MANUAL DE EMBALAGENS EXPORTAÇÃO WORLD CAR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE EMBALAGENS EXPORTAÇÃO WORLD CAR"

Transcrição

1 MANUAL DE EMBALAGENS EXPORTAÇÃO WORLD CAR Supply Chain Management Operações de Fluxos Inter-Regionais Betim, Brasil Ano Jan/2015

2 Lista de Sigla IRF Operations - Operações de Fluxos Inter-Regionais; CKD - Completely Knocked Down (Exportação de componentes desmontados;) DUM - Data di ultima modifica (Data de última modificação da peça;) GA.FE.R - Gabbia di Ferro Ritornabile. (Grade de Ferro Retornável;) GMD - Gestão de Materiais Diretos; HT - Heat Treatment. (Tratamento Térmico;) KD - Kiln Drying. (Secagem de madeira em estufa;) LINTER - Linter de celulose VCI. (Placas de Celulose quimicamente tratadas;) MB - Metil Bromide. (Fumigação com Brometo de Metila;) OSB - Oriented Standard Board. (Aglomerado de partículas de madeira orientadas;) Q.E. - Quantidade por embalagem; V.C.I - Volatile Corrosion Inhibitors (Inibidor Volátil de Corrosão;) S.Q.E - Supply Quality Engineering. (Engenharia Qualidade Fornecedores;) PPI - Proposta Per Imballo. (Formulário Proposta Para Embalagem.) 2

3 Sumário 1- INTRODUÇÃO 8- PALLET 8.1 Desenho para construção 2- PREMISSAS 8.2 Construção da embalagem 8.3 Pallet Madeira e caixas de papelões 3- MODALIDADE DE EXPORTAÇÃO 3.1 Exportação CKD 9- GA.FE.R 3.2 Exportação Peça a Peça 9.1 Grade de Ferro Retornável Propriedade FIAT 3.3 Procedimentos de Entregas 3.4 Locais de entregas C 10.1 Caçamba de Ferro Retornável Propriedade FIAT 4- IDENTIFICAÇÃO EXTERNAS DA EMBALAGEM 4.1 Identificação Padrão 11- KIT 40CKD 4.2 Identificação Padrão 11.1 Embalagem Plástica Retornável Pallet/Caixas/Tampa Propriedade FIAT 4.3 Descrição dos campos 4.4 Local para fixação da etiqueta identificação externa 12-30F-CKD 12.1 Caixas de Plástico Retornáveis Propriedade FIAT 5- IDENTIFICAÇÃO INTERNA DO PRODUTO 5.1 Etiqueta Padrão 13- CÓDIGOS DE EMBALAGENS 5.2 Local para fixação da etiqueta identificação interno 13.1 Dimensões Externas Grades e Caixas Madeira Padrões" 5.3 Descrição dos campos 13.2 Dimensões externas - Caixas, grades e pallet "Especificas" 5.4 Layout 5.5 Layout 14- CLIENTE VENEZUELA 5.6 Packing list 14.1 Caixas e Grades Madeira Com Fechamento Grampos Pinos/Travas 5.7 Identificação Pallet 15- TRATAMENTO FITOSSANITÁRIO 6- GRADES DE MADEIRA 15.1 Tratamento da Madeira 6.1 Especificações para construção - Estruturas 15.2 Tratamento da Madeira 6.2 Especificações para construção - Materiais auxiliares 6.3 Especificações para construção - Fechamento 16- ESPECIFICAÇÕES DA MADEIRA/COMPENSADO 6.4 Pregação 16.1 Nó / Cascas / Compensado 6.5 Códigos de embalagens e dimensões para construção 6.6 Desenho técnico para construção - Grade FORMULARIO DE APROVAÇÃO DE EMBALAGENS 17.1 PPI (Proposta Per Imballo) 7- CAIXAS DE MADEIRAS 7.1 Especificações para construção 18- CONCLUSÃO 7.2 Especificações para construção - Estrutura 7.3 Especificações para construção - Materiais auxiliares 7.4 Folha de construção da tampa das caixas para embalagens e materiais diversos 7.5 Códigos de embalagens e dimensões para construção 7.6 Desenho técnico para construção - Caixa

4 1 - Introdução Atualmente a Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda possui duas modalidades de exportações Ckd e Peça-Peça: Exportação CKD: Exportação de peças atendendo programação por lotes pré-fixados pelos clientes; Exportação Peça a peça: Exportação peça a peça atendendo programação semanal; O manual de embalagens para exportação, específico da Supply Chain Management-Operações de Fluxos Inter- Regionais Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda, foi revisto com o objetivo de aumentar a competitividade da empresa e de seus fornecedores na exportação de autopeças para o abastecimento das linhas de montagem em outros estabelecimentos FIAT, no âmbito mundial. Visa principalmente, através da padronização dimensional das embalagens, a otimização da cubagem dos contêineres e caminhões, a padronização da identificação do material e a melhor solução de embalagem em relação aos custos e garantir a confiabilidade dos produtos exportados. 4

5 2 - Premissas É de inteira responsabilidade do fornecedor o acondicionamento e a proteção das peças no interno da embalagem, de modo a garantir a integridade da mesma até o destino final; O fornecedor deve obedecer as quantidades estipuladas para cada item, a fim de saturar, da melhor forma possível, o volume interno disponível na embalagem; O fornecedor deve ter atenção quanto à utilização de graxas e/ ou óleos nas estampagens de peças metálicas, pois podem ocorrer oxidação devido incompatibilidade com o protetivo VCI utilizado para proteção corrosiva. Havendo dúvida, requerer auxílio técnico junto ao fabricante/fornecedor do protetivo VCI; Na necessidade da adoção de uma quantidade mínima (Lote de produção) por embalagem, os valores deverão ser concordados com a FIAT para que esta conciliação seja feita também com os clientes FIAT (Demais Clientes produtivos); Cada volume deve conter, preferencialmente, um tipo de peça. Caso a programação contemple uma quantidade menor que a prevista por embalagem (Q.E.), deverá ser utilizado outra embalagem padronizada, de menor tamanho, ou poderá ser utilizada embalagem contendo mais de um item, desde que devidamente separados e identificados interno e externamente. O fornecedor deve efetuar autocontrole nas peças no momento da embalagem para identificar qualquer tipo de anomalia, garantindo a eficiência do fluxo de exportação. As embalagens poderão ser auditadas através do Operador Logístico / FIAT, antes do efetivo envio ao cliente importador, objetivando prever eventuais reclamações, e/ou como simples auditoria; As embalagens devem suportar sobreposições, movimentações de carga e descarga nos meios de transporte e perfeito empilhamento. Demais orientações estão descritas neste manual. 5

6 3 Modalidades de Exportações Exportação CKD Modalidade de exportação que atende uma programação por lote, o qual é composto por um agrupamento de desenhos, com quantidades múltiplas de 24, 48, 96 ou 500 peças. Essa programação é semanal e enviada aos fornecedores através do Sistema DI2S, sendo disponibilizada para os fornecedores na quinta-feira precedente à semana executiva. Para essa modalidade, o fornecedor deve entregar as peças em caçambas, contenitores, embalagens de papelão, tubulares e/ou rack (Situação idêntica ao modo utilizado para abastecer a produção FIASA), sendo, em seguida, embaladas pelo Operador Logístico da Fiat. O fornecedor poderá entregar as peças em caixas e grades de madeiras, desde que as mesmas estejam seguindo os múltiplos acima e que as embalagens fiquem saturadas e otimizadas. 6

7 3 Modalidades de Exportações Exportação Peça a Peça Modalidade de exportação que atende também uma programação semanal, a qual é enviada aos fornecedores através do Sistema DI2S separada por mercado. Essa programação é válida para os clientes indicados no quadro ao lado, sendo disponibilizada da mesma forma que a Exportação CKD. Nesta modalidade, o fornecedor deve entregar as peças já embaladas, prontas para exportação. It Código Clientes Estabelecimentos Itália Mirafiori Mecanica Itália Termoli Turquia Tofas Turk Otomobil AS ( Turquia ) Itália Mirafiori Carroceria Itália Rivolta Carroceria Itália Cassino Carroceria Itália Pomigliano Carroceria Itália Termini Imerese Itália Melfi Itália Arese Carroceria Polônia Fiat Auto Poland Tychy Kar Argentina Fiat Auto Argentina ( Carroceria ) Argentina Fiat Auto Argentina ( Powertrain ) Índia India Carroceria Índia India Powertrain México Chrysler Group LLC Venezuela Chrysler Group LLC 18 M29 Turquia Turk Otomobil 19 M58 Polônia Fiat Auto Poland Tychy Kar 7

8 3 Modalidades de Exportações 3.3 Procedimentos de entregas Para Materiais Buy. O material deve ser entregue embalado, separados por mercado e, no campo dados adicionais da Nota Fiscal, deve ser mencionado o Mercado de Destino, o qual é sempre o mesmo das programações recebidas pelo fornecedor no DI2S com seu respectivo desenho/programa. Para Materiais Buy Conta-Industrialização (Conta-Trabalho). O material também deve ser entregue embalado conforme os padrões, separados por Mercado e no campo dados adicionais da Danfe deve ser mencionado o Mercado de Destino, que, neste caso, será indicado pelos programadores da GMD FIAT. As quantidades recebidas pelo fornecedor através do programa, referem-se a quantidade total (exportação + produção FIASA). Portanto, através do follow-up FIASA, será detalhada a quantidade exclusiva de Exportação. 8

