Práticas do letramento digital e do escolar no Módulo Introdutório do curso Mídias na Educação 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Práticas do letramento digital e do escolar no Módulo Introdutório do curso Mídias na Educação 1"

Transcrição

1 Práticas do letramento digital e do escolar no Módulo Introdutório do curso Mídias na Educação 1 Karine Viana AMORIM (UFCG) 2 Este trabalho objetiva identificar as práticas letradas (Barton & Hamilton, 2000) e (Marcuschi, 2001) do letramento digital (Xavier, 2005) e do escolar nos ambientes de postagem Fórum e Biblioteca (Ribeiro, 2009) do Módulo Introdutório do Curso Mídias na Educação (MEC/SEED/DPCEAD/UFCG), realizado no ambiente colaborativo de aprendizagem e-proinfo. O nosso corpus contém onze atividades que são representadas por quatro exemplos, os quais foram analisados pela perspectiva descritivo-interpretativa. A conclusão aponta para a mobilização simultânea de práticas dos letramentos escolar, digital, profissiononal e midiático em três atividades, exemplos (1), (2) e (3). E no exemplo (4), as práticas são subutilizadas pela natureza da atividade. Palavras-chave: Letramento; Práticas letradas; Ambiente Colaborativo de Aprendizagem e- ProInfo Contextualizando o Programa Mídias na Educação O Programa de Formação Continuada Mídias na Educação é uma realização do MEC, através da Secretaria de Educação a Distância e do Departamento de Produção e Capacitação em Educação a Distância. Esse Programa visa investir na formação continuada de professores da Educação Básica da rede pública, no sentido de capacitá-los para o uso das quatro mídias (TV e Vídeo/DVD, Material Impresso, Informática e Rádio) na sala de aula e em laboratórios da escola. O professor, chamado de cursista, cursa os três ciclos, a saber: Ciclo Básico (120 horas), Ciclo Intermediário (60 horas) e Ciclo Avançado (180 horas). Ao final das 360 horas, é emitido pela universidade responsável um certificado de Especialista em Mídias na Educação. Cada ciclo é dividido em módulos. Quanto ao Ciclo Básico (objeto de nosso estudo), Módulo Conceitual Introdutório 30 horas; Módulo Básico TV/Vídeo 15 horas; Módulo Básico de Material Impresso 15 horas; Módulo Básico de Informática/Internet 15 horas; Módulo Básico de Rádio 15 horas e, por fim, Módulo Básico de Gestão de Mídias 15 horas. Além desses módulos, acontecem dois encontros presenciais de 8 horas cada: um no início e outro no final do curso (AMORIM, 2009). Vale ressaltar que todo o curso é oferecido a distância, via internet, no ambiente colaborativo de aprendizagem e-proinfo (www.eproinfo.mec.gov.br). 1 Trabalho apresentado ao Grupo de Discussão Letramentos na Web e EaD, no III Encontro Nacional sobre Hipertexto, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, Belo Horizonte, Este trabalho é fruto das discussões do grupo de pesquisa Letramentos, Tecnologia e Formação de Professor (UFCG/CNPq), apoiado pelo Programa de Formação Continuada Mídias na Educação MEC/SEED/DPCEAD/UFCG. 2 Mestre, 1

2 Em 2005, foi ofertado para os multiplicadores dos Núcleos de Tecnologia Educacional (NTE) em todo país, a versão pioloto do curso Mídias na Educação (MIE), utilizando o Módulo Introdutório, de 30 horas. No ano de 2006, o Curso Mídias na Educação 3 teve início na Universidade Federal de Campina Grande, com a primeira oferta do Ciclo Básico. Em 2009, foi iniciada a quarta oferta do Ciclo Básico (excepcionalmente, com 180 horas), bem com será finalizada a terceira do Ciclo Intermediário e iniciada a primeira do Ciclo Avançado. Letramentos e práticas letradas Com a incorporação da tecnologia em atividades simples no nosso cotidiano e também naquelas mais complexas, é impossível não pensar sobre o seu impacto na escola, nos alunos e nos professores. Os PCN, em 1998, já versavam sobre o uso das tecnologias em sala de aula, como o rádio, a TV, o computador, entre outras, e afirmava que a escola deveria apresentar esses meios aos alunos como forma de participar do novo mundo recheado de tecnologias, sejam o uso da internet como ferramenta de pesquisa ou o uso do celular no diaa-dia filmando pequenos vídeos. Assim, concordamos com Pereira (2005: 13) quando afirma: Formar cidadãos preparados para o mundo contemporâneo é um grande desafio para quem dimensiona e promove a educação. O MEC, enxergando esse novo contexto, vem investindo na formação continuada dos professores da educação básica, como por exemplo o Programa TV Escola, lançado em 1996, que objetivava oferecer às escolas recursos didáticos (à época TV e Vídeo, hoje, TV e DVD) para serem utilizados em sala de aula. Em 2005, o MEC, através da SEED, lança o MIE, que é apresentado aos professores como uma forma de dirimir a lacuna entre a tecnologia e a sala de aula, uma vez que o seu intuito refere-se à formação para o uso de mídias na escola. (Amorim, 2009: 11). Participar desses cursos, seja o MIE ou o TV Escola, exigia do professor coragem de inovar o seu trabalho em sala de aula, pois nos dois cursos, eram apresentados novos letramentos, diferente do letramento profissional. A discussão sobre o letramento é bastante ampla e, no caso específico deste trabalho, utilizaremos Soares (1998: 47), que define letramento como o estado ou condição de quem não apenas sabe ler e escrever, mas cultiva e exerce as práticas sociais que usam a escrita. E ainda o modelo de letramento ideológico que Soares (1998: 75) apresenta de Street (1984): [ele] afirma que a verdadeira natureza do letramento são as formas que as práticas de leitura 3 Para maiores detalhes sobre a criação e o funcionamento do Curso Mídias na Educação, na Universidade Federal de Campina Grande, consulte Amorim (2009). 2

