PARÓQUIA CRISTO REI FORMAÇÃO LITÚRGICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARÓQUIA CRISTO REI FORMAÇÃO LITÚRGICA"

Transcrição

1 PARÓQUIA CRISTO REI FORMAÇÃO LITÚRGICA

2 Mas afinal, o que é Liturgia?

3 LITURGIA A palavra LIT-URGIA é de origem grega, composta de duas raízes: Liet / leos / laos = povo, público e Ergomai (ergom) = operar, produzir (obra), ação, trabalho, ofício, serviço... Leitourghía (Liturgia) = serviço prestado ao povo ou em favor do povo. O RITO A Liturgia se apresenta como um conjunto de ritos = RITUAL Repetindo a Igreja guarda a sua identidade

4 A liturgia é o cume e a fonte da ação da Igreja A liturgia renova e aprofunda a aliança do Senhor com os homens, na eucaristia, fazendo-os arder no amor de Cristo. Dela, pois, especialmente da eucaristia, como de uma fonte, derrama-se sobre nós a graça e brota com soberana eficácia a santidade em Cristo e a glória de Deus, fim para o qual tudo tende na Igreja. Sacrosanctum Concilium, 7

5 Liturgia Sagrada Ceia do Senhor: o mistério da fé

6 Para fazer memória do Mistério a liturgia utiliza-se de três ritmos: DIÁRIO - Liturgia das Horas / Ofício Divino das Comunidades SEMANAL Em cada Domingo celebra-se a Páscoa do Senhor ANUAL Ciclo Pascal e Ciclo do Natal e Tempo Comum

7

8

9

10

11 L E C I O N Á R I O S DOMINICAL Domingos e algumas festas: Ano A: São Mateus; Ano B: São Marcos; Ano C: de São Lucas; Nota: O Evangelho de São João é reservado principalmente para as grandes festas e solenidades. LECIONÁRIO SEMANAL Divide-se em ano par e ano ímpar. O Evangelho tem ciclo anual e as Leituras ciclo bienal. LECIONÁRIO SANTORAL Utilizado nas festas e algumas memórias dos Santos(as).

12 O QUE É LITURGIA CRISTÃ A liturgia é o princípio, lugar de encontro, de diálogo entre Deus e seu povo. O Concílio Vaticano II, no documento sobre a liturgia afirma que na liturgia Deus fala com seu povo. Cristo ainda anuncia o Evangelho. E o povo responde a Deus, ora com cânticos ora com orações (SC 33).

13 Cristo Jesus está presente de várias maneiras na liturgia: na assembleia reunida (Igreja); na proclamação da Palavra; na Eucaristia. Jesus é, portanto, a ponte de ligação entre nós e Deus. Ele é o caminho que conduz ao Pai e ao seu Reino de amor. O centro da liturgia é o mistério pascals.

14 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Jo 3:16 Diagrama de João

15 Partes da Missa Missa Núcleo da Missa Ritos Iniciais Liturgia da Palavra Liturgia Eucarística Ritos Finais

16 RITOS NA LITURGIA Ritos Iniciais Os ritos iniciais ou as partes que precedem a liturgia da palavra, isto é: - Procissão e Canto de entrada, - Saudação, - Ato penitencial, - Senhor tende piedade, - Hino de Louvor, - oração da coleta Têm o caráter de exórdio, introdução e preparação. Estes ritos têm por finalidade fazer com que os fiéis, reunindo-se em assembleia, constituam uma comunhão e se disponham para ouvir atentamente a Palavra de Deus e celebrar dignamente a Eucaristia. Instrução Geral ao Missal Romano, n.º 24:

17 LITURGIA DA PALAVRA Primeira Leitura Salmo Responsorial Segunda Leitura Canto de Aclamação Evangelho Homilia Profissão de Fé Preces dos fiéis

18 Aprender Ouvindo com o Mestre ELE NOS REVELA AS ESCRITURAS Pela Liturgia da Palavra, somos convocados a aprender o que o Mestre tem a nos dizer, através das Escrituras, a fim de compreender e iluminar o chamado ao discipulado e à missão. 18

19 CONCÍCLIO VATICANO II O Concílio Vaticano II prescreve que os ajudantes, leitores, comentadores e cantores sejam cuidadosamente imbuídos do espírito litúrgico e preparados para executar as suas partes, perfeita e ordenadamente (SC n. 29).

20 PROCLAMAÇÃO EFICAZ A presença de Cristo chega à sua máxima intensidade na assembléia dos fiéis reunidos em torno do altar. Nela, a Palavra é ligada ao rito, que é ação de Cristo. A proclamação da Palavra de Deus deve ser feita em atitude de oração.

21 LEITURAS: 1ª Leitura: A primeira leitura e o Evangelho tratam geralmente do mesmo assunto, para mostrar Jesus como aquele que leva à plenitude a antiga aliança; O salmo: é uma meditação da leitura, uma espécie de comentário cantado - daí ser insubstituível; 2ª leitura: é feita de forma semicontínua, sempre extraída da carta do apóstolo. Obs: A liturgia dos dias da semana não apresenta a segunda leitura.

22 Evangelho É o ponto alto da liturgia da Palavra. Cristo torna-se presente através de sua Palavra. Todos ficam de pé e aclamam o Cristo que fala. O que proclama a Palavra do evangelho menciona a presença do Cristo vivo entre nós. Quem proclama: Faz o sinal da cruz na testa, na boca e no coração para que todo o ser fique impregnado da mensagem do Evangelho: a mente a acolha, a boca a proclame e o coração a sinta e a viva.

23 Homilia A homilia faz a transição entre a Palavra de Deus e sua resposta. A função da homilia é confrontar o mistério celebrado com a vida da comunidade. Na homilia: anima o povo, exorta-o e se for preciso o denuncia, mostrando a distância entre o ideal proposto e a vida concreta do povo.

24 Profissão de fé O símbolo ou profissão de fé, na celebração, tem por objetivo levar o povo a dar seu assentimento e resposta à Palavra de Deus ouvida nas leituras e homilia, bem como lhe recordar a regra da fé antes de iniciar a celebração da eucaristia (IGMR 43). A profissão de fé consiste na primeira resposta dada à Palavra de Deus. Nela cremos e aderimos, manifestando também nossa fé naquela que possui a incumbência de perpetuar esta palavra: a Igreja Católica. Possui duas formas, sendo a mais extensa proclamada em solenidades especiais, como o Natal, Anunciação... Cf. IGMR - Instrução Geral ao Missal Romano

25 Oração dos Fiéis Na oração dos fiéis ou oração universal, a assembléia dos fiéis, iluminada pela graça de Deus, à qual de certo modo responde, pede normalmente pelas necessidades da Igreja universal e da comunidade local, pela salvação do mundo, pelos que se encontram em qualquer necessidade e por grupos determinados de pessoas (IGMR 30).

26 Oração dos Fiéis O povo de Deus ouve a Palavra de Deus, a acolhe e dá a sua resposta. Pede a Deus a graça de poder realizar a sua vontade; porém ele não é egoísta: pede por todos para que também possam realizar esta palavra e assim encontrar o sentido para suas vidas.

27 Oração dos Fiéis Pede pela Igreja, para que esta tenha coragem de continuar proclamando esta palavra. Pede por aqueles que sofrem e pelas autoridades locais, para que concretizem o Reino de Deus entre nós.