9 3 Modalidades de Exportações 3.4 Locais de entregas Os itens/embalagens devem serem faturados para Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda, CNPJ / e entregues na Filial CKD FIAT, endereço: Rod. BR 381 Fernão Dias Km B. Distrito Ind. Jardim Piemont Norte Betim-MG. Cep: Nota: O fornecedor, para acobertar o transporte deve também emitir uma Nota Fiscal de remessa para a Filial CKD Fiat CNPJ / e citar no campo Dados Complementares o número da N.F. de faturamento (venda). Para os itens em regime de conta-trabalho, referente aos Fornecedores Sediados fora de Minas Gerais, o faturamento tanto dos itens como das embalagens devem ser para Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda., CNPJ / e entregues também na fábrica Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda, endereço: Avenida Contorno - Nº B. Paulo Camilo - Betim. 9

10 4 Identificação Externa da Embalagem 4.1 Identificação Padrão Atenção! Não preencher os campos 5 e 6 10

11 4 Identificação Externa da Embalagem 4.2 Identificação Padrão Exemplo de preenchimento Etiqueta padrão tipo B preenchida conforme o Capitulato Fiat deve ser fixada na parte externa do Pallet, Caixas de Madeira, Grades de madeira em Ângulo de 90. Nota: ESTABELECIMENTO DE DESTINO No Pallet fixar embaixo do Strech, nas caixas e grades de madeira em saco plástico apropriada para proteção e conservação das informações. FIAT ARGENTINA NÚMERO DA NOTA FISCAL DESENHO QUANTIDADE TOTAL DE PEÇAS CÓDIGO FORNECEDOR NÚMERO DA SCHEDA (S) / (M) SIM OU M PONTO DE RECEBIMENTO NOME DO FORNECEDOR PESO LIQUIDO PESO BRUTO QUAT. CAIXAS PALETE DENOMINAÇÃO DO PRODUTO DATA DE EXPEDIÇÃO DATA PRODUÇÃO 00/00/0000 NÚMERO DO LOTE DE PRODUÇÃO CKD - FILIAL LLLLLLLLLLLLLLL BBBBBBBBBBBBBBB 00/00/ DATA DE MODIFICAÇÃO 00/00/0000 Em caso de embalar mais de uma desenho na única embalagem, é permitido utilizar a mesma etiqueta basta configurar o formato do formulário e posicionar os números de desenhos e quantidades de peças. 11

12 4 Identificação Externa da Embalagem Descrição dos campos 1 Estabelecimento de destino 2 Ponto de recebimento 3 Número nota fiscal 4 Razão social do fornecedor 5 Peso líquido (Kg) Não preencher 6 Peso bruto(kg) Não preencher 7 Quantidade embalagem do lote Não preencher 8 Numero desenho Fiat 9 Quantidade de peças na embalagem 10 Denominação do produto 11 Código do fornecedor 12 Código da embalagem fornecido pelo IRF 13 Data de produção ou expedição 14 Data da última modificação do produto (DUM) 15 Código de barras 16 Número lote de produção 12

13 4 Identificação Externa da Embalagem Local para fixação da ficha de Identificação Externa Toda embalagem deve ser identificada externamente, com no mínimo duas Fichas de Identificação do produto (Tipo B - Capitulado FIAT nº ) devidamente preenchidas e fixadas na parte lateral e frontal da embalagem. Grade Madeira Padrão Essas identificações devem ser protegidas com envelopes plásticos transparentes para conservação das informações contidas nas etiquetas. Caso seja utilizado grampos para fixação, aplicá-los na parte perimetral dos envelopes plásticos. Caixa Madeira Padrão 13

14 5 Identificação Interna do Produto 5.1 Etiqueta Padrão Todo item, no interno da embalagem, deve ser identificado com uma etiqueta (conforme modelo ao lado) devidamente preenchida. 1 Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda S.A RAZÃO SOCIAL FORNECEDOR 11 Nota: As caixas de papelão, sacos plásticos acondicionados dentro da caixa de madeira, pallet, caçambas deverão conter afixado na parte externa da mesma, etiqueta de identificação como o exemplo ao lado, conforme previsto na norma Fiat DATA CÓDIGO FORNECEDOR 2 12 DENOMINAÇÃO DO PRODUTO Nº DOC. FISCAL (BAM) 3 13 DESENHO 4 DATA PRODUÇÃO DO LOTE CÓDIGO DA EMBALAGEM 5 14 Nº DO LOTE 6 CLASSE FUNCIONAL 7 QUANT. DO LOTE 20 VÍNCULO 21 QUANT. DA EMBALAGEM 15 INDICA. SUPLEM. 16 TIPO VEÍCULO 8 PONTO DE ENTREGA 17 EMBARQUE CONTROL. 9 LOTE SOB DESVIO 22 DUM 18 ALMOXARIFADO 10 LOCALIZAÇÃO LINHA mm 14

15 5 Identificação Interna do Produto Local Fixação da Etiqueta de Identificação Interno Todos os materiais enviados em embalagens padronizadas para as exportações CKD devem ser identificados com a etiqueta padrão tipo A. Etiqueta A As Caixas e Grades de madeiras devem possuir uma etiqueta em Código de Barras Padrão Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda da (SIP) tipo A. A etiqueta autocolante deverá ficar solta no interno da embalagem com todos os campos preenchidos conforme as normas especificadas. Etiqueta A 15

16 5 Identificação Interna do Produto Descrição dos campos 1 Logotipo Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda destino do material; 2 Data de expedição; 3 Denominação breve que identifica o produto; 4 Número do desenho Fiat de identificação do produto ou peça (11 campos alfa numéricos).código de barras desenho produto Fiat (Código quantidade de peças (05 campos), Código Fiat da embalagem que veio com as peças (03 campos alfa numéricos) e código do fornecedor. 5 Data de fabricação do componente; 6 Número do lote de fabricação das peças (Numero determinado pelo fornecedor para indicar o lote homogêneo de produção); 7 Classe funcional obtida no desenho Fiat; 8 Tipo de veículo; 9 Embarque controlado (S/N); 10 Reservado para a localização de armazenamento no almoxarifado.(não preencher); 11 Logotipo fornecedor (Nome ou Sigla); 12 Código do fornecedor; 13 Número do documento fiscal (BAM Bolla di accompagnemento materiale); 14 Número código da embalagem (03 campos alfa numéricos) para exportação manter os três; 15 Quantidades de peças contidas na embalagem (05 campos alfa numéricas); 16 Indicação suplementar. Poderá, ou não, ser usado o símbolo; 17 Ponto de entrega do material na fábrica; 18 Dum (data última modificada); 19 Reservado para a localização da peça na linha de montagem (não preencher); 20 Quantidades de peças produzidas no lote; 21 Vínculo: Exigências normativas quanto à segurança (V,W,K,N) (Ver documentação técnica do componente); 22 Lote sob desvio (S/N). 16

17 5 Identificação Interna do Produto Layout ETIQUETA TIPO 1 Utilizada em embalagens de maior dimensão: -Caçambas -Tubulares -Paletes -Etc. 143mm 100mm 17

18 5 Identificação Interna do Produto Layout ETIQUETA TIPO 2 Utilizada em embalagens de menor dimensão: -Vasquetas -Saco Plásticos -Caixa de papelão -Etc. 95mm 75mm 18

19 5 Identificação Itens Multi-Desenhos Packing List 5.6 Packing list Os itens de exportações multi-desenhos entregues em caixas de papelões, sacos plásticos em variadas quantidades e acondicionadas em pallets de madeira, caçambas retornáveis e outros devem serem identificadas internamente com a etiqueta padrão (SIP). Com relação a identificação externa é necessário a utilização e preenchimento do Packing list formulário exemplo ao lado, controle padronizado para os itens entregues conforme fotos abaixo. Cliente : Cod. Mercado : Data : Logo Fornecedor Fornecedor : Cód. Fornecedor : Item Desenho Quantidade Peças Volume Total Volume PACKING LIST - 19

20 5 Identificação Interna do Produto Identificação Pallet Todos os materiais enviados em pallet devem serem identificados com a etiqueta tipo A em Código de Barras, e para a etiqueta B seria opcional o uso de código de barras. O Pallet deve possuir uma etiqueta padrão Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda tipo B, indicando a quantidade total do material transportado e deve ser colocada em 90º e de fácil visualização. Etiqueta A Etiqueta B Cada caixa de papelão possui uma etiqueta Sip tipo A em código de Barras Padrão Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda com todos os campos preenchidos indicando a quantidade de material em cada caixa de papelão. 20

21 6 Grades de Madeira Especificações para construção Estrutura As grades de madeira devem ser sempre priorizadas como opção do tipo de embalagem a ser utilizada na exportação de componentes automotivos. A umidade das madeiras utilizadas para confecção das embalagens deve ser controlada e estar compreendida entre 12% a 18%. A régua inferior da base será montada na lateral das grades assim facilitando assim o manuseio, armazenamento e principalmente o travamento nas carretas;. O compensado colocado no fundo da grade não pode ter emendas inferior a 1/3 do fundo 21

22 6 Grades de Madeira Especificações para Construção Material Auxiliar Caso necessário, revestir o interno da grade com material protetivo adequado ao tipo de peça; Protetores V.C.I. ( Inibidores Voláteis de corrosão) devem ser isentos (ou no máximo com 1%) de nitrito; Revestir o interno da grade com plástico de polietileno (preto ou transparente, não reciclado) e forrar o fundo e as laterais com papelão resistente. 22

23 6 Grades de Madeira Especificações para Construção Fechamento Concluir o fechamento da grade com plástico/lona na parte superior da embalagem fixando com fitas adesivas assim não possibilitando infiltração de agua. Após o fechamento inserir internamente (capuz de lona / plástico) mínimo 20cm nas laterais interna, tornando hermética a proteção. Colocar a tampa (Compensado naval de 6mm) na embalagem devidamente lonada e vedada na parte superior e não utilizar pregação no compensado da tampa fechamento apenas com as fitas de arquear; Arquear com fita (Não metálica) no sentido longitudinal e duas fitas no sentido transversal. Manter sempre o emparelhamento das madeiras para fabricação das embalagens padrões. 23

24 6 Grades de Madeira Pregações As pregações das réguas nas partes superiores e inferiores pontos de fixação e travamento das laterais e cabeçotes das grades, devem serem fixadas com três pregos conforme fotos abaixo. O objetivo é manter as réguas bastante reforçadas para evitar o despregamento durante as movimentações e expedições das exportações. Para união com pregos entre madeira de pinus, deverá ser utilizado exclusivamente o prego anelado. Prego anelado: 24

25 Grades Madeiras Vários 6 Grades de Madeira Códigos de embalagens e dimensões Para Construção Em tabela com desenho detalhado no próximo slide. Tipo Código Embalador Dimensões Externas Para Construção (mm) R S T * * * *

26 6 Grades de Madeira Desenho Técnico Construção Grade

27 7 Caixas de Madeira Especificações para construção As caixas de madeira devem ser utilizadas somente quando não for viável a substituição por grades de madeira ou metálicas retornáveis devido as especificações de cada produto. Especificações Básicas: Utilização de compensado naval (colagem fenólica), OSB (ou similar) com espessura 6mm. Necessário resistência a umidade. Na construção da tampa da caixa deve ser utilizada uma folha de plástico transparente Resistente 300 Horas de exposição UV, espessura 0,200 mm, entre a chapa de compensado e a estrutura da própria tampa, para evitar a penetração de água ( verificar folha de construção página 30 ) e para tanto deve resistir, no mínimo 6 meses, exposto às ações da intempérie, não devendo apresentar rachaduras / trincas / apodrecimento / cascas. A umidade da madeira utilizada para confecção da embalagem deve ser controlada e estar compreendida entre 12% a 18%. Protetores V.C.I. (Inibidores Voláteis de Corrosão) devem ser isentos ( ou no máximo com 1%) de nitrito e devem atender os requisitos das Normas Fiat /00; /00. Quando o cabeçote for menor 1100 mm a régua inferior da base será montada na lateral da grade assim facilitando o manuseio e armazenamento. 27

28 7 Caixas de Madeira Especificações para construção - Estrutura Montar as partes laterais da embalagem, pregando os cabeçotes e as laterais ao fundo; Quando necessário, forrar o interno da embalagem com papel VCI ou plástico VCI. Outros inibidores de corrosão (sache VCI, linter VCI ou espuma a base de VCI) utilizados na embalagem, deverão ser fixados na parte interna da mesma de modo a não ter contato direto com as peças. 28

29 7 Caixas de Madeira Especificações para construção Materiais Auxiliares As peças que possam sofrer problemas de oxidação, devem ser embaladas em sacos plásticos VCI, sacos de papel VCI ou caixas de papelão forradas com produto a base de VCI. Concluir o fechamento na parte superior da embalagem com o plástico ou papel VCI, tornando hermética; Encaixar a tampa da caixa e não fixá-la com pregos. Arquear a embalagem com uma fita no sentido longitudinal e duas fitas no sentido transversal em seguida efetuar o fechamento do chapéu plástico fixando nas laterais da embalagem com grampos. Fotos exemplos ao lado: 29

30 7 Caixas de Madeira Folha de Construção da Tampa das Caixas para Embalagem Materiais Diversos 1º - Fixar a parte estrutural no compensado com grampos conforme figura abaixo; 2º - Fixar o compensado comum de 4 mm sobre a parte estrutural (os pregos ou grampos utilizados devem ser bem rebatidos, evitando saliências que possam perfurar / rasgar o plástico de proteção); 3º - Sobrepor o plástico de proteção (filme de polietileno), na chapa de compensado comum de 4 mm, o qual deve exceder 120 mm em todo o contorno do compensado/embalagem; 4º - Sobrepor o compensado naval externo de 6 mm sobre o plástico e fixando com o cintamento de fitas poliéster. 4º 2º 1º 3º 30

31 7 Caixas de Madeira Padrão Exportação Códigos de Embalagens e Dimensões Para Construção Em tabela com desenho detalhado no próximo slide. Código Dimensões Externas Para Construção (mm) R S T * * * * Vide Desenho Próprio Vide Desenho Próprio - Tabela * EMBALADOR: Existem varios no mercado que conhecem os padrões de exportações. 31

32 7 Caixas de Madeira Padrão Desenho Técnico para Construção

33 8 Pallet Padrão Desenho para construção. 33

34 8 Pallet Construção Embalagem Componentes para a montagem da embalagem: Fitas de arquear; Plásticos filme utilizar três voltas na embalagem ; Cantoneiras resistentes para empilhamento Verticais e Horizontais; Capuz de plástico/lona proteção; Identificação interna e externa conforme norma Fiat; Pallet fumigado.. Nota: Não utilizar fitas de arquear com travamento manual, pois durante as movimentações perdem a pressão e as caixas de papelão se deslocam do pallet. 34

35 8 Pallet Caixa de Papelão / Pallet Madeira Todos os materiais enviados devem ser identificados com as etiquetas tipo A e B conforme norma Fiat. As caixas de papelão devem possuir uma etiqueta em código de Barras Padrão Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda, tipo B lado externo indicando a quantidade total do material transportado e deve ser colocada em 90º da embalagem e de fácil visualização em sacola plástica apropriada ou autocolante a prova d'água. Etiqueta B As Caixas de papelão devem possuir uma etiqueta em Código de Barras Padrão Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda, Sip tipo A solta no interno da embalagem com todos os campos preenchidos conforme norma Fiat. Etiqueta A 35

36 9 Ga.fe.r Grade de Ferro Retornável Propriedade FIAT Embalagem metálica desmontável e retornável, de propriedade da FIAT, utilizada para envio e recebimento de peças entre os estabelecimentos FIAT; As peças são recebidas de alguns fornecedores já embaladas em caixas de papelão ou sacos plásticos e, posteriormente, acondicionadas no Ga.fe.r pelo operador logístico.. 36

37 10 434C Caçamba de Ferro Retornável Propriedade FIAT Embalagem metálica desmontável e retornável, de propriedade da FIAT, utilizada para envio e recebimento de peças entre os estabelecimentos FIASA E FAASA. As peças são embaladas em caixas de papelão ou sacos plásticos por alguns fornecedores ou pelo operador logístico FIAT e acondicionados nas caçambas. No fechamento, após a utilização da lona é acrescentado uma folha plástica na parte superior (Capuz de lona) para evitar a infiltração de águas. Possui características construtivas para garantir proteção e dimensões otimizadas* para melhor saturação das carretas.. 37

38 11 Kit 40Ckd Embalagem Plástica Retornável Pallet/Caixas/Tampa Propriedade FIAT Embalagens Plásticas desmontáveis e retornáveis, de propriedade da FIAT, utilizada para envio e recebimento de peças entre os estabelecimentos FIASA E FAASA. As peças são embaladas em caixas de papelão, sacos plásticos ou alocadas diretamente nas caixas plásticas considerando a máxima capacidade, por alguns fornecedores ou operador logístico FIAT. Após o fechamento do kit e a identificação padrão conforme o item 8.2, arqueamento nos quatros lados, plásticos (Strech) nas partes laterais para evitar a infiltração de água. As embalagens possuem características construtivas para garantir proteção, otimização para as peças e dimensões para melhor saturação das carretas.. 38

39 12 30F Ckd Caixas de Plástico Retornáveis Propriedade FIAT Embalagem plástica desmontável e retornável, de propriedade da FIAT, utilizada para envio e recebimento de peças entre os estabelecimentos FIASA E FAASA. As peças são embaladas em caixas de papelão ou sacos plásticos pelos fornecedores ou pelo operador logístico FIAT e acondicionados na embalagem. No fechamento após a utilização da lona é acrescentado uma folha plástica na parte superior (Capuz de lona) para evitar a infiltração de água. Possui características construtivas para garantir proteção e dimensões otimizadas* para melhor saturação das carretas.. 39

40 13 Códigos de Embalagens Padrões Dimensões Externas Grades e Caixas de Madeira Modelos de Caixas de Madeira (Padrão)... Código Embalagem Fiat Dimensões Externas (mm) Comprimento Largura Altura Modelos de Grades de Madeira ( Padrão ). Volume ( m 3 ) Código Embalagem Fiat Dimensões Externas (mm) Comprimento Largura Altura Volume ( m 3 ) * EMBALADOR: Existem vários no mercado que conhecem os padrões de embalagens exportações. 40

41 13 Códigos de Embalagens Específicas Dimensões Externas Caixas, Grades e Pallet Dimensionais Externos Dimensionais Externos It Código Fornecedores Códgo Descrição Comp. Larg. Altura M 3 It Código Fornecedores Códgo Descrição Comp. Larg. Altura M MAGNETI MARELLI 908 CAIXA DE MADEIRA 1,144 1,124 0,750 0, PILKINGTON BRAS 934 GRADE DE MADEIRA 1,437 0,755 0,910 0, TEKSID ALUMINIO 974 CAIXA DE MADEIRA 1,100 0,810 0,785 0, PILKINGTON BRAS 939 GRADE DE MADEIRA 0,990 0,755 0,750 0, DENSO MAQ.ROTAN 946 CAIXA DE MADEIRA 1,240 1,040 0,840 1, SILA DO BRASIL 928 GRADE DE MADEIRA 1,600 1,100 0,780 1, AETHRA COMPONEN 971 CAIXA DE MADEIRA 1,760 1,200 1,390 2, ILUMINACAO AUT 901 PALETE DE MADEIRA 1,360 1,080 1,080 1, INJEPLASTIC INJ 866 CAIXA DE MADEIRA 2,200 0,950 0,800 1, FIAT AUTOMOV 910 PALETE DE MADEIRA 0,820 0,630 0,340 0, BEHR BRASIL LTD 882 CAIXA DE MADEIRA 1,490 1,190 0,750 1, ITALSPEED AUTOM 5001 PALETE DE MADEIRA 1,200 1,200 2,050 2, AUTOMOTIVA USIM 915 CAIXA DE MADEIRA 1,600 1,100 0,740 1, BROSE DO BRASIL 913 PALETE DE MADEIRA 1,000 0,600 0,600 0, CHRIS CINTOS DE 925 CAIXA DE MADEIRA 1,450 1,150 0,770 1, FAGERDALA BRASI 902 PALETE DE MADEIRA 1,335 1,050 2,000 2, FORMTAP INDUST 952 CAIXA DE MADEIRA 1,710 1,450 0,740 1, ADLER PTI S/A 893 PALETE DE MADEIRA 1,180 0,780 1,000 0, FORMTAP INDUST 5010 CAIXA DE MADEIRA 1,550 1,150 0,750 1, ADLER PTI S/A 894 PALETE DE MADEIRA 1,140 1,100 0,995 1, FORMTAP INDUST 969 CAIXA DE MADEIRA 1,620 1,260 0,740 1, HBA HUTCHINSON 877 PALETE DE MADEIRA 1,140 0,475 0,640 0, LEAR DO BRA IND 930 CAIXA DE MADEIRA 2,400 1,205 1,370 3, VALEO SISTEMAS 881 PALETE DE MADEIRA 1,200 0,800 1,340 1, MAHLE METAL LEV 884 CAIXA DE MADEIRA 0,980 0,730 0,565 0, JTEKT AUTOMOTIV 871 PALETE DE MADEIRA 1,440 1,100 0,938 1, PLASCAR INDUSTR 955 CAIXA DE MADEIRA 2,250 1,900 1,150 4, MANGELS INDU 887 PALETE DE MADEIRA 1,350 1,170 1,950 3, TRW-II 863 CAIXA DE MADEIRA 1,070 0,970 1,100 1, DANA 883 PALETE DE MADEIRA 0,950 0,950 0,710 0, SKF DO BRASIL L 886 CAIXA DE MADEIRA 0,810 0,600 0,740 0, ELETROMECANICA 895 PALETE DE MADEIRA 1,100 1,100 1,106 1, DENSO DO BRASIL 3002 CAIXA DE PAPELÃO 1,150 0,890 0,734 0, ELETROMECANICA 896 PALETE DE MADEIRA 1,100 1,100 1,380 1, TEKSID ALUMINIO 1001 GRADE DE MADEIRA 1,120 1,120 0,765 0, ELETROMECANICA 897 PALETE DE MADEIRA 1,100 1,100 0,940 1, AETHRA I 973 GRADE DE MADEIRA 2,160 1,100 2,120 5, ELETROMECANICA 898 PALETE DE MADEIRA 1,100 1,100 1,117 1, AETHRA SISTEMAS 984 GRADE DE MADEIRA 2,270 1,840 1,140 4, FICOSA DO BRASI 899 PALETE DE MADEIRA 1,140 0,950 0,990 1, INJEPLASTIC INJ 862 GRADE DE MADEIRA 2,250 1,100 1,450 3, FORMTAP INDUST 865 PALETE DE MADEIRA 1,800 1,180 1,140 2, IOCHPE-MAXION S 957 GRADE DE MADEIRA 1,200 1,090 2,120 2, TAKATA-PETRI S. 888 PALETE DE MADEIRA 1,000 1,200 1,000 1, MINAS PLASTIC I 996 GRADE DE MADEIRA 2,250 1,100 1,500 3, BOSCH CAMPIN 885 PALETE DE MADEIRA 1,130 0,960 0,990 1, CMP COMPONENTES 861 GRADE DE MADEIRA 2,430 1,390 1,500 5, VALEO SISTEMAS 918 PALETE DE MADEIRA 1,300 1,100 1,050 1, CMP COMPONENTES 867 GRADE DE MADEIRA 1,460 1,120 0,540 0, SUMIDENSO DO BR 900 PALETE DE MADEIRA 1,100 1,090 1,080 1, CMP COMPONENTES 919 GRADE DE MADEIRA 2,280 1,450 2,510 8, ZANINI INDUST.A 892 PALETE DE MADEIRA 1,300 1,100 1,470 2,102 41

LISTA DE SIGLAS LIEM:

LISTA DE SIGLAS LIEM: WORLD CAR Julho / 2012 1 LISTA DE SIGLAS LIEM: CKD: DUM: GAFER: GMD: HT: KD: LINTER: MB : OSB: QE: VCI: SQE: Logística de Importação e Exportação de Materiais. Completely Knocked Down. Exportação de componentes

Leia mais

GUIA DE EMBALAGENS DE PEÇAS COMPRADAS

GUIA DE EMBALAGENS DE PEÇAS COMPRADAS GUIA DE EMBALAGENS DE PEÇAS COMPRADAS E PADRÃO DE ETIQUETAS 1ª Edição Julho, 2010 INDICE 1- INTRODUÇÃO... 03 2- RESPONSABILIDADES... 04 3- RECOMENDAÇÕES IMPORTANTES... 05 4- PROCEDIMENTOS... 06 5- DESENVOLVIMENTO

Leia mais

INSTRUÇÕES DE EMBALAGEM

INSTRUÇÕES DE EMBALAGEM ZF do BRASIL Ltda INSTRUÇÕES DE EMBALAGEM Versão 1 Sumário Dados gerais de Embalagem... 3 Notas Fiscais (NF-e) para Embalagens... 3 Fluxo com Embalagens do Fornecedor / ZF... 3 Embalagens de Propriedade

Leia mais

REQUISITOS MÍNIMOS DE EMBALAGEM E PRESERVAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS ADQUIRIDOS NO MERCADO NACIONAL OU INTERNACIONAL

REQUISITOS MÍNIMOS DE EMBALAGEM E PRESERVAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS ADQUIRIDOS NO MERCADO NACIONAL OU INTERNACIONAL REQUISITOS MÍNIMOS DE EMBALAGEM E PRESERVAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS ADQUIRIDOS NO MERCADO 1. OBJETIVO Estabelecer requisitos mínimos para a preservação e a embalagem de equipamentos e materiais adquiridos

Leia mais

Manual de Embalagem para peças compradas

Manual de Embalagem para peças compradas Manual de Embalagem para peças compradas ÍNDICE GERAL NORMAS BÁSICAS... 2 Geral... 2 Preliminar... 2 Informações Gerais... 2 Requisitos para equipamentos de manuseio e condições de recebimento de material...

Leia mais

Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu;

Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu; Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu; Fazemos uma parceria total com o cliente, combinando redução de custos fixos e otimização de recursos

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR MFI-02.019

MANUAL DO FORNECEDOR MFI-02.019 PAG: 1/ 14 OBJETIVO Estabelecer padrões mínimos de apresentação de embalagens de transporte utilizado para os processos de entrega de produtos importados, visando garantir a integridade dos mesmos, bem

Leia mais

TIPOS DE PALLETS. Imaginemos uma situação onde se precise comprar pallets para exportar em cada um, 1000 kg de papel.

