Proposta para Grupo de Trabalho. GT-IEAD: Grupo de Trabalho em Infra-estrutura para Ensino a Distância

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Proposta para Grupo de Trabalho. GT-IEAD: Grupo de Trabalho em Infra-estrutura para Ensino a Distância"

Transcrição

1 Proposta para Grupo de Trabalho GT-IEAD: Grupo de Trabalho em Infra-estrutura para Ensino a Distância Valter Roesler 18/09/2006

2 1. Título GT-IEAD: Grupo de Trabalho em Infra-estrutura para Ensino a Distância 2. Coordenador Valter Roesler UFRGS Universidade Federal do Rio Grande do Sul Porto Alegre, RS. Av. Bento Gonçalves, 9500, bloco IV, prédio 73, sala 233. Bairro Agronomia, CEP Fones: (51) , (51) Resumo O objetivo geral deste projeto é a criação de um ambiente completo em software e hardware para transmissão multimídia interativa em alta qualidade entre instituições ligadas à rede da RNP. Como meta específica pretende-se, ao final do projeto, deixar o sistema funcional 24h/7dias para cinco instituições parceiras. O produto oferecido é inovador, visto que não existe ainda hoje no mercado um sistema flexível utilizando características de TV interativa com qualidade broadcast, podendo ser associado com videoconferência de alta qualidade. O diferencial desse sistema em relação aos existentes atualmente se dá através dos seguintes três pilares: 1) alta qualidade, semelhante à vista em DVDs; 2) transmissão em multicast, permitindo milhares de participantes simultaneamente; 3) baixo custo de equipamentos receptores com capacidade de interação. Uma das vantagens do projeto é o baixo custo envolvido para as instituições, visto que o software será disponibilizado sob o conceito de software livre, e o hardware será desenvolvido utilizando uma abordagem de sistemas embarcados de baixo consumo e custo, reduzindo assim de forma global os custos das instituições usuárias da RNP. 4. Parcerias A fim de aumentar a capacitação do grupo de trabalho, firmou-se uma parceria ampla entre institutos de pesquisa e empresas da área. Os parceiros ligados ao projeto estão identificados na figura a seguir, e são: INMETRO, Instituto de Informática da UFRGS, Centro Universitário LaSalle, Centro Universitário Univates, CSP Controle e Automação ltda, E-Trust e PD3. 2

3 Figura 1: Parceiros do projeto. O projeto será desenvolvido nos laboratórios de redes de computadores do Instituto de Informática da UFRGS, possuindo núcleos no Unilasalle e Univates. O Inmetro será o parceiro validador da solução, através da implantação de um Centro Internacional de Capacitação em Metrologia e Avaliação da Conformidade. Esta decisão se justifica, pois a instituição já possui, em suas instalações, um estúdio completo de geração de material de áudio e vídeo, incluindo quatro câmeras de alta definição, microfones tecnologia dolby, uma mesa de edição, mixer de áudio, microfones sem fio de mão e de lapela, VT para gravação, VT para reprodução, distribuidores de vídeo SDI, conversores de vídeo VGA - vídeo composto/componente, matriz de áudio analógico, matriz de vídeo SDI, amplificadores de áudio, caixas acústicas, codificadores de vídeo, storage para armazenamento de vídeos, projetores de vídeo, telões, iluminação com refletores abertos, gerador de caracteres, auditório para 70 pessoas, entre outros. O valor estimado aproximado desse espaço é de R$ ,00. Esta condição contribui positivamente para o projeto, pois garante já a possibilidade de uso de pelo menos um ambiente de geração de conteúdo com alta qualidade, características similares às encontradas em estúdios de TV profissionais. A CSP vem investindo em pesquisas inovadoras na área de videoconferência, monitoramento de vídeo, segurança de trânsito, monitoramento de veículos, e outras áreas afins com o projeto. Seu interesse no projeto é bastante consistente, visto que o foco do projeto se encaixa exatamente na sua linha de atuação comercial. A PD3 possui soluções de software embarcado afins com o projeto em questão, como voz e vídeo sobre IP, podendo se beneficiar e contribuir para o projeto nessa área. Sua experiência com implementação de modens ADSL será de grande valia para a definição da plataforma de hardware do projeto. A parte de criptografia e autenticação de dados, importante após a confecção do primeiro protótipo, após os primeiros 6 meses de projeto, será apoiada integralmente pela e-trust, que possui competência comprovada na área. 3

4 5. Duração do projeto 12 meses. 6. Sumário executivo De forma geral, o projeto é dividido em duas entidades principais: Gerentes e Clientes, que se comunicam através de uma rede de computadores (rede RNP). O Gerente é composto pelo Gerente Visualizador (Suíte) e Gerente Monitor. O Cliente está dividido em Cliente Participante e Cliente Apresentador. A Figura 2 apresenta uma idéia geral do sistema. Figura 2: interoperação entre as entidades Cliente e Gerente. No caso, existem três Clientes Apresentadores (Porto Alegre, Belo Horizonte e São Paulo). A Suíte está combinando tais fluxos através da mesa de edição e enviando o fluxo em multicast (Multicast Principal) para os Clientes Participantes. A figura ainda mostra o Gerente Monitor, para controle de perguntas. O Gerente Visualizador (ou Suíte), cuja interface preliminar com o usuário pode ser vista na Figura 3, mostra a lista de apresentadores e participantes, definindo quem vai "ao ar" e em que momento isso vai acontecer. Essa entidade é análoga ao coordenador da mesa de corte (switch) num estúdio de televisão, ou seja, é responsável por avisar a determinado apresentador (através de uma comunicação via chat ou voz) o momento que o mesmo vai entrar no ar. Além disso, permite conjugar os diferentes sinais (vídeo dos apresentadores) em uma tela única, com divisão da tela em até quatro apresentadores simultâneos. Diferentemente de um estúdio de televisão, entretanto, a transmissão é via rede, e não via broadcast terrestre. Dessa forma, novos fatores devem ser considerados, como a taxa de codificação do vídeo de cada apresentador (que é definida pelo gerente), o tipo de transmissão (foi escolhido 4

5 multicast, devido ao número elevado de possíveis participantes), e as características da rede (atraso, perda de pacotes, etc). O sistema proposto prevê diversos apresentadores simultâneos. Figura 3: Interface preliminar. O logo da RNP deverá aparecer na interface final. A) Coluna esquerda superior: apresenta a lista de apresentadores (previamente cadastrados). Ao lado já aparece se o Apresentador possui recursos de câmera e microfone ativos (ícones). B) Coluna esquerda inferior: mostra o número de outros clientes existentes; C) Janelas de 1 a 6: representam os possíveis fluxos de apresentadores. A escolha de qual apresentador está ativo é dada pelo menu abaixo de cada janela. D) Janela central inferior: representa o chat entre os apresentadores. E) Janela inferior direita: apresenta o sinal que está sendo transmitido em multicast (no caso o sinal 1). F) Botões 1 a 6 : determinam quais janelas serão enviadas em multicast. G) botão config : permite ao gerente configurar o sistema, como taxa de transmissão, IP multicast, etc. O Gerente Monitor é o responsável por controlar a lista de perguntas dos clientes participantes, filtrando e encaminhando o resultado para o apresentador. É análogo a um mediador, que analisa a qualidade das perguntas e repassa a quem tiver capacidade de responder. O Cliente Participante é, basicamente, aquele usuário que possui interesse em acompanhar ou participar do debate, porém não é um dos apresentadores. Assim, este cliente é basicamente um DECODIFICADOR, semelhante a um set-top box de IPTV, que só recebe o fluxo multicast de alta qualidade emitido pelo gerente. O sistema proposto neste GT disponibiliza a possibilidade de interação desse cliente via mensagens. 5

