Um Estudo sobre Não Conformidades em Empresas com seu Sistema de Gestão Integrado Certificado

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Um Estudo sobre Não Conformidades em Empresas com seu Sistema de Gestão Integrado Certificado"

Transcrição

1 1 Um Estudo sobre Não Conformidades em Empresas com seu Sistema de Gestão Integrado Certificado Resumo MARCELO ESTEVAM DA SILVA (UNINOVE) Diante do grande número de empresas que buscam a certificação de seus sistemas de gestão da qualidade, meio ambiente, saúde e segurança ocupacional e a conseqüente transformação da certificação em um commoditie, e não um diferencial, organizações de vanguarda têm buscado sistemas que realmente sejam eficientes, e não só eficazes. O estudo das fragilidades (não conformidades) dos sistemas certificados visa não só a melhoria continua, requisito das 3 normas, como também um maior retorno do investimento nos Sistemas de Gestão certificados. Ao realizar um estudo das não conformidades em 5 empresas com seu sistema de gestão integrado (Qualidade, Meio Ambiente, Saúde/Segurança Ocupacional) certificado, pode-se avaliar se existem pontos em comuns para a melhoria dos novos Sistemas de Gestão Integrados (SGI). Palavras-chaves: Sistema de Gestão Integrado; Não-Conformidades Abstract A Study in Nonconformity Companies with its Integrated Management System Certificate With the large number of companies seeking certification of its quality management systems, environment, occupational health and safety and the consequent transformation of "certification" in a commodity, not a gap, cutting-edge organizations have sought systems that really are efficient, effective and beyond. The study of the weaknesses (nonconformities) of the certified systems related not only to continuous improvement, a requirement of three standards, but also a greater return on investment in management systems certified. In a study of nonconformities in five companies with its integrated management system (Quality, Environment, Health / Occupational Safety) certificate, you can assess whether there are common points for the improvement of the new Integrated Management Systems (IMS). Keywords: Integrated Management Systems, nonconformities.

2 1. Introdução A evolução do contexto industrial atual e aumento da pressão da concorrência levaram as empresas adotarem novos conceitos de gestão. Esta evolução começou com foco no controle, exigências de clientes e melhoria contínua, o que levou às organizações serem mais orientadas para a norma ISO Posteriormente, as empresas sentiram a necessidade de considerar as exigências ambientais para a sociedade civil, que as levaram a focalizar o sistema de gestão ambiental ISO Logo depois, a segurança de pessoas e bens tornou-se uma grande preocupação. Para esta razão OHSAS foi formulada como base para certificação de segurança ocupacional e saúde. O grande problema com estes três sistemas de gestão é que eles foram propostos separadamente e, assim, sua combinação não é uma tarefa trivial. Sistemas de gestão são utilizados, levando-se a separá-los e implementações independentes de cada sistema de apresentam várias deficiências, uma vez que exigem muitas duplicações de tarefas, tais como procedimentos escritos, registros, listas de verificações e outros documentos sugeridos pelas três normas. Assim, a proposta de um Sistema de Gestão Integrada (SGI), incluindo Qualidade (SGQ), Meio Ambiente (SGA) e Saúde / Segurança Ocupacional (SGSSO), têm atraído a atenção de um grande número de acadêmicos e empresários. Segundo Khanna, Laroyia e Sharma (2009) os maiores obstáculos dos SGIs são: a falta de suporte da administração; falta de treinamento; as auditorias; a falta de comunicação; as barreiras culturais e; a inexistência de guias específicos para a implementação do SGI. De acordo com Karapetrovic & Willborn (Apud Bernardo ET al, 2009), um SGI é caracterizado por uma perda completa das identidades únicas dos subsistemas que o compõe, e pode ser definida como um conjunto de processos interligados que compartilham recursos humanos, informações, infra-estrutura e recursos financeiros, a fim de alcançar metas relacionadas à satisfação de uma variedade de partes interessadas. Essas pesquisas estudam a integração dos três sistemas a partir de pontos de vista distintos, incluindo e analise da possibilidade de integração, os benefícios da mesma e possíveis formas e critérios para seu sucesso. Este artigo, que propõe uma análise das principais dificuldades em se manter um Sistema de Gestão Integrado (SGI), está organizado da seguinte forma: Seção 2 apresenta um resumo sobre as normas internacionais. A seção 3 dá uma visão integrada de gestão e finalmente, a Seção 4 detalha a análise das dificuldades e não conformidades obtidas em auditorias internas de SGI em empresas de diferentes segmentos Metodologia de Pesquisa Para a realização da pesquisa, foi utilizado como método de pesquisa científica o estudo de caso múltiplo, partindo-se de uma abordagem qualitativa no que se refere ao mecanismo de generalização do conhecimento, combinado a pesquisa exploratória. A escolha deste método deu-se pelo fato de o estudo de caso ser de natureza empírica que estuda um determinado fenômeno dentro de um contexto real de vida. Tratando-se de uma analise mais aprofundada que permite um amplo e detalhado conhecimento acerca de um problema não suficientemente definido, visando estimular a compreensão, sugerir hipóteses e questões ou desenvolver teorias na etapa de generalização do conhecimento. A pesquisa exploratória foi empregada, em seguida, no estabelecimento das causas das não conformidades identificadas em um ciclo de 3 anos de auditorias internas realizadas em cinco empresas certificadas.

3 2. Um resumo sobre normas internacionais 2.1. Gestão da Qualidade As duas primeiras edições da série de normas ISO 9001, relativa ao sistema de qualidade, foram publicadas em 1987 e revisadas em A revisão mais importante foi feita em 2000 e, a mais recente, em Nessas versões, a norma de qualidade migrou de Garantia para Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ). São considerados oito princípios do sistema de gestão da qualidade: Foco no cliente Liderança Envolvimento das pessoas Abordagem por processos Abordagem sistêmica para Gestão Melhoria contínua, Abordagem fatual para tomada de decisões Relacionamento com fornecedores 3 Figura 1 Ciclo de melhoria contínua segundo a NBR ISO 9001:2008 A Figura 1 (ABNT, 2008), mostra a melhoria contínua do sistema de gestão da qualidade, que é uma abordagem baseada em processo, composto por quatro tipos de processos de gestão ou seja: a responsabilidade da direção, gestão de recursos, realização do produto e análise de medição e melhoria. Na verdade, a fim de maximizar a satisfação dos clientes e eficiência da organização, esse sistema considera as necessidades do cliente como entradas para a realização do produto e suas expectativas como entrada para a gestão. 2.2 Sistema de Gestão Ambiental (padrão ISO 14001) O padrão relativo ao Sistema de Gestão Ambiental (SGA), conhecido como ISO 14001, foi publicado pela primeira vez em 1996 e revisado em Segundo ABNT (2004), Este sistema é utilizado para desenvolver e implementar uma política ambiental e gerir os seus aspectos, fornecendo ferramentas que permitam a organizações para controlar o impacto das suas atividades, processos, produtos e serviços sobre o aspecto do ambiente natural. A Figura 2 mostra os diferentes passos para a melhoria contínua em SGA.