TIPOS DE PALLETS. Imaginemos uma situação onde se precise comprar pallets para exportar em cada um, 1000 kg de papel. Pallets descartaveis (one way) TIPOS DE PALLETS Pallets descartáveis como a prória palavra sugere, são pallets não retornáveis ou seja, acomodam uma determinada mercadoria onde o custo do pallet está incluso

Leia mais

TAR 3M - Terminal de Acesso de Rede

TAR 3M - Terminal de Acesso de Rede 1. Objetivo Este boletim técnico apresenta as características e requisitos técnicos relativos ao Terminal de Acesso de Rede 3M sem possibilidade de proteção com capacidade para 10/20 pares. TAR-10 TAR-20

Leia mais

Logística Reversa na Prática: Estudo Econômico de Embalagens Retornáveis no Transporte de Cabeçotes de Motores Usinados

Logística Reversa na Prática: Estudo Econômico de Embalagens Retornáveis no Transporte de Cabeçotes de Motores Usinados Logística Reversa na Prática: Estudo Econômico de Embalagens Retornáveis no Transporte de Cabeçotes de Motores Usinados DIOGO APARECIDO LOPES SILVA (USP) OSWALDO MÁRIO SERRA TRUZZI (UFSCar) GUSTAVO SEVEGNANI

Leia mais

Sistema de Forros Trevo Drywall

Sistema de Forros Trevo Drywall Nome da Empresa Endereço Tel/Fax (88) 3571-6019 Site E-mail DADOS DO FABRICANTE Trevo Industrial de Acartonados S/A. Av.Josias Inojosa de Oliveira 5000 - Distrito Industrial do Cariri Juazeiro do Norte

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 32, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 32, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 32, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015 A MINISTRA DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Registro de Preços para aquisição de envelopes plásticos para as Eleições 2010

TERMO DE REFERÊNCIA. Registro de Preços para aquisição de envelopes plásticos para as Eleições 2010 TERMO DE REFERÊNCIA Registro de Preços para aquisição de envelopes plásticos para as Eleições 2010 1. OBJETO Registro de Preços para eventual aquisição de envelopes plásticos para as Eleições 2010, de

Leia mais

Sistema de Paredes Trevo Drywall

Sistema de Paredes Trevo Drywall Nome da Empresa DADOS DO FABRICANTE Trevo Industrial de Acartonados S/A. Endereço Av.Josias Inojosa de Oliveira 5000 - Distrito Industrial do Cariri Juazeiro do Norte - CE - CEP 63045-010 Tel/Fax (88)

Leia mais

A seguir, sugerimos algumas formas de acondicionamento por tipo de material a ser enviado.

A seguir, sugerimos algumas formas de acondicionamento por tipo de material a ser enviado. Acondicionamento Para o cliente que deseja enviar um objeto via Correios, o correto acondicionamento dos objetos é muito importante para assegurar que as remessas cheguem bem a seus destinos. Recomenda-se

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG. Embalagens Especificação e Padronização NTC-59

NORMA TÉCNICA CELG. Embalagens Especificação e Padronização NTC-59 NORMA TÉCNICA CELG Embalagens Especificação e Padronização NTC-59 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. OBJETIVO 1 2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2 3. TERMINOLOGIA E DEFINIÇÕES 3 4. CONDIÇÕES GERAIS 4

Leia mais

A SOLUÇÃO SOB MEDIDA PARA SUA ARMAZENAGEM E ESTOCAGEM

A SOLUÇÃO SOB MEDIDA PARA SUA ARMAZENAGEM E ESTOCAGEM A SOLUÇÃO SOB MEDIDA PARA SUA ARMAZENAGEM E ESTOCAGEM A CESTARI PRODUTOS GALVANIZADOS produz equipamentos para todo processamento de produtos em geral que asseguram o melhor resultado para a indústria

Leia mais

Sumário. BAG TÊINER OXIGEN Dispositivo de prevenção para contêiner. BERMS OXIGEN Bacia de contenção para ações rápidas

Sumário. BAG TÊINER OXIGEN Dispositivo de prevenção para contêiner. BERMS OXIGEN Bacia de contenção para ações rápidas Sumário BCP OXIGEN Bacia de contenção de papelão 03 ECOTÊINER DE INTERIOR OXIGEN Dispositivo de prevenção de vazamentos para transporte em contêineres marítimos BAG TÊINER OXIGEN Dispositivo de prevenção

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR MF - 01.007 MANUAL DE ENTREGAS

MANUAL DO FORNECEDOR MF - 01.007 MANUAL DE ENTREGAS VERSÃO: 7 PAG: 1 / 16 Esta Instrução tem por finalidade estabelecer o fluxo de operações para entrega de confecções previamente encabidadas, abrangendo a elaboração do Pedido de Compra, a retirada dos

Leia mais

KIT Porta IPUMIRIM. Manual técnico e instruções de instalação

KIT Porta IPUMIRIM. Manual técnico e instruções de instalação Manual técnico e instruções de instalação KIT Porta IPUMIRIM Este manual de instalação do Kit Faqueadas Ipumirim vai auxiliar e orientar construtores e consumidores com as informações necessárias com relação

Leia mais

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos Paredes internas Estrutura leve GESSO ACARTONADO Fixado em perfis de chapa de aço galvanizado (esqueleto de guias e montantes) Parede: chapas de gesso em uma ou mais camadas Superfície pronta para o acabamento

Leia mais

Aproxime o seu smartphone, tablet ou webcam do QR Code e saiba mais sobre a Pisani.

Aproxime o seu smartphone, tablet ou webcam do QR Code e saiba mais sobre a Pisani. Março/2015 Aproxime o seu smartphone, tablet ou webcam do QR Code e saiba mais sobre a Pisani. Pisani Plásticos S.A. BR 116 - Km 146,3 - Nº 15.602 - C.P. 956-95059-520 - Caxias do Sul - RS - Brasil Fone:

Leia mais

ANEXO I PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS I - A INSTRUÇÃO NORMATIVA EMERGENCIAL DA SDA

ANEXO I PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS I - A INSTRUÇÃO NORMATIVA EMERGENCIAL DA SDA ANEXO I PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS I - A INSTRUÇÃO NORMATIVA EMERGENCIAL DA SDA Esta Instrução Normativa estabelece, EM CARÁTER EMERGENCIAL, os procedimentos a serem adotados pela Fiscalização Federal

Leia mais

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4 Gesso Acartonado Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil Construção

Leia mais

PALLET PLÁSTICO É SCHOELLER

PALLET PLÁSTICO É SCHOELLER Schoeller.indd 1 9/24/12 11:34 AM PALLET PLÁSTICO É SCHOELLER O Grupo Schoeller, referência de qualidade, está presente em mais de 50 países, em todo o mundo. O emprego da alta tecnologia e a adoção de

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM PLATAFORMAS

MANUAL DE MONTAGEM PLATAFORMAS MANUAL DE MONTAGEM PLATAFORMAS ALTOSUL INDÚSTRIA DE EQUIPAMENTOS LTDA Fone /Fax (47) 3533-5330 Rua Presidente Nereu, 1300 Ituporanga-sc - Cep 88400-000 Sumario Sumario... 1 A Empresa... 2 Contatos... 2

Leia mais

CAPÍTULO 6.6 EXIGÊNCIAS PARA A CONSTRUÇÃO E ENSAIO DE EMBALAGENS GRANDES

CAPÍTULO 6.6 EXIGÊNCIAS PARA A CONSTRUÇÃO E ENSAIO DE EMBALAGENS GRANDES CAPÍTULO 6.6 EXIGÊNCIAS PARA A CONSTRUÇÃO E ENSAIO DE EMBALAGENS GRANDES 6.6.1 Disposições Gerais 6.6.1.1 As exigências deste capítulo não se aplicam: - à classe 2 exceto artigos incluindo aerossóis; -

Leia mais

Estantes para picking

Estantes para picking M7 Estantes para picking Sistema de armazenagem de produtos para picking manual que segue o princípio homem a produto. Principais vantagens: - Possibilidade de armazenar produtos de carga média e grande.

Leia mais

DE PRODUTOS PERIGOSOS

DE PRODUTOS PERIGOSOS CARTILHA TRANSPORTE TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS Página 1 de 8 1 - LEGISLAÇÃO RESOLUÇÕES DA ANTT SOBRE TRANSPORTE TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS Resolução 420/04 resolução da ANTT (Agência Nacional

Leia mais

Sua 1ª opção em redes esportivas

Sua 1ª opção em redes esportivas Sua 1ª opção em redes esportivas MASTERFEW Indústria e Comércio Ltda. Av. Prefeito Bernardino de Lucca, 1222 - Jd. Carambeí - São Roque - SP - CEP 18132-295 vendas@masterfew.com.br www.masterfew.com.br

Leia mais

Manual de Instruções e Termo de Garantia

Manual de Instruções e Termo de Garantia Manual de Instruções e Termo de Garantia 1.Identificação dos itens. 2.Marque na porta a altura do centro da maçaneta (sugestão: 1,10m em relação ao piso). 4.Com auxílio de ferramentas (formão, furadeira,

Leia mais

Acessórios para Drywall

Acessórios para Drywall Acessórios para Drywall 1 Painéis de Gesso Sheetrock UltraLight Inovação Até 30% mais leve que as chapas disponíveis no mercado; Combina formulações existentes e processos com novas tecnologias patenteadas.

Leia mais

Soluções Inteligentes para o dia a dia

Soluções Inteligentes para o dia a dia Soluções Inteligentes para o dia a dia TELHAS TRANSLÚCIDAS 70 % transmissão de luz =$ Alta durabilidade; Não solta fibras; Melhor custo/benefício; Leveza e flexibilidade; Proteção contra raios UV (economia

Leia mais

Manuseio de Compressor

Manuseio de Compressor Manuseio de Compressor Índice Item... Página 1 - Introdução... 02 2 - Remover o palete... 03 3 - Deslocar o palete... 04 4 - Erguer o palete... 05 5 - Movimentar o palete... 06 6 - Empilhar o palete...

Leia mais

Formas Metálicas Construindo eficiência para toda a vida.

Formas Metálicas Construindo eficiência para toda a vida. Formas Metálicas Construindo eficiência para toda a vida. Matriz - Campinas Rodovia SP 73 - km 10,5 Bairro Três Vendas - CEP: 13033-970 Campinas/SP - Cx. Postal: 3114 (19) 3729-6000 Filial - São Paulo

Leia mais

FORMULÁRIO-PROPOSTA. Nome da empresa (razão social):... Endereço:... Cidade:... UF:... CEP:... CNPJ/MF n.:... Telefone/fax:... Nome:...

FORMULÁRIO-PROPOSTA. Nome da empresa (razão social):... Endereço:... Cidade:... UF:... CEP:... CNPJ/MF n.:... Telefone/fax:... Nome:... FORMULÁRIO-PROPOSTA Nome da empresa (razão social):... Endereço:... Cidade:... UF:... CEP:... CNPJ/MF n.:... Telefone/fax:... Responsável pela assinatura do contrato: Nome:... Cargo/função:...Telefone/fax:...

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada para eventual fornecimento, montagem e instalação de mobiliário, para a Procuradoria Regional do Trabalho da 2a Região

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA UNIDADE: COORDENAÇÃO DE LOGÍSTICA - COLOG (GESUS) 1 de 26 1. DO OBJETO Pregão Eletrônico - Registro de Preços para eventual fornecimento de materiais de sinalização de gasoduto. Lote I: placas e adesivos

Leia mais

Embalagens logísticas: proteção do produto na movimentação e armazenagem

Embalagens logísticas: proteção do produto na movimentação e armazenagem Embalagens logísticas: proteção do produto na movimentação e armazenagem Washington Spejorim As embalagens podem ser definidas de diferentes formas, variando de acordo com o profissional que fizer essa

Leia mais

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE Estúdio de Arquitetura: Sustentabilidade Steel Framing Aluna: Gabriela Carvalho Ávila Maio de 2014 ÍNDICE 1 Introdução... 4 2 Sistema Ligth Steel Framing... 5 2.1

Leia mais

USOS INDUSTRIAIS. O painel OSB é versátil, resistente e apresenta uma variedade de espessuras que permite diversos usos.

USOS INDUSTRIAIS. O painel OSB é versátil, resistente e apresenta uma variedade de espessuras que permite diversos usos. CATÁLOGO TÉCNICO USOS INDUSTRIAIS O painel OSB é versátil, resistente e apresenta uma variedade de espessuras que permite diversos usos. M A T E R I A I S P A R A C O N S T R U I R M E L H O R. Quem somos

Leia mais

RTQ CAR - INSPEÇÃO PERIÓDICA DE CARROÇARIAS DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS E CAÇAMBAS INTERCAMBIÁVEIS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS

RTQ CAR - INSPEÇÃO PERIÓDICA DE CARROÇARIAS DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS E CAÇAMBAS INTERCAMBIÁVEIS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS RTQ CAR - INSPEÇÃO PERIÓDICA DE CARROÇARIAS DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS E CAÇAMBAS INTERCAMBIÁVEIS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Siglas

Leia mais

Colocação de material

Colocação de material Colocação de material Este capítulo inclui: Material suportado na página 2-2 Carregando material na bandeja 1 na página 2-8 Colocação de material na bandeja 2, 3 ou 4 na página 2-14 Copyright 2005 Xerox

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO, ORÇAMENTO E PROJETO DO ACESSO PRINCIPAL E IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FRONTEIRA

MEMORIAL DESCRITIVO, ORÇAMENTO E PROJETO DO ACESSO PRINCIPAL E IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FRONTEIRA MEMORIAL DESCRITIVO, ORÇAMENTO E PROJETO DO ACESSO PRINCIPAL E IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FRONTEIRA Orçamento Unidade Básica de Saúde - Fronteira Estrutura para o acesso e identificação do

Leia mais

INSTRUÇÕES DE USO UMIDIFICADOR DE POLIPROPILENO MORIYA

INSTRUÇÕES DE USO UMIDIFICADOR DE POLIPROPILENO MORIYA INSTRUÇÕES DE USO UMIDIFICADOR DE POLIPROPILENO MORIYA APRESENTAÇÃO Os Umidificadores - Moriya foram concebidos e fabricados sob conceitos internacionais de qualidade e tecnologia. E estão disponíveis

Leia mais

FRIGORÍFICO RANDON LINHA R, A MELHOR OPÇÃO DO MERCADO

FRIGORÍFICO RANDON LINHA R, A MELHOR OPÇÃO DO MERCADO FRIGORÍFICO FRIGORÍFICO RANDON LINHA R, A MELHOR OPÇÃO DO MERCADO O melhor frigorífico do mercado, com a tradição da marca Randon; Novidades que proporcionam maior isolamento térmico e vida útil ao produto;

Leia mais

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II E ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II MÉTODO EXECUTIVO Cuidados no Recebimento Formas de Instalação

Leia mais

Memorial Descritivo 01/2013 - V01

Memorial Descritivo 01/2013 - V01 Memorial Descritivo P.SQ.07 01/2013 - V01 ÍNDICE Piso em Aço - Modelo AX-1000 Piso em aço Chapa Inferir Estampada Chapa Superior Lisa Concreto Sistema Estrutural Cruzeta Chapa Superior Chapa de Reforço

Leia mais

Exposição módulo PISO CENO

Exposição módulo PISO CENO Exposição módulo PISO CENO DESCRITIVO DO CADERNO DE DESENHO 01 Página1 PISO CENO DESCRITIVO DE PROJETO para Exposição Inaugural sobre Miçangas e Adornos Indígenas OUTUBRO. 2013 MUSEU DO ÍNDIO - Fundação

Leia mais

Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB

Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB Índice Capítulo Título Página 1 Informações Gerais 3 2 Segurança 4 3 Especificações Técnicas 5 4 Ferramentas, Instrumentos e Materiais 6

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Lote nº 01 01 Agenda permanente com fita em tecido para marcação de datas Unidade 50 02 Bobina para máquina de calcular em papel apergaminhado 57mm x 30m. Modelo de referência:

Leia mais

Especialista em Soluções

Especialista em Soluções Fita Adesiva de Polipropileno (Empacotamento) Fita adesiva de filme de polipropileno biorientado transparente com adesivo acrílico. Indicada para: - Trabalhos escolares; - Reforço de embalagens; - Fechamento

Leia mais

Painel Isojoint Wall. Painel térmico para fachadas GUIA BÁSICO DE MONTAGEM

Painel Isojoint Wall. Painel térmico para fachadas GUIA BÁSICO DE MONTAGEM Painel Isojoint Wall Painel térmico para fachadas GUIA BÁSICO DE MONTAGEM APRESENTAÇÃO Os painéis wall pur são recomendados para a utilização em fachadas visto seu design e beleza. Além da estética ele

Leia mais

Diretivas de transporte, embalagem e manuseio

Diretivas de transporte, embalagem e manuseio Diretivas de transporte, embalagem e manuseio Esta diretiva compreende orientações gerais relativas ao transporte, embalagem e manuseio de máquinas e fornecimentos da empresa KraussMaffei Technologies

Leia mais

A SA Gôndolas apresenta suas novas linhas de gôndolas com produtos cada vez melhores para valorizar o seu espaço e expor os seus produtos.