6 O Cliente Apresentador representa o palestrante, e seu equipamento deve efetuar DECODIFICAÇÃO e CODIFICAÇÃO. A decodificação é do fluxo multicast de alta qualidade, e a codificação é do seu próprio sinal, que é enviado para o gerente compor os diversos fluxos numa única saída em multicast. Os Gerentes serão implementados somente em software, pois o número deles é pequeno demais para justificar um desenvolvimento de hardware. Os clientes, entretanto, serão implementados em software e hardware. Em software para levar a abrangência do sistema para todos que tenham computador, e em hardware para estender ainda mais essa abrangência, através de um hardware de baixo custo, que pode ser utilizado para os usuários que não possuem computador. A implementação da solução de software será efetuada no estilo software livre (GPL), visando uma maior disseminação do sistema. Para simplificar a divisão de tarefas conforme especialidade do desenvolvedor, dividiuse as principais áreas de atividade do projeto em Transmissão, Codificação, Decodificação, Interface com o Usuário, Sistema Operacional e Interatividade. Para a Transmissão, pretende-se utilizar a o backbone da RNP (Rede Nacional de Pesquisa). Nessa área, inicialmente devem ser tratadas questões como transmissão TCP/UDP, unicast/multicast, ipv4/ipv6, segurança, atraso e QoS. Um protocolo de rede entre os gerentes e clientes deve ser elaborado. Para a transmissão, prevê-se a utilização de unicast entre os apresentadores e o gerente visualizador, e multicast para todos os clientes participantes, pois o sistema deve suportar milhares simultaneamente. Após a primeira fase de testes, deve-se evoluir a parte de transmissão visando o acesso global às transmissões, podendo a mesma ser recebida por diversos usuários em redes com diferentes larguras de banda e com vários tipos de resolução de tela, ou mesmo características de processamento muito diferentes. Na área de Codificação de Vídeo, as entidades envolvidas são o Gerente Visualizador e o Cliente Apresentador. Ambos necessitam efetuar codificação, porém de formas diferentes. O Gerente Visualizador recebe os diversos fluxos dos Clientes Apresentadores, formata a imagem em uma ou mais porções da tela, recodifica e transmite em multicast. Nessa etapa, pode acontecer, por exemplo, do Gerente receber quatro fluxos unicast de 2 Mbit/s e transformar um único fluxo multicast de 2 Mbit/s, contendo quatro pequenas imagens, uma de cada apresentador. O Cliente Apresentador, por outro lado, necessita efetuar codificação e decodificação em tempo real. A codificação vem da câmera de vídeo, ou seja, consiste de seu próprio sinal, e a decodificação vem do sinal multicast principal, transmitido pelo Gerente. Nessa área a equipe executora também possui conhecimento tanto em software como em hardware, tendo desenvolvido os projetos do codificador e decodificador escalável MPEG-2 para a televisão digital no Brasil, e tendo efetuado diversos estudos complementares em H.264/AVC. Algumas publicações que comprovam isso são: [Husemann 2006], [Frohlich 2005], [Roesler 2005a], [Roesler 2004a], [Souza 2005a], [Souza 2005b], [Bruno 2005a], [Bruno 2005b], [Bruno 2005c], [Bruno 2005d]. O Decodificador de Vídeo é utilizado no Cliente Participante, e a solução de hardware será basicamente um set-top box IPTV com capacidade de interatividade através de mensagens. Na área de software, será basicamente um "player" de vídeo com 6

7 capacidade de receber multicast, decodificar áudio e vídeo e transmitir mensagens de controle conforme definições do sistema. Na área de Interface com o Usuário, a estratégia de software é utilizar o sistema de janelas wxwindows [http://www.wxwindows.org/], que permite a utilização tanto em sistemas operacionais windows como Linux. Isso é importante no momento que existe todo um movimento governamental para utilização de software livre. Ainda na área de interface com o usuário, questões de usabilidade no cliente serão levadas em consideração, visto que o objetivo é fazer com que a tecnologia seja transparente ao utilizador da mesma. O hardware de cliente permitirá a execução do aplicativo em uma televisão normal, que suscita diversas questões de usabilidade, como tamanho dos caracteres (tipos maiores que 18 pontos), utilização de textos claros em fundos escuros, aumento de entrelinhas e espaçamento entre caracteres em relação a computador, e assim por diante. Na área de Sistemas Operacionais, existem diversos aspectos relacionados a tamanho de buffer visando minimizar o atraso, estilo de desenvolvimento visando compatibilidade do mesmo software para windows e linux, implementação de software embarcado nos clientes de hardware, entre outras. Na área da Interatividade, será definido um protocolo de rede para que as entidades participantes interajam entre si Serviço para a RNP Para a RNP, o GT_IEAD espera desenvolver uma infra-estrutura de Ensino a Distância, onde as instituições ligadas à RNP possam escolher um auditório ou sala de reuniões e enviar corriqueiramente seu sinal de vídeo e power point em alta qualidade através de multicast a milhares de participantes. Isso possibilita interatividade através de perguntas ao vivo com vídeo (para os cadastrados como apresentadores) ou perguntas via mensagens SMS. O serviço lembra o GT-VOIP, porém, além da voz, cria infra-estrutura para transmissão de vídeo e slides, além de permitir a interatividade Resumo de cronograma O projeto será dividido em 3 ciclos de 4 meses. Final do ciclo 1: primeiro protótipo funcional com transmissão de áudio e vídeo de alta qualidade em tempo real com sincronização de áudio e vídeo, além da escolha do codificador (H.264, MPEG-4, AAC e Vorbis). cliente apresentador e participante já desenvolvidos de forma simplificada; Gerente visualizador desenvolvido de forma simplificada. Sistema funcional para reuniões remotas entre entidades. Na verdade, a equipe já possui um núcleo desenvolvido, o que dá maior segurança para o cumprimento dessa etapa. Nesse ponto, a arquitetura de hardware deve estar concluída. Final do ciclo 2: sistema em software funcional, com transmissão de power point juntamente com o áudio e o vídeo. Cliente monitor implementado. Gerente visualizador recebendo fluxos e tomando lugar da mesa de edição. Início dos testes extensivos. Em termos de hardware, existe uma dependência incerta de importação de placas de desenvolvimento e recursos para compra. 7

8 O GT buscará tais recursos assim que o sistema tiver uma aceitação pelas instituições, tornando clara sua necessidade. Será focado o desenvolvimento em um único cliente, no caso o participante, por ser mais simples. Final do ciclo 3: pelo menos 3 auditórios de instituições diferentes ligadas à RNP transmitindo 24h/7dias, ou seja, qualquer apresentação que aconteça nesses auditórios poderá ser vista através de máquinas ligadas à RNP que tenham uma largura mínima de banda, que estima-se na ordem de 2Mbit/s para o multicast principal. Dois outros auditórios transmitindo e participando esporadicamente. Em termos de hardware, espera-se estar com pelo menos o protótipo do cliente terminado Demonstração do serviço Como trata-se de um serviço visual, a sua demonstração é bastante simples. Já ao final da fase 1 (ver item anterior), será possível a demonstração das capacidades do serviço, e será possível cadastrar interesse de utilização junto às instituições cadastradas na RNP. À medida que o sistema evolui, pretende-se efetuar algumas divulgações junto às instituições, à semelhança do que foi efetuado no GT-VOIP. Ao final do GT, espera-se pelo menos cinco instituições transmitindo seus auditórios ou sala de reuniões, sendo que 3 delas 24/7. Todos os participantes poderão efetuar perguntas aos palestrantes através do sistema, e os palestrantes poderão enviar seu sinal de power point aos participantes. 7. Equipe A equipe será formada por um coordenador, um vice-coordenador, dois assistentes 2, três assistentes 3 e um estagiário. A seguir a descrição resumida de atividades de cada um deles. Coordenador: Valter Roesler: tem a função de coordenar o projeto, zelar para que o cronograma seja cumprido, gerar os relatórios, apoiar tecnicamente os assistentes e efetuar as apresentações. Assistente 2: Gaspare Giuliano Bruno: responsável, junto com o assistente 3 a definir, com o desenvolvimento do software relacionado com: tipo de codificação de vídeo e áudio a ser escolhida (H.264, MPEG-4, AAC, Vorbis, etc); sincronismo entre áudio e vídeo (buffers e cabeçalhos de sincronismo), transmissão e recepção de áudio e vídeo. Assistente 2: Ronaldo Husemann: responsável por desenvolver a arquitetura de hardware microprocessada de alto desempenho capaz de implementar aquisição de áudio e vídeo, processamento de dados, transmissão, gerenciamento de interfaces com usuário, além de tratar com periféricos internos. Assistente 3: Maiko de Andrade: responsável, juntamente com o Estagiário, pelo desenvolvimento das interfaces com o usuário, gerente visualizador (Suíte) e gerente monitor (controle de perguntas), bem como o desenvolvimento do protocolo de rede. 8

