modificador h instrui a função printf( ) a exibir um short int. Portanto, %hu indica que o dado é do tipo short unsigned int.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "modificador h instrui a função printf( ) a exibir um short int. Portanto, %hu indica que o dado é do tipo short unsigned int."

Transcrição

1 modificador h instrui a função printf( ) a exibir um short int. Portanto, %hu indica que o dado é do tipo short unsigned int. O modificador l também pode prefixar os comandos em ponto flutuante de e, f e g para indicar que um double o segue. O modificador L especifica um long double. Com a função printf( ), você pode enviar virtualmente qualquer formato de dado que desejar. Veja os exemplos abaixo. Scanf() A função scanf( ) é uma das funções de entrada de dados da linguagem C. Ainda que possa ser usada para ler virtualmente qualquer tipo de dado inserido por meio do teclado, frequentemente você a usará para a entrada de números inteiros ou de ponto flutuante. A forma geral da função scanf( ) é: scanf ( string de controle, lista de argumentos); Os especificadores de formato de entrada são precedidos por um sinal % e dizem à função scanf( ) qual tipo de dado deve ser lido em seguida. Esses códigos são listados na tabela a seguir. Por exemplo, %s lê uma string enquanto %d lê um inteiro.

2 Código Significado %c Lê um único caractere %d Lê um decimal inteiro %i Lê um decimal inteiro (não pode ser octal ou hexadecimal) %u Lê um decimal sem sinal %e Lê um número em ponto flutuante com sinal opcional %f Lê um número em ponto flutuante com ponto opcional %g Lê um número em ponto flutuante com expoente opcional %o Lê um número em base octal %s Lê uma string %x Lê um número em base hexadecimal %p Lê um ponteiro %ld %li %lu %le %lf %lg %lo %lx %hd Lê um decimal inteiro longo Lê um decimal inteiro (não pode ser octal ou hexadecimal) longo Lê um decimal sem sinal longo Lê um número em double com sinal opcional longo Lê um número em double com ponto opcional longo Lê um número em double com expoente opcional longo Lê um número em base octal longo Lê um número em base hexadecimal longo Lê um decimal inteiro longo

3 %hi %hu %ho %hx Lê um decimal inteiro (não pode ser octal ou hexadecimal) curto Lê um decimal sem sinal curto Lê um número em base octal curto Lê um número em base hexadecimal curto Os caracteres de conversão d, i, o, u e x podem ser precedidos por h para indicarem que um apontador para short ao invés de int aparece na lista de argumentos, ou por l (letra ele) para indicar que um apontador para long aparece na lista de argumentos. Semelhantemente, os caracteres de conversão e, f e g podem ser precedidos por l (letra ele) para indicarem que um apontador para double ao invés de float está na lista de argumentos. A cadeia de formato geralmente contém especificações de conversão, que são usadas para controlar a conversão da entrada. A cadeia de formato pode conter: espaços, tabulações e novas linhas, que serão ignorados; caracteres comuns (não %), que devem combinar com o próximo caractere não espaço do fluxo de entrada; especificações de conversão, consistindo no caractere %, um caractere * opcional de supressão de atribuição, um número opcional especificando um tamanho máximo do campo, um h ou l opcional indicando o tamanho do destino, e um caractere de conversão. Um caractere que não seja um espaço em branco faz com que a função scanf( ) leia e descarte o caractere correspondente. Por exemplo, %d,%d faz com que a função scanf( ) leia um inteiro, então, leia uma vírgula (que será descartada) e, finalmente, leia outro inteiro. Se o caractere especificado não é encontrado, a função scanf( ) terminará.

4 Todas as variáveis usadas para receber valores por meio da função scanf( ) deverão ser passadas pelos seus endereços. Por exemplo, para ler um inteiro em uma variável count, você poderia usar a seguinte chamada à função scanf( ) : As strings serão lidas em vetores (cadeias de caracteres) e o nome do vetor é o endereço do primeiro elemento do vetor. Então, para ler uma string no vetor de caracteres nome, você deve usar o seguinte comando: operador &. Nesse caso, nome já tem um endereço e não precisa ser precedido pelo Os itens de dados de entrada devem ser separados por espaços, tabulações ou novas linhas. Pontuações como vírgula, ponto-e-vírgula e semelhantes não contam como operadores. Isso significa que... Aceitará uma entrada dos números 10 20, mas falhará com 10,20. Como na função printf( ), os códigos de formato da função scanf( ) devem ser correspondidos na ordem com as variáveis que estão recebendo a entrada na lista de argumento. Um * colocado depois do % e antes do código de formato lerá um dado de um tipo especificado, mas suprimirá a sua atribuição. Assim, dando-se a entrada 10/20, colocará o valor 10 em x descartando o sinal de divisão, e dará a y o valor 20. Os comandos de formato podem especificar um campo modificador de comprimento máximo. Esse modificador é um número inteiro colocado entre o sinal

