23000.[_][_][_][_][_][_]/200[_]-[_][_]

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "23000.[_][_][_][_][_][_]/200[_]-[_][_]"

Transcrição

1 Número do Processo: [_][_][_][_][_][_]/200[_]-[_][_] Para uso exclusivo do MEC. NOME DA MANTENEDORA NOME DA MANTIDA Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico IESST Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas - FACITEC Solicita o(a) Credenciamento como Centro de Educação Tecnológica Denominação Pretendida para o CET X Autorização para funcionamento do : NOME DO CURSO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES ÁREA PROFISSIONAL INFORMÁTICA Cidade TAGUATINGA UF DF Data Versão 04/08/2005 FINAL

2 S U M Á R I O 1. INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO E ENVIO DESTA SOLICITAÇÃO DA MANTENEDORA PESSOA FÍSICA DA MANTENEDORA PESSOA JURÍDICA DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO DA MANTENEDORA DIRIGENTE PRINCIPAL DA MANTENEDORA IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO MANTIDA CORPO DIRIGENTE DA INSTITUIÇÃO MANTIDA HISTÓRICO DA MANTENEDORA E DA INSTITUIÇÃO MANTIDA AS ATIVIDADES PRINCIPAIS DA INSTITUIÇÃO MANTIDA ÁREAS DE ATUAÇÃO DA INSTITUIÇÃO MANTIDA DESCRIÇÃO DE PARTICIPAÇÃO DO CORPO DOCENTE NAS ATIVIDADES DE DIREÇÃO DA INSTITUIÇÃO MANTIDA TABELA RESUMO DE INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS OFERECIDOS PELA INSTITUIÇÃO MANTIDA DETALHAMENTO DOS CURSOS OFERECIDOS PELA MANTIDA MECANISMO INSTITUCIONALIZADO PERMANENTE DE ARTICULAÇÃO COM SEGMENTOS PRODUTIVOS A QUE ESTÃO VINCULADOS OS CURSOS PARA DEFINIÇÃO DA OFERTA DE CURSOS, VAGAS E PARA ATUALIZAÇÃO CURRICULAR PLANEJAMENTO ECONÔMICO E FINANCEIRO... ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO Quadro detalhado de receitas... Erro! Indicador não definido. 5. DO PROJETO PARA O CURSO PROPOSTO DADOS GERAIS DO CURSO PROPOSTO Denominação Dados do responsável pela elaboração do projeto Dados do coordenador do curso Regime de matrícula Total de vagas anuais Carga horária ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR Justificativa da oferta do curso Finalidades e objetivos do curso Perfil Profissional de Conclusão Fluxograma do curso (representação gráfica do percurso de formação) Organização curricular (disposição em módulos, disciplinas, projetos e outros.) Outros itens do projeto pedagógico Flexibilidade Curricular Planilha para Avaliação da Organização e Desenvolvimento Curricular CORPO DOCENTE E COORDENADOR Plano de Carreira Docente Previsto Política de Aperfeiçoamento/Qualificação/Atualização Docente Prevista pelo Curso Coordenador do Curso Regime de trabalho, Titulação e Currículo Titulação, Regime de trabalho e Currículo Vitae do Corpo Docente somente do 1º ano INFRA ESTRUTURA Infra-Estrutura Física e Recursos Materiais Plano de Expansão Tecnólogo em Redes de Computadores 2

3 Sub-Planilha para Avaliação da Infra Estrutura Física e de Materiais Infra-Estrutura de Acessibilidade às Pessoas Portadoras de Necessidades Especiais Infra-Estrutura de Informática Infra-Estrutura de Laboratórios Específicos à Área do Curso Biblioteca Planilha de Consolidação da Avaliação da Infra-Estrutura PARECER FINAL DA COMISSÃO TÉCNICA PLANILHA DE AVALIAÇÃO FINAL PARECER FINAL DA COMISSÃO VERIFICADORA SUGESTÕES DA COMISSÃO VERIFICADORA PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DO CURSO ANALISADO ANEXOS Tecnólogo em Redes de Computadores 3

4 Instruções para o preenchimento e envio desta Solicitação. Esta Solicitação está dividida em três partes: Trâmites do MEC, Projeto e Anexos. Projeto e Anexos devem ser encadernados conjuntamente em espiral Trâmites do MEC Protocolização do Processo de Autorização/Credenciamento no MEC Para protocolizar o processo de Autorização de Curso e/ou Credenciamento de CET s, a mantenedora ou seu representante legal deverá dar entrada do mesmo no Protocolo MEC/SEMTEC apresentando: 1. Requerimento assinado pelo Dirigente da Mantenedora ou seu representante legal, solicitando a autorização para a oferta de curso e/ou credenciamento de CET, Portaria Ministerial N 1.647/99. (modelo a seguir) REQUERIMENTO AUTORIZAÇÃO DE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA PORTARIA MINISTERIAL Nº 1647/2001 PARA USO DA SEMTEC/MEC Senhor Ministro da Educação, Em atendimento ao art. 1 da Portaria Ministerial n.º 1647/2001, de 25 de novembro de 1999, O Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico IESST com sede na cidade de Taguatinga - DF mantenedor Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas - FACITEC, representado pelo seu presidente HÉLIO FELIS PALAZZO, vem solicitar o autorização do Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. A Instituição proponente assume o compromisso de atender os requisitos legais e técnicos, bem como os padrões de qualidade da área para o projeto de autorização do curso acima referido, nos termos do art. 2 da Portaria Ministerial n.º 1647/1999. Compromete-se ainda a atender ao disposto na Portaria Ministerial n.º 1.679, de 02 de dezembro de 1999, no que se refere à infra-estrutura necessária aos portadores de necessidades especiais Nesta data, a Instituição requer à SEMTEC a designação de comissão para avaliar as condições iniciais existentes para a oferta do curso proposto. O presente documento é firmado pelo Dirigente da Mantenedora proponente e pelas testemunhas abaixo qualificadas. Taguatinga, 04 de agosto de HÉLIO FELIS PALAZZO Presidente de Ensino Superior Social e Tecnológico IESST Testemunhas: Nome: CPF: Nome: CPF: 2. Original da guia de recolhimento. O recolhimento deverá ser realizado através de depósito em conta-corrente no Banco do Brasil, agência nº , conta nº , tendo como favorecido a Secretaria da Educação Média e Tecnológica (Portaria MEC 445/2000). Indicar, no comprovante de depósito, o código da natureza da solicitação, que no caso de Autorização de Curso de Nível Tecnológico da Educação Profissional deverá ser: e no caso de Credenciamento ou Recredenciamento como Centro de Educação Tecnológica deverá ser: Tecnólogo em Redes de Computadores 4

