Metodologia Científica. Justificativa

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Metodologia Científica. Justificativa"

Transcrição

1 Metodologia Científica Justificativa 26/09/2017

2 Justificativa O que já sabemos sobre a Justificativa?

3 Justificativa É o convencimento de que a realização da pesquisa é fundamental. Deve exaltar a importância do tema a ser estudado. Antes de escrevê-la deve-se estudar/ler muito sobre o assunto. Deve responder o porquê da realização da pesquisa. Nem sempre são necessárias referências nessa seção.

4 EXEMPLOS

5 Exemplo 1 TÍTULO Marcadores de consumo alimentar entre usuários da Estratégia Saúde da Família em Itaqui/RS OBJETIVO GERAL Avaliar a frequência de consumo dos marcadores alimentares entre usuários da ESF, com idade igual ou superior a 20 anos, residentes na zona urbana do município de Itaqui/RS.

6 Exemplo 1 - Justificativa Tendo em vista o aumento do excesso de peso e da obesidade na população brasileira e a escassez de estudos populacionais sobre alimentação e nutrição, especialmente no município de Itaqui/RS, a investigação da situação alimentar nesta população torna-se fundamental. A realização da pesquisa entre usuários da ESF justifica-se pela importância da mesma como modelo prioritário de atenção primária em saúde no Brasil. Os resultados observados poderão contribuir para a elaboração de estratégias para promoção de hábitos alimentares saudáveis e redução do consumo de alimentos pouco recomendados entre os moradores do município.

7 Exemplo 2 TÍTULO Perfil nutricional e hábitos alimentares de escolares do município de Itaqui/RS OBJETIVO GERAL Avaliar o perfil nutricional e os hábitos alimentares de escolares adolescentes do município de Itaqui/RS.

8 Exemplo 2 - Justificativa Visto que a obesidade é um problema alarmante atualmente, sendo considerada uma epidemia tanto em países desenvolvidos, como em países em desenvolvimento como o Brasil, e que o excesso de peso é um fator que contribui para ocorrência de doenças crônicas não transmissíveis, percebe-se a importância do desenvolvimento de estudos para avaliar o perfil nutricional de escolares. A identificação precoce de fatores relacionados ao excesso de peso e práticas alimentares inadequadas, poderão colaborar para criação de políticas e programas de incentivo a adoção à hábitos alimentares saudáveis e controle do excesso de peso nessa faixa etária, visando a melhorias na saúde e qualidade de vida nessa população.

9 Exemplo 3 TÍTULO Consumo de alimentos ricos em sódio e alteração dos níveis pressóricos em escolares do município de Itaqui, RS OBJETIVO GERAL Avaliar o estado nutricional, os níveis pressóricos e o consumo de sódio em adolescentes de Itaqui.

10 Exemplo 3 - Justificativa Sabendo-se que o número de mortes causado pelas DCNT (especialmente as doenças cardiovasculares) ainda cresce em países como o Brasil, é fundamental investir na prevenção e no tratamento precoce destas patologias. A nutrição desempenha papel primordial nesse cenário, uma vez que as mudanças dos hábitos alimentares desde a infância e a incorporação desses hábitos saudáveis na vida adulta, são o primeiro passo para a prevenção destas doenças.

11 Exemplo 4 TÍTULO Efeito protetor da hesperidina nas alterações bioquímicas induzidas pela micotoxina Zearalenona em camundongos. OBJETIVO GERAL Avaliar a ação protetora da hesperidina frente às alterações bioquímicas que serão induzidas pela micotoxina zearalenona em camundongos machos.

12 Exemplo 4 - Justificativa O Brasil é um grande produtor agrícola. Além disso, regiões como Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul apresentam temperaturas amenas e assim, favoráveis ao desenvolvimento de fungos produtores de uma das micotoxinas mais toxigênicas em alimentos, a ZEA. Temperatura e umidade são dois fatores críticos ao desenvolvimento de micotoxinas. Pelo fato dessas condições não serem controladas de modo rigoroso, animais e humanos ficam suscetíveis ao consumo de alimentos contaminados já que a ZEA é uma das micotoxinas mais encontradas em grãos. Nesse sentido, a hesperidina pode exercer no organismo de animais acometidos efeito protetor aos danos da micotoxina, pois sabe-se que ela possui ação antioxidante, como também propriedades biológicas de prevenção e cura de doenças. Portanto, através da apresentação dessa hipótese, sugere-se que a hesperidina possa ser utilizada como uma importante alternativa terapêutica frente aos efeitos tóxicos da ZEA.

13 Exemplo 5 TÍTULO Condições higiênicas e físico-estruturais das cozinhas de escolas municipais de Itaqui - RS. OBJETIVO GERAL Verificar as condições higiênicas e físico-estruturais das cozinhas de escolas municipais de educação infantil e ensino fundamental de Itaqui RS.

14 Exemplo 4 - Justificativa Reconhecendo a importância das boas práticas nos processos higiênicos e físico-estruturais para garantir a qualidade sanitária dos alimentos e assim evitar as complicações que as doenças transmitidas por alimentos podem oferecer à saúde, considera-se fundamental avaliar a realidade das condições higiênicas e estruturais das cozinhas de escolas municipais de educação infantil e ensino fundamental de Itaqui RS.

15 Metodologia Científica Introdução 26/09/2017

16 Introdução O que já sabemos sobre a Introdução?

17 Introdução É a apresentação do tema! A Introdução deve abordar, de forma breve e concisa: Tema Questão (problema) de pesquisa Hipóteses para o problema IMPORTANTE! A escrita da introdução deve ser realizada de forma que mesmo aqueles não familiarizados com o assunto possam compreender os aspectos essenciais do tema investigado.