5 % e o código de comando de formato, que limita o número de caracteres lidos para qualquer campo. Por exemplo, para ler não mais que 20 caracteres em str, você pode escrever: Se o apontador de entrada é maior do que 20 caracteres, uma chamada subsequentes para entrada começará onde ela pára. Por exemplo, se você digitar ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ em resposta à chamada scanf( ), nesse exemplo, somente os 20 primeiros caracteres, até o T, serão colocados em str por causa do especificador de tamanho máximo. Isso significa que os caracteres restantes UVWXYZ não são usados. Se uma outra chamada à função scanf( ) é feita, tal como: Então UVWXYZ é colocado em str. A entrada para o campo pode ser terminada, antes que o campo de comprimento máximo seja alcançado, se um caractere de espaço em branco é encontrado. Nesse caso, a função scanf( ) move-se para o próximo campo. Ainda que espaços, tabulações e novas linhas sejam usados como separadores de campos, quando da leitura de um único caractere, estes últimos são lidos como qualquer outro caractere. Por exemplo, com uma entrada de x y ; retornará com o caractere x em a, um espaço em b e o caractere y em c. Você não pode usar a função scanf( ) para exibir uma mensagem ao usuário. Portanto, todas as mensagens devem ser feitas explicitamente antes da chamada à função scanf( ).

6 A função scanf( ) inclui também uma característica muito poderosa chamada scanset. Um scanset define uma lista de caracteres que serão correspondidos por scanf( ). A função scanf( ) continuará a ler caracteres enquanto eles estiverem no scanset. Assim que um caractere entrado não corresponder a qualquer um do scanset, a função scanf( ) segue para o próximo especificador de formato (se existir). Um scanset é definido colocando-se uma lista de caracteres que você quer que seja examinada entre chaves. A chave inicial deve ser prefixada por um sinal de porcentagem. Por exemplo, este scanset diz à função scanf( ) para ler somente os dígitos de 0 a 9: Experimente esse programa usando a entrada abcdefg987654, seguida por um retorno de carro. O programa exibirá, então: Uma vez que a não faz parte do scanset, a função scanf( ) pára de ler os caracteres em s1 quando ele é encontrado e os caracteres restantes são colocados em s2. Você pode especificar um intervalo dentro de um scanset usando um hífen. Por exemplo, isto diz à função scanf( ) para aceitar os caracteres de A a Z: Você pode especificar um conjunto invertido se o primeiro caractere é um ^. Quando está presente, o ^ instrui a função scanf( ) a aceitar quaisquer caracteres

7 que não estão definidos no scanset. Um ponto importante a lembrar é que o scanset difere letras minúsculas de maiúsculas. Portanto, se você quiser examinar tanto letras maiúsculas como minúsculas, deve especificá-las individualmente.

Entrada de Dados na Linguagem C. Professor Adolfo Neto DAINF UTFPR Agosto de 2008

Entrada de Dados na Linguagem C. Professor Adolfo Neto DAINF UTFPR Agosto de 2008 Entrada de Dados na Linguagem C Professor Adolfo Neto DAINF UTFPR Agosto de 2008 Objetivos Ao final desta aula o aluno será capaz de escrever programas em C utilizando a função SCANF para entrada de dados.

Leia mais

Ementa: Tipos básicos de dados. Listas lineares e suas generalizações: listas ordenadas, listas encadeadas, pilhas e filas. Aplicações de listas.

Ementa: Tipos básicos de dados. Listas lineares e suas generalizações: listas ordenadas, listas encadeadas, pilhas e filas. Aplicações de listas. Ementa: Tipos básicos de dados. Listas lineares e suas generalizações: listas ordenadas, listas encadeadas, pilhas e filas. Aplicações de listas. Árvores e suas generalizações: árvores binárias, árvores

Leia mais

Linguagem Estruturada

Linguagem Estruturada Linguagem Estruturada Embora o termo linguagem estrutura em dados não seja rigorosamente aplicável a C, ela é normalmente referida simplesmente como linguagem estruturada. C tem muitas semelhanças com

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C AULA 2. Professor: Rodrigo Rocha

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C AULA 2. Professor: Rodrigo Rocha LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C AULA 2 Professor: Rodrigo Rocha TIPOS, VARIÁVEIS E CONSTANTES Tipos de Dados Variáveis Constantes Introdução a entrada e saída Printf Scanf Ferramentas: Dev-C++ Code::Blocks

Leia mais

Linguagem C Entrada/Saída (console)

Linguagem C Entrada/Saída (console) Linguagem C Entrada/Saída (console) Objetivos Nos artigos anteriores foram utilizadas as funções scanf() e printf(), porém não entramos em maiores detalhes. Agora estudaremos essas e outras funções de

Leia mais

Linguagem C. André Tavares da Silva.