5 Incluir original da GUIA DE DEPÓSITO IDENTIFICADO de cada curso, nos anexos. 3. Uma cópia impressa do presente formulário, com respectivos anexos. 4. Dois disquetes contendo arquivo com a versão do formulário impresso do item anterior em formato Rich Text Format (RTF); O nome do arquivo deve começar com a sigla ou então, de forma abreviada, com o nome da mantenedora. Em seguida, de forma abreviada, ou a área ou nome do curso. (ex.: UspComercio.rtf ou FaapTuriEcologico.rtf). O arquivo com formulário pode ser obtido no endereço Tramitação do Processo de Autorização de CST / Credenciamento de CET na SEMTEC 1. O Protocolo encaminhará o processo de autorização de curso e/ou credenciamento de centro de educação tecnológica para a CASTEC Área de Supervisão e Avaliação Profissional de Educação Tecnológica. 2. A CASTEC: 2.1. Fará a análise preliminar do processo, observando a documentação apresentada Designará a Comissão Técnica para Avaliação do projeto apresentado. A designação deverá ser acordada entre o Presidente da Comissão de Especialistas da Área Profissional do Curso e a CASTEC. Será enviado um ofício da CASTEC para a Instituição estabelecendo a data de distribuição do processo e o prazo para conclusão da análise técnica O processo será distribuído para a Comissão Técnica, via cópia eletrônica, a qual terá 3(três) meses para conclusão da análise técnica. (incluindo o atendimento das solicitações da Comissão, pela mantida) Caso seja necessária a prorrogação do prazo determinado, a Instituição e/ou a Comissão Técnica deverá encaminhar um ofício para a CASTEC, justificando a prorrogação de tal solicitação. Caberá à CASTEC conceder ou não a prorrogação Após a conclusão dos trabalhos da Comissão Técnica, em caso de recomendação positiva quanto à realização da visita de verificação, o representante da instituição deverá assinar termo de compromisso solicitando a visita da mesma e encaminhá-lo à CASTEC. A CASTEC designará a Comissão Verificadora que será composta pelos membros da Comissão Técnica mais um especialista que representará a CASTEC, bem como agendará a visita de verificação através de comunicação, por meio eletrônico, aos envolvidos. Esta comunicação trará todas as instruções necessárias para a realização da visita Após o agendamento da visita, caberá ao Presidente da Comissão de Verificação: elaborar o Cronograma de Atividades; divulgar o cronograma aos demais membros da comissão; divulgar, por meio eletrônico, o cronograma à instituição mantenedora e mantida responsáveis pelo projeto Concluída a verificação in loco, a Comissão Verificadora terá 30 dias para elaborar o relatório conclusivo e enviar à CASTEC Após receber o relatório final da Comissão Verificadora, a CASTEC preparará relatório final à SEMTEC, com a recomendação de autorizar ou não a oferta do curso. Tecnólogo em Redes de Computadores 5

6 2.8. Em caso de indeferimento do pleito, será expedido uma notificação à Instituição interessada sobre a não autorização do curso, bem como as possíveis sanções previstas nos termos do artigo 35 do Decreto Presidencial 3860/2001. Recebida a notificação, a Instituição interessada poderá apresentar recurso à SEMTEC, observado o prazo de (30)trinta dias contados da expedição da notificação. Na apreciação do recurso anterior, a SEMTEC poderá solicitar a manifestação do CNE sobre a matéria No caso de decisão final favorável, a SEMTEC encaminhará minuta de portaria de autorização de funcionamento do curso ou de credenciamento de Centro de Educação Tecnológica ao Senhor Ministro de Estado da Educação. Preenchimento do Projeto Após a publicação do despacho e da portaria ministerial de autorização do curso, a Instituição deverá dirigir-se à CASTEC para receber cópia da portaria em questão e do projeto final do curso, juntamente com o relatório da CASTEC e o relatório da comissão verificadora. A SEMTEC informará a instituição mantida sobre o encerramento do processo e providências finais. Todas as páginas devem ser numeradas seqüencialmente. A formatação deste formulário não pode ser alterada. As poucas exceções estão observadas no próprio tópico. Existem dois tipos de espaços para preenchimento: Espaço com linha tracejada é para uso exclusivo do MEC. Para uma maior clareza, alguns espaços contam ainda com a legenda Exclusivo do MEC, portanto, não devem ser preenchidos pela instituição; Espaço com linha cheia é para uso da instituição de ensino. Utilizar tamanho de página A4, parágrafo com espaço simples e fonte Arial 12. Não deve haver prejuízo de informações por limitação dos espaços reservados à instituição, porém, seja claro, objetivo e conciso na exposição. Determinados quadros possuem indicativos de limitação quanto ao número de linhas/páginas. Preenchimento dos Anexos Todas as páginas devem ser numeradas seqüencialmente, sendo que devem ser uma continuação da numeração deste formulário. As páginas de documentos ou cópias de documentos podem ser numeradas à mão. Todos os documentos e/ou cópias solicitados devem ser colocados nos anexos e devem seguir a ordem do índice. Legislação que Rege os Cursos Superiores de Tecnologia Constituição Federal Lei Federal No de 24/11/1995 Lei Federal Nº de 20/12/ Arts. 3 o e 4 o dispõem sobre as avaliações periódicas das instituições e dos cursos de nível superior a serem realizadas pelo MEC (avaliação de condições de oferta e exame nacional de cursos (provão)). - Estabelece a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei Federal No de - Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Tecnólogo em Redes de Computadores 6

7 27/04/1999 Educação Ambiental e dá outras providências. Lei Federal Nº de 19/12/2000 Dec. Federal Nº de 17/04/1997 Dec. Federal Nº /07/2001 Dec. MEC Nº de 11/07/2001 Port. MEC Nº 1670-A de 30/11/1994 Port. MEC Nº 971 de 22/08/1997 Port. MEC Nº de 16/07/1999 Port. MEC/SESU Nº de 23/09/1999 Port. MEC Nº de 25/11/1999 Port. MEC Nº de 02/12/1999 Port. MEC/SEMTEC Nº 27 de 02/03/ 2000 Port. MEC/SEMTEC Nº 28 de 02/03/2000 Port. MEC Nº 445 de 31/03/2000 Port. MEC Nº de 20/06/2001 Port. MEC Nº de 12/07/2001 Port. MEC Nº de 12/07/2001 Port. MEC Nº 1945 de 29/08/2001 Res. CNE/CES Nº 02 de 07/04/1998 Res. CNE/CES Nº 03 de 20/07/1998 Parecer CNE/CES Nº 436 de 02/04/ Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção de acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. - Regulamenta o parágrafo 2º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. - Dispõe sobre a organização do ensino superior, a avaliação de cursos e instituições, e dá outras providências. - Acresce dispositivo ao Decreto nº 3.860, de 9 de julho de 2001, que dispõe sobre a organização do ensino superior e a avaliação de cursos e instituições. - Dispõe sobre alterações de disciplinas que compõem os currículos plenos de estabelecimentos isolados de ensino superior, federais e particulares. - Define os procedimentos para o cumprimento do disposto no art. 18, do Decreto nº de 19 de agosto de Define mecanismos de supervisão das condições de acesso aos cursos de graduação do sistema federal de ensino. - Regulamenta o art. 19 da Portaria Ministerial nº 1.120, de 16 de julho de Dispõe sobre o credenciamento de centros de educação tecnológica e a autorização de cursos de nível tecnológico da educação profissional (considerando-se o disposto na Lei Nº /95, na Lei Nº 9.394/96, e no Decreto Nº 2.406/97). - Dispõe sobre requisitos de acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências, para instruir os processos de autorização e de credenciamento de cursos, e de credenciamento de instituições. - Fixa os períodos de março a junho e de agosto a novembro para realização da análise técnica e meritórias dos processos de reconhecimento de cursos de nível tecnológico da educação profissional. - Fixa o período de fevereiro a março para realização técnica e meritória dos processos de credenciamento de centros de educação tecnológica e/ou autorização de novos cursos de nível tecnológico da educação profissional. - Dispõe sobre o recolhimento de taxa para solicitações de credenciamento ou recredenciamento como Centro de Educação Tecnológica ou a autorização ou reconhecimento de cursos de nível superior, como sobre as despesas em decorrência das visitas de verificação. - Os cursos superiores de tecnologia, supervisionados pela SEMTEC, estão excluídos da suspensão constante do art. 1º da Portaria nº 1.098/ Estabelece critérios e procedimentos para o processo de recredenciamento de instituições de educação superior do sistema federal de ensino. - Estabelece procedimentos de autorização de cursos fora de sede por universidades. - Estabelece prazos para a solicitação de reconhecimento e renovação de reconhecimento de cursos superiores. - Estabelece indicadores para comprovar a produção intelectual institucionalizada, para fins de credenciamento, nos termos do Art. 52, inciso I, da Lei 9.394/96 de 20 de dezembro de Dispõe sobre a alteração de turnos de funcionamento de cursos das instituições de educação superior não universitárias. - Disciplina sobre os Cursos Superiores de Tecnologia Formação de tecnólogos. Homologado em 5 de abril de 2001 e publicado em 6 de abril de 2001 no Diário Oficial. Parecer CNE/CEB Nº 17 - Estabelece as diretrizes operacionais para educação profissional em nível Tecnólogo em Redes de Computadores 7

