Orçamento do Estado para 2013 (2.ª parte) Atualização fiscal

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Orçamento do Estado para 2013 (2.ª parte) Atualização fiscal"

Transcrição

1 Orçamento do Estado para 2013 (2.ª parte) Atualização fiscal Abílio Sousa Janeiro 2013

2 Alterações ao Decreto-Lei n.º 198/2012, de 24 de Agosto Medidas de controlo de emissão de faturas

3 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto O Decreto -Lei n.º 198/2012, de 24 de agosto, estabelece a obrigação de comunicação AT, por transmissão eletrónica de dados, dos elementos das faturas emitidas por pessoas, singulares ou coletivas, que possuam sede, estabelecimento estável ou domicílio fiscal em território português e aqui pratiquem operações sujeitas IVA, ainda que dele isento 3

4 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto O prazo legal para esta comunicação, que inicialmente deveria ser feita até ao dia 8 do mês seguinte ao da emissão da fatura, passou para o dia 25 do mês seguinte ao da emissão da fatura 4

5 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto Esta comunicação poderá ser efetuada por uma das seguintes vias: por transmissão eletrónica de dados em tempo real, integrada em programa de faturação eletrónica; por transmissão eletrónica de dados, mediante remessa de ficheiro normalizado estruturado com base no ficheiro SAF-T (PT), contendo os elementos das faturas; por inserção direta no Portal das Finanças; por outra via eletrónica, em termos a definir pelo Ministro das Finanças 5

6 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto Onde?: 6

7 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto Os sujeitos passivos que sejam obrigados a produzir o ficheiro SAF-T (PT), devem obrigatoriamente optar: por enviar por transmissão eletrónica de dados em tempo real, integrada em programa de faturação eletrónica ou por transmissão eletrónica de dados, mediante remessa de ficheiro normalizado estruturado com base no ficheiro SAF-T (PT), contendo os elementos das faturas 7

8 Portaria n.º 426-A/2012 de 28 de dezembro Aprova o modelo oficial de declaração para a comunicação dos elementos das faturas, por transmissão eletrónica de dados, prevista na alínea d) do n.º 1 do artigo 3.º do Decreto Lei n.º 198/2012, de 24 de agosto 8

9 O presente diploma aplica -se aos sujeitos passivos que, cumulativamente: Não sejam obrigados a possuir o ficheiro SAF -T (PT) da faturação, criado pela Portaria n.º 321-A/2007, de 26 de março Nos termos do n.º 1 desta Portaria, estão obrigados a possuir o SAF-T, os sujeitos passivos de IRC que exerçam, a título principal, uma atividade de natureza comercial, industrial ou agrícola e que organizem a sua contabilidade com recurso a meios informáticos Portaria n.º 426-A/2012 de 28 de dezembro 9

10 O presente diploma aplica -se aos sujeitos passivos que, cumulativamente: Não utilizem, nem sejam obrigados a possuir programa informático de faturação, previsto na Portaria n.º 363/2010, de 23 de junho, alterada pela Portaria n.º 22 -A/2012, de 24 de janeiro; e Portaria n.º 426-A/2012 de 28 de dezembro Não optem pela utilização de qualquer dos meios de comunicação previstos nas alíneas a) a c) do n.º 1 do artigo 3.º do Decreto -Lei n.º 198/2012, de 24 de agosto 10

11 Os sujeitos passivos devem preencher, no modelo disponibilizado: um quadro referente à Informação Global relativamente a todas as faturas emitidas durante o período a que respeita a declaração, e Portaria n.º 426-A/2012 de 28 de dezembro um quadro referente à Informação Parcial, identificando os elementos respeitantes às faturas emitidas 11

12 Portaria n.º 426-A/2012 de 28 de dezembro No quadro referente à Informação Global é indicado: O seu número de identificação fiscal (NIF); O mês e o ano de faturação; O valor global das faturas 12

13 Portaria n.º 426-A/2012 de 28 de dezembro No quadro referente à Informação Parcial, são: identificados os elementos respeitantes às faturas emitidas, até ao termo do prazo previsto no n.º 2 do artigo 3º do Decreto -Lei n.º 198/2012, de 24 de agosto 13

14 Disposições transitórias: Portaria n.º 426-A/2012 de 28 de dezembro No decurso do ano de 2013, os sujeitos passivos estão apenas obrigados ao preenchimento, no campo referente à Informação Parcial, dos elementos respeitantes à primeira e última fatura, de cada série, emitidas no período a que se refere a declaração, bem como dos elementos das faturas que contenham o NIF do adquirente 14

15 Disposições transitórias: Portaria n.º 426-A/2012 de 28 de dezembro No decurso do ano de 2013, os sujeitos passivos que: pratiquem operações isentas ao abrigo do artigo 9.º do CIVA, enquadrados no regime especial de isenção, previsto no artigo 53.º do CIVA, bem como os enquadrados no regime previsto no artigo 60º do CIVA 15

16 Disposições transitórias: que não tenham emitido mais de 10 faturas, com o NIF do adquirente, no mês a que respeita a declaração, podem entregar, presencialmente ou através de remessa por correio registado, o modelo oficial da declaração em papel, devidamente preenchido, em qualquer Serviço de Finanças ou outra entidade com quem a AT celebre protocolo para o efeito Portaria n.º 426-A/2012 de 28 de dezembro 16

17 Faturas-recibo verdes Portaria n.º 426-B/2012 de 28 de dezembro Aprovou os seguintes modelos das faturas-recibo para efeitos do disposto no artigo 115.º do Código do IRS: Modelo de fatura-recibo emitido Modelo de fatura-recibo emitido para ato isolado Modelo de fatura-recibo sem preenchimento 17

18 Faturas-recibo verdes Os titulares de rendimentos da categoria B enquadrados no regime especial de isenção previsto no artigo 53.º do Código do IVA, podem optar por: Portaria n.º 426-B/2012 de 28 de dezembro Emitir fatura-recibo por via eletrónica, ficando sujeitos, a partir desse momento, às regras gerais da emissão por esta via; Utilizar fatura-recibo em suporte de papel sem reenchimento adquirida nos serviços de finanças ao preço unitário de 0,10 18

19 Anulação de Faturas-recibo verdes A anulação das faturas-recibo depende de pedido do sujeito passivo emitente, a submeter obrigatoriamente no Portal das Finanças Portaria n.º 426-B/2012 de 28 de dezembro Sendo anulado a fatura-recibo, perdem-se os efeitos de documento comprovativo da obtenção de rendimentos e de suporte de gastos, procedendo a AT ao envio de comunicação informativa ao adquirente do serviço prestado 19

20 Faturas-recibo verdes Em situações excecionais, nomeadamente em caso de impossibilidade de emissão por via eletrónica, os sujeitos passivos podem imprimir no Portal das Finanças a faturarecibo sem preenchimento, que será numerada sequencialmente Portaria n.º 426-B/2012 de 28 de dezembro A fatura-recibo impressa desta forma deve ser preenchida no sistema informático pelos titulares de rendimentos, por ordem cronológica e sequência numérica, até ao 5.º dia útil seguinte ao do momento em que o imposto é devido 20

21 Ofício-circulado n.º /2013, de 4 de janeiro Novas regras de faturação Novas instruções sobre faturação: Apenas a fatura ou a fatura-recibo ou a fatura simplificada, cumprem a obrigação de faturação, na medida em que contenham os requisitos do n.º 5 do artigo 36.º ou n.º 2 do artigo 40.º, ambos do Código do IVA 21

22 Ofício-circulado n.º /2013, de 4 de janeiro Novas regras de faturação Novas instruções sobre faturação: Quanto aos elementos exigíveis nas faturas (n.º 15 do artigo 36.º do CIVA), para determinação do montante ( 1.000,00) a partir do qual é obrigatória a indicação do nome e domicílio do adquirente ou destinatário que não seja sujeito passivo de imposto, o valor deve ser considerado sem inclusão do IVA Igual entendimento é aplicado aos limites que permitem a emissão de faturas simplificadas 22

23 Ofício-circulado n.º /2013, de 4 de janeiro Novas regras de faturação Documentos retificativos de faturas: As notas de crédito e notas de débito são documentos retificativos de faturas e devem conter a referência à fatura que estão a corrigir (valores e/ou quantidades) Quando em resultado da concessão de desconto do tipo rappel não seja viável a referência às faturas a que o documento retificativo respeita, podem os sujeitos passivos identificar o período temporal a que se refere 23

24 Alterações ao Decreto-Lei n.º 198/2012, de 24 de Agosto Alterações ao regime dos bens em circulação

25 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto Alterações ao regime dos bens em circulação (Decreto-Lei n.º 147/2003, de 11 de Julho: a partir de 1 de maio de 2013 entrarão em vigor alterações substanciais nos procedimentos para a emissão de documentos de transporte de bens, entre os quais se salienta a obrigatoriedade de comunicação dos mesmos à AT antes do início do transporte Guia de transporte Sujeito passivo Código Autoridade Tributária 25

