Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs PBH. Etapas 1 e 2

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs PBH. Etapas 1 e 2"

Transcrição

1 Programa da Nações Unidas para o Desenvolvimento Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs PBH. Etapas 1 e 2 Projetos de Conversão Industrial no Setor de Espumas

2 PBH 1ª Etapa 64ª Reunião do Comitê Executivo do Fundo Multilateral para Implementação do Protocolo de Montreal (Julho/2011) Linha de base do consumo brasileiro de HCFC (t PDO) Consumo / Projeção t PDO Consumo real ,50 Consumo real ,00 Projeção consumo máximo 2011 (+3,93%) 1.287,69 Consumo real ,39 Projeção consumo máximo Congelamento 1.327,30 Consumo real ,25 Consumo máximo 2015 (- 16,6%) (1.327,3 220,3) Consumo máximo 2020 (- 35%) 862,7 Consumo máximo 2025 (- 67,5%) 431,4 Consumo máximo 2030 (- 97,5%) 33,2 Consumo 2040 (- 100%) 0

3 PBH 1ª Etapa Projetos de Conversão Industrial no Setor de Espumas Objetivo: eliminar 168,8 t PDO de HCFC-141b utilizado como agente expansor no processo de produção de espumas de poliuretano; Setor Aplicação Consumo a ser eliminado t PDO t SDO Painéis Contínuos 32,4 294,1 Manufatura PU Pele Integral /Flexíveis Moldadas 86,8 789,21 PU Rígido 49,6 450,91 Total 168, ,22 Converter subsetores por completo Tecnologias adequadas disponíveis Agência implementadora: PNUD

4 PBH Componente 2 Projetos de Conversão Industrial no Setor de Espumas Tipo de Projeto Qtd empresas Qtd projetos ISF/FMF - Projetos em Grupo ISF/FMF - Projetos Individuais 11 8 Painéis Contínuos - Projetos Individuais 4 4 PU Rígidos - Projetos em Grupo PU Rígidos - Projetos Individuais 8 8 Total ~400 32

5 PBH Componente 2 Projetos de Conversão Industrial no Setor de Espumas Projetos Individuais Mecanismo de Implementação contratação direta da empresa Nº de etapas 1 Objetivo Empresa realiza a própria conversão Projetos em Grupo Mecanismo de Implementação contratação direta da empresa Nº de etapas 2 Objetivo da 1º etapa casa de sistema realiza a própria conversão Objetivo da 2ª etapa conversão dos usuários finais.

6 PBH Componente 2 Projetos de Conversão Industrial no Setor de Espumas Situação atual Projetos individuais Projeto 1º 2ª 3º 4º Isoeste Isoblock Danica Panisol Luguez Frisokar Duoflex Spandy Cairu Kalf Espumatec 1º - Plano de seleção da tecnologia 2º - Plano de conversão da planta 3º - Conversão da planta e certificado de adequado 4º - Certificação de completa eliminação de HCFC-141b

7 PBH Componente 2 Projetos de Conversão Industrial no Setor de Espumas Situação atual Projetos em grupo Projeto 1º 2ª 3º 4º Amino Ariston Dow Ecoblaster Polyurethane Polisystem Purcom Univar U-Tech Shimtek 1º - Plano de seleção da tecnologia 2º - Plano de conversão da planta 3º - Conversão da planta e certificado de adequado 4º - Certificação de completa eliminação de HCFC-141b

8 Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs 2º Fase Setor de Espumas Todos os setores remanescentes serão incluídos na 2ª fase Subsetores: painéis descontínuos; refrigeração comercial; transporte refrigerado; garrafas térmicas; aquecedores de água e aquecedores solares; spray, blocos. Empresas de pequeno e médio porte Tipos de Projetos Projetos guarda-chuva (projetos em grupo) Projetos individuais

9 Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs 2º Fase Setor de Espumas Critérios para definição do tipo de projeto Projetos guarda-chuva: pequenas empresas Projetos individuais: consumo de HCFC-141b maior que 20 toneladas Critérios de Elegibilidade da empresa Capital de país em desenvolvimento (Artigo 5 Protocolo de Montreal) Fundação: anterior a setembro de 2007 Critérios de Elegibilidade dos equipamentos Aquisição: anterior a setembro de 2007

10 Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs 2º Fase Setor de Espumas Inventário Março a Julho de 2014 Objetivo: Conhecer o cenário atual do mercado de PU rígido Visitas as Casas de Sistema: compreensão inicial sobre o mercado; Manifestação de Interesse: Casas de Sistema e usuários finais Correspondência às Casas de Sistema: informações sobre usuários finais; Visitas de campo: casas de sistema e usuários finais; Agregação de dados de importação e venda; Agregação de dados sobre casas de sistemas e usuários fianis.

11 Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs 2º Fase Setor de Espumas Proposta de estratégia para 2º Etapa Agosto de 2014 Preparação dos projetos Dezembro de 2014 Confidencialidade dos dados: utilizados exclusivamente para preparação dos projetos Preparação dos projetos não envolverá qualquer custo por parte da empresa Tecnologia definida pelo usuário final Projetos preparados de acordo com a tecnologia definida

12 Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs 2º Fase Setor de Espumas Consolidação da proposta Fevereiro de 2015 Consultas Março a Maio de 2015 GT-HCFC, PROZON, Consulta Pública Documento final Junho de 2015 Apresentação ao Comitê Executivo Agosto de 2015

13 Proteção da Camada de Ozônio: A missão continua. Obrigada pela atenção! Unidade de Monitoramento e Implementação UIM Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD Marina Ribeiro Ana Paula Leal Rafael Moser

Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs PBH. Etapas 1 e 2

Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs PBH. Etapas 1 e 2 Programa da Nações Unidas para o Desenvolvimento Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs PBH. Etapas 1 e 2 Projetos de Conversão Industrial no Setor de Espumas PBH 1ª Etapa Projetos de Conversão Industrial

Leia mais

Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs PBH

Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs PBH Programa da Nações Unidas para o Desenvolvimento Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs PBH Componente 2: Projetos de Conversão Industrial no Setor de Espumas situação atual Compromisso assumido Eliminar

Leia mais

PROGRAMA BRASILEIRO DE ELIMINAÇÃO DOS HCFCs PBH. Fábio Moraes dos Santos Analista Ambiental Coordenação CPCO

PROGRAMA BRASILEIRO DE ELIMINAÇÃO DOS HCFCs PBH. Fábio Moraes dos Santos Analista Ambiental Coordenação CPCO PROGRAMA BRASILEIRO DE ELIMINAÇÃO DOS HCFCs PBH Fábio Moraes dos Santos Analista Ambiental Coordenação CPCO Evolução do buraco da Camada de Ozônio na Antártida Setembro 1980 Setembro 2011 Setembro 1980

Leia mais

Eliminação de HCFC-22: Estratégia Proposta para o Setor de Manufatura de Equipamentos de Refrigeração e Ar Condicionado no Brasil

Eliminação de HCFC-22: Estratégia Proposta para o Setor de Manufatura de Equipamentos de Refrigeração e Ar Condicionado no Brasil Eliminação de HCFC-22: Estratégia Proposta para o Setor de Manufatura de Equipamentos de Refrigeração e Ar Condicionado no Brasil 11a. Reunião do Grupo de Trabalho de HCFCs São Paulo, 19 de março de 2015

Leia mais

Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável

Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs (PBH) Etapa II - Proposta para o Setor de Serviços Stefanie von Heinemann Seite 1 Diagnóstico do Setor de

Leia mais

Protocolo de Montreal

Protocolo de Montreal Protocolo de Montreal Ajuste aprovado em 2007: Decisão XIX/6 da 19ª Reunião das Partes do Protocolo Aceleração do Cronograma de Eliminação dos HCFCs Consumo de HCFCs no Brasil Substância t SDO t PDO HCFC-22

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA RESÍDUOS DE GASES DE EFEITO ESTUFA (GEE) PROTOCOLO DE MONTREAL

LOGÍSTICA REVERSA RESÍDUOS DE GASES DE EFEITO ESTUFA (GEE) PROTOCOLO DE MONTREAL LOGÍSTICA REVERSA RESÍDUOS DE GASES DE EFEITO ESTUFA (GEE) PROTOCOLO DE MONTREAL Setembro/2014 Oseas Omena SDOs Substâncias que destroem a camada de ozônio Substâncias químicas sintetizadas pelo homem,

Leia mais

Politica Nacional sobre Mudanças do Clima Plano Nacional de Mudanças climáticas

Politica Nacional sobre Mudanças do Clima Plano Nacional de Mudanças climáticas Brasília, 21 de setembro de 2011 Audiência Pública Senado Federal 5a. Reunião Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas -CMMC Politica Nacional sobre Mudanças do Clima Plano Nacional de Mudanças

Leia mais

PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS DE HCFCs EM SUPERMERCADOS

PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS DE HCFCs EM SUPERMERCADOS PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS DE HCFCs EM SUPERMERCADOS EDITAL DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE 1. CONTEXTO Na 64ª Reunião do Comitê Executivo do Fundo Multilateral para Implementação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Consultoria Nacional

TERMO DE REFERÊNCIA Consultoria Nacional TERMO DE REFERÊNCIA Consultoria Nacional I - IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO: Projeto PNUD BRA/10/G71 Fortalecimento Institucional para a Proteção da Camada de Ozônio II - CONTEXTO DA CONTRATAÇÃO O Protocolo

Leia mais

PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS DE HCFCs EM SUPERMERCADOS

PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS DE HCFCs EM SUPERMERCADOS PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS DE HCFCs EM SUPERMERCADOS EDITAL DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE 1. CONTEXTO Na 64ª Reunião do Comitê Executivo do Fundo Multilateral para Implementação

Leia mais

RECOLHIMENTO, RECICLAGEM E REGENERAÇÃO DE FLUIDOS REFRIGERANTES: bom para o Meio Ambiente, bom para você!

RECOLHIMENTO, RECICLAGEM E REGENERAÇÃO DE FLUIDOS REFRIGERANTES: bom para o Meio Ambiente, bom para você! Ministério do Meio Ambiente MMA Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental Departamento de Mudanças Climáticas Coordenação de Proteção da Camada de Ozônio Telefone: (61) 2028-1934 Fax: (61)

Leia mais

FUNDO MULTILATERAL PARA IMPLEMENTAÇÃO DO PROTOCOLO DE MONTREAL SOBRE SUBSTÂNCIAS QUE PREJUDICAM A CAMADA DE OZÔNIO

FUNDO MULTILATERAL PARA IMPLEMENTAÇÃO DO PROTOCOLO DE MONTREAL SOBRE SUBSTÂNCIAS QUE PREJUDICAM A CAMADA DE OZÔNIO FUNDO MULTILATERAL PARA IMPLEMENTAÇÃO DO PROTOCOLO DE MONTREAL SOBRE SUBSTÂNCIAS QUE PREJUDICAM A CAMADA DE OZÔNIO INFORMAÇÕES DO PROJETO PAÍS BRASIL AGÊNCIA DE IMPLEMENTAÇÃO: PNUD TÍTULO DO PROJETO Plano

