Apresentação do relatório de pesquisa DIEST/IPEA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apresentação do relatório de pesquisa DIEST/IPEA"

Transcrição

1 Apresentação do relatório de pesquisa DIEST/IPEA

2 Participação social e diálogo com a sociedade têm sido temas de interesse central na agenda de estudos da DIEST/IPEA, em parceria com a Secretaria Geral da Presidência da República. Série Conselhos nacionais perfil, atuação e visão dos conselheiros integra essa agenda de pesquisa.

3 Traçar o perfil socioeconômico e participativo dos membros dos conselhos nacionais de políticas públicas; Analisar como avaliam sua própria atuação e função de representação; Investigar como avaliam a estrutura organizacional e o trabalho do conselho; Investigar como percebem a influência do conselho sobre outras instâncias políticas e esferas da sociedade.

4 Critério de Seleção dos Conselhos e comissões: - centralidade na área de política ao qual estão vinculados; - presença de sociedade civil na composição; - criação por ato normativo de abrangência ampla. Aplicação do questionário em reuniões presenciais e via e- mail em 21 conselhos nacionais e 3 comissões (com características similares aos conselhos). Conselhos vistos como espaço de diálogo entre Estado e Sociedade Civil organizada.

5 Com representação de pescadores, agricultores, empresários, armadores, pesquisadores e órgãos governamentais. CONAPE: 54 membros: 27 de órgãos da administração federal e 27 de entidades da sociedade civil organizada. Data e local de aplicação dos questionários: 18 e 19 de maio de 2011 em Brasília DF. Responderam ao questionário 35 dos 54 integrantes do Conselho, entre titulares e suplentes.

6 Objetivos: Propor a formulação de políticas públicas, Promover a articulação e o debate nos diferentes níveis de governo com a sociedade civil organizada, Para o desenvolvimento e o fomento das atividades da aquicultura e da pesca no território nacional.

7 Perfil socioeconômico - Sexo: 83% do sexo masculino e 17% do sexo feminino; - Raça/cor: 60% dos representantes se declaram de cor branca, 23% parda, 6% amarela e 11% preta; - Faixa etária: a maior parte dos representantes possui entre 41 e 60 anos (57%). Dos demais, 20% possuem mais de 60 anos; 17%, entre 31 e 40 anos e 6% não responderam;

8 - Religião: 43% não responderam; 34% católica, 6% evangélica, 6% não tem, 5% espírita; 3% ateu; 3% outras; - Escolaridade: 6% ensino fundamental e 14% ensino médio; 28% superior completo e 46% possuem algum tipo de especialização ou pós-graduação. - Renda média familiar mensal: 4% possuem renda entre e reais, e 23% entre e reais. 17% dos conselheiros declararam ter renda mensal maior que 8 mil e menor que 12 mil reais e 26% declaram a renda acima de reais.

9

10 Perfil participativo - Tempo no Conselho: 20% menos de 1 ano e 48% entre 1 e 3 anos, de 4 a 6 anos, 17% de 7 a 10 anos. - Participação em outros conselhos: 40% nunca participaram de nenhum outro conselho, 2 já participaram e 31% participam de outro conselho. Dos 60% que participam ou já participaram de outros conselhos: QUADRO 04 - Atuação em conselhos fora do CONAPE TIPO DE CONSELHO Quantidade Apenas nacional 4 Apenas estadual 6 Apenas municipal 4 Nacional e estadual 2 Nacional e municipal 2 Estadual e municipal 1 TOTAL 19

11 Forma de escolha dos conselheiros no interior das entidades 54% 23% 23% 11% Forma de escolha das entidades 6% 4 17% 17% Número de conselheiros por setor 46% 23% 23% 6% Diversidade de setores 4 26% 26% 3% 14% Número total de conselheiros 20% 57% 14% 14% 3% 0% 20% 40% 60% 80% 100% 120% 140% Muito Satisfatória Satisfatória Pouco Satisfatória Insatisfatória Não sabe Não Respondeu

12 Interesses prioritários: os interesses do meu setor (28%) da minha instituição (26%), interesses de toda a coletividade (23%) 23% não responderam à questão. Frequência de contato com a base de apoio: A maioria diz manter contato com sua base de apoio com frequência (50%) ou sempre (45%). Principais formas de contato com a base de apoio: Percebe-se que as formas de contato mais frequentes são as reuniões presenciais (18), trocas de (16), telefonema (14) e conversas pessoais (13).

13 Muito satisfatória Satisfatória Pouco satisfatória Insatisfatória Não sabe Não respondeu Meios de Comunicação e Divulgação 54% 37% 3% 6% Comissões temáticas 26% 31% 11% 17% 6% Plenárias 17% 60% 14% Secretaria executiva 14% 60% 14% 11% 3% Presidência 11% 60% 11% 11% 3%

14 Muito Significativa Significativa Pouco Significativa Não Tem Influência Não Sabe Não Respondeu Opinião Pública 6% 20% 4 6% 11% Iniciativas do Setor privado 37% 40% 6% Iniciativas da sociedade civil 14% 34% 34% 6% 3% Políticas públicas de outros ministérios 17% 51% 14% Políticas públicas do Ministerio/Secretaria correlatos 51% 2 3% Agenda do Congresso 3% 14% 43% 14% 14% 11%

