Desde que a primeira máquina a vapor foi acionada em 1750, a

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desde que a primeira máquina a vapor foi acionada em 1750, a"

Transcrição

1 CDP Supply Chain Fábrica Éthica Brasil para SABESP, SP, 05 de maio de 2011.

2 Desde que a primeira máquina a vapor foi acionada em 1750, a concentração de dióxido de carbono na atmosfera aumentou cerca de 30%. Antes da Revolução Industrial, a concentração de CO2 era de 280 ppm (partes por milhão). Em 2005, atingiu 379 ppm, a maior marca em 650 mil anos.

3 2000 Criação do Carbon Disclosure Project CDP 2005 Com a ratificação pela Rússia, Protocolo de Kyoto entra em vigor oito anos após sua criação 2007 Lançamento do documentário Uma verdade inconveniente, de Al Gore 2007 No seu terceiro relatório, cientistas do IPCC afirmam, com 90% de certeza, que as alterações limáticas são causadas pela ação humana O que antes era uma ameaça distante, profetizada por ambientalistas, t transformou se na mais importante t preocupação mundial deste início de século.

4 Do que estamos falando exatamente: O EQUILIBRIO NATURAL É ROMPIDO, PROVOCANDO AUMENTO NA TEMPERATURA 4. A queima de combustíveis fósseis e o desmatamento aumentam a concentração dos gases de efeito estufa. 1. A energia emitida pelo Sol aquece a Terra. Parte dela é refletida e volta para o espaço ou absorvida pela atmosfera 3. O calor é retido temporariamente na atmosfera pelos gases de efeito estufa, como o CO2 2. O planeta devolve a radiação para a atmosfera sob a forma de calor Adaptado da Revista Horizonte Geográfico, nº 125, ano 22.

5 Segundo o IPCC Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima, das Nações Unidas, se o mesmo ritmo de emissões de gases de efeito estufa for mantido, a Terra poderá áficar entre 1,8 C 18 C e 4 C mais quente em Atingida a temperatura máxima prevista, dois bilhões de seres humanos acabarão por sofrer com a falta de água. Como conseqüência dessa alteração, 20% a 30% das espécies de plantas e animais correm o risco de desaparecer, as culturas agrícolas diminuirão a ponto de causar a fome de milhões de pessoas.

6 O IPCC¹ nos alerta de que seria necessário reduzir até 2050, no mínimo 50% das emissões globais de gases de efeito estufa GEE (em relação às emissões de 2000); para que o aumento da temperatura global média seja em torno de 2 C.. Os países desenvolvidos deveriam assumir a liderança e reduzir suas emissões entre 25% e 40% abaixo dos valores de 1990 até [1] Contribuição do Grupo de Trabalho III ao Quarto [1] Contribuição do Grupo de Trabalho III ao Quarto Relatório de Avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC

7 Em 2006, o mundo conheceu os impactos do aquecimento global na economia com o Relatório Stern, de autoria do economista Nicholas Stern, então conselheiro do governo britânico. RELATÓRIO STERN Divisor de águas: O estudo mostrou que a INAÇÃO diante do aquecimento global pode levar a perda de até 20% do PIB mundial. Enquanto as medidas para REDUZIR as emissões de gases de efeito ee oestufa demandariam apenas 1% das receitas globais. A constatação contribuiu i para aproximar o debate das mudanças climáticas à estratégia de negócios

8 Impactos nos negócios: RISCOS FÍSICOS: O grande debate científico é que ainda não conseguimos distinguir o que é causado pelo homem e o que é causado pela natureza. No entanto, já se verifica uma MAIOR FREQUÊNCIA DE EVENTOS CLIMÁTICOS EXTREMOS que têm aumentado, em média, 10% ao ano. Se esse aumento continuar indefinidamente, em 2065, os danos advindos de furacões, ciclones, enchentes, secas e estiagens, entre outros eventos extremos terão excedido o PIB mundial. Rio de Janeiro (RJ), junho de 2006 Calçadões, casas e bares construídos à beira do mar poderão ser destruídos por ondas ou com o aumento de apenas meio metro das águas. A vazão de sistemas de esgoto mal planejados será invertida, provocando sérios problemas de SANEAMENTO E SAÚDE. (Greenpeace)

9 Impactos nos negócios: ói RISCOS REGULATÓRIOS: Política Nacional de Mudanças Climáticas Dezembro de 2009 Meta de redução: 36,1% e 38,9% das emissões projetadas até 2020 Política Estadual de Mudanças Política Estadual de Mudanças Climáticas Novembro de 2009 Meta de redução: 20% das emissões dos gases de efeito estufa.

10 Ao integrar as mudanças climáticas à sua estratégia, as empresas têm a oportunidade de: Se antecipar a um cenário regulatório mais restritivo e a tendência iminente de precificação do carbono; Identificar gargalos de consumo de energia e novas oportunidades de negócio; Posicionar senãosó se não só como parte do problema, mas sim como parte da solução das mudanças climáticas; Obter vantagem competitiva.

11 The Carbon Disclosure Project

12 Iniciativa de relevância internacional CDP 2011 O maior projeto global ligando: 5000 Mudanças Climáticas financeiro Corporações globais + Mercado 550 Cli á i Investidores globales Presença em países, de 5 trilhões de dólares continentes deativos financeiros A maior database global sobre representados governança climática corporativa e inventários de emissões de GEE

13 A quem pertence o CDP: Iniciativa promovida por investidores institucionais No que consistiu, inicialmente: Envio de questionário de disclosure sobre governança climática para as maiores empresas de capital aberto do mundo Objetivos gerais: Adequar as futuras decisões de investimento na nascedoura economia de baixo carbono CDP Investors CDP Supply Chain WDP CDP Public Procurement CDP Cities

14 Signatários globais do CDP Investidores participantes CDP CDP CDP CDP CDP CDP CDP CDP CDP

15 Ativos financeiros administrados Em trilhões de US$ , CDP 1 CDP 2 CDP 3 CDP 4 CDP 5 CDP 6 CDP 7 CDP 8 CDP

16 Signatários na América Latina CDP CDP CDP CDP CDP CDP CDP

17 Campanha CDP LA 2011 Patrocinador Continental: Agenda CDP LA Perú Colombia México Chile Paraguay Argentina 15 20/ / / / / /05

18 Empresas que responderam ao pedido do CDP, globalmente, em CDP 1 CDP 2 CDP 3 CDP 4 CDP 5 CDP 6 CDP 7 CDP

19 A maior database global sobre emissões de GEE e governança climática Aproximadamente 20% das emissões humanas jáestão mapeadas, através do CDP

20 CDP e suas alianças estratégicas internacionais Partners temáticos Partners Globales Partners operacionales Carbon Disclosure Project South America

21 Um processo de reconhecimento global SUPPLY CHAIN 2011 The Carbon Disclosure Project s detailed reporting is helping persuade companies throughout h the world to measure, manage, disclose and ultimately reduce their greenhouse gas emissions. No other organization is gathering this type of corporate climate change data and providing it to the marketplace. Ban Ki moon UN Secretary General

22 Globalmente, o GHG Protocol é hoje a metodologia mais utilizada para mensurar emissões. Ela permite o reporte em três níveis: escopo 1 (emissões diretas), escopo 2 (emissões indiretas geradas a partir da compra de energia) e escopo 3 (emissões da cadeia de valor).