4 4 Melhoria Contínua Análise pela Administração Política Ambiental Planejamento Verificação Implementação e Operação Figura 2 Ciclo de Melhoria contínua segundo a NBR ISO 14001: Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional (padrão OHSAS 18001) O padrão relativo à Série de Avaliação de Saúde e Segurança Ocupacional (Occupational Health and Safety Assessment Series - OHSAS) foi proposta pela primeira vez em 1999 e revisado em 2007, a fim de criar e manter um ambiente de trabalho seguro. De acordo com BSI (2007), Esta norma é aplicável para qualquer organização para estabelecer um Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional (SGSSO), que irá ajudá-lo a minimizar os riscos relativos e seus colaboradores. É importante salientar que esta norma tem uma estrutura semelhante à ISO (ver figura 2). 3. Integração dos Sistemas de Gestão como é possível integrar as três disciplinas Geralmente, quando se fala em Sistemas de Gestão Integrados (SGI), focam-se em Qualidade, Gestão Ambiental e Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional, considerados por Wilkinson e Dale (2002) os elementos do núcleo de um SGI. A própria norma de Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 contempla a possibilidade de integração de sistemas de gestão: esta norma possibilita a uma organização o alinhamento ou a integração de seu sistema de gestão da qualidade com outros requisitos de sistemas de gestão relacionados. A norma refere-se aos Sistemas de Gestão Ambiental, Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional, Gestão Financeira ou de Risco. Mas, o que é um Sistema de Gestão Integrado? Ainda não há um consenso na definição. Pesquisadores recentes, entre eles Badreddine Et Al (2009), Lopez-Fresno (2010), Suttiprasit (2008), Khana et al (2009) e Bernardo (2009), citam fontes consagradas em seus estudos, e seus respectivos modelos de integração de sistemas, como Karapetrovic, Beckmerhagen, Wilkinson & Dale, com o propósito de esclarecer esta questão. Karapetrovic (2008) afirma que interconectando dois sistemas de forma que isso resulte na perda de independência de um ou dos dois, sem que os sistemas individualmente percam suas identidades, significa que esses sistemas estão integrados,. Beckmerhagen (2003) define sistema de gestão integrada como Processo de unificar os Modelos de Referência específicos de cada função em um Modelo de Referência integrado único e mais eficaz. Wilkinson e Dale (2002) esclarecem que colocar sistemas separados em um único manual de políticas e procedimentos não é integrá-los. Continuando, eles afirmam que, Para

5 5 a integração, todas as práticas gerenciais devem colocadas em um único sistema, mas não como componentes separados. Enfim, para a integração, as normas, suas similaridades e diferenças devem ser identificadas, práticas gerenciais devem estar em um só sistema tendo as instruções e manuais dos sistemas individuais completamente fundidos. Vários autores propõem modelos de interação de sistemas de gestão. Os mais importantes estão expostos no Quadro 1, onde são avaliados os benefícios de cada modelo. Quadro 1 - Benefícios associados à implentação de um SGI. Fonte: Martinhão Filho & Souza (2006) 3.1 O Modelo de Karapetrovic Karapetrovic (2003) tratam a integração de sistemas de gestão separadamente da integração de sistemas de auditorias, provavelmente por considerarem as normas de auditoria de sistemas da qualidade e ambiental razoavelmente bem avançadas no que concerne o aspecto integração. Os autores apresentam três estratégias para a implantação de um sistema integrado: Implementar primeiro o SGQ e depois o SGA; Implementar primeiro o SGA e depois o SGQ; Implementar o SGQ e o SGA simultaneamente. A primeira estratégia beneficia aquelas organizações que já possuem seu SGQ implantado. Por exemplo, os procedimentos documentados ambientais podem ser controlados conforme o procedimento de Controle de Documentos, que atendem ao item da ISO As auditorias do SGA podem ser estabelecidas com base nas auditorias internas da qualidade. A segunda estratégia, para Karapetrovic (2008), é prescrita para as organizações que não possuem ainda seus Sistemas de Gestão implantados, mas que estejam sob elevada pressão para um estabelecimento de um SGA. Karapetrovic (2008) advoga a terceira estratégia e apresenta as seguintes vantagens: Estabelecimento de um SGI de desempenho otimizado desde o início; Participação de todas as partes interessadas; Uso reduzido de recursos; Otimização de custos; Flexibilidade para incluir outros sistemas.

6 6 3.2 O Modelo de Wilkinson e Dale Wilkinson e Dale (2002) propõem uma abordagem que considera a integração da documentação por meio do alinhamento das três normas, tendo como pano de fundo a Qualidade Total. A integração dos sistemas ocorrem em quatro fases: A primeira se refere à implantação dos modelos através de todas as funções e atividades da organização; A segunda se refere à combinação dos modelos baseada nas semelhanças estruturais identificadas; A terceira se refere à integração dos modelos principais da organização com modelos extremamente específicos que cobririam totalmente uma determinada parte da organização; A última se refere à criação de um modelo único alinhado com as políticas e objetivos de cada modelo original e apoiando a política organizacional Modelo Beckmerhagen Para Beckmerhagen et al (2003), Integração" é geralmente entendida como uma combinação de partes, inicialmente separadas, em um novo conjunto. Especificamente, a integração dos sistemas de gestão pode ser definido como um processo de agrupar sistemas de gestão de diferentes funções específicas em um único e eficaz sistema de gestão integrado (SGI). O grau de integração irá variar, dependendo das condições existentes, estratégias e as exigências normativas. Três graus de integração de sistemas de gestão podem ser distinguidas: A Harmonização, que contempla a identificação da relação entre os requisitos ou práticas dos diversos modelos bem como a adoção de uma estrutura comum para eles; A Cooperação, que destaca a integração dos elementos principais de acordo com um framework específico; A Fusão, que é determinada pela integração dos elementos específicos, através da formação de uma entidade única com módulos para cada função. Como principais vantagens, Para Beckmerhagen et al (2003) apontam: simplificação das normas e requisitos para o sistema de gestão redução dos custos de auditoria e de registro; abordagem de auditoria única organizações podem escolher quais módulos (por exemplo, qualidade, ambiente, Responsabilidade social segurança) que preferem a implementar; harmonização da documentação do sistema de gestão; alinhamento de objetivos, processos e recursos em diferentes áreas funcionais; redução da burocracia;

7 7 Figura 3 - Modelo PDCA (Plan-do-check-act ) de um SGI, segundo Beckmerhagen (2003) 3.4. Dificuldades na manutenção de um SGI Como ocorre em qualquer outro projeto com implicações de gestão forte, o processo de integração de sistemas é também acompanhada por algumas armadilhas que devem ser levadas em consideração. Segundo Khanna, Laroyia e Sharma (2009) os maiores obstáculos dos SGIs são: a falta de suporte da administração; falta de treinamento; as auditorias; a falta de comunicação; as barreiras culturais e; a inexistência de guias específicos para a implementação do SGI. Para Salomone (2008), as dificuldades encontradas pelas empresas italianas na manutenção de um SGI, são: Risco de não atribuir o nível certo de importância para cada variável: qualidade, meio ambiente, segurança; dificuldades na organização de um SGI; pessoal pode confundir as normas de referencia; integrabilidade insuficiente das normas de referencia e apoio inadequado dos organismos certificadores. Já para Lopez-Fresno (2009), o que atrapalha a integração das empresas espanholas é: incompreensão do que integração significa, portanto, incidindo apenas sobre a integração da documentação e registros; falta de modelo de estratégia e metodologia; falta de compromisso de gestão relevantes, especialmente da alta administração, falta de cultura organizacional adequada; falta de recursos, em quantidade e qualificação (conhecimentos específicos), falta de comunicação; atitude das pessoas, especialmente daqueles que perdem a "propriedade" dos sistemas existentes antes da integração. Enfim, pode-se resumir as principais dificuldades das empresas na manutenção adequada de um SGI: falta de modelos e cultura das pessoas Não Conformidades e Soluções de Problemas Segundo a NBR ISO 9000:2005, uma não conformidade pode ser definida como não atendimento a um requisito. A norma NBR ISO 9001:2008, em seu requisito 8.5.2, diz: A organização deve executar ações corretivas para eliminar as causas de não-conformidades, de forma a evitar sua repetição. A mesma norma, em seu requisito salienta: O responsável pela área a ser auditada deve assegurar que as ações sejam executadas, sem em tempo hábil, para eliminar não-conformidades detectadas e suas causas.

8 8 Porém, como garantir que as ações tomadas realmente eliminem as causas das não conformidades de maneira eficaz? Há várias metodologias de Análise e soluções de problemas. Neste estudo, será utilizado um método definido por Liker (2004), que demonstra a ferramenta utilizada na Toyota Motors Company para resolução de problemas da qualidade. O método baseia-se nos princípios do chamado STP (Sistema Toyota de Produção). Destes princípios, podem-se destacar: Ver por si mesmo para compreender completamente a situação (Gemba). Tomar decisões lentamente por consenso, considerando completamente todas as ações; implementá-las com rapidez. Figura 4 Técnica de Solução de Problemas, segundo Liker (2004) 4. Estudo de caso Foram analisadas cinco empresas de diferentes segmentos. Todas possuem um Sistema de Gestão Integrado (ISO 9001:2008; ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:2007) implementado e certificado por OCS (Organismos Certificadores de Sistemas) acreditados pelo INMETRO. Abaixo, um breve descritivo das empresas. Empresa Segmento Nº Funcionários A Terraplenagem e Construção Civil 320 B Operações Portuárias 60 C Transportes 15 D Manutenção Industrial 185 E Equipamentos Industriais 45 Quadro 2 Quadro resumido das cinco empresas estudadas.

9 9 Requisito do SGI Requisitos NBR ISO 9001:2008 Requisitos NBR ISO 14001:2004 Requisitos OHSAS Introdução 2 Escopo SGI 3 SGI e Requisitos Normativos 4 Requisitos do Sistema de Gestão Integrado Controle de Documentos Controle de Registros Responsabilidade da Direção e Política de Gestão Planejamento Aspectos e Impactos Ambientais Perigos e Riscos de SSO Requisitos Legais e Técnicos Objetivos Metas e Programa 5.2 / 5.3 / e e Responsabilidade e Autoridade e Comunicação e Participação e Consulta Gestão de Recursos Competência, Conscientização e Treinamento Infra-Estrutura e Manutenção Ambiente de Trabalho Realização de Serviço Planejamento da Realização dos Serviços Processos Relacionados a Clientes Projeto e Desenvolvimento Aquisição Fornecimento de Serviço Controle de Dispositivos de Medição e Monitoramento Medição, Análise e Melhoria Satisfação dos Clientes Auditoria Interna Avaliação de Atendimento a Requisitos Legais e Medição e Monitoramento de Processos Medição e Monitoramento de Serviço Controle de Não Conformidades Preparação e Respostas a Emergências Análise de Dados Ações Corretiva, Preventiva e Melhoria Análise Crítica pela Direção Quadro 3 estrutura do SGI das empresas estudadas Todas as cinco empresas apresentam a mesma estrutura do SGI, baseados no modelo de Beckmerhagen et al (2003), conforme definido no Quadro 3. As empresas realizam auditorias internas do SGI anualmente, onde foram registradas Não-Conformidades no seu Sistema de Gestão. A figura 5 mostra a compilação dos dados referentes a auditorias realizadas nos anos de 2008, 2009 e 2010: Figura 5 Número de não-conformidades em auditorias internas nas empresas estudadas

10 10 De acordo com a figura acima, os itens a receberam maior numero de nãoconformidades (equivalentes a 43% de todas as não conformidades), foram: Planejamento Fornecimento de Serviço Planejamento da Realização dos Serviços Preparação e Respostas a Emergências Avaliação de Atendimento a Requisitos Legais A identificação dos problemas relacionados ao funcionamento do SGI foi realizada na auditoria interna, que tem justamente a função de evidenciar essas oportunidades. Para cada problema identificado e priorizado, em função de riscos, custos e benefícios para o negócio, foi estabelecido um plano de ação, com responsáveis e prazos, que não foram relatados aqui, por não ser de relevância para o estudo. Por meio da investigando dos PDC (Pontos de Causa) das diversas não conformidades identificadas, verificamos a situação descrita no quadro 4. Como se pode observar, algumas causas são comuns a todas não conformidades definidas como críticas: Falta de metodologia abrangente sobre Planejamento das atividades Falta de envolvimento das pessoas nos requisitos do SGI Falha na atuação proativa do processo de Recursos Humanos De fato, nas empresas estudadas, a metodologia utilizada para o levantamento dos Aspectos Ambientais, Perigos Ocupacionais ocorrem de maneira separada do planejamento estratégico das empresas e não consegue envolver todas as pessoas que podem causar impactos na qualidade dos serviços e produtos realizados, no meio ambiente e na segurança e saúde das pessoas. As ações propostas a serem implementadas, foram: Melhoria no processo de Recursos Humanos Elaboração de um plano estratégico de RH, envolvendo plano de carreira, treinamentos e desenvolvimento continuado das pessoas, principalmente o pessoal ligado diretamente ao SGI. Este plano deve considerar, também, aspectos comportamentais e motivacionais de todos os funcionários e terceirizados das empresas. Melhoraria no processo de planejamento do SGI elaboração de um método abrangente sobre Planejamento das atividades, a partir da PAIPR (Planilha de aspectos, Impactos, Perigos e Riscos) utilizada nas cinco empresas, deve-se envolver participantes de todos os processos, abordando também temas relacionados à qualidade dos serviços e produtos realizados. As ações propostas foram apresentadas às empresas estudadas e seu detalhamento serão temas de futuros artigos.

11 11 PERCEPÇÃO INICIAL DO PROBLEMA Problemas no Planejamento do Sistema de gestão Integrado, relacionado a avaliações dos aspectos/impactos ambientais; perigos/riscos ocupacionais e requisitos da qualidade do produto/serviço. Falhas relacionadas ao Planejamento da Realização dos Serviços Falhas relacionadas à Preparação e Respostas a Emergências Falhas relacionadas à Avaliação de Atendimento a Requisitos Legais ESCLARECIMENTO DO PROBLEMA Diversas atividades (rotineiras e não rotineiras) não foram contempladas no levantamento de aspectos/impactos ambientais; perigos/riscos ocupacionais e plano de controle da qualidade do serviço prestado. Problemas no Fornecimento de Falhas como não seguimento Produto / Serviço, relacionados de instruções operacionais, a requisitos de qualidade, meio não uso de EPI, coleta seletiva ambiente e saúde/segurança incorreta, ferramentas ocupacional inadequadas, etc. Não disponibilidade de Instruções operacionais nos locais de realização dos produtos / serviços Falha na realização de simulados, ou Plano de Atendimento a Emergência não contempla todas as situações emergenciais possíveis Alguns itens relacionados à legislações ambientais (como o Inventário de resíduos) e de saúde e segurança ocupacional (como análise da potabilidade da água) não estavam sendo atendidos. * PAIPR Planilha de Aspectos, Impactos, Perigos e Riscos LOCALIZAÇÃO DA ÁREA / PONTO DE CAUSA Gestão do Sistema Integrado / Operacional Operacional Operacional Gestão do Sistema Integrado Gestão do Sistema Integrado / Operacional INVESTIGAÇÃO DA CAUSA RAIZ Falha na atualização da PAIPR* / Planos de Controle. Responsável pelo SGI não integrado ao processo de realização do serviço SOLUÇÃO PROPOSTA Atualização da PAIPR / Planos de Controle Maior capacitação técnica do responsável pelo SGI. Integrar o responsável pelo SGI aos processos através de reuniões semanais Falta de metodologia abrangente Propor metodologia abrangente sobre sobre Planejamento das atividades Planejamento das atividades Falta de envolvimento das pessoas nos requisitos do SGI Falha na atuação proativa do processo de Recursos Humanos Falha no treinamento das pessoas envolvidas nas atividades operacionais Falha no levantamento dos treinamentos necessários para pessoas envolvidas nas atividades operacionais Falta de metodologia abrangente Propor metodologia abrangente sobre sobre Planejamento das atividades Planejamento das atividades Falta de envolvimento das pessoas nos requisitos do SGI Falha na atuação proativa do processo de Recursos Humanos Falha na elaboração das instruções operacionais responsável por elaborar instruções operacionais não via necessidade das mesmas Falta de metodologia abrangente Propor metodologia abrangente sobre sobre Planejamento das atividades Planejamento das atividades Falta de envolvimento das pessoas nos requisitos do SGI Falha na atuação proativa do processo de Recursos Humanos Falha na atualização da PAIPR* / Planos de Atendimento a Emergências (PAE) Responsável pelo SGI não integrado ao processo de realização do serviço Atualização da PAIPR / PAE Maior capacitação técnica do responsável pelo SGI. Integrar o responsável pelo SGI aos processos através de reuniões semanais Falta de metodologia abrangente Propor metodologia abrangente sobre sobre Planejamento das atividades Planejamento das atividades Falta de envolvimento das pessoas nos requisitos do SGI Falha na atuação proativa do processo de Recursos Humanos Falha no Levantamento de atendimento a legislação. Responsável pelo SGI não integrado ao processo de realização do serviço Realizar, por empresa especializada, trimestralmente, o levantamento de atendimento a legislação. Maior capacitação técnica do responsável pelo SGI. Integrar o responsável pelo SGI aos processos através de reuniões semanais Falta de metodologia abrangente Propor metodologia abrangente sobre sobre Planejamento das atividades Planejamento das atividades Falta de envolvimento das pessoas nos requisitos do SGI Falha na atuação proativa do processo de Recursos Humanos Elaborar Plano estratégico de Recursos Humanos Elaborar e implementar plano de treinamento Elaborar Plano estratégico de Recursos Humanos Melhorar capacitação do responsável por elaborar instruções operacionais Elaborar Plano estratégico de Recursos Humanos Elaborar Plano estratégico de Recursos Humanos Elaborar Plano estratégico de Recursos Humanos Quadro 4 Investigação das causas e propostas de ações das não conformidades identificadas

12 12 5. Considerações Finais O objetivo deste trabalho foi identificar, a partir de um levantamento da literatura e estudo de caso em cinco empresas certificadas, aspectos importantes e oportunidades de melhorias a serem considerados para a integração de sistemas de gestão. Os resultados obtidos neste estudo elucidaram reflexões importantes para gestores de SGI s que estão em formação e amadurecimento. Ao analisar as não conformidades obtidas em auditorias internas e compará-las com outras empresas de segmentos diferentes, pode-se ter uma visão bem mais abrangente. Geralmente, as não conformidades são abordadas isoladamente, e não dão uma visão geral de como caminha o SGI, não sendo possível identificar as verdadeiras fragilidades e oportunidades de melhorias. Sob o ponto de vista gerencial, o estudo evidenciou que o mapeamento das não conformidades contribui para identificar os aspectos mais frágeis que envolvem os processos que compõem o SGI, principalmente no que diz respeito ao Planejamento. Como continuidade e ampliação desse estudo, sugere-se a proposta de uma metodologia de identificação de riscos, envolvendo aspectos da qualidade, meio ambiente, saúde e segurança ocupacional, de modo a prevenir falhas e melhorar continuamente o SGI e, conseqüentemente, os resultados das empresas. 6. Referências Bibliográficas ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. Rio de Janeiro: ABNT, NBR ISO Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Rio de Janeiro: ABNT, NBR ISO Sistemas de Gestão Ambiental Requisitos. Rio de Janeiro: ABNT, BADREDDINE, A., ROMDHANE T. B., AMOR, N. A A New Process-Based Approach for Implementing an Integrated Management System: Quality, Security, Environment. International MultiConference of Engineers and Computer Scientists IMECS, Vol II, March 18-20, Hong Kong, 2009 BECKMERHAGEN, I.; BERG, H.; KARAPETROVIC, S. & WILLBORN, W. Integration of management systems: focus on safety in the nuclear industry. International Journal of Quality and Reliability Management.Vol.20, n.2, p , BERNARDO, M. et al. How integrated are environmental, quality and other standardized management systems? An empirical study. Journal of Cleaner Production, p , BSI - BRITISH STANDARDS INSTITUTION. OHSAS Occupational Health and Safety Management Systems Requirements: OHSAS Project Group British Standards Institution, FRESNER, J., ENGELHARDT, G., Experiences with integrated management systems for two small companies in Austria, Journal of Cleaner Production, V12, N6, pp , GUERRA, M. A. ; MITIDIERI Filho, C. V. Sistema de Gestão Integrada (SGI) em construtoras de edifícios Como planejar e implantar um SGI. São Paulo, Editora Pini, JØRGENSEN, TH., Towards more sustainable management systems: Through lide cycle managment and integration, Journal of cleaner production, N16, pp , KARAPETROVIC, S., Integrative augmentation of standardized systems, 12th ICIT Conference, Taiwan, 2008.