15 Pauta e subsídios para discussão disponibilizados com pouca antecedência Pouco tempo de discussão nas reuniões Reuniões muito esparsas Baixa prioridade política por parte do Ministério da Pesca e Aquicultura O mandato de conselheiro não é remunerado pelo governo Limitação de passagens e diárias para comparecimento de conselheiros Questões políticas alheias à agenda do conselho Outras Divergências nas opiniões de dos conselheiros Carência de estrutura Excesso de burocracia Excesso de reuniões 2

16 Pontos fortes do CONAPE Nº de respostas Articulação e mobilização entre atores 8 Capacidade/conhecimento especialização temática formação e atuação dos conselheiros 7 Representatividade e diversidade/pluralidade 4 Capacidade de produzir políticas públicas (propostas e demandas consistentes relacionadas ao tema) 4 Espaço de debate qualificado e transparente sobre temas relevantes/importantes 4 Participação nas Conferências Nacionais 2 Articulação da base 1 Garantia de sustentabilidade da pesca artesanal 1 Não tem Ponto positivo 1 Não respondeu 10

17 Sugestões de melhoria para o CONAPE Nº de respostas Não respondeu Aperfeiçoamento das reuniões e questões administrativas 8 2. Modificações nas regras do conselho 6 3. Maior presença/participação do ministro e de representantes do governo 4 4. Acolhimento de todas as propostas para debate 3 5. Implementação das decisões do conselho 2 6. Recursos para apoio de especialistas 2 7. Criar meios para potencializar a articulação entre segmentos dentro e fora do conselho 1 8. Diminuir disputas internas 1 9. Melhorar a relação do conselho com o MPA (seus funcionários) 1

18 Aperfeiçoamento das reuniões e questões administrativas; Melhoria da dinâmica dos debates; Mudança nas regras do conselho (tornar o conselho deliberativo); Demanda por uma participação mais efetiva do Ministro e de representantes do governo nas atividades e reuniões do conselho.

19 Obrigada! Joana Alencar Acesse

PORTARIA MPA/MMA Nº 7, DE 1º DE SETEMBRO DE 2015.

PORTARIA MPA/MMA Nº 7, DE 1º DE SETEMBRO DE 2015. PORTARIA MPA/MMA Nº 7, DE 1º DE SETEMBRO DE 2015. Cria o Comitê Permanente de Gestão e do Uso Sustentável dos Recursos Pelágicos CPG Pelágicos Sudeste e Sul. OS MINISTROS DE ESTADO DA PESCA E AQUICULTURA

Leia mais

DECRETO DE 21 DE JULHO DE 2008 (DOU 22/07/2008)

DECRETO DE 21 DE JULHO DE 2008 (DOU 22/07/2008) 1 DECRETO DE 21 DE JULHO DE 2008 (DOU 22/07/2008) Cria a Comissão Nacional de Combate à Desertificação - CNCD e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o

Leia mais

Regimento Interno da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura

Regimento Interno da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura Regimento Interno da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura Capítulo I Da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura (CNPdC) Artigo 1º A Comissão Nacional dos Pontos de Cultura (CNPdC) é um colegiado autônomo,

Leia mais

Art. 2º O Conselho Estadual de Cultura tem por competências: II - acompanhar e fiscalizar a execução do Plano Estadual de Cultura;

Art. 2º O Conselho Estadual de Cultura tem por competências: II - acompanhar e fiscalizar a execução do Plano Estadual de Cultura; DECRETO Nº 24.720 DE 3 DE NOVEMBRO DE 2008 Dispõe sobre a composição e o funcionamento do Conselho Estadual de Cultura - CONSEC, de que trata a Lei nº 8.319, de 12 de dezembro de 2005, e dá outras providências.

Leia mais

ESTATUTO DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SISTEMA NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS- SNA

ESTATUTO DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SISTEMA NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS- SNA ESTATUTO DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SISTEMA NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS- SNA Art.1 - A FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SISTEMA NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS- SNA, constituída de acordo com o Ato

Leia mais

Percepção de Presença do Crime Organizado/Facções na vizinhança/bairro do(a) entrevistado(a)

Percepção de Presença do Crime Organizado/Facções na vizinhança/bairro do(a) entrevistado(a) Percepção de Presença do Crime Organizado/Facções na vizinhança/bairro do(a) entrevistado(a) Pesquisa que integra os estudos técnicos para a criação de um Índice de Efetividade da Segurança Pública e que

Leia mais

Política Territorial da Pesca e Aquicultura

Política Territorial da Pesca e Aquicultura Política Territorial da Pesca e Aquicultura Esplanada dos Ministérios, bloco D, CEP 70.043-900 - Brasília/DF Telefone: (61) 3218-3865 Fax (61)3218-3827 www.mpa.gov.br comunicacao@mpa.gov.br APRESENTAÇÃO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Valente-BA. A Prefeitura Municipal de Valente, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

Prefeitura Municipal de Valente-BA. A Prefeitura Municipal de Valente, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. ANO. 2013 DIÁRIO DO MUNICÍPIO DE VALENTE - BAHIA 1 A Prefeitura Municipal de Valente, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. LEI N.º 598, DE. Valente - Bahia Gestor: Ismael

Leia mais

Conselhos de Saúde (participação social) Teleconsultora Enfermeira Mabel Magagnin Possamai

Conselhos de Saúde (participação social) Teleconsultora Enfermeira Mabel Magagnin Possamai apresentam Conselhos de Saúde (participação social) Teleconsultora Enfermeira Mabel Magagnin Possamai Os Conselhos de Saúde são órgãos colegiados deliberativos de caráter permanente, com funções de formular