23 É fundamental que a gestão de emissões siga padrões globais a fim de permitir a comparabilidade. Somente assim, a pegada de carbono poderá, de fato, ser um elemento decisivo na tomada de decisão de COMPANHIAS, INVESTIDORES, CONSUMIDORES E GOVERNOS, favorecendo tecnologias e práticas mais limpas.

24 EDIÇÃO NACIONAL CDP Brasil Patronos nacionais 2011: 24

25 CDP * empresas brasileiras de capital aberto receberam o pedido de disclosure 54 preencheram o questionário (73%) 18 declinaram de participar 03 forneceram informações 03 não responderam * 2 empresas sairam da lista durante a edição de 2010.

26 CDP 2010 O Brasil está entre o 2º e 4º melhor índice de respostas de todas as O Brasil está entre o 2 e 4 melhor índice de respostas de todas as 29 edições do CDP, con mais de 60 países participantes, no período de 2006 até 2010.

27 Resumo das respostas de % alocou responsabilidade pelo tema em nível de Conselho ou alta administração 31% oferece incentivos para o cumprimento de metas e ações de gerenciamento de gases de efeito estufa 61% enxerga riscos regulatórios 78% enxerga oportunidades decorrentes da regulamentação 80% enxerga riscos físicos 57% enxerga oportunidades decorrentes dos impactos físicos 22% possuem meta de redução de emissão 61% estão engajados na discussão de políticas de mudanças climáticas 54% realizam algum tipo de atividade de redução das emissões 70% realizaram inventário de emissões Escopo 1 67% realizaram inventário de emissões Escopo 2

28 BM&FBOVESPA e BNDES lançam ICO2 Moving forward on the trends of Brazilian capital market: sound synergies and mutual support existing between CDP Brazil and local BMFBOVESPA Stock Exchange

29 CDP 2011 Expansão crescente e linhas de projeto: Carbono, água, setor público, setor privado, mercado financeiro, cadeia de suprimento CDP Investors CDP Supply Chain CDP Water Disclosure CDP Public Procurement CDP Cities

30 CDP Water Disclosure Em 2010, 302 empresas do mundo foram convidadas a participar do projeto piloto do WDP, por iniciativa de um grupo de investidores institucionais representados pelo CDP A iniciativa i i estimula as empresas a medirem e reportarem sua intensidade no uso da água ( pegada hídrica ) e se prepararem para enfrentar suas potenciais vulnerabilidades relacionadas à disponibilidade deste recurso. Baseline Report: disclosure 30

31 SUPPLY CHAIN 2011 CDP Supply Chain São identificadas empresas âncoras, interessadas na implementação do CDP na gestão de sua cadeia de fornecedores CDP SC oferece o ambiente ideal para a construção de parcerias consistentes e duradouras com os fornecedores, visando à identificação conjunta de novas oportunidades de negócio, advindas do fortalecimento de sua governança climática.

32 SUPPLY CHAIN 2011 Em 2010, o CDP Supply Chain contou com a participação de 57 das companhias globais (sendo duas brasileiras: Bradesco e Fibria), que engajaram fornecedores na gestão das emissões de carbono.

33 Etapas do processo: SUPPLY CHAIN Empresa âncora associa se ao projeto CDP SC 2 Grupo de fornecedores é identificado 3 Pedido de disclosure é enviado por Londres aos fornecedores 4 Respostas entram na base de dados global do projeto 5 Relatório síntese global é produzido

34 Tendências gerais SUPPLY CHAIN 2011 As empresas âncoras que participaram em 2010 afirmaram a intenção de incorporar cada vez mais o tema carbono como critériode seleção de seus fornecedores. O percentual de negócios que rastreiam e reportam suas emissões ao longo da cadeia de valor mais que dobrou em 2010, atingindo 45% 72% dosgrandesnegócios negócios tem assuasinformaçõesverificadas suas externamente; apenas 39% dos fornecedores fazem o mesmo devido aos altos custos desse processo A gestão de carbono está crescendo como critério para seleção de fornecedores (17% em 2010, contra 11% em 2009 e a expectativa é que se atinja 29% em cinco anos)

35 Membros brasileiros para 2011: aprox. 500 empresas fornecedoras são consultadas SUPPLY CHAIN 2011

36 SUPPLY CHAIN 2011 Por que engajar fornecedores na gestão de emissões? Em média, mais de 50% das emissões das empresas provém da sua cadeia de valor.. Se analisarmos determinados setores como o de varejo e tecnologia, percebemos que esses impactos estão ainda mais distribuídos, de modo que os fornecedores podem representar até 80% das emissões de uma empresa¹ ¹ McKinsey Quarterly

37 A gestão de carbono ao longo da cadeia de valor tem proporcionado às empresas e seus fornecedores GANHOS DE EFICIÊNCIA EM PROCESSOS, REDUÇÃO DE CUSTOS e, consequentemente, uma MELHOR PERFORMANCE ECONÔMICA. Resultados do CDP Supply Chain 2010: 50% das grandes empresas e 25% dos seus fornecedores declararam ter alcançado REDUÇÃO DE CUSTOS como resultado de atividades de gestão de carbono. SUPPLY CHAIN % das companhias apontaram BENEFÍCIOS COMERCIAIS em trabalhar blh com os seus fornecedores para melhorar a performance, além de aumentar seu retorno de investimento em mais de 46%.

38 Direcionadores-chave: chave: SUPPLY CHAIN 2011 Motivação interna Diferenciação de produto Gestão de marca Melhorias de performance Redução de custos

39 SUPPLY CHAIN 2011 CDP Supply Chain: vantagens da adesão para os fornecedores Mais aprofundado monitoramento da pegada de carbono (carbon footprint), com agregação g de dados para o inventário corporativo do próprio p fornecedor Identificação de ameaças e vantagens competitivas relacionados ao tema das mudanças climáticas Processo de conscientização interna e disseminação da boa cultura da governança climática Participação a um processo que, através de um mecanismo padronizado e database central, reduz o ônus de duplicação na prestação das informações, por parte do fornecedor Fortalecimento da relação de parceria com a empresa âncora cliente e construção de uma visão compartilhada de futuro, sobre o tema da emissão de GEE.