Leia mais

DIA MUNDIAL DA PRESERVAÇÃO DA CAMADA DE OZONO

DIA MUNDIAL DA PRESERVAÇÃO DA CAMADA DE OZONO REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE DIRECÇÃO NACIONAL DE GESTÃO DO AMBIENTE UNIDADE NACIONAL DO OZONO 16 DE SETEMBRO DIA MUNDIAL DA PRESERVAÇÃO DA CAMADA DE OZONO LUANDA - ANGOLA 2010 Angola 1 PROTOCOLO

Leia mais

Eliminação do Consumo de Hidroclorofluorcarbonos - HCFCs

Eliminação do Consumo de Hidroclorofluorcarbonos - HCFCs SECRETARIA DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E QUALIDADE AMBIENTAL - SMCQ Eliminação do Consumo de Hidroclorofluorcarbonos - HCFCs FRANK AMORIM ANALISTA AMBIENTAL Mecanismo de destruição da molécula de ozônio Radiação

Leia mais

Metilal como agente de expansão em espumas de poliuretano

Metilal como agente de expansão em espumas de poliuretano Nossa História Arinos Química Metilal como agente de expansão em espumas de poliuretano Autor: Felipe B. Janunci 0 INTRODUÇÃO Atualmente o HCFC141b é o agente de expansão físico mais utilizado no mercado

Leia mais

A Eliminação das Substâncias Destruidoras da Camada de Ozônio no Brasil

A Eliminação das Substâncias Destruidoras da Camada de Ozônio no Brasil Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental Departamento de Mudanças Climáticas Coordenação de Proteção da Camada de Ozônio A Eliminação das Substâncias Destruidoras

Leia mais

PROGRAMA BRASILEIRO DE ELIMINAÇÃO DOS HCFCs PBH. Proposta Preliminar para Consulta Pública

PROGRAMA BRASILEIRO DE ELIMINAÇÃO DOS HCFCs PBH. Proposta Preliminar para Consulta Pública REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL PROGRAMA BRASILEIRO DE ELIMINAÇÃO DOS HCFCs PBH Proposta Preliminar para Consulta Pública MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Coordenação Nacional PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA

Leia mais

Sumário Executivo PROTEÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO

Sumário Executivo PROTEÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO PROTEÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO Sumário Executivo O Brasil tem feito sua parte ao se analisar os esforços internacionais para a proteção da Camada de Ozônio. O Protocolo de Montreal estabelece as obrigações

Leia mais

Proteção da Camada de Ozônio

Proteção da Camada de Ozônio Proteção da Camada de Ozônio 1. O que é o ozônio? O ozônio (O 3 ) é um dos gases minoritários mais importantes que, embora encontrado em toda a atmosfera, concentra-se (cerca de 90% do total) na região

Leia mais

F lu í d o s Re f ri g e r ant es. Capital Comércio de Refrigeração Ltda. Rua Guaiaúna, 380 São Paulo SP www.capitalrefrig.com.br

F lu í d o s Re f ri g e r ant es. Capital Comércio de Refrigeração Ltda. Rua Guaiaúna, 380 São Paulo SP www.capitalrefrig.com.br F lu í d o s Re f ri g e r ant es Alte rnat ivos NOSSO OBJETIVO COM ESTA A P RESENTAÇÃO Nosso objetivo! Compartilhar uma visão presente e futura para fluidos refrigerantes; Ajudar nossos clientes na tomada

Leia mais

Consumo Nacional de Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio CFC.

Consumo Nacional de Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio CFC. Nome do Indicador: Consumo Nacional de Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio CFC. Os clorofluorcarbonos (CFC's) são substâncias artificiais que foram por muito tempo utilizadas nas indústrias de

Leia mais

A Camada de Ozônio Encontra-se localizada entre 20 e 35 km de altitude e tem como função proteger a Terra do excesso de radiação ultravioleta do tipo B. Nos seres humanos, a exposição à radiação UV-B está

Leia mais

PROJETO BRA12G77 - PNUD / MMA PROJETO DEMONSTRATIVO PARA O GERENCIAMENTO INTEGRADO DO SETOR DE CHILLERS

PROJETO BRA12G77 - PNUD / MMA PROJETO DEMONSTRATIVO PARA O GERENCIAMENTO INTEGRADO DO SETOR DE CHILLERS PROJETO BRA12G77 - PNUD / MMA PROJETO DEMONSTRATIVO PARA O GERENCIAMENTO INTEGRADO DO SETOR DE CHILLERS MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PARA PROCESSO DE RETROCOMISSIONAMENTO EM EDIFÍCIOS LOCALIZADOS EM SÃO PAULO

Leia mais

FIELD VISIT REPORT. Update on partnership strategy

FIELD VISIT REPORT. Update on partnership strategy Date of visit: 29 de setembro a 03 de outubro de 2014 Subject and venue of visit: BRA/12/G76 Santa Catarina e Paraná Purpose of the field visit: Outputs Output Status Reasons if progress below target 00081493

Leia mais

Comissão Setorial de Poliuretanos FEIPLAR/FEIPUR 11 a 13 de Novembro de 2014

Comissão Setorial de Poliuretanos FEIPLAR/FEIPUR 11 a 13 de Novembro de 2014 Comissão Setorial de Poliuretanos FEIPLAR/FEIPUR 11 a 13 de Novembro de 2014 Brasil: uma vocação natural para a indústria química País rico em petróleo, gás, biodiversidade, minerais e terras raras Comissão

Leia mais

SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS E EFICIENTES DAS ESPUMAS RÍGIDAS PARA A CADEIA DO FRIO

SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS E EFICIENTES DAS ESPUMAS RÍGIDAS PARA A CADEIA DO FRIO SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS E EFICIENTES DAS ESPUMAS RÍGIDAS PARA A CADEIA DO FRIO RODNEI MASSAMITI ABE DOW BRASIL S.A. SÃO PAULO, BRASIL NOVEMBRO, 2014 AGENDA Propriedades das Espumas PUR A Cadeia do Frio Soluções