26 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto Alterações ao regime dos bens em circulação (Decreto-Lei n.º 147/2003, de 11 de Julho: Os documentos de transporte, quando o destinatário não seja conhecido na altura da saída dos bens, são processados globalmente e impressos em papel, devendo processar-se novos documentos em papel à medida que forem feitos os fornecimentos (n.º 6 do artigo 4.º) 26

27 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto Alterações ao regime dos bens em circulação (Decreto-Lei n.º 147/2003, de 11 de Julho: As alterações ao local de destino, ocorridas durante o transporte, ou a não aceitação imediata e total dos bens transportados, obrigam à emissão de documento de transporte adicional em papel, identificando a alteração e o documento alterado ( n.º 8 do artigo 4.º) estas atualizações eram anotadas no próprio documento de transporte 27

28 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto Alterações ao regime dos bens em circulação (Decreto-Lei n.º 147/2003, de 11 de Julho: Os documentos referidos nas alíneas a) e b) do n.º 6 e as alterações referidas no n.º 8 do artigo 4.º do diploma são comunicados, por inserção no Portal das Finanças, até ao 5.º dia útil seguinte ao do transporte Altera-se a comunicação telefónica prevista na primeira versão 28

29 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto Alterações ao regime dos bens em circulação (Decreto-Lei n.º 147/2003, de 11 de Julho: Os documentos de transporte devem ser emitidos por uma das seguintes modalidades (n.º 1 do artigo 5.º): Através de software produzido internamente pela empresa ou por empresa integrada no mesmo grupo económico, de cujos direitos de autor seja detentor; Diretamente no Portal das Finanças; Em papel, utilizando-se impressos numerados seguida e tipograficamente 29

30 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto Alterações ao regime dos bens em circulação (Decreto-Lei n.º 147/2003, de 11 de Julho: Alarga a possibilidade de utilização do serviço telefónico aos casos de inoperacionalidade do sistema informático da comunicação, desde que devidamente comprovado pelo respetivo operador 30

31 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto Alterações ao regime dos bens em circulação (Decreto-Lei n.º 147/2003, de 11 de Julho: Recorde-se que estão dispensados da obrigação de comunicação prévia os sujeitos passivos que no exercício anterior tiveram um volume de negócios para efeitos de IRS ou IRC inferior a euros (n.º 10 do artigo 5.º) 31

32 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto Alterações ao regime dos bens em circulação (Decreto-Lei n.º 147/2003, de 11 de Julho: Quando a comunicação é efetuada por transmissão eletrónica de dados, a AT atribui um código de identificação ao documento de transporte, ficando o transportador que dele disponha dispensado de o imprimir (n.º 8 do artigo 5.º) Substitui-se a dispensa de impressão pela dispensa de se fazer acompanhar de documento de transporte 32

33 OE 2013 alterações ao DL n.º 198/2012, de 24 de Agosto Alterações ao regime dos bens em circulação (Decreto-Lei n.º 147/2003, de 11 de Julho: adita também um n.º 11 ao artigo 5.º Nos casos em que a fatura serve também de documento de transporte e seja emitida por sistemas informáticos fica dispensada a comunicação prévia, devendo a circulação dos bens ser acompanhada da respetiva fatura emitida 33

34 Alterações ao Decreto-Lei n.º 198/2012, de 24 de Agosto Novo benefício fiscal: dedução em sede de IRS do IVA suportado em faturas (alterações ao artigo 66.º-B do EBF)

35 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Razões para a criação deste novo benefício fiscal: Não obstante a existência de um quadro sancionatório para a violação do dever de emitir e exigir faturas ou recibos, previsto no artigo 123.º do RGIT, pretende-se que essa exigência seja também sustentada num dever de cidadania Neste sentido, é criada uma dedução em sede de IRS, correspondente a uma parte IVA suportado por qualquer membro do agregado familiar, incluído em faturas que titulam prestações de serviços em determinados setores de atividade e comunicadas à AT 35

36 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Razões para a criação deste novo benefício fiscal: Atendendo ao carácter inovador deste incentivo fiscal, o governo optou por introduzir esta medida de forma gradual, aplicando a, numa primeira fase, a apenas determinados setores de atividade qualificados, a nível internacional, como setores de risco acrescido em termos de informalidade Pretende -se que, no futuro, este incentivo fiscal seja gradualmente alargado a outros setores de atividade em que esta medida possa eficazmente combater a fraude e evasão fiscais 36

37 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: À coleta do IRS devido pelos sujeitos passivos é dedutível um montante correspondente a 5 % do IVA suportado por qualquer membro do agregado familiar, com o limite global de 250,00 que conste de faturas que titulem prestações de serviços comunicadas à AT nos termos do Decreto-Lei n.º 197/2012 O conceito de fatura abrange a fatura simplificada que estará em vigor a partir de 1 de Janeiro de

38 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: Para o efeito, são elegíveis as faturas emitidas por sujeitos passivos nos seguintes setores de atividade: a) Secção G, Classe 4520 Manutenção e reparação de veículos automóveis; b) Secção G, Classe Manutenção e reparação de motociclos, de suas peças e acessórios; c) Secção I Alojamento, restauração e similares; d) Secção S, Classe 9602 Atividades de salões de cabeleireiro e institutos de beleza. 38

39 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: O incentivo opera por dedução à coleta do IRS do ano em que as faturas foram emitidas, desde que a declaração de rendimentos do agregado familiar seja entregue nos prazos previstos no artigo 60.º do Código do IRS 39

40 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: Os adquirentes que pretendam beneficiar do incentivo devem exigir ao emitente a inclusão do seu número de identificação fiscal nas faturas Nota: esta exigência é obrigatória independentemente do valor da fatura 40

41 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: As pessoas singulares que sejam sujeitos passivos de IVA apenas podem beneficiar do incentivo relativamente às faturas que titulam aquisições efetuadas fora do âmbito da sua atividade empresarial ou profissional 41

42 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: O valor do incentivo é apurado pela AT com base nas faturas que lhe forem comunicadas, por via eletrónica, até ao dia 15 de Fevereiro do ano seguinte ao da sua emissão, relativamente a cada adquirente nelas identificado Note-se que a comunicação das faturas por via eletrónica à AT é da responsabilidade do prestador de serviços O OE 2013 alterou o prazo de 31 de Janeiro para 15 de Fevereiro 42

43 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: A AT disponibiliza no Portal das Finanças montante do incentivo até ao final mês de fevereiro do ano seguinte ao da emissão das faturas Nota: o benefício só opera em 2013 (declaração de IRS a entregar em 2014) O OE 2013 alterou a data de disponibilização de 10 de Fevereiro para o final deste mesmo mês 43

44 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Onde? 44

45 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Onde? 45

46 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: Do cálculo do montante do incentivo referido, pode o adquirente reclamar, até ao final do mês de março do ano seguinte ao da emissão, de acordo com as normas aplicáveis ao procedimento de reclamação graciosa com as devidas adaptações Esta situação aplicar-se-á aos casos em que o prestador de serviços não enviou a fatura à AT, comunicação a que está obrigado a partir de 1 de Janeiro de

47 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: Os adquirentes que pretendam beneficiar deste incentivo devem manter na sua posse as faturas que não tenham sido regularmente comunicadas pelo sujeito passivo emitente à AT e disponibilizadas no Portal das Finanças, por um período de quatro anos, contado a partir do final do ano em que ocorreu a aquisição 47

48 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: Havendo divergências entre os elementos comunicados pelos adquirentes e pelos sujeitos passivos emitentes, ou havendo indícios de que as faturas não correspondem a prestações de serviços reais enquadradas no benefício, o direito ao incentivo depende de confirmação pela AT da veracidade da operação 48

49 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: Este incentivo não se encontra abrangido pelos limites constantes da tabela do n.º 2 do artigo 88.º do Código do IRS Os limites globais aplicáveis às deduções à coleta do IRS não se aplicam a este incentivo 49

50 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: Exemplo 1: Um dado sujeito passivo de IRS gasta cerca de 100,00 por mês em refeições e também cerca de 60,00 por mês em cabeleireiro Gasto anual = ( ) X 12 = 1920 (IVA incluído) Iva suportado = 1920 X 0,23/1,23 = 359,02 Benefício fiscal em IRS = 359,02 X 5% = 17,95 50

51 Novo benefício fiscal dedução em sede de IRS de IVA suportado em fatura Artigo 66.º-B do EBF: Exemplo 2: Um agregado familiar que pretenda usufruir a totalidade do benefício tem que apresentar um consumo anual dos serviços elegíveis superior a ,13 (sem IVA incluído), ou seja, o equivalente a ,13 com IVA incluído Repare-se: ,13 X 23% = 5.000,00 Benefício fiscal = 5.000,00 X 5% = 250,00 51