40 Cronograma: Até 15 de fevereiro de 2011 Empresas âncoras aderem ao CDP SC e selecionam fornecedores SUPPLY CHAIN 2011 Relatório global é produzido, com as principais tendências mundiais Em 11 de abril de 2011 Fornecedores identificados recebem a solicitação de disclosure em nome da empresa âncora Relatório síntese é enviado à empresa âncora e respostassão divulgadas no website Até 31 de julho de 2011 Fornecedores preenchem o questionário no database global do projeto Respostas são recebidas e analisadas

41 SUPPLY CHAIN 2011 O Relatório global do CDP Supply Chain 2010 está disponível em

42 SETOR PÚBLICO: Carbon Disclosure Project Public Procurement SUPPLY CHAIN 2011 Projeto a ser lançado no Brasil Destinado a: Prefeituras, Governos de Estado e demais órgãos e entidades da administração pública central e periférica (participam no Reino Unido: agências ambientais, tribunais, ministérios, museus, câmaras de vereadores) Escopo: mapear a cadeia de emissões de fornecedores e outros sujeitos sediados no território das respectivas administrações, auxiliando na própria elaboração ou aperfeiçoamento do inventário de emissões e no estabelecimento de políticas públicas

43 Programa e Questionário CDP SUPPLY CHAIN 2011 SUPPLY CHAIN 2011 Excursus guiado pelo website PARTES DO QUESTIONÁRIO 1. Governança (responsabilidade dentro da empresa) 2. Riscos e Oportunidades (oriundas do tema do clima) 3. Estratégia (objetivos, metas, planos de redução) 4. Contabilidade de emissões de GEE, Uso de energia e combustíveis, e Comércio de emissões (cálculos e reportes) 5. Comunicação climática (relatórios anuais) 6 Mód lofornecedor (l õ ífi d i õ li t 6. Módulo FORNECEDOR (alocações específicas de emissões por cliente e produto)

44 Programa e Questionário CDP SUPPLY CHAIN 2011 SUPPLY CHAIN 2011

45 SUPPLY CHAIN 2011 Webinars e Guia para responder e preencher o questionário: Os webinars docdpsão úteis para quem responde pela primeira vez. Webinars: https://www.cdproject.net/en US/Respond/Pages/CDP Supply Chain and Public Procurement.aspx#attach P tt h O Guia do CDP acompanha as empresa nos vários passos do questionário. Guidance: https://www.cdproject.net/en US/Respond/Pages/CDP2011 p / / p / / Supply Chain Public Procurement Guidance Index.aspx

46 SUPPLY CHAIN 2011 Médias e pequenas empresas têm formato próprio Versão mais curta do questionário Estrutura mais ágil torna mais fácil a coleta de dados Conexão mais asimediata a com as operações Webinar adicional disponível no website do CDP

47 Construindo sua resposta ao CDP Supply Chain SUPPLY CHAIN 2011 Estratégia básica: 1 Começar logo 2 Iniciar simplesmente 3 Abordar cada questão separadamente 4 Manter os melhores registros de dados disponíveis 5 Trabalhar para evoluir na resposta ao longo dos anos

48 Para saber e lembrar: SUPPLY CHAIN 2011 Prazo para resposta 2011: 31 de julho Nível de disclosure uma resposta pública pode ser baixada diretamente do website do CDP, uma resposta privada é somente aberta para os clientes solicitantes do disclosure (todas as respostas são consideradas e agregadas, para análise e elaboração do relatório) Database e TI faça seu login quanto antes, para evitar complicações na entrada futura dos dados

49 SUPPLY CHAIN 2011 Contatos: Darcy Brega SABESP Tel Ana Lúcia Szajubok SABESP Tel Juliana Campos Fábrica Éthica Brasil Cel

The. Carbon Disclosure Project

The. Carbon Disclosure Project The Carbon Disclosure Project Iniciativa de relevância internacional CDP 2011 5000 Corporações globais O maior projeto global ligando: Mudanças Climáticas + Mercado financeiro 550 Investidores globais

Leia mais

A experiência do Carbon Disclosure Project no Brasil, para a governança climática de companhias de capital aberto

A experiência do Carbon Disclosure Project no Brasil, para a governança climática de companhias de capital aberto A experiência do Carbon Disclosure Project no Brasil, para a governança climática de companhias de capital aberto Contexto empresarial: Impactos financeiros e vantagem competitiva GOVERNANÇA CLIMÁTICA

Leia mais

Sustentabilidade Planetária: Mudanças Climáticas Globais. André Rocha Ferretti Fundação O Boticário de Proteção à Natureza

Sustentabilidade Planetária: Mudanças Climáticas Globais. André Rocha Ferretti Fundação O Boticário de Proteção à Natureza Sustentabilidade Planetária: Mudanças Climáticas Globais André Rocha Ferretti Fundação O Boticário de Proteção à Natureza Via Láctea Estamos aqui Sistema Solar Terra Estamos aqui Planeta Terra Estamos

Leia mais

Agenda. O que é o CDP O que é o CDP Supply Chain CDP Supply Chain 2014

Agenda. O que é o CDP O que é o CDP Supply Chain CDP Supply Chain 2014 www.cdp.net @CDP Agenda O que é o CDP O que é o CDP Supply Chain CDP Supply Chain 2014 O que é Organização internacional que trabalha com as principais forças do mercado para motivar as empresas e cidades

Leia mais

Empresas e as mudanças climáticas

Empresas e as mudanças climáticas Empresas e as mudanças climáticas O setor empresarial brasileiro, por meio de empresas inovadoras, vem se movimentando rumo à economia de baixo carbono, avaliando seus riscos e oportunidades e discutindo

Leia mais

ANDREIA BANHE CDP SUPPLY CHAIN

ANDREIA BANHE CDP SUPPLY CHAIN ANDREIA BANHE CDP SUPPLY CHAIN Workshop com os fornecedores do Banco Bradesco: CDP Supply Chain 2013 19 de Junho de 2013 respond@cdp.net Agenda O que é o CDP? Sobre o programa CDP Supply Chain; Como responder

Leia mais

The Carbon Disclosure Project

The Carbon Disclosure Project The Carbon Disclosure Project Agosto 2012 Ciclo do Carbono O ciclo do carbono é uma sucessão de transformações que sofre ao longo do tempo. Umas das principais fontes de carbono: CO2 atmosférico CO2 atm

Leia mais

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2011

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2011 Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2011 Resumo Este documento apresenta o Inventário corporativo de Emissões Diretas e Indiretas