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR JANEIRO 75 0 75 2 73 1440 0 1440 104 1336 7 0 7 5 2 119 0 119 1 118 293 0 293 11 282 225 0 225 5 220 2 0 2 0 2 116 0 116 4 112 Página 1 de 12 FEVEREIRO 73 0 73 2 71 1336 0 1336 385 951 2 0 2 2 0 118 0

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR. Planilha Controle de Estoque - Materiais de Limpeza - 2013 ESTOQUE ANTERIOR

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR. Planilha Controle de Estoque - Materiais de Limpeza - 2013 ESTOQUE ANTERIOR JANEIRO 20 0 20 1 19 13 0 13 0 13 0 5 5 0 5 16 0 16 1 15 17 0 17 0 17 5 0 5 2 3 20 0 20 2 18 107 0 107 5 102 59 0 59 1 58 23 0 23 1 22 215 0 215 7 208 60 0 60 1 59 5 0 5 0 5 5 0 5 1 4 Página 1 de 12 FEVEREIRO

Leia mais

O PROTOCOLO DE MONTREAL E A ELIMINAÇÃO DAS SDOs NO BRASIL

O PROTOCOLO DE MONTREAL E A ELIMINAÇÃO DAS SDOs NO BRASIL Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental Departamento de Mudanças Climáticas Coordenação de Proteção da Camada de Ozônio O PROTOCOLO DE MONTREAL E A ELIMINAÇÃO

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Relatório com as principais notícias divulgadas pela mídia

Leia mais

O que é o ozônio e onde se encontra?

O que é o ozônio e onde se encontra? O que é o ozônio e onde se encontra? zônio é um gás naturalmente presente na atmosfera. Cada O molécula contém três átomos de oxigênio e é quimicamente designado por O 3. Figura 1: Formação de Ozônio na

Leia mais

Linha Baymer Nova Geração de Expansores. Phase-out 141b

Linha Baymer Nova Geração de Expansores. Phase-out 141b Linha Baymer Nova Geração de Expansores Phase-out 141b Phase out HCFC s Nas últimas discussões entre os países signatários do Protocolo de Montreal ficaram estabelecidas novas metas para eliminação dos

Leia mais

Relatório de Auditoria. Exercício de 2012 e 2013. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD

Relatório de Auditoria. Exercício de 2012 e 2013. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD Relatório de Auditoria Exercício de 2012 e 2013 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Controladoria-Geral da União Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD Projeto BRA/10/G71 Fortalecimento Institucional

Leia mais

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2011

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2011 Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2011 Resumo Este documento apresenta o Inventário corporativo de Emissões Diretas e Indiretas

Leia mais

CAPACITAÇÃO DOS AGENTES DO SNVS EM TRANSPORTE DEMATERIAL BIOLÓGICO

CAPACITAÇÃO DOS AGENTES DO SNVS EM TRANSPORTE DEMATERIAL BIOLÓGICO CAPACITAÇÃO DOS AGENTES DO SNVS EM TRANSPORTE DEMATERIAL BIOLÓGICO Experiências no transporte de sangue e componentes para fins terapêuticos. Fundação Hemocentro de Brasília Fábio de França Martins Gerência

Leia mais

Substitutos do HCFC 141b Baseados. no Solkane 365 mfc

Substitutos do HCFC 141b Baseados. no Solkane 365 mfc Substitutos do HCFC 141b Baseados Substitutos no Solkane do HCFC 365 141b mfc Baseados Considerações Técnicas, Econômicas e Ambientais no Solkane 365 mfc Considerações Técnicas, Econômicas e Ambientais

Leia mais

Resultado da Consulta Pública 2012 Instrução Normativa sobre Controlde HCFC

Resultado da Consulta Pública 2012 Instrução Normativa sobre Controlde HCFC Resultado da Consulta Pública 2012 Instrução Normativa sobre Controlde HCFC COLABORADOR SUGESTÃO COMENTÁRIO IBAMA ACEITO REDAÇÃO FINAL Correção de digitação e adequação de linguagem (preâmbulo 4º parágrafo,

Leia mais

Mundo PU. Mundo PU é uma publicação trimestral do negócio de poliuretanos da Dow na América Latina. Ed. 3 / Jun. 2015

Mundo PU. Mundo PU é uma publicação trimestral do negócio de poliuretanos da Dow na América Latina. Ed. 3 / Jun. 2015 Mundo PU Mundo PU é uma publicação trimestral do negócio de poliuretanos da Dow na América Latina Ed. 3 / Jun. 2015 Marcelo Fizner, Diretor de Marketing Novos modelos, novas soluções A Dow Poliuretanos

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS

AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS Eng. Eduardo Linzmayer RESUMO Avaliação e levantamento das emissões de fluidos nos sistemas de refrigeração; Importância

Leia mais

Negócio de Distribuição APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL (PORTUGUÊS) SETEMBRO, 2015

Negócio de Distribuição APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL (PORTUGUÊS) SETEMBRO, 2015 Negócio de Distribuição 2015 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL (PORTUGUÊS) SETEMBRO, 2015 O Grupo 2 NOSSOS NEGÓCIOS B 2 B 4 C B 2 B B 2 C DISTRIBUIÇÃO Nutrição Animal Saúde Animal Química Industrial CONSUMO Lego

Leia mais

PARA BOAS PRÁTICAS EM

PARA BOAS PRÁTICAS EM PROGRAMA BRASILEIRO DE ELIMINAÇÃO DOS HCFCs-PBH TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO PARA BOAS PRÁTICAS EM SISTEMAS DE AR CONDICIONADO DO TIPO SPLIT Diga não aos vazamentos. Juntos, protegendo a camada de ozônio.

