SUGESTÕES DE AULAS DO PORTAL DO PROFESSOR PARA A DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA, NA PRÁTICA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SUGESTÕES DE AULAS DO PORTAL DO PROFESSOR PARA A DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA, NA PRÁTICA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL"

Transcrição

1 991 SUGESTÕES DE AULAS DO PORTAL DO PROFESSOR PARA A DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA, NA PRÁTICA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL Soellyn Elene Bataliotti - PPGEEs UFSCar, Maria da Piedade Resende da Costa - PPGEEs UFSCar, Eixo Temático: Práticas de inclusão/exclusão em educação Categoria: Pôster INTRODUÇÃO As aulas de Educação Física precisam fazer parte do processo de intervenção educacional para todos os estudantes, principalmente para o Estudante Público Alvo da Educação Especial (EPAEE) (BRASIL, 2002). Para muitos desses, essas aulas são oportunidades para a estimulação de outros aspectos importantes e necessários do desenvolvimento humano, por exemplo, a cognição (FREIRE, 1989). Nesse sentido, acredita-se que o repositório Portal do Professor (portaldoprofessor.mec.gov.br), poderá contribuir no processo escolar, uma vez que é acessível a todos os professores e disponibiliza planos de aulas com orientações voltadas para a Educação Física que trabalha com a Educação Especial, utilizando-se de bases teóricas e práticas. Assim, o objetivo desta pesquisa foi analisar a possibilidade de utilizar as sugestões de aulas do Portal do Professor, na disciplina em Educação Física, na classe comum, na perspectiva de Educação Especial, no ano inicial do Ensino Fundamental. Referencial Teórico O Portal do Professor é um repositório criado em parceria entre o Ministério da Educação (MEC), Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT) e vinculado à Secretaria de Educação a Distância (SEED), de acordo com Bielschowsky e Prata (2010). O ambiente foi concebido no ano de 2007, entrando em operação em junho do ano de 2008.

2 992 Ainda segundo os autores, é uma proposta que visa fomentar a participação de professores em comunidades educacionais, utilizando conteúdos digitais, espaços de comunicação entre outras categorias que podem ser encontrados no repositório (BIELSCHOWSKY e PRATA, 2010). O MEC está investindo nesta nova linha de atuação, pois colabora com o trabalho do docente, e a sua expectativa é de oferecer gratuitamente uma estrutura completa e moderna para que professores possam encontrar via internet uma solução que agrega todos os itens necessários para um bom desenvolvimento escolar (NASCIMENTO, 2009). Dentre as propostas que podem ser encontradas neste ambiente que tem como objetivo do governo em oferecer recursos para a educação, é possível encontrar propostas voltadas para a Educação Física, inclusive aulas voltadas trabalhar com EPAEE. Diante da necessidade da modalidade de ensino de Educação Especial, inserido nas disciplinas do ensino regular acredita-se que o Portal do Professor, poderá contribuir no processo escolar, uma vez que é acessível a todos os professores e disponibiliza planos de aulas com orientações voltadas a Educação Especial, utilizando-se de bases teóricas e práticas. Metodologia Este estudo se baseia em uma abordagem qualitativa, consubstanciado pelo método da Pesquisa-ação a qual é definida por Moreira e Caleffe (2008, ps.89-90) como uma intervenção de pequena escala no mundo real e um exame muito de perto dos efeitos dessa intervenção. Para o início da pesquisa, o estudo foi encaminhado para o Comitê de Ética da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), e após a sua aprovação foi feito o contato com a Secretaria de Educação Municipal de São Carlos para a indicação da escola e seleção da turma a ser pesquisada. Sendo aplicada a priori em uma turma do 1º ano, com a

3 993 inclusão de um aluno com baixa visão, seguindo um percurso com três etapas, sendo o Diário de Campo o instrumento, através um roteiro de observação. Inicialmente, foram feitas observações na aula de Educação Física, com todas as ações anotadas no roteiro de observação; no segundo momento, após as observações, foram feitas pesquisas no Portal do Professor e selecionada a aula a ser aplicada na turma, sendo a seleção no Portal do Professor feita pela pesquisadora, e a escolha da aula selecionada pela professora de Educação Física, utilizando como critério o tema trabalhado pela professora - folclore; no terceiro momento finalmente, foi aplicada a sugestão de aula do Portal do Professor, na aula de Educação Física, com as devidas anotações no instrumento de observação. Para a análise dos resultados obtidos a partir das observações registrados no instrumento Diário de Campo, foi utilizado o método análise de conteúdo, que segundo Moraes (1999) é uma metodologia de pesquisa utilizada para descrever e interpretar o conteúdo, conduzindo as descrições sistemáticas, qualitativas e quantitativas, para reinterpretar as mensagens e compreender o seu significado além da leitura comum. Resultado e Análise Foram feitas seis categorias das observações, sendo três delas sobre o primeiro momento de observações da aulas da Professora de Educação Física, observando-se que (i) a professora apresenta ter voz de comando com toda a turma; (ii) sobre o planejamento de aula, a professora apresentara ter o planejamento prévio para serem aplicados e (iii) notando que interação do estudante com a turma na aula de Educação Física é um pouco tímida brincando sozinho em alguns momentos. As outras três categorias levantadas para a análise foram mediante ao terceiro momento da pesquisa, sobre a aplicação das sugestões de aulas do Portal do Professor, foram (i) observadas que houve a necessidade de adequação do conteúdo, não sendo possível seguir exatamente o roteiro da sugestão; (ii) sobre a proposta houve a compreensão tanto pela

4 994 professora, quanto pelos estudantes e (iii) os objetivos da sugestão de aula foram alcançados. Diante dos resultados, segundo Bielschowsky e Prata (2010), os objetivos do Portal do Professor foram alcançados, pois não espera-se que o Professor tenha um conteúdo pronto e formado para serem aplicados em aula, e sim que este ambiente possa dar um parâmetro para a prática do professor. Conclusões Diante dos resultados a professora de Educação Física apresenta ter domínio sobre a turma, estudante com baixa visão, apesar do mesmo apresentar desatenções em alguns momentos, e trabalha com um planejamento adequado para com a turma. Sobre a aplicação da sugestão de aula do Portal do Professor, houve a necessidade de adequação do roteiro na aula de Educação Física, devido ao tempo que foi curto para aplicar todo o conteúdo proposto na sugestão e não conter todo o material na escola indicado na proposta, contudo, o objetivo foi alcançado, devido à sugestão apresentar-se compreensível para aplicação e com atividades possíveis de atingir os objetivos, mesmo que haja a necessidade de adaptação e adequação da sugestão. Podemos concluir que o Portal do Professor pode ser uma ferramenta a ser utilizada na prática pedagógica do Professor, e há a possibilidade de aplicação, por ser oferecidos sugestões de aulas voltadas para a Educação Especial, além das sugestões para a Educação Física. Referências BIELSCHOWSKY, C. E; PRATA, C. L. Portal Educacional do Portal do Professor. Revista de Educación, 352. p.1-14, mai/ago, BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica. Brasília: MEC, 2002.

5 995 FREIRE, J. B. Educação de corpo inteiro. Teoria e prática da educação física. São Paulo: Scipione, MORAES, R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, Disponível em: acesso dia 30 de Março de MOREIRA, H.; CALEFFE, L. G. Metodologia da Pesquisa para o professor pesquisador. 2ª ed. Rio de Janeiro: Lamparina, NASCIMENTO, A. C. A. A. Aprendizagem por meio de repositórios digitais e virtuais. In: LITTO, F. M.; FORMIGA, M. (orgs). Educação a Distância: O estado da arte. São Paulo: Pearson, Prentice Hall,

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores PROPOSTA PEDAGÓGICA: SUGESTÃO DE AULAS DO PORTAL DO PROFESSOR PARA A EDUCAÇÃO FÍSICA E SALA

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSOS DE LICENCIATURAS PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 2017.2 5º. PERÍODO Diálogos com a Escola-Campo I / Prática Pedagógica V Observação do Campo de Estágio (com

Leia mais

Oficina de Apropriação de Resultados de Matemática. Paebes 2013

Oficina de Apropriação de Resultados de Matemática. Paebes 2013 Oficina de Apropriação de Resultados de Matemática Paebes 2013 Paebes 2013 Conhecendo o outro.. Expectativas... Paebes 2013 OBJETIVOS DA OFICINA Objetivo geral: Analisar e interpretar resultados da avaliação

Leia mais

O que é EAD? Quais as competências necessárias ao professor e tutor para a EAD?

O que é EAD? Quais as competências necessárias ao professor e tutor para a EAD? O que é EAD? Quais as competências necessárias ao professor e tutor para a EAD? Educação à distância A educação a distância (EaD) é definida como [...] o aprendizado planejado que ocorre normalmente em

Leia mais

MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG

MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO MÉDIO EM UMA ESCOLA PARTICULAR: VISÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA.

EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO MÉDIO EM UMA ESCOLA PARTICULAR: VISÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA. EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO MÉDIO EM UMA ESCOLA PARTICULAR: VISÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA. Beatriz A. Barboza do Nascimento Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho UNESP Mestranda do programa

Leia mais

1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Organização Pan Americana de Saúde Ministério da Saúde Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Departamento de Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde Associação Brasileira da Rede Unida

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENSINO DE QUÍMICA III. Aula

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENSINO DE QUÍMICA III. Aula ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENSINO DE QUÍMICA III Estágio Supervisionado em Ensino de Química INTRODUÇÃO Neste capítulo estarão expostos objetivos e metas, bem como as orientações necessárias para o desenvolvimento

Leia mais

Instrução Normativa nº 03/ PPGEN

Instrução Normativa nº 03/ PPGEN Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró- Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Humanas, Sociais e da Natureza-PPGEN. Campus

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ

CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ ORIGEM DO UNIVERSO, FORMAÇÃO DA VIDA NA TERRA ESTUDANDO FÓSSEIS: O CAMINHO DA EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES 1º semestre de 201 3ª feira, das 13h30 às 17h30 SANTO ANDRÉ

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO FÍSICA DOS DEFICIÊNTES FÍSICOS E VISUAIS DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE LONDRINA Guilherme Sanches Valverde Rosangela Marques Busto Universidade Estadual de

Leia mais

CONCURSO EU VOU PARA A 2ª JORNADA NACIONAL DE EDUCAÇÃO REGULAMENTO

CONCURSO EU VOU PARA A 2ª JORNADA NACIONAL DE EDUCAÇÃO REGULAMENTO CONCURSO EU VOU PARA A 2ª JORNADA NACIONAL DE EDUCAÇÃO REGULAMENTO 1. APRESENTAÇÃO DA 2ª JORNADA NACIONAL DE EDUCAÇÃO A 2ª Jornada Nacional de Educação Profissional compreenderá palestras, mesa redonda

Leia mais

Klaus Schlünzen Junior Núcleo de Educação a Distância

Klaus Schlünzen Junior Núcleo de Educação a Distância Klaus Schlünzen Junior klaus@reitoria.unesp.br Núcleo de Educação a Distância EaD da Unesp já ofereceu 26 cursos a distância (Graduação, Pós-Graduação e Extensão) Beneficiaram mais de 99 mil pessoas Repositório

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Química. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Química. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA SURDOS: DEFINIÇÃO DE ETAPAS PARA A PRODUÇÃO DE TEXTO ARGUMENTATIVO

ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA SURDOS: DEFINIÇÃO DE ETAPAS PARA A PRODUÇÃO DE TEXTO ARGUMENTATIVO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA SURDOS: DEFINIÇÃO DE ETAPAS PARA A PRODUÇÃO DE TEXTO ARGUMENTATIVO Vivian Cristina Jacomite de Souza 1 Luis Mateus da Silva Souza 2 Universidade do Sagrado Coração - USC

Leia mais

RESOLUÇÃO N 17/16 CAEPE RESOLVE

RESOLUÇÃO N 17/16 CAEPE RESOLVE Conselho de Administração, Ensino, Pesquisa e Extensão CAEPE RESOLUÇÃO N 17/16 CAEPE REVOGA A RESOLUÇÃO Nº 08/15 E DISPÕE SOBRE AS NORMAS E CRITÉRIOS PARA A OFERTA E O FUNCIONAMENTO DE COMPONENTES CURRICULARES

Leia mais

Programa EaD em REDE

Programa EaD em REDE Programa EaD em REDE Regulamento Interno Regulamenta o Programa EaD em Rede da Associação Brasileira de Reitores das Universidades Estaduais e Municipais - ABRUEM. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art.

Leia mais

4 Ano Curso Bacharelado e Licenciatura em Enfermagem

4 Ano Curso Bacharelado e Licenciatura em Enfermagem ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO: PROMOÇÃO DA SAÚDE NA EDUCAÇÃO BÁSICA e METODOLOGIA DO ENSINO DE ENFERMAGEM I 4 Ano Curso Bacharelado e Licenciatura em Enfermagem ESTÁGIO Lei 6494/77 regulamentada pelo

Leia mais

Edital UFRGS EAD Apresentação. 2 Objetivos

Edital UFRGS EAD Apresentação. 2 Objetivos Edital UFRGS EAD 07 1 Apresentação A Secretaria de Educação a Distância (SEAD), com apoio da Pró-Reitoria de Planejamento e Administração e em conjunto com as Pró-Reitorias Acadêmicas, considerando: a

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE CEFID

CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE CEFID CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE CEFID Área de Conhecimento Aspectos Pedagógicos do Movimento Humano (A) Estágio Curricular Supervisionado Ementa/Bibliografia Objetivos: Levantamento e análise

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL Nome do autor: Jairton Mauro Rech Aplicativo utilizado: BrOffice impress Disciplina: Matemática

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NO CONTEXTO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS Ana Paula do Amaral Tibúrcio UFSJ

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NO CONTEXTO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS Ana Paula do Amaral Tibúrcio UFSJ ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NO CONTEXTO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS Ana Paula do Amaral Tibúrcio UFSJ Introdução Na história da educação de nosso país uma das questões sempre presente neste cenário

Leia mais

TÍTULO: FAMÍLIA E ESCOLA: PARCERIA E ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA

TÍTULO: FAMÍLIA E ESCOLA: PARCERIA E ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA TÍTULO: FAMÍLIA E ESCOLA: PARCERIA E ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE JOINVILLE AUTOR(ES): DAIANE

Leia mais

NOME DO CURSO: Acessibilidade na Atividade Física Escolar Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância

NOME DO CURSO: Acessibilidade na Atividade Física Escolar Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância NOME DO CURSO: Acessibilidade na Atividade Física Escolar Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código / Nome do Curso Etapa de ensino a que se destina Educação

Leia mais

Palavras-chave: Formação de professores; Educação de jovens e adultos; Políticas públicas.

Palavras-chave: Formação de professores; Educação de jovens e adultos; Políticas públicas. A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DA EJA: INSTITUIÇÕES E POLÍTICAS Thamyres Xavier Moreira Universidade Federal de Ouro Preto Resumo: O presente trabalho trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa com a aplicação

Leia mais

O Diretor Geral do Instituto Federal Catarinense Câmpus Rio do Sul, no uso das suas atribuições,

O Diretor Geral do Instituto Federal Catarinense Câmpus Rio do Sul, no uso das suas atribuições, INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS RIO DO SUL Nº 01/2012 Dispõe sobre as normas para elaboração, trâmite, análise e aprovação dos Planos de Ensino dos Cursos de Educação Profissional Técnica de Nível

Leia mais

GT-3 DIDÁTICA, CURRÍCULO E POLÍTICA EDUCACIONAL REALIDADE VIRTUAL NA EDUCAÇÃO: as TICs e a renovação pedagógica

GT-3 DIDÁTICA, CURRÍCULO E POLÍTICA EDUCACIONAL REALIDADE VIRTUAL NA EDUCAÇÃO: as TICs e a renovação pedagógica GT-3 DIDÁTICA, CURRÍCULO E POLÍTICA EDUCACIONAL REALIDADE VIRTUAL NA EDUCAÇÃO: as TICs e a renovação pedagógica Aldeci Luiz de Oliveira Profa. Dra. PMCG E-mail: aldecioliveira@hotmail.com Maria de Lourdes

Leia mais

O PERCURSO DE UM ALUNO COM SINDROME DE ASPERGER NO ENSINO TÉCNICO EM UMA PERSPECTIVA INTERDISCIPLINAR

O PERCURSO DE UM ALUNO COM SINDROME DE ASPERGER NO ENSINO TÉCNICO EM UMA PERSPECTIVA INTERDISCIPLINAR O PERCURSO DE UM ALUNO COM SINDROME DE ASPERGER NO ENSINO TÉCNICO EM UMA PERSPECTIVA INTERDISCIPLINAR Paulo Osni Silverio Universidade de Taubaté Cibele Sales da Silva IFSP Campus Suzano Rita Schlinz Universidade

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE: O ANO TODO E AGORA EM ESPECIAL NO FINAL DO ANO LETIVO

CONSELHO DE CLASSE: O ANO TODO E AGORA EM ESPECIAL NO FINAL DO ANO LETIVO TEXTO 2 http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2310-6.pdf acesso em http://pt.wikipedia.org/wiki/conselho_de_classe 09 de outubro de 2014 CONSELHO DE CLASSE: O ANO TODO E AGORA EM ESPECIAL

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Fundamentos teórico-metodológicos

Leia mais

Educação, tecnologia, aprendizagem exaltação à negação: a busca da relevância

Educação, tecnologia, aprendizagem exaltação à negação: a busca da relevância Educação, tecnologia, aprendizagem exaltação à negação: a busca da relevância Marilú do Nascimento Salvador Lourenço Doutoranda em Ciências da Informação UFP/PT Orientadores: Paulo Rurato e Luis Borges

Leia mais

Resolução 016/ Conselho Superior/28/07/2011. Órgão Emissor: Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense

Resolução 016/ Conselho Superior/28/07/2011. Órgão Emissor: Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense Resolução 016/2011 - Conselho Superior/28/07/2011. Órgão Emissor: Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense Ementa: Dispõe sobre a Regulamentação para cursos

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1. Os estágios curriculares do Curso de Graduação em Psicologia do Centro Universitário Redentor são considerados como

Leia mais

A Educação Profissional Técnica e sua forma de oferecimento integrada ao Ensino Médio

A Educação Profissional Técnica e sua forma de oferecimento integrada ao Ensino Médio A Educação Profissional Técnica e sua forma de oferecimento integrada ao Ensino Médio Seminário Desafios Curriculares do Ensino Médio Fernanda Mello Demai Diretora de Departamento Grupo de Formulação e

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE PLANO DE MELHORIA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA 2015/2017 EqAI - 2015 Página 1 de 6 1. Resultados Em Português: incentivar a leitura; recontar as Académicos: histórias

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO - PAP

PROGRAMA DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO - PAP PROGRAMA DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO - PAP S U M Á R I O PROGRAMA DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO... 3 Da Definição... 3 Dos Objetivos... 3 Da Justificativa... 3 Dos Projetos, Ações e Atividades... 4 Projeto Entrando

Leia mais

Vani Kenski USP DESIGN INSTRUCIONAL

Vani Kenski USP DESIGN INSTRUCIONAL Vani Kenski USP DESIGN INSTRUCIONAL EAD uma modalidade diferente Ensinar a distância é muito diferente de ensinar presencialmente, mesmo para professores com larga experiência em educação. Aprender a distância

Leia mais

Plano de Atendimento Individualizado. Anexo II Instrução CGEB de 14/01/2015 Área da Deficiência Intelectual Resolução SE nº 61, de 11/11/2014

Plano de Atendimento Individualizado. Anexo II Instrução CGEB de 14/01/2015 Área da Deficiência Intelectual Resolução SE nº 61, de 11/11/2014 Plano de Atendimento Individualizado Anexo II Instrução CGEB de 14/01/2015 Área da Deficiência Intelectual Resolução SE nº 61, de 11/11/2014 Atendimento Pedagógico Especializado Deve ser assegurado para

Leia mais

CURRÍCULO ESCOLAR VMSIMULADOS

CURRÍCULO ESCOLAR VMSIMULADOS CURRÍCULO ESCOLAR 01. Segundo a LDB (Lei no 9394/96), os currículos do ensino fundamental e médio devem ter uma base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e estabelecimento escolar,

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CURSO: MATEMÁTICA DISCIPLINA: METODOLOGIA DO ENSINO DA MATEMÁTICA III SÉRIE: 4ª CARGA HORÁRIA: 144 HORAS PROFESSOR: EVERTON JOSÉ GOLDONI ESTEVAM ANO LETIVO: 2013 EMENTA A Matemática

Leia mais

Claudia Reyes Setembro, 2012

Claudia Reyes Setembro, 2012 Claudia Reyes Setembro, 2012 Apresentar informações sobre o papel da Secretaria de Educação a Distância (SEaD) na UFSCar e de suas coordenadorias para a organização, qualidade e sustentabilidade Apontar

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO Curso: Pedagogia a Distância Departamento: Departamento de Pedagogia a Distância Disciplina:

Leia mais

NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA E TECNOLÓGICA PRESENCIAIS DO IFNMG

NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA E TECNOLÓGICA PRESENCIAIS DO IFNMG Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Norte de Minas Gerais Pró-Reitoria de Ensino NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS

Leia mais

APRENDENDO COM O LUDO AÇÃO E RADICAL

APRENDENDO COM O LUDO AÇÃO E RADICAL ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES IPEZAL/ANGÉLICA- MS APRENDENDO COM O LUDO AÇÃO E RADICAL Ipezal/Angélica MS Abril 2012 ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES IPEZAL/ANGÉLICA- MS APRENDENDO COM O LUDO AÇÃO

Leia mais

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: ESPAÇO DE INCLUSÃO

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: ESPAÇO DE INCLUSÃO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: ESPAÇO DE INCLUSÃO Autores Terezinha Mônica Sinício Beltrão. Professora da Rede Pública Municipal de Ensino da Prefeitura do Recife e Professora Técnica da Gerência de Educação

Leia mais

Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento da EPT no Brasil até 2024

Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento da EPT no Brasil até 2024 Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento da EPT no Brasil até 2024 Marcelo Machado Feres Secretário de Educação Profissional e Tecnológica SETEC Ministério da Educação XXXIX edição da Reunião dos

Leia mais

Os Blogs construídos por alunos de um curso de Pedagogia: análise da produção voltada à educação básica

Os Blogs construídos por alunos de um curso de Pedagogia: análise da produção voltada à educação básica 1 Os Blogs construídos por alunos de um curso de Pedagogia: análise da produção voltada à educação básica Thaís Cristina Rodrigues Tezani Universidade Estadual Paulista (UNESP) thais@fc.unesp.br Pôster

Leia mais

PROJETO DO CURSO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO INTEGRADO EM INFORMÁTICA

PROJETO DO CURSO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO INTEGRADO EM INFORMÁTICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO. CAMPUS CERES DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL PROJETO DO

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TITULO I DO ESTÁGIO E SEUS OBJETIVOS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TITULO I DO ESTÁGIO E SEUS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TITULO I DO ESTÁGIO E SEUS OBJETIVOS CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E ABRANGÊNCIA ART. 1º - Denomina-se

Leia mais

O PLANEJAMENTO DA PRÁTICA DOCENTE: PLANO DE ENSINO E ORGANIZAÇÃO DA AULA

O PLANEJAMENTO DA PRÁTICA DOCENTE: PLANO DE ENSINO E ORGANIZAÇÃO DA AULA O PLANEJAMENTO DA PRÁTICA DOCENTE: PLANO DE ENSINO E ORGANIZAÇÃO DA AULA PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP) OU PROPOSTA PEDAGÓGICA Representa a ação intencional e um compromisso sociopolítico definido coletivamente

Leia mais

Contexto Internacional Ranking Global de Competitividade 2013/14

Contexto Internacional Ranking Global de Competitividade 2013/14 Contexto Internacional Ranking Global de Competitividade 2013/14 Brasil 56ª colocação dentre 148 países Queda de oito posições em relação a 2012/13 Rebaixamento em 11 dos 12 pilares que compõem o Índice

Leia mais

Dispõe sobre Sistema de Avaliação dos Estudantes da Rede Municipal de Ensino

Dispõe sobre Sistema de Avaliação dos Estudantes da Rede Municipal de Ensino Resolução SME nº 13/2012 de 26 de novembro de 2012 Dispõe sobre Sistema de Avaliação dos Estudantes da Rede Municipal de Ensino ARACIANA ROVAI CARDOSO DALFRÉ, Secretária Municipal da Educação, NO EXERCÍCIO

Leia mais

LIBRAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CURRÍCULO, APRENDIZAGEM E EDUCAÇÃO DE SURDOS

LIBRAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CURRÍCULO, APRENDIZAGEM E EDUCAÇÃO DE SURDOS LIBRAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CURRÍCULO, APRENDIZAGEM E EDUCAÇÃO DE SURDOS Área Temática: Formação de Professores HOVERDIANO CÉSAR PEREIRA CAETANO (UFPB) hoverdiano@gmail.com LUCAS ROMÁRIO DA SILVA

Leia mais

Escola SENAI Antônio Souza Noschese Santos -SP. Proposta Pedagógica. Uma nova visão

Escola SENAI Antônio Souza Noschese Santos -SP. Proposta Pedagógica. Uma nova visão Escola SENAI Antônio Souza Noschese Santos -SP Proposta Pedagógica Uma nova visão Nossa Proposta Pedagógica é a tradução do nosso compromisso com o desenvolvimento das pessoas, da sociedade e da indústria

Leia mais

Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil

Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil Marcelo Machado Feres Secretário de Educação Profissional e Tecnológica SETEC Ministério da Educação São Paulo, 01 de setembro

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA PROET Nº 3 DE 20 DE ABRIL DE Assunto: Recuperação Paralela

INSTRUÇÃO NORMATIVA PROET Nº 3 DE 20 DE ABRIL DE Assunto: Recuperação Paralela Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Rio de Janeiro IFRJ Pró-Reitoria de Ensino Médio e Técnico INSTRUÇÃO NORMATIVA PROET Nº 3 DE 20 DE ABRIL DE

Leia mais

A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) NO MUNICÍPIO DE SANTA INÊS/MA: OS DESAFIOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) NO MUNICÍPIO DE SANTA INÊS/MA: OS DESAFIOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) NO MUNICÍPIO DE SANTA INÊS/MA: OS DESAFIOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES Eriveth Silva Teixeira¹ ¹Acadêmica do 7º período do curso

Leia mais

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo CURSO 2 OBJETIVOS Discutir e fomentar conhecimentos sobre a compreensão das potencialidades,

Leia mais

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul 13/4/ :50:57 PROGRAD - Pró-Reitoria de Graduação DICE - Divisão de Controle Escolar.

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul 13/4/ :50:57 PROGRAD - Pró-Reitoria de Graduação DICE - Divisão de Controle Escolar. INFI - INSTITUTO DE FÍSICA [2401] FