MANUAL DE FISCALIZAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE FISCALIZAÇÃO"

Transcrição

1 MANUAL DE FISCALIZAÇÃO ELEIÇÕES

2 I - FISCALIZAÇÃO DURANTE A VOTAÇÃO Número de Fiscais e Delegados Cada Partido ou Coligação poderá nomear dois (2) Delegados em cada Zona Eleitoral e dois (2) Fiscais para cada Mesa Receptora de Votos (Seção Eleitoral). Entretanto, só poderá atuar um de cada vez. O fiscal poderá atuar em mais de uma mesa receptora (art. 79, caput - Res /10 TSE) Os Fiscais serão identificados por crachás, que contenham somente o nome do usuário e a sigla do partido ou coligação. DIMENSÕES DOS CRACHÁS: 10cm ( dez centímetros) de comprimento por 05 cm (cinco centímetros) de largura. É PROIBIDA A UNIFORMIZAÇÃO DOS FISCAIS. Quem pode fiscalizar Delegados, Fiscais, Candidatos e seus advogados podendo formular protestos e fazer impugnações, inclusive sobre a identidade do (a) eleitor (a) (Código Eleitoral, art. 132). Delegado atua perante a Zona Eleitoral, podendo percorrer todas as Seções de qualquer dos locais de votação dessa Zona. Fiscal atua perante a Seção Eleitoral (Mesa Receptora). Pode fiscalizar mais de uma Seção Eleitoral no mesmo local de votação e pode ser substituído por outro no curso dos trabalhos eleitorais (art. 79 1º e 6º - Res /02 TSE). Candidato pode percorrer e atuar perante qualquer Seção Eleitoral. Não precisa de credencial (seu nome consta na lista de candidatos). Precisa se identificar perante o presidente da Mesa Receptora. Observação: A escolha de fiscais e delegados não poderá recair em quem for menor de 18 anos (Lei nº 9.504/97, art. 65, caput). Fiscalizar é um direito que não pode ser negado ou sofrer qualquer restrição, sob pena de anulação da votação (art. 221, inciso 11 do Código Eleitoral). Se o fiscal do Partido for impedido de atuar perante a Mesa, por qualquer motivo, deverá apresentar protesto à Mesa Receptora, devendo fazer constar expressamente na ata de eleição tal impedimento. Os problemas graves devem ser comunicados aos nossos delegados ou plantões jurídicos. 2

3 II - MESA RECEPTORA Horário de instalação e composição da Mesa Às 7 horas dos dias (03 de outubro - 1º turno, 31 de outubro - 2º turno) será instalada a Mesa Receptora de Votos, uma para cada seção. Antes de iniciar a votação, o Presidente da Mesa deverá adotar os procedimentos para emissão da chamada "zerézima",que vai demonstrar que a urna está vazia. Nesse horário é fundamental a presença de nossos fiscais, delegados ou candidatos nas Seções Eleitorais para que fiscalizem a emissão da zerézima (art. 38 da Res /10 TSE). Quem pode permanecer no local votação No recinto da Mesa Receptora podem permanecer seus membros, candidatos, um fiscal e um delegado de cada Coligação ou Partido, e, durante o tempo necessário à votação, o eleitor (Código Eleitoral, art. 140). III - VOTAÇÃO O horário de votação é das 8 horas às 17 horas. As listas dos candidatos proporcionais de cada Partido deverão estar no recinto da Seção, em lugar visível, uma ao lado da outra, na ordem numérica crescente dos Partidos, não podendo ser presas ou grampeadas as de um partido sobre as de outro. De cada lista de partido ou coligação constará a designação dos cargos de Presidente, Governador, Senadores, Deputados Federais e Deputados Estaduais com os nomes dos candidatos em ordem alfabética, seguidos dos respectivos números. O processo de votação: Identificação do eleitor: O eleitor somente poderá votar na Seção Eleitoral em que estiver incluído seu nome (art. 62, caput da Lei nº 9.504/97). A urna eletrônica tem todos os nomes dos eleitores da respectiva Seção Eleitoral, não aceitando qualquer outro número de título de Seção diversa. 3

4 Para votar, o eleitor apresentará ao Presidente da Mesa o seu título e o documento oficial com foto que comprove a identidade, o qual poderá ser examinado pelo fiscal ou delegado da Coligação ou Partido. OBS: As certidões de nascimento e casamento não servem como documento de identidade. Atenção: eleitores sem título NÃO PODERÃO VOTAR. Não poderá votar Não poderá votar o eleitor cujos dados não figurem no cadastro de eleitores da seção, constante da urna, ainda que apresente título de eleitor correspondente à seção e documento que comprove sua identidade, devendo, nessa hipótese, a Mesa Receptora de Votos reter o título de eleitor apresentado e orientar o eleitor a comparecer ao cartório eleitoral a fim de regularizar a sua situação. (art. 47, 4º e 5º da Res /10 TSE). Como votar Antes de votar, o eleitor poderá consultar os números de seus candidatos, junto a lista de candidatos que deverá estar afixada na Seção Eleitoral. O eleitor não poderá ingressar no recinto da Mesa com telefone celular, máquina fotográfica, filmadora ou equipamento de rádio comunicação ligados (art. 49 da Res /10 TSE). Será permitido o uso de instrumentos que auxiliem o eleitor analfabeto a votar (art. 50 Resolução /10). O portador de necessidades especiais poderá ser auxiliado por pessoa de sua confiança, que irá auxiliar o eleitor junto a cabine, podendo esta pessoa inclusive digitar os números na urna (art. 51 e parágrafos). A pessoa que irá auxiliar o eleitor não poderá ser funcionário da Justiça eleitoral, nem fiscal de partido ou coligação. Esta assistência deverá ser registrada na ata. Após a apresentação do título e do documento de identificação, o mesário deve conferir no cadastro da urna e no caderno de votação. Não havendo dúvida sobre a identidade o eleitor assinará o caderno de votação. O eleitor será encaminhado à cabina de votação e após votar receberá o comprovante da votação. Eleitor que deixa a cabina antes do término da votação Caso o eleitor deixe a cabina antes do término e se recuse a continuar votando, o presidente, utilizando-se de senha própria, liberará a urna eletrônica a fim de possibilitar o prosseguimento da votação, sendo considerado (s) nulo(s) o(s) voto(s) 4

5 que ainda não havia(m) sido confirmado(s), devendo ser entregue ao eleitor (a) o respectivo comprovante de votação (art. 55, 2º da Res /10 TSE). É importante observar que o ocorrido deve ser relatado em ata. Falha da urna Na hipótese de falha na urna, o Presidente da Mesa Receptora de Votos, à vista dos fiscais presentes, deverá desligar e religar a urna, digitando o código de reinício da votação. Persistindo a falha, o Presidente da Mesa solicitará a presença de equipe designada pelo Juiz Eleitoral, à qual incumbirá analisar a situação e adotar os procedimentos para a solução do problema. Os lacres rompidos durante os procedimentos deverão ser repostos e assinados pelo Juiz Eleitoral, ou, em sua impossibilidade, pelos componentes da Mesa Receptora de Votos, bem como pelos fiscais dos partidos políticos e das coligações presentes. Se não for solucionado o problema da urna, a votação dar-se-á manualmente até seu encerramento, adotando-se as seguintes providências: a) retornar o cartão de memória de votação à urna original; b) lacrar a urna original, enviando-a, ao final da votação, à Junta Eleitoral, com os demais materiais de votação; c) lacrar a urna, que ficará sob a guarda da equipe designada pelo Juiz Eleitoral; d) colocar o cartão de memória de contingência em envelope específico, que deverá ser lacrado e remetido ao local designado pela Justiça Eleitoral, não podendo ser reutilizado. Uma vez iniciada a votação por cédulas, não se poderá retornar ao processo eletrônico de votação na mesma seção eleitoral. Todas as ocorrências deverão ser registradas em ata. IV- ENCERRAMENTO DA VOTAÇÃO Às dezessete (17:00) horas, o Presidente mandará entregar senhas a todos os eleitores presentes, começando pelo último da fila, solicitando que os mesmos entreguem os seus títulos eleitorais e seu documento de identificação. A votação será em ordem decrescente das senhas distribuídas, sendo devolvido o titulo e o documento de identificação ao eleitor assim que acabar de votar. Encerrada a votação o presidente fará o encerramento da urna e finalizará a ata da mesa receptora. 5

6 É fundamental para o processo de fiscalização que nossos fiscais estejam presentes no momento do encerramento do votação e emissão dos Boletins de Urna (Bus). A urna emitirá 5 (cinco) vias obrigatórias e até 15 adicionais do BU, que deverá ser conferido e assinado pelo fiscal. Uma via será entregue ao representante do Comitê Interpartidário de Fiscalização, outra será imediatamente afixado na entrada da Seção. É muito importante que o fiscal confira atentamente o BU emitido e o assine. Na hipótese de não ser emitido o boletim de urna por qualquer motivo, ou ser imprecisa ou ilegível a impressão, o Presidente da Mesa tomará, à vista dos fiscais as seguintes providências. Encaminhará a urna para a Junta Eleitoral, acompanhada dos fiscais que o desejarem para a adoção de medidas que possibilitem a impressão dos boletins de urna. Os fiscais poderão acompanhar a urna, bem como todo e qualquer material referente à votação, desde o início dos trabalhos até a entrega à Junta Eleitoral. V - VOTAÇÃO MANUAL Ocorrendo problemas técnicos para o funcionamento da urna eletrônica, a Mesa Receptora de Votos deverá verificar qual o problema ocorrido, e não conseguindo reiniciar a votação eletrônica com a urna substituta, comunicará imediatamente o fato ao Juiz Eleitoral e adotará as providências para iniciar a votação manual, utilizando-se de cédulas oficiais. Para tanto, a urna eletrônica será desconectada da tomada elétrica, desligando-se a chave do equipamento para posicioná-lo junto ao Presidente do Mesa. VI - OUTRAS INFORMAÇOES IMPORTANTES É permitida, a manifestação individual e silenciosa da preferência do cidadão por partido político, coligação ou candidato, incluída a que se contenha no próprio vestuário ou se expresse no porte de bandeira ou flâmula ou pela utilização de adesivos em veículos ou objetos de que tenha posse. (art. 39-A da Lei nº 9.504/97 e art. 49 da Resolução nº /09). É vedada, durante todo o dia da votação e em qualquer local público ou aberto ao público, a aglomeração de pessoas portando os instrumentos de propaganda (bandeiras ou flâmulas), de modo a caracterizar manifestação coletiva, com ou sem 6

7 a utilização de veículos (art. 39-A, 1º da Lei nº 9.504/97 e art. 49, 1º da Resolução nº /09). É proibido, aos mesários e escrutinadores o uso de vestuário ou objeto que contenha qualquer propaganda de partido político, coligação ou candidato (art. 39- A, 2º da Lei nº 9.504/97 e art. 49, 2º da Resolução nº /09). LEMBRETES ADICIONAIS 1- FISCALIZAR É UM DIREITO (art. 66 da Lei Eleitoral); 2-O FISCAL DEVE SER SEMPRE EDUCADO, MAS NUNCA ENROLADO: FISCALIZAR SEMPRE; 3 - TODAS AS IRREGULARIDADES DEVEM SER REGISTRADAS POR ESCRITO - IRREGULARIDADES SÓ EXISTEM POR ESCRITO; 4 - HORA DE FISCALIZAR É 7 HS; 5 - NÃO ACEITE PROVOCAÇÕES; 5- NA DÚVIDA CONSULTE O MANUAL, SE ELA PERSISTIR ENTRE EM CONTATO COM O DELEGADO OU ASSESSORIA JURÍDICA A DISPOSIÇÃO. TELEFONES PLANTÃO: BOM TRABALHO!!!! 7

DAS ELEIÇÕES. SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE)

DAS ELEIÇÕES. SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE) SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE) - Conjunto de normas que rege e organiza as eleições. - Processo eleitoral: do alistamento até a diplomação. Eleições: I. Princípio Majoritário Para os

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº XX.XXX. INSTRUÇÃO Nº XXX - CLASSE XXª - DISTRITO FEDERAL (Brasília).

RESOLUÇÃO Nº XX.XXX. INSTRUÇÃO Nº XXX - CLASSE XXª - DISTRITO FEDERAL (Brasília). RESOLUÇÃO Nº XX.XXX INSTRUÇÃO Nº XXX - CLASSE XXª - DISTRITO FEDERAL (Brasília). Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Dispõe sobre o voto em trânsito na eleição presidencial de 2010. O Tribunal Superior

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO Nº

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO Nº PUBLICADA NO DJE/TSE DE 12.5.2010, P. 71/73 e 89/100 TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO Nº 23.254 INSTRUÇÃO Nº 802-43.2010.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Arnaldo Versiani.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº , DE 11 DE FEVEREIRO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº , DE 11 DE FEVEREIRO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 23.207, DE 11 DE FEVEREIRO DE 2010 INSTRUÇÃO Nº 13-44.2010.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral. Dispõe

Leia mais

PORTARIA IEE Nº D007/2015

PORTARIA IEE Nº D007/2015 PORTARIA IEE Nº D007/2015 Dispõe sobre as eleições para Diretor e Vice- Diretor do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (USP). O Diretor do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Comissão Eleitoral CIS EDITAL Nº 01/2016

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Comissão Eleitoral CIS EDITAL Nº 01/2016 EDITAL Nº 01/2016 A Comissão Eleitoral, composta conforme estabelece a Portaria nº 1862 de 26 de Julho de 2016 e de acordo com a Resolução 29/2015 do Conselho Universitário da Universidade Federal do Espírito

Leia mais

Justiça Eleitoral. Eleição Suplementar de Itatinga - 1º Turno Resultado da totalização ITATINGA

Justiça Eleitoral. Eleição Suplementar de Itatinga - 1º Turno Resultado da totalização ITATINGA Justiça Eleitoral - 1º Turno Resultado da totalização ITATINGA 2 de julho de 217 18:1:58 Gerenciamento 217 Página 2 de 6 2/7/217 18:1:58 Relatório do Resultado da Totalização Resumo Geral do de ITATINGA

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA AS ELEIÇÕES GERAIS BIÊNIO 2017/2018

INSTRUÇÕES PARA AS ELEIÇÕES GERAIS BIÊNIO 2017/2018 COMISSÃO ELEITORAL INSTRUÇÕES PARA AS ELEIÇÕES GERAIS BIÊNIO 2017/2018 A Comissão Eleitoral do SINDIFISCO, no uso de suas atribuições, resolve baixar as seguintes INSTRUÇÕES para as eleições gerais a serem

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO EDITAL CE nº 05/2013 A PRESIDENTE DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROCESSO DE ELEIÇÃO PARA CHEFE DE DEPARTAMENTO ACADÊMICO E COORDENADOR DE CURSO DE GRADUÇÃO CAMPUS SÃO LUÍS; DO PROCESSO DE CONSULTA PRÉVIA

Leia mais

EDITAL PARA AS ELEIÇÕES DE COORDENADOR E SUBCOORDENADOR DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

EDITAL PARA AS ELEIÇÕES DE COORDENADOR E SUBCOORDENADOR DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS SENADOR HELVÍDIO NUNES DE BARROS EDITAL PARA AS ELEIÇÕES DE COORDENADOR E SUBCOORDENADOR DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA PROCESSO N 23111.020541/2016-78

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA FISCALIZAÇÃO - ELEIÇÕES 2014 AÉCIO NEVES PRESIDENTE GERALDO ALCKMIN - GOVERNADOR JOSÉ SERRA - SENADOR

INSTRUÇÕES PARA FISCALIZAÇÃO - ELEIÇÕES 2014 AÉCIO NEVES PRESIDENTE GERALDO ALCKMIN - GOVERNADOR JOSÉ SERRA - SENADOR 1 INSTRUÇÕES PARA FISCALIZAÇÃO - ELEIÇÕES 2014 AÉCIO NEVES PRESIDENTE GERALDO ALCKMIN - GOVERNADOR JOSÉ SERRA - SENADOR O trabalho do fiscal no dia da eleição é muito importante. Nossa missão é garantir

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2017

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2017 1 EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2017 O Diretor Clínico do Hospital das Clínicas Samuel Libânio - HCSL faz saber aos membros do Corpo Clínico desta Instituição que estão abertas as inscrições para as eleições

Leia mais

DESCRIÇÃO DETALHADA DOS IMPRESSOS - ELEIÇÕES 2014

DESCRIÇÃO DETALHADA DOS IMPRESSOS - ELEIÇÕES 2014 DESCRIÇÃO DETALHADA DOS IMPRESSOS - ELEIÇÕES 2014 Item 01 Envelope plástico para mídia digital Saco zip em material de polietileno, com zip plástico, espessura minima de 0,08mm, tamanho 14x20cm, acondicionado

Leia mais

EDITAL PARA ELEIÇÃO DA COORDENADORIA DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGE)

EDITAL PARA ELEIÇÃO DA COORDENADORIA DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGE) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 EDITAL PARA ELEIÇÃO DA COORDENADORIA DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO

Leia mais

EDITAL 001/2009 DE ELEIÇÃO PARA CHEFIA DO DEPARTAMENTO DE LETRAS

EDITAL 001/2009 DE ELEIÇÃO PARA CHEFIA DO DEPARTAMENTO DE LETRAS EDITAL 001/2009 DE ELEIÇÃO PARA CHEFIA DO DEPARTAMENTO DE LETRAS - FUNEMAT, pessoa jurídica de direito público da administração indireta, sob a natureza de Fundação Pública Estadual, criada pela Lei Complementar

Leia mais

ELEIÇÃO PARA O DIRETÓRIO ACADÊMICO DA FACULDADE DE ENGENHARIA DE GUARATINGUETÁ (2010/2011)

ELEIÇÃO PARA O DIRETÓRIO ACADÊMICO DA FACULDADE DE ENGENHARIA DE GUARATINGUETÁ (2010/2011) UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO CAMPUS DE GUARATINGUETÁ Faculdade de Engenharia Diretório Acadêmico da Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá Gestão Integração EDITAL Nº 01/2010

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 23.359 INSTRUÇÃO Nº 936-36.2011.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Arnaldo Versiani Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Dispõe sobre os formulários a serem

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS REPRESENTANTES DO CONSELHO SUPERIOR DO IF SUDESTE MG (CONSU).

REGULAMENTO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS REPRESENTANTES DO CONSELHO SUPERIOR DO IF SUDESTE MG (CONSU). GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS SANTOS DUMONT REGULAMENTO

Leia mais

ELEIÇÕES 2016 MANUAL DE FISCALIZAÇÃO (DA VOTAÇÃO E APURAÇÃO)

ELEIÇÕES 2016 MANUAL DE FISCALIZAÇÃO (DA VOTAÇÃO E APURAÇÃO) ELEIÇÕES 2016 MANUAL DE FISCALIZAÇÃO (DA VOTAÇÃO E APURAÇÃO) Prezados(as) Companheiros(as): Mais uma campanha eleitoral desafia o PMDB e os demais partidos que compõem as coligações a disputar a preferência

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA REGULAMENTO DA ELEIÇÃO PARA CARGOS DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL Em atendimento

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA COLEGIADO DE FÍSICA CAMPUS DE ITAPETINGA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA COLEGIADO DE FÍSICA CAMPUS DE ITAPETINGA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA COLEGIADO DE FÍSICA CAMPUS DE ITAPETINGA ELEIÇÃO PARA COORDENADOR (A) E VICE-COORDENADOR (A) REGIME ELEITORAL BIÊNIO 2015-2017 UESB ITAPETINGA AGOSTO 2015 A Comissão

Leia mais

ELEIÇÕES 2014 MANUAL DE FISCALIZAÇÃO (DA VOTAÇÃO E APURAÇÃO)

ELEIÇÕES 2014 MANUAL DE FISCALIZAÇÃO (DA VOTAÇÃO E APURAÇÃO) ELEIÇÕES 2014 MANUAL DE FISCALIZAÇÃO (DA VOTAÇÃO E APURAÇÃO) Prezados(as) Companheiros(as): Mais uma campanha eleitoral desafia o PMDB e os demais partidos que compõem a coligação O NOVO CAMINHO PARA O

Leia mais

Resolução PUBLICAÇÃO DE DECISÕES Nº 299/2016

Resolução PUBLICAÇÃO DE DECISÕES Nº 299/2016 Página 9 3 Acordam os ministros do Tribunal Superior Eleitoral, por unanimidade, em negar provimento ao recurso ordinário, nos termos do voto da relatora. Brasília, 1º de agosto de 2016. Presidência do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS NORMAS PARA A ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE-COORDENADOR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS E DE COORDENADOR E VICE- COORDENADOR DO CURSO

Leia mais

EDITAL UnC - 003/2010

EDITAL UnC - 003/2010 UNIVERSIDADE DO CONTESTADO - EDITAL - 003/2010 Dispõe sobre as eleições para escolha do Reitor da Universidade do Contestado. O Reitor da Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições estatutárias

Leia mais

REGIMENTO ELEITORAL DA SEÇÃO SINDICAL DOS DOCENTES DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS - SINDCEFET-MG, GESTÃO 2016/2018.

REGIMENTO ELEITORAL DA SEÇÃO SINDICAL DOS DOCENTES DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS - SINDCEFET-MG, GESTÃO 2016/2018. REGIMENTO ELEITORAL DA SEÇÃO SINDICAL DOS DOCENTES DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS - SINDCEFET-MG, GESTÃO 2016/2018. CAPÍTULO I DA ELEIÇÃO Art. 1º - A eleição da Diretoria Executiva

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil Treinamento de Mesários

Ordem dos Advogados do Brasil Treinamento de Mesários Ordem dos Advogados do Brasil Treinamento de Mesários 1. Apresentação da Urna Eletrônica UE A urna eletrônica é composta por dois módulos: Terminal do eleitor; Terminal do mesário. Veja abaixo as principais

Leia mais

Inscrições Indeferidas Edital 06/2016 Seleção Doutorado PPGSS

Inscrições Indeferidas Edital 06/2016 Seleção Doutorado PPGSS Inscrições Indeferidas Edital 06/2016 Seleção Doutorado PPGSS Número da Inscrição - 95771 Motivo: Ausência comprovante segundo turno eleições 2016 Edital: 4.3.6 Título de Eleitor e comprovante da última

Leia mais

Glossário. Calendário da Transparência

Glossário. Calendário da Transparência Glossário Calendário da Transparência Brasília 2015 Calendário da Transparência Esta cartilha apresenta algumas expressões contidas no calendário da transparência para as Eleições 2016 que podem ensejar

Leia mais

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Dias 25,26,27 e 28 de agosto de 2011. Capítulo I - Das Disposições Gerais Art. 1º - A

Leia mais

Prezado(a) mesário(a),

Prezado(a) mesário(a), manual_2015_sem_bio.indd 1 13/05/2016 18:11:21 Prezado(a) mesário(a), Este material será útil no dia da eleição para resolver suas eventuais dúvidas. Aqui você encontrará a síntese do trabalho a ser realizado,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 013, DE 05 DE SETEMBRO DE 2016

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 013, DE 05 DE SETEMBRO DE 2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 013, DE 05 DE SETEMBRO DE 2016 Dispõe sobre o Regulamento do processo de consulta à comunidade

Leia mais

EDITAL E REGIMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS ELEIÇÕES

EDITAL E REGIMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS ELEIÇÕES UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CAMPUS BINACIONAL OIAPOQUE CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM EDITAL Nº 01/2016 CCEN/UNIFAP EDITAL E REGIMENTO ELEITORAL A Comissão Eleitoral, constituída na reunião de colegiado

Leia mais

Regras - Eleições 2013

Regras - Eleições 2013 Regras - Eleições 2013 Diretoria Executiva e Conselho Fiscal 1 - Composição 1.a A Diretoria Executiva será composta de 09 (nove) membros eleitos sendo 6 (seis) membros efetivos e 3 (três) suplentes. I

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO SENADO ACADÉMICO. Artigo 1.º. Objeto

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO SENADO ACADÉMICO. Artigo 1.º. Objeto REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO SENADO ACADÉMICO (Aprovado em reunião do Senado Académico de 2 de fevereiro de 2012) Artigo 1.º Objeto O presente regulamento rege a eleição dos representantes dos

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. Deliberação Nº 1.017/2013 DS/CMDCA

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. Deliberação Nº 1.017/2013 DS/CMDCA CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Deliberação Nº 1.017/2013 DS/CMDCA REGULAMENTA O PROCESSO DE ESCOLHA DOS REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL NO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS

Leia mais

Boletim de Serviço. Extraordinário. Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian. Nº 90, 27 de Setembro de 2016.

