DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E QUALIDADE DE VIDA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E QUALIDADE DE VIDA"

Transcrição

1 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - FAE Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 CEP São João da Boa Vista - SP Tel./fax (0xx19) Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E QUALIDADE DE VIDA Identificação da Proposta: 5639 Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Área de Avaliação: INTERDISCIPLINAR Reitor: Prof. Valdemir Samonetto Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação: Prof. Sérgio Venício Dragão 2009

2 Identificação do Programa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Identificação da Instituição Nome: UNIFAE / CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Endereço: Largo Engenheiro Paulo de Almeida Sandeville, 15 Bairro: Jd. Santo André Cidade: São João Boa Vista / SP CEP: institucional: Telefone: Fax: CGC: Esfera administrativa: Municipal Identificação da Proposta Esta proposta corresponde a um curso novo vinculado a programa recomendado pela CAPES? Não Nome do programa: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E QUALIDADE DE VIDA Área básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Área de Avaliação: INTERDISCIPLINAR Tem graduação na área ou área afim? Sim Ano início da graduação: 1961 Níve(l)(ies) Nível MESTRADO ACADÊMICO Código dos programas Situação Em Projeto Histórico do curso na CAPES Proposta re-apresentada 31/03/2009 1

3 Identificação dos Dirigentes Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Dirigente Tipo Documento Número Nome CPF VALDEMIR SAMONETTO Telefone Institucional Pró-Reitor Tipo Documento Número Nome CPF SÉRGIO VENÍCIO DRAGÃO Telefone Institucional Coordenador Tipo Documento Número Nome CPF LUCIEL HENRIQUE DE OLIVEIRA Telefone Institucional

4 Infra-Estrutura Administrativa e de Ensino e Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Dispõe de: Infra-estrutura exclusiva para o programa? Sim Salas para docentes? Sim - Quantas: 6 Sala para alunos equipadas com computadores? Sim - Quantas: 30 Laboratório para pesquisa - recursos disponíveis: Laboratórios: - Informática - 5 laboratórios - LabCom - Laboratório de Comunicação - Agência Experimental de Publicidade e Propaganda Laboratórios de Informática Laboratório de Informática I Sala equipada com sistema de refrigeração, sistema de intercomunicação através de rede, acesso à internet, bancadas para instalação dos microcomputadores, cadeiras e outros equipamentos necessários à sua utilização como suporte didático/pedagógico. Área: 100m², disponibiliza 40 terminais e 02 impressoras. (A) Equipamentos e mobiliário - Servidor 01: Hardware: Processador: Dual Pentium II 500 mhz; Memória: 256mb; Discos: 1 HD 3.99 GB, 1 HD GB, cd-rom 56X. Software: Windows NT Server, Back Office 4.5 Sistema Operacional; Oracle 8i Banco de dados; ERP Logix; Explorer 5.5 Internet; Norton Anti-Virus 2000; Winzip Descompactador de arquivos. - Servidor 02: Hardware: Processador: AMD DURON 1.1 GHZ; Memória: 256mb; Discos: 1 HD 40 GB, cd-rom 56X, Zip Drive 100mb; Placa de rede on-board; Placa de som Creative; Modem US Robotics 56k v90. Software: Windows 2000 Profissional, Sistema Operacional; Office 2000 Word, Excel, Power Point, Acess; Explorer 5.5 Internet; Corel Draw 9 Editoração Gráfica; Norton Anti-Virus 2000; Adobe Acrobat Rider 4.0 Visualizador de arquivos; Eletronics Workbench (em 9 máquinas); Matlab 6 release 12; Winzip Descompactador de arquivos Máquinas Cliente: Hardware: Processador: Celerom 500mhz; Memória: 64mb; Discos: HD 7.4 GB; Placa de Rede on-board; Placa de Som onboard; Modem on-board. Software: Windows NT Workstation - Sistema Operacional; Office 2000 Word, Excel, Power Point, Acess; Explorer 5.5 Internet; Corel Draw 9 Editoração Gráfica; Norton Anti-Virus 2000; Adobe Acrobat Rider 4.0 Visualizador de arquivos; Matlab 6 release 12; Eletronics Workbench (em 9 máquinas); Winzip Descompactador de arquivos. _ Impressoras: 01 HP LaserJet 4050 N; 01 HP Deskjet 930 C. - Outros equipamentos: 01 Tela retrátil parede/teto; 01 Retroprojetor Tes 2015; 12 Estabilizadores GR 2000 B Girardi; 01 Nobreak 2.0 KVA mod. Msu 2000 SMS baterias 100 minutus; 01 Amplificador G 75W JPL 300; 01 Microfone s/f pró L 52; 01 Gravador de CD Winter HP 8230E 4x4x6; 36 Headphone com microfone silver. - Redes, Acesso a Internet: O servidor de rede é o Back Office 4.5, onde estão 76 computadores conectados a ele. O acesso à internet esta sendo feito via telefone (linha discada), o programa utilizado é o Proxy do Back Office 4.5, mas atualmente está sendo usado o Wingate 4.2, em fase de teste. - O UNIFAE firmou parcerias para obtenção de sistemas operacionais, programas de informática de última geração e cursos extracurriculares, com a ORACLE DO BRASIL, LOGOCENTER, SCO DO BRASIL, MICROSOFT DO BRASIL E SOFTWARE DESIGNER. A FAE dispõe, ainda, de equipamentos instalados para a transmissão de teleconferências, com uma Antena Parabólica 2.85, LNB, Divisor de 2 saídas, com alimentador. - A atualização dos programas de informática e dos equipamentos é realizada conforme solicitação do corpo docente, para atendimento aos projetos pedagógicos dos cursos e respectivos planos de ensino, bem como, pela própria equipe técnica dos laboratórios no sentido de acompanhar a evolução tecnológica do setor. (B) Serviços e atividades acadêmicas Pessoal Técnico: - Responsável técnico Bacharel em Administração de Empresas e Mestrando em Administração de Empresas. - Suporte ao usuário, manutenção e fiscalização da utilização 2 professores assistentes, sendo um graduado em Ciências Econômicas e outro em Engenharia Civil e em Informática Sistemas de Informação e 02 estagiários do curso Informática - Sistemas de Informação. Atividades desenvolvidas: - Suporte didático-pedagógico a disciplinas dos cursos de Administração de Empresas, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Psicologia, Sistemas de Informação, Educação Física, Fisioterapia e Comunicação Social (Jornalismo e Publicidade e Propaganda). Suporte ao corpo discente e docente como usuários de serviços de informática digitação, impressão e edição de documentos, acesso à rede internet e demais utilizações; - Atualização do site do UNIFAE. 2. Laboratórios de Informática II Sala equipada com sistema de refrigeração, sistema de intercomunicação através de rede, acesso à internet, bancadas para instalação dos microcomputadores, cadeiras e outros equipamentos necessários à sua utilização como suporte didático/pedagógico. Área: 80m², disponibiliza 20 terminais e 01 impressora. (A) Equipamentos e mobiliário _ Servidor 01: Hardware: Processador: Pentium ghz; Memória: 512mb; Discos: HD 36 GB, CD-Rom 52X; Placa de Som on-board; Fax Modem 56 k on-board. Software: Oracle 9i, Rational Suíte Enterprise; Java WEB, Macromedia Dreamweaver 4; Adobe; MS Visual Studio 6.0; Corel Draw 9 Editoração Gráfica; Explorer 5 Internet; Norton Anti-Virus 2000; MS Office XP Word, Excel, Power Point, Acess; Windows XP Professional, Sistema Operacional; Winzip Descompactador de arquivos Máquinas Cliente: Hardware: Processador: Pentium ghz; Memória: 256Mb; Discos: HD 40 GB; Placa de som on-board; Placa de Rede. 31/03/2009 1

5 Infra-Estrutura Administrativa e de Ensino e Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Software: Windows XP, Sistema Operacional; MS-Office XP Word, Excel, Power Point, Access; Adobe Pagemaker 6.5; Macromedia Dreamweaver 4; MatLab 12; MS-Visual Studio 6.0; Oracle 9i; Corel Draw 9 para editoração Gráfica; Explorer 5.5 Internet; Norton Anti-Virus 2000; Eletronics Workbench; Winzip desconpactador de arquivos. - Impressoras: 01 Okipage 8z; _ Outros Equipamentos: 01 Nobreak 1.2 KVA c/2 baterias seladas MCM control. Eletrônico; 23 Estabilizadores de voltagem isolados de 1 KVA force line; 02 Televisores 29 polegadas CCE. _ Redes, Acesso a Internet: O servidor de rede é o Back Office 4.5, onde estão 76 computadores conectados a ele. O acesso à internet está sendo feito via telefone (linha discada); o programa utilizado é o Proxy do Back Office 4.5, mas atualmente está sendo usado o Wingate 4.2,em fase de teste. - O UNIFAE firmou parcerias para obtenção de sistemas operacionais, programas de informática de última geração e cursos extracurriculares, com a ORACLE DO BRASIL, LOGOCENTER, SCO DO BRASIL, MICROSOFT DO BRASIL E SOFTWARE DESIGNER. A FAE dispõe, ainda, de equipamentos instalados para a transmissão de teleconferências, com uma Antena Parabólica 2.85, LNB, Divisor de 2 saídas, com alimentador. - A atualização dos programas de informática e dos equipamentos é realizada conforme solicitação do corpo docente, para atendimento aos projetos pedagógicos dos cursos e respectivos planos de ensino, bem como, pela própria equipe técnica dos laboratórios no sentido de acompanhar a evolução tecnológica do setor. (B) Serviços e atividades acadêmicas: Pessoal Técnico: - Responsável técnico Bacharel em Administração de Empresas e Mestrando em Administração de Empresas.- Suporte ao usuário, manutenção e fiscalização da utilização 2 professores assistentes, sendo um graduado em Ciências Econômicas e outro em Engenharia e em Informática - Sistemas de Informação e 02 estagiários do curso Informática - Sistemas de Informação. Atividades desenvolvidas: - Suporte didático-pedagógico a disciplinas dos cursos de Administração de Empresas, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Psicologia, Sistemas de Informação, Educação Física, Fisioterapia e Comunicação Social (Jornalismo e Publicidade e Propaganda). - Suporte ao corpo discente e docente como usuários de serviços de informática digitação, impressão e edição de documentos, acesso à rede Internet e demais utilizações; 3. Laboratórios de Informática III Sala equipada com sistema de refrigeração, sistema de intercomunicação através de rede, acesso a internet, bancadas para instalação dos micro-computadores, cadeiras e outros equipamentos necessários à sua utilização como suporte didático/pedagógico. Área: 45m² disponibiliza 18 terminais e 01 impressora. (A) Equipamentos e mobiliário - Servidor 01: Hardware: Processador: Pentium IV 2,4 MHz; Memória: 512mb; Discos: 1 HD 40 GB; Placa de Som on-board; CD-Rom 56X. Software: Adobe Acrobat Reader 4.0 Visualizador de arquivos; Corel Draw 9 Editoração Gráfica; Explorer 6 Internet; Norton Anti-Virus 2005; Office XP Word, Excel, Power Point, Access; Windows XP, Sistema Operacional; Winzip Descompactador de arquivos Máquinas Cliente: Hardware: Processador: Pentium IV 2.0 GHz; Memória: 512Mb; Discos: HD 40 GB; Placa de Rede; CD-Rom 56X. Software: Windows XP, Sistema Operacional; Office XP Word, Excel, Power Point, Access; Explorer 6 Internet; Norton Anti-Virus Impressoras: 01 HP LaserJet 4100N C8050A. - Outros equipamentos: 01 Switch com 24 portas RF45; 01 Estabilizador de voltagem Energie II URE10000TI E220S Redes, acesso a Internet: O servidor de rede é o Back Office 4.5, onde estão 76 computadores conectados a ele. O acesso à internet esta sendo feito via rádio, o programa utilizado é o Proxy do Back Office 4.5, mas atualmente esta sendo usado o Proxy + que esta em fase de teste. - O UNIFAE firmou parcerias para obtenção de sistemas operacionais, programas de informática de última geração e cursos extracurriculares, com a ORACLE DO BRASIL, LOGOCENTER, SCO DO BRASIL, MICROSOFT DO BRASIL E SOFTWARE DESIGNER. A FAE dispõe, ainda, de equipamentos instalados para a transmissão de teleconferências, com uma Antena Parabólica 2.85, LNB, Divisor de 2 saídas, com alimentador. - A atualização dos programas de informática e dos equipamentos é realizada conforme solicitação do corpo docente, para atendimento aos projetos pedagógicos dos cursos e respectivos planos de ensino, bem como, pela própria equipe técnica dos laboratórios no sentido de acompanhar a evolução tecnológica do setor. (B) Serviços e atividades acadêmicas: Pessoal Técnico: - Responsável técnico Bacharel em Administração de Empresas e Mestrando em Administração de Empresas. - Suporte ao usuário, manutenção e fiscalização da utilização 2 professores assistentes, sendo um graduado em Ciências Econômicas e outro em Engenharia e em Informática - Sistemas de Informação e 02 estagiários do curso Informática - Sistemas de Informação. Atividades desenvolvidas: - Suporte didático pedagógico a disciplinas dos cursos de Administração de Empresas, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Psicologia, Sistemas de Informação, Educação Física, Fisioterapia e Comunicação Social (Jornalismo e Publicidade e Propaganda). Suporte ao corpo discente e docente como usuários de serviços de informática digitação, impressão e edição de documentos, acessam a rede internet e demais utilizações; - Atualização do site do UNIFAE..4. Laboratórios de Informática IV (A) Espaço Físico Sala equipada com sistema de refrigeração, sistema de intercomunicação através de rede, acesso à Internet, bancadas para instalação dos micro-computadores, cadeiras e outros equipamentos necessários à sua utilização como suporte didático/pedagógico. Área: 45,5m² disponibilizam 28 terminais e 01 impressora. (B) Equipamentos e mobiliário - 28 Microcomputadores: Hardware: Processador: Pentiun IV 3GHZ; Memória: 1 GB; Discos: HD 80 GB; Placa de Vídeo: Geforce 128 MB; CR-Rom: 54X; Placa de Rede on-board; Placa de Som on-board. Software: Windows XP Professional; Office XP; Explorer 6.0 Internet; Norton Antivirus 2004; CERTUS Sistema de Cálculos Judiciais; SCTR Sistema de Cálculos Trabalhista. - Impressora: 01 HP Deskjet /03/2009 2

6 Infra-Estrutura Administrativa e de Ensino e Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO - Outros equipamentos: 28 Estabilizador de voltagem Energie II; 01 Switch com 24 portas; 01 Switch com 16 portas; 01 Tela Retrátil parede/teto. (C ) Serviços e atividades acadêmicas: Pessoal Técnico: - Responsável técnico Bacharel em Administração de Empresas e Mestrando em Administração de Empresas. - Suporte ao usuário, manutenção e fiscalização da utilização 2 professores assistentes, sendo um graduado em Ciências Econômicas e outro em Engenharia Civil e em Informática Sistemas de Informação e 02 estagiários do curso Informática - Sistemas de Informação. Atividades desenvolvidas: - Suporte didático pedagógico a disciplinas dos cursos de Administração de Empresas, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Psicologia, Sistemas de Informação, Educação Física, Fisioterapia e Comunicação Social (Jornalismo e Publicidade e Propaganda). Suporte ao corpo discente e docente como usuários de serviços de informática digitação, impressão e edição de documentos, acesso à rede internet e demais utilizações; 5. Laboratórios de Informática V (A) Espaço Físico Sala equipada com sistema de refrigeração, sistema de intercomunicação através de rede, acesso à Internet, bancadas para instalação dos micro-computadores, cadeiras e outros equipamentos necessários à sua utilização como suporte didático/pedagógico. Área: 55,0m² disponibilizam 30 terminais e 01 impressora. (B) Equipamentos O laboratório de informática V possui 30 microcomputadores com Processador Intel Corel 2 Duo 1.8 mhz, memória RAM 1GB, HD de 80GB, Unidade de DVD, monitor de tela plana de 17". Impressora HP Laser LabCom - Laboratório de Comunicação Área de Fotografia 01 Câmara Canon EOS 20D (digital/8.2 megapixel/objetiva zoom mm) 01 Câmara Canon Rebel XTI EOS (digital/10 megapixel/objetiva zoom mm) 03 Câmara Pentax MZ-60 (Hi-Tech/automática e manual/objetiva 50 mm) 02 Câmara Nikkon FM2 (mono-reflex/manual/objetiva 50 mm) 05 Câmara Kodak C-300 Easy Share (digital/3.2 megapixel/zoom 3x) 02 Objetivas Nikkor mm 01 Objetiva Canon EF Ultrasonic mm 03 Filtros p/ objetiva de câmara fotográfica de 52 mm tipo 1A - marca Kenko 04 Flash Pentax AF260sa (automático) 01 Flash Tron S-500 (automático/manual) 01 Flash Meter Minolta IV 01 Flash Eletrônico Canon 580 EX Speedlite 02 Cartão de Memória SanDisk Ultra II 512Mb (para câmara digital Canon) 01 Cartão de Memória SanDisk Ultra II 2Gb (para câmara digital Canon) 05 Cartão de Memória SanDisk SD 64Mb (p/ câmara digital Kodak Easy Share) 01 Cartão de Memória Panasonic SD 8Mb (para câmara digital Kodak) 01 Cartão de Memória SanDisk PQI 128Mb 02 Recarregador de Pilhas Panasonic BQ-390 Quick Charger 03 Ampliador de Negativos Preto e Branco MEOPTA sem objetiva 03 Objetiva de 50mm para ampliador fotográfico 03 Objetiva de 75mm para ampliador fotográfico 03 Timer Kohn para ampliador fotográfico 02 Cronômetro Digital de parede para laboratório fotográfico 10 Lanterna de segurança com filtro para laboratório fotográfico P/B 01 Mesa de Luz LUMATRON (negatoscópio) 01 Estufa ATEK BRASIL AT-076 para secagem de filmes e papéis 03 Filtros KENKO para objetiva de câmara fotográfica - 52mm tipo 1 01 Câmara escura manual para manuseio de filmes 01 Rebobinador de filmes formato Rebobinador de filmes King D/L com contador de fotogramas formato Lâmpadas para ampliador fotográfico 120X150 (Photo Lamp) 22 Espiral de aço inox 35mm marca Samigon 05 Tanque de aço inox para revelar 01 filme 35mm marca Samigon 02 Tanque de aço inox para revelar 02 filmes 35mm marca Samigon 03 Tanque de aço inox para revelar 04 filmes 35mm marca Samigon 07 Pinça de aço com ponteira de borracha para revelação de fotografias 06 Banheira plástica para revelação de fotografias - cor branca 30X40cm 01 Banheira plástica para revelação de fotografias - cor preta 50X60cm 04 Copo de plástico graduado até 100cc 15 Lâmpada vermelha para lanterna de segurança marca Sadokin 15X Rolo de tripa de plástico para proteção de filmes formato /03/2009 3

7 Infra-Estrutura Administrativa e de Ensino e Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO 05 Filtro para ajuste de contraste para ampliador e suporte (Ilford Multigrad) 01 Ebulidor para o preparo de químicos de revelação Área de Vídeo 01 Camcorder JVC GY-DV Palmcorder Panasonic PVDV402 (mini-dv, Webcam, Foto 1.0 Megapixel) 01 Vídeo Cassete JVC BR-DV600U (mini-dv) 01 Vídeo Cassete JVC SR-S365U (Super VHS) 02 Vídeo Cassete LG EC471B (VHS) 01 DVD Player / Recorder Philips 615 ILink 01 Monitor Sony 14" Trinitron PVM 14M4U 01 Microfone Lapela Senheiser EW312 UHF 01 Microfone de mão Senheiser E845 Supercardioide 03 Microfone Lapela Le Son ML Microfone de Mão Le Son SM-58 Plus 03 Baterias modelo CGR-D16S 7.4V 1600mAh para Palmcorder Panasonic PVDV Baterias para Camcorder JVC GY-DV Fone de Ouvido AKG K44 01 Fone de Ouvido AKG K66 01 Fone de Ouvido ProLuxe PRO Mixer MACKIE 1202 VLZ PRO 01 Mixer Ciclotron Wattsom AMBW Seletor de Vídeo Transcortec SV420 (4 entradas / 2 saídas) 02 Caixas de Som FOSTEX 6301B Personal Monitor 01 TV Mitsubishi 20 stereo TC Televídeo Panasonic Panablack 20 stereo 02 Microcomputadores com Gravador de DVD 02 Monitores LG 17LCD 01 Monitor LG Placa Matrox RT Software para Edição de Vídeo Adobe Premiere 5.0. Laboratório de Rádio 03 MD Recorder SONY MDS E10 02 CD Player TASCAM CD Duplo Deck TASCAM 202 MKIII 01 Híbrido GENTNER SPH10 01 Mixer MACKIE 1604 VLZ PRO 03 Microfone de Mão SHURE SM58 04 Fone de Ouvido AKG K66 01 Gravador de Mão Casio TP9 05 Gravador de Mão Panasonic RQ-L11 02 Caixas de Som FOSTEX 6301B Personal Monitor 02 Caixas de Som 60 WRMS Trapezoidal Staner 60P 02 Caixas de Som Sound Box 03 Suportes Reguláveis para Microfone WXO 01 Headphone Console RANE HC-4 01 Amplificador CYGNUS SA3AB 01 Equalizador CYGNUS EQ Rack Saturn IBOX com rodas para amplificador / equalizador 01 Microcomputador AMD Athlon 1.6Ghz, 512Mb RAM, 1HD 40Gb, 1HD 20Gb, Monitor 17 LG 700s Studioworks, Multimídia 40X Recorder, Windows XP 02 Microcomputadores com Leitor de CD 01 Scanner HP Scanjet 4470c 01 Software de tratamento de áudio Sound Forge 6.0 Estúdio de Foto / TV 01 Fundo infinito sintético nas cores amarelo, verde, branco, preto, azul e marrom claro 03 Refletor FRESNELL 1000w Loclight 01 Refletor FRESNELL 2000w Loclight 03 Refletor FRESNELL 1000w TM 3812 (Telem) 01 Tripé MANFROTTO modelo 117X (para camcorder GVC DV500) 01 Portable Dolly MANFROTTO 127VS Camara Suports 01 Tripé UN917 Studio-R para câmara fotográfica / filmadora 03 Tripé TELEM 02 Refletor Hazi-Light 1.00m 01 Sombrinha prateada média 01 Sombrinha branca difusora média 31/03/2009 4

8 Infra-Estrutura Administrativa e de Ensino e Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO 01Sombrinha dourada média 01 Armação tipo mesa com chapa 02 Flash eletrônico modelo 400 plus 01 Gerador ATEK 2.400W com 3 tochas e lâmpadas halógenas 01 Cone concentrador para flash eletrônico 01 Girafa média 05 Tripé Cadete II 03 Prato avulso para luz direta de 170mm 03 Prato Avulso para luz direta de 250mm 03 Cabo sincronismo liso compacto 05 metros 03 Cabo sincronismo Atex 10 metros 01 Girafa média 08 Roda solta (rodízio) NF.0168 na cor azul 12 Extensão de fio preto com conector Locoall macho/fêmea 09 Extensão de fio preto com conector comum Pial/Alumbra 18 Braçadeiras de ferro com 2 ajustes 03 Estabilizadores de voltagem Action B Girardi de 1KVA 09 Conector fêmea Locoall 3 furos 01 Cabeça para tripé MANFROTTO mod. 501 com encaixe p/ câmera de vídeo 06 Prato Grande (Panelão) com encaixe para varetas do Raize 01 Tripé pequeno sem cabeça para tocha (+ ou - 30cm) 01 Carregador seqüencial para 04 baterias IDX modelo i400 com 1 bateria NPH50 02 Soft Light Pano Agência Experimental de Publicidade e Propaganda Computador Pentium IV 3Ghz, 1Gb RAM, 1HD 80Gb, monitor 17semi-plana Philips 107St, Multimídia LG 52X Recorder, Windows XP 01 Impressora HP Deskjet Scanner HP Scanjet Software para Tratamento de Bitmaps Adobe Photoshop CS2 01 Suíte de Aplicativos Corel Draw Pacote de Aplicativos para Desenvolvimento de WEB Macromedia MX 2004 Agência de Comunicação (Jornalismo) 02 Microcomputadores 01 Impressora HP Deskjet 950C 01 Câmara Kodak CX-7300 Easy Share (digital/3.2 megapixel/zoom 3x) 01 Cartão de Memória Kodak SD Card 64Mb (para câmara digital Kodak) 02 Gravador de Mão Panasonic RQ-L11 02 Gravador de Mão Casio TP Biblioteca ligada a rede mundial de computadores? Sim - Quantidade de computadores: 30 Biblioteca: Caracterização do acervo Dados gerais (Número de livros, periódicos e áreas nas quais eles se concentram) BIBLIOTECA Dr. OLIVEIRA NETO O sistema de classificação adotado é CDU. As obras estão separadas nas estantes por assunto e o sistema é de livre acesso pelos consulentes. Os periódicos estão em espaço separado e também por assunto. A biblioteca é aberta ao público em geral para pesquisa local e circulante para alunos, professores e funcionários. Prazo de empréstimo de 5 dias, até 3 obras por consulente, com direito a renovação desde que a obra não tenha sido solicitada. Horário de atendimento: 2ª a 6ª feira: das 7:30 às 11:30 h / das 13:00 às 23:00 h Aos sábados: das 8:00 às 11:00 h Pessoal = 1 bibliotecária e 2 auxiliares. Espaço físico = 500m2, sendo uma sala para leitura, outra para acervo; uma sala com 16 micros e uma sala reservada. Acervo informatizado e empréstimo em fase de informatização. Dispõe de livre acesso á rede sem fio (Wi-fi), e uma bancada com 20 pontos de rede. Não tem serviço de cópias, pois a instituição possui sala própria para o mesmo. ACERVO ATÉ 2008: Livros: volumes Periódicos: volumes (65 títulos correntes) Vídeos, CDs e DVDs: 315 Total de obras: /03/2009 5

9 Infra-Estrutura Administrativa e de Ensino e Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Média anual de consultas e empréstimos: Atualização constante, de acordo com solicitação de professores, coordenadores ou sugestões de lançamentos em revistas especializadas, Internet e outros. Bibliotecária responsável: Eloisa Helena Graf Fernandes CRB/ REVISTAS - Brasileiros - Cadernos de Estudos FIPECAFI-USP-FEA - Cadernos de Psicologia da SBP Sociedade Brasileira de Psicologia - Cadernos de Saúde Pública Ministério da Saúde - Carta Capital Trevisan - Ciência e Profissão Cons. Federal de Psicologia - Conexão Unafisco Sindical - Estudos Econômicos FIPE - Fisioterapia Brasil - Fitness e Performance Journal Cobrase - Fenacon em Serviços Fenacon - Gestão Plus Gestão & RH - O Coffito Conselho Fed. de Fisioterapia e Terapia Ocupacional - Paidéia-Cadernos de Psicologia e Educação FFCL RP/USP - PC World IDG Brasil - Pequenas Emp. Grandes Negócios Editora Globo - Pesquisa e Debate PUC/SP - Pesquisa FAPESP - RA USP Revista Administração FEA/USP - RAE - Revista Adm. de Empresas Fundação Getúlio Vargas - REP - Revista Ensino Particular Editora Fiscal - Resultado do Tesouro Nacional Ministério da Fazenda - Revista About Versat Editora - Revista Agitação CIEE - Revista Análise Econômica UFRGS - Revista AS Perspectiva - Revista BNDES Editora BNDES - Revista Brasileira de Contabilidade CFC - Revista Brasileira de Fisioterapia UFSCAR - Revista Bravo ABRIL - Revista Caros Amigos Casa Amarela - Revista do Brasil - Revista Computer World do Brasil IDG - Revista Conjuntura Econômica Fundação Getúlio Vargas - Revista Contra Relógio Redijo Produções e Editora - Revista Administ. Contemporânea ANPAD - Revista de Ciência e Administração FEESC - Revista de Contábil. CRC SP CRC-SP - Revista de Fisioterapia da USP USP - Revista de Psicanálise Integral PRÓTON EDITORA - Revista E.F. CONFEF - Revista Economia Aplicada Dept. Econ. FEA/USP/FIPE - Revista Economia Política Centro Econ. Polít. - Editora 34 - Revista Ensino Superior Semesp - Revista Época Editora Globo - Revista Exame Editora Abril - Revista Fenacon FENACON - Revista Fisio & Terapia - Revista Forbes Brasil Editora JB S.A. - Revista HSM-Management Editora Savana - Revista Info - Exame Editorial Abril - Revista Informática hoje Plano Editorial - Revista Informationweek It Mídia - Revista Isto é Editora Três Irmãos - Revista Log & Man - Revista Marketing Referencia - Revista Meio & Mensagem Meio & Mensagem - Revista Mercado Global - Revista Moviment. Armazenagem IMAM - Revista Newsweek Newsweek - Revista Nova Editora Abril - Revista Nutrição Brasil Atlântica Editora - Revista Problemas Brasileiros SESC/SENAC - Revista Propaganda Referencia 31/03/2009 6

10 Infra-Estrutura Administrativa e de Ensino e Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO - Revista Reflexão PUCC - Revista Rumos ABDE - Revista Saúde Editora Abril - Revista SOCESP SOCESP - Revista Suma Econômica Suma Econômica - Revista Super Interessante Editora Abril - Revista Tecnologística Artenova - Revista Tela Viva - Revista Tendências do Trabalho Editora Tama Ltda - Revista Veja Editora Abril - Revista Você S.A.Editora Abril - Temas em Psicologia da SBP Sociedade Brasileira de Psicologia - Viver Mente e Cérebro JORNAIS - Folha de São Paulo - Jornal da Tarde - Jornal do CRC-MG - Jornal do Economista CORECON/SP - Jornal do IMAM - Jornal do MEC - Jornal dos Economistas CORECON/RJ - Jornal SOCESP - O Estado de São Paulo - PSI Jornal de Psicologia CRP-SP - Valor Econômico - Via Subsede CRC/SP Sub-sede Campinas FOLHETOS, BOLETINS E OUTROS - Boletim CRC/SP - Boletim do CFC - Boletim do IBRACON Brasil Outlook Suma Econômica - Economia em Perspectiva CORECON/SP - Informe REP - Informe SINDECON/SP - Resultado do Tesouro Nacional STN Espaço Físico Instalações para o acervo e leitura e estudos individuais. A Biblioteca ocupa duas salas com aproximadamente 500 m2, sendo que uma sala abriga o acervo e o espaço para estudo e leitura, com 8 mesas de 4 lugares cada. A segunda sala abriga o acervo de periódicos e jornais, funciona como espaço para atendimento, possui 2 micro-computadores e 4 mesas com 4 lugares. Não dispõe de sala exclusiva para estudos individuais, ficando, esse espaço, na mesma sala que abriga o acervo. Multimídia: A Videoteca com aproximadamente 143 fitas, alguns DVDs, CD-ROMs e disquetes. Informatização: A informatização da biblioteca está sendo concluída. O acervo de livros já está informatizado, só faltando informatizar o de periódicos, vídeos e o serviço de empréstimo. A preocupação quanto à conclusão da informatização é grande, e já se adquiriu novo software para trabalhar em rede com a instituição. Política de aquisição, expansão e atualização: A atualização do acervo da Biblioteca do UNIFAE é permanente e contínuo. Conforme solicitação dos professores, coordenadores e acadêmicos, é enviada à Reitoria solicitação de pedidos entregues à biblioteca. De acordo com a demanda, após autorização, é encaminhada ao departamento de licitações e compras para as devidas providências. Financiamentos: Investimentos Valor Equipamentos R$ ,00 Laboratório de Anatomia R$ 9.612,00 Laboratório de Comunicação R$ 6.350,00 Laboratório de Eng. Mecânica e Química R$ ,20 Laboratório de Informática R$ ,06 Mobiliário R$ ,44 Total... R$ ,70 Gastos realizados em 2008 R$ ,70 Orçamento R$ ,00 R$ ,00 Gastos com Pessoal Previsto Realizado Pessoal Docente R$ ,00 R$ ,37 31/03/2009 7

11 Infra-Estrutura Administrativa e de Ensino e Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Pessoal de Apoio R$ ,00 R$ ,01 Total... R$ ,00 R$ ,38 Investimentos reais em 2008 Valor Periódicos/Base de dados R$ ,30 Livros R$ ,88 Equipamentos R$ ,70 Viagens /Eventos R$ ,78 Total... R$ ,66 Investimentos para 2009 Valor Móveis/Equipamentos/Livros R$ ,00 Construções R$ ,00 Total... R$ ,00 Informações adicionais: Existe um projeto para construção de mais 14 salas de aulas, no exercício , com todos os equipamentos didáticos e recursos audiovisuais, para atender á demanda do curso de Mestrado e graduação em geral Infra-Estrutura e apoio ao Ensino e Pesquisa O UNIFAE mantém dois programas de pesquisa (PAPEC e PAIC), que são estímulos e apoio ao desenvolvimento de trabalhos de pesquisa interdisciplinares, com a participação de alunos de graduação e pós-graduação, dos professores e pesquisadores membros do programa de mestrado e de outros pesquisadores. Entende-se que estes projetos são a base para o reforço da produção acadêmica interdisciplinar e serão ampliados e direcionados ás linhas de pesquisa do programa de mestrado em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida. São coordenados por docentes da instituição, ligados aos cursos de graduação, e que deverão alinhar-se ás linhas de pesquisa propostas pelo Mestrado. A seguir são apresentados os projetos em andamento. Projetos de pesquisa em andamento PAPEC (2008/2009) 1º - A Educação Física Na Visão Dos (As) Diretores (As) Da Rede Escolar Estadual (Núcleo: Inclusão Social). Msc.Rita de C. B. de Oliveira Msc. Sebastião Á. Galdino Msc.Sérgio Eduardo Nassar Educação Física 2º - Gostando de gente: experiências psicossociais como fator de inclusão social Núcleo: (Inclusão Social) Dra. Carmen B. R. Fabriani Msc.Guilherme M. Junqueira Dra. Maria Izabel F. Sares Esp.Maria José G.M. da Silva Psicologia, Administração, Educação Física e Comunicação Social 3º - A (in) dependência da criança com deficiência motora na perspectiva materna (Núcleo: Qualidade de Vida e Desenvolvimento Sustentável) Msc.Shirley Rosana Ribeiro de Barros Galhardi Psicologia 4º- DROMOCRACIA E A EXCLUSÃO DIGITAL (Núcleo: Inclusão Social) Msc.Francisco De Assis Carvalho Arten Comunicação Social. Jornalismo e PP 5º- Violência Escolar: conduta agressiva e de cooperação do alunado em sala de aula, na visão do professor (Núcleo: Inclusão Social) Dr. Lucas Vieira Dutra Psicologia 6º - Efeito do ultra-som contínuo terapêutico no crescimento e metástases de Carcinoma Mamário Em Ratas ( Núcleo: Qualidade de Vida e Desenvolvimento Sustentável) Msc. Laura F. de Rezende Dra. Eunice Cristina S. Costa Dr.Marcolino Fernandes Neto Fisioterapia 7º- Atividades Aquáticas Adaptadas para Deficientes Físicos e/ou Mentais (Núcleo: Inclusão Social) Dra.Maria Helena C. Toledo Msc.Mônica C. P. Andrade Psicologia e Fisioterapia 8º - Qualidade de Vida e Capacidade Funcional de Idosos Institucionalizados. (Núcleo: Qualidade de Vida e Desenvolvimento Sustentável) Dra. Erica Passos Baciuk Dra.Maria Helena C. Toledo MSc.Vagner Luiz da Silva Fisioterapia e Educação Física Projetos de pesquisa em andamento PAIC (2008/2009) Curso Nome do Projeto e Curso Professor (a) Orientador (a) Psicologia Avaliação do bem-estar subjetivo de professores universitários Dra. Valdete Maria Ruiz Psicologia Brincando com crianças com deficiência mental M.Sc. Shirley Rosana R. Barros Galhardi Psicologia Sociedade auto sustentável: consumo de água Dra. Carmen Betariz Fabriani 31/03/2009 8

12 Infra-Estrutura Administrativa e de Ensino e Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Psicologia Avaliação Psicológica e neuropsicológica da atenção em crianças com e sem queixa de dificuldade de aprendizagem M.Sc. Betânia Alves Veiga Dell?Agli Psicologia Treinamento de habilidades sociais na infância como promotora de uma cultura de paz M.Sc. Claudia Maria Tamaso Psicologia Estudo sobre as formas de preconceito contra homossexuais M.Sc. Rosa Helena de Carvalho Serrano Psicologia Adolescente e suas Dificuldades com as Normas Sociais Dr. Esequiel Laço Gonçalves Psicologia Saúde Mental na 3ª idade: melhoria da qualidade de vida Dr. Lucas Vieira Dutra Psicologia Doença de Alzheimer: a relação do cuidador com o paciente Dr. Lucas Vieira Dutra C. Contábeis O papel do UNIFAE no desenvolvimento sustentável de SJBVista M.Sc. Sergio Venicio Dragão Economia Economia solidária e inclusão social: análise nas cooperativas de produção de SJBVista - SP M.Sc. Jose Antônio dos Santos Mattos Economia Perfil das empresas localizadas nos distritos industriais I e II de SJBVista M.Sc. Emerson Ap. Pelaquim Rabelo Economia Viabilidade de diferentes óleos vegetais brasileiros para a produção de biodiesel M.Sc. Marco Aurélio Ferreira Comunicação PP Jornal do para brisa: um veículo de folk comunicação Dr. Gleber Paula Comunicação Jornalismo Ensino a distância e meios de comunicação: Propostas para excelência em comunicação M.Sc. Alice Orru Comunicação Jornalismo A mulher jornalista na editoria de esportes M.Sc. Maria do Socorro F. Veloso Comunicação PP Caracterização do PNE em peças publicitárias M.Sc. Ana Cristina S. Silva Sist. de informação Técnicas para redução de escala em imagens digitais M.Sc. Milene Arantes Sist. de informação Estudo de procedimentos de extração de dados aplicados a previsão de geadas Dra. Claudia Regina Milaré Sist. de informações Estratégias assistivas para tornar sites acessíveis aos portadores de necessidades especiais Ms. Cristiane Yae-Mi Imamura Administração Pioneirismo da Sarah Salomão Dra. Maria Izabel Ferezin Sares Fisioterapia Análise da freqüência do gene hemoglobina S em população de estudantes de fisioterapia e SJBVista M.Sc. Adão Carlos Bertoncin Fisioterapia Análise biomecânica da musculatura do abdômen no pos-operatório de reconstrução mamaria pelo músculo reto abdominal. M.Sc. Laura Rezende O reforço da produção acadêmica para manifestar uma abordagem interdisciplinar se dará a partir do esforço em integrar os projetos de pesquisa dos programas programas de PAPEC e PAIC, já existentes na instituição, aos três grande projetos de pesquisa integradores, vinculados ás linhas de pesquisa do Mestrado. Desta forma, será possível colocar docentes e alunos de graduação e de pós-graduação trabalhando juntos em projetos de pesquisa, desenvolvendo conhecimento integrado e interdisciplinar, com vínculos diretos com as necessidades das comunidades locais e regionais, contribuindo para fazer da FAE uma instituição mais pró-ativa em pesquisa, ensino e extensão LIVRO UNIFAE: PESQUISAS E TEMÁTICAS A FAE mantém a publicação de um livro intitulado PESQUISAS E TEMÁTICAS com publicação anual, que tem por objetivo a socialização de novas perspectivas, estimulando o debate acadêmico e divulgando idéias que contribuam para o desenvolvimento de conceitos e práticas alinhadas aos três eixos norteadores da instituição nos projetos de pesquisa, a saber: 1) QUALIDADE DE VIDA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: o ambiente e as condições individuais, visando desenvolver projetos que propiciem o bem estar e colaborem na prevenção e reabilitação das condições de saúde, assim como dos processos de produção de bens e serviços, contribuindo para o desenvolvimento nas diferentes dimensões da sustentabilidade. 2) GESTÃO DE NEGÓCIOS: o ambiente sócio-econômico e político com implicações sobre os negócios de pequenas e médias empresas, desenvolvendo projetos que busquem a eficácia de procedimentos e instrumentos de gestão, no intuito de propiciar a transparência destas condições e facilitar o empreendedorismo. 3) INCLUSÃO SOCIAL: condições de exclusão social, econômica, política e cultural das minorias, principalmente mulheres, jovens e crianças; desenvolver projetos buscando a organização das demandas destes grupos e propiciar o acesso a bens e serviços, bem como a expressão de suas potencialidades e necessidades. O conteúdo editorial do livro PESQUISAS E TEMÁTICAS está voltado aos interesses da comunidade acadêmica (professores, pesquisadores e estudantes), aos empresários e ao público em geral. Podem ser editados números especiais versando sobre um tema específico, considerando os três eixos norteadores da instituição nas pesquisa conforme anteriormente definidos. Todo material recebido é submetido à Comissão Editorial, a qual cabe a responsabilidade de recomendar ou não a publicação, considerando para tanto a qualidade, a pertinência do tema face à linha editorial e o espaço disponível. Os pareceres da Comissão Editorial não serão divulgados. São publicados materiais inéditos. Em casos excepcionais, a critério da Comissão Editorial, serão aceitos artigos já publicados em outra publicação. Os autores ao enviarem seus textos para avaliação se comprometem a não submeterem o mesmo material a outra publicação. Os trabalhos enviados são analisados por revisores, especialistas reconhecidos em cada tema abordado, para tanto os textos são encaminhados sem a identificação do(s) autor(es), no sistema "blind review" - e a decisão final sobre a publicação cabe à Comissão Editorial REVISTA PENSAMENTO PLURAL 31/03/2009 9