A SA Gôndolas apresenta suas novas linhas de gôndolas com produtos cada vez melhores para valorizar o seu espaço e expor os seus produtos. A SA Gôndolas apresenta suas novas linhas de gôndolas com produtos cada vez melhores para valorizar o seu espaço e expor os seus produtos. Representações Técnicas Gôndola Centro Gôndola Parede A busca

Leia mais

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO O estabilizador portátil de câmera Tedi Cam é um equipamento de avançada tecnologia utilizado para filmagens de cenas onde há a necessidade de se obter imagens perfeitas em situações de movimento

Leia mais

A INSTITUTO FEDERAL DE MINAS GERAIS COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES Fone:(31)2513-5198 Fax: (31) 2513-5203 PREGÃO ELETRÔNICO 175/2013

A INSTITUTO FEDERAL DE MINAS GERAIS COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES Fone:(31)2513-5198 Fax: (31) 2513-5203 PREGÃO ELETRÔNICO 175/2013 A INSTITUTO FEDERAL DE MINAS GERAIS COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES Fone:(31)2513-5198 Fax: (31) 2513-5203 PREGÃO ELETRÔNICO 175/2013 1 1. DADOS DO FORNECEDOR 1.1 Dados Cadastrais da Empresa Razão Social:

Leia mais

PERFIL DE JUNÇÃO REHAU VEDAR, UNIR, DESTACAR. Automotiva Indústria

PERFIL DE JUNÇÃO REHAU VEDAR, UNIR, DESTACAR. Automotiva Indústria PERFIL DE JUNÇÃO REHAU VEDAR, UNIR, DESTACAR www.rehau.com.br Construção Automotiva Indústria DESIGN PARA MÓVEIS DA REHAU: SOLUÇÕES INOVADORAS DE SISTEMAS NO MESMO LOCAL A REHAU se estabeleceu como a principal

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MONTAGEM (17958) AEROFÓLIO VW MAN TGX

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MONTAGEM (17958) AEROFÓLIO VW MAN TGX FOTO DO PRODUTO FOTO DO PRODUTO INSTALADO Importante: Apresentamos neste manual os passos que devem ser seguidos para a correta instalação de nosso produto. Antes de começar a instalação, confira se os

Leia mais

PRODUTO: ARMÁRIO DE MADEIRA Portaria nº 69/SMG-G/2009 de 03/07/2009. 2.2.1. Painéis da caixa, inclusive o vertical interno, portas e prateleiras.

PRODUTO: ARMÁRIO DE MADEIRA Portaria nº 69/SMG-G/2009 de 03/07/2009. 2.2.1. Painéis da caixa, inclusive o vertical interno, portas e prateleiras. 1 CÓDIGO SUPRI: 71.654.002.001.0029-1 PRODUTO: ARMÁRIO DE MADEIRA Portaria nº 69/SMG-G/2009 de 03/07/2009 1. DESTINAÇÃO Para guarda de materiais de escritório em geral. 2. REQUISITOS GERAIS (VER DESENHOS

Leia mais

Manual de Manutenção e Limpeza 01/2013 - V01

Manual de Manutenção e Limpeza 01/2013 - V01 Manual de Manutenção e Limpeza M.SQ.02 01/2013 - V01 ÍNDICE TERMO DE GARANTIA Termo de Garantia Termo de Recebimento Tabelas de resistências Manutenção e cuidados com o revestimento do piso 1- Geral 2-

Leia mais

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Tópicos Abordados: 1. Porta Paletes Seletivo (convencional): 2. Drive-in / Drive-thru Objetivo: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento

Leia mais

CARTA CONVITE Nº 001/2015. Fornecimento, entrega e instalação de cadeiras de auditório

CARTA CONVITE Nº 001/2015. Fornecimento, entrega e instalação de cadeiras de auditório São Paulo, 26 de janeiro de 2015. CARTA CONVITE Nº 001/2015 Fornecimento, entrega e instalação de cadeiras de auditório O, Organização Social gestora do Museu da Imigração, de acordo com seu Regulamento

Leia mais

Domus Profissional: programa para criação de móveis e ambientes sob medida. Apresenta uma foto realista dos móveis inseridos no ambiente.

Domus Profissional: programa para criação de móveis e ambientes sob medida. Apresenta uma foto realista dos móveis inseridos no ambiente. Os programas Domus são divididos em 4 aplicativos para atender às diferentes necessidades das pequenas e médias fábricas de móveis, ou de profissionais que se dedicam somente ao desenvolvimento de projetos

Leia mais

Camiseta Gola Redonda para os alunos da Rede Pública Estadual

Camiseta Gola Redonda para os alunos da Rede Pública Estadual Camiseta Gola Redonda para os alunos da Rede Pública Estadual Especificação Técnica SEEDUC01E/2013 1 OBJETIVO Esta norma fixa as condições exigíveis para a confecção e recebimento da camiseta escolar que

Leia mais

CONSTRUÇÕES II MADEIRA PISOS DE MADEIRA PISOS DE MADEIRA. São planos horizontais que suportam cargas. VARIÁVEIS e PERMANENTES.

CONSTRUÇÕES II MADEIRA PISOS DE MADEIRA PISOS DE MADEIRA. São planos horizontais que suportam cargas. VARIÁVEIS e PERMANENTES. CONSTRUÇÕES II MADEIRA PISOS DE MADEIRA PISOS DE MADEIRA São planos horizontais que suportam cargas VARIÁVEIS e PERMANENTES. 1 CARGAS NBR 6120 PERMANENTES (g) Peso próprio da estrutura Peso dos elementos

Leia mais

SERVICE 2 3.0 08/2015-PT. MicroStop. Recipientes de esterilização e acessórios

SERVICE 2 3.0 08/2015-PT. MicroStop. Recipientes de esterilização e acessórios SERVICE 2 3.0 08/2015-PT MicroStop Recipientes de esterilização e acessórios Recipientes de esterilização MicroStop A ponte entre a cirurgia, o descarte, a esterilização e a armazenagem para uma rotina

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM DADOS TÉCNICOS QUANTITATIVO DO SISTEMA WALLGREEN PROJETADO TIGRE. 88 28m 4 7 7. 2,44m. 1,77m CÓDIGO DO PRODUTO: 100.001.108.

MANUAL DE MONTAGEM DADOS TÉCNICOS QUANTITATIVO DO SISTEMA WALLGREEN PROJETADO TIGRE. 88 28m 4 7 7. 2,44m. 1,77m CÓDIGO DO PRODUTO: 100.001.108. DADOS TÉCNICOS 20cm 2,44m 1,77m MANUAL DE MONTAGEM QUANTITATIVO DO SISTEMA WALLGREEN PROJETADO TIGRE CÓDIGO DO PRODUTO: 100.001.108 ESTRUTURAL IRRIGAÇÃO MÓDULO PLACA 01 PLACA 02 PLACA 03 ENCAIXE CAVILHA

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO PARA TELHAS CERÃMICAS E TELHAS DE CONCRETO Portaria Inmetro nº 005/2013

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO PARA TELHAS CERÃMICAS E TELHAS DE CONCRETO Portaria Inmetro nº 005/2013 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade- Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

PERFORT SISTEMAS DE BANDEJAMENTO

PERFORT SISTEMAS DE BANDEJAMENTO PERFORT 1 SISTEMAS DE BANDEJAMENTO Sistemas para piso elevado A Mopa desenvolveu diversos modelos de caixas para acomodação dos pontos de ligação dos aparelhos (tomadas). Estas caixas tem características

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO PROGRAMA DE ACESSIBILIDADE INCLUSIVA DE CAMPINAS

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO PROGRAMA DE ACESSIBILIDADE INCLUSIVA DE CAMPINAS GPT/M009/10/R4 PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO PROGRAMA DE ACESSIBILIDADE INCLUSIVA DE CAMPINAS Este documento estabelece os padrões de comunicação visual a serem observados nos veículos

Leia mais

Orientações de manuseio e estocagem de revestimentos cerâmicos

Orientações de manuseio e estocagem de revestimentos cerâmicos Orientações de manuseio e estocagem de revestimentos cerâmicos RECEBIMENTO Quando o produto for recebido na loja ou obra, ou mesmo na entrega ao cliente, é importante que alguns cuidados sejam tomados

Leia mais

MINI KIT MARTELINHO DE OURO

MINI KIT MARTELINHO DE OURO MINI KIT MARTELINHO DE OURO *Imagens meramente ilustrativas Manual de Instruções Prezado Cliente Este Manual tem como objetivo orientá-lo na instalação, operação e informações gerais de seu Mini Kit Martelinho

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 05/14 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 05/14 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I TUBOS DE PEAD 1 - OBJETIVO 1.1 A presente licitação tem por objeto o fornecimento e entrega, pela empresa a ser CONTRATADA, de tubos de POLIETILENO DE ALTA DENSIDADE PE 100

Leia mais

LINHA AYTY. Roque Frizzo

LINHA AYTY. Roque Frizzo LINHA AYTY Roque Frizzo LINHA AYTY Roque Frizzo CONCEITO Espírito Coleção de móveis para jardim em madeira de eucalipto reflorestada certificada. É aqui que você vai descansar a mente e o espírito... Rústico

Leia mais

Top Solution G5: a mesma robustez e flexibilidade com design ainda mais elegante.

Top Solution G5: a mesma robustez e flexibilidade com design ainda mais elegante. www.grupopolicom.com.br contato@policom.com.br Rev. 26/5/2015 1 Top Solution G5: a mesma robustez e flexibilidade com design ainda mais elegante. O Top Solution G5, mais uma inovação exclusiva do Grupo

Leia mais

MÓDULO 4 4.1 - PROCEDIMENTOS DE ESTOCAGEM E MANUSEIO

MÓDULO 4 4.1 - PROCEDIMENTOS DE ESTOCAGEM E MANUSEIO MÓDULO 4 4.1 - PROCEDIMENTOS DE ESTOCAGEM E MANUSEIO A estocagem e o manuseio de tubos e conexões devem obedecer a preceitos mínimos que assegurem a integridade dos materiais, bem como o desempenho esperado.

