Análise das Vantagens e Desvantagens da Implantação da ISO e o Sistema de Gestão Ambiental (SGA)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise das Vantagens e Desvantagens da Implantação da ISO 14001 e o Sistema de Gestão Ambiental (SGA)"

Transcrição

1 Análise das Vantagens e Desvantagens da Implantação da ISO e o Sistema de Gestão Ambiental (SGA) Gabriela da Silva MORAES 1 Fernanda Serotini GORDONO 2 Resumo Na medida em que aumentam as preocupações com a manutenção e a melhoria da qualidade de vida no meio ambiente aumentam também, a exigibilidade das empresas para comercializarem seus produtos e serviços. Para realizar seus negócios e expandir suas divisas nacionais e internacionais, muitas empresas precisam preparar-se com um Sistema de Gestão Ambiental (SGA), visando conquistar novos mercados e se manterem competitiva no seu campo de atuação. Neste contexto, a Norma ISO disponibiliza parâmetros para que as mesmas possam adequar-se as exigências de competitividade e adequabilidade de gestão. O presente estudo focou as vantagens e as desvantagens da aplicação desta norma em duas empresas da cidade de Bauru (SP), que possuem esta certificação. Palavras-chave: ISO 14001; sistema de gestão ambiental; meio ambiente. 1. Introdução As ações humanas causam impactos sobre a vida de todos os seres que habitam o planeta e, aqueles são ampliados com a inserção e evolução de novas tecnologias que surgem constantemente. Estas visam proporcionar melhor qualidade de vida, porém, o meio ambiente, degradado pela ação humana necessita de ações que objetivam racionalizar tanto o uso dos recursos naturais durante o processo fabril, quanto o descarte final de resíduos. De acordo com Medina (2008) o problema da prevenção do meio ambiente é uma questão moral, porque além de afetar a qualidade de vida apresenta ameaças à sobrevivência, sendo assim, as empresas precisam buscar alternativas que possam tratar os resíduos e/ou minimizar sua produção. 1. Faculdade de Agudos 2. Universidade do Sagrado Coração e Faculdade de Agudos e SENAI 430

2 Atualmente, há uma exigência do mercado quanto ao consumo de produtos que não degradem o meio ambiente, assim, as organizações procuram uma forma de não perder seus consumidores, surgindo o Sistema de Gestão Ambiental (SGA). De acordo com Ferreira (2003) o gerenciamento do meio ambiente requer conhecimentos específicos, pois a sociedade exerce pressão sobre as empresas no que se refere às relações ambientais e, dessa forma torna-se necessário desenvolver um sistema de informação com registros, medições e relatos de ações que visam a atender não só os anseios da sociedade, mas também os principais objetivos da Gestão Ambiental. 2. SIstema de Gestão Ambiental Para a prática da gestão ambiental pelas empresas faz-se necessário o desenvolvimento de uma política do meio ambiente, que vai definir os objetivos dessa gestão, buscando diminuir ou eliminar efeitos negativos provocados por suas atividades no meio ambiente, mantendo um controle sobre o impacto ambiental (TINOCO; KRAEMER, 2006). Abreu (2000, p.47) define as etapas para implementação de um SGA: Política Ambiental na qual se descreve as ações que serão implementadas, assim como a forma, quando, por quem e os prazos. Planejamento na qual se estabelece, a partir da identificação dos aspectos e impactos ambientais da empresa, um Plano de Gestão Ambiental. Implementação e Operação na qual se implementa e se operacionaliza o Plano de Gestão Ambiental definido na etapa anterior. Verificação e Ação Corretiva na qual se mede, monitora e avalia o desempenho ambiental da empresa, a partir do seu Plano de Gestão Ambiental. Análise Crítica do SGA pela Administração na qual se avalia criticamente o SGA, visando a identificar novos caminhos para a empresa atingir uma melhoria contínua do seu desempenho ambiental. Estas etapas são conhecidas como ciclo do PDCA, Sousa (2008), explica que o ciclo consiste em ações seqüenciadas na ordem estabelecida pelas letras que compõem a sigla: P (plan: planejar), D (do: fazer, executar), C (check: verificar, controlar), e o A (act: agir, atuar corretivamente). Tornando-se uma ferramenta gerencial utilizada para garantir que as metas sejam alcançadas, buscando uma melhoria contínua a cada novo ciclo. 431

3 Os cuidados com o meio ambiente não devem ser considerados apenas como fonte de despesas, pois podem tornar-se lucros. Na visão da gestão ambiental, os recursos com os quais antigamente não se tinham tanta preocupação como: água, ar, energia, resíduos em geral e sucatas, transformaram-se em uma oportunidade para reduzir, reutilizar e reciclar, agregando valores sustentáveis para as empresas que possuem um SGA em funcionamento. (VILAS, 2005). Para Dias (2006), do ponto de vista empresarial, gestão ambiental é a expressão utilizada para se denominar a gestão empresarial que se orienta para evitar, na medida do possível, problemas para o meio ambiente. Em outros termos, é a gestão cujo objetivo é conseguir que os efeitos ambientais não ultrapassem a capacidade de carga do meio onde se encontra a organização, ou seja, obter-se um desenvolvimento sustentável. O mesmo autor ainda define que a gestão ambiental é aplicável em empresas de qualquer tamanho e setor. Qualquer empresa pode reduzir o consumo de energia, de água, ou pode incentivar o uso de produtos recicláveis. Assim, o SGA implantado de maneira correta torna-se um instrumento organizacional que possibilita às instituições alocação de recursos, definição e responsabilidades; bem como também a avaliação contínua de práticas, procedimentos e processos, buscando a melhoria permanente de seu desempenho ambiental. No mercado competitivo em que vivem as empresas, a necessidade de inovar tornou-se fundamental, e os aspectos ambientais também devem ser considerados. A implementação de um SGA, dependendo do objetivo e dos resultados esperados pela organização, constitui um passo importante rumo a um comportamento ético-ambiental. Como o ambiente empresarial é caracterizado por uma incessante mudança, a adaptação e a flexibilidade da empresa são vitais para o seu sucesso no alcance dos objetivos ecológicos e econômicos. (ROLIM, 2008). Com a implantação de um SGA a empresa consegue demonstrar a preocupação com meio ambiente, trilhando um caminho correto para o crescimento com o mínimo de prejuízo ambiental, incorporando desenvolvimento e preservação. Para demonstrar comprometimento ambiental e credibilidade no mercado as empresas aderem à série ISO que estabelece padrões sobre a gestão ambiental. 3. ISO A International Organization for Standardization (ISO), é uma organização não governamental existente desde 1947, com sede em Genebra, Suíça. Se- 432