13 Infra-Estrutura Administrativa e de Ensino e Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO A FAE mantém uma revista científica, intitulada "Pensamento Plural", que pretende contribuir para a difusão do conhecimento científico, com uma linha editorial que abre também espaço para a produção da graduação, da pós-graduação e da pesquisa dentro de uma dimensão multidisciplinar. A revista tem periodicidade semestral e enfoca artigos relacionados aos três núcleos de pesquisa mantidos pela FAE: 1. Gestão de Negócios 2. Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida 3. Inclusão Social. 31/03/

14 Caracterização da Proposta Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Contextualização institucional e regional da proposta São João da Boa Vista está na região da Serra da Mantiqueira, em São Paulo, distante a 40 Km da divisa com Minas Gerais. Entre os setores econômicos da região, destaca-se a indústria, os serviços, a agropecuária e a agroindústria, sendo o que mais apresenta interesse em expandir é o setor industrial. A atual política de industrialização oferece uma série de benefícios visando atrair investimentos nos diversos setores produtivos, comerciais e de serviços. Com cerca de habitantes, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,843 é considerado o 15º melhor do estado de São Paulo. A região ainda é carente de um curso de pós-graduação Stricto-Sensu, para formar professores e pesquisadores voltados para estudar os interesses regionais. Este é um curso de pós-graduação Stricto-sensu, que fornece ao aluno o diploma de Mestre, capacitando-o e qualificando-o para a pesquisa acadêmica e para a docência superior. Busca capacitar pesquisadores, docentes e profissionais para uma prática transformadora social e ambiental, através da incorporação do método científico e da gestão e aplicação de conhecimentos adquiridos, contribuindo desta forma para uma melhor tomada de decisão no cotidiano organizacional. A justificativa da opção do Curso de Mestrado em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida pela área de concentração em sustentabilidade e qualidade de vida está fundamentada pela demanda social e das organizações regionais e do esforço da comunidade e de lideranças em promover desenvolvimento com qualidade de vida. Estes esforços são refletidos nos trabalhos de pesquisa e extensão do UNIFAE, contando com resultados concretos, frutos de um trabalho continuado dos mais diversos setores da sociedade. A região de São João da Boa Vista, reúne empresários e clientes exigentes e que procuram o que há de melhor em termos de infra-estrutura adequada aliada á qualidade de vida. São João da Boa Vista é um município que reúne ótimas características para empreendimentos, com boas vantagens competitivas, como localização, segurança, clima, topografia, recursos naturais, etc.. A região, com aproximadamente habitantes, oferece qualidade de vida no trabalho e em sociedade, com a promoção da saúde e dos aspectos sociais, culturais, educacionais e ambientais. A busca pela qualidade de vida e a preocupação com a sustentabilidade de seus empreendimentos, diferenciais da região, requerem, a formação de uma capacidade gerencial e empresarial específica. Cabe às IES, a tarefa de desenvolver conhecimentos e habilidades que tenham como foco principal negócios de elevado valor agregado e compatíveis com uma opção de crescimento sustentável que eleve ainda mais o padrão de vida, e preserve sua qualidade. Esta proposta é a que, por intermédio deste projeto de Mestrado, abraça o Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE, "UNIFAE", através do seu centro de pós-graduação, a Pró- Reitoria de Pós-graduação e Pesquisa. Histórico do curso A instituição O Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino (FAE), com sede no município de São João da Boa Vista, Estado de São Paulo, é uma instituição de ensino municipal, autarquia, pluricurricular, criada pela Lei nº 633, de 01 de março de 2001, da Prefeitura Municipal de São João da Boa Vista, SP, por via da transformação das Faculdades Associadas de Ensino, integrando o Sistema Estadual de Ensino. O Centro Universitário, enquanto Autarquia Municipal, atende a legislação da administração pública, possui autonomia didático-científica, administrativa, de execução orçamentária e disciplinar, conforme a Lei Municipal nº 633, de março de 2001 e é fiscalizado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. O Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino (FAE) foi credenciado pela Portaria CEE/GP nº118/04 - DOE de 03/08/2004. Em 2002, dando continuidade ao que já vinha oferecendo, há mais de 15 anos, cursos de pós-graduação lato sensu, o UNIFAE firmou convênio com o Instituto Nacional de Pós-Graduação - INPG, oferecendo diversos cursos. Atualmente, oferece os seguintes cursos de pós-graduação lato-sensu:. Controladoria e Auditoria,. Gestão Corporativa de Negócios,. Comunicação Pública e Empresarial,. Psicologia Organizacional e do Trabalho,. Psicologia Clínica, Fisiologia do Exercício,. Treinamento Desportivo,. MBA Executivo em Gestão Empresarial,. MBA em Finanças e Controladoria. MBA em Recursos Humanos. Especialização em Inclusão: Necessidades Educacionais Especiais,. Psicopedagogia. Fisioterapia Aplicada à Saúde da Mulher O sistema de Gestão da Instituição é integrado por meio de três níveis de organização, constituídos pelos órgãos da Administração Superior, da Administração Acadêmica e Órgãos Suplementares, por meio de regime colegiado respeitado o disposto na LDB e suas alterações, assim como os princípios da qualidade do ensino previstos no Plano Nacional de Educação (PNE) e Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior (SINAES), integrando o Sistema Estadual de Ensino. Em 2005, o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI (2005 / 2010) foi aprovado pela Resolução CONSU nº 09/2005), que constitui um marco para o Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino, pois nele encontram-se novos rumos para os próximos cinco anos, explicitando os seus propósitos, as suas realizações e potencialidades, além de ser referencial para o planejamento anual. Também em 2005, orientando-se pelas Diretrizes Curriculares Nacionais, foram reestruturados os diversos Projetos Pedagógicos de Cursos, regulamento do CEPE, regimento do CONSU, Programa de Apoio à Iniciação Científica (PAIC), Programa de Apoio à Pesquisa Científica (PAPEC), instalação e regulamento da Comissão Própria de Avaliação (CPA) e da Comissão Interna de Avaliação (CIA), regulamentos dos diversos laboratórios, clínicas e ginásio poliesportivo. Em 2007, foi aprovado o Projeto Pedagógico Institucional (PPI), que se constitui em documento relevante, de caráter permanente, construído com a 31/03/2009 1

15 Caracterização da Proposta Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO participação da comunidade acadêmica, e que deverá ser um norteador do Centro Universitário (Resolução CEPE Nº09/2007). Apesar da inexistência, nos primeiros tempos da FAE, de qualquer perspectiva de aplicação em pesquisas acadêmicas, dos cursos de graduação e pós-graduação, tais como existem atualmente, ou mesmo como já existia nos grandes centros, percebe-se que isoladamente os professores e as diversas turmas formadas geraram trabalhos acadêmicos que embasaram os interesses ligados á sustentabilidade e á qualidade de vida na IES, o que foi atestado por alunos e docentes que cursaram pós-graduações stricto sensu em áreas correlatas. No início da década de 2000, houve a contratação de professores doutores, titulados em áreas afins ao curso proposto, criando condições para o surgimento desta proposta. Em 2007 a Reitoria do UNIFAE decidiu iniciar esforços para criar sua primeira pós-graduação stricto-sensu. Foram selecionados 18 docentes concursados e contratados pela autarquia, com doutorado, e com produção científica compatível, em diferentes áreas afins do conhecimento. Estes docentes já desenvolviam pesquisas em suas respectivas áreas, e passaram a integrar um grupo de pesquisas da instituição, com um enfoque multidisciplinar, agregando duas grandes áreas: Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida. As pesquisas e orientações anteriormente desenvolvidas por estes docentes foram a base da proposta deste curso, e de sua experiência, como docentes e pesquisadores, emergiu esta proposta de curso de mestrado, com uma visão ampla, pluralista e interdisciplinar Programa de Pós-Graduação UNIFAE Pós-Graduação Stricto Sensu - Curso de Mestrado em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida A base conceitual do curso possibilita ao aluno a compreensão aprofundada dos desafios profissionais, fornecendo instrumental para a resolução prática das questões relacionadas á promoção do desenvolvimento sustentável regional e da qualidade de vida. Objetivo do Curso: 1. A geração e a consolidação da pesquisa e da produção acadêmico-científica, por meio da formação de pesquisadores, de docentes e de outros profissionais qualificados para atuar nas áreas correlatas, tendo como referência metodológica a transdisciplinaridade e como temática básica o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida; 2. A intervenção na realidade regional, por meio do diagnóstico dos problemas, da reflexão crítica e da busca de alternativas capazes de contribuir para a construção de um processo de desenvolvimento sustentável, apto a gerar qualidade de vida, inclusão social e redução dos impactos ambientais. 3. A formação de profissionais capazes de criar e disseminar modelos inovadores de promoção da sustentabilidade corporativa e pública, do desenvolvimento sustentável em todos os sentidos, da educação ambiental e da cidadania. 4. Proporcionar aos profissionais uma formação multidisciplinar atualizada em desenvolvimento sustentável, e na comunicação de práticas para a promoção da Qualidade de Vida. Público-alvo O Curso de Mestrado em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida destina-se a: - Profissionais de empresas, governo ou do terceiro setor que tenham que lidar com o desenvolvimento, a comunicação sócio-ambiental e a sustentabilidade em suas atividades profissionais; - Graduados em cursos superiores, que tenham como objetivo tornarem-se profissionais na área de desenvolvimento e sustentabilidade: pesquisadores, docentes e transformadores da realidade organizacional. O curso é indicado para profissionais que desejem aprofundar sua capacitação nas áreas do conhecimento do desenvolvimento sustentável e qualidade de vida, com enfoque sócio-ambiental, almejando tornarem-se docentes, pesquisadores e líderes, aliados á uma sólida formação que permita seguir uma carreira acadêmica. Concepção do Curso O curso de Mestrado em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida tem a duração média de 2 anos, sendo o ano letivo organizado em quatro trimestres. O curso tem uma duração mínima de 12 meses e máxima de 30 meses, considerando possibilidades de receber alunos com créditos a aproveitar, e também receber alunos que necessitem cursar as disciplinas de nivelamento. O curso envolve pelo menos 25 horas semanais de atividades, entre aulas teóricas e atividades práticas, como pesquisas, leituras, exercícios e discussões. Integram os 4 primeiros trimestres as disciplinas obrigatórias do curso, além das disciplinas de nivelamento, quando necessárias. Os trimestres seguintes compreendem as disciplinas eletivas e atividades de preparação da dissertação. Cada crédito corresponde a 15 horas-aula. Os alunos deverão cursar um mínimo de 24 créditos (360 horas) divididos entre disciplinas básicas (obrigatórias) e de disciplinas letivas. No segundo ano, os alunos completam sua formação com disciplinas relacionadas aos temas de pesquisa e com o desenvolvimento da dissertação, cujo conteúdo deve ter relação com um problema da vida real (com possibilidades de aplicação/replicação) e com os recursos oferecidos pelo curso. A dissertação totaliza 15 créditos. Perfil do profissional a ser formado: Pretende-se formar docentes, pesquisadores e profissionais com formação interdisciplinar para atuar em órgãos públicos, privados e do terceiro setor, em atividades relacionadas à sustentabilidade dos sistemas produtivos e de serviços. Os egressos serão agentes de transformação, na academia ou nas organizações, transformação entendida como resultante da ação conjunta dos fatores ambientais e sócio-econômicos, que são a base para um desenvolvimento sustentável e para a promoção da qualidade de vida. O profissional formado pelo curso será capaz de integrar estes diferentes saberes e competências por meio da utilização de instrumentos teórico-metodológicos e práticos. Estas condições são essenciais para a formação multidisciplinar dentro do objetivo de contribuir para o desenvolvimento e consolidação de atividades de ensino, pesquisa e extensão na temática da sustentabilidade dos sistemas de produção e prestação de serviços, a partir das inter-relações dos fatores ambientais e sócio-econômicos. 31/03/2009 2

16 Caracterização da Proposta Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Portanto pretende-se formar pesquisadores, docentes e profissionais: 1) Comprometidos com o entendimento e aplicação de conceitos e métodos que promovam a sustentabilidade das organizações e a qualidade de vida; 2) Dotados de uma efetiva base científica e técnica para uma visão integrada e de natureza interdisciplinar na busca do desenvolvimento sustentável; 3) Capazes de produzir e difundir o conhecimento científico e o desenvolvimento sustentável visando a melhoria da qualidade de vida; 4) Qualificados para consolidar e avançar os conhecimentos disponíveis, contribuindo diretamente em nível científico, e indiretamente, em níveis político, econômico, sociocultural e ambiental, para a implantação de sistemas auto-sustentáveis de produção e serviços; 5) Habilitados para formulação, planejamento e execução de políticas públicas e de desenvolvimento que visem o desenvolvimento socioeconômicoambiental, local e regional. Estrutura Curricular ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Linhas de Pesquisa: (1) Desenvolvimento Sustentável de Operações (Produção e Serviços) (2) Qualidade de Vida no Trabalho (3) Políticas Públicas Descrição das Linhas de Pesquisa: (1) Desenvolvimento Sustentável de Operações (produção e serviços) Esta linha de pesquisa aborda a Sustentabilidade Corporativa. Um novo tipo de empresa tem surgido: socialmente responsável e preocupada com questões ambientais, estas organizações incluem em seus planejamentos estratégicos questões muito mais abrangentes do que as tradicionais metas econômico-financeiras. São organizações preocupadas com sua inserção no meio onde operam que buscam levar em conta necessidades e preocupações de todos os seus públicos de interesse - clientes, empregados, comunidades, governo, parceiros, fornecedores. E ainda visam a criação de valor ao acionista no longo prazo. Entre outras características apontam-se a transparência frente a investidores, padrões de governança elevados e a gestão de recursos humanos orientada pela capacitação e satisfação de seus funcionários. O sucesso deste tipo de empresa é constantemente apontado por investidores, que, há algum tempo, passam a analisar em suas prospecções, os índices e relatórios de sustentabilidade, além de outros indicadores, divulgados pelas Bolsas de Valores. Pesquisas nesta linha consideram como atrelar as operações (produção e serviços) com questões sociais, ambientais e econômicas. (2) Qualidade de Vida no Trabalho Esta linha de pesquisa visa auxiliar empresas e instituições públicas e privadas a planejar, implantar e aprimorar a competência de gestão de qualidade de vida no trabalho, por meio da realização de estudos, pesquisas e prestação de serviços (extensão). O conceito de Qualidade de Vida no Trabalho que é adotado como referência é gestão e educação para o bem estar no trabalho, com decisões e escolhas baseadas na cultura organizacional e no estilo de vida das diferentes situações profissionais. As responsabilidades dos profissionais envolvidos com o tema Qualidade de Vida no Trabalho requerem, cada vez mais, novas competências, conduzidas por pessoal interno, terceiros, ou mesmo compartilhadas. Envolve ainda questões relacionadas a Ergonomia e Usabilidade: Qualidade de Vida no Trabalho, em Casa, na Cidade. Pesquisas nesta linha consideram um amplo espectro de situações e problemas relacionados ao aumento da qualidade de vida, vinculada ao melhor desempenho das atividades operacionais no trabalho. (3) Políticas Públicas Esta linha de pesquisa está inserida no debate sobre a dimensão política da sustentabilidade naescala local, que tem como objetivo formas públicas e participativas de gestão. Os atores inseridos no processo de elaboração de diretrizes de políticas públicas devem receber do poder gestor municipal possibilidades no controle de recursos para decisões políticas. Pretende-se estudar questões em relação às práticas participativas de gestão, que considerem se, de fato, elas incorporam em sua formulação práticas sustentáveis de desenvolvimento com atuação da população, e de quem tem sido a competência da formulação de tais proposições. Poderão ser analisadas questões especificas como por exemplo como os atores sociais exercem a democracia, particularmente em pequenos municípios, na elaboração de políticas públicas municipais. Por outro lado, poderão ser consideradas questões macro, como por exemplo, as políticas públicas para reduzir as diferenças entre homens e mulheres, que podem ser formuladas com a identificação e a quantificação do tempo gasto com atividades não remuneradas, como trabalhos domésticos, estudo e lazer. Estudos nesta linha relacionam outras dimensões ligadas à construção do desenvolvimento sustentável, não se restringindo a ambiental e a econômica. Identificam-se, por exemplo, as dimensões política e social, quando a sustentabilidade é construída através de sujeitos políticos atuantes em seu ambiente sócio-econômico-cultural, recebendo do poder público possibilidades no controle de recursos para decisões políticas. Utilizando tais dimensões em estratégias para a construção da sustentabilidade pública, podem ser analisadas situações em que ocorram o predomínio de políticas e ações capazes de garantir uma sustentabilidade comprometida com a justiça social, nos seus aspectos distributivos e espaciais, eliminando a desigualdade no acesso aos frutos da civilização material. Dentre os objetos de interesse para investigação destacam-se a) o resgate das funções sociais do Estado para garantir o direito à cidade (atendimento aos direitos básicos, a construção da cidadania e combate a especulação e privatização dos bens naturais e das ações públicas a partir da construção de políticas públicas e de sua democratização); b) a defesa pelos atores em considerar o espaço como instância social onde se possam construir novos modelos de desenvolvimento, baseados no planejamento sóciopolítico que favoreçam a distribuição de renda, justiça social e mecanismos que garantam acesso menos desigual aos recursos naturais e ambientais que integram a variedade de meios construídos do espaço urbano brasileiro; c) a gestão democrática em todos os níveis da federação para possibilitar a participação da população no planejamento, na operação e governo das cidades, e no desenvolvimento das políticas públicas para a sustentabilidade Processo Seletivo O processo seletivo para ingresso no curso é semestral. O Processo seletivo é composto por três fases: (1) análise de currículo, (2) prova escrita e (3) análise de um anteprojeto de dissertação e entrevista. 31/03/2009 3

17 Caracterização da Proposta Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Entrada: 10 alunos/semestre Total de docentes permanentes no programa: 18 professores Média do curso em pleno funcionamento: 2,2 discentes / docente Obs: Quando estiver em pleno funcionamento, com 4 turmas em andamento, o curso poderá manter uma razão de 2,2 discentes por docente (40 / 18 = 2,2), considerando prováveis desistências e evasões, esta média poderá ainda ser reduzida REQUISITOS PARA OBTENÇÃO DO TÍTULO - Para obtenção do título de Mestre em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida, nas respectivas áreas de concentração, o aluno deverá cumprir um mínimo de 45 créditos (675 horas-aula) assim distribuídos: (1 crédito = 15 horas/aula) NIV - Disciplinas de Nivelamento: 3 (três), quando necessário (sem créditos). O aluno pode ser dispensado, mediante aprovação em exame de suficiência. DBA - Disciplinas Básicas (Obrigatórias): 4 (quatro) - 12 (doze) créditos (180 h/a) DDC - Disciplinas de Domínio Conexo (Eletivas): mínimo de 4 (quatro) - 12 (doze) créditos (180 h/a) Seminário de Pesquisa: 6 (seis) créditos (90 h/a) Elaboração da Dissertação de Mestrado: 15 (quinze) créditos (225 h/a) TOTAL DE CRÉDITOS: 45 (quarenta e cinco) créditos (675 h/a) Cooperação e intercâmbio O UNIFAE busca desenvolver acordos de cooperação em programas de pós-graduação e pesquisas com instituições nacionais e internacionais. Celebrou convênio de cooperação técnico-científica com a Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, a partir do ano letivo de 2006, já com dois aditivos: - Aditivo 1: com a Faculdade de Engenharia Química -FEQ, da UNICAMP e o Centro Universitário UNIFAE no curso de Engenharia Química e Ciências Ambientais; - Aditivo 2: com a Faculdade de Engenharia Mecânica - FEM, da UNICAMP e o Centro Universitário UNIFAE no curso de Engenharia Mecânica e Ciência de Materiais. Este convênio é de grande valia numa cooperação técnico-científica para a promoção e apoio das pesquisas a serem desenvolvidas para as dissertações de mestrado. O "CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA" firmado em 22 de maio de 2006 com a UNICAMP, tem como objeto, em sua cláusula primeira: "O presente convênio tem por objeto estabelecer mútua cooperação técnica e científica entre o CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE e a UNICAMP, visando a promoção de intercâmbio científico, parcerias e a realização de projetos conjuntos de ensino, pesquisa e extensão, com o aperfeiçoamento em áreas de mútuo interesse através dos meios indicados a seguir: 1. Intercâmbio de docentes e pesquisadores; 2. Implementação de projetos conjuntos de pesquisa; 3. Promoção de eventos científicos e culturais; 4. Intercâmbio de informações e publicações acadêmicas; 5. Intercâmbio de estudantes. Associação de IES Tipo: Nenhuma Descrição complementar: Relação das demais IES participantes 31/03/2009 4

18 Áreas de Concentração/Linhas de Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Áreas de Concentração Nome Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Descricao No mundo todo, tem-se verificado o aumento do debate em torno do sentido do desenvolvimento. Esse fato decorre da constatação de que o desenvolvimento baseado somente no crescimento econômico não tem sido capaz de diminuir a pobreza e melhorar as condições de vida de uma grande parcela da população. O aumento do número de desastres ambientais e o impacto dos mesmos nos recursos naturais e na qualidade de vida da população fez com que surgisse um novo conceito de desenvolvimento, denominado desenvolvimento sustentável. O desenvolvimento sustentável é compreendido pela Comissão Mundial de Meio Ambiente e Desenvolvimento como: o desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das futuras gerações satisfazerem suas próprias necessidades. A concepção de Desenvolvimento Sustentável tem suas raízes na Conferência das Nações Unidas sobre meio ambiente urbano, realizada em Estocolmo, em Junho de Existem diferentes interpretações para este conceito que, sem dúvida, é sinônimo de equilíbrio entre preservação do meio ambiente e desenvolvimento econômico e social. Portanto uma sociedade sustentável, num olhar mais amplo e sistêmico, significa rever padrões de produção e consumo para que as necessidades presentes não comprometam as gerações futuras. O atual modelo de crescimento econômico gerou enormes desequilíbrios: se por um lado, nunca houve tanta riqueza e fartura no mundo, por outro lado, a miséria, a degradação ambiental e a poluição aumentam dia-a-dia. Diante desta constatação, surgiu a idéia do Desenvolvimento Sustentável (DS), buscando conciliar o desenvolvimento econômico com a preservação ambiental e, ainda, ao fim da pobreza no mundo. De acordo com os princípios norteadores da Agenda 21, a humanidade de hoje tem a habilidade de desenvolver-se de uma forma sustentável, entretanto é preciso garantir as necessidades do presente sem comprometer as habilidades das futuras gerações em encontrar suas próprias necessidades. A área de concentração DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E QUALIDADE DE VIDA tem o objetivo maior de investigar situações, iniciativas, casos, problemas e soluções para permitir desenvolver em harmonia com as limitações ecológicas e sociais do planeta, ou seja, sem destruir o ambiente, para que as gerações futuras tenham a chance de existir e viver bem, de acordo com as suas necessidades (melhoria da qualidade de vida e das condições de sobrevivência). Busca estudar meios sobre como conseguir conciliar tanto progresso e tecnologia com um ambiente saudável. Acreditando que isso seja possível, é exatamente o que se propõe com esta linha de pesquisa: investigar formas de obter-se "equilíbrio entre tecnologia e ambiente, relevando-se os diversos grupos sociais de uma nação e também dos diferentes países na busca da equidade e justiça social". Para alcançarmos o DS, a proteção do ambiente tem que ser entendida como parte integrante do processo de desenvolvimento e não pode ser considerada isoladamente. O crescimento não conduz automaticamente à igualdade nem à justiça sociais, pois não leva em consideração nenhum outro aspecto da qualidade de vida a não ser o acúmulo de riquezas, que se faz nas mãos apenas de alguns indivíduos da população. Já o desenvolvimento, preocupa-se com a geração de riquezas sim, mas tem o objetivo de distribuí-las, de melhorar a qualidade de vida de toda a população, levando em consideração, portanto, a qualidade ambiental do planeta. O DS tem seis aspectos prioritários que são entendidos como metas, e nos quais se baseia a área de concentração deste programa de Mestrado: 1) A satisfação das necessidades básicas da população (educação, alimentação, saúde, lazer, etc); 2) A solidariedade para com as gerações futuras (preservar o ambiente de modo que elas tenham chance de viver); 3) A participação da população envolvida (todos devem se conscientizar da necessidade de conservar o ambiente e fazer cada um a parte que lhe cabe para tal); 4) A preservação dos recursos naturais (água, oxigênio, etc); 5) A elaboração de um sistema social garantindo emprego, segurança social e respeito a outras culturas (erradicação da miséria, do preconceito e do massacre de populações oprimidas, como por exemplo os índios); 6) A efetivação dos programas educativos. Na tentativa de chegar ao DS, sabe-se que a Educação é parte vital e indispensável, pois é a maneira mais direta e funcional de se atingir pelo menos uma de suas metas: a participação da população. Este enfoque também é prioritário nas linhas de pesquisa do programa de mestrado 31/03/2009 1

19 Áreas de Concentração/Linhas de Pesquisa Identificação da Proposta: Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E QUALIDADE DE VIDA Nome Descricao proposto. Sustentável é aquilo que se pode manter, conservar; é o que pode permanecer e continuar, sem se esgotar, a partir dos processos de renovação, de conservação. Sustentabilidade existe no mundo natural, na reciclagem da matéria. Os elementos químicos que formam o ar atmosférico, as rochas, o solo e a água são utilizados inicialmente pelos produtores, passam pelas cadeias alimentares e os detritos, assim como os cadáveres, são decompostos pelos microorganismos, principalmente bactérias e fungos, sendo devolvidos ao ambiente e assim estão prontos para serem reutilizados, em um processo contínuo. A reciclagem, palavra de ordem da natureza, é um dos fatores de equilíbrio e devia ser imitado pela sociedade humana. Pensar em desenvolvimento sustentável, requer, em primeiro lugar, refletir sobre qualidade de vida. Muitas pessoas traduzem qualidade de vida como quantidade de produtos a serem consumidos e acumulados pelos indivíduos. Ao mesmo tempo comparam a natureza a um grande supermercado, onde os produtos estão dispostos para serem tomados, independentemente de suas características e possibilidades de renovação, e de sua articulação com os demais ítens nas outras prateleiras. Atualmente não existe espaço suficiente no planeta para abrigar todo o resíduo das atividades humanas. Esse resíduo, conhecido simplesmente como lixo, é o resultado de produção e consumo desenfreados, em nome de tecnologia, conforto e bem estar do ser humano. No entanto, começamos a nos defrontar com um grande problema, nem os princípios da reciclagem: reduzir, reutilizar e reciclar, se fossem bem seguidos, poderiam nos livrar do problema do lixo. É preciso refletir, não somente nesses três importantes princípios, mas também em não gerar lixo. Além disso esbarramos no problema de esgotamento da biodiversidade, e degradação dos recursos naturais, solo e água, em nome do crescimento populacional e consequentemente, expansão das fronteiras agrícolas, para sustento da população. O desenvolvimento sustentável pode ser também considerado um desenvolvimento inteligente que necessita de uma comunidade inteligente composta por indivíduos (jovens, adultos, idosos, políticos, professores, comerciantes, agricultores, membros religiosos, etc) que reconhecem suas melhores qualidades e atributos e estão dispostos a utilizá-las com a finalidade de contribuir para o bem-estar coletivo, para a melhoria da qualidade de vida de todos os seres vivos sobretudo os mais necessitados. A relação entre desenvolvimento sustentável e prosperidade (qualidade de vida) é o foco desta área de concentração do programa de mestrado proposto. Diante dos grandes problemas gerados por esta conjuntura atual, torna-se urgente uma reavaliação da relação do indivíduo com o meio que o cerca. Vivemos uma crise civilizatória e não simplesmente uma crise ambiental. Á medida que aumenta a prosperidade, desejamos mais coisas e consumimos mais. Com o consumo, cresce o uso de recursos, a geração de resíduos e a produção de CO2. Enquanto isso ocorrem tempestades, grandes inundações, secas prolongadas e alterações climáticas sem precedentes. Estamos comprometendo o equilíbrio do oxigênio e do dióxido de carbono no globo terrestre pela derrubada de florestas e queimadas sem planejamento e sem limites. Através da poluição dos efluentes líquidos que despejamos permanentemente nos oceano, rios e lagos, estamos reduzindo as espécies vivas e perturbando os equilíbrios ecossistêmicos e interferindo na regulagem da peculiar atmosfera do planeta. Estudos e projeções científicas mostram que a sociedade poderia multiplicar por quatro sua produtividade sem consumir mais recursos. Esta idéia se baseia na crença de que através de tecnologias mais eficientes, um maior uso de reciclagem e uma melhor gestão e desenho, a sociedade poderia crescer sem causar mais danos ecológicos. Sob essa teoria, subsidia-se a noção de capital natural, uma espécie de sistema de contabilidade mundial de todos os recursos ecológicos, os quais passarão a influenciar as ações do mercado financeiro mundial. Será possível comercializar com a ecologia de modo que quanto mais escassos seus recursos, maior seu valor e assim assegurar sua sobrevivência, como por exemplo, a compra de cotas de carbono. Esta atrativa idéia poderá contribuir muito para os que projetam, incorporam e constroem edifícios. Na atualidade, metade da população vive em Zonas urbanas. Desses, a quarta parte aproximadamente vive em cidades com mais de um milhão de habitantes e a metade em cidades de mais de oito milhões. Só mediante o uso de tecnologias ambientalmente eficientes, maior respeito aos recursos naturais e a substituição de recursos não renováveis pelas práticas renováveis e auto-suficientes poderá fazer frente a essa pressão. A sustentabilidade tem surgido como prioridade política enquanto que, paralelamente se tem consolidado uma crescente conscientização que se nutre de um novo estado de ânimo da opinião pública e do qual não devemos abrir mão em nossa estratégia de negócios. Os métodos e as tecnologias aplicadas ao desenho sustentável já se encontram em um estágio avançado de desenvolvimento. O que ainda falta é que os profissionais, os investidores e as empresas dêem prioridade às questões ambientais e que a sustentabilidade inspire a atuação 31/03/2009 2

20 Áreas de Concentração/Linhas de Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Nome Descricao da indústria da construção em todos os seus estágios. O tema qualidade de vida tem sido objeto de reflexão devido a busca de melhores condições de vida, devendo ser enfatizada a promoção da saúde, englobando diversos fatores que determinam a qualidade de vida da população. Pode-se afirmar que a saúde é um dos principais parâmetros, porém há vários indicadores que visam quantificá-la, e serão abordados posteriormente. Na I Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde realizada em 1986, em Otawa, foi elaborada a Carta de Ottawa, que propõe, dentre outras atuações, cinco campos centrais para a promoção da saúde e da Qualidade de Vida: (1) Elaboração e implementação de políticas saudáveis, devendo ser prioridade no setor saúde, incluindo legislações, medidas fiscais, mudanças organizacionais, além de ações intersetoriais que visem a equidade em saúde, distribuição de renda e políticas sociais. (2) Criação de ambientes favoráveis à saúde, incluindo tanto a conservação do meio ambiente e recursos naturais quanto o ambiente de trabalho, lazer, lar, escola, cidade, devendo estes serem valorizados pelo setor saúde. (3) Reforço da ação comunitária, enfatizando o seu poder técnico e político para fixar prioridades, propor intervenções e estratégias que assegurem melhor nível de saúde, através de informação e educação em saúde. (4) Desenvolvimento de habilidades pessoais, sendo imprescindível informações e educação em saúde para que os indivíduos tenham consciência da importância do coletivo em saúde e da sua responsabilidade para a promoção da saúde. (5) Reorientação do Sistema de Saúde para priorizar a promoção da saúde, além de serviços assistenciais, de acordo com a mudança do paradigma da saúde, sendo descartado o modelo biomédico e individualista para o de promoção da saúde com abordagem coletiva. A promoção da saúde é um dos fatores para garantir melhor qualidade de vida da população. Deve-se respeitar a satisfação das necessidades mais elementares da vida humana: alimentação, acesso a água potável, habitação, trabalho, educação, saúde, lazer, conforto, bem-estar e realização individual e coletiva. Para a obtenção da medida da qualidade de vida, foram desenvolvidos instrumentos para quantificá-la, sendo o mais difundido o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Este indicador avalia a capacidade do indivíduo, ou seja, o que está apto a realizar, através da análise das condições de renda, educação e saúde da população como elementos fundamentais para a qualidade de vida: - Renda: avaliada pelo Produto Interno Bruto (PIB) real per capita; - Saúde: avaliada pela esperança de vida ao nascer; - Educação: avaliada pela taxa de alfabetização de adultos e taxas de matriculados nos níveis primário, secundário e terciário combinados. Com relação a qualidade de vida no trabalho (QVT), houve grandes progressos devido ao modo de organização do trabalho, estando parte das empresas valorizando seus integrantes, possibilitando maior atuação no processo de produção, aumento da motivação no trabalho e garantindo uma maior qualidade do produto, bem como o favorecimento da saúde mental e física do trabalhador. Não se pode falar em qualidade do produto sem tocar na qualidade dos ambientes e condições de trabalho, o que seria sobremaneira auxiliado pela democratização das relações sociais nos locais de trabalho. Para proporcionar condições para que haja melhoria da qualidade de vida no trabalho e do trabalhador algumas empresas preocupadas com este enfoque e em manter também a qualidade de seus produtos e a produtividade têm utilizado estratégias para favorecer estas condições, como por exemplo, a ginástica laboral, períodos de descanso dentro da rotina do trabalho (pausas), maior participação do trabalhador na organização e tomada de decisões no processo de produção, dentre outras. As empresas devem pensar a saúde do trabalhador numa nova perspectiva, a da promoção à saúde no trabalho, que tem reflexos na competitividade das empresas e do próprio país, além de investir na qualidade de vida no trabalho e do trabalhador. Isso ocorre devido a determinados aspectos serem importantes tanto para a empresa quanto para o país, como é o caso do custo com os dias de afastamento, a retirada precoce do trabalho por invalidez e os acidentes de trabalho. Deve ainda ser considerada a relação saúde mental e trabalho, uma vez 31/03/2009 3

21 Áreas de Concentração/Linhas de Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Nome Descricao que tem-se elevado o número de pessoas acometidas, principalmente por distúrbios leves, como ansiedade, tristeza, depressão e stress. A qualidade de vida no trabalho (QVT), representa em que graus os membros da organização são capazes de satisfazer suas necessidades pessoais através do seu trabalho na organização. Por meio desta descrição percebe-se a complexidade e a multidisciplinaridade desta área de concentração DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E QUALIDADE DE VIDA. Verifica-se a importância das organizações valorizarem os trabalhadores, enfatizando as condições físicas e psicológicas dos mesmos, possibilitando oportunidades para estarem em sintonia com os objetivos da instituição. Ao priorizar nas tomadas de decisões os seis aspectos prioritários do Desenvolvimento Sustentável e nos cinco campos centrais para a promoção da saúde e da Qualidade de Vida as instituições e os governos estarão investindo na elaboração de seus produtos, garantindo um melhor qualidade e produtividade e caminhando em direção á sustentabilidade. É este direcionamento que a área de concentração em questão pretende dar, de forma multidisciplinar e aberta á investigação de situações, casos, problemas e soluções para promover e valorizar a sustentabilidade das organizações e qualidade de vida em todos os seus aspectos. Nome Políticas Públicas Área de concentração Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Descricão Esta linha de pesquisa está inserida no debate sobre a dimensão política da sustentabilidade na escala local, que tem como objetivo formas públicas e participativas de gestão. Os atores inseridos no processo de elaboração de diretrizes de políticas públicas devem receber do poder gestor municipal possibilidades no controle de recursos para decisões políticas. Pretende-se estudar questões em relação às práticas participativas de gestão, que considerem se, de fato, elas incorporam em sua formulação práticas sustentáveis de desenvolvimento com atuação da população, e de quem tem sido a competência da formulação de tais proposições. Poderão ser analisadas questões especificas como por exemplo como os atores sociais exercem a democracia, particularmente em pequenos municípios, na elaboração de políticas públicas municipais. Por outro lado, poderão ser consideradas questões macro, como por exemplo, as políticas públicas para reduzir as diferenças entre homens e mulheres, que podem ser formuladas com a identificação e a quantificação do tempo gasto com atividades não remuneradas, como trabalhos domésticos, estudo e lazer. Estudos nesta linha relacionam outras dimensões ligadas à construção do desenvolvimento sustentável, não se restringindo a ambiental e a econômica. Identificam-se, por exemplo, as dimensões política e social, quando a sustentabilidade é construída através de sujeitos políticos atuantes em seu ambiente sócio-econômico-cultural, recebendo do poder público possibilidades no controle de recursos para decisões políticas. Utilizando tais dimensões em estratégias para a construção da 31/03/2009 4

22 Áreas de Concentração/Linhas de Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Nome Área de concentração Descricão sustentabilidade pública, podem ser analisadas situações em que ocorram o predomínio de políticas e ações capazes de garantir uma sustentabilidade comprometida com a justiça social, nos seus aspectos distributivos e espaciais, eliminando a desigualdade no acesso aos frutos da civilização material. Dentre os objetos de interesse para investigação destacam-se: a) o resgate das funções sociais do Estado para garantir o direito à cidade (atendimento aos direitos básicos, a construção da cidadania e combate a especulação e privatização dos bens naturais e das ações públicas a partir da construção de políticas públicas e de sua democratização); b) a defesa pelos atores em considerar o espaço como instância social onde se possam construir novos modelos de desenvolvimento, baseados no planejamento sócio-político que favoreçam a distribuição de renda, justiça social e mecanismos que garantam acesso menos desigual aos recursos naturais e ambientais que integram a variedade de meios construídos do espaço urbano brasileiro; c) a gestão democrática em todos os níveis da federação para possibilitar a participação da população no planejamento, na operação e governo das cidades, e no desenvolvimento das políticas públicas para a sustentabilidade. Esta linha de pesquisa apresenta três enfoques principais, assim definidos e com os objetivos especificados a seguir: (1)Inclusão social e processos de intervenção psicossocial Objetivos: estudar as possibilidades de processos de intervenção participativa com populações de mulheres e crianças com fator de inclusão social. Setores de atividade: Serviços coletivos prestados pela administração pública na esfera da segurança e ordem pública, inclusive defesa civil; Saúde humana; Educação. (2) Intervenções psicossocias como fator de inclusão social. Objetiva estudar as condições de exclusão social, econômica, política e cultural das minorias, principalmente mulheres, jovens e crianças articuladas com processos de intervenção psicossocial no sentido da construção da autonomia.. (3) Processos psicológicos na avaliação do risco Objetivos: Objetiva estudar os processos de avaliação do risco a partir da percepção das variaveis ambientais e a construção de uma cultura de segurança. Qualidade de Vida no Trabalho Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Esta linha de pesquisa visa auxiliar empresas e instituições públicas e privadas a planejar, implantar e aprimorar a competência de gestão de qualidade de vida no trabalho, por meio da realização de estudos, 31/03/2009 5

23 Áreas de Concentração/Linhas de Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Nome Desenvolvimento Sustentável de Operações (Produtos e Serviços) Área de concentração Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Descricão pesquisas e prestação de serviços (extensão). O conceito de Qualidade de Vida no Trabalho que é adotado como referência é gestão e educação para o bem estar no trabalho, com decisões e escolhas baseadas na cultura organizacional e no estilo de vida das diferentes situações profissionais. As responsabilidades dos profissionais envolvidos com o tema Qualidade de Vida no Trabalho requerem, cada vez mais, novas competências, conduzidas por pessoal interno, terceiros, ou mesmo compartilhadas. Envolve ainda questões relacionadas a Ergonomia e Usabilidade: Qualidade de Vida no Trabalho, em Casa, na Cidade. Pesquisas nesta linha consideram um amplo espectro de situações e problemas relacionados ao aumento da qualidade de vida, vinculada ao melhor desempenho das atividades operacionais no trabalho. Esta linha de pesquisa aborda a Sustentabilidade Corporativa, envolvendo produção e serviços. Um novo tipo de empresa tem surgido: socialmente responsável e preocupada com questões ambientais, estas organizações incluem em seus planejamentos estratégicos questões muito mais abrangentes do que as tradicionais metas econômico-financeiras. São organizações preocupadas com sua inserção no meio onde operam que buscam levar em conta necessidades e preocupações de todos os seus públicos de interesse - clientes, empregados, comunidades, governo, parceiros, fornecedores. E ainda visam a criação de valor ao acionista no longo prazo. Entre outras características apontam-se a transparência frente a investidores, padrões de governança elevados e a gestão de recursos humanos orientada pela capacitação e satisfação de seus funcionários. O sucesso deste tipo de empresa é constantemente apontado por investidores, que, há algum tempo, passam a analisar em suas prospecções, os índices e relatórios de sustentabilidade, além de outros indicadores, divulgados pelas Bolsas de Valores. Pesquisas nesta linha consideram como atrelar as operações (produção e serviços) com questões sociais, ambientais e econômicas. 31/03/2009 6