9 Assistente 3: César Machado: responsável por efetuar testes extensivos do protótipo junto à rede da RNP, inicialmente entre o Inmetro e a UFRGS, e posteriormente junto aos demais parceiros. Deve aproveitar a infra-estrutura já existente no Inmetro para fazer os testes. Assistente 3: A definir: trabalha juntamente com o Gaspare Bruno para desenvolvimento de suas tarefas. Estagiário: A definir: auxiliar o Maiko de Andrade no desenvolvimento de suas tarefas. Quanto ao coordenador, Prof. Valter Roesler, sua maior experiência em relação ao assunto deste projeto foi adquirida na Unisinos, onde o professor Fundou e coordenou o laboratório do PRAV (Pesquisa em Redes de Alta Velocidade), de 1998 a Em 2006 o professor foi aprovado num concurso na UFRGS, e está trabalhando nesta instituição agora, juntamente com toda sua equipe do laboratório do PRAV. Os seguintes são os principais projetos do coordenador e da equipe: - Experiência em Multimídia e Multicast no Doutorado / Mestrado: no período de doutoramento, a área de pesquisa envolvida foi exatamente a conjunção de transmissão multimídia em redes de computadores, que é aplicável diretamente no projeto do GT_IEAD. Diversas publicações foram efetuadas, inclusive a co-orientação do mestrado do Gaspare Bruno, que é participante na equipe executora e em vários trabalhos publicados. A lista a seguir resume os resultados obtidos: (Roesler, 2004b), (Roesler, 2003a), (Roesler, 2003b), (Roesler, 2003d), Roesler, 2002c), (Roesler, 2002d), (Roesler, 2001), (Roesler, 2000), (Finzsch, 2003), (Bruno, 2003a), (Bruno, 2003b), (Braga, 2003). - Projeto do SBTVD (Sistema Brasileiro de TV Digital): RFP 03: Codificador e Decodificador de Vídeo Escalável MPEG-2. Órgão financiador: FINEP. Coordenação técnica geral do projeto. Parte da equipe executora também trabalhou nesse projeto. Além do estudo do MPEG-2 em software e em hardware, o grupo estudou detalhadamente o H.264, principalmente na parte da escalabilidade, visto que é uma área sendo estudada pelo JVT (Joint Video Team), refletindo o estado da arte em codificação de vídeo. Essa área tem ligação com o projeto do GT_IEAD, visto que o mesmo necessitará de um codificador de vídeo na parte dos apresentadores, e de um decodificador na parte dos clientes. Já existe experiência nesse sentido, e as principais publicações são as seguintes: (Roesler, 2005a), (Roesler, 2004a), (Frohlich, 2005), (Husemann, 2006), (Bruno, 2005a), (Bruno, 2005b), (Bruno, 2005c), (Bruno, 2005d), (Souza, 2005a), (Souza, 2005b). - Projeto do SBTVD (Sistema Brasileiro de TV Digital), junto à FINEP: RFP 20: Camada de Transporte. Coordenação técnica geral do projeto, onde se efetuou a pesquisa e implementação de um sistema multiplexador e demultiplexador para o SBTVD, com as tabelas SI (Service Information) adaptadas para o Brasil. Parte da equipe executora também trabalhou nesse projeto. As principais publicações relacionadas ao projeto foram: (Andrade, 2005a), (Andrade, 2005b), (Balbinot, 2005), (Bruno, 2006). 9

10 - Projeto GT-Multicast Confiável, pela RNP (Rede Nacional de Pesquisa): Coordenação geral do Grupo de Trabalho. O estudo efetuado teve por objetivo o estudo de protocolos de multicast confiável para inserção junto à rede da RNP. Este projeto se encaixa perfeitamente no GT_IEAD, visto que, para transmissão de sinais para muitos receptores, é essencial a utilização de multicast. As principais publicações do coordenador neste projeto foram: (Brand, 2006), (Facchini, 2006). - Projeto PDSCE (Projeto de Sistemas Computacionais Embarcados). Coordenador do projeto na Unisinos. Parte da equipe executora também trabalhou nesse projeto. A entidade executora deste projeto é a UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). - Aulas remotas: Dentro da área da educação, que o SICREMAQ se propõe a atuar tecnologicamente, o coordenador efetuou algumas experiências, que podem ser vistas nos seguintes artigos publicados: (Roesler, 2003c), (Roesler, 2003e), (Roesler, 2002a), (Roesler, 2002b), (Ceron, 2004). - Aplicações em TV Digital: na área de aplicações do SBTVD, o coordenador efetuou a gerência técnica do projeto SAPSA (Sistema de Apoio ao Ensino em Sala de Aula), e atualmente está orientando duas monografias. A lista a seguir apresenta alguns resultados dos trabalhos: (Roesler, 2005b), (Simioni, 2006), (Bordignon, 2006). - Outras experiências na área de multimídia e multicast: Além da experiência descrita nos itens anteriores, existem as seguintes: (Roesler, 2004c), (Roesler, 2000b), (Birck, 2000). Algumas publicações relacionadas podem ser vistas no item referências. Observa-se que os autores das publicações e o grupo que estão se propondo a desenvolver este GT fazem parte da mesma equipe há anos. 8. Ambiente para testes do protótipo A fim de implementar e validar o projeto proposto o grupo de trabalho precisará montar pelo menos cinco ambientes de produção de conteúdo para treinamento remoto, dotados de sistemas de aquisição de áudio e vídeo, exibição e transmissão em tempo real, ambientes estes que representam os apresentadores do sistema. Um ambiente já está pronto, sendo na sede do Inmetro-RS, em Porto Alegre. Outro ambiente será montado na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), e um terceiro ambiente na RNP do Rio de Janeiro. Os testes iniciais devem envolver esses três ambientes. Posteriormente, mais duas instituições ligadas à rede da RNP serão envolvidas, para a apresentação final do protótipo. Existe outro ambiente com os equipamentos comprados, porém em fase de instalação, localizado na sede do Inmetro no Rio de Janeiro. 9. Referências ANDRADE, Maiko de (2005a); BRUNO, Gaspare Giuliano; BALBINOT, Luís Felipe; CRESPO, Sérgio; KIELING, Alexandre; GÓMEZ, Arthur Tórgo; ROESLER, Valter. Especificação Técnica Sistêmica para a Camada de Transporte do SBTVD. 2005a. 10

