Gerenciamento de Projetos em Supply Chain

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gerenciamento de Projetos em Supply Chain"

Transcrição

1 Gerenciamento de Projetos em Supply Chain Modelo para publicação de artigos Uma forma simplificada Autor Oswaldo D Andréa Neto é formado em Engenharia de Alimentos, possui Mestrado em Engenharia de Processos Industriais, Especialização em Administração Industrial, MBA em Gestão de Negócios, Faixa Preta em Seis Sigmas além de metodologias de melhoria contínua. Possui experiência de 15 anos em Supply Chain nas áreas de gestão de projetos, inovação, planejamento, logística, terceirização e manufatura. Atualmente ocupa o cargo de Gerente de Planejamento e S&OP da Heineken. Com o aumento de importância do Supply Chain na organização é imprescindível que ele seja eficaz e eficiente e para atingir este objetivo são realizados projetos nos últimos anos observa-se um aumento da quantidade de projetos em Supply Chain. Estes projetos somente tem efeito se tiverem êxito e, para isso, devem ser executados de forma disciplinada e estruturada. No mercado existem dezenas de metodologias que prometem sucesso se forem seguidas. Para o profissional sem treinamento e experiência em uma destas metodologias, os processos, regras e manuais podem ser intimidadores sendo então desconsiderados. Com isso, estes projetos são, então, conduzidos da forma que ele julgue correta o que na maioria das vezes não é suficiente para atingir o sucesso. A solução para esta questão é utilizar uma alternativa simplificada. 1- Introdução Conforme discutido no artigo Estratégia de Supply Chain Como o Supply Chain pode ser fonte de vantagem competitiva e transformar seu negócio - Revista Mundo Logístico Número 39 Ano VII Março & Abril

2 2014 -, tradicionalmente, a cadeia de suprimentos sempre foi vista como uma área geradora de custos, um mal necessário para o negócio. Entretanto, nos últimos anos, esta visão mudou e o Supply Chain tornou-se protagonista na estratégia da organização, sendo responsável pelo seu sucesso ou fracasso. As organizações perceberam que com o aumento de sua eficácia e eficiência aumenta-se o nível de satisfação do consumidor - com a garantia que o produto certo, na quantidade e qualidade correta, estará disponível na hora que ele precisar -, os resultados financeiros - os ativos como, por exemplo, fábricas, armazéns e veículos são melhores utilizados - e o fluxo de caixa porque com os produtos entregues em um tempo menor, os pagamentos são recebidos mais rapidamente. Para aumentar esta eficácia e eficiência, precisam-se identificar as mudanças necessárias para aproveitar as oportunidades e/ou eliminar as fraquezas. Peter Drucker, o grande guru da administração, já ensinava: A melhor forma se prever o futuro é criá-lo. Para concretizar estas mudanças são realizados projetos. De fato, observa-se que nos últimos anos a quantidade de projetos no Supply Chain aumentou enormemente. São exemplos de projetos em na área, entre outros: 1- Aumento da geração de receita e nível de serviço: implantação do S&OP Sales and Operations Planning, Custo de Servir e desenho de malha logística; 2- Redução de custos: frota compartilhada, torre de tráfego, seleção e implantação de operador logístico e compras estratégicas; 3- Aumento do capital de giro e redução de caixa: Processos de P2P Procurement to Pay, racionalização de estoques e implantação da hierarquia de planejamento; 4- Redução da pegada ambiental: redução de trajeto, racionalização de rotas e substituição do tipo de combustível; 5- Estratégicos: CPFR Collaborative Planning Forecast and Replenishment; Executar estes projetos com sucesso, ou seja, atingir os objetivos esperados, dentro do prazo e orçamento estipulado é chave para a organização prosperar, entretanto, de acordo com estudo feito pelo PMI em 2013, a realidade é que em apenas 8% das organizações pelo menos 80% dos projetos são realizados com sucesso.

3 Caso 1: A empresa em que você trabalha lança uma iniciativa de redução de custos de transportes e, parabéns, você foi indicado pelo alto escalão da empresa, que acredita no seu potencial de crescimento, para gerenciar este projeto. Porém, você nunca foi treinado em uma metodologia de gerenciamento de projetos e não sabe o que fazer. Você busca informações sobre o tema na internet e encontra centenas de metodologias, cada uma destacando os principais motivos que o ajudarão a executar um projeto de sucesso. Você fica indeciso qual adotar e resolve ir a uma livraria, para ver se facilita a escolha, e encontra prateleiras com vários livros sobre o tema - Fundamentos de Gerenciamento de Projetos, Gerenciamento de Projetos Sem Crise, Gerenciamento de Projetos em Sete Passos, Reinventando Gerenciamento de Projetos, Como Lidar com Estresse em Gerenciamento de Projetos e também o Conhecimento em Gerenciamento de Projetos: Guia PMBOK com suas 589 páginas. Fica desanimado, pois acredita que até decifrar como gerenciar um projeto a oportunidade já terá passado ou o problema prejudicado a empresa. Você sai da livraria decidido a recusar a oportunidade, acabando com as suas chances de crescimento. Existe outra alternativa? Caso 2: A empresa em que você trabalha identificou que esta desperdiçando recursos valiosos em projetos que não entregam o que era previsto, saem do orçamento inicial e/ou são finalizados com atraso e decide criar uma cultura de gerenciamento de projetos. Entretanto, não tem tempo e/ou dinheiro para montar um escritório de projetos e certificar os profissionais nas metodologias tradicionais. O que pode ser feito? Caso 3: Você identifica uma oportunidade ou um problema que se resolvido trará grandes benefícios para empresa em que trabalha e consegue apoio da diretoria para resolvê-lo, mas como começar o projeto, como executá-lo com sucesso? Caso 4: Você acredita que as metodologias tradicionais de gerenciamento de projeto são muito pesadas para o a complexidade do seu projeto, mas sabe que para ter sucesso precisa ter disciplina e organização. O que fazer? 2- Gerenciamento de Projetos O PMI Project Management Institute - define projeto como um conjunto de atividades temporárias, realizadas em grupo, destinadas a produzir um produto, serviço ou resultados únicos. No PRINCE2, projeto é definido como um empreendimento temporário, necessário para produzir um resultado predefinido ou um resultado num tempo pé especificado, usando-se recursos determinados no início.

4 O gerenciamento de projetos consiste na aplicação de conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas para a execução de projetos de forma efetiva e eficaz. Existem dezenas de metodologias de gerenciamento de projeto como, por exemplo: Guia PMBOK publicado pelo PMI, PRINCE2 Projects in Controlled Environments, Scrum Gerenciamento Ágil de Projeto, Corrente Crítica baseado na teoria das restrições, Gerenciamento de Projeto Lean, a focadas na tecnologia da informação como ITIL Information Technology Infrastructure Library, COBIT Control Objectives for Information and Related Technology, além das desenvolvidas por consultorias, governos e empresas. Cada uma destaca os principais motivos que o ajudará a ter sucesso. Entretanto, quando analisadas, rapidamente chega-se à conclusão que elas são variação de um mesmo tema, tem muito em comum e os princípios básicos são aplicáveis para qualquer metodologia utilizada. Portanto, o ponto principal não é qual metodologia utilizar e sim como aplicá-la. Utilizar uma metodologia de gerenciamento de projeto é, indiscutivelmente, essencial para projetos logísticos de grande complexidade, que envolvem grande número de pessoas trabalhando em diferentes atividades. Os métodos descritos anteriormente foram desenvolvidos para estes projetos, o que os torna burocrático, sendo intimidador para profissional que não recebeu treinamento formal, conduzindo projetos menos complexos, em que um controle tão rígido não é necessário. Nestes casos, existe uma tendência de gerenciá-lo informalmente apenas como uma lista de atividades o que é um caminho certo para o fracasso. Entretanto, mesmo em projetos de baixa complexidade é imprescindível ter disciplina e seguir um método, que com os seus roteiros, formulários e listas de verificação reduzam a probabilidade de se negligenciar e/ou executar ineficientemente etapas essenciais, que são as principais causas de fracasso figura 1 - gerando grandes impactos negativos para a organização, pois além de não atingir os benefícios esperados e desperdiçar

5 recursos, que hoje dia são escassos, desmotivam os funcionários. Figura 1. Causas de fracasso em projeto (Fonte: KPMG 2010) Portanto, o ponto não é utilizar ou não uma metodologia de gerenciamento de projetos e sim em qual nível deve ser utilizada considerando a complexidade do projeto. Não faz sentido produzir incontáveis documentos em projetos pequenos. O resultado do projeto deve justificar o esforço para conduzi-lo. Apesar de existirem diversas matrizes para definição da complexidade de um projeto, não existe uma regra fixa. A classificação depende de vários fatores, portanto, deve ser definida pela organização. 3- Metodologia Simplificada para Gerenciamento de Projetos Logístico Para solucionar esta questão, sugere-se a adoção de uma forma simplificada, que é baseada nos princípios e técnicas disponível no mercado. Ela não tem objetivo formar profissionais para certificação de gerente de projetos, portanto, não é substituta de um treinamento formal, mas proporcionar um roteiro simples e eficiente de administrar, com sucesso, projetos de baixa e média complexidade que são encontrados rotineiramente na área de Supply Chain. Leitores que queiram se aprofundar no tema devem consultar as referências no final do artigo. Nesta abordagem, o projeto deve ser organizado em quatro fases sequenciais figura 2:

6 FIGURA 2. As etapas de projeto Na figura 2, as fases do projeto estão representadas de forma linear, entretanto, devem ser consideradas como um ciclo, ou seja, são interativas. Por exemplo: após a elaboração do cronograma conclui-se que o prazo inicialmente proposto é inviável, mas não é possível alterá-lo. Desta forma, deve-se reavaliar outro parâmetro do projeto reduzir escopo, aumentar recursos empregados entre outros - para reduzir os tempos necessários, cumprindo o prazo inicial. Desta forma, esta interação checará o plano e promoverá refinamento contínuo, aumentando sua confiabilidade e credibilidade. 3.1 Iniciação do Projeto

7 Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui? Isso depende muito de para onde queres ir - respondeu o gato. Preocupa-me pouco aonde ir - disse Alice. Nesse caso, pouco importa o caminho que sigas - replicou o gato. Lewis Caroll Projetos que fracassam geralmente começam errado. Desta forma, o primeiro passo para o sucesso de um projeto é defini-lo claramente qual é seu propósito, principais objetivos e entregáveis e garantir que ele esteja alinhado com a estratégia da empresa. Assim, assegura-se que o projeto executado é o certo. Propósito: Definição, em termos gerais, do que o projeto irá fazer; Objetivos: Definição, em termos específicos, do que projeto irá fazer. Deve ser escrito da forma SMART Sigla do Inglês para Específico, Mensurável, Atingível, Realista e com limite de Tempo; Entregáveis: O que, concretamente, o projeto irá produzir; Nesta etapa, o problema ou oportunidade é identificado e um estudo de viabilidade é elaborado listando as possíveis soluções e os recursos necessários, chegando - se a uma recomendação. Estudo de viabilidade ou business case é um documento que apresenta os motivos para iniciar um projeto, mostrando que os recursos empregados no projeto justificam uma necessidade do negócio. Isto garante os benefícios justificam os esforços que serão empregados e que todos os envolvidos tenham o mesmo entendimento sobre o projeto. É melhor ter um debate sobre o que o projeto fará no seu estágio inicial do que mais tarde, pois o custo da mudança aumenta conforme seu desenvolvimento figura 3.

8 FIGURA 3. Custo das mudanças em função do custo do projeto Isto não significa que ele estará escrito sobre pedra e mudanças não são possíveis. Ao contrário, durante o desenvolvimento do projeto haverá necessidade de alteração, mas isto deverá ser feito de forma organizada, comparando com a proposta inicial e avaliando os impactos ao invés de simplesmente executar as modificações de forma indiscriminada. Scope Creep é o processo em que pequenas mudanças em um projeto geram outras mudanças, que geram outras mudanças levando a perda do controle. Nesta etapa também é indicado o gerente do projeto o qual participa ativamente na escolha dos membros da equipe - que deve ser feita baseado no conhecimento, habilidade e comportamentos - definindo seus respectivos papéis e responsabilidades. Estas informações devem ser registradas em um documento - termo de abertura do projeto - que, a princípio, pode parecer burocrático, mas, ajudará na clarificação das ideias e irá melhorar a comunicação e alocação de responsabilidades entre todos os envolvidos. Com a finalização do termo de abertura do projeto, o gerente de projeto reúne-se com o comitê de projeto para discussão, alinhamento e aprovação na reunião de aprovação de etapa. Com a aprovação inicia-se a etapa de planejamento.

9 Reunião de aprovação de etapa: São reuniões formais que garantem que o trabalho executado esta de acordo com o esperado, pois de acordo com uma avaliação aprova-se ou não o avanço para a próxima etapa. Principais participantes em projetos: Patrocinador Gerente sênior com responsabilidade geral pelo projeto; Comitê de projeto Formado pelas pessoas com experiência, influência e poder de decisão no tema. Geralmente inclui patrocinador e gerentes seniores das áreas envolvidas dono do processo. Eles aprovam, aconselham e disponibilizam recursos; Gerente do Projeto Responsável pelo gerenciamento do dia a dia do projeto; Time de Projeto responsáveis pela elaboração do plano e execução do projeto; Partes interessadas são as pessoas ou grupo de pessoas influenciadas negativa ou positivamente com a execução do projeto; 3.2 Planejamento do Projeto Quem falha em planejar, planeja falar Benjamin Franklin. Esta etapa deve ser realizada, necessariamente, pela equipe do projeto em conjunto, pois desta forma garante-se comprometimento e visão única e completa do projeto o que e como será feito antes do grupo iniciar a execução das atividades, diminuindo a chance de desperdício de recursos. Outro motivo importante é que existem vários elementos em um projeto e para ter uma boa estimativa do que deve ser feito, duração e custo envolvidos, precisa-se discutir com as pessoas especialistas no assunto, ou seja, as que possuem conhecimento e experiência. Uma vez aprovado o termo de abertura do projeto, o gerente de projeto realiza uma reunião inicial com a equipe de projeto, onde são definidas e acordadas as regras de trabalho em grupo, como por exemplo, agenda e frequência das reuniões, processo de tomada de decisão, critério para escalar problemas, manutenção da documentação e comunicação. Com estas questões definidas, inicia-se a fase de planejamento que é a elaboração detalhada do plano do projeto. O primeiro item a ser definido é escopo.

10 3.2.1 Escopo No escopo é definido o que faz parte do projeto, negligenciar esta etapa irá gerar problemas e desapontamentos futuros, as partes envolvidas podem ter expectativas diferentes do que o projeto irá entregar. Um exercício simples, mas poderosíssimo para defini-lo é listar o que esta incluído no projeto É e o que não esta incluído Não É. Para conduzi-lo utiliza-se duas folhas de Flip Chart, em que no topo de uma das folhas escreve-se É e na outra Não É, com Post its previamente distribuído entre os membros da equipe lista-se um item por Post-it e o cola na respectiva folha. Com as opções esgotadas inicia-se um processo de realocar os itens entre as folhas de modo a garantir um projeto factível tempo e recursos - e que atende as expectativas. Exemplo de um projeto de redesenho de malha logística Esta incluído: estudo de localização de fábricas, melhores rotas e perfil de transporte; Não esta incluído: avaliação do impacto de impostos; Estrutura Analítica de Projeto - EAP Elaborar a EAP com o time do projeto é uma das formas mais eficientes de identificar todas as atividades necessárias para executá-lo e é preparação para a elaboração de um cronograma adequado. Deve-se: a-) Reunir a equipe de projeto; b-) Colar na parede uma grande folha com a pergunta Quais são as atividades que devem ser realizadas para concluir o projeto? subatividades do primeiro nível; c-) Distribuir Post-Its para o time de projeto e pedir para que listem uma atividade por Post it e colá-los na folha que esta na parede; c-) Agrupar as atividades por afinidade, eliminando as repetidas e nomear o grupo formado primeiro nível de atividade; d-) Identificar quem irá executar cada uma das atividades dono das atividades; e-) Representar as atividades de primeiro nível e subatividades de forma gráfica figura 4; Realizar o exercício desta forma garante que todos os participantes tenham entendimento de todas as atividades necessárias para completar o projeto.

11 FIGURA 4. Estutura Analítica de Projeto Cronograma Com a EAP feita atividades e seus respectivos responsáveis - inicia-se a elaboração do cronograma do projeto onde estas atividades são organizadas na sequência em que devem ser executadas, com o tempo que cada uma levará para ser concluída. Para a estimativa do tempo, devem-se consultar as pessoas que possuem o maior conhecimento e experiência na atividade. Assim, assegura-se que o cronograma é realista. Um cronograma inexequível é muito prejudicial para o projeto e moral da equipe. É aconselhável representa-lo graficamente e uma das formas mais usada, devido à facilidade de elaboração e interpretação, é o gráfico de Gantt, onde os as etapas e sub etapas são listados em uma coluna e os intervalos de tempo representando o início e fim de cada fase aparece como barras coloridas sobre o eixo horizontal do gráfico Figura 5.