52 Lei n.º 20/2012, de 14 de Maio (Orçamento retificativo)

53 Lei n.º 20/2012, de 14 de Maio alterações ao IRC Alteração ao n.º 6 do artigo 117.º do Código do IRC: Muitas das entidades que antes estavam dispensadas de enviar a declaração modelo 22, deixam de apresentar o Anexo F da IES e passam a ter que enviar a modelo 22 com inclusão do Anexo D Passam a beneficiar da dispensa de envio da declaração modelo 22 apenas as entidades enquadradas no artigo 9.º do CIRC 53

54 Lei n.º 20/2012, de 14 de Maio alterações ao IRC Sujeitos passivos isentos de IRC: 54

55 Lei n.º 20/2012, de 14 de Maio alterações ao IRC As entidades que não exercem a título principal atividades de natureza comercial, industrial ou agrícola não preenchem o Quadro 07: Cálculo do imposto (Quadro 09 e 10): 55

56 Alteração ao n.º 3 artigo 63-º C da LGT, em vigor desde 15 de Maio de 2012: Lei n.º 20/2012, de 14 de Maio alterações à LGT Os pagamentos respeitantes a faturas ou documentos equivalentes de valor igual ou superior a 1.000,00 devem ser efetuados através de meio de pagamento que permita a identificação do respetivo destinatário, designadamente transferência bancária, cheque nominativo ou débito direto 56

57 Portaria n.º 22-A/2012, de 24 de Janeiro (alterações à Portaria n.º 363/2010, de 23 de Junho: certificação de programas de faturação)

58 Portaria n.º 22-A/2012, de 24 de Janeiro certificação de programas de faturação Quem está obrigado a usar programas informáticos certificados? Os sujeitos passivos de IRS ou de IRC, excepto aqueles que reúnam algum dos seguintes requisitos: Utilizem software produzido internamente ou por empresa integrada no mesmo grupo económico, do qual sejam detentores dos respetivos direitos de autor; Tenham tido, no período de tributação anterior, um volume de negócios inferior ou igual a ; (limite em vigor a partir de ) 58

59 Portaria n.º 22-A/2012, de 24 de Janeiro certificação de programas de faturação Quem está obrigado a usar programas informáticos certificados? Os sujeitos passivos de IRS ou de IRC, excepto aqueles que reúnam algum dos seguintes requisitos: Tenham emitido, no período de tributação anterior, um número de faturas, inferior a 1000 unidades; Efetuem transmissões de bens através de aparelhos de distribuição automática ou prestações de serviços em que seja habitual a emissão de talão, bilhete de ingresso ou de transporte, ou outro documento ao portador; 59

60 Portaria n.º 22-A/2012, de 24 de Janeiro certificação de programas de faturação No entanto, estão igualmente obrigados a usar programas certificados: Os sujeitos passivos ainda que abrangidos por qualquer das exclusões, quando optem, a partir da entrada em vigor da portaria, pela utilização de programa informático de faturação; Os sujeitos passivos que utilizem programa de faturação multiempresa (por exemplo: gabinetes de contabilidade ou utilizado em várias empresas do mesmo grupo) 60

61 Decreto-Lei n.º 250/2012, de 23 de Novembro Obrigação legal de registo de contas

62 Decreto-Lei n.º 250/2012 Obrigação legal de registo de contas Este diploma procedeu a alterações no Código do Registo Comercial e ao regime jurídico dos procedimentos administrativos de dissolução e de liquidação de sociedades (Decreto-Lei n.º 76-A/2006, de 29 de março) que visam garantir o cumprimento da obrigação legal das empresas de procederem ao registo das contas 62

63 Decreto-Lei n.º 250/2012 Obrigação legal de registo de contas As autoridades judiciais e tributárias constataram que são muitas as entidades que, apesar de apresentarem a IES e cumprirem, assim, a obrigação fiscal, não declaram a aprovação de contas nem procedem ao pagamento da taxa de registo respetiva, ficando por cumprir a obrigação de registo da prestação de contas 63

64 Decreto-Lei n.º 250/2012 Obrigação legal de registo de contas Aquelas autoridades entendem que esta situação, nalguns casos, é propositadamente gerada pelas entidades que não pretendem ver as suas contas expostas para consulta de terceiros, impedindo assim que credores e outros interessados tenham acesso à informação relativa à situação financeira da empresa 64

65 principais aspetos do diploma: Incumprimento da obrigação de registar contas dentro do prazo (alteração ao artigo 17.º do Código do Registo Comercial): Decreto-Lei n.º 250/2012 Obrigação legal de registo de contas O incumprimento da obrigação de registar a prestação de contas obsta ao registo de outros factos sobre a entidade, com exceção: dos registos de designação e cessação de funções, por qualquer causa que não seja o decurso do tempo, dos membros dos órgãos de administração e de fiscalização 65

66 principais aspetos do diploma: (cont.) das ações, decisões, procedimentos e providências cautelares, bem como do arresto, arrolamento e penhora de quotas ou direitos sobre elas, outros atos ou providências que afetem a sua livre disposição e Decreto-Lei n.º 250/2012 Obrigação legal de registo de contas quaisquer outros registos a efetuar por depósito 66

67 Decreto-Lei n.º 250/2012 Obrigação legal de registo de contas Esta alteração aplica-se aos factos sujeitos a registo obrigatório em que o termo inicial do prazo de cumprimento da obrigação de registar ocorreu após a entrada em vigor do Decreto-lei agora publicado, a qual ocorreu em 3 de Dezembro de

68 Decreto-Lei n.º 250/2012 Obrigação legal de registo de contas Alterações ao regime jurídico dos procedimentos administrativos de dissolução e de liquidação de entidades comerciais, aprovado em anexo ao Decreto Lei n.º 76- A/2006, de 29 de março: A omissão do registo da prestação de contas durante dois anos consecutivos passa a constituir causa de dissolução autónoma da entidade, para efeitos de instauração oficiosa de procedimento administrativo de dissolução. 68

69 Decreto-Lei n.º 250/2012 Obrigação legal de registo de contas Esta alteração é aplicável apenas ao incumprimento do registo da prestação de contas dos exercícios económicos a partir de

70 Regime fiscal da dedução de prejuízos (revisão do OE 2012)

71 Com o OE para 2012: IRC (artigo 52.º) alterações ao prazo do reporte O prazo de reporte dos prejuízos fiscais gerados em períodos de tributação que se iniciem em ou após 1 de Janeiro de 2012 foi alargado para cinco períodos de tributação Esta regra é aplicável à dedução aos lucros tributáveis dos períodos de tributação que se iniciem em ou após 1 de Janeiro de 2012 dos prejuízos fiscais apurados em períodos de tributação anteriores a 1 de Janeiro de 2012, ou em curso nesta data 71

72 IRC (artigo 52.º) alterações ao prazo do reporte Prejuízos fiscais gerados até 2009 Prazo de dedução: 6 anos Prejuízos fiscais gerados em 2010 e 2011 Prazo de dedução: 4 anos Prejuízos fiscais gerados a partir de 2012 Prazo de dedução: 5 anos 72

73 OE para 2012: IRC (artigo 52.º) regime fiscal da dedução de prejuízos A dedução a efetuar em cada um dos períodos de tributação não pode exceder o montante correspondente a 75% do respetivo lucro tributável, não ficando, porém, prejudicada a dedução da parte desses prejuízos que não tenham sido deduzidos, nas mesmas condições e até ao final do respetivo período de dedução ( n.º 2 do artigo 52.º CIRC) Esta regra é aplicável à dedução dos prejuízos fiscais apurados em períodos de tributação anteriores a 1 de Janeiro de 2012 ou em curso nesta data 73

74 IRC (artigo 52.º) regime fiscal da dedução de prejuízos Caso prático n.º 1: Um dado sujeito passivo de IRC declarou prejuízos fiscais nos períodos de 2010 e 2011, no valor de 2.000,00 e 3.000,00, respetivamente No período de 2012 apresenta lucro tributável no valor de 5.000,00 Prejuízos fiscais dedutíveis em 2012: x 0,75 = 3.750,00 Prejuízos fiscais dedutíveis para períodos de tributação seguintes: 1.250,00 (com a limitação de 4 anos) 74

75 IRC (artigo 52.º) regime fiscal da dedução de prejuízos Caso prático n.º 2: Um dado sujeito passivo de IRC declarou prejuízo fiscal no período de 2011 no valor de 6.000,00 Nos períodos seguintes apresenta sempre lucro tributável: 2012: 4.000, 2013: 1.000, 2014: 600, 2015: Prejuízos fiscais dedutíveis em 2012: Prejuízos fiscais dedutíveis em 2013: 750 Prejuízos fiscais dedutíveis em 2014: 450 Prejuízos fiscais dedutíveis em 2015: 750 Prejuízos cuja dedução caduca em 2015:

76 IRC (artigo 52.º) regime fiscal da dedução de prejuízos Caso prático n.º 3: período resultado valor Saldo PF dedutíveis 2010 PF LT LT PF LT Em 2014 o sujeito passivo perde o direito à dedução de 5 76

77 IRC (artigo 71.º) regime fiscal da dedução de prejuízos no RETGS OE para 2012: Os prejuízos das sociedades do grupo verificados em períodos de tributação anteriores ao do início de aplicação do RETGS só podem ser deduzidos ao lucro tributável do grupo, nos termos e condições previstos no n.º 2 do artigo 52.º, até ao limite do lucro tributável da sociedade a que respeitam ou seja, a dedução só abrange 75% do lucro tributável da sociedade 77

78 IRC (artigo 71.º) regime fiscal da dedução de prejuízos no RETGS OE para 2012: Também os prejuízos fiscais do grupo apurados em cada período de tributação em que seja aplicado o RETGS só podem ser deduzidos aos lucros tributáveis do grupo, nos termos e condições previstos no n.º 2 do artigo 52.º do CIRC Exemplo: Grupo com saldo dedutível de prejuízos fiscais = LT do grupo em 2012 = Só pode deduzir

79 IRC (artigo 71.º) regime fiscal da dedução de prejuízos no RETGS C a sociedade G passou a fazer parte do grupo no período de 2012 Y Z no período de 2012 declara lucro tributável de 1.000,00 e apresenta prejuízos fiscais dedutíveis do período de 2010 (em que ainda não fazia parte do grupo) no valor de 2.000,00 G Em 2012 só pode deduzir 750,00 79

80 OE 2013 Mensagem final: Γεια σας φίλοι ας πάρει μακριά με αυτό, πιστέψτε με! (tradução: olá amigos vamo-nos safar desta, acreditem!) 80

81 OE 2013 Bom Trabalho!!! De Sousa Formação mais formação para ver mais longe 81

82 OE 2013 Ficha técnica Elaborado por: Abílio Sousa para ATP Associação Têxtil e Vestuário de Portugal Elaboração própria O conteúdo não pode ser reproduzido sem autorização expressa da entidade promotora 82

Imposto Sobre o Valor Acrescentado IVA NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO. Decreto-Lei n.º 197/2012, de 24 de agosto

Imposto Sobre o Valor Acrescentado IVA NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO. Decreto-Lei n.º 197/2012, de 24 de agosto Imposto Sobre o Valor Acrescentado IVA NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO Decreto-Lei n.º 197/2012, de 24 de agosto LEGISLAÇÃO: - Decreto-Lei n.º 197/2012, 24 de agosto - Decreto-Lei n.º 198/1990, 19 de junho -

Leia mais

FAQ'S - Perguntas frequentes

FAQ'S - Perguntas frequentes 1 de 5 SOBRE O E-FATURA FAQS CONTACTOS FAQ'S - Perguntas frequentes CLIENTE / CONSUMIDOR FINAL Em que consiste o novo regime de faturação eletrónica? O novo regime de faturação eletrónica consiste na obrigatoriedade

Leia mais

FATURAS E OUTROS DOCUMENTOS COM RELEVÂNCIA FISCAL

FATURAS E OUTROS DOCUMENTOS COM RELEVÂNCIA FISCAL FATURAS E OUTROS DOCUMENTOS COM RELEVÂNCIA FISCAL Controlo da emissão e comunicação Comunicação dos inventários Incentivo fiscal DECRETO-LEI N.º 198/2012, DE 24 DE AGOSTO Estabelece medidas de controlo

Leia mais

Resumo. As novas regras de Faturação para 2013

Resumo. As novas regras de Faturação para 2013 Resumo As novas regras de Faturação para 2013 Fontes: Decreto-Lei n.º 197/2012 Decreto-Lei n.º 198/2012 Ofícios Circulados 30.136 OE 2013 e restantes comunicações da AT Resumo 1. Regras de Faturação 2.

Leia mais

NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO

NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO DOCUMENTOS DE FATURAÇÃO E COMUNICAÇÃO À AT W: www.centralgest.com E: comercial@centralgest.com 1987-2013 CentralGest - Produção de Software S.A. T: (+351) 231 209 530 Todos os

Leia mais

Novas regras de faturação. (DL n.º197/2012 de 24 de agosto)

Novas regras de faturação. (DL n.º197/2012 de 24 de agosto) 1 Novas regras de faturação (DL n.º197/2012 de 24 de agosto) Este diploma introduz alterações às regras de faturação em matéria de imposto sobre o valor acrescentado, em vigor a partir de 1 de janeiro

Leia mais

Saudade e Silva - Serviços de Contabilidade, Lda

Saudade e Silva - Serviços de Contabilidade, Lda Saudade e Silva - Serviços de Contabilidade, Lda Email: ssgeral@saudadeesilva.com NOVO REGIME DE FATURAÇÃO Alterações para 2013, em matéria de faturação e transporte de mercadorias. Legislação aplicável:

Leia mais

DR nº 17/2012 Ser. I Supl. 1. Portaria nº 22-A/2012 de 24-01-2012

DR nº 17/2012 Ser. I Supl. 1. Portaria nº 22-A/2012 de 24-01-2012 BDJUR - Vista de Impressão Imprimir Fec har DR nº 17/2012 Ser. I Supl. 1 Portaria nº 22-A/2012 de 24-01-2012 A Portaria n.º 363/2010, de 23 de junho, regulamentou o processo de certificação dos programas

Leia mais

CIRCULAR N.º 1/2013 NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO IVA INTRODUÇÃO:

CIRCULAR N.º 1/2013 NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO IVA INTRODUÇÃO: 1/9 CIRCULAR N.º 1/2013 NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO IVA INTRODUÇÃO: Foram publicados no passado dia 24 de agosto de 2012, os Decretos-Lei n.ºs 197/2012 e 198/2012, que vieram introduzir, para 2013, substanciais

Leia mais

OBRIGAÇÕES PARA DIA 1 DE JANEIRO DE 2013

OBRIGAÇÕES PARA DIA 1 DE JANEIRO DE 2013 WORKSHOP NOVAS REGRAS DE FACTURAÇÃO OBRIGAÇÕES PARA DIA 1 DE JANEIRO DE 2013 Marco Rodrigues Servicontabil Serviços de Contabilidade e Informática, Lda Ricardo Rodrigues Espaço Digital Informática e Serviços,

Leia mais

Portaria N.º 426-A/2012, de 28 de dezembro (Aprova o modelo de declaração para comunicação dos elementos das facturas)

Portaria N.º 426-A/2012, de 28 de dezembro (Aprova o modelo de declaração para comunicação dos elementos das facturas) LEGISLAÇÃO DL Nº 197/2012, de 24 de agosto DL Nº 198/2012, de 24 de agosto Lei n.º 51/2013 de 24/7-OE/2013 (retificativo) Portaria N.º 426-A/2012, de 28 de dezembro (Aprova o modelo de declaração para

Leia mais

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério das Finanças. Terça-feira, 24 de janeiro de 2012 Número 17

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério das Finanças. Terça-feira, 24 de janeiro de 2012 Número 17 I SÉRIE Terça-feira, 24 de janeiro de 2012 Número 17 ÍNDICE SUPLEMENTO Ministério das Finanças Portaria n.º 22-A/2012: Altera a Portaria n.º 363/2010, de 23 de junho, que regulamenta a certificação prévia

Leia mais

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES PARA 2013

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES PARA 2013 PRINCIPAIS ALTERAÇÕES PARA 2013 Índice CERTIFICAÇAO DOS PROGRAMAS DE FATURAÇAO... 3 DECRETO-LEI Nº 197/2012... 4 FATURAS... 5 PRAZO PARA EMISSÃO DAS FATURAS:... 5 ELEMENTOS E MENÇÕES EXIGÍVEIS NAS FATURAS...

Leia mais

NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO

NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO Sessão de esclarecimento para associações 1 2 Ofício n.º 30141 de 4 de Janeiro de 2013 da Direção de Serviços do IVA Novas Regras de Faturação Instruções complementares ao Ofício-Circulado

Leia mais

Faturação simplificada: Principais alterações

Faturação simplificada: Principais alterações Faturação simplificada: Principais alterações Informação elaborada pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas Atualizado em 22 11 2012 Nota: Agradece-se que coloque qualquer dúvida ou sugestão através

Leia mais

Alguns aspetos do regime de IVA de caixa

Alguns aspetos do regime de IVA de caixa Alguns aspetos do regime de IVA de caixa O Decreto-Lei n.º 71/2013, de 30 de maio, aprovou o regime de IVA de caixa, concretizando assim a autorização legislativa constante do Orçamento do Estado para

Leia mais

REGIME DE CONTABILIDADE DE CAIXA EM SEDE DE IMPOSTO SOBRE O VALOR ACRESCENTADO (REGIME DE IVA DE CAIXA)

REGIME DE CONTABILIDADE DE CAIXA EM SEDE DE IMPOSTO SOBRE O VALOR ACRESCENTADO (REGIME DE IVA DE CAIXA) REGIME DE CONTABILIDADE DE CAIXA EM SEDE DE IMPOSTO SOBRE O VALOR ACRESCENTADO (REGIME DE IVA DE CAIXA) APROVADO PELO DECRETO-LEI N.º 71/2013, DE 30 DE MAIO ALTERADO PELOS SEGUINTES DIPLOMAS: - LEI N.º

Leia mais

NOVAS REGRAS SOBRE UTILIZAÇÃO DE PROGRAMAS INFORMÁTICOS DE FATURAÇÃO

NOVAS REGRAS SOBRE UTILIZAÇÃO DE PROGRAMAS INFORMÁTICOS DE FATURAÇÃO NOVAS REGRAS SOBRE UTILIZAÇÃO DE PROGRAMAS INFORMÁTICOS DE FATURAÇÃO Direção de Serviços de Comunicação e Apoio ao Contribuinte Legislação: Portaria n.º 363/2010, de 23 de junho, após a primeira alteração

Leia mais

Obrigação de comunicação à AT

Obrigação de comunicação à AT Obrigação de comunicação à AT Perguntas e respostas sobre o impacto das novas regras de comunicação à AT nas empresas Page 2 of 10 Introdução A Publicação do Decreto-Lei nº 197/2012, de 24 de agosto introduz

Leia mais

Regime de Contabilidade de Caixa em Sede de IVA

Regime de Contabilidade de Caixa em Sede de IVA Regime de Contabilidade de Caixa em Sede de IVA Legislação: Decreto-Lei n.º 71/2013 de 30 de Maio Data de entrada em vigência: 1 de Outubro de 2013 Aplicação: o regime de IVA de caixa aplica-se a todas

Leia mais

Facturação (Questões a Abordar)

Facturação (Questões a Abordar) 1 ção (Questões a Abordar) 1. Emissão de facturas Normas fiscais aplicáveis Quem está obrigado; Quais os tipos de documentos a emitir; Elementos obrigatórios dos documentos; Quais as formas de emissão

Leia mais

NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO COMUNICAÇÃO À AT BENEFÍCIO FISCAL EM IRS. DL Nº 197/2012 E Nº 198/2012, de 24 de agosto

NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO COMUNICAÇÃO À AT BENEFÍCIO FISCAL EM IRS. DL Nº 197/2012 E Nº 198/2012, de 24 de agosto NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO E COMUNICAÇÃO À AT BENEFÍCIO FISCAL EM IRS DL Nº 197/2012 E Nº 198/2012, de 24 de agosto DL Nº 197/2012 - Transposição de Diretivas Comunitárias DL Nº 197/2012 - Transposição

Leia mais

INFORMAÇÃO TÉCNICA N.º 41/2013. Certificação de Programas de Faturação

INFORMAÇÃO TÉCNICA N.º 41/2013. Certificação de Programas de Faturação INFORMAÇÃO TÉCNICA N.º 41/2013 Certificação de Programas de Faturação A presente informação técnica substitui a informação n.º 6/2012 e a n.º 22/2010, introduzindolhe as atualizações resultantes da Portaria

Leia mais

Certificação de Programas Informáticos de Facturação. Alterações:

Certificação de Programas Informáticos de Facturação. Alterações: Certificação de Programas Informáticos de Facturação Alterações: Lei nº 64 B/2011 de 30 de Dezembro (OE 2012) Portaria nº 22-A/2012 de 24 de Janeiro Ofício circulado nº 50.000/2012 de 26 de Janeiro 1 O

Leia mais

Parte I - A FATURAÇÃO

Parte I - A FATURAÇÃO Assuntos a tratar: o A Comunicação Obrigatória de Faturação o Regime dos Bens em Circulação Parte I - A FATURAÇÃO A COMUNICAÇÃO OBRIGATÓRIA DA FATURAÇÃO Criada pelo DL 198/2012 de 24 de Agosto em vigor

Leia mais

INFORMAÇÃO TÉCNICA N.º 22/2013. Regime de caixa de IVA (DL 71/2013, 30.05)

INFORMAÇÃO TÉCNICA N.º 22/2013. Regime de caixa de IVA (DL 71/2013, 30.05) INFORMAÇÃO TÉCNICA N.º 22/2013 Regime de caixa de IVA (DL 71/2013, 30.05) Índice 1.Âmbito... 1 2.Opção pelo regime - permanência e saída por opção do mesmo... 1 2.1.Opção pelo regime em 2013... 1 2.2.

Leia mais

XXXX xxxxxxx Assembleia da República n.º 124/2011

XXXX xxxxxxx Assembleia da República n.º 124/2011 Quarta alteração à Portaria n.º 363/2010, de 23 de junho que regulamenta a certificação prévia dos programas informáticos de faturação do Código do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas A Portaria

Leia mais

A comunicação obrigatória da faturação. Regime dos Bens de Circulação. O paradigma em mudança

A comunicação obrigatória da faturação. Regime dos Bens de Circulação. O paradigma em mudança Lisboa, 16 de Abril de 2013 União das Associações de Comércio e Serviços A comunicação obrigatória da faturação Regime dos Bens de Circulação O paradigma em mudança 1 Parte I A FATURAÇÃO 2 A COMUNICAÇÃO

Leia mais

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO IVA, REGIME DO IVA NAS TRANSAÇÕES INTRACOMUNITÁRIAS LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR. DL Nº 197/2012, de 24 de agosto

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO IVA, REGIME DO IVA NAS TRANSAÇÕES INTRACOMUNITÁRIAS LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR. DL Nº 197/2012, de 24 de agosto ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO IVA, REGIME DO IVA NAS TRANSAÇÕES INTRACOMUNITÁRIAS E LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR DL Nº 197/2012, de 24 de agosto 1 DL Nº 197/2012 - Transposição da Diretiva Comunitária Transposição

Leia mais

Legislação. Publicação: Diário da República n.º 120/2010, Série I, de 23/06, Páginas 2221-2223.

Legislação. Publicação: Diário da República n.º 120/2010, Série I, de 23/06, Páginas 2221-2223. MOD. 4.3 Classificação: 0 6 0. 0 1. 0 1 Segurança: P úbl i c a Processo: Direção de Serviços de Comunicação e Apoio ao Contribuinte Diploma Portaria n.º 363/2010, de 23 de Junho Estado: vigente Legislação

Leia mais

As novas regras da faturação e a comunicação dos elementos das faturas emitidas Perguntas & Respostas

As novas regras da faturação e a comunicação dos elementos das faturas emitidas Perguntas & Respostas As novas regras da faturação e a comunicação dos elementos das faturas emitidas Perguntas & Respostas Informação elaborada pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas Atualizado em 21 01 2013 Nota: Agradece-se

Leia mais

NEWSLETTER FISCAL Setembro 2012. Alterações Fiscais Relevantes

NEWSLETTER FISCAL Setembro 2012. Alterações Fiscais Relevantes NEWSLETTER FISCAL Setembro 2012 Alterações Fiscais Relevantes 1. Introdução O passado mês de Agosto foram publicados vários diplomas legais com impacto na vida das empresas e das organizações em geral.

Leia mais

Novas Regras de Facturação para 2013 - Decretos Lei 197/2012 e 198/2012, de 24 de Agosto -

Novas Regras de Facturação para 2013 - Decretos Lei 197/2012 e 198/2012, de 24 de Agosto - Novas Regras de Facturação para 2013 - Decretos Lei 197/2012 e 198/2012, de 24 de Agosto - 1 Agenda Decreto-Lei nº 197/2012 de 24 de Agosto Decreto-Lei nº 198/2012 de 24 de Agosto 2 Novas Regras de Facturação

Leia mais

NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO. DL 197/2012, de 24 de agosto

NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO. DL 197/2012, de 24 de agosto NOVAS REGRAS DE FATURAÇÃO DL 197/2012, de 24 de agosto MSP 2013 Estrutura da Apresentação DLs nº 197 e 198/2012: objetivos Novas regras de faturação: âmbito de aplicação territorial Espécies de faturas

Leia mais

Facturação (Questões a Abordar)

Facturação (Questões a Abordar) Alterações Legislativas "E-" Dr. Manuel Gonçalves Cecílio ISG Instituto Superior de Gestão 10 Janeiro 2013 1 ção (Questões a Abordar) 1. Emissão de facturas Quem está obrigado; Quais os tipos de documentos

Leia mais

Transporte de mercadorias

Transporte de mercadorias Transporte de mercadorias A portaria 161/2013 de 23 de Abril vem estabelecer novas regras para a comunicação dos dados de transporte que constam do Regime de Bens em Circulação. Esta entra em vigor desde

Leia mais

As novas regras de facturação para 2013 Novidades no Software PHC CS. Principais alterações em todas as gamas da versão 2013 do PHC CS.

As novas regras de facturação para 2013 Novidades no Software PHC CS. Principais alterações em todas as gamas da versão 2013 do PHC CS. As novas regras de facturação para 2013 Novidades no Software PHC CS Principais alterações em todas as gamas da versão 2013 do PHC CS. Índice 1. Documentos que deixam de ser utilizados... 3 2. Factura

Leia mais

A comunicação da faturação As alterações ao SAFT-PT Regime de Bens em Circulação

A comunicação da faturação As alterações ao SAFT-PT Regime de Bens em Circulação Lisboa, 04 de Junho de 2013 União das Associações de Comércio e Serviços A comunicação da faturação As alterações ao SAFT-PT Regime de Bens em Circulação 1 Parte I A FATURAÇÃO 2 A COMUNICAÇÃO OBRIGATÓRIA

Leia mais

IVA 2013. Novas regras na facturação e na circulação de mercadorias. Janeiro - 2013. 1 J. Gante

IVA 2013. Novas regras na facturação e na circulação de mercadorias. Janeiro - 2013. 1 J. Gante IVA 2013 Novas regras na facturação e na circulação de mercadorias Janeiro - 2013 1 J. Gante Legislação Dir. 2008/08/CE Dir. 2010/45/UE DL 197/2012 DL 198/2012 ( 24 de Agosto ) Ofício 30.136/2012 Ofício

Leia mais

Rendimentos profissionais. Tributação em sede de IVA e de IRS

Rendimentos profissionais. Tributação em sede de IVA e de IRS Rendimentos profissionais Tributação em sede de IVA e de IRS Alterações em 2013 Novas regras de faturação Regime de contabilidade de caixa de iva (RCIVA) 2 Projeto fiscal das faturas Combate à informalidade

Leia mais

Obrigações Fiscais 2013

Obrigações Fiscais 2013 Obrigações Fiscais 2013 Caros Associados, A publicação do Decreto-Lei n.º 197/2012 e do Decreto-Lei n.º 198/2012, ambos de 24 de agosto, vieram introduzir importantes alterações nas normas relativas à

Leia mais

Tudo o que precisa de saber

Tudo o que precisa de saber Pág. 1 de 10 Com a publicação, no passado mês de Agosto, dos Decretos-Lei n. os 197/2012 e 198/2012, várias e (bastante) substanciais foram as alterações introduzidas em matéria de regras a observar ao

Leia mais

CONTALIVRE CONTABILIDADE, AUDITORIA E GESTÃO DE EMPRESAS,LDA CIRCULAR Nº 1/2014 IRS

CONTALIVRE CONTABILIDADE, AUDITORIA E GESTÃO DE EMPRESAS,LDA CIRCULAR Nº 1/2014 IRS CIRCULAR Nº 1/2014 Com a aprovação do orçamento do estado para o ano de 2014 publicado pela lei nº 83-C/2013 de 31/12, o governo introduziu várias alterações legislativas significativas em matérias fiscais

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA Artigo: 29º, 36º e 40º

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA Artigo: 29º, 36º e 40º Diploma: CIVA Artigo: 29º, 36º e 40º Assunto: FICHA DOUTRINÁRIA Faturas - Mediadores de seguros que pratiquem operações isentas Processo: nº 4686, por despacho de 2013-05-15, do SDG do IVA, por delegação

Leia mais

Legislação MINISTÉRIO DAS FINANÇAS - GABINETE DO SECRETÁRIO DE ESTADO DOS ASSUNTOS FISCAIS. Despacho normativo n.º 17/2014, de 26 de dezembro

Legislação MINISTÉRIO DAS FINANÇAS - GABINETE DO SECRETÁRIO DE ESTADO DOS ASSUNTOS FISCAIS. Despacho normativo n.º 17/2014, de 26 de dezembro Legislação Diploma Despacho normativo n.º 17/2014, de 26 de dezembro Estado: vigente Resumo: Despacho Normativo que altera o Despacho Normativo nº 18-A/2010, de 1 de julho. Publicação: Diário da República

Leia mais

Certificação facturação

Certificação facturação NOVAS REGRAS DE FACTURAÇÃO Formador: Maria Mestra Carcavelos, Janeiro de 2013 SEDE AVª General Eduardo Galhardo, Edificio Nucase, 115 2775-564 Carcavelos tel. 214 585 700 fax. 214 585 799 www.nucase.pt

Leia mais

IVA Na Actividade Agrícola

IVA Na Actividade Agrícola IVA Na Actividade Agrícola Maria Emília Pimenta Seminário A CONTABILIDADE E FISCALIDADE NA ACTIVIDADE AGRÍCOLA Santarém, 11 de Junho de 2013 1 Lei n.º66-b/2012, de 31 dezembro Revoga o n.º 33 do artigo

Leia mais

Legislação. Publicação: Diário da República n.º 197/2015, Série I, de 08/10, páginas 8698-8702. MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

Legislação. Publicação: Diário da República n.º 197/2015, Série I, de 08/10, páginas 8698-8702. MINISTÉRIO DAS FINANÇAS MOD. 4.3 Classificação: 0 6 0. 0 1. 0 1 Segurança: P úbl i c a Processo: Direção de Serviços de Comunicação e Apoio ao Contribuinte Diploma Portaria n.º 338/2015, de 8 de outubro Estado: vigente Legislação

Leia mais

FACTURAÇÃO E DOCUMENTOS DE TRANSPORTE. Porto, Maio de 2013 Vieira de Abreu

FACTURAÇÃO E DOCUMENTOS DE TRANSPORTE. Porto, Maio de 2013 Vieira de Abreu FACTURAÇÃO E DOCUMENTOS DE TRANSPORTE Porto, Maio de 2013 Vieira de Abreu FACTURAÇÃO Decreto-Lei 197/2012, de 24/8: Transpõe artº 4º da Directiva 2008/8/CE, de 13/2, e Directiva 2010/45/UE, de 13/7, que

Leia mais

Princalculo Contabilidade e Gestão

Princalculo Contabilidade e Gestão COMUNICAÇÃO EXTERNA Junho/2013 REGIME DOS BENS EM CIRCULAÇÃO A obrigação é a partir de quando? 1 de Julho de 2013 Quem está obrigado? Os que no ano anterior tiveram um volume de negócios superior a 100.000

Leia mais

Legislação. Publicação: Diário da República n.º 63/2015, 1.º Suplemento, Série I, de 31/03, Páginas 1728-(2) 1728- (11).

Legislação. Publicação: Diário da República n.º 63/2015, 1.º Suplemento, Série I, de 31/03, Páginas 1728-(2) 1728- (11). Classificação: 060.01.01 Segurança: P ú b l i c a Processo: Direção de Serviços de Comunicação e Apoio ao Contribuinte Diploma Portaria n.º 98-A/2015, de 31 de março Estado: vigente Legislação Resumo:

Leia mais

Novo Regime de IVA de Caixa

Novo Regime de IVA de Caixa QA#005 / Junho.2014 Mónica Veloso * Área Jurídica da Unidade Empreendedorismo ANJE Novo Regime de IVA de Caixa Na Quinta edição da QuickAid Notas Informativas Jurídicas da Unidade de Empreendedorismo ANJE,

Leia mais

NOVO SISTEMA DE FATURAÇÃO Sessão de esclarecimentos

NOVO SISTEMA DE FATURAÇÃO Sessão de esclarecimentos 20-12-2012 NOVO SISTEMA DE FATURAÇÃO Sessão de esclarecimentos Conforme prometido, no dia 10 deste mês efetuamos uma sessão de esclarecimentos acerca do novo sistema de faturação que vai funcionar a partir

Leia mais

FAQ s PORTARIA DE CERTIFICAÇÃO DE SOFTWARE ÓTICA DO UTILIZADOR PRINCIPAIS ALTERAÇÕES

FAQ s PORTARIA DE CERTIFICAÇÃO DE SOFTWARE ÓTICA DO UTILIZADOR PRINCIPAIS ALTERAÇÕES Classificação: 000.01.09 Seg.: P ú b l i c a Proc.: 1 6 / 2 0 1 2 GABINETE DO SUBDIRETOR-GERAL DA INSPEÇÃO TRIBUTÁRIA FAQ s PORTARIA DE CERTIFICAÇÃO DE SOFTWARE ÓTICA DO UTILIZADOR (Em vigor após 1 de

Leia mais

IVA- Novas regras de faturação Alterações introduzidas pelo Dec-Lei n 197/2012, de 24.8 Esclarecimentos

IVA- Novas regras de faturação Alterações introduzidas pelo Dec-Lei n 197/2012, de 24.8 Esclarecimentos IVA- Novas regras de faturação Alterações introduzidas pelo Dec-Lei n 197/2012, de 24.8 Esclarecimentos 0 Decreto-Lei nº 197/2012, de 24 de agosto, introduz alterações às regras de faturação em matéria

Leia mais

FAQ S Certificação Software GM

FAQ S Certificação Software GM FAQ S Certificação Software GM Macwin - Sistemas Informáticos S.A. A Portaria nº 363/2010, de 23 de Junho de 2010, regulamentou o processo de certificação dos programas informáticos de facturação tendo

Leia mais

REGIME DE BENS EM CIRCULAÇÃO DOCUMENTOS DE TRANSPORTE

REGIME DE BENS EM CIRCULAÇÃO DOCUMENTOS DE TRANSPORTE REGIME DE BENS EM CIRCULAÇÃO DOCUMENTOS DE TRANSPORTE Novas Obrigações de Emissão e Comunicação, a partir de 1/julho/2013 - FICHA INFORMATIVA - Junho.2013 Os Decretos-Lei 198/2012, de 24 de Agosto, e a

Leia mais

Janeiro 2013 v1.2/dbg

Janeiro 2013 v1.2/dbg DBGEP Alteraço es para 2013 Janeiro 2013 v1.2/dbg Introdução... 3 Faturação... 4 Alterações legislativas... 4 Alterações no software... 5 A Subsídios e Propinas... 5 F - Faturação... 7 Processamento de

Leia mais

FACTURAS E DOCUMENTOS DE TRANSPORTE *** ÚLTIMAS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO

FACTURAS E DOCUMENTOS DE TRANSPORTE *** ÚLTIMAS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO FACTURAS E DOCUMENTOS DE TRANSPORTE *** ÚLTIMAS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO FACTURAS E DOCUMENTOS DE TRANSPORTE Decreto-Lei 197/2012, de 24/8: Transpõe artº 4º da Directiva 2008/8/CE, de 13/2, e Directiva

Leia mais

Certificação de Software. Impacto nas operações das empresas

Certificação de Software. Impacto nas operações das empresas Certificação de Software Impacto nas operações das empresas Perguntas e respostas sobre o impacto da nova legislação relativa à certificação de software Page 2 of 10 Introdução A Portaria nº 363/2010,

Leia mais

NEWSLETTER FISCAL Junho 2013. Crédito Fiscal Extraordinário ao Investimento, Orçamento. Retificativo para 2013 e Outros Assuntos Relevantes

NEWSLETTER FISCAL Junho 2013. Crédito Fiscal Extraordinário ao Investimento, Orçamento. Retificativo para 2013 e Outros Assuntos Relevantes NEWSLETTER FISCAL Junho 2013 Crédito Fiscal Extraordinário ao Investimento, Orçamento Retificativo para 2013 e Outros Assuntos Relevantes 1. Introdução No dia 31 de Maio de 2013, foi submetida à Assembleia

Leia mais

Março é mês de pagamento especial por conta

Março é mês de pagamento especial por conta Março é mês de pagamento especial por conta Ao contrário do que constava da proposta de lei, não se verificam grandes alterações no regime fiscal dos pagamentos especiais por conta em consequência da reforma

Leia mais

Este documento respeita as regras do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

Este documento respeita as regras do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. orquê as atualizações aos livros da COL. LEGISLAÇÃO? O panorama legislativo nacional é bastante mutável, sendo constante a publicação de novos diplomas. Ao disponibilizar novas atualizações, a ORTO EDITORA

Leia mais

Regime de IVA de caixa DL n.º 71/2013, de 30 de maio. Teoria / Aplicações práticas. Formação: Departamento técnico Carcavelos,11 de setembro de 2013

Regime de IVA de caixa DL n.º 71/2013, de 30 de maio. Teoria / Aplicações práticas. Formação: Departamento técnico Carcavelos,11 de setembro de 2013 DL n.º 71/2013, de 30 de maio Teoria / Aplicações práticas Formação: Departamento técnico Carcavelos,11 de setembro de 2013 SEDE AVª General Eduardo Galhardo, Edificio Nucase, 115 2775-564 Carcavelos tel.

Leia mais

1. Introdução... 3 2. Principais pontos de Impacto das novas imposições Legais para 2013:... 3

1. Introdução... 3 2. Principais pontos de Impacto das novas imposições Legais para 2013:... 3 1. Introdução... 3 2. Principais pontos de Impacto das novas imposições Legais para 2013:... 3 3. Alterações por imposição legal ao funcionamento da aplicação WINOPT:... 3 3.1. Alertas / Avisos... 3 3.2.

Leia mais

Regime de contabilidade de caixa em sede de IVA

Regime de contabilidade de caixa em sede de IVA Nuno Albuquerque Regime de contabilidade de caixa em sede de IVA VERBO jurídico TAX NEWS Junho 2013 O Novo Regime de IVA de caixa O DL n.º 71/2013, de 30 de Maio, aprovou, com efeitos a partir de 1.10.13,

Leia mais

FACTURAÇÃO NOVAS REGRAS A PARTIR DE 1/01/2013

FACTURAÇÃO NOVAS REGRAS A PARTIR DE 1/01/2013 ASSUNTO: FACTURAÇÃO\BENS EM CIRCULAÇÃO Da conjugação do Decreto-Lei nº 197/2012 com o Decreto-Lei nº 198/2012 ambos de 24 de Agosto, passarei a indicar o que me parece ter maior relevância não dispensando,

Leia mais

12) COMO É FEITO O REGISTO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ATRAVÉS DA IES?

12) COMO É FEITO O REGISTO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ATRAVÉS DA IES? Registo da prestação de contas 12) COMO É FEITO O REGISTO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ATRAVÉS DA IES? Uma das obrigações integradas na IES é o registo de prestação de contas. Isto significa que, as empresas

Leia mais

CÓDIGO DO IMPOSTO SOBRE O VALOR ACRESCENTADO

CÓDIGO DO IMPOSTO SOBRE O VALOR ACRESCENTADO Artigo 77.º Serviço de finanças competente 1 - Para efeitos do cumprimento das obrigações do presente diploma, considera-se serviço de finanças competente o da área fiscal onde o sujeito passivo tiver

Leia mais

Bens em Circulação - FAQ

Bens em Circulação - FAQ Bens em Circulação - FAQ Quem deverá processar o DT - Documento de Transporte? Os DT - Documentos de Transporte são processados pelos sujeitos passivos de IVA detentores dos bens antes do início da circulação

Leia mais

NEWS TCC SROC Julho 2014

NEWS TCC SROC Julho 2014 Novidades Portal das Finanças - Certificação de Software Foi divulgado pelo despacho n.º 247/2014 de 30 Junho de 2014, a prorrogação para 1 de outubro de 2014 a obrigação de certificação de software de

Leia mais

Facturação (Questões a Abordar)

Facturação (Questões a Abordar) Facturação (Questões a Abordar) 1. Emissão de facturas Quem está obrigado; Quais os tipos de documentos a emitir; Elementos obrigatórios dos documentos; Quais as formas de emissão dos documentos. 2. Comunicação

Leia mais

Certificação de Software. Impacto nas operações das empresas

Certificação de Software. Impacto nas operações das empresas Certificação de Software Impacto nas operações das empresas Perguntas e respostas sobre o impacto da nova legislação relativa à certificação de software Page 2 of 9 Introdução A Portaria nº 363/2010, de

Leia mais

5fe0d90107e74964b15fe89af08c53e4

5fe0d90107e74964b15fe89af08c53e4 DL 35/2014 2014.01.23 A Lei 64-B/2011, de 30 de dezembro, que aprovou o orçamento do Estado para o ano de 2012, promoveu a criação de novas medidas de combate à fraude e evasão fiscais. Neste contexto

Leia mais

Se pretende entregar pelo portal das finanças deve previamente identificar 3 pontos:

Se pretende entregar pelo portal das finanças deve previamente identificar 3 pontos: O início do exercício de atividade, com a entrega/ submissão da respetiva declaração de início de atividade, é um momento de crucial importância para o estabelecimento de um clima de maior confiança entre

Leia mais

Início > Cidadãos > Entregar > Declarações > Atividade > Início de Atividade

Início > Cidadãos > Entregar > Declarações > Atividade > Início de Atividade O início do exercício de atividade, com a entrega/ submissão da respetiva declaração de início de atividade, é um momento de crucial importância para o estabelecimento de um clima de maior confiança entre

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO. Acção de Formação Fiscalidade

DOCUMENTAÇÃO. Acção de Formação Fiscalidade DOCUMENTAÇÃO Acção de Formação Fiscalidade Painel Fiscalidade ENQUADRAMENTO FISCAL IRS IVA EBF IRC INCIDÊNCIA BASE DO IMPOSTO RENDIMENTOS ISENTOS DETERMINAÇÃO DA MATÉRIA COLECTÁVEL DETERMINAÇÃO DO RENDIMENTO

Leia mais

Regime de Iva de Caixa

Regime de Iva de Caixa Regime de Iva de Caixa XD Rest/Pos 2014 1 Alterações Fiscais O Decreto Lei nº71/2013, que aprovou o regime de contabilidade de caixa em sede do Imposto Sobre o Valor Acrescentado (regime de IVA de caixa)

Leia mais

INFORMAÇÃO SOBRE REGRAS DE FATURAÇÃO/MERCADORIAS E OUTRAS REGRAS CONTABILÍSTICAS

INFORMAÇÃO SOBRE REGRAS DE FATURAÇÃO/MERCADORIAS E OUTRAS REGRAS CONTABILÍSTICAS INFORMAÇÃO SOBRE REGRAS DE FATURAÇÃO/MERCADORIAS E OUTRAS REGRAS CONTABILÍSTICAS Só os Técnicos Oficiais de Contas estão habilitados técnica e legalmente a responsabilizarem-se pela sua contabilidade.