24 Caracterização do Curso Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Nível: MESTRADO ACADÊMICO Objetivos / Perfil profissional a ser formado: Este é um curso de pós-graduação stricto-sensu, que fornece ao aluno o diploma de Mestre, capacitando-o e qualificando-o para a pesquisa acadêmica e para a docência superior. Busca capacitar pesquisadores, docentes e profissionais para uma prática transformadora social e ambiental, através da incorporação do método científico e da gestão e aplicação de conhecimentos adquiridos, contribuindo desta forma para uma melhor tomada de decisão no cotidiano organizacional. A justificativa da opção do Curso de Mestrado em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida pela área de concentração em sustentabilidade e qualidade de vida está fundamentada pela demanda social e das organizações regionais e do esforço da comunidade e de lideranças regionais em promover desenvolvimento com qualidade de vida. Estes esforços são refletidos nos trabalhos de pesquisa e extensão do UNIFAE, contando com resultados concretos, frutos de um trabalho continuado dos mais diversos setores da sociedade. Total de créditos para titulação: Disciplinas: 30.0 Tese/Dissertação: 15.0 Outro: Periodicidade de Seleção: Semestral Vagas por Seleção: 10 Descrição sintética do esquema de oferta do curso: Disciplinas de pós-graduação em Mestrado para Desenvovimento Sustentável e Qualidade de Vida: as disciplinas eletivas serão oferecidas a cada semestre conforme interesse, vinculação com as pesquisas riso, e disponibilidade dos professores. Requisitos para obtenção do título de Mestre: Para obtenção do título de Mestre em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida, nas respectivas áreas de concentração, o aluno deverá cumprir um mínimo de 45 créditos (675 horas-aula) assim distribuídos: (1 crédito = 15 horas/aula) NIV - Disciplinas de Nivelamento: 3 (três), quando necessário (sem créditos). O aluno pode ser dispensado, mediante aprovação em exame de suficiência. DBA - Disciplinas Básicas (Obrigatórias): 4 (quatro) - 12 (doze) créditos (180 h/a) DDC - Disciplinas de Domínio Conexo (Eletivas): mínimo de 4 (quatro) - 12 (doze) créditos (180 h/a) Seminário de Pesquisa: 6 (seis) créditos (90 h/a) Elaboração da Dissertação de Mestrado: 15 (quinze) créditos (225 h/a) TOTAL DE CRÉDITOS: 45 (quarenta e cinco) créditos (675 h/a) Requisitos: Disciplinas de Nivelamento, quando necessário, a critério da coordenação Disciplinas Obrigatórias e Eletivas Exame de suficiência / proficiência em língua estrangeira (inglês) Exame de Qualificação Defesa pública da dissertação de mestrado. A avaliação das disciplinas e de outras atividades expressará os níveis de desempenho do aluno,de acordo com os seguintes conceitos: A - EXCELENTE com direito a créditos; B - BOM com direito a créditos; C - REGULAR com direito a créditos; D - DEFICIENTE sem direito a crédito; E - REPROVADO sem direito a crédito; I - INCOMPLETO Relação das áreas de concentração Nome Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida 31/03/2009 1

25 Disciplinas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO DBA-1 - METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Sim Carga Horária: 45 Créditos: 3.0 Área(s) de Concentração: Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Ementa Abordagem histórico-filosófica sobre a questão da ciência e do método; Aspectos teóricos relacionados com o processo de produção científica e sua relação com tecnologia ambiental; Elementos para organização trabalhos científicos incluindo os relacionados com conclusão de curso de pósgraduação; Orientação para o desenvolvimento do processo de pesquisa no que se refere a definição do problema, universo amostral, coleta e análise de dados, normas da ABNT; Especificidade de experimentos/ensaios. Bibliografia ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Abreviação de títulos de periódicos e publicações seriadas. Procedimento, NBR [Rio de Janeiro], p. ASTI VERA, Armando. Metodologia da pesquisa científica. Trad. Maria Helena Guedes Crespo; Beatriz Marques Magalhães. 5. ed. Porto Alegre: Editora Globo, p. Tradução de Metodología de la investigación. BEN-DAVID, Joseph. O papel do cientista na sociedade: um estudo comparativo. Trad. Dante Moreira Leite. São Paulo: Pioneira Ed., p. - Tradução de The scientist's role in society: a comparative study. CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Aleixo. Metodologia científica: para uso dos estudantes universitários. 3. ed. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, p. CATANI, Denice Bárbara; MIRANDA, Hercília Tavares de; MENEZES, Luís Carlos de et al. Universidade, escola e formação de professores. São Paulo: Ed. Brasiliense, p. DEMO, Pedro. Pesquisa: princípio científico e educativo. São Paulo: Cortez, FERREIRA, Sueli Mara S. P.; KROEFF, Márcia S. Referências bibliográficas de documentos eletrônicos. São Paulo: APB, v. (Ensaios da APB, 35 e 36). MINAYO, M. C. de S. et all. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, TRIVIÑOS, Augusto N. S. Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, BARDIN, L. Análise de Conteúdo, Lisboa, Edições 70, BERNDT, A. e OLIVEIRA, L. H. de. A Construção do Saber Administrativo por meio de Replicagens em Pesquisas por Levantamento (Survey). Revista ANGRAD. Associação Nacional dos cursos de Graduação em Administração. v.6,n. 3. Jul-Ago-Set., Rio de Janeiro: ANGRAD, p GOODE, William J. e HATT, Paul K. Métodos em pesquisa social. Companhia Editora Nacional, 6ª edição, KOLB, David A. Experiential Learning - Experience as the source of learning and development. Prentice Hall YIN, Robert K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, DBA-2 - DESENVOLVIMENTO REGIONAL SUSTENTÁVEL Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Sim Carga Horária: 45 Créditos: 3.0 Área(s) de Concentração: Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Ementa Temas considerados fundamentais para o entendimento da crise do modelo ocidental de desenvolvimento, muitas vezes reduzida a uma crise ambiental. Durante todo o semestre será estimulada a reflexão sobre as possíveis causas dessa crise, assim como algumas das alternativas de mudanças propostas ao longo das décadas passadas e transformações que já podem ser vislumbradas nas áreas da ciência, da educação, da tecnologia, da gestão e da política. Análise da experiência brasileira. Desenvolvimento, subdesenvolvimento e as dimensões da crise ecológica. Os desequilíbrios ecossistêmicos urbanos e rurais. A política nacional do meio ambiente. Bibliografia BRANCO, S. M. Ecossistêmica. Uma abordagem integrada dos problemas do meio ambiente. 2 ed. S.Paulo. Editora Edgar Blucher Ltda, BURKE, J., ORNSTEIN, R. O presente do fazedor de machados: os dois gumes da história da cultura humana. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, CAPRA, F. O Ponto de Mutação. A Ciência, a Sociedade e a Cultura Emergente. São Paulo. Editora Cultrix, CAPRA, F. A teia da vida. Uma nova compreensão científica dos seres vivos. São Paulo: Editora Cultrix, CHARDIN, P. T. O fenômeno humano. São Paulo: Editora Cultrix, 14a. ed CASTORÍADIS, Cornelius. As encruzilhadas do labirinto II - Domínios do homem. Rio de Janeiro, Editora Paz e Terra, p CAVALCANTI, R.N. Mineração e desenvolvimento sustentável. Casos da CVRD. Tese de doutorado. EPUSP, COMISSÃO MUNDIAL SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, DAMBRÓSIO, U. A era da consciência. São Paulo: Editora Fundação Peirópolis, GOSWAMI, A. O universo autoconsciente: como a consciência cria o mundo natural. Rio de Janeiro: Editora Rosa dos Tempos, HAWKEN, P. ET ALLI. Capitalismo Natural. Criando a próxima revolução industrial. São Paulo: Editora Cultrix, HENDERSON, H. Construindo um mundo onde todos ganhem. A vida depois da guerra da economia global. São Paulo: Editora Cultrix. HERRERA, A. O. A Grande Jornada. A Crise Nuclear e o Destino Biológico do Homem. Rio de Janeiro, Editora Paz e Terra, HERRERA, A.O. Los Recursos Minerales y los Limites del Crecimiento Economico. Buenos Aires, Siglo Veintiuno Editores S.A.,1974. HERRERA, A. O. et alli. Catastrophe or New Society? A Latin American LAMA, D. Uma ética para o novo milênio. Rio de Janeiro: Sextama, LASZLO, I. Macrotransição. O desafio para o terceiro milênio. São Paulo: Axis Mundi, Antakarana,/Willis Harman House, MARIOTTI, H. As paixões do ego. Complexidade, política e solidariedade. São Paulo: Palas Athena, MARGULIS, S. Meio Ambiente: Aspectos Técnicos e Econômicos. Rio de Janeiro, IPEA/ Brasília, IPEA/PNUD, /03/2009 1

26 Disciplinas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO MATURANA, H. A ontologia da realidade. Belo Horizonte: Ed. UFMG, MAY, P.H. E MOTA, R.S. (org). Valorando a Natureza. Análise Econômica para o Desenvolvimento Sustentável. Ed. Campus, Rio de Janeiro, MEADOWS, D. et alli. The Limits to Growth. New York: Universe Books, MERICO, L.F.K Introdução à Economia Ecológica. Editora da FURB, Blumenau, 1996 (Coleção Sociedade e Ambiente no 1). MORIN, E. Ciência com consciência. 2a Ed. Rio de Janeiro: Bertrand, NORGAARD, R. Development betrayed. The end of progress and a coevolucionary revisioning of the future. New York: Routledge, PASSET, R. L?economique et le vivant. Paris: Payot, SACHS, I. Ecodesenvolvimento. Crescer sem destruir. São Paulo: Vértice, SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Editora Record, SUNKEL, O.; PAZ, P. El desarrollo latinoamericano y la teoria del desarrollo. Mexico, Siglo XXI Editores, DBA-3 - GESTÃO DE PROJETOS SUSTENTÁVEIS Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Ementa Sim Carga Horária: 45 Créditos: 3.0 Área(s) de Concentração: Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Estratégia Empresarial e Meio Ambiente; Desenvolvimento Sustentável e Negócios Ambientais; Gestão Tecnológica para Produtos e Processos Sustentáveis; Interface Empresa/Comunidade; Gestão da Produção e Meio Ambiente; Gestão de pessoas e meio ambiente; Responsabilidade Social e Demonstrativos Públicos; Indicadores de Desempenho Socioambiental. Aspectos conceituais e metodológicos relacionados ao desenvolvimento e avaliação de projetos sustentáveis. Abordagens de elaboração de projetos, considerando-se contextos sociais, políticos e espaciais em que esses projetos são a base da intervenção. Projetos de Desenvolvimento Local. Metodologia de Pesquisa Participante em Projetos Comunitários. Movimentos sociais e mobilização social. Implementação de projetos locais. Técnicas de intervenção comunitária. Avaliação de projetos locais. Estratégias corporativas de Responsabilidade Social, na gestão de projetos sociais, utilizando metodologias e ferramentas apropriadas, e na captação de recursos financeiros, segundo legislação e normas pertinentes, além de outras possibilidades. Tecnologia Social: aparatos tecnológicos (produtos, equipamentos, etc.) ou organizacionais (processos, mecanismos de gestão, relações, valores) que permitam interferir positivamente na produção de bens e serviços e, assim, na qualidade de vida de seus membros, gerando resultados sustentáveis no tempo e reprodutíveis em configurações semelhantes. Bibliografia ALMEIDA, F. Os desafios da Sustentabilidade: uma ruptura urgente. Rio de Janeiro: Campus ARMANI, Domingos. Como Elaborar Projetos: Guia Prático para Elaboração e Gestão de Projetos Sociais. Porto Alegre: Tomo Editorial, ASHLEY, P. et al. Ética e responsabilidade social nos negócios. São Paulo: Saraiva, BATISTA, E., FUJIHARA,M.A. Caminhos da Sustentabilidade no Brasil. São Paulo: Terra das Artes Bennett, Martin & James Peter. The green bottom line: Environmental Accouting for Management, pp30-60, 1998 CAMPOS, Regina H. F. (Org.) Psicologia Social Comunitária. Petrópolis, Vozes, COHEN, Allan R.; FINK, Stephen L. Comportamento organizacional. Conceitos e estudos de casos. 7ª ed. Rio de Janeiro: Campus, CORAL, E. Modelo de Planejamento Estratégico para a Sustentabilidade Empresarial Tese (Doutorado em Engenharia da Produção) Universidade Federal de Santa Catarina,Florianópolis, SC, CORAL, E; ROSSETTO, C. R.; SELIG, P. O Planejamento Estratégico e a Formulação de Estratégias Econômicas, Sociais e Ambientais: Uma Proposta em Busca da Sustentabilidade Empresarial. In: IBEROAMERICAN ACADEMY OF MANAGEMENT INTERNATIONAL CONFERENCE. 3., 2003, São Paulo. Anais?. São Paulo: IBERO, COSTA, Benny K. e ALMEIDA, Martinho I. R. Estratégia: perspectivas e aplicações. São Paulo: Atlas, Desenvolvimento Social: Desafios e Estratégias. Rio de Janeiro: EICOS/UFRJ, FERRELL, O.C. et al. Etica empresarial. Rio de Janeiro: Reichmann e Afonso Editores, FRANGUETTO, F.W. Viabilização Jurídica do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) no Brasil. Editora Fundação Peirópolis, São Paulo, GHILHERME, A.L. Sustentabilidade soba a ótica global e local. S.Paulo: Annablume GLADWIN, Thomas N., Kennelly, James J. and Krause, Tara-Shelomith - Shifting paradigms for sustainable development: implications for management theory and research. Academy of Management Review, vol. 20, nº 4, GORE, ALBERT. Uma Verdade Incoveniente- O que devemos saber (e fazer) sobre o aquecimento global. Barueri, SP: Manole, HART, S. L. A Natural-Resource-Based View of the Firm. Academy of Management Review, v.20, n.4, p , HART, S. L. Strategies for a sustainable world. Harvard Business Review, v.75, n.1, jan.-feb HUDSON, Mike. Administrando organizações do terceiro setor: o desafio de administrar sem receita. São Paulo: Makron Books, In: SANTOS, B.S. Democratizar a Democracia: os caminhos da democracia participativa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, JLM KANEN, JOOST. Carbon Trading and Pricing. Environmental Finance Publications, Londres, KINLAW, D. C. Empresa Competitiva e Ecológica: estratégias e ferramentas para uma administração consciente, responsável e lucrativa. São Paulo: Makron Books, KISIL, Marcos. Organização Social e Desenvolvimento Sustentável: projetos de base comunitária. Artigo, LEONARDI, Maria Lucia Azevedo. Educação ambiental e teorias econômicas: primeiras aproximações. In: Economia do meio ambiente: teoria, políticas e a geração de espaços regionais ; organizadores: Ademar Ribeiro Romeiro, Bastiaan Philip Reydon e Maria L. Leonardi, Unicamp, IE, LEVITT, Theodore.Third Sector - new tacties for a responsive society. Harvard University, EUA: LOVELOCK, JAMES. A vingança de Gaia. S.Paulo: Intrínseca, MACIEL, T. D'Ávila Neto, M. I. Comunidades e participação: Desafios para a pesquisa e ação. O caso do Pantanal. In M.I. D'Ávila Neto (Org.) MACIEL, Tania. Paradigmas e Desafios da Ecologia Social: Aplicações das Teorias e das Práticas de um projeto de Desenvolvimento Local. Em R.H.Freitas Campos e P. Guareschi (Org.) Paradigmas da Psicologia Social. Petrópolis: Vozes, MANFRINATO, W. Mudanças Climáticas: ações e perspectivas para o novo milênio?, in Qualidade de Vida, vol. 1, no 6, MARCOVITCH, JACQUES. Para mudar o futuro - Mudanças climáticas, políticas públicas e estratégias empresariais. Edusp, MELO NETO, Francisco P. e FROES, César. Gestão da responsabilidade social corporativa: o caso brasileiro. Rio de Janeiro: Qualitymark Ed., MIGUEZ, J. M. O Brasil e o Protocolo de Quioto, in Cenbio Notícias, vol.3, no 8, /03/2009 2

27 Disciplinas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO NORDHAUS, W. D. From Porcopolis to Carbopolis. In: KOSOBUD, R. F.; SCHREDER, D. L.; BIGGS, H. M. Emissions trade? Environmental policy?s new approach. John Wiley & Sons Inc., NORDHAUS, W. D. Roll the Dice again: the economics of global warming. Yale University, OLIVEIRA, DJALMA DE PINHO REBOUÇAS DE. Sistemas, Organização e Métodos. Uma Abordagem Gerencial. 8a. Edição. Ed. Atlas, PAOLI, M. C. Empresas e responsabilidade social: os enredamentos da cidadania no Brasil. PORTER, M.E. & LINDE, C Green and competitive. Harvard Business Review. p , sep./oct. REIS, L.B. dos; FADIGAS, E.A.A; CARVALHO, C.E. Energia, recursos naturais e a prática do Desenvolvimento sustentável. Editora Manole, Barueri, São Paulo, REZENDE, D. & MERLIN, S. Carbono Social: Agregando valores as desenvolvimento sustentável. São Paulo: Peirópolis; Brasília, DF: Instituto Ecológica, RIBEIRO, M de S.; SOUZA, A. L. B. de.. Passivo ambiental: estudo de caso do Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobrás. A repercussão ambiental dos acidentes ocorridos nas demonstrações contábeis. XXVII ENANPAD. Atibaia, ROCHA LEAL DA, OSWALDO LUIZ. Organização e Métodos. Uma Abordagem Prática. 6a edição. São Paulo: Atlas SANDOR, R. L. and WALSH, M. J. Some observations on the evolution of the international greenhouse gas emissions trading market, in KOSOBUD, R.F.; SANQUETTA, C.R. & Ziliotto, M. A. Carbono: Ciência e mercado global. Carlos Roberto Sanquetta e Marco Aurélio Ziliotto editores. Curitiba, SIMIONI, R.L. Direito Ambiental e Sustentabilidade. Curitiba: Juruá THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa-Ação. SP: Cortez, 1985, 4a ed WELFORD, Richard. Business Ethics and Corporate Environmental Performance. In: Environmental strategy and sustainable development/the corporate challenge for the 21st century, cap. 5. Routledge, London, Referencias Web: 1. Global Forum América Latina (GFAL) é um movimento mundial de conversação sobre inovação da educação para a sustentabilidade. 2. Centro de Estudos em Sustentabilidade (CES) da EAESP-FGV. 3. Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. DBA-4 - QUALIDADE- DE VIDA NA SOCIEDADE E NO TRABALHO Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Sim Carga Horária: 45 Créditos: 3.0 Área(s) de Concentração: Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Ementa Definições e conceitos em qualidade de vida. Modelos teóricos para estudo da qualidade de vida. Medidas de qualidade de vida. Efeitos da atividade do trabalho, stress e comunidade. Determinantes da atividade ergonômicas. Trabalho e saúde do trabalhador. Evolução histórica e diferentes abordagens da Qualidade de Vida. Saúde Ocupacional do Trabalhador: higiene, segurança e medicina do ambiente de trabalho. Qualidade de Vida no Trabalho. Elaboração de Programa de Qualidade de Vida. Bibliografia ALBUQUERQUE, L.G. Administração participativa: modismo ou componente de um novo paradigma de gestão e relações de trabalho. Revista da ESPM, São Paulo, v. 3, nº. 1, maio ARENDT, M. A condição humana. Trad. Celso Lafer. Rio de Janeiro : Forense Universitária, BECKER, D. Desenvolvimento sustentável. São Paulo: Edunisc, CAVALCANTI, C. Meio ambiente, desenvolvimento sustentável. 2. ed. São Paulo: Cortez Editora, CHANLAT, J.F. (Coord.). O indivíduo na organização: dimensões esquecidas. Trad. SETTE, O. (organização e revisão).são Paulo: Editora Atlas, v.1,2 e 3. KEINERT, T. M. M.; KARRUZ, A. P. Qualidade de vida. São Paulo: Annablume, FERNANDES, Eda Conte. Qualidade de vida no trabalho: como medir para melhorar. 2. ed. Salvador/BA: Casa da Qualidade, LIMONGI- FRANÇA, A.C. Indicadores Empresariais de Qualidade de Vida no Trabalho: esforço empresarial e satisfação dos empregados no ambiente de manufaturas com certificação ISO9000. Tese de Doutorado. FEA/USP LIMONGI-FRANÇA, A.C. Interfaces da Qualidade de Vida no Trabalho na Administração de Empresas: Fatores Críticos da Gestão Empresarial para uma Nova Competência. Tese para o Concurso de Livre-Docência. FEA/USP, LIMONGI-FRANÇA, Ana Cristina. Qualidade de vida no trabalho: QVT. São Paulo: Atlas, MATOS, F. G. de. Empresa Feliz. 2 ed. São Paulo: Makron Books, p. MOREIRA, W. W. Qualidade de vida. São Paulo: Papirus, PATE, R. R., M. PRATT, S. N. BLAIR, W. L. HASKELL, C. A. ACERA, C. BOUCHARD, D. BUCHNER, W. ETTINGER, G. W. HEATH, A. C. KING, and ET AL. Physical activity and public health. A recommendation from the Centers for Disease Control and Prevention and the American College of Sports Medicine. Jama.273: , QUIRINO, T. R. & XAVIER, O. S. Qualidade de vida no trabalho de organizações de pesquisa. Revista de Administração de Empresas. São Paulo: v. 22, n. 1, p , jan/mar RAMOS, C. Pedagogia da qualidade total. Rio de Janeiro: Qualitymark, p. SALLIS, J. F.; OWEN, N. Physical Activity & Behavioral Medicine. London, UK: Sage U.S. DEPARTMENT OF HEALTH AND HUMAN SERVICES. Promoting physical activity: A guide for community action. Champaign, IL: Human Kinetics WALTON, R. Quality of working life: what is it? Sloan Management Review. USA: v. 15, n. 1, p , /03/2009 3

28 Disciplinas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO DCC-1 CONCEITOS DE EDUCAÇÃO E PROMOÇÃO EM SAÚDE Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Não Carga Horária: 30 Créditos: 2.0 Ementa CONCEITOS DE EDUCAÇÃO E DE PROMOÇÃO EM SAÚDE: MUDANÇAS INDIVIDUAIS E ORGANIZACIONAIS. Qualidade de vida: variáveis intervenientes e indicadores. Ciência e tecnologia: poder e ética. Biotecnologia. Cidadania e ambiente de vida: desenvolvimento sustentável. Agenda 21. Políticas públicas ambientais e demandas sociais. Educação Ambiental? Pedagogia dos Desafios: pressupostos teóricos; espaços e sujeitos pedagógicos; estratégias educativas; avaliação. Sistema VISA. Pesquisa em Educação Ambiental. Relação homem-natureza. Saúde e Ambiente: interrelação de complementaridade para o Desenvolvimento. Ambiente de vida: complexidade, variáveis intervenientes e indicadores de condições de vidas. Impactos Ambientais e Saúde. Políticas Públicas e demandas sociais. Papel das ONGs e Conselhos de Saúde e Meio Ambiente na formação de ambientes saudáveis. Bibliografia ACSELRAD, H. Sustentabilidade e Desenvolvimento: Modelos, Processos e Relações. Rio de Janeiro, série Cadernos de Debate Brasil Sustentável e Democrático, FASE, no 5, ACSERALD, H. et alii. Ecologia: Direito do Cidadão. Rio de Janeiro, Gráfica JB, BOFF, L. Ecologia: Grito da Terra, Grito dos Pobres. São Paulo, Ática, ANDRADE, A.L.C. de; D'El-Rey, D.C.H.; Loureiro, C.F.B. "A Dimensão Ambiental a Educação e Saúde". Revista Brasileira de Saúde Escolar, SP, no 3, CARVALHO, V. Educação Ambiental e Desenvolvimento Comunitário: Desafios e Perspectivas. Rio de Janeiro, Dissertação de Mestrado, UFRJ/IP/EICOS, DIAS, G. F. Educação Ambiental: Princípios e Práticas. São Paulo, Gaia, FERREIRA, L. da C. e VIOLA, E. (orgs.) Incertezas da Sustentabilidade na Globalização. Campinas, Edunicamp, GORZ, A Capitalism, Socialism and Ecology. London, Verso, GUATTARI, F. As Três Ecologias. São Paulo, Papirus, HELD, D.; McGREW, A.; GOLDBLATT, D. e PERRATON, J. Global Transformations: Politics, Economics and Culture. California, Stanford University Press, IBASE. Conflitos Ambientais no Brasil: Natureza para todos ou somente para Alguns?. Rio de Janeiro, LAYRARGUES, P. P. A Cortina de Fumaça: O Discurso Empresarial Verde e a Ideologia da Poluição. Rio de Janeiro, EICOS/UFRJ, Dissertação de Mestrado, LOUREIRO, C. F. B. "Ética e Cidadania: Conceitos Básicos para a Transversalidade em Educação Ambiental". In: MATA, S. F. e outros (orgs.). Educação Ambiental: Transversalidade em Questão. Rio de Janeiro, MZ editora, LOUREIRO, C. F. B., LOPES, J. R. e VON DER WEID, N. "Limites e Possibilidades para a Agenda 21 Local". In: Políticas Ambientais, ano 8, no 24, set MAIMON,D. Passaporte Verde: Gerência Ambiental e Competitividade. Rio de Janeiro, Qualitymark, McCORMICK, J. Rumo ao Paraíso - A História do Movimento Ambientalista. Rio de Janeiro, Relume Dumará, SCHERER-WARREN, I. Cidadania sem Fronteiras. Ações Coletivas na Era da Globalização. São Paulo, Hucitec, STEENBERGEN, B.V. "Towards a Global Ecological Citizen". In: STEENBERGEN, B. V. The Condition of Citizenship. London, Sage Publications, UNGER, N. M. (org.) Fundamentos Filosóficos do Pensamento Ecológico. São Paulo, Loyola, DCC-2 INOVAÇÃO, SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO REGIONAL Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Não Carga Horária: 30 Créditos: 2.0 Ementa Política Econômica e Desenvolvimento. Fatores econômicos e institucionais do desenvolvimento regional. Diagnóstico regional. O papel do Planejamento regional. Efeitos regionais da Política Econômica. Avaliação das atividades de Planejamento e Gestão em Ciência, Tecnologia e Inovação. Gerência de P&D no Desenvolvimento Tecnológico Regional. Modelos Econômicos e a evolução da Ciência, Tecnologia e Inovação. Oportunidades de desenvolvimento regional pela inovação e sustentabilidade. Bibliografia ANDRADE, NELSON LUÍS SAMPAIO DE Consumo Sustentável. Revista da Associação Paulista do Ministério Público, nº 22, setembro. BRASIL. Presidência da República. Comissão Interministerial para Preparação da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. O Desafio do Desenvolvimento Sustentável: Relatório do Brasil para a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Brasília: CIMA, CAPRA, Fritjof, PAULI, Gunter. Steering business toward sustainability. Tokyo: United Nations University, CAPRA, Fritjof. A Teia da vida : uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, CAVALCANTI, C. Desenvolvimento e natureza: estudos para uma sociedade sustentável. São Paulo, Cortez Editora, p. CHO, H. J. e PUCIK, V.?Relationship between innovativeness, quality, growth, profitability and market value.? Strategic Management Journal, v.26, pp , CLEMENTE / HIGACHI. Economia e desenvolvimento regional?. Atlas 1ª Edição, 2000 DAMANPOUR, F.; EVAN, W.M.?Organizational Innovation and Performance: The problem of organizational lag. Administrative Science Quarterly, 29, pp , September, DAS, A., HANDFIELD, R. B., CALANTONE, R. J. AND GHOSH, S.?A contingent view of quality management: the impact of international competition on quality.? Decision Sciences, Vol. 31 No. 3, pp pages, DRUCKER, Peter F. Desafios Gerenciais Para o Século XXI. São Paulo: Pioneira, /03/2009 4

29 Disciplinas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO DRUCKER, Peter F. The Discipline of Innovation. Harvard Business Review, special issue: The Innovative Enterprise, p , August, GOFFIN, K. e MITCHELL, R. Innovation Management: strategy and implementation using the pentathlon framework.? Great Britain: Creative Print & Design, KIM, W. C.; MAUBORGNE, R. A?Estratégia do Oceano Azul: como criar novos mercados e tornar a concorrência irrelevante.? Rio de Janeiro: Elsevier, Market, and Organizational Change.? Chichester, England: John Wiley & Sons Ltd., MELLO, José Carlos. Meio Ambiente, educação e desenvolvimento. Washington: Organização dos Estados Americanos, (Programa Regional de Desenvolvimento Educacional - REDE/OEA, Interamer nr série educativa) NOSSO FUTURO COMUM. Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. 2 ed. Rio de Janeiro: FGV, POLANYI, K. La Gran Transformación-Los Orígenes Políticos y Económicos de nuestro tempo, Cidade do México, Fondo de Cultura Económica, SANTOS, ANTONIO SILVEIRA R. DOS Biodiversidade e desenvolvimento sustentável. Revista Direito Ambiental, julho/setembro. Editora Revista dos Tribunais. p SATO, M.; SANTOS, J. E. Agenda 21 em sinopse. São Carlos, p. Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Recursos Naturais, Universidade Federal de São Carlos. TIDD, J.; BESSANT, J.; PAVITT, K.?Managing Innovation: Integrating Technological, UTTERBACK, J. M. Mastering the Dynamics of Innovation.? Boston: Harvard Business School Press, VENKATRAMAN, N;.RAMANUJAM, V.?Measurement of Business Performance in Strategy Research: A Comparison of Approaches.? Academy of Management Review, v. 11, n. 4, pp , DCC-5 APLS E DESENVOLVIMENTO REGIONAL Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Não Carga Horária: 30 Créditos: 2.0 Ementa Arranjos Produtivos Locais (APLs) e Desenvolvimento Regional. As teorias da localização e a organização espacial da economia. Teorias da localização das atividades sócio-econômicas. A localização e os custos de transporte. Os fatores de aglomeração e desaglomeração. A orientação total. Economia Urbana. Organização. Dinâmica. Crescimento. Modelos de Equilíbrio. Aglomeração espacial. Crescimento endógeno. Clusters Empresariais: Conceituação, Conceitos alternativos, Competitividade, Cooperação, Modelos de Gestão, Modelos de financiamento, Distribuição de Benefícios. Arranjos Produtivos Locais (Clusters), especialização produtiva e vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem. Principais Arranjos Produtivos locais btrasileiros (APLs). Bibliografia ALBAGLI, Sarita; BRITO, Jorge. Glossário de Arranjos Produtivos Locais. In: Arranjos Produtivos Locais: uma nova estratégia de ação para o SEBRAE, LASTRES, Helena; CASSIOLATO, José (org), Rio de Janeiro: UFRJ, AMARAL FILHO, J. et al. Identificação de arranjos produtivos locais no Ceará.In: LASTRES, H. M. M.; CASSIOLATO, J. E.; MACIEL, M. L. Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003 BAPTISTA, Rui. Research Round Up: Industrial Clusters and Technological Innovation. Business Strategy Review, v. 7, n. 2, p , BASSETT, K., GRIFFITHS, R., SMITH, I. (2000), Cultural industries, cultural clusters and the city: the example of natural history film-making in Bristol, Geoforum 33 (2) (2002) pp BEESON, Patricia. Total Factor Productivity Growth and Agglomeration Economies in Manufacturing. Journal of Regional Science, v. 27 n. 2, p , BENNEWORTH, Paul. Creating New Industries and Service Clusters on Tyneside. Local Economy, v. 17, n. 4, p , CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M. M. O foco em arranjos produtivos e inovativos locais de micro e pequenas empresas. In: LASTRES, H. M. M.; CASSIOLATO, J. E.; MACIEL; M. L. Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro, Relume Dumará : IE/UFRJ, 2003, p COOKE, Philip; LAZZERETTI, Luciana (org) Creative cities, cultural clusters and localeconomic development. Edward Elgar Publishing Ltd. Global Economy.Economic Development Quartely, 2000; 14;15, p Disponível em acessado em 10/11/2007. IGLIORI, Danilo Camargo??Economia dos Clusters Industriais e Desenvolvimento Tecnológico?. Editora: IGLU Neto, João Amato??Redes de Cooperação Produtos e Clusters Regionais.? IPARDES. Arranjos produtivos locais do Estado do Paraná : identificação, caracterização e construção de tipologia. Curitiba, Disponível em: ISAKSEN, Arne. Regional clusters and competitiveness: The Norwegian case. European Planning Studies, v. 5, n. 1, p , feb PORTER, M. E. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, PORTER, Michael E. Competição - On Competition, em especial Capítulo 7: Aglomerados e competição. Ed. Campus, Rio de Janeiro, PRATT, Andy. Creative Clusters: towards the governance of the creative industries production system. UK, Disponível em: <http://www.lse.ac.uk/>. Acesso em: 10 mai PUGA, Fernando Pimentel. Alternativas de Apoio MPMES Localizadas em Arranjos Produtivos Locais. Textos para Discussão 99. Rio de Janeiro, jun Disponível em: REIS, Ana Carla Fonseca. Economia da cultura e desenvolvimento sustentável: caleidoscópio da cultura. São Paulo: Manole, SEBRAE. Subsídios para a Identificação de Clusters. São Paulo, ago Disponível em: B C20056D8C3/$File/NT000351B6.pdf SFORZI, Fabio. The Industrial District and the New Italian Economic Geography. European Planning Studies, v. 10, n. 4, p , jun VAN DER LINDE, C. Findings from the Cluster Meta-Study. Harvard Business School, Institute for Strategy and Competitiveness, Disponível em Acessado em 16/11/2004. VAN DIJK, Meine Pieter; SVERISSON, Árni. Enterprise Clusters in Developing Countries: Mechanisms of Transition and Stagnation. Entrepreneurship & Regional Development, v. 15, p , jul.-sep /03/2009 5

30 Disciplinas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO DCC-7 PRÁTICAS SOCIAIS E PARTICIPAÇÃO Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Não Carga Horária: 30 Créditos: 2.0 Ementa Processos participativos, comunidades e praticas sociais. Construção identitatária; percepção do ambiente; estratégias pessoais e coletivas de intervenção no ambiente; estudos de casos de transformação sócio ambiental. Bibliografia CASTIEL, L.D. Dédalo e Dédalos: identidade cultural, subjetividade e os riscos à saúde. In: Czeresnia D, Freitas CM, Organizadores. Promoção da saúde: conceitos, reflexões e tendências. Rio de Janeiro: Fiocruz; p CROCHIK, J. L. Teoria crítica e formação do indivíduo. Organizador. São Paulo, Casa do psicólogo GIDDENS, A (1991) Modernity and self-identity: Self and society in the late modern age. California, Stanford University Press, Gonçalves Filho, José Moura. Humilhação social - um problema político em psicologia. Psicol. USP, 1998, vol.9, no.2, p ISSN Pelicioni, Andréa Focesi Ambientalismo e educação ambiental: dos discursos às práticas sociais. O MUNDO DA SAÚDE São Paulo: 2006: out/dez 30 (4): SANTOS, B, de s. Pela mão de Alice.: O social e o político na pós-modernidade. São Paulo, Cortez editora Silva RS. Metodologias participativas para o trabalho de promoção de saúde e cidadania. SãoPaulo: Vetor; Smolka, Ana Luiza Bustamante O (im)próprio e o (im)pertinente na apropriação das práticas sociais Cadernos Cedes, ano XX, nº 50, Abril/00 Tassara, Eda Terezinha de Oliveira. Avaliação de projetos sociais : uma alternativa política de inclusão? In (8de 22) [12/2/ :51:22] Tassara, Rabinovich e Guedes. Panoramas da psicologia ambiental. São Paulo. Educ.2005 Tatagiba MC, Filártiga V. Vivendo e aprendendo com grupos: uma metodologia construtivista de dinâmica de grupo. Rio de Janeiro: DP&A; DDC-3 GESTÃO DE RESÍDUOS E GERAÇÃO DE TRABALHO E RENDA Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Não Carga Horária: 30 Créditos: 2.0 Ementa Evolução dos métodos para minimização de resíduos: Antecedentes; Prevenção da poluição e métodos?fim de linha?; Evolução das demandas ambientais e das respostas do setor produtivo; Minimização de resíduos e competitividade. Das práticas fim de tubo para a produção mais limpa Tecnologias Limpas. Os processos e seus resíduos. Como abordar o problema dos resíduos, emissões e efluentes. Redução na fonte, mudança do produto, processo; Boas práticas operacionais; Reciclagem interna e externa; Embalagens e transporte. Os grandes problemas ambientais. Propostas de sistematização. Análise de ciclo de vida (ACV). Fases da ACV. Fundamentos de Ecologia Industrial. Projeto para meio ambiente. Desmaterialização; Mudança para serviços; Otimização física; Otimização do uso dos materiais; Sistemas de distribuição; Redução do impacto durante o uso; Sistemas para o final do ciclo de vida; Projeto sustentável; Metodologia do PNUMA para produção mais limpa. Bibliografia Ashford,NA; Côte,RP (1997): An overview of the special issue on industrial ecology. J. Cleaner Prod 5, 1-2, i-iv. Ausubel,JH (1997): Liberacao do meio ambiente. Tecbahia 12(2), Ausubel,JH (1997): Liberação do meio ambiente. Tecbahia 12(2), Bagajewicz,M (2000): A review of recent design procedures for water networks in refineries and process plants. Computers chem. Engng 24, Berger,SA (1994): The pollution prevention hierarchy as an R&D management tool. AIChE Symp Series , Fundação Vanzolini (Ed.) (1998): Prevenção de resíduos na fonte e economia de água e energia. 1st ed. Vol. 1. Fundação Vanzolini, São Paulo. 191 pag. Furtado,JS; Ferreira da Silva,ER; Margarido,AC (2000): Estratégias de gestão ambiental e os negócios da empresa. Furtado,JS; Margarido,AC; da Silva,ERF; da Silva,MLP; Straube,CD; Suzuki,SM (1998): Prevenção de resíduos e economia de água e energia. 1st ed. Vol. 1. Fundação Vanzolini, São Paulo. (anexo em meio eletrônico: manual.doc) Graedel,TE; Allenby,BR (1998): Industrial ecology and the automobile. 1st ed. Prentince-Hall Inc., New Jersey. 243 pages. Graedel,TE; Bertram,FK; Gordon,RB; Lifset,R; Rechberger,H; Spatari,S (2002): The contemporary European copper cycle: The characterization of technological copper cycles. Ecol. Econ. 42, Graedel,TE; Bertram,FK; Gordon,RB; Lifset,R; Rechberger,H; Spatari,S (2002): Garner,A; Keoleian,GA (1995): Industrial ecology: an introduction. Natonal Pollution Prevention Center for Higher Education. University of Michigan. recuperado em Agosto, Hawken,P; Lovins,A; Lovins,LH (1999): Capitalismo natural, criando a próxima revolução industrial. 1st ed. Vol. 1. Editora Cultrix Ltda., São Paulo. 358 pages. Heinsohn,RJ; Kabel,RL (1999): Sources and control of air pollution. 1st ed. Prentice Hall Inc., New Jersey. 696 pag. Hillary,R (Ed.) (2000): Small and medium sized enterprises and the environment. 1st ed. Vol. 1. Greenleaf Publishing Ltd, Sheffield. 391 pag. Institute of environmental management (Ed.) (1994): Environmental manager`s manual. Intitute of environmental management, Edinburgh. Kiperstok,A (1994): Integrated pollution control for oil refineries. MSc Thesis, University of Manchester Institute of Science and Technology. 160 p. Kiperstok,A (1996): Linking environmental receptors with the optimisation of industrial processes. Ph.D. Thesis, University of Manchester Institute of Science and Technology, UMIST, Manchester. 207 p. Kiperstok,A (1998): Tecnologias Limpas, Capacitação e Pesquisa. Tecbahia 13.1, Kiperstok,A (1999): Implementation of cleaner production practices with the support of a diploma course. 6th European roundtable on cleaner 31/03/2009 6