12 TEMPO # Tarefa Predecessor Duração (Dias) a 1 2 b c d 2,3 2 5 e f g h i 7, j Análise e racionalização de recursos Figura 5. Exemplo do gráfico de Gantt Após a elaboração da EAP e cronograma do projeto, o responsável pela atividade deve estimar os recursos necessários financeiros e humanos para executá-la. Com a realização desta atividade, considerando que os recursos são limitados, geralmente, chegar-se-á a conclusão que haverá a necessidade de fazer ajustes para entregar o objetivo inicial do projeto. Se não for possível encontrar soluções para manter os parâmetros iniciais, haverá a necessidade de fazer trade-offs entre as entregas do proejeto, prazo, recursos e escopo do projeto de forma a atingir uma solução racionalizada Refinamento de metas Com a definição de uma solução racionalizada, as metas iniciais estarão refinadas e devem ser registradas Análise das Partes Interessadas O projeto é feito para mudar uma condição inicial, portanto, pessoas ou grupo de pessoas são impactados e/ou poderão impactá-lo positiva ou negativamente. Desta forma, o objetivo desta análise é identificar estas pessoas e elaborar ações para conseguir suporte e/ou reduzir os obstáculos. Negligencia-las pode significar o fracasso do projeto. É feita da seguinte forma: a-) Identificar todas as partes impactadas pelo projeto listando em uma coluna chamada partes interessadas; b-) Identifique os interesses que estas partes tem no projeto alto e baixo; b-) Identificar seu grau de influência e impacto no projeto alto e baixo; c-) Colocar os pontos no gráfico e identificar ações para engajá-los figura 6; d-) Executar as ações e atualizar o plano, se necessário;

13 Alto Influência Baixo Mantenha satisfeito Monitore Gerencie de perto Mantenha Informado Baixo Interesse Alto FIGURA 6. Análise das Partes Interessadas As ações devem ser elaboradas de acordo com a posição da parte interessada no quadrante, conforme: - Alto grau de influência e alto interesse no projeto este é o grupo de pessoas que se devem despender os maiores esforços para satisfazer e mantê-las engajadas; - Alto grau de influência e baixo interesse no projeto mantenha estas pessoas satisfeitas, mas tome cuidado de não incomodá-las com comunicação excessiva; - Baixo grau de influência e alto interesse no projeto mantenha estas pessoas adequadamente informadas. Elas serão úteis no projeto; - Baixo grau de influência e baixo interesse no projeto monitore estas pessoas, mas não as incomode com comunicação excessiva Plano de comunicação Um dos principais fatores de sucesso de um projeto é a comunicação, que deve ser estruturada garantindo que cada uma das partes interessadas recebam informações relevantes, da forma correta no tempo certo. Esta forma é o plano de comunicação figura 6

14 FREQUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO PARTE INTERESSADA MEIO DE COMUNICAÇÃO GRAU DE INFLUÊNCIA MENSAGEM CHAVE RESPONSÁVEL FIGURA 7. Plano de Comunicação Análise de risco Em todo o projeto existe a possibilidade de acontecer algo de errado que irá afetá-lo. Portanto, é essencial realizar a análise de risco para antecipar os principais problemas que podem ocorrer, identificar como monitorálos e elaborar ações para evitá-los ou corrigi-los rapidamente plano de contingência - caso aconteçam. Esta análise é feita da seguinte forma: a-) Identificar o que pode dar errado no projeto; b-) Classificar o risco de acordo com a probabilidade de ocorrer e o impacto que causará no projeto; Probabilidade: Baixa, Media e Alta; Impacto: Baixo, Médio e Alto; c-) Identificar como monitorá-los; d-) Identificar ações para evita-los; e-) Colocar os pontos no gráfico e identificar ações; f-) Executar as ações e atualizar o plano, se necessário;

15 Alto Probatilidade Média Baixo Baixo Média Impacto FIGURA 8. Matriz de risco Alto Ao final da elaboração do Plano de Projeto, que deve ser registrado em um documento Plano de Projeto -, o gerente de projeto deve apresentá-lo ao Comitê de Projeto e obter a sua aprovação, num novo ponto de tomada de decisão a segunda reunião de aprovação de etapa. 3.3 Execução e Acompanhamento...existe um tempo para melhorar para se preparar e planejar; igualmente existe um tempo para partir para a ação Amyr Klink Com a aprovação do plano de projeto, parte-se para execução de cada uma das tarefas listadas, ou seja, fazer as coisas acontecerem de fato, conforme planejado. Isto é um grande desafio, pois uma certeza é que haverá desvios. Desta forma, é imperativo ter um bom processo de coleta e acompanhamento de informações cronograma, ações pendentes e riscos - com frequência adequada para identificar rapidamente os desvios. Para o processo ser eficiente deve-se focar somente nas informações que farão a diferença para a tomada de decisão de ajuste no projeto que são as mesmas descritas na etapa de análise e racionalização de recursos. Nesta etapa, as competências de liderança do gerente de projeto serão amplamente exigidas na condução da equipe, monitoramento das expectativas das partes interessadas, acompanhamento da evolução dos trabalhos e entregas parciais, identificação de necessidade de mudanças e novos riscos, implantação de ações preventivas e corretivas e na comunicação para manter o alinhamento entre todos os envolvidos.

16 Estas informações também precisam ser registradas - Relatório de Acompanhamento de projeto. Ao final da execução do plano de projeto, ou seja, todos o entregáveis produzidos conforme os critérios estabelecidos, o gerente de projeto deve apresentá-lo ao Comitê de Projeto e obter a sua aprovação, num novo ponto de tomada de decisão a terceira reunião de aprovação de etapa. 3.4 Encerramento Agora é hora de fechar as portas abertas e encerrar o projeto. Aproveite e celebre. Com o sucesso do projetos novos e interessantes desafios virão. Com o aceite da etapa anterior, o Gerente do Projeto deverá encerrar todas as atividades do projeto, assegurando, que o propósito, objetivo e entregáveis acordados foram realmente concluídos, entregue e aceito formalmente termo de encerramento de projeto - pelo cliente/dono do processo e pelo Comitê de Projeto última reunião de aprovação. Após esta entrega, é muito importante que o Gerente do Projeto faça um exercício de lições aprendidas com a equipe de projeto. Este exercício é feito respondendo quatro perguntas: 1- O que deu certo neste projeto e devemos continuar fazendo em projetos futuros? 2- O que deu errado neste projeto e devemos parar de fazer? 3- O que pode ser melhorado? 4- Quais lições aprendemos? Antes de desmobilizar a equipe é importante celebrar a conclusão do projeto com sucesso, pois além de reconhecer o empenho de todos os envolvidos, motivará a equipe para novos desafios. Consideração Final Projetos são uma realidade para os profissionais que trabalham em Supply Chain e obrigatórios para a sucesso da organização. Executar um projeto com êxito exige estrutura e disciplina, mas de acordo com sua complexidade não justificam a utilização completa de uma metodologia por profissional dedicado e certificado. Portanto, utilizar uma forma simplificada de gerenciá-los é a melhor maneira de evitar o fracasso pela sua condução indevida. Porém, lembre-se que também não é garantia de sucesso. Executar um projeto de sucesso é muito mais do que seguir a forma proposta como se fosse uma receita de bolo apenas completando os itens sugeridos. Ela não irá gerenciá-lo para você. O que ela fará é aumentar a chance de sucesso, pois fornece estrutura e práticas já testadas em vários projetos em diversas situações. Além da utilização da forma sugerida, o sucesso do projeto depende muito das pessoas que o estão realizando, ou seja, um gerente e time de projeto com conhecimento, habilidade e comportamento adequados.

