de avaliação de desempenho. - A ficha de cliente, era actualizada no ERP, e em simultâneo na aplicação de CRM. Foram também automatizados alguns processos de envio de documentos a entidades externas, deixando de ser um processo manual e com recurso à impressão de papel, para passar a ser um processo completamente automatizado e suportado por documentos electrónicos, como, por exemplo, o envio de encomendas e notas de liquidação a fornecedores e o envio de encomendas, facturas e avisos de vencimentos a clientes. 2 Introdução

15 1.4 Ferramenta de Integração Utilizada A empresa já possuía uma ferramenta de integração de dados que era utilizada há já alguns anos para realizar algumas integrações mais simples, tipicamente do tipo ETL [4] (Extract Transform and Load). Esta ferramenta vem incluída no pacote de software do Microsoft SQL Server que, nas versões 7.0 e 2000 se chamava DTS [5] (Data Transformation Services) mas que, a partir da versão do Microsoft SQL Server 2005, se passou a designar por IS [6] (Integration Services). Apesar desta ferramenta permitir a ligação a diferentes bases de dados, incluindo a Lotus Notes, recorrendo a um driver da IBM especifico para o efeito, a gestão e o acesso a este tipo de dados revela-se difícil, e de certa forma limitado, nomeadamente permitindo apenas leitura e não actualização. Esta limitação, juntamente com a necessidade de realizar integrações via Web services, levou à decisão de adquirir uma nova ferramenta de integração de dados. Existem no mercado diversas ferramentas dedicadas à integração de dados. Uma rápida pesquisa na Internet, permite-nos encontrar uma quantidade de empresas que apresentam ferramentas facilitadoras de integração, que em alguns casos são open source, como por exemplo: CloverETL [7], Pentaho Data Integration Enterprise Edition [8], ibolt [9], SAS Enterprise Data Integration Server [10], SYBASE Data Integration Suit ETL [11]. É importante realizar uma escolha cuidadosa para garantir que a ferramenta a utilizar seja o mais abrangente possível, fácil de utilizar, tenha uma curva de aprendizagem rápida e que cubra todos os aspectos das integrações que se pretende implementar como, por exemplo, contenha conectores para as bases de dados que se deseja utilizar. Para este projecto foi escolhida a ferramenta de integração IBS Integrator, principalmente por ser fácil de utilizar e possuir uma curva de aprendizagem rápida. Além disso esta ferramenta tem a vantagem de incluir conectores para bases de dados documentais, nomeadamente Lotus Notes, e de suportar integrações por Web services. Adicionalmente, o IBS Integrator, já inclui de base um conjunto de funcionalidades que facilitam a integração com servidores iseries [12],, o servidor que suporta o actual ERP da organização. 1.5 Organização da Tese No capítulo 2 apresenta-se o Estado da Arte, no qual se faz uma breve caracterização da evolução da integração de dados ao longo dos últimos anos. São também referidos diferentes processos utilizados na integração de dados e salientadas as principais características dos métodos de integração de dados apresentados. Introdução 3

16 No capítulo 3 é efectuada uma descrição geral da ferramenta de integração utilizada nomeadamente, a apresentação da área de trabalho, menus e funcionalidades principais. São ainda apresentados os principais conectores disponíveis nesta ferramenta e é dada uma panorâmica de como se desenvolve um integrador com recurso à ferramenta em análise. Ainda neste capitulo é apresentado o método utilizado no desenvolvimento dos integradores criados e a descrição de cada uma das fases desse método. No capítulo 4 são discutidos os resultados obtidos após a implementação dos integradores desenvolvidos. São apresentados os ganhos obtidos em termos de redução de tempo, qualidade da informação, redução da duplicação e manutenção da informação. No capítulo 5 são apresentadas as conclusões deste trabalho, nomeadamente os resultados obtidos em termos de ganhos de produtividade e ainda de redução de custos. Fazem-se ainda algumas comparações entre os processos tradicionais de integração manual de dados com os mesmos processos automatizados. No capitulo 6 são apresentadas sugestões e perspectivas para trabalhos futuros. Em anexo encontra-se informação suplementar: brochura da ferramenta de integração utilizada; listagem do código criado de um dos processos de integração apresentados; imagem do centro de dados da organização. 4 Introdução

17 2 Estado da Arte A integração de dados resulta da combinação de dados residentes em diferentes origens, fornecendo aos utilizadores uma visão unificada desses dados. Este processo tem relevância numa variedade de situações comerciais como por exemplo quando duas companhias necessitam de fundir as suas bases de dados; e científicas, como por exemplo para combinar os resultados de diferentes repositórios de dados de investigação. A frequência da integração de dados aumenta com o crescimento das bases de dados e a necessidade de partilha dos mesmos. A integração de dados tornou-se o foco de um extensivo trabalho teórico, onde alguns problemas continuam ainda por resolver. Nos círculos da gestão, as pessoas referem-se frequentemente à integração de dados como EII [13] (Enterprise Information Integration). Os problemas de integração de dados entre sistemas de bases de dados heterogéneos já não são novos. A rápida adopção de sistemas de bases de dados após a década de 1960, levou gradualmente à necessidade de partilhar e convergir os repositórios de dados existentes. Esta fusão pode ocorrer em vários níveis da arquitectura das base de dados. Uma solução vulgar é aquela que envolve o armazenamento de dados (Figura 1). O sistema de armazenamento de dados (data warehousing) extrai, transforma e carrega (ETL [4] Extract Transform and Load) dados de diferentes origens de dados num único repositório pesquisável. Em termos de arquitectura esta é uma aproximação rígida porque todos os dados se encontram num único repositório na fase da consulta. Esta arquitectura contem alguns problemas de actualização de dados, isto é, sempre que os dados originais são alterados o sistema de armazenamento de dados continua a apresentar os dados antigos até à próxima execução do ETL. Outra dificuldade na construção de repositórios de dados reside no facto de existir uma interface por consulta de dados não permitindo o acesso a todos os dados. Data Source A Data Source B ETL Data Datawarehouse Data Source C Figura 1 - Esquema simplificado de armazenamento de dados Estado da Arte 5