8 de 03/12/1997 Parecer CNE/CES Nº 776 de 03/12/1997 Parecer CNE/CP 95/98 de 02/12/1998 Parecer CNE/CP 98/99 de 06/07/1999 Parecer CNE/CES de 23/11/1999 Port. MEC Nº 64 de 12/01/2001 Parecer CNE/CES 583 de 04/04/2001 Parecer CNE/CES Nº 575 de 04/04/2001 Edital MEC/SESU Nº 04/97 de 10/12/1997 nacional. - Orienta para as diretrizes curriculares dos cursos de graduação. - Regulamenta o processo seletivo para acesso a cursos de graduação de universidades, centros universitários e instituições isoladas de ensino superior. - Regulamenta o processo seletivo para acesso a cursos de graduação de universidades, centros universitários e instituições isoladas de ensino superior. - Estabelece critérios para autorização e reconhecimento de cursos de instituições de ensino superior. - Dispõe sobre os procedimentos para o reconhecimento de cursos/habilitações de nível tecnológico da educação profissional (cursos superiores de tecnologia) e sua renovação no sistema federal de ensino. - Orienta para as diretrizes curriculares dos cursos de graduação. - Consulta sobre carga horária de cursos superiores. - Convoca as instituições de ensino superior a apresentar as novas Diretrizes Curriculares dos cursos superiores. Legislação específica de CET e CEFET Lei Federal Nº de 30/06/1978 Lei Federal Nº de 31/10/1989 Lei Federal Nº de 30/06/1993 Lei Federal Nº de 28/09/1993 Lei Federal Nº de 08/12/1994 Lei Federal Nº de 27/05/1998 Dec. Federal No de 21/06/1992 Dec. Federal Nº de 27/11/1997 Dec. Federal Nº de 17/05/2000 Dec. Federal Nº de 31/01/2001 Port. MEC Nº de 19/12/ Dispõe sobre a transformação das Escolas Técnicas Federais de Minas Gerais, do Paraná, e Celso Suckow da Fonseca, do Rio de Janeiro, em Centros Federais de Educação Tecnológica. - Dispõe sobre a transformação da Escola Técnica Federal do Maranhão em Centro Federal de Educação Tecnológica. - Dispõe sobre a criação de Escolas Técnicas e Agrotécnicas e dá outras providências. Cria a Escola Técnica Federal de Roraima e respectivo quadro de pessoal. - Cria o Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia, nos termos da Lei nº 6.545, de 30 de junho de 1978, por transformação da Escola Federal da Bahia e incorpora o Centro de Educação Tecnológica da Bahia CENTEC. - Dispõe sobre a instituição do Sistema Nacional de Educação Tecnológica e dá outras providências. - Artigo 47: altera o parágrafo 3º da Lei Federal nº 8.948/94. Artigo 66: revoga os arts. 1º, 2º e 9º da Lei Federal nº 8.948/94. - Regulamenta a Lei nº 6.545, de 30 de junho de 1978, e dá outras providências. - Regulamenta a Lei Federal nº (trata de Centros de Educação Tecnológica). - Dá nova redação ao art. 8º do Decreto Federal nº 2.406/97 (trata da autonomia dos Centros Federais de Educação Tecnológica). - Altera a redação do art. 5º do decreto Federal nº 2.406/97, que regulamenta a Lei Federal nº 8.948/94 (trata da autonomia dos Centros de Educação Tecnológica Privados). - Estabelece diretrizes para elaboração do projeto institucional para implantação de novos CEFETs. Tecnólogo em Redes de Computadores 8

9 Legislação do Ensino a Distância Dec. Federal Nº de 10/02/1998 Dec. Federal Nº de 27/04/1998 Portaria MEC Nº 301 de 07/04/ Regulamenta o art. 80 da LDB (Lei nº 9.394/96). - Altera a redação dos arts. 11 e 12 do decreto nº 2.494, de 10 de fevereiro de 1998, que regulamenta o disposto no art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de Normatiza os procedimentos de credenciamento de instituições para a oferta de cursos de graduação e educação profissional tecnológica a distância. DA MANTENEDORA PESSOA FÍSICA Os seguintes documentos ou suas cópias autenticadas deverão estar presentes nos anexos na seqüência abaixo indicada: (nas versões impressa e eletrônica ) Demonstração de experiência e qualificação profissional vinculada à atividade proposta como mantenedora de instituição de ensino. Utilizar o modelo de Currículo (CV) para coordenador e docentes. A documentação comprobatória não precisa ser anexada, porém deverá estar disponível quando da visita da Comissão Verificadora. Os seguintes documentos ou suas cópias autenticadas deverão estar presentes nos anexos na seqüência abaixo indicada: (somente na versão impressa ) Cópia de documento de identidade. Prova de inscrição no Cadastro Geral de Pessoas Físicas (CPF). Prova de domicílio. Documentação relativa à regularidade fiscal: Prova de regularidade com a Fazenda Federal. Prova de regularidade com a Fazenda Estadual. Prova de regularidade com a Fazenda Municipal do seu domicílio. Demonstração de patrimônio e capacidade financeira própria para manter instituições de ensino. Tecnólogo em Redes de Computadores 9

10 DA MANTENEDORA PESSOA JURÍDICA Os seguintes documentos ou suas cópias autenticadas deverão estar presentes nos anexos na seqüência abaixo indicada: (nas versões impressa e eletrônica) Demonstração de experiência e qualificação profissional dos dirigentes, vinculada à atividade proposta. Utilizar o modelo de Currículo (CV) para coordenador e docentes. A documentação comprobatória não precisa ser anexada, porém deverá estar disponível quando da visita da Comissão Verificadora. Os seguintes documentos ou suas cópias autenticadas deverão estar presentes nos anexos na seqüência abaixo indicada: ( somente na versão impressa ) Prova de inscrição no Cadastro Geral de Contribuintes (CGC) ou no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ). Prova de inscrição no cadastro de contribuintes estadual, se houver, relativa à sede da mantenedora, pertinente a seu ramo de atividade. Prova de inscrição no cadastro de contribuintes municipal, se houver, relativa à sede da mantenedora, pertinente a seu ramo de atividade. Prova de regularidade com a Fazenda Federal. Prova de regularidade relativa à Seguridade Social (INSS). Prova de regularidade relativa ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Prova de regularidade com a Fazenda Estadual. Prova de regularidade com a Fazenda Municipal do município da sede da mantenedora, ou outra equivalente na forma da lei. Cópia do registro comercial em caso de empresa individual. Cópia do ato constitutivo: estatuto ou contrato social em vigor devidamente registrado, em se tratando de sociedades comerciais. Cópia dos documentos de eleição de seus administradores (quando for o caso). Cópia do ato constitutivo, no caso de sociedades civis acompanhada de eleição da diretoria. Demonstração de patrimônio e capacidade financeira própria para manter instituições de ensino. Tecnólogo em Redes de Computadores 10

11 DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO Identificação da mantenedora. Nome: INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR SOCIAL E TECNOLÓGICO IESST CNPJ: / End.: CSG 09 LOTES 15/16 Cidade: Taguatinga UF: DF CEP: Fone: (061) / / Fax: (61) Dirigente principal da mantenedora Exclusivo do MEC Comissão Verificadora. Nome: HÉLIO FELIS PALAZZO End.: SMT conjunto 20 casa 15 Cidade: Taguatinga UF: DF CEP: Fone: (61) Fax: (61) Identificação da instituição mantida Exclusivo do MEC Comissão Verificadora. Nome: FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E TECNOLÓGICAS - FACITEC CNPJ: / End.: CSG 09 LOTES 15/16 Cidade: Taguatinga UF: DF CEP: Fone: (061) / / Fax: (61) Exclusivo do MEC Comissão Verificadora. Tecnólogo em Redes de Computadores 11