17 Referências <http://www.prince2.com/usa/trainingprince2> Guia PMBOK 4 edição KPMG New Zealand Project Magement Survey 2010 <http://www.kpmg.co.nz/> PMI s Pulse of the Profession The High Cost of Low Performance <http://www.pmi.org/> GOLDRATT, E.M Corrente Crítica. São Paulo, Nobel, 1998

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS ISSN 1984-9354 GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS Emerson Augusto Priamo Moraes (UFF) Resumo Os projetos fazem parte do cotidiano de diversas organizações, públicas e privadas, dos mais diversos

Leia mais

Fatores Críticos de Sucesso em GP

Fatores Críticos de Sucesso em GP Fatores Críticos de Sucesso em GP Paulo Ferrucio, PMP pferrucio@hotmail.com A necessidade das organizações de maior eficiência e velocidade para atender as necessidades do mercado faz com que os projetos

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Grupo de Consultores em Governança de TI do SISP 20/02/2013 1 Agenda 1. PMI e MGP/SISP 2. Conceitos Básicos - Operações e Projetos - Gerenciamento de Projetos - Escritório de

Leia mais

Jonas de Souza H2W SYSTEMS

Jonas de Souza H2W SYSTEMS Jonas de Souza H2W SYSTEMS 1 Tecnólogo em Informática Fatec Jundiaí MBA em Gerenciamento de Projetos FGV Project Management Professional PMI Mestrando em Tecnologia UNICAMP Metodologia de apoio à aquisição

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

Aula Nº 13 Fechamento do projeto

Aula Nº 13 Fechamento do projeto Aula Nº 13 Fechamento do projeto Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam apresentar como se encerra o ciclo de vida de um projeto. Para tal, pretende-se verificar as derradeiras providências que

Leia mais

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Por Maria Luiza Panchihak Este artigo apresenta os benefícios do gerenciamento de projetos e mostra a importância desse processo, dentro de uma organização, para

Leia mais

Plataforma da Informação. Gerenciamento de Projetos

Plataforma da Informação. Gerenciamento de Projetos Plataforma da Informação Gerenciamento de Projetos Motivação Por que devemos fazer Projetos? - O aprendizado por projetos, faz parte de um dos três pilares de formação do MEJ; -Projetos são oportunidades

Leia mais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais Tecnologia e Mídias Digitais PUC SP Prof. Eduardo Savino Gomes 1 Afinal, o que vem a ser Gestão? 2 Gestão/Gerir/Gerenciar Gerenciar, administrar, coordenar

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Histórico de Revisões Data Versão Descrição 30/04/2010 1.0 Versão Inicial 2 Sumário 1. Introdução... 5 2. Público-alvo... 5 3. Conceitos básicos...

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos PMI, PMP e PMBOK PMI (Project Management Institute) Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o PMI é a principal associação mundial, sem fins lucrativos,

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Em conformidade com a metodologia PMI 1 Apresentações Paulo César Mei, MBA, PMP Especialista em planejamento, gestão e controle de projetos e portfólios, sempre aplicando as melhores

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS O que é um Projeto? Regra Início e fim definidos Destinado a atingir um produto ou serviço único Escopo definido Características Sequência clara e lógica de eventos Elaboração

Leia mais

Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos

Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam tratar da identificação bem como do estabelecimento de uma estrutura organizacional apropriada ao

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Uma abordagem voltada para a qualidade de processos e produtos Prof. Paulo Ricardo B. Betencourt pbetencourt@urisan.tche.br Adaptação do Original de: José Ignácio Jaeger

Leia mais

Unidade I GERENCIAMENTO DE. Profa. Celia Corigliano

Unidade I GERENCIAMENTO DE. Profa. Celia Corigliano Unidade I GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Objetivo Estimular o aluno no aprofundamento do conhecimento das técnicas de gestão profissional de projetos do PMI. Desenvolver em aula

Leia mais

Gerenciamento do escopo

Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Escopo pode ser definido como a soma dos produtos de um projeto, bem como a descrição de seus requisitos. O momento de definir o escopo é a hora em que o

Leia mais

CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP

CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP Em um ambiente de negócios competitivo, a condução de projetos de forma eficiente e sem desperdícios é um grande diferencial para o sucesso.