18 A partir de 2009 tem-se verificado uma tendência na diminuição da integração por armazenamento de dados e o aumento de um novo método baseado no método de esquema mediado [31]. Este novo método, envolve o fornecimento de um interface que permite a consulta uniforme ao longo de um esquema mediado (Figura 2), transformando a consulta em consultas específicas sobre as bases de dados de origem. Pode-se chamar a este processo de visão baseada em consulta (view-based query-answering), porque cada uma das origens de dados funciona como uma vista sobre o esquema mediado. Formalmente os cientistas desta área chamam a esta abordagem LAV [14] (Local-as-View), onde local se refere às origens de dados. Existe um modelo alternativo de integração de dados com esquema mediado, com vistas sobre as fontes de dados. Esta abordagem, chamada como GAV [14] (Global-as-View), onde global se refere ao esquema global. Devido à simplicidade envolvida em responder a consultas emitidas sobre o esquema global, esta arquitectura tornou-se a mais atractiva. Contudo, deve-se reescrever a vista para um esquema mediado sempre que for integrada uma nova fonte de dados e/ou sempre que um esquema de uma fonte de dados é alterado. Alguns dos problemas da investigação em curso sobre integração de dados estão relacionados com a semântica da integração. Este problema não aborda a estruturação da arquitectura de integração pois está mais debruçado em resolver os conflitos de semântica entre origens de dados heterogéneas. Por exemplo, se duas empresas fundirem as suas bases de dados, alguns conceitos e definições dos seus respectivos esquemas de dados como o lucro poderão, inevitavelmente ter significados diferentes. Numa base de dados pode significar lucros em euros (número com vírgula flutuante), enquanto na outra base de dados pode representar o valor de vendas (número inteiro). Uma estratégia comum para a resolução destes problemas, envolve o uso de ontologias que explicitamente definem os termos do esquema e, assim, ajudam a resolver estes conflitos semânticos. Data Source A Wrapper Data Source B Wrapper Mediated Schema Virtual Database Data Source C Wrapper Figura 2 - Esquema simplificado de base de dados virtual Já aqui foram referidos alguns tipos de integrações, nomeadamente ETL e EII [13] (Enterprise Information Integration), no entanto, existem muitos outros, dos quais fazem parte os seguintes tipos EAI 6 Estado da Arte

19 [15] (Enterprise Application Integration), EDI [16] (Electronic Data Interchange), ou SOA [15] (Service- Oriented Architecture). No decorrer da apresentação dos diversos integradores desenvolvidos, será realizada uma referência ao tipo de integração em causa. O gráfico da Figura 3 mostra a evolução e as tendências da integração de dados ao longo dos últimos anos. Figura 3 Tendência da Integração de Dados ao Longo do Tempo [30] Exemplo Considere uma aplicação Web onde o utilizador pode consultar uma variedade de informação sobre as cidades, como por exemplo as estatísticas de criminalidade, clima, hotéis ou demografia. Tradicionalmente a informação deveria existir numa única base de dados com um único esquema. Mas qualquer empresa iria achar que informação desta amplitude sairia caro, difícil de recolher e manter. Mesmo que existam os recursos para recolher e manter estes dados, provavelmente iriam duplicar as bases de dados de criminalidade, sensos, e meteorológicas já existentes. A solução de integração de dados pode resolver este problema, considerando esses recursos externos como virtualizações materializadas ao longo de um esquema virtual mediado, resultando numa integração de dados virtual. Isto significa que os programadores podem desenvolver um esquema virtual o esquema mediado ou seja, o modelo que melhor responda às questões dos seus utilizadores. De seguida, os programadores desenvolvem os adaptadores wrapers para cada uma das origens de dados, como a base de dados da criminalidade, do site da meteorologia, etc. Estes adaptadores, apenas Estado da Arte 7

20 transformam os resultados da consulta local numa consulta a um site da Internet ou a uma base de dados, devolvendo ao utilizador o resultado da sua consulta (Figura 2). Quando um utilizador, consulta informação através de uma aplicação baseada em esquema mediado, a aplicação transforma essa consulta em consultas ajustadas às respectivas bases de dados de origem. Finalmente, a aplicação virtual combina o resultado das diversas consultas, fornecendo ao utilizador a resposta à consulta por ele realizada. Com esta solução torna-se simples adicionar novas bases de dados, bastando para tal construir um novo adaptador para cada base de dados adicionada, o que contrasta com sistemas ETL ou com soluções de bases de dados única, que exigem a integração e duplicação de todo o conjunto de dados novos no sistema. 8 Estado da Arte

21 3 Materiais e Métodos 3.1 IBS Integrator A aplicação IBS Integrator [1] é uma ferramenta que permite simplificar a complexidade relativa à integração de sistemas, gestão e replicação de dados e processos de sincronização. Entre os requisitos a que o IBS Integrator dá resposta é de destacar a sua capacidade de integração de sistemas, de integração e sincronização B2B [17] (Business to Business), de criação e manutenção de bases de dados e de sincronização de processos de negócio SCM [18] (Supply Chain Management). O produto permite ainda efectuar a integração do fluxo de trabalho e de informação e a conversão de dados. Esta solução da IBS inclui mais de 250 características e funções que tornam possível ler e actualizar as bases de dados mais conhecidas, ler, criar e converter XML [19] (extensible Markup Language), Microsoft Excel ou qualquer outra informação em texto ou replicar e converter dados. É ainda viável enviar, receber e extrair s, utilizando FTP [20] (File Transfer Protocol), HTTP [21] (Hyper Text Transfer Protocol), HTTPS [21] (Hyper Text Transfer Protocol Secure), Telnet [22], SOAP [23] (Simple Object Access Protocol) ou mail encriptado, assinar e verificar documentos com total suporte de encriptação, aceder a bases de dados Lotus Notes/Domino, suportar MQSeries, XML e Oracle Queue. O IBS Integrator está optimizado para controlar grandes volumes transaccionais e disponibiliza conexões rápidas e nativas para as bases de dados mais populares, como AS400, Oracle, SQL Server, DB2 e Lotus Notes/Domino. Esta é uma solução que também oferece funções especiais para integrar qualquer base de dados ou sistema empresarial em Excel Visão Geral do IBS Integrator Como já foi referido o IBS Integrator permite a ligação a vários tipos de bases de dados e suporta diferentes formatos de ficheiros e de protocolos para troca de dados. A Figura 4 ilustra de um modo geral de que forma o IBS Integrator se relaciona com os dados e bases de dados por ele suportados. Materiais e Métodos 9