Leia mais

Pós-Graduação em Mercados Financeiros 2013/2014. 1º Semestre

Pós-Graduação em Mercados Financeiros 2013/2014. 1º Semestre Pós-Graduação em Mercados Financeiros 2013/2014 1º Semestre Novembro Dia 05 Dia 07 Dia 12 Dia 14 ------- Dia 19 Dia 21 Dia 26 Dia 28 Dezembro Dia 03 Dia 05 Dia 10 Dia 12 Dia 17 15 de dezembro de 2013 a

Leia mais

EEGM Mecanismo de Garantia de Eficiência Energética. Alvaro Silveira

EEGM Mecanismo de Garantia de Eficiência Energética. Alvaro Silveira EEGM Mecanismo de Garantia de Eficiência Energética Alvaro Silveira Institucional Quem somos? O Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento (PNUD) é o órgão da Organização das Nações Unidas (ONU)

Leia mais

DANILO MINSONI. P o l i o l P o l i é s t e r

DANILO MINSONI. P o l i o l P o l i é s t e r DANILO MINSONI P o l i o l P o l i é s t e r chimica organicaindustrialendustriale milanese c o i m B r a s i l N E G Ó C I O S Sistemas PU Solados U r e x t e r N o v a c o t e Sistemas Adesivos PU P

Leia mais

Chamada para Seleção de Artigos

Chamada para Seleção de Artigos Chamada para Seleção de Artigos 1. Contextualização: O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, responsável pelo monitoramento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, junto aos países membros

Leia mais

SISTEMAS DE POLIURETANO POLYURETHANE

SISTEMAS DE POLIURETANO POLYURETHANE SISTEMAS DE POLIURETANO POLYURETHANE Introdução A Univar Brasil conta com um laboratório exclusivo para desenvolvimento e aplicação de sistemas de poliuretano. Uma série de produtos especiais é desenvolvida

Leia mais

SEMOLA, Marcos. Gestão da segurança da informação: uma visão executiva. Rio de Janeiro: Campus, 2003.

SEMOLA, Marcos. Gestão da segurança da informação: uma visão executiva. Rio de Janeiro: Campus, 2003. Segurança da Informação - 2 Maio / 2008 SEMOLA, Marcos. Gestão da segurança da informação: uma visão executiva. Rio de Janeiro: Campus, 2003. 1 A segurança da informação é: uma área do conhecimento dedicada

Leia mais

Glossário O Q U E O B R A S I L E S T Á F A Z E N D O P A R A A P R O T E Ç Ã O D A C A M A D A D E O Z Ô N I O

Glossário O Q U E O B R A S I L E S T Á F A Z E N D O P A R A A P R O T E Ç Ã O D A C A M A D A D E O Z Ô N I O Glossário CFC Conama Consumo GTZ HC HFC HCFG Ibama PDO PFC PNC PNUD SDOs Unido Clorofluorcarbono Conselho Nacional do Meio Ambiente Produção de determinada substância, excluindo-se suas importação, exportação

Leia mais

Pós-Graduação em Mercados Financeiros 2015. 1º Semestre

Pós-Graduação em Mercados Financeiros 2015. 1º Semestre Pós-Graduação em Mercados Financeiros 2015 1º Semestre Janeiro Dia 20 Dia 22 Dia 27 Dia 29 Fevereiro Dia 03 Dia 05 Dia 10 Dia 12 Dia 17 Dia 19 (a reagendar) Dia 24 Dia 26 Março Dia 03 Dia 05 Dia 10 Dia

Leia mais

Análise documental do desempenho social no MIX

Análise documental do desempenho social no MIX Análise documental do desempenho social no MIX 2013 Âmbito do processo de análise documental O MIX procura continuamente oferecer ao setor de microfinanças os dados mais confiáveis possíveis. Para esse

Leia mais

Pós-Graduação em Mercados Financeiros 2012/2013. 1º Semestre

Pós-Graduação em Mercados Financeiros 2012/2013. 1º Semestre Pós-Graduação em Mercados Financeiros 2012/2013 1º Semestre Outubro Dia 23 Dia 25 Dr. Luis Máximo dos Santos Novembro Dia 06 Dia 08 Dia 13 Dia 15 Dia 20 Dia 22 Dia 27 Dia 29 Dezembro Dia 04 Dia 06 Dia

Leia mais

PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 3 O QUE É PLANEJAMENTO DE VENDAS E OPERAÇÕES?

PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 3 O QUE É PLANEJAMENTO DE VENDAS E OPERAÇÕES? PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 3 O QUE É PLANEJAMENTO DE VENDAS E OPERAÇÕES? Índice 1. O que é planejamento de...3 1.1. Resultados do planejamento de vendas e operações (PVO)...

Leia mais

PRÊMIO QUALIDADE TOTAL ANOREG PQTA 2014 10ª EDIÇÃO REGULAMENTO

PRÊMIO QUALIDADE TOTAL ANOREG PQTA 2014 10ª EDIÇÃO REGULAMENTO PRÊMIO QUALIDADE TOTAL ANOREG PQTA 2014 10ª EDIÇÃO REGULAMENTO 1. ÍNDICE ÍNDICE... 2 2. APRESENTAÇÃO... 3 ANOREG BR Associação dos Notários e Registradores do Brasil...3 Missão... 3 Visão... 3 Política

Leia mais

PACDE Projecto de Apoio à Competitividade e Desenvolvimento do Sector Privado MESE MECANISMO DE SUBSÍDIOS EMPRESARIAIS

