SEMINÁRIO FGV INFRAESTRUTURA NO BRASIL: PERSPECTIVAS e DESAFIOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SEMINÁRIO FGV INFRAESTRUTURA NO BRASIL: PERSPECTIVAS e DESAFIOS"

Transcrição

1 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana SEMINÁRIO FGV INFRAESTRUTURA NO BRASIL: PERSPECTIVAS e DESAFIOS Visões sobre a Mobilidade Urbana Sustentável no Brasil Desenvolvimento, Projetos, Investimentos e Realizações do Ministério das Cidades Novembro 2013

2 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO Mobilidade Urbana Sustentável Mobilidade Urbana no Brasil e a Lei N Investimentos do Governo Federal em Mobilidade Urbana

3 Missão da Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana Promover a Mobilidade Urbana, de forma segura, socialmente inclusiva e com equidade no uso do espaço público, para contribuir na construção de cidades sustentáveis.

4 Mobilidade Urbana Sustentável É o resultado de um conjunto de políticas de transporte e circulação que visam proporcionar o acesso amplo e democrático ao espaço urbano, através: Priorização dos modos de transporte coletivo e dos modos não motorizados Política socialmente inclusiva e ambientalmente sustentável

5 Mobilidade Urbana Sustentável A sustentabilidade do Sistema deve basear se em: Transporte integrado ao desenvolvimento urbano Redução das deseconomias urbanas da circulação Transporte público eficiente e de qualidade Mobilidade Sustentável Desenvolvimento Urbano Inclusão Social Meio-ambiente Uso equânime do espaço urbano Melhorar a qualidade de vida Melhorar a qualidade do ar Sustentabilidade energética Acesso democrático à cidade Redução tarifária Universalização do acesso ao transporte público Acessibilidade universal Pedestres e ciclistas

6 Política de Mobilidade Urbana da SeMOB Principais diretrizes Desenvolvimento urbano sustentável Priorização efetiva do transporte público coletivo Priorização dos não-motorizados pedestres, cadeirantes e ciclistas Integração com os outros modos de transporte Redes integradas nas regiões metropolitanas Políticas de moderação de tráfego Segurança e qualidade nos serviços prestados aos usuários Inclusão social e redução das desigualdades Garantia de acesso a cidade e aos serviços Redução Tarifária Garantia de acessibilidade universal Estruturar a gestão local - Capacitação

7 Mobilidade Urbana no Brasil Divisão Modal

8 Mobilidade Urbana no Brasil Estimativas Brasil mortes por ano em acidentes trânsito Mais de feridos por ano acidentes/ano ~R$ 25 bi/ano *Considerando um custo médio de /acidente Fonte: Estimativa IPEA utilizando dados do IPEA e DETRAN-DF

9 Mobilidade Urbana no Brasil Custos Energia Consumida Impactos Ambientais

10 MOBILIDADE URBANA Divisão modal por faixa de população e por modo

11 MOBILIDADE URBANA Fonte: BNDES

12 Política Nacional da Mobilidade Urbana Lei / Política Nacional de Mobilidade Urbana - Desafios Lei de 2012 Sistema Nacional de Mobilidade Urbana Conjunto organizado e coordenado dos modos de transporte, de serviços e de infraestrutura que garante os deslocamentos de pessoas e cargas no território do Município. MODOS Motorizados e Não motorizados SERVIÇOS Passageiros, cargas, coletivo, individual, público e privado INFRAESTRUTURA Vias, metroferrovias, hidrovias e ciclovias, estacionamentos terminais e estações, sinalização, equipamentos e instrumentos de controle

13 Política Nacional da Mobilidade Urbana Diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana Integração com a política de desenvolvimento urbano e respectivas políticas setoriais no âmbito dos entes federativos; Prioridade dos modos de transporte não motorizados sobre os motorizados e dos serviços de transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado; Integração entre os modos e serviços de transporte urbano; Mitigação dos custos ambientais, sociais e econômicos dos deslocamentos de pessoas e cargas na cidade; Incentivo ao desenvolvimento científico-tecnológico e ao uso de energias renováveis e menos poluentes. Lei de 2012

14 Política Nacional da Mobilidade Urbana Lei de 2012 Diretrizes da regulação dos serviços Integração física, tarifária e operacional dos diferentes modos; A contratação dos serviços de transporte público coletivo deverá fixar metas de qualidade e desempenho;

15 Política Nacional da Mobilidade Urbana Direitos dos usuários Participar do planejamento; Lei de 2012 Ser informado nos pontos de embarque e desembarque sobre itinerários, horários, tarifas e modos de integração com outros modais; Ter ambiente seguro e acessível para utilização do Sistema Nacional de Mobilidade Urbana; Ser informado sobre os padrões de qualidade preestabelecidos;

16 Política Nacional da Mobilidade Urbana Lei de 2012 Atribuições da União Assistência financeira e contribuir para a capacitação aos Estados, DF e municípios; Organizar informações sobre o Sistema Nacional de Mobilidade Urbana; Fomentar o desenvolvimento tecnológico e científico; Fomentar projetos nas aglomerações urbanas e regiões metropolitanas;

17 Política Nacional da Mobilidade Urbana Lei de 2012 Atribuições da União Assistência financeira e contribuir para a capacitação aos Estados, DF e municípios; Organizar informações sobre o Sistema Nacional de Mobilidade Urbana; Fomentar o desenvolvimento tecnológico e científico; Fomentar projetos nas aglomerações urbanas e regiões metropolitanas;

18 Política Nacional da Mobilidade Urbana Lei de 2012 Atribuições dos Estados Propor política tributária para a implantação da Política Nacional de Mobilidade Urbana; Garantir a integração dos serviços nas áreas que ultrapassem os limites de um Município;

19 Política Nacional da Mobilidade Urbana Atribuições dos Municípios Executar a Política de Mobilidade Urbana; Capacitar pessoas; Lei de 2012 Prestar os serviços essenciais de transporte público coletivo urbano.

20 Política Nacional da Mobilidade Urbana Lei de 2012 Art. 5o - A Política Nacional de Mobilidade Urbana está fundamentada nos seguintes princípios: (...) VIII - equidade no uso do espaço público de circulação, vias e logradouros; e IX - eficiência, eficácia e efetividade na circulação urbana. (...)