18 Introdução Dicas Listar os assuntos que estão relacionados com o tema. Organizá-los em uma forma relacionada/ordenada. Iniciar pelo assunto mais amplo até chegar no mais específico. Conexão entre os parágrafos. É interessante... Explicitar o problema a ser estudado. Relatar o que já foi publicado sobre o assunto (referências). Destacar a parte inédita da abordagem.

19 Introdução - Exemplo Tema: Obesidade infantil 1 - Etiologia da obesidade na infância. 2 - Prevalência de obesidade infantil no Brasil e no mundo. 3 - Consequências da obesidade na infância A utilização de subitens auxilia na visualização da estrutura lógica da introdução. Os subitens podem ser mantidos ou retirados ao final da redação da Introdução.

20 Tarefa para entregar no final da aula Prática: identificar como a Introdução dos projetos foi estruturada. Que assuntos foram abordados em cada parágrafo? Elaborar tópicos para estruturar a Introdução do seu projeto de pesquisa. Listar motivos para realização do seu projeto de pesquisa e esboçar uma justificativa. Próxima aula: 03/10 - Metodologia 1 Trazer todo o material já elaborado e artigos para elaboração em sala de aula. IMPORTANTE: 31/10 é a data de entrega do projeto de pesquisa!

Referencial de Educação para a Saúde

Referencial de Educação para a Saúde www.nutrimento.pt Referencial de Educação para a Saúde Para que serve? É uma ferramenta educativa que pode ser adaptada, desde a educação pré-escolar ao ensino secundário, por todas as instituições que

Leia mais

Determinantes Sociais da Saúde. Professor: Dr. Eduardo Arruda

Determinantes Sociais da Saúde. Professor: Dr. Eduardo Arruda Determinantes Sociais da Saúde Professor: Dr. Eduardo Arruda Conteúdo Programático desta aula Epidemiologia social e os Determinantes Sociais da Saúde (DSS); Principais Iniquidades em Saúde no Brasil;

Leia mais

DEPTO. DE ALIMENTOS E NUTRIÇÃO EXPERIMENTAL B14 Célia Colli. intervenções preventivas no início da vida trazem benefícios para a vida inteira

DEPTO. DE ALIMENTOS E NUTRIÇÃO EXPERIMENTAL B14 Célia Colli. intervenções preventivas no início da vida trazem benefícios para a vida inteira 1 NUTRIÇÃO E SAÚDE DEPTO. DE ALIMENTOS E NUTRIÇÃO EXPERIMENTAL B14 Célia Colli 2 GRUPO DE NUTRIÇÃO ALIMENTOS E NUTRIÇÃO II/ FBA 417 Célia Colli Minerais em nutrição Fernando Salvador Moreno Dieta, nutrição

Leia mais

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS Janaína V. dos S. Motta EPIDEMIOLOGIA NUTRICIONAL Relatório Mundial de Saúde 1) Água contaminada e falta de saneamento; 2) Uso de combustíveis

Leia mais

Responda às questões abaixo tendo como referência o estudo de Colares & Freitas (2007):

Responda às questões abaixo tendo como referência o estudo de Colares & Freitas (2007): 01 Concurso Os trabalhadores de uma UAN de grande porte apresentam queixas de cansaço, desânimo e descontentamento no trabalho, afetando sua saúde, produtividade e qualidade do produto final. Responda

Leia mais

EXCESSO DE PESO E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS ASSISTIDOS PELO NASF DO MUNICÍPIO DE PATOS-PB

EXCESSO DE PESO E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS ASSISTIDOS PELO NASF DO MUNICÍPIO DE PATOS-PB EXCESSO DE PESO E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS ASSISTIDOS PELO NASF DO MUNICÍPIO DE PATOS-PB Maria Rozimar Dias dos Santos Nóbrega José Maurício de Figueiredo Júnior Faculdades Integradas de Patos FIP

Leia mais

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE)

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) ENTENDENDO O CARDÁPIO Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) O que é um cardápio? CARDÁPIO DO PNAE É a relação das preparações de alimentos a serem oferecidas em uma refeição.

Leia mais

, Considerando Considerando Considerando Considerando Considerando Considerando

, Considerando Considerando Considerando Considerando Considerando Considerando RESOLUÇÃO CNS Nº O Plenário do Conselho Nacional de Saúde, em sua 192ª Reunião Ordinária, realizada nos dias 10 e 11 de dezembro de 2008, no uso de suas competências regimentais e atribuições conferidas

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos Projeto Clube de Nutrição julho de 2013 1. Enquadramento A Obesidade é provavelmente o maior problema, relacionado com a saúde, que a sociedade moderna apresenta.

Leia mais

COMISSÃO INTERSETORIAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO - CIAN

COMISSÃO INTERSETORIAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO - CIAN COMISSÃO INTERSETORIAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO - CIAN Prevista na Lei n.º 8.080/90 - Art. 13 item I Reinstalada pela Resolução CNS n.º 299, de maio de 1999. OBJETIVO DA CIAN Integrar a Política Nacional

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL RESUMO

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL RESUMO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Ana Paula Scherer de Brum* Patrícia Wolf** Paula Masiero*** RESUMO Para termos um corpo e uma mente sadia, devemos ter uma alimentação saudável, com propriedades que ajudam no desenvolvimento

Leia mais

sal, nomeadamente bolachas e biscoitos pré-embalados, flocos de cereais e cereais prensados e batatas fritas ou desidratadas

sal, nomeadamente bolachas e biscoitos pré-embalados, flocos de cereais e cereais prensados e batatas fritas ou desidratadas Posicionamento das Ordens dos Enfermeiros, dos Farmacêuticos, dos Médicos, dos Médicos Dentistas e dos Nutricionistas face ao consumo de alimentos com excesso de sal, nomeadamente bolachas e biscoitos

Leia mais

Ações prioritárias da CGPAN/Ministério da Saúde para o ano de 2007

Ações prioritárias da CGPAN/Ministério da Saúde para o ano de 2007 Ações prioritárias da CGPAN/Ministério da Saúde para o ano de 2007 ESTRATÉGIAS SOCIAIS EM NUTRIÇÃO, EDUCAÇÃO E COMBATE À POBREZA Data: 17-18 de maio de 2007 Instituto de Estudos Avançados Universidade

Leia mais

Projecto Obesidade Zero (POZ) Carvalho MA, Ramos C, Breda J, Rito A

Projecto Obesidade Zero (POZ) Carvalho MA, Ramos C, Breda J, Rito A Projecto Obesidade Zero (POZ) Carvalho MA, Ramos C, Breda J, Rito A Obesidade Infantil Constitui um dos mais sérios desafios de saúde pública do séc. XXI 1-3 Tem um impacto, a curto e a longo prazo, em

Leia mais

Obesidade Infantil. Nutrição & Atenção à Saúde. Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti.

Obesidade Infantil. Nutrição & Atenção à Saúde. Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti. Obesidade Infantil Nutrição & Atenção à Saúde Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti. A Obesidade Infantil O Problema da Obesidade Infantil É uma doença

Leia mais

TRABALHANDO A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA RESUMO

TRABALHANDO A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA RESUMO TRABALHANDO A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA Ana Paula Scherer de Brum* Valéria Grifante** RESUMO Este projeto buscou acompanhar o estado nutricional das crianças e contribuir para o planejamento

Leia mais

Vigitel Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico

Vigitel Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico Vigitel Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico Avaliação Dados de 2013 Periodicidade: anual desde 2006 Público: maiores de 18 anos e residentes nas 26

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE Diretoria de Pesquisas Coordenação de População e Indicadores Sociais Gerência de Estudos e Pesquisas Sociais Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE Data 26/08/2016 Introdução Adolescência Transição

Leia mais

Programa de Alimentação do Trabalhador

Programa de Alimentação do Trabalhador Programa de Alimentação do Trabalhador PAT Criado em 1976 Lei nº 6.321 Priorizam o atendimento aos trabalhadores de baixa renda, isto é, aqueles que ganham até 5 salários mínimos mensais (publico vulnerável

Leia mais

CENTRO DE SAÚDE DE SERPA DIA NACIONAL DE COMBATE À OBESIDADE 19/5/2007

CENTRO DE SAÚDE DE SERPA DIA NACIONAL DE COMBATE À OBESIDADE 19/5/2007 CENTRO DE SAÚDE DE SERPA DIA NACIONAL DE COMBATE À OBESIDADE 19/5/2007 Maio 2007 1-Problema A Obesidade é um importante problema de Pública e uma doença crónica, com génese multifactorial, que requer esforços

Leia mais

Cantinas Escolares Saudáveis

Cantinas Escolares Saudáveis PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NO AMBIENTE ESCOLAR: Cantinas Escolares Saudáveis Patrícia Constante Jaime Coordenadora-Geral de Alimentação e Nutrição/DAB/SAS/MS Fortaleza, 25 de outubro de 2012 TÓPICOS

Leia mais

ESTADO NUTRICIONAL E FREQUÊNCIA ALIMENTAR DE PACIENTES COM DIABETES MELLITUS

ESTADO NUTRICIONAL E FREQUÊNCIA ALIMENTAR DE PACIENTES COM DIABETES MELLITUS ESTADO NUTRICIONAL E FREQUÊNCIA ALIMENTAR DE PACIENTES COM DIABETES MELLITUS SOUZA, J. P.; MARIN, T. Resumo O diabetes vem sendo considerado um grave problema de saúde pública. O objetivo do estudo foi

Leia mais

Colégio F3: FOOD, FARMING & FORESTRY. FF 15 junho 2016

Colégio F3: FOOD, FARMING & FORESTRY. FF 15 junho 2016 Colégio F3: FOOD, FARMING & FORESTRY FF 15 junho 2016 A Saúde e o Bem-Estar nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável QUAIS AS TEMÁTICAS PRIORITÁRIAS, NA PERSPETIVA DOS PARTICIPANTES NO EVENTO? O papel

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO, QUALIDADE DO CARDÁPIO E PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE CLIENTES EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO, QUALIDADE DO CARDÁPIO E PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE CLIENTES EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO, QUALIDADE DO CARDÁPIO E PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE CLIENTES EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NA CIDADE DE SETE LAGOAS MG Anna Luiza Fernandes de SOUZA 1 Juliana Costa LIBOREDO

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família Modalidade a Distância. Módulo 3 - Epidemiologia

Curso de Especialização em Saúde da Família Modalidade a Distância. Módulo 3 - Epidemiologia Curso de Especialização em Saúde da Família Modalidade a Distância Módulo 3 - Epidemiologia Prevalência e Incidência MEDIDAS DE FREQUÊNCIA Prevalência e Incidência Ao contrário da incidência, que se refere

Leia mais

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável.

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável. 5 ao Dia 2008 Enquadramento Mudança de hábitos alimentares das crianças A televisão, os jogos de computador e a internet têm mudado os hábitos das crianças e jovens, tornando-as mais inactivas, com menos

Leia mais

Capacitação Macrorregional SISVAN

Capacitação Macrorregional SISVAN Capacitação Macrorregional SISVAN Ministério da Saúde Secretaria de Atenção á Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição SISVAN - Diagnóstico descritivo

Leia mais

PERFIL ANTROPOMÉTRICO DOS USUÁRIOS DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NO MUNICÍPIO DE NATAL- RN

PERFIL ANTROPOMÉTRICO DOS USUÁRIOS DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NO MUNICÍPIO DE NATAL- RN PERFIL ANTROPOMÉTRICO DOS USUÁRIOS DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NO MUNICÍPIO DE NATAL- RN Ana Paula Araujo de Souza 1 ; Luciana Karla Miranda Lins 2 1 Secretaria Municipal do Trabalho e Assistência

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE IMBITUBA SC PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PMI/CERSP/PSS N o 08/2016 Anexo I

PREFEITURA MUNICIPAL DE IMBITUBA SC PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PMI/CERSP/PSS N o 08/2016 Anexo I NÍVEL SUPERIOR COMPLETO 301 BACHAREL EM EDUCAÇÃO FÍSICA Diploma de bacharel em Educação Física e registro no EF ou 40h 302 NUTRICIONISTA Diploma de graduação em Nutrição e registro no N. 40h 1.870,92 303

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 TEIXEIRA, Giselle 2 ; BOSI, Greice 2 ; FONTOURA, Ethiene 2 ; MUSSOI, Thiago 2 ; BLASI,

Leia mais

AÇÕES DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA. Palavras-chave: Educação Nutricional, escolares, alimentação.

AÇÕES DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA. Palavras-chave: Educação Nutricional, escolares, alimentação. AÇÕES DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Área Temática: Educação Adriana Masiero Kuhl (Coordenadora da Ação de Extensão) Palavras-chave: Educação Nutricional, escolares, alimentação. Adriana

Leia mais

COMUNICADO DAAA Nº 18, DE 27 DE ABRIL DE 2017

COMUNICADO DAAA Nº 18, DE 27 DE ABRIL DE 2017 COMUNICADO DAAA Nº 18, DE 27 DE ABRIL DE 2017 Informar as Escolas Estaduais sobre o tema da Semana de Educação Alimentar 2017. O, à vista do que lhe apresentou o Centro de Supervisão e Controle do Programa

Leia mais

Programa Ibero-americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Proposta de Ação Estratégica para a Convocatória 2017

Programa Ibero-americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Proposta de Ação Estratégica para a Convocatória 2017 Programa Ibero-americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Proposta de Ação Estratégica para a Convocatória 2017 Área da Saúde: Investigação da diabetes, sobrepeso e obesidade na Ibero-América:

Leia mais

Promover, a partir da realização das atividades sugeridas, uma maior conscientização sobre a importância de se alimentar de uma forma mais saudável,

Promover, a partir da realização das atividades sugeridas, uma maior conscientização sobre a importância de se alimentar de uma forma mais saudável, Promover, a partir da realização das atividades sugeridas, uma maior conscientização sobre a importância de se alimentar de uma forma mais saudável, visando mudanças nos hábitos alimentares dos alunos.

Leia mais

AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DA ATENÇÃO NUTRICIONAL À DESNUTRIÇÃO INFANTIL (e estímulo ao desenvolvimento infantil)

AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DA ATENÇÃO NUTRICIONAL À DESNUTRIÇÃO INFANTIL (e estímulo ao desenvolvimento infantil) MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DA ATENÇÃO NUTRICIONAL À DESNUTRIÇÃO INFANTIL (e

Leia mais

DIABETES: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR (NOV 2016) - PORTO

DIABETES: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR (NOV 2016) - PORTO DIABETES: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR (NOV 2016) - PORTO A Diabetes Mellitus é uma doença crónica, cujos índices de incidência e prevalência aumentam a cada ano. Para poderem prestar cuidados de saúde globais

Leia mais

Segurança Alimentar. Pós-Graduação. 45 ECTS //

Segurança Alimentar. Pós-Graduação. 45 ECTS // Pós-Graduação Segurança Alimentar 45 ECTS // www.esb.ucp.pt Nesta pós-graduação estudam-se os perigos, riscos, metodologias e legislação com que a segurança alimentar é confrontada na atualidade, numa

Leia mais

Estrutura do projeto de pesquisa (modelo SIPPEE) e assunto e tema.

Estrutura do projeto de pesquisa (modelo SIPPEE) e assunto e tema. Universidade Federal do Pampa Campus Itaqui Curso de Nutrição Componente Curricular: Projeto TCC Estrutura do projeto de pesquisa (modelo SIPPEE) e assunto e tema. Profª. Drª. Fabiana Copês Por que fazer

Leia mais

PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA PREVENÇÃO DA OBESIDADE ENTRE ESCOLARES DO MUNICÍPIO DE REDENÇÃO-CE.

PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA PREVENÇÃO DA OBESIDADE ENTRE ESCOLARES DO MUNICÍPIO DE REDENÇÃO-CE. PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA PREVENÇÃO DA OBESIDADE ENTRE ESCOLARES DO MUNICÍPIO DE REDENÇÃO-CE. Gutemberg dos Santos Chaves 1, Vivian Saraiva Veras 2, Ana Carolinna Correia Sales 3, Dara Cesário

Leia mais

AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DO MONITORAMENTO E DO CUIDADO DA CRIANÇA COM EXCESSO DE PESO

AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DO MONITORAMENTO E DO CUIDADO DA CRIANÇA COM EXCESSO DE PESO AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DO MONITORAMENTO E DO CUIDADO DA CRIANÇA COM EXCESSO DE PESO Excesso de peso infantil no Brasil A prevalência de excesso de peso triplicou no Brasil nos últimos 20 anos (IBGE,

Leia mais

15º FÓRUM DE FISIOTERAPIA EM CARDIOLOGIA AUDITÓRIO 10

15º FÓRUM DE FISIOTERAPIA EM CARDIOLOGIA AUDITÓRIO 10 Fóruns 28 de setembro de 2013 15º FÓRUM DE FISIOTERAPIA EM CARDIOLOGIA AUDITÓRIO 10 Insuficiência Cardíaca Como abordar na: IC Fração de ejeção reduzida / normal IC descompensada IC Crônica IC Chagásica

Leia mais

Como elaborar um projeto de pesquisa?