3 e escrita concretamente assumem em determinados contextos sociais, e isso depende fundamentalmente das instituições sociais que propõem e exigem essas práticas. Complementando essa ideia, Silva (2009: 51) afirma que os usos e as funções do letramento se modificam a cada agência de letramento na qual são observados. E continua: As agências letradas dizem respeito às áreas da vida (casa, trabalho, igreja, etc.) dos sujeitos, as quais estão associadas a diferentes letramentos escolar, acadêmico, midiático, familiar, político, religioso, profissional, entre outros. Nestas agências, aparecem eventos de letramento, que por sua vez, requisitam determinadas práticas letradas. (SILVA, 2009, p. 51) No caso do MIE, o professor passa para a posição de cursista, deixando de lado, temporariamente, o letramento profissional mobilizado para ministrar aulas, e utilizando o escolar e/ou acadêmico 4 para realização das atividades. Portanto, consideramos o letramento escolar como o uso de leitura e escrita nos domínios da agência escola, com práticas letradas de elaboração de gêneros textuais escolares como a resenha e o resumo, bem como de elaboração de respostas a questões de interpretação textual e participação em debates na sala de aula. Quanto ao MIE, as atividades escolares são disponibilizadas no ambiente colaborativo de aprendizagem e-proinfo, inseridas em cada Módulo. Além da definição mais ampla de letramento, é preciso falar sobre letramento digital, uma vez que o curso, como dito acima é oferecido a distância, via internet. Segundo Xavier (2005) 5, o crescimento do uso de vários tipos de ferramentas tecnológicas (computador, internet, cartão magnético) na vida das pessoas fez gerar um novo tipo ou modalidade de letramento, o digital. Esse letramento considera a necessidade dos indivíduos de dominarem um conjunto de informações e habilidades mentais que devem ser trabalhadas com urgência pelas instituições de ensino, a fim de capacitar o mais rápido possível os alunos a viverem como verdadeiros cidadãos neste novo milênio cada vez mais cercado por máquinas eletrônicas e digitais. (XAVIER, 2005). Esse autor ainda afirma que o letramento digital implica realizar práticas de leitura e escrita diferentes das formas tradicionais de letramento e alfabetização. Ser letrado digital pressupõe assumir mudanças nos modos de ler e escrever os códigos e sinais verbais e não-verbais, como imagens e desenhos, se compararmos às formas de leitura e escrita feitas no livro, até porque o suporte sobre o qual estão os textos digitais é a tela, também digital.. (XAVIER, 2005). Entendemos que o termo letramento digital é amplo e pode englobar ações simples como decidir fazer um curso a distância via internet ou ler notícias num site, àquelas mais complexas como configurar um computador ou instalar um sistema operacional, como afirma Frade (2005, p. 60) letramento digital envolve tanto a apropriação de uma tecnologia, quanto 4 Silva (2009) possui um trabalho a respeito da mobilização dos letramentos acadêmico e escolar na elaboração de projetos no Curso Mídias na Educação. 5 Embora a referência seja Xavier (2005), a consulta foi feita, acessando 3

4 o exercício efetivo das práticas de escrita que circulam no meio digital.. Quanto ao curso MIE, são exigidos do cursista alguns pré-requisitos para ingressar no curso, quais sejam: ter conta de pessoal, ter acesso à internet em casa ou na escola onde trabalha, saber navegar em sites, utilizar um processador de texto e disponibilizar cinco horas semanais para a realização das atividades. Delimitados os tipos de letramento, passaremos às práticas letradas. Silva (2009), estudando práticas acadêmicas e escolares também no MIE, cita Barton & Hamilton (2000) e Marcuschi (2001) como apoio teórico. Ela afirma que esses autores definem práticas letradas como sendo maneiras culturais por meio das quais pessoas usam a língua escrita na sua vida. (...) As práticas são formadas por regras sociais que regulam o uso e a distribuição dos textos, prescrevendo quem pode produzir e ter acesso aos mesmos. Tais regras foram constituídas pelas agências de letramento, logo, cada sujeito demonstra determinadas práticas conforme a agência da qual participa, haja vista que as práticas letradas articulam as atividades de leitura e escrita às estruturas sociais em que elas são embutidas e que ajudam a formar. (SILVA, 2009, p. 53) Situando o MIE nesse conceito e nos de letramento escolar e digital, podemos dizer, é necessário mobilizar práticas dos dois letramentos para continuar e concluir o curso. Embora em nossos dados, encontramos algumas atividades que exigem práticas letradas profissionais e midiáticas. As escolares e as digitais, por exemplo, correspondem, respectivamente, à solicitação de leitura de um texto para participação de um debate e à instrução de como acessar os ambientes de postagem Biblioteca e o Fórum (Ribeiro, 2009). Análise dos dados Ambientes de postagem Fórum e Biblioteca O ambiente colaborativo de aprendizagem e-proinfo (www.eproinfo.mec.gov.br) disponibiliza, no link Conheça o e-proinfo, as explicações sobre recursos e ferramentas do ambiente. Os recursos servem para apoiar as atividades dos participantes, como por exemplo, Tira-dúvidas, Notícias, Avisos, Agenda, Diário e Biblioteca. As ferramentas servem para apoiar a interação entre os participantes: , Chat e Fórum de discussão e Banco de Projetos; bem como para avaliar o desempenho dos cursistas, como estatísticas de atividades e questionários (Ribeiro, 2009). Interessa-nos, neste momento, o Fórum e a Biblioteca, que foi classificado por Ribeiro (2009: 11) como ambientes de postagem, pois se entende que estes ambientes correspondem a espaços com dadas especificidades de postagem das atividades de escrita e de interação. (grifos da autora). Vale ressaltar que usaremos essa mesma classificação no presente trabalho. 4

5 Descrição dos dados O Módulo Introdutório Integração de Mídias na Educação, módulo inicial do Ciclo Básico do MIE, tem o objetivo de provocar reflexões a respeito das diferentes linguagens e preparar o cursista para a compreensão do atual contexto emergente na educação. Está organizado de maneira a proporcionar uma visão geral sobre o uso das mídias na educação, distribuído em 4 etapas 6, o Módulo sugere diferentes atividades para serem desenvolvidas em colaboração com seus colegas ou individualmente, para tanto, são apresentados textos de apoio, leituras complementares e outros recursos. No Módulo, há uma apresentação geral das atividades, sinalizando algumas, a saber: navegação em sites interessantes na Internet, leitura de textos indicados, elaboração de sínteses das leituras, elaboração de projetos, observação de situações reais e análise de cenários e reflexões individuais ou em grupo. Nas quatro etapas do Módulo, são distribuídas 14 atividades, sendo elas: três na Etapa 1; quatro na Etapa 2; quatro na Etapa 3 e três na Etapa 4. Essas atividades são disponibilizadas nos ambientes de postagem Fórum, Biblioteca, Chat e Diário de Bordo. No caso específico deste trabalho, o nosso corpus é composto por seis atividades do Fórum e cinco atividades da Biblioteca. Ambiente de postagem Fórum Das seis atividades a serem postadas no Fórum, analisaremos duas: (1) atividade 1 da etapa 1 e (2) atividade 1 da etapa 4. O Fórum é considerado um ambiente de postagem devido as suas especificidades e ao caráter de interação (RIBEIRO, 2009). Além disso, outro fator que contribui para considerarmos como Ribeiro, refere-se aos vários gêneros textuais que nele podem ser postados, dependendo da solicitação da atividade: debate, reflexão, resposta de enunciado, comentário, discussão sobre o projeto final. A atividade (1), a seguir, inicia a seqüência de todas as atividades do Módulo, solicitando do cursista uma apresentação individual, na qual deve ser explicitado o nome, a cidade onde nasceu e onde vive atualmente, a trajetória profissional e a experiência no uso de tecnologias e mídias na sala de aula. A resposta deve ser postada no Fórum intitulado Apresentação e, logo após, o cursista deve navegar pelas participações dos demais para 6 Amorim e Silva (2009) apresentam um estudo sobre a relação dos conteúdos curriculares e os objetivos das quatro etapas do Módulo Introdutório do MIE. 5