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa

Inventário de Gases de Efeito Estufa Inventário de Gases de Efeito Estufa Gerenciamento de Informações e Ações Dirigidas Nicole Celupi - Three Phase Gerenciamento de Informações e Ações Dirigidas Institucional A Three Phase foi criada em

Leia mais

Roberto Strumpf 01.06.2011. Mensuração e Gestão de GEE

Roberto Strumpf 01.06.2011. Mensuração e Gestão de GEE Roberto Strumpf 01.06.2011 Mensuração e Gestão de GEE Conteúdo A economia de baixo carbono Mensuração de emissões Programa Brasileiro GHG Protocol Gestão de emissões Plataforma Empresas Pelo Clima Economia

Leia mais

NOTA DE IMPRENSA. Embargado até 27/11/2007, às 10h (horário de Brasília) Aquecimento global vai ampliar as desigualdades na América Latina

NOTA DE IMPRENSA. Embargado até 27/11/2007, às 10h (horário de Brasília) Aquecimento global vai ampliar as desigualdades na América Latina NOTA DE IMPRENSA Embargado até 27/11/2007, às 10h (horário de Brasília) Aquecimento global vai ampliar as desigualdades na América Latina Relatório de desenvolvimento humano 2007/2008 estabelece o caminho

Leia mais

Como o efeito estufa pode render dinheiro para o Brasil. A Amazônia e o seqüestro de carbono e o protocolo de kyoto

Como o efeito estufa pode render dinheiro para o Brasil. A Amazônia e o seqüestro de carbono e o protocolo de kyoto Como o efeito estufa pode render dinheiro para o Brasil A Amazônia e o seqüestro de carbono e o protocolo de kyoto Histórico das reuniões 1992 - assinam a Convenção Marco sobre Mudança Climática na ECO-92.

Leia mais

VERSÃO PRELIMINAR, PARA AUDIÊNCIA PÚBLICA (MAIO/2015) Dimensão Mudanças Climáticas

VERSÃO PRELIMINAR, PARA AUDIÊNCIA PÚBLICA (MAIO/2015) Dimensão Mudanças Climáticas VERSÃO PRELIMINAR, PARA AUDIÊNCIA PÚBLICA (MAIO/2015) Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas 2 Sumário CRITÉRIO I POLÍTICA... 3 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO...

Leia mais

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2010

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2010 Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2010 Resumo Este documento apresenta o Inventário corporativo de Emissões Diretas e Indiretas

Leia mais

PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL. Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa

PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL. Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa São Paulo, 03 de setembro de 2013 VI SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS - SHS 2013 EMISSÕES

Leia mais

Dimensão Mudanças Climáticas

Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas 2 Sumário CRITÉRIO I POLÍTICA... 3 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 3 CRITÉRIO II GESTÃO... 5 INDICADOR 2. RESPONSABILIDADE...

Leia mais

Metodologias para medir pegada carbônica. Stephen Russell World Resources Institute

Metodologias para medir pegada carbônica. Stephen Russell World Resources Institute Metodologias para medir pegada carbônica Stephen Russell World Resources Institute O que é uma pegada carbônica? Empresa Fonte Instalação GHG Protocol Inventário Nacional Ferramentas de cálculo GHG Protocol

Leia mais

CDP Supply Chain. Gestão de emissões, riscos e oportunidades ao longo da cadeia de valor. Novembro 2014. Evento Frotas & Fretes Verdes 2014

CDP Supply Chain. Gestão de emissões, riscos e oportunidades ao longo da cadeia de valor. Novembro 2014. Evento Frotas & Fretes Verdes 2014 CDP Supply Chain Gestão de emissões, riscos e oportunidades ao longo da cadeia de valor Novembro 2014 Evento Frotas & Fretes Verdes 2014 Page 1 CDP, maior sistema de divulgação ambiental do mundo Mais

Leia mais

CDP Supply Chain 2012 - Pedido de Informações

CDP Supply Chain 2012 - Pedido de Informações CDP Supply Chain 2012 - Pedido de Informações O conjunto de perguntas a seguir compõe o Pedido de Informação do CDP Supply Chain 2012. Solicita-se as companhias que respostas às perguntas através do Online

Leia mais

Estratégias Empresariais de Adaptação

Estratégias Empresariais de Adaptação Estratégias Empresariais de Adaptação Seminário: Cenários Corporativos de Riscos Climáticos no Brasil e a Inovação Regulatória da Administração Barack Obama 29 de setembro, 2015 MISSÃO Expandir continuamente

Leia mais

Tratados internacionais sobre o meio ambiente

Tratados internacionais sobre o meio ambiente Tratados internacionais sobre o meio ambiente Conferência de Estocolmo 1972 Preservação ambiental X Crescimento econômico Desencadeou outras conferências e tratados Criou o Programa das Nações Unidas para

Leia mais

Dimensão Mudanças Climáticas

Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas 2 Sumário CRITÉRIO I POLÍTICA... 3 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 3 CRITÉRIO II GESTÃO... 5 INDICADOR 2. RESPONSABILIDADE...

Leia mais

Questionário ISE. Dimensão Mudanças Climáticas Mudança do Clima

Questionário ISE. Dimensão Mudanças Climáticas Mudança do Clima Questionário ISE Dimensão Mudanças Climáticas Mudança do Clima 2016 Sumário CRITÉRIO I POLÍTICA... 3 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 3 CRITÉRIO II GESTÃO... 6 INDICADOR 2. RESPONSABILIDADE...

Leia mais

Evento de Lançamento do Processo ISE 2015

Evento de Lançamento do Processo ISE 2015 Evento de Lançamento do Processo ISE 2015 25 de fevereiro de 2015 Carteira ISE 2015 R$ 1.224.784.660.586,93-49,87% do valor total de mercado (base 24/11/2014) Carteira ISE 2015 R$ 1.224.784.660.586,93-49,87%

Leia mais

COP 21 INDC BRASILEIRA

COP 21 INDC BRASILEIRA COP 21 Vinte e três anos após a assinatura da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), a 21 a Conferência das Partes (COP21), que será realizada em Paris (entre os dias 30 novembro

Leia mais

Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos

Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos w Gestão Ambiental na Sabesp Workshop Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos Sup. Wanderley da Silva Paganini São Paulo, 05 de maio de 2011. Lei Federal 11.445/07 Lei do Saneamento

Leia mais

A Importância de Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Governos Locais

A Importância de Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Governos Locais VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí I Seminário dos Estudantes de Pós Graduação A Importância de Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Governos Locais (1) Leonardo