12 4.4 - Corpo dirigente da instituição mantida Dirigente Principal da Instituição de Ensino Cargo: Nome: Diretor Geral BRÁULIO PEREIRA LINS End.: Quadra 205 Lote 04 Bloco B Apt. 401 Praça Jandaia Cidade: Águas claras UF: DF CEP: Fone: (61) / Fax: (61) Diretor de Ensino Cargo: Nome: Diretor Acadêmico ELAINE BARBOSA SANTANA End.: Quadra 13 Conjunto E Casa 04 Cidade: Sobradinho UF: DF CEP: Fone: (61) / Fax: (61) Dirigente da Unidade de Ensino a Qual Pertence o Curso (No caso de instituição multi campi ou multi unidades) Cargo: Nome: Diretor Acadêmico ELAINE BARBOSA SANTANA End.: Quadra 13 Conjunto E Casa 04 Cidade: Sobradinho UF: DF CEP: Fone: (61) / Fax: (61) Dirigente ao qual está subordinado o Coordenador do Curso Cargo: Nome: Diretor Acadêmico ELAINE BARBOSA SANTANA End.: Quadra 13 Conjunto E Casa 04 Cidade: Sobradinho UF: DF CEP: Fone: (61) / Fax: (61) Tecnólogo em Redes de Computadores 12

13 Exclusivo do MEC Comissão Verificadora Histórico da mantenedora e da instituição mantida. O Mantenedor da Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas - FACITEC é o Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico - IESST com sede no Distrito Federal, na cidade de Taguatinga, situado à QS 05, Rua 312, Lotes 08/12 -CEP: , fones (061) , , , e e site A Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas é uma instituição de ensino superior, Credenciada pela Portaria MEC 292, de DOU Nº 35-E, de , Seção 1, Mantida pelo Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico - IESST, com Estatuto Registrado sob nº PJ 1.370, do Livro ALE, em , Microfilmado sob nº , do Cartório do Núcleo Bandeirante do 1º Ofício de Notas, Registro Civil e Protestos, Títulos e documentos e Pessoas Jurídicas, Av. Central, Área Especial 12, Bloco K, N. Bandeirante - DF, CNPJ nº /0, com sede na QS 05, Rua 312, Lotes 08/12 - Taguatinga - DF DF (061) / / / , Distrito Federal, tem como finalidade precípua disseminar por todos os meios e modalidades, o ensino, a pesquisa e a extensão. O presidente do Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico - IESST é o Administrador HÉLIO FELIS PALAZZO, idealizador do projeto FACITEC, empresário, radicado em Brasília a mais de 20 anos. Possui formação de nível superior, com bacharelado em Administração. A Mantenedora O Mantenedor da Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas - FACITEC é o Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico - IESST com sede no Distrito Federal, na cidade de Taguatinga, situado à QS 05, Rua 312, Lotes 08/12 -CEP: , fones (061) , , , e e site A Mantida A mantida, Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas - FACITEC é uma instituição de ensino superior, com sede na QS 05, Rua 312, Lotes 08/12 - Taguatinga - DF em , (061) / / / e e site A FACITEC foi credenciada pelo Ministério da Educação, através da Portaria MEC Nº 292, de , publicada no Diário Oficial da União Nº 35-E, de , Seção 1, página 72. O atual Diretor Geral da Instituição é o Prof. Bráulio Pereira Lins, Brasileiro, casado, graduado em Administração de empresas pela Universidade Paraíba de Educação, Licenciado em Controle de Qualidade e Organização de Norma pela Universidade Paraíba de Educação e Especialista em Educação Profissional Tecnólogo em Redes de Computadores 13

14 pela Universidade de Oklahoma/EUA. Participou como representante da SEMTEC/MEC no Congresso Técnico da OIT e OEI, sobre Desenvolvimento da Educação Profissional no Mercosul (Chile); atuou ainda como representante da SEMTEC/MEC na Comissão de Tecnologia do Mercosul (Argentina). Em sua carreira profissional atuou como Diretor do Programa do Sistema Federal de Educação Profissional / SEMTEC/MEC; Coordenador de Execução do Programa de Expansão da Educação Profissional PROEP; Diretor do Centro Federal de Educação e Tecnologia da Paraíba - CEFET/PB; Diretor Substituto do PROEP/SEMTEC/MEC e Substituto do Secretário da SEMTEC/MEC. Documentos Jurídicos fiscal da FACITEC DOCUMENTO NÚMERO DATA DE EMISSÃO Cartão de Inscrição no CNPJ / CPF / /07/1999 Certidão de Dívida Ativa da União AFA.AB90.9ABB 26/11/2001 Inscrição estadual/municipal / /05/2000 Certidão Negativa de Débito - INSS Certidão Negativa de Débito - FGTS /11/2001 Estatutos registrados sob o Nº Locação do prédio onde se localiza Unidade I QS 05 rua 312 lotes, 08/12 Taguatinga- DF PJ 1.370, do Livro ALE, do Cartório do Núcleo Bandeirante - 1º Ofício de Notas, Registro Civil e Protestos, Títulos e Documentos e Pessoas Jurídicas. Contrato de locação registrado em Cartório VALIDADE 23/11/2001 Indeterminado Exclusivo do MEC Comissão Verificadora As atividades principais da instituição mantida. A mantida, Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas - FACITEC é uma instituição de ensino superior, desenvolvendo atividades de ensino, pesquisa, extensão, assistência e prestação de serviços Áreas de atuação da instituição mantida. Exclusivo do MEC Comissão Verificadora. Informar quais as áreas profissionais são atendidas por seus cursos (Parecer CNE-CES 436/2001) Comunicação, Construção Civil, Gestão, Informática, Indústria, Telecomunicações, Turismo e hospitalidade. Tecnólogo em Redes de Computadores 14

15 Exclusivo do MEC Comissão Verificadora Descrição de participação do Corpo Docente nas atividades de direção da instituição mantida. A administração da FACITEC é exercida nos seguintes níveis e órgãos: O Conselho Superior - CONSU, órgão superior deliberativo em matéria didático-científica, administrativa, disciplinar e técnico de coordenação e assessoramento superior é constituído pelos seguintes membros: I - Presidente da Mantenedora ou seu representante; II - Diretor-Geral (Presidente do Conselho Superior); III - Diretor Acadêmico (Vice-Presidente do Conselho Superior); IV - Diretor Administrativo e Financeiro - DIRAF; V - Coordenador Geral do Instituto Superior de Educação - ISE; VI - Coordenador do Geral do Centro de Desenvolvimento Tecnológico - CEDTEC; VII - Coordenador Geral de Ciências Jurídicas COJUR; VIII Coordenador de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão - COPEX; IX - Coordenadores de Curso; X - 2 (dois) representantes do corpo docente; XI - 1 (um) representante do corpo discente; XII - 1 (um) representante da comunidade. O Presidente da Mantenedora, Diretor-Geral, Diretor Acadêmico, Diretor de Campus, Diretor Administrativo e Financeiro e Coordenadores Gerais e de curso são membros natos do Conselho Superior. Os representantes docente e discente, serão eleitos pelos seus pares para mandato de 02 (dois) anos, podendo ser reconduzidos. O representante da comunidade terá mandato de 02 (dois) anos. Os membros do Conselho Superior serão designados por Portaria do Diretor-Geral. O Conselho Superior reúne-se ordinariamente no início e no fim de cada semestre letivo em datas previamente estabelecidas no calendário acadêmico e extraordinariamente, sempre que convocado pelo seu presidente ou por requerimento de 2/3 de seus membros, sempre com convocação prévia de 48 (quarenta e oito) horas, mediante edital. O Colegiado de Curso é o órgão responsável pela coordenação didática e a integração de estudos nos cursos oferecidos pela Faculdade. O Colegiado de Curso será constituído de: Tecnólogo em Redes de Computadores 15