31 Disciplinas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO production, Budapest, Sept/1999.,. Kiperstok,A (1999): Tecnologias Limpas, porque não fazer já o que certamente se fará amanhã. Tecbahia 14-02, Kiperstok,A (2000): Tendências ambientais do setor automotivo: prevenção da poluição e oportunidades de negocio. Nexos, Revista do mestrado em Economia da UFBA. KIPERSTOK, Asher et al. Prevenção da Poluição. Brasília: SENAI / DN, p. Kiperstok,A; Sharratt,PN (1996): Environmental considerations for the mathematical modelling of mass exchange networks. IChemE research event, Leeds 2, DDC-4 GESTÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Não Carga Horária: 30 Créditos: 2.0 Ementa A Disciplina oferece informações gerais e introdutivas sobre os diferentes instrumentos utilizados em gestão ambiental: contextualização do objeto do estudo na realidade brasileira, bases de cartografia, SIG, noções sobre os indicadores biológicos, avaliação de impactos ambientais, educação ambiental, fundamentos legais, papel das ONGs, e sistemas de gestão ambiental. Aspectos políticos, econômicos e legislativos da avaliação de impacto ambiental. O planejamento e as fases da avaliação. Metodologia do diagnóstico ambiental. A previsão de impactos sobre os meios físico e biológico e as medidas mitigadoras dos efeitos negativos. A marca dos seres vivos sobre o meio. O impacto do homem e mecanismos de degradação antrópica. O estudo dos fenômenos de degradação. O monitoramento. Elaboração e análise de relatórios. Bibliografia ABDALLA, M. Qualidade e gestão ambiental: sugestões para implantação das normas ISO nas empresas. São Paulo: Editora Oliveira Mendes, BACKER. Gestão Ambiental: a administração verde. Rio de Janeiro. Qualitymark editora, BARBIERI, Jose Carlos (Org.) ; SIMANTOB, M. A. (Org.). Organizações inovadoras sustentáveis: uma reflexão sobre o futuro das organizações. 1. ed. São Paulo: Editora Atlas S/A, v p. BARBIERI, Jose Carlos. Gestão Ambiental Empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. 2. ed. São Paulo: Saraiva S/A Livreiros e Editores, v p. BARBIERI, Jose Carlos. Desenvolvimento e Meio Ambiente: as estratégias de mudanças da Agenda ed. Petrópolis: Editora Vozes Ltda., v p. BARBIERI, Jose Carlos. Gestão Ambiental Empresarial: Conceitos, Modelos e Instrumentos. 1. ed. São Paulo: Saraiva S/A Livreiros e Editores, v p. BARBIERI, Jose Carlos (Org.). Organizações Inovadoras: Estudos e Casos Brasileiros. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getulio Vargas, p. BARBIERI, Jose Carlos. Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudança da Agenda ed. Rio de Janeiro: Editora Vozes Ltda., v p. BARROS, R. T., CHERNICHARO, C. A. L., HELLER, L. SPERLING, M.. Manual de saneamento e proteção ambiental para os municípios, volume II, saneamento. Belo Horizonte: FEAM, 1995, 225p BERNARDES, A. R. Gestão Ambiental. São Paulo : Makron Books, BRUSCHI, D. M., RIBEIRO, M. A., PEIXOTO, M. C. D. P. SANTOS, R. C. S., FRANCO, R. M. F. Manual de saneamento e proteção ambiental para os municípios, volume I, Município e meio ambiente. 2. Ed. Belo Horizonte: FEAM, 1998, 132p. CHEHEBE, J. R. Análise do ciclo de vida de produtos : ferramenta gerencial da ISO Rio de Janeiro : Qualitymark editora Ltda, DONAIRE, D. Gestão ambiental na empresa. São Paulo: editora atlas, GILBERT, M. ISO 14001/BS7750 : sistema de gerenciamento ambiental. São Paulo. Instituto IMAM REIS, M. ISO Gerenciamento ambiental: um novo desafio para a sua competitividade. Rio de Janeiro. Qualitymark Editora Ldta ROSS, J. L. S. Análises e sínteses da abordagem geográfica da pesquisa para o planejamento ambiental. Revista do Departamento de Geografia, FFCLUSP, out, TORNISIELO, S. M. T., GOBBI, N., FOWLER, H..G. Análise ambiental: uma visão multidisciplinar. São Paulo: Editora da UNESP, 1995 PRAHALAD, C.K. A Riqueza na Base da Pirâmide. Porto Alegre: Bookman, DDC-6 EDUCAÇÃO, FAMÍLIA, CIDADANIA E PROMOÇÃO DE SAÚDE Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Não Carga Horária: 30 Créditos: 2.0 Ementa Pressupostos teórico-metodológicos para análise da realidade, compreensão da formulação e uso de indicadores de saúde, políticas e práticas de promoção da saúde. Concepção e práxis da educação popular em saúde á partir da família e os processos participativos voltados à construção da cidadania. Metodologias de construção coletiva do conhecimento, multiplicação e fortalecimento de processos político-organizativos na saúde, em consonância com o conceito de educação em saúde. Aprendizagem e desenvolvimento de habilidades gerenciais em Promoção da Saúde. Educação: abordagens e possibilidade de desenvolvimento. Família: aspectos históricos e conceituais. Cidadania. Promoção de saúde. Comunidade e participação comunitária. Projetos de intervenção social. Aspectos ligados a Comunidade e participação comunitária, além dos Projetos de intervenção social, tendo em vista desenvolvimento e qualidade de vida. Bibliografia AKERMAN, M & MENDES, R & BOGUS, C.M. Avaliação em promoção da saúde: foco no "município saudável". Revista de Saúde Pública 36(5): AKERMAN, M et al. Delineando um marco conceitual para a Promoção da Saúde e Qualidade de Vida. Abrasco-Pró-GT de Promoção da Saúde e 31/03/2009 7

32 Disciplinas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO DLIS, Rio de Janeiro-Porto Alegre ARROYO, H. (ed.) La promoción de la salud en América Latina: modelos, estructuras y visión crítica. San Juan: Universidad de Porto Rico BECKER, D et al. Iniciativa de Vila Paciência: desenvolvimento local e promoção da saúde em cenário de grave exclusão. VII Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, vol. I. Abrasco, Rio de Janeiro BECKER, D. Organizações da sociedade civil e políticas públicas em saúde, pp In J.Garcia, L Landim & H Dahmer. Sociedade e políticas: novos debates entre ONGs e universidades. Editora Revan, Rio de Janeiro BIRMAN, J. Os sentidos da saúde. Revista de Saúde Coletiva, v. 9, n. 1, p. 7-13, BRASIL, Ministério da saúde. A Implantação da Unidade da Família. Caderno 1. Secretaria de Políticas Públicas, Departamento de Atenção Básica,2000. BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde da família: uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial. Brasília, BUSS,PM & FERREIRA,JR. O que o Desenvolvimento Local tem a ver com a Promoção da Saúde? pp In: L Zancan, R Bodstein & WB Marcondes (orgs.). Promoção da Saúde como caminho para o Desenvolvimento Local. Abrasco, Rio de Janeiro BUSS,PM. Promoção da saúde e qualidade de vida. Ciência e Saúde Coletiva 5(1): FAERSTEIN, E. O debate sobre qualidade de vida e saúde:outros aspectos a considerar. Ciência e Saúde Coletiva5(1): Ferraz, S.T. Cidades saudáveis: uma urbanidade para Brasília, Paralelo 15,1999. FREITAS, C. M. de; CZERESNIA, D. Promoção da saúde: conceitos, reflexões, tendências. Rio de Janeiro: Fiocruz, GALVÃO,JA. Agenda de Construção de uma Epidemia.ABIA-Ed. 34, Rio de Janeiro-São Paulo GIBBON,M & LABONTE,R & LAVERACK,G. Evaluating community capacity. Health and Social Care in thecommunity 10(6): : building community capital. Health Promotion International16(3): HARTZ,ZMA. Pesquisa avaliativa em promoção da saúde, pp In Promoção da Saúde e Saúde Pública. Contribuição para o debate entre as Escolas de Saúde Pública da América Latina. ENSP, Rio de Janeiro, Health Communication Unit, Centre for Health Promotion Evaluating Health Promotion Programs.University of Toronto, Toronto Hills M & Mullett J. Community based research and evaluation. Collaborative action for health and social change: a Workbook. University of Victoria, Jewkes R. Evaluating community development initiatives in Health Promotion, pp In M THOROGOOD & Y COOMBES. Evaluating health promotion:practice and ethods.oxford University Press, Londres. JUDD J, FRANKISH CJ & MOULTON, G. Setting standards in the evaluation of community based health promotion programmes: a unifying approach.health PromotionInternational. Dec 16(4): KEMENADE,S. Social capital as a health determinant? How is it defined? Applied Research and Analysis Directorate Health Canada: Policy Research Communications Unit. URL. Disponível em <http://www.hcsc.gc.ca/iacbdg i a c / a r a d d r a a / e n g l i s h / r m d d / w p a p e r s / e n g s o c i a l. p d f. KOGA, D. Cidades entre territórios de vida e territórios vividos. Serviço Social e Sociedade 72. Cortêz Editora,São Paulo LAVERACK,G & LABONTE,R. A planning framework for community empowerment goals within health promotion.health Policy Plan 15(3): LAVERACK,G & WALLERSTEIN,N. Measuring community empowerment: a fresh look at organizational domains. Health Promotion International 16: LEFEVRE, F. e LEFREVE, A.M.C. Promoção da saúde. A negação da negação. Rio de Janeiro: Vieira & Lent Casa Editorial Ltda MENDES, E.V. Uma agenda para a saúde. São Paulo: Hucitec, NUTBEAM, D. & WISE, M. Australia: planificación para una salud mejor. In: Promoción de La salud: una antología. Publicación científica 557 da Organización Panamericana de la Salud:OPAS OUELLET,F & DURAND,D & FORGET,G. Preliminary results of an evaluation of three healthy cities initiatives in the Montreal area. Health Promotion International 9: PINHEIRO, R. & MATTOS, R. (orgs.). Cuidado: as fronteiras da integralidade. São Paulo- Rio de Janeiro: HUCITEC, IMS, UERJ, ABRASCO RESTREPO, H. & MÁLAGA, H. (orgs.) Promoción de la salud: como construir vida saludable. Bogotá, Buenos Aires, Caracas, Madrid, Mexico, São Paulo: Editora Medica Panamericana RIFKIN,S.B. A framework linking Community Empowerment and Health Equity: it is a mater of CHOICE. Journal of Health, Population and Nutrition 21(3): SILVA, R. C. da. Metodologias participativas para trabalhos de promoção de saúde e cidadania. São Paulo: Vetor, SMITH, B. et al.problem-solving for better health.world Health Forum 15(1):9-15. SYMES,SL.Social determinants of health: the community as an empowered partner. Preventing Chronic.1994 SPINK, M. J. (Org.) A cidadania em construção. São Paulo: Cortez, VALLA,VV. Educação popular, saúde comunitária e apoio social numa conjuntura de globalização. Cadernos de Saúde Pública 15(Sup. 2): WALLERSTEIN,N.Powerlessness, empowerment, and health: implications for health promotion programs. American Journal of Health Promotion 6: 15 10/09/2008 WESTPHAL,M.F. O movimento Cidades / Comunidades Saudáveis: um compromisso com a qualidade de vida. Ciência e Saúde Coletiva 5(1): WHO (World Health Organization) The Ottawa Charter for Health Promotion. Canadian Public Health Association, Ottawa WILKINSON,R & MARMOT, M. Social determinants of health: the solid facts. 2nd edition.world Health Organization,Copenhague ZANCAN, L.& R BODSTEIN, R & MARCONDES, WB (orgs.). Promoção da Saúde como caminho para o Desenvolvimento Local. Abrasco, Rio de Janeiro, /03/2009 8

33 Disciplinas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO DDC-8 ECONOMIA SOLIDÁRIA E AUTOGESTÃO Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Não Carga Horária: 30 Créditos: 2.0 Ementa Economia solidária: história, concepções, princípios e fundamentos. A autogestão: princípios, processos e instrumentos de tomada de decisão coletiva. Princípios que norteiam a economia solidária. O desenvolvimento da economia solidária no Brasil, perspectivas e dificuldades. Economia solidária e desigualdades; Autogestão e Subjetividade; Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares. Exemplos de experiências solidárias. Empreendimentos econômicos solidários (formas de organização, motivos de criação, produtos e serviços, resultados financeiros, remuneração, dificuldades e fragilidades); Entidades de Apoio e Fomento a Economia Solidária. Marco Jurídico da Economia Solidária: Lei 5764/71; Código Civil (art. 45 a 63); Legislações Estaduais; Questões Atuais. A realidade regional, as demandas, iniciativas e experiências. Bibliografia ABREU, Jean C. Comunidades do movimento alternativo, uma perspectiva autogestionária. UFMG: FACE, Dissertação de Mestrado - Universidade Federal de Minas Gerais ANTEAG. Autogestão e Economia Solidária. uma nova metodologoa, vol. II. SP, Anteag, ANTEAG. Autogestão e Economia Solidária. uma nova Metodologia. SP, Anteag, ANTEAG. Autogestão: Construindo uma nova cultura na relaçoes de trabalho. SP: Anteag,1999. BRAVERMAN, Harry.- Trabalho e Capital Monopolista. RJ, Zahar, BUBER, Martin, Socialismo utópico. São Paulo: Perspectiva, CASTEL, Robert. As Metamorfoses da Questão Social, RJ, Vozes, CATTANI, Antônio. D. (org.); DIAZ, Laura M. (org.). Desigualdades na América Latina: novas perspectivas analíticas. Porto Alegre: Editora da UFRGS CORAGGIO, José Luis. Desenvolvimento Humano e Educação. São Paulo: Cortez, Instituto Paulo Freire, EDGAR A. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Paz e Terra, FREIRE, Paulo. Globalização ética e solidariedade. In DOWBOR, Ladislau; IANNI, Octávio e RESENDE, Edgar A. Desafios da globalização. Rio de Janeiro: Vozes, GAIGER, Luiz I.; ASSEBURG, Hans. A economia solidária e a redução das desigualdades. Anais da ANPEC-SUL, UFSC, Florianópolis GAIGER, Luiz Inácio (Org.). Formas de combate e de resistência à pobreza. São Leopoldo: UNISINOS, HOBSBAWM, Eric - Mundos do Trabalho: Novos Estudos sobre História Operária, RJ, Paz e Terra, LISBOA, A. A economia popular como horizonte para as sociedades sem rumo. Tempo e Presença, n. 288, p , LISBOA, Armando M. A socioeconomia solidária diante da grande transformação. Revista de Ciências Sociais, UNISINOS, n. 159, p MEDEIROS, Marcelo. O que faz os Ricos ricos: o outro lado da desigualdade brasileira. São Paulo: Hucitec / ANPOCS MELLO, Sylvia Leser de. (org.) Economia Solidária e Autogestão. Encontros Internacionais. São Paulo, PW / NESOL-USP/ ITCP-USP, MELO, João Joaquim de. Banco Palmas. Uma prática de socieconomia solidária. Agora XXI / Banco Palmas Quito.- Programa de Gestão Urbana. UN/HABITAT. Maio p. NUÑEZ, O. Os caminhos da revolução e a economia solidária. Proposta, n. 75, p.48-58, 1997/1998. OLIVEIRA, F. Cooperativismo de trabalho e o desemprego tecnológico. Cooperativa & Trabalho, n. 2, p OLIVEIRA, Manfredo A. de. Ética e economia. São Paulo: Ática POCHMANN, M. (org). Desenvolvimento, Trabalho e Solidariedade. SP:Cortez, (org) Outra cidade é possível. Alternativas de Inclusão social em São Paulo. SP: Cortez, RAZETO, L. Economia de solidariedade e organização popular. In: GADOTTI, M., GUTIERREZ, F. (Orgs.) Educação comunitária e economia popular. São Paulo: Cortez, SANTOS, Boaventura Sousa. Produzir para viver. Os caminhos da produção não capitalista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, SANTOS, Milton. Técnica, espaço, tempo; globalização e meio técnico-científico informacional. SCHNEIDER, J. O. Cooperativas de produção ou de trabalho: sua viabilidade no Brasil. Cadernos CEDOPE - Série Cooperativismo, n. 6, S E N A E S / M T E. P l a n o d e A ç ã o p a r a B r a s í l i a : M i n i s t é r i o d o T r a b a l h o e E m p r e g o, (http://www.mte.gov.br/empregador/economiasolidaria/conteudo/plano_de_acao.pdf); MELLO, Sylvia Leser de. Economia Popular e Solidária: transformações das relações de trabalho na realidade brasileira. Florianópolis: Abrapso, SINGER, Helena. República de Crianças: sobre experências escolares de resistência. São Paulo: Hucitec/FAPESP, SINGER, Paul e SOUZA, André Ricardo (orgs). A Economia Solidária no Brasil. A autogestão como resposta ao desemprego. São Paulo. Contexto, SINGER, Paul. Direitos Sociais. A cidadania para todos. In PINSKY, Jaime e PINSKY, Bassanezi (orgs.). A História da Cidadania. São Paulo: Contexto, SINGER, Paul. Oito hipóteses sobre a implantação do socialismo via autogestão. In: Democracia e autogestão. Revista Temporaes. São Paulo: Humanitas, USP SINGER, Paul. A Economia Solidária como ato pedagógico. In KRUPPA, Sonia M. P. Educação de Adultos e Economia Solidária. Brasília: INEP, SINGER, Paul. Economia popular: a relação trabalho-educação como mediação entre.mundo da cultura. e.mundo da produção.. In: XXIII Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu, SINGER, Paul. Introdução à economia solidária, SINGER, Paul. Introdução à Economia Solidária. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo SINGER, Paul. O Brasil na Crise. Editora Perspectiva, São Paulo, Globalização e Desemprego. Editora Perspectiva, São Paulo, SINGER, Paul. Uma Utopia Militante. Editora Vozes, São Paulo, SINGER, Paul; SOUZA, André R. de (orgs.) A economia solidária no Brasil: a autogestão como resposta ao desemprego. São Paulo: Contexto Sistema cooperativista dos assentados. Caderno de Cooperação Agrícola (São Paulo), n. 5, TRAGTENBERG, Maurício. Sobre Educação, Política e Sindicalismo, 2ª edição. São Paulo, Cortez Editora/Autores Associados (Coleção Teoria e Prática Sociais), /03/2009 9

34 Disciplinas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO URIBE GARZÓN, C. De trabajadores a empresarios: cooperativas de trabajo asociado para el siglo XXI. Santafé de Bogotá: FIEL, p. VERONESE, Marília. V.; CARVALHO, Maria L.. A Emergência de Cosmovisões Relacionais. Civitas (Porto Alegre), v. 6, p VERONESE, Marília. V.; GUARESCHI, Pedrinho A. Possibilidades solidárias e emancipatórias do trabalho: campo fértil para a prática da psicologia social crítica. Psicologia & Sociedade, São Paulo, v. 17, n. 2, p WEIL, Simone. A condição operária e outros estudos sobre a opressão - RJ, Paz e Terra, YUNUS, Muhammad. O banqueiro dos pobres. São Paulo: Editora Ática, DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Não Carga Horária: 30 Créditos: 2.0 Ementa Esta disciplina tem por objetivo promover a constante atualização dos conteúdos, trazendo tópicos especiais que estejam na ordem do dia nas discussões relativas ás áreas de pesquisa do curso. A cada semestre ficará a cargo de um professor, que oferecerá oportunidade para discussão do estado-da-arte de temas de interesse da comunidade acadêmica nas linhas de pesquisa do Programa de Mestrado. Bibliografia A disciplina deverá tratar temas emergentes nas áreas de Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida. As bibliografias serão selecionadas de acordo com o tema e o enfoque que será dado pelo professor. DURKHEIM, Émile. Da Divisão do Trabalho Social. São Paulo, Martins Fontes, 1995, Prefácios, Introdução e Livro I / cap. 1, pp. V-L e PARETO, Vilfredo. Tratado de Sociologia Geral (Seleção de caps.). Em: RODRIGUES, J. A. (Org.), Pareto: Sociologia. São Paulo, Atica, 1984, pp WEBER, Max. O Político e o Científico. Madri, Alianza, 1984 (completo). ARON, Raymond. As Etapas do Pensamento Sociológico. São Paulo, Martins Fontes, 1995, Segunda Parte, pp NIV-1 - ORGANIZAÇÃO E MÉTODOS DE GESTÃO Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Não Carga Horária: 30 Créditos: 0.0 Ementa Organização do trabalho. Evolução dos métodos de controle de pessoal. Administração do tempo. Princípios de Direção: comunicação, liderança e motivação. Histórico, importância e objetivos do Sistema de Gestão Ambiental (SGA). Estratégias e Métodos de Implantação do SGA. Princípios do SGA: Política, Planejamento, Operação, Verificação e Ação corretiva e Analise critica. Normas ISO Obs: Trata-se de uma disciplina de Nivelamento, destinada a nivelar os conhecimentos dos alunos provenientes de várias áreas. Não é obrigatória, não gera créditos, e os alunos que julgarem aptos nesta disciplina, poderão ser dispensados mediante a realização de um exame para comprovar o domínio dos conhecimentos em questão. Bibliografia ABNT NBR ISO Sistemas de gestão ambiental: diretrizes gerais sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio. Rio de Janeiro, NBR ISO Rótulos e declarações ambientais. Princípios gerais. Rio de Janeiro, NBR ISO Gestão ambiental. Avaliação de desempenho ambiental. Diretrizes. Rio de Janeiro, NBR ISO Gestão ambiental.iso Gestão ambiental. Avaliação do ciclo de vida. Definição de objetivo e escopo e análise do inventário. Rio de Janeiro, NBR ISO Diretrizes para auditorias de sistema de gestão da qualidade e/ou ambiental. Rio de Janeiro, Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR ISO Sistemas da gestão ambiental: requisitos com orientação para uso.2a ed. Rio de Janeiro, CHINELATO Filho, João. O & M Integrado à informática. 9ª ed., Rio de Janeiro, LTC. Livros Técnicos e Científicos, OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Sistemas, Organização & Métodos: Uma Abordagem Gerencial. 8ª ed., São Paulo, Atlas, 1997 QUEIROZ, S. M. Gestão ambiental em pequenas e médias empresas. São Paulo,Qualitymark, NIV-2 - CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Não Carga Horária: 30 Créditos: 0.0 Ementa Aspectos do Estado, sua dimensão concentrada e as conseqüências trazidas para os direitos de cidadania e o desenvolvimento no Brasil. Quadro teórico da categoria cidadania. O Estado e a regulação da cidadania. Demandas individuais e coletivas e mecanismos de resolução de conflitos. Democracia participativa e cidadania. Relações entre qualidade de vida, desempenho econômico, igualdade, democracia e arranjos institucionais e cooperativos e cultura cívica. Fundamentos científicos do Direito Ambiental: abrangência dos estatutos legais de proteção ambiental. Direito e desenvolvimento sustentável. Legislação ambiental no Brasil. Obs: Trata-se de uma disciplina de Nivelamento, destinada a nivelar os conhecimentos dos alunos provenientes de várias áreas. Não é obrigatória, 31/03/

35 Disciplinas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO não gera créditos, e os alunos que julgarem aptos nesta disciplina, poderão ser dispensados mediante a realização de um exame para comprovar o domínio dos conhecimentos em questão. Bibliografia AGUIAR, R. A. R. Direito do meio ambiente e participação popular Brasília: IBAMA, 1996 ANTUNES, P. B. Direito ambiental, 4ª Ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2000 BENDIX, R. Nation Building and Citizenship. Berkeley: University of California Press, AVRITZER, L. Cultura Política, Atores Sociais e Democratização. In Revista Brasileira de Ciências Sociais, ano 10,n.28, 1995 CARVALHO, J.M. Cidadania no Brasil. O Longo Caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, JAGUARIBE. H. et alii. Brasil. Sociedade Democrática. Rio de Janeiro: José Olympio, LARANJEIRAS, S. (org.). Classes e Movimentos Sociais na América Latina. São Paulo: HUCITEC, MARSHALL, T. H. Cidadania. Classe Social e Status. Rio de Janeiro: Zahar, PUTNAM, Robert. Comunidade e política. Rio de Janeiro: Editora FGV, SANTOS, B.S.(org.) Democratizar a Democracia. Os caminhos da democracia participativa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, SEM, Armatya. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Cia. das Letras, SKIDMORE, David.?Sociedade civil, capital social e desenvolvimento económico?. In ABREU, Alzira Alves de (org.) Transição em fragmentos: desafios da democracia no final do século XX. Rio de Janeiro: Editora FGV, NIV-3 - ESTATÍSTICA BÁSICA Nível: MESTRADO ACADÊMICO Obrigatória: Não Carga Horária: 30 Créditos: 0.0 Ementa Estatística descritiva; séries estatísticas; medidas descritivas; probabilidade; variáveis aleatórias; distribuições teóricas, binomial, Poisson, normal; distribuições amostrais; distribuições qui-quadrado, F e t; estimação e testes de hipóteses; correlação e regressão. Obs: Trata-se de uma disciplina de Nivelamento, destinada a nivelar os conhecimentos dos alunos provenientes de várias áreas. Não é obrigatória, não gera créditos, e os alunos que julgarem aptos nesta disciplina, poderão ser dispensados mediante a realização de um exame para comprovar o domínio dos conhecimentos em questão. Bibliografia BUSSAB, W. O. & MORETTIN, P. A. Estatística Básica. São Paulo. Ed. Saraiva, 5ª ed p. FERREIRA, D.F. Estatística Básica. Lavras. Ed. UFLA, p. HOFFMANN, R. & VIEIRA, S. Análise de Regressão. São Paulo. Ed. Hucitec, p. LIPSCHUTZ, S. Probabilidade. São Paulo. Ed. MaGraw-Hill do Brasil, p. MENDENHALL, W. Probabilidade e Estatística. Rio de Janeiro. Ed. Campus, Vol. I e II. MEYER, P.L. Probabilidade - Aplicações à Estatística. Rio de Janeiro. Ed. LTC, p. MORETTIN, L.G. Estatística Básica. São Paulo. MAKRON Books/Pearson Education, Vol I e II. SNEDECOR, G.W. & COCHRAN. Metodos Estadisticos. Cidade do México. Companhia Editora Continental p. SPIEGEL, M.R. Probabilidade e Estatística. São Paulo. Ed. Mc Graw-Hill do Brasil, p. 31/03/

36 Corpo Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO ANA CRISTINA SALVIATO SILVA IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 20 No programa: 6 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Não Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2007 Orientador: Área de titulação: Lectícia Marcondes Rezende LETRAS País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: UNESP IC* TCC* ESP* MP* ME* DO* BETÂNIA ALVES VEIGA DELL'AGLI IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 40 No programa: 20 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Sim Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2008 Orientador: Área de titulação: Rosely Palermo Brenelli EDUCAÇÃO País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: UNICAMP IC* TCC* ESP* MP* ME* DO* CARMEN BEATRIZ FABRIANI IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 40 No programa: 20 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Sim Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2005 Orientador: Área de titulação: Eda Terezinha Tassara PSICOLOGIA SOCIAL País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: USP IC* TCC* ESP* MP* ME* DO* /31/09 7:51 AM 1/6 Pós Graduação ESP - Especialização MP - Mestrado Profissional ME - Mestrado Academico DO - Doutorado Graduação IC - Iniciação Científica (Inclui Tutoria) TCC - Trabalho de Conclusão de Curso (Inclui projeto final e monografia)

37 Corpo Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO CHRISTIAN ALEXANDRE VIEIRA IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 20 No programa: 10 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Não Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2000 Orientador: Área de titulação: Carlos Alberto Ferrari FÍSICA País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: UNICAMP IC* TCC* ESP* MP* ME* DO* CLÁUDIA REGINA MILARÉ IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 40 No programa: 20 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Sim Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2003 Orientador: Área de titulação: País: BRASIL Experiência Orientação (Número) CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO IES: USP André Carlos Ponce Leon Ferreira de Carvalho IC* TCC* ESP* MP* ME* DO* ELLIKA TRINDADE IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 40 No programa: 6 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Sim Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 1995 Orientador: Área de titulação: Maria Alves de Toledo Bruns PSICOLOGIA País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: USP IC* TCC* 5 ESP* MP* ME* DO* 5 3/31/09 7:51 AM 2/6 Pós Graduação ESP - Especialização MP - Mestrado Profissional ME - Mestrado Academico DO - Doutorado Graduação IC - Iniciação Científica (Inclui Tutoria) TCC - Trabalho de Conclusão de Curso (Inclui projeto final e monografia)

38 Corpo Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO ÉRICA PASSOS BACIUK IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 20 No programa: 16 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Não Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2005 Orientador: Área de titulação: Rosa Inês Costa Pereira País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: UNICAMP CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS IC* TCC* 15 ESP* MP* ME* DO* GISELE APARECIDA DO PATROCINIO BAZI IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 40 No programa: 20 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Sim Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2003 Orientador: Área de titulação: Fermino Fernandes Sisto EDUCAÇÃO País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: UNICAMP IC* TCC* ESP* MP* ME* DO* GLEBER PAULA IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 40 No programa: 20 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Sim Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2005 Orientador: Área de titulação: Jacques Vigneron COMUNICAÇÃO País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO, UMESP IC* TCC* ESP* MP* ME* DO* /31/09 7:51 AM 3/6 Pós Graduação ESP - Especialização MP - Mestrado Profissional ME - Mestrado Academico DO - Doutorado Graduação IC - Iniciação Científica (Inclui Tutoria) TCC - Trabalho de Conclusão de Curso (Inclui projeto final e monografia)

39 Corpo Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO LILIANE QUEIROZ ANTONIO IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 4 No programa: 4 Docente Permanente: Não Dedicação Exclusiva: Não Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2005 Orientador: Área de titulação: Sergio Ferreira do Amaral EDUCAÇÃO País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: UNICAMP IC* TCC* 6 ESP* MP* ME* DO* LUCIEL HENRIQUE DE OLIVEIRA IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 40 No programa: 40 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Sim Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 1988 Orientador: Área de titulação: Norberto Antonio Torres País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS EAESP-FGV/SP IC* TCC* ESP* MP* ME* DO* LUIZ EDUARDO TEIXEIRA FERREIRA IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 20 No programa: 6 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Não Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2002 Orientador: Área de titulação: Túlio Nogueira Bittencourt ENGENHARIA CIVIL País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: USP IC* TCC* ESP* MP* ME* DO* /31/09 7:51 AM 4/6 Pós Graduação ESP - Especialização MP - Mestrado Profissional ME - Mestrado Academico DO - Doutorado Graduação IC - Iniciação Científica (Inclui Tutoria) TCC - Trabalho de Conclusão de Curso (Inclui projeto final e monografia)

40 Corpo Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO MARCOLINO FERNANDES NETO IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 40 No programa: 20 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Sim Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2001 Orientador: Área de titulação: Amauri Garcia País: BRASIL Experiência Orientação (Número) ENGENHARIA MECÂNICA IES: UNICAMP IC* TCC* ESP* MP* ME* DO* MARIA DAS GRAÇAS ENRIQUE DA SILVA IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 20 No programa: 10 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Não Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2001 Orientador: Área de titulação: Kamal Abdel Radi Ismail País: BRASIL Experiência Orientação (Número) ENGENHARIA MECÂNICA IES: UNICAMP IC* TCC* ESP* MP* ME* DO* MARIA HELENA CIRNE DE TOLEDO IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 40 No programa: 20 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Sim Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2003 Orientador: Área de titulação: Regina Maria Leme Lopes Carvalho PSICOLOGIA País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: PUCCAMP IC* TCC* 48 ESP* MP* ME* DO* 3 3/31/09 7:52 AM 5/6 Pós Graduação ESP - Especialização MP - Mestrado Profissional ME - Mestrado Academico DO - Doutorado Graduação IC - Iniciação Científica (Inclui Tutoria) TCC - Trabalho de Conclusão de Curso (Inclui projeto final e monografia)

41 Corpo Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO MARIA IZABEL FEREZIN SARES IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 40 No programa: 20 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Sim Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2005 Orientador: Área de titulação: José Antonio Arantes Salles País: BRASIL Experiência Orientação (Número) IES: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIMEP IC* TCC* 4 ESP* MP* ME* DO* MÔNICA MARIA GONÇALVES IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 20 No programa: 10 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Não Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 1996 Orientador: Área de titulação: Kamal Abdel Radi Ismail. País: BRASIL Experiência Orientação (Número) ENGENHARIA MECÂNICA IES: UNICAMP IC* TCC* ESP* MP* ME* DO* OLÍMPIO GOMES DA SILVA NETO IES: UNIFAE - CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE Horas de Dedicação Na IES: 40 No programa: 20 Docente Permanente: Sim Dedicação Exclusiva: Sim Titulação Nível: DOUTORADO Ano: 2002 Orientador: Área de titulação: José Renato Coury País: BRASIL Experiência Orientação (Número) ENGENHARIA QUÍMICA IES: UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS IC* TCC* 3 ESP* MP* ME* DO* 12 3/31/09 7:52 AM 6/6 Pós Graduação ESP - Especialização MP - Mestrado Profissional ME - Mestrado Academico DO - Doutorado Graduação IC - Iniciação Científica (Inclui Tutoria) TCC - Trabalho de Conclusão de Curso (Inclui projeto final e monografia)

42 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO ANA CRISTINA SALVIATO SILVA Leitura no Ensino Fundamental ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Artística - Curso de curta duração SALVIATO-SILVA, A. C.. Leitura no Ensino Fundamental (Curso de curta duração ministrado/extensão). Tópicos de gramática para universitários ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Artística - Curso de curta duração SALVIATO-SILVA, A. C.. Tópicos de gramática para universitários (Curso de curta duração ministrado/extensão). Os parâmetros de língua portuguesa: comentários ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Artística - Curso de curta duração SALVIATO-SILVA, A. C.. Os parâmetros de língua portuguesa: comentários (Curso de curta duração ministrado/extensão). Atividades epilingüísticas e ensino de gramática ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Artística - Curso de curta duração SALVIATO-SILVA, A. C.. Atividades epilingüísticas e ensino de gramática Estudo da marca então na teoria das operações enunciativas ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Artística - Curso de curta duração SALVIATO-SILVA, A. C. Estudo da marca então na teoria das operações enunciativas (Curso de curta duração ministrado/outra). O conhecimento epilingüístico no ensino de língua portuguesa ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Artística - Curso de curta duração SALVIATO-SILVA, A. C.. O conhecimento epilingüístico no ensino de língua portuguesa (Curso de curta duração ministrado/outra). As conjunções na construção do enunciado ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais SALVIATO-SILVA, A. C.. As conjunções na construção do enunciado. In: V Seminário da Pós-Graduação em Lingüística e L. Portuguesa, 2005, Araraquara. Caderno de Resumos do V Seminário da Pós-Graduação. Araraquara : Pró-reitoria de pós-graduação/gráfica UNESP, p A causa na linguagem: o estudo das conjunções ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SALVIATO-SILVA, A. C.. A causa na linguagem: o estudo das conjunções. In: IV Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Lingüística e Língua Portuguesa, 2004, Araraquara. IV Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Lingüística e Língua Portuguesa. Araraquara : FCL UNESP, O papel das conjunções na construção do enunciado. ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais SALVIATO-SILVA, A. C.. O papel das conjunções na construção do enunciado. In: 14º Inpla, 2004, São Paulo. O papel das Conjunções na construção do enunciado. São Paulo : LAEL/PUC, p /03/2009 1

43 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO A articulação entre léxico e gramática no ensino das conjunções ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro SALVIATO-SILVA, A. C.. A articulação entre léxico e gramática no ensino das conjunções. In: Letícia Marcondes Rezende; Marilia Blundi Onofre. (Org.). Linguagem e línguas naturais: Diversidades experencial e lingüística. São Carlos: Pedro & João Editores, 2006, v., p Conjunções e domínio nocional: as relações na construção do enunciado ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro SALVIATO-SILVA, A. C.. Conjunções e domínio nocional: as relações na construção do enunciado. In: Letícia Marcondes Rezende; Gladis Massini-Cagliari; Juliana Bertucci Barbosa. (Org.). O que são língua e linguagem para os lingüistas (série Trilhas Lingüísticas). 1 ed. Araraquara: UNESP Laboratório Editorial/ Cultura Acadêmica, 2007, v., p Classificar não é explicar: a abordagem gramatical acerca das conjunções ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais SALVIATO-SILVA, A. C.. Classificar não é explicar: a abordagem gramatical acerca das conjunções. In: 53º Seminário do GEL, 2005, São Carlos. 53º Seminário do GEL - Resumos. Campinas/ São Carlos : Unicamp/ Ufscar/ Mercado de Letras, p A classificação gramatical favorece a compreensão? O estudo das conjunções.. ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SALVIATO-SILVA, A. C.. A classificação gramatical favorece a compreensão? O estudo das conjunções.. In: 52º Seminário do Gel, 2004, Campinas. 52º Seminário do GEL. Campinas : UNICAMP, p BETÂNIA ALVES VEIGA DELL'AGLI A afetividade no jogo de regras ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro DELL'AGLI, B. A. V. ; BRENELLI, R. P.. A afetividade no jogo de regras. In: Fermino Fernandes Sisto; Selma de Cássia Martinelli. (Org.). Afetividade e dificuldades de aprendizagem. 1 ed. São Paulo: Vetor Editora Psico-Pedagógica Ltda, 2006, v., p Falando de sentimentos com adolescentes ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais CAZAROTO, L. ; DELL'AGLI, B. A. V.. Falando de sentimentos com adolescentes. In: III Mostra de Estágio: Integração da Comunidade, 2008, São João da Boa Vista/SP. III Mostra de Estágio: Integração da Comunidade e II Jornada Interna de Pesquisa do UNIFAE, Avaliação neuropsicológica de aprendizagem ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais BORGHI, D. M. T. ; MANCINE, M. S. ; LUCCA, S. A. ; DELL'AGLI, B. A. V.. Avaliação neuropsicológica de aprendizagem. In: III Mostra de Estágio: Integração da Comunidade, 2006, São João da Boa Vista/SP. III Mostra de Estágio: Integração da Comunidade e II Jornada de Pesquisa do UNIFAE, Intervenção psicopedagógica por meio de jogos de regras ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro RODRIGUES, B. A. ; FERREIRA, C. L. ; DELL'AGLI, B. A. V.. Intervenção psicopedagógica por meio de jogos de regras. Pesquisas e Temáticas em Inclusão Social/Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino - FAE. 1 ed. Itu: Ottoni Editora, 2008, v. 1, p O desenvolvimento moral no contexto escolar. ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais SARRAF, A. ; CALDAS, F. H. ; DELL'AGLI, B. A. V.. O desenvolvimento moral no contexto escolar. In: III Mostra de Estágio: Integração da Comunidade, 2008, São João da Boa Vista/SP. III Mostra de Estágio: Integração da Comunidade e II Jornada Interna de Pesquisa do UNIFAE, /03/2009 2

44 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO A psicomotricidade na vida social e afetiva da criança ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais COSTA, F. N. ; DELL'AGLI, B. A. V.. A psicomotricidade na vida social e afetiva da criança. In: III Mostra de Estágio: Integração da Cominidade, 2006, São João da Boa Vista/SP. III Mostra de Estágio: Integração da Comunidade e II Jornada Interna de Pesquisa di UNIFAE, p O lugar da afetividade na teoria construtivista de Piaget ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais DELL'AGLI, B. A. V. ; BRENELLI, R. P.. O lugar da afetividade na teoria construtivista de Piaget. In: XXIV Encontro Nacional de Professores do Proepre, 2008, Águas de Lindóia. Anais do XXIV Encontro Nacional de Professores do PROEPRE. Campinas : Art Point, p Psicólogo escolar propondo intervenção no ambiente escolar ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais PIGATO, E. F. ; DELL'AGLI, B. A. V.. Psicólogo escolar propondo intervenção no ambiente escolar. In: I Congresso Latino-Americano da Psicologia - Ulapsi, 2005, São Paulo. Anais do I Congresso Latino-Americano da Psicologia - Ulapsi, Contribuições do psicólogo escolar na formação de educadores ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais RODRIGUES, M. C. ; RADDI, R. B. M. ; DELL'AGLI, B. A. V.. Contribuições do psicólogo escolar na formação de educadores. In: II Mostra de Estágio: Integração da Comunidade, 2005, São João da Boa Vista/SP. I Jornada Interna de Pesquisa do UNIFAE e II Mostra de Estágio: Integração da Comunidade, Afetividade: uma contribuição para as relações interpessoais ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais CAVALCANTE, F. C. ; DELL'AGLI, B. A. V.. Afetividade: uma contribuição para as relações interpessoais. In: III Mostra de Estágios: Integração da Comunidade, 2006, São João da Boa Vista/SP. III Mostra de Estágio: Integração da Cominidade e II Jornada Interna de Pesquisa do UNIFAE, O jogo de regras como um recurso diagnóstico psicopedagógico ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais DELL'AGLI, B. A. V.. O jogo de regras como um recurso diagnóstico psicopedagógico. In: IX Conferência Internacional de Avaliação Psicológica, 2003, Campinas. Avaliação Psicológica: Formas e Contextos, Estratégia e raciocínio no jogo de regras e desempenho operatório ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais BRENELLI, R. P. ; DELL'AGLI, B. A. V.. Estratégia e raciocínio no jogo de regras e desempenho operatório. In: Noronha, A.P; Machado, C.; Almeida, L. S.; Gonçalvez, M.; Martins, S. & Ramalho, V.. (Org.). Actas da XIII Conferência Internacional de Avaliação Psicológica: Formas e Contextos. 1 ed. Braga: Psiquilíbrios Edições, 2008, v. 1, p Le jeu de règles comme un recours au diagnostic psychopédagogique ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais DELL'AGLI, B. A. V.. Le jeu de règles comme un recours au diagnostic psychopédagogique. In: 16th Cours Avancé, 2003, Genebra - Suiça. 16th Cours Avancé, Estratégia e raciocínio no jogo de regras e desempenho operatório ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais BRENELLI, R. P. ; DELL'AGLI, B. A. V.. Estratégia e raciocínio no jogo de regras e desempenho operatório. In: XII Conferência Internacional de Avaliação Psicológica: Formas e Contextos, 2008, Braga. XIII Conferência Internacional "Avaliação Psicológica: Formas e Contextos": Programa & Resumos. Braga : Departamento de Psicologia/Universidade do Minho - Candeias Artes Gráficas, v. 1. p /03/2009 3