Leia mais

CLXV Reunião Ordinária do Conselho Pleno da ANDIFES

CLXV Reunião Ordinária do Conselho Pleno da ANDIFES Presidência da República Secretaria de Governo Secretaria Nacional de Articulação Social CLXV Reunião Ordinária do Conselho Pleno da ANDIFES Natal RN, 27 de julho de 2017 Etapas da Agenda 2030 ETAPA DE

Leia mais

Faço saber que a Câmara aprova e eu sanciono a seguinte Lei: DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Faço saber que a Câmara aprova e eu sanciono a seguinte Lei: DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI nº 1.204/2016 DE 21 DE NOVEMBRO DE 2016 (Iniciativa do Poder Executivo) ALTERA A FORMAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SEGURANÇA PÚBLICA. Faço saber que a Câmara aprova e eu sanciono a seguinte Lei: DISPOSIÇÕES

Leia mais

Visão do Setor Industrial Brasileiro sobre o Acordo de Paris

Visão do Setor Industrial Brasileiro sobre o Acordo de Paris Visão do Setor Industrial Brasileiro sobre o Acordo de Paris Shelley de Souza Carneiro Gerente Executivo de Meio Ambiente e Sustentabilidade Confederação Nacional da Indústria - CNI Sumário O que é a CNI?

Leia mais

Lei do Estado de Pernambuco nº , de

Lei do Estado de Pernambuco nº , de Lei do Estado de Pernambuco nº 13.490, de 01.07.2008 Cria o Conselho Estadual das Cidades do Estado de Pernambuco ConCidades-PE, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO: Faço saber

Leia mais

PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO COMITÊ TÉCNICO DE SANEAMENTO AMBIENTAL E OS TEMAS

PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO COMITÊ TÉCNICO DE SANEAMENTO AMBIENTAL E OS TEMAS Painel 6: A efetividade do Controle Social nas Políticas Públicas de Saneamento. Estudo de caso: A PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO COMITÊ TÉCNICO DE SANEAMENTO AMBIENTAL E OS TEMAS DA LEGISLAÇÃO Alexandre Araujo

Leia mais

A OIT e as Agendas de Trabalho Decente Oficina de Troca de Experiências para a Construção de Agendas Subnacionais de Trabalho Decente

A OIT e as Agendas de Trabalho Decente Oficina de Troca de Experiências para a Construção de Agendas Subnacionais de Trabalho Decente A OIT e as Agendas de Trabalho Decente Oficina de Troca de Experiências para a Construção de Agendas Subnacionais de Trabalho Decente Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília, 26 de

Leia mais

O Processo Participativo na Elaboração do PLANSAB

O Processo Participativo na Elaboração do PLANSAB 1º. Seminário Franco-Brasileiro Sobre Saúde Ambiental Água, Saúde e Desenvolvimento O Processo Participativo na Elaboração do PLANSAB Ernani Ciríaco de Miranda Gerente de Projetos Especialista em Infraestrutura

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 8.735, DE 3 DE MAIO DE 2016 Dispõe sobre a composição, a estruturação, as competências e o funcionamento do Conselho Nacional

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS PROJETO PNUD BRA/07/019 TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL 010/2012

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS PROJETO PNUD BRA/07/019 TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL 010/2012 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS PROJETO PNUD BRA/07/019 1. Função no Projeto TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL 010/2012 Prestar Consultoria Técnica Especializada - Modalidade Produto

Leia mais

AGENDA TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DA ALFABETIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS. Plano de Estratégico de Educação de Jovens e Adultos

AGENDA TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DA ALFABETIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS. Plano de Estratégico de Educação de Jovens e Adultos AGENDA TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DA ALFABETIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Plano de Estratégico de Educação de Jovens e Adultos Vitória ES Março/2010 1.Apresentação A elaboração do

Leia mais

Atividades Introdutórias. Coordenação, articulação e monitoramento de políticas públicas. Beto Ferreira Martins Vasconcelos

Atividades Introdutórias. Coordenação, articulação e monitoramento de políticas públicas. Beto Ferreira Martins Vasconcelos Atividades Introdutórias Coordenação, articulação e monitoramento de políticas públicas Beto Ferreira Martins Vasconcelos Casa Civil da Presidência da República: coordenação, articulação e monitoramento

Leia mais

Guia de. participação. comunitária. 2volume

Guia de. participação. comunitária. 2volume Guia de participação comunitária 2volume Guia-2ªedição-OK.indd 1 Marque no calendário os compromissos, atividades, reuniões de grupo de trabalho, eventos e demais momentos nos quais você deverá estar presente

Leia mais

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.311, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Altera a Portaria nº 2.866/GM/MS, de 2 de

Leia mais

Lei Nº , de 26 de junho de 2009

Lei Nº , de 26 de junho de 2009 Lei Nº 11.958, de 26 de junho de 2009 Altera as Leis nos 7.853, de 24 de outubro de 1989, e 10.683, de 28 de maio de 2003; dispõe sobre a transformação da Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca da

Leia mais

CONTROLE SOCIAL POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

CONTROLE SOCIAL POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CONTROLE SOCIAL NA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL LINHA DO TEMPO 1988 1993 2004 2005 2006 Constituição Federal, Art. 203 e 204 Lei Orgânica da Assistência Social- LOAS- LEI Nº 8.742 Política Nacional de

Leia mais

Conselhos e Conferências Nacionais

Conselhos e Conferências Nacionais Conselhos e Conferências Nacionais Conferências Nacionais Caro prefeito e cara prefeita, As conferências constituem importantes instrumentos de participação popular na construção e acompanhamento de políticas

Leia mais

Controle Social no Plano Municipal de SaneamentoBásico

Controle Social no Plano Municipal de SaneamentoBásico Controle Social no Plano Municipal de SaneamentoBásico Seminário Política e Planejamento do Saneamento Básico na Bahia - 2015 Maria Consuelo Bomfim Brandão Funasa/Suest-BA Saneamento básico -controle social

Leia mais

A Experiência do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES

A Experiência do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES A Experiência do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES Construção de Governança para o Projeto Nacional de Desenvolvimento Apresentação : Jaques Wagner Governador da Bahia CDES situação atual

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA MULHER E O CONTROLE SOCIAL

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA MULHER E O CONTROLE SOCIAL ISSN 2359-1277 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA MULHER E O CONTROLE SOCIAL Denise Santos Borges, dehtaa@hotmail.com; Prof.ª Dr.ª Maria Inez Barboza Marques (Orientadora), marques@sercomtel.com.br. UNESPAR/Campus

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA Ana Maria Costa Diretora Departamento de Apoio à Gestão Participativa Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Ministério da

Leia mais

O Conselho Nacional de Assistência Social na Visão de seus Conselheiros

O Conselho Nacional de Assistência Social na Visão de seus Conselheiros O Conselho Nacional de Assistência Social na Visão de seus Conselheiros Relatório de Pesquisa Projeto Conselhos Nacionais: perfil e atuação dos conselheiros O Conselho Nacional de Assistência Social na

Leia mais

CONCURSOS E EMPREGOS. Dihego Pansini de Souza

CONCURSOS E EMPREGOS. Dihego Pansini de Souza CONCURSOS E EMPREGOS Dihego Pansini de Souza A Futura Pesquisa e Consultoria foi às ruas sondar o que o capixaba pensa sobre concursos e empregos. Nesse sentido, o interesse da Futura está em investigar

Leia mais

GUIA DO REPRESENTANTE DA FIEB

GUIA DO REPRESENTANTE DA FIEB GUIA DO REPRESENTANTE DA FIEB A FIEB participa atualmente de mais de 120 representações externas, constituídas em grupos de trabalho, comitês e conselhos, cuja atuação é direcionada à discussão de temas

Leia mais

DECRETO - Nº , DE 07 DE MAIO DE 2014.

DECRETO - Nº , DE 07 DE MAIO DE 2014. DECRETO - Nº. 2.901, DE 07 DE MAIO DE 2014. Institui a Comissão Municipal de Emprego, no âmbito do Sistema Público de Emprego, e dá providências correlatas. PE. OSWALDO ALFREDO PINTO, Prefeito Municipal

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO Lato Sensu EM EXTENSÃO RURAL

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO Lato Sensu EM EXTENSÃO RURAL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO Lato Sensu EM EXTENSÃO RURAL 1. Curso: Curso de Pós-Graduação em nível de ESPECIALIZAÇÃO em EXTENSÃO RURAL. 2. Justificativa O programa de Pós-graduação

Leia mais

(Publicada no D.O.U em 30/07/2009)

(Publicada no D.O.U em 30/07/2009) MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS RESOLUÇÃO N o 100, DE 26 DE MARÇO DE 2009 (Publicada no D.O.U em 30/07/2009) Define os procedimentos de indicação dos representantes do

Leia mais

Relações raciais e educação - leis que sustentaram o racismo e leis de promoção da igualdade racial e étnica 23/06

Relações raciais e educação - leis que sustentaram o racismo e leis de promoção da igualdade racial e étnica 23/06 Relações raciais e educação - leis que sustentaram o racismo e leis de promoção da igualdade racial e étnica 23/06 Bel Santos Mayer Vera Lion Políticas de Promoção da Igualdade de oportunidades e tratamento

Leia mais

Faixa etária 2; 4% 4; 8% 8; 16%

Faixa etária 2; 4% 4; 8% 8; 16% Universidade Federal de Goiás - Faculdade de Educação Pesquisa Observatório da Educação - Projeto: Desafios da Educação de Jovens Adultos integrada à Educação Profissional: identidades dos sujeitos, currículo

Leia mais

IV CONFERÊNCIA INTERMUNICIPALDE POLÍTICAS PARA AS MULHERES MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA- PARANÁ Mais direitos, participação e poder para as mulheres

IV CONFERÊNCIA INTERMUNICIPALDE POLÍTICAS PARA AS MULHERES MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA- PARANÁ Mais direitos, participação e poder para as mulheres REGULAMENTO Capítulo I Da Conferência Art. 1º O presente regulamento tem por finalidade definir regras gerais de funcionamento da IV Conferência Intermunicipalde Políticas para as Mulherese estabelecer

Leia mais

Objetivo Geral: Objetivos Específicos:

Objetivo Geral: Objetivos Específicos: Objetivo Geral: Superação da pobreza e geração de trabalho e renda no meio rural por meio de uma estratégia de desenvolvimento territorial sustentável. Objetivos Específicos: Inclusão produtiva das populações

Leia mais

Comissão Nacional de Ciência e Tecnologia Combate à Desertificação

Comissão Nacional de Ciência e Tecnologia Combate à Desertificação Comissão Nacional de Ciência e Tecnologia Combate à Desertificação Maria José Roxo O papel do Comité de Ciência e Tecnologia Estabelecido pelo artigo 24 da Convenção Mandato e termos de referência adoptados

Leia mais

Estado do Rio Grande do Norte PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES Gabinete do Prefeito

Estado do Rio Grande do Norte PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES Gabinete do Prefeito Lei nº 345, de 21 de agosto de 2013. Nesta data, 21 de agosto de 2013, SANCIONO a presente Lei. Francisco das Chagas de Oliveira Silva PREFEITO MUNICIPAL Institui o Conselho Municipal de Desenvolvimento

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2011

PLANO DE TRABALHO 2011 Unidade Temática do Turismo Apresentada pela cidade Porto Alegre 1) Introdução PLANO DE TRABALHO 2011 Fortalecer o turismo internacional é um trabalho prioritário que deve ser cada vez mais consolidado

Leia mais

CAMPANHA INSTINTO DE VIDA Redução de homicídios ABRIL 2017

CAMPANHA INSTINTO DE VIDA Redução de homicídios ABRIL 2017 CAMPANHA INSTINTO DE VIDA Redução de homicídios ABRIL 07 Metodologia Técnica Pesquisa quantitativa, com abordagem pessoal dos entrevistados em pontos de fluxo populacionais. As entrevistas foram realizadas

Leia mais

O QUE É O FÓRUM DE SAÚDE MENTAL INFANTOJUVENIL?

O QUE É O FÓRUM DE SAÚDE MENTAL INFANTOJUVENIL? O QUE É O FÓRUM DE SAÚDE MENTAL INFANTOJUVENIL? O Fórum Nacional de Saúde Mental Infantojuvenil foi criado em 2004, como espaço de discussão que visa debater as diferentes questões relacionadas à saúde

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INCORPORADORAS IMOBILIÁRIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INCORPORADORAS IMOBILIÁRIAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INCORPORADORAS IMOBILIÁRIAS 1 MENSAGEM DA PRESIDÊNCIA DESAFIOS E SOLUÇÕES PARA O FUTURO O setor de incorporação imobiliária, representado pela ABRAINC (Associação Brasileira de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE GEAM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE GEAM UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE- GEAM PROJETO I ENCONTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA UFPA: OS DEZ ANOS DO GRUPO DE ESTUDOS

Leia mais

MANUAL ORIENTADOR DA REVISÃO DAS PRIORIDADES DO PLANO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS PARA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE

MANUAL ORIENTADOR DA REVISÃO DAS PRIORIDADES DO PLANO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS PARA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS MANUAL ORIENTADOR DA REVISÃO DAS PRIORIDADES DO PLANO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS PARA 2016-2020 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO

Leia mais

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Tecnologia em Logística

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Tecnologia em Logística Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Tecnologia em Logística A presente pesquisa foi realizada em março de 2013, tendo como universo 470 discentes.

Leia mais

PARTICIPAÇÃO E REPRESENTATIVIDADE NOS CONSELHOS DOS DIREITOS DA MULHER

PARTICIPAÇÃO E REPRESENTATIVIDADE NOS CONSELHOS DOS DIREITOS DA MULHER ISSN 2359-1277 PARTICIPAÇÃO E REPRESENTATIVIDADE NOS CONSELHOS DOS DIREITOS DA MULHER Adriele de Souza da Silva, adrielesilva4@gmail.com; Prof.ª Dr.ª Maria Inez Barboza Marques (Orientadora), marques@sercomtel.com.br;

Leia mais

Procuradoria Geral do Município

Procuradoria Geral do Município LEI Nº 2.336, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2010 Cria o Conselho Municipal da Cidade de Petrolina CONCIDADE/Petrolina, o Fundo Municipal de Habitação de Interesse Social FMHIS, e dá outras providências. O PREFEITO

Leia mais

Regimento. Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania Seleção Pública de Projetos Regimento

Regimento. Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania Seleção Pública de Projetos Regimento Regimento Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania Seleção Pública de Projetos 2010 Regimento 1 Regimento da Seleção Pública de Projetos Sociais de 2010 Serão aceitos projetos sob responsabilidade

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE CRISE POLÍTICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE CRISE POLÍTICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE CRISE POLÍTICA DEZEMBRO DE 2015 JOB1629 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL O principal objetivo desse projeto é levantar opiniões sobre a atual crise política

Leia mais

Seminários Regionais da CONTAG: Resultados Preliminares

Seminários Regionais da CONTAG: Resultados Preliminares Perfil dos(as) Participantes dos Seminários Regionais da CONTAG: Resultados Preliminares i Reunião do Conselho Deliberativo da CONTAG Brasília, 25 de março de 2010 Algumas observações: Estatisticamente

Leia mais

Faculdade de Direito da Alta Paulista Faculdade da Alta Paulista Comissão Própria de Avaliação (CPA)

Faculdade de Direito da Alta Paulista Faculdade da Alta Paulista Comissão Própria de Avaliação (CPA) PLANO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FAP 2016 1. Introdução Desde 2004, a avaliação interna da Instituição Dom Bosco de Ensino e Cultura Ltda. está sob as normas do Sistema Nacional de Avaliação dos

Leia mais

PESQUISA: Relação da população de Natal com a leitura:

PESQUISA: Relação da população de Natal com a leitura: PESQUISA: Relação da população de Natal com a leitura: Uma Abordagem A construção Quantitativa participativa do Objetivos Conhecer o perfil do público leitor da cidade de Natal; Conhecer as práticas de

Leia mais

Ministério da Integração Nacional Secretaria de Desenvolvimento Regional. Plano Brasil Fronteira Sugestão de estrutura, visão, foco e prioridades

Ministério da Integração Nacional Secretaria de Desenvolvimento Regional. Plano Brasil Fronteira Sugestão de estrutura, visão, foco e prioridades Ministério da Integração Nacional Secretaria de Desenvolvimento Regional Plano Brasil Fronteira Sugestão de estrutura, visão, foco e prioridades Marcelo Giavoni Brasília, 04 de julho de 2012 Referências

Leia mais

Fórum Permanente UFRJ Acessível e Inclusiva

Fórum Permanente UFRJ Acessível e Inclusiva Fórum Permanente UFRJ Acessível e Inclusiva Proposta de Regimento Considerando o compromisso da UFRJ com a afirmação dos direitos humanos das pessoas com deficiência e com a necessidade de erradicar definitivamente

Leia mais

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Engenharia de Petróleo e Gás

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Engenharia de Petróleo e Gás Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Engenharia de Petróleo e Gás A presente pesquisa foi realizada em dezembro de 2010 na Unidade de Duque

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.083, DE 12 DE MAIO DE 2011

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.083, DE 12 DE MAIO DE 2011 Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.083, DE 12 DE MAIO DE 2011 Aprova o Regimento Interno da Comissão Nacional para Implementação da Convenção- Quadro para o Controle do Tabaco (CONICQ).

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ITAITUBA ARTICULADOR

TERMO DE REFERÊNCIA ITAITUBA ARTICULADOR TERMO DE REFERÊNCIA ITAITUBA ARTICULADOR PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA INDIVIDUAL EM ARTICULAÇÃO DE REDE INTERSETORIAL ALCOOL E DROGAS DESCENTRALIZADO I. CONTEXTO O decreto 7.179 de 2010 da Presidência

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 95, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2008

RESOLUÇÃO N o 95, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2008 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS RESOLUÇÃO N o 95, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2008 (Publicada no D.O.U em 30/01/2009) Estabelece composição e define suplências para a CTAS,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS 1. Objetivo geral: Assessorar tecnicamente a gestão e promover a implementação e articulação interprogramática das atividades relacionadas

Leia mais

Povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais

Povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais Povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais Instalação e operação de grandes empreendimentos na Amazônia Isabelle Vidal Giannini Cássio Ingles de Sousa Papel da consultoria Apoio na construção

Leia mais

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso de Educação Física

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso de Educação Física Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso de Educação Física A presente pesquisa foi realizada maio de 2011 na Unidade de Duque de Caxias, tendo como universo

Leia mais

FÓRUM PERMANENTE PARA ADEQUAÇÃO FITOSSANITÁRIA

FÓRUM PERMANENTE PARA ADEQUAÇÃO FITOSSANITÁRIA Fórum: reunião, congresso, conferência que envolve o debate de um tema (Houaiss,, 2001) Forum latina: praça pública WAGNER BETTIOL Embrapa Meio Ambiente 1 JUSTIFICATIVA Considerando que a missão da Embrapa

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO DA INICIATIVA DIÁLOGO EMPRESAS E POVOS INDIGENAS

TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO DA INICIATIVA DIÁLOGO EMPRESAS E POVOS INDIGENAS TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO DA INICIATIVA DIÁLOGO EMPRESAS E POVOS INDIGENAS (JULHO à DEZEMBRO DE 2017) I. Histórico e Contexto Em 2012, associações indígenas

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE SATISFAÇÃO COM A DEMOCRACIA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE SATISFAÇÃO COM A DEMOCRACIA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE SATISFAÇÃO COM A DEMOCRACIA SETEMBRO DE 2015 JOB1250 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL O principal objetivo desse projeto é monitorar a satisfação com

Leia mais

4 5 AÇÃO LOCAL PERÍODO Reuniões periódicas da Diretoria Executiva Durante todo o ano No mínimo, 2 reuniões do Conselho de Administração Durante todo o ano No mínimo, 2 reuniões do Conselho Fiscal Durante

Leia mais

da rede) para organização da proposta e das estratégias de comunicação dialógica da rede;

da rede) para organização da proposta e das estratégias de comunicação dialógica da rede; Como afirmou o educador e teórico Paulo Freire, confiança se estabelece no diálogo, na troca de ideias, na construção e desconstrução de ideias. A Política de Educação Integral, em sua natureza, é essencialmente

Leia mais

Representatividade político/institucional: eficácia e resultado

Representatividade político/institucional: eficácia e resultado TEMA: Cenários e Desafios para as Cooperativas do DF Representatividade político/institucional: eficácia e resultado Márcio Lopes de Freitas Presidente do Sistema OCB Brasília, 23 de novembro de 2012 Sistema

Leia mais

Subsidiar a implementação de um conjunto de ações orientadas para a prevenção e erradicação do trabalho de crianças e adolescentes no estado da

Subsidiar a implementação de um conjunto de ações orientadas para a prevenção e erradicação do trabalho de crianças e adolescentes no estado da O TRABALHO INFANTO- JUVENIL NO ESTADO DA BAHIA Destaques do relatório preparado por Inaiá Maria Moreira de Carvalho e Cláudia Monteiro Fernandes para a OIT Brasil Março de 2010 1 Objetivo Geral Subsidiar