Linguagem C. André Tavares da Silva. Linguagem C André Tavares da Silva dcc2ats@joinville.udesc.br Variáveis Posição nomeada de memória que é usada para guardar um valor que pode ser modificado pelo programa. Todas as variáveis devem ser

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S PROGRAMAÇÃO I VA R I Á V E I S, C O N S TA N T E S, O P E R A D O R E S E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S Variáveis 2 Variáveis são locais onde são armazenados os valores na memória. Toda variável é

Leia mais

ECT1203 Linguagem de Programação

ECT1203 Linguagem de Programação Universidade Federal do Rio Grande do Norte Escola de Ciências e Tecnologia ECT1203 Linguagem de Programação Prof. Aquiles Burlamaqui Profa. Caroline Rocha Prof. Luiz Eduardo Leite Prof. Luciano Ferreira

Leia mais

Linguagem de Programação C

Linguagem de Programação C Algoritmos e Lógica de Programação Linguagem C Entrada e Saída de dados Reinaldo Gomes reinaldo@cefet-al.br Linguagem de Programação C 1 Fluxo de Saída Padrão Saída Formatada: printf ( ) Tem a

Leia mais

3.1 - Funções para manipular dados de entrada e saída padrão

3.1 - Funções para manipular dados de entrada e saída padrão 1616161616161616161616161616161616161616161616161616 3- ENTRADA E SAÍDA EM C Os principais meios para executar operações de entrada e saída (E/S) são: Entrada e saída pelo console (ou padrão): teclado

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Programação de Computadores Introdução à Programação Prof. Helton Fábio de Matos hfmatos@dcc.ufmg.br Agenda Algoritmo & Programa Variáveis Declaração de tipos Comando de entrada ou de leitura Comando de

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

Aula 03 - Linguagem C

Aula 03 - Linguagem C Aula 03 - Linguagem C Disciplina: Algoritmos Prof. Allbert Velleniche de Aquino Almeida E-mail: allbert.almeida@fatec.sp.gov.br Site: http://www.allbert.com.br /allbert.almeida Histórico O C nasceu na

Leia mais

Linguagem C: Introdução

Linguagem C: Introdução Linguagem C: Introdução Linguagem C É uma Linguagem de programação genérica que é utilizada para a criação de programas diversos como: Processadores de texto Planilhas eletrônicas Sistemas operacionais

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo. Programação I Tipos de Dados Básicos - C Professora: Norminda Luiza

Universidade Federal do Espírito Santo. Programação I Tipos de Dados Básicos - C Professora: Norminda Luiza Universidade Federal do Espírito Santo Programação I Tipos de Dados Básicos - C Professora: Norminda Luiza Variáveis Tipos de Dados Básicos Formação dos identificadores o nome deve começar com uma letra

Leia mais

Programação: Entrada e Saída de Dados

Programação: Entrada e Saída de Dados Programação de Computadores I Aula 06 Programação: Entrada e Saída de Dados José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/41 Saída de dados I Podemos imprimir,

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Aula Passada Prática com declaração e inicialização de variáveis Capacidade de representação (estouro de representação) Tamanho ocupado pela variável na memória (comando

Leia mais

INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C

INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C Aula 01 Programação em Microinformática Prof. Allbert Velleniche de Aquino Almeida E-mail: professor@allbert.com.br Site: http://www.allbert.com.br Histórico O C nasceu na década

Leia mais

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento Hello World Linguagem C printf("hello world!\n"); main é a função principal, a execução do programa começa por ela printf é uma função usada para enviar dados para o vídeo Palavras Reservadas auto double

Leia mais

Introdução à Linguagem de Programação C: Variáveis, Constantes, Expressões, Atribuição, Tipos de dados, Entrada e Saída de Dados

Introdução à Linguagem de Programação C: Variáveis, Constantes, Expressões, Atribuição, Tipos de dados, Entrada e Saída de Dados Introdução à Linguagem de Programação C: Variáveis, Constantes, Expressões, Atribuição, Tipos de dados, Entrada e Saída de Dados Disciplina de Programação de Computadores I Universidade Federal de Ouro

Leia mais

Cap. 2 Expressões na linguagem C

Cap. 2 Expressões na linguagem C Programação de Computadores II Cap. 2 Expressões na linguagem C Livro: Waldemar Celes, Renato Cerqueira, José Lucas Rangel. Introdução a Estruturas de Dados, Editora Campus (24) Slides adaptados dos originais

Leia mais

3. Linguagem de Programação C

3. Linguagem de Programação C Introdução à Computação I IBM1006 3. Linguagem de Programação C Prof. Renato Tinós Departamento de Computação e Matemática (FFCLRP/USP) 1 3.3. Conceitos Básicos de C: Expressões, Operadores e Bibliotecas

Leia mais

Estruturas de Dados. Módulo 2 Expressões. 9/8/2005 (c) Marco A. Casanova - PUC-Rio 1

Estruturas de Dados. Módulo 2 Expressões. 9/8/2005 (c) Marco A. Casanova - PUC-Rio 1 Estruturas de Dados Módulo 2 Expressões 9/8/25 (c) Marco A. Casanova - PUC-Rio Avisos O ciclo básico alterou o horário da P2: a P2 de ED será em 2/5, das 9h às h, e não das h às 3h, como no programa original