6 conhecê-los e comentar algum aspecto que ficou evidenciado. Vejamos o exemplo (1), que se refere à atividade (1): (Atividade 1 Etapa 1) Na atividade (1), o cursista precisa mobilizar tanto práticas letradas escolares, como digitais. Quanto às escolares, o enunciado solicita: Nesta mensagem, fale sobre você: escreva seu nome, a cidade onde nasceu e onde vive atualmente, conte-nos um pouco sobre sua trajetória profissional e sua experiência no uso de tecnologias e mídias. Essa atividade lembra, quando nos primeiros dias de aula das escolas, os professores solicitarem dos alunos que eles se apresentem. Concluída essa fase, o cursista deve ler as postagens dos colegas e comentá-las: Navegue pelas participações dos demais cursistas e para conhecê-los comente algum aspecto que lhe chamou a atenção ou com o qual você se identificou. Consideramos como um exercício de leitura, compreensão e comentário. Também considerada uma prática escolar, semelhante a um debate. Além de escolar, o professor/cursista mobiliza parte do seu letramento profissional para responder sobre sua trajetória profissional. 6

7 Quanto às práticas digitais, observamos a seguinte instrução: Acesse a ferramenta Fórum, na barra de menu superior do ambiente e-proinfo. Essa ferramenta encontra-se na opção Interação. Localize o Fórum intitulado Apresentação. Clique sobre o Tema Etapa 1, subtema Apresentação. Para a efetivação dessa seqüência de ações, o cursista deve compreender os termos técnicos (acesse, barra de menu, ferramenta, tema, subtema) e localizá-los no ambiente, acertando a localização de todos, caso contrário, não conseguirá realizar a atividade solicitada. O acesso ao Fórum é considerada uma prática do letramento digital instrucional, pois o elaborador do módulo utiliza seqüências textuais injuntivas para explicar o que deve ser feito. Os termos técnicos supracitados somente enfatizam o letramento digital presente na atividade: em vez de abra o livro página 54, o cursista deve clicar num fórum e elaborar o seu texto resposta. Compreendemos que a mobilização das práticas não pode ser realizada separadamente, mas simultaneamente, pois à medida que o cursista acessa o ambiente, deve ler um texto e comentá-lo. A instrução a seguir ilustra esse fato: Navegue pelas participações dos demais cursistas e para conhecê-los comente algum aspecto que lhe chamou a atenção ou com o qual você se identificou. Mais uma vez, a compreensão de um termo técnico é importante para a realização da atividade. Nesse caso, são mobilizadas as duas práticas simultaneamente para a efetivação da atividade. A atividade (2), intitulada Amarrando as ideias, encerra o módulo. O cursista deve retomar leituras, experiências, debates e trocas realizadas durante o curso e refletir sobre algumas questões. Vejamos o exemplo (2): 7

8 (Atividade 1 Etapa 4) A atividade (2) pode ser considerada uma revisão de conteúdo de todo o módulo, com o objetivo de refletir sobre as seguintes questões postas: a) como situar a prática pedagógica para propiciar aos alunos uma nova forma de aprender integrando as diferentes mídias? Exemplifique com uma situação concreta.; b) Que novos questionamentos podem ser levantados em relação às práticas sugeridas de integração de mídias na prática pedagógica?; c) Que aspectos se sobressaem como necessários ao aprofundamento da compreensão sobre a integração de mídias na prática pedagógica? e d) Como fica a atuação do professor diante do fato que novas tecnologias, mídias e linguagens continuarão surgindo?. Após essa reflexão, o cursista deve participar de um Fórum apresentando comentários para debater com os colegas. O enunciado reflita sobre as questões a seguir retoma uma atividade bastante presente na escola que prepara para um debate ou para uma produção escrita. Nesse caso, o cursista vai participar de um Fórum, socializando o seu comentário, atividade semelhante à discussão em sala de aula, a diferença aqui reside na modalidade do curso por ser a distância. Além dessa prática do letramento escolar mobilizada, observamos também no trecho Exemplique com uma situação concreta, a mobilização de um saber profissional. É necessário ser professor para responder essa questão, isso pode ser visto ainda no início do enunciado quando é solicitada a reflexão a partir de experiências do professor. Percebemos, mais uma vez, a mobilização simultânea de práticas letradas: escolar e profissional. Nesse exemplo, a prática 8

9 mais ressaltada é a escolar, pois, como dito acima, a atividade como um todo é uma revisão do conteúdo. Para a realização desta atividade, é necessário também o cursista mobilizar uma prática do letramento digital, chamada aqui de prática instrucional: Participe do Fórum, comentando suas reflexões sobre as questões apontadas. Debata com seus colegas, aponte soluções ( ). Tema Etapa 4 e Subtema- Amarrando as ideias. A mobilização nesse trecho diz respeito a uma instrução de como o cursista deve agir no ambiente de aprendizagem: entre no Fórum, publique suas reflexões, navegue nas reflexões dos seus colegas e comente-as. Nesse ponto, também percebemos a simultaneidade nas práticas letradas: escolar, digital e profissional, sendo a primeira e a segunda mais recorrentes. Ambiente de postagem Biblioteca Das cinco atividades a serem postadas na Biblioteca, analisaremos duas: a (3) atividade 3 da etapa 1 e a (4) atividade 4 da etapa 3. Assim como o Fórum, a Biblioteca é um ambiente de postagem (Ribeiro, 2009), a diferença reside no caráter de não interação entre os participantes: não é possível comentar as atividades dos demais colegas, isso é feito no Fórum. Na Biblioteca, postam-se atividades escritas que, muitas vezes, são solicitadas sem a seleção de um gênero textual, pode ser um documento como no exemplo (3) a seguir. O exemplo (3) apresenta uma atividade, cujo objetivo é conhecer como alguns professores planejam utilizar os diferentes recursos tecnológicos de que dispõem em sua prática pedagógica. São oferecidas algumas instruções de como deve ser feita a pesquisa no Portal do Professor ou no próprio módulo, caso o cursista não esteja conectado à internet. Logo após, é solicitada a elaboração de um documento para ser postado na Biblioteca. Esse exemplo é dividido em duas partes. A primeira refere-se às instruções de como acessar o Portal do Professor ou utilizar um link da atividade, consideradas práticas do letramento digital; a segunda diz respeito a explicações de como responder a atividade, bem como outras instruções de como salvar o documento e postar na Biblioteca. Vejamos o exemplo (3): 9

10 (Atividade 3 Etapa 1) Considerando o que já vem sendo observado neste trabalho, as práticas são exigidas simultaneamente, sejam escolar, digital ou profissional. No exemplo (3), encontramos outra prática digital: Acesse o Portal do Professor; Localize a opção Espaço da Aula; Clique na opção Sugestões de Aula e Navegue pelas sugestões de aula e selecione duas delas para análise. O cursista deve sair do ambiente e-proinfo, acessar o Portal e localizar uma determinada informação. Além de dispor do letramento digital referente ao e-proinfo, ele deve mobilizar conhecimentos sobre o Portal do Professor e fazer uma pesquisa para assim responder a atividade 3. No exemplo (1), encontramos a prática letrada digital instrucional, nesse caso específico, encontramos, além da instrucional, a prática letrada digital intrucional de conteúdo, pois o cursista deve pesquisar na internet um determinado conteúdo, fora do e- ProInfo. Podemos afirmar que é uma prática um pouco mais complexa, considerando o nível de letramento digital dos professores 7 que iniciam o curso, bem como por ser apenas a terceira atividade do Módulo. Há um movimento dos cursistas em dois sites, conjugando informações 7 A observação sobre o nível do letramento digital dos professores participantes foi feita nos encontros presenciais do Curso Mídias na Educação, da Universidade Federal de Campina Grande, pela equipe de tutoria: tutores e coordenadores. Encontramos também essa informação, nos relatórios mensais enviados ao MEC/SEED/DPCEAD. 1