11 ANDRADE, Maiko de (2005b); BALBINOT, Luís Felipe; BRUNO, Gaspare Giuliano; GÓMEZ, Arthur Tórgo; KIELING, Alexandre; PINTO, Sérgio Crespo C. S.; ROESLER, Valter. Especificação Técnica do Multiplexador e Demultiplexador. 2005b. BALBINOT, Luís Felipe; BRUNO, Gaspare Giuliano; ANDRADE, Maiko de; PINTO, Sérgio Crespo C. S.; GÓMEZ, Arthur Tórgo; KIELING, Alexandre; ROESLER, Valter. Implementação do mecanismo multiplexador e demultiplexador BIRCK, David; ROESLER, Valter. "Vídeo ao vivo em redes de alta velocidade: um relato das transmissões da Unisinos". In: SEMINÁRIO REGIONAL DE INFORMÁTICA, X, Anais... Santo Angelo: URI - Universidade Regional Integrada, out ARTIGO - SLIDES. BORDIGNON, Alexandro; Roesler, Valter. Um framework para prover comunicação segura em aplicativos de TV Digital. Monografia de conclusão, 2006 (em andamento). BRAGA, Helena; ANDRADE, Maiko; LIMA, Valdeni; ROESLER, Valter. "SAM - Sistema adaptativo para multimídia". In: Escola Regional de Alto Desempenho, ERAD, Anais... Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, janeiro de BRAND, Gustavo Bervian; FACCHINI, Giovani; DALL'AGNOL, Evandro Clivatti; COSTA, Renato; BARCELLOS, Marinho; ROESLER, Valter. Distribuição de Dados Massivos via Multicast Confiável na RNP: metodologia de avaliação, ferramentas e resultados. In: SBRC 2006: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE REDES DE COMPUTADORES, 2006, Curitiba BRUNO, Gaspare Giuliano; ANDRADE, Maiko de; RODRIGUES, Pablo Lerina; BALBINOT, Luís Felipe; ROESLER, Valter. Implementação de um sistema multiplexador e demultiplexador compatível H.222 com suporte à transmissão hierárquica e codificação escalável. In: SBRC 2006: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE REDES DE COMPUTADORES - SALÃO DE FERRAMENTAS, 2006, Curitiba BRUNO, Gaspare Giuliano (2005a); DETSCH, André; GÓMEZ, Arthur Tórgo; PINTO, Sérgio Crespo C. S.; KIELING, Alexandre; ROESLER, Valter. Especificação técnica de software do codificador e decodificador de vídeo escalável MPEG a. BRUNO, Gaspare Giuliano (2005b); DETSCH, André; GÓMEZ, Arthur Tórgo; KIELING, Alexandre; PINTO, Sérgio Crespo C. S.; ROESLER, Valter. Relatório de implementação de software do codificador e decodificador de vídeo escalável MPEG b. BRUNO, Gaspare Giuliano (2005c); DETSCH, André; GÓMEZ, Arthur Tórgo; RODRIGUES, Pablo Lerina; KIELING, Alexandre; PINTO, Sérgio Crespo C. S.; ROESLER, Valter. Relatório de testes do codificador e decodificador de vídeo escalável MPEG c. BRUNO, Gaspare Giuliano (2005d); DETSCH, André; RODRIGUES, Pablo Lerina; GÓMEZ, Arthur Tórgo; KIELING, Alexandre; PINTO, Sérgio Crespo C. S.; ROESLER, Valter. Análise de codecs escaláveis mpeg d. BRUNO, Gaspare. VEBIT: um novo algoritmo para codificação de vídeo com escalabilidade p. Dissertação (Mestrado em Ciência da Computação) Instituto de Informática, UFRGS, Porto Alegre. CERON, João; Rodrigues, Pablo; Andrade, Maiko; Roesler, Valter. "Relatório Técnico da Transmissão do SBRC". In: ESCOLA REGIONAL DE REDES DE COMPUTADORES, ERRC, II, 2004, Canoas, RS. FACCHINI, Giovani; DALL'AGNOL, Evandro Clivatti; BRAND, Gustavo Bervian; COSTA, Renato F. Vieira da; BARCELLOS, Marinho; ROESLER, Valter. FATMC: Ferramenta de agendamento de transferências com Multicast Confiável. In: SBRC 2006: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE REDES DE COMPUTADORES - SALÃO DE FERRAMENTAS, 2006, Curitiba

12 FINZSCH, Peter; ROESLER, Valter; BRUNO, Gaspare. "Desempenho em Transmissões Multimídia através de Pares de Pacotes". In: Escola Regional de Alto Desempenho, ERAD, Anais... Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, janeiro de HUSEMANN, Ronaldo; Souza, Adão; Tome, Takashi; Roesler, Valter. Análise da implementação de algoritmos de codificação e decodificação de vídeo MPEG-2 HD escalável em hardware. SEMISH (Seminário Integrado de Software e Hardware), ROESLER, Valter (2005a); BRUNO, Gaspare Giuliano; SOUZA JR, Adão Antonio de; BECK, Antonio; MARQUES, Rodrigo de Figueiredo; ORMAZABAL, Rodrigo Javier; RODRIGUES, Marcelo dos Santos; RODRIGUES, Pablo Lerina. Análise de soluções de CODECs MPEG-2 em FPGA ROESLER, Valter (2005b); BITTENCOURT, João Ricardo; FINK FILHO, Aury; DAMÁSIO, Felipe Wilhelms; ANDRADE, Maiko de; MUNARETTI, Ruthiano; CERON, João Marcelo; GÓMEZ, Arthur Tórgo; WEIRICH, Emerson; BITTENCOURT, Wolfran; KIELING, Alexandre; PINTO, Sérgio Crespo C. S.; RODRIGUES, Antonio Gabriel; ROBINSON, Genessa; RHEINHEIMER, Letícia Rafaela. SAPSA - Sistema de Apoio ao Professor em Sala de Aula. Relatório técnico ROESLER, Valter (2004a); BRUNO, Gaspare; JÚNIOR, Adão A. de Souza. "Desenvolvimento de um CODEC MPEG-2 escalável para o Sistema Brasileiro de TV Digital". In: IV workshop voip, II workshop videoip, 2004, Porto Alegre, RS. ROESLER, Valter (2004b); CERON, João; LIMA, Valdeni. "ALMTF: um mecanismo TCPfriendly para controle de congestionamento em transmissões multimídia". In: Simpósio Brasileiro de Redes de Computadores, SBRC, XXII, 2004, Gramado, RS. ROESLER, Valter (2004c); Bruno, Gaspare. "Transmissão multimídia em redes de computadores". Tutorial. In: ESCOLA REGIONAL DE REDES DE COMPUTADORES, ERRC, II, 2004, Canoas, RS. ROESLER, Valter (2003a). SAM: um sistema adaptativo para transmissão e recepção de sinais multimídia em redes de computadores. Tese de doutorado. UFRGS, p. ROESLER, Valter (2003b); BRUNO, Gaspare; LIMA, Valdeni (2003b). "A new receiver adaptation method for congestion control in layered multicast transmissions". In: International Conference on Telecommunications, ICT, Proceedings... French Polynesia: IEEE, Feb, ROESLER, Valter (2003c); ANDRADE, Maiko. "On-line remote class with live video transmission: a study case". In: Computers and Advanced Technology in Education Conference / Web Base Education, CATE/WBE, 2003, Rhodes, Grécia. ROESLER, Valter (2003d); FINZSCH, Peter; ANDRADE, Maiko; LIMA, Valdeni. "Análise do mecanismo de pares de pacotes visando estimar a banda da rede via UDP". In: Simpósio Brasileiro de Redes de Computadores, SBRC, XXI, 2003, Natal, RN. ROESLER, Valter (2003e); ANDRADE, Maiko. "Aulas remotas on-line utilizando transmissão de vídeo: estudo de caso na Informática da Unisinos". In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇAO, SBIE, XIV, 2003, Rio de Janeiro, RJ. Anais... Rio de Janeiro: NCE/UFRJ, ROESLER, Valter (2002b); BRUNO, Gaspare; BRAGA, Helena; BALBINOT, Luís; ANDRADE, Maiko; LIMA, Valdeni. "Uma ferramenta adaptativa para transmissão e recepção de sinais multimídia ao vivo". In: VIII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS MULTIMÍDIA E HIPERMÍDIA, SBMIDIA, 2002, workshop de ferramentas e aplicações. Anais... Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, outubro ROESLER, Valter (2002c); BRUNO, Gaspare; LIMA, Valdeni. "Análise de estabilidade e imparcialidade em um novo algoritmo para transmissão multicast em camadas". In: 12

13 SIMPÓSIO BRASILEIRO DE REDES DE COMPUTADORES, SBRC, Anais... Búzios: Universidade Federal do Rio de Janeiro, maio ROESLER, Valter; BRUNO, Gaspare; LIMA, Valdeni. "ALM - Adaptive Layering Multicast". In: VII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS MULTIMÍDIA E HIPERMÍDIA, SBMÍDIA, Anais... Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, out ROESLER, Valter; BRUNO, Gaspare; LIMA, Valdeni. "Adaptability in multimedia transmissions using layering multicast and QoS guarantees". In: PROTOCOLS FOR MULTIMIDIA SYSTEMS, PROMS, Proceedings... Cracow, Poland: University of Mining and Metallurgy, oct ROESLER, Valter (2000b); BIRCK, David; KIELING, Alexandre; LIMA, Valdeni. "Especificação de um protótipo para convergência entre TV e Web". In: SEMINÁRIO REGIONAL DE INFORMÁTICA, X, Anais... Santo Angelo: URI - Universidade Regional Integrada, out ARTIGO - SLIDES. SIMIONI, Adriano; Roesler, Valter. Um framework para o desenvolvimento de aplicações interativas para a Televisão Digital. Monografia de conclusão, 2006 (em andamento). SOUZA JR, Adão Antonio de; HUSEMANN, Ronaldo; FRÖHLICH, Humberto; KIELING, Alexandre;GÓMEZ, Arthur Tórgo; PINTO, Sérgio Crespo C. S.; ROESLER, Valter. Especificação de testes de hardware do codificador e decodificador de vídeo escalável MPEG a. SOUZA JR, Adão Antonio de; HUSEMANN, Ronaldo; FRÖHLICH, Humberto; GÓMEZ, Arthur Tórgo; KIELING, Alexandre; PINTO, Sérgio Crespo C. S.; ROESLER, Valter. Especificação Técnica de hardware do codificador e decodificador de vídeo escalável MPEG b. 13