21 Política Nacional da Mobilidade Urbana Lei de 2012 o automóvel hoje ocupa 90% do orçamento público viário nas grandes cidades, mas é responsável por somente 30 % das viagens (ANTP) Art. 6 A Política Nacional de Mobilidade Urbana é orientada pelas seguintes diretrizes: II - prioridade dos modos de transportes não motorizados sobre os motorizados e dos serviços de transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado; VI - priorização de projetos de transporte público coletivo estruturadores do território e indutores do desenvolvimento urbano integrado;

22 Política Nacional da Mobilidade Urbana Lei de 2012 Art. 5 A Política Nacional de Mobilidade Urbana está fundamentada nos seguintes princípios: VI - segurança nos deslocamentos das pessoas; Percentual de mortes no trânsito - Brasil Pedestre 36,7 30,4 25,8 Moto 2,1 11,4 21,6 Carro 10,7 19,2 21,3 Ciclista 0,9 3,8 4,4

23 Política Nacional da Mobilidade Urbana Lei de 2012 Energia consumida Consumo de Energia por passageiro transportado em São Paulo por modo (em kwh por viagem) Art. 6 A Política Nacional de Mobilidade Urbana é orientada pelas seguintes diretrizes: IV - mitigação dos custos ambientais, sociais e econômicos dos deslocamentos de pessoas e cargas na cidade; V - incentivo ao desenvolvimento científico-tecnológico e ao uso de energias renováveis e menos poluentes;

24 Política Nacional da Mobilidade Urbana Lei de 2012 Integração entre diferentes modos Art. 6 A Política Nacional de Mobilidade Urbana é orientada pelas seguintes diretrizes: III - integração entre os modos e serviços de transporte urbano; Art. 8 A política tarifária do serviço de transporte público coletivo é orientada pelas seguintes diretrizes: VII - integração física, tarifária e operacional dos diferentes modos e das redes de transporte público e privado nas cidades;

25 Política Nacional da Mobilidade Urbana Lei de 2012 Poluentes emitidos Art. 5 A Política Nacional de Mobilidade Urbana está fundamentada nos seguintes princípios: II - desenvolvimento sustentável das cidades, nas dimensões socioeconômicas e ambientais;

26 Os que projetos com recursos do PAC devem induzir A avaliação do investimento destinado à infraestrutura para não motorizados (custos, quantidade e qualidade); O fomento à indústria nacional - Medida Provisória nº 580/2012; O desenvolvimento e aperfeiçoamento dos Planos de Mobilidade Urbana; A coleta de dados sobre mobilidade urbana para concretização do Sistema de Informações da Mobilidade Urbana; A cooperação federativa e institucional para o desenvolvimento do Plano Nacional de Mitigação Mudanças Climáticas; A melhoria da estrutura local de gestão do serviços uso da infraestrutura investida; A continuidade dos investimentos em mobilidade urbana; O acesso universal à cidade e a melhoria da qualidade de vida da população; Participação social.

27 Objetivo Programa Pró-Transporte - FINANCIAMENTO Programa de Infraestrutura de Transporte e da Mobilidade Urbana Propiciar o aumento da mobilidade urbana, da acessibilidade, dos transportes coletivos urbanos e da eficiência da prestação de serviços, por meio de financiamento para o setor público e privado. Ações - Implantação, ampliação, modernização e/ou adequação da infraestrutura dos sistemas de transporte público coletivo urbano, incluindo-se obras civis, equipamentos, investimentos em tecnologia, sinalização e/ou aquisição de veículos e barcas afins - Ações voltadas à inclusão social, à mobilidade urbana e à acessibilidade - Obras e serviços complementares e equipamentos especiais destinados à acessibilidade, à utilização e à mobilidade de idosos, pessoas com deficiência ou restrição ode mobilidade, voltados à prevenção de acidentes. Recurso: Fundo de Garantia do Tempo de Serviço FGTS. Agente Operador: CAIXA Agente Financeiro: Bancos credenciados Contrapartida: 5% Prazo de pagamento: 30 anos para sistema sobre trilhos e 20 anos para demais obras; Carência: até 48 meses; Taxa de Juros: 6% ou 5,5%, para sistema sobre trilhos. 27

28 RECURSOS DO GOVERNO FEDERAL PARA A MOBILIDADE URBANA Orçamento Geral da União - OGU PROGRAMA MOBILIDADE URBANA Promover a articulação das políticas de transporte, trânsito e acessibilidade universal a fim de proporcionar a qualificação do sistema de mobilidade urbana de nossas cidades através do acesso amplo e democrático ao espaço de forma segura, socialmente inclusiva e sustentável. Apóia a elaboração de projetos e a implementação de intervenções viárias que priorizem e promovam os sistemas de transportes públicos de passageiros, de transportes e circulação não motorizada (passeios, passarelas, ciclofaixas, ciclovias, travessias, sinalização etc.), prevendo a integração entre as diversas modalidades de transportes e de circulação e a implantação do conceito de acessibilidade universal, para incluir na matriz da mobilidade urbana o deslocamento de pessoas com deficiência ou restrição de mobilidade. Valoriza os modos de transporte e de circulação não-motorizados, buscando reduzir os efeitos negativos advindos do modelo de cidade que construímos atualmente que aumentam os índices de poluição, de congestionamentos, de acidentes etc. Assim, entendemos que este programa valoriza o direito à circulação para todos os cidadãos e pode contribuir para tornar nossas cidades mais humanas e com melhor qualidade de vida. Recurso Livre Contrapartida: 0 a 5%

29 R$ (em milhões) Série Histórica da Execução Orçamentária 6.489, , ,85 86,94 123,87 147,06 57,06 0,72 Ano 116, ,95 189,17 50,44 77,75 176,78 1,29 19, , ,00 MOBILIDADE URBANA ACESSIBILIDADE SEGURANÇA NO TRÂNSITO PRÓ-TRANSPORTE PRÓ-MOB PAC COPA - BNDES PAC COPA - FGTS PAC 2 - PAV 29

30 R$ (em milhões) Série Histórica dos Recursos em Mobilidade ,00 Urbana , , ,72 57,78 631, OGU FINANCIAMENTO 30

31 Impacto da Copa no Debate da Mobilidade Urbana Houve estímulo na discussão sobre mobilidade urbana no âmbito dos governos federal, estadual e municipal. O evento Copa desencadeou investimentos vultosos em Mobilidade Urbana. Foram identificadas demandas reprimidas, principalmente de sistemas de transporte sobre trilhos, o que motivou a criação do Programa PAC Mobilidade Grandes Cidades e, posteriormente, o do PAC Mobilidade Médias Cidades. Houve uma modernização dos normativos internos e da legislação para agilizar as contratações para a Copa (RDC). Estas inovações foram estendidas para o PAC. A mobilidade urbana teve papel de destaque nas últimas eleições e passou a fazer parte das discussões entre candidatos à prefeito no mesmo grau de importância que a educação, a saúde, a segurança e a habitação.

32 Principais Dificuldades ao Longo do Processo Projetos sem o devido amadurecimento técnico Grande número de desapropriações e remoções involuntárias Obtenção de licenças junto a órgãos ambientais e de preservação de patrimônio histórico

33 PAC 2 MOBILIDADE GRANDES CIDADES Requalificar e implantar sistemas estruturantes de transporte público coletivo com ampliação de capacidade. Grupos Municípios e Distrito Federal Municípios MOB 1 MOB 2 MOB 3 Municípios sedes de RMs com mais de 3 milhões de hab. e o Distrito Federal Municípios com mais de 3 milhões de habitantes Municípios entre 1 e 3 milhões de hab. Municípios entre 700 mil e 1 milhão de hab. São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Fortaleza, Salvador, Curitiba, DF Manaus, Belém, Goiânia, Guarulhos, Campinas, São Luis Maceió, Teresina, Natal, Campo Grande, João Pessoa, Nova Iguaçu, São Bernardo do Campo TOTAL 22

34 PAC 2 MOBILIDADE GRANDES CIDADES GRUPO Total de Propostas OGU (R$) FIN(R$) TOTAL (R$) R$ Milhões MOB , , ,00 MOB , , ,00 MOB ,00 952, ,00 TOTAL , , ,00 TOTAL CONTRAPARTIDA ,00 TOTAL DE INVESTIMENTOS ,00