22 Figura 4 Relação do IBS Integrator com os dados por ele suportados [1] IBS Integrator Design Studio O IBS Integrator é composto por duas ferramentas distintas. A primeira, o Design Studio, é uma plataforma de desenvolvimento de código, muito semelhante a um compilador. O Design Studio está dividido em 4 áreas. A área 1 identificada na Figura 5 é a zona de exploração dos projectos já desenvolvidos. Pode dizer-se que é a biblioteca de projectos realizados com recurso à ferramenta e das classes associadas a cada um desses projectos. A área 2 é onde se encontra a biblioteca de funções disponíveis para o desenvolvimento do código que compõe os integradores. O Design Studio dispõe de base de uma biblioteca de funções muito vasta para o auxilio ao desenvolvimento dos projectos de integração. A área 3 é a área de trabalho onde se realiza a programação do integrador. A programação pode ser realizada em modo gráfico com recurso à biblioteca de funções ou em normal, ou seja, escrevendo directamente o código na área de trabalho. Como se pode ver pela Figura 5, podemos a qualquer altura passar do modo gráfico ou Visual para modo normal ou Java [24]. A linguagem de programação com a qual se constroem os integradores com esta ferramenta é o Java. Finalmente a área 4 é a chamada janela de debug, onde todas as mensagens programadas ou de erro são apresentadas. Esta área é muito útil na fase de teste onde se pode verificar passo a passo o comportamento do integrador. 10 Materiais e Métodos

23 Figura 5 IBS Integrator Design Studio IBS Integrator Web Administration O segundo interface de gestão é o Web Administration, tendo este funções distintas do primeiro, o IBS Integrator Design Studio. Enquanto que o primeiro se destina à criação dos programas de integração, este interface destina-se a controlar todo o fluxo de informação, chamando um dos programas desenvolvidos no Design Studio sempre que se verifiquem determinadas condições. O Web Administration dispõe de vários tipos de serviços tais como Web Services, Folder Watcher, Timer, Socket Watcher, entre outros, dos quais se descrevem apenas os serviços mais relevantes e utilizados no âmbito deste projecto. A Figura 6 apresenta um dos ecrãs mais importantes do Web Administration, onde se podem ver os serviços disponíveis e o seu estado. Os serviços activos estão precedidos de um quadrado verde e os serviços inactivos por um quadrado cinza. Materiais e Métodos 11

24 Figura 6 - IBS Web Administracion, serviços Timer O serviço Timer é vulgarmente usado em integrações do tipo ETL [4] (Extract Transform and Load). Através deste serviço é definido um período de actualização da informação o que não é mais do que o intervalo de tempo com que o Timer vai executar uma determinada classe de Java previamente programada da qual resultará uma integração ou actualização de dados. A Figura 7 mostra as configurações deste serviço e os respectivos serviços agendados. 12 Materiais e Métodos

25 Figura 7 IBS Integrator Web Administration, Timer Folder Watcher O serviço Folder Whatcher é um serviço que, como o nome indica, está a monitorizar o conteúdo de uma pasta específica. Quando for colocado nessa pasta um ficheiro que obedeça a determinadas características, por exemplo nome e/ou extensão, o serviço activa uma classe previamente programada para verificar/interpretar o ficheiro aí colocado. Posteriormente procede ao processamento do mesmo. O processamento pode significar diversas operações, dependendo do destino que pretendemos dar ao conteúdo do ficheiro, ou do programa ou classe associado a este serviço. A Figura 8 seguinte mostra as configurações deste serviço, e os respectivos serviços agendados. Materiais e Métodos 13

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação O Business Analytics for Microsoft Business Solutions Navision ajuda-o a ter maior controlo do seu negócio, tomar rapidamente melhores decisões e equipar os seus funcionários para que estes possam contribuir

Leia mais

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft A solução MB DOX oferece uma vantagem competitiva às empresas, com a redução do custo de operação, e dá um impulso à factura

Leia mais

WebSphere MQ. Bruno Miguel de Sousa Gonçalves

WebSphere MQ. Bruno Miguel de Sousa Gonçalves WebSphere MQ Bruno Miguel de Sousa Gonçalves 1.Introdução ao WebSphere Os produtos WebSphere providenciam comunicação entre programas através da interligação entre componentes heterogéneos, processadores,

Leia mais

NOTIFICAÇÃO DE NEGÓCIO

NOTIFICAÇÃO DE NEGÓCIO NOTIFICAÇÃO DE NEGÓCIO O Microsoft Business Solutions for Supply Chain Management Navision Business Notification ajudao a gerir a sua empresa mais facilmente e eficazmente. Pode identificar qualquer problema

Leia mais

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas Conceito As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas PÁG 02 Actualmente, face à crescente necessidade de integração dos processos de negócio, as empresas enfrentam o desafio de inovar e expandir

Leia mais

ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa

ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa Neste artigo clarifica-se os objectivos do ILM (Information Life Cycle Management) e mostra-se como estes estão dependentes da realização e manutenção

Leia mais

Soluções de Mobilidade Empresarial

Soluções de Mobilidade Empresarial Soluções de Mobilidade Empresarial DC13001.01 - Março 2013 Pontual software solutions Solução Integrada de Mobilidade O MobileCrm é uma solução integrada de mobilidade a qual está desenhada para a plataforma

Leia mais

Entrega de Folhas de Férias

Entrega de Folhas de Férias Entrega de Folhas de Férias Guia do Utilizador Versão 4.0 Agosto/ 2014 Índice 1. Introdução 2. Criar/ Validar Folhas de Férias 3. Acesso à funcionalidade 4. Inserir/ Consultar Folhas de Férias 5. Comprovativo