28 Oração dos Fiéis Finalmente faz seus pedidos pela comunidade local. Talvez seria de imensa riqueza para a liturgia se as preces fossem feitas de modo espontâneo, mas para isso seria necessário ordem e instrução por parte da assembleia. Seria necessário lembrar que a resposta à Palavra de Deus nunca se dá de modo egoísta.

29 MINISTÉRIO DOS LEITORES Quem vai ler deve PREPARA-SE espiritualmente para PROCLAMAR a leitura: Ler antes; Meditar; Orar em cima da Palavra; Deixar ela tomar conta de todo o seu ser (corpo, mente, coração, emoções); O leitor e a leitora devem ser os primeiros ouvintes da Palavra; E também devem se preparar tecnicamente, através de ensaios, cursos e avaliações para aperfeiçoamento.

30 MINISTÉRIO DOS LEITORES Atenção equipes de liturgia! Evitar pegar pessoas na última hora para ler, em cima da hora, de improviso. Inclusive se recomenda que a leitura seja entregue pela equipe com bastante antecedência, para ser preparada com calma, até mesmo durante toda a semana.

31 MINISTÉRIO DOS LEITORES Ao ler, olhar com carinho para os ouvintes, como Deus olha para o seu povo. No olhar de quem lê, os ouvintes querem sentir o olhar de Deus. Evite-se, portanto, a mania" de ficar com o olhar preso só no livro.

32 MINISTÉRIO DOS LEITORES Quem proclama a Palavra, ao fazer as leituras, faça-o com voz clara (para todos ouvirem!), devagar, pausadamente, respeitando as pontuações. E, sobretudo, ler com espiritualidade, vivenciando o que lê, colocando emoção no que lê. Evite-se o "ruído" da leitura rápida demais, em voz baixa, sem pontuação e, sobretudo, sem espiritualidade.

33 MINISTÉRIO DOS LEITORES Quando termina a leitura, diga-se "Palavra do Senhor", ou "Palavra da Salvação" (no caso do Evangelho), no singular. Por quê? Porque é Cristo-Palavra que foi proclamado. Por isso, evite-se dizer "Palavras do Senhor" ou "Palavras da Salvação" (no plural). Pois não são "palavras" que são lidas, mas é "a Palavra" (Cristo) que é proclamada. Outra coisa: faça-se uma pequena pausa antes de dizer "Palavra do Senhor" ou "Palavra da Salvação". Isso ajuda a vivenciar melhor o que foi lido e ouvido.

34 LITURGIA EUCARÍSTICA 1.Jesus tomou o pão... preparação dos dons: preparação do altar, procissão dos dons, incensação dos dons e do altar, lavabo, oração sobre as oferendas. 2.Jesus deu graças ao Pai... Oração Eucarística centro e ápice de toda celebração (IGMR 78). Do diálogo do Prefácio até a Doxologia final (Amém). 3.Partiu o pão e deu a seus discípulos fração do pão e comunhão dos fiéis momento culminante da refeição pascal.

35 LITURGIA EUCARÍSTICA 1.Preparação dos dons são levadas ao altar as oferendas que se converterão no Corpo e Sangue do Senhor: Preparação do altar (Corporal, purificatório, missal, cálice...); Oferendas (pão, vinho e ofertas); Canto das oferendas (acompanha a procissão das oferendas). 2.Oração sobre as oferendas.

36 3.Oração Eucarística: O sentido é que toda assembléia se uma com Cristo na proclamação das maravilhas de Deus e na oblação do sacrifício. (IGMR 78) Elementos que compõe a Oração Eucarística: Ação de graças; Aclamação; Epiclese; Narrativa da Instituição e Consagração; Anamnese; Oblação; Intercessões; Doxologia Final.

37 4.Ritos da Comunhão Ritos preparatórios para a Comunhão 5.Oração do Senhor O Pai Nosso, embolismo e doxologia; 6.Rito da Paz A Igreja implora a paz para si mesma e para todos. 7.Fração do Pão Cordeiro o sacerdote coloca uma parte da hóstia no cálice. 8.Comunhão.

38 RITOS FINAIS (Encerramento): 1.Avisos - (breves comunicações); 2.Saudação e Benção do Sacerdote; 3.Despedida do Povo - pelo Diácono ou pelo Sacerdote; 4.Beijo no Altar - Sacerdote e Diácono; 5.Inclinação profunda ao Altar - Sacerdote, Diácono e demais Ministros.

39 O USO DO INCENSO NA MISSA (IGMR ) Que minha oração suba até Vós como a fumaça do incenso, que minhas mãos estendidas para Vós, sejam como a oferenda da tarde. ( cf. Salmo 140, 2) Ritos Iniciais: a. Durante a procissão de entrada, à frente da Cruz; b. No início da Missa para a incensar a Cruz e o Altar; Rito da Palavra: a. Na procissão do Evangelho e em Sua proclamação; Rito Sacramental: a. As Oferendas; b. A Cruz; c. O Altar; d. O Sacerdote; e. O povo.

40 MINISTÉRIOS LITÚRGICOS (GLP VIII) A ação litúrgica e a participação ativa da assembléia são realizadas através de ministérios: Ministérios Ordenados - Ministérios Instituídos - Ministérios Confiados Todos, quer ministros ordenados, quer fiéis leigos, exercendo suas funções e ministérios, façam tudo e só aquilo que lhes compete. (IGMR 91 (58)

41 FUNÇÕES DO POVO DE DEUS Os FIÉIS Sacerdócio régio. Os ACÓLITOS prepara o altar e os vasos sagrados e é ministro extraordinário da Comunhão. O LEITOR profere as leituras, exceto o Evangelho. O SACRISTÃO cuida dos livros litúrgicos e paramentos. O COMENTARISTA faz as explicações exortações (nunca deve ficar no ambão da Palavra).

42 FUNÇÕES DO POVO DE DEUS MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO ajudam a distribuir a Comunhão; leva a Comunhão aos enfermos; na ausência do padre ou diácono expõe o SS. Sacramento, sem dar a benção; acompanha os velórios e oficiam as exéquias, dão a benção aos idosos e doentes.

43 Liturgia é uma ação sagrada, através da qual, com ritos, na Igreja e pela Igreja, se exerce e prolonga a obra sacerdotal de Cristo, que tem por objetivos a santificação dos homens e a glorificação de Deus. (SC 7)

44 SILÊNCIO Em todo o rito, a Palavra se conjuga com o silêncio. Momentos de silêncio após as leituras, o salmo e a homilia, fortalecem a atitude de acolhida à Palavra. O silêncio é momento em que o Espírito torna fecunda a Palavra no coração da comunidade.

45 Partes da Celebração da Palavra Celebração Ritos Iniciais Liturgia da Palavra Ação de Graças (Momento Eucarístico) Ritos Finais

46 Qual é a razão porque nós nos reunimos para celebrar a Liturgia?

47 É NECESSÁRIO>>> PREPARAR O CAMINHO Quem celebra a liturgia de forma ativa, participada, entra mais facilmente na dinâmica comunitária e eclesial da solidariedade e da doação da vida para a construção do Reino, assim como Jesus indicou e testemunhou.

48 Mas, para que isso aconteça, a ação litúrgica deve ser entendida e bem preparada.

49 Ouve-se ainda queixas desse tipo: a missa foi cansativa, os cantos desafinados, o instrumental exageradamente alto, as leituras feitas sem expressão, a homilia abstrata e pouco voltada para a vida...

50 Mas como ter uma boa proclamação da Palavra se o leitor for improvisado, sem capacidade ou preparação nenhuma?

51 A música e os cantos são de uma importância extraordinária na liturgia. Mas como alcançar isso se os cantos não forem apropriados e bem executados, envolvendo, de preferência, também a comunidade?

52 Por isso, tudo deve ser preparado com antecedência e com capricho.

53 fácil entender a necessidade, em cada comunidade, da

54 Pastoral Litúrgica é o modo de organizar a comunidade, visando a formação litúrgica, a preparação e a realização de celebrações.

55 É tarefa desta pastoral organizar com competência e criatividade toda a ação litúrgica que acontece na comunidade como faz isto:

56 preparando pessoas, dividindo tarefas e criando aquele clima que ajude a vivenciar as sublimes realidades que devem nos conduzir a uma forte experiência de Deus e a nos engajar na transformação do mundo.

57 o tripé da Pastoral Litúrgica é: organização, formação e preparação.

58 Precisamos evitar, como diz: a pastoral do laço :

59 Dez minutos, quando não menos, laça-se alguém que está chegando mais cedo para que faça uma leitura, escolha uns cantos, etc.

Orientações para Leitores. Paróquia Nossa Senhora Rosa Mística - Montes Claros / MG

Orientações para Leitores. Paróquia Nossa Senhora Rosa Mística - Montes Claros / MG Orientações para Leitores Importância da Missa Estrutura, elementos e partes da Missa Documentos Instrução Geral do Missal Romano Documento 43 CNBB - Animação da vida litúrgica no Brasil 388. As adaptações

Leia mais

Celebração Dominical da Palavra. Cap. 07 Ione Buyst

Celebração Dominical da Palavra. Cap. 07 Ione Buyst Celebração Dominical da Palavra Cap. 07 Ione Buyst A Igreja de Cristo, desde o dia de Pentecostes, após a descida do Espírito Santo, sempre se reuniu fielmente para celebrar o mistério pascal, no dia que

Leia mais

PARTE I O MISTÉRIO, O ESPAÇO E OS MINISTROS I.

PARTE I O MISTÉRIO, O ESPAÇO E OS MINISTROS I. ÍNDICE GERAL Uma palavra do autor... p. 3 Lista de abreviatura... p. 7 PARTE I O MISTÉRIO, O ESPAÇO E OS MINISTROS I. Por amor a Liturgia A importância de se amar a Liturgia... n. 1 Necessidade de deixar

Leia mais

CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS ANDRÉA ALMEIDA DE GÓES ANDRÉ LUIZ DE GÓES NUNES VITOR NUNES ROSA

CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS ANDRÉA ALMEIDA DE GÓES ANDRÉ LUIZ DE GÓES NUNES VITOR NUNES ROSA CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS ANDRÉA ALMEIDA DE GÓES ANDRÉ LUIZ DE GÓES NUNES VITOR NUNES ROSA 1 2 ORIENTAÇÕES PARA A CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS DOCUMENTO DA CNBB - 52 3 SENTIDO LITÚRGICO DA CELEBRAÇÃO

Leia mais

MISSA - A COMUNIDADE SE REÚNE PARA CELEBRAR A VIDA

MISSA - A COMUNIDADE SE REÚNE PARA CELEBRAR A VIDA MISSA - A COMUNIDADE SE REÚNE PARA CELEBRAR A VIDA A Eucaristia é o sacramento que atualiza e faz a memória do sacrifício de Jesus: em cada Eucaristia temos a presença do Cristo que pela sua morte e ressurreição

Leia mais

Catedral Diocesana de Campina Grande. II Domingo da Páscoa Ano C Domingo da Divina Misericórdia. ANO DA FÉ Rito Inicial

Catedral Diocesana de Campina Grande. II Domingo da Páscoa Ano C Domingo da Divina Misericórdia. ANO DA FÉ Rito Inicial Catedral Diocesana de Campina Grande Paróquia nossa Senhora da Conceição II Domingo da Páscoa Ano C Domingo da Divina Misericórdia Por suas chagas fomos curados, felizes aqueles que crêem sem terem visto.

Leia mais

A estrutura da Santa Missa

A estrutura da Santa Missa A estrutura da Santa Missa A estrutura da Santa Missa é construída sobre dois grandes pilares: a liturgia da palavra, precedida dos ritos inciais, e a liturgia eucarística, seguida dos ritos finais. O

Leia mais

Liturgia Eucarística

Liturgia Eucarística Liturgia Eucarística Na última Ceia, Cristo instituiu o sacrifício e banquete pascal, por meio do qual, todas as vezes que o sacerdote, representando a Cristo Senhor, faz o mesmo que o Senhor fez e mandou

Leia mais

O MISSAL ROMANO. Missale Romanum

O MISSAL ROMANO. Missale Romanum O MISSAL ROMANO A reforma da Liturgia latina, decidida pelo Concílio Vaticano II, encontra a sua expressão concreta nos livros litúrgicos ou rituais. Os livros são oficialmente publicados pela Congregação

Leia mais

A Liturgia como comunicação do Amor de Deus

A Liturgia como comunicação do Amor de Deus A Liturgia como comunicação do Amor de Deus A Liturgia - O Que é a Liturgia - Quem se comunica pela Liturgia. Como comunicação do amor de Deus - Como se deu essa comunicação de Amor. - Como ela se realiza.

Leia mais

CURSO PARA FORMAÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO

CURSO PARA FORMAÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO 23 CURSO PARA FORMAÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO 6 A ESTRUTURA DA MISSA 2: A LITURGIA EUCARÍSTICA E OS RITOS FINAIS Ementa: nesta formação estudaremos a partir da procissão das oferendas

Leia mais

III. Ofícios e Ministérios na Celebração da Liturgia da Palavra na Missa. Elenco das Leituras da Missa

III. Ofícios e Ministérios na Celebração da Liturgia da Palavra na Missa. Elenco das Leituras da Missa III. Ofícios e Ministérios na Celebração da Liturgia da Palavra na Missa Elenco das Leituras da Missa 1. Funções do presidente na liturgia da palavra 2. Função dos fiéis na liturgia da palavra 3. Ministérios

Leia mais

Na Missa se realiza o que Cristo ordenou na última

Na Missa se realiza o que Cristo ordenou na última Na Missa se realiza o que Cristo ordenou na última ceia: o memorial de seu mistério pascal. A eucaristia é, em primeiro lugar, memorial da morte e ressurreição do Senhor Jesus, sob a forma de pão e de

Leia mais

Catálogo. de Publicações. Secretariado Nacional de Liturgia

Catálogo. de Publicações. Secretariado Nacional de Liturgia Catálogo de Publicações Secretariado Nacional de Liturgia Todos os preços indicados incluem IVA à taxa legal em vigor. Fátima, Janeiro de 2013 missais missal romano Formato: 175X255 mm 1.408 páginas Dourado

Leia mais

Alfaias: São todos os objetos usados nos exercícios da liturgia como, por, exemplo, os vasos litúrgicos e os paramentos dos ministros.