13 13 Strategies for the integration of management systems and Standards. The TQM Magazine, Vol. 14, n.1, p.61-67, Musings on integrated management systems, Measuring Business Excellence, Vol. 7 No. 1, pp. 4-13, 2003 KARAPETROVIC, S. & WILLBORN, W. Integration of quality and environmental management systems. The TQM Magazine. Vol. 10, n.3, p , Integrated audit of management systems, International Journal of Quality & Reliability Management, Vol. 15 No. 7, pp , KARAPETROVIC, S., CASADESU S, M. and HERAS, J., Dynamics and Integration of Standardised Management Systems: An Empirical Study, Documenta Universitaria, Girona, KHANNA, H.; LAROYIA, S. C.; SHARMA, D. D. A Survey on Indian Experience on Integrated Management Standards (IMS). International Journal for Quality Research, v. 3, n. 3, LABODOVA, A. Implementing integrated management systems using a risk analysis based approach, Journal of Cleaner Production, V12, N6, pp , LIKER, J. The Toyota Way. McGraw-Hill, New York, LOPEZ-FRESNO, P., Implementation of an integrated management system in an airline: a case study. The TQM Journal Vol. 22 No. 6, pp , MARTINHÃO FILHO, O. ; SOUZA, L. G. M.. Restrições técnicas associadas a um sistema integrado de gestão: estudo de caso em uma empresa. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2006, Fortaleza. Anais do XXVI ENEGEP, OAKLAND, J.S. Gerenciamento da Qualidade Total. Nobel, SP PURI, SC., Integrating environmental quality with ISO 9000 and TQM, Portland, OR: Productivity Press, RIBEIRO NETO, J. B. M. ; TAVARES, J. C. ; HOFFMANN, S. C. Sistemas de gestão integrados: qualidade, meio ambiente, responsabilidade social e segurança e saúde no trabalho. São Paulo. Editora Senac ROCHA, M., SEARCY, C. and KARAPETROVIC, S., Integrating sustainable development into existing management systems, Total Quality Management, Vol. 18 Nos 1/2, pp , SALOMONE, R., Integrated management systems: experiences in Italian organizations, Journal of Cleaner Production, Vol. 16 No. 16, pp , SUTTIPRASIT, P., Innovative integrated management system (IIMS) for sustainable food industry, paper presented at the 12th International Conference on ISO and TQM (ICIT), National Chin-Yi University of Technology, Taiwan, 2008 WILKINSON G., DALE B. G., System integration: the views and activities of certification bodies, The TQM Magazine, V10, N4, PP , An examination of the ISO 9001:2000 standard and its influence on the integration of management systems, Production Planning and Control, V13, N3, pp , ZUTSHI, A., SOHAL, A. S. Integrated management system: The experiences of three Australian organisations. Journal of Manufacturing Technology Management. Vol. 16 No. 2, pp , 2005.

APLICAÇÃO DE MÉTODO DE ANÁLISE DE SOLUÇÕES DE PROBLEMAS EM EMPRESAS COM SEU SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO CERTIFICADO

APLICAÇÃO DE MÉTODO DE ANÁLISE DE SOLUÇÕES DE PROBLEMAS EM EMPRESAS COM SEU SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO CERTIFICADO APLICAÇÃO DE MÉTODO DE ANÁLISE DE SOLUÇÕES DE PROBLEMAS EM EMPRESAS COM SEU SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO CERTIFICADO Marcelo Estevam da Silva (UNINOVE) marcelo@qualitasolucoes.com.br Felipe Araujo Calarge

Leia mais

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho (ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001) Prof. Livre Docente Otávio J. Oliveira UNESP CONTEXTUALIZAÇÃO - Diluição

Leia mais

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001.

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL ASPECTOS GERAIS Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. Histórico: Normas e Gestão SSO BS 8800 Instituto Britânico

Leia mais

Módulo 2. Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios.

Módulo 2. Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios. Módulo 2 Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios. História das normas de sistemas de gestão de saúde e segurança

Leia mais

C A T Á L O G O D E T R E I N A M E N T O S

C A T Á L O G O D E T R E I N A M E N T O S C A T Á L O G O D E T R E I N A M E N T O S 200 D I F E R E N C I A D O S Sistema de Gestão Unificado - Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Ocupacional.. Baseado no padrão C&Z4003 que reúne os

Leia mais

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL 1 MODELOS DE GESTÃO MODELO Busca representar a realidade GESTÃO ACT CHECK PLAN DO PDCA 2 MODELOS DE GESTÃO

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

Mapeamento entre os requisitos da ISO 9001:2008 e da ISO FDIS 9001:2015 Guia de Mapeamento

Mapeamento entre os requisitos da ISO 9001:2008 e da ISO FDIS 9001:2015 Guia de Mapeamento ISO Revisions New and Revised Mapeamento entre os requisitos da ISO 9001:2008 e da ISO FDIS 9001:2015 Guia de Mapeamento Introdução Este documento faz uma comparação entre a ISO 9001:2008 e o ISO 9001:2015

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA ISO 14.001:2004 O que é ISO? A ISO - International Organization for Standardization é uma organização sediada em Genebra, na Suíça. Foi fundada em 1946; A sigla ISO foi

Leia mais

2º Simpósio Internacional de Confiabilidade e Gestão de Segurança Operacional. 09 a 11 de novembro de 2010

2º Simpósio Internacional de Confiabilidade e Gestão de Segurança Operacional. 09 a 11 de novembro de 2010 2º Simpósio Internacional de Confiabilidade e Gestão de 17 a 19 de novembro de 2009 Segurança Operacional 09 a 11 de novembro de 2010 Norma NBR de Diretrizes para a Integração do SGSO com outros Sistemas

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO UMA FERRAMENTA NA BUSCA PELA EXCELÊNCIA NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS.

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO UMA FERRAMENTA NA BUSCA PELA EXCELÊNCIA NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS. XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO UMA FERRAMENTA NA BUSCA PELA EXCELÊNCIA NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS. Nair Leonarda de Souza (FANESE) nairsouza@fanese.edu.br

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina VI-057 - IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO SGI (MEIO AMBIENTE E SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO)

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Direitos Reservados Monteiro Associados

APRESENTAÇÃO. Direitos Reservados Monteiro Associados APRESENTAÇÃO PROPÓSITO Fazer a DIFERENÇA no DESENVOLVIMENTO saudável e sustentável das PESSOAS e das ORGANIZAÇÕES. VISÃO VISÃO DA EMPRESA TERMOS NOTÓRIO RECONHECIMENTO DA NOSSA COMPETÊNCIA NA GESTÃO DAS

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO NAS ORGANIZAÇÕES: UMA ESTRUTURA CONCEITUAL A PARTIR DA REVISÃO DE LITERATURA

INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO NAS ORGANIZAÇÕES: UMA ESTRUTURA CONCEITUAL A PARTIR DA REVISÃO DE LITERATURA XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO PARTE I INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO Módulo 01: Generalidades (10 horas). o Sistema de Gestão: o que é e quais os benefícios? o Qualidade o Ambiental o Saúde e Segurança no Trabalho o Sistema

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando?

ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando? ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando? A publicação prevista para Novembro de 2015 tem como propósito refletir as mudanças no ambiente em que a norma é usada e garantir que a mesma mantenha-se adequada

Leia mais

Proposta de Indicadores para Sistemas de Gestão de Saúde e Segurança do Trabalho em Conformidade ao Sistema de Gestão da Qualidade

Proposta de Indicadores para Sistemas de Gestão de Saúde e Segurança do Trabalho em Conformidade ao Sistema de Gestão da Qualidade Proposta de Indicadores para Sistemas de Gestão de Saúde e Segurança do Trabalho em Conformidade ao Sistema de Gestão da Qualidade Neilson Carlos do Nascimento Mendes (Faculdade Metropolitana) neilsonmendes@bol.com.br

Leia mais

Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional (OHSAS 18001:2007)

Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional (OHSAS 18001:2007) Gestão e otimização da produção Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional () Marco Antonio Dantas de Souza MSc. Engenharia de Produção Engenheiro de Segurança do Trabalho Introdução Fonte: Ministério da

Leia mais

CEO da DQS do Brasil e América do Sul, na DQS há 17 anos. Auditora Líder de Sistema de Gestão da Qualidade Auditora Líder de Gestão de Riscos

CEO da DQS do Brasil e América do Sul, na DQS há 17 anos. Auditora Líder de Sistema de Gestão da Qualidade Auditora Líder de Gestão de Riscos Seu sucesso é Nosso objetivo! DQS do Brasil Ltda. Sistemas Integrados de Gestão CIESP - Diadema. Dezée Mineiro CEO da DQS do Brasil e América do Sul, na DQS há 17 anos Auditora Líder de Sistema de Gestão

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004 Sistemas de Gestão O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 Material especialmente preparado para os Associados ao QSP. QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 Prof. Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim INTRODUÇÃO A norma ISO 14001 faz parte de um conjunto mais amplo de normas intitulado ISO série 14000. Este grupo

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 9001:2008 ERRATA 1 Publicada em 11.09.2009 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ERRATA 1 Esta Errata 1 da ABNT NBR ISO 9001:2008 foi elaborada no Comitê Brasileiro da

Leia mais

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 REVISTA TELECOMUNICAÇÕES, VOL. 15, Nº01, JUNHO DE 2013 1 Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 Valdeci Otacilio dos Santos

Leia mais

CÓPIA CONTROLADA USO EXCLUSIVO PARA TREINAMENTO INTERNO DO LIM56

CÓPIA CONTROLADA USO EXCLUSIVO PARA TREINAMENTO INTERNO DO LIM56 NORMA ABNT BRASILEIRA NBR ISO 9001 Segunda edição 28.11.2008 Válida a partir de 28.12.2008 Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos Quality management systems - Requirements CÓPIA CONTROLADA USO EXCLUSIVO

Leia mais

livros indicados e / ou recomendados

livros indicados e / ou recomendados Material complementar. Não substitui os livros indicados e / ou recomendados Prof. Jorge Luiz - 203 Pág. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE - SGQ Sistema de Gestão da Qualidade SGQ é a estrutura a ser criada

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

Unidade IV PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade IV PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade IV PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha As normas podem ser separadas em dois grandes grupos Normas de produtos ou serviços; Normas de sistemas de gestão. Estas definem os processos administrativos

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE BASEADA NA NORMA NBR ISO 9001:2000 EM EMPRESAS SITUADAS EM PÓLOS OFFSHORE.

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE BASEADA NA NORMA NBR ISO 9001:2000 EM EMPRESAS SITUADAS EM PÓLOS OFFSHORE. GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE BASEADA NA NORMA NBR ISO 9001:2000 EM EMPRESAS SITUADAS EM PÓLOS OFFSHORE. Ivan Santos de Lima Engenheiro Naval pela Universidade Federal do Rio

Leia mais

Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta do Departamento de Engenharia Civil, UFPE, Engenheira Civil, Mestre

Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta do Departamento de Engenharia Civil, UFPE, Engenheira Civil, Mestre VI-093 SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA NAS ÁREAS DE MEIO AMBIENTE, QUALIDADE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL UMA ABORDAGEM PRÁTICA NA INDÚSTRIA PETROFLEX-CABO/PE Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta

Leia mais

Etapas Necessárias para Implantação de um Sistema de Gestão Integrado

Etapas Necessárias para Implantação de um Sistema de Gestão Integrado Etapas Necessárias para Implantação de um Sistema de Gestão Integrado Jonathan Lucas Schwambach Fernandes (FAHOR) jf000554@fahor.com.br Fernando Busanello (FAHOR) fb000982@fahor.com.br Magnus Luis Beilke

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE

SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE ELABORADO APROVADO FOLHA: 1/24 NOME Vivan Gonçalves Coordenador do SESMT Teresinha de Lara Coordenador do SGI DATA: 02/01/2007 VERSÃO: 01 ÍNDICE 1. Objetivo 4 1.1. Escopo do SGSSO TELEDATA 5 2. Referências

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

OHSAS-18001:2007 Tradução livre

OHSAS-18001:2007 Tradução livre SISTEMAS DE GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL - REQUISITOS (OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY MANAGEMENT SYSTEMS - REQUIREMENTS) OHSAS 18001:2007 Diretrizes para o uso desta tradução Este documento

Leia mais

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão A ISO 9001 em sua nova versão está quase pronta Histórico ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA As normas da série ISO 9000 foram emitidas pela primeira vez no

Leia mais

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO 1.1 POLíTICA AMBIENTAL 1.1 - Política Ambiental - Como está estabelecida e documentada a política e os objetivos e metas ambientais dentro da organização? - A política é apropriada à natureza e impactos

Leia mais

21º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

21º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental VI-18 CETREL: UMA EMPRESA CERTIFICADA PELO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO: QUALIDADE (ISO 92); MEIO AMBIENTE (ISO 141) E SEGURANÇA/SAÚDE OCUPACIONAL (OHSAS 181) Francisco Alves Pereira Filho (1) Engenheiro

Leia mais

Módulo 2. Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios

Módulo 2. Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios Módulo 2 Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios Norma NBR ISO 9001:2008 - Índice 0 - Introdução 1 - Escopo 2 - Referência Normativa 3 -

Leia mais

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Anexo A (informativo) Correspondência entre, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Tabela A.1 - Correspondência entre, ISO 14001:1996 e ISO 9001:1994 Seção Seção ISO 14001:1996 Seção ISO 9001:1994

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO INTEGRADOS: ANÁLISE EM UMA EMPRESA-

SISTEMAS DE GESTÃO INTEGRADOS: ANÁLISE EM UMA EMPRESA- SISTEMAS DE GESTÃO INTEGRADOS: ANÁLISE EM UMA EMPRESA- CONSTRUTORA OLIVEIRA, Luciana Alves (1) ; BORGES, Carlos Alberto M (2).; MELHADO, Silvio Burrattino (3) (1) M.Sc., Doutoranda da Escola Politécnica

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO NO SETOR DE OPERAÇÃO DE UMA USINA HIDRELÉTRICA DO OESTE DE SANTA CATARINA

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO NO SETOR DE OPERAÇÃO DE UMA USINA HIDRELÉTRICA DO OESTE DE SANTA CATARINA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO NO SETOR DE OPERAÇÃO DE UMA USINA HIDRELÉTRICA DO OESTE DE SANTA CATARINA Mara lucia Grando (UCEFF) maralucia35@gmail.com Mario Cesar Knabben Junior (UCEFF) mariockj.go@gmail.com

Leia mais

Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE

Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE 1 Agradecimentos e reflexões iniciais 2 Normas e Sistema de Gestão Integrado 3 Modelo de Excelência na Gestão 4 Interfaces

Leia mais

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005):

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005): Surgimento da ISO 9000 Com o final do conflito, em 1946 representantes de 25 países reuniram-se em Londres e decidiram criar uma nova organização internacional, com o objetivo de "facilitar a coordenação

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Segurança da Informação Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Histórico O BSi (British Standard Institute) criou a norma BS 7799,

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação?

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação? O que é a norma ISO? Em linhas gerais, a norma ISO é o conjunto de cinco normas internacionais que traz para a empresa orientação no desenvolvimento e implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina

ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina AVALIAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO ISO 14001: ESTUDO DE CASO NO SETOR

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO Qual o significado de ISO? ISO International Organization for Standardization, é uma organização não governamental com sede em Genebra, na Suíça, que foi criada em 1946

Leia mais

Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec

Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec KEYASSOCIADOS 1 PROGRAMAÇÃO Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec Apresentação Institucional KEYASSOCIADOS Sr. Francisco R. Ramires Gerente Comercial - KEY Apresentação NBR

Leia mais

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação.

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação. Curso Formação Efetiva de Analístas de Processos Curso Gerenciamento da Qualidade Curso Como implantar um sistema de Gestão de Qualidade ISO 9001 Formação Profissional em Auditoria de Qualidade 24 horas

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA Páginas: 1 de 13 APROVAÇÃO Este Manual de Gestão está aprovado e representa o Sistema de Gestão Integrada implementado na FOX Comércio de Aparas Ltda. Ricardo Militelli Diretor FOX Páginas: 2 de 13 1.

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

ISO 9001 2008 FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT. Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade.

ISO 9001 2008 FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT. Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade. FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade. ISO 9001 2008 Carolina Rothe Luiz Gustavo W. Krumenauer Paulo Emílio Paulo Saldanha Relação das principais normas da Série

Leia mais

A NOVA VERSÃO DA OHSAS 18001 : 2007 - Transparências. Bem-vindos. à palestra A nova Norma BS OHSAS 18001 : 2007. 1 de 42

A NOVA VERSÃO DA OHSAS 18001 : 2007 - Transparências. Bem-vindos. à palestra A nova Norma BS OHSAS 18001 : 2007. 1 de 42 Bem-vindos à palestra A nova Norma BS OHSAS 18001 : 2007 Rogério Campos Meira 1 de 42 1. Introdução aos Sistemas de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional 2 de 42 Página 1 de 21 Abordagem sistêmica da

Leia mais

Lista de Verificação / Checklist

Lista de Verificação / Checklist Lista de Verificação / Checklist Avaliação NC / PC / C Departamentos Padrões de Referência /// Referências do MQ //// Referências Subjetivas A B C D E Cláusula Padrão Conforme/ Não C. 4 Sistema de Gestão

Leia mais

ISO/IEC 20000:2005. Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006

ISO/IEC 20000:2005. Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006 ISO/IEC 20000:2005 Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006 André Jacobucci andre.jacobucci@ilumna.com +55 11 5087 8829 www.ilumna.com Objetivos desta Apresentação

Leia mais

Normas ISO 14000. Jonas Lucio Maia

Normas ISO 14000. Jonas Lucio Maia Jonas Lucio Maia Agenda Origem das normas Normas ISO 14000 Similaridades GQ e GA Benefícios Críticas Bibliografia Origens das normas Quatro origens relacionadas: Padrões do Business Council for Sustainable

Leia mais

Prof. Adilson Spim Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 1

Prof. Adilson Spim Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 1 Certificação NBR Requisitos A partir da versão 1994, a série ISO 9000 passou a ser conhecida como família ISO 9000 ; leva em conta duas situações, a contratual e não contratual; Para a situação não contratual

Leia mais

A REESTRUTURAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO CDTN

A REESTRUTURAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO CDTN A REESTRUTURAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO CDTN Rosane Rodrigues Fraga 1, Antonio Mario P. Azevedo 2, Maria Judith A. Haucz 3 e Cezar A. Oliveira 4 Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear

Leia mais

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Revisões ISO ISO Revisions Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Processos vs procedimentos: o que isto significa? O conceito da gestão de processo

Leia mais

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título)

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS em 08/01/2015 Verificado por Neidiane Silva em 09/01/2015 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em 12/01/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

Julho/2014 a Março/2015. Catálogo de Treinamentos. Treinamentos BSI. Transformando nossa experiência em seu conhecimento.