35 PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES Panorama Geral Demanda por Infraestruturas de Mobilidade Urbana PAC Médias Cidades Levantamento feito com base nas informações da carta-consulta preenchida pelo proponente 2.118,68 km de calçadas ao longo dos corredores 780,52 km de ciclovias/ciclofaixas ao longo dos corredores pontos de parada (Estações e Abrigos) 250 terminais 586,96 km de faixas exclusivas para ônibus 576,78 km de faixas preferenciais / semi-exclusivas Além disso foram selecionadas linhas de teleféricos (Vitória e Santos)

36 Investimento do Governo Federal em projetos de corredores de ônibus nos grandes centros urbanos - Ministério das Cidades Copa do Mundo Manaus Porto Alegre Cuiabá Belém Goiânia Curitiba Campo Grande Teresina Brasília São Luís Belo Horizonte Rio de Janeiro São Paulo Campinas Guarulhos São Bernardo do Campo Fortaleza João Pessoa Recife Natal Recursos FIN: 4,2 bilhões Total com Contrapartida dos Estados e Municípios: 5,8 bilhões Extensão: km PAC Mobilidade Grandes Cidades Recursos OGU: 3 bilhões Recursos FIN: 4, 5 bilhões Total com Contrapartida dos Estados e Municípios: 9,3 bilhões Extensão: km 15,1 bilhões em investimento +930 km de vias para o transporte público coletivo Fonte: MCidades/SEMOB

37 PAC 2 Pavimentação Etapa I, II e III Diretrizes Gerais Apóia a execução de obras de pavimentação e qualificação de vias por meio da implantação de pavimentação nova em vias existentes ou recapeamento destas, incluindo a infraestrutura necessária para sua plena funcionalidade, tal como: sistema de drenagem de águas pluviais, rede de abastecimento de água e rede de esgotamento sanitário, passeios com acessibilidade, sistemas cicloviários, medidas de moderação de tráfego, sinalização viária e elementos que promovam a acessibilidade universal.

38 Execução Seleção PAC 2 PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS Fases 1º Etapa 2º Etapa 3º Etapa 1 Prazo de inscrição 17/05/2010 a 11/06/ /06/2012 a 31/07/ /02/2013 a 05/04/ Valor mínimo de proposta R$ 1 milhão R$ 3 milhões R$ 5 milhões 3 Portaria de abertura nº 237 de 13/05/2010 nº /06/2012 nº 53 de 01/02/ Valor disponibilizado R$ 3 bilhões R$ 8 bilhões R$ 5 bilhões 5 Nº de propostas inscritas Valor total pleiteado R$ 19,39 bilhões R$ 23,32 bilhões R$ 46,5 bilhões 7 Nº de propostas selecionadas Valor selecionado R$ 2,4 bilhões R$ 8,24 bilhões 9 Portaria de seleção nº 646 de 23/12/2010 nº /03/ Nº de propostas contratadas Valor dos empreendimentos contratados R$ 1,5 bilhões 12 Valor de financiamento contratados R$ 1,36 bilhões 13 Nº de contratos vigentes outubro/ Nº de obras concluídas em setembro/ A Instrução Normativa de 8/2013, estabelece o calendário para contratação. Foi definido o prazo de 08/11/2013 para entrega de documentação ao agente financeiro. nº 481 de 23/10/2013, publicada no DOU em 24/10/2013

39 Pacto da Mobilidade Mais investimentos - R$ 50 bilhões Regiões Metropolitanas São Paulo Rio de Janeiro Salvador Belo Horizonte Curitiba Fortaleza Recife 10 municípios com mais de 700 mil habitantes Grande ABC e Baixada Santista

40 O que o Governo Federal está fazendo São 91 bilhões de investimentos, sendo 40% com recursos de financiamento e 16% com recursos do OGU. Dos 44% de contrapartidas, 30% dos recursos são dos Governos Estaduais, 7 % dos Municípios, 7% do setor privado. São 200 empreendimentos em 102 cidades Km em Sistemas de Transporte Coletivo Urbano. Tipo Modo Extensão - Km Metrô 275 Trilhos 578 km VLT 171 Trem Urbano 45 Monotrilho 67 Aeromóvel 20 Pneus Km Fluvial 11 Km Corredor de Ônibus BRT 589 Via Urbana 158 Corredor Fluvial 11

41 Belo Horizonte MG BRT Antonio Carlos/Pedro I Meta 4a (Centro/Pampulha)

42 Belo Horizonte MG BRT Antonio Carlos/Pedro I Meta 2 (Alargamento Av. Pedro I)

43 Belo Horizonte MG BRT Antonio Carlos/Pedro I Meta 4a (Centro/Pampulha)

44 Recife - PE Corredor Via Mangue (Rua Imperial Pilar 8)

45 Recife - PE BRT Leste/Oeste Ramal Cidade da Copa

46 Recife - PE Corredor Caxangá (Leste/Oeste)

47 Principais desafios Elaboração dos Planos de Mobilidade urbana das cidades brasileiras e das regiões metropolitanas que: Possibilita aos gestores uma visão global das demandas; Hierarquização e priorização dos investimentos a serem implantados; Maior participação social; Integração com os Planos diretores; Elaboração de projetos com antecedência; A análise do transporte sob o ponto de vista urbanístico;

48 Principais Perspectivas A melhoria da infraestrutura urbana como passeios, travessias, calçadas, arborização, ciclovias, integração entre os diversos modos de transporte etc; A melhoria dos sistemas de transporte coletivo de qualidade física e operacional nas médias e grandes cidades brasileiras; Ampliação da conscientização de que, nos deslocamentos diários, sobretudo movimentos pendulares (casa-trabalho, casa-escola), o transporte utilizado deve ser o público ou o individual não motorizado (à pé ou de bicicleta); O apoio contínuo em obras de mobilidade urbana; E de que as cidades menores se desenvolvam sob estas perspectivas;

49 Afinal, qual a cidade que queremos construir? Qual o caminho a seguir?

50 Obrigada! Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Secretário: Júlio Eduardo dos Santos (61) Diretoria de Mobilidade Urbana Diretora DeMOB: Luiza Gomide de Faria (61)

VII ENCONTRO BIENAL DE LOGÍSTICA E CADEIAS DE VALOR E SUPRIMENTOS MACKENZIE

VII ENCONTRO BIENAL DE LOGÍSTICA E CADEIAS DE VALOR E SUPRIMENTOS MACKENZIE VII ENCONTRO BIENAL DE LOGÍSTICA E CADEIAS DE VALOR E SUPRIMENTOS MACKENZIE POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA MARTHA MARTORELLI Mobilidade Urbana: Conceito Histórico

Leia mais

Breve panorama da Mobilidade Urbana no Brasil - Investimentos. - Contexto - Investimentos - Imagens - Desafios

Breve panorama da Mobilidade Urbana no Brasil - Investimentos. - Contexto - Investimentos - Imagens - Desafios Breve panorama da Mobilidade Urbana no Brasil - Investimentos - Contexto - Investimentos - Imagens - Desafios -Transporte integrado ao desenvolvimento urbano. - Redução das deseconomias urbanas da circulação.

Leia mais

Política Nacional de Mobilidade Urbana

Política Nacional de Mobilidade Urbana Ministério das Cidades SeMOB - Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana Política Nacional de Mobilidade Urbana Setembro 2013 A Presidência da República sancionou a Lei nº 12.587, em 3

Leia mais

MSC. CRISTINA BADDINI

MSC. CRISTINA BADDINI MSC. CRISTINA BADDINI Matriz e infraestrutura da mobilidade urbana São Paulo, 13 de abril de 2018 MSC. CRISTINA BADDINI LUCAS O que é uma CIDADE HUMANA EQUIDADE na apropriação do sistema viário; ACESSIBILIDADE

Leia mais

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de Aula 22.

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de Aula 22. Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de 2017 Aula 22 Mobilidade urbana 22. Mobilidade urbana assuntos da aula a mobilidade urbana atualmente

Leia mais

Semana Nacional do Trânsito de Pelotas

Semana Nacional do Trânsito de Pelotas Semana Nacional do Trânsito de Pelotas Mesa Redonda sobre Mobilidade Urbana Sustentável 21 de setembro de 2011 Roger Lima Lange Engenheiro Civil Diretor do SEST SENAT Mobilidade Urbana Sustentável Definição:

Leia mais

MOBILIDADE URBANA. Mauricio Muniz Barretto de Carvalho Secretário do PAC

MOBILIDADE URBANA. Mauricio Muniz Barretto de Carvalho Secretário do PAC MOBILIDADE URBANA Mauricio Muniz Barretto de Carvalho Secretário do PAC O QUE O GOVERNO FEDERAL JÁ FEZ Sanção da Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei 12.587/2012) Desoneração das tarifas do transporte

Leia mais

Mobilidade Urbana no Brasil. J. R. Generoso Secretário Nacional de Mobilidade Urbana

Mobilidade Urbana no Brasil. J. R. Generoso Secretário Nacional de Mobilidade Urbana Mobilidade Urbana no Brasil J. R. Generoso Secretário Nacional de Mobilidade Urbana Ministério das Cidades MINISTÉRIO DAS CIDADES Conselho das Cidades Secretaria Executiva CBTU Companhia Brasileira de

Leia mais

Rio de Janeiro 12 e 13 de março de 2014

Rio de Janeiro 12 e 13 de março de 2014 Rio de Janeiro 12 e 13 de março de 2014 Linha do Tempo 1965 a 2003 Extinção da GEIPOT Lei 10.233 / 2001 Criação da EBTU lei nº 6.261 em 1975 Extinção da EBTU Dec. 230 / 1991 Estatuto da Cidade Lei nº 10.257

Leia mais

AVANÇAR CIDADES Mobilidade Urbana FINANCIAMENTO

AVANÇAR CIDADES Mobilidade Urbana FINANCIAMENTO AVANÇAR CIDADES Mobilidade Urbana FINANCIAMENTO Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana CIDADES AVANÇAR CIDADES OBJETIVO DO PROGRAMA: Melhoria da circulação das pessoas nas cidades; Melhoria da qualidade

Leia mais

MARCO LEGAL Prof. Dr. Evaldo Ferreira. Coordenador PMUC

MARCO LEGAL Prof. Dr. Evaldo Ferreira. Coordenador PMUC Plano de Mobilidade Urbana de Cáceres MARCO LEGAL 3 Marco Legal A Constituição artigos 182 e 183. A política de mobilidade urbana é parte integrante dos planos diretores dos municípios brasileiros com

Leia mais

Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana

Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Projetos Ferroviários V BRASIL NOS TRILHOS 2012 Brasília, 4 e 5 de Setembro de 2012 Estratégia de atuação O Ministério das Cidades tomou como estratégia

Leia mais

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de Aula 13.

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de Aula 13. Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de 2018 Aula 13 Mobilidade urbana 13.1. Mobilidade urbana sustentável Mobilidade urbana: condição em que

Leia mais

FÓRUM ABDIB. 21 de Maio de 2019 SECRETARIA NACIONAL DE MOBILIDADE E SERVIÇOS URBANOS - SEMOB

FÓRUM ABDIB. 21 de Maio de 2019 SECRETARIA NACIONAL DE MOBILIDADE E SERVIÇOS URBANOS - SEMOB FÓRUM ABDIB 21 de Maio de 2019 SECRETARIA NACIONAL DE MOBILIDADE E SERVIÇOS URBANOS - SEMOB LINHA DO TEMPO SEMOB Processos seletivos com prazos definidos desde a criação do programa Pró-Transporte até

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA: PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA: PLANOS DE MOBILIDADE URBANA IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA: PLANOS DE MOBILIDADE URBANA São Paulo, 12 de setembro de 2012 Organização Não Governamental fundada em 2006 com a missão de apoiar a formulação e

Leia mais

Panorama do Setor Metroferroviário Brasileiro

Panorama do Setor Metroferroviário Brasileiro Panorama do Setor Metroferroviário Brasileiro JOÃO GOUVEIA Diretor Executivo da ANPTrilhos Palestra na Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro - SEAERJ 14 de Março de 2017 2

Leia mais

ÍNDICE ANEXO I PROCEDIMENTOS PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS CRITÉRIOS PARA ENQUADRAMENTO DOS MUNICÍPIOS...6

ÍNDICE ANEXO I PROCEDIMENTOS PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS CRITÉRIOS PARA ENQUADRAMENTO DOS MUNICÍPIOS...6 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. PARTICIPANTES... 3 3. BENEFICIÁRIOS... 3 4. AÇÕES FINANCIÁVEIS... 4 5. CONDIÇÕES DE FINANCIAMENTO... 4 6. PROCESSO PARA CONTRATAÇÃO... 5 6.1 PROCEDIMENTOS PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS...5

Leia mais

Gerência de Executiva de Governo de Porto Alegre GIGOV/PO

Gerência de Executiva de Governo de Porto Alegre GIGOV/PO Gerência de Executiva de Governo de Porto Alegre GIGOV/PO Investimentos em Saneamento: cenário econômico-político atual DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Carta consulta Quadro de Composição de Investimento (QCI) Justificativa

Leia mais

Mobilidade Urbana. Mobilidade em São Paulo

Mobilidade Urbana. Mobilidade em São Paulo Mobilidade Urbana Mobilidade em São Paulo Agosto/2017 Mobilidade em São Paulo A VISÃO DO PODER EXECUTIVO Poder Executivo de Trânsito De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro - CTB, compete aos órgãos

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO

PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO setembro 2014 Plano de Mobilidade Urbana de São Paulo Documentos de referência referências Plano Municipal de Circulação Viária e de Transporte - 2003 Consolidou

Leia mais

O MTUR e a Copa 2014 Copa do Mundo da FIFA 2014 Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro

O MTUR e a Copa 2014 Copa do Mundo da FIFA 2014 Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro Copa do Mundo da FIFA Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 2014 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro O MTUR e a Ponto de partida : garantias oferecidas pelo governo federal, estados e

Leia mais

COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017

COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017 COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017 A ANTP convida a todos os integrantes das entidades associadas, seus membros individuais e