Leia mais

Regime de bens em circulação e SAF-T

Regime de bens em circulação e SAF-T Regime de bens em circulação e SAF-T Novas regras Julho 2013 Legislação Quem está abrangido Emissão de documentos transporte Comunicação de documentos à AT SAF-T Oportunidades comerciais Sage Portugal

Leia mais

NEWSLETTER FISCAL Nº 58 Novembro 2015

NEWSLETTER FISCAL Nº 58 Novembro 2015 Nº 58 Novembro 2015 IRC Informação Vinculativa Despacho de 17 de abril 1 Processo 750/2015 Tributação autónoma dos encargos com viaturas ligeiras de mercadorias referidas na alínea b) do n.º 1 do artigo

Leia mais

Enquadramento Fiscal dos Advogados em. sede de IRS, IVA e segurança social

Enquadramento Fiscal dos Advogados em. sede de IRS, IVA e segurança social Enquadramento Fiscal dos Advogados em sede de IRS, IVA e segurança social Fiscalidade IVA / IRS / Segurança social Março 2015 1 IAE -Instituto dos Advogados de Empresa da Ordem dos Advogados 1 Formas de

Leia mais

Republicação do Despacho Normativo n. 18 -A/2010, de 1 de julho CAPÍTULO I. Disposições comuns. Artigo 1. Objeto. Artigo 2.

Republicação do Despacho Normativo n. 18 -A/2010, de 1 de julho CAPÍTULO I. Disposições comuns. Artigo 1. Objeto. Artigo 2. Republicação do Despacho Normativo n. 18 -A/2010, de 1 de julho CAPÍTULO I Disposições comuns Artigo 1. Objeto O presente despacho normativo regulamenta os pedidos de reembolso de imposto sobre o valor

Leia mais

Novas regras de Facturação para 2013

Novas regras de Facturação para 2013 Novas regras de Facturação para 2013 Este documento pretende explicar de forma sucinta as Novas regras de Facturação e de Comunicação da Facturação, aprovadas pelos Decreto-Lei n.º 197/2012 e n.º 198/2012,

Leia mais

PEDIR FACTURA COMPENSA

PEDIR FACTURA COMPENSA 5 PEDIR FACTURA COMPENSA Novas regras em nome da justiça fiscal entram em vigor a 1 de Janeiro Consumidor pode receber até 250 euros de recompensa efectiva se obrigar comerciantes a emitirem facturas de

Leia mais

A. Código do Imposto sobre o Valor Acrescentado (CIVA)

A. Código do Imposto sobre o Valor Acrescentado (CIVA) Informação n.º 2/2013_Revista 22/novembro/2013 CRÉDITOS INCOBRÁVEIS E EM MORA IVA e IRC A. Código do Imposto sobre o Valor Acrescentado (CIVA) Regularização do IVA 1. Créditos vencidos até 31/12/2012 e

Leia mais

PARECER NOVAS REGRAS DE CERTIFICAÇÃO DE SOFTWARE. XD PEOPLE actualizado em 19/12/2012. www.xdpeople.com / info@xdpeople.com

PARECER NOVAS REGRAS DE CERTIFICAÇÃO DE SOFTWARE. XD PEOPLE actualizado em 19/12/2012. www.xdpeople.com / info@xdpeople.com PARECER NOVAS REGRAS DE CERTIFICAÇÃO DE SOFTWARE XD PEOPLE actualizado em 19/12/2012 www.xdpeople.com / info@xdpeople.com ÍNDICE: A CERTIFICAÇÃO - FUNDAMENTO... 3 OBRIGAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE CERTIFICADO...

Leia mais

LIGA DOS BOMBEIROS PORTUGUESES CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES E CORPOS DE BOMBEIROS

LIGA DOS BOMBEIROS PORTUGUESES CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES E CORPOS DE BOMBEIROS LIGA DOS BOMBEIROS PORTUGUESES CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES E CORPOS DE BOMBEIROS Comendador da Ordem de Benemerência 1935 Membro Honorário da Ordem Militar de Cristo 1980 Membro Honorário da Ordem da

Leia mais

g ~ autoridade tributária e aduaneira A Portaria n 421/2012, de 21 de dezembro, aprovou os novos modelos de impressos da

g ~ autoridade tributária e aduaneira A Portaria n 421/2012, de 21 de dezembro, aprovou os novos modelos de impressos da Classificação: 000.05.02 Seg.: Pública Proc.: 20 12/9664 Of.Circulado N.' : 20 163 2013-01-30 Entrada Geral: N.' ldentificação Fiscal (NIF): Sua Ref.-: Técnico: MGN Exmos. Senhores Subdiretores-Gerais

Leia mais

INSTRUÇÕES DO SISTEMA DE EMISSÃO ELETRÓNICA DAS FATURAS-RECIBO

INSTRUÇÕES DO SISTEMA DE EMISSÃO ELETRÓNICA DAS FATURAS-RECIBO INSTRUÇÕES DO SISTEMA DE EMISSÃO ELETRÓNICA DAS FATURAS-RECIBO O sistema de preenchimento e emissão das faturas-recibo está disponível em www.portaldasfinancas.pt, nos SERVIÇOS, opção Obter e Consultar.

Leia mais

Perguntas frequentes

Perguntas frequentes Documentos de transporte Perguntas frequentes Posso utilizar um software de faturação não certificado para emitir documentos de transporte? A partir de 1 de Julho de 2013, qualquer documento emitido num

Leia mais

Decreto-Lei n.º 147/2003, de 11/7

Decreto-Lei n.º 147/2003, de 11/7 Regime dos Bens em Circulação (RBC) Decreto-Lei n.º 47/003, de /7 Alterado pelo Decreto-Lei n.º 98/0, de 4/8 Alterado pela Lei n.º 66-B/0 - OE/03 Regulamentado pela Portaria n.º 6/03, de 3/4 Quadro Síntese

Leia mais

Principais alterações fiscais

Principais alterações fiscais Principais alterações fiscais O E / 2 0 1 3 António Santos Cristina Casalinho José Gante Page 1 Agenda Alterações 2013 1. Alterações IRS e Património; 2. Alterações IRC; 3. Alterações IVA; Page 2 Agenda

Leia mais

Recibo-veRde eletrónico versus. uma ALteRAção meramente

Recibo-veRde eletrónico versus. uma ALteRAção meramente Recibo-veRde eletrónico versus fatura-recibo: breves notas SobRe uma ALteRAção meramente psicológica Pelo dr. João t. c. batista pereira( 1 ) sumário: 1. Regime aplicável aos devedores acessórios dos prestadores

Leia mais

NOVAS OBRIGAÇÕES PARA OS SENHORIOS PERGUNTAS FREQUENTES

NOVAS OBRIGAÇÕES PARA OS SENHORIOS PERGUNTAS FREQUENTES NOVAS OBRIGAÇÕES PARA OS SENHORIOS PERGUNTAS FREQUENTES Portaria n.º 98-A/2015, de 31 de março 1 - Modelos oficiais Pelo artigo 1º da portaria em referência, foram aprovados os seguintes modelos oficiais:

Leia mais

FACTURAÇÃO ALTERAÇÕES LEGAIS A PARTIR DE 1 DE JANEIRO DE 2013

FACTURAÇÃO ALTERAÇÕES LEGAIS A PARTIR DE 1 DE JANEIRO DE 2013 FACTURAÇÃO ALTERAÇÕES LEGAIS A PARTIR DE 1 DE JANEIRO DE 2013 Esta nova alteração legal, abrange todos os sujeitos passivos de IVA, com ou sem sistema informático de faturação. Estas alterações foram aprovadas

Leia mais

REGIMES FISCAIS ATUALIZADOS a 01/01/2015

REGIMES FISCAIS ATUALIZADOS a 01/01/2015 REGIMES FISCAIS ATUALIZADOS a 01/01/2015 ÍNDICE Decreto-Lei n.º 71/2013 Diploma de aprovação do regime de IVA de Caixa... 2 Anexo Regime de IVA de Caixa... 4 Decreto-Lei n.º 198/2012 - Comunicação dos

Leia mais

Criação de um incentivo de natureza fiscal à exigência de faturas por adquirentes pessoas singulares

Criação de um incentivo de natureza fiscal à exigência de faturas por adquirentes pessoas singulares Medidas de controlo da emissão de faturas e outros documentos com relevância fiscal, definindo a forma da sua comunicação à Autoridade Tributária e Aduaneira e cria um incentivo de natureza fiscal à exigência

Leia mais

E-FACTURA. Serena Cabrita Neto

E-FACTURA. Serena Cabrita Neto ECONOMIA DIGITAL E DIREITO E-FACTURA Serena Cabrita Neto Partilhamos a Experiência. Inovamos nas Soluções. 20 Novembro 2013 A Factura na era digital Adequação e adaptação da Factura aos novos meios digitais

Leia mais