Leia mais

Pisani Plásticos BR 116 - Km 146,3 - Nº 15.602 - C.P. 956-95059-520 - Caxias do Sul - RS - Brasil Fone: 55 54 2101.8700 - Fax: 55 54 2101.

Pisani Plásticos BR 116 - Km 146,3 - Nº 15.602 - C.P. 956-95059-520 - Caxias do Sul - RS - Brasil Fone: 55 54 2101.8700 - Fax: 55 54 2101. Pisani Plásticos BR 116 - Km 146,3 - Nº 15.602 - C.P. 956-95059-520 - Caxias do Sul - RS - Brasil Fone: 55 54 2101.8700 - Fax: 55 54 2101.8743 FILIAIS: Pindamonhangaba - SP e Recife - PE www.pisani.com.br

Leia mais

CARRINHOS PARA CRIANÇAS

CARRINHOS PARA CRIANÇAS Página 1 de 1 Elaborado por: Diego Alves de Oliveira Verificado por: Karen Carolina Martins Aprovado por: Maria Lucia Hayashi Data Aprovação: 06/01/2015 1. OBJETIVO Estabelecer os critérios para o Programa

Leia mais

Passível de atualizações/revisões. A revisão vigente estará sempre disponível no departamento comercial e/ou no site da empresa.

Passível de atualizações/revisões. A revisão vigente estará sempre disponível no departamento comercial e/ou no site da empresa. 1. OBJETIVO CRITÉRIOS DE QUALIDADE Definir o critério para classificação de tecidos em Primeira Qualidade e LD (Leves defeitos). Definir o critério para atendimento de reclamações por problemas de qualidade.

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PISO ELEVADO ACECOFLOOR PLACA CC1250

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PISO ELEVADO ACECOFLOOR PLACA CC1250 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PISO ELEVADO ACECOFLOOR PLACA CC1250 Dimensões: Pesos: Tolerâncias: Resistências: 600 mm X 600 mm (medida nominal) (59,98cm X 59,98cm) 30 mm de espessura (medida nominal) Peso de

Leia mais

AMAZON ARTE. www.aaccv.com.br. visite nosso site: COMUNICAÇÃO VISUAL LTDA. A & A COMÉRCIO E

AMAZON ARTE. www.aaccv.com.br. visite nosso site: COMUNICAÇÃO VISUAL LTDA. A & A COMÉRCIO E AMAZON ARTE A & A COMÉRCIO E COMUNICAÇÃO VISUAL LTDA. Soluções integradas para o meio-ambiente A linha de produtos mais completa do Brasil visite nosso site: www.aaccv.com.br QUEM SOMOS Amazon Arte atua

Leia mais

UASG. folhas. 300 un 200 un 500 un 2.000 un 300 un 150 un 150 un 200 un

UASG. folhas. 300 un 200 un 500 un 2.000 un 300 un 150 un 150 un 200 un UASG UASG UASG 440001 UASG UASG UASG 130126 UASG Participante 170116 170386 183038 Participante 254420 443020 Ministério Participante Participante Participante Lavoura Participante itens material reciclado

Leia mais

Catálogo Geral de Produtos

Catálogo Geral de Produtos Catálogo Geral de Produtos Especialista em soluções. Uma linha de equipamentos feita sob medida para os seus negócios. 2 A empresa Líder na fabricação de racks aramados no Brasil, a Artok possui uma linha

Leia mais

W W W. O P A T O L O G I S T A. C O M. B R

W W W. O P A T O L O G I S T A. C O M. B R MESA DE MACROSCOPIA MM 16130 Manual de instrução e operação W W W. O P A T O L O G I S T A. C O M. B R 1 Revisão 1 Agosto 2015 O Patologista Comercial Ltda. Manual MM 16130. O Patologista Comercial Ltda.

Leia mais

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM Uma abordagem multidisciplinar Prof. Fernando Dal Zot 1 Visão geral das atividades do Almoxarifado / Depósito / Armazém Início RECEBER

Leia mais

CARROS DE MÃO. Compre Produtos Certificados. Na Equipleva todos os equipamentos cumprem com as diretivas da CE.

CARROS DE MÃO. Compre Produtos Certificados. Na Equipleva todos os equipamentos cumprem com as diretivas da CE. Carros de Mão Carros Ligeiros com Plataforma Carros para Cargas Médias/Elevadas Carros Armário com e sem Prateleiras Carros com Banca de Trabalho Carros de Apoio à Industria Carros de Reboque Carros para

Leia mais

CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A INSTRUÇÕES PARA ABERTURA DO CABO EN320

CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A INSTRUÇÕES PARA ABERTURA DO CABO EN320 a EMISSÃO INICIAL FTY MM LYT 18/12/14 REV. ALTERAÇÕES EXEC. VISTO APROV. DATA EXEC. VISTO APROV. FTY MM LYT DATA: CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A LD 1 ALMENARA - JEQUITINHONHA, 138kV (Op. 69 kv) 18/12/14 INSTRUÇÕES

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO MA NU AL E SP EC IA L SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0032 ESPECIFICAÇÃO DE CONDUTORES

Leia mais

FORMULÁRIO-PROPOSTA. Valor unitário. Valor total. Item Descrição Qtde. 1 Móvel com Gavetas 12,00m². 2 Móvel com Portas de Abrir 70,00m²

FORMULÁRIO-PROPOSTA. Valor unitário. Valor total. Item Descrição Qtde. 1 Móvel com Gavetas 12,00m². 2 Móvel com Portas de Abrir 70,00m² FORMULÁRIO-PROPOSTA Nome da empresa (razão social):... Endereço:... Cidade:... UF:... CEP:... CNPJ/MF n.:... Telefone/fax:... Responsável pela assinatura do contrato: Nome:... Cargo/função:...Telefone/fax:...

Leia mais

Descritivo Técnico - Mòveis Linha Home

Descritivo Técnico - Mòveis Linha Home Descritivo Técnico - Mòveis Linha Home Produto Código Descrição ARS 01 BD 01 BD 02 Suporte de descanço de braço Braçadeira de apoio de piso para suporte de braço e aplicação de injeção. Altura regulável

Leia mais

Parabond 700 Adesivo estrutural elástico de elevada aderência e resistência inicial

Parabond 700 Adesivo estrutural elástico de elevada aderência e resistência inicial Parabond 700 Adesivo estrutural elástico de elevada aderência e resistência inicial Produto: Parabond 700 é um adesivo de alta qualidade, cura rápida, permanentemente elástico, à base de MS polímero, com

Leia mais

Portaria n.º 346, de 24 de julho de 2014.

Portaria n.º 346, de 24 de julho de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 346, de 24 de julho de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO PARA DISCIPLINAR A CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA DE EMBALAGENS E SUPORTES DE MADEIRA UTILIZADAS NO TRÂNSITO INTERNACIONAL

ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO PARA DISCIPLINAR A CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA DE EMBALAGENS E SUPORTES DE MADEIRA UTILIZADAS NO TRÂNSITO INTERNACIONAL ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO PARA DISCIPLINAR A CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA DE EMBALAGENS E SUPORTES DE MADEIRA UTILIZADAS NO TRÂNSITO INTERNACIONAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. As embalagens

Leia mais

Sistemas da edificação Aplicação na prática

Sistemas da edificação Aplicação na prática 1 Vantagens Alta produtividade com equipes otimizadas; Redução de desperdícios e obra limpa; Facilidade de gerenciamento e padronização da obra; Elevada durabilidade; Facilidade de limpeza e conservação;

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM - BERÇO ENCANTHUS

MANUAL DE MONTAGEM - BERÇO ENCANTHUS Móveis Qualidade para merecer você MANUAL DE MONTAGEM BERÇO ENCANTHUS De acordo com a Norma 15860/2010 da ABNT. BERÇO ENCANTHUS 173 O fabricante se reserva ao direito de introduzir modificações técnicas

Leia mais

SOLUÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO

SOLUÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO SOLUÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO Presto A Presto é uma marca especializada em soluções para facilitar o trabalho. Diferencia-se pela sua capacidade de inovação e criatividade, aliada a constantes investimentos

Leia mais

RTQ 32 - PÁRA-CHOQUE TRASEIRO DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS - CONSTRUÇÃO, ENSAIO E INSTALAÇÃO

RTQ 32 - PÁRA-CHOQUE TRASEIRO DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS - CONSTRUÇÃO, ENSAIO E INSTALAÇÃO RTQ 32 - PÁRA-CHOQUE TRASEIRO DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS - CONSTRUÇÃO, ENSAIO E INSTALAÇÃO SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Siglas e Abreviaturas

Leia mais

Caixa de emenda óptica (FOSC) DGJC-102A. Especificação Técnica

Caixa de emenda óptica (FOSC) DGJC-102A. Especificação Técnica Caixa de emenda óptica (FOSC) DGJC-102A Especificação Técnica ÍNDICE 1. Especificações Gerais 1.1 Objetivo 1.2 Aplicação 1.3 Qualidade 1.4 Confiabilidade 1.5 Referência 2. Especificações Técnicas 2.1 Características

Leia mais