45 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Construindo parcerias valiosas na vida da criança: escola x família ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais COSTA, A. P. B. P. ; DELL'AGLI, B. A. V.. Construindo parcerias valiosas na vida da criança: escola x família. In: I Congresso Latino-Americano da Psicologia - Ulapsi, 2005, São Paulo. Anais do I Congresso Latino-Americano da Psicologia Ulapsi, O jogo "Descubra o Animal": um recurso no diagnóstico psicopedagógico ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico DELL'AGLI, B. A. V. ; BRENELLI, R. P. O jogo "Descubra o Animal": um recurso no diagnóstico psicopedagógico. Psicologia em Estudo, v. 12, p , Análise dos aspectos afetivos e cognitivos por meio de um jogo de regras ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais DELL'AGLI, B. A. V. ; BRENELLI, R. P.. Análise dos aspectos afetivos e cognitivos por meio de um jogo de regras. In: V Congresso Brasiliero de Psicologia do Desenvolvimento - Psicologia do Desenvolvimento: Teorias, Pesquisas e Aplicações, 2006, São Paulo. Psicologia do Desenvolvimento: Teorias, Pesquisas e Aplicações. São Paulo : Casa do Psicólogo, p Dificuldade de aprendizagem: contribuições da avaliação neuropsicológica ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico LUCCA, S. A. ; MANCINE, M. S. ; DELL'AGLI, B. A. V.. Dificuldade de aprendizagem: contribuições da avaliação neuropsicológica. Pensamento Plural: Revista Científica do UNIFAE, v. 2, p , Ensino de avaliação psicológica em Instituições de Ensino Superior brasileiras ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico DELL'AGLI, B. A. V. ; NORONHA, A. P. P. ; BATISTA, M. A. ; CARVALHO, L. ; COBERO, C. ; CUNHA, N. B. ; FILIZATTI, R. ; ZENORINI, R. P. C. ; SANTOS, M. M.. Ensino de avaliação psicológica em Instituições de Ensino Superior brasileiras. Universitas. Ciências da Saúde (UNICEUB), Brasília, v. 3, p. 1-14, Jogos de regras: da cognição ao afeto em crianças com dificuldade de aprendizagem ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais MONTEIRO, C. H. B. ; DELL'AGLI, B. A. V.. Jogos de regras: da cognição ao afeto em crianças com dificuldade de aprendizagem. In: 1o Congresso Internacional do Serviço da Infância e Adolescência do Instituto de Psiquiatria do HC da FM USP e XIII Encontro de Amigos pelo Autismo da AMA, 2007, São Paulo. Tratamento interdisciplinar de crianças e adolescentes com transtornos metais: desafios do novo milênio, Problemas de comportamento em crianças com queixa de dificuldade de aprendizagem ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais DELL'AGLI, B. A. V. ; ALMEIDA, M. T.. Problemas de comportamento em crianças com queixa de dificuldade de aprendizagem. In: 1o Congresso Internacional do Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Instituto de Psiquiatria do HC da FM USP e XIII Encontro de Amigos pelo Autismo AMA, 2007, São Paulo. Tratamento interdisciplinar de crianças e adolescnetes com transtornos mentais: desafio do novo milênio, Um instrumento auxiliar na avaliação neuropsicológica dos distúrbios de aprendizagem ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais CARVALHO, M. I. M. ; DELL'AGLI, B. A. V. ; GONCALVES, V. M. G.. QNST: Um instrumento auxiliar na avaliação neuropsicológica dos distúrbios de aprendizagem. In: 1o Congresso Internacional do Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Instituto de Psiquiatria do HC da FM USP e XIIII Encontro de Amigos pelo Autismo da AMA, 2007, São Paulo. Tratamento interdisciplinar de crianças e adolescentes com transtornos mentais: desafio do novo milênio, /03/2009 4

46 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Avaliação dos aspectos afetivos da conduta em crianças com e sem queixa de dificuldade de aprendizagem ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais DELL'AGLI, B. A. V. ; BRENELLI, R. P.. Avaliação dos aspectos afetivos da conduta em crianças com e sem queixa de dificuldade de aprendizagem. In: Noronha, A.P; Machado, c.; Almeida, L.S.; Gonçalves, M.; Martins, S. & Ramalho, V.. (Org.). Actas da XIII Conferência Internacional de Avaliação psicológica: Formas e Constextos. 1 ed. Braga: Psiquilíbrios Edições, 2008, v. 1, p Avaliação dos aspectos afetivos da conduta em crianças com e sem queixa de dificuldade de aprendizagem ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais DELL'AGLI, B. A. V. ; BRENELLI, R. P.. Avaliação dos aspectos afetivos da conduta em crianças com e sem queixa de dificuldade de aprendizagem. In: XIII Conferência Internacional de Avaliação Psicológica: Formas e Contextos, 2008, Braga. XIII Conferência Internacional. Braga : Departamento de Psicologia/Universidade do Minho - Candeias Artes Gráficas, v. 1. p Avaliação de crianças com e sem queixa de dificuldade de aprendizagem por meio do WISC-III e das provas operatórias ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro DELL'AGLI, B. A. V. ; ALMEIDA, M. T.. Avaliação de crianças com e sem queixa de dificuldade de aprendizagem por meio do WISC-III e das provas operatórias. Pesquisas e Temáticas em Desenvolvimento Sustentável/Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino - FAE. 1 ed. Itu/SP: Ottoni Editora, 2007, v. 1, p valiação de crianças com e sem queixa de dificuldade de aprendizagem por meio do WISC-III e das provas operatórias ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais DELL'AGLI, B. A. V. ; ALMEIDA, M. T.. Avaliação de crianças com e sem queixa de dificuldade de aprendizagem por meio do WISC-III e das provas operatórias. In: II Jornada de Pesquisa do UNIFAE, 2006, São João da Boa Vista/SP. III Mostra de Estágio: Integração da Comunidade, Análise do jogo "Descubra o Animal" em crianças que apresentam nível de transição quanto ao raciocínio classificatório ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais DELL'AGLI, B. A. V. ; BRENELLI, R. P.. Análise do jogo "Descubra o Animal" em crianças que apresentam nível de transição quanto ao raciocínio classificatório. In: I Congresso Latino-Americano da Psicologia - Ulapsi, 2005, São Paulo. Anais do I Congresso Latino-Americano da Psicologia - Ulapsi, CARMEN BEATRIZ FABRIANI Sexualidade na infância e na adolescência ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Artística - Curso de curta duração TRINDADE, E.. Sexualidade na infância e na adolescência (Palestra). Envelhecimento na perspectiva fenomenológico-existencial ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Artística - Curso de curta duração Envelhecimento na perspectiva fenomenológico-existencial Sexualidade e inclusão: desafios para a formação do psicólogo. ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Artística - Curso de curta duração TRINDADE, E.. Sexualidade e inclusão: desafios para a formação do psicólogo (Curso de curta duração ministrado/outra). Psicodiganóstico infantil na perspectiva da psicologia fenomenológico-existencial ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Artística - Curso de curta duração TRINDADE, E.. Psicodiganóstico infantil na perspectiva da psicologia fenomenológico-existencial TRINDADE, E.. O educador e a sexualidade infantil: dilemas e desafios /03/2009 5

47 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Artística - Curso de curta duração Membro do Corpo Editorial ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Outros Pesquisas e Temáticas Membro do Corpo Editorial ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Outros Atual Periódico: Pensamento Plural - Membro do Corpo Editorial Gostando de Gente ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais FABRIANI, C. B. ; SARES, M. I. F. ; Junqueira, G. M. ; GARGANTINI, M. J.. Gostando de Gente. In: III Jornada de Pesquisa: Ética em Pesquisa, 2007, São João da Boa Vista. Anais da III Jornada de Pesquisa. São João da Boa Vista : UNIFAE, v. 01. p Estagio como Ação Comunitária ISSN: X Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais FABRIANI, C. B. ; BIASI, Rodrigo ; WESTIN, Benedito C. R. ; PINTO, Maria Judith. Estagio como Ação Comunitária. In: III Mostra de Estágios; Um Olhar sobre a região, 2006, São João da Boa Vista. III Mostra de Estágios; Um Olhar sobre a região. São João da Boa Vista : UNIFAE, 2006 Síntese do Fórum "Olhando Para O Futuro ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico COORD., C. O. ; SANTOS, A. O. ; BLANQUES, A. M. ; MORAIS, A. F. ; FABRIANI, C. B. ; BONIFACINO, H. O. A. ; BONFIM, L. A. ; KIM, L. V. ; OLIVEIRA, N. R. ; MLYMARZ, R. B.. Documento Síntese do Fórum "Olhando Para O Futuro. Psicologia USP, São Paulo, v. 16(12), p , Contribuições da psicologia à qualidade de vida e sustentabilidade ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro FABRIANI, C. B. ; TOLEDO, H. C.. Contribuições da psicologia à qualidade de vida e sustentabilidade. Pesquisa em Temáticas. 01 ed. São João da Boa Vista: OTONI, 2007, v. 01, p. - Acessando o Inconsciente: Uma experiência de atendimento clínico na comunidade. ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais FABRIANI, C. B.. Acessando o Inconsciente: Uma experiência de atendimento clínico na comunidade. In: I Mostra de estágios do curso de psicologia: Estreitando vínculos com a comunidade, 2004, São João da Boa Vista. Anais da I Mostra de estágios do curso de psicologia: Estreitando vínculos com a comunidade. São João da Boa Vista : UNIFAE, v. 01. p Implantação de uma cultura de segurança: estudo sobre a avaliação e prevenção do risco. ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais FABRIANI, C. B. ; TASSARA, E. T. O. ; Souza, E. ; Cazaroto, L.. Implantação de uma cultura de segurança: estudo sobre a avaliação e prevenção do risco. In: II Jornada de Pesquisa do UNIFAE, 2006, São João da Boa Vista. Anais da II Jornada de pesquisa do UNIFAE. São João da Boa Vista, Implantação de uma cultura de segurança: estudo sobre a avaliação e prevenção do risco ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais FABRIANI, C. B. ; TASSARA, E. T. O.. Implantação de uma cultura de segurança: estudo sobre a avaliação e prevenção do risco. In: II Jornada de Pesquisa do UNIFAE, 2006, São João da Boa vista. II Jornada de Pesquisa do UNIFAE. São João da Boa Vista, /03/2009 6

48 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Implantação de uma cultura de segurança: estudo sobre a avaliação e prevenção do risco ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico FABRIANI, C. B. ; TASSARA, E. T. O. ; Cazaroto, L. ; Souza, E.. Implantação de uma cultura de segurança: estudo sobre a avaliação e prevenção do risco. Pensamento Plural, v. 1, p , Abuso sexual com mulheres: um estudo da percepção na avaliação do risco e nas ações de prevenção ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico Cazaroto, L. ; FABRIANI, C. B.. Abuso sexual com mulheres: um estudo da percepção na avaliação do risco e nas ações de prevenção. Pensamento Plural, v. 1, p , Reflexões sobre as possibilidades de transformação de uma cultura de risco em cultura de segurança com relação ao HIV ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro FABRIANI, C. B. ; TOLEDO, H. C.. Contribuições da psicologia à qualidade de vida e sustentabilidade. Pesquisa em Temáticas. 01 ed. São João da Boa Vista: OTONI, 2007, v. 01, p. CHRISTIAN ALEXANDRE VIEIRA Desempenho de forno de calcinação para produção de gesso ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Outros ISMAIL, K. A. R. ; PRIMO, A. R. M. ; VIEIRA, C. A.. Desempenho de forno de calcinação para produção de gesso Materiais e Energia: o Desafio do Terceiro Milênio ISSN: Ano da Publicação: 2000 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais PINATTI, D. G. ; Soares, A. G. ; VIEIRA, C. A. ; CONTE, R. A.. Simpósio Matéria Materiais e Energia: o Desafio do Terceiro Milênio. In: Simpósio Matéria Materiais e Energia: o Desafio do Terceiro Milênio, 2000, Rio de Janeiro. Proceedings of Simpósio Matéria Materiais e Energia: o Desafio do Terceiro Milênio. Rio de Janeiro, v. 1. Application of the plasma torch to the continuous casting system of steel ISSN: Ano da Publicação: 2001 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais Marotta, A. ; ESSIPTCHOUK, A. M. ; Sharakhovsky, L. I. ; Knak, A ; VIEIRA, C. A.. Application of the plasma torch to the continuous casting system of steel. In: Sexto Encontro Brasileiro de Física dos Plasmas, Anais do Sexto Encontro Brasileiro de Física dos Plasmas. São Paulo, v. 1. CLÁUDIA REGINA MILARÉ A Tool to Explore Explanation Facilities in Neural Networks ISSN: Ano da Publicação: 1998 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais MONARD, Maria Carolina ; MILARÉ, C. R. ; BATISTA, Gustavo Enrique de Almeida Prado Alves. A Tool to Explore Explanation Facilities in Neural Networks. In: Ninth Australian Conference on Neural Networks, 1998, Brisbane. Proceedings of the ninth Australian Conference on Neural Networks (ACNN'98), p Uma Abordagem para Explicação de Redes Neurais Artificiais. ISSN: Ano da Publicação: 2002 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais MILARÉ, C. R. ; CARVALHO, André Carlos Ponce Leon Ferreira de ; MONARD, Maria Carolina. Uma Abordagem para Explicação de Redes Neurais Artificiais. In: I Workshop de Teses e Dissertações em Inteligência Artificial, 2002, Porto de Galinhas. I Workshop de Teses e Dissertações em Inteligência Artificial, /03/2009 7

49 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Extracting Rules from Neural Networks using Symbolic Algorithms ISSN: Ano da Publicação: 2001 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais MILARÉ, C. R. ; CARVALHO, André Carlos Ponce Leon Ferreira de ; MONARD, Maria Carolina. Extracting Rules from Neural Networks using Symbolic Algorithms. In: Fourth International Conference on Computational Intelligence and Multimedia Applications, 2001, Yokusike City. roceedings Fourth International Conference on Computational Intelligence and Multimedia Applications, p An Approach to Explain Neural Networks Using Symbolic Algorith M.Sc. ISSN: Ano da Publicação: 2002 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico MILARÉ, C. R. ; CARVALHO, André Carlos Ponce Leon Ferreira de ; MONARD, Maria Carolina. An Approach to Explain Neural Networks Using Symbolic Algorith M.Sc. International Journal of Intelligence and Applications, Inglaterra, v. 2, n. 4, p , Um Estudo Comparativo de Extração de Conhecimento Simbólico de Redes Neurais ISSN: Ano da Publicação: 2001 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais MILARÉ, C. R. ; CARVALHO, André Carlos Ponce Leon Ferreira de. Um Estudo Comparativo de Extração de Conhecimento Simbólico de Redes Neurais. In: Encontro Nacional de Inteligência Artificial, 2001, Fortaleza. Anais do III Encontro Nacional de Inteligência Artificial, A Comparison of Methods for Rule Subset Selection Applied to Associative Classification ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais BATISTA, Gustavo Enrique de Almeida Prado Alves ; MILARÉ, C. R. ; PRATI, R. C. ; MONARD, Maria Carolina. A Comparison of Methods for Rule Subset Selection Applied to Associative Classification. In: Argentine Symposium on Artificial Inteligence, 2006, Mendoza. VIII Argentine Symposium on Artificial Inteligence, A Comparison of Methods for Rule Subset Selection Applied to Associative Classification ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico BATISTA, Gustavo Enrique de Almeida Prado Alves ; MILARÉ, C. R. ; PRATI, R. C. ; MONARD, Maria Carolina. A Comparison of Methods for Rule Subset Selection Applied to Associative Classification. Inteligencia Artificial, v. 10, p , Classificacão associativa utilizando seleção e construção de regras: um estudo comparativo ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais BATISTA, Gustavo Enrique de Almeida Prado Alves ; PRATI, R. C. ; MONARD, Maria Carolina ; Giusti, R. ; MILARÉ, C. R.. Classificacão associativa utilizando seleção e construção de regras: um estudo comparativo. In: VI Encontro Nacional de Inteligência Artificial, 2007, RIo de Janeiro. Anais do VI Encontro Nacional de Inteligência Artificial, Applying Genetic and Symbolic Learning Algorithms to Extract Rules from Artificial Neural Networks ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais MILARÉ, C. R. ; BATISTA, Gustavo Enrique de Almeida Prado Alves ; CARVALHO, André Carlos Ponce Leon Ferreira de ; MONARD, Maria Carolina. Applying Genetic and Symbolic Learning Algorithms to Extract Rules from Artificial Neural Networks. In: Mexican International Conference on Artificial Intelligence, 2004, Mexico City. MICAI 2004: Advances in Artificial Intelligence, Third Mexican International Conference on Artificial Intelligence, v p Extracting Knowledge from Artificial Neural Networks using Symbolic Learning Algorithms AlgorithM.Sc. ISSN: Ano da Publicação: 2001 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais MILARÉ, C. R. ; CARVALHO, André Carlos Ponce Leon Ferreira de. Extracting Knowledge from Artificial Neural Networks using Symbolic Learning Algorithms AlgorithM.Sc. In: Argentine Symposium on Artificial Inteligence, 2001, Buenos Aires. Proceedings of the Argentine Symposium on Artificial, p Extracting Knowledge from Neural Networks: a Empirical Comparation of Trepan and Symbolic Learning AlgorithM.Sc. ISSN: Ano da Publicação: 2002 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais MILARÉ, C. R. ; CARVALHO, André Carlos Ponce Leon Ferreira de ; MONARD, Maria Carolina. Extracting Knowledge from Neural Networks: a Empirical Comparation of Trepan and Symbolic Learning AlgorithM.Sc. In: Second Mexican International Conference on Artificial Intelligence:, 2002, Mérida. Proceedings of the Second Mexican International Conference on Artificial Intelligence: Advances in Artificial Intelligence, p. 31/03/2009 8

50 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Bibliográfica - Trab. completo Anais Identification of Promoters and Slice Sites with Explanation by Extracting Knowledge from Artificial Neural Networks ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico BIANCHI, Rodrigo Elias ; MILARÉ, C. R. ; CARVALHO, André Carlos Ponce Leon Ferreira de. Identification of Promoters and Slice Sites with Explanation by Extracting Knowledge from Artificial Neural Networks. Revista tecnologia da informação, Brasília - DF, v. 3, n. 2, p , Coli Promoter Gene Sequence and Human Splice Site Identification with Explanation by Extracting Rules from Artificial Neural Networks ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais BIANCHI, Rodrigo Elias ; MILARÉ, C. R. ; CARVALHO, André Carlos Ponce Leon Ferreira de. E. Coli Promoter Gene Sequence and Human Splice Site Identification with Explanation by Extracting Rules from Artificial Neural Networks. In: Workshop Brasileiro em Bioinformática, 2003, Macaé. Anais do Segundo Workshop Brasileiro em Bioinformática, ELLIKA TRINDADE ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Livro Sexualidade de jovens em tempos de AIDS TRINDADE, E. ; BRUNS, M. A. T.. Sexualidade de jovens em tempos de AIDS. 1. ed. Campinas-SP: Editora Átomo, v p. ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro Ser homem na meia-idade: vivências e perspectivas. TRINDADE, E. ; BRUNS, M. A. T.. Ser homem na meia-idade: vivências e perspectivas. In: CASTRO, Dagmar Silva Pinto de; PICCINO, Josefina Daniel; JOSGRILBERG, Rui de Souza; GOTO, Tommy Akira. (Org.). Corpo e existência. 1 ed. São Bernardo do Campo-SP: Editora da Universidade Metodista de São Paulo, 2004, v. 1, p ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro Meia-idade Masculina: significados do envelhecimento TRINDADE, E. ; BRUNS, M. A. T.. Meia-idade Masculina: significados do envelhecimento. In: Maria Alves de Toledo Bruns; Maria Cândida Soares Del-Masso. (Org.). Envelhecimento Humano: diferentes perspectivas. 1 ed. Campinas: Átomo e Alínea, 2007, v. 1, p ÉRICA PASSOS BACIUK ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico Exercícios físicos na água durante a gestação CAVALCANTI, S. ; CECATTI, J. G. ; PEREIRA, R. I. C. ; BACIUK, E. P. ; SILVEIRA, C. ; VALLIM, A. L. A.. Exercícios físicos na água durante a gestação. Femina, v. 33, n. 7, p , ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Hidroginástica na gravidez: respostas materno-fetais e no parto BACIUK, E. P. ; PEREIRA, R. I. C. ; CECATTI, J. G. ; CAVALCANTI, S.. Hidroginástica na gravidez: respostas materno-fetais e no parto. In: XVI Congresso Brasileiro de Fisioterapia - COBRAF, 2005, São Paulo. Fisioterapia e pesquisa. São Paulo, v. 12. p ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico Líquido amniótico, atividade física e imersão em água na gestação DERTKIGIL, M. S. J. ; CECATTI, J. G. ; CAVALCANTI, S. ; BACIUK, E. P. ; VALLIM, A. L. A. Líquido amniótico, atividade física e imersão em água na gestação. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 5, n. 4, p , /03/2009 9

51 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Avaliação dos benefícios de um programa fisioterápico para gestantes BACIUK, E. P. ; NOGUES, P. O.. Avaliação dos benefícios de um programa fisioterápico para gestantes. In: XVI Congresso Brasileiro de Fisioterapia - COBRAF, 2005, São Paulo. Fisioterapia e pesquisa. São Paulo: Revista do curso de fisioterapia da faculdade de medicina da universidade de são paulo, v. 12. p ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico Water aerobics in prenancy: cardiovascular response, labor and neonatal outcomes BACIUK, E. P. ; PEREIRA, R. I. C. ; CECATTI, J. G. ; BRAGA, A. F. A. ; CAVALCANTI, S.. Water aerobics in prenancy: cardiovascular response, labor and neonatal outcomes. Medicine and Science in Sports and Exercise, ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico Maternal and fetal outcomes following a program of water aerobics for sedentary pregnant women CAVALCANTI, S. ; CECATTI, J. G. ; PEREIRA, R. I. C. ; BACIUK, E. P. ; VALLIM, A. L. A. ; SILVEIRA, C.. Maternal and fetal outcomes following a program of water aerobics for sedentary pregnant women. American Journal of Obstetrics and Gynecology, ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais Maternal and fetal outcomes following a program of water aerobics for sedentary pregnant women CAVALCANTI, S. ; CECATTI, J. G. ; PEREIRA, R. I. C. ; BACIUK, E. P. ; VALLIM, A. L. A. ; SILVEIRA, C.. Maternal and fetal outcomes following a program of water aerobics for sedentary pregnant women. In: XVIII FIGO World Congress of Gynecology and Obstetrics, 2006, Kwalalumpur. XVIII FIGO World Congress of Gynecology and Obstetrics. Kwalalumpur, v. november. p ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico Avaliação da capacidade física e sua importância na prescrição de exercícios durante a gestação BACIUK, E. P. ; PEREIRA, R. I. C. ; CECATTI, J. G. ; CAVALCANTI, S. ; SILVEIRA, C. ; VALLIM, A. L. A.. Avaliação da capacidade física e sua importância na prescrição de exercícios durante a gestação. Femina (Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstétrícia), v. 34, p , 2006 Exercícios físicos aquáticos, qualidade de vida e experiência de pré-natal em gestantes atendidas em serviço público de saúde ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico VALLIM, A. L. A. ; OSSIS, M. J. D. ; CECATTI, J. G. ; BACIUK, E. P. ; SILVEIRA, C. ; CAVALCANTI, S.. Exercícios físicos aquáticos, qualidade de vida e experiência de pré-natal em gestantes atendidas em serviço público de saúde. Revista de Saúde Pública, GISELE APARECIDA DO PATROCINIO BAZI ISSN: Ano da Publicação: 1999 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais Anxiety and literacy peformance BAZI, G. A. P.. Anxiety and literacy peformance. In: Sixth European Congress of Psychology, 1999, Roma. VI European Congress of Psychology. Roma : Stefano Carta, p ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Outros As relações entre desempenho escolar e autoconceito BAZI, G. A. P. ; Passos, Élide S. As relações entre desempenho escolar e autoconceito (Apresentação de Trabalho/Congresso). ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais O trator que passa pelo peito. A dor física no pós-operatório de cirirugia cardíaca. LOPES, R. G. ; BAZI, G. A. P.. O trator que passa pelo peito. A dor física no pós-operatório de cirirugia cardíaca. In: XXIV Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, 2003, Campos do Jordão. XXIV Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo. São Paulo : AquaPrint Gráfica & Editora Ltda., p /03/

52 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Bibliográfica - Trab. completo Anais Acompanhamento psicológico ao idoso submetido à cirurgia cardíaca: necessidades e possibilidades ISSN: Ano da Publicação: 2001 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais LOPES, R. G. ; BAZI, G. A. P. Acompanhamento psicológico ao idoso submetido à cirurgia cardíaca: necessidades e possibilidades. In: XXII Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, 2001, Campos do Jordão. XXII Congresso sa Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo. São Paulo : AquaPrint Gráfica & Editora Ltda., 2001 A intensidade da dor no pós-operatório de cirurgia cardíaca: diferenças quanto ao gênero e à idade ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais BAZI, G. A. P. ; LOPES, R. G.. A intensidade da dor no pós-operatório de cirurgia cardíaca: diferenças quanto ao gênero e à idade. In: XXIV Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, 2003, Campos do Jordão. XXIV Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo. São Paulo : AquaPrint Gráfica & Editora Ltda.. p Trabalhos realizados no estágio supervisionado de psicologia escolar em 2000 na Universidade de Santo Amaro ISSN: Ano da Publicação: 2001 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais DUARTE, W. F. ; BAZI, G. A. P. ; SAKAI, J. D. M. C. ; ARQUELES, R.. Trabalhos realizados no estágio supervisionado de psicologia escolar em 2000 na Universidade de Santo Amaro - UNISA. In: XXXI Reunião Anual de Psicologia - Sociedade Brasileira de Psicologia, 2001, Rio de Janeiro. A construção da psicologia brasileira na pesquisa e no ensino. Ribeirão Preto : Vilimpress. GLEBER PAULA Criatividade e Comunicação ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro PAULA, Gleber. Criatividade e Comunicação. In: Sueli de Sá Giovani; João Batista Ciaco Neto. (Org.). Primeiros Ensaios. 1 ed. Itu: Ottoni, 2003, v., p Organização avalia Folkcom ISSN: Ano da Publicação: 1998 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais PAULA, Gleber ; MARIA, L. Organização avalia Folkcom. In: Congresso Brasileiro de Folkcomunicação, 1998, São Bernardo do Campo. Enfolkcom. p Criatividade Profissional ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico PAULA, Gleber. Criatividade Profissional. Administração em Pauta, v. 7, p , Congada, viola, repente e forró na praça central da UMESP ISSN: Ano da Publicação: 1998 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais PAULA, Gleber ; MARIA, L. ; VASQUES, R. O.. Congada, viola, repente e forró na praça central da UMESP. In: Congresso Brasileiro de Folkcomunicação, 1998, São Bernardo do Campo. Enfolkcom. p LILIANE QUEIROZ ANTONIO Inclusao Digital: O desafio do Século XXI ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro ARAUJO, R. A. C. ; ANTONIO, L. Q. ; Bernardino Ribeiro de Figueiredo ; BREMAEKER, F. E. J. ; FRANKLIN, A. ; JORGE, J. T. ; MENDES, L. S. ; RANGEL, H. A. ; ROSSI, M. C. P. ; SPERANDIO, A. M. G.. Inclusao Digital: O desafio do Século XXI. In: Roberto Vilarta. (Org.). O Espaco Funcamp de Políticas Públicas. 1 ed. Campinas: IPES Editorial, 2004, v. 1, p /03/

53 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro Avaliação da Logística Reversa do Programa de Reciclagem da USP/São Carlos com o Balanced Scorecard ANTONIO, L. Q. ; Daniel Anijar de Matos ; Edson Martins de Aguiar. : Avaliação da Logística Reversa do Programa de Reciclagem da USP/São Carlos com o Balanced Scorecard. In: I Enicee, 2007, Sao Paulo. I Enicee, ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Logística Reversa, Balanced Scorecard e os Programas de Reciclagem de Recursos da USP e UFSCar ANTONIO, L. Q. ; Daniel Anijar de Matos ; Edson Martins de Aguiar. Logística Reversa, Balanced Scorecard e os Programas de Reciclagem de Recursos da USP e UFSCar. In: XXVI Seminário de Logística da ABM, 2007, Vitoria. XXVI Seminário de Logística da ABM, 2007 ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Logística Reversa, Balanced Scorecard e os Programas de Reciclagem de Materiais da UNICAMP e USP ANTONIO, L. Q. ; Daniel Anijar de Matos ; Edson Martins de Aguiar. Logística Reversa, Balanced Scorecard e os Programas de Reciclagem de Materiais da UNICAMP e USP. In: XX Congresso de Pesquisa e Ensino em Transportes - XX ANPET, 2006, Brasilia. Publicação nos anais do congresso, na parte de Relatório de Teses e Dissertações em andamento 2006, pág. 61., v. 1. p. 61. ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Avaliacao de dois programas de reciclagem de recursos com uso da logistica reversa e balanced scorecard MATTOS, D. A. ; ANTONIO, L. Q. ; Edson Martins de Aguiar. Avaliacao de dois programas de reciclagem de recursos com uso da logistica reversa e balanced scorecard. In: XXXII Encontro da ANPAD, 2008, Rio de Janeiro- RJ - Brasil. XXXII Encontro da ANPAD. Sao Paulo - SP - Brasil : ANPAD, 2008 ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Logistica Reversa, Balanced Scorecard e os programas de reciclagem de recursos da USP/Sao Carlos e UFSCAR ANTONIO, L. Q. ; Daniel Anijar de Matos ; Edson Martins de Aguiar. Logistica Reversa, Balanced Scorecard e os programas de reciclagem de recursos da USP/Sao Carlos e UFSCAR. In: 3º Congresso Luso Brasileiro para o Planejamento, urbano, regional, integrado e sustentavel, 2008, Santos. PLURIS 2008, v. 01. REVISANDO A ESTRUTURAÇÃO DO MODELO DPSIR COMO BASE PARA UM SISTEMA DE APOIO A DECISÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DE BACIAS HIDROGRÁFICAS ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SOARES, A. B. ; ANTONIO, L. Q. ; PEREIRA, J. P. C. N. ; SILVA FILHO, J. C. L REVISANDO A ESTRUTURAÇÃO DO MODELO DPSIR COMO BASE PARA UM SISTEMA DE APOIO A DECISÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DE BACIAS HIDROGRÁFICAS. In: Simposio de Engenharia de Producao - SIMPEP- Sistemas de Informacao e Gestao do Conhecimento, 2008, Bauru - Sao Paulo - Brasil. SIMPEP Bauru - Sao Paulo, 2008 Desenvolvimento de uma investigação do processo de formação de professores visando o practicum reflexivo com o ferramental tecnológico da web ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Sergio Ferreira do Amaral ; ANTONIO, L. Q.. Amaral, Sergio Ferreira. Desenvolvimento de uma investigação do processo de formação de professores visando o practicum reflexivo com o ferramental tecnológico da web. In: X Congresso Internacional de Educação a Distância, 2003, Porto Alegre. Desenvolvimento de uma investigação do processo de formação de professores visando o practicum reflexivo com o ferramental tecnológico da web, v. 1. p. In: X Congresso Internacional de Educação a Distância, 2003, Porto Alegre. X Congresso Internacional de Educação a Distância, LUCIEL HENRIQUE DE OLIVEIRA Gestão da Cadeia de Suprimentos e sua Relação com as Necessidades e Comportamentos dos Consumidores de Produtos Agroalimentares: O Caso do Café Solúvel ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Necessidades e Comportamentos dos Consumidores de Produtos Agroalimentares: O Caso do Café Solúvel. Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ANPAD), 31, Anais... Rio de Janeiro: XXXI EnANPAD, Setembro/2007. (Cód.GOLB ). 31/03/

54 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO O estilo de negociador de empresas ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais DA SILVA, Robesval Ribeiro da; OLIVEIRA, Luciel Henrique de. O estilo de negociador de empresas. 4º Encontro Científico Multidisciplinar da CNEC/FACECA. Anais do IV Encontro... PPGA CNEC/FACECA. Varginha, 2006 <Disponível em CD-ROM>. (A117) Estoques virtuais de insumos agrícolas ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SHER, Carlos Alberto, SHER, Rubion Fábio, OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Estoques virtuais de insumos agrícolas. 4º Encontro Científico Multidisciplinar da CNEC/FACECA. Anais do IV Encontro... PPGA CNEC/FACECA. Varginha, 2006 <Disponível em CD-ROM>. (A126) Indicadores de desempenho como estratégia operacional ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Indicadores de desempenho como estratégia operacional: estudo de caso em uma indústria de café. Co-autoria com Alessandra Aparecida F. Tostes e Thais Vilela Coelho F. Melo. Publicado nos Anais do 15º IFMA - Congresso Internacional de Administração Rural. Simultâneo ao 5º Congresso Brasileiro de Administração Rural - ABAR. Campinas, 14 a 17 de agosto de Disponível em CD-ROM. Um Estudo sobre do Merchandisingno Varejo de Alimentos ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SOUZA, André Luiz Neder; RIBEIRO NETO, Luiz Gonzaga; OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Um Estudo sobre do Merchandisingno Varejo de Alimentos. 4º Encontro Científico Multidisciplinar da CNEC/FACECA. Anais do IV Encontro... PPGA CNEC/FACECA. Varginha, 2006 <Disponível em CD-ROM>. (A134) Café Pacaembu: Há 50 anos, o Bom Paladar em Café ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico CARVALHO, Ana Caroline Pereira de; JULIARI, Cristane Carvalho Braga; SANT ANA Dayana; OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Caso Café Pacaembu: Há 50 anos, o Bom Paladar em Café! Pensamento Plural. Revista Científica do UNIFAE. Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino, FAE. São João da Boa Vista. Vol.1 N Análise da Satisfação de usuários de Sistemas de Informação. ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SANTANA, Edílson Hélio, OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Análise da Satisfação de usuários de Sistemas de Informação. 4º Encontro Científico Multidisciplinar da CNEC/FACECA. Anais do IV Encontro... PPGA CNEC/FACECA. Varginha, 2006 <Disponível em CD-ROM>. (A132) Empreendedorismo Social: Geração de Emprego, Renda e Inclusão Social ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro Empreendedorismo Social: Geração de Emprego, Renda e Inclusão Social. Pesquisas e Temáticas: Inclusão Social. Ed. UNIFAE. Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino. FAE. São João da Boa Vista / Itu (SP): Ottoni Editora, Cap.8. p O mix de marketing aplicado á suinocultura: um estudo em Sete Lagoas, MG ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais O mix de marketing aplicado á suinocultura: um estudo em Sete Lagoas, MG. Co-autoria com Schirley Maria Policarpo Bertolin. Vilela Coelho Ferreira de Melo. Publicado nos anais do 3o Encontro Científico da CNEC, 1 e 2/07/2005. PPGA CNEC/FACECA. Varginha, MG. <Disponível em CD-ROM) Análise do Desenvolvimento do processo logístico interno da soja ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, L. H. de ; TOSTES, A. A. F. ; MELO, T. V. C. F.. Estratégia operacional através de Indicadores.. In: VIII SEMEAD - Seminários em Administração da FEA-USP, 2005, São Paulo. VIII SEMEAD - Seminários em Administração da FEA-USP, v /03/

55 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO O Marketing de Relacionamento e a Indústria Farmacêutica de Produtos Éticos ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais O Marketing de Relacionamento e a Indústria Farmacêutica de Produtos Éticos. Co-autoria com Argentino José Braga Bueno e Daniel Carvalho de Rezende. Publicado nos anais do 3o Encontro Científico da CNEC, 1 e 2/07/2005. PPGA CNEC/FACECA. Varginha, MG. <Disponível em CD-ROM) Os novos rumos da ferramenta vendas do marketing B2B no mercado farmacêutico ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico CORREA, Gisleine Fregoneze; OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Os novos rumos da ferramenta vendas do marketing B2B no mercado farmacêutico. Revista Organizações Rurais & Agroindustriais. UFLA - Universidade Federal de Lavras / Departamento de Administração e Economia. n. 10, v.3, set./dez Value Chain Management and Competitive Strategy in the Home Video Game Industry. ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais TOMASELLI,Fernando Claro; DI SERIO, Luiz Carlos; OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Value Chain Management and Competitive Strategy in the Home Video Game Industry. POMS 2008 Annual Meeting. 19th Annual Conference of the Production and Operations Management Society (POMS). La Jolla, California, U.S.A. May 9 to May 12, Porter e a competitividade dos restaurantes self-services: um estudo exploratório ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, Luciel Henrique de; CAMPOS, Benedito Marques. Porter e a competitividade dos restaurantes self-services: um estudo exploratório. Seminários em Administração FEA-USP. SEMEAD. Anais... São Paulo: IX SEMEAD, Agosto/2006. Atributos importantes na escolha de supermercados pelo consumidor de Serrania, MG. ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais REIS, Edilaine Aparecida dos; RIBEIRO NETO, Luiz Gonzaga; OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Atributos importantes na escolha de supermercados pelo consumidor de Serrania, MG. 4º Encontro Científico Multidisciplinar da CNEC/FACECA. Anais do IV Encontro... PPGA CNEC/FACECA. Varginha, 2006 <Disponível em CD-ROM>. (A133) Competitividade global com sustentabilidade: a estratégia competitiva da Marcopolo ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, Luciel Henrique de, DI SERIO, Luiz Carlos, REBELO, Rômulo Marcos Lardosa. Competitividade global com sustentabilidade: a estratégia competitiva da Marcopolo. 4º Encontro Científico Multidisciplinar da CNEC/FACECA. Anais do IV Encontro... PPGA CNEC/FACECA. Varginha, 2006 <Disponível em CD-ROM>. (A124) Estratégias implementadas pelos Gestores, Gurus e Gênios da Indústria Automobilística ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro OLIVEIRA, L. H. de ; ARAUJO, M. A.. Realidades, Possibilidades e Tendências. In: Marco Antônio de Araújo. (Org.). Estratégias implementadas pelos Gestores, Gurus e Gênios da Indústria Automobilística.. 1 ed. Rio de Janeiro: Qualitmark, A Questão da Ponderação dos Atributos de Qualidade Percebida pelo Consumidor ISSN: X Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico Marketing de Serviços: A Questão da Ponderação dos Atributos de Qualidade Percebida pelo Consumidor Co-autoria com Luiz Gonzaga Ribeiro Neto, e Juliana Mafra Salgado. Revista Acadêmica da FACECA (RAF). PPGA CNEC/FACECA. n.5. 1o semestre p (Disponível on line: Alinhamento estratégico da tecnologia de informação nos negócios: um estudo multicaso ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, L. H. de ; MIOTTO, C. L.. Alinhamento estratégico da tecnologia de informação nos negócios: um estudo multicaso. In: VIII Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais. VIII SIMPOI, 2005, São Paulo. VIII Simpósio de Administração da 31/03/

56 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Bibliográfica - Trab. completo Anais Produção, Logística e Operações Internacionais. VIII SIMPOI, v. 8 Perfil, Necessidades e Percepções dos compradores de Placas de Circuito Impresso (PCIs). ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Perfil, Necessidades e Percepções dos compradores de Placas de Circuito Impresso (PCIs). Anais do SIMTSQC. 1º Simpósio sobre Qualificação e Certificação em TI. Rede TSQC - Rede de Tecnologia e Serviços de Qualificação e Certificação em Tecnologia da Informação. São Paulo, 30 e 31/07/2007. Empreendedorismo, Desenvolvimento, Reestruturação e Modernização: o caso do Café Pacaembu ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, Luciel Henrique de; JULIARI, Cristane Carvalho Braga; SANT ANA Dayana; CARVALHO, Ana Caroline Pereira de. Empreendedorismo, Desenvolvimento, Reestruturação e Modernização: o caso do Café Pacaembu. XIX ENANGRAD. Curitiba, 1 a 3/10/2008. Inserção de Portadores de Deficiência nas Empresas: um Estudo Exploratório em Minas Gerais ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, Luciel Henrique de. SILVA, Poliana Maria Bernardo; PALAZI, Edgar Jorge. Inserção de Portadores de Deficiência nas Empresas: um Estudo Exploratório em Minas Gerais. X SEMEAD. Seminários de Administração. FEA-USP. São Paulo, 9 e 10/08/2007. (Código: 384 Área Temática: Recursos Humanos). Características do Líder: Teoria, História e Prática: Um estudo na vida de Jesus de Nazaré. ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Características do Líder: Teoria, História e Prática: Um estudo na vida de Jesus de Nazaré. Co-autoria com Aline Coelho. Publicado nos anais do 3o Encontro Científico da CNEC, 1 e 2/07/2005. PPGA CNEC/FACECA. Varginha, MG. <Disponível em CD-ROM) Biodiesel como Potencializador da Performance Brasileira no Mercado Energético Internacional ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais FERREIRA, Fernanda Yashiro; LEÃO, Karen Palma; CASSANO, Francisco Américo; OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Biodiesel - Potencializador da Performance Brasileira no Mercado Energético Internacional. 4º Encontro Científico Multidisciplinar da CNEC/FACECA. Anais do IV Encontro... PPGA CNEC/FACECA. Varginha, 2006 <Disponível em CD-ROM>. (A127) Desafios e oportunidades do agronegócio sob o enfoque da gestão do conhecimento e da inovação ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, Luciel Henrique de; SILVEIRA, Marco Antonio; SOFFNER, Renato. Desafios e oportunidades do agronegócio sob o enfoque da gestão do conhecimento e da inovação. Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica. Anais... Gramado: XXIV Simpósio..., 2006.(Cód. CCTSS6) Fatores que influenciam o comportamento do consumidor de cerveja: um estudo com universitários ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais FERREIRA, Marco Aurélio, OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Fatores que influenciam o comportamento do consumidor de cerveja: um estudo com universitários. XIX ENANGRAD. Curitiba, 1 a 3/10/2008. Desenho e Análise da cadeia Produtiva de café orgânico como subsídio para o aumento das exportações. ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, Luciel Henrique de; SOUZA, Carla Nogueira de; DA SILVA, Caroline Borba; DE MARCO; Erica; SYLVESTRE, Eric Prado; DE SOUZA, Carla Nogueira; DE SOUZA, Juliano Alberto. Desenho e Análise da cadeia Produtiva de café orgânico como subsídio para o aumento das exportações. Revista Jovens Pesquisadores. CCSA/ Universidade Presbiteriana Mackenzie. Ano III.Número 4. Jan./Jun Disponível em 31/03/