Leia mais

INTRODUÇÃO. Para Vargas (2008), mobilidade urbana é:

INTRODUÇÃO. Para Vargas (2008), mobilidade urbana é: 3 INTRODUÇÃO Tratar o tema mobilidade urbana, na atualidade, significa transitar pelos vários aspectos do desenvolvimento das cidades brasileiras. O estímulo ao consumismo tem proporcionado o acesso a

Leia mais

MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL O DESAFIO DAS CIDADES BRASILEIRAS

MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL O DESAFIO DAS CIDADES BRASILEIRAS MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL O DESAFIO DAS CIDADES BRASILEIRAS Renato Boareto Diretor de Mobilidade Urbana SeMob Ministério das Cidades renato.boareto@cidades.gov.br www.cidades.gov.br INTRODUÇÃO 1- Crise

Leia mais

Novos Regulamentos e Seleções Públicas para Financiamento de Projetos. Mobilidade Urbana e Saneamento

Novos Regulamentos e Seleções Públicas para Financiamento de Projetos. Mobilidade Urbana e Saneamento Novos Regulamentos e Seleções Públicas para Financiamento de Projetos Mobilidade Urbana e Saneamento Marco Aurélio Queiroz Secretário-Executivo do Ministério das Cidades 12 de Julho de 2017. R$ 5,7 bilhões

Leia mais

PLANO SETORIAL DE TRANSPORTES E A LEI DA MOBILIDADE URBANA: desafios e oportunidades. André Luís Ferreira

PLANO SETORIAL DE TRANSPORTES E A LEI DA MOBILIDADE URBANA: desafios e oportunidades. André Luís Ferreira PLANO SETORIAL DE TRANSPORTES E A LEI DA MOBILIDADE URBANA: desafios e oportunidades André Luís Ferreira São Paulo, 26 de setembro de 2012 Mtep/ano Consumo de energia no setor de transporte 80 Fóssil Renovável

Leia mais

MALHA DE METRÔS E TRENS DE PASSAGEIROS PRECISA CRESCER 80%

MALHA DE METRÔS E TRENS DE PASSAGEIROS PRECISA CRESCER 80% MALHA DE METRÔS E TRENS PRECISA CRESCER 80% O Brasil precisa ampliar em pelo menos 850 km a malha de metrôs e trens de passageiros para modernizar o transporte urbano nas grandes cidades. Isso significa

Leia mais

Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana

Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana PAC 2 SÃO PAULO R$ 241,5 bilhões R$ milhões Eixo 2011-2014 Pós 2014 TOTAL Transportes 55.427 2.169 57.596 Energia 57.578 77.936 135.513 Cidade Melhor

Leia mais

Texto-base VII Conferência de Trânsito, Transporte e Mobilidade

Texto-base VII Conferência de Trânsito, Transporte e Mobilidade Texto-base VII Conferência de Trânsito, Transporte e Mobilidade Campinas/2018 O objetivo da elaboração do Plano de Mobilidade Urbana de Campinas é o de alinhar diferentes interesses e necessidades, a partir

Leia mais

MOBILIDADE URBANA. Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão

MOBILIDADE URBANA. Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão MOBILIDADE URBANA Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão MOBILIDADE URBANA RECURSO DISPONÍVEL 143 bilhões ANTES DO PACTO R$ 93 bilhões 62% das obras concluídas ou em execução

Leia mais

ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE URBANA

ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE URBANA ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE URBANA ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE URBANA Plano Diretor de 2008 SEÇÃO III DA ACESSIBILIDADE, DO TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA Define conceitos Define diretrizes para políticas

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES

MINISTÉRIO DAS CIDADES MINISTÉRIO DAS CIDADES LEODEGAR TISCOSKI Secretário Nacional de Acessibilidade e Programas Urbanos Florianópolis, 5 de dezembro de 2013 MCIDADES Estrutura Organizacional Decreto nº 4.665, de 3 de abril

Leia mais

Planejamento Urbano e Mobilidade

Planejamento Urbano e Mobilidade Planejamento Urbano e Mobilidade Mobilidade Sustentável Mobilidade Sustentável Evolução da Frota Evolução da Frota O automóvel colonizou a cidade, o espaço e o tempo de circulação: Tomou posse da rua Redesenhou

Leia mais

Mobilidade Urbana. Aspectos Gerais Infraestrutura PMUS Além de Infraestrutura Novos Caminhos

Mobilidade Urbana. Aspectos Gerais Infraestrutura PMUS Além de Infraestrutura Novos Caminhos Mobilidade Urbana Mobilidade Urbana Aspectos Gerais Infraestrutura PMUS Além de Infraestrutura Novos Caminhos Aspectos Gerais LEI Nº 12.587, DE 3 DE JANEIRO DE 2012, Política Nacional de Mobilidade Urbana

Leia mais

RIO: UMA CIDADE MAIS INTEGRADA 1

RIO: UMA CIDADE MAIS INTEGRADA 1 Mobilidade Urbana RIO: UMA CIDADE MAIS INTEGRADA 1 O transporte público é o centro de uma ampla política de transformação no Rio de Janeiro. O grande volume de investimentos em mobilidade urbana tem como

Leia mais

MOBILIDADE URBANA. Prof. Coca Ferraz - USP

MOBILIDADE URBANA. Prof. Coca Ferraz - USP MOBILIDADE URBANA Prof. Coca Ferraz - USP CARACTERÍSTICAS RELEVANTES DA MOBILIDADE Segurança Sustentabilidade ambiental Baixo custo Contribuir para gerar cidades humanas e eficientes Socialmente justa

Leia mais

para uma cidade melhor

para uma cidade melhor PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO CARLOS A participação da sociedade A participação da sociedade para uma cidade melhor Problemas urbanos Perda de tempo e dinheiro Viagens sem conforto Maior risco de

Leia mais

Demanda por Investimentos em Mobilidade Urbana Brasil/ ª Semana de Tecnologia Metroferroviária - AEAMESP setembro/2015

Demanda por Investimentos em Mobilidade Urbana Brasil/ ª Semana de Tecnologia Metroferroviária - AEAMESP setembro/2015 Demanda por Investimentos em Mobilidade Urbana Brasil/2014 21ª Semana de Tecnologia Metroferroviária - AEAMESP setembro/2015 AS PERGUNTAS Qual é o DÉFICIT de Infraestrutura de Mobilidade Urbana do BRASIL?