Leia mais

PHC Doc. Electrónicos CS

PHC Doc. Electrónicos CS PHC Doc. Electrónicos CS A diminuição dos custos da empresa A solução que permite substituir a típica correspondência em papel, agilizando os processos documentais e reduzindo os custos das empresas. BUSINESS

Leia mais

Enunciado do Projecto

Enunciado do Projecto C O M P U T A Ç Ã O M Ó V E L 2 0 0 7 / 2 0 0 8 Enunciado do Projecto 17 de Março de 2008 1. Objectivos Desenvolver uma aplicação num domínio aplicacional específico que envolva replicação e sincronização

Leia mais

Secção I. ƒ Sistemas empresariais cruzados

Secção I. ƒ Sistemas empresariais cruzados 1 Secção I ƒ Sistemas empresariais cruzados Aplicações empresariais cruzadas 2 ƒ Combinações integradas de subsistemas de informação, que partilham recursos informativos e apoiam processos de negócio de

Leia mais

A Gestão de Configurações suporte dos Sistemas de Informação

A Gestão de Configurações suporte dos Sistemas de Informação A Gestão de Configurações suporte dos Sistemas de Informação O funcionamento dos sistemas e tecnologias de informação e comunicação têm nas organizações um papel cada vez mais crítico na medida em que

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

Modernização dos Sistemas de Informação do Grupo Prosegur

Modernização dos Sistemas de Informação do Grupo Prosegur Modernização dos Sistemas de Informação do Grupo Prosegur Rogério Machado Director Técnico José Monteiro Ferreira Director Informática e Telecomunicações AGENDA 1. A APR 2. APRESENTAÇÃO DO PROJECTO 3.

Leia mais

Especificações de oferta Monitorização da infra-estrutura remota

Especificações de oferta Monitorização da infra-estrutura remota Descrição dos serviços Especificações de oferta Monitorização da infra-estrutura remota Este serviço oferece serviços de Monitorização da infra-estrutura remota Dell (RIM, o Serviço ou Serviços ) conforme

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

Informática. Conceitos Básicos. Informação e Sistemas de Informação. Aula 3. Introdução aos Sistemas

Informática. Conceitos Básicos. Informação e Sistemas de Informação. Aula 3. Introdução aos Sistemas Informática Aula 3 Conceitos Básicos. Informação e Sistemas de Informação Comunicação Empresarial 2º Ano Ano lectivo 2003-2004 Introdução aos Sistemas A Teoria dos Sistemas proporciona um meio poderoso

Leia mais

Sem o recurso às tecnologias disponibilizadas pela Microsoft, a solução criada seria difícil de obter num tão curto espaço de tempo.

Sem o recurso às tecnologias disponibilizadas pela Microsoft, a solução criada seria difícil de obter num tão curto espaço de tempo. Caso de Sucesso Microsoft Finsolutia cria solução completa de suporte ao negócio com.net Framework 3.5 Sumário País: Portugal Indústria: Banking&Finance Perfil do Cliente A Finsolutia é uma joint venture

Leia mais

Service Oriented Architectures

Service Oriented Architectures Service Oriented Architectures Uma abordagem evolutiva Manager, IT Middleware Vodafone Portugal Mario.saraiva@vodafone.com Agenda 1. O desafio da Integração O princípio do Middleware, ActiveWorks e Middleware

Leia mais

1 Serviços de Planeamento e Transformação Empresarial Os Serviços de Planeamento e Transformação Empresarial da SAP incluem:

1 Serviços de Planeamento e Transformação Empresarial Os Serviços de Planeamento e Transformação Empresarial da SAP incluem: Descrição de Serviços Serviços de Planeamento e Empresarial Os Serviços de Planeamento e Empresarial fornecem serviços de consultoria e prototipagem para facilitar a agenda do Licenciado relativa à inovação

Leia mais

A Importância de gerir ficheiros nas Organizações

A Importância de gerir ficheiros nas Organizações A Importância de gerir ficheiros nas Organizações Transferência de Ficheiros: Porquê? É um suporte acessível para transferência de informação entre aplicações e entre sistemas heterogéneos Possibilita

Leia mais

Palbit investe no Microsoft Dynamics CRM para suportar crescimento do negócio

Palbit investe no Microsoft Dynamics CRM para suportar crescimento do negócio Microsoft Dynamics CRM Cliente Referência: PALBIT Palbit Palbit investe no Microsoft Dynamics CRM para suportar crescimento do negócio Sumário País Portugal Sector Produção Industrial Perfil do Cliente

Leia mais

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDOC Sistema de Gestão Documental Dossier de Produto DP10.02 02.01.2009 www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDoc Sistema de Gestão Documental A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais,

Leia mais

Wincrm Gestão das Oportunidades de Negócio

Wincrm Gestão das Oportunidades de Negócio Wincrm Gestão das Oportunidades de Negócio Wincrm Gestão das Oportunidades de Negócio Soluções Com o módulo WinCRM, aumente drasticamente a produtividade comercial e o volume de negócios da organização.

Leia mais

Ficha Técnica Xenos Developer Studio

Ficha Técnica Xenos Developer Studio Xenos Developer Studio Ficha Técnica Xenos Developer Studio Xenos Developer Studio Soluções de Enterprise Output Management que reduz custos associados à impressão tradicional, ao mesmo tempo em que facilita

Leia mais

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA Introdução Nesta edição do Catálogo de Serviços apresentamos os vários tipos de serviços que compõe a actual oferta da Primavera na área dos serviços de consultoria.

Leia mais

Informação legal... 4 Frequently Asked Questions (FAQ)... 6 Quickstart Tutorial... 9

Informação legal... 4 Frequently Asked Questions (FAQ)... 6 Quickstart Tutorial... 9 Índice Introdução ao ELMS e ao MSDNAA... 3 Informação legal... 4 Frequently Asked Questions (FAQ)... 6 Quickstart Tutorial... 9 O presente documento destina se a auxiliar todos os alunos que sejam beneficiários

Leia mais

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade Introdução Desenvolvido segundo um modelo de bases de dados relacionais, podem ser realizadas personalizações à medida de cada empresa, em conformidade com o Sistema de Informação existente e diversas

Leia mais

Software da Impressora

Software da Impressora Software da Impressora Acerca do Software da Impressora O software Epson inclui o controlador de impressão e o EPSON Status Monitor 3. O controlador de impressão é um software que permite controlar a impressora

Leia mais

Ficha prática nº 7. SGBD Microsoft Access e SQL Server

Ficha prática nº 7. SGBD Microsoft Access e SQL Server Instituto Superior Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia Departamento de Informática Ficha prática nº 7 SGBD Microsoft Access e SQL Server Objectivo: Criação de uma aplicação em arquitectura

Leia mais

Data última actualização: 20-06-2014. Instalação E-Portals

Data última actualização: 20-06-2014. Instalação E-Portals Data última actualização: 20-06-2014 Instalação E-Portals 1. Conteúdo 1. Conteúdo... 2 2. Instalação e Manutenção do EPT... 3 3. Configuração de perfis de sincronização... 6 3.1 Módulos Oficinas, GCE e

Leia mais

PHC Serviços CS. A gestão de processos de prestação de serviços

PHC Serviços CS. A gestão de processos de prestação de serviços PHC Serviços CS A gestão de processos de prestação de serviços A solução que permite controlar diferentes áreas de uma empresa: reclamações e respectivo tratamento; controlo de processos e respectivos

Leia mais

A plataforma de software modular ud121 E-Business, oferece uma das mais sofisticadas ferramentas para comunicações integradas multi-canal.

A plataforma de software modular ud121 E-Business, oferece uma das mais sofisticadas ferramentas para comunicações integradas multi-canal. A plataforma de software modular ud121 E-Business, oferece uma das mais sofisticadas ferramentas para comunicações integradas multi-canal. Adoptada por diversas empresas líderes de mercado em vários sectores

Leia mais

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos PHC TeamControl CS A gestão de equipas e de departamentos A solução que permite concretizar projectos no tempo previsto e nos valores orçamentados contemplando: planeamento; gestão; coordenação; colaboração

Leia mais

Implementação de projecto EDI e Factura Electrónica FILOMENA CARVALHO MÁRIO MAIA. Collaborative Business

Implementação de projecto EDI e Factura Electrónica FILOMENA CARVALHO MÁRIO MAIA. Collaborative Business Implementação de projecto EDI e Factura Electrónica FILOMENA CARVALHO MÁRIO MAIA Collaborative Business Generix Group em resumo Editor de soluções de Comércio Colaborativo > Soluções colaborativas intra

Leia mais

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Alunos: Justino Santos, Paulo Neto E-mail: eic10428@student.estg.ipleiria.pt, eic10438@student.estg.ipleiria.pt Orientadores: Prof. Filipe Neves, Prof. Paulo Costa

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Novembro de 2004

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Novembro de 2004 FICHEIROS COM EXEMPLOS Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para conhecer os endereços de Internet de onde poderá fazer o download dos ficheiros com os exemplos deste livro. Reservados todos

Leia mais

Concurso público para aquisição de plataforma de facturação electrónica. Resposta aos pedidos de esclarecimentos. Julho de 2009

Concurso público para aquisição de plataforma de facturação electrónica. Resposta aos pedidos de esclarecimentos. Julho de 2009 GLOBALGARVE COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO, SA Concurso público para aquisição de plataforma de facturação electrónica Resposta aos pedidos de esclarecimentos Julho de 2009 Página 1 de 7 No seguimento do

Leia mais

Sistemas de Informação no sector da Construção. João Poças Martins, FEUP/GEQUALTEC, 2011 1

Sistemas de Informação no sector da Construção. João Poças Martins, FEUP/GEQUALTEC, 2011 1 Sistemas de Informação no sector da Construção João Poças Martins, FEUP/GEQUALTEC, 2011 1 Sistemas de Informação no sector da Construção 1. SI na Construção. Introdução 2. ERP 3. BIM 4. Outras aplicações

Leia mais

Guia de Rede. Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice

Guia de Rede. Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice Guia de Rede 1 2 3 4 Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice Leia este manual cuidadosamente antes de utilizar o equipamento e mantenha-o

Leia mais

PHC Clínica CS. A gestão operacional total da clínica ou consultório

PHC Clínica CS. A gestão operacional total da clínica ou consultório PHC Clínica CS A gestão operacional total da clínica ou consultório A informação confidencial sobre cada paciente, o seu historial e, se integrado com o módulo PHC Gestão CS, a gestão financeira e a facturação

Leia mais

Manual do Nero ControlCenter

Manual do Nero ControlCenter Manual do Nero ControlCenter Nero AG Informações sobre direitos de autor e marcas O manual do Nero ControlCenter e todo o seu conteúdo estão protegidos pelos direitos de autor e são propriedade da Nero

Leia mais

Características do WorkinProject

Características do WorkinProject Características do WorkinProject A solução WorkinProject é um sistema de informação integrado para empresas de Arquitectura e Engenharia em que a actividade é baseada na Gestão de Projectos. O sistema

Leia mais

Gestão de Configurações II

Gestão de Configurações II Gestão de Configurações II Bibliografia Livro: Software Configuration Management Patterns: Effective Teamwork, Practical Integration Gestão de Projecto 14 Padrões de Gestão Os padrões de gestão de configurações

Leia mais

Lisboa, 18 de Janeiro de 2004

Lisboa, 18 de Janeiro de 2004 Lisboa, 18 de Janeiro de 2004 Realizado por: o Bruno Martins Nº 17206 o Cátia Chasqueira Nº 17211 o João Almeida Nº 17230 1 Índice 1 Índice de Figuras... 3 2 Versões... 4 3 Introdução... 5 3.1 Finalidade...