16 I. Um presidente, sendo este o Coordenador de Curso. II. Um professor indicado pelo Diretor, dentre os membros da FACITEC. III. Um professor eleito por seus pares, dentre os membros do Departamento da FACITEC. IV. Um representante discente, eleito por seus pares com esta finalidade. Obs: Os representantes mencionados nos incisos III e IV terão mandato de 2 (dois) anos. São atribuições do Colegiado de Curso: I. Estabelecer o perfil profissional e a proposta pedagógica do curso. II. Elaborar o seu regimento interno. III. Elaborar, analisar e avaliar o currículo dos Cursos e suas alterações. IV. Analisar, aprovar e avaliar os planos de ensino das disciplinas dos cursos, propondo alterações quando necessárias. V. Fixar normas quanto à matricula e à integralização dos cursos, respeitando o estabelecido pelo Sistema Federal de Educação. VI. Deliberar sobre os pedidos de prorrogação de prazo para conclusão dos cursos. VII. Deliberar, em grau de recurso, sobre decisões do Presidente do Colegiado de Curso. VIII. Exercer as demais atribuições conferidas por lei e neste Regimento. São atribuições do Presidente do Colegiado de Curso (Coordenador do Curso) a administração e o gerenciamento do curso, conforme deliberações do Colegiado de Curso e do Conselho Superior, orientar e fiscalizar o cumprimento, por parte dos professores do curso, dos Planos de Atividades, dos Planos de Ensino das respectivas disciplinas e dos projetos de pesquisa e extensão. Coordenação de curso Para cada curso ofertado pela FACITEC haverá um Coordenador de Curso, sendo este indicado, ad nutum, pelo Diretor da Faculdade. São atribuições do Coordenador de Curso: I. administrar e o gerenciar o Curso, conforme deliberações do Colegiado de Curso e do Conselho Superior; II. orientar e fiscalizar o cumprimento, por parte dos professores, dos Planos de Atividades, dos Planos de Ensino das respectivas disciplinas e dos projetos de pesquisa e extensão. Exclusivo do MEC Comissão Verificadora. Tecnólogo em Redes de Computadores 16

17 4.9 - Tabela resumo de informações sobre os cursos oferecidos pela instituição mantida CURSO HABILITAÇÃO VAGAS TURNO AUTORIZAÇÃO Administração* Marketing 0 Noturno Portaria 292 de 15/02/01 Administração* Análise de Sistemas Gerenciais 50 Noturno Portaria 292 de 15/02/01 Comunicação Social Jornalismo 40 Noturno Portaria 2983 de 18/12/01 Comunicação Social Jornalismo 40 Matutino Portaria 2983 de 18/12/01 Comunicação Social Pup. Propaganda 40 Noturno Portaria 2983 de 18/12/01 Comunicação Social Pup. Propaganda 40 Matutino Portaria 2983 de 18/12/01 Sistema de Informação 50 Noturno Portaria 1044 de 09/04/02 Direito 40 Matutino Portaria 129 de 12/01/04 Direito 40 Noturno Parecer CES/CNE 080/2005 Normal Superior Mag. Ensino Fundamental 50 Matutino Portaria 2720 de 03/09/04 Normal Superior Mag. Ensino Fundamental 50 Noturno Portaria 2720 de 03/09/04 Turismo 50 Noturno Portaria 2719 de 03/09/04 * O curso de Administração e respectivas habilitação são reconhecidos conforme Portaria MEC 4375 de 29/12/2004, D.O.U. 31/12/2004 NOME DO CURSO Nº de Vagas Candidatos Vagas CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL TÉCNICO AUTORIZADOS Nº de Turmas Total Alunos Conceito ENC CURSOS SUPERIORES DE GRADUAÇÃO AUTORIZADOS Comunicação Social em Jornalismo 40 2, Comunicação Social em Publicidade e Propaganda 40 2, Sistemas de Informação 50 7, Direito 80 14, Pedagogia 100 2, Turismo 50 3, CURSOS SUPERIORES DE GRADUAÇÃO RECONHECIDOS Administração em Análise de Sistemas Gerenciais 50 5, Administração em Marketing 50 3, Nome do curso CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO CREDENCIADOS Nº de Vagas Cand. Vagas Nº de Turmas Tot. de Alunos Avaliação CAPES Administração em gestão pública Ainda não avaliado pela CAPES Administração em gestão estratégica Ainda não avaliado pela CAPES Direito Civil Ainda não avaliado pela CAPES Tecnólogo em Redes de Computadores 17

18 Matemática e Estatística 40 0, Ainda não avaliado pela CAPES Desenvolvimento Humano em Situação de Risco Psicossocial Ainda não avaliado pela CAPES Redes e Segurança da Informação Ainda não avaliado pela CAPES O primeiro processo seletivo para os cursos de Pós-Graduação lato sensu da FACITEC encontram-se com inscrições abertas até o dia 05 de novembro de LEGENDA Nº de Vagas Número de vagas para ingresso no curso. Candidatos Vagas Número de candidatos por vaga no último processo seletivo. Nº de Turmas Número de turmas de todo o curso Total Alunos Número total de alunos de todo o curso Conceito ENC Conceito obtido no Exame Nacional de Cursos. (Quando houver) Exclusivo do MEC Comissão Verificadora Detalhamento dos cursos oferecidos pela mantida Nome do Curso Administração em Análise de Sistemas Gerenciais Nível Status Regime de Matricula Periodicidade Letiva Graduação Reconhecido Seriado Semestral Período Turma Nº de alunos Período Turma Nº de alunos Período Turma Nº de alunos 1º sem. A 45 2º sem. A 32 3º sem. A 16 4º sem. A 32 5º sem. A 19 6º sem. A 14 7º sem. A 18 8º sem. A 14 Nível Status LEGENDA se é Técnico, Graduação ou Pós-graduação (Especialização, Mestrado e Doutorado). se o curso está Autorizado, em Processo de Reconhecimento ou Reconhecido. Matricula por Crédito ou seriado ou módulo ou... Periodicidade Letiva se é Anual, Semestral, Quadrimestral, Trimestral, Bimestral, etc. Exclusivo do MEC Comissão Verificadora. Nome do Curso Administração em Marketing Tecnólogo em Redes de Computadores 18

19 Nível Status Regime de Matricula Periodicidade Letiva Graduação Reconhecido Seriado Semestral Período Turma Nº de alunos Período Turma Nº de alunos Período Turma Nº de alunos 1º sem. A 48 2º sem. A 46 3º sem. A 31 4º sem. A 35 5º sem. A 39 6º sem. A 17 7º sem. A 10 8º sem. A 10 LEGENDA Nível se é Técnico, Graduação ou Pós-graduação (Especialização, Mestrado e Doutorado). Status se o curso está Autorizado, em Processo de Reconhecimento ou Reconhecido. Matricula por Crédito ou seriado ou módulo ou... Periodicidade Letiva se é Anual, Semestral, Quadrimestral, Trimestral, Bimestral, etc. Exclusivo do MEC Comissão Verificadora. Nome do Curso Comunicação Social em Jornalismo (NOTURNO) Nível Status Regime de Matricula Periodicidade Letiva Graduação Reconhecido Seriado Semestral Período Turma Nº de alunos Período Turma Nº de alunos Período Turma Nº de alunos 1º sem. A 24 2º sem. A 22 3º sem. A 14 4º sem. A 31 5º sem. A 0 6º sem. A 24 7º sem. A 12 8º sem. A 20 LEGENDA Nível se é Técnico, Graduação ou Pós-graduação (Especialização, Mestrado e Doutorado). Status se o curso está Autorizado, em Processo de Reconhecimento ou Reconhecido. Matricula por Crédito ou seriado ou módulo ou... Periodicidade Letiva se é Anual, Semestral, Quadrimestral, Trimestral, Bimestral, etc. Exclusivo do MEC Comissão Verificadora. Nome do Curso Comunicação Social em Jornalismo (MATUTINO) Nível Status Regime de Matricula Periodicidade Letiva Tecnólogo em Redes de Computadores 19

20 Graduação Reconhecido Seriado Semestral Período Turma Nº de alunos Período Turma Nº de alunos Período Turma Nº de alunos 1º sem. A 43 2º sem. A 38 3º sem. A 22 4º sem. A 31 5º sem. A 17 6º sem. A 15 LEGENDA Nível se é Técnico, Graduação ou Pós-graduação (Especialização, Mestrado e Doutorado). Status se o curso está Autorizado, em Processo de Reconhecimento ou Reconhecido. Matricula por Crédito ou seriado ou módulo ou... Periodicidade Letiva se é Anual, Semestral, Quadrimestral, Trimestral, Bimestral, etc. Exclusivo do MEC Comissão Verificadora. Tecnólogo em Redes de Computadores 20

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul EDITAL Nº 031/2015 PROCESSO CLASSIFICATÓRIO DE AFASTAMENTO DE SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UNIDADE ORGANIZACIONAL CAMPUS BENTO GONÇALVES DO IFRS O Diretor-Geral da Unidade Organizacional

Leia mais

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 RESOLUÇÃO Nº.06/2008 Dispõe sobre a Normatização do Programa. de Cursos de Pós-Graduação Lato

Leia mais

23000.[_][_][_][_][_][_]/200[_]-[_][_]

23000.[_][_][_][_][_][_]/200[_]-[_][_] Número do Processo: 23000.[_][_][_][_][_][_]/200[_]-[_][_] Para uso exclusivo do MEC. NOME DA MANTENEDORA NOME DA MANTIDA CENTRO DE ENSINO SUPERIOR INAP LTDA. FACULDADE TECNOLÓGICA INAP FAT INAP Solicita

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve: >PORTARIA Nº 2.051, DE 9 DE JULHO DE 2004 Regulamenta os procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004.