Boletim de Serviço. Extraordinário. Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian. Nº 90, 27 de Setembro de 2016. Boletim de Serviço Extraordinário Nº 90, 27 de Setembro de 2016. Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES - EBSERH HOSPITAL UNIVERSITÁRIO MARIA APARECIDA

Leia mais

Anexo I FICHA DE INSCRIÇÃO Chapa candidata no processo eleitoral do Grêmio Estudantil IFRO Campus Colorado do Oeste Gestão 2014/2015

Anexo I FICHA DE INSCRIÇÃO Chapa candidata no processo eleitoral do Grêmio Estudantil IFRO Campus Colorado do Oeste Gestão 2014/2015 Anexo I FICHA DE INSCRIÇÃO Chapa candidata no processo eleitoral do Grêmio Estudantil IFRO Campus Colorado do Oeste Gestão 2014/2015 Nós, abaixo relacionados, discentes regularmente matriculados no IFRO

Leia mais

DAS COMISSÕES ELEITORAIS

DAS COMISSÕES ELEITORAIS EDITAL DE ELEIÇÕES PARA ESCOLHA DE REPRESENTANTES DO CORPO DOCENTE DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS NO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

I - Representantes do corpo discente: 1 (um) aluno membro efetivo e 1(um) suplente

I - Representantes do corpo discente: 1 (um) aluno membro efetivo e 1(um) suplente GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CÂMPUS SANTOS DUMONT REGULAMENTO

Leia mais

Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas CCET

Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas CCET Edital para Eleição do Diretor e Vice-Diretor do CCET Quadriênio 2012/2015 A Comissão Eleitoral, no uso de suas atribuições legais, concedidas pela Portaria nº. 1801, de 7 de novembro de 2011, atendendo

Leia mais

Eleições 2008 Sistema Nacional de Contagem de Votos. Processo de apuração de votos utilizando o Abacus Sistema Totalizador Eleitoral

Eleições 2008 Sistema Nacional de Contagem de Votos. Processo de apuração de votos utilizando o Abacus Sistema Totalizador Eleitoral Eleições 2008 Sistema Nacional de Contagem de Votos Processo de apuração de votos utilizando o Abacus Sistema Totalizador Eleitoral Introdução O processo de apuração dos votos pelo Abacus é desenvolvido

Leia mais

QUADRO CRONOLÓGICO DAS OPERAÇÕES ELEITORAIS PARA A ELEIÇÃO DAS AUTARQUIAS LOCAIS DE 12 DE DEZEMBRO DE Até

QUADRO CRONOLÓGICO DAS OPERAÇÕES ELEITORAIS PARA A ELEIÇÃO DAS AUTARQUIAS LOCAIS DE 12 DE DEZEMBRO DE Até QUADRO CRONOLÓGICO DAS OPERAÇÕES ELEITORAIS PARA A ELEIÇÃO DAS AUTARQUIAS LOCAIS DE 12 DE DEZEMBRO DE 1976 DECRETO-LEI N.º 701-B/76, DE 29 de SETEMBRO Alterações: Decretos-lei n.ºs 757/76, 21 Outubro e

Leia mais

COLÉGIO TÉCNICO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO

COLÉGIO TÉCNICO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO COLÉGIO TÉCNICO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO NORMAS PARA CONSULTA COMUNITÁRIA COM VISTA A INDICACÃO DE DIRETOR E DIRETOR SUBSTITUTO PARA O COLÉGIO TÉCNICO Título I - DAS DISPOSIÇÕES

Leia mais

Edital n o 001/2016/CCI/DCTJ

Edital n o 001/2016/CCI/DCTJ Joinville, 06 de outubro de 2016. Edital n o 001/2016/CCI/DCTJ Normas para realização da consulta informal para Diretor e Vice- Diretor do Centro Tecnológico de Joinville (CTJ) A Comissão designada pela

Leia mais

NORMAS PARA A CONSULTA À COMUNIDADE

NORMAS PARA A CONSULTA À COMUNIDADE Consulta à Comunidade Universitária para Escolha de Coordenador e Coordenador Adjunto do Curso de Graduação em Engenharia Hídrica do Centro de Desenvolvimento Tecnológico da UFPel NORMAS PARA A CONSULTA

Leia mais

Introdução. Configurações. Utilizando Serviços de Terceiros. Cadastrando Serviço de Terceiros. Serviço de Terceiros

Introdução. Configurações. Utilizando Serviços de Terceiros. Cadastrando Serviço de Terceiros. Serviço de Terceiros Serviço de Terceiros Tabela de conteúdo 1 Introdução 2 Configurações 3 Utilizando Serviços de Terceiros 3.1 Cadastrando Serviço de Terceiros 3.2 Abertura de O.S. 3.3 Autorizando o Serviço (AF) 3.4 Imprimindo

Leia mais

https://youtu.be/3bddwwzu12e

https://youtu.be/3bddwwzu12e ORIENTAÇÃO PARA MESÁRIOS E MESÁRIAS Prezados e Prezadas Mesários e Mesárias, A Comissão Especial, antes de mais nada, agradece fortemente a disposição e o compromisso de todos e todas em colaborar com

Leia mais

Resolução n 02/2015, de 21/10/2015. Seção I: Do Processo de Votação

Resolução n 02/2015, de 21/10/2015. Seção I: Do Processo de Votação - COMISSÃO CENTRAL ELEITORAL - 2015 - Associação dos Docentes da UFAL ADUFAL Sindicato dos Trabalhadores da UFAL SINTUFAL Diretório Central dos Estudantes DCE/UFAL Resolução n 02/2015, de 21/10/2015. A

Leia mais

R E S O L V E. Artigo 11º - Esta portaria entra em vigor nesta data, revogadas as disposições em contrário. DÊ-SE CIÊNCIA. CUMPRA-SE.