Leia mais

Faculdade de Computação

Faculdade de Computação Faculdade de Computação Programação Procedimental 1 o Laboratório de Programação C Prof. Cláudio C. Rodrigues 1. Introdução O objetivo desta aula prática é exercitar o uso de variáveis de vários tipos

Leia mais

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010 Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010 1 Introdução O objetivo desta aula prática é exercitar o uso de variáveis de vários tipos

Leia mais

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Métodos Computacionais Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Tópicos da Aula Hoje aprenderemos a escrever um programa em C que pode realizar cálculos Conceito de expressão Tipos de

Leia mais

SSC304 Introdução à Programação Para Engenharias. Variáveis e I/O em C. GE4 Bio

SSC304 Introdução à Programação Para Engenharias. Variáveis e I/O em C. GE4 Bio Universidade de São Paulo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Sistemas de Computação Introdução à Para Engenharias Variáveis e I/O em C GE4 Bio GE4Bio Grupo de Estudos em

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Algoritmos e Programação Aula 3 Introdução a Linguagem C Profa. Marina Gomes marinagomes@unipampa.edu.br 1 Aula de Hoje - Criar programas simples em C utilizando a estrutura básica; - Declarar variáveis;

Leia mais

Apêndice B. Cadeias de Caracteres (Strings)

Apêndice B. Cadeias de Caracteres (Strings) Apêndice B. Cadeias de Caracteres (Strings) Até agora, quando desejávamos indicar o número de elementos existentes em um vetor qualquer, utilizávamos uma variável inteira, digamos tam, para armazenar tal

Leia mais

Introdução à Programação. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados

Introdução à Programação. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Introdução à Programação Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Programa em C #include int main main ( ) { Palavras Reservadas } float celsius ; float farenheit ; celsius

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Engenharia de CONTROLE e AUTOMAÇÃO Introdução à Linguagem C Aula 02 DPEE 1038 Estrutura de Dados para Automação Curso de Engenharia de Controle e Automação Universidade Federal de Santa Maria beltrame@mail.ufsm.br

Leia mais

Introdução à Computação MAC0110

Introdução à Computação MAC0110 Introdução à Computação MAC0110 Prof. Dr. Paulo Miranda IME-USP Aula 2 Variáveis e Atribuições Memória Principal: Introdução Vimos que a CPU usa a memória principal para guardar as informações que estão

Leia mais

INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO EM LINGUAGEM C

INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO EM LINGUAGEM C Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas - CCET Curso de Ciência da Computação INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO EM LINGUAGEM C CASCAVEL - PR 2014 SUMÁRIO UNIDADE

Leia mais

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 29 de agosto de 2008

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 29 de agosto de 2008 Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 29 de agosto de 2008 Introdução O objetivo desta aula prática é exercitar comandos de entrada e saída simples

Leia mais

Computação Eletrônica. Strings. Prof: Luciano Barbosa. CIn.ufpe.br

Computação Eletrônica. Strings. Prof: Luciano Barbosa. CIn.ufpe.br Computação Eletrônica Strings Prof: Luciano Barbosa Recapitulando: Vetores Representar uma coleção de variáveis de um mesmo tipo em uma dimensão Ex: float notas[5]; ou float notas[5] = {2.5,3.2,1.9,4.1,2.0};

Leia mais

Capítulo 2 Operadores. A função scanf()

Capítulo 2 Operadores. A função scanf() Capítulo 2 Operadores A função scanf() A função scanf() é outra das funções de E/S implementadas em todos os compiladores e nos permite ler dados formatados da entrada padrão (teclado). Sintaxe: scanf(

Leia mais

Programação I A Linguagem C. Prof. Carlos Alberto

Programação I A Linguagem C. Prof. Carlos Alberto Programação I A Linguagem C Prof. Carlos Alberto carlos.batista@facape.br carlos36_batista@yahoo.com.br 2 Origem A linguagem C foi desenvolvida em 1972, nos Laboratórios Bell, por Dennis Ritchie. Implementada

Leia mais

A Linguagem C. A forma de um programa em C

A Linguagem C. A forma de um programa em C A Linguagem C Criada em 1972 por D. M. Ritchie e K. Thompson. Tornou-se uma das mais importantes e populares, principalmente pela portabilidade e flexibilidade. Foi projetada para o desenvolvimento de

Leia mais

1. Como compilar programas usando o DevC++?

1. Como compilar programas usando o DevC++? RUDIMENTOS DE LINGUAGEM C 2ª série de exercícios Referência: Curso C da UFMG (o arquivo.pdf ou as páginas html estão no arquivo Material de apoio.zip ) 1. Como compilar programas usando o DevC++? Uma vez

Leia mais

Linguagens de Programação PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES. Linguagem C. Linguagem C Estrutura Básica. Constante (literais) Linguagem C Primeiro Programa