Como elaborar um projeto de pesquisa? Como elaborar um projeto de pesquisa? O que é um projeto de pesquisa? Descreve as fases e os procedimentos de um processo de investigação científica a ser realizado. Projeto de Pesquisa pode ser definido

Leia mais

IV Jornada de Alimentação Escolar

IV Jornada de Alimentação Escolar IV Jornada de Alimentação Escolar INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CARDÁPIOS ESCOLARES: UMA PROPOSTA EM CONSTRUÇÃO Considerações Preliminares Trajetória da formação graduação em nutrição; Contexto profissional;

Leia mais

Índice de massa corporal e prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em idosos institucionalizados

Índice de massa corporal e prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em idosos institucionalizados Índice de massa corporal e prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em idosos institucionalizados Cadimiel Gomes¹; Raíla Dornelas Toledo²; Rosimar Regina da Silva Araujo³ ¹ Acadêmico do Curso

Leia mais

ETHANOL SUMMIT 2017 PAINEL. Açúcar: O Consumo Equilibrado Como Melhor Escolha. São Paulo junho/17

ETHANOL SUMMIT 2017 PAINEL. Açúcar: O Consumo Equilibrado Como Melhor Escolha. São Paulo junho/17 ETHANOL SUMMIT 2017 PAINEL Açúcar: O Consumo Equilibrado Como Melhor Escolha São Paulo junho/17 Estudo VIGITEL 2016* do Ministério da Saúde aponta: brasileiros trocam alimentos naturais por industrializados

Leia mais

EPIDEMIOLOGIA E SAÚDE PÚBLICA HISTÓRIA NATURAL E PREVENÇÃO DE DOENÇAS

EPIDEMIOLOGIA E SAÚDE PÚBLICA HISTÓRIA NATURAL E PREVENÇÃO DE DOENÇAS Caro Leitor, A equipe técnica do Concurseiro da Saúde empenha-se em desenvolver apostilas e materiais atualizados de acordo com as leis recentemente publicadas a fim de estar sempre em consonância com

Leia mais

NOTA TÉCNICA 41 /2012. Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

NOTA TÉCNICA 41 /2012. Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). NOTA TÉCNICA 41 /2012 Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). INTRODUÇÃO As doenças crônicas não transmissíveis constituem o problema

Leia mais

Políticas Públicas para o Enfrentamento da Obesidade no Brasil

Políticas Públicas para o Enfrentamento da Obesidade no Brasil Políticas Públicas para o Enfrentamento da Obesidade no Brasil Patricia Constante Jaime Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição CGAN/ DAB / SAS Ministério da Saúde Audiência Pública da Comissão de

Leia mais

Desenhos de estudos científicos. Heitor Carvalho Gomes

Desenhos de estudos científicos. Heitor Carvalho Gomes Desenhos de estudos científicos Heitor Carvalho Gomes 2016 01 01 01 Desenhos de estudos científicos Introdução Epidemiologia clínica (Epidemiologia + Medicina Clínica)- trata da metodologia das

Leia mais

Segurança Alimentar e Obesidade

Segurança Alimentar e Obesidade Riscos e Segurança Alimentar Segurança Alimentar e Obesidade Vítor Rosado Marques Ana M. P. Melo Luís F. Goulão Instituto de Investigação Científica Tropical, IICT-2013 Vítor Rosado Marques, vrosadomarques@iict.pt

Leia mais

TÍTULO: INGESTÃO DE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS RICOS EM SÓDIO E ADIÇÃO DE SAL ÀS PREPARAÇÕES PRONTAS

TÍTULO: INGESTÃO DE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS RICOS EM SÓDIO E ADIÇÃO DE SAL ÀS PREPARAÇÕES PRONTAS TÍTULO: INGESTÃO DE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS RICOS EM SÓDIO E ADIÇÃO DE SAL ÀS PREPARAÇÕES PRONTAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO MESTRANDA: LANA ROSA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO MESTRANDA: LANA ROSA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO MESTRANDA: LANA ROSA LANCHES SAUDÁVEIS NA MERENDA ESCOLAR INTRODUÇÃO Os aspectos que

Leia mais

Aluna do Curso de Graduação em Nutrição da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Unijuí,

Aluna do Curso de Graduação em Nutrição da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Unijuí, ALERTA SOBRE A QUANTIDADE DE AÇÚCAR,GORDURA E SÓDIO EM ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS PARA CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL1 1 ALERT ON THE QUANTITY OF SUGAR, FAT AND SODIUM IN INDUSTRIALIZED FOODS FOR CHILDREN

Leia mais

Campanha de sensibilização do pnase

Campanha de sensibilização do pnase São Tomé, 28 de Fevereiro de 2017. Campanha de sensibilização do pnase Em alusão a 1 de Março, Dia Africano da Alimentação Escolar, o Ministério da Educação Cultura de São Tomé e Príncipe dá início à campanha

Leia mais

COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE ESCOLARES EM RELAÇÃO A FRUTAS E HORTALIÇAS 1

COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE ESCOLARES EM RELAÇÃO A FRUTAS E HORTALIÇAS 1 COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE ESCOLARES EM RELAÇÃO A FRUTAS E HORTALIÇAS 1 NÖRNBERG, Marcele Leal 2 ; PAPALIA, Jéssica 2 ; EINLOFT, Fabiana 2 ; CASARIN, Gleica 2 ; ANNES, Thais 2 ; VANHOVE, Nathalia 2 ; STORCK,