Leia mais

Mudança do Clima. Luiz Gylvan Meira Filho

Mudança do Clima. Luiz Gylvan Meira Filho SABESP São Paulo, 12 de novembro de 2008 Mudança do Clima Luiz Gylvan Meira Filho Pesquisador Visitante Instituto de Estudos Avançados Universidade de São Paulo A terra recebe energia do sol na forma de

Leia mais

Política de mudanças climáticas. Versão resumida

Política de mudanças climáticas. Versão resumida Política de mudanças climáticas Versão resumida 29/06/2015 objetivo A política de Mudanças Climáticas da Oi visa estabelecer o direcionamento estratégico e orientar as decisões relativas à temática da

Leia mais

Capítulo 21 Meio Ambiente Global. Geografia - 1ª Série. O Tratado de Kyoto

Capítulo 21 Meio Ambiente Global. Geografia - 1ª Série. O Tratado de Kyoto Capítulo 21 Meio Ambiente Global Geografia - 1ª Série O Tratado de Kyoto Acordo na Cidade de Kyoto - Japão (Dezembro 1997): Redução global de emissões de 6 Gases do Efeito Estufa em 5,2% no período de

Leia mais

NECESSIDADE DE CONHECIMENTO DAS EMISSÕES NOS PROCESSOS PRODUTIVOS. Inventários de Emissões

NECESSIDADE DE CONHECIMENTO DAS EMISSÕES NOS PROCESSOS PRODUTIVOS. Inventários de Emissões NECESSIDADE DE CONHECIMENTO DAS EMISSÕES NOS PROCESSOS PRODUTIVOS Inventários de Emissões O QUE É UM INVENTÁRIO? Um inventário corporativo de emissões diretas e indiretas de gases de efeito estufa é a

Leia mais

O Protocolo de Kyoto e o Mandato de Bali:

O Protocolo de Kyoto e o Mandato de Bali: Briefing A Caminho de Bali Brasília, 21 de Novembro 2007 O Protocolo de Kyoto e o Mandato de Bali: O que o mundo precisa fazer para combater as mudanças climáticas As mudanças climáticas são, sem dúvida,

Leia mais

Climate Change, Energy and Food Security 13 de novembro de 2008 Rio de Janeiro

Climate Change, Energy and Food Security 13 de novembro de 2008 Rio de Janeiro Climate Change, Energy and Food Security Rio de Janeiro Mudanças Climáticas Amazônia, Problemas Ambientais e Proteção da Biomassa Israel Klabin F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A P A R A O D E S E N V

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER FAZENDO E APRENDENDO GEOGRAFIA. Aula 18.2 Conteúdo.

CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER FAZENDO E APRENDENDO GEOGRAFIA. Aula 18.2 Conteúdo. A A Aula 18.2 Conteúdo Mudanças globais 2 A A Habilidades Perceber as mudanças globais que estão ocorrendo no Brasil e no mundo. 3 A A Conferências e protocolos Preocupados com os problemas relacionados

Leia mais

Junho, 2015. Proposta do Observatório do Clima para a Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) Brasileira

Junho, 2015. Proposta do Observatório do Clima para a Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) Brasileira Proposta do Observatório do Clima para a Contribuição Nacionalmente Determinada Pretendida do Brasil Junho, 2015 Proposta do Observatório do Clima para a Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) Brasileira

Leia mais

A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras

A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras Emilio Lèbre La Rovere Coordenador, CentroClima/LIMA/PPE/COPPE/UFRJ 2º Encontro dos Secretários

Leia mais

JULIETA ALCIATI DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES COM O MERCADO

JULIETA ALCIATI DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES COM O MERCADO JULIETA ALCIATI DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES COM O MERCADO Agenda Introdução Definição dos limites de um inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa Limites Operacionais Identificando e Calculando emissões

Leia mais

DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS

DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS CONTEÚDO CRITÉRIO I - POLÍTICA... 2 INDICADOR 1: COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 2 CRITÉRIO II GESTÃO... 3 INDICADOR 2: RESPONSABILIDADES... 3 INDICADOR 3: PLANEJAMENTO/GESTÃO

Leia mais

Mudanças Climáticas Ameaças e Oportunidade para a Braskem. Jorge Soto 11/08/2015

Mudanças Climáticas Ameaças e Oportunidade para a Braskem. Jorge Soto 11/08/2015 Mudanças Climáticas Ameaças e Oportunidade para a Braskem Jorge Soto 11/08/2015 1 Braskem INTEGRAÇÃO COMPETITIVA EXTRAÇÃO Matérias Primas 1 ª GERAÇÃO Petroquímicos Básicos 2 ª GERAÇÃO Resinas Termoplásticas

Leia mais

Mudanças Climáticas na Vale

Mudanças Climáticas na Vale 30/09/2011 Mudanças Climáticas na Vale Gerência de Nova Economia e Mudanças Climáticas Departamento de Desenvolvimento Sustentável Política de Sustentabilidade Operador Sustentável Legado Econômico, Social

Leia mais

Entre no Clima, Faça sua parte por. um MUNDO melhor.

Entre no Clima, Faça sua parte por. um MUNDO melhor. Entre no Clima, Faça sua parte por um MUNDO melhor. Aquecimento Global Conheça abaixo os principais gases responsáveis pelo aquecimento global: MUDANÇAS CLIMÁTICAS E O AQUECIMENTO GLOBAL Desde a revolução

Leia mais

www.cdp.net @CDP #CDPSUPPLYCHAINBR

www.cdp.net @CDP #CDPSUPPLYCHAINBR #CDPSUPPLYCHAINBR Agenda: 09h 09h20: Credenciamento 09h20 09h30: Boas Vindas Lauro Marins Gerente Programa CDP Supply Chain América Latina Dexter Galvin - Head CDP Supply Chain Juliana Lopes - Diretora

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015

INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015 INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015 Conteúdo Sobre o GVces Sobre o Programa Brasileiro GHG Protocol e o Registro Público de Emissões Política de qualificação dos inventários (Novo critério para o selo

Leia mais

Resumo Aula-tema 02: Panorama mundial e nacional mudanças climáticas e políticas públicas emergentes.