PACDE Projecto de Apoio à Competitividade e Desenvolvimento do Sector Privado MESE MECANISMO DE SUBSÍDIOS EMPRESARIAIS PACDE Projecto de Apoio à Competitividade e Desenvolvimento do Sector Privado MESE MECANISMO DE SUBSÍDIOS EMPRESARIAIS I. ÍNDICE I. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA 1. O que é o Programa 2. Entidades Beneficiárias

Leia mais

PARA BOAS PRÁTICAS DE

PARA BOAS PRÁTICAS DE PROGRAMA BRASILEIRO DE ELIMINAÇÃO DOS HCFCs-PBH TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO PARA BOAS PRÁTICAS DE REFRIGERAÇÃO EM SUPERMERCADOS Diga não aos vazamentos. Juntos, protegendo a camada de ozônio. PROGRAMA BRASILEIRO

Leia mais

O Manejo de Residuos, a Gestão Ambiental e a Sustentabilidade

O Manejo de Residuos, a Gestão Ambiental e a Sustentabilidade O Manejo de Residuos, a Gestão Ambiental e a Sustentabilidade Profa. Dra. Anelise Leal Vieira Cubas Unisul Universidade do Sul de Santa Catarina Unisul Virtual RESÍDUOS Resíduo: Qualquer material ou substância

Leia mais

APLICAÇÕES E INJEÇÃO DO POLIURETANO NO ISOLAMENTO TÉRMICO, COM TECNOLOGIAS ECOLÓGICAS COMO SUBSTITUTIVOS DO HCFC 141b E POLIOL VEGETAL

APLICAÇÕES E INJEÇÃO DO POLIURETANO NO ISOLAMENTO TÉRMICO, COM TECNOLOGIAS ECOLÓGICAS COMO SUBSTITUTIVOS DO HCFC 141b E POLIOL VEGETAL APLICAÇÕES E INJEÇÃO DO POLIURETANO NO ISOLAMENTO TÉRMICO, COM TECNOLOGIAS ECOLÓGICAS COMO SUBSTITUTIVOS DO HCFC 141b E POLIOL VEGETAL 23 DE SETEMBRO DE 2015 - SÃO PAULO A HISTÓRIA Ainda jovem na Itália,

Leia mais

União em benefício global

União em benefício global União em benefício global o completar 20 anos de vigência em Setembro de 2007, o Protocolo de Montreal consolida-se A como um dos mais eficientes acordos multilaterais estabelecidos pelo sistema das Nações

Leia mais

Capítulo 1 Introdução ao Guia de Ferramentas

Capítulo 1 Introdução ao Guia de Ferramentas Capítulo 1 Introdução ao Guia de Ferramentas 1. OBJETIVO DO GUIA DE FERRAMENTAS Então você está pensando em começar ou expandir um negócio de energia limpa? Este é um guia passo a passo para que seu negócio

Leia mais

ORCAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM Alcanena 2016

ORCAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM Alcanena 2016 ORCAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM Alcanena 20 Critérios de Participação Artigo 1º Missão O Orçamento Participativo Jovem do Município de Alcanena é um processo de envolvimento e auscultação da população jovem

Leia mais

Usando Pentano, Metil Formato, Metilal, Formulações HFOs e Soluções Aquosas

Usando Pentano, Metil Formato, Metilal, Formulações HFOs e Soluções Aquosas SEMINARIO SOBRE ALTERNATIVAS AO HCFC PARA O SETOR DE ESPUMA SOLUÇÕES EM TECNOLOGIAS E MAQUINÁRIOS Usando Pentano, Metil Formato, Metilal, Formulações HFOs e Soluções Aquosas SAIP Uma empresa flexivel e

Leia mais

Como as tecnologias de PU contribuem para redução de custos nos edifícios

Como as tecnologias de PU contribuem para redução de custos nos edifícios Como as tecnologias de PU contribuem para redução de custos nos edifícios Fernando Resende, Eng., Msc, MBA, LEED AP BD+C Gerente de Desenvolvimento de Mercado Latam covestro.com Objetivo Discutir como

Leia mais

O Histórico da Evolução das Políticas Climáticas O Papel Governamental

O Histórico da Evolução das Políticas Climáticas O Papel Governamental O Histórico da Evolução das Políticas Climáticas O Papel Governamental Roberto Kishinami Consultor Independente para DESK GREEN ECONOMY Projeto Desenvolvimento Sustentável Bilateral Câmara Ítalo Brasileira

Leia mais

PROTOCOLO DE MONTREAL. CONTROLE DAS SUBSTÂNCIAS QUE DESTROEM A CAMADA DE OZÔNIO - SDOs IBAMA

PROTOCOLO DE MONTREAL. CONTROLE DAS SUBSTÂNCIAS QUE DESTROEM A CAMADA DE OZÔNIO - SDOs IBAMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS IBAMA PROTOCOLO DE MONTREAL CONTROLE DAS SUBSTÂNCIAS QUE DESTROEM A CAMADA DE OZÔNIO - SDOs IBAMA

Leia mais

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências.