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Art. 1º - O programa de Iniciação Científica da

Leia mais

23000.[0][0][4][7][2][8]/200[4]-[4][8]

23000.[0][0][4][7][2][8]/200[4]-[4][8] Número do Processo: 23000.[0][0][4][7][2][8]/200[4]-[4][8] Para uso exclusivo do MEC. NOME DA MANTENEDORA NOME DA MANTIDA Ministério da Educação Centro Federal de Educação Tecnológica de Pernambuco CEFET-

Leia mais

Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo e dá outras providências.

Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo e dá outras providências. RESOLUÇÃO CoCEx nº 6667, de 19 de dezembro de 2013. (D.O.E. 21.12.13) (Protocolado 11.5.2443.1.5). Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU R E G I M E N T O G E R A L PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Regimento Geral PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Este texto foi elaborado com as contribuições de um colegiado de representantes da Unidades Técnico-científicas,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO Av. Professor Mario Werneck, nº 2590,

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. Resolução nº 01/2010

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. Resolução nº 01/2010 CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Resolução nº 01/2010 Regulamenta a pós-graduação lato sensu nas modalidades semipresencial e à distância O Diretor do Centro de Educação

Leia mais

REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO " LATO SENSU"

REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO  LATO SENSU UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ REITORIA ACADÊMICA ASSESSORIA DE PÓS GRADUAÇÃO E PESQUISA REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO " LATO SENSU" CAPÍTULO I DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS Art. 1º A

Leia mais

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando:

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando: Resolução Nº. 024/2010/CONSEPE/ Regulamento de Estágio Supervisionado O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, credenciada pela Portaria MEC

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 05 - CONSU 13 DE JUNHO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº. 05 - CONSU 13 DE JUNHO DE 2007 Rua Governador Luiz Cavalcante, S/N, TELEFAX (82) 3530-3382 CEP: 57312-270 Arapiraca-Alagoas RESOLUÇÃO Nº. 05 - CONSU 13 DE JUNHO DE 2007 Dispõe sobre normas e procedimentos para os Cursos de Especialização

Leia mais

EDITAL Nº 100/2015 Referente ao Aviso Nº 066/2015, publicado no D.O.E. de 22.08.2015

EDITAL Nº 100/2015 Referente ao Aviso Nº 066/2015, publicado no D.O.E. de 22.08.2015 EDITAL Nº 100/2015 Referente ao Aviso Nº 066/2015, publicado no D.O.E. de 22.08.2015 O Reitor da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), no uso de suas atribuições legais e regimentais, torna público,

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

Salvador, Bahia Quarta-feira 16 de Abril de 2014 Ano XCVIII N o 21.405 EDITAL Nº 034/2014

Salvador, Bahia Quarta-feira 16 de Abril de 2014 Ano XCVIII N o 21.405 EDITAL Nº 034/2014 Salvador, Bahia Quarta-feira 16 de Abril de 2014 Ano XCVIII N o 21.405 EDITAL Nº 034/2014 O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB), no uso de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE tornar

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ 2008 CAPÍTULO I DA CONCEPÇÃO E FINALIDADE Art. 1º. Respeitada a legislação vigente, as normas específicas aplicáveis a cada curso e, em

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO APRESENTAÇÃO Dispõe sobre as normas para realização de Estágio Supervisionado pelos acadêmicos da Faculdade de Belém FABEL. O presente regulamento normatiza o Estágio

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização PÓS-GRADUAÇÃO O Programa de Pós Graduação Lato Sensu da FAEC foi aprovado pela Resolução do CAS, ATA 001/08, de 12 de março de 2008 e será implantado a partir do primeiro semestre de 2010, após aprovação

Leia mais

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 CONSUC Parecer 12/2008 Aprovado em 02/12/2008 RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno O DIRETOR GERAL DA FACULDADE DAS AMÉRICAS,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 110/10. Fixa as normas para os cursos de especialização e aperfeiçoamento do IFPR. O CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, e,

Leia mais

RESOLUÇÃO CONEPE Nº 001/2015

RESOLUÇÃO CONEPE Nº 001/2015 RESOLUÇÃO CONEPE Nº 001/2015 Estabelece regras para o funcionamento dos cursos de pós-graduação lato sensu da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Uergs. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica

O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica Francisco Aparecido Cordão Conselheiro da Câmara de Educação Básica do CNE facordao@uol.com.br 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior. ASSUNTO: Diretrizes para a elaboração, pelo INEP,

Leia mais

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário. ATO ADMINISTRATIVO REITORIA Nº 45/2015 Aprova o Edital do Processo Seletivo do Programa de Integralização de Créditos para a Conclusão do Curso Superior de Teologia Vestibular 1º semestre de 2016 O REITOR

Leia mais

RESOLVE: CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS. Os objetivos gerais da EAD na Universidade Federal do Paraná (UFPR) são:

RESOLVE: CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS. Os objetivos gerais da EAD na Universidade Federal do Paraná (UFPR) são: RESOLUÇÃO Nº 28/08-CEPE Fixa normas básicas de controle e registro da atividade acadêmica dos Cursos de Aperfeiçoamento e Especialização na modalidade de Educação a Distância da Universidade Federal do

Leia mais

Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP

Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP 1.INTRODUÇAO...... 3 2.ONDE CONSEGUIR INFORMAÇÔES?... 4 Normas USP... 4 Site EACH...4 Sistema de atendimento da Comissão de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA FACULDADE DE MATEMÁTICA, CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES, UFPA.

Leia mais

PDI 2012-2016 Implementação da Instituição e Organização Acadêmica

PDI 2012-2016 Implementação da Instituição e Organização Acadêmica PDI 2012-2016 Implementação da Instituição e Organização Acadêmica Pró-Reitoria de Ensino do IFG Gilda Guimarães Dulcinéia de Castro Santana Goiânia_ 2012/1 1- PARÂMETROS LEGAIS LEI Nº 11.892, DE 29 DE

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 FACULDADE MAURICIO DE NASSAU DE BELÉM MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL CREDENCIAMENTO: PORTARIA Nº 571, DE 13 DE MAIO DE, DOU 16 DE MAIO DE SEÇÃO I EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 O Diretor da Faculdade

Leia mais

N o DE VAGAS PREVISTO* I Salvador Inglês 15 Francês 01 Espanhol 05 Italiano 02 V Santo Antônio de Jesus Inglês 06 Espanhol 01

N o DE VAGAS PREVISTO* I Salvador Inglês 15 Francês 01 Espanhol 05 Italiano 02 V Santo Antônio de Jesus Inglês 06 Espanhol 01 EDITAL UNEB Nº 051/2015 O Reitor da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), no uso de suas atribuições legais e regimentais, torna público, a abertura das inscrições para Seleção Pública Simplificada para

Leia mais

ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Fixa normas para o funcionamento das Atividades Complementares para o curso de Administração da Universidade Federal de Mato Grosso, campus Rondonópolis/Mato

Leia mais

AUTORIZAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO

AUTORIZAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICA DO ENSINO SUPERIOR - DEPES COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