Leia mais

V Brasil nos Trilhos. Joubert Flores Presidente da ANPTrilhos Apoio:

V Brasil nos Trilhos. Joubert Flores Presidente da ANPTrilhos  Apoio: V Brasil nos Trilhos PAINEL ESTRATÉGICO: TRANSPORTE DE PASSAGEIROS Joubert Flores Presidente da ANPTrilhos www.anptrilhos.org.br Apoio: ANPTrilhos - Associados Metrô Rio SUPERVIA Concessionária de Transporte

Leia mais

BRUNO BATISTA. Diretor Executivo da CNT

BRUNO BATISTA. Diretor Executivo da CNT BRUNO BATISTA Diretor Executivo da CNT Painel 1 Painel 1: Déficit de Mobilidade sobre trilhos e soluções para acelerar os investimentos Mobilidade urbana O transporte sobre trilhos e a mobilidade urbana

Leia mais

Regulamento e financiamento da mobilidade urbana sustentável: como garantir qualidade sem aumentar os custos

Regulamento e financiamento da mobilidade urbana sustentável: como garantir qualidade sem aumentar os custos Regulamento e financiamento da mobilidade urbana sustentável: como garantir qualidade sem aumentar os custos Dario Rais Lopes Secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades

Leia mais

ARENA ANTP 2019 CONGRESSO BRASILEIRO DE MOBILIDADE URBANA SÃO PAULO 24, 25 E 26 SETEMBRO/2019 COMUNICAÇÕES TÉCNICAS REGULAMENTO

ARENA ANTP 2019 CONGRESSO BRASILEIRO DE MOBILIDADE URBANA SÃO PAULO 24, 25 E 26 SETEMBRO/2019 COMUNICAÇÕES TÉCNICAS REGULAMENTO ARENA ANTP 2019 CONGRESSO BRASILEIRO DE MOBILIDADE URBANA SÃO PAULO 24, 25 E 26 SETEMBRO/2019 COMUNICAÇÕES TÉCNICAS REGULAMENTO A ANTP convida os integrantes das entidades associadas à ANTP, seus membros

Leia mais

Fase 2 Pesquisa Domiciliar de Origem e Destino entrevistas

Fase 2 Pesquisa Domiciliar de Origem e Destino entrevistas Planejamento participativo Foram realizadas em todos os municípios da AMFRI para elaboração do Plan Mob: Fase 1 - Consultas Públicas 26 reuniões 742 cidadãos participantes 1.410 propostas produzidas Fase

Leia mais

COMO OS MUNICÍPIOS PODEM SE PLANEJAR PARA O PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO

COMO OS MUNICÍPIOS PODEM SE PLANEJAR PARA O PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO COMO OS MUNICÍPIOS PODEM SE PLANEJAR PARA O PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO DESAFIOS DE GESTÃO EM SERVIÇOS DE SANEAMENTO NAS CIDADES ENG.CIVIL ÁLVARO JOSÉ MENEZES DA COSTA VICE-PRESIDENTE DA ABES SALVADOR(BA)

Leia mais

São Paulo, setembro de 2010

São Paulo, setembro de 2010 16ª SEMANA DE TECNOLOGIA METRO-FERROVIÁRIA ASSOCIAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ARQUITETOS DE METRÔ AEAMESP. SOLUÇÕES DE TRANSPORTE MAIS ADEQUADAS PARA AS CIDADES O BNDES E OS INVESTIMENTOS NO SETOR DE TRANSPORTES

Leia mais

Projeto BRT. Projeto BRT Porto Alegre. Rede Atual de Transporte Coletivo Desenho Conceitual do BRT. ao Transmilenio. Abril

Projeto BRT. Projeto BRT Porto Alegre. Rede Atual de Transporte Coletivo Desenho Conceitual do BRT. ao Transmilenio. Abril Projeto BRT Porto Alegre Rede Atual de Transporte Coletivo Desenho Conceitual do BRT Projeto BRT Visita Técnica T ao Transmilenio Abril - 2010 Rede Atual de Transporte Coletivo Trem Metropolitano: (Dados

Leia mais

Sistema BRT e Metrô para Porto Alegre: evolução para uma rede estrutural integrada multimodal de transporte urbano e metropolitano.

Sistema BRT e Metrô para Porto Alegre: evolução para uma rede estrutural integrada multimodal de transporte urbano e metropolitano. Sistema BRT e Metrô para Porto Alegre: evolução para uma rede estrutural integrada multimodal de transporte urbano e metropolitano. Luís Cláudio Ribeiro 1 ; Maria de Fátima Mengue dos Santos 1 ; Severino

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº , DE 3 DE JANEIRO DE 2012.

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº , DE 3 DE JANEIRO DE 2012. LEI Nº 12.587, DE 3 DE JANEIRO DE 2012. Institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana; revoga dispositivos dos Decretos-Leis n os 3.326, de 3 de junho de 1941, e 5.405, de 13 de abril

Leia mais

DIRETRIZES PARA A BICICLETA NO PLANO DE GOVERNO DE FERNANDO HADDAD PARA A PREFEITURA DE SÃO PAULO

DIRETRIZES PARA A BICICLETA NO PLANO DE GOVERNO DE FERNANDO HADDAD PARA A PREFEITURA DE SÃO PAULO Promover a sustentabilidade com a melhoria da qualidade de vida e do ar, reduzir os congestionamentos, democratizar o uso do espaço viário, a acessibilidade aos bens e serviços e ampliar a inserção social

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS 2013/2014 Joubert Flores Presidente da ANPTrilhos Apoio: Quem Somos ANPTrilhos

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS PROJETO DE LEI Institui as diretrizes da política de mobilidade urbana e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º A política de mobilidade urbana

Leia mais

Transporte como Direito Social

Transporte como Direito Social Ministério das Cidades SeMOB - Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana Transporte como Direito Social Setembro 2013 Missão SeMOB Promover a Mobilidade Urbana para contribuir na construção

Leia mais

Planos de Mobilidade: princípios e desafios

Planos de Mobilidade: princípios e desafios Planos de Mobilidade: princípios e desafios Questão Primária: Afinal, o que é Mobilidade? O termo é relativamente recente.; Ainda causa confusão pelo vasto campo técnicocientífico em que vem sendo utilizado.

Leia mais

Observações sobre planos & recursos para mobilidade urbana

Observações sobre planos & recursos para mobilidade urbana Observações sobre planos & recursos para mobilidade urbana Dario Rais Lopes Secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades Ribeirão Preto, SP Julho de 2015 Agenda Planos

Leia mais

EMPREENDIMENTO DO VLT

EMPREENDIMENTO DO VLT SIM da RMBS Sistema Integrado Metropolitano Voltado à prestação do serviço de transporte público coletivo na Região Metropolitana da Baixada Santista RMBS Comitê técnico II - Desenvolvimento Socioeconômico,

Leia mais

Metrô Leve de Goiânia. Projeto Modelo para Cidades Brasileiras

Metrô Leve de Goiânia. Projeto Modelo para Cidades Brasileiras Metrô Leve de Goiânia Projeto Modelo para Cidades Brasileiras 1 Projeto modelo para cidades médias 1. Estrutura Institucional Pacto Metropolitano instituindo órgão gestor do transporte coletivo na região

Leia mais

Plano de Mobilidade e desafios da Lei da Mobilidade Urbana para os Municípios

Plano de Mobilidade e desafios da Lei da Mobilidade Urbana para os Municípios 78ª Reunião do Fórum nacional de Secretários(as) e Dirigentes Públicos de Transporte Urbanos e Trânsito Manaus 28 de junho de 2012 Plano de Mobilidade e desafios da Lei da Mobilidade Urbana para os Municípios

Leia mais

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 1 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 Sistema Integrado Metropolitano SIM e do Veículo Leve sobre Trilhos VLT (Metrô Leve) 2 Secretaria dos Transportes Metropolitanos STM Três