11 e acessando diferentes links. Vale ressaltar também a presença de termos que indicam o letramento digital, discutido em exemplos anteriores: Acesse, Localize, Clique, Portal, Navegue. Quanto ao letramento escolar, observamos a solicitação de um exercício de análise: observe duas aulas, responda as questões (Quais as sugestões analisadas? Quais os recursos tecnológicos utilizados? A sugestão de aula prevê o uso de diferentes mídias? Quais? O que você gostaria de perguntar ao professor que desenvolveu essa sugestão?) e elabore um documento a ser postado na Biblioteca. Nesse exemplo, a atividade prevê apenas a resposta a questões objetivas (Marcuschi, 2003), sinalizadas por Quais. Esse tipo de questão retoma uma tradição de exercícios de leitura presentes no livro didático, em que o aluno é levado apenas a localizar informações no texto. O questionamento O que você gostaria de perguntar ao professor que desenvolveu essa sugestão? é considerado uma questão subjetiva (Marcuschi, 2003), fato que poderia levar o cursista um pouco mais a frente da simples localização, no entanto perguntará o que quiser, a partir de sua necessidade de conhecimento, é impossível prevê uma resposta. Embora não seja objetivo deste trabalho, não podemos deixar de sinalizar a falta de seleção do gênero a ser elaborado, é solicitada a elaboração de um documento. O exemplo (4) propõe uma atividade sobre o uso pedagógico do rádio. É iniciada com alguns questionamentos: Qual o papel do rádio como meio de comunicação? Você ouviu rádio hoje? Qual o papel do rádio na educação? Sua escola dispõe de algum projeto que envolva o uso do rádio? Logo após, é solicitado do cursista a leitura do conteúdo da Etapa 3 para serem respondidas as questões: Com que frequência você ouve rádio? Qual o tipo de programa? Você já utilizou programas de rádio em sua sala de aula? e Que contribuições o uso do rádio trouxe à aprendizagem dos alunos? Vejamos o exemplo (4): 1

12 (Atividade 4 Etapa 3) Inicialmente, observamos uma prática letrada digital já analisada em exemplos anteriores: a digital instrucional acesse o conteúdo para leitura e anexe o arquivo na Biblioteca. Logo após, observamos que a prática letrada escolar leitura e consequente resposta a perguntas está associada ao letramento midiático, no que diz respeito à escuta e ao uso do rádio na sala de aula. No entanto, há um equívoco nas instruções, pois a atividade escolar de leitura é subutilizada pelo tipo de perguntas, ou seja, o cursista não precisa ler o conteúdo para conseguir responder aos questionamentos, pois os mesmos se caracterizam como escolhas pessoais. E ainda, se o professor nunca tiver usado o rádio na sala de aula, não poderá responder a atividade. Essa atividade prevê a mobilização de um letramento que o cursista só poderá disponibilizar fazendo o curso, e não antes. Com exceção do questionamento Que contribuições o uso do rádio trouxe à aprendizagem dos alunos? que se refere ao letramento profissional, esse exemplo sinaliza para uma prática escolar e midiática, entretanto é desconsiderada pelo teor e conhecimento prévio solicitados das perguntas. Há uma mobilização dos três letramentos: escolar, profissional e midiático, sendo subutilizada se o professor não tiver o hábito de escutar rádio ou não usá-lo na sala de aula. Considerações Finais 1

13 Os dados apontam para a necessidade de mobilização simultânea de práticas letradas digitais, escolares, profissionais e midiáticas pelos cursistas para realizarem as atividades do Módulo Introdutório do MIE. Encontramos, pois, práticas digitais instrucionais (como no exemplo 1); e práticas digitais de conteúdo (como no exemplo 3). Alem disso, há as práticas escolares recorrentes nas atividades do módulo, em estudo, uma vez que o curso é a distância, via internet. Referências bibliográficas AMORIM, Karine Viana e SILVA, Williany Miranda da. Conteúdos curriculares do Ciclo Básico: propostas e alcances. In: AMORIM, K. V.; LINO DE ARAÚJO, D. (orgs.) Mídias na Educação: reflexões sobre saberes na formação continuada a distância. Campina Grande: Edufcg, AMORIM, Karine Viana. Contextualização do Curso Mídias na Educação: da proposta oficial (MEC/SEED/DPCEAD) à institucional (UFCG). In: AMORIM, K. V.; LINO DE ARAÚJO, D. (orgs.) Mídias na Educação: reflexões sobre saberes na formação continuada a distância. Campina Grande: Edufcg, BRASIL. Módulo Introdutório: Integração em Mídias na Educação. Brasília: MEC/SEED/DPCEAD, BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, FRADE, Isabel Cristina A. Da Silva. Alfabetização digital: problematização do conceito e possíveis do conceito e possíveis relações com a pedagogia e com aprendizagem inicial do sistema de escrita. In: COSCARELLI, Carla Viana & RIBEIRO, Ana Elisa (orgs) Letramento digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. Belo Horizonte: Ceale; Autêntica, MARCUSCHI, Luiz Antonio. Gêneros textuais e ensino: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, Angela Paiva; BEZERRA, Maria Auxiliadora; MACHADO, Anna Rachel. (orgs.) Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, PEREIRA, João Thomaz. Educação e sociedade da informação. In: COSCARELLI, Carla; RIBEIRO, Ana Elisa (orgs.). Letramento digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. Belo Horizonte: Ceale; Autêntica, RIBEIRO, Rebeca Rannieli Alves. Atividades de escrita em contextos de educação a distância. Campina Grande: UFCG, Dissertação de mestrado, 2009, inédita. SILVA, Elizabeth Maria da. A elaboração de projetos no Módulo Introdutório do Ciclo Básico: mobilização de práticas acadêmicas e escolares. In: AMORIM, K. V.; LINO DE ARAÚJO, D. (orgs.) Mídias na Educação: reflexões sobre saberes na formação continuada a distância. Campina Grande: Edufcg, SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, XAVIER, Antonio Carlos. Letramento digital e ensino. In: FERAZ, C.; MENDONÇA, M. Alfabetização e letramento: conceitos e relações. Belo Horizonte: Autêntica,

O Funcionamento dos Cursos... 02 Geração de Login e Senha... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 06 Ambiente Virtual de Aprendizagem...