FACULDADE JOAQUIM NABUCO-UNIDADE RECIFE MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1

FACULDADE JOAQUIM NABUCO-UNIDADE RECIFE MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 FACULDADE JOAQUIM NABUCO-UNIDADE RECIFE MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 Credenciamento - Ato autorizativo Portaria Nº 998 de 22/10/2007, publicada no DOU em 23/10/2007

Leia mais

ROTEIRO PARA MONTAGEM DE CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO

ROTEIRO PARA MONTAGEM DE CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS ASSESSORIA DE PÓS GRADUAÇÃO E PESQUISA ROTEIRO PARA MONTAGEM DE CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO i:\latosens\rot_esp.doc Pelotas, março de 1996 PROCEDIMENTOS

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO CURRICULAR

NORMAS DO ESTÁGIO CURRICULAR ANEXO C UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE COMISSÃO COORDENADORA DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Fone: (31) 3899-2526. E-mail: cobio@ufv.br NORMAS DO ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

EDITAL Nº 04/2013 1 DAS VAGAS

EDITAL Nº 04/2013 1 DAS VAGAS EDITAL Nº 04/2013 A UNIVERSIDADE CEUMA, nos termos deste edital, torna público que, no período de 12/07/2013 a 29/07/2013, das 14:00h às 20:00h estarão abertas às inscrições do processo de seleção para

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/6/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/6/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/6/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: UF Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia

Leia mais

EDITAL N o EXPANSÃO DA REDE DO MESTRADO PROFISSIONAL EM HISTÓRIA PROFHISTÓRIA CHAMADA A PROPOSTAS DE ADESÃO

EDITAL N o EXPANSÃO DA REDE DO MESTRADO PROFISSIONAL EM HISTÓRIA PROFHISTÓRIA CHAMADA A PROPOSTAS DE ADESÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM HISTÓRIA EDITAL N o EXPANSÃO DA REDE DO MESTRADO PROFISSIONAL EM HISTÓRIA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*)

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Curso de Especialização em Gestão e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO I DOS OBJETIVOS E DA ESTRUTURAÇÃO GERAL DO MESTRADO Art.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 052/2014, DE 12 DE AGOSTO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 052/2014, DE 12 DE AGOSTO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Rua Ciomara Amaral de Paula, 167 Bairro Medicina 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone: (35)

Leia mais

CRIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO

CRIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D A B A H I A P r ó - R e i t o r i a d e E n s i n o d e G r a d u a ç ã o Palácio da Reitoria - Rua Augusto Viana s/n - Canela - 40.110-060 - Salvador Bahia E-mails:

Leia mais

RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001.

RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001. RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001. Aprova o Manual para Credenciamento de Cursos com finalidade de Concessão do Título de Especialista e respectivo registro. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA,

Leia mais

Regimento do Mestrado Profissional em Matemeatica em Rede Nacional

Regimento do Mestrado Profissional em Matemeatica em Rede Nacional Regimento do Mestrado Profissional em Matemeatica em Rede Nacional Capítulo I Objetivos Artigo 1º - O Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT) tem como objetivo proporcionar formação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO Sumário TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 CAPÍTULO I Da Caracterização do Curso... 3 CAPÍTULO

Leia mais

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 1. Quais são os tipos de instituições de ensino superior? De acordo com sua organização acadêmica, as instituições de ensino

Leia mais

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO TÍTULO I - APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 1 TÍTULO II - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 45ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de setembro de 2013, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

O Presidente do Conselho Superior de Acadêmico (CONSEA) da Fundação Universidade

O Presidente do Conselho Superior de Acadêmico (CONSEA) da Fundação Universidade Resolução nº 200/CONSEA, de 19 de fevereiro de 2009. Altera normas para o oferecimento de cursos de pós-graduação Stricto Sensu e lato sensu, pelos Departamentos da Fundação Universidade Federal de Rondônia

Leia mais

REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (Regimento aprovado pelo Conselho Deliberativo da Fiocruz em 28/08/2008) 1. Dos Objetivos 1.1. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) oferece programas de pós-graduação

Leia mais

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 METAS AÇÕES PRAZOS Expansão do número de vagas do curso de Engenharia de Produção. SITUAÇÃO MARÇO DE 2015 AVALIAÇÃO PROCEDIDA EM 12.03.2015 CPA E DIRETORIA

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD A política de Educação a Distância EAD está claramente expressa em diversos documentos e regulamentos internos da instituição Regulamento do NEAD Os

Leia mais

PORTARIA Nº. 14/REITORIA/10, de 5 de julho de 2010 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

PORTARIA Nº. 14/REITORIA/10, de 5 de julho de 2010 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO PORTARIA Nº. 14/REITORIA/10, de 5 de julho de 2010 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Institui e estabelece critérios para o Aproveitamento de Estudos e Verificação de Proficiência para fins de certificação

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES CAPÍTULO I

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES CAPÍTULO I REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES Dispõe sobre o Acompanhamento e Orientação do Estágio do Curso Superior de

Leia mais

REGULAMENTO DA AGÊNCIA EXPERIMENTAL DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA AGÊNCIA BARU. Título I Do objeto

REGULAMENTO DA AGÊNCIA EXPERIMENTAL DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA AGÊNCIA BARU. Título I Do objeto REGULAMENTO DA AGÊNCIA EXPERIMENTAL DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA AGÊNCIA BARU Título I Do objeto Art. 1º. A Agência Experimental é um laboratório vinculado ao Curso de Comunicação Social - com habilitação

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO Câmara da Educação Superior e Profissional

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO Câmara da Educação Superior e Profissional INTERESSADA: Universidade Aberta do Nordeste EMENTA: Recredencia a Universidade Aberta do Nordeste como instituição de educação profissional de nível técnico na modalidade a distância e renova o reconhecimento

Leia mais

PROFIAP Regulamento do Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional

PROFIAP Regulamento do Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional 1 PROFIAP Regulamento do Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional Capítulo I Objetivos Artigo 1º - O Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional (PROFIAP) tem

Leia mais

Perguntas Frequentes. Quem é o aluno da UFPI?

Perguntas Frequentes. Quem é o aluno da UFPI? Perguntas Frequentes Quem é o aluno da UFPI? É o indivíduo que está regularmente matriculado em uma disciplina ou curso ou, ainda, que já ingressou na UFPI, embora não esteja cursando nenhuma disciplina

Leia mais

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DA UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DA UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA POLÍTICA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DA UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA Capítulo I Do Regulamento Art. 1º. O presente Regulamento define e regula a Política de Formação e Desenvolvimento

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná.

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. RESOLUÇÃO CONSEPE 14/2006 Referenda a aprovação do Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS: Habilitações: Língua Portuguesa e respectivas Literaturas Língua Espanhola e respectivas

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CAPÍTULO I

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CAPÍTULO I REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING Dispõe sobre o Acompanhamento e Orientação do Estágio do Curso Superior de Tecnologia em Marketing da Faculdade de Castanhal.

Leia mais

Proposta de Resolução Ementa:

Proposta de Resolução Ementa: Proposta de Resolução Ementa: Dispõe sobre a regulamentação de Título de Especialista e de Especialista Profissional Farmacêutico e sobre normas e procedimentos para seu registro O Conselho Federal de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 47. Portaria n 890, publicada no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 47. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Manual do Candidato PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2013 CURSOS:

Manual do Candidato PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2013 CURSOS: Manual do Candidato PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2013 CURSOS: Bacharelado em Sistemas de Informação (Reconhecido pela Portaria MEC nº 315 D.O.U. 31/12/2012) Bacharelado em Administração de Empresas (Reconhecido

Leia mais

Edital de Aproveitamento de Estudos e Diplomas de Curso Normal Superior e Pedagogia com habilitação em Supervisão e Orientação

Edital de Aproveitamento de Estudos e Diplomas de Curso Normal Superior e Pedagogia com habilitação em Supervisão e Orientação EDITAL n. 06.2012 - FAEL- EAD, 30 de maio de 2012 Edital de Aproveitamento de Estudos e Diplomas de Curso Normal Superior e Pedagogia com habilitação em Supervisão e Orientação A Faculdade Educacional

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 32/2011

RESOLUÇÃO Nº 32/2011 RESOLUÇÃO Nº 32/2011 Regulamenta a Pós-Graduação Lato Sensu da O, da Universidade Federal de Juiz de Fora, no exercício de suas atribuições e tendo em vista o que consta do Processo 23071.014937/2010-12

Leia mais

EDITAL N.º 001/2014 PROCESSO SELETIVO 1º SEMESTRE DE 2014

EDITAL N.º 001/2014 PROCESSO SELETIVO 1º SEMESTRE DE 2014 EDITAL N.º 001/2014 PROCESSO SELETIVO 1º SEMESTRE DE 2014 A Diretora Maria Aparecida Pinto, Diretora da Faculdade de São Lourenço, no uso de suas atribuições, torna público que, no período de 02 de setembro

Leia mais

CAPÍTULO I Das definições preliminares, das e dos objetivos.