Proposta para Grupo de Trabalho. GT TV Grupo de Trabalho de TV Digital

Proposta para Grupo de Trabalho. GT TV Grupo de Trabalho de TV Digital Proposta para Grupo de Trabalho GT TV Grupo de Trabalho de TV Digital Guido Lemos de Souza Filho 10/09/2005 1. Título GT TV Grupo de Trabalho de TV Digital 2. Coordenador Guido Lemos de Souza Filho guido@lavid.ufpb.br

Leia mais

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RP1 - Relatório de detalhamento das atividades

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RP1 - Relatório de detalhamento das atividades GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos RP1 - Relatório de detalhamento das atividades Marcelo Akira Inuzuka Mário Augusto da Cruz Micael Oliveira Massula

Leia mais

Especificação de um protótipo para convergência entre TV e Web

Especificação de um protótipo para convergência entre TV e Web Especificação de um protótipo para convergência entre TV e Web Valter Roesler David M. Birck Alexandre Kieling José Valdeni de Lima Unisinos - Universidade do Vale do Rio dos Sinos Av. Unisinos, 950, CEP

Leia mais

Projeto de Ensino Via Satélite

Projeto de Ensino Via Satélite Projeto de Ensino Via Satélite O Instituto Edumed Associação de pesquisa, desenvolvimento e educação, sem fins lucrativos, estabelecida em Campinas, junho de 2000 Formada por pesquisadores e professores

Leia mais

Streaming na pratica Shoutcast Flumotion

Streaming na pratica Shoutcast Flumotion Streaming na pratica Shoutcast Flumotion Felipe Santos dos Santos 1 1 Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas(FATEC) Rua Gonçalves Chaves, 602 Centro CEP: 96.015-560 Pelotas RS Brasil Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

II Seminário Resultados da Lei da Informática

II Seminário Resultados da Lei da Informática II Seminário Resultados da Lei da Informática Rodrigo Pinto Diretor de P&D 29 de março de 2006 Agenda A Solectron Estratégia Organização Realizações Resultados entre 1998 2003 Resultados entre 2004-2005

Leia mais

Índice. Para encerrar um atendimento (suporte)... 17. Conversa... 17. Adicionar Pessoa (na mesma conversa)... 20

Índice. Para encerrar um atendimento (suporte)... 17. Conversa... 17. Adicionar Pessoa (na mesma conversa)... 20 Guia de utilização Índice Introdução... 3 O que é o sistema BlueTalk... 3 Quem vai utilizar?... 3 A utilização do BlueTalk pelo estagiário do Programa Acessa Escola... 5 A arquitetura do sistema BlueTalk...

Leia mais

POLÍTICA DE USO: SERVIÇO DE CONFERÊNCIA WEB

POLÍTICA DE USO: SERVIÇO DE CONFERÊNCIA WEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - ME UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA - UNIPAMPA NÚCLEO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - NTIC POLÍTICA DE USO: SERVIÇO DE CONFERÊNCIA WEB Este documento descreve a política

Leia mais

DAVID MARCONY CATVBRASIL catvbrasil@gmail.com

DAVID MARCONY CATVBRASIL catvbrasil@gmail.com DAVID MARCONY CATVBRASIL catvbrasil@gmail.com Mini Currículo David Marcony CATVBRASIL Trabalho com Mikrotik desde 2005 Participei de vários treinamentos Mikrotik Criei um dos primeiro manual de Mikrotik

Leia mais

Área: Ensino a Distância. 1. Introdução. 2. A Ferramenta de Co-autoria para EAD

Área: Ensino a Distância. 1. Introdução. 2. A Ferramenta de Co-autoria para EAD 1. Introdução Co-Autoria de Aulas na Rede Metropolitana de Alta Velocidade de Recife Juliana Regueira Basto Diniz Barros, Lorena de Sousa Castro, Carlos André Guimarães Ferraz E-mail: {jrbd,lsc2,cagf}@cin.ufpe.br

Leia mais

Serviço fone@rnp: descrição geral

Serviço fone@rnp: descrição geral Serviço fone@rnp: descrição geral Este documento descreve o serviço de Voz sobre IP da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. RNP/REF/0347 Versão Final Sumário 1. Apresentação... 3 2. Definições... 3 3. Benefícios

Leia mais

ArthronServer: Um Módulo para Controle de Múltiplos Fluxos de Mídia na Web. Manual do Usuário. ArthronServer

ArthronServer: Um Módulo para Controle de Múltiplos Fluxos de Mídia na Web. Manual do Usuário. ArthronServer ArthronServer: Um Módulo para Controle de Múltiplos Fluxos de Mídia na Web Manual do Usuário ArthronServer Copyright 2012, Grupo de Trabalho Ambiente de Vídeo colaboração em Saúde Autores: Coordenadora:

Leia mais

Projetos de P&D em Tecnologia da Informação e Telecomunicações: A Atuação do Núcleo de Aplicação em Tecnologia da Informação - NATI

Projetos de P&D em Tecnologia da Informação e Telecomunicações: A Atuação do Núcleo de Aplicação em Tecnologia da Informação - NATI Projetos de P&D em Tecnologia da Informação e Telecomunicações: A Atuação do Núcleo de Aplicação em Tecnologia da Informação - NATI Fortaleza, 21 de setembro de 2006 1 15 Universidade de Fortaleza Perfil

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTÁTISTICA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: COMUNICAÇÃO DE DADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTÁTISTICA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: COMUNICAÇÃO DE DADOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTÁTISTICA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: COMUNICAÇÃO DE DADOS PROFESSOR: CARLOS BECKER WESTPHALL Terceiro Trabalho

Leia mais

Grupos de Trabalho RNP: Implantação da Segunda Fase do GT de Vídeo Digital

Grupos de Trabalho RNP: Implantação da Segunda Fase do GT de Vídeo Digital Grupos de Trabalho RNP: Implantação da Segunda Fase do GT de Vídeo Digital Implementação de um Serviço de Distribuição de Vídeo Digital com Suporte para Transmissão ao Vivo e sob Demanda Guido Lemos de

Leia mais

Ref.: Consulta Pública Solução Educacional

Ref.: Consulta Pública Solução Educacional Belo Horizonte, 11 de junho de 2013 À Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais Rod. Pref. Américo Gianetti, Serra Verde - Prédio Minas, 11º andar 31.630-900 Belo Horizonte Minas Gerais Ref.: Consulta

Leia mais

Uma Ferramenta para Performances Artístico-Midiáticas Distribuídas

Uma Ferramenta para Performances Artístico-Midiáticas Distribuídas Natal RN 1 Marcello Passos Bruno Santos Mini-Curso Projeto 10 Dimensões Uma Ferramenta para Performances Artístico-Midiáticas Distribuídas 11/11/2011 Clique no ícone para adicionar uma imagem Sumário O

Leia mais

Seminário de Lei de Informática. Francisco Siqueira de Sousa Gerente Comercial

Seminário de Lei de Informática. Francisco Siqueira de Sousa Gerente Comercial Seminário de Lei de Informática Francisco Siqueira de Sousa Gerente Comercial Conteúdo Introdução Casos de Sucesso IMPORTÂNCIA DA LEI Estabelece uma Política de Desenvolvimento Nacional; Estimula a inserção

Leia mais

Exercícios Rede de Computadores I (27/05/2006)

Exercícios Rede de Computadores I (27/05/2006) UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Exercícios Rede de Computadores I (27/05/2006) Marcelo Santos Daibert Juiz de Fora Minas Gerais Brasil

Leia mais

Sistemas embarcados. Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br

Sistemas embarcados. Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br Sistemas embarcados Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br Sobre o palestrante... Ciência da Computação, Departamento de Informática, UFPE, 1998 Mestrado em Tecnologia da Informação, Universität Stuttgart,

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais

Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo.

Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo. Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo. Desafios da vigilância por vídeo hoje O mercado de vigilância por vídeo está crescendo, impulsionado por preocupações de segurança

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

A SatNext. Missão. Visão. satnext.com.br

A SatNext. Missão. Visão. satnext.com.br satnext.com.br A SatNext Com mais de 10 anos de know-how em Tecnologia de Telecomunicações voltada ao ensino à distância via satélite e com uma equipe multidisciplinar para a elaboração de sistemas educacionais

Leia mais

Tecnologia Broadcast ao serviço da educação

Tecnologia Broadcast ao serviço da educação reportagem Universidades Tecnologia Broadcast ao serviço da educação A Anhanguera Educacional conta com cerca de 40 estúdios de televisão com sinais via satélite para transmitir aulas a distancia para

Leia mais

CARTILHA DO SISTEMA DE CONFERÊNCIA WEB. Núcleo de Tecnologia da Informação da Comunicação

CARTILHA DO SISTEMA DE CONFERÊNCIA WEB. Núcleo de Tecnologia da Informação da Comunicação CARTILHA DO SISTEMA DE CONFERÊNCIA WEB Núcleo de Tecnologia da Informação da Comunicação 2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA UNIPAMPA NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NTIC CARTILHA DO

Leia mais

INTERNET, RÁDIO E TV NA WEB

INTERNET, RÁDIO E TV NA WEB INTERNET, RÁDIO E TV NA WEB Moysés Faria das Chagas Graduado em Comunicação Social - Rádio e TV (Unesa) Pós-graduado em Arte-Educação (Universo) Mídia-Educação (UFF) MBA em TV Digital, Radiodifusão e Novas

Leia mais

ERRATA. 3. Item 7.9.2.2 e 7.9.2.2.1 do ANEXO I - Minuta do Termo de Referência;

ERRATA. 3. Item 7.9.2.2 e 7.9.2.2.1 do ANEXO I - Minuta do Termo de Referência; ERRATA Este documento tem por objetivo retificar: 1. Item 4.1.1 do ANEXO I - Minuta do Termo de Referência; 2. Item 7.9.2.1 do ANEXO I - Minuta do Termo de Referência; 3. Item 7.9.2.2 e 7.9.2.2.1 do ANEXO

Leia mais

A RNP e as Mudanças na Internet

A RNP e as Mudanças na Internet Seminário Serviços e Sistemas de Informação Tecnológica Junho de 1998 Ari Frazão Jr. Consultor de Redes da RNP A Índice: Rede Internet A RNP A Nova Geração da Internet O Brasil Rumo à Internet2 A Ação

Leia mais

Objeto: Sistema de Vídeo-conferência para a Hemorrede de Santa Catarina, incluindo:

Objeto: Sistema de Vídeo-conferência para a Hemorrede de Santa Catarina, incluindo: Termo de Referência: Objeto: Sistema de Vídeo-conferência para a Hemorrede de Santa Catarina, incluindo: Item Descrição Qtdade 1 MCU Dedicada 1 2 Terminal de Vídeo-conferência para salas de médio porte

Leia mais

Automação de Bancada Pneumática

Automação de Bancada Pneumática Instituto Federal Sul-rio-grandense Campus Pelotas - Curso de Engenharia Elétrica Automação de Bancada Pneumática Disciplina: Projeto Integrador III Professor: Renato Allemand Equipe: Vinicius Obadowski,

Leia mais

O IMPACTO DA WEB TV NA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

O IMPACTO DA WEB TV NA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL O IMPACTO DA WEB TV NA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Agenda Novas formas de comunicação online Perspectivas e entendimentos O porquê da linguagem mais visual e cinestésica Inovar é preciso IPTV versus Web TV

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Plano de Projeto G Stock. G Stock. Plano de Projeto. Versão 1.0

Plano de Projeto G Stock. G Stock. Plano de Projeto. Versão 1.0 Plano de Projeto G Stock Plano de Projeto G Stock Versão 1.0 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autores 10/09/2010 1.0 Descrição inicial do plano de projeto Denyson José Ellís Carvalho Isadora

Leia mais

MCONF: o novo sistema de Webconf da RNP

MCONF: o novo sistema de Webconf da RNP MCONF: o novo sistema de Webconf da RNP V WORKSHOP do POP-RS e Reunião da Rede Tchê Outubro de 2014 Valter Roesler: roesler@inf.ufrgs.br Sumário Definição do Mconf, histórico, arquitetura, interface com

Leia mais

Seminário Repositórios, Objetos e Recursos Educacionais Digitais

Seminário Repositórios, Objetos e Recursos Educacionais Digitais Seminário Repositórios, Objetos e Recursos Educacionais Digitais CANAL DE WEB TV: ARQUITETURA DE DISTRIBUIÇÃO DE VÍDEO PARA PORTAIS DIGITAIS Autores: Luiz Felippe Lazzarin (Bolsista) Carina Girelli (Bolsista)

Leia mais

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas;

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas; ATA DE REUNIÃO CONSULTA PÚBLICA PARA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO WEB-EDI Troca Eletrônica de Dados. Local Dataprev Rua Cosme Velho nº 06 Cosme Velho Rio de Janeiro / RJ. Data: 06/03/2009 10:30 horas. Consolidação

Leia mais

IPTV em rede Multicast

IPTV em rede Multicast IPTV em rede Multicast Flávio Gomes Figueira Camacho Apresentação Flavio Gomes Figueira Camacho Diretor de TI da Vipnet Baixada Telecomunicações e, Operadora de STFC e SCM. Mestrando em Engenharia de Telecomunicações

Leia mais

Serviços Prestados Infovia Brasília

Serviços Prestados Infovia Brasília Serviços Prestados Infovia Brasília Vanildo Pereira de Figueiredo Brasília, outubro de 2009 Agenda I. INFOVIA Serviços de Voz Softphone e Asterisk INFOVIA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO INFOVIA MINISTÉRIO

Leia mais

Processos de Desenvolvimento de Software

Processos de Desenvolvimento de Software Processos de Desenvolvimento de Software Gerenciamento de Projetos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e

Leia mais

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22 DEPARTAMENTO: Sistemas de Informação PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: Redes de Computadores I PROFESSOR: SERGIO ROBERTO VILLARREAL SIGLA: RED I E-MAIL: sergio.villarreal@udesc.br CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA:

Leia mais

Estamos muito felizes por compartilhar com você este novo serviço educacional do Centro Universitário de Patos de Minas.

Estamos muito felizes por compartilhar com você este novo serviço educacional do Centro Universitário de Patos de Minas. PALAVRA DO COORDENADOR Estimado, aluno(a): Seja muito bem-vindo aos Cursos Livres do UNIPAM. Estamos muito felizes por compartilhar com você este novo serviço educacional do Centro Universitário de Patos

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MC/MCT/FINEP/FUNTTEL - 01/2004

CHAMADA PÚBLICA MC/MCT/FINEP/FUNTTEL - 01/2004 CHAMADA PÚBLICA MC/MCT/FINEP/FUNTTEL - 01/2004 QUALIFICAÇÃO DE INSTITUIÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DE APOIO A PROJETOS NO ÂMBITO DO SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL 1. OBJETIVO O GRUPO GESTOR

Leia mais

GT ICP-EDU Uma Infra-estrutura de Chaves Públicas para o Âmbito Acadêmico

GT ICP-EDU Uma Infra-estrutura de Chaves Públicas para o Âmbito Acadêmico GT ICP-EDU Uma Infra-estrutura de Chaves Públicas para o Âmbito Acadêmico Ricardo Felipe Custódio, Jeroen van de Graaf e Ricardo Dahab Julho de 2003 Este documento tem como objetivo descrever o projeto

Leia mais

web2way Comunicações e Vídeos LTDA

web2way Comunicações e Vídeos LTDA web2way Comunicações e Vídeos LTDA Soluções em Comunicação da web2way que podem ser úteis para sua empresa Preparada por: Adriana Grasso sócia/administradora Data: 21/05/2012 Sobre a web2way A web2way

Leia mais

Manual do Usuário. Copyright 2006 BroadNeeds 20061010-1600 Página 1 de 16

Manual do Usuário. Copyright 2006 BroadNeeds 20061010-1600 Página 1 de 16 Manual do Usuário Copyright 2006 BroadNeeds 20061010-1600 Página 1 de 16 Índice INTRODUÇÃO E UTILIZAÇÕES GERAIS Funcionalidades...03 Introdução...04 Requisitos Necessários...04 Instalando o xconference...05-07

Leia mais

Arthron: Uma Ferramenta para Controle de Múltiplos Fluxos de Mídia MANUAL DE INSTALAÇÃO

Arthron: Uma Ferramenta para Controle de Múltiplos Fluxos de Mídia MANUAL DE INSTALAÇÃO Arthron: Uma Ferramenta para Controle de Múltiplos Fluxos de Mídia MANUAL DE INSTALAÇÃO Copyright 2011,Grupo de Trabalho Ambiente de Videocolaboração em Saúde Autores: Coordenadora: Tatiana Tavares tatiana@lavid.ufpb.br