4 gundo Dias (2007), o termo ISO não é uma sigla, mas sim um nome derivado da palavra grega isos, que significa igual, esta palavra foi escolhida para representar o sentido de igualdade, evitando a proliferação de siglas em função dos vários idiomas dos países membros. No Brasil, a ISO é representada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que é uma sociedade privada, sem fins lucrativos, formada por pessoas físicas e jurídicas. Criada em 1940, reconhecida pelo Governo brasileiro como Fórum Nacional de Normalização, ela elabora normas de vários domínios de atividades, além disso certifica produtos e sistemas. Contudo, todas as normas desenvolvidas pela ISO são voluntárias, entretanto, os países acabam frequentemente adotando as normas ISO e as tornam obrigatórias. A ISO é uma federação mundial de institutos nacionais de normalização, que agrupa 145 países, representando 95% da produção industrial do mundo. Esta organização foi criada para reunir normas técnicas e uniformizar medidas e especificações, como por exemplo: o tamanho de papéis, de parafusos, normas de segurança, entre outras, conforme relata Reis (2002). De acordo com Valle (1995, p. 95) com todas essas normas técnicas a ISO decidiu criar um sistema de normas para padronizar as ações que deveriam ser tomadas sob ótica de proteger o Meio Ambiente, e se convencionou mencionar estas ações pelo código ISO Neste contexto Reis (2002) relata que: O conjunto de Normas ISO nasceu primariamente como resultado da Rodada do Uruguai de negociações do GATT (General Agreement on Tariffs and Trade), encerrada em 1994, e da CNUMAD (Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento), mais conhecida como ECO-92. Enquanto o GATT tinha a preocupação em reduzir as barreiras não tarifárias, a ECO-92 gerou o comprometimento de proteção do meio ambiente em todo o planeta e fortaleceu a discussão do conceito de Desenvolvimento Sustentável. A série ISO agrupa normas internacionais que estabelecem regras para as empresas. De acordo com Valle (1995), as normas ISO são elaboradas por vários Comitês Técnicos (TC), compostos por especialistas dos diversos países-membros. Estes comitês organizam normas internacionais que garantem uma abordagem sistêmica à gestão ambiental e permitem a certificação das empresas e dos produtos que as cumprem. Ainda com relação ao Comitê Técnico Tinoco e Kraemer (2006, p. 55) reforçam que este, apresenta seis subcomitês (SC) que tratam dos seguintes assuntos, conforme mostra o Quadro 1: 433

5 Quadro 2 Os seis subcomitês. Subcomitês SC01 SC02 SC03 SC04 SC05 SC06 Descrição Sistemas de Gerenciamento Ambiental, coordenado pela Inglaterra e com dois grupos de trabalho (WG Work Group), o WG-1 para Especificações e o WG-2 para Orientações Gerais. Auditoria Ambiental, coordenado pela Holanda e com três grupos de trabalho, o WG-1 para os Princípios de Auditoria o WG-2 para Procedimentos de Auditoria e o WG-3 para Qualificação de Auditores. Rotulagem Ambiental, coordenado pela Austrália e com três grupos de trabalho: o WG-1 para Princípios para Administradores de Programas, WG-2 para Rotulagem Ambiental de Tipo II e o WG-3 para Princípios para Programas de Rotulagem Ambiental. Avaliação de Desempenho Ambiental, coordenado pelo EUA e com dois grupos de trabalho: WG-1 para Avaliações Gerais de Desempenho Ambiental e o WG-2 para Avaliações Gerais do Setor Industrial. Análise do Ciclo de Vida, coordenado pela França e com quatro grupos de trabalho: WG-1 para Código e Prática, WG-2 para Inventário, WG-3 para Análise de Impactos e o WG-4 para Análise de Avaliação de Melhoria. Termos e Definições, coordenado pela Noruega, com a finalidade de padronizar terminologias e coordenar o uso de normas com outros comitês da ISO. Esse subcomitê não está dividido em grupo de trabalho. Fonte: Adaptado de Tinoco e Kraemer (2006, p. 55). Entretanto, estes subcomitês servem para desenvolver um plano de normalização, por sua amplitude e pelo curto prazo em que se pretende implantálo. A série ISO 14000, foi designada para cobrir as seguintes áreas: sistemas de gestão ambiental, auditoria ambiental, rotulagem ambiental, aspectos ambientais das normas de produtos, análise do ciclo de vida do produto e desempenho ambiental. O conjunto de Normas ISO fez com que todo o planeta olhasse as questões ambientais, encorajando a procura de um mundo mais limpo, protegido e vantajoso para todos. A existência destas normas permitiu que as empresas dirigissem seus esforços de adaptação ambiental contra os critérios de uma norma de concordância mundial, de modo que não apareçam conflitos regionais quanto à interpretação da boa prática ambiental, de acordo com Reis (2008). 3.1 ISO As primeiras normas da série ISO 14000, são as que abordam o SGA, objetivo fundamental de toda série. As normas ISO 14001, é uma especificação para um SGA, e foram desenvolvidas para uso na certificação por terceiras partes. A implementação da ISO permite descobrir os desperdícios e ações ineficientes, tornando possível a fabricação de mais produtos, com menos 434

6 quantidade de matérias primas e criando menos quantidade de resíduos. (BETTIOL 2008). A ISO é uma norma flexível, ou seja, é aplicável em empresas públicas ou privadas, em organizações multinacionais, ou em pequenas empresas que se preocupam com as questões ambientais, segundo Abreu (2000). A autora ainda comenta que, o primeiro passo para a Certificação Ambiental na ISO é constatar o processo em que a empresa se encontra no que se refere às questões ambientais por influência do chamado Relatório de Análise Crítica Preparatória, este que serve para a identificação dos pontos que devem ser direcionados no processo de implantação do SGA. O relatório pode ser bastante estimulante ou ao mesmo tempo desanimador, pois algumas empresas abandonam o projeto nesta etapa, adiando todo o procedimento de certificação. Na prática a Análise Crítica Preparatória não pode haver descuido, devese verificar na empresa o seu método em todos os aspectos, explorando assim os pontos fortes e os pontos fracos em relação a todas as condições exigidas pela norma ambiental. Deve-se observar que a ISO não estabelece exigências absolutas para o desempenho ambiental além de compromissos, expressos na política, de atender a legislação e regulamentos aplicáveis e de se buscar a melhoria contínua. A norma se aplica nos efeitos ambientais que possam ser controlados pela organização e sobre os quais espera-se que a mesma tenha influência. (REIS apud ABREU, 2000 p.53). A norma ISO tem colaborado de forma eficaz para a evolução da preservação do Meio Ambiente. A grande vitória desta norma é o empenho com a melhoria contínua, que levam as empresas a novas e melhores opções para resolverem seus problemas ambientais. (ABREU, 2000). 4. As Empresas Certificadas pela ISO 14001: Foco da Pesquisa Para realizar a pesquisa, foram aplicados questionários dois gestores de duas empresas de médio porte na cidade de Bauru, que por não autorizarem a divulgação dos dados serão chamados de empresa T e Z. As empresas pesquisadas pertencem ao ramo de Fabricação de Baterias ( T ) e de Construção Civil e Telecomunicações ( Z ) e ambas possuem as certificações ISO 9000 e 14001, conforme mostra o Quadro

7 Quadro 2 Identificação das Empresas Pesquisadas. Identificação Entrevistado T Ramo de Atuação Fabricação de Baterias Construção Civil e Telecomunicações Certificação das Empresas Fonte: Adaptado pelas autoras. Z ISO 9000 e ISO ISO 9000 e ISO Em relação aos entrevistados, o Quadro 3 apresenta a formação profissional e a função de cada entrevistado nas empresas. Independente do tempo da atuação nas empresas ambos conseguiram atingir os processos que a Norma exigiu, e obtiveram, com êxito, a certificação, visto que já tinham experiências gestoriais na área. Quadro 3 Identificação dos Entrevistados nas Empresas Pesquisadas. Especificação Entrevistado Formação Profissional Função na Empresa Tempo de atuação na empresa T Responsável pela Segurança do Trabalho Coordenador do Departamento de Meio Ambiente e Segurança Z Engenheiro Analista de Qualidade e Meio Ambiente 14 anos 3 Anos Fonte: Adaptado pelas autoras. Ambos ressaltam que a alta administração deve escolher um representante com responsabilidade e autoridade para garantir que o SGA está implementado e mantido de acordo com a Política Ambiental nos requisitos descritos na ISO É recomendado que a equipe responsável possa ter, em seu quadro de funcionários, um especialista que possua condições de articular a teoria contida nas Normas com a prática, isto é, que tenha experiência e formação técnica para descortinar e facilitar o processo de certificação. Para verificar os objetivos quanto a implantação do SGA, conforme apresenta o Quadro 4. O entrevistado T considerou como objetivo da implantação do SGA a melhoria contínua de processos e serviços, principalmente pelo sistema já existente na empresa e fez referência ao ato de cuidar do Meio Ambiente bem como o aproveitamento de resíduos. 436