R E S O L V E. Artigo 11º - Esta portaria entra em vigor nesta data, revogadas as disposições em contrário. DÊ-SE CIÊNCIA. CUMPRA-SE. P O R T A R I A N º 0 4 0 / 2 0 1 1 - P B F A Prof.ª Dr.ª Márcia Edilaine Lopes Consolaro, coordenadora do Programa de Pós-graduação em Biociências Aplicadas à Farmácia, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - COMUNICAÇÃO SOCIAL LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - COMUNICAÇÃO SOCIAL LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 05 NOVEMBRO / 2009 O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - COMUNICAÇÃO SOCIAL (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material:

Leia mais

REGIMENTO ELEITORAL/BIÊNIO

REGIMENTO ELEITORAL/BIÊNIO UNIVERSIDADEESTADUALDOSUDOESTEDABAHIA-UESB RecredenciadapeloDecretoEstadualnº9,996de02/05/2006 Colegiado do Curso de Filosofia REGIMENTO ELEITORAL/BIÊNIO 2016-2018 CAPÍTULO I DAS CANDIDATURAS Art. 1º -

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES SUPLENTES DO CORPO DOCENTE DO CONSELHO ACADÊMICO DO IFMG CAMPUS CONGONHAS

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES SUPLENTES DO CORPO DOCENTE DO CONSELHO ACADÊMICO DO IFMG CAMPUS CONGONHAS REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES SUPLENTES DO CORPO DOCENTE DO CONSELHO ACADÊMICO DO IFMG CAMPUS CONGONHAS I. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Tendo em vista a ausência de representantes

Leia mais

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O presente Regulamento tem por objetivo definir as normas que

Leia mais

Ministério da Educação. Universidade Federal de São Paulo

Ministério da Educação. Universidade Federal de São Paulo Normas regulamentadoras sobre a consulta prévia à comunidade, relativa à eleição para a indicação dos nomes para concorrerem, em chapa única, ao cargo de Diretor (a) e Vice-Diretor (a) do Campus Diadema

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 029/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 029/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 029/2004-COU/UNICENTRO OBS: ESTA RESOLUÇÃO ESTÁ REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 024/2006-COU/UNICENTRO. Aprova o Regulamento da eleição para Diretor de Centro de Conhecimento da UNICENTRO. O REITOR

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA MATRÍCULA 2ª chamada

ORIENTAÇÕES PARA MATRÍCULA 2ª chamada ORIENTAÇÕES PARA MATRÍCULA 2ª chamada INFORMAÇÕES PARA MATRÍCULA DE CANDIDATOS CLASSIFICADOS E EXCEDENTES PARA LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO LEC PARA INGRESSO EM 2017 Como realizar sua manifestação

Leia mais

Divulgação de Resultados das Eleições 2010

Divulgação de Resultados das Eleições 2010 Divulgação de Resultados das Eleições 2010 Rosemberg Maia Gomes Secretaria de Tecnologia da Informação / TRE-PI COSCI/SEDESC Setembro 2010 1 Agenda Processo da Divulgação Sistemas Envolvidos Responsabilidades

Leia mais

ELEIÇÕES 2012 CADERNO DE INSTRUÇÕES

ELEIÇÕES 2012 CADERNO DE INSTRUÇÕES ELEIÇÕES 2012 CADERNO DE INSTRUÇÕES As eleições da Diretoria Geral, Conselho Fiscal e Conselho de Representantes do SINDJUFE-BA, para o triênio 2012/2015, será realizada em todo o Estado da Bahia, no dia

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO RESOLUÇÃO Nº 735/10 - TRE/RJ

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO RESOLUÇÃO Nº 735/10 - TRE/RJ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO RESOLUÇÃO Nº 735/10 - TRE/RJ O TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, e CONSIDERANDO

Leia mais

ELEIÇÕES 2016 COM ÊNFASE NA MINIRREFORMA ELEITORAL

ELEIÇÕES 2016 COM ÊNFASE NA MINIRREFORMA ELEITORAL ELEIÇÕES 2016 COM ÊNFASE NA MINIRREFORMA ELEITORAL Em outubro (02/10) os brasileiros voltam às urnas, dessa vez para votar em Prefeitos e Vereadores. Esta será a primeira eleição depois da minirreforma

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ RESOLUÇÃO Nº 03/2017-SPA, DE 31 DE MARÇO DE 2017

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ RESOLUÇÃO Nº 03/2017-SPA, DE 31 DE MARÇO DE 2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ RESOLUÇÃO Nº 03/2017-SPA, DE 31 DE MARÇO DE 2017 Estabelece normas para consulta à Comunidade do Setor, para eleição de Chefe e Suplente de Chefe do Departamento de Biodiversidade

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS CORPOS DOCENTE, DISCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DO CONSELHO ACADÊMICO DO IFMG CAMPUS CONGONHAS

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS CORPOS DOCENTE, DISCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DO CONSELHO ACADÊMICO DO IFMG CAMPUS CONGONHAS REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS CORPOS DOCENTE, DISCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DO CONSELHO ACADÊMICO DO IFMG CAMPUS CONGONHAS I. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Tendo em vista a

Leia mais

CLUBE DE REGATAS DO FLAMENGO Fundado em 15 de novembro de 1895

CLUBE DE REGATAS DO FLAMENGO Fundado em 15 de novembro de 1895 CONSELHO DELIBERATIVO Obs. 2 reuniões 9ª REUNIÃO 27/7/2016 Presentes 263 conselheiros. Ordem do dia: 1) Leitura e aprovação da ata da reunião anterior; 2) Apreciar e votar a proposta de emenda de alterações

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A VOTAÇÃO E APURAÇÃO DOS VOTOS NAS REGIONAIS SINDICAIS

ORIENTAÇÕES PARA A VOTAÇÃO E APURAÇÃO DOS VOTOS NAS REGIONAIS SINDICAIS IMPORTANTE: Antes de dar início ao processo de votação das Eleições Estaduais do SINTEGO, quadriênio 2017/2021, no Interior de Goiás, a Comissão Eleitoral Central recomenda às Comissões Eleitorais Regionais

Leia mais

EDITAL Nº 01/2014 Comissão Eleitoral Boa Vista, 15 de outubro de 2014

EDITAL Nº 01/2014 Comissão Eleitoral Boa Vista, 15 de outubro de 2014 EDITAL Nº 01/2014 Comissão Eleitoral Boa Vista, 15 de outubro de 2014 Processo Consultivo para escolha de Diretor do Instituto de Geociências-UFRR, Mandato 2015-2018 A Comissão Eleitoral, designada pela

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA RESOLUÇÃO Nº 1.922, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014 Altera dispositivos da Resolução nº 1.865, de 9 de dezembro de 2011, que aprova o procedimento eleitoral do Conselho Federal e dos Conselhos Regionais de Economia.