Leia mais

Tecnologias de Informação

Tecnologias de Informação Sistemas Empresariais Enterprise Resource Planning (ERP): Sistema que armazena, processa e organiza todos os dados e processos da empresa de um forma integrada e automatizada Os ERP tem progressivamente

Leia mais

IBM SmartCloud para Social Business. Manual do Administrador do IBMSmartCloudEngageeIBM SmartCloud Connections

IBM SmartCloud para Social Business. Manual do Administrador do IBMSmartCloudEngageeIBM SmartCloud Connections IBM SmartCloud para Social Business Manual do Administrador do IBMSmartCloudEngageeIBM SmartCloud Connections IBM SmartCloud para Social Business Manual do Administrador do IBMSmartCloudEngageeIBM SmartCloud

Leia mais

Premier. Quando os últimos são os Primeiros

Premier. Quando os últimos são os Primeiros Premier Quando os últimos são os Primeiros Fundada em 1997 Especializada no desenvolvimento de soluções informáticas de apoio à Gestão e consultoria em Tecnologias de Informação. C3im tem como principais

Leia mais

1. Contratos de aluguer automóvel

1. Contratos de aluguer automóvel 1. Contratos de aluguer automóvel Pretende-se desenvolver um Sistema Informático para apoio à gestão de Contratos de Aluguer automóvel de Longa-duração (SICAL) que permita efectuar, cancelar e modificar

Leia mais

PALAVRAS CHAVE RESUMO

PALAVRAS CHAVE RESUMO ESIG2001 SPATIAL INTELLIGENCE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA COMO MEIO DE SUPORTE À DECISÃO João Machado Costa, Rui Marques Ferreira Novabase www.novabase.pt joao.machado@novabase.pt PALAVRAS CHAVE Spatial Information

Leia mais

Soluções de Mobilidade Empresarial

Soluções de Mobilidade Empresarial Soluções de Mobilidade Empresarial DC13001.01 - Janeiro 2013 Pontual software solutions Solução Integrada de Mobilidade O MobileCrm é uma solução integrada de mobilidade a qual está desenhada para a plataforma

Leia mais

Te.Ma.S. Software de Gestão Para Terminais Petrolíferos

Te.Ma.S. Software de Gestão Para Terminais Petrolíferos Te.Ma.S Software de Gestão Para Terminais Petrolíferos 1. Introdução Te.Ma.S Te.Ma.S significa Terminal Management System, e é um software que permite efectuar toda a gestão e controlo de um Terminal Petrolífero.

Leia mais

SEO LINKEDIN FACEBOOK GOOGLE REDES SOCIAS E-COMMERCE TWITTER UNICRE PAY PAL 6.0 PLATAFORMA INTEGRADA DE NEGÓCIO E COMUNICAÇÃO ONLINE

SEO LINKEDIN FACEBOOK GOOGLE REDES SOCIAS E-COMMERCE TWITTER UNICRE PAY PAL 6.0 PLATAFORMA INTEGRADA DE NEGÓCIO E COMUNICAÇÃO ONLINE LINKEDIN FACEBOOK TWITTER GOOGLE REDES SOCIAS E-COMMERCE PAY PAL SEO UNICRE 6.0 PLATAFORMA INTEGRADA DE NEGÓCIO E COMUNICAÇÃO ONLINE ACTUALIZE O SEU SITE VENDAS ONLINE MARKETING ONLINE A PLATAFORMA GCM

Leia mais

IDC Portugal: Av. António Serpa, 36 9º Andra, 1050-027 Lisboa, Portugal Tel. 21 796 5487 www.idc.com

IDC Portugal: Av. António Serpa, 36 9º Andra, 1050-027 Lisboa, Portugal Tel. 21 796 5487 www.idc.com CADERNO IDC Nº 49 IDC Portugal: Av. António Serpa, 36 9º Andra, 1050-027 Lisboa, Portugal Tel. 21 796 5487 www.idc.com Web Services OPINIÃO IDC Apesar de não constituírem uma alteração tecnológica radical,

Leia mais

SmartCloud Docs. Versão 1.0

SmartCloud Docs. Versão 1.0 SmartCloud Docs Versão 1.0 ii SmartCloud Docs Índice Trabalhar com documentos...... 3 Criar e importar documentos......... 3 Acerca de modelos........... 3 Criar documentos a partir de modelos..... 4 Alterar

Leia mais

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO DOMINE A 110% ACCESS 2010 A VISTA BACKSTAGE Assim que é activado o Access, é visualizado o ecrã principal de acesso na nova vista Backstage. Após aceder ao Access 2010, no canto superior esquerdo do Friso,

Leia mais

Documento de actualização funcional. Refª JURI-DEV-20121221-v1

Documento de actualização funcional. Refª JURI-DEV-20121221-v1 Documento de actualização funcional Refª JURI-DEV-20121221-v1 21 de Dezembro de 2012 Índice 1 Certificação com envio de ficheiro SAFT-PT para AT... 3 1.1 Sobre a Certificação... 3 1.2 Novas regras para

Leia mais

Escola Superior de Gestão de Santarém. Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos. Peça Instrutória G

Escola Superior de Gestão de Santarém. Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos. Peça Instrutória G Escola Superior de Gestão de Santarém Pedido de Registo do CET Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos Peça Instrutória G Conteúdo programático sumário de cada unidade de formação TÉCNICAS

Leia mais

Cimertex melhora acesso à informação com Microsoft Dynamics NAV e CRM

Cimertex melhora acesso à informação com Microsoft Dynamics NAV e CRM Microsoft Dynamics NAV e CRM Cliente de Referência: CIMERTEX Cimertex Cimertex melhora acesso à informação com Microsoft Dynamics NAV e CRM Sumário País Portugal Sector Comércio e Indústria Perfil do Cliente

Leia mais

Informática. Estrutura e Funcionamento de Computadores Software. Aula 8. Tipos de Software. Aplicação Genérica. Aplicação Específica

Informática. Estrutura e Funcionamento de Computadores Software. Aula 8. Tipos de Software. Aplicação Genérica. Aplicação Específica Informática Aula 8 Estrutura e Funcionamento de Computadores Software Comunicação Empresarial 2º Ano Ano lectivo 2003-2004 Tipos de Software Software de Sistema Software Aplicacional Gestão do Sistema

Leia mais

O SECTOR A SOLUÇÃO Y.make Num mundo cada vez mais exigente, cada vez mais rápido e cada vez mais competitivo, o papel dos sistemas de informação deixa de ser de obrigação para passar a ser de prioridade.