O Funcionamento dos Cursos... 02 Geração de Login e Senha... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 06 Ambiente Virtual de Aprendizagem... O Funcionamento dos Cursos... 02 Geração de Login e Senha... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 06 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 08 Edição do Perfil... 10 Ambiente Colaborar... 11 Iniciando

Leia mais

PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA

PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA 11 PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA O PVANet é o ambiente virtual de aprendizagem (AVA) de uso exclusivo da UFV. Os AVAs apresentam diferenças de layout, forma de acesso, funcionamento,

Leia mais

SUA ESCOLA, NOSSA ESCOLA PROGRAMA SÍNTESE: NOVAS TECNOLOGIAS EM SALA DE AULA

SUA ESCOLA, NOSSA ESCOLA PROGRAMA SÍNTESE: NOVAS TECNOLOGIAS EM SALA DE AULA SUA ESCOLA, NOSSA ESCOLA PROGRAMA SÍNTESE: NOVAS TECNOLOGIAS EM SALA DE AULA Resumo: O programa traz uma síntese das questões desenvolvidas por programas anteriores que refletem sobre o uso de tecnologias

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com. INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br 1. Introdução A rede mundial tem permitido novas práticas

Leia mais

EaD como estratégia de capacitação

EaD como estratégia de capacitação EaD como estratégia de capacitação A EaD no processo Ensino Aprendizagem O desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação (tics) deu novo impulso a EaD, colocando-a em evidência na última

Leia mais

Alfabetização Digital

Alfabetização Digital Ferramentas de interação e sua utilização pedagógica nos Ambientes Virtuais de Aprendizagem evidenciando o papel do professor e do estudante Prof. Ana Carolina de Oliveira Salgueiro de Moura Prof. Antônio

Leia mais

CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET

CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET 1 CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET 04/2007 Mílada Tonarelli Gonçalves CENPEC - Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária

Leia mais

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br RESUMO Este artigo discute

Leia mais

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 07 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 09 Edição do Perfil... 12 Acessando as Atividades... 14 Iniciando o Semestre...

Leia mais

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES... 2 AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES SILVA, M.M Margareth Maciel Silva

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS PARA OS POLOS DE APUCARANA E PARANAGUÁ - 64/2013 CIPEAD/PROGRAD/SEPT

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS PARA OS POLOS DE APUCARANA E PARANAGUÁ - 64/2013 CIPEAD/PROGRAD/SEPT EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS PARA OS POLOS DE APUCARANA E PARANAGUÁ - 64/2013 CIPEAD/PROGRAD/SEPT CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM MÍDIAS INTEGRADAS NA EDUCAÇÃO 2013 A Universidade

Leia mais

Sua Escola, Nossa Escola

Sua Escola, Nossa Escola Sua Escola, Nossa Escola Episódio: Andréa Natália e o Ensino na Fronteira Ponta Porã Resumo Esse vídeo integra a série Sua Escola, Nossa Escola, composta por dezessete programas, os quais mostram experiências

Leia mais

Guia de Ambientação Março/2011

Guia de Ambientação Março/2011 Guia de Ambientação Março/2011 APRESENTAÇÃO Caro cursista, Bem vindo ao Guia de Ambientação. Este documento é dirigido a você, participante. Com ele, você conhecerá como está estruturada a interface de

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD TUTORIAL MOODLE VERSÃO ALUNO Machado/MG 2013 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. EDITANDO O PERFIL... 5 2.1 Como editar o perfil?... 5 2.2 Como mudar a senha?... 5 2.3

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos UMA ANÁLISE DOS GÊNEROS DIGITAIS PRESENTES NOS LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo elainevasquez@ig.com.br RESUMO Este artigo discute os gêneros digitais que são abordados

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO NEAD - CESUMAR MANUAL DO ALUNO

PÓS-GRADUAÇÃO NEAD - CESUMAR MANUAL DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO NEAD - CESUMAR MANUAL DO ALUNO MANUAL DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO NEAD CESUMAR CURSOS OFERECIDOS Especialização em Administração Pública; Especialização em Atendimento Educacional Especializado

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

Estamos muito felizes por compartilhar com você este novo serviço educacional do Centro Universitário de Patos de Minas.

Estamos muito felizes por compartilhar com você este novo serviço educacional do Centro Universitário de Patos de Minas. PALAVRA DO COORDENADOR Estimado, aluno(a): Seja muito bem-vindo aos Cursos Livres do UNIPAM. Estamos muito felizes por compartilhar com você este novo serviço educacional do Centro Universitário de Patos

Leia mais

Guia do Aluno Disciplinas EAD. UNIPs

Guia do Aluno Disciplinas EAD. UNIPs Guia do Aluno Disciplinas EAD UNIPs Sumário GUIA DO ALUNO / DISCIPLINAS EAD - UNIPs 3 1. ACESSO... 3 2. AULA INSTRUCIONAL / INTRODUÇÃO À EAD... 5 3. DISCIPLINA EAD... 8 4. COMO ESTUDAR NA EAD... 10 5.

Leia mais

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem 2.1 Introdução Caro Pós-Graduando, Nesta unidade, abordaremos o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que será utilizado no curso: o Moodle. Serão

Leia mais

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG 1 ÍNDICE 03 APRESENTAÇÃO. Dicas para estudar a distância. Funções do professor e do tutor 04 CADASTRO NO CURSO 05 ACESSO AO CURSO 07 FERRAMENTAS DE ESTUDO. Conteúdo: aulas virtuais.

Leia mais

Manual do Aluno. NetAula. Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1

Manual do Aluno. NetAula. Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1 Manual do Aluno NetAula Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1 Manual do Aluno NetAula Caro aluno da EAD da ULBRA Para você ter acesso às salas das disciplinas ofertadas

Leia mais

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula :

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula : Como Criar uma Aula? Para criar uma sugestão de aula é necessário que você já tenha se cadastrado no Portal do Professor. Para se cadastrar clique em Inscreva-se, localizado na primeira página do Portal.

Leia mais

Sumário GUIA DO ALUNO. Primeiro Acesso... 3. Roteiro de Estudos Modalidade SEPI... 4. Roteiro de Estudos Modalidade SEI... 6

Sumário GUIA DO ALUNO. Primeiro Acesso... 3. Roteiro de Estudos Modalidade SEPI... 4. Roteiro de Estudos Modalidade SEI... 6 Sumário Primeiro Acesso... 3 Roteiro de Estudos Modalidade SEPI... 4 Roteiro de Estudos Modalidade SEI... 6 Acesso ao Ambiente Acadêmico Blackboard... 8 1 - Ferramentas... 9 1.1 - Calendário... 11 1.2

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA E INCLUSÃO DIGITAL NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB

FORMAÇÃO CONTINUADA E INCLUSÃO DIGITAL NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB FORMAÇÃO CONTINUADA E INCLUSÃO DIGITAL NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB Telma Cristina Gomes da Silva (PROLING/UFPB) telmapedist@hotmail.com Introdução A Cultura Digital impõe novos desafios pedagógicos

Leia mais

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA Dayane Ribeiro da Silva (PICV/PRPPG/ UNIOESTE), Greice da Silva Castela (Orientadora), e-mail: greicecastela@yahoo.com.br

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

Elementos Centrais da Metodologia

Elementos Centrais da Metodologia Elementos Centrais da Metodologia Apostila Virtual A primeira atividade que sugerimos é a leitura da Apostila, que tem como objetivo transmitir o conceito essencial de cada conteúdo e oferecer caminhos

Leia mais

Elementos Centrais da Metodologia

Elementos Centrais da Metodologia Elementos Centrais da Metodologia Apostila Virtual A primeira atividade que sugerimos é a leitura da Apostila, que tem como objetivo transmitir o conceito essencial de cada conteúdo e oferecer caminhos

Leia mais

LISTA ICONOGRÁFICA - (Lista de ícones do Ambiente Virtual)

LISTA ICONOGRÁFICA - (Lista de ícones do Ambiente Virtual) 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 04 Geração de Login e Senha... 05 Guia de Percurso... 07 Manual Acadêmico... 09 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 11 Edição do Perfil... 13 Ambiente Colaborar e

Leia mais

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno Guia Rápido de Utilização Ambiente Virtual de Aprendizagem Perfil Aluno 2015 APRESENTAÇÃO O Moodle é um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) open source¹. Esta Plataforma tornouse popular e hoje é utilizada

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Sumário Pré-requisitos para o Moodle... Entrar no Ambiente... Usuário ou senha esquecidos?... Meus cursos... Calendário... Atividades recentes...