8 Para que a empresa consiga a obtenção da Certificação ISO 14001, necessita ter como premissa a ideologia da Conservação do Meio Ambiente, e esta conscientização só é possível desde os funcionários de base até o nível hierárquico superior da organização. Visando reforçar essa idéia o entrevistado T ressaltou que: [...] a preocupação era a preservação do Meio Ambiente, [...] consciência de preservação, da saúde do trabalhador e também do Meio Ambiente [...]. Porém o entrevistado Z salientou que já possuía medidas na empresa para evitar desperdícios, sem comentá-las. Quadro 4 Categorização do Processo Antes da Certificação. Objetivos Entrevistado SGA T Sistema existente Melhoria Continua Z Exigências de Mercado Mercado Competitivo Ambiental Cuidar do Meio Ambiente Respeitar o Meio Ambiente Reutilização de Material Fonte: Adaptado pelas autoras. Aproveitamento dos resíduos Aproveitamento dos resíduos O entrevistado Z completou que a idéia do SGA partiu da própria exigência do mercado, e dos clientes. Portanto a empresa que trabalha teve que se adequar às novas perspectivas do mercado. Vale destacar que foi uma visão diferente do entrevistado T. Neste enfoque ambos os entrevistados destacaram que houve dificuldade para que os colaboradores entendessem as exigências da ISO 14001, pois já haviam participado da ISO 9000, conforme relata o entrevistado T : [...] no treinamento do pessoal, em relação a política ambiental, [...] existia uma política da qualidade, aí dois sistemas de gestão seguidos, o da qualidade e um ambiental, eles faziam a maior confusão, misturavam as duas coisas. O entrevistado Z reforçou este item e destacou: [...] até você reeducar o povo é complicado, [...] o cara está acostumado a fazer aquilo, até você por na cabeça do cidadão que está errado, é complicado, [...] então eles não estão nem aí pra você, e pra você mudar essa mentalidade dentro da empresa mesmo é complicado. Após a etapa de reeducação com os funcionários o próximo passo à certificação foi à contratação de um Organismo de Certificação de Sistema (OCS), que apresenta um ciclo de aproximadamente três anos e que é realizado pela Certificação Periódicas. Esta é necessária para averiguar o que foi comprometido no inicio do processo de certificação, conforme mencionou o entrevistado T : [...] contratamos um órgão certificador, e ele veio aqui fazer 437

9 a auditoria, para a certificação, ou as auditorias de manutenção, [...] primeiro eles vêem e vão fazer a auditoria prévia, [...] para ver se vou passar em outras auditorias ou não [...] depois se faz a auditoria de manutenção, a cada três anos, [...] depois desta auditoria de manutenção se faz uma outra auditoria de re-certificação. Este também foi reforçado pelo o entrevistado Z : Em um primeiro instante ela (certificadora) vem ver o que você vai fazer, [...] na auditoria da ISO, que daí é quando você é certificado por mais três anos, aí tem a de manutenção. Para que não ocorram possíveis falhas no processo de Pré-Certificação o entrevistado Z, aconselhou a contratação de um consultor externo: [...] tem que pagar um consultor externo, você nunca pode ir à cega, mesmo em uma empresa grande que tenha departamento de qualidade, Meio Ambiente não dá para arriscar. Quadro 5 Vantagens Empresariais Advindas da Certificação ISO Vantagens Entrevistado Mercado Econômico- Financeiro T Mercado Internacional e Instituições Financeiras Z Conquista de novos Mercados e Retenção de clientes Marketing Ecológico Imagem da empresa Não comentou Adaptação à Norma Não comentou A norma é flexível Os mercados Nacional e Internacional têm pressionado as empresas a adotarem estratégias para aprimorar o nível de competitividade em seus produtos e os serviços, visando que sejam aceitos de forma universal. Tendo em vista este objetivo, a ISO têm influência nas empresas, pois, criam padrões que norteiam as decisões como a preservação do Meio Ambiente. O entrevistado T citou: [...] agora o que muda muito é a amplitude do mercado, o mercado pede muito, e vê a gente com outros olhos, clientes no exterior, [...]. O entrevistado Z comentou que os seus clientes não contratavam uma empresa que não tivesse respeito com o meio ambiente. E para normatizar as ações ambientais foi necessário recorrer à norma ISO 14001, senão teria dificuldade em manter os clientes e conquistar novos mercados. Já o entrevistado T destacou a preocupação com a imagem da empresa, em relação à sociedade, pois esta procurou adequar-se às normas visando, mantê-la em ordem, pois na cidade de Bauru há uma empresa concorrente, que ocasionou sérios problemas ambientais (envolvendo contaminação por chumbo) e reforça a importância do marketing ecológico e as conseqüências 438

10 que podem sofrer a imagem da empresa em relação a degradação ambiental que ela pode provocar. Em relação ao item adequação às normas, o entrevistado Z citou que existe flexibilidade no cumprimento da norma ISO 14001, o que a ABNT NBR ISO 14001:2004 cita em seu Objetivo: Esta norma especifica os requisitos relativos a um sistema da gestão ambiental, permitindo a uma organização desenvolver e implementar uma política e objetivos que levem em conta os requisitos legais e outros requisitos por ela subscritos e informações referentes aos aspectos ambientais significativos. Aplica-se aos aspectos ambientais que a organização identifica como aqueles que possa controlar e aqueles que possa influenciar. Em si, esta Norma não estabelece critérios específicos de desempenho ambiental. O entrevistado Z ainda acrescentou que a empresa tem o livre-arbítrio de adequar a norma à sua realidade, porém pode perder a certificação se não cumpri-la. Quando os entrevistados foram questionados quanto a desvantagens da Certificação ISO 14001, uma das desvantagens citadas pelos entrevistados foi o aumento da carga tributária à empresa, pois, para cada procedimento ou etapa a ser vencida na norma, foi necessária a autorização dos órgãos ambientais, está relacionada ao recolhimento de taxas para analises de processos e até a aquisição das normas. O entrevistado T afirmou: Nos tributos a gente paga mais por isso, você vai na CETESB, (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) vai pedir uma instalação de alguma máquina, [...], vai subsidiar uma área dentro da empresa, esse processamento é bastante caro. Com a norma não facilitou em nada, [...] o que facilitou é em relação aos bancos, nos bancos a gente entra de outra forma, [...] hoje, os bancos já estão se preocupando em se voltar praticamente para o meio ambiente. Outra desvantagem é com relação à legislação ambiental, pois o governo não está preparado para atender a todos os requisitos desta norma, como afirma o entrevistado Z : [...] a norma pede muitas coisas, que de repente nem o governo está preparado para atuar ali. Por exemplo, tem uma lei X [...] só que o poder público não está preparado para fiscalizar aquela lei, então você fica travado. Mais eu tenho que cumprir essa legislação se não eu não sou certificado na ISO Além dos custos elevados, outra desvantagem citada pelo o entrevistado foi com relação à demora na análise dos documentos pela certificadora. Com destaque à documentação, o entrevistado Z comentou que a empresa precisa ter controle absoluto sobre os mesmos e também com os registros ambientais, pois é necessário provar à certificadora cada etapa presente nos objetivos. 439