Leia mais

Infra-estrutura tecnológica para EaD na UFJF: situação atual e projeções

Infra-estrutura tecnológica para EaD na UFJF: situação atual e projeções Infra-estrutura tecnológica para EaD na UFJF: situação atual e projeções Prof. Dr. Mauricio L. Aguilar Molina, DSc. Coordenador Tecnológico Núcleo de Educação à Distância - UFJF www.nead.ufjf.br mauricio.aguilar@ufjf.edu.br

Leia mais

5º Workshop RNP2 13 e 14 de maio de 2004 Gramado RS

5º Workshop RNP2 13 e 14 de maio de 2004 Gramado RS 5º Workshop RNP2 13 e 14 de maio de 2004 Gramado RS Promovendo o debate sobre iniciativas ópticas e aplicações avançadas para redes acadêmicas http://www.rnp.br/wrnp2/2004/ O Workshop RNP2 é um evento

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Caderno de Atividades e Interatividades

REDES DE COMPUTADORES. Caderno de Atividades e Interatividades REDES DE COMPUTADORES Caderno de s e s Ação Educacional Claretiana, 2010 Batatais (SP) Trabalho realizado pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais (SP) Curso: Graduação Disciplina: Redes de Computadores

Leia mais

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS 1 III.2. CABLE MODEMS III.2.1. DEFINIÇÃO Cable modems são dispositivos que permitem o acesso em alta velocidade à Internet, através de um cabo de distribuição de sinais de TV, num sistema de TV a cabo.

Leia mais

VELOCIDADE DE TRANSMISSÃO DE DADOS UTILIZANDO VPNs

VELOCIDADE DE TRANSMISSÃO DE DADOS UTILIZANDO VPNs VELOCIDADE DE TRANSMISSÃO DE DADOS UTILIZANDO VPNs Rogers Rodrigues Garcia 1, Júlio César Pereira¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavai PR Brasil rogersgarcia@live.com, juliocesarp@unipar.br Resumo:

Leia mais

Vídeo@RNP: integrando serviços de vídeo digital para a comunidade acadêmica

Vídeo@RNP: integrando serviços de vídeo digital para a comunidade acadêmica Cuarta Conferencia de Directores de Tecnología de Información, TICAL2014 Gestión de las TICs para la Investigación y la Colaboración, Cancún, del 26 al 28 de mayo de 2014 Vídeo@RNP: integrando serviços

Leia mais

1 http://www.google.com

1 http://www.google.com 1 Introdução A computação em grade se caracteriza pelo uso de recursos computacionais distribuídos em várias redes. Os diversos nós contribuem com capacidade de processamento, armazenamento de dados ou

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE. Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO À INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO

RELATÓRIO DE ANÁLISE. Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO À INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DE ANÁLISE Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO À INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO Gestor do Projeto Susana Maria Kakuta COREDE Conselho Regional

Leia mais

Segurança de Redes de Computadores

Segurança de Redes de Computadores Segurança de Redes de Computadores Aula 10 Segurança na Camadas de Rede Redes Privadas Virtuais (VPN) Prof. Ricardo M. Marcacini ricardo.marcacini@ufms.br Curso: Sistemas de Informação 1º Semestre / 2015

Leia mais

Fundamentos de Hardware

Fundamentos de Hardware Fundamentos de Hardware Curso Técnico em Informática SUMÁRIO PLACAS DE EXPANSÃO... 3 PLACAS DE VÍDEO... 3 Conectores de Vídeo... 4 PLACAS DE SOM... 6 Canais de Áudio... 7 Resolução das Placas de Som...

Leia mais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 3: VoIP INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 As telecomunicações vêm passando por uma grande revolução, resultante do

Leia mais

Vídeo Sob Demanda. Elaine Calvet Mestrado Redes Telecom, UFF Disciplina: Sistemas Multimídia Prof.ª Debora

Vídeo Sob Demanda. Elaine Calvet Mestrado Redes Telecom, UFF Disciplina: Sistemas Multimídia Prof.ª Debora Vídeo Sob Demanda Elaine Calvet Mestrado Redes Telecom, UFF Disciplina: Sistemas Multimídia Prof.ª Debora Agenda Introdução Definição do Serviço VoD Desafios do Serviço Tecnologia Necessária Estudo de

Leia mais

CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Procedimento Videoconferência 2015

CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Procedimento Videoconferência 2015 CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Procedimento Videoconferência 2015 1 Soluções para transmissões A CTI disponibiliza dois tipos de soluções para transmissão de áudio e vídeo. Videoconferência

Leia mais

Provedor de Digital Signage. Apresentação Comercial. contato@rj21.net www.rj21.net

Provedor de Digital Signage. Apresentação Comercial. contato@rj21.net www.rj21.net Apresentação Comercial contato@rj21.net www.rj21.net O que é Digital Signage? Uma mídia dinâmica e interativa Exibe mensagens digitais em pontos de venda, espaços públicos, transportes, TVs corporativas,

Leia mais

ScatiSuite, A melhor ferramenta para a gravação e a gestão do CFTV

ScatiSuite, A melhor ferramenta para a gravação e a gestão do CFTV ScatiSuite, A melhor ferramenta para a gravação e a gestão do CFTV www.scati.com info@scati.com Índice Scati Suite Caraterísticas gerais Gravação Aplicações cliente de gestão Outras funcionalidades Scati

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

GT Computação Colaborativa (P2P)

GT Computação Colaborativa (P2P) GT Computação Colaborativa (P2P) Djamel Sadok Julho de 2003 Este documento tem como objetivo descrever o projeto de estruturação do grupo de trabalho GT Computação Colaborativa (P2P), responsável pelo

Leia mais

Padrões ITU-T H.261 e H.263

Padrões ITU-T H.261 e H.263 Padrões ITU-T H.261 e H.263 Acadêmicos: Orlando L. Pelosi Jr. Rodrigo Matheus da Costa Vinicius Mariano de Lima Professor: Prof. Adair Santa Catarina Vídeo Digital Vídeos são compostos por frames que contém

Leia mais

Planejamento estratégico

Planejamento estratégico Planejamento estratégico Coordenadoria de Tecnologia da Informação 2015-2018 1. Estrutura atual da Coordenadoria de Tecnologia da Informação A coordenadoria é hoje responsável pelos setores de Informática

Leia mais

apresentação de serviços

apresentação de serviços apresentação de serviços Nos últimos 50 anos a humanidade gerou mais informações do que em toda sua história anterior. No mercado corporativo, o bom gerenciamento de informações é sinônimo de resultados.

Leia mais

Sistema de Mídia - Live RL

Sistema de Mídia - Live RL Mediasite Live é um sistema de apresentação em multimídia totalmente capacitado em tempo real para ensino a distância, webcasting, apresentação online, publicação de conteúdo e e- treinamento baseado em

Leia mais

Aulas remotas on-line utilizando transmissão de vídeo: estudo de caso na Informática da Unisinos

Aulas remotas on-line utilizando transmissão de vídeo: estudo de caso na Informática da Unisinos Aulas remotas on-line utilizando transmissão de vídeo: estudo de caso na Informática da Unisinos Valter Roesler, João Marcelo Ceron, Maiko de Andrade UNISINOS Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Av.

Leia mais

Um framework para o desenvolvimento de aplicações interativas para a Televisão Digital

Um framework para o desenvolvimento de aplicações interativas para a Televisão Digital Um framework para o desenvolvimento de aplicações interativas para a Televisão Digital Adriano Simioni, Valter Roesler Departamento de Informática Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) Av. Unisinos,

Leia mais

Gravação e Transmissão

Gravação e Transmissão O D-Guard Center é um poderoso sistema de controle e monitoramento, integrado aos mais diversos equipamentos de segurança eletrônica. Ilimitados dispositivos podem ser controlados e monitorados simultaneamente:

Leia mais

Codec de vídeo por IP LiveShot Comrex Vídeo por IP ao vivo, sem fio, com baixa latência

Codec de vídeo por IP LiveShot Comrex Vídeo por IP ao vivo, sem fio, com baixa latência Codec de vídeo por IP LiveShot Comrex Vídeo por IP ao vivo, sem fio, com baixa latência Desde 1961, a Comrex produz produtos inovadores que avançam os limites da tecnologia e oferecem às emissoras soluções

Leia mais

Prof. Dr. Valter Roesler: roesler@inf.ufrgs.br. Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Prof. Dr. Valter Roesler: roesler@inf.ufrgs.br. Universidade Federal do Rio Grande do Sul Prof. Dr. Valter Roesler: roesler@inf.ufrgs.br Universidade Federal do Rio Grande do Sul Latência Tempo entre o início de um evento e o momento que ele se torna perceptível no destino Ex: filmar um relógio

Leia mais

Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos

Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos Quando se projeta um sistema cuja utilização é destinada a ser feita em ambientes do mundo real, projeções devem ser feitas para que o sistema possa

Leia mais

1.1. Gerenciamento de usuários e permissões. Suporta vários níveis de gerenciamento, gerenciamento de usuários e configuração de permissões.