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10

CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10 CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10 Planejar e Organizar Gerenciar Projetos Pedro Rocha http://rochapedro.wordpress.com RESUMO Este documento trás a tradução do objetivo de controle PO10 (Gerenciamento

Leia mais

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS PMO PROJETOS PROCESSOS MELHORIA CONTÍNUA PMI SCRUM COBIT ITIL LEAN SIX SIGMA BSC ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS DESAFIOS CULTURAIS PARA IMPLANTAÇÃO DANIEL AQUERE DE OLIVEIRA, PMP, MBA daniel.aquere@pmpartner.com.br

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos Capítulo 1 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 2 1.1 DEFINIÇÃO DE PROJETOS O projeto é entendido como um conjunto de ações, executadas de forma coordenada por uma organização transitória, ao qual são

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS Atualizado em 31/12/2015 GESTÃO DE PROJETOS PROJETO Para o PMBOK, projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

www.plathanus.com.br

www.plathanus.com.br www.plathanus.com.br A Plathanus Somos uma empresa com sede na Pedra Branca Palhoça/SC, especializada em consultoria e assessoria na criação e desenvolvimento de estruturas e ambientes especializados com

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das Partes Interessadas e da Integração

Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das Partes Interessadas e da Integração Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das

Leia mais

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Objetivos da Aula: Nesta aula, iremos conhecer os diversos papéis e responsabilidades das pessoas ou grupos de pessoas envolvidas na realização de

Leia mais

O que é um projeto? Características de um projeto. O Que é o PMBoK Guide 3º Edition? Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps)

O que é um projeto? Características de um projeto. O Que é o PMBoK Guide 3º Edition? Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps) O que é um projeto? Projeto é um empreendimento não repetitivo, caracterizado por uma sequência clara e lógica de eventos, com início, meio e fim, que se destina a atingir um objetivo claro e definido,

Leia mais

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos 3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos Este capítulo tem como objetivo a apresentação das principais ferramentas e metodologias de gerenciamento de riscos em projetos, as etapas do projeto onde o processo

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Prof. Dr. Rodolfo Miranda de Barros rodolfomdebarros@gmail.com

Gerenciamento de Projetos. Prof. Dr. Rodolfo Miranda de Barros rodolfomdebarros@gmail.com Gerenciamento de Projetos Prof. Dr. Rodolfo Miranda de Barros rodolfomdebarros@gmail.com MODELO DE GERENCIAMENTO PMI PMI (Project Management Institute); O modelo PMI é divido em áreas de conhecimento da

Leia mais

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro:

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro: Gerenciamento de Projetos Teoria e Prática Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009 do PMBOK do PMI Acompanha o livro: l CD com mais de 70 formulários exemplos indicados pelo PMI e outros desenvolvidos

Leia mais

Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps)

Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps) PMI O Que é o PMBoK Guide 3º Edition? O PMBoK Guide 3º Edition (2004) é uma denominação que representa todo o somatório de conhecimento dentro da área de gerenciamento de projetos, além de fornecer uma

Leia mais

David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma

David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma Carta do Leitor Por: David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma Engenheiro de produção pela Escola Politécnica da USP e especialista em PNL pela SBPNL. Gerente da área de Lean

Leia mais

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1.

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 1.1 2 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 3 1 Leitura

Leia mais

Gestão de Projetos Logísticos

Gestão de Projetos Logísticos Gestão de Projetos Logísticos Professor: Fábio Estevam Machado CONTEÚDO DA AULA ANTERIOR Teoria Gestão de Projetos Projetos Atualidades Tipos de Projetos Conceitos e Instituições Certificação Importância

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK Cleber Lecheta Franchini 1 Resumo:

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE

GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE O PMI e a Certificação PMP Visão Geral sobre o Modelo PMI APRESENTAÇÃO DO PMI O PMI - Project Management Institute é uma instituição sem fins lucrativos,

Leia mais

Introdução a Gerenciamento de Projetos Prof. MSc. Fábio Assunção

Introdução a Gerenciamento de Projetos Prof. MSc. Fábio Assunção Introdução a Gerenciamento de Projetos Prof. MSc. Fábio Assunção Um projeto é um esforço temporário realizado para criar um produto ou serviço único. Ou seja, é desenvolvido a partir de uma ideia, progredindo

Leia mais

MBA ARQUITETURA DE INTERIORES

MBA ARQUITETURA DE INTERIORES MBA ARQUITETURA DE INTERIORES Coordenador: Carlos Russo Professor: Fábio Cavicchioli Netto, PMP 1 APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR CONHECENDO OS PARTICIPANTES EXPECTATIVAS DO GRUPO 2 SUMÁRIO PMI / PMBoK / Certificados

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A GESTÃO DE PROJETOS

IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A GESTÃO DE PROJETOS IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A GESTÃO DE PROJETOS Claudio Oliveira Aplicações de CRM Claudio Oliveira Apresentação Claudio Oliveira (cloliveira@usp.br) Professor da Fundação Vanzolini

Leia mais

Planejamento e Gerência de Projetos de Software. Prof.: Ivon Rodrigues Canedo. PUC Goiás

Planejamento e Gerência de Projetos de Software. Prof.: Ivon Rodrigues Canedo. PUC Goiás Planejamento e Gerência de Projetos de Software Prof.: Ivon Rodrigues Canedo PUC Goiás Projeto É um trabalho que visa a criação de um produto ou de serviço específico, temporário, não repetitivo e que

Leia mais

Questões atualizadas no PMBoK 5ª edição versão 2015. Respostas comentadas com justificativa e seção do PMBoK correspondente.

Questões atualizadas no PMBoK 5ª edição versão 2015. Respostas comentadas com justificativa e seção do PMBoK correspondente. Copyright 2015 PMtotal.com.br - Todos os direitos reservados PMI, Guia PMBOK, PMP, CAPM são marcas registradas do Project Management Institute, Inc Simulado de 20 questões para as provas CAPM e PMP do

Leia mais

I - Uma vez fechada a declaração de escopo, não é possível alterá-la. II - Uma parte interessada tem o poder de vetar a implantação do projeto.

I - Uma vez fechada a declaração de escopo, não é possível alterá-la. II - Uma parte interessada tem o poder de vetar a implantação do projeto. Bateria PMBoK Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/ 1. (CESGRANRIO/Petrobras 2008) A Estrutura Analítica do Projeto

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares O Project Management Institute é uma entidade sem fins lucrativos voltada ao Gerenciamento de Projetos.