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO FORO CONSULTIVO DE MUNICÍPIOS, ESTADOS FEDERADOS, PROVÍNCIAS E DEPARTAMENTOS DO MERCOSUL

REGULAMENTO INTERNO DO FORO CONSULTIVO DE MUNICÍPIOS, ESTADOS FEDERADOS, PROVÍNCIAS E DEPARTAMENTOS DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES Nº 26/07 REGULAMENTO INTERNO DO FORO CONSULTIVO DE MUNICÍPIOS, ESTADOS FEDERADOS, PROVÍNCIAS E DEPARTAMENTOS DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto

Leia mais

Resultados da Pesquisa sobre Políticas de CTI e Instrumentos de Política (GO-SPIN)

Resultados da Pesquisa sobre Políticas de CTI e Instrumentos de Política (GO-SPIN) Resultados da Pesquisa sobre Políticas de CTI e Instrumentos de Política (GO-SPIN) República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional Maputo, 19 de Novembro

Leia mais

Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas

Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas O Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas tem caráter multidisciplinar, integrando em suas disciplinas diversos

Leia mais

Lei n o de 28/12/1990

Lei n o de 28/12/1990 Lei n o 8.142 de 28/12/1990 Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. Oficina EVIPNet Brasil. Ferramentas SUPPORT para Políticas Informadas por Evidências. Brasília-DF, 15/09, 16/09, 26/09 e 27/09/2016

RELATÓRIO TÉCNICO. Oficina EVIPNet Brasil. Ferramentas SUPPORT para Políticas Informadas por Evidências. Brasília-DF, 15/09, 16/09, 26/09 e 27/09/2016 Ministério da Saúde do Brasil Secretaria de Ciência, Tecnologia, Insumos Estratégicos (SCTIE) Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) Coordenação Geral de Gestão do Conhecimento (CGGC) RELATÓRIO TÉCNICO

Leia mais

QUESTIONÁRIO PARA AVALIAÇÃO DAS ENTIDADES DELEGATÁRIAS PELOS COMITÊS DE BACIA

QUESTIONÁRIO PARA AVALIAÇÃO DAS ENTIDADES DELEGATÁRIAS PELOS COMITÊS DE BACIA QUESTIONÁRIO PARA AVALIAÇÃO DAS ENTIDADES DELEGATÁRIAS PELOS COMITÊS DE BACIA O indicador 5 dos Contratos de Gestão celebrados entre a ANA e as Entidades Delegatárias, com anuência dos Comitês de Bacia,

Leia mais

JANEIRO FEVEREIRO MARÇO

JANEIRO FEVEREIRO MARÇO JANEIRO FEVEREIRO MARÇO Inscrições: Abrimos inscrições de 20 de janeiro a 15 de fevereiro para todos os interessados que se enquadrassem nos pré-requisitos de cada curso, pelo sítio:. Abaixo o quadro-síntese

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Comitê Estadual de Educação em Direitos Humanos do Rio Grande do Norte NATUREZA E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO Comitê Estadual de Educação em Direitos Humanos do Rio Grande do Norte NATUREZA E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO Comitê Estadual de Educação em Direitos Humanos do Rio Grande do Norte NATUREZA E FINALIDADE Art. 1º O Comitê Estadual de Educação em Direitos Humanos do Rio Grande do Norte, instância

Leia mais

Perfil sócio-demográfico

Perfil sócio-demográfico Capítulo Perfil sócio-demográfico [em %] Macro regiões Norte Natureza e porte do Município 6 Centro-oeste 5 Sul 4 Sudeste Nordeste Onde viveu a maior parte da vida Na cidade No campo/ áreas rurais Meio

Leia mais

OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto (Modelo I)

OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto (Modelo I) Identificação do Projeto OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto (Modelo I) Rede de Cooperação Técnica em Saúde da União de Nações

Leia mais

REGIMENTO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS COMISSÃO PROPRIA DE AVALIAÇÃO COMISSÃO CENTRAL Avenida Prof.

Leia mais

ABQUIM XVI Congresso de Atuação Responsável

ABQUIM XVI Congresso de Atuação Responsável ABQUIM XVI Congresso de Atuação Responsável Elaborar plano de comunicação considerando ferramentas modernas que melhorem e potencializem a comunicação entre Industria, Conselhos e Sociedade. Conselho Comunitário

Leia mais

PLANO DE TRABALHO ANUAL

PLANO DE TRABALHO ANUAL PLANO DE TRABALHO 2017 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG OUVIDORIA PLANO DE TRABALHO ANUAL 2017-2018 A FURG quer lhe ouvir... Você melhorando a Universidade!