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. PORTARIA No- 192, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010 Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. O ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

Hidrofluorolefinas (HFOs) Alternativa Viável para Substituição de HCFC141b em Espumas Rígidas de Poliuretanos

Hidrofluorolefinas (HFOs) Alternativa Viável para Substituição de HCFC141b em Espumas Rígidas de Poliuretanos FEIPUR 2014 - São Paulo, Novembro Hidrofluorolefinas (HFOs) Alternativa Viável para Substituição de HCFC141b em Espumas Rígidas de Poliuretanos Paulo Altoe e Rodnei Abe - Dow Brasil Evolução dos Agentes

Leia mais

Gestão de Recursos Hídricos

Gestão de Recursos Hídricos Gestão de Recursos Hídricos Sustentabilidade e o Valor Econômico da Água na Mineração José Roberto Centeno Cordeiro Leonardo Mitre Alvim de Castro ANGLO FERROUS BRAZIL PLANO DA APRESENTAÇÃO 1. AS VISÕES

Leia mais

Desafios Motivadores do Investimento

Desafios Motivadores do Investimento Desafios Motivadores do Investimento Governança Corporativa Auditoria Aumentar as Receitas Reports para Acionistas Prevenção Compliance Mitigar Riscos Reduzir Custos Diminuir a carga Operacional Eliminar

Leia mais

Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte. João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com

Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte. João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com Sobre a WayCarbon 7 anos no mercado sul-americano de consultoria em mudanças climáticas Portifólio de projetos

Leia mais

NECESSIDADE DE CONHECIMENTO DAS EMISSÕES NOS PROCESSOS PRODUTIVOS. Inventários de Emissões

NECESSIDADE DE CONHECIMENTO DAS EMISSÕES NOS PROCESSOS PRODUTIVOS. Inventários de Emissões NECESSIDADE DE CONHECIMENTO DAS EMISSÕES NOS PROCESSOS PRODUTIVOS Inventários de Emissões O QUE É UM INVENTÁRIO? Um inventário corporativo de emissões diretas e indiretas de gases de efeito estufa é a

Leia mais

Índice. Metalfrio Solutions. Histórico. Fábricas. Responsabilidade Social e Política de Recursos Humanos. Responsabilidade Ambiental

Índice. Metalfrio Solutions. Histórico. Fábricas. Responsabilidade Social e Política de Recursos Humanos. Responsabilidade Ambiental Índice Metalfrio Solutions Histórico Fábricas Responsabilidade Social e Política de Recursos Humanos Responsabilidade Ambiental Política da Qualidade Dados Financeiros Produtos Life Cycle Solutions A Empresa

Leia mais

Implantação da Governança a de TI na CGU

Implantação da Governança a de TI na CGU Implantação da Governança a de TI na CGU José Geraldo Loureiro Rodrigues Diretor de Sistemas e Informação Controladoria-Geral da União I Workshop de Governança de TI da Embrapa Estratégia utilizada para

Leia mais

Resolução CC-52, de 23-6-2004

Resolução CC-52, de 23-6-2004 Resolução CC-52, de 23-6-2004 ANEXO I Institui a Política e o Plano Estratégico de Uso de Software na Administração Pública Estadual O Secretário-Chefe da Casa Civil, na qualidade de Presidente do Comitê

Leia mais

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa. Ano de referência do inventário: 2014. Inventário Parcial

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa. Ano de referência do inventário: 2014. Inventário Parcial Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Ano de referência do inventário: 2014 1. Dados do inventário Banco Santander S.A. (Brasil) Tipo de preenchimento: 1.1 Responsável pela elaboração do inventário

Leia mais

Consulta Pública RESOLUÇÃO DA CPP N. 000/2011

Consulta Pública RESOLUÇÃO DA CPP N. 000/2011 Consulta Pública O Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação (DPP), por intermédio de sua Diretoria de Fomento à niciação Científica (Diric), encaminha à comunidade acadêmica da Universidade de Brasília consulta

Leia mais

Realizar Serviços, Projetos, Venda, Manutenção e Instalação de Sistemas de Climatização e Tratamento de Ar, em todas as áreas de atuação.

Realizar Serviços, Projetos, Venda, Manutenção e Instalação de Sistemas de Climatização e Tratamento de Ar, em todas as áreas de atuação. QUEM SOMOS A ARC SERVICE Comércio e Serviços Ltda, é uma empresa constituída por um corpo técnico altamente qualificado para Projetar, Instalar e Realizar Manutenções em Sistemas de Refrigeração Industrial

Leia mais

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Introdução O International Accreditation Forum (IAF) é uma associação mundial de Organismos de Acreditação, Associações de Organismos de Certificação e outras

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA E GESTÃO AMBIENTAL

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA E GESTÃO AMBIENTAL METODOLOGIA O curso é dividido em 14 Módulos, sendo 01 módulo de introdução ao curso, 06 módulos com foco em Gestão Ambiental, 06 módulos com foco em Tecnologia Ambiental e 01 módulo correspondente ao

Leia mais

A nova versão da ISO 9001:2015 - Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos

A nova versão da ISO 9001:2015 - Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos A nova versão da ISO 9001:2015 - Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos Criada pela International Organization for Standardization (ISO), a ISO 9001 é uma série de normas sobre gestão da qualidade

Leia mais

Recuperação energética de gás de aterro & Créditos de carbono. Fórum Permanente "Meio Ambiente e Sociedade"

Recuperação energética de gás de aterro & Créditos de carbono. Fórum Permanente Meio Ambiente e Sociedade Recuperação energética de gás de aterro & Créditos de carbono Fórum Permanente "Meio Ambiente e Sociedade" São Paulo, Brasil 15 de Outubro de 2013 Sumário MDL & Créditos de Carbono Panorama do Mercado

Leia mais

Mecanismo de Garantia para Eficiência Energética e Energias Renováveis (EEGM) Alvaro Silveira Atla Consultoria

Mecanismo de Garantia para Eficiência Energética e Energias Renováveis (EEGM) Alvaro Silveira Atla Consultoria Mecanismo de Garantia para Eficiência Energética e Energias Renováveis (EEGM) Alvaro Silveira Atla Consultoria Institucional Quem somos? O Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento (PNUD) é o órgão

Leia mais

Metas Centrais do Projeto

Metas Centrais do Projeto Metas Centrais do Projeto Aumento no investimento de EE em edificações públicas e privadas de US$ 93 milhões Pelo menos 10 Instituições Financeiras incluindo instituições locais (e quantia de pelo menos

Leia mais

Projeto AC-DEFESA AGENDA. Objetivo

Projeto AC-DEFESA AGENDA. Objetivo Objetivo AGENDA Agenda Viabilidade do Projeto AC-Defesa Aplicações Arquitetura Geral Organograma Organização dos Trabalhos do Projeto Marcos do Projeto Conclusão Objetivo AGENDA Agenda Viabilidade do Projeto

Leia mais

Proteção da Camada de Ozônio: Convenção de Viena e Protocolo de Montreal

Proteção da Camada de Ozônio: Convenção de Viena e Protocolo de Montreal Ficha Catalográfica (preparado pelo Setor de Biblioteca da CETESB) S242e São Paulo (Estado). Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Entendendo o Meio Ambiente / Coordenador geral [do] Secretário de Estado

Leia mais

Painel Setorial Isolamento para a Linha Branca refrigeradores e fogões

Painel Setorial Isolamento para a Linha Branca refrigeradores e fogões Painel Setorial Isolamento para a Linha Branca refrigeradores e fogões INMETRO XERÉM 22/AGO/2012 Relações Institucionais/Sustentabilidade: Milton Mondardo Filho 1 SUMÁRIO 1. Sistemas de Isolamento Refrigeradores

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Gestão de Contratos

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Gestão de Contratos Módulo Suprimentos Gestão de Contratos Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Suprimentos Gestão de Contratos. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO 05.11.2015 SUMÁRIO INTRODUÇÃO DEFINIÇÃO DE PORTFÓLIO CENÁRIO NEGATIVO DOS PORTFÓLIOS NAS ORGANIZAÇÕES GOVERNANÇA

Leia mais

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2010

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2010 Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2010 Resumo Este documento apresenta o Inventário corporativo de Emissões Diretas e Indiretas

Leia mais

16 de Setembro - Dia Mundial da Proteção da Camada de Ozônio

16 de Setembro - Dia Mundial da Proteção da Camada de Ozônio 16 de Setembro - Dia Mundial da Proteção da Camada de Ozônio A Camada de Ozônio e sua Importância para a Preservação da Vida na Terra Armando Tanimoto Paulo Soares Sumário Introdução Origem do Trabalho

Leia mais

Belo Horizonte, uma Cidade Cada vez Melhor!

Belo Horizonte, uma Cidade Cada vez Melhor! Belo Horizonte, uma Cidade Cada vez Melhor! Data de Fundação População Belo Horizonte 12 de dezembro de 1897 (118 anos) 2.375.151 hab. Área 331,401 km 2 População por Região Administrativa de Belo Horizonte

Leia mais

PROJETO BRA12G77 - PNUD / MMA PROJETO DEMONSTRATIVO PARA O GERENCIAMENTO INTEGRADO DO SETOR DE CHILLERS

PROJETO BRA12G77 - PNUD / MMA PROJETO DEMONSTRATIVO PARA O GERENCIAMENTO INTEGRADO DO SETOR DE CHILLERS PROJETO BRA12G77 - PNUD / MMA PROJETO DEMONSTRATIVO PARA O GERENCIAMENTO INTEGRADO DO SETOR DE CHILLERS MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PARA PROCESSO DE RETROCOMISSIONAMENTO EM EDIFÍCIOS LOCALIZADOS EM BRASILIA

Leia mais

Tratados internacionais sobre o meio ambiente

Tratados internacionais sobre o meio ambiente Tratados internacionais sobre o meio ambiente Conferência de Estocolmo 1972 Preservação ambiental X Crescimento econômico Desencadeou outras conferências e tratados Criou o Programa das Nações Unidas para

Leia mais

MPX Assina Acordos Definitivos para Joint Venture com a E.ON

MPX Assina Acordos Definitivos para Joint Venture com a E.ON MPX ENERGIA S.A. CNPJ/MF: 04.423.567/0001-21 Companhia Aberta BOVESPA: MPXE3 MPX Assina Acordos Definitivos para Joint Venture com a E.ON Rio de Janeiro, 18 de abril de 2012 MPX Energia S.A. ( MPX ou Companhia

Leia mais

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação?

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação? O que é a norma ISO? Em linhas gerais, a norma ISO é o conjunto de cinco normas internacionais que traz para a empresa orientação no desenvolvimento e implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para:

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: PARTE 2 Sistema de Gestão da Qualidade SGQ Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: Possibilitar a melhoria de produtos/serviços Garantir a satisfação

Leia mais

As perspectivas de políticas públicas para gestão da energia e eficiência energética no Brasil

As perspectivas de políticas públicas para gestão da energia e eficiência energética no Brasil As perspectivas de políticas públicas para gestão da energia e eficiência energética no Brasil São Paulo, 5 de dezembro de 2013 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO BRASIL Principais Programas e Resultados Lei de

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS E PRODUTOS PERIGOSOS Uso RESOLUÇÃO CONAMA nº 267 de 2000

GESTÃO DE RESÍDUOS E PRODUTOS PERIGOSOS Uso RESOLUÇÃO CONAMA nº 267 de 2000 RESOLUÇÃO CONAMA nº 267, de 14 de setembro de 2000 Publicada no DOU n o 237, de 11 de dezembro de 2000, Seção 1, páginas 27-29 Correlações: Alterada pela Resolução n o 340/03 (revogado o art. 7 o e alterado

Leia mais

Caminhos da Embraco na CHINA

Caminhos da Embraco na CHINA Caminhos da Embraco na CHINA A Embraco hoje %)&& *& " & & # + $$2! " & 34,- & #&*.&! "# $ %& ' (" 0 & "& &*'1 & $- & # / 1 Plantas e pessoas 567 5 8* $9$

Leia mais