Leia mais

CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL CGADB. Resolução 01/ Comissão Eleitoral

CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL CGADB. Resolução 01/ Comissão Eleitoral CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL CGADB Resolução 01/2012 - Comissão Eleitoral Eleições 2013 / Normas e Prazos Brasília Distrito Federal Comissão Eleitoral da CGADB Considerando que compete

Leia mais

Faculdade de Ciências e Letras de Assis

Faculdade de Ciências e Letras de Assis NORMAS E CALENDÁRIO DA ELEIÇÃO PARA ESCOLHA DE SUPERVISOR E VICE- SUPERVISOR DO CENTRO DE PESQUISA E PSICOLOGIA APLICADA DR a BETTI KATZENSTEIN - CPPA FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DE ASSIS UNESP Artigo

Leia mais

JUSTIFICATIVA ELEITORAL PARA OS ELEITORES RESIDENTES NO EXTERIOR ELEIÇÃO /2010

JUSTIFICATIVA ELEITORAL PARA OS ELEITORES RESIDENTES NO EXTERIOR ELEIÇÃO /2010 JUSTIFICATIVA ELEITORAL PARA OS ELEITORES RESIDENTES NO EXTERIOR ELEIÇÃO /2010 A Eleição de 2010 acontecerá nos dias: 3 de outubro de 2010 1º turno 31 de outubro de 2010 2º turno, SE HOUVER PARA QUEM AINDA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Centro de Ciências Naturais e Humanas Av. dos Estados, 5001 Bairro Bangu Santo André - SP CEP 09210-580 Fone: (11) 4996.7960 secretariaccnh@ufabc.edu.br

Leia mais

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE )

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE ) PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE 18.04.2016) Altera a Portaria nº 02, de 22 de fevereiro de 2013 e dá outras providências. O SECRETÁRIO DE RELAÇÕES DO TRABALHO, no uso das atribuições que

Leia mais

Emissão de NFS-e. Nota Legal Porto Alegre

Emissão de NFS-e. Nota Legal Porto Alegre Emissão de NFS-e Nota Legal Porto Alegre Apresentação: Foi publicada em 31/05/2015 a Instrução Normativa SMF 04/2016, que incluiu o parágrafo 10 ao artigo 3º da Instrução Normativa SMF 09/2014, trazendo

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS CORPOS DOCENTE, DISCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DO CONSELHO ACADÊMICO DO IFMG CAMPUS CONGONHAS

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS CORPOS DOCENTE, DISCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DO CONSELHO ACADÊMICO DO IFMG CAMPUS CONGONHAS REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS CORPOS DOCENTE, DISCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DO CONSELHO ACADÊMICO DO IFMG CAMPUS CONGONHAS I. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Tendo em vista o

Leia mais

PORTARIA Nº 063, DE 30 DE MAIO DE 2012

PORTARIA Nº 063, DE 30 DE MAIO DE 2012 1 PORTARIA Nº 063, DE 30 DE MAIO DE 2012 ESTABELECE NORMAS PARA A ELEIÇÃO DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS DA UNESP - CAMPUS DE MARÍLIA HERALDO LORENA GUIDA, Vice-Diretor

Leia mais

Edital COLTEC - EBAP Nº 06/2016 CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÃO

Edital COLTEC - EBAP Nº 06/2016 CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÃO Edital COLTEC - EBAP Nº 06/2016 CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÃO A Diretora Geral da EBAP, da Universidade Federal de Minas Gerais, Professora Tânia Margarida Lima Costa, no uso de suas atribuições legais, torna

Leia mais

COMISSÃO ELEITORAL LOCAL - CEL CONSULTA ELEITORAL PARA ESCOLHA DO. DIRETOR E VICE-DIRETOR DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS (ICEx) Quadriênio 2015/2019

COMISSÃO ELEITORAL LOCAL - CEL CONSULTA ELEITORAL PARA ESCOLHA DO. DIRETOR E VICE-DIRETOR DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS (ICEx) Quadriênio 2015/2019 COMISSÃO ELEITORAL LOCAL - CEL CONSULTA ELEITORAL PARA ESCOLHA DO DIRETOR E VICE-DIRETOR DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS (ICEx) Quadriênio 2015/2019 EDITAL A COMISSÃO ELEITORAL LOCAL - CEL designada pelo

Leia mais

RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 18/2014

RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 18/2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 18/2014 Estabelece normas para eleição de representantes dos docentes, dos técnicoadministrativos e dos estudantes nos Conselhos

Leia mais

REGIMENTO ELEITORAL CIPA/CISDESTE 2016/2017

REGIMENTO ELEITORAL CIPA/CISDESTE 2016/2017 REGIMENTO ELEITORAL CIPA/CISDESTE 2016/2017 Em cumprimento aos preceitos legais, a Comissão Eleitoral CE, legalmente constituída, define os seguintes procedimentos para a organização e acompanhamento do

Leia mais

Propaganda Eleitoral na Internet. PODE haver propaganda eleitoral na internet a partir do dia 16/08/2016

Propaganda Eleitoral na Internet. PODE haver propaganda eleitoral na internet a partir do dia 16/08/2016 PODE/NÃO PODE/DEVE Parte IV Propaganda Eleitoral Na Internet, da Resolução nº 23.457, de 15/12/2015, que dispõe sobre propaganda eleitoral, utilização e geração do horário gratuito e condutas ilícitas

Leia mais

Instruções elaboradas por Frank Varela de Moura e Stella Bruna Santo Revisão: Bárbara Victória

Instruções elaboradas por Frank Varela de Moura e Stella Bruna Santo Revisão: Bárbara Victória Instruções elaboradas por Frank Varela de Moura e Stella Bruna Santo Revisão: Bárbara Victória INSTRUÇÕES BASEADAS NAS RESOLUÇÕES TSE N.º 23.372 e 23.341 (2012) APRESENTAÇÃO Fiscalizar é um direito assegurado

Leia mais

Processo Eleitoral Brasileiro. Giuseppe Dutra Janino, PMP Maio / 2016

Processo Eleitoral Brasileiro. Giuseppe Dutra Janino, PMP Maio / 2016 Processo Eleitoral Brasileiro Giuseppe Dutra Janino, PMP Maio / 2016 Direcionamento Institucional Missão "Garantir a legitimidade do processo eleitoral e o livre exercício do direito de votar e ser votado,

Leia mais

RESOLUÇÃO N INSTRUÇÃO N CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL.