CAPÍTULO I Das definições preliminares, das e dos objetivos. Resolução n.º 03/2010 Regulamenta os Cursos de Pós-Graduação da Faculdade Campo Real. O CONSU Conselho Superior, por meio do Diretor Geral da Faculdade Campo Real, mantida pela UB Campo Real Educacional

Leia mais

Faculdade Maurício de Nassau

Faculdade Maurício de Nassau Faculdade Maurício de Nassau EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 A Direção da Faculdade Maurício de Nassau de Manaus no uso de suas atribuições e com base nas disposições regimentais, no Dec. 99.490/90,

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Em conformidade com a Resolução CNE/CES n 1, de 08 de Junho de 2007 e o Regimento da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Aprovado pelo Parecer CONSEPE

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relacionadas ao Estágio Curricular do Curso de Administração

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - O presente Regimento Interno regulamenta a organização e o funcionamento do

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC 1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC O PPC, Projeto Pedagógico de Curso, é o instrumento de concepção de ensino e aprendizagem de um curso e apresenta características de um projeto, no qual devem ser definidos

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE Art. 1º. O objetivo das Atividades Complementares é fomentar complementação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº. 10/2015 Criar e aprovar o Curso de Pós-Graduação MBA em Gestão Empreendedora

Leia mais

EDITAL Nº 072/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

EDITAL Nº 072/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EDITAL Nº 072/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU A Diretoria de Pós-graduação e Extensão do Centro Universitário Senac, no uso de suas atribuições, torna pública

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS PRINCÍPIOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS PRINCÍPIOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS PRINCÍPIOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ARTIGO 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) tem os seguintes princípios: 1.1 Consolidar o ISEAT na

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2006

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2006 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2006 Regulamenta os Cursos de Pósgraduação lato sensu na Universidade de Taubaté. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº PRPPG-036/2006, aprovou e eu

Leia mais

Nome do curso: Pedagogia

Nome do curso: Pedagogia Nome do curso: Pedagogia MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Artigo 1º - O ESTÁGIO SUPERVISIONADO, previsto na Lei nº 9394/96 de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 20 de dezembro de 1996, visa a complementar

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

3. Cronograma. Encaminhamento da solicitação de apoio, formatada conforme Roteiro de elaboração de projetos estabelecido no Anexo I.

3. Cronograma. Encaminhamento da solicitação de apoio, formatada conforme Roteiro de elaboração de projetos estabelecido no Anexo I. PROPOSTA DE EDITAL O Instituto de Compromisso com o Desenvolvimento Humano, fundado aos 09 (nove) dias do mês de Maio de 2007, tendo como objetivo promover o desenvolvimento humano em diversos âmbitos,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Norma para realização dos Cursos de Extensão Universitária (Especialização, Aperfeiçoamento, Atualização e Difusão) no âmbito da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo - EEUSP (Aprovada na 348ª

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS SESP USF SUBPROGRAMA INCUBADORA DOS DIREITOS SOCIAIS PATRONATO. E D I T A L nº 01/2015 PATRONATO

PROGRAMA UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS SESP USF SUBPROGRAMA INCUBADORA DOS DIREITOS SOCIAIS PATRONATO. E D I T A L nº 01/2015 PATRONATO 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ Campus de Foz do Iguaçu Av. Tarquínio Joslin dos Santos - Polo Universitário, 1.300 - Caixa Postal, 961 Fone: ( 045 ) 3576-8100 - Fax: ( 045 ) 3575 2733 - CEP

Leia mais

Instrução Normativa xx de... 2014.

Instrução Normativa xx de... 2014. REGULAMENTO PARA AFASTAMENTO DE SERVIDORES DOCENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL PARA CAPACITAÇÃO EM PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU E PÓS-DOUTORADO

Leia mais

EDITAL 03/2014 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

EDITAL 03/2014 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA EDITAL 03/2014 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA A Faculdade Católica Dom Orione, Araguaína TO, informa aos interessados que estão abertas as inscrições para o Curso de Especialização em EDUCAÇÃO

Leia mais

PROFMAT - Programa de Mestrado Profissional em Matemática. Regimento. Coordenação do ensino de matemática nas escolas;

PROFMAT - Programa de Mestrado Profissional em Matemática. Regimento. Coordenação do ensino de matemática nas escolas; Capítulo I Objetivos Regimento Artigo 1º - O Objetivo do Programa de Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional é proporcionar ao aluno formação matemática aprofundada, relevante ao exercício

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO DE MARKETING 1º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO DE MARKETING 1º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO DE MARKETING 1º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para inscrição

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Seleção de Bolsista Tutor para os Cursos de Especialização em Educação Especial

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Seleção de Bolsista Tutor para os Cursos de Especialização em Educação Especial UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Seleção de Bolsista Tutor para os Cursos de Especialização em Educação Especial A Reitora da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO,

Leia mais

DECRETO Nº 3.860, DE 9 DE JULHO DE 2001

DECRETO Nº 3.860, DE 9 DE JULHO DE 2001 DECRETO Nº 3.860, DE 9 DE JULHO DE 2001 Dispõe sobre a organização do ensino superior, a avaliação de cursos e instituições, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Economia

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Economia EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO 2º/2015 Coordenador: Prof. Dr. Antônio Corrêa de Lacerda Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Regina Maria d Aquino Fonseca Gadelha Estarão abertas, no período de 01/04/2015 a

Leia mais

FACULDADE DO SUL DA BAHIA ATO PROCESSO SELETIVO 2009/2 EDITAL Nº 2 I DOS CURSOS OFERECIDOS, DURAÇÃO, ATOS LEGAIS E DAS VAGAS:

FACULDADE DO SUL DA BAHIA ATO PROCESSO SELETIVO 2009/2 EDITAL Nº 2 I DOS CURSOS OFERECIDOS, DURAÇÃO, ATOS LEGAIS E DAS VAGAS: FACULDADE DO SUL DA BAHIA ATO PROCESSO SELETIVO 2009/2 EDITAL Nº 2 A FACULDADE DO SUL DA BAHIA, credenciada pela Portaria Ministerial nº 944, de 17/05/2001 publicada no DOU em 21/05/2001 e o INSTITUTO

Leia mais

EDITAL DE COMPOSIÇÃO DO COMITÊ GESTOR DO PROGRAMA MUNICIPAL DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS

EDITAL DE COMPOSIÇÃO DO COMITÊ GESTOR DO PROGRAMA MUNICIPAL DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS EDITAL DE COMPOSIÇÃO DO COMITÊ GESTOR DO PROGRAMA MUNICIPAL DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS A Secretaria Municipal de Agricultura, Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente convida os Órgãos Públicos

Leia mais

Manual do Candidato da Graduação. Processos Seletivos

Manual do Candidato da Graduação. Processos Seletivos 1 ESCOLA SUPERIOR NACIONAL DE SEGUROS Manual do Candidato da Graduação Processos Seletivos Rua Senador Dantas, 74 Térreo; 2º e 3º andares Centro Rio de Janeiro RJ Tel. 33801044 33801046 33801535 2 A Escola

Leia mais