57 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Desenho e análise da cadeia de suprimentos de pacotes de turismo de lazer para o nordeste brasileiro ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SERSON, Fernando; OLIVEIRA, Luciel Henrique de; DI SERIO, Luiz Carlos. Desenho e análise da cadeia de suprimentos de pacotes de turismo de lazer para o nordeste brasileiro. X Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais. / Production and Operations Management Society. OM: The Continuous Challenge for Innovation and Integration. August 8-10, Rio de Janeiro. SIMPOI/POMS A CAPES e a Pós-Graduação na Área de Administração: Estruturando um Processo de Reflexões Comparativas ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais BERNDT, Alexander; OLIVEIRA, Luciel Henrique de. A CAPES e a Pós-Graduação na Área de Administração: Estruturando um Processo de Reflexões Comparativas. 4º Encontro Científico Multidisciplinar da CNEC/FACECA. Anais do IV Encontro... PPGA CNEC/FACECA. Varginha, 2006 <Disponível em CD-ROM>. (A123) Indicadores de desempenho como estratégia operacional: estudo de caso em uma indústria de café ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, L. H. de ; TOSTES, A. A. F. ; MELO, T. V. C. F.. Indicadores de desempenho como estratégia operacional: estudo de caso em uma indústria de café.. In: 15º IFMA - Congresso Internacional de Administração Rural. Simultâneo ao 5º Congresso Brasileiro de Administração Rural, 2005, Campinas. 15º IFMA - Congresso Internacional de Administração Rural. Simultâneo ao 5º Congresso Brasileiro de Administração Rural, v. 15. A strategic insight into the credit card as an information product: a case study in the Brazilian market ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, Luciel Henrique de, DI SERIO, Luiz Carlos. A strategic insight into the credit card as an information product: a case study in the Brazilian market. 4th. International Conference of the Iberoamerican Academy of Management. Proceedings? Lisboa: December 8-11, #386 <http://www.mundiconvenius.pt/2005/ibero> Apoio financeiro do Banco do Brasil para o desenvolvimento do processo logístico interno da soja. ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, L. H. de ; SILVA, N. G. S. E. ; BARBOSA, T. L.. Apoio financeiro do Banco do Brasil para o desenvolvimento do processo logístico interno da soja. In: 15º IFMA - Congresso Internacional de Administração Rural. Simultâneo ao 5º Congresso Brasileiro de Administração Rural - ABAR, 2005, Campinas. 15º IFMA - Congresso Internacional de Administração Rural. Simultâneo ao 5º Congresso Brasileiro de Administração Rural - ABAR, v. 15. Estratégia e Competitividade Internacional: Um Estudo Comparativo em duas Empresas Brasileiras de Cosméticos ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Estratégia e Competitividade Internacional: Um Estudo Comparativo em duas Empresas Brasileiras de Cosméticos. Co-autoria com Ana Carolina Cilone, Fernanda Manoel Mineiro, Giselly Reis Machado e Juliane Mendes Mariano. Publicado nos anais do 3o Encontro Científico da CNEC, 1 e 2/07/2005. PPGA CNEC/FACECA. Varginha, MG. <Disponível em CD-ROM) Construção do Saber Administrativo por meio de Replicagens em Pesquisas por Levantamento (Survey). ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico OLIVEIRA, L. H. de ; BERNDT, A.. A Construção do Saber Administrativo por meio de Replicagens em Pesquisas por Levantamento (Survey). Revista ANGRAD. Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração, Rio de Janeiro - RJ, v. 6, n. jul-set, p. 9-26, Estratégia de Operações e Competitividade Global: o Caso da Maior Fabricante Mundial de Carrocerias de Ônibus ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, Luciel Henrique de; DI SERIO, Luiz Carlos; REBELO, Rômulo Marcos Lardosa. Estratégia de Operações e Competitividade Global: o Caso da Maior Fabricante Mundial de Carrocerias de Ônibus. Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ANPAD), 30, Anais... Salvador: XXX EnANPAD, (Cód.GOL-A ) 31/03/

58 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Estrutura de mercado e competitvidade das empresas produtoras de sementes de soja da região Sul de Mato Grosso OLIVEIRA, Luciel Henrique de; CASSIANO Reinaldo Mesquita. Estrutura de mercado e competitvidade das empresas produtoras de sementes de soja da região Sul de Mato Grosso. XLIV Congresso da SOBER - Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural. "Questões Agrárias Educação no Campo e Desenvolvimento". Anais... Universidade de Fortaleza - UNIFOR, Fortaleza, 23 a 27/07/2006. Competitividade das empresas produtoras de sementes de soja: um estudo exploratório no sul de Mato Grosso ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, L. H. de ; CASSIANO, R. M.. Competitividade das empresas produtoras de sementes de soja: um estudo exploratório no sul de Mato Grosso. In: 15º IFMA - Congresso Internacional de Administração Rural. Simultâneo ao 5º Congresso Brasileiro de Administração Rural - ABAR, 2005, Campinas. 15º IFMA - Congresso Internacional de Administração Rural. Simultâneo ao 5º Congresso Brasileiro de Administração Rural - ABAR, v. 15. ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Estratégias competitivas das empresas produtoras de sementes de soja: um estudo exploratório no Sul de Mato Grosso Estratégias competitivas das empresas produtoras de sementes de soja: um estudo exploratório no Sul de Mato Grosso. Co-autoria com Reinaldo Mesquita Cassiano. Área Temática: Gestão de Agronegócios. Publicado nos Anais do VIII SEMEAD - Seminários em Administração da FEA-USP. São Paulo, 11 e 12 de Agosto de Disponível on-line: ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Satisfação do Cliente e Fatores de Avaliação de Qualidade de serviços: Um Estudo de Caso em uma Cooperativa Médica CORRÊA, Gisleine B. Fregonese; Nascimento; Janini de Fátima; Oliveira, Luciel Henrique de. Satisfação do Cliente e Fatores de Avaliação de Qualidade de serviços: Um Estudo de Caso em uma Cooperativa Médica. 4º Encontro Científico Multidisciplinar da CNEC/FACECA. Anais do IV Encontro... PPGA CNEC/FACECA. Varginha, 2006 <Disponível em CD-ROM>. (A122) ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Draw and Analysis of the Brazilian Ornamental Plants Productive Chain: The case of the gender Phalaenopsis Orchids. OLIVEIRA, Luciel Henrique de, Chone, Rosana. Draw and Analysis of the Brazilian Ornamental Plants Productive Chain: The case of the gender Phalaenopsis Orchids. 4th. International Conference of the Iberoamerican Academy of Management. Proceedings? Lisboa: December 8-11, #390 <http://www.mundiconvenius.pt/2005/ibero> Desenho e Análise da Cadeia Produtiva de Plantas Ornamentais: O caso das Orquídeas do gênero Phalaenopsis ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, L. H. de ; CHONE, R. M. S.. Desenho e Análise da Cadeia Produtiva de Plantas Ornamentais: O caso das Orquídeas do gênero Phalaenopsis. In: 15º IFMA - Congresso Internacional de Administração Rural. Simultâneo ao 5º Congresso Brasileiro de Administração Rural - ABAR, 2005, Campinas. 15º IFMA - Congresso Internacional de Administração Rural. Simultâneo ao 5º Congresso Brasileiro de Administração Rural - ABAR, v. 15. ISSN: ISSN Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico Merchandising: Um Estudo sobre o uso desta Ferramenta de Comunicação no Varejo de Alimentos em Machado,MG SOUZA, André Luiz Neder; RIBEIRO NETO, Luiz Gonzaga; OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Merchandising: Um Estudo sobre o uso desta Ferramenta de Comunicação no Varejo de Alimentos em Machado? MG. Interação. Centro Universitário do Sul de Minas. UNIS/MG v.10, n.10, p , 2º sem Varginha: UNIS, Revista de Ensino, Pesquisa e Extensão. (ISSN 1517? 848X) Disponível em Marketing de Relacionamento na Conquista da Lealdade do Cliente: Um Estudo comparado entre Médicos Mineiros e Paulistanos ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais GOMES, Gilciney Salvador; REZENDE, Daniel Carvalho de; OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Marketing de Relacionamento na Conquista da Lealdade do Cliente: Um Estudo comparado entre Médicos Mineiros e Paulistanos. XXXII Encontro da ANPAD. Associação Nacional de Pós- Graduação e Pesquisa em Administração. Rio de Janeiro, RJ. 6 a 10 de setembro de /03/

59 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Estratégias competitivas das empresas produtoras de sementes de soja: um estudo exploratório no Sul de Mato Grosso ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, L. H. de ; CASSIANO, R. M.. Estratégias competitivas das empresas produtoras de sementes de soja: um estudo exploratório no Sul de Mato Grosso.. In: VIII SEMEAD - Seminários em Administração da FEA-USP, 2005, São Paulo. VIII SEMEAD - Seminários em Administração da FEA-USP, v. 8. Caracterização e Análise da Cadeia Produtiva de Café Orgânico do Sul de Minas Gerais: Subsídios para o Aumento das Exportações ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, Luciel Henrique de; SOUZA, Carla Nogueira de; SILVA, Caroline Borba da; DE MARCO, Erica, SYLVESTRE, Erica Prado. Caracterização e Análise da Cadeia Produtiva de Café Orgânico do Sul de Minas Gerais: Subsídios para o Aumento das Exportações. XLIV Congresso da SOBER - Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural". Anais... Questões Agrárias, Educação no Campo e Desenvolvimento". Universidade de Fortaleza - UNIFOR, Fortaleza, 23 a 27/07/2006. Fatores Críticos para o Sucesso no Mercado de Videogames Domésticos: Sony e Microsoft na Batalha Pelo Domínio da Sala de Estar ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais TOMASELLI,Fernando Claro; DI SERIO, Luiz Carlos; OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Fatores Críticos para o Sucesso no Mercado de Videogames Domésticos: Sony e Microsoft na Batalha Pelo Domínio da Sala de Estar. XXXII Encontro da ANPAD. Associação Nacional de Pós- Graduação e Pesquisa em Administração. Rio de Janeiro, RJ. 6 a 10 de setembro de As relações entre Confiança, Valor e Lealdade no Contexto da Educação a Distância: um Estudo de Caso em uma Universidade Federal ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SOUSA, Dalton de; OLIVEIRA, Luciel Henrique de; REZENDE, Daniel Carvalho.. As relações entre Confiança, Valor e Lealdade no Contexto da Educação a Distância: um Estudo de Caso em uma Universidade Federal. Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ANPAD), 30, Anais... Salvador: XXX EnANPAD, (Cód. EPQ-A ) O Capital Humano nos Processos de Inovação: Estudo Exploratório com as Empresas Associadas ao Grupo de Recursos Humanos de Campinas ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, Luciel Henrique de; ZANUTTO, Luiz Onofre; SILVEIRA, Marco Antonio. O Capital Humano nos Processos de Inovação: Estudo Exploratório com as Empresas Associadas ao Grupo de Recursos Humanos de Campinas, GRHUS. X SEMEAD. Seminários de Administração. FEA-USP. São Paulo, 9 e 10/08/2007. (Código: 457 Área Temática: Recursos Humanos). Tecnologia de Informação nos negócios: um estudo multicaso sobre o alinhamento estratégico baseado na cadeia virtual de valor. ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, L. H. de ; SERIO, L. C. ; MIOTTO, C. L.. Tecnologia de Informação nos negócios: um estudo multicaso sobre o alinhamento estratégico baseado na cadeia virtual de valor. In: Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ANPAD), 2005, Brasília. XXIX EnANPAD - Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração. Rio de Janeiro : ANPAD, Tecnologia de Informação nos negócios: um estudo multicaso sobre o alinhamento estratégico baseado na cadeia virtual de valor ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico OLIVEIRA-LUCIEL, Henrique de; Di Serio, Luiz Carlos; MIOTO, Claudio Luiz. Tecnologia de Informação nos negócios: um estudo multicaso sobre o alinhamento estratégico baseado na cadeia virtual de valor. Revista de Práticas Administrativas. RPA Brasil. v. 2, n. 6, Maringá. maio/junho de 2006, p Impacto da Sofisticação no Padrão de Prestação de Serviços Logísticos Oferecidos pelas Empresas de Transporte de Cargas de Minas Gerais ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SENA, Reginaldo Vasconcelos; OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Impacto da Sofisticação no Padrão de Prestação de Serviços Logísticos Oferecidos pelas Empresas de Transporte de Cargas de Minas Gerais. Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ANPAD), 31, Anais... Rio de Janeiro: XXXI EnANPAD, Setembro/2007. (Cód.GOL-A-1548) 31/03/

60 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Turismo como Fator de Inserção da População no Desenvolvimento Turístico Local Sustentável: estudo de caso no município de Carrancas, MG ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OLIVEIRA, L. H. de ; LIMA, E. O.. Turismo como Fator de Inserção da População no Desenvolvimento Turístico Local Sustentável: estudo de caso no município de Carrancas - MG. In: VIII SEMEAD - Seminários em Administração da FEA-USP, 2005, São Paulo. VIII SEMEAD - Seminários em Administração da FEA-USP, v. 8 LUIZ EDUARDO TEIXEIRA FERREIRA ANÁLISE DO COLAPSO ESTRUTURAL DO CONCRETO DE ALTA RESISTÊNCIA E DO CONCRETO REFORÇADO COM FIBRAS DE AÇO, ATRAVÉS DO USO DAS CURVAS DE RESISTÊNCIA AO FRATURAMENTO ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais L. E. T. FERREIRA ; BITTENCOURT, T. N. ; GETTU, R. ; SOUSA, J. L. A. O. ANÁLISE DO COLAPSO ESTRUTURAL DO CONCRETO DE ALTA RESISTÊNCIA E DO CONCRETO REFORÇADO COM FIBRAS DE AÇO, ATRAVÉS DO USO DAS CURVAS DE RESISTÊNCIA AO FRATURAMENTO. In: V Simpósio EPUSP sobre Estruturas de Concreto, 2003, São Paulo. V Simpósio EPUSP sobre Estruturas de Concreto, ISSN: DETERMINAÇÃO COMPUTACIONAL DAS EQUAÇÕES DA MECÂNICA DO FRATURAMENTO ELÁSTICO LINEAR PARA O CORPO-DE-PROVA DE (150X150X500) mm E ANÁLISE DAS IMPLICAÇÕES DECORRENTES DA DETERMINAÇÃO EXPERIMENTAL DO CMOD SOBRE OS PARÂMETROS Tipo DE de FRATURAMENTO produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Ano da Publicação: 2000 Destaque: Não L. E. T. FERREIRA ; BITTENCOURT, T. N. ; GETTU, R. DETERMINAÇÃO COMPUTACIONAL DAS EQUAÇÕES DA MECÂNICA DO FRATURAMENTO ELÁSTICO LINEAR PARA O CORPO-DE-PROVA DE (150X150X500) mm E ANÁLISE DAS IMPLICAÇÕES DECORRENTES DA DETERMINAÇÃO EXPERIMENTAL DO CMOD SOBRE OS PARÂMETROS DE FRATURAMENTO. In: IV Simpósio EPUSP sobre Estruturas de Concreto, 2000, São Paulo. IV Simpósio EPUSP sobre Estruturas de Concreto, ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro Mecânica da Fratura L. E. T. FERREIRA ; HANAI, J. B. Mecânica da Fratura. In: Isaia, G. C.(Org.). Materiais de Construção Civil e Princípios de Ciência dos Materiais. 1 ed. São Paulo: IBRACON - Instituto Brasileiro do Concreto, 2007, v. 1, p ISSN: Ano da Publicação: 2002 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico R-CURVE BEHAVIOR IN NOTCHED BEAM TESTS OF ROCKS L. E. T. FERREIRA ; BITTENCOURT, T. N. ; SOUSA, J. L. A. O. ; GETTU, R. R-CURVE BEHAVIOR IN NOTCHED BEAM TESTS OF ROCKS. Engineering Fracture Mechanics, Inglaterra, v. 69, n. 17, p , 2002 ISSN: Ano da Publicação: 1998 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais LOAD RELAXATION IN LEVEL II THREE-POINT-BENDING TESTS L. E. T. FERREIRA ; J. L. A. O. SOUSA ; BITTENCOURT, T. N. LOAD RELAXATION IN LEVEL II THREE-POINT-BENDING TESTS. In: FRAMCOS 3 - Fracture Mechanics of Concrete and Concrete Structures, 1998, Gifu. Fracture Mechanics of Concrete Structures-. Freilburg, Germany : Aedificatio Publishers, v. 1. p ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico DIFFERENTIAL GEOMETRY MANAGEMENT OF HIGH ORDER 2D BOUNDARY ELEMENTS L. E. T. FERREIRA. DIFFERENTIAL GEOMETRY MANAGEMENT OF HIGH ORDER 2D BOUNDARY ELEMENTS. Electronic Journal of Boundary Elements, Estados Unidos da Amárica, v. 2, n. 2, ISSN: Ano da Publicação: 2000 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico STUDY OF THE DISTRIBUTION AND ORIENTATION OF FIBERS IN CAST CYLINDERS L. E. T. FERREIRA ; BARRAGÁN, B. E. ; GARDNER, D. ; GETTU, R. STUDY OF THE DISTRIBUTION AND ORIENTATION OF FIBERS IN CAST CYLINDERS. Structural Technology Laboratory (RG/BEB/2-00), Internal Report, Universitat. Politècnica de Catalunya, /03/

61 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais OTIMIZAÇÃO DE CONCRETOS HÍBRIDOS DE ALTA RESISTÊNCIA REFORÇADOS COM FIBRAS DE AÇO L. E. T. FERREIRA ; HANAI, J. B. ; FERRARI, V. J. OTIMIZAÇÃO DE CONCRETOS HÍBRIDOS DE ALTA RESISTÊNCIA REFORÇADOS COM FIBRAS DE AÇO. In: 49º Congresso Brasileiro do Concreto, 2007, Bento Gonçalves, RS.. 49º Congresso Brasileiro do Concreto, ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico TWO-DIMENSIONAL ANALYSIS OF SLENDER STRUCTURES USING HIGH ORDER BOUNDARY ELEMENTS L. E. T. FERREIRA. TWO-DIMENSIONAL ANALYSIS OF SLENDER STRUCTURES USING HIGH ORDER BOUNDARY ELEMENTS. Latin American Journal of Solids and Structures, São Paulo, v. 1, n. 4, p , ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico EVALUATION OF FLEXURAL TOUGHNESS OF FRC AND FRACTURE PROPERTIES OF PLAIN CONCRETE L. E. T. FERREIRA ; HANAI, J. B. ; BITTENCOURT, T. N.. COMPUTATIONAL EVALUATION OF FLEXURAL TOUGHNESS OF FRC AND FRACTURE PROPERTIES OF PLAIN CONCRETE. Materials and Structures, v. 41, p , MECHANICS OF ROCKS, A R-CURVE ANALYSIS OF TOUGHNESS AND LOAD RELAXATION IN BENDING TESTS ISSN: Ano da Publicação: 2001 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais L. E. T. FERREIRA ; GETTU, R. ; BITTENCOURT, T. N. ; SOUSA, J. L. A. O. FRACTURE MECHANICS OF ROCKS, A R-CURVE ANALYSIS OF TOUGHNESS AND LOAD RELAXATION IN BENDING TESTS. In: MECHANICS AND MATERIALS SUMMER CONFERENCE - Recent Development in Geomechanics, 2001, San Diego. MECHANICS AND MATERIALS SUMMER CONFERENCE - Recent Development in Geomechanics, ASME Materials Division and Applied Mechanics Division, DETERMINATION OF CONCRETE FRACTURE TOUGHNESS FROM THE MODAL DYNAMIC RESPONSE OF NOTCHED BEAMS ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais L. E. T. FERREIRA ; J. B. Hanai ; J. L. A. O. SOUSA ; L. V. VAREDA ; S. F. ALMEIDA ; A. I. SILVA. DETERMINATION OF CONCRETE FRACTURE TOUGHNESS FROM THE MODAL DYNAMIC RESPONSE OF NOTCHED BEAMS. In: Fracture Mechanics of Concrete and Concrete Structures - Framcos-6, 2007, Catânia. Fracture Mechanics of Concrete and Concrete Structures. New Trends in Fracture Mechanics of Concrete. Londres : Taylor & Francis Group, v. 1. p ESTUDO DA DISTRIBUIÇÃO E ORIENTAÇÃO DAS FIBRAS METÁLICAS EM CORPOS DE PROVA CILÍNDRICOS DE CONCRETO ISSN: Ano da Publicação: 2000 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais L. E. T. FERREIRA ; BARRAGÁN, B. E. ; GARDNER, D. ; GETTU, R. ESTUDO DA DISTRIBUIÇÃO E ORIENTAÇÃO DAS FIBRAS METÁLICAS EM CORPOS DE PROVA CILÍNDRICOS DE CONCRETO. In: 42º Congresso Brasileiro do Concreto - IBRACON, 2000, Fortaleza. 42º Congresso Brasileiro do Concreto - IBRACON, FRACTURE ANALYSIS OF A HIGH-STRENGTH CONCRETE AND A HIGH-STRENGTH STEEL-FIBER-REINFORCED CONCRETE ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico L. E. T. FERREIRA. FRACTURE ANALYSIS OF A HIGH-STRENGTH CONCRETE AND A HIGH-STRENGTH STEEL-FIBER-REINFORCED CONCRETE. Mekhanika Kompozitnykh Materialov, v. 43, p , FRACTURE ANALYSIS OF A HIGH-STRENGTH CONCRETE AND A HIGH-STRENGTH STEEL-FIBER-REINFORCED CONCRETE ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico L. E. T. FERREIRA. FRACTURE ANALYSIS OF A HIGH-STRENGTH CONCRETE AND A HIGH-STRENGTH STEEL-FIBER-REINFORCED CONCRETE. Mechanics of Composite Materials, v. 43, p , 2007 ESTUDO EXPERIMENTAL DO FRATURAMENTO DO CONCRETO ESTRUTURAL POR MEIO DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS ISSN: Ano da Publicação: 2000 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico L. E. T. FERREIRA ; SANTOS, A. C. ; BITTENCOURT, T. N. ; PRADO, E. P. ; GUIMARAES, A. E. ; BORGES, J. U. ESTUDO EXPERIMENTAL DO FRATURAMENTO DO CONCRETO ESTRUTURAL POR MEIO DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS. Boletim Técnico da Escola 31/03/

62 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Politécnica da USP, Departamento de Estruturas e Fundações, São Paulo, v. 1, Bibliográfica - Artigo completo em periódico STUDY OF CRACK PROPAGATION IN THE SPECIMEN RECOMMENDED BY RILEM TC 162 BASED ON LINEAR ELASTIC FRACTURE MECHANICS ISSN: Ano da Publicação: 2002 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico L. E. T. FERREIRA ; GETTU, R. ; BITTENCOURT, T. N. STUDY OF CRACK PROPAGATION IN THE SPECIMEN RECOMMENDED BY RILEM TC 162 BASED ON LINEAR ELASTIC FRACTURE MECHANICS. Boletim Técnico, BT/PEF Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 1, MARCOLINO FERNANDES NETO ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Identificação da composição química e da origem de inclusões presentes em rodas guias de aço. FERNANDES NETO, M.. Identificação da composição química e da origem de inclusões presentes em rodas guias de aço. In: CBCiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais, 2006, Foz do Iguaçu. CBCIMAT , ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico Influence of refining time on nonmetallic inclusions in a low-carbon, silicon-killed steel. FERNANDES NETO, M. ; Pires, J. C. S. ; CHEUNG, N. ; GARCIA, A.. Influence of refining time on nonmetallic inclusions in a low-carbon, silicon -killed steel. Materials Characterization, v. 51, p , 200 ESTUDO DA CINÉTICA DE FLUTUAÇÃO DAS INCLUSÕES NÃO METALICAS DURANTE O PROCESSO DE TRATAMENTO DO AÇO EM FORNO PANELA ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Paula, G. M. ; FERNANDES NETO, M.. ESTUDO DA CINÉTICA DE FLUTUAÇÃO DAS INCLUSÕES NÃO METALICAS DURANTE O PROCESSO DE TRATAMENTO DO AÇO EM FORNO PANELA. In: 61 Congresso Anual da ABM, 2006, Rio de Janeiro - RJ. 61 Congresso Anual da ABM, p SOFTWARE DE DOCUMENTAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DA COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE INCLUSÕES NÃO METÁLICAS EM AÇOS DE BAIXO CARBONO DESOXIDADO AO AL E AO SI. ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Paula, G. M. ; FERNANDES NETO, M. ; Freitas, C. F. ; FREITAS, R. L.. SOFTWARE DE DOCUMENTAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DA COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE INCLUSÕES NÃO METÁLICAS EM AÇOS DE BAIXO CARBONO DESOXIDADO AO AL E AO SI.. In: XXXVI SEMINÁRIO DE FUSÃO, REFINO E SOLIDIFICAÇÃO DOS MATERIAIS - INTERNACIONAL, 2005, VITÓRIA - ES. CD ROM, p MARIA DAS GRAÇAS ENRIQUE DA SILVA ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico Melting of PCM around a horizontal cylinder with constant surface temperature ISMAL, K. A. R. ; SILVA, M. G. E.. Melting of PCM around a horizontal cylinder with constant surface temperature. International Journal Of Thermal Sciences, França, v. 42, n. 12, p , ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Modelagem Tridimensional da Chama em um Forno Rotativo usando as Técnicas de Fluido dinâmica Computacional SILVA, M. G. E. ; MORI, Milton ; XIMENES, Cleber. Modelagem Tridimensional da Chama em um Forno Rotativo usando as Técnicas de Fluido dinâmica Computacional (CFD). In: XXV Iberian Latin-American Congress on Computational Methods in Engineering, 2004, Recife. Anais do XXV Iberian Latin-American Congress on Computational Methods in Engineering, MARIA HELENA CIRNE DE TOLEDO 31/03/

63 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Encontro de Gerações: Diversidade de Olhares ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais Baciuk, E. P. ; TOLEDO, M. H. C. ; NASSAR, S. E. ; GONCALVES, E. R. J. ; SILVA, V. L.. Encontro de Gerações: Diversidade de Olhares. Pensamento Plural, v. 1, p , 2007 Estimulação precoce: uma forma lúdica de reconhecimento corporal ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro TOLEDO, M. H. C. ; RENATA RUSSO. Estimulação precoce: uma forma lúdica de reconhecimento corporal. In: Siqueira, E.S.; Serrano, R.H.; Dragão, S.V.; Giovani, S.S.; Samonetto, V.. (Org.). UNIFAE. Pesquisas e Temáticas em Desenvolvimento Social. Itu: Ottoni Editora, 2005, v., p A Sexualidade Humana: Auto-conhecimento e Desenvolvimento Infantil ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro TOLEDO, M. H. C.. A Sexualidade Humana: Auto-conhecimento e Desenvolvimento Infantil. In: Luiza Helena Ribeiro do Valle. (Org.). Neuropsiquiatria.Infância e Adolescência.. São Paulo: ABENEPI, 2006, v., p Que Psicólogos Queremos Formar: Os Rumos da Psicologia no Brasil ISSN: Ano da Publicação: 2005 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais TOLEDO, M. H. C.. Que Psicólogos Queremos Formar: Os Rumos da Psicologia no Brasil. In: III Jornada de Estudos, 2005, Poços de Caldas. III Jornada de Estudos, Sexualidade Humana: Auto-conhecimento e desenvolvimento infantil ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais TOLEDO, M. H. C.. A Sexualidade Humana: Auto-conhecimento e desenvolvimento infantil. In: V Congresso Multidisciplinar de Neuropsicologia e Aprendizagem e I Congresso Internacional de Desenvolvimento, 2006, Poços de Caldas. Neuropsiquiatria. Infância e Adolescência. São Paulo: ABENEPI, v. I. p Formação de Vínculos Afetivos com Autistas e Portadores de Transtornos Invasivos do Desenvolvimento ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais TOLEDO, M. H. C.. Formação de Vínculos Afetivos com Autistas e Portadores de Transtornos Invasivos do Desenvolvimento. In: A Univewrsidade Socializando a Diversidade, 2006, Campinas. A Universidade Socializando a Diversidade, Contribuições da psicologia à qualidade de vida e sustentabilidade. Pesquisas e temáticas em desenvolvimento sustentável ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Capítulo de livro TOLEDO, M. H. C. ; FABRIANI, C. B. R.. Contribuições da psicologia à qualidade de vida e sustentabilidade. Pesquisas e temáticas em desenvolvimento sustentável. Itu - SP: Ottoni, 2007, v., p MARIA IZABEL FEREZIN SARES Estratégias e Organizações e Gestão Ambiental ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SARES, Maria Izabel Ferezin. Indústria de transporte aéreo de passageiros no Brasil. In: VIIEME/IIIEDE 2003, 2003, AGUAS DE SÃO PEDRO. Estratégias e Organizações e Gestão Ambiental. SANTA BARBARA D'OESTE : UNIMEP, v. I/II. p A importância da cultura na gestão inovadora ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico SARES, Maria Izabel Ferezin ; ARAGÃO, José Euzebio de Oliveira ; VERAS, Patricia Ferreira Simo ; PERES, Jeferson Cabral. A importância da cultura na gestão inovadora. Antologia I, São João da Boa Vista, v. 1, p , /03/

64 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Estratégias para o Desenvolvimento e Inserção Global ISSN: Ano da Publicação: 2004 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SARES, Maria Izabel Ferezin ; SALLES, José Antonio Arantes. Estratégias e mercados. In: Congresso Latino-americano de Estratégias, 2004, ITAPEMA-SC. Estratégias para o Desenvolvimento e Inserção Global. ITAPEMA : SLADE, v. 1. Indústria de Transporte Aéreo de Passageiros no Brasil ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico SARES, Maria Izabel Ferezin ; SALLES, José Antonio Arantes. Indústria de Transporte Aéreo de Passageiros no Brasil. Anais Eme Ede, 2003, v. 02, p , 2003 MÔNICA MARIA GONÇALVES A numerical parametric study of the alternanting finned geometry for latent heat storage applications ISSN: Ano da Publicação: 2001 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico GONÇALVES, M. M. ; ISMAIL, K. A. R.. A numerical parametric study of the alternanting finned geometry for latent heat storage applications. International Journal Of Thermal Sciences, Proposta de Implantação de Projeto Integrado no Curso de Engenharia Mecânica da Escola de Engenharia de Piracicaba ISSN: Ano da Publicação: 2003 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais GONÇALVES, M. M. ; ALMEIDA, F. J. ; Godoy, A. F. ; Silva, F. A. F.. Proposta de Implantação de Projeto Integrado no Curso de Engenharia Mecânica da Escola de Engenharia de Piracicaba. In: Congresso Brasileiro de Ensino de Engenharia, 2003, Rio de Janeiro. XXXI COBENGE, OLÍMPIO GOMES DA SILVA NETO Reaproveitamento do Resíduo Industrial ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais COSTA, R. P. ; SILVA NETO, O. G.. Reaproveitamento do Resíduo Industrial (Chamote). In: Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental, 2006, Curitiba. V Simposio Brasileiro de Engenharia Ambiental. Curitiba, de Gases em Filtro de Manga: Estudo da Porosidade ISSN: Ano da Publicação: 2002 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Artigo completo em periódico SILVA NETO, O. G. ; AGUIAR, M. L. ; COURY, J. R. Filtração de Gases em Filtro de Manga: Estudo da Porosidade. Revista Universidade Rural. Série Ciências Exatas e da Terra, v. 21, p , SEGREGAÇÃO DE PARTÍCULAS AO LONGO DE UM FILTRO DE MANGA ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SILVA NETO, O. G. ; COURY, J. R.. SEGREGAÇÃO DE PARTÍCULAS AO LONGO DE UM FILTRO DE MANGA. In: XVII COBEQ, 2008, Recife. Anais do XVII Congresso Brasileiro de Engenharia Química, Separação de Óleo do Efluente Resultante de Lava-Rápidos. ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais ALMEIDA, E. C. ; SILVA NETO, O. G.. Separação de Óleo do Efluente Resultante de Lava-Rápidos. In: V Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental, 2006, Curitiba. V Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental. Curitiba : ASBEA, Filtração de Gases em Filtros de Manga: Estudo da Porosidade. ISSN: Ano da Publicação: 2001 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SILVA NETO, O. G. ; COURY, J. R.. Filtração de Gases em Filtros de Manga: Estudo da Porosidade. In: 4 Jornada Científica da UFSCar, 2001, São Carlos-SP. Anais da 4 Jornada Científica da UFSCar. São Carlos - SP, /03/

65 Produção Docente Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Bibliográfica - Trab. completo Anais ELABORAÇÃO DO BANCO DE DADOS DAS ÁREAS VERDES DO MUNICÍPIO DE MOGI GUAÇU ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SILVA, A. ; SILVA NETO, O. G. ; RICCI, A. B.. ELABORAÇÃO DO BANCO DE DADOS DAS ÁREAS VERDES DO MUNICÍPIO DE MOGI GUAÇU. In: XXXI Congreso Interamericano de Ingeniería Sanitaria y Ambiental, 2008, Santiago de Chile. XXXI Congreso Interamericano de Ingeniería Sanitaria y Ambiental. Santiago de Chile, ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Não Tipo de produção: Bibliográfica - Resumo Anais Montagem do Experimento de Reynolds: determinação de Tipos de Escoamentos MACHADO, G. M. ; SILVA NETO, O. G.. Montagem do Experimento de Reynolds: determinação de Tipos de Escoamentos. In: V Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental, 2006, Curitiba. V Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental. Curitiba : ASBEA, IMPLEMENTAÇÃO DE UM PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE ESTUDO DE CASO ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SANTOS, J. C. ; SILVA NETO, O. G.. IMPLEMENTAÇÃO DE UM PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE ESTUDO DE CASO. In: XXXI Congreso Interamericano de Ingeniería Sanitaria y Ambiental, 2008, Santiago de Chile. Anais do XXXI Congreso Interamericano de Ingeniería Sanitaria y Ambiental. Santiago de Chile, ESTUDO ESTATÍSTICO DO COMPORTAMENTO DA POROSIDADE DE TORTAS EM FILTROS DE TECIDO OPERANDO NA FILTRAÇÃO DE GASES ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SILVA NETO, O. G. ; AGUIAR, M. L. ; COURY, J. R.. ESTUDO ESTATÍSTICO DO COMPORTAMENTO DA POROSIDADE DE TORTAS EM FILTROS DE TECIDO OPERANDO NA FILTRAÇÃO DE GASES. In: V Congreso Interamericano de La Calidad Del Aire, 2007, Santiago de Chile. Anais do V Congreso Interamericano de La Calidad Del Aire AIDIS, ESTUDO ESTATÍSTICO DO COMPORTAMENTO DA POROSIDADE DE TORTAS FORMADAS AO LONGO DE FILTROS MANGA OPERANDO NA FILTRAÇÃO DE GASES ISSN: Ano da Publicação: 2007 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SILVA NETO, O. G. ; COURY, J. R.. ESTUDO ESTATÍSTICO DO COMPORTAMENTO DA POROSIDADE DE TORTAS FORMADAS AO LONGO DE FILTROS MANGA OPERANDO NA FILTRAÇÃO DE GASES. In: V Congreso Interamericano de la Calidad del Aire, 2007, Santiago. V Congreso Interamericano de la Calidad del Aire, Otimização de uma Estação de Tratamento de Água através da dosagem ótima de coagulante e cálculo dos gradientes de velocidade. ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SILVA NETO, O. G. ; MILANI, M. A.. Otimização de uma Estação de Tratamento de Água através da dosagem ótima de coagulante e cálculo dos gradientes de velocidade. In: XXXI Congreso Interamericano de Ingeniería Sanitaria y Ambienta, 2008, Santiago de Chile. Anais do XXX Congreso Interamericano de Ingeniería Sanitaria y Ambiental, 2006, Punta del Leste. Anais do XXXI Congreso Interamericano de Ingeniería Sanitaria y Ambiental. Santiago de Chile, Porosidades de Tortas de Filtros Manga: Resultados Experimentais Versus Resultados Estimados pelas Correlações Encontradas na Literatura ISSN: Ano da Publicação: 2006 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais SILVA NETO, O. G. ; COURY, J. R.. Porosidades de Tortas de Filtros Manga: Resultados Experimentais Versus Resultados Estimados pelas Correlações Encontradas na Literatura. In: XXX Congresso Interamericano de Ingeniería Sanitaria y Ambiental, 2006, Punta del Este. XXX Congresso Interamericano de Ingeniería Sanitaria y Ambiental, Efluente de uma indústria de galvanoplastia: Tratamento realizado separadamente para cada resíduo de metal pesado versus Tratamento convencional ISSN: Ano da Publicação: 2008 Destaque: Sim Tipo de produção: Bibliográfica - Trab. completo Anais STINA, P. M. P. ; SILVA NETO, O. G.. Efluente de uma indústria de galvanoplastia: Tratamento realizado separadamente para cada resíduo de metal pesado versus Tratamento convencional. In: XXXI Congreso Interamericano de Ingeniería Sanitaria y Ambiental., 2008, Santiago de Chile. Anais do XXXI Congreso Interamericano de Ingeniería Sanitaria y Ambiental. Santiago de Chile, /03/

66 Produção Técnico-Cientifica ou Tecnológicas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO CLÁUDIA REGINA MILARÉ Tipo Título País Destaque Empresa Descrição Outros Outros GLEBER PAULA A hybrid system integrating neural network and case-based reasoning features da Implementação PROLOG de uma Ferramenta para Extração de Conhecimento de Redes Neurais. Não fabiunke, marko ; kock, gerd ; milaré, c. r. ; carvalho, andré carlos ponce leon ferreira de. a hybrid system integrating neural network and case-based reasoning features. são carlos: icmc-usp, 1997 (relatório técnico). Não batista, gustavo enrique de almeida prado alves ; milaré, c. r. ; monard, maria carolina. descrição da implementação prolog de uma ferramenta para extração de conhecimento de redes neurais. são carlos: icmc-usp, 1997 (relatório técnico). Tipo Título País Destaque Empresa Descrição Outros A caracterização do deficiente físico em peças publicitárias Não paula, gleber. a caracterização do deficiente físico em peças publicitárias Outros A utilização das figuras de linguagem na publicidade Não paula, gleber. a utilização das figuras de linguagem na publicidade Outros Administração Mercadológica Não paula, gleber. administração mercadológica (curso de curta duração ministrado/especialização Outros Comunicação, Marketing e Responsabilidade Social Não palua, gleber. comunicação, marketing e responsabilidade social (curso de curta duração ministrado/especialização). Outros Democratização da comunicação no Brasil: papel do intervozes Não paula, gleber. democratização da comunicação no brasil: papel do intervozes Outros Elaboração de avaliação e testes para o cargo de Gerente de Marketing Sim paula, gleber. elaboração de avaliação e testes para o cargo de gerente de marketing (desenvolvimento de material didático ou instrucional - concurso). Outros importância do marketing para as organizações Não paula, gleber. a importância do marketing para as organizações (programa de rádio ou tv/outra). LILIANE QUEIROZ ANTONIO Tipo Título País Destaque Empresa Descrição Outros Mapeamento de inovação no Estado da Bahia Sim fapesb, ; antonio, l. q.. mapeamento de inovação no estado da bahia Outros Mapeamento de inovação no Estado da Bahia Sim fapesb, ; antonio, l. q.. mapeamento de inovação no estado da bahia /03/2009 1