Resumo Aula-tema 02: Panorama mundial e nacional mudanças climáticas e políticas públicas emergentes. Resumo Aula-tema 02: Panorama mundial e nacional mudanças climáticas e políticas públicas emergentes. As mudanças nos ecossistemas, causadas pelo modelo de desenvolvimento econômico atual, trazem impactos

Leia mais

A intensificação da degradação se deu a partir da Revolução Industrial;

A intensificação da degradação se deu a partir da Revolução Industrial; AMBIENTALISMO NO MUNDO GLOBALIZADO 1 O Ano Passado 2 Degradação do meio ambiente A intensificação da degradação se deu a partir da Revolução Industrial; A mobilização da sociedade com objetivo de conter

Leia mais

Under Strict Embargo Not for distribution or publication until 19 November, 2014, 10:01 Washington D.C. Time (EST)/15:01 GMT

Under Strict Embargo Not for distribution or publication until 19 November, 2014, 10:01 Washington D.C. Time (EST)/15:01 GMT Under Strict Embargo Not for distribution or publication until 19 November, 2014, 10:01 Washington D.C. Time (EST)/15:01 GMT NEGOCIAÇÕES FUNDAMENTAIS SOBRE MUDANÇA CLIMÁTICA CRUCIAL NOS PRÓXIMOS DIAS EM

Leia mais

Linha do Tempo da Responsabilidade Social

Linha do Tempo da Responsabilidade Social Linha do Tempo da Responsabilidade Social Elaboração: Annabella de Fátima Prates Coordenação: Marisa Seoane Rio Resende Fundada a OIT Organização Internacional do Trabalho. Formula padrões de trabalho

Leia mais

Carbon Disclosure Project - SCLC Supply Chain Leadership Collaboration

Carbon Disclosure Project - SCLC Supply Chain Leadership Collaboration Carbon Disclosure Project - SCLC Supply Chain Leadership Collaboration SABESP, São Paulo, 12 de novembro de 2008 1 Contexto empresarial Impactos financeiros e vantagem competitiva: GOVERNANÇA CLIMÁTICA

Leia mais

Créditos. Conteúdo e revisão KPMG Risk Advisory Services Ltda. Supervisão Geral CEBDS - Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento

Créditos. Conteúdo e revisão KPMG Risk Advisory Services Ltda. Supervisão Geral CEBDS - Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento 3ª EDIção outubro 2014 Créditos CEBDS - Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável Av. das Américas, 1.155 grupo 208, 22631-000, Rio de Janeiro, RJ, Brazil Tel.: 55 21 2483.2250,

Leia mais

EMISSÕES DO SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS E EFLUENTES LÍQUIDOS (2009-2010)

EMISSÕES DO SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS E EFLUENTES LÍQUIDOS (2009-2010) EMISSÕES DO SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS E EFLUENTES LÍQUIDOS (2009-2010) Sumário Executivo De acordo com a Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), adotada em 1992, as mudanças

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

Os consumidores avaliarão as iniciativas de sustentabilidade das empresas

Os consumidores avaliarão as iniciativas de sustentabilidade das empresas MEDIA COVERAGE Low Carbon Technology Partnerships initiative Sao Paulo Roundtable, October 7, 2015 Os consumidores avaliarão as iniciativas de sustentabilidade das empresas Peter White, diretor do Conselho

Leia mais

AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS. João Paulo Nardin Tavares

AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS. João Paulo Nardin Tavares AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS João Paulo Nardin Tavares INTRODUÇÃO Já podemos sentir o aquecimento global No último relatório do IPCC (Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, órgão

Leia mais

O clima está diferente. O que muda na nossa vida?

O clima está diferente. O que muda na nossa vida? O clima está diferente. O que muda na nossa vida? 06/2011 Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada. 2 SUMÁRIO

Leia mais

MÓDULO I: Mudança do Clima e Acordos Internacionais. Efeito Estufa. Fontes de Emissões. Impactos. Acordos Internacionais

MÓDULO I: Mudança do Clima e Acordos Internacionais. Efeito Estufa. Fontes de Emissões. Impactos. Acordos Internacionais MÓDULO I: Mudança do Clima e Acordos Internacionais Efeito Estufa Fontes de Emissões Impactos Acordos Internacionais Fontes de Emissões Antropogênicas Fonte: Quarto Relatório de Avaliação do IPCC, 2007.

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA MUDANÇAS CLIMÁTICAS E SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA MUDANÇAS CLIMÁTICAS E SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA OFICINA 1- Março 2011 MUDANÇAS CLIMÁTICAS E SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA Esta cartilha foi desenvolvida pelo GVces para as Empresas Membro da Plataforma Empresas Pelo Clima,

Leia mais

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa GEE Sabesp: Ano Base 2007

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa GEE Sabesp: Ano Base 2007 Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa GEE Sabesp: Ano Base 2007 1º Seminário Estadual sobre Mudanças Climáticas e Saneamento Diretoria de Tecnologia, Empreendimentos e Meio Ambiente T Superintendência

Leia mais

Mudanças climáticas globais e recursos hídricos com enfoque para as bacias hidrográficas

Mudanças climáticas globais e recursos hídricos com enfoque para as bacias hidrográficas Mudanças climáticas globais e recursos hídricos com enfoque para as bacias hidrográficas Emília Hamada Pesquisador, Embrapa Meio Ambiente, Jaguariúna - SP A mudança climática global começou a ser discutida

Leia mais

Responsabilidade Individual e de Grupo: 1.1 Onde se encontra o nível mais elevado de responsabilidade pelas alterações climáticas na sua empresa?

Responsabilidade Individual e de Grupo: 1.1 Onde se encontra o nível mais elevado de responsabilidade pelas alterações climáticas na sua empresa? Suppy Chain CDP 2013 - Pedido de Informações O conjunto de perguntas a seguir compõe o Pedido de Informação do CDP Supply Chain 2013. Solicita-se às companhias que respondam às perguntas através do Online

Leia mais

CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015

CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015 ATENÇÃO: ANTES DE ASSINAR ESTA CARTA, LEIA O CONTEÚDO ATÉ O FINAL E CLIQUE NO LINK. FÓRUM DE AÇÃO EMPRESARIAL PELO CLIMA CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015 O desafio da mudança do clima

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E O PROTOCOLO DE QUIOTO: UMA ABORDAGEM HISTÓRICA E APLICABILIDADE DOS MECANISMOS DE DESENVOLVIMENTO LIMPO

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E O PROTOCOLO DE QUIOTO: UMA ABORDAGEM HISTÓRICA E APLICABILIDADE DOS MECANISMOS DE DESENVOLVIMENTO LIMPO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E O PROTOCOLO DE QUIOTO: UMA ABORDAGEM HISTÓRICA E APLICABILIDADE DOS MECANISMOS DE DESENVOLVIMENTO LIMPO Letícia Hoppe Ms. Economia do Desenvolvimento Síntese do Mini curso

Leia mais

agility made possible

agility made possible RESUMO DA SOLUÇÃO CA ecodesktop posso fornecer economias de custos e reduções no consumo de energia e na pegada de carbono de PCs e desktops de maneira precisa? agility made possible Você pode. Com o CA

Leia mais

Inventário de emissões de gases de efeito estufa. Elaboração e uso como ferramenta de gestão