RESOLUÇÃO N INSTRUÇÃO N CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO N 23.218 INSTRUÇÃO N 39732-67.2009.6.00.0000 - CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI DIAMANTINA MINAS GERAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI DIAMANTINA MINAS GERAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Faculdade Interdisciplinar em Humanidades Campus Diamantina Coordenação do Curso de Humanidades Edital 002/2016 A Coordenação do Curso de Humanidades no uso de suas atribuições legais

Leia mais

TÍTULO I DO OBJETIVO E DAS INCRIÇÕES

TÍTULO I DO OBJETIVO E DAS INCRIÇÕES O Vice-Presidente do Diretório Estudantil do Colégio Agrícola Dom Agostinho Ikas da Universidade Federal Rural de Pernambuco, no uso de suas atribuições no Art. 8º do Regulamento Geral da FIA e tendo em

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO EDITAL Nº 39/2012 ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO CONSELHO SUPERIOR

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO EDITAL Nº 39/2012 ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO CONSELHO SUPERIOR MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO EDITAL Nº 39/2012 ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO CONSELHO SUPERIOR O DEFENSOR PÚBLICO-GERAL FEDERAL, usando das atribuições que lhe são conferidas pelos artigos

Leia mais

SINDICATO INTERMUNICIPAL DOS PROFESSORES DE INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO SUL - ADUFRGS-SINDICAL ASSENTO ELEITORAL

SINDICATO INTERMUNICIPAL DOS PROFESSORES DE INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO SUL - ADUFRGS-SINDICAL ASSENTO ELEITORAL SINDICATO INTERMUNICIPAL DOS PROFESSORES DE INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO SUL - ADUFRGS-SINDICAL ASSENTO ELEITORAL Art. 1º. A eleição da DIRETORIA e dos representantes aposentados

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÁS UNIDADE ACADÊMICA ESPECIAL DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÁS UNIDADE ACADÊMICA ESPECIAL DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS NORMAS DA CONSULTA PÚBLICA PARA A INDICAÇÃO DE COORDENADXR E VICE-COORDENADXR DO CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO DA DA Preâmbulo O Colegiado da Unidade Acadêmica Especial de Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

Resolução nº 03, de 2 de setembro de REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES

Resolução nº 03, de 2 de setembro de REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES Resolução nº 03, de 2 de setembro de 2010. REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES Dispõe sobre o processo eleitoral de votação para Presidente, Vice Presidente e Colégio de Sócios da gestão 2010/2012, de 30 de setembro

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL Art. 1º. O presente edital tem como finalidade gerir as eleições para a gestão 2016/2017 do Grêmio Estudantil do IFTM

Leia mais

PORTARIA IME n.º 502 de 12 de março de 1997

PORTARIA IME n.º 502 de 12 de março de 1997 PORTARIA IME n.º 502 de 12 de março de 1997 Dispõe sobre as normas que regem as eleições de representantes dos servidores não docentes e respectivos suplentes junto aos colegiados do Instituto de Matemática

Leia mais

E P E ANALISTA DE PESQUISA ENERGÉTICA MEIO AMBIENTE / RECURSOS HÍDRICOS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

E P E ANALISTA DE PESQUISA ENERGÉTICA MEIO AMBIENTE / RECURSOS HÍDRICOS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 13 E P E MEIO AMBIENTE / RECURSOS HÍDRICOS EDITAL N o 001/2012 - EPE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este caderno, com os enunciados das 50 (cinquenta)

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 1. PRAZOS ELEITORAIS PARA OS PARTIDOS: 1.1 ESCOLHA DOS CANDIDATOS: 20.07.2016 a 05.08.2016 (Lei nº 9.504/1997, art. 8º, caput); 1.2 REGISTRO DE CANDIDATURA:

Leia mais

Portaria nº 3720 de 27 de abril de 2017

Portaria nº 3720 de 27 de abril de 2017 Portaria nº 3720 de 27 de abril de 2017 O Diretor em exercício da Faculdade Nacional de Direito, Professor Carlos Alberto Pereira das Neves Bolonha, no uso de suas atribuições legais e após homologação

Leia mais

DIREITO ELEITORAL. UNIDADE 1 Direito Eleitoral Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15/07/1965)

DIREITO ELEITORAL. UNIDADE 1 Direito Eleitoral Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15/07/1965) DIREITO ELEITORAL SUMÁRIO UNIDADE 1 Direito Eleitoral Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15/07/1965) UNIDADE 2 Órgãos da Justiça Eleitoral (TSE, TREs, Juízes Eleitorais e Juntas Eleitorais) 2.1 Composição

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências da Saúde

Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências da Saúde R E S O L U Ç Ã O Nº 015/2016-CI/CCS (alterado pela Resolução nº 041/2016-CI/CCS) CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, neste Centro, no dia 09/03/2016. Aprova o

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ RESOLUÇÃO Nº 02/17-SPA, DE 24 DE MARÇO DE 2017

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ RESOLUÇÃO Nº 02/17-SPA, DE 24 DE MARÇO DE 2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ RESOLUÇÃO Nº 02/17-SPA, DE 24 DE MARÇO DE 2017 Estabelece as normas para consulta à Comunidade do Setor, para eleição de Coordenador e Vice-Coordenador do Curso de Licenciatura

Leia mais

Justiça Eleitoral. Eleição Municipal º Turno. Resultado da totalização JAQUIRANA

Justiça Eleitoral. Eleição Municipal º Turno. Resultado da totalização JAQUIRANA Justiça Eleitoral Eleição Municipal 212-1º Turno Resultado da totalização JAQUIRANA 7 de outubro de 212 21::2 Gerenciamento 212 Eleição Municipal 212 Página 2 de 17 7/1/212 21::2 Relatório do Resultado

Leia mais

ANEXO ÚNICO AO EDITAL Nº 2.338/2016-CRS

ANEXO ÚNICO AO EDITAL Nº 2.338/2016-CRS ANEXO ÚNICO AO EDITAL Nº 2.338/2016-CRS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA INGRESSO a) 01 (uma) foto 3x4 colorida, recente de frente; b) Cédula de identidade do Paraná ou protocolo de seu requerimento junto ao

Leia mais