Leia mais

I - criação e manutenção de um diagnóstico atualizado da situação alimentar dos estudantes;

I - criação e manutenção de um diagnóstico atualizado da situação alimentar dos estudantes; COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 1.699, DE 2003 Institui a Política de Prevenção e Controle dos Distúrbios Nutricionais e das Doenças Associadas à Alimentação e Nutrição no Sistema

Leia mais

ANÁLISE DO CONHECIMENTO DO CONSUMIDOR DIANTE O USO DE ADOÇANTES. Introdução

ANÁLISE DO CONHECIMENTO DO CONSUMIDOR DIANTE O USO DE ADOÇANTES. Introdução 61 ANÁLISE DO CONHECIMENTO DO CONSUMIDOR DIANTE O USO DE ADOÇANTES Maria Aparecida Resende Marques 1, Jacira Francisca Matias 1, Érika Cristina Ramos 1, Cristiane Sampaio Fonseca 2 Resumo: Esta pesquisa

Leia mais

Fortalecimento da Agenda de Segurança Alimentar e Nutricional na Saúde. Subsídios para as Conferências de Saúde e de Segurança Alimentar e Nutricional

Fortalecimento da Agenda de Segurança Alimentar e Nutricional na Saúde. Subsídios para as Conferências de Saúde e de Segurança Alimentar e Nutricional Associação Brasileira de Saúde Coletiva Grupo Temático Alimentação e Nutrição em Saúde Coletiva Fortalecimento da Agenda de Segurança Alimentar e Nutricional na Saúde Subsídios para as Conferências de

Leia mais

ELABORAÇÃO DA LISTA DE PRODUTOS BÁSICOS PARA O PNAE

ELABORAÇÃO DA LISTA DE PRODUTOS BÁSICOS PARA O PNAE ELABORAÇÃO DA LISTA DE PRODUTOS BÁSICOS PARA O PNAE PORTARIA INTERMINISTERIAL N 1.010, 08/05/2006 Art. 1 - Institui diretrizes para a Promoção da Alimentação Saudável nas Escolas de educação infantil,

Leia mais

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 25 de Abril de 2013 Constituição

Leia mais

ELIANE /FELIPE/NATÁLIA

ELIANE /FELIPE/NATÁLIA CIÊNCIAS 2ª ELIANE /FELIPE/NATÁLIA 8º Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade H21 Interpretar processos que ocorrem na nutrição: quebra dos alimentos, absorção e transporte de nutrientes

Leia mais

PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR

PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR Nome: Educação Física Curso: Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio Série: 1º, 2º, 3º Ano Carga Horária: 80h/a (67/H) Docente Responsável: EMENTA

Leia mais

ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NA ESCOLA: SAUDÁVEL

ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NA ESCOLA: SAUDÁVEL ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NA ESCOLA: EXPERIÊNCIA DO PROJETO VIVER SAUDÁVEL Veruska Prado Alexandre Universidade Federal de Goiás Faculdade de Nutrição veruskaprado@yahoo.com.br

Leia mais

Seminário Internacional: Projeções do custo do envelhecimento no Brasil. São Paulo, novembro de 2012

Seminário Internacional: Projeções do custo do envelhecimento no Brasil. São Paulo, novembro de 2012 Seminário Internacional: Projeções do custo do envelhecimento no Brasil São Paulo, novembro de 2012 Plano de enfrentamento DCNT 2012-2022 Eixo I Eixo II Eixo III Vigilância, monitoramento e avaliação

Leia mais

Tema: Saúde Individual e Comunitária

Tema: Saúde Individual e Comunitária Ficha de Trabalho de Ciências Naturais 9º Ano Tema: Saúde Individual e Comunitária 1- Observa a imagem seguinte: 1.1- Indica porque está a saúde representada por um triângulo? 1.2- Dá 2 exemplos da vida

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Tema Transversal: Cultivar e guardar a Criação Disciplina: Ciências / ESTUDOS AUTÔNOMOS Ano: 5º - Ensino Fundamental - Data: 28 / 8 / 2017 QUESTÃO 1 OBSERVE a imagem. a) CITE um

Leia mais

Sustentabilidade Alimentar e Agrícola Desafios para a Saúde Humana

Sustentabilidade Alimentar e Agrícola Desafios para a Saúde Humana Sustentabilidade Alimentar e Agrícola Desafios para a Saúde Humana Simpósios Anipla 2017 Inovação e Tecnologia na produção de alimentos Simone Fernandes Desenvolvimento Sustentável ONU Objetivos de Desenvolvimento

Leia mais

PORTARIA Nº 247, DE 10 DE MAIO DE 2013

PORTARIA Nº 247, DE 10 DE MAIO DE 2013 Página 1 de 5 INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 247, DE 10 DE MAIO DE 2013 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR DA EQUIPE DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO ACOMPANHAMENTO DAS CRIANÇAS BENEFICIÁRIAS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR DA EQUIPE DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO ACOMPANHAMENTO DAS CRIANÇAS BENEFICIÁRIAS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR DA EQUIPE DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO ACOMPANHAMENTO DAS CRIANÇAS BENEFICIÁRIAS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA Sabrina Alves Ribeiro Barra, Bruna Carneiro Silva, Roberta Lopes Kalrburger,

Leia mais

AUTORIA E ÉTICA EM PESQUISA

AUTORIA E ÉTICA EM PESQUISA Centro Universitário Franciscano Pró-Reitoria de Graduação Oficinas de Apoio Técnico AUTORIA E ÉTICA EM PESQUISA Profª Vanessa Ramos Kirsten vanessark@unifra.br PESQUISA ÉTICA DIVULGAÇÃO Autoria Dados