Inventário de emissões de gases de efeito estufa. Elaboração e uso como ferramenta de gestão Inventário de emissões de gases de efeito estufa Elaboração e uso como ferramenta de gestão 25 de agosto de 2011 Programa Brasileiro GHG Protocol Origens Metodologia mais utilizada mundialmente para a

Leia mais

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM COLETIVA DE IMPRENSA Participantes: Relatores: Geraldo Soares IBRI; Haroldo Reginaldo Levy Neto

Leia mais

Não é tarde demais para combater as mudanças climáticas O sumário do IPCC diz:

Não é tarde demais para combater as mudanças climáticas O sumário do IPCC diz: Sumário dos resultados-chave do Quarto Relatório de Avaliação do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, Grupo de Trabalho III de Mitigação de Mudanças Climáticas Bangkok, Maio de 2007 Não é

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Negócios Socioambientais

Desenvolvimento de Novos Negócios Socioambientais Desenvolvimento de Novos Negócios Socioambientais Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A Punta del Este / Novembro 2010 Índice O Protocolo de Quioto e as emissões dos GEE Mecanismo de Desenvolvimento Limpo

Leia mais

ENERGIA X MEIO AMBIENTE: O QUE DIZ O RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DE FURNAS?

ENERGIA X MEIO AMBIENTE: O QUE DIZ O RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DE FURNAS? ENERGIA X MEIO AMBIENTE: O QUE DIZ O RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DE FURNAS? Maranhão, R.A. 1 1 PECE/POLI/USP, MBA em Gestão e Tecnologias Ambientais, Biológo e Mestre em Geografia, romeroalbuquerque@bol.com.br

Leia mais

Problemas Ambientais

Problemas Ambientais Problemas Ambientais Deflorestação e perda da Biodiversidade Aquecimento Global Buraco na camada de ozono Aquecimento Global - Efeito de Estufa Certos gases ficam na atmosfera (Troposfera) e aumentam

Leia mais

Efeitos da economia do carbono na economia nacional e europeia. Luís Fernão Souto

Efeitos da economia do carbono na economia nacional e europeia. Luís Fernão Souto Efeitos da economia do carbono na economia nacional e europeia Luís Fernão Souto As alterações climáticas são uma evidência Os 10 anos mais quentes desde sempre ocorreram após o ano de 1990! O dióxido

Leia mais

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Em 2013, a Duratex lançou sua Plataforma 2016, marco zero do planejamento estratégico de sustentabilidade da Companhia. A estratégia baseia-se em três

Leia mais

Carta de Apresentação Documento Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura 11/06/15

Carta de Apresentação Documento Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura 11/06/15 Carta de Apresentação Documento Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura 11/06/15 Formada por associações empresariais, empresas, organizações da sociedade civil e indivíduos interessados na construção

Leia mais

SUSTENTABILIDADE DIRETRIZES G4 DA GRI UM NOVO CAMINHO PARA A SUSTENTABILIDADE

SUSTENTABILIDADE DIRETRIZES G4 DA GRI UM NOVO CAMINHO PARA A SUSTENTABILIDADE DIRETRIZES G4 DA GRI UM NOVO CAMINHO PARA A SUSTENTABILIDADE 48 REVISTA RI Junho Julho 2013 Entre os dias 22 e 24 de maio, em Amsterdã (Holanda), a Global Reporting Initiative (GRI) realizou sua Conferência

Leia mais

GESTÃO CARBONO 2014 (BASE 2013)

GESTÃO CARBONO 2014 (BASE 2013) GESTÃO CARBONO 2014 (BASE ) O CENÁRIO DO CARBONO E A EVEN O Cenário do Carbono A principal ameaça ao meio-ambiente são as mudanças climáticas decorrentes do aumento das emissões de Gases de Efeito Estufa,

Leia mais

Mudança do clima: Principais conclusões do 5º Relatório do IPCC

Mudança do clima: Principais conclusões do 5º Relatório do IPCC Mudança do clima: Principais conclusões do 5º Relatório do IPCC ILIDIA DA ASCENÇÃO GARRIDO MARTINS JURAS Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento

Leia mais

Notas sobre mudanças climáticas

Notas sobre mudanças climáticas Notas sobre mudanças climáticas ILIDIA DA ASCENÇÃO GARRIDO MARTINS JURAS Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial e Desenvolvimento Urbano e Regional

Leia mais

Sustentabilidade Empresarial

Sustentabilidade Empresarial Política de Sustentabilidade como Instrumento de Competitividade São Paulo Out/2010 Laercio Bruno Filho 1 Desenvolvimento Sustentável 2 Aquecimento Global Word Population WORLD GDP 3 Questões Críticas

Leia mais

Conceito e Evolução da utilização da Energia

Conceito e Evolução da utilização da Energia Energia Limpa Agenda O que é energia limpa? Tipos de energia limpa Energia Hídrica Energia Eólica Energia Geotérmica Biomassa Energia Solar Energia do Mar O Brasil neste cenário Protocolo de Kyoto Conceito

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA. Metodologia, resultados e ações

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA. Metodologia, resultados e ações INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA Metodologia, resultados e ações CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS CARTA ABERTA AO BRASIL Compromissos Assumidos A. Publicar anualmente o

Leia mais

MUDANÇA CLIMÁTICA NO CONTEXTO DE NEGÓCIOS CDP SUPPY CHAIN RISCOS E OPORTUNIDADES FRETE ÀS MUDANÇA CLIMÁTICAS

MUDANÇA CLIMÁTICA NO CONTEXTO DE NEGÓCIOS CDP SUPPY CHAIN RISCOS E OPORTUNIDADES FRETE ÀS MUDANÇA CLIMÁTICAS MUDANÇA CLIMÁTICA NO CONTEXTO DE NEGÓCIOS CDP SUPPY CHAIN RISCOS E OPORTUNIDADES FRETE ÀS MUDANÇA CLIMÁTICAS 2 SUMÁRIO 1. MUDANÇA CLIMÁTICA Perfil das emissões Consequências 2. ESTRATÉGIA IMPACTO NOS NEGÓCIOS

Leia mais

Sustentabilidade e Mudança Climática

Sustentabilidade e Mudança Climática Sustentabilidade e Mudança Climática 23 de Setembro 2009 Definindo uma Estratégia Corporativa para lidar com Mudanças Climáticas de forma sustentável Aceitar que o debate está concluído Entender a sua

Leia mais

O que é o mercado de carbono e como ele opera no Brasil?