Julho/2014 a Março/2015. Catálogo de Treinamentos. Treinamentos BSI. Transformando nossa experiência em seu conhecimento. Julho/2014 a Março/2015 Catálogo de Treinamentos. Treinamentos BSI. Transformando nossa experiência em seu conhecimento. Conteúdo. Por que realizar nossos treinamentos? 4 Nossa abordagem 4 Nossos instrutores

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

APLICABILIDADE DA ESPECIFICAÇÃO PAS 99:2006 COMO MODELO INTEGRADO DE GESTÃO - UM ESTUDO DE CASO

APLICABILIDADE DA ESPECIFICAÇÃO PAS 99:2006 COMO MODELO INTEGRADO DE GESTÃO - UM ESTUDO DE CASO ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& APLICABILIDADE DA ESPECIFICAÇÃO PAS 99:2006 COMO

Leia mais

TRANSIÇÃO DAS CERTIFICAÇÕES DOS SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE E SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL, PARA AS VERSÕES 2015 DAS NORMAS.

TRANSIÇÃO DAS CERTIFICAÇÕES DOS SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE E SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL, PARA AS VERSÕES 2015 DAS NORMAS. TRANSIÇÃO DAS CERTIFICAÇÕES DOS SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE E SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL, PARA AS VERSÕES 2015 DAS NORMAS. As novas versões das normas ABNT NBR ISO 9001 e ABNT NBR ISO 14001 foram

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO. Requisitos e Diretrizes para a Integração de Sistemas de Gestão PAS 99:2012

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO. Requisitos e Diretrizes para a Integração de Sistemas de Gestão PAS 99:2012 Risk Tecnologia Coleção Risk Tecnologia SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO Requisitos e Diretrizes para a Integração de Sistemas de Gestão PAS 99:2012 Aplicável às Atuais e Futuras Normas ISO 9001, ISO 14001,

Leia mais

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Latest update New and revised ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Introdução A ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, a primeira norma ambiental internacional do mundo tem ajudado milhares de

Leia mais

SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES. Material Complementar de Estudos

SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES. Material Complementar de Estudos SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES Material Complementar de Estudos O que é a Organização ISO A ISO - Internacional Organization for Stardardization - é maior organização para Desenvolvimento e publicação

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE PROCESSOS MÓDULO 7. TIPOS DE CERTIFICAÇÃO continuação

NORMALIZAÇÃO DE PROCESSOS MÓDULO 7. TIPOS DE CERTIFICAÇÃO continuação NORMALIZAÇÃO DE PROCESSOS MÓDULO 7 TIPOS DE CERTIFICAÇÃO continuação Índice 1. Tipos de certificação - continuação...3 1.1. Sistema da Segurança e Saúde Ocupacional (OHSAS 18001)... 3 1.2. Segurança da

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 ZOOTECNIA/UFG DISCIPLINA DE GPA Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Introdução EVOLUÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL Passou por três grandes etapas: 1ª. Os problemas ambientais são localizados

Leia mais

As vantagens da implantação de uma gestão integrada de sistemas

As vantagens da implantação de uma gestão integrada de sistemas As vantagens da implantação de uma gestão integrada de sistemas Eduardo Calixto (UFF) eduardo.calixto@ibest.com.br Osvaldo Quelhas (UFRGS) quelhas@latec.uff.br Resumo Esse trabalho é um resumo da dissertação

Leia mais

Gerenciamento de Riscos

Gerenciamento de Riscos Gerenciamento de Riscos Introdução Crescimento industrial das últimas décadas Industrias maiores e mais complexas Acidentes industriais Investir na prevenção Histórico Engenharia de Confiabilidade - Análise

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680 Rio

Leia mais

Gestão da Segurança e Saúde no. Angela Weber Righi

Gestão da Segurança e Saúde no. Angela Weber Righi Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho Angela Weber Righi LEGISLAÇÃO BRASILEIRA PARA SST Legislação brasileira para SST Consolidação das leis do trabalho (CLT) editada em 01/05/1943 Título II das normas

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Sistema de Gestão do AR 2012 - ABIQUIM Responsible Care Management

Leia mais

Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil

Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil 9000 8000 8690 7000 6000 5000 4000 3000 4709 3948 2000 1000 29 4 0 Indústria Comércio e Serviços Agropecuária Código Nace Inválido TOTAL Fonte: Comitê

Leia mais

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014 Prefácio Introdução 0.1 Generalidades 0.2 As normas ISO para gestão da qualidade 0.3 Abordagem de processo 0.4 Ciclo PDCA 0.5 Pensamento baseado em risco Estrutura da ISO DIS 9001/2015 0.6 Compatibilidade

Leia mais

Motivação para o emprego do Ecodesign: : um estudo de caso na indústria automotiva

Motivação para o emprego do Ecodesign: : um estudo de caso na indústria automotiva Engenharia de Produção Motivação para o emprego do Ecodesign: : um estudo de caso na indústria automotiva Miriam Borchardt Leonel Augusto C. Poltosi Miguel A. Sellitto Giancarlo M. Pereira Introdução Ecodesign:

Leia mais

MODELOS DE MELHORES GOVERNANÇA DE T.I. PRÁTICAS DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MODELOS DE MELHORES GOVERNANÇA DE T.I. PRÁTICAS DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MODELOS DE MELHORES PRÁTICAS DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MELHORES PRÁTICAS PARA T.I. MODELO DE MELHORES PRÁTICAS COBIT Control Objectives for Information

Leia mais

NOSSA HISTÓRIA. Desde 1988, ano de fundação da Qualtec, desenvolvemos as melhores soluções para nossos clientes.

NOSSA HISTÓRIA. Desde 1988, ano de fundação da Qualtec, desenvolvemos as melhores soluções para nossos clientes. NOSSA HISTÓRIA Desde 1988, ano de fundação da Qualtec, desenvolvemos as melhores soluções para nossos clientes. Estamos preparados para atuar no desenvolvimento, implementação, aprimoramento, treinamento

Leia mais

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL MARÇO, 2015 ÍNDICE OBJETIVO 3 ESCOPO 3 DEFINIÇÕES Risco Inerente 4 DEFINIÇÕES Risco Operacional 4 DEFINIÇÕES Evento de Risco Operacional 4 FUNÇÕES E RESPONSABILIDADES

Leia mais

Gerenciamento de Riscos em Segurança da informação. cynaracarvalho@yahoo.com.br

Gerenciamento de Riscos em Segurança da informação. cynaracarvalho@yahoo.com.br $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR± $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV6RFLDLVH$SOLFDGDVGH3HWUROLQD± )$&$3( &XUVRGH&LrQFLDVGD&RPSXWDomR Gerenciamento de Riscos em Segurança da informação cynaracarvalho@yahoo.com.br

Leia mais

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio?

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? A Tecnologia da Informação vem evoluindo constantemente, e as empresas seja qual for seu porte estão cada

Leia mais

Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens

Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens Academia de Tecnologia da IBM White paper de liderança de pensamento Novembro de 2010 Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens 2 Proteção da nuvem: do desenvolvimento da estratégia

Leia mais