Leia mais

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs -PNAN - Portaria 1.010 - Estatuto da criança e do adolescente -PCNs Alimentação Escolar Aline Guimarães Nutricionista - CECANE UnB PNAN Política Nacional de Alimentação e Nutrição Alimentação escolar PNAN

Leia mais

NUTRIÇÃO, OBESIDADE E A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA RESUMO

NUTRIÇÃO, OBESIDADE E A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA RESUMO NUTRIÇÃO, OBESIDADE E A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA Ana Paula Scherer de Brum* Mauro Souza** Sabrina Roberta Wagner*** RESUMO A alimentação adequada é imprescindível em qualquer idade, no

Leia mais

PARECER Nº, DE RELATOR: Senador ALVARO DIAS I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE RELATOR: Senador ALVARO DIAS I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE, ao Projeto de Lei do Senado nº 357, de 2015, do Senador Paulo Paim, que "altera o Decreto- Lei nº 986, de 21 de outubro de 1969, a Lei nº

Leia mais

PROMOÇÃO DE SAÚDE NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA RESUMO

PROMOÇÃO DE SAÚDE NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA RESUMO PROMOÇÃO DE SAÚDE NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA Acadêmicas: Amanda Luiza Rauber Godinho Lucilla Joceli Waschburger Professoras Orientadoras: Sandra Fachineto e Elis Regina Frigeri RESUMO O estágio Curricular

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA PREVALÊNCIA DA OBESIDADE INFANTIL NO ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORNÉLIO PROCÓPIO

DIAGNÓSTICO DA PREVALÊNCIA DA OBESIDADE INFANTIL NO ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORNÉLIO PROCÓPIO DIAGNÓSTICO DA PREVALÊNCIA DA OBESIDADE INFANTIL NO ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORNÉLIO PROCÓPIO Eduardo Silva Pinheiro Neves (PIBIC-Jr/Fundação Araucária), Paulo César Paulino (Orientador),

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio da Terra - um planeta com vida, o aluno deve ser capaz de: Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único

Leia mais

Alimentação Saudável e Segurança Alimentar

Alimentação Saudável e Segurança Alimentar Alimentação Saudável e Segurança Alimentar Índice Orientações para uma Alimentação Saudável pág.3 Consumo Excessivo de sal nas Escolas pág.5 Consumo Excessivo de Açúcar pelas Crianças pág.6 Consumo Excessivo

Leia mais

EIXO 1 SAÚDE DE POPULAÇÕES ESPECÍFICAS E VULNERÁVEIS

EIXO 1 SAÚDE DE POPULAÇÕES ESPECÍFICAS E VULNERÁVEIS RESULTADO FINAL DA OFICINA DE SELEÇÃO DE PRIORIDADES DE PESQUISA EM SAÚDE PARA A EDIÇÃO 2015/2016 DO PROGRAMA PESQUISA PARA O SUS: GESTÃO COMPARTILHADA EM SAÚDE (PPSUS) DO ESTADO DE ALAGOAS (AL) A Fundação

Leia mais

VAMOS FALAR SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

VAMOS FALAR SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL VAMOS FALAR SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL CADA IDADE, UM CARDÁPIO Em cada fase da vida é necessário adaptar um cardápio específico para suprir as necessidades diárias do nosso corpo. Confira a seguir as dicas

Leia mais

PUERICULTURA E PEDIATRIA. FAMED 2011 Dra. Denise Marques Mota

PUERICULTURA E PEDIATRIA. FAMED 2011 Dra. Denise Marques Mota PUERICULTURA E PEDIATRIA FAMED 2011 Dra. Denise Marques Mota Puericultura e pediatria Século XXI Novo enfoque na pediatria Transição epidemiológica Diminuição doenças infectocontagiosas Vacinas Melhora

Leia mais

COORDENAÇÃO DE SAÚDE

COORDENAÇÃO DE SAÚDE COORDENAÇÃO DE SAÚDE PROFISSIONAIS: Enfermeiras: Cecília Hobold(Coordenadora) Elfy Margrit Göhring Weiss (afastada para doutorado) Técnica de Enfermagem: Maristela Castro Nutricionista: Caroline Franz

Leia mais

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA ESCOLARES COMO MÉTODO PARA MODIFICAÇÃO DA PREFERÊNCIA ALIMENTAR

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA ESCOLARES COMO MÉTODO PARA MODIFICAÇÃO DA PREFERÊNCIA ALIMENTAR EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA ESCOLARES COMO MÉTODO PARA MODIFICAÇÃO DA PREFERÊNCIA ALIMENTAR Aline Jabur Castilho(Acadêmica/UNICENTRO), Adriana Honaiser (ICV/ UNICENTRO), Caroline Christ (Acadêmica/UNICENTRO),

Leia mais

Doenças do sistema Cardiorrespiratório

Doenças do sistema Cardiorrespiratório Doenças do sistema Cardiorrespiratório Trabalho realizado por: Catarina Freitas nº6 9ºB 1 Índice 1.Introdução... 3 2. Definição de Sistema Cardiorrespiratório... 4 2.1. Doenças do Sistema Circulatório...