67 Produção Técnico-Cientifica ou Tecnológicas Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO LUCIEL HENRIQUE DE OLIVEIRA Tipo Título País Destaque Empresa Descrição Outros Administração Rural - Vídeo Não oliveira, luciel henrique. administração rural, introdução, conceitos e desafios. produzido pelo grupo de estudos genoma. espm, escola superior de propaganda e marketing, são paulo, LUIZ EDUARDO TEIXEIRA FERREIRA Tipo Título País Destaque Empresa Descrição Software ELASCON Não l. e. t. ferreira. elascon - slv Software TENAC Não l. e. t. ferreira. tenac /03/2009 2

68 Projeto de Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Nome do projeto: Aspectos prioritários do Desenvolvimento Sustentável Regional Linha de Pesquisa: Desenvolvimento Sustentável de Operações (Produtos e Serviços) Ano Início: 2008 Descrição do projeto Justificativa: O atual modelo de crescimento econômico gerou enormes desequilíbrios: se por um lado, nunca houve tanta riqueza e fartura no mundo, por outro lado, a miséria, a degradação ambiental e a poluição aumentam dia-a-dia. O Desenvolvimento Sustentável busca conciliar o desenvolvimento econômico com a preservação ambiental e, ainda, ao fim da pobreza. O Desenvolvimento Sustentável está na pauta de discussão dos Governos, das empresas das organizações não governamentais. Sustentável é aquilo que se pode manter, conservar; é o que pode permanecer e continuar, sem se esgotar, a partir dos processos de renovação, de conservação. Projetos de pesquisa focando o Desenvolvimento Sustentável de operações, enfocarão aspectos técnicos e operacionais de produção e serviços, estudando seus impactos e resíduos, e buscando formas de evita-los, minimizá-los e reaproveitá-los. As empresas, principalmente as de maior porte, têm se conscientizado de que precisam estabelecer ações que promovam o crescimento sem destruir o meio ambiente. Contudo, essa premissa não parece ser verdadeira no caso das micro e pequenas empresas. Objetivos:. Investigar casos, problemas e soluções para permitir desenvolvimento em harmonia com as limitações ecológicas e sociais para que as gerações futuras tenham a chance de existir e viver bem, de acordo com as suas necessidades, estimulando a melhoria da qualidade de vida e das condições de sobrevivência.. Estudar formas de conciliar progresso e tecnologia com desenvolvimento sustentável e com um ambiente saudável.. Investigar formas de obter-se equilíbrio entre tecnologia e ambiente, relevando-se os grupos sociais atuantes na busca da equidade e justiça social.. Descrever, documentar, analisar e comparar estratégias de desenvolvimento sustentável de grupos Nacionais e Multinacionais atuando na região de São João da Boa Vista. Áreas de atuação: foco nos aspectos prioritários do Desenvolvimento Sustentável: 1) A satisfação das necessidades básicas da população; 2) A solidariedade para com as gerações futuras; 3) A participação da população envolvida; 4) A preservação dos recursos naturais; 5) A elaboração de um sistema social garantindo emprego, segurança social e respeito a outras culturas; 6) A efetivação dos programas educativos. Referências básicas: ALBAGLI, S.; BRITO, J. Arranjos produtivos locais: uma nova estratégia de ação para o Sebrae. São Paulo: RedeSiste, ALMEIDA, F. O bom negócio da sustentabilidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, ALTENBURG, T.; MEYER. S. How to promote clusters: experiences form Latin América. Great Britain: World Development, BARBIERI, J. C. Gestão Ambiental empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. São Paulo: Saraiva, BUARQUE, Sérgio C.. Metodologia de planejamento do desenvolvimento local e municipal sustentável. 2.ed. Brasília: Instituto interamericano de Cooperação para a Agricultura - IICA, MINTZBERG, H. e WATERS, J. Of strategies, deliberate and emergent, Strategic Management Journal, v. 6, n.3, 1985, pp MINTZBERG, Henry. Ascensão e queda do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman, 2004, 360p. MINTZBERG, Henry; AHLSTRAND, Bruce; LAMPEL Joseph. Safári de Estratégia. Porto Alegre: Brookman, 2000, 299p. MOLM, L.D.; TAKAHASHI, N. e PETERSON, G. In the eye of the beholder: Procedural Justice in Social Exchange. American Sociological Review. vol. 68, n.1, 2003, pp SCHMIDHEINY, S. Mudando o rumo: uma perspectiva empresarial global sobre desenvolvimento e meio ambiente. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, SEBRAE. Termo de Referência para atuação do Sistema Sebrae em um APL SHARMA, Sanjay. Managerial Interpretations and Organizational Context as Precidtors of Corporate Choise of Environmental Strategy. Academy of Management Journal. v. 43, n. 4, 2000, pp SOUZA, R. S. Evolução e condicionantes da gestão ambiental nas empresas. Rio Grande do Sul: UFRGS, TACHIZAWA, T. Gestão ambiental e responsabilidade social corporativa: estratégias de negócios focadas na realidade brasileira. São Paulo: Atlas, YIN, Robert K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005, 212p. Docente: BETÂNIA ALVES VEIGA DELL'AGLI CHRISTIAN ALEXANDRE VIEIRA CLÁUDIA REGINA MILARÉ GISELE APARECIDA DO PATROCINIO BAZI GLEBER PAULA LILIANE QUEIROZ ANTONIO 31/03/2009 1

69 Projeto de Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO LUCIEL HENRIQUE DE OLIVEIRA LUIZ EDUARDO TEIXEIRA FERREIRA MARCOLINO FERNANDES NETO MARIA IZABEL FEREZIN SARES OLÍMPIO GOMES DA SILVA NETO Nome do projeto: Inclusão social e processos de intervenção psicossocial Linha de Pesquisa: Políticas Públicas Ano Início: 2008 Descrição do projeto Justificativa: A gestão e o planejamento de políticas públicas configuram-se em complexas práticas de administração. O contexto altamente instável e a grande dificuldade em alterar os rumos de assentamentos urbanos e rurais, independente de seu porte, demandam informações de diversas naturezas muitas vezes de difícil integração. É necessário estimular o debate sobre a dimensão política da sustentabilidade na escala local, que tem como objetivo formas públicas e participativas de gestão. Os atores inseridos no processo de elaboração de diretrizes de políticas públicas devem receber do poder gestor municipal possibilidades no controle de recursos para decisões políticas. Objetivos:.Partir de instrumentos de avaliação desempenho que integram aspectos até então fragmentados nas práticas administrativas e incorporar efetivamente a dimensão social e a ambiental ao processo, direcionando os municípios para o desenvolvimento sustentável..estudar práticas participativas de gestão, investigando se, de fato, elas incorporam em sua formulação práticas sustentáveis de desenvolvimento com atuação da população, e de quem tem sido a competência da formulação de tais proposições..analisar como os atores sociais exercem a democracia, particularmente em pequenos municípios, na elaboração de políticas públicas municipais..estudar questões macro, como as políticas públicas para reduzir as diferenças entre homens e mulheres, que podem ser formuladas com a identificação e a quantificação do tempo gasto com atividades não remuneradas, como trabalhos domésticos, estudo e lazer..estudar as possibilidades de processos de intervenção participativa com populações de mulheres e crianças com fator de inclusão social..estudar as condições de exclusão social, econômica, política e cultural das minorias, principalmente mulheres, jovens e crianças articuladas com processos de intervenção psicossocial no sentido da construção da autonomia...estudar os processos de avaliação do risco a partir da percepção das variáveis ambientais e a construção de uma cultura de segurança. Áreas de atuação: Enfoques principais: Inclusão social e processos de intervenção psicossocial; Processos psicológicos na avaliação do risco. Setores de atividade: Serviços coletivos prestados pela administração pública na esfera da segurança e ordem pública, inclusive defesa civil; Saúde humana; Educação. Referências básicas: ABRAMOVAY, Ricardo.?Laços financeiros na luta contra a pobreza?, São Paulo: Annablume/Fapesp, BARBALET, J. M.. Power and resistance. British Journal of Sociology, London, v, 4: p , BEZERRA, M. do C.; FERNANDES, M. A. Cidades sustentáveis: subsídios à Elaboração da Agenda 21 brasileira. (coordenadores).? Brasília: Ministério do Meio Ambiente, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Consórcio Parceria 21 IBAM-ISER- REDEH, BOGASON, Peter. Public Policy and local governance: Institutions in post modern society. Cheltenham: Edward Elgar Publishing Limited, BOSCH, Margarita. NGOs and Development in Brazil: roles and responsabilities in a new world order. In: HULME, David; EDWARDS, Michael. NGOs. States and Donors: tôo close for confort. London: Macmillan Press, p COSTA, Bruno Lazzarotti; CARNEIRO, Carla Bronzo Ladeira. Sugestões para uma política estadual de combate à pobreza persistente. In: BANCO DE DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS. Investindo em Políticas Sociais: Minas Gerais do Séc. XXI. Belo Horizonte: Rona, Cap.5, p v.8. DULANY, Peggy. Tendências emergentes em parcerias intersetoriais: processos e mecanismos para colaboração. In: IOSCHPE, E. B. (org). Terceiro Setor: e desenvolvimento social sustentado. Rio de Janeiro: Ed. Paz e Terra, p FERNANDES, F. C. O que é Terceiro Setor. In: IOSCHPE, E. B. (org) Terceiro Setor: e desenvolvimento social sustentado. São Paulo: Paz e Terra, p KEINERT, T. M. M. Os paradigmas da administração pública no Brasil. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 34, n. 3, 1994 KICKERT, Walter J. M.; KLIJN, E.; KOPPENJAN, Joop. Managing Complex Networks: strategies for the public sector. London: Sage Publications, KISIL, Marcos. Organização social e desenvolvimento sustentável: projetos de base comunitária. In: IOSCHPE, E. B. (org) Terceiro Setor: e desenvolvimento social sustentado. Rio de Janeiro: Ed. Paz e Terra, p LEWIS, David. The management of Non-Governamental Development Organizations. London: Routledge, LOIOLA, E.; MOURA, S. Análise das redes: uma contribuição aos estudos organizacionais. In: FISCHER, Tânia (org.) Gestão contemporânea: cidades estratégicas e organizações locais. FGV, Rio de Janeiro, p MONTAÑO, C. Terceiro Setor e questão social: crítica ao padrão emergente de intervenção social. São Paulo: Cortez, In: AGUIAR, A. B. Relação entre estruturas organizacionais e indicadores de desempenho das Organizações Não Governamentais do Estado de São Paulo /03/2009 2

70 Projeto de Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO 184p. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis)? Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, RESENDE, T. A. Roteiro do Terceiro Setor. Belo Horizonte: Publicare, SENN, Lanfranco. A cooperação público-privado no financiamento do desenvolvimento urbano. In: LODOVICI, Samek E.; BERNAREGGI, G. M. Parceria público-privado: cooperação financeira e organizacional entre o setor privado e administrações públicas locais. São Paulo: Summus, p W. J. M.; KLIJN, E.; KOPPENJAN, J. F. M. Managing Complex Networks: strategies for the public sector. London: Sage Publications, YIN, Robert K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005, 212p. Docente: ANA CRISTINA SALVIATO SILVA BETÂNIA ALVES VEIGA DELL'AGLI CARMEN BEATRIZ FABRIANI ÉRICA PASSOS BACIUK GISELE APARECIDA DO PATROCINIO BAZI MARIA DAS GRAÇAS ENRIQUE DA SILVA MARIA HELENA CIRNE DE TOLEDO MÔNICA MARIA GONÇALVES OLÍMPIO GOMES DA SILVA NETO Nome do projeto: Investigação das condições de vida e trabalho e das práticas que conduzem á uma melhor QVT Linha de Pesquisa: Qualidade de Vida no Trabalho Ano Início: 2008 Descrição do projeto Justificativa: A qualidade de vida no trabalho (QVT) é um tema ainda pouco explorado na prática, pelas organizações, apesar dos inúmeros estudos e pesquisas mostrando sua eficiência, tanto para as pessoas, quanto para as organizações. Favorável às pessoas, na medida em que satisfeitas, elas conseguem ir além do que o seu dever exige; importante para as organizações, uma vez que elas são reconhecidas como éticas e cidadãs, além de verem seus objetivos mais facilmente atingidos, pois contam com membros parceiros. Pensar na QVT, no entanto, vai muito além da satisfação imediata das necessidades primárias dos membros de uma organização: é pensar em interesses em longo prazo. Trata-se de valorizar o prazer de ser, de fazer e de pertencer. Embora a temática da qualidade de vida no trabalho (QVT) tenha recebido bastante atenção nos últimos anos, ainda existe alguma incerteza com relação ao sentido exato desse termo. No entanto, praticamente todas as definições guardam entre si um ponto em comum: seu objetivo de propiciar uma maior humanização do trabalho. Ele envolve aspectos psicosociais, satisfação, condições de trabalho, estilos de liderança e higiene, dentre outros. Objetivos:.Buscar o conhecimento e a compreensão do ser humano: suas motivações, suas crenças, suas esperanças e suas ilusões, também a análise que ele faz de sua vida. Estudar o relacionamento com os outros, o modo de pensar, eu sistema de valor e seu comportamento: os objetivos e finalidades que ele persegue, seus fracassos e suas conquistas..investigar uma concepção ampla de QVT, relacionada com qualidade de vida pessoal, incluindo a conquista da cidadania - tanto por parte do trabalhador, que passa a manter uma relação direta e democrática com seu empregador, quanto por parte da organização, que de modo geral, traz para os seus integrantes e para a sociedade retornos favoráveis..investigar as condições de trabalho e satisfação do trabalhador, visando humanizar as relações e a convivência na organização..investigar casos de atitudes em prol da QVT entendida como a busca de valores cidadãos na organização..analisar a QVT entre trabalhadores de diversas áreas tratando os aspectos psico-sociais; aspectos físicos e higiênicos do ambiente e aspectos tecnológicos. Áreas de atuação: organizações públicas e privadas, de todos os portes e áreas. Foco nas organizações da região de São João de Boa Vista e investigação das condições de vida e trabalho e das práticas que conduzem á uma melhor QVT. Referências básicas: ALBUQUERQUE, Lindolfo Galvão de. Estratégias de recursos humanos e competitividade. In: VIEIRA, Marcelo Milano Falcão; OLIVEIRA, Lúcia Maria Barbosa de. (Orgs). Administração contemporânea: perspectivas estratégicas. São Paulo, Atlas, ALVES, Lauro Eduardo Soutello. Governança e cidadania empresarial. In: Revista de Administração de Empresas (RAE), v. 41, n. 4, p , ARRUDA, Maria Cecília Coutinho de. Indicadores de clima ético nas empresas. Revista de Administração de Empresas (RAE), v. 40, n.3, 2000, p CAÑETE, Ingrid. Qualidade de vida no trabalho: muitas definições e inúmeros significados. In: BITENCOURT, Claudia - Org. Gestão contemporânea de pessoas: novas práticas, conceitos tradicionais. Porto Alegre, Ed. Bookman, /03/2009 3

71 Projeto de Pesquisa Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO DEJOURS, Chritophe. Uma nova visão do sofrimento humano nas organizações. In: EVANS, Paul. Carreira, sucesso e qualidade de vida. In: Revista de Administração de Empresas (RAE), v. 36, n. 3, p , FERNANDES, Eda C., GUTIERREZ, Luiz H. Qualidade de vida no trabalho: uma experiência brasileira. Revista de Administração de Empresas, v.23, n.4, p.29-38, LEMOINE, Claude. La psichologie du travail et des organisations: recherche et intervention. In: BERNAUD, Jean-Luc; LEMOINE, Claude. (Orgs). Traité de psychologie du travail et des organisations. Paris, Dunod, LEVIONNOIS, Michel; RULLIÈRE, Catherine. L?entreprise humaine: valeurs, projets et pouvoirs partagés. Paris, Dunod, LIMONGI-FRANÇA, Ana Cristina e ZAIMA, Gustavo. Gestão de qualidade de vida no trabalho - GQVT. In: BOOG, Gustavo e BOOG, Magdalena. Orgs. Manual de gestão de pessoas e equipes: estratégias e tendências. Vol. 1, p , São Paulo, Ed. Gente, LIMONGI-FRANÇA, Ana Cristina. Qualidade de vida no trabalho? QVT: conceitos e práticas nas empresas da sociedade pós-industrial. São Paulo. Atlas, MARQUES, Juracy Cunegatto. Relações interpessoais e apoios afetivos: o calor e o frio na convivência organizacional. In: BITENCOURT, Claudia - Org. Gestão contemporânea de pessoas: novas práticas, conceitos tradicionais. Porto Alegre, Ed. Bookman, MENDES, Ana Magnólia; CRUZ, Roberto Moraes. Trabalho e Saúde no contexto organizacional: vicissitudes teóricas. In: TAMAYO, Álvaro e Col. Cultura e saúde nas organizações. Artmed Editora, Porto Alegre, MORGAN, Gareth. Imagens da organização. São Paulo, Atlas, PETERS, Thomas; WATERMAN, Robert. Le prix de l?excellence: les secrets des meilleures enterprises. Paris, InterÉditions, SILVA, Sandro Márcio da, FLEURY, Maria Tereza Leme. Cultura organizacional e tecnologia da informação? um estudo de caso em organizações niversitárias. Informática, organizações e sociedade no Brasil. RUBEM, Guilhermo; WAINER, Jaques e DWIER, Tom, (orgs). In: Informática, organizações e sociedade no Brasil. São Paulo: Cortez, TOLFO, Suzana da Rosa e PICCINI, Valmíria Carolina. As melhores empresas para trabalhar no Brasil e a qualidade de vida no trabalho: disjunções entre a teoria e a prática. In: XXII Encontro da ANPAD - Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Foz do Iguaçu. Anais YIN, Robert K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005, 212p. Docente: ANA CRISTINA SALVIATO SILVA CARMEN BEATRIZ FABRIANI CLÁUDIA REGINA MILARÉ ELLIKA TRINDADE ÉRICA PASSOS BACIUK GLEBER PAULA LILIANE QUEIROZ ANTONIO LUCIEL HENRIQUE DE OLIVEIRA MARCOLINO FERNANDES NETO MARIA DAS GRAÇAS ENRIQUE DA SILVA MARIA HELENA CIRNE DE TOLEDO MARIA IZABEL FEREZIN SARES MÔNICA MARIA GONÇALVES OLÍMPIO GOMES DA SILVA NETO 31/03/2009 4

72 Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Consolidação de Proposta Disciplinas - Docentes Permanentes UNIFAE - ANA CRISTINA SALVIATO SILVA Nível Disciplina DBA-1 - METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - BETÂNIA ALVES VEIGA DELL'AGLI Nível Disciplina DBA-4 - QUALIDADE- DE VIDA NA SOCIEDADE E NO TRABALHO DCC-1 CONCEITOS DE EDUCAÇÃO E PROMOÇÃO EM SAÚDE DDC-6 EDUCAÇÃO, FAMÍLIA, CIDADANIA E PROMOÇÃO DE SAÚDE DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - CARMEN BEATRIZ FABRIANI Nível Disciplina NIV-2 - CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DBA-1 - METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA DBA-4 - QUALIDADE- DE VIDA NA SOCIEDADE E NO TRABALHO DCC-1 CONCEITOS DE EDUCAÇÃO E PROMOÇÃO EM SAÚDE DDC-6 EDUCAÇÃO, FAMÍLIA, CIDADANIA E PROMOÇÃO DE SAÚDE DCC-7 PRÁTICAS SOCIAIS E PARTICIPAÇÃO UNIFAE - CHRISTIAN ALEXANDRE VIEIRA Nível Disciplina DBA-1 - METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA DCC-2 INOVAÇÃO, SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - CLÁUDIA REGINA MILARÉ Nível Disciplina NIV-3 - ESTATÍSTICA BÁSICA DBA-1 - METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - ELLIKA TRINDADE Nível Disciplina DBA-4 - QUALIDADE- DE VIDA NA SOCIEDADE E NO TRABALHO DCC-1 CONCEITOS DE EDUCAÇÃO E PROMOÇÃO EM SAÚDE DDC-6 EDUCAÇÃO, FAMÍLIA, CIDADANIA E PROMOÇÃO DE SAÚDE DCC-7 PRÁTICAS SOCIAIS E PARTICIPAÇÃO DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - ÉRICA PASSOS BACIUK Nível Disciplina 31/03/2009 1

73 Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Consolidação de Proposta Disciplinas - Docentes Permanentes Nível Disciplina DBA-1 - METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA DBA-4 - QUALIDADE- DE VIDA NA SOCIEDADE E NO TRABALHO DCC-1 CONCEITOS DE EDUCAÇÃO E PROMOÇÃO EM SAÚDE DDC-6 EDUCAÇÃO, FAMÍLIA, CIDADANIA E PROMOÇÃO DE SAÚDE DCC-7 PRÁTICAS SOCIAIS E PARTICIPAÇÃO DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - GISELE APARECIDA DO PATROCINIO BAZI Nível Disciplina NIV-2 - CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DBA-4 - QUALIDADE- DE VIDA NA SOCIEDADE E NO TRABALHO DCC-1 CONCEITOS DE EDUCAÇÃO E PROMOÇÃO EM SAÚDE DDC-6 EDUCAÇÃO, FAMÍLIA, CIDADANIA E PROMOÇÃO DE SAÚDE DCC-7 PRÁTICAS SOCIAIS E PARTICIPAÇÃO DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - GLEBER PAULA Nível Disciplina NIV-1 - ORGANIZAÇÃO E MÉTODOS DE GESTÃO DBA-1 - METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA DCC-2 INOVAÇÃO, SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DCC-5 APLS E DESENVOLVIMENTO REGIONAL UNIFAE - LUCIEL HENRIQUE DE OLIVEIRA Nível Disciplina NIV-1 - ORGANIZAÇÃO E MÉTODOS DE GESTÃO DBA-1 - METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA DBA-2 - DESENVOLVIMENTO REGIONAL SUSTENTÁVEL DBA-3 - GESTÃO DE PROJETOS SUSTENTÁVEIS DCC-2 INOVAÇÃO, SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DDC-4 GESTÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE DCC-5 APLS E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DDC-8 ECONOMIA SOLIDÁRIA E AUTOGESTÃO DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - LUIZ EDUARDO TEIXEIRA FERREIRA Nível Disciplina DBA-1 - METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA DCC-2 INOVAÇÃO, SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DDC-3 GESTÃO DE RESÍDUOS E GERAÇÃO DE TRABALHO E RENDA DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS 31/03/2009 2

74 Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Consolidação de Proposta Disciplinas - Docentes Permanentes UNIFAE - MARCOLINO FERNANDES NETO Nível Disciplina NIV-3 - ESTATÍSTICA BÁSICA DBA-1 - METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA DDC-3 GESTÃO DE RESÍDUOS E GERAÇÃO DE TRABALHO E RENDA DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - MARIA DAS GRAÇAS ENRIQUE DA SILVA Nível Disciplina DBA-3 - GESTÃO DE PROJETOS SUSTENTÁVEIS DCC-5 APLS E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - MARIA HELENA CIRNE DE TOLEDO Nível Disciplina DBA-4 - QUALIDADE- DE VIDA NA SOCIEDADE E NO TRABALHO DCC-1 CONCEITOS DE EDUCAÇÃO E PROMOÇÃO EM SAÚDE DDC-6 EDUCAÇÃO, FAMÍLIA, CIDADANIA E PROMOÇÃO DE SAÚDE DCC-7 PRÁTICAS SOCIAIS E PARTICIPAÇÃO DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - MARIA IZABEL FEREZIN SARES Nível Disciplina NIV-1 - ORGANIZAÇÃO E MÉTODOS DE GESTÃO DBA-3 - GESTÃO DE PROJETOS SUSTENTÁVEIS DCC-2 INOVAÇÃO, SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DDC-3 GESTÃO DE RESÍDUOS E GERAÇÃO DE TRABALHO E RENDA DCC-5 APLS E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - MÔNICA MARIA GONÇALVES Nível Disciplina NIV-3 - ESTATÍSTICA BÁSICA DBA-3 - GESTÃO DE PROJETOS SUSTENTÁVEIS DDC-3 GESTÃO DE RESÍDUOS E GERAÇÃO DE TRABALHO E RENDA DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS UNIFAE - OLÍMPIO GOMES DA SILVA NETO Nível Disciplina DBA-3 - GESTÃO DE PROJETOS SUSTENTÁVEIS DDC-3 GESTÃO DE RESÍDUOS E GERAÇÃO DE TRABALHO E RENDA DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS 31/03/2009 3

75 Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Consolidação de Proposta Disciplinas - Docentes Colaboradores UNIFAE - LILIANE QUEIROZ ANTONIO Nível Disciplina DCC-2 INOVAÇÃO, SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DCC-5 APLS E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DDC-9 TÓPICOS AVANÇADOS 3/31/09 7:55 AM 1

76 Informações Complementares Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO Observaçõe ESTRUTURA RESUMIDA DO CURSO (Sumário executivo) Modalidade do Mestrado: Acadêmico Enfoque: Mestrado em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Titulação: Mestre em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Caráter: Interdisciplinar Duração Mínima: 12 meses Duração Máxima: 24 meses + 6 (prorrogação) = 30 meses Regime Acadêmico: Semestral, com entradas Semestrais Entrada de alunos: 10 alunos por semestre ESTRUTURA DO CURSO: Disciplinas de Nivelamento: 3 (três), quando necessário (sem créditos) Disciplinas Obrigatórias: 04 (quatro) - 12 (doze) créditos (180 h/a) Disciplinas Eletivas: mínimo de 04 (quatro) - 12 (doze) créditos (180 h/a) Seminário de Pesquisa: 06 (seis) créditos (90 h/a) Elaboração da Dissertação de Mestrado: 15 (quinze) créditos (225 h/a) TOTAL DE CRÉDITOS: 45 (quarenta e cinco) créditos (675 h/a) ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Linhas de Pesquisa: (1) Desenvolvimento Sustentável de Operações (Produtos e Serviços) (2) Qualidade de Vida no Trabalho (3) Políticas Públicas Requisitos para obtenção do título de Mestre Disciplinas de Nivelamento, quando necessário, a critério da coordenação Disciplinas Obrigatórias e Eletivas Exame de suficiência / proficiência em língua estrangeira (inglês) Exame de Qualificação Defesa pública da dissertação de mestrado Considerações Finais Entendemos que a qualidade de um curso de mestrado não depende fortemente da natureza da instituição, se pública, comunitária/ filantrópica ou privada, e sim da razão discente/docente, do apoio institucional ao desenvolvimento das pesquisas. Depende ainda da quantidade e da qualidade de dissertações que vierem a ser defendidas, e também da integração da instituição com outros programas de mestrado e doutorado, seja da própria IES ou de outras. De acordo com Steiner (2005)* diferentes áreas do conhecimento possuem distintos graus de amadurecimento, sendo que numa escala de 0 a 7, a Área de Ciências da Saúde (com nota 4,2) tem a pior avaliação Capes e a Área de Ciências Exatas e da Terra, a melhor (com nota 5,7). Algumas universidades já atingiram o nível internacional em algumas grandes áreas. Acreditamos que ao propor este curso de Mestrado em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida, o UNIFAE está dando um importante passo no sentido de iniciar uma pós-graduação stricto-sensu de qualidade, e em colaborar com a formação de pesquisadores e professores para estudar as questões de interesse regional. Ao fazer esta proposta a instituição compromete-se em priorizar o desenvolvimento de pesquisas nas três linhas elaboradas, que irão alavancar o ensino e a extensão de forma integrada e sem precedentes na instituição. Nos Programas de Pós-Graduação stricto sensu deve haver a articulação do ensino, da pesquisa e da extensão, contribuindo para a formação crítica dos docentes, baseado na finalidade da educação superior (LDB), e na caracterização da IES. Sabemos que a avaliação CAPES enfatiza a importância da formação científica e acadêmica e, por fim e não menos importante, na necessidade da aproximação da universidade com os serviços á comunidade. É isto que a instituição se propõe, comprometendo-se a empenhar-se de forma concreta, responsável e dedicada, para criar e manter um programa de mestrado com a qualidade necessária para fazer do UNIFAE um centro universitário em processo de melhoria contínua. Entendemos que a pós-graduação Stricto Sensu deve agir como indutora da transformação do processo interno das instituições de ensino superior, formando cidadãos críticos (professores e pesquisadores) que trabalhem visando o desenvolvimento sustentável de organizações públicas e privadas, e a qualidade de vida de todos os envolvidos. Sabemos do potencial transformador de um curso desta natureza, e da significativa contribuição que este curso de mestrado poderá trazer para o crescimento dos profissionais e para o amadurecimento do UNIFAE. Este é o compromisso da instituição e de todos os docentes envolvidos neste curso. 31/03/2009 1

77 Informações Complementares Área Básica: ENGENHARIA/TECNOLOGIA/GESTÃO * STEINER, J.E. Qualidade e diversidade institucional na pós-graduação brasileira. Estudos Avançados, vol.19 no.54 São Paulo Mai/Ago Críticas e sugestões Ética e Conduta em Sala de Aula O Mestrado Multidisciplinar em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino (UNIFAE) tem como valores fundamentais a honestidade, a integridade, e o respeito mútuo. Considera como principal responsabilidade de seus corpos docente e discente conduzirem-se, em todas as atividades relacionadas à instituição, de modo a respeitar e fomentar tais valores. Entende-se que estes ideais não devem estar limitados ao convívio no meio acadêmico, e que devem servir de alicerce para o desenvolvimento de uma vida profissional prolífica e socialmente responsável. Desta forma, não serão tolerados atos de qualquer natureza que violem esses princípios básicos. Tais atos incluem também qualquer prática de plágio e/ou de desenvolvimento de trabalho por terceiros. Além de receberem nota zero automaticamente, os casos dos infratores poderão ser levados à Reitoria do UNIFAE para que sejam tomadas as providências cabíveis. Considera-se ainda que os mestrandos possuem o direito participar das aulas e interagir com professores e colegas sem a interferência de elementos estranhos ou inconvenientes ao curso. Logo, em salas de aula e de estudo, e em laboratórios, espera-se, de todos os mestrandos um comportamento cordial, responsável e ordeiro. Cooperação e colaboração em sala de aula são sempre estimuladas no curso, porém sempre dentro dos padrões de cordialidade e respeito exigidos de profissionais formados numa instituição de primeira linha. Caso julgue o comportamento de um aluno incompatível com tais padrões, o professor sempre terá autoridade e autonomia para solicitar que o mesmo se retire da sala de aula. 31/03/2009 2

78 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 1 ESTATUTO CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - FAE ÍNDICE TÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS OBJETIVOS Capítulo I Da Instituição Capítulo II Dos Objetivos Capítulo III Da Autonomia TÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO Capítulo I Do Conselho Universitário Capítulo II Do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão Capítulo III Da Reitoria Capítulo IV Dos Órgãos da Administração Acadêmica Capítulo V Dos Órgãos Suplementares TÍTULO III DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO TÍTULO IV DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA TÍTULO V DO PATRIMÔNIO E DO REGIME FINANCEIRO TÍTULO VI DISPOSIÇÕES GERAIS TÍTULO VII DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS

79 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 2 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE TÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO Art. 1º - O Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino-FAE, com sede no município de São João da Boa Vista, Estado de São Paulo, é uma instituição de ensino municipal, autárquica, pluricurricular, criada pela Lei nº 633, de 01 de março de 2001, da Prefeitura Municipal de São João da Boa Vista, SP, por via da transformação das Faculdades Associadas de Ensino de São João da Boa Vista FAE, integrando o Sistema Estadual de Ensino. Art.2º - O Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino-FAE, nominado adiante apenas Centro Universitário-FAE, rege-se pela legislação e normas aplicáveis ao Sistema Estadual de Ensino de São Paulo, por seu Regimento Geral e demais normas expedidas por seus colegiados superiores. CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS Art. 3º. O Centro Universitário FAE tem como objetivos: I - estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo, propiciando condições de educação ao ser humano, como sujeito e agente de seu processo educativo e de sua história, pelo cultivo do saber, em suas diferentes vertentes, formas e modalidades;

80 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 3 II formar recursos humanos nas diferentes áreas de conhecimento, aptos para a inserção em setores profissionais e para a participação no desenvolvimento da sociedade brasileira; III desenvolver a iniciação científica, incentivar e apoiar o trabalho de pesquisa; IV promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos, que constituem o patrimônio da humanidade e comunicar o saber através do ensino, de publicações ou de outras formas de comunicação; V estimular o permanente aperfeiçoamento cultural e profissional; VI estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente, em particular os nacionais e regionais, prestar serviços especializados à comunidade e estabelecer com esta uma relação de reciprocidade; VII promover a extensão, aberta à participação da população, visando à difusão das conquistas e benefícios da criação cultural e da pesquisa científica e tecnológica, gerados na instituição. VIII contribuir, através do exercício de suas atividades de ensino, pesquisa e extensão, para o desenvolvimento harmônico e integrado de sua comunidade e das comunidades local e regional, com vista ao bem-estar social, econômico, político e espiritual do ser humano; IX preservar os valores éticos, morais, cívicos e religiosos, contribuindo para o aperfeiçoamento da sociedade, na busca do equilíbrio e bem estar do ser humano; X ser uma instituição aberta à sociedade, contribuindo para o desenvolvimento de todas as faculdades intelectuais, físicas e espirituais do ser humano. CAPÍTULO III DA AUTONOMIA Art. 4º - O Centro Universitário-FAE goza de autonomia didático científica, administrativa, de execução orçamentária e disciplinar, a ser exercida na forma desta Lei e do Regimento Geral. 1º. A autonomia didático - científica compreende a competência para: a) estabelecer sua política de ensino, pesquisa e extensão;

81 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 4 b) criar, organizar e extinguir, em sua sede, unidades, cursos e programas de educação superior, assim como remanejar ou ampliar vagas nos cursos existentes e fixar as vagas iniciais; c) fixar os currículos dos seus cursos e programas, observadas as diretrizes curriculares pertinentes ; d) estabelecer planos, programas e projetos de pesquisa científica, produção artística e atividades de extensão; e) conferir graus, diplomas e outros títulos; f) estabelecer seu regime acadêmico e didático-científico. 2º. A autonomia administrativa compreende a competência para: a) propor a reforma deste Estatuto, no que couber, além de deliberar sobre alterações no Regimento Geral; b) elaborar, reformar e aprovar o Regimento de suas unidades e os regulamentos da Reitoria do Centro Universitário e de seus órgãos auxiliares e suplementares; c) fixar os encargos educacionais, as taxas e emolumentos a serem cobrados pelos serviços prestados, respeitada a legislação pertinente; d) propor formas de seleção, admissão, promoção, licença, substituição e dispensa do pessoal docente, bem como estabelecer seus direitos e deveres, respeitadas as normas pertinentes. 3º. A autonomia de gestão orçamentária compreende a competência para elaborar e executar o orçamento anual, na forma da Lei e deste Estatuto. 4º. A autonomia disciplinar compreende a competência para estabelecer o regime de direitos e deveres de aplicações de penalidades, respeitadas as determinações legais e os princípios gerais do direito. Art. 5º - A estrutura organizacional do Centro Universitário-FAE obedece aos seguintes princípios: I unidade de patrimônio e administração; II estrutura orgânica com base em Cursos vinculados diretamente à administração superior; III unidade de funções de ensino, pesquisa e extensão, vedada a duplicação de meios para fins idênticos ou equivalentes;

82 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 5 IV racionalidade de organização, com plena utilização dos fatores humanos e dos recursos materiais; V flexibilidade de métodos e critérios, com vistas às diferenças individuais dos alunos, às peculiaridades locais e regionais e às possibilidades de combinação dos conhecimentos para novos cursos e programas de iniciação científica e de extensão. TÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO Art. 6º - A administração do Centro Universitário-FAE é exercida pelos seguintes órgãos: I Órgãos da Administração Superior: a) Conselho Universitário; b) Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. c) Reitoria; II Órgãos da Administração Acadêmica: a) Pró-Reitoria; b) Conselho de Curso; c) Coordenadoria de Curso; III Órgãos suplementares. Parágrafo único. Os órgãos suplementares são criados e regulamentados pelo Conselho Universitário, atendidas as disponibilidades orçamentárias. CAPÍTULO I DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO Art. 7º - O Conselho Universitário (CONSU), órgão superior, de natureza deliberativa e normativa e de instância final para todos os assuntos acadêmico-administrativos, é integrado: I pelo Reitor, seu Presidente; II. pelo Vice-Reitor; III pelos Pró-Reitores;

83 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 6 IV por todos Coordenadores de curso; V por três representantes docentes, sendo um de cada categoria, eleitos por seus pares, em lista tríplice para mandato de 2 (dois) anos, permitida recondução; VI por um representante do corpo técnico administrativo, eleito por seus pares, para mandato de 2 (dois ) anos, permitida a recondução; VII por um representante discente indicado pelo órgão de representação acadêmica, para mandato de 1 (um ) ano, vedada a recondução; VIII pelo Secretário Geral da Instituição; IX - pelos docentes do regime estatutário em efetivo exercício na Instituição (opção pela Lei Municipal nº 656/92, de 28/04/1992). Art. 8º.- Compete ao Conselho Universitário formular o planejamento, as diretrizes e as políticas gerais do Centro Universitário Municipal e deliberar, em instância final, sobre: I normas gerais de funcionamento do Centro Universitário; II criação, desmembramento, fusão ou extinção de unidades acadêmicas, administrativas ou suplementares, ouvido o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão e demais órgãos interessados; III alterações neste Estatuto, no Regimento Geral do Centro Universitário e demais normas e regulamentos referentes ao funcionamento das unidades acadêmicas; IV critérios e a sistemática para elaboração de atos normativos dos órgãos colegiados; V apuração de responsabilidade do Reitor, Vice-Reitor, dos Pró-Reitores e dos Coordenadores, quando, por negligência ou tolerância, permitirem ou favorecerem o não cumprimento da legislação de ensino, deste Estatuto, do Regimento Geral ou de normas complementares do Centro Universitário Municipal; VI instituição e concessão de títulos honoríficos e concessão de prêmios; VII representações ou recursos que lhe forem encaminhados pelo Reitor; VIII providências destinadas a prevenir ou corrigir atos de indisciplina coletiva; IX intervenção nos demais órgãos do Centro Universitário, esgotadas as vias ordinárias, bem como avocar as atribuições a eles conferidas; X recesso parcial ou total das atividades escolares de cada curso ou de todos, ouvido o CEPE; XI a sistemática e o processo de avaliação institucional; XII instituição de símbolos, bandeiras e flâmulas;

84 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 7 XIII análise da proposta de orçamento anual do Centro Universitário Municipal e suas alterações; XIV elaborar e submeter ao Prefeito Municipal de São João da Boa Vista listas tríplices para a escolha do Reitor e Vice - Reitor, respectivamente. Parágrafo único. Cabe ao CONSU, ainda: a) exercer o poder disciplinar originariamente ou em grau de recurso, como instância superior; b) interpretar o presente Estatuto e o Regimento Geral e resolver os casos omissos; d) instituir comissões; e) propor a criação, a extinção ou desmembramento de cursos, unidades ou outros órgãos do Centro Universitário; f) exercer as demais atribuições de sua competência por força de lei e deste Estatuto. CAPÍTULO II DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO ART. 9º - O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE), órgão central de supervisão das atividades de ensino, pesquisa e extensão, possuindo atribuições deliberativas, normativas e consultivas, é integrado: I pelo Reitor, seu presidente; II pelo Vice-Reitor. III pelos Pró-Reitores de: Graduação, Pós Graduação e Pesquisa e Assuntos Comunitários e de Extensão; IV por 3 (três) coordenadores de curso eleitos entre seus pares para mandato de 2(dois) anos; V por 3 (três) representantes do corpo docente, de cursos distintos, escolhidos por seus pares, para mandato de 2(dois) anos na seguinte proporção: 1 (um) com título de doutor; 1 (um) com título de mestre; 1(um) com título de especialista. VI por um representante do corpo técnico - administrativo, indicado pelo Reitor, para mandato de 1 (um) ano, permitida a recondução. VII por um representante do corpo discente, indicado pelo órgão de representação acadêmica, para mandato de 1 (um) ano, vedada a recondução.

85 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 8 VIII - pelo Secretário Geral do Centro Universitário. Art Compete ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão superintender e coordenar, em nível superior, as atividades de ensino, de pesquisa e extensão, deliberando sobre: I criação, expansão, modificação e extinção de unidades e cursos; II ampliação, redistribuição e diminuição de vagas; III elaboração da programação dos cursos; IV programação das pesquisas e das atividades de extensão; V proposta de: a) normas sobre plano de carreira docente; b) normas que visem ao aperfeiçoamento dos processos de aferição do rendimento escolar; c) alteração deste Estatuto e do Regimento Geral; d) avaliação institucional. VI qualquer matéria de sua competência, em primeira instância, ou em grau de recurso; Parágrafo único. Cabe, ainda, ao CEPE deliberar sobre: a) seu Regulamento; b) os currículos plenos dos cursos de graduação, decidindo sobre questões relativas à sua aplicabilidade; c) as normas gerais dos processos de seleção para matrícula nos cursos ou disciplinas; d) o calendário acadêmico anual, os turnos e o horário de funcionamento dos cursos de graduação; e) as normas acadêmicas complementares às do Regimento Geral, em especial as relativas a programas de ensino, matrículas de graduados e outras, transferências, trancamentos de matrícula, reopções de curso, adaptações, avaliação do processo ensino - aprendizagem, processo seletivo aos diversos cursos, aproveitamento de estudos e outras, que se incluem no âmbito de sua competência; f) exercer o poder disciplinar no âmbito de suas funções; g) constituir comissões; h) exercer as demais atribuições, que, por sua natureza, lhe estejam afetas.