11 5. Considerações Finais Pode-se verificar que as empresas precisam acompanhar o mercado econômico e financeiro, devem existir procedimentos para os requisitos da implementação até a operação da Norma ISO 14001, na qual se avalia o desempenho ambiental da empresa, a partir de seu Plano de Gestão Ambiental, levando em consideração que a padronização auxilia no desenvolvimento econômico, social e ambiental das empresas estudadas, uma vez que se sobressaíram na busca de soluções para a redução ou a eliminação dos impactos causados pelo processo produtivo. Quanto às vantagens e as desvantagens que as empresas obtiveram ao implantar o SGA e, consequentemente a Norma ISO 14001, os entrevistados foram unânimes ao destacar que obtiveram mais vantagens do que desvantagens e que o processo de implantação possibilitou a cooperação, a integração e a colaboração mútua, em todos os níveis hierárquicos. Os objetivos foram alcançados, durante as etapas vivenciadas no procedimento, pois, todos desejavam além da certificação a melhoria na qualidade de vida dos funcionários e com isso, da sociedade. O processo de implantação do SGA colaborou, inclusive com a melhoria contínua das etapas de trabalho, com a conservação do meio ambiente e também com a responsabilidade sócio-ambiental, pois as empresas atuaram direta e indiretamente em instituições beneficente e em programas educativos com os seus colaboradores e seus familiares. Desse modo pode-se considerar que a ISO é um meio de agregar valores econômicos, sociais e ambientais ao meio empresarial, mas também à sociedade, pois o próprio mercado consumidor passou a selecionar produtos e serviços de empresas que possuem certificação ambiental. O SGA não é obrigatório, ou seja, não há legislação de qualquer nível, em qualquer lugar do mundo, que obrigue uma organização produtiva a desenvolver e a implantar o SGA. Contudo, o comercio internacional cada vez mais vem estabelecendo como condição de comercialização de produtos e serviços a certificação formal dos fornecedores em gestão ambiental. Faz-se necessário que as empresas envolvidas no processo tenham como foco a melhoria contínua em relação ao meio ambiente, e para isso é preciso compreender o impacto ambiental que tais empresas podem causar. As organizações pesquisadas atuam em diferentes mercados, porém vivenciam o impacto de concorrências, pois a exigência do mercado tem sido cada vez mais assídua e competitiva. 440

12 Referências ABNT, Associação Brasileira de Normas Técnicas: ABNT NBR ISO ed. ABNT 2004., Associação Brasileira de Normas Técnicas. Disponível em < Acesso em: 01 mai ABREU, Dora. Sem ela nada feito! Educação Ambiental e a ISO Salvador: Casa da Qualidade, BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa/Portugal: Edições 70, BETTIOL, Vanderlei Rodrigo. Benefícios da Certificação ISO Disponível em: <http:// hermes.ucs.br/ccet/deme/emsoares/inipes/iso/> Acesso em: 09 mai BRISOT, Consultoria e Treinamento. Entendendo os Requisitos da NBR ISO 14001:1996, em fase de elaboração, (2008). DIAS, Reinaldo. Gestão ambiental: Responsabilidade Social e Sustentabilidade. São Paulo: Atlas, FERREIRA, Aracéli Cristina de Souza: Contabilidade Ambiental: uma informação para o Desenvolvimento Sustentável. São Paulo: Atlas, LAKATOS, Eva Maria; MARCONI Marina de Andrade. Fundamentos de Metodologia Científica. 3 ed. São Paulo: Atlas, MEDINA, Angelo. Meio Ambiente: Uma Questão Moral. Disponível em:<http:// www1.uol.com.br/vyaestelar/vya_estela101.htm>. Acesso em: 29 mai REIS, Vandelino Ribeiro. Sistema de Gestão Ambiental ISO Disponível em: <http:// Acesso em: 20 abr ROLIM, Henrique Sérgio Cavalcante. Implantação de um sistema de gestão ambiental com base na norma ISO Disponível em: <http://www.aje.org.br/ index.php?option=com_docman&task=doc_view&gid=27> Acesso em: 17 abr SOUSA, Jânio Plácido de A. Ciclo PDCA. Disponível em: <http://www.pmies.org.br/v2/ centraladm/artigos/arquivos/20-09_ciclo_pdca_- _Um_instrumento_para_melhoria_continua.pdf> Acesso em: 04 mai TINOCO, João Eduardo Prudêncio Tinoco; KRAEMER, Maria Elisabeth Pereira. Contabilidade e Gestão Ambiental. São Paulo: Atlas, VALLE, Cyro Eyer do. Qualidade ambiental: como ser competitivo protegendo o meio ambiente: (como se preparar para as Normas ISO 14000). São Paulo: Pioneira, VILAS, Luiz Henrique Lopes. Desenvolvimento Sustentável. Disponível em: <http:// Acesso em: 17 abr

22/06/2015. Cronograma finalização da disciplina GA I. Instrumentos de Gestão Ambiental. ambiental. Auditoria Ambiental

22/06/2015. Cronograma finalização da disciplina GA I. Instrumentos de Gestão Ambiental. ambiental. Auditoria Ambiental Cronograma finalização da disciplina GA I Instrumentos de Gestão Ambiental São ferramentas que auxiliam o gestor no seu plano de gestão ambiental Política e Legislação Ambiental Licenciamento Ambiental

Leia mais

Sistemas e Instrumentos de Gestão Ambiental

Sistemas e Instrumentos de Gestão Ambiental Sistemas e Instrumentos de Gestão Ambiental Série ISO 14000 Prof. Gustavo Rodrigo Schiavon Eng. Ambiental A questão ambiental empresarial encontrase em fases distintas nos diversos países do mundo: De

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 ZOOTECNIA/UFG DISCIPLINA DE GPA Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Introdução EVOLUÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL Passou por três grandes etapas: 1ª. Os problemas ambientais são localizados

Leia mais

Gestão Ambiental. Definição. Processo de articulação das ações a

Gestão Ambiental. Definição. Processo de articulação das ações a Definição Processo de articulação das ações a dos diferentes agentes sociais que interagem em um dado espaço, visando garantir a adequação dos meios de exploração dos recursos ambientais às especificidades

Leia mais

ISO 14000. Prof. William da Cruz Sinotti sinottiw@gmail.com

ISO 14000. Prof. William da Cruz Sinotti sinottiw@gmail.com SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO SISTEMA DE SELEÇÃO USINICADA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA ISO 14000

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental Sistema de Gestão Ambiental Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental Professora Flavia Nogueira Zanoni MSc em Controle de Poluição Ambiental

Leia mais

ENTENDENDO A ISO 14000

ENTENDENDO A ISO 14000 UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS ENTENDENDO A ISO 14000 Danilo José P. da Silva Série Sistema de Gestão Ambiental Viçosa-MG/Janeiro/2011

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000 GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL Modelo da Série NBR ISO 9000 Modelo da Série NBR ISO 9000 A Garantia da Qualidade requer uma ação coordenada de todo sistema produtivo da empresa, do fornecedor de insumos de

Leia mais

José Rodolfo Tenório LIMA (1); Thaisa Kelly da Silva LIRA (2);