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Gerenciando a Implantação de Sistemas de Automação Industrial

GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Gerenciando a Implantação de Sistemas de Automação Industrial GERENCIAMENTO DE PROJETOS Gerenciando a Implantação de Sistemas de Automação Industrial DO QUE VAMOS FALAR Entender as fases e ciclos de uma implantação de um sistema de automação industrial; Estruturar

Leia mais

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Carlos Alberto Rovedder, Gustavo Zanini Kantorski Curso de Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Campus

Leia mais

Gestão da Qualidade em Projetos

Gestão da Qualidade em Projetos Gestão da Qualidade em Projetos Você vai aprender: Introdução ao Gerenciamento de Projetos; Gerenciamento da Integração; Gerenciamento de Escopo- Declaração de Escopo e EAP; Gerenciamento de Tempo; Gerenciamento

Leia mais

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos

Leia mais

PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos

PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos As organizações em torno do mundo estão implantando processos e disciplinas formais

Leia mais

Referências internas são os artefatos usados para ajudar na elaboração do PT tais como:

Referências internas são os artefatos usados para ajudar na elaboração do PT tais como: Plano de Teste (resumo do documento) I Introdução Identificador do Plano de Teste Esse campo deve especificar um identificador único para reconhecimento do Plano de Teste. Pode ser inclusive um código

Leia mais

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro Matheus de Aguiar Sillos matheus.sillos@pmlog.com.br AGV Logística Rua Edgar Marchiori, 255, Distrito

Leia mais

Título da apresentação Curso Gestão de Projetos I (Verdana, cor branca) Curso de Desenvolvimento de Servidores - CDS

Título da apresentação Curso Gestão de Projetos I (Verdana, cor branca) Curso de Desenvolvimento de Servidores - CDS Título da apresentação Curso Gestão de Projetos I (Verdana, cor branca) Curso de Desenvolvimento de Servidores - CDS Prof. Instrutor Elton Siqueira (a) (Arial Moura preto) CURSO DE GESTÃO DE PROJETOS I

Leia mais

10 áreas de conhecimento e 5 processos

10 áreas de conhecimento e 5 processos 1 10 áreas de conhecimento e 5 processos Projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo Projetos são frequentemente utilizados como um meio de alcançar

Leia mais

Lean Seis Sigma e Benchmarking

Lean Seis Sigma e Benchmarking Lean Seis Sigma e Benchmarking Por David Vicentin e José Goldfreind O Benchmarking elimina o trabalho de adivinhação observando os processos por trás dos indicadores que conduzem às melhores práticas.

Leia mais

Tecnologia em Gestão Pública Desenvolvimento de Projetos - Aula 9 Prof. Rafael Roesler

Tecnologia em Gestão Pública Desenvolvimento de Projetos - Aula 9 Prof. Rafael Roesler Tecnologia em Gestão Pública Desenvolvimento de Projetos - Aula 9 Prof. Rafael Roesler Introdução Objetivos da Gestão dos Custos Processos da Gerência de Custos Planejamento dos recursos Estimativa dos

Leia mais

II. FASE DE PLANEJAMENTO define a maturidade do entendimento do escopo e, o desenvolvimento do Plano do Projeto PP.

II. FASE DE PLANEJAMENTO define a maturidade do entendimento do escopo e, o desenvolvimento do Plano do Projeto PP. II. FASE DE PLANEJAMENTO define a maturidade do entendimento do escopo e, o desenvolvimento do Plano do Projeto PP. Nesta fase busca-se o refinamento dos objetivos do projeto e detalhamento do melhor caminho

Leia mais

TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA 5 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS 7 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA 5 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS 7 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA Líderes eficazes devem encontrar maneiras de melhorar o nível de engajamento, compromisso e apoio das pessoas, especialmente durante os períodos

Leia mais

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br POR QUE ESCREVEMOS ESTE E-BOOK? Nosso objetivo com este e-book é mostrar como a Gestão de Processos

Leia mais

O que é, e para que serve o Cronograma:

O que é, e para que serve o Cronograma: O que é, e para que serve o Cronograma: O cronograma é um instrumento de planejamento e controle semelhante a um diagrama em que são definidas e detalhadas minuciosamente as atividades a serem executadas

Leia mais

Jonas de Souza H2W SYSTEMS

Jonas de Souza H2W SYSTEMS Jonas de Souza H2W SYSTEMS 1 Tecnólogo em Informática Fatec Jundiaí MBA em Gerenciamento de Projetos FGV Project Management Professional PMI Mestrando em Tecnologia UNICAMP Metodologia de apoio à aquisição

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução à Melhoria de Processos de Software baseado no MPS.BR Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Introdução MPS.BR MR-MPS Detalhando o MPS.BR nível G Introdução

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2012 Conceitos Projetos Um Projeto é um esforço Temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado Exclusivo. Atributos desejáveis na gestão do

Leia mais

Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos

Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos Gestão de Projetos Empresariais Objetivos: Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos de processos

Leia mais

Trilhas Técnicas SBSI - 2014

Trilhas Técnicas SBSI - 2014 brunoronha@gmail.com, germanofenner@gmail.com, albertosampaio@ufc.br Brito (2012), os escritórios de gerenciamento de projetos são importantes para o fomento de mudanças, bem como para a melhoria da eficiência

Leia mais

Módulo 3. Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.2, 6.2.1, 6.2.2, 6.2.3, 6.2.4, 6.2.5, 6.3, 6.4, 6.4.1, 6.4.2, 6.4.

Módulo 3. Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.2, 6.2.1, 6.2.2, 6.2.3, 6.2.4, 6.2.5, 6.3, 6.4, 6.4.1, 6.4.2, 6.4. Módulo 3 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.2, 6.2.1, 6.2.2, 6.2.3, 6.2.4, 6.2.5, 6.3, 6.4, 6.4.1, 6.4.2, 6.4.3 Exercícios 6.2 Iniciando a auditoria/ 6.2.1 Designando o líder da equipe

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Sumário 1. A Empresa i. Nossas Crenças O Grupo Voitto i Método de Trabalho iv. Nossos Diferenciais v. Nossos Clientes vi. Equipe Societária 2. Mercado de Consultoria no Brasil

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Prof. Anderson Valadares

GESTÃO DE PROJETOS. Prof. Anderson Valadares GESTÃO DE PROJETOS Prof. Anderson Valadares Projeto Empreendimento temporário Realizado por pessoas Restrições de recursos Cria produtos, ou serviços ou resultado exclusivo Planejado, executado e controlado

Leia mais

Pós-graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) 2 Gerente Sênior de Projetos e Processos, 18 anos de experiência

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidadade MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE

Questionário de Avaliação de Maturidadade MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE Extraído do Livro "Gerenciamento de Programas e Projetos nas Organizações" 4ª Edição (a ser lançada) Autor: Darci Prado Editora INDG-Tecs - 1999-2006

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

FATTO CONSULTORIA E SISTEMAS

FATTO CONSULTORIA E SISTEMAS Gestão de Riscos Como lidar com as incertezas do Projeto? Thomaz Ottoni da Fonseca 04/11/2015 FATTO CONSULTORIA E SISTEMAS 2015 FATTO Consultoria e Sistemas www.fattocs.com 1 ORIENTAÇÕES INICIAIS Dê preferência

Leia mais

F.1 Gerenciamento da integração do projeto

F.1 Gerenciamento da integração do projeto Transcrição do Anexo F do PMBOK 4ª Edição Resumo das Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos F.1 Gerenciamento da integração do projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos

Leia mais

Engenharia de Software II: Definindo Projeto III. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Definindo Projeto III. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Definindo Projeto III Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Explorando as Áreas de Conhecimento de Gerenciamento de Projeto Entendendo como Projetos Acontecem

Leia mais

3 Gerenciamento de Projetos

3 Gerenciamento de Projetos 34 3 Gerenciamento de Projetos Neste capítulo, será abordado o tema de gerenciamento de projetos, iniciando na seção 3.1 um estudo de bibliografia sobre a definição do tema e a origem deste estudo. Na

Leia mais

Aula Nº 06 Determinação do Orçamento

Aula Nº 06 Determinação do Orçamento Aula Nº 06 Determinação do Orçamento Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula são, basicamente, apresentar os processos aplicados que possibilitem identificar os recursos necessários para se conduzir

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS BRUNO ROBERTO DA SILVA CESAR HENRIQUE MACIEL RIBEIRO GUSTAVO HENRIQUE PINHEIRO RICARDO SALLUM DE SOUZA VITOR

Leia mais

Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques

Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques Uma boa gestão de estoques comprova sua importância independente do segmento em questão. Seja ele comércio, indústria ou serviços, o profissional que gerencia

Leia mais

Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos

Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos Airton Eustaquio Braga Junior aebjr@terra.com.br MBA Gestão de Projetos em Engenharia e Arquitetura Instituto de Pos-Graduação IPOG Goiania, GO, 02 de Setembro

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Project Management Institute. Prof. Miguel Torres miguel.torres@terra.com.br

Gerenciamento de Projetos Project Management Institute. Prof. Miguel Torres miguel.torres@terra.com.br Gerenciamento de Projetos Project Management Institute Prof. Miguel Torres miguel.torres@terra.com.br Objetivo do Curso Criar condições e proporcionar métodos para o desenvolvimento da capacidade gestora,

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado B, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK Disciplina de Engenharia de Software Material elaborado por Windson Viana de Carvalho e Rute Nogueira Pinto em 19/07/2004 Material alterado por Rossana Andrade em 22/04/2009 - Project Management Institute

Leia mais

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge 58 4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge No Brasil, as metodologias mais difundidas são, além do QL, o método Zopp, o Marco Lógico do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Mapp da

Leia mais

Informação Verde Green IT Citizen Certification O caminho da Informação do Papel ao Digital

Informação Verde Green IT Citizen Certification O caminho da Informação do Papel ao Digital Informação Verde Green IT Citizen Certification O caminho da Informação do Papel ao Digital 39 Gestão de Projeto PMI Project Management Institute Vídeo Jandira O que é um Projeto? Empreendimento Temporário

Leia mais

Plano de Gerenciamento das Comunicações

Plano de Gerenciamento das Comunicações Projeto: Simul-e Plano de Gerenciamento das Comunicações Versão 1.0 Página 1 de 9 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 01/11/2015 1.0 Criação do Documento Hugo Pazolline Página 2 de 9 Índice

Leia mais

Como concluir um projeto com sucesso?

Como concluir um projeto com sucesso? Como concluir um projeto com sucesso? Luiz Eduardo Cunha, Eng. Professor da FAAP e do IMT 1 Luiz Eduardo Cunha Graduado em Engenharia de Produção EPUSP Pós-Graduado em Gestão do Conhecimento e Inteligência

Leia mais

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Revisões ISO ISO Revisions Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Processos vs procedimentos: o que isto significa? O conceito da gestão de processo

Leia mais

Projeto Físico e Lógico de Redes de Processamento. Kleber A. Ribeiro

Projeto Físico e Lógico de Redes de Processamento. Kleber A. Ribeiro Projeto Físico e Lógico de Redes de Processamento Kleber A. Ribeiro Áreas de conhecimento do PMBOK - Custo - Determina os processos necessários para assegurar que o projeto seja conduzido e concluído dentro

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Web. Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.

Gerenciamento de Projetos Web. Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu. Gerenciamento de Projetos Web Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.br/frufrek Possui Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados pela

Leia mais

Palavras-Chave: Aquisições; Planejamento de Aquisições; Controle de Aquisições; Projeto; Lead time; Processo; Meta.

Palavras-Chave: Aquisições; Planejamento de Aquisições; Controle de Aquisições; Projeto; Lead time; Processo; Meta. 1 A INFLUÊNCIA DO PLANEJAMENTO E CONTROLE DA AQUISIÇÃO NO PRAZO FINAL DO PROJETO Euza Neves Ribeiro Cunha RESUMO Um dos grandes desafios na gerência de projetos é planejar e administrar as restrições de

Leia mais