Linguagens de Programação PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES. Linguagem C. Linguagem C Estrutura Básica. Constante (literais) Linguagem C Primeiro Programa Linguagens de Programação PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES Linguagem C - Introdução Linguagens de Máquina Representação numérica Difícil utilização e compreensão Específica para cada máquina Linguagens Simbólicas(Assembly)

Leia mais

system("pause"); //Envia comando para o sistema operacional solicitando parada de execução do programa } //limitador do corpo do programa

system(pause); //Envia comando para o sistema operacional solicitando parada de execução do programa } //limitador do corpo do programa Atividade Prática no Ambiente Dev C++ Para as nossas atividades práticas vamos utilizar o ambiente de desenvolvimento da Linguagem C, Dev C++, ele é bastante fácil de utilizar e com muitos recursos. Segue

Leia mais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Programação com linguagem C

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Programação com linguagem C Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Programação com linguagem C 1 Entrada e saída: escrevendo na tela Veja uma comparação entre um programa Portugol e seu equivalente em C: Inicio Inteiro

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Estruturas Básicas. Aula Tópico 2

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Estruturas Básicas. Aula Tópico 2 Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Estruturas Básicas Aula Tópico 2 1 Problema 3 Exibir o maior número inteiro que pode ser representado no computador. 2 Qual o maior número inteiro? Para o compilador

Leia mais

Elementos de programação em C

Elementos de programação em C Elementos de programação em C Entrada e saída: teclado e monitor de vídeo Francisco A. C. Pinheiro, Elementos de Programação em C, Bookman, 2012. Visite os sítios do livro para obter material adicional:

Leia mais

Programação Dicas e Outras Coisas

Programação Dicas e Outras Coisas Programação Dicas e Outras Coisas Tiago da Conceição Mota Vinícius Fernandes dos Santos Tópicos Especiais em Programação 2008-1 Algumas Dicas para Competições Entrada e Saída Avançadas Algumas Funções

Leia mais

Introdução a C. Para saber quais os procedimento ou funções que existem em cada biblioteca, acesse

Introdução a C. Para saber quais os procedimento ou funções que existem em cada biblioteca, acesse Introdução a C Formatação do codigo em C Todos os códigos em C possuem a seguinte formatação: bibliotecas variáveis globais procedimentos ou funções (se necessário) função principal E sempre são salvos

Leia mais

Ambiente de desenvolvimento

Ambiente de desenvolvimento Linguagem C Ambiente de desenvolvimento Um programa em C passa por seis fases até a execução: 1) Edição 2) Pré-processamento 3) Compilação 4) Linking 5) Carregamento 6) Execução Etapa 1: Criação do programa

Leia mais

Linguagem C Variáveis, Tipos de Dados, Comandos e Estrutura Linear

Linguagem C Variáveis, Tipos de Dados, Comandos e Estrutura Linear Linguagem C Variáveis, Tipos de Dados, Comandos e Estrutura Linear Prof. Edwar Saliba Júnior Fevereiro de 2011 Unidade 03 Variáveis, Tipos de Dados, Comandos e Estrutura Linear 1 Curiosidade A Pesquisa

Leia mais

Programação de Computadores I. Linguagem C Variáveis, Tipos de Dados, Comandos e Estrutura Linear. Prof. Edwar Saliba Júnior Fevereiro de 2011

Programação de Computadores I. Linguagem C Variáveis, Tipos de Dados, Comandos e Estrutura Linear. Prof. Edwar Saliba Júnior Fevereiro de 2011 Linguagem C Variáveis, Tipos de Dados, Comandos e Estrutura Linear Prof. Edwar Saliba Júnior Fevereiro de 2011 Unidade 03 Variáveis, Tipos de Dados, Comandos e Estrutura Linear 1 Curiosidade A Pesquisa

Leia mais

Princípios de Desenvolvimento de Algoritmos MAC122

Princípios de Desenvolvimento de Algoritmos MAC122 Princípios de Desenvolvimento de Algoritmos MAC122 Prof. Dr. Paulo Miranda IME-USP Aula de Revisão: Variáveis e Atribuições Introdução Memória Principal: Vimos no curso anterior que a CPU usa a memória

Leia mais

Linguagem C Princípios Básicos (parte 1)

Linguagem C Princípios Básicos (parte 1) Linguagem C Princípios Básicos (parte 1) Objetivos O principal objetivo deste artigo é explicar alguns conceitos fundamentais de programação em C. No final será implementado um programa envolvendo todos

Leia mais

Linguagem C Variáveis, Tipos de Dados, Comandos e Estrutura Linear

Linguagem C Variáveis, Tipos de Dados, Comandos e Estrutura Linear Linguagem C Variáveis, Tipos de Dados, Comandos e Estrutura Linear Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro Prof. Edwar Saliba Júnior Janeiro de 2018 Unidade 04 Linguagem