Alfaias: São todos os objetos usados nos exercícios da liturgia como, por, exemplo, os vasos litúrgicos e os paramentos dos ministros. Oração inicial: Leitura: Lucas 22, 7-20. Objetivo do Encontro: Explicar a missa parte por parte e levar os catequizandos a amar a eucaristia e a serem fiéis na partição desse sacramento. Texto: Objetos

Leia mais

1- ASSUNTO: Curso de liturgia na Paróquia Santo Antônio

1- ASSUNTO: Curso de liturgia na Paróquia Santo Antônio 1- ASSUNTO: Curso de liturgia na Paróquia Santo Antônio 2- TEMA: Liturgia 3- OBJETIVO GERAL Assessorar as 12 comunidades pertencentes à Paróquia Santo Antônio, motivando-as a celebrar com fé o Mistério

Leia mais

Pe. Ronaldo Sabino de Pádua, CSsR

Pe. Ronaldo Sabino de Pádua, CSsR 38 9 - OS LECIONÁRIOS, O MISSAL ROMANO E A EUCARISTIA 1 - A AÇÃO DO MESC A PARTIR DE JESUS CRISTO Toda ação litúrgica da Igreja deve ser a expressão do Cristo cabeça da Igreja. Assim, os leigos são admiravelmente

Leia mais

São resultado desses encontros as notas que a seguir partilhamos.

São resultado desses encontros as notas que a seguir partilhamos. Nas quintas-feiras do mês de Maio, decorreram na Igreja de Oliveira de Azemeis, encontros de formação litúrgica, organizados pela vigararia sul da Diocese do Porto e orientados pelo P. Frei Bernardino

Leia mais

O Canto na Sequência da Celebração. O Canto

O Canto na Sequência da Celebração. O Canto O Canto na Sequência da Celebração O Canto Revisão 2-27-11-2008 O canto e a música são elementos importantes na Celebração do Povo de Deus em festa pela salvação de Cristo. Ele como parte necessária e

Leia mais

Oração Inicial: Leitura: Lucas 22, 7-20.

Oração Inicial: Leitura: Lucas 22, 7-20. Oração Inicial: Leitura: Lucas 22, 7-20. Objetivo do encontro: Despertar amor a Eucaristia e a participação da santa missa, onde o sacramento é oferecido. Texto: Ë o sacramento pelo qual participamos,

Leia mais

Ano B. Livro de Partituras. Missas da Quaresma Missas de Páscoa Missa de Pentecostes Missa da Santíssima Trindade. Diocese de Oliveira

Ano B. Livro de Partituras. Missas da Quaresma Missas de Páscoa Missa de Pentecostes Missa da Santíssima Trindade. Diocese de Oliveira Ano B Livro de Partituras Missas da Quaresma Missas de Páscoa Missa de Pentecostes Missa da Santíssima Trindade Diocese de Oliveira SUMÁRIO MISSAS DA QUARESMA ENTRADA - Hino Da Campanha Da Fraternidade

Leia mais

A disposição da igreja. 12 de Abril de 2010 Acólitos São João da Madeira 1

A disposição da igreja. 12 de Abril de 2010 Acólitos São João da Madeira 1 A disposição da igreja 12 de Abril de 2010 Acólitos São João da Madeira 1 A disposição da igreja Este documento foi escrito com base na IGMR Introdução Geral ao Missal Romano. O estudo dos temas abordados

Leia mais

O QUE SE ESPERA DE UM MINISTRO DA MÚSICA: Que ajude a assembleia a entrar no mistério de Deus pela música;

O QUE SE ESPERA DE UM MINISTRO DA MÚSICA: Que ajude a assembleia a entrar no mistério de Deus pela música; O QUE SE ESPERA DE UM MINISTRO DA MÚSICA: Que ajude a assembleia a entrar no mistério de Deus pela música; Que esteja a serviço da igreja e da liturgia e não de si mesmo e de seus gostos pessoais; Que

Leia mais

Pe. José Weber, SVD. Cantos do Evangelho. Anos A, B e C & Solenidades e Festas

Pe. José Weber, SVD. Cantos do Evangelho. Anos A, B e C & Solenidades e Festas Cantos do Evangelho Pe. José Weber, SVD Cantos do Evangelho Anos A, B e C & Solenidades e Festas Direção editorial Claudiano Avelino dos Santos Autor de todas as melodias Pe. José Weber, SVD Organização

Leia mais

A Missa parte por parte - Ritos Iniciais

A Missa parte por parte - Ritos Iniciais A Missa parte por parte - Ritos Iniciais RITOS INICIAIS: DEUS NOS REÚNE Canto de Entrada: Intróito. Canta-se algo que diga respeito à Igreja peregrina neste mundo, a caminho da Casa do Senhor, ou algo

Leia mais

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro I Semana de Liturgia 21 a 25 de setembro de 2015. Sacrosanctum Concilium 50 anos depois. Por uma participação ativa, consciente e plena. Abertura Solo: Abrirei

Leia mais

Referindo-se ao Sacramento da Eucaristia, diz o Catecismo da Igreja Católica :

Referindo-se ao Sacramento da Eucaristia, diz o Catecismo da Igreja Católica : Referindo-se ao Sacramento da Eucaristia, diz o Catecismo da Igreja Católica : 1323. - O nosso Salvador Instituiu na Última Ceia, na noite em que foi entregue, o Sacrifício Eucarístico do seu Corpo e Sangue,

Leia mais

o Sacrifício de Jesus

o Sacrifício de Jesus A Santa Missa o Sacrifício de Jesus Curso de Teologia Paróquia de Nossa Senhora da Assunção «A Liturgia é o cume para o qual se dirige a atividade da Igreja e, ao mesmo tempo, a fonte de onde provém toda

Leia mais

Gestos e atitudes corporais

Gestos e atitudes corporais Gestos e atitudes corporais A postura de um acólito não deve ser rígida e fria como uma estátua, nem por outro lado deve ser descuidada. A forma de estar deve permitir que o acólito esteja ao mesmo tempo

Leia mais

O ANO LITÚRGICO. Quando se inicia o Ano Litúrgico?

O ANO LITÚRGICO. Quando se inicia o Ano Litúrgico? O ANO LITÚRGICO Chama-se Ano Litúrgico o tempo em que a Igreja celebra todos os feitos salvíficos operados por Deus em Jesus Cristo. "Através do ciclo anual, a Igreja comemora o mistério de Cristo, desde

Leia mais

Solenidade de Corpus Christi Junho de 2017

Solenidade de Corpus Christi Junho de 2017 Solenidade de Corpus Christi Junho de 2017 Caríssimos Irmãos e Irmãs: Temos, com muita frequência, insistido sobre a realidade do espaço eclesial que cada batizado ocupa na Igreja. Porém, não obstante

Leia mais

Encontro para pais de Crianças da Primeira Comunhão

Encontro para pais de Crianças da Primeira Comunhão SECRETARIADO DIOCESANO DE CATEQUESE DA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA SANTARÉM Encontro para pais de Crianças da Primeira Comunhão Tema: A EUCARISTIA (Também se pode recorrer ao power point sobre a Eucaristia)

Leia mais

SUMÁRIO MISSAS DE NOSSA SENHORA - ANO C

SUMÁRIO MISSAS DE NOSSA SENHORA - ANO C Ano C Livro de Partituras Missas de Nossa Senhora São Sebastião E São josé Diocese de Oliveira SUMÁRIO MISSAS DE NOSSA SENHORA - ANO C IMACULADA CONCEIÇÃO DE MARIA PROCISSÃO DE ENTRADA - Imaculada, Maria

Leia mais

SOBRE O CENÁCULO Mencionado na Mensagem de

SOBRE O CENÁCULO Mencionado na Mensagem de 1 Áudio da Mensagem de Manoel de Jesus, de 28.08.2017 convertido em texto, SOBRE O CENÁCULO Mencionado na Mensagem de 21.08.2017 28.08.2017 Chamado de Amor e de Conversão do Coração Doloroso e Imaculado

Leia mais

Encontros com pais e padrinhos

Encontros com pais e padrinhos ARQUIDIOCESE DE TERESINA PASTORAL DO BATISMO 4º Momento PASTORAL DO BATISO Acolher as pessoas com carinho no quarto momento da conversa com pais e padrinhos O nosso 4º momento é para conversarmos sobre

Leia mais

A preparação da Igreja (verificação de toalhas - altar, ambão, credência e outras necessárias)

A preparação da Igreja (verificação de toalhas - altar, ambão, credência e outras necessárias) CERIMÔNIAS LITÚRGICAS Indicações práticas para preparação VERIFICAR: A preparação da Igreja (verificação de toalhas - altar, ambão, credência e outras necessárias) A preparação do missal (missa/orações,

Leia mais

Capela Nª Sª Das Graças

Capela Nª Sª Das Graças Capela Nª Sª Das Graças Santa Missa Dominical 1-Saudação I PR: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. AS: Amém. PR: A vós, irmãos e irmãs, paz e fé da parte de Deus, o Pai, e do Senhor Jesus Cristo.

Leia mais

1. As normas do 2 Concílio Ecumênico do Vaticano 1.1. A importância da Liturgia... A Liturgia é o cume para o qual tende a ação da Igreja e, ao mesmo

1. As normas do 2 Concílio Ecumênico do Vaticano 1.1. A importância da Liturgia... A Liturgia é o cume para o qual tende a ação da Igreja e, ao mesmo 1. As normas do 2 Concílio Ecumênico do Vaticano 1.1. A importância da Liturgia... A Liturgia é o cume para o qual tende a ação da Igreja e, ao mesmo tempo, é a fonte de onde emana toda a sua força. Pois

Leia mais

Estrutura da Missa e ações dos Ministros Extraordinários de acordo com a Instrução Geral do Missal Romano - IGMR

Estrutura da Missa e ações dos Ministros Extraordinários de acordo com a Instrução Geral do Missal Romano - IGMR Estrutura da Missa e ações dos Ministros Extraordinários de acordo com a Instrução Geral do Missal Romano - IGMR Este material visa apresentar a estrutura da missa, de acordo com a Instrução Geral do Missal

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS

ORIENTAÇÕES PARA A CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS 1 ORIENTAÇÕES PARA A CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Orientações para a Celebração da Palavra de Deus. 16ªed. São Paulo: Paulinas, 2004 (Documentos da CNBB,

Leia mais

Objetos e Paramentos Litúrgicos

Objetos e Paramentos Litúrgicos 1 Objetos e Paramentos Litúrgicos Objetos Litúrgicos: não são apenas coisas concretas, são sinais, por isso transmitem mensagem, não só pela presença deles, mas pelo modo como são utilizados ou conservados.

Leia mais

ÍNDICE GERAL. Apresentação... 5 Ordem cronológica dos documentos... 7 Siglas Tra le sollecitudini Mo t u Pr o p r i o d o Pa pa Pio X

ÍNDICE GERAL. Apresentação... 5 Ordem cronológica dos documentos... 7 Siglas Tra le sollecitudini Mo t u Pr o p r i o d o Pa pa Pio X Apresentação... 5 Ordem cronológica dos documentos... 7 Siglas... 8 Tra le sollecitudini Mo t u Pr o p r i o d o Pa pa Pio X sobre a restauração da música sacra Introdução... 9 I. Princípios gerais...

Leia mais

Crisma 2010/2011 Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma 10/02/2011. Crisma 2010/2011. Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma

Crisma 2010/2011 Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma 10/02/2011. Crisma 2010/2011. Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma Crisma 2010/2011 Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma O Ano litúrgico é o período de doze meses, divididos em tempos litúrgicos, onde se celebram como memorial, os mistérios de Cristo, assim como a memória

Leia mais

ITINERÁRIO CATEQUÉTICO. Iniciação à vida cristã: Um processo de inspiração catecumenal

ITINERÁRIO CATEQUÉTICO. Iniciação à vida cristã: Um processo de inspiração catecumenal ITINERÁRIO CATEQUÉTICO Iniciação à vida cristã: Um processo de inspiração catecumenal COMO É PROPOSTO O PROCESSO CATEQUÉTICO NO ITINERÁRIO? O Itinerário orienta a construção do processo catequético conforme

Leia mais

CÂNTICOS LITÚRGICOS LITURGIA DE ENTRADA Saudação apostólica O Lucernário Brilhe tua luz Luz radiante Perdão, Senhor, perdão Perante ti Kyrie eleison K

CÂNTICOS LITÚRGICOS LITURGIA DE ENTRADA Saudação apostólica O Lucernário Brilhe tua luz Luz radiante Perdão, Senhor, perdão Perante ti Kyrie eleison K CÂNTICOS LITÚRGICOS É difícil imaginar liturgia e culto sem o canto comunitário e, como complemento desejável, a música instrumental. Comunidade reunida em culto canta. E a música está para o canto como

Leia mais

A B C D E DESEJAMOS A TODOS UMA BOA PROVA! Quem vos chamou é fiel, e é Ele que vai agir (1 Tes. 5, 24) Avaliação Nacional dos Acólitos

A B C D E DESEJAMOS A TODOS UMA BOA PROVA! Quem vos chamou é fiel, e é Ele que vai agir (1 Tes. 5, 24) Avaliação Nacional dos Acólitos LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO ANTES DE INICIAR AS PROVAS 1. SOBRE A MARCAÇÃO DA FOLHA DE RESPOSTA 1.1. Este caderno é composto por 30 questões, sendo elas 18 fechadas e 12 abertas. 1.2. Em cada

Leia mais

Por uma liturgia mais animada. Giovanni Marques Santos

Por uma liturgia mais animada. Giovanni Marques Santos Por uma liturgia mais animada Giovanni Marques Santos liturgia animada liturgia des-animada liturgia animada COM ALMA (anima), ação sim-bólica em que nos colocamos por inteiro, para que a graça divina

Leia mais

V. Sabendo Jesus que tinha chegado sua hora de passar deste mundo ao Pai, tendo amado os seus que estavam neste mundo, amou-os até o fim. Aleluia.

V. Sabendo Jesus que tinha chegado sua hora de passar deste mundo ao Pai, tendo amado os seus que estavam neste mundo, amou-os até o fim. Aleluia. Memória Facultativa O culto ao Coração Eucarístico de Jesus não difere substancialmente do culto que a Igreja tributa ao Sagrado Coração de Jesus. Ela venera com respeito, amor e gratidão, o símbolo do

Leia mais

Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento

Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento Imersão progressiva na onda do Espírito, acompanhada por testemunhas feita de escuta, encontros e experiências no coração do REINO/COMUNIDADE

Leia mais

INTRODUÇÃO. Notas para Aula Escola de Formação de Agentes de Pastoral Diocese de São Carlos Diácono Carlos Alberto Pavan

INTRODUÇÃO. Notas para Aula Escola de Formação de Agentes de Pastoral Diocese de São Carlos Diácono Carlos Alberto Pavan INTRODUÇÃO Notas para Aula Escola de Formação de Agentes de Pastoral Diocese de São Carlos Diácono Carlos Alberto Pavan Os primeiros cristãos chamavam a Missa de Ceia do Senhor ou Fração do Pão. Nós preferimos

Leia mais

CERIMONIÁRIO UMA AJUDA EXTRA PARA SUAS CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS!