86 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 9 CAPÍTULO III DA REITORIA Art A Reitoria, órgão executivo da administração superior do Centro Universitário Municipal, é exercida pelo Reitor, auxiliado pelo Vice-Reitor, pelos Pró-Reitores e Coordenadores de Cursos. Parágrafo único. Inicialmente, a Reitoria conta com as seguintes Pró-Reitorias: a) de Graduação; b) de Pós - Graduação e Pesquisa; c) de Assuntos Comunitários e de Extensão. Art.12 - O cargo de Reitor é privativo de professor com a titulação exigida pelo Sistema Estadual de Ensino e com, no mínimo, 4 (quatro) anos de efetivo exercício na Instituição. 1º. O Reitor é nomeado pelo Prefeito Municipal, que o escolherá entre os indicados pelo CONSU, em lista tríplice; 2º. O mandato do Reitor é de 4 (quatro) anos, sendo permitida a recondução nos termos da legislação vigente. 3º. Em suas faltas e impedimentos, o Reitor é substituído pelo Vice-Reitor. Art.13 - São atribuições do Reitor: I superintender todas as atividades do Centro Universitário e representá-lo perante as autoridades educacionais e a sociedade, assegurando o exercício da autonomia institucional; II cumprir e fazer cumprir as resoluções dos órgãos colegiados superiores, este Estatuto, o Regimento Geral e a legislação e normas vigentes; III convocar e presidir o CONSU e o CEPE, com direito a voto, além do voto de qualidade; IV- presidir todos os atos universitários a que estiver presente; V conferir graus, expedir diplomas, certificados e títulos profissionais; VI assinar acordos e convênios ; VII promover a elaboração do planejamento anual de atividades, a elaboração da proposta orçamentária e a sua execução;

87 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 10 VIII admitir o pessoal docente e técnico - administrativo, após o cumprimento dos requisitos estabelecidos neste Estatuto, no Regimento Geral e demais normas aplicáveis; IX encaminhar ao CONSU a prestação de contas e o relatório das atividades do ano findo; X tomar decisões, quando necessárias, ad referendum, dos respectivos Conselhos; XI propor ao CONSU a concessão de títulos honoríficos, bem como de prêmios; XII - autorizar qualquer pronunciamento público que envolva, sob qualquer forma, o Centro universitário; XIII designar os representantes que integram os colegiados, de acordo com as normas vigentes; XIV exercer o poder disciplinar, de acordo com as normas vigentes; XV exercer quaisquer outras atribuições previstas em Lei, neste Estatuto e no Regimento Geral; XVI delegar competência. Art O cargo de Vice-Reitor é privativo de professor com a titulação exigida pelo Sistema Estadual de Ensino e com, no mínimo, 4 (quatro) anos de efetivo exercício na Instituição. 1º. O Vice - Reitor é designado pelo Prefeito Municipal, que o escolherá entre os indicados pelo CONSU, em lista tríplice; 2º. O mandato do Vice - Reitor é de 4 (quatro) anos, sendo permitida recondução nos termos da legislação vigente. Art. 15 O Vice - Reitor exercerá suas funções de fiscalização e supervisão de todas as atividades do Centro Universitário-FAE, juntamente com o Reitor. 1º - Nas faltas e impedimentos do Reitor, o Vice-Reitor o substituirá, em caso de vacância, até novo provimento; 2º - Nos impedimentos do Reitor e Vice Reitor, assumirá transitoriamente a Direção o docente mais antigo do CONSU, para as providências estabelecidas neste Estatuto. Universitário. Art. 16 Os Pró-Reitores e Coordenadores são de livre escolha do Reitor do Centro

88 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 11 Parágrafo único - Para as funções de Pró-Reitor e Coordenadores, é exigido o efetivo exercício na Instituição, como docente e com titulação mínima de Mestre, à época de sua indicação. Art Os ocupantes de cargos ou funções de direção, coordenação, chefia ou assessoramento têm suas atribuições definidas em regulamento, fixado pelo Reitor. CAPÍTULO IV DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO ACADÊMICA Art O funcionamento dos órgãos deliberativos e executivos, que compõem a administração acadêmica, é disciplinado pelo Regimento Geral. CAPÍTULO V DOS ÓRGÃOS SUPLEMENTARES Art As unidades organizacionais, destinadas a complementarem os órgãos acadêmicos e administrativos, para o pleno exercício das funções de ensino, extensão e pesquisa, são regidos por regulamentos próprios, baixados pelo Reitor, nos limites das dotações orçamentárias. TÍTULO III DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO Art O Centro Universitário-FAE ministra os seguintes cursos: I seqüenciais, por campo de saber, de diferentes níveis de abrangência, abertos a candidatos que atendam aos requisitos estabelecidos pela legislação vigente; II de graduação, abertos a candidatos que hajam concluído o ensino médio ou equivalente e tenham sido classificados em processo seletivo; III de pós-graduação, compreendendo programas de mestrado e doutorado, cursos de especialização, aperfeiçoamento e outros, abertos a candidatos diplomados em cursos de graduação e que atendam às exigências das instituições de ensino; IV de extensão, abertos a candidatos que atendam aos requisitos estabelecidos em cada caso pelas instituições de ensino.

89 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 12 Art A pesquisa deve ser entendida como busca de novos conhecimentos e técnicas, sendo posicionada como orientação e suporte das atividades de ensino e extensão. Parágrafo único - O Centro Universitário estimula, apóia e desenvolve programas de iniciação científica. Art A extensão é definida como a prestação de serviços à comunidade, relacionada às atividades de ensino e pesquisa. TÍTULO IV DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA Art. 23. A comunidade acadêmica é formada pelos corpos docente, discente e técnico-administrativo. 1º. O quadro docente é constituído por professores integrantes do plano de carreira, professores convidados, professores visitantes e auxiliares de ensino. 2º. O corpo discente é constituído pelos alunos matriculados regularmente nos cursos oferecidos pela instituição. 3º. O corpo técnico - administrativo é constituído pelo pessoal não docente. Art Os alunos dos cursos de graduação, nos termos da legislação em vigor, podem organizar o Diretório Central de Estudantes e os Centros Acadêmicos e ou Diretórios Acadêmicos, estes, por curso. Art Os membros da comunidade acadêmica estão subordinados ao regime disciplinar, definido no Regimento Geral. TÍTULO V DO PATRIMÔNIO E DO REGIME FINANCEIRO Art O patrimônio do Poder Público Municipal ou de terceiros, colocado a serviço do Centro Universitário-FAE, é administrado nos termos da Lei, deste Estatuto e das normas estabelecidas pela Autarquia.

90 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 13 Art Os recursos financeiros do Centro Universitário-FAE são da seguinte natureza: I dotações orçamentárias; II - receita por serviços prestados, no ensino, na pesquisa e na extensão; III subvenções, auxílios, convênios, contribuições, doações e verbas a ele destinados por instituições públicas ou privadas, por pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras; IV anuidades escolares, multas, taxas e emolumentos por serviços prestados; V rendas de bens e da aplicação de valores mobiliários ou patrimoniais. 1º. Os recursos gerados ou obtidos pelo Centro Universitário são utilizados na consecução de seus objetivos. 2º. A liberação dos recursos orçamentários está condicionada à realização da receita, nos níveis previstos no orçamento anual. TÍTULO VI DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 28 A Prefeitura Municipal de São João da Boa Vista, Estado de São Paulo, é responsável, juridicamente, pela existência e funcionamento do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino - FAE, cabendo-lhe assegurar a autonomia deste, fixada pelas normas e legislação vigentes e por este Estatuto. Art À Reitoria do Centro Universitário-FAE compete: I propor as alterações deste Estatuto e do Regimento Geral, para encaminhamento ao Conselho Estadual de Educação; II aprovar o orçamento anual, assim como as alterações deste; III aprovar contratos, convênios e acordos; IV designar os Pró-Reitores e Coordenadores de cursos. V encaminhar as listas tríplices para Reitor e Vice - Reitor ao Prefeito Municipal, para escolha e nomeação. Art Cabe ao Centro Universitário-FAE a gestão financeira e patrimonial.

91 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - RESOL. CONSU N 08/2005 com alterações aprovadas pelo Par. CEE. N 484/06 DOE de 19/10/06 14 Art. 31 Das decisões dos órgãos colegiados cabe recurso ao CONSU e, em instância final, ao Conselho Estadual de Educação. Parágrafo único. O prazo máximo, para apresentação de recurso, é de 10(dez) dias, contados a partir da publicação do ato. Art Este Estatuto pode ser alterado por decisão de dois terços dos membros do Conselho Universitário, para posterior encaminhamento ao órgão competente. Art Os casos omissos neste Estatuto são resolvidos pelo Conselho Universitário. TÍTULO VIII DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS Art A extinção, o reenquadramento, a criação e a readaptação das funções existentes atualmente na FAE são determinados por Lei Municipal. Parágrafo único. Cabe à Reitoria instalar o Centro Universitário, convocando o Conselho Universitário e tomando as demais medidas necessárias ao regular funcionamento da Instituição. Art. 35. Este Estatuto entra em vigor na data da publicação do ato de credenciamento do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE pelo Conselho Estadual de Educação. São João da Boa Vista, SP, 21 de dezembro de Valdemir Samonetto Professor Reitor

92 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO FAE. CAPÍTULO I Dos Objetivos e Prazos Artigo 1º Os Cursos Acadêmicos de Pós-Graduação stricto sensu, ministrados pelo Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE, conduz ao título acadêmico de Mestre. Artigo 2º Os Cursos acadêmicos de Pós-Graduação do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE terão a duração máxima de vinte e quatro (24) meses para o Mestrado e a duração mínima de doze (12) meses, podendo haver uma prorrogação de mais seis (6) meses). Os alunos regulares, que excederem estes prazos sem concluirem seus programas, serão desligados do Curso. Parágrafo único - O desligamento significa que o aluno não terá qualquer tipo de vínculo com o Curso e, ao matricular-se novamente, sua aceitação estará condicionada às normas vigentes. CAPÍTULO II Da Estrutura Administrativa Artigo 3º As atividades dos Cursos de Pós-Graduação do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE serão coordenadas pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa - PROPEq. 1º A PROPEq é um órgão assessor da REITORIA, cabendo à primeira a supervisão geral das atividades dos Cursos de Pós-Graduação do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE. 2º As atividades dos Cursos de Pós-Graduação serão aprovadas e acompanhadas pelo Conselho Universitário CONSU e pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CEPE do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE. 1

93 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - CAPÍTULO III Da Estrutura Acadêmica Artigo 4º Os Cursos acadêmicos de Pós-Graduação do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE constam de disciplinas vinculadas às áreas do conhecimento pertinentes e de trabalhos de Dissertação relacionados a essas áreas. 1º As disciplinas serão ministradas em aulas teóricas, seminários, aulas práticas e estudos dirigidos por professores que fazem parte do programa. 2º As categorias docentes e as normas para credenciamento deverão ser definidas e aprovadas pelo CONSU. Artigo 5º Pelo menos dois terços das disciplinas dos Cursos da Pós-Graduação do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE deverão ser ministrados por seus docentes ou ministrados nas instalações do Centro Universitário. Artigo 6º O currículo das atividades programadas para cada aluno, sempre visando a sua Dissertação, poderá incluir disciplinas de outras áreas do mesmo Curso, de outros Cursos de Pós-Graduação do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE, de outros Institutos ou Universidades, Centros Universitários e Faculdades que a Instituição mantenha ou venha a manter convênio. 1º O Programa das atividades a ser desenvolvido, será proposto pelo Orientador, em comum acordo com cada aluno, levando-se em conta a natureza da pesquisa e o nível de formação do aluno. 2º Por proposta do Orientador, o Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE poderá aceitar disciplinas de Pós-Graduação ministradas em outras Universidades, nacionais ou estrangeiras, nas quais o aluno tenha sido aprovado, mesmo que cursadas antes do seu ingresso no curso. Disciplinas cursadas há mais de 5 (cinco) anos e ainda não utilizadas para a obtenção de um título não poderão ser convalidadas. 3º As disciplinas completadas fora do Curso poderão constituir até cinqüenta (50%) por cento dos créditos exigidos em disciplinas do Curso, mediante parecer favorável do Orientador e aprovação do CONSU e do CEPE. Artigo 7º A cada disciplina do Curso será atribuído um número de unidades de crédito. 2

94 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - CAPÍTULO IV Da Admissão de Alunos Artigo8º Existem duas categorias de alunos de Pós-Graduação: regulares e especiais. 1º São alunos regulares os aceitos através de processo de seleção, como candidatos a um título universitário oferecido pelo Curso. 2º São alunos especiais aqueles que, não sendo alunos regulares, estão matriculados, após aprovação da PROPEq, em uma ou mais disciplinas isoladas de Pós-Graduação, 3º O candidato estrangeiro poderá ser admitido no Programa de Pós-Graduação, mediante solicitação à PROPEq, instruída com a documentação pertinente, a qual será analisada e avaliada pela PROPEq e, sendo aprovada, solicitará a lavratura da Carta de Aceitação à Secretaria do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE.. Artigo 9º O processo de seleção dos candidatos, baseado na documentação apresentada, é feito através de entrevista e análise curricular, sendo as inscrições realizadas em sistema de fluxo contínuo até as datas fixadas no Calendário do Curso. Artigo 10 A solicitação de inscrição de aluno especial será feita de acordo com o previsto no Calendário Escolar dos Cursos de Pós-Graduação para as disciplinas previstas no 2º do artigo 8º. Artigo 11 Cada aluno regular terá um Orientador credenciado pela PROPEq e portador, no mínimo, do título de Doutor. 1º O Orientador deverá manifestar sua aceitação em documento apropriado. 2º O Orientador poderá, com a aprovação da PROPEq, contar com a colaboração de apenas um Co-Orientador por aluno, credenciado pelo CEPE. 3º Permite-se a substituição de um Orientador ou de um Co-Orientador, desde que a justificativa seja aprovada pela PROPEq. 4º Os alunos regulares terão um prazo máximo de dois períodos letivos, a partir de seu ingresso, para definir um plano detalhado de pesquisa, em conjunto com o Orientador, o qual, ao aceitar cada aluno regular, deverá apresentar um plano resumido da pesquisa a ser desenvolvida pelo aluno. 5º O orientador poderá, a qualquer momento, desistir da orientação do aluno mediante comunicação justificada a ser analisada pela PROPEq. No caso da PROPEq aceitar a justificativa, o aluno terá até 02 (dois) meses para encontrar um outro orientador, caso contrário estará desligado do Programa. 3

95 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - CAPÍTULO V Das Atividades Curriculares e da Avaliação Artigo12 A freqüência às disciplinas é obrigatória e não poderá ser inferior a 75% do total de horas programadas. Artigo13 A avaliação nas disciplinas de Pós-Graduação será expressa pelos seguintes conceitos e indicadores: A - Excelente (peso 4) aprovado B - Bom (peso 3) aprovado C - Regular (peso 2) aprovado D - Insuficiente (peso 1) reprovado E - Abandono (peso 0) reprovado por freqüência S - Suficiente: expressa que à atividade de Pós-Graduação não foi possível atribuir um dos três conceitos quantitativos de aprovação (A, B ou C), não sendo incluída no cômputo do coeficiente de rendimento, embora os créditos sejam considerados. O conceito S pode ser atribuído aos alunos matriculados em qualquer disciplina, inclusive nas Disciplinas Básicas Obrigatórias, caso tenham um desempenho satisfatório nos trabalhos e atividades vinculadas a essas disciplinas. Em casos excepcionais, justificados pelo orientador, serão admitidos os demais conceitos. Artigo 14 Poderão ser utilizados os seguintes especificadores: I- Incompleto: atribuído no caso de o aluno não completar, no prazo estabelecido, as exigências de uma atividade programada. Neste caso, deverá completar as exigências, no prazo máximo de dois meses, após o término do período da atividade programada. M- Matrícula Cancelada: atribuído quando, em comum acordo com seu Orientador, o cancelamento de matrícula em alguma atividade for aprovado pela PROPEq, obedecendo o estabelecido pelo Calendário Escolar dos Cursos de Pós- Graduação. G- Adaptação: atribuído às atividades de adaptação, em caso de aprovação, sem direito a créditos. J- Abandono Justificado: atribuído no caso em que o aluno, na impossibilidade de completar a atividade, a abandona, com aprovação de seu Orientador e da PROPEq. R - Adaptação não completada: atribuído às disciplinas ou trabalhos de adaptação, em caso de não aprovação, sem direito a créditos. 4

96 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - Artigo 15 O aproveitamento de um aluno de Pós-Graduação será expresso por um coeficiente de rendimentos (CR), que é a média ponderada dos conceitos obtidos nas disciplinas cursadas, tomando-se como peso para cada disciplina o número de créditos a ela correspondente. Parágrafo único O coeficiente de rendimento será calculado a partir do ingresso do aluno no curso e incluirá também os créditos e os conceitos das disciplinas convalidadas e cursadas no Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE, anteriormente ao ingresso no Curso. Artigo 16 Em casos excepcionais, plenamente justificados, o aluno regular poderá requerer licenciamento, por um semestre, durante o curso. 1º No requerimento para fins de licenciamento, deverá constar uma situação excepcional e ser instruído com parecer circunstanciado do Orientador. 2º O aluno deverá efetuar a renovação da matrícula antes do término do licenciamento. Artigo 17 O aluno regular será desligado do Curso de Pós-Graduação, na ocorrência de uma das seguintes situações: I- Se, a partir do final do segundo período cursado e a cada semestre, obtiver coeficiente de rendimento igual ou inferior a 2,5 (dois e meio). II- Se obtiver o conceito D ou E em qualquer atividade repetida. III- Se exceder o prazo máximo de conclusão do Curso, definido no Art. 2º. IV- Se for reprovado duas vezes no Exame de Qualificação. V- Se não efetuar matrícula no período previsto. VI- Se o orientador desistir da orientação e após a aprovação da PROPEq o aluno não conseguir outro docente para aceitá-lo no prazo de 02 (dois) meses. VIII-Se não manter-se em dia com o pagamento das mensalidades. parágrafo único - Ocorrendo as situações previstas nos incisos III ou V deste artigo, o aluno poderá ser readmitido no curso, mediante novo processo seletivo. CAPÍTULO VI Dos Títulos Artigo 18 - Para obtenção do título acadêmico de Mestre é necessário: 5

97 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - I- Ter demonstrado capacitação na compreensão de textos técnicos em Inglês ou Espanhol. II- Ser aprovado em Exame de Qualificação. III- Ter totalizado o número mínimo de créditos exigidos pelo Regulamento do Curso. IV- Ser aprovado na Defesa da Dissertação de Mestrado. 1º Elaborada a Dissertação e cumpridas as demais exigências do Curso, o aluno deverá defendê-la perante uma Comissão Julgadora, composta pelo orientador, por dois membros titulares, sendo um externo ao Programa, e mais um suplente, selecionados pela PROPEQ. 2º A PROPEQ selecionará os membros da Comissão Julgadora, segundo disposto no parágrafo anterior, a partir de uma lista sugerida pelo Orientador, contendo pelo menos 6 doutores entre docentes do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE e de outras Instituições. 3º O Co-orientador não poderá participar da Comissão Julgadora, devendo o seu nome ser registrado nos exemplares da Dissertação. Na impossibilidade de participação do Orientador, este será substituído pelo Co-orientador, se houver, ou por um docente da área, suplente ou não, indicado pela PROPEq. 4º O Orientador da Dissertação será o Presidente da Comissão Julgadora. 5º Será considerado Aprovado o candidato cuja defesa de Dissertação obtiver a aprovação da maioria dos membros da Comissão Julgadora, satisfeitas as exigências da Comissão. 6º A Comissão Julgadora da Dissertação, deverá emitir parecer final através da Ata de defesa que, depois de aprovada pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa - PROPEQ, será submetida à aprovação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE). CAPÍTULO VII Das Disposições Gerais e Transitórias Artigo 19 Os Cursos de Pós-Graduação, ministrados pelo Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE, reger-se-ão pelas normas do Regimento Geral do Centro Universitário, pelas normas deste Regulamento e pela legislação específica vigente. Artigo 20 Os casos omissos, neste Regimento, serão resolvidos pela PROPEQ e submetidos, quando couber, à apreciação do CONSU ou do CEPE. 6

98 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO-FAE C.N.P.J / Largo Engenheiro Paulo Almeida Sandeville, 15 Caixa Postal 96 Tel./fax (0xx19) CEP São João da Boa Vista/SP HOME PAGE: - Parágrafo Único - A REITORIA estabelecerá critérios internos, através de resoluções, que regulamentarão os procedimentos administrativos, em consonância com o disposto no presente Regimento. Artigo 21 Este Regimento entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. São João da Boa Vista, 19/12/2007 7

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES 2011 / 2 Processo de Seleção do Programa de Mestrado Acadêmico em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES 2011 / 2 Processo de Seleção do Programa de Mestrado Acadêmico em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Programa de Pós-Graduação EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES 2011 / 2 Processo de Seleção do Programa de Mestrado Acadêmico em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Recomendado pela Ministério

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE. Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO À INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO

RELATÓRIO DE ANÁLISE. Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO À INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DE ANÁLISE Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO À INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO Gestor do Projeto Susana Maria Kakuta COREDE Conselho Regional

Leia mais

Laboratórios do Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda

Laboratórios do Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda Laboratórios do Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda Os laboratórios do Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda da UNIFOR estão concentrados em um núcleo composto de seis células.

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES 2014

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES 2014 Programa de Pós-Graduação Stricto-Sensu EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES 2014 Processo de Seleção do Programa de Mestrado Acadêmico em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida Reconhecido pela Ministério

Leia mais

EDITAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

EDITAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EDITAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU O Secretário-Geral Interino do Centro Universitário Newton Paiva, instituição mantida pelo Instituto Cultural Newton Paiva Ferreira Ltda., em Belo Horizonte,

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores e Decoração. Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte MG - Brasil

Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores e Decoração. Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte MG - Brasil Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores e Decoração Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte MG - Brasil Área de Interesse: Meio de divulgação via Internet Site na Web

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO FAE

CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO FAE CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO FAE PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2013-2015 UNIFAE CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS - FAE Prof. Dr. Francisco de Assis

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE RS/UFSM

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE RS/UFSM UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE RS/UFSM PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - JORNALISMO RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS Faz-se necessário que o dimensionamento

Leia mais

Pós-graduação em Gestão das Minorias

Pós-graduação em Gestão das Minorias 1 Ascensão Acadêmica Pós-Graduação alavanca sucesso na carreira profissional Pesquisa coordenada pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em 2010, indica que as pessoas que não

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

Proposta de Implantação do Superior EAD. Reunião SENAC SC e DR s Parceiros

Proposta de Implantação do Superior EAD. Reunião SENAC SC e DR s Parceiros Proposta de Implantação do Superior EAD Reunião SENAC SC e DR s Parceiros Números da EaD no Brasil Ano Alunos Presencial Crescimento % Alunos EaD Crescimento % Total 2003 3.887.022 11,7 49.911 22,6 3.936.933

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos:

Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos: Referência atual: Decreto 5.773, 9 de maio de 2006. Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos: I-missão, objetivos e metas da instituição, em sua

Leia mais

INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO 1.1. Gabinetes de Trabalho para Professores Tempo Integral - TI

INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO 1.1. Gabinetes de Trabalho para Professores Tempo Integral - TI INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO Atualmente a FIBRA encontra-se em novas instalações contando com 33 salas de aula climatizadas, com instalações de equipamentos de multimídia, auditório climatizado com

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006.

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES O MINISTRO

Leia mais

PADRÕES DE QUALIDADE PARA AUTORIZAÇÃO E RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

PADRÕES DE QUALIDADE PARA AUTORIZAÇÃO E RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICA DE ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS ANEXOS

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS ANEXOS Prefeitura Municipal de João Pessoa Fundação Cultural de João Pessoa PROGRAMA MAIS CULTURA PONTO DE CULTURA PONTOS DE CULTURA DO MUNICIPIO DE JOÃO PESSOA MANUAL DE INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS ANEXOS

Leia mais

PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL FACULDADE CASA DO ESTUDANTE. Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012

PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL FACULDADE CASA DO ESTUDANTE. Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012 PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL DA FACULDADE CASA DO ESTUDANTE PPI 2012 a 2015 Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012 Diretor Geral FACULDADE CASA DO ESTUDANTE PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL

Leia mais

CURSO EXCLUSIVO IBECO

CURSO EXCLUSIVO IBECO PÓS-GRADUAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR EM ESTÉTICA CURSO EXCLUSIVO IBECO Destinado aos docentes que atuam ou que pretendem atuar no ensino superior e profissionalizante da área estética, o curso

Leia mais

Área de Conhecimento. Laboratórios de informática Descrição e equipamentos. Informática, Pesquisas

Área de Conhecimento. Laboratórios de informática Descrição e equipamentos. Informática, Pesquisas Descrição da infraestrutura física destinada aos cursos, incluindo laboratórios, equipamentos instalados, infraestrutura de informática e redes de informação. Relação de laboratórios, oficinas e espaços

Leia mais

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI ANEXO III Cronograma detalhado do PROAVI 65 PROGRAMA DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA PUC-CAMPINAS CRONOGRAMA COMPLEMENTAR DETALHANDO AS ATIVIDADES E AS AÇÕES DE DIVULGAÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

Estrutura para elaboração do PDI

Estrutura para elaboração do PDI Estrutura para elaboração do PDI NOTA 1 - Orientações para elaboração do Plano de Desenvolvimento Institucional PDI O Plano de Desenvolvimento Institucional PDI consiste num documento em que se definem

Leia mais

AUTORIZAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO

AUTORIZAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICA DO ENSINO SUPERIOR - DEPES COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP ESTRUTURA

SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP ESTRUTURA SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP ESTRUTURA Sala de Aula A instituição disponibiliza equipadas com todos os recursos multimídias necessários, que são estes: Projetor

Leia mais

BIBLIOTECA 1.1 INFORMAÇÕES GERAIS

BIBLIOTECA 1.1 INFORMAÇÕES GERAIS BIBLIOTECA 1.1 INFORMAÇÕES GERAIS A Biblioteca possui atenção especial dos dirigentes da UCSal, por constituirse em um instrumento de apoio valioso aos programas de ensino, pesquisa e extensão. O foco

Leia mais

PROPOSTA DE ESTRUTURAÇÃO

PROPOSTA DE ESTRUTURAÇÃO U N I R I O UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REITORA MALVINA TUTTMAN PROPOSTA DE ESTRUTURAÇÃO COORDENAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (COMSO) Fernanda Soares Coordenadora Gabriel Melo Assistente

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Características gerais

Características gerais Características gerais O curso de Publicidade e Propaganda (PP) habilita para o desenvolvimento de processos de criação publicitária (para atuar em agências de publicidade, jornais, revistas, internet)

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

PORTARIA Nº 30/2011, DE 1º DE JUNHO DE 2011.

PORTARIA Nº 30/2011, DE 1º DE JUNHO DE 2011. PORTARIA Nº 30/2011, DE 1º DE JUNHO DE 2011. VALDEMIR SAMONETTO, Reitor do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino, no uso de suas atribuições regimentais, etc. RESOLVE: Art. 1º - Designar

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO A avaliação institucional tem sido objeto de discussões na Faculdade Educacional de Ponta Grossa - Faculdade União e sempre foi reconhecida como um instrumento

Leia mais

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso.

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso. Anexo II Dimensões Elementos Indicadores quantitativos Indicadores qualitativos % de cursos com projeto pedagógico/ adequados ao Projeto Condições de implementação dos Projetos Projeto Pedagógico dos Institucional

Leia mais

CURSOS OFERECIDOS. seus objetivos e metas. E também seus elementos fundamentais de Administração, como: PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E CONTROLE.

CURSOS OFERECIDOS. seus objetivos e metas. E também seus elementos fundamentais de Administração, como: PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E CONTROLE. CURSOS OFERECIDOS Access 2007 Aproximadamente 20 horas O aluno aprenderá criar Banco de Dados de forma inteligente, trabalhar com estoques, número de funcionários, clientes etc. Conhecerá ferramentas aprimoradas

Leia mais

REALIZAÇÃO Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado de Goiás Coordenação de Educação Corporativa do Setor Público

REALIZAÇÃO Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado de Goiás Coordenação de Educação Corporativa do Setor Público REALIZAÇÃO do Estado de Goiás PARCERIA Órgãos da Administração Pública Estadual PROMOÇÃO FUNCAPE - Fundo de Capacitação e Profissionalização do Estado de Goiás ELABORAÇÃO E FORMATAÇÃO Renatta Aires Almeida

Leia mais

Atualização das informações dos Laboratórios 2014

Atualização das informações dos Laboratórios 2014 Departamento: Administração Localização: sala 426 Área Física (M 2 ): 77m 2 Curso que utiliza o laboratório: Administração: Graduação e Pós-Graduação. 01 Impressora jato de tinta 24 Microcomputadores AMD

Leia mais

Na piso térreo: Primeiro Piso: Salas do Cursos Livres de Línguas Estrangeiras (salas de projetos de conhecimentos livres, ciranda e apoio.

Na piso térreo: Primeiro Piso: Salas do Cursos Livres de Línguas Estrangeiras (salas de projetos de conhecimentos livres, ciranda e apoio. PROJETOS COMPARTILHADOS ENTRE MÍDIAS ALTERNATIVAS - BELÉM 2009 Os quatro projetos compartilhados listados abaixo devem ficar próximos para permitir distribuição de espaços específicos sem prejudicar o

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Liderança e Gestão de Pessoas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

Responsabilidade INTERSERVICE. Um conceito voltado para Organizações Não-Governamentais Prospecto Interservice 1

Responsabilidade INTERSERVICE. Um conceito voltado para Organizações Não-Governamentais Prospecto Interservice 1 INTERSERVICE C O N S U LTO R I A & T R E I N A M E N TO LT DA. Responsabilidade Um conceito voltado para Organizações Não-Governamentais Prospecto Interservice 1 Sumário A missão da Interservice Projeto

Leia mais

Empresa GÊNIO INFORMÁTICA

Empresa GÊNIO INFORMÁTICA 0 Empresa Com mais de 15 anos de experiência no mercado, GÊNIO INFORMÁTICA é líder em seu segmento e se destaca na prestação de serviços em redes de computadores e instalação de CFTV (Câmeras de segurança).

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação?

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? O mercado do trabalho está cada vez mais exigente. Hoje em dia, um certificado de pós-graduação é imprescindível para garantia

Leia mais

Histórico dos cursos de Administração no Brasil

Histórico dos cursos de Administração no Brasil Histórico dos cursos de Administração no Brasil 1941 O ensino de Administração ganha identidade com a criação do primeiro curso, na Escola Superior de Administração de Negócios ESAN/SP, inspirado no modelo

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Grupo Nobre de Ensino Ltda. UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Nobre de Feira de Santana, a ser instalada

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL LABCOM. Laboratório de Comunicação. Regulamento de Funcionamento do Laboratório de Comunicação

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL LABCOM. Laboratório de Comunicação. Regulamento de Funcionamento do Laboratório de Comunicação CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL LABCOM Laboratório de Comunicação Regulamento de Funcionamento do Laboratório de Comunicação 2005 2 SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO... 03 II. OBJETIVOS... 03 III. CARACTERIZAÇÃO DOS SERVIÇOS...

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES 2016 Processo de Seleção do Programa de Mestrado Interdisciplinar em Educação, Ambiente e Sociedade da UNIFAE

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES 2016 Processo de Seleção do Programa de Mestrado Interdisciplinar em Educação, Ambiente e Sociedade da UNIFAE Programa de Pós-Graduação Stricto-Sensu EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES 2016 Processo de Seleção do Programa de Mestrado Interdisciplinar em Educação, Ambiente e Sociedade da UNIFAE Reconhecido pela Ministério

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA ESTRUTURA BIBLIOTECA FESVV

FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA ESTRUTURA BIBLIOTECA FESVV FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA ESTRUTURA BIBLIOTECA FESVV VILA VELHA 2010 1. BIBLIOTECAS DA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ ESPÍRITO SANTO As Bibliotecas da Faculdade Estácio de Sá Espírito Santo, seguem

Leia mais

Responsabilidade. Social. Um conceito voltado para o crescimento da Igreja. Prospecto Interservice 1

Responsabilidade. Social. Um conceito voltado para o crescimento da Igreja. Prospecto Interservice 1 Responsabilidade Social Um conceito voltado para o crescimento da Igreja. Prospecto Interservice 1 Sumário A missão da Interservice Responsabilidade Social Projeto Visão Cursos Livres Profissionalizantes

Leia mais

SISTEMA DE GRAVAÇÃO DIGITAL COM UM MICROCOMPUTADOR (DVD OU PLACAS DE CAPTURA DE VÍDEO)

SISTEMA DE GRAVAÇÃO DIGITAL COM UM MICROCOMPUTADOR (DVD OU PLACAS DE CAPTURA DE VÍDEO) SISTEMA DE GRAVAÇÃO DIGITAL COM UM MICROCOMPUTADOR (DVD OU PLACAS DE CAPTURA DE VÍDEO) Há vários tipos de sistemas de gravações digitais. Os mais baratos consistem de uma placa para captura de vídeo, que

Leia mais

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 NÚMERO DE VAGAS: 45 (Quarenta e cinco) vagas. PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS Abril de 2014 APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 O MBA EM CONSULTORIA & GESTÃO DE NEGÓCIOS,

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico Ingressantes em 2007 Dados: Sigla: Licenciatura em Educação Física Área: Biológicas

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE MARANHENSE SÃO JOSÉ DOS COCAIS

PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE MARANHENSE SÃO JOSÉ DOS COCAIS PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE MARANHENSE SÃO JOSÉ DOS COCAIS A Pós-Graduação da Faculdade Maranhense São José dos Cocais, apresenta em seu aprimoramento acadêmico resultados positivos dentro do contexto social.

Leia mais

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010 FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010 1 Fragilidade resultado inferior a 50% Ponto a ser melhorado 50% e 59,9% Potencialidade igual ou

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Marketing e Vendas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Marketing e Vendas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão de Marketing e Vendas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

2. Cursos de Extensão

2. Cursos de Extensão 2. Cursos de Extensão Instituto Internacional de Cromatografia (IIC) APRESENTAÇÃO DOS CURSOS DE EXTENSÃO DO IIC O Instituto Internacional de Cromatografia (IIC) oferecerá no ano de 2011 as seguintes atividades

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

Design Manual do curso

Design Manual do curso Design Manual do curso Informações gerais INFORMAÇÕES GERAIS Nome: curso de Design, bacharelado Código do currículo: 2130 Nível: curso superior de graduação Início: o curso de Design com habilitação em

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL INTERNA

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL INTERNA INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL INTERNA RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL INTERNA PERÍODO DE REFERÊNCIA: 2011 SANTA RITA DO SAPUCAÍ

Leia mais

Site: WWW.fontecursos.com Tel. (68) 9977-1474 A cultura forma sábios; a educação, homens.

Site: WWW.fontecursos.com Tel. (68) 9977-1474 A cultura forma sábios; a educação, homens. Operador de Computador / Informática Os módulos que compõem o pacote Operador de Computador têm como objetivo desenvolver no aluno o conhecimento da informática para aplicação no mercado de trabalho, utilizando-se

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO

SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO COORDENADORIA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA INTEGRAL (CATI) PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL MICROBACIAS II ACESSO AO MERCADO SELEÇÃO DE CONSULTORES PELOS

Leia mais

NIESC/VR NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E ESTUDOS DE CONJUNTURA

NIESC/VR NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E ESTUDOS DE CONJUNTURA NIESC/VR NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E ESTUDOS DE CONJUNTURA MISSÃO DA UNIDADE O NIESC/VR é o órgão destinado à coleta, sistematização e interpretação de dados organizacionais e sociais, de modo a fornecer às

Leia mais

Pós-graduação MBA em Administração e Marketing

Pós-graduação MBA em Administração e Marketing 1 Ascensão Acadêmica Pós-Graduação alavanca sucesso na carreira profissional Pesquisa coordenada pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em 2010, indica que as pessoas que não

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná.

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. RESOLUÇÃO CONSEPE 14/2006 Referenda a aprovação do Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE SÃO MIGUEL DO OESTE

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE SÃO MIGUEL DO OESTE FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE SÃO MIGUEL DO OESTE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 1450 de 28 de novembro de 2008, publicada no DOU em 01 de dezembro de 2008. Diretor da Faculdade: Adilson José

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

CURSOS TECNOLÓGICOS EM NÍVEL SUPERIOR: BREVES APONTAMENTOS

CURSOS TECNOLÓGICOS EM NÍVEL SUPERIOR: BREVES APONTAMENTOS CURSOS TECNOLÓGICOS EM NÍVEL SUPERIOR: BREVES APONTAMENTOS Alan do Nascimento RIBEIRO, Faculdade de Políticas Públicas Tancredo Neves Universidade do Estado de Minas Gerais Maria Amarante Pastor BARACHO,

Leia mais

EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO II EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO A-01 - ASSESSOR TECNICO III - COORDENADOR/SUPERVISOR PEDAGOGICO; A-02 - ASSESSOR TECNICO III - COORDENADOR/SUPERVISOR

Leia mais

5 INFRA-ESTRUTURA FÍSICA DA IESSA

5 INFRA-ESTRUTURA FÍSICA DA IESSA 5 INFRA-ESTRUTURA FÍSICA DA IESSA A estrutura física existente, utilizada pelo Colégio Sant Ana e IESSA (período noturno), está situada no centro da cidade de Ponta Grossa sito a Rua Pinheiro Machado nº

Leia mais

Documento de Referência

Documento de Referência P r ó - R e i t o r i a d e D e s e n v o l v i m e n t o I n s t i t u c i o n a l - I F A M 1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

O relacionamento direto com o cliente, respeito mútuo, responsabilidade, flexibilidade e adaptabilidade são os principais valores da Infolux.

O relacionamento direto com o cliente, respeito mútuo, responsabilidade, flexibilidade e adaptabilidade são os principais valores da Infolux. A NOSSA HISTÓRIA A Infolux Informática possui seu foco de atuação voltado para o mercado corporativo, auxiliando micro, pequenas e médias empresas na tarefa de extrair o máximo de benefícios com investimentos

Leia mais

Plano de incorporação dos avanços tecnológicos ao ensino de Graduação:

Plano de incorporação dos avanços tecnológicos ao ensino de Graduação: Plano de incorporação dos avanços tecnológicos ao ensino de Graduação: A Instituição de Ensino Superior possui o seguinte Plano de Incorporação Tecnológica ao ensino de Graduação de seus Cursos, com o

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional UNIFAE PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL

Projeto Pedagógico Institucional UNIFAE PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL São João da Boa Vista 2007 UNIFAE CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - FAE REITOR Valdemir Samonetto VICE-REITOR Luiz Antonio de Souza PRÓ-REITOR

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Médico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado a atuar, pautado

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE. Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO

RELATÓRIO DE ANÁLISE. Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DE ANÁLISE Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO Gestor do Projeto Marco Antonio Fernandes de Oliveira COREDE

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO EDITAL N.º 51/2014 UNIFESSPA, DE 21 DE JULHO DE 2014 ANEXO I

Leia mais

LOCALIZAÇÃO: PAVIMENTO TÉRREO IDENTIFICAÇÃO ÁREA (M 2 ) CAPACIDADE Auditório 367,23 406

LOCALIZAÇÃO: PAVIMENTO TÉRREO IDENTIFICAÇÃO ÁREA (M 2 ) CAPACIDADE Auditório 367,23 406 INFRA-ESTRUTURA FÍSICA E TECNOLÓGICA As salas de aula da FACULDADE BARRETOS estão aparelhadas para turmas de até 60 (sessenta) alunos, oferecendo todas as condições necessárias para possibilitar o melhor

Leia mais

CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação

CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Tecnologia da Informação Estrutura CTI Infraestrutura e Telecomunicações Suporte Técnico CTI Contratos Desenvolvimento de Sistemas 2 0 0 7 equipe técnica insuficiente. equipamentos obsoletos.

Leia mais

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão:

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão: O CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável, é uma Instituição Social Sem Fins Lucrativos, de Utilidade Pública Federal, fundada em 1998, com sede na cidade do Rio de

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Escola Superior de Propaganda e Marketing UF: SP ASSUNTO: Recredenciamento da Escola Superior de Propaganda

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 47. Portaria n 890, publicada no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 47. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

CURSO DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CURSO DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CURSO DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS 1. OBJETIVOS DO CURSO O Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos tem como objetivo geral formar tecnólogos com visão estratégica em Recursos Humanos,

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE FLORIANOPOLIS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE FLORIANOPOLIS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE FLORIANOPOLIS CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 39 de 13 de janeiro de 2012, publicada no DOU em 16 de janeiro de 2012. Diretor da Faculdade: Ivanir Salete Bazzei

Leia mais