Leia mais

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Resumo: Dolores Follador Secretaria de Estado da Educação do Paraná e Faculdades Integradas do Brasil - Unibrasil doloresfollador@gmail.com

Leia mais

Utilizando a ferramenta de criação de aulas

Utilizando a ferramenta de criação de aulas http://portaldoprofessor.mec.gov.br/ 04 Roteiro Utilizando a ferramenta de criação de aulas Ministério da Educação Utilizando a ferramenta de criação de aulas Para criar uma sugestão de aula é necessário

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Precisamos reinventar a forma de ensinar e aprender, presencial e virtualmente, diante de tantas mudanças na sociedade e no mundo do trabalho. Os modelos tradicionais

Leia mais

A navegabilidade nos enunciados das atividades do Curso Mídias

A navegabilidade nos enunciados das atividades do Curso Mídias A navegabilidade nos enunciados das atividades do Curso Mídias Rebeca Rannieli Alves Ribeiro 1 (UFCG/UEPB) Resumo: As atividades do Curso Mídias representam importantes instrumentos utilizados para avaliar

Leia mais

Guia Prático. Sistema EAD PRO-CREA

Guia Prático. Sistema EAD PRO-CREA Guia Prático Sistema EAD PRO-CREA Educação a Distância (EAD) Conheça a seguir algumas dicas de Netiqueta para uma convivência sociável e boas maneiras na web. Sugerimos fazer um teste para saber como você

Leia mais

GUIA PRA TICO DO ALUNO DA PO S GRADUAÇA O PRESENCIAL

GUIA PRA TICO DO ALUNO DA PO S GRADUAÇA O PRESENCIAL GUIA PRA TICO DO ALUNO DA PO S GRADUAÇA O PRESENCIAL Processos Acadêmicos, Portal ÚNICO e Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA Guia prático sobre os procedimentos acadêmicos, utilização das ferramentas

Leia mais

Manual do Participante do Curso de Gestão da Assistência Farmacêutica - EaD

Manual do Participante do Curso de Gestão da Assistência Farmacêutica - EaD Capacitação - HÓRUS Manual do Participante do Curso de Gestão da Assistência Farmacêutica - EaD SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO... 3 2.1 Objetivos do curso... 3 2.2 Recursos de Aprendizagem...

Leia mais

MANUAL DO ALUNO 1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVOS 3. ACESSO AO CURSO. Bem-vindo (a) ao curso de Capacitação para cursos em EAD!

MANUAL DO ALUNO 1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVOS 3. ACESSO AO CURSO. Bem-vindo (a) ao curso de Capacitação para cursos em EAD! MANUAL DO ALUNO MANUAL DO ALUNO Bem-vindo (a) ao curso de Capacitação para cursos em EAD! 1. APRESENTAÇÃO Preparado pela equipe da Coordenadoria de Educação Aberta e a Distância (CEAD) da Universidade

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL LUIZ SOARES ANDRADE PLANO DE AÇÃO 2015

ESCOLA ESTADUAL LUIZ SOARES ANDRADE PLANO DE AÇÃO 2015 ESCOLA ESTADUAL LUIZ SOARES ANDRADE PLANO DE AÇÃO 2015 NOVA ANDRADINA MS MARÇO DE 2015 ESCOLA ESTADUAL LUIZ SOARES ANDRADE PLANO DE AÇÃO 2015 Plano de ação a ser desenvolvido no ano letivo de 2015, pelo

Leia mais

OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO MEDIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS CURSOS SUBSEQÜENTES DO IFRN - CAMPUS NATAL/CIDADE ALTA

OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO MEDIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS CURSOS SUBSEQÜENTES DO IFRN - CAMPUS NATAL/CIDADE ALTA OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO MEDIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS CURSOS SUBSEQÜENTES DO IFRN - CAMPUS NATAL/CIDADE ALTA Dayvyd Lavaniery Marques de Medeiros Professor do IFRN Mestrando do PPGEP

Leia mais

EDITAL Nº021/2013 PROGRAD/CIPEAD EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE CURSISTAS PARA O CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM MÍDIAS INTEGRADAS NA EDUCAÇÃO

EDITAL Nº021/2013 PROGRAD/CIPEAD EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE CURSISTAS PARA O CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM MÍDIAS INTEGRADAS NA EDUCAÇÃO EDITAL Nº021/2013 /CIPEAD EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE CURSISTAS PARA O CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM MÍDIAS INTEGRADAS NA EDUCAÇÃO A Universidade Federal do Paraná (UFPR), por meio do Setor de Ensino Profissional

Leia mais

Educação a distância: desafios e descobertas

Educação a distância: desafios e descobertas Educação a distância: desafios e descobertas Educação a distância: Desafios e descobertas Conteudista: Equipe Multidisciplinar Campus Virtual Cruzeiro do Sul Você na EAD Educação a distância: desafios

Leia mais

MANUAL DO ALUNO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) I-UMA

MANUAL DO ALUNO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) I-UMA MANUAL DO ALUNO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) I-UMA SUMÁRIO 1 O que é a Plataforma Blackboard...4 2 Como acessar a Plataforma Blackboard...5 3 Acessando a Blackboard...6 4 Menu do Curso...7 5 Acessando

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EAD 1

MANUAL DO ALUNO EAD 1 MANUAL DO ALUNO EAD 1 2 1. CADASTRAMENTO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Após navegar até o PORTAL DA SOLDASOFT (www.soldasoft.com.br), vá até o AMBIENTE DE APRENDIZAGEM (www.soldasoft.com.br/cursos).

Leia mais

TUTORIAL UNP VIRTUAL

TUTORIAL UNP VIRTUAL UNIVERSIDADE POTIGUAR UnP PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NEaD TUTORIAL UNP VIRTUAL Aluno Primeira edição NATAL/RN 2012 SUMÁRIO Conteúdo PREFÁCIO - BEM-VINDO(A) AO UNP VIRTUAL...

Leia mais

Curso de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Manual do Aluno

Curso de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Manual do Aluno Curso de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido Manual do Aluno Março 2009 Mensagem de boas-vindas! Caro cursista! Seja bem-vindo ao curso de Formação de Tutores.

Leia mais

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Introdução USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Paula Priscila Gomes do Nascimento Pina EEEFM José Soares de Carvalho EEEFM Agenor Clemente dos Santos paulapgnascimento@yahoo.com.br

Leia mais

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS REFLEXÕES PEDAGÓGICAS A forma como trabalhamos, colaboramos e nos comunicamos está evoluindo à medida que as fronteiras entre os povos se tornam mais diluídas e a globalização aumenta. Essa tendência está

Leia mais

TUTORIAL DO ALUNO. Olá, bem vindo à plataforma de cursos a distância da Uniapae!!!