José Rodolfo Tenório LIMA (1); Thaisa Kelly da Silva LIRA (2); A IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL, BASEADO NA NBR ISO 14001:2004 - UM ESTUDO DE CASO DE UMA EMPRESA PRESTADORA DE SERVIÇOS DO POLÓ CLOROQUIMICO DE ALAGOAS José Rodolfo Tenório LIMA (1); Thaisa

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

GEOGRAFIA, MEIO AMBIENTE E CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL Henrique Elias Pessoa Gutierres

GEOGRAFIA, MEIO AMBIENTE E CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL Henrique Elias Pessoa Gutierres GEOGRAFIA, MEIO AMBIENTE E CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL Henrique Elias Pessoa Gutierres Nas últimas décadas, o mundo tem testemunhado o desenvolvimento da consciência ambiental em diferentes setores da sociedade,

Leia mais

Ferramentas da Qualidade Sistemas ISO. Curso: Engenharia Mecatrônica Disciplina: Metrologia Prof. Ricardo Vitoy

Ferramentas da Qualidade Sistemas ISO. Curso: Engenharia Mecatrônica Disciplina: Metrologia Prof. Ricardo Vitoy Ferramentas da Qualidade Sistemas ISO Curso: Engenharia Mecatrônica Disciplina: Metrologia Prof. Ricardo Vitoy NORMA Documento que formaliza certo nível de consenso a respeito do que foi discutido. Aquilo

Leia mais

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005):

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005): Surgimento da ISO 9000 Com o final do conflito, em 1946 representantes de 25 países reuniram-se em Londres e decidiram criar uma nova organização internacional, com o objetivo de "facilitar a coordenação

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE ALESSANDRA TEDORO BARBARA LIMA GABRIELA SPOLAVORI LEANDRO MARTINIANO MARCUS LOURENÇO RICARDO

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE ALESSANDRA TEDORO BARBARA LIMA GABRIELA SPOLAVORI LEANDRO MARTINIANO MARCUS LOURENÇO RICARDO SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE ALESSANDRA TEDORO BARBARA LIMA GABRIELA SPOLAVORI LEANDRO MARTINIANO MARCUS LOURENÇO RICARDO HISTÓRICO 1990 Mudanças no Pais e no Setor da Construção Civil - Abertura do

Leia mais

NORMA TÉCNICA - DEFINIÇÃO INTERNACIONAL

NORMA TÉCNICA - DEFINIÇÃO INTERNACIONAL 1 NORMAS TÉCNICAS NORMA TÉCNICA - DEFINIÇÃO INTERNACIONAL Uma norma técnica é um documento definido por consenso e aprovado por um organismo reconhecido que fornece, para uso comum e repetitivo, regras,

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Contexto SGQ SGQ Sistema de Gestão da Qualidade Sistema (Definição do dicionário Michaelis) 1- Conjunto de princípios

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA ISO 14.001:2004 O que é ISO? A ISO - International Organization for Standardization é uma organização sediada em Genebra, na Suíça. Foi fundada em 1946; A sigla ISO foi

Leia mais

A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE. Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625

A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE. Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625 A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625 Renato Francisco Saldanha SILVA² Ailton EUGENIO 3 Resumo Muitas empresas mostram ser

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 Prof. Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim INTRODUÇÃO A norma ISO 14001 faz parte de um conjunto mais amplo de normas intitulado ISO série 14000. Este grupo

Leia mais

Normas ISO 14000. Jonas Lucio Maia

Normas ISO 14000. Jonas Lucio Maia Jonas Lucio Maia Agenda Origem das normas Normas ISO 14000 Similaridades GQ e GA Benefícios Críticas Bibliografia Origens das normas Quatro origens relacionadas: Padrões do Business Council for Sustainable

Leia mais

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ACERCA DOS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS ADVINDOS DA OBTENÇÃO DA CERTIFICAÇÃO ISO 14000 PELAS EMPRESAS

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ACERCA DOS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS ADVINDOS DA OBTENÇÃO DA CERTIFICAÇÃO ISO 14000 PELAS EMPRESAS ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ACERCA DOS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS ADVINDOS DA OBTENÇÃO DA CERTIFICAÇÃO ISO 14000 PELAS EMPRESAS Valdir Frigo Denardin * Glaucia Vinter ** Resumo A preocupação

Leia mais

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ACERCA DOS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS ADVINDOS DA OBTENÇÃO DA CERTIFICAÇÃO ISO 14000 PELAS EMPRESAS

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ACERCA DOS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS ADVINDOS DA OBTENÇÃO DA CERTIFICAÇÃO ISO 14000 PELAS EMPRESAS ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ACERCA DOS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS ADVINDOS DA OBTENÇÃO DA CERTIFICAÇÃO ISO 14000 PELAS EMPRESAS Valdir Frigo Denardin * Glaucia Vinter ** Resumo A preocupação

Leia mais

Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta do Departamento de Engenharia Civil, UFPE, Engenheira Civil, Mestre

Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta do Departamento de Engenharia Civil, UFPE, Engenheira Civil, Mestre VI-093 SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA NAS ÁREAS DE MEIO AMBIENTE, QUALIDADE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL UMA ABORDAGEM PRÁTICA NA INDÚSTRIA PETROFLEX-CABO/PE Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta

Leia mais

Normas ISO 14000. Haroldo Mattos de Lemos. Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do RJ 27/11/2015

Normas ISO 14000. Haroldo Mattos de Lemos. Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do RJ 27/11/2015 Normas ISO 14000 Haroldo Mattos de Lemos Presidente, Conselho Técnico da ABNT; Superintendente, ABNT/CB 38 Vice Presidente do ISO/TC 207 (Normas ISO 14000) Presidente, Conselho Empresarial de Meio Ambiente

Leia mais

VIII-003 PREPARO DE RECURSOS HUMANOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA ISO 14001 EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS

VIII-003 PREPARO DE RECURSOS HUMANOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA ISO 14001 EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS VIII-003 PREPARO DE RECURSOS HUMANOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA ISO 14001 EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS Andréia Guaracho Ramos (1) Bacharel em Química e Pós Graduada em Química Industrial pela Fundação

Leia mais

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 MÓDULO C REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001 ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001/04 Sumário A.) A Organização ISO...3 B.) Considerações sobre a elaboração

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental Objetivos da Aula Sistema de Gestão Ambiental 1. Sistemas de gestão ambiental em pequenas empresas Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE JULIANA APARECIDA DE SOUZA REIS MAIARA NATALIA MARINHO DUARTE SUSELI SANTOS DIAS RESUMO Neste artigo temos por objetivo apresentar que as micros e pequenas

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

9001:2000 - EPS - UFSC)

9001:2000 - EPS - UFSC) Implantação de um sistema de gestão da qualidade conforme a norma ISO 9001:2000 numa pequena empresa de base tecnológica, estudo de caso: Solar Instrumentação, Monitoração e Controle Ltda. Gustavo Slongo

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: CUMPRIMENTO ÀS NORMAS OU DIFERENCIAL DE MERCADO. Ariane Mendes, Danielle Rodrigues, Débora Bianco 1, Ana Cabanas n

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: CUMPRIMENTO ÀS NORMAS OU DIFERENCIAL DE MERCADO. Ariane Mendes, Danielle Rodrigues, Débora Bianco 1, Ana Cabanas n RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: CUMPRIMENTO ÀS NORMAS OU DIFERENCIAL DE MERCADO Ariane Mendes, Danielle Rodrigues, Débora Bianco 1, Ana Cabanas n 1,n Faculdade Anhanguera de São José/ Pós-graduação em

Leia mais

AULA II CONTROLE E QUALIDADE. Prof.: Alessandra Miranda

AULA II CONTROLE E QUALIDADE. Prof.: Alessandra Miranda AULA II CONTROLE E QUALIDADE Prof.: Alessandra Miranda Conceitos: Controlar: estando a organização devidamente planejada, organizada e liderada, é preciso que haja um acompanhamento das atividades, a fim

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 04) O que é uma Norma Aquilo que se estabelece como base ou medida para a realização

Leia mais

ISO 14000. Estrutura da norma ISO 14001

ISO 14000. Estrutura da norma ISO 14001 ISO 14000 ISO 14000 é uma serie de normas desenvolvidas pela International Organization for Standardization (ISO) e que estabelecem directrizes sobre a área de gestão ambiental dentro de empresas. Histórico

Leia mais

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000)

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) Ao longo do tempo as organizações sempre buscaram, ainda que empiricamente, caminhos para sua sobrevivência, manutenção e crescimento no mercado competitivo.