CERIMONIÁRIO UMA AJUDA EXTRA PARA SUAS CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS! 1 CERIMONIÁRIO UMA AJUDA EXTRA PARA SUAS CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS! Celebremos o mistério deste dia com lâmpadas flamejantes São Cirilo de Alexandria (+444) Introdução geral Seguindo os preceitos da Lei de

Leia mais

Igreja é lugar de recolhimento, de oração. Jesus ia ao Templo com seus pais e apóstolos.

Igreja é lugar de recolhimento, de oração. Jesus ia ao Templo com seus pais e apóstolos. POR QUE IR À IGREJA? Certo dia, Jesus contou a seguinte parábola a alguns que se consideravam justos e desprezavam os outros."dois homens foram ao Templo para orar. Um era fariseu e o outro, publicano.

Leia mais

Formação para leitores e comentaristas. O Serviço da Palavra na Liturgia

Formação para leitores e comentaristas. O Serviço da Palavra na Liturgia Formação para leitores e comentaristas O Serviço da Palavra na Liturgia Os encontros oferecem um quadro geral do valor e importância da Palavra de Deus na liturgia. Elaboram indicações e sugestões de como

Leia mais

CURSO PARA FORMAÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO

CURSO PARA FORMAÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO 17 CURSO PARA FORMAÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO 5 A HISTÓRIA, A UNIDADE LITURGICA E A ESTRUTURA DA MISSA Ementa: nesta formação estudaremos a história, unidade da eucaristia e a

Leia mais

9º Domingo do Tempo Comum 10º Domingo do Tempo Comum 11º Domingo do Tempo Comum ANO C

9º Domingo do Tempo Comum 10º Domingo do Tempo Comum 11º Domingo do Tempo Comum ANO C CIFRAS DO FOLHETO 1 SANTUÁRIO DIOCESANO DE SÃO SEBASTIÃO 9º Domingo do Tempo Comum 10º Domingo do Tempo Comum 11º Domingo do Tempo Comum ANO C 29 DE MAIO DE 2016 05 DE JUNHO DE 2016 12 DE JUNHO DE 2016

Leia mais

Bruno Carneiro Lira, osb. Leitores, salmistas e ministros da Palavra

Bruno Carneiro Lira, osb. Leitores, salmistas e ministros da Palavra Bruno Carneiro Lira, osb Leitores, salmistas e ministros da Palavra Prefácio Proclamadores da Palavra Penso que este livro Leitores, salmistas e ministros da Palavra, de Dom Bruno Carneiro Lira, osb, que

Leia mais

O sacramento da Eucaristia, raiz e centro da comunidade cristã. Ione Buyst Capítulo segundo

O sacramento da Eucaristia, raiz e centro da comunidade cristã. Ione Buyst Capítulo segundo O sacramento da Eucaristia, raiz e centro da comunidade cristã Ione Buyst Capítulo segundo 1 A Eucaristia não é apenas um sacramento de iniciação, mas é celebrada a cada domingo; É uma herança que recebemos

Leia mais

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO Copyright 2005 - Libreria Editrice Vaticana «Motu Proprio» Introdução PRIMEIRA PARTE - A PROFISSÃO DA FÉ Primeira Secção: «Eu

Leia mais

Explicação da Missa MISSA

Explicação da Missa MISSA Explicação da Missa Reunidos todos os catequizandos na Igreja, num primeiro momento mostram-se os objetos da missa, ensinam-se os gestos e explicam-se os ritos. Em seguida celebra-se a missa sem interrupção.

Leia mais

DOMINGO II DO TEMPO COMUM Ano A

DOMINGO II DO TEMPO COMUM Ano A EIS O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO DOMINGO II DO TEMPO COMUM Ano A EUCARISTIA 19H DINAMIZAÇÃO DO 10º ANO DE CATEQUESE IGREJA MATRIZ DE VILA DO CONDE Cântico Inicial: Filho de Deus 1. Somos

Leia mais

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO SOBRE NÓS FAZEI BRILHAR O ESPLENDOR DE VOSSA FACE! 3 º DOMINGO DA PÁSCOA- ANO B 22 DE ABRIL DE 2012 ANIM: (Saudações espontâneas)

Leia mais

celebracao eucaristia COMUM Grupo de Acólitos de Nossa Senhora do Amparo da Silveira Paróquia de Nossa Senhora do Amparo da Silveira

celebracao eucaristia COMUM Grupo de Acólitos de Nossa Senhora do Amparo da Silveira Paróquia de Nossa Senhora do Amparo da Silveira celebracao da eucaristia COMUM Grupo de Acólitos de Nossa Senhora do Amparo da Silveira Paróquia de Nossa Senhora do Amparo da Silveira Prepare-se: As vestes sagradas (alva, cingulo, estola, casula); Cálice

Leia mais

MISSA COM A CATEQUESE - SANTÍSSIMA TRINDADE C 2010 Guião com monições mistagógicas

MISSA COM A CATEQUESE - SANTÍSSIMA TRINDADE C 2010 Guião com monições mistagógicas MISSA COM A CATEQUESE - SANTÍSSIMA TRINDADE C 2010 Guião com monições mistagógicas Monição antes do Cântico de Entrada: Monitor: Queridos irmãos e irmãs: Concluiu-se já o tempo da Páscoa e eisnos agora,

Leia mais

1. Disse Jesus: Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim jamais terá sede. Jo 6,35

1. Disse Jesus: Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim jamais terá sede. Jo 6,35 1. Disse Jesus: Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim jamais terá sede. Jo 6,35 Senhor Jesus, Tu tens palavras de vida eterna e Tu revelas-te a nós como Pão da vida

Leia mais

Catequista: Crianças: Festa do Acolhimento

Catequista: Crianças: Festa do Acolhimento Catequista: Crianças: Festa do Acolhimento 14 1 INTRODUÇÃO CÂNTICO DE COMUNHÃO É o Meu Corpo Possivelmente estamos habituados a procurar Deus nas grandes coisas da vida, boas ou menos boas, e esquecemo-nos

Leia mais

1. A Igreja e os seus ministros

1. A Igreja e os seus ministros 1. A Igreja e os seus ministros A Igreja é um mistério que se constrói com a participação dos vários membros do Povo de Deus, cada qual segundo a sua própria vocação e o lugar que nela ocupa. Os ministros

Leia mais

Ministério dos leitores PREPARAR PARA PROCLAMAR

Ministério dos leitores PREPARAR PARA PROCLAMAR Ministério dos leitores PREPARAR PARA PROCLAMAR Os fiéis, de acordo com o Livro dos Atos dos Apóstolos, quando se reúnem dominicalmente, no dia do Senhor têm como finalidade primeira escutar a Palavra

Leia mais

Celebração tirada do livro Eucaristia com Crianças Tempos Fortes Pedrosa Ferreira Edições Salesianas. ocantinhodasao.com.pt/public_html.