Leia mais

Avaliação e Classificação do Estado Nutricional

Avaliação e Classificação do Estado Nutricional Avaliação e Classificação do Estado Nutricional Disciplina: Políticas Públicas em Alimentação e Nutrição. Curso de Nutrição e Metabolismo FMRP/USP Luciana Cisoto Ribeiro O que é estado nutricional? É o

Leia mais

Erly Catarina de Moura NUPENS - USP

Erly Catarina de Moura NUPENS - USP Erly Catarina de Moura NUPENS - USP erlycm@usp.br Evolução do estado nutricional de homens, 1974-1975, 1989, 2002-2003, Brasil déficit de peso sobrepeso obesidade eutrofia 100% 80% 60% 40% 20% 0% 1974-75

Leia mais

Alimentação* Nova Roda dos Alimentos. As recomendações para a população portuguesa, em termos nutricionais, são as seguintes:

Alimentação* Nova Roda dos Alimentos. As recomendações para a população portuguesa, em termos nutricionais, são as seguintes: Alimentação* Nova Roda dos Alimentos A roda dos alimentos é um instrumento de educação alimentar largamente conhecido pela população portuguesa dada a sua utilização desde 1977 na campanha Saber comer

Leia mais

PROJETO GERAÇÃO SAÚDE: UM OLHAR CRÍTICO

PROJETO GERAÇÃO SAÚDE: UM OLHAR CRÍTICO PROJETO GERAÇÃO SAÚDE: UM OLHAR CRÍTICO Déborah Rosa Álvares Silva 1 Sheylazarth Presciliana Ribeiro 2 PALAVRAS-CHAVE: obesidade; atividade física; saúde coletiva. INTRODUÇÃO O Projeto Geração Saúde é

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL e SEGURA. Menos SAL Mais Sabor a VIDA

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL e SEGURA. Menos SAL Mais Sabor a VIDA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL e SEGURA Menos SAL Mais Sabor a VIDA Formação para Profissionais de Escolas e IPSS Unidade Local de Saúde Pública - Aveiro Maio de 2015 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL A prática de uma alimentação

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES E CUIDADO DA SAÚDE DE ESCOLARES DE UMA REDE PÚBLICA DE ENSINO EM RECIFE- PERNAMBUCO

AVALIAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES E CUIDADO DA SAÚDE DE ESCOLARES DE UMA REDE PÚBLICA DE ENSINO EM RECIFE- PERNAMBUCO AVALIAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES E CUIDADO DA SAÚDE DE ESCOLARES DE UMA REDE PÚBLICA DE ENSINO EM RECIFE- PERNAMBUCO Dayane de Melo Barros (1); Isla Ariadny Amaral de Souza Gonzaga (1); Liderlanio de

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO

PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE EXTENSÃO Saúde na Escola Unisul COORDENAÇÃO Coordenador: Ana Paula Ferreira

Leia mais

COMPONENTE ESPECÍFICO

COMPONENTE ESPECÍFICO GABARITO MATUTINO QUESTÃO RESPOSTA 1 C 2 D 3 E 4 D 5 C 6 DISCUSSIVA 7 DISCUSSIVA 8 DISCUSSIVA 9 DISCUSSIVA 10 DISCUSSIVA 11 D 12 D 13 E 14 C 15 E 16 B 17 D 18 C 19 E 20 C 21 A 22 C 23 A 24 D 25 D 26 A

Leia mais

Levantamento de projetos locais no âmbito da alimentação saudável e atividade física

Levantamento de projetos locais no âmbito da alimentação saudável e atividade física Levantamento de projetos locais no âmbito da alimentação saudável e atividade física Concelho Nome do projeto Identificação da instituição promotora Equipa de trabalho/ dinamizadora Parceiros Enquadramento/

Leia mais

Grãos integrais no Plano de Ação europeu sobre Alimentação e nutrição

Grãos integrais no Plano de Ação europeu sobre Alimentação e nutrição Margarida Moreira dos Santos João Breda Programa de nutrição, Actividade Física e Obesidade Gabinete Regional para a europa Organização Mundial de Saúde Perspectivas Grãos integrais no Plano de Ação europeu

Leia mais

O câncer afeta hoje mais de 15 milhões de pessoas no mundo todos os anos, levando cerca de 8 milhões a óbito.

O câncer afeta hoje mais de 15 milhões de pessoas no mundo todos os anos, levando cerca de 8 milhões a óbito. O câncer afeta hoje mais de 15 milhões de pessoas no mundo todos os anos, levando cerca de 8 milhões a óbito. No Dia Nacional de Combate ao Câncer, celebrado em 27 de novembro, o site Coração & Vida faz

Leia mais

Valor Calórico, Carboidratos, Proteínas, Gorduras Totais, Gorduras Saturadas, Colesterol, Fibra Alimentar, Cálcio, Ferro e Sódio.

Valor Calórico, Carboidratos, Proteínas, Gorduras Totais, Gorduras Saturadas, Colesterol, Fibra Alimentar, Cálcio, Ferro e Sódio. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) é o órgão responsável pela regulação da Rotulagem de Alimentos Industrializados. Muitas portarias regulam o que um rótulo deve ou não conter.

Leia mais

Of. nº 39/2016. Guaporé, 06 de junho de 2016.

Of. nº 39/2016. Guaporé, 06 de junho de 2016. Of. nº 39/2016. Guaporé, 06 de junho de 2016. Senhora Presidente, Encaminho nesta Casa Legislativa, para apreciação e votação dos nobres Edis, o projeto de lei legislativa nº 08/2016, que DISPÕE SOBRE

Leia mais

Vegetarianismo na Infância e Adolescência. Ana Paula Pacífico Homem

Vegetarianismo na Infância e Adolescência. Ana Paula Pacífico Homem Vegetarianismo na Infância e Adolescência Ana Paula Pacífico Homem anapacifico@uol.com.br Agosto de 2006 Grupo Materno-Infantil (Ampliado) - Mulheres em idade reprodutiva (10 a 49 anos) - Gestantes e nutrizes

Leia mais