1.1. Gerenciamento de usuários e permissões. Suporta vários níveis de gerenciamento, gerenciamento de usuários e configuração de permissões. CAMERA IP SERIE AV O CMS é uma central de gerenciamento de DVRs, é responsável por integrar imagens de DVRs distintos, com ele é possível realizar comunicação bidirecional, vídeo conferência, função mapa

Leia mais

Geral O que é Mediasite Live? O que é uma mídia de apresentação? Como se compara Mediasite Live a outras soluções de apresentação?

Geral O que é Mediasite Live? O que é uma mídia de apresentação? Como se compara Mediasite Live a outras soluções de apresentação? Geral O que é Mediasite Live? Mediasite Live é um poderoso sistema de comunicação via web que permitem os usuários a capturar rapidamente, publicar e assistir uma apresentação e transformando-o automaticamente

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

H.323: Visual telephone systems and equipment for local area networks which provide a nonguaranteed

H.323: Visual telephone systems and equipment for local area networks which provide a nonguaranteed UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ H.323: Visual telephone systems and equipment for local area networks which provide a nonguaranteed quality of service Resumo para a disciplina de Processamento Digital de

Leia mais

Security Shop MRS. Media Relay System. Manual do Usuário

Security Shop MRS. Media Relay System. Manual do Usuário Página 1 de 20 Security Shop MRS Media Relay System Manual do Usuário Página 2 de 20 Conteúdos: Conteúdos:... 2 Figuras:... 3 1. Introdução... 4 1.1 Âmbito do Documento... 4 1.2 Terminologia... 4 2. GERAL...

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Ementa Introdução a Redes de

Leia mais

Orientador Informal. Co-orientador(es) Informal(is)

Orientador Informal. Co-orientador(es) Informal(is) RELATÓRIO FINAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Discente: Luís Gustavo Spern Barreto Curso: Análise e Desenvolvimento de Sistemas E-mail: gustavosbarreto@gmail.com Endereço: Rua Três, 490 - Pestano -

Leia mais

Jornalismo Multiplataforma. Tecnologias Redes e Convergência. eduardo.barrere@ice.ufjf.br

Jornalismo Multiplataforma. Tecnologias Redes e Convergência. eduardo.barrere@ice.ufjf.br Jornalismo Multiplataforma Tecnologias Redes e Convergência eduardo.barrere@ice.ufjf.br Panorama Em 2011, a TV atingiu 96,9% (http://www.teleco.com.br/nrtv.asp) TV Digital Uma novidade???? TV Digital Resolve

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Transporte UDP Slide 1 Camada de Transporte Fornece uma comunicação lógica entre processos de aplicações em diferentes hosts através da camada de rede; São implementados

Leia mais

Proposta de Projeto Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase

Proposta de Projeto Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase Proposta de Projeto Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase GTTV Grupo de Trabalho de TV Digital Guido Lemos Universidade Federal da Paraíba Setembro de 2006 1. Concepção do serviço 1.1. Descrição do serviço

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Fabiana Pacheco Lopes 1 1 Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) fabipl_21@yahoo.com.br Resumo.Este

Leia mais

Videoconferência Polycom Modelo QDX6000. Outubro de 2014.- Edição 001

Videoconferência Polycom Modelo QDX6000. Outubro de 2014.- Edição 001 Suporte Videoconferência Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA Núcleo de Tecnologia da Informação e Comunicação - NTIC Office: +55 53 3240 5432 #8505 Email: vconf@ntic.unipampa.edu.br Webpage: www.ntic.unipampa.edu.br/vconf

Leia mais

Como utilizar Webinars em sua estratégia de Marketing Digital. Na Prática

Como utilizar Webinars em sua estratégia de Marketing Digital. Na Prática Como utilizar Webinars em sua estratégia de Marketing Digital Na Prática Sobre a Eventials (empresa) Somos um time formado por motivados empreendedores, designers e hackers. Fazemos parte do grupo Locaweb,

Leia mais

VIDEOCONFERÊNCIA Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência

VIDEOCONFERÊNCIA Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência VIDEOCONFERÊNCIA Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência Pregão Conjunto nº 27/2007 VIDEOCONFERÊNCIA ANEXO I Termo de Referência Índice 1. Objetivo...3 2. Requisitos técnicos e funcionais...3 2.1.

Leia mais

Suporte a redes CAN para Aplicações Embarcadas

Suporte a redes CAN para Aplicações Embarcadas Universidade Federal de Santa Catarina UFSC Departamento De Informática e Estatística INE Bacharelado em Ciências Da Computação Suporte a redes CAN para Aplicações Embarcadas Autor: Alessandro Barreiros

Leia mais

Papel da SBIS na Educação

Papel da SBIS na Educação I Ciclo de Seminários de Tecnologias de Informação em Saúde Educação Continuada, Certificação Profissional e Título de Especialista: o Projeto da SBIS Prof. Renato M.E. Sabbatini Diretor de Educação e

Leia mais

PLANAGER Um Jogo para Apoiar o Ensino de Gerência de Projetos de Software

PLANAGER Um Jogo para Apoiar o Ensino de Gerência de Projetos de Software PLANAGER Um Jogo para Apoiar o Ensino de Gerência de Projetos de Software Ricardo Rosa Eric Kieling Prof. Rafael Prikladnicki Contato:ricardo.zr@gmail.com Agenda Por que um jogo? Apresentação da Ferramenta

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO. webqda - SOFTWARE DE APOIO À ANÁLISE QUALITATIVA. Entidade de formação credenciada e homologada

CURSO DE FORMAÇÃO. webqda - SOFTWARE DE APOIO À ANÁLISE QUALITATIVA. Entidade de formação credenciada e homologada CURSO DE FORMAÇÃO webqda - SOFTWARE DE APOIO À ANÁLISE QUALITATIVA Entidade de formação credenciada e homologada 1. Fundamentação A investigação nas ciências humanas e sociais tem passado nas últimas décadas

Leia mais

SOLUÇÕES INTERATIVAS DE VÍDEO E VIDEOCONFERÊNCIA INTEGRADOS AO MOODLE. Abril 2007

SOLUÇÕES INTERATIVAS DE VÍDEO E VIDEOCONFERÊNCIA INTEGRADOS AO MOODLE. Abril 2007 SOLUÇÕES INTERATIVAS DE VÍDEO E VIDEOCONFERÊNCIA INTEGRADOS AO MOODLE Abril 2007 Vítor O. Villas Bôas Secretaria da Educação do Estado da Bahia- voboas@sec.ba.gov.br Bruno Reis Portela Secretaria da Educação

Leia mais

Especificação técnica do Software de Gerenciamento de Vídeo

Especificação técnica do Software de Gerenciamento de Vídeo Especificação técnica do Software de Gerenciamento de Vídeo 1. Esta Especificação destina-se a orientar as linhas gerais para o fornecimento de equipamentos. Devido às especificidades de cada central e

Leia mais

Governo Orientado por Serviços

Governo Orientado por Serviços Governo Orientado por Serviços Qual a Sociedade da Informação que Queremos? Uso das tecnologias da informação e da comunicação na administração pública - combinado com mudanças organizacionais e novas

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.1 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011 1.0 Versão

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DE REDES REDES DE COMPUTADORES Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Material elaborado com base nas apresentações

Leia mais

Política de uso: Serviço de Conferência Web

Política de uso: Serviço de Conferência Web Política de uso: Serviço de Conferência Web DAGSer Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços outubro de 2011 Este documento descreve a política de uso do serviço de Conferência Web. Sumário 1. Apresentação...

Leia mais