Leia mais

VI Brasil nos Trilhos Mobilidade Urbana Sustentável. Ministério das Cidades

VI Brasil nos Trilhos Mobilidade Urbana Sustentável. Ministério das Cidades VI Brasil nos Trilhos Mobilidade Urbana Sustentável Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Agosto de 2014 Fernando Araldi Contextualização do Problema Mobilidade

Leia mais

Área de Inclusão Social - BNDES 17 ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

Área de Inclusão Social - BNDES 17 ª Semana de Tecnologia Metroferroviária Área de Inclusão Social - BNDES 17 ª Semana de Tecnologia Metroferroviária Viabilização de recursos para o setor metroferroviário setembro de 2011 Estrutura Organizacional DEURB Atribuições do BNDES /

Leia mais

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA. RENATO BOARETO 15 de outubro de 2013

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA. RENATO BOARETO 15 de outubro de 2013 A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO 15 de outubro de 2013 O Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA) é uma organização da sociedade civil dedicada à melhoria da mobilidade urbana,

Leia mais

Como estaremos daqui a 25 anos? Estudo de Mobilidade Urbana Plano Diretor Regional de Mobilidade. Seminário SINAENCO / SC

Como estaremos daqui a 25 anos? Estudo de Mobilidade Urbana Plano Diretor Regional de Mobilidade. Seminário SINAENCO / SC Como estaremos daqui a 25 anos? Estudo de Mobilidade Urbana Plano Diretor Regional de Mobilidade Seminário SINAENCO / SC Guilherme Medeiros Engenheiro Coordenador Técnico SC Participações e Parcerias S.A.

Leia mais

Adaptação climática em megacidades: refletindo sobre impactos, demandas e capacidades de resposta de São Paulo

Adaptação climática em megacidades: refletindo sobre impactos, demandas e capacidades de resposta de São Paulo Adaptação climática em megacidades: refletindo sobre impactos, demandas e capacidades de resposta de São Paulo IAG/USP - OUTUBRO 2014 Mobilidade urbana: agenda ambiental LEI Nº 14.933, DE 5 DE JUNHO DE

Leia mais

ATUALIDADE S. Prof. Roberto. Um desafio ATUAL.

ATUALIDADE S. Prof. Roberto. Um desafio ATUAL. ATUALIDADE S Prof. Roberto Um desafio ATUAL. MOBILIDADE URBANA Todas as atividades dependem de um bom deslocamento na cidade! Ir a escola; Ir ao Trabalho; Frequentar uma academia; Usar um posto de saúde;

Leia mais

Brasília - Brasil Maio de 2006

Brasília - Brasil Maio de 2006 Brasília - Brasil Maio de 2006 Diagnóstico Início Diagnóstico Objetivos do Programa Intervenções Propostas Avanço das Atividades Tratamento Viário Diagnóstico Início Diagnóstico Objetivos do Programa Intervenções

Leia mais

Foto: Por gelinh. Flickr Creative Commons. Programa Cidades Sustentáveis

Foto: Por gelinh. Flickr Creative Commons. Programa Cidades Sustentáveis Foto: Por gelinh. Flickr Creative Commons Programa Cidades Sustentáveis Realização O Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social é uma organização sem fins lucrativos, caracterizada como Oscip

Leia mais

"Seminário Internacional de Mobilidade Urbana"

Seminário Internacional de Mobilidade Urbana "Seminário Internacional de Mobilidade Urbana" CREA - MG Março de 2013 Formas de Atuação Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituições financeiras credenciadas

Leia mais

SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico PROJETO DE MOBILIDADE URBANA 4 de Setembro de 2009

SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico PROJETO DE MOBILIDADE URBANA 4 de Setembro de 2009 SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico PROJETO DE MOBILIDADE URBANA 4 de Setembro de 2009 Agenda Crescimento de Manaus Seleção de solução de mobilidade urbana Oportunidade

Leia mais

PPP s em Projetos de Infraestrutura 8º Encontro de Logística e Transportes

PPP s em Projetos de Infraestrutura 8º Encontro de Logística e Transportes PPP s em Projetos de Infraestrutura 8º Encontro de Logística e Transportes Maio, 2013 Agenda Porque acreditamos nas PPP s Temos interesse em financiar as PPP s Oportunidades e desafios das PPP s Potenciais

Leia mais

ב MOBILIDADE EM METRÓPOLES

ב MOBILIDADE EM METRÓPOLES AULA ABERTA AUP-278 PLANEJAMENTO URBANO - ESTRUTURAS ה ב MOBILIDADE EM METRÓPOLES COMPARANDO MODAIS DE TRANSPORTE PÚBLICO URBANO Abril, 2015 Eng. Sergio Ejzenberg, MSc. sergio@ejzenberg.com.br MOBILIDADE

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA DE 2016 Recomenda os conteúdos mínimos dos Planos de Mobilidade Urbana previstos na Lei nº 12.587/2012. O CONSELHO DAS CIDADES, no uso

Leia mais

Seminário de Mobilidade Urbana e Acessibilidade 23/11/2016

Seminário de Mobilidade Urbana e Acessibilidade 23/11/2016 Seminário de Mobilidade Urbana e Acessibilidade 23/11/2016 Lei de Uso e Ocupação do Solo Paulo Roberto Secretário de Planejamento Ponte Nova 31 99989-1636 23/11/2016 Mobilidade Urbana: é a condição em

Leia mais

LEI Nº , DE 3 DE JANEIRO DE 2012

LEI Nº , DE 3 DE JANEIRO DE 2012 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação LEI Nº 12.587, DE 3 DE JANEIRO DE 2012 Institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana; revoga dispositivos dos Decretos-Leis nºs

Leia mais

Formas de Atuação. Operações Diretas. Operações Indiretas. Contratadas diretamente com o BNDES. Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES

Formas de Atuação. Operações Diretas. Operações Indiretas. Contratadas diretamente com o BNDES. Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES Outubro de 2013 Formas de Atuação Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES EMPRESÁRIO Informação e Relacionamento Instituição

Leia mais

Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade

Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade 1 Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade Fernando Soares dos Santos (*) O planejamento das cidades para as próximas décadas passa, necessariamente,

Leia mais

Sustentável em Metrópoles

Sustentável em Metrópoles ..... ה ב Viabilidade da Mobilidade Sustentável em Metrópoles Agosto, 2017 Eng. Sergio Ejzenberg, M.Sc 55-11-99972-2476 sergio@ejzenberg.com.br MOBILIDADE EM METRÓPOLES SUMÁRIO 1. O modal individual é

Leia mais

Companhia de Engenharia de Tráfego CET

Companhia de Engenharia de Tráfego CET Secretaria Municipal de Transporte SMT Sec e a a u cpa de a spo e S Companhia de Engenharia de Tráfego CET Anhanguera Bandeirantes Fernão Dias Presidente Dutra Ayrton Senna MAIRIPORÃ Castello Branco CAIEIRAS

Leia mais

Painel 3 Tarifas, financiamento e sustentabilidade do setor

Painel 3 Tarifas, financiamento e sustentabilidade do setor Painel 3 Tarifas, financiamento e sustentabilidade do setor Marcos Bicalho dos Santos Brasília-DF, 01 de junho de 2017 Estrutura da apresentação 1. Tarifa pública x Tarifa de remuneração; 2. Fontes externas