Leia mais

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países)

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países) A SÉRIE ISO 14.000 A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE NORMALIZAÇÃO (ISO) ISO => Internacional Organization for Standardization Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça),

Leia mais

A SUSTENTABILIDADE E A NORMALIZAÇÃO Enga. Inês Laranjeira da Silva Battagin Superintendente do ABNT/CB-18

A SUSTENTABILIDADE E A NORMALIZAÇÃO Enga. Inês Laranjeira da Silva Battagin Superintendente do ABNT/CB-18 Pré-Fabricação: O Contexto Habitacional e a Sustentabilidade A SUSTENTABILIDADE E A NORMALIZAÇÃO Enga. Inês Laranjeira da Silva Battagin Superintendente do ABNT/CB-18 27 de agosto de 2009 ISO = International

Leia mais

Implantação do Sistema de Gestão Ambiental Segundo a NBR ISO 14001:uma pesquisa de campo em empresa do ramo metalúrgico

Implantação do Sistema de Gestão Ambiental Segundo a NBR ISO 14001:uma pesquisa de campo em empresa do ramo metalúrgico Implantação do Sistema de Gestão Ambiental Segundo a NBR ISO 14001:uma pesquisa de campo em empresa do ramo metalúrgico Jaqueline Fonseca Rodrigues (UTFPR) jaqueline_rodrigues@brurbo.com.br Nathalie Rodrigues

Leia mais

Planejamento e gestão ambiental. Fernando Santiago dos Santos fernandoss@cefetsp.br www.fernandosantiago.com.br (13) 9141-2155 8822-5365

Planejamento e gestão ambiental. Fernando Santiago dos Santos fernandoss@cefetsp.br www.fernandosantiago.com.br (13) 9141-2155 8822-5365 Planejamento e gestão ambiental Fernando Santiago dos Santos fernandoss@cefetsp.br www.fernandosantiago.com.br (13) 9141-2155 8822-5365 Aula 7 SérieISO 14000: definição, breve histórico, escopo, terminologia,

Leia mais

Normas ISO 14000. Haroldo Mattos de Lemos

Normas ISO 14000. Haroldo Mattos de Lemos Normas ISO 14000 Haroldo Mattos de Lemos Presidente, Conselho Técnico da ABNT; Superintendente, ABNT/CB 38 Vice Presidente do ISO/TC 207 (Normas ISO 14000) Presidente, Conselho Empresarial de Meio Ambiente

Leia mais

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Gestão da Qualidade Aula 5 O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Objetivo: Compreender os requisitos para obtenção de Certificados no Sistema Brasileiro de Certificação

Leia mais

Consultoria Presencial

Consultoria Presencial Consultoria Presencial A Qi Consultoria Tem profissionais responsáveis por mais de 80 implementações e certificações de sucesso em todo tipo de seguimento, isso quer dizer que; A QI Consultoria possui

Leia mais

O que são normas internacionais?

O que são normas internacionais? APRESENTAÇÃO O incremento da competitividade é um fator decisivo para a maior inserção das Micro e Pequenas Empresas (MPE), em mercados externos cada vez mais globalizados. Internamente, as MPE estão inseridas

Leia mais

CESA Comitê Advocacia Solidária ISO 26.000 e Manual do Advogado Sustentável

CESA Comitê Advocacia Solidária ISO 26.000 e Manual do Advogado Sustentável CESA Comitê Advocacia Solidária ISO 26.000 e Manual do Advogado Sustentável Julho 2010 O que é ISO 26000? A ISO 26000 é uma norma internacional de Responsabilidade Social, um guia de diretrizes que contribui

Leia mais

CONTABILIDADE AMBIENTAL: A CONTABILIDADE COMO SISTEMA DE INFORMAÇÃO QUANTO A PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL

CONTABILIDADE AMBIENTAL: A CONTABILIDADE COMO SISTEMA DE INFORMAÇÃO QUANTO A PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL CONTABILIDADE AMBIENTAL: A CONTABILIDADE COMO SISTEMA DE INFORMAÇÃO QUANTO A PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL Douglas Ribeiro Lucas, autor Denilson da Silva Lucas, co-autor José Adenildo da Silva, co-autor 1 FACESM/Gpde,

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL SEBRAE - SP

PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL SEBRAE - SP PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL SEBRAE - SP DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das futuras gerações satisfazerem suas próprias

Leia mais

Unidade IV PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade IV PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade IV PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha As normas podem ser separadas em dois grandes grupos Normas de produtos ou serviços; Normas de sistemas de gestão. Estas definem os processos administrativos

Leia mais

PUC Goiás. Prof. Ricardo Resende Dias, MSc.

PUC Goiás. Prof. Ricardo Resende Dias, MSc. PUC Goiás Prof. Ricardo Resende Dias, MSc. 1 2 3 4 RAZÕES PARA ADOÇÃO DE PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS AUMENTAR A QUALIDADE DO PRODUTO AUMENTAR A COMPETITIVIDADE DAS EXPORTAÇÕES ATENDER O CONSUMIDOR COM PREOCUPAÇÕES

Leia mais

O papel da empresa na relação com o meio natural

O papel da empresa na relação com o meio natural Gestão Ambiental O papel da empresa na relação com o meio natural Visão Tradicional Empresa Consumidor Compreensão Básica: - Relações econômicas determinadas pela Oferta/Procura -Visão do lucro como o

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP Prof a. Nazaré Ferrão

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP Prof a. Nazaré Ferrão Centro Ensino Superior do Amapá Curso de Administração Disciplina: NORMALIZAÇÃO E AUDITORIAS AMBIENTAIS Turma: 8 ADN Professor: NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO Aluno: CAMPOS, Lucila Maria de Souza; LERÌPIO,

Leia mais

Modelo da Série NBR ISO 9000

Modelo da Série NBR ISO 9000 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP CURSO DE ADMINISTAÇÃO Prof a : NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL Modelo da Série NBR ISO 9000 Origem da Norma para Sistemas da Qualidade ISO

Leia mais

Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008

Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008 Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do

Leia mais

O que é ISO 14001? Um guia passo a passo para o uso de um Sistema de Gestão Ambiental M EI O AM BI ENTE

O que é ISO 14001? Um guia passo a passo para o uso de um Sistema de Gestão Ambiental M EI O AM BI ENTE O que é ISO 14001? Um guia passo a passo para o uso de um Sistema de Gestão Ambiental M EI O AM BI ENTE Índice O que é um SGA e o que é ISO 14001?...2 ISO 14001:1996. Suas perguntas respondidas...3 O sistema