Celebração tirada do livro Eucaristia com Crianças Tempos Fortes Pedrosa Ferreira Edições Salesianas. ocantinhodasao.com.pt/public_html. Celebração tirada do livro Eucaristia com Crianças Tempos Fortes Pedrosa Ferreira Edições Salesianas ocantinhodasao.com.pt/public_html 12 Ano B ocantinhodasao.com.pt/public_html 1 RITOS INICIAIS Hoje,

Leia mais

O Sacramento da Ordem - V Seg, 29 de Dezembro de :26 - Pe. Henrique Soares da Costa

O Sacramento da Ordem - V Seg, 29 de Dezembro de :26 - Pe. Henrique Soares da Costa Pe. Henrique Soares da Costa No artigo passado vimos em que sentido o sacramento da Ordem confere um modo especial de participar do único sacerdócio de Cristo. Veremos, agora como é celebrado este sacramento,

Leia mais

SIGNIFICADO DOS GESTOS

SIGNIFICADO DOS GESTOS Vamos entender um pouco melhor o SIGNIFICADO DOS GESTOS que fazemos durante as celebrações, para podermos participar mais fervorosamente em nossas comunidades. SENTADOS: É uma posição cômoda, boa para

Leia mais

Um espaço para as celebrações da comunidade. Ione Buyst Cap. 09

Um espaço para as celebrações da comunidade. Ione Buyst Cap. 09 Um espaço para as celebrações da comunidade Ione Buyst Cap. 09 A maioria das tradições religiosas possui seus lugares sagrados para o encontro com o divino e para o culto dedicado a ele. O povo da primeira

Leia mais

Sacramento da Ordem. Cap. 03 Dom Manoel João Francisco

Sacramento da Ordem. Cap. 03 Dom Manoel João Francisco Sacramento da Ordem Cap. 03 Dom Manoel João Francisco A Igreja, para cumprir o tríplice mandato do Senhor: serviço da Palavra, dos sacramentos e da caridade, conta com ministros (servidores); Ministérios

Leia mais

O Papa João Paulo II Magno afirma no número 34 da Ecclesia de

O Papa João Paulo II Magno afirma no número 34 da Ecclesia de Côn. Henrique Soares da Costa A Eucaristia faz a Igreja ser corpo de Cristo. Neste corpo, formado por muitos membros, nem todos fazem a mesma coisa, mas cada um tem sua função, seu dom, seu modo específico

Leia mais

ADMONIÇÃO INICIAL (ROSA)

ADMONIÇÃO INICIAL (ROSA) ADMONIÇÃO INICIAL (ROSA) Hoje encontramo-nos aqui reunidos para celebrar a Festa das Bem-Aventuranças. Bem Aventurado quer dizer FELIZ e buscar a vontade de Deus é ser Bem-Aventurado. Eis que Jesus, ao

Leia mais

Propedêutica Bíblica. 13 de Janeiro de 2014 Bíblia na Vida da Igreja

Propedêutica Bíblica. 13 de Janeiro de 2014 Bíblia na Vida da Igreja Propedêutica Bíblica 13 de Janeiro de 2014 Bíblia na Vida da Igreja ORAÇÃO Lucas 4, 16-30 Impelido pelo Espírito Santo, Jesus veio a Nazaré, onde se tinha criado. Segundo o seu costume, entrou em dia de

Leia mais

CELEBRAÇÃO DO SACRAMENTO DA CRISMA 1- RITOS INICIAIS Entrada dos Crismandos e seus Padrinhos

CELEBRAÇÃO DO SACRAMENTO DA CRISMA 1- RITOS INICIAIS Entrada dos Crismandos e seus Padrinhos ARCEBISPO: Abençoe-vos seu Filho Unigênito, que prometeu que o Espírito da verdade permaneceria na Igreja, e vos confirme com sua força na profissão da verdadeira fé. AS: Amém! ARCEBISPO: Abençoe-vos o

Leia mais

celebracao eucaristia FESTA Grupo de Acólitos de Nossa Senhora do Amparo da Silveira Paróquia de Nossa Senhora do Amparo da Silveira

celebracao eucaristia FESTA Grupo de Acólitos de Nossa Senhora do Amparo da Silveira Paróquia de Nossa Senhora do Amparo da Silveira celebracao da eucaristia FESTA Grupo de Acólitos de Nossa Senhora do Amparo da Silveira Paróquia de Nossa Senhora do Amparo da Silveira Prepare-se: As vestes sagradas (alva, cingulo, estola, casula); Cálice

Leia mais

Os quatro "passos" da leitura orante

Os quatro passos da leitura orante A leitura orante nada mais é do que a maneira como gerações e gerações de judeus e cristãos leram as Sagradas Escrituras, procurando nelas uma palavra do Deus vivo para a sua vida, em cada momento de sua

Leia mais

Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus

Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus Paróquia de Barco Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus Missa com crianças Entrada: Linda noite, Linda noite Linda noite de Natal (bis) Introdução A imagem de Maria está aqui ao lado, porque hoje celebramos

Leia mais

Paróquia missionária comunidades de comunidades. Animada pela Palavra de Deus

Paróquia missionária comunidades de comunidades. Animada pela Palavra de Deus Paróquia missionária comunidades de comunidades Animada pela Palavra de Deus Renovação paroquial Toda paróquia é chamada a ser o espaço onde se recebe e se acolhe a Palavra (172). Sua própria renovação

Leia mais

Ano Litúrgico Ano C

Ano Litúrgico Ano C Ano Litúrgico 2009-2010 Ano C TEMPO DO ADVENTO 29/11 1º Domingo do Advento A redenção está próxima. Jeremias 33,14-16; Salmo 25(24); 1 Tessalonicenses 3,12-4,2; Lucas 21,25-28. 34-36 6/12 2º Domingo do

Leia mais

Formação Prática Turibulo e seus acessórios

Formação Prática Turibulo e seus acessórios Formação Prática Turibulo e seus acessórios Incenso: O incenso é uma resina que se apresenta em pequenos grãos, depois seca. Esta resina é extraída de uma árvore de origem oriental. Naveta: A naveta é

Leia mais

Cantos Litúrgicos. Paróquia São João Batista Diocese de São Mateus Braço do Rio - ES, 22 de julho de 2017

Cantos Litúrgicos. Paróquia São João Batista Diocese de São Mateus Braço do Rio - ES, 22 de julho de 2017 Cantos Litúrgicos Paróquia São João Batista Diocese de São Mateus Braço do Rio - ES, 22 de julho de 2017 Canto (ou música) litúrgico é aquele que a Igreja admite de direito e de fato na celebração litúrgica,

Leia mais

A leitura orante da Palavra de Deus Lectio Divina : fonte de toda vocacão

A leitura orante da Palavra de Deus Lectio Divina : fonte de toda vocacão A leitura orante da Palavra de Deus Lectio Divina : fonte de toda vocacão Escuta do evangelho do domingo Mt 5,13-16; Vocês são o Sal da Terra vocês são a Luz do mundo Do grupo de jovens Família MOPP surgiu

Leia mais

Eu sou o caminho, a verdade e a vida (Jo 14,6)

Eu sou o caminho, a verdade e a vida (Jo 14,6) 5º DOMINGO DA PÁSCOA 14 de maio de 2017 Eu sou o caminho, a verdade e a vida (Jo 14,6) Leituras: Atos 6, 1-7; Salmo 32 (33), 1-2,4-5.18-19 (R/.22); Primeira Carta de Pedro 2, 4-9; e João 14, 1-12. COR

Leia mais

PROTOCOLO ESCUTISTA NA EUCARISTIA - REGIÃO DE LEIRIA -

PROTOCOLO ESCUTISTA NA EUCARISTIA - REGIÃO DE LEIRIA - PROTOCOLO ESCUTISTA NA EUCARISTIA - REGIÃO DE LEIRIA - PROTOCOLO ESCUTISTA NA EUCARISTIA REGIÃO DE LEIRIA pág. 2 de 12 Introdução Este texto surge da necessidade de esclarecer e uniformizar o protocolo

Leia mais

O CULTO EUCARÍSTICO FORA DA MISSA

O CULTO EUCARÍSTICO FORA DA MISSA O CULTO EUCARÍSTICO FORA DA MISSA Tarde de Formação Tema: Adoração Eucarística Por Pe. Franklin Silveira 02/02/2013 Paróquia Divino Espírito Santo Relação entre o Culto Eucarístico fora da Missa e a Celebração

Leia mais

Ofício das Celebrações Litúrgicas Paroquiais Paróquia Nossa Senhora da Conceição Diocese de Pesqueira Belo Jardim Pernambuco Brasil

Ofício das Celebrações Litúrgicas Paroquiais Paróquia Nossa Senhora da Conceição Diocese de Pesqueira Belo Jardim Pernambuco Brasil ESQUEMA DOS SERVIÇOS LITÚRGICOS DA SEMANA SANTA 2011 17/04 Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor COMEMORAÇÃO DA ENTRADA DO SENHOR EM JERUSALÉM Na hora conveniente, reúne-se a assembléia numa igreja menor

Leia mais

O BATISMO NÃO TEM FINALIDADE EM SI MESMO. (Proposição 38 do Sínodo)

O BATISMO NÃO TEM FINALIDADE EM SI MESMO. (Proposição 38 do Sínodo) I - OS SACRAMENTOS DE INICIAÇÃO CRISTÃ O que se realiza nos sacramentos da iniciação com o ser humano se dá pela graça de Deus Diante destas constatações podemos dizer que a teologia dos sacramentos de

Leia mais

A Liturgia da Paixão do Senhor não tem a celebração da Eucaristia, mas apenas a distribuição da comunhão. Além de uma introdução e conclusão

A Liturgia da Paixão do Senhor não tem a celebração da Eucaristia, mas apenas a distribuição da comunhão. Além de uma introdução e conclusão A Liturgia da Paixão do Senhor não tem a celebração da Eucaristia, mas apenas a distribuição da comunhão. Além de uma introdução e conclusão silenciosa, a Liturgia tem quatro momentos distintos: 1. A Liturgia

Leia mais

FORMAÇÃO LITÚRGICA: LITURGIA: O QUE É?

FORMAÇÃO LITÚRGICA: LITURGIA: O QUE É? Escola de Maria: Escola da Fé FORMAÇÃO LITÚRGICA: LITURGIA: O QUE É? Formação Litúrgica: Liturgia: conceito O que é Liturgia? Termo de origem grega. ERGON (OBRA, AÇÃO, EMPREENDIMEN TO) (PÚBLICO) LEITON

Leia mais

Formação para Coroinhas 1

Formação para Coroinhas 1 Formação para Coroinhas 1 Formação para Coroinhas 1 - Nova Edição.indd 1 27/06/17 10:49 Coleção L, Como participar da eucaristia? Catequese sobre a missa, José Antônio M. Busch Formação para coroinhas

Leia mais

Índice Introdução... 13 Abreviaturas... 17 1. Natureza da liturgia cristã... 21 1.1. O termo liturgia... 21 1.1.1. No helenismo... 22 1.1.2. No Antigo Testamento... 22 1.1.3. No Novo Testamento... 23 1.1.4.

Leia mais

CANTOS DA PRIMEIRA EUCARISTIA - SANTA ROSA 2014

CANTOS DA PRIMEIRA EUCARISTIA - SANTA ROSA 2014 CANTOS DA PRIMEIRA EUCARISTIA - SANTA ROSA 2014 CANTO DE ENTRADA: E B7 Dentro de mim existe uma luz/ Que me mostra por onde deverei andar F#m B7 E Dentro de mim também mora Jesus/ que me ensina buscar

Leia mais

«Igreja, lugar de encontro e de esperança»

«Igreja, lugar de encontro e de esperança» Domingo de Ramos Vespertina 8 de Abril de 2017 às 19:00 horas Indicações para a celebração EL : 1º Leitura lê Ema A. 2º Leitura lê Paulo G. Recolha das Ofertas jovens Narração da Paixão do Senhor (forma

Leia mais

Mater Ecclesiae. Liturgia 2 Aula 14 Sacramentais

Mater Ecclesiae. Liturgia 2 Aula 14 Sacramentais Mater Ecclesiae Liturgia 2 Aula 14 Sacramentais Definição À imitação dos Sacramentos A santa mãe Igreja instituiu os sacramentais, que são sinais sagrados pelos quais, à imitação dos sacramentos, são significados

Leia mais

INSTRUÇÃO GERAL SOBRE O MISSAL ROMANO PROÊMIO

INSTRUÇÃO GERAL SOBRE O MISSAL ROMANO PROÊMIO MISSAL ROMANO RESTAURADO POR DECRETO DO CONCÍLIO ECUMÊNICO VATICANO II, PROMULGADO PELA AUTORIDADE DE PAULO VI E REVISTO POR MANDADO DO PAPA JOÃO PAULO II Tradução portuguesa para o Brasil da separata

Leia mais

Capítulo XXV da Confissão de Fé de Westminster DA IGREJA

Capítulo XXV da Confissão de Fé de Westminster DA IGREJA REVISTA PALAVRA VIVA Apoio didático Lição 3 Capítulo XXV da Confissão de Fé de Westminster DA IGREJA I. A Igreja Católica ou Universal, que é invisível, consiste do número total dos eleitos que já foram,

Leia mais

DIOCESE DE BRAGANÇA MIRANDA VISITA PASTORAL DO BISPO ÀS COMUNIDADES DA SUA DIOCESE

DIOCESE DE BRAGANÇA MIRANDA VISITA PASTORAL DO BISPO ÀS COMUNIDADES DA SUA DIOCESE DIOCESE DE BRAGANÇA MIRANDA VISITA PASTORAL DO BISPO ÀS COMUNIDADES DA SUA DIOCESE SUBSÍDIOS PASTORAIS CONFORME DMPB E EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PASTORES GREGIS NATUREZA E FINALIDADE Visita pastoral é a que

Leia mais

CELEBRAÇÃO EXEQUIAL 14 DE SETEMBRO 2010

CELEBRAÇÃO EXEQUIAL 14 DE SETEMBRO 2010 1 CELEBRAÇÃO EXEQUIAL 14 DE SETEMBRO 2010 SIGNAÇÃO : P- Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo: Ass: Àmen. SAUDAÇÃO INICIAL: P- A graça de N.S.J. Cristo, o amor do Pai e a consolação do Espírito

Leia mais