Leia mais

CCO 016 Fundamentos de Programação

CCO 016 Fundamentos de Programação CCO 016 Fundamentos de Programação Prof. Roberto Affonso da Costa Junior Universidade Federal de Itajubá Aula 05 Entrada de dados Leia scanf ou cin Entrada de Dados Entrada de dados compreende a operação

Leia mais

Introdução à Computação (IC) Linguagem C: Comandos de entrada e saída

Introdução à Computação (IC) Linguagem C: Comandos de entrada e saída Introdução à Computação (IC) Linguagem C: Comandos de entrada e saída Prof.ª Dr.ª Symone Gomes Soares Alcalá Universidade Federal de Goiás (UFG) Regional Goiânia (RG) Campus Aparecida de Goiânia (CAP)

Leia mais

Declarações. Tipos de Acesso, Inicialização e Constantes

Declarações. Tipos de Acesso, Inicialização e Constantes Declarações Tipos de Acesso, Inicialização e Constantes Objetivo Continuação... ESPECIFICADOR de TIPO de ACESSO const e volatile Além disso, discutiremos as regras gerais do processo de INICIALIZAÇÃO de

Leia mais

Linguagem de Programação C. Expressões em C

Linguagem de Programação C. Expressões em C Linguagem de Programação C Expressões em C Cristiano Lehrer, M.Sc. Anatomia de um Programa em C /* inclui as funções de entrada e saída */ /* o programa começa aqui */ main() /* início do bloco de instruções

Leia mais

Programação Mestrado Integrado em Engenharia Aeronáutica 1º ano, 1º semestre. T. 03 Tipo de Dados Simples

Programação Mestrado Integrado em Engenharia Aeronáutica 1º ano, 1º semestre. T. 03 Tipo de Dados Simples Programação Mestrado Integrado em Engenharia Aeronáutica 1º ano, 1º semestre T. 03 Tipo de Dados Simples Objectivos: Hierarquia de tipos de dados Tipos de dados simples Tipos de dados compostos Tipos de

Leia mais

Variáveis, Comandos de Atribuição e Comando de Entrada e Saída

Variáveis, Comandos de Atribuição e Comando de Entrada e Saída BCC 201 - Introdução à Programação Variáveis, Comandos de Atribuição e Comando de Entrada e Saída Guillermo Cámara-Chávez UFOP 1/1 Estrutura Básica de um programa C I < d i r e t i v a s do pré p r o c

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Comandos de Entrada e Saída printf() / scanf() / getchar() Gil Eduardo de Andrade Introdução Os comandos de entrada e saída permitem ao programador interagir com o usuário; Os

Leia mais

Programação de Computadores I

Programação de Computadores I Programação de Computadores I Comandos de Entrada e Saída printf() / scanf() / getchar() Gil Eduardo de Andrade Introdução Os comandos de entrada e saída permitem ao programador interagir com o usuário;

Leia mais

4. Estruturas Fundamentais de Programação em C

4. Estruturas Fundamentais de Programação em C 4. Estruturas Fundamentais de Programação em C 4.1. Imprimindo Mensagens e Valores no Monitor de Vídeo A biblioteca de entrada e saída (stdio.h) possui a função printf que imprime mensagens e valores diretamente

Leia mais

Estrutura básica de um programa Instruções do Programa Sintaxe das instruções Diretivas apenas o contexto Variáveis e Constantes Tipos e modificadores

Estrutura básica de um programa Instruções do Programa Sintaxe das instruções Diretivas apenas o contexto Variáveis e Constantes Tipos e modificadores Objetivo: Estruturar uma sequencia de comandos em Linguagem C Estrutura básica de um programa Instruções do Programa Sintaxe das instruções Diretivas apenas o contexto Variáveis e Constantes Tipos e modificadores

Leia mais

Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa

Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C Prof. Ramon Figueiredo Pessoa 1 Variáveis e tipos Variáveis são simplesmente posições de memória que o compilador aloca ao programa Mas quantas posições

Leia mais

Técnicas de Programação em Engenharia Elétrica I - Engenharia de Sistemas Embarcados - Prof. Alessandro Zimmer Introdução à Linguagem C

Técnicas de Programação em Engenharia Elétrica I - Engenharia de Sistemas Embarcados - Prof. Alessandro Zimmer Introdução à Linguagem C Técnicas de Programação em Engenharia Elétrica I - Engenharia de Sistemas Embarcados - Prof. Alessandro Zimmer Introdução à Linguagem C Variáveis Locais - Aquelas declaradas dentro de uma função ou bloco

Leia mais

Comandos de entrada. e saída. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada.