O que é o mercado de carbono e como ele opera no Brasil? O que é o mercado de carbono e como ele opera no Brasil? Fernando B. Meneguin 1 O crédito de carbono é um certificado eletrônico que é emitido quando há diminuição de emissão de gases que provocam o efeito

Leia mais

1. Mudanças climáticas : Aumento da temperatura da Terra. Fonte: IPCC, 2000)

1. Mudanças climáticas : Aumento da temperatura da Terra. Fonte: IPCC, 2000) Novas Tecnologias para o desenvolvimento sustentável: a viabilidade da produção de gás natural à partir do armazenamento geológico de CO 2 na Jazida de Charqueadas Letícia Hoppe Agenda 1. Contextualização

Leia mais

As políticas públicas de mudanças climáticas e suas implicações

As políticas públicas de mudanças climáticas e suas implicações WORKSHOP ASPECTOS RELEVANTES DA PRÁTICA EMPRESARIAL EM GESTÃO AMBIENTAL CAMPINAS, 17 DE ABRIL 2010 As políticas públicas de mudanças climáticas e suas implicações Profa. Josilene T.V.Ferrer Estado de São

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS 3º trimestre 2012

PLANO DE ESTUDOS 3º trimestre 2012 PLANO DE ESTUDOS 3º trimestre 2012 ano: 9º disciplina: geografia professor: Meus caros (as) alunos (as): Durante o 2º trimestre, você estudou as principais características das cidades globais e das megacidades

Leia mais

White Paper Inventário de Gases de Efeito Estufa

White Paper Inventário de Gases de Efeito Estufa White Paper Inventário de Gases de Efeito Estufa O que você precisa saber? Inventário de Gases de Efeito Estufa O que você precisa saber? Sumário Objetivo... 2 Parte 1 - Entendendo o Inventário de Gases

Leia mais

Aquecimento Global e Protocolo de Kyoto. Professor Thiago Espindula Disciplina de Geografia

Aquecimento Global e Protocolo de Kyoto. Professor Thiago Espindula Disciplina de Geografia Aquecimento Global e Protocolo de Kyoto Professor Thiago Espindula Disciplina de Geografia Exercícios (ENEM 2006) Com base em projeções realizadas por especialistas, teve, para o fim do século

Leia mais

Inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e adoção de políticas de mudanças climáticas pelas empresas. 16 de Março de 2010

Inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e adoção de políticas de mudanças climáticas pelas empresas. 16 de Março de 2010 Inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e adoção de políticas de mudanças climáticas pelas empresas. 16 de Março de 2010 UNIDADE DE NEGÓCIO CARBONO - UNICAR Efluentes e Resíduos Inventários

Leia mais

Overview of the GHG Protocol. - Rachel Biderman

Overview of the GHG Protocol. - Rachel Biderman Overview of the GHG Protocol - Rachel Biderman O Greenhouse Gas Protocol O GHG Protocol foi lançado em 1998 por Parceria multi-stakeholder entre empresários, ONGs, governos e outros Objetivos Simplificar

Leia mais

Fórum do CB27 em Natal Medidas para a redução do efeito estufa

Fórum do CB27 em Natal Medidas para a redução do efeito estufa 11 Fórum do CB27 em Natal Medidas para a redução do efeito estufa Alex Régis Ana Lúcia Araújo Assessora de Comunicação da SEMURB Considerado um dos mais participativos, desde a sua criação, o VI Encontro

Leia mais

NOSSA ASPIRAÇÃO JUNHO/2015. Visão Somos uma coalizão formada por associações

NOSSA ASPIRAÇÃO JUNHO/2015. Visão Somos uma coalizão formada por associações JUNHO/2015 NOSSA ASPIRAÇÃO Visão Somos uma coalizão formada por associações empresariais, empresas, organizações da sociedade civil e indivíduos interessados em contribuir para a promoção de uma nova economia

Leia mais

Relatos de Sustentabilidade

Relatos de Sustentabilidade Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Relatos de Sustentabilidade Descreva até 3 projetos/programas/iniciativas/práticas relacionadas a sustentabilidade Instruções 2015 Esse espaço é reservado

Leia mais

Unidade IV Ser Humano e saúde. Aula 17.1

Unidade IV Ser Humano e saúde. Aula 17.1 Unidade IV Ser Humano e saúde. Aula 17.1 Conteúdo: O efeito estufa. Habilidade: Demonstrar uma postura crítica diante do uso do petróleo. REVISÃO Reações de aldeídos e cetonas. A redução de um composto

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO SOBRE O CLIMA E A QUALIDADE DO AR NOS AÇORES

PROJECTO DE RESOLUÇÃO SOBRE O CLIMA E A QUALIDADE DO AR NOS AÇORES PROJECTO DE RESOLUÇÃO SOBRE O CLIMA E A QUALIDADE DO AR NOS AÇORES Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Exma. Sras. Deputadas e Srs. Deputados Exma. Sra. e Srs. Membros do Governo Desde os anos oitenta que

Leia mais

Mercado de Carbono Atividade de Suporte ao MDL

Mercado de Carbono Atividade de Suporte ao MDL Mercado de Carbono Atividade de Suporte ao MDL Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A Setembro 2008 Índice O Protocolo de Quioto e as emissões dos GEE Os Mecanismos O ciclo e a estrutura de aprovação do

Leia mais

A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro publica a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares

A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro publica a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares Projeto de lei n. Institui a Política Estadual sobre Mudança do Clima e fixa seus princípios, objetivos, diretrizes e instrumentos. A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro publica a seguinte

Leia mais

Solicitamos uma resposta às questões que seguem até 30 de maio de 2013.

Solicitamos uma resposta às questões que seguem até 30 de maio de 2013. Investor CDP 2013 - Pedido de Informações Investor CDP 2013 - Pedido de Informações O conjunto de perguntas a seguir compõe o Pedido de Informação do Investor CDP 2013. Solicita-se às companhias que respondam

Leia mais

Uma Síntese do Quarto Relatório do IPCC

Uma Síntese do Quarto Relatório do IPCC RESENHA Uma Síntese do Quarto Relatório do IPCC Por Ana Maria Heuminski de Avila Universidade Estadual de Campinas Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura - CEPAGRI CIDADE

Leia mais

2 a E D I Ç Ã O 2 0 1 3

2 a E D I Ç Ã O 2 0 1 3 2 a EDIÇÃO 2013 2 a EDIÇÃO 2013 Créditos CEBDS - Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (Brazilian Business Council for Sustainable Development) Av. das Américas, 1.155 grupo

Leia mais

(material embargado até 19.11.2015 às 10hs)

(material embargado até 19.11.2015 às 10hs) (material embargado até 19.11.2015 às 10hs) SEEG 3.0 Sistema de Estimativa de Emissões de Gases de Efeito Estuda Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa no Brasil 1970-2014 DESTAQUES: Emissões

Leia mais