Leia mais

Módulo de CRM. Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES]

Módulo de CRM. Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES] Módulo de CRM Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES] Um software com cada vez mais funcionalidades a pensar no seu negócio! A quem se destina As empresas que pretendem

Leia mais

Gestão Total da Manutenção: Sistema GTM

Gestão Total da Manutenção: Sistema GTM Gestão Total da Manutenção: Sistema GTM por Engº João Barata (jbarata@ctcv.pt), CTCV Inovação Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro 1. - INTRODUÇÃO Os sub-sistemas de gestão, qualquer que seja o seu

Leia mais

Software de Gestão Manutenção e Produção

Software de Gestão Manutenção e Produção Software de Gestão Manutenção e Produção Parceiro global para toda a área de Tecnologias da sua empresa ENQUADRAMENTO A ALIDATA e a SENDYS são empresas 100% portuguesas, no mercado há mais de 30 anos,

Leia mais

Base de dados I. Base de dados II

Base de dados I. Base de dados II Base de dados I O que é? Uma base de dados é um simples repositório de informação, relacionada com um determinado assunto ou finalidade, armazenada em computador em forma de ficheiros Para que serve? Serve

Leia mais

WORKFLOW. Mapeamento de Processos de Negócio 26/11/2009. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

WORKFLOW. Mapeamento de Processos de Negócio 26/11/2009. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS WORKFLOW Mapeamento de Processos de Negócio Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS É proibido a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio sem a expressa autorização

Leia mais

PHC Logística CS. A gestão total da logística de armazém

PHC Logística CS. A gestão total da logística de armazém PHC Logística CS A gestão total da logística de armazém A solução para diminuir os custos de armazém, melhorar o aprovisionamento, racionalizar o espaço físico e automatizar o processo de expedição. BUSINESS

Leia mais

Gestão Documental com Alfresco

Gestão Documental com Alfresco Gestão Documental com Alfresco Gestão Documental com Alfresco Setembro 2011 1 Situação actual Principais fontes de informação nas Organizações: Estruturadas: Bases de dados Não estruturadas: Arquivos de

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Outubro de 2003 ISBN: 972-8426-76-3 Depósito legal: 202574/03

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Outubro de 2003 ISBN: 972-8426-76-3 Depósito legal: 202574/03 FICHEIROS COM EXEMPLOS Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para conhecer os endereços de Internet de onde poderá fazer o download dos ficheiros com os exemplos deste livro. * O leitor consente,

Leia mais

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária)

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) /curriculum Julho de 2008 Versão 1.1 1 Introdução O objectivo deste guia é auxiliar o utilizador da Plataforma

Leia mais

Guia de Websites para a Administração Pública

Guia de Websites para a Administração Pública Guia de Websites para a Administração Pública Portugal precisa de um desafio de exigência e de conhecimento que nos eleve aos níveis de competência e de produtividade dos países mais desenvolvidos, de

Leia mais

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação.

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação. GLOSSÁRIO Este glossário contém termos e siglas utilizados para Internet. Este material foi compilado de trabalhos publicados por Plewe (1998), Enzer (2000) e outros manuais e referências localizadas na

Leia mais

Migrar para o Excel 2010

Migrar para o Excel 2010 Neste Guia Microsoft O aspecto do Microsoft Excel 2010 é muito diferente do Excel 2003, pelo que este guia foi criado para ajudar a minimizar a curva de aprendizagem. Continue a ler para conhecer as partes

Leia mais

Arquitecturas de Sistemas de Informação

Arquitecturas de Sistemas de Informação Arquitecturas de Sistemas de Informação Arquitectura Tecnológica Arquitectura Tecnológica O que é: É a escolha dos tipos de tecnologia que devem ser utilizados para dar suporte a cada um dos sistemas e

Leia mais

NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS

NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS 1 NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS Este primeiro capítulo aborda conceitos elementares relacionados com bases de dados. Os conceitos abordados neste capítulo são necessários para trabalhar adequadamente

Leia mais

SmartCloud Docs. Versão 1.0

SmartCloud Docs. Versão 1.0 SmartCloud Docs Versão 1.0 ii SmartCloud Docs Índice Capítulo 2. Trabalhar com documentos 3 Criar e importar documentos......... 3 Acerca de modelos........... 3 Criar documentos a partir de modelos.....

Leia mais

A Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais PRODEMGE

A Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais PRODEMGE Belo Horizonte, 06 de Maio de 2010 A Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais PRODEMGE Referente: CONSULTA PÚBLICA PARA CONTRATAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO DE GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

API e Integraç ão. Inoxnet WebServices. Versã o 1.10. (c) EBASE Lda. www.inoxnet.com

API e Integraç ão. Inoxnet WebServices. Versã o 1.10. (c) EBASE Lda. www.inoxnet.com API e Integraç ão Inoxnet WebServices Versã o 1.10 (c) EBASE Lda www.inoxnet.com Índice INFORMAÇ ÃO SOBRE ESTE DOCUMENTO...3 Descrição geral... 3 Requisitos... 3 Termos... 4 Convenções... 4 INTRODUÇ ÃO...4

Leia mais

Software GEFISEME Aplicação destinada ao auxílio do serviço de Metrologia. Rua D. Afonso Henriques, 1726 4435-003 Rio Tinto www.worldsolutions.

Software GEFISEME Aplicação destinada ao auxílio do serviço de Metrologia. Rua D. Afonso Henriques, 1726 4435-003 Rio Tinto www.worldsolutions. Software GEFISEME Aplicação destinada ao auxílio do serviço de Metrologia Rua D. Afonso Henriques, 1726 4435-003 Rio Tinto www.worldsolutions.pt Conteúdo Introdução... 2 Gestão de acessos... 3 Ficha de

Leia mais

Redes de computadores e Internet

Redes de computadores e Internet Polo de Viseu Redes de computadores e Internet Aspectos genéricos sobre redes de computadores Redes de computadores O que são redes de computadores? Uma rede de computadores é um sistema de comunicação

Leia mais

1. Introdução ao. Crystal Reports

1. Introdução ao. Crystal Reports 1. Introdução ao Crystal Reports Como é sabido e geralmente aceite por todos nós, vivemos um período onde a complexidade dos negócios é cada vez maior, tal como o prova a intensificação da concorrência,

Leia mais

iportalmais Rua Passos Manuel, n.º 66 / 76 4000-381 Porto - Portugal Telefone: +351225 106 476 Fax: 225 189 722 mail@iportalmais.pt www.iportalmais.pt MULTICERT Estrada Casal de Canas, Lote 6 Alfragide

Leia mais

Gama PHC Corporate CS

Gama PHC Corporate CS Gama PHC Corporate CS A gestão das micro-empresas A gestão de todas as áreas e departamentos das micro-empresas, por forma a aumentar significativamente a produtividade dos colaboradores. BUSINESS AT SPEED

Leia mais

Versão 1.0. [08.02.2012] 2012, Portugal - Efacec Sistemas de Gestão S.A. Todos os direitos reservados. 1

Versão 1.0. [08.02.2012] 2012, Portugal - Efacec Sistemas de Gestão S.A. Todos os direitos reservados. 1 Copyright 2012 Efacec Todos os direitos reservados. Não é permitida qualquer cópia, reprodução, transmissão ou utilização deste documento sem a prévia autorização escrita da Efacec Sistemas de Gestão S.A.

Leia mais

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) CLF

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) CLF GESTÃO Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) Informação e Decisões Gerir envolve tomar muitas e frequentes decisões Para decidir com eficácia

Leia mais

Copyright 2001-2005 GrupoPIE Portugal, S.A.

Copyright 2001-2005 GrupoPIE Portugal, S.A. ComServer ComServer Linux A Restauração do Séc. XXI Copyright 2001-2005 GrupoPIE Portugal, S.A. 1. WinREST ComServer...5 1.1. Licença...5 1.2. Instalação e upgrade...6 1.3. Licenciamento...7 1.4. Interface...8

Leia mais

1.1 A abordagem seguida no livro

1.1 A abordagem seguida no livro 1- Introdução A área de administração de sistemas e redes assume cada vez mais um papel fundamental no âmbito das tecnologias da informação. Trata-se, na realidade, de uma área bastante exigente do ponto

Leia mais

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor Folha de Factos A informação contida neste documento representa a visão actual da Microsoft Corporation sobre os assuntos discutidos,

Leia mais

PHC Pessoal CS. A gestão de Pessoal e Salários

PHC Pessoal CS. A gestão de Pessoal e Salários PHC Pessoal CS A gestão de Pessoal e Salários A solução que contempla as necessidades relativas à gestão de funcionários, processamento de vencimentos, férias, faltas e mapas legais, assim como inúmeras

Leia mais

Catálogo IDA de INSTRUMENTOS e TÉCNICAS COMUNS. Interchange of Data between Administrations COMISSÃO EUROPEIA

Catálogo IDA de INSTRUMENTOS e TÉCNICAS COMUNS. Interchange of Data between Administrations COMISSÃO EUROPEIA Interchange of Data between Administrations COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO- GERAL DA EMPRESA INTERCHANGE OF DATA BETWEEN ADMINISTRATIONS PROGRAMME Catálogo IDA de INSTRUMENTOS Interchange of Data between Administrations

Leia mais

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação DCTI Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI ANEXO 1 Instituição

Leia mais

Plataforma de Gestão de Actualizações de Software Descrição do Problema

Plataforma de Gestão de Actualizações de Software Descrição do Problema Plataforma de Gestão de Actualizações de Software Descrição do Problema Pedro Miguel Barros Morgado Índice Introdução... 3 Ponto.C... 4 Descrição do Problema... 5 Bibliografia... 7 2 Introdução No mundo

Leia mais

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações Sistemas Multimédia Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP Redes e Comunicações Francisco Maia famaia@gmail.com Já estudado... Motivação Breve História Conceitos Básicos Tipos de Redes Componentes

Leia mais

GM Light GM POS GESTÃO COMERCIAL. O parceiro ideal nas tecnologias de Informação

GM Light GM POS GESTÃO COMERCIAL. O parceiro ideal nas tecnologias de Informação GM As soluções de Gestão comercial GM são uma ferramenta essencial e indispensável para a correcta gestão de negócio e fomentador do crescimento sustentado das Empresas. Criado de raiz para ser usado em

Leia mais

PRIMAVERA INDUSTRY. Uma solução para as PME industriais

PRIMAVERA INDUSTRY. Uma solução para as PME industriais PRIMAVERA INDUSTRY Uma solução para as PME industriais PRIMAVERA INDUSTRY Uma solução para as PME industriais produtivos de modo a garantir uma maior qualidade dos produtos sujeitos a fabrico, ao menor

Leia mais

PHC dteamcontrol Interno

PHC dteamcontrol Interno PHC dteamcontrol Interno A gestão remota de projectos em aberto A solução via Internet que permite acompanhar os projectos em aberto em que o utilizador se encontra envolvido, gerir eficazmente o seu tempo

Leia mais

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS WHITE PAPER MANUTENÇÃO PRIMAVERA

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS WHITE PAPER MANUTENÇÃO PRIMAVERA PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS WHITE PAPER MANUTENÇÃO PRIMAVERA ÍNDICE MANUTENÇÃO PRIMAVERA 4 MÓDULOS CONSTITUINTES 4 CADASTRO 4 Entidades 5 Localizações 8 MATERIAIS 11 Sobresselentes, Consumíveis,

Leia mais

Apresentar Propostas vortalgov

Apresentar Propostas vortalgov Guia de utilização Apresentar Propostas Janeiro 2008 Índice Preâmbulo... 3 Acesso à Plataforma... 3 Área de Trabalho... 4 PPA / C. Públicos... 4 Funcionalidades da pasta PPA / C. Públicos - Activos...

Leia mais