Leia mais

Transporte público à beira do colapso

Transporte público à beira do colapso Transporte público à beira do colapso Niterói -RJ 9 de Maio de 2018 Otávio Cunha Presidente Executivo Contexto Escolhemos dar incentivos ao transporte individual motorizado em detrimento do transporte

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana O Brasil vai continuar crescendo O Brasil vai continuar crescendo PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS MINISTÉRIO

Leia mais

Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura

Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura 1 Visão Geral do Setor Visão Geral Setor Saneamento Grandes Números Brasil Abastecimento de Água Representação espacial do índice médio de atendimento

Leia mais

Comunidades Planejadas e Propostas em Mobilidade Urbana X A Política de Desenvolvimento Urbano

Comunidades Planejadas e Propostas em Mobilidade Urbana X A Política de Desenvolvimento Urbano Comunidades Planejadas e Propostas em Mobilidade Urbana X A Política de Desenvolvimento Urbano Brasília, 07 de maio de 2015 Roteiro 1. A Política Nacional de Desenvolvimento Urbano 2. Avanços institucionais

Leia mais

Instrução Normativa nº. 22, de 10 de maio de 2010

Instrução Normativa nº. 22, de 10 de maio de 2010 Ministério das Cidades Gabinete do Ministro Regulamenta o Programa de Infraestrutura de Transporte e da Mobilidade Urbana -PRÓ- TRANSPORTE. O MINISTRO DE ESTADO DAS CIDADES, no uso das atribuições que

Leia mais

Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei /2012) e os Planos de Mobilidade

Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei /2012) e os Planos de Mobilidade Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei 12.587/2012) e os Planos de Mobilidade Criação da Política Nacional de Mobilidade Urbana Durante o século XX, o automóvel passou a dominar as cidades brasileiras,

Leia mais

II ENCUENTRO INTERNACIONAL INCLUSIÓN SOCIAL EN LOS METROS LA INCLUSIÓN SOCIAL EM SISTEMAS DE TRANSPORTE LA EXPERIENCIA BRASILEÑA

II ENCUENTRO INTERNACIONAL INCLUSIÓN SOCIAL EN LOS METROS LA INCLUSIÓN SOCIAL EM SISTEMAS DE TRANSPORTE LA EXPERIENCIA BRASILEÑA II ENCUENTRO INTERNACIONAL INCLUSIÓN SOCIAL EN LOS METROS LA INCLUSIÓN SOCIAL EM SISTEMAS DE TRANSPORTE LA EXPERIENCIA BRASILEÑA LIMA, DICIEMBRE del 2012 Prof. Dr. Emilio Merino INDICE 1. Que es la movilidad

Leia mais

MOBILIDADE E GOVERNANÇA METROPOLITANA

MOBILIDADE E GOVERNANÇA METROPOLITANA MOBILIDADE E GOVERNANÇA METROPOLITANA Renato Boareto Seminário Internacional 28 de Agosto de 2009 UFABC 1 Regiões Metropolitanas Relação de Cidades Estados Regiões Metropolitanas Data de N o Criação Municípios

Leia mais

A Lei /07 e O PAC Saneamento Marcha dos Prefeitos - Brasília / DF abril/08

A Lei /07 e O PAC Saneamento Marcha dos Prefeitos - Brasília / DF abril/08 A Lei 11.445/07 e O PAC Saneamento Marcha dos Prefeitos - Brasília / DF abril/08 O DARIN DAGES DDCOT LEI 11.445/07 Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico e para a política federal de

Leia mais

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo As Cidades mudaram População mudou A Economia mudou Os Meios de Transportes mudaram E nós? Ainda pensamos igual ao passado? Em TRANSPORTE COLETIVO chega-se ao

Leia mais

Superintendência Executiva de Saneamento e Infraestrutura para Grandes Empresas - SP

Superintendência Executiva de Saneamento e Infraestrutura para Grandes Empresas - SP Superintendência Executiva de Saneamento e Infraestrutura para Grandes Empresas - SP 1 Visão Geral do Setor Visão Geral Setor Saneamento Grandes Números Brasil Abastecimento de Água Representação espacial

Leia mais

CARTA COMPROMISSO ASSUNTOS DE INTERESSE CORPORATIVO

CARTA COMPROMISSO ASSUNTOS DE INTERESSE CORPORATIVO CARTA COMPROMISSO O SINDIURBANO-PR (Sindicato dos Trabalhadores em Urbanização do Estado do Paraná), o Sindicato mantém histórico de atuação em prol dos interesses, direitos e melhores condições de trabalho

Leia mais

A cidade do futuro. Marcus Quintella

A cidade do futuro. Marcus Quintella A cidade do futuro Marcus Quintella marcus.quintella@fgv.br O transporte público multimodal é chave para cidades eficientes e sustentáveis Integração é a base da multimodalidade Fonte: Capima (capima.com.br)

Leia mais

A CAMPANHA CONCEITO ALVO AÇÕES PRODUTOS RESULTADOS CAMPANHA

A CAMPANHA CONCEITO ALVO AÇÕES PRODUTOS RESULTADOS CAMPANHA A CAMPANHA CONCEITO ALVO AÇÕES PRODUTOS RESULTADOS CAMPANHA Colocar as coisas em ordem, de forma organizada. São lembranças nostálgicas. Sistema de transporte com maior capacidade. Indignação com a matriz

Leia mais

Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas. nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística

Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas. nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas e desafios nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística Projetos e Programas de Investimentos para o Setor de Infraestrutura no Brasil

Leia mais

Desafio da Integração do Transporte Público

Desafio da Integração do Transporte Público Desafio da Integração do Transporte Público Introdução QUEM SOMOS A ANPTrilhos - Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - é uma Associação Civil, sem fins lucrativos, de âmbito

Leia mais

BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO. superintendente da anptrilhos

BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO. superintendente da anptrilhos BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2 0 1 4 / 2 0 1 5 Roberta marchesi superintendente da anptrilhos 2 Quem Somos ANPTrilhos é uma Associação Civil, sem fins lucrativos, de âmbito nacional, com sede em Brasília/DF

Leia mais

Carta de compromisso com a mobilidade por bicicletas - candidatos a prefeito

Carta de compromisso com a mobilidade por bicicletas - candidatos a prefeito Em abril de 2012 a Ciclocidade e o CicloBR iniciaram o projeto Eleições 2012 e a bicicleta em São Paulo, com objetivo de promover a discussão sobre o tema durante as eleições e garantir o compromisso dos

Leia mais

Plano de Segurança Viária Município de São Paulo. Subprefeitura de Sapopemba

Plano de Segurança Viária Município de São Paulo. Subprefeitura de Sapopemba Plano de Segurança Viária Município de São Paulo Subprefeitura de Sapopemba Vida Segura: política pública de segurança viária do município de São Paulo. Ainda está em fase de elaboração. Out/nov/dez: 32

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPALDE GUAÍRA APROVA:

A CÂMARA MUNICIPALDE GUAÍRA APROVA: Projeto de Lei 36 de 17 de Novembro de 2016. Aprova o Plano de Mobilidade Urbana de Guaíra, estabelece normas, diretrizes e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPALDE GUAÍRA APROVA: CAPÍTULO I DO CONCEITO

Leia mais