Leia mais

PLANOS DECENAIS DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: FORTALECENDO OS CONSELHOS DE DIREITOS

PLANOS DECENAIS DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: FORTALECENDO OS CONSELHOS DE DIREITOS X CONFERÊNCIA DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PLANOS DECENAIS DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: FORTALECENDO OS CONSELHOS DE DIREITOS Objetivos do encontro Esclarecer sobre

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA Mantenedora FLAMINGO 2001 CURSO FUNDAMENTAL Mantida FACULDADE FLAMINGO REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA São Paulo / SP 2004 Atualizado 05 de abril de 2012 Pg.1 Capítulo I Da Instalação

Leia mais

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Tecnologia em Radiologia

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Tecnologia em Radiologia Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Tecnologia em Radiologia A presente pesquisa foi realizada em dezembro de 2010 na Unidade de Duque de

Leia mais

Ministério da Saúde AGENCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 115, DE 3 DE NOVEMBRO DE 2005

Ministério da Saúde AGENCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 115, DE 3 DE NOVEMBRO DE 2005 Ministério da Saúde AGENCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 115, DE 3 DE NOVEMBRO DE 2005 Aprova o Regimento Interno da Câmara de Saúde Suplementar CSS. A Diretoria Colegiada

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE EVANGÉLICA DE GOIANÉSIA

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE EVANGÉLICA DE GOIANÉSIA REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE EVANGÉLICA DE GOIANÉSIA TÍTULO I DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO DA COMISSÃO Art. 1º - O presente Regulamento Interno

Leia mais

Prefeitura Municipal de São João del-rei

Prefeitura Municipal de São João del-rei Mensagem n 045/2013 Do: Gabinete do Prefeito Ao: Exmº Sr. Vereador Antônio Carlos de Jesus Fuzatto Presidente da Câmara Municipal de São João del-rei Senhor Presidente, Com os nossos respeitosos cumprimentos,

Leia mais

Sistema Nacional de Cultura

Sistema Nacional de Cultura Sistema Nacional de Cultura O Sistema Nacional de Cultura (SNC) é um instrumento de gestão compartilhada de políticas públicas de cultura entre os entes federados e a sociedade civil. Seu principal objetivo

Leia mais

PERFIL DOS ALUNOS INGRESSANTES CARACTERÍSTICAS SÓCIO-ECONÔMICAS Curso : BIOMEDICINA

PERFIL DOS ALUNOS INGRESSANTES CARACTERÍSTICAS SÓCIO-ECONÔMICAS Curso : BIOMEDICINA CARACTERÍSTICAS SÓCIO-ECONÔMICAS Quadro e Gráfico 01 - Renda familiar mensal Não informado 1 0 1 Até R$ 26 0 0 0 de R$ 261,00 a R$ 78 0 1 1 de R$ 781,00 a R$ 1.30 1 1 2 1 de R$ 1.301,00 a R$ 1.82 3 2 5

Leia mais

Órgão ou Entidade Proponente Embrapa Tabuleiros Costeiros /

Órgão ou Entidade Proponente Embrapa Tabuleiros Costeiros / PLANO DE TRABALHO (PT - 1/5) 1 DADOS CADASTRAIS Órgão ou Entidade Proponente Embrapa Tabuleiros Costeiros 00.348.003/0136-03 Endereço Av. Beira Mar,3.250 Cidade UF CEP DDD - Telefone Esfera Administrativa

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE PERCEPÇÕES SOBRE O ABORTO

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE PERCEPÇÕES SOBRE O ABORTO PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE PERCEPÇÕES SOBRE O ABORTO FEVEREIRO DE 2017 JOB0086 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL O estudo tem como objetivo levantar a opinião dos brasileiros sobre

Leia mais

II -Propor objetivos e metas para a Política Estadual de Meio Ambiente;

II -Propor objetivos e metas para a Política Estadual de Meio Ambiente; DECRETO N 40.744 DE 25 DE ABRIL DE 2007. Dispõe sobre a organização, competência e funcionamento do Conselho Estadual de Meio Ambiente - CONEMA. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas

Leia mais

JAPANN SERVIÇOS EDUCACIONAIS S/S LTDA.

JAPANN SERVIÇOS EDUCACIONAIS S/S LTDA. 1 EDITAL Nº 04/2015 Dispõe sobre a realização de eleição para o preenchimento de vagas do novo quadro de membros da Comissão Local de Acompanhamento e Controle Social do Programa Universidade para Todos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO REDE SIBRATEC DE SERVIÇOS TECNOLÓGICOS PARA PRODUTOS PARA A SAÚDE. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO

REGIMENTO INTERNO REDE SIBRATEC DE SERVIÇOS TECNOLÓGICOS PARA PRODUTOS PARA A SAÚDE. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO Página: 1 de 5 REGIMENTO INTERNO REDE SIBRATEC DE SERVIÇOS TECNOLÓGICOS PARA PRODUTOS PARA A SAÚDE Capítulo I DA DENOMINAÇÃO Art. 1º A REDE DE SERVIÇOS TECNOLÓGICOS PARA PRODUTOS PARA A SAÚDE, também referida

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. Casa dos Conselhos Rua Três de Maio, nº 1060 Pelotas,RS Telefone (53) E- mail -

REGIMENTO INTERNO. Casa dos Conselhos Rua Três de Maio, nº 1060 Pelotas,RS Telefone (53) E- mail - REGIMENTO INTERNO REGIMENTO INTERNO Capitulo I - DA CONSTITUIÇÃO E SEDE: Art.1- O Fórum dos Conselhos Municipais de Pelotas, adiante designado apenas Fórum, foi criado em 1995 a partir de um trabalho de

Leia mais

CARTA-COMPROMISSO FÓRUM INTERSETORIAL DE BARCARENA

CARTA-COMPROMISSO FÓRUM INTERSETORIAL DE BARCARENA A Amazônia é motivo de preocupação mundial, condição esta acentuada por conta da percepção de um número cada vez maior de segmentos sociais, acerca dos riscos que as mudanças climáticas podem provocar

Leia mais