Leia mais

ISO 14000. O que é uma Norma? A ISO 14000. Pedro G. Fernandes da Silva

ISO 14000. O que é uma Norma? A ISO 14000. Pedro G. Fernandes da Silva ISO 14000 Pedro G. Fernandes da Silva A ISO 14000 é uma forma abrangente e holística de administrar o meio ambiente que inclui regulamentos, prevenção de poluição, conservação de recursos e proteção ambiental,

Leia mais

ISO 9001:2008 Roteiro prático para implantação

ISO 9001:2008 Roteiro prático para implantação ISO 9001:2008 Roteiro prático para implantação Marcel Menezes Fortes 1- Introdução: Em 28 de dezembro de 2008, a ABNT NBR ISO-9001:2008 entrou em vigor em substituição à Norma ABNT NBR ISO-9001:2000. Pretendemos

Leia mais

Bom-dia a todos! Prof. Oceano Zacharias. www.quality.eng.br 1

Bom-dia a todos! Prof. Oceano Zacharias. www.quality.eng.br 1 Bom-dia a todos! Prof. Oceano Zacharias www.quality.eng.br 1 1 ISO 9001 Sistema de Gestão da Qualidade RUMO À RECERTIFICAÇÃO Módulo 0 www.quality.eng.br 2 2 Oceano Zacharias Físico, Matemático e Engenheiro

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP ÁREA INDUSTRIAL. Disciplina: Gestão da Qualidade

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP ÁREA INDUSTRIAL. Disciplina: Gestão da Qualidade 1 de 13 Sumário 1 Normalização... 2 1.1 Normas... 2 1.2 Objetivos... 2 1.3 Benefícios de Normalização... 2 1.4 A Importância da Normalização Internacional... 3 1.5 Necessidades de Normalização Internacional...

Leia mais

Portaria n.º 387, de 23 de outubro de 2007.

Portaria n.º 387, de 23 de outubro de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 387, de 23 de outubro de

Leia mais

Etapas Necessárias para Implantação de um Sistema de Gestão Integrado

Etapas Necessárias para Implantação de um Sistema de Gestão Integrado Etapas Necessárias para Implantação de um Sistema de Gestão Integrado Jonathan Lucas Schwambach Fernandes (FAHOR) jf000554@fahor.com.br Fernando Busanello (FAHOR) fb000982@fahor.com.br Magnus Luis Beilke

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Sociedade & Natureza Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Introdução EVOLUÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL Passou por três grandes etapas: 1ª. Os problemas ambientais são localizados e atribuídos

Leia mais

APRESENTAÇÃO INICIAL. Empresa: IMAGO Norma: ISO 9001:2008

APRESENTAÇÃO INICIAL. Empresa: IMAGO Norma: ISO 9001:2008 APRESENTAÇÃO INICIAL Empresa: IMAGO Norma: ISO 9001:2008 IMAGO Consultoria M.E Colaborou com a certificação de empresas em diversas áreas: Metalúrgica Têxtil Médica Educação Terceirização de mão de obra

Leia mais

APLICABILIDADE DA ESPECIFICAÇÃO PAS 99:2006 COMO MODELO INTEGRADO DE GESTÃO - UM ESTUDO DE CASO

APLICABILIDADE DA ESPECIFICAÇÃO PAS 99:2006 COMO MODELO INTEGRADO DE GESTÃO - UM ESTUDO DE CASO ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& APLICABILIDADE DA ESPECIFICAÇÃO PAS 99:2006 COMO

Leia mais

CONTABILIDADE AMBIENTAL COMO FONTE DE INFORMAÇÃO

CONTABILIDADE AMBIENTAL COMO FONTE DE INFORMAÇÃO CONTABILIDADE AMBIENTAL COMO FONTE DE INFORMAÇÃO MARIA ROSANA DANTAS LOPES RESUMO Este trabalho teve como objetivo mostrar a importância da contabilidade como fonte de informação de uma empresa, e o seu

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (D.O 01 revisão 05, de 22 de março de 2011) 2 SUMÁRIO PARTE I INTRODUÇÃO

Leia mais

TEXTO: INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

TEXTO: INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL FACENS / IAT Instituto de Aperfeiçoamento Tecnológico Curso de Pós-Graduação MBA Lato-Sensu em: Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental Disciplina: Gerenciamento e Controle Ambiental Carga horária: 24h Prof.

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA GESTAO AMBIENTAL

IMPLANTAÇÃO DA GESTAO AMBIENTAL IMPLANTAÇÃO DA GESTAO AMBIENTAL MELO, Fabrício Pires CARDOSO, Mauricio QUEIROS, Silmara Mirian PEDRO, Lincoln MULLER, Edi RESUMO Este trabalho busca mostrar quais os benefícios, custos e métodos para se

Leia mais

Portaria n.º 348, de 03 de outubro de 2008

Portaria n.º 348, de 03 de outubro de 2008 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 348, de 03 de outubro de

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

Produzido por CEMPRE - Compromisso Empresarial para Reciclagem e ABRE - Associação Brasileira de Embalagem, 2008.

Produzido por CEMPRE - Compromisso Empresarial para Reciclagem e ABRE - Associação Brasileira de Embalagem, 2008. Produzido por CEMPRE - Compromisso Empresarial para Reciclagem e ABRE - Associação Brasileira de Embalagem, 2008. Sumário As Normas ISO 14000 4 A Rotulagem Ambiental 5 Rotulagem Tipo I NBR ISO 14024 5

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL COMO RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS ORGANIZAÇÕES RESUMO

GESTÃO AMBIENTAL COMO RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS ORGANIZAÇÕES RESUMO GESTÃO AMBIENTAL COMO RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS ORGANIZAÇÕES Alessandra Aparecida da Silva, Unisalesiano de Lins e-mail: alessandrasilvamig@yahoo.com.br Renata Angélica Freitas, Unisalesiano de Lins

Leia mais

Normas Série ISO 9000

Normas Série ISO 9000 Normas Série ISO 9000 Ana Lucia S. Barbosa/UFRRJ Adaptado de Tony Tanaka Conteúdo Conceitos principais A série ISO9000:2000 ISO9000:2000 Sumário Princípios de Gestão da Qualidade ISO9001 - Requisitos Modelo

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

Ferramentas da Qualidade: Uma visão Aplicada a Laboratórios de Ensaios Químicos

Ferramentas da Qualidade: Uma visão Aplicada a Laboratórios de Ensaios Químicos Ferramentas da Qualidade: Uma visão Aplicada a Laboratórios de Ensaios Químicos Resumo Com a globalização da economia e a formação de blocos econômicos, têm surgido barreiras técnicas e comerciais para

Leia mais

ASSESSORIA NA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE, CONFORME ABNT NBR ISO 9001 E ASSESSORIA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO ISO 9001, ISO

ASSESSORIA NA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE, CONFORME ABNT NBR ISO 9001 E ASSESSORIA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO ISO 9001, ISO ASSESSORIA NA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE, CONFORME ABNT NBR ISO 9001 E ASSESSORIA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001 Hall Consult Produtos/ Serviços:

Leia mais

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação A Dinâmica da Terra é uma empresa onde o maior patrimônio é representado pelo seu capital intelectual. Campo de atuação: Elaboração de estudos,

Leia mais

CERTIFICAÇAO AMBIENTAL

CERTIFICAÇAO AMBIENTAL ISO 14000 - A NOVA NORMA GERENCIAMENTO E -- CERTIFICAÇAO AMBIENTAL DE AMBIENTAL *Francesco De Cicco A futura norma internacional para o meio ambiente - a série ISO 14000 - e a importância para as empresas

Leia mais

Conteúdo Programático

Conteúdo Programático Sistemas de Qualidade Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT 1 Conteúdo Programático Introdução aos sistemas de garantia da qualidade. Normas de qualidade e certificação. Sistemas ISO 9000, ISO 14000, QS

Leia mais

CAU/SP. Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo

CAU/SP. Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo CAU/SP Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo Estudo para implantação do SGA, PE e A3P Sistema de Gestão Ambiental do CAU/SP Programa de Ecoeficiência do CAU/SP Agenda Ambiental na Administração

Leia mais

CURSO EMBALAGENS DE PAPELCARTÃO, PAPEL E MICRO-ONDULADO. São Paulo/2013 Fernando Sandri

CURSO EMBALAGENS DE PAPELCARTÃO, PAPEL E MICRO-ONDULADO. São Paulo/2013 Fernando Sandri CURSO EMBALAGENS DE PAPELCARTÃO, PAPEL E MICRO-ONDULADO São Paulo/2013 Fernando Sandri Fernando Sandri Graduado em Engenharia Química pela EM- Universidade Estadual de Maringá. Pós graduado em MBA Marketing

Leia mais

Mini-curso Sistema de Gestão Ambiental. Ivo Neves Gerente de Consultoria. For the benefit of business and people

Mini-curso Sistema de Gestão Ambiental. Ivo Neves Gerente de Consultoria. For the benefit of business and people Mini-curso Sistema de Gestão Ambiental Ivo Neves Gerente de Consultoria For the benefit of business and people UNICAMP, Outubro 2005 1 Módulo I MÓDULO I VISÃO GERAL DE TEMAS AMBIENTAIS 2 1 Módulo I Conceitos

Leia mais

INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009.

INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009. INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009. Introdução Segundo as informações disponíveis no site do

Leia mais

Ação Corretiva e Ação Preventiva

Ação Corretiva e Ação Preventiva Sérgio Goes, Ph.D., Sócio Diretor da Executive. White Paper Ação Corretiva e Ação Preventiva De uma maneira geral os conceitos de ação corretiva e preventiva já estão presentes na literatura de qualidade

Leia mais

AULA 5 SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL. Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO

AULA 5 SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL. Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO 1 Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO 1 2 Reconheça o que está ao alcance dos seus olhos, e o que está oculto tornar-se-á claro para você. Jesus de Nazaré 2 3 1. Citar as principais contribuições

Leia mais

Consultoria Empresarial

Consultoria Empresarial Consultoria Empresarial Referência : OLIVEIRA, Djalma CROCCO, Luciano; GUTIMANNN, Erick Prof- Daciane de O.Silva SURGIMENTO- Desde os tempos imemoriais COMO ISSO ACONTECIA? Os rabinos aconselhavam os fieis,

Leia mais

PRÁTICAS AMBIENTAIS DAS EMPRESAS DO SETOR AUTOMOTIVO DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA

PRÁTICAS AMBIENTAIS DAS EMPRESAS DO SETOR AUTOMOTIVO DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA PRÁTICAS AMBIENTAIS DAS EMPRESAS DO SETOR AUTOMOTIVO DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA Solidia Elizabeth dos Santos 1 Co-autores: Prof. Dr. Cleverson V. Andreoli 2 Prof. Dr. Christian L. da Silva 3 RESUMO

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA AUMENTO DA PRODUTIVIDADE EM EMPRESA DO SEGMENTO METAL MECÂNICA.

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA AUMENTO DA PRODUTIVIDADE EM EMPRESA DO SEGMENTO METAL MECÂNICA. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA AUMENTO DA PRODUTIVIDADE EM EMPRESA DO SEGMENTO METAL MECÂNICA. Elton Dias Paz Aluno de administração das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS. Elton.paz@fibria.com.br

Leia mais

Sistema Gestão Ambiental

Sistema Gestão Ambiental Sistema Gestão Ambiental Sistema Gestão Ambiental - ISO 14001 Agora você vai conhecer o Sistema de Gestão Ambiental da MJRE CONSTRUTORA que está integrado ao SGI, entender os principais problemas ambientais

Leia mais

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 INTRODUÇÃO Desde que foi fundada em 2001, a ética, a transparência nos processos, a honestidade a imparcialidade e o respeito às pessoas são itens adotados pela interação

Leia mais

Eixo Temático ET-01-014 - Gestão Ambiental ISO 14001:2004 - IMPLANTAÇÃO EM ÓRGÃOS PÚBLICOS

Eixo Temático ET-01-014 - Gestão Ambiental ISO 14001:2004 - IMPLANTAÇÃO EM ÓRGÃOS PÚBLICOS Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - Vol. 2: Congestas 2014 111 Eixo Temático ET-01-014 - Gestão Ambiental ISO 14001:2004 - IMPLANTAÇÃO EM ÓRGÃOS PÚBLICOS Nayara de Freitas

Leia mais

CONTROLADORIA: ATRIBUIÇÃO DE VALOR À ORGANIZAÇÃO

CONTROLADORIA: ATRIBUIÇÃO DE VALOR À ORGANIZAÇÃO CONTROLADORIA: ATRIBUIÇÃO DE VALOR À ORGANIZAÇÃO Beatriz Alves Paes CONSORTE 1 - RGM 071627 Benedito Fernando FAVARETTO¹ - RGM 028811 Daniel Gazal ZUPO¹ - RGM 085144 Kaleo Carlos Felix BARROSO¹ - RGM 071294

Leia mais

ANALISE DO COMPORTAMENTO SOCIOAMBIENTAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PALMAS

ANALISE DO COMPORTAMENTO SOCIOAMBIENTAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PALMAS ANALISE DO COMPORTAMENTO SOCIOAMBIENTAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PALMAS XAVIER, Patrícia Alves Santana LIMA, Suzany Saraiva GOMES, Alan Rios RESUMO O presente estudo teve como objetivo analisar

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Importância da normalização para as Micro e Pequenas Empresas 1. Normas só são importantes para as grandes empresas...

Importância da normalização para as Micro e Pequenas Empresas 1. Normas só são importantes para as grandes empresas... APRESENTAÇÃO O incremento da competitividade é um fator decisivo para a maior inserção das Micro e Pequenas Empresas (MPE), em mercados externos cada vez mais globalizados. Internamente, as MPE estão inseridas

Leia mais

Gestão Ambiental e Responsabilidade Social. O Sistema de Gestão Ambiental. Aula 3. Vídeo. Contextualização. O que é um Sistema de Gestão?

Gestão Ambiental e Responsabilidade Social. O Sistema de Gestão Ambiental. Aula 3. Vídeo. Contextualização. O que é um Sistema de Gestão? Gestão e Responsabilidade Social Aula 3 O Sistema de Gestão Prof. Esp. Felipe Luiz Vídeo "Mundo" Pense de Novo Contextualização WWF Brasil. Disponível em: .

Leia mais

XX RAPAL DI 11 Presentado por Brasil Punto agenda 12a SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ SGA/EACF

XX RAPAL DI 11 Presentado por Brasil Punto agenda 12a SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ SGA/EACF XX RAPAL DI 11 Presentado por Brasil Punto agenda 12a SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ SGA/EACF Sistema de Gestão Ambiental na Estação Antártica Comandante Ferraz SGA/EACF

Leia mais