TUTORIAL DO ALUNO. Olá, bem vindo à plataforma de cursos a distância da Uniapae!!! TUTORIAL DO ALUNO Olá, bem vindo à plataforma de cursos a distância da Uniapae!!! O Moodle é a plataforma de ensino a distância utilizada pela Uniapae sendo a unidade de ensino para rápida capacitação

Leia mais

Moodle - CEAD Manual do Estudante

Moodle - CEAD Manual do Estudante Moodle - CEAD Manual do Estudante Índice Introdução 3 Acessando o Ambiente 4 Acessando o Curso 5 Navegando no Ambiente do Curso 5 Box Participantes 5 Box Atividades 5 Box Buscar nos Fóruns 5 Box Administração

Leia mais

Guia Prático. Sistema EAD PRO-CREA

Guia Prático. Sistema EAD PRO-CREA Guia Prático Sistema EAD PRO-CREA Nesta Guia Prático mostraremos a você: O Sistema EAD PRO-CREA A Monitoria Dicas de como organizar seu estudo O Sistema EAD PRO-CREA O Sistema de Ensino a Distância EAD

Leia mais

DESENHO PEDAGÓGICO PARA A EDUCAÇÃO MULTIPROFISSIONAL NO CURSO A DISTÂNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DA UNA-SUS/UNIFESP

DESENHO PEDAGÓGICO PARA A EDUCAÇÃO MULTIPROFISSIONAL NO CURSO A DISTÂNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DA UNA-SUS/UNIFESP DESENHO PEDAGÓGICO PARA A EDUCAÇÃO MULTIPROFISSIONAL NO CURSO A DISTÂNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DA UNA-SUS/UNIFESP São Paulo - SP - maio 2011 Rita Maria Lino Tarcia, Universidade Federal

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

Plataforma NetAula. Ambiente Aluno. Prof. Alexandre Moroni

Plataforma NetAula. Ambiente Aluno. Prof. Alexandre Moroni Plataforma NetAula Ambiente Aluno Prof. Alexandre Moroni Acessando o site do CEULJI http://www.ulbrajp.edu.br/site/ Acessando o Autoatendimento Entrar com Login e Senha - ENTER Acessando NETAULA Plataforma

Leia mais

Estratégias de e-learning no Ensino Superior

Estratégias de e-learning no Ensino Superior Estratégias de e-learning no Ensino Superior Sanmya Feitosa Tajra Mestre em Educação (Currículo)/PUC-SP Professora de Novas Tecnologias da Anhanguera Educacional (Jacareí) RESUMO Apresentar e refletir

Leia mais

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO Caro(a) aluno(a), seja bem-vindo às Disciplinas Online da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Bom Despacho e Faculdade de Educação de Bom Despacho. Em pleno século 21, na era digital, não poderíamos

Leia mais

MANUAL PORTAL ACADÊMICO

MANUAL PORTAL ACADÊMICO MANUAL PORTAL ACADÊMICO Sumário Sumário... 2 1. Apresentação... 3 2. Navegação no site da Escola do Legislativo... 4 3. Ministrante... 6 3.1.Cadastro de ministrante... 6 3.2. Preencher os campos... 7 3.3

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais)

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais) PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA Ensino Fundamental (séries finais) O Clickideia é um portal educacional (www.clickideia.com.br), desenvolvido com o apoio do CNPq e da UNICAMP, que apresenta conteúdos didáticos

Leia mais

Projeto de Design Instrucional

Projeto de Design Instrucional Projeto de Design Instrucional Curso: Educação Financeira Modalidade: EaD on-line o que é Design Instrucional? A ação institucional e sistemática de ensino, que envolve o planejamento, o desenvolvimento

Leia mais

COM CRIANÇAS INGRESSANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA POSSÍVEL NOS DIFERENTES MODOS DE ENSINAR

COM CRIANÇAS INGRESSANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA POSSÍVEL NOS DIFERENTES MODOS DE ENSINAR O USO DO BLOG COM CRIANÇAS INGRESSANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA POSSÍVEL NOS DIFERENTES MODOS DE ENSINAR Isnary Aparecida Araujo da Silva 1 Introdução A sociedade atual vive um boom da tecnologia,

Leia mais

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução 1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução Este tutorial tem a finalidade de guiar o aluno, dando orientações necessárias para o acesso, navegação e utilização das ferramentas principais. Um ambiente

Leia mais

Técnicas, Legislação e Operação de Sistemas de Educação a Distância (EAD) Módulo/Disciplina Tecnologia Educacional em EAD

Técnicas, Legislação e Operação de Sistemas de Educação a Distância (EAD) Módulo/Disciplina Tecnologia Educacional em EAD 1 Curso Técnicas, Legislação e Operação de Sistemas de Educação a Distância (EAD) Módulo/Disciplina Tecnologia Educacional em EAD Unidade I Material Instrucional - Texto 1. Introdução Qualquer que seja

Leia mais

Manual do Aluno. O Moodle é um sistema que gerencia ambientes educacionais de aprendizagem que podem ser denominados como:

Manual do Aluno. O Moodle é um sistema que gerencia ambientes educacionais de aprendizagem que podem ser denominados como: Manual do Aluno É com muita satisfação que apresentamos o Reunir Unopar. Ambiente Virtual de Aprendizagem Colaborativa que tem por objetivo principal ser um espaço colaborativo de construção do conhecimento

Leia mais

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS 1 ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO Marilda Coelho da Silva marildagabriela@yahoo.com.br Mestrado Profissional Formação de Professores UEPB As

Leia mais

A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA

A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA Revista Eletrônica de Educação de Alagoas - REDUC ISSN 2317-1170 V. 01, N. 02 (2013) A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA Patrícia

Leia mais

Portal EJA - Programa de Alfabetização Passo a passo

Portal EJA - Programa de Alfabetização Passo a passo Portal EJA - Programa de Alfabetização Passo a passo Roteiro de acesso ao site: www.eja.educacao.org.br 1. Comece clicando no ícone: e depois em ; 2. Aguarde alguns segundos até a página inicial abrir;

Leia mais

PROJETO: ESCOLA DIGITAL

PROJETO: ESCOLA DIGITAL GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA EDUCAÇÃO BÁSICA E.E.F.M. MARIA EDILCE DIAS FERNANDES. PROJETO: ESCOLA DIGITAL PÚBLICO ALVO: Ensino Fundamental: 20 Alunos do 8º ano; 24 do 9º ano Ensino Médio:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS Guia Inicial de Acesso e Utilização Para Docentes Versão 1.0b Outubro/2010 Acesso e utilização do Ambiente Virtual de Ensino

Leia mais

Guia do Aluno. Associadas

Guia do Aluno. Associadas Associadas Associadas Guia do Aluno Prezado (a) Aluno (a): Desejamos boas-vindas, pois a partir de agora, além de participar do curso presencial você faz parte de uma comunidade virtual formada por alunos

Leia mais

Manual e Normas Sistema Disciplina Online

Manual e Normas Sistema Disciplina Online Manual e Normas Sistema Disciplina Online 2011-2 1 SUMÁRIO Pág. 1. Sistema Disciplina Online - Aluno (UNIP). 05 1.1. Acesso ao sistema Disciplina Online - Aluno (UNIP). 05 1.2. Observações. 05 2. Sistema