Comandos de entrada. e saída. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. e saída Biblioteca stdio.h Comandos Função scanf() Função gets() Função getchar() Material cedido pelo prof. Daniel Callegari scanf() Rotina de entrada que lê todos os tipos de dados. Protótipo: int scanf(const

Leia mais

Aula 3:Introdução à Linguagem C

Aula 3:Introdução à Linguagem C MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS JOINVILLE DEPARTAMENTO DO DESENVOLVIMENTO DO ENSINO

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Introdução à Programação de Computadores. Aula - Tópico 1

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Introdução à Programação de Computadores. Aula - Tópico 1 Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Introdução à Programação de Computadores Aula - Tópico 1 1 Problema 1 Considere o seguinte problema: Determinar o valor de y = seno(1,5). 2 Definições Para

Leia mais

Capítulo 1: Introdução à Linguagem C. Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática

Capítulo 1: Introdução à Linguagem C. Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Capítulo 1: Introdução à Linguagem C Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Programa Programa é um algoritmo escrito em uma linguagem de programação. No nosso caso, a linguagem C.

Leia mais

ITENS FUNDAMENTAIS Programando em C++

ITENS FUNDAMENTAIS Programando em C++ INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO - CMP 1060 AULA 3 ITENS FUNDAMENTAIS Programando em C++ 1. Constantes São valores que são mantidos fixos pelo compilador. Tipo de Dado Exemplos de Constantes char b \n \0 int 2

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4 Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1 Estruturas Básicas Aula Tópico 4 1 Problema 3 Exibir o maior número inteiro que pode ser representado no computador. 2 Qual o maior número inteiro? Para

Leia mais

Linguagem de Programação C. Fluxo de Saída Padrão. Linguagem de Programação C. printf. Fluxo de Saída Padrão. Algoritmos e Lógica de Programação

Linguagem de Programação C. Fluxo de Saída Padrão. Linguagem de Programação C. printf. Fluxo de Saída Padrão. Algoritmos e Lógica de Programação Algoritmos e Lógica de Programação Linguagem de Programação C Linguagem C Entrada e Saída de dados Reinaldo Gomes reinaldo@cefet-al.br Fluxo de Saída Padrão Saída Formatada: ( ) Tem a função de

Leia mais

Classes o Objetos. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância

Classes o Objetos. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância Classes o Objetos Um recurso comum de cada aplicativo feito até agora é que todas as instruções que realizavam tarefas localizavam-se no método main. Se você tornar parte de uma equipe de desenvolvimento

Leia mais

Aula 5 - Mais C e repetição

Aula 5 - Mais C e repetição Vamos nesta aula mostrar mais detalhes e a forma geral dos comandos C vistos até agora. O comando de atribuição A forma geral do comando de atribuição é: = A expressão

Leia mais

Conhecendo a Linguagem de Programação C

Conhecendo a Linguagem de Programação C Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Conhecendo a Linguagem de Programação C DCA0800 - Algoritmos e Lógica de Programação Heitor Medeiros 1 Como

Leia mais

Estrutura de Dados Conceitos Iniciais

Estrutura de Dados Conceitos Iniciais Engenharia de CONTROLE e AUTOMAÇÃO Estrutura de Dados Conceitos Iniciais Aula 01 DPEE 1038 Estrutura de Dados para Automação Curso de Engenharia de Controle e Automação Universidade Federal de Santa Maria

Leia mais

5 Variáveis e Expressões. Unesp Campus de Guaratinguetá

5 Variáveis e Expressões. Unesp Campus de Guaratinguetá 5 Variáveis e Expressões Unesp Campus de Guaratinguetá Curso de Programação Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro Ministrado por: Prof. André Amarante 4.1.3 - Definição de Variáveis

Leia mais

Lista de Exercícios 1 Variáveis, Entrada e Saída de Dados

Lista de Exercícios 1 Variáveis, Entrada e Saída de Dados Introdução à Ciência da Computação - 113913 Lista de Exercícios 1 Variáveis, e de Dados Observações: As listas de exercícios serão corrigidas por um corretor automático, portanto é necessário que as entradas

Leia mais

6 Alguns conceitos e comandos em programação

6 Alguns conceitos e comandos em programação 6 Alguns conceitos e comandos em programação 6.1 Diretivas Diretivas são instruções que permitem ao programador efetuar algum tipo de modificação à compilação, sendo analisadas e executadas pelo pré-compilador,

Leia mais

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo Programação Básica Estrutura de um algoritmo Código-fonte Como vimos na aula anterior um algoritmo pode ser representado usando um fluxograma Um algoritmo pode também ser representado usando texto Esse

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. Resumo da Linguagem C. Sérgio Carlos Portari Júnior

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. Resumo da Linguagem C. Sérgio Carlos Portari Júnior LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Resumo da Linguagem C Sérgio Carlos Portari Júnior Tipos de dados mais usados em C Inteiro int 2 bytes Real float 4 bytes Caractere char 1 byte String não existe* xxxxxxx Booleano

Leia mais

Introdução a Programação de Jogos

Introdução a Programação de Jogos Introdução a Programação de Jogos Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição

Leia mais

Aula 03: Introdução a C

Aula 03: Introdução a C Aula 03: Introdução a C Introdução a Programação Túlio Toffolo & Puca Huachi http://www.toffolo.com.br BCC201 2019/1 Departamento de Computação UFOP Aula Anterior O que é um computador Organização de um

Leia mais

Introdução a Linguagem C. Prof. Me. Hélio Esperidião

Introdução a Linguagem C. Prof. Me. Hélio Esperidião Introdução a Linguagem C Prof. Me. Hélio Esperidião Características de um programa De forma geral a maioria dos programas são compostos por dados de entrada, processamento e dados de saída. Entrada de

Leia mais

Introdução à Programação C

Introdução à Programação C Introdução à Programação C Fabio Mascarenhas - 2014.2 http://www.dcc.ufrj.br/~fabiom/introc Recapitulando Um programa C é uma sequência de diretivas (#include e #define), declarações de funções auxiliares,

Leia mais

SSC304 Introdução à Programação Para Engenharias. Introdução a Linguagem C. GE4 Bio

SSC304 Introdução à Programação Para Engenharias. Introdução a Linguagem C. GE4 Bio Universidade de São Paulo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Sistemas de Computação Introdução à Para Engenharias Introdução a Linguagem C GE4 Bio GE4Bio Grupo de Estudos

Leia mais

Laboratório de Programação II

Laboratório de Programação II Laboratório de Programação II Aula 02 Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br http://www.diemesleno.com.br Na aula passada vimos... Na aula passada vimos... 01 Introdução à linguagem C;

Leia mais

Computação 2. Aula 7. Profª. Fabiany Ponteiros

Computação 2. Aula 7. Profª. Fabiany Ponteiros Computação 2 Aula 7 Ponteiros Profª. Fabiany fabianyl@utfpr.edu.br O que são Ponteiros? Um ponteiro é uma variável que contém um endereço de memória. Este endereço é normalmente a posição de uma outra

Leia mais

Funções de Entrada e Saída

Funções de Entrada e Saída inicio Escrita no ecrã (Saída de dados) Escrever( introduza o valor do raio ) Raio Leitura do valor do raio S Raio < 0 N O utilizador insere o valor do raio (Entrada de dados do teclado) Escrita no ecrã

Leia mais

EXPRESSÕES ARITMÉTICAS

EXPRESSÕES ARITMÉTICAS Cursos: Análise, Ciência da Computação e Sistemas de Informação Programação I - Prof. Aníbal Notas de aula 3 EXPRESSÕES ARITMÉTICAS Agora, como fazer cálculos matemáticos em nossos métodos. Um primeiro

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I IEC012. Linguagem C - Guia de bolso - Prof. César Melo

Algoritmos e Estruturas de Dados I IEC012. Linguagem C - Guia de bolso - Prof. César Melo Algoritmos e Estruturas de Dados I IEC012 Linguagem C - Guia de bolso - Prof. César Melo Histórico A linguagem C é uma linguagem de programação inventada na década de 1970 por Dennis Ritchie Brian Kennigaham.

Leia mais

Linguagem C. Prof.ª Márcia Jani Cícero

Linguagem C. Prof.ª Márcia Jani Cícero Linguagem C Prof.ª Márcia Jani Cícero A estrutura Básica de um Programa em C Consiste em uma ou várias funções ou programas. main( ) // primeira função a ser executada // inicia a função // termina a função

Leia mais

LINGUAGEM C: ARRAY: VETORES E MATRIZES

LINGUAGEM C: ARRAY: VETORES E MATRIZES LINGUAGEM C: ARRAY: VETORES E MATRIZES Prof. André Backes POR QUE USAR ARRAY? As variáveis declaradas até agora são capazes de armazenar um único valor por vez. Sempre que tentamos armazenar um novo valor

Leia mais

Estrutura de Dados. Ricardo José Cabeça de Souza Parte 2

Estrutura de Dados. Ricardo José Cabeça de Souza   Parte 2 Estrutura de Dados Ricardo José Cabeça de Souza Parte 2 Em C, uma expressão é uma combinação de variáveis, constantes e operadores que pode ser avaliada computacionalmente, resultando em um valor O valor

Leia mais

Anhanguera Educacional S.A. Centro Universitário Ibero-Americano

Anhanguera Educacional S.A. Centro Universitário Ibero-Americano O C++ foi inicialmente desenvolvido por Bjarne Stroustrup durante a década de 1980 com o objetivo de melhorar a linguagem de programação C, mantendo a compatibilidade com esta linguagem. Exemplos de Aplicações

Leia mais

Características fundamentais de codificação de programas

Características fundamentais de codificação de programas Faculdade de Engenharia da Computação Disciplina: Lógica de Programação Características fundamentais de codificação de programas Site : http://www1.univap.br/~wagner/ec.html Prof. Responsáveis Wagner Santos

Leia mais

Programação em C. Variáveis e Expressões. Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação

Programação em C. Variáveis e Expressões. Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Programação em C Variáveis e Expressões DCA0800 Algoritmos e Lógica de Programação Heitor Medeiros Florencio

Leia mais