Leia mais

UTILIZANDO PROGRAMAS EDUCACIONAIS

UTILIZANDO PROGRAMAS EDUCACIONAIS LINUX EDUCACIONAL UTILIZANDO PROGRAMAS EDUCACIONAIS PROFESSOR GERSON VALENCIO Caro professor: As novas Tecnologias de Informação e Comunicação(TICs) estão mudando nossa forma de pensar, agir, relacionar-se,

Leia mais

EDITAL N 04/2014-PROGRAD/SEPT EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE CURSISTAS PARA O CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM MÍDIAS INTEGRADAS NA EDUCAÇÃO TURMA 2/2014

EDITAL N 04/2014-PROGRAD/SEPT EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE CURSISTAS PARA O CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM MÍDIAS INTEGRADAS NA EDUCAÇÃO TURMA 2/2014 EDITAL N 04/2014-PROGRAD/SEPT EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE CURSISTAS PARA O CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM MÍDIAS INTEGRADAS NA EDUCAÇÃO TURMA 2/2014 A Universidade Federal do Paraná (UFPR), por meio do Setor

Leia mais

Manual do. Aluno. Brasília Empreendimentos Educacionais

Manual do. Aluno. Brasília Empreendimentos Educacionais Brasília Empreendimentos Educacionais 3 Apresentação 4 A BEE 5 A Educação a Distância EaD 6 O curso 7 O Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA 10 Como estudar na modalidade a distância 2 Apresentação Este

Leia mais

MANUAL DO MOODLE VISÃO DO ALUNO

MANUAL DO MOODLE VISÃO DO ALUNO MANUAL DO MOODLE VISÃO DO ALUNO Desenvolvido por: Patricia Mariotto Mozzaquatro SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO....03 2 O AMBIENTE MOODLE......03 2.1 Quais as caixas de utilidade que posso adicionar?...04 2.1.1 Caixa

Leia mais

Curso de atualização Educação Integral e Integrada. Tutorial Moodle. Belo Horizonte, 2013.

Curso de atualização Educação Integral e Integrada. Tutorial Moodle. Belo Horizonte, 2013. Curso de atualização Educação Integral e Integrada Tutorial Moodle Belo Horizonte, 2013. 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ACESSANDO O AMBIENTE... 4 3. CONHECENDO O AMBIENTE... 5 3.1. CAIXAS DE UTILIDADES... 5 4.

Leia mais

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO GUIA DO ALUNO Prezado(a) Aluno(a), O Guia do Aluno é um instrumento normativo que descreve os padrões de qualidade dos processos acadêmicos e administrativos necessários ao desenvolvimento dos cursos de

Leia mais

BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM

BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Suzana Aparecida Portes FC UNESP- Bauru/SP E-mail: suzanaapportes@gmail.com Profa. Dra. Thaís Cristina Rodrigues Tezani FC UNESP- Bauru/SP E-mail:

Leia mais

Guia de Acesso Rápido AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem Aluno

Guia de Acesso Rápido AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem Aluno Guia de Acesso Rápido AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem Aluno Introdução O Ambiente de Aprendizagem, ou AVA, é um aplicativo web onde os educadores e alunos podem disponibilizar materiais didáticos,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA NÚCLEO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA NÚCLEO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA NÚCLEO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL RELATO DE EXPERIENCIA DE PROJETO COLABORATIVO VIA INTERNET ENTRE ESCOLAS MUNICIPAIS

Leia mais

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Lygia de Assis Silva Sérgio Paulino Abranches Universidade Federal de Pernambuco lygia1@hotmail.com/ Este

Leia mais

CONSIDERAÇÕES FINAIS ACERCA DO PROJETO DE PESQUISA PIBIC/FA DO CÓDEX À TELA: O USO DO COMPUTADOR NO CONTEXTO ESCOLAR

CONSIDERAÇÕES FINAIS ACERCA DO PROJETO DE PESQUISA PIBIC/FA DO CÓDEX À TELA: O USO DO COMPUTADOR NO CONTEXTO ESCOLAR CONSIDERAÇÕES FINAIS ACERCA DO PROJETO DE PESQUISA PIBIC/FA DO CÓDEX À TELA: O USO DO COMPUTADOR NO CONTEXTO ESCOLAR Patrícia Biondo Nicolli Soares (Bolsista PIBIC-FA/G CLCA UENP/CJ) Rosiney Ap. Lopes

Leia mais

SUMÁRIO 1. ACESSO À PÁGINA DO AMBIENTE VIRTUAL 2. CONTATANDO O SUPORTE 3. ATUALIZAR PERFIL 4. COMO ACESSAR AS DISCIPLINAS

SUMÁRIO 1. ACESSO À PÁGINA DO AMBIENTE VIRTUAL 2. CONTATANDO O SUPORTE 3. ATUALIZAR PERFIL 4. COMO ACESSAR AS DISCIPLINAS SUMÁRIO 1. ACESSO À PÁGINA DO AMBIENTE VIRTUAL 2. CONTATANDO O SUPORTE 3. ATUALIZAR PERFIL 4. COMO ACESSAR AS DISCIPLINAS 5. PARTICIPANTES DA DISCIPLINA 6. ENVIAR MENSAGENS 7. PARTICIPAÇÃO NO FÓRUM 8.

Leia mais

A árvore das árvores

A árvore das árvores A árvore das árvores Resumo O documentário apresenta os múltiplos usos do carvalho para as sociedades, desde tempos remotos até os dias de hoje; além de retratar lendas e histórias sobre essas árvores

Leia mais

Manual do Google agenda. criação e compartilhamento de agendas

Manual do Google agenda. criação e compartilhamento de agendas Manual do Google agenda criação e compartilhamento de agendas 1 O que é o Google Agenda? Google Agenda é um serviço de agenda on line gratuito do Google, onde você pode anotar compromissos e tarefas, organizando

Leia mais

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas Julie Caroline de Alcântara Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: juliealcantara.31@gmail.com

Leia mais

Ciência, Educação e Tecnologia Tecnologia e Educação: Possibilidades Pedagogia Portal do Professor Objetivo

Ciência, Educação e Tecnologia Tecnologia e Educação: Possibilidades Pedagogia Portal do Professor Objetivo Ciência, Educação e Tecnologia Teleaula 6 Profa. Mônica Caetano Vieira da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Tecnologia e Educação: Possibilidades Pedagogia Portal do Professor

Leia mais

Educação a Distância Definições

Educação a Distância Definições Educação a Distância Definições Educação a distância é o processo de ensino-aprendizagem, mediado por tecnologias, onde professores e alunos estão separados espacial e/ou temporalmente; Visa a interação

Leia mais

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental Ajuda ao SciEn-Produção 1 Este texto de ajuda contém três partes: a parte 1 indica em linhas gerais o que deve ser esclarecido em cada uma das seções da estrutura de um artigo cientifico relatando uma

Leia mais

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3 ENSINO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DO MOODLE COMO INSTRUMENTO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE (IFC) - CÂMPUS ARAQUARI

Leia mais

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES EDIT MARIA ALVES SIQUEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA). Resumo Diferentes instrumentos de avaliação (ENEM, SIMAVE) tem diagnosticado o despreparo dos alunos

Leia mais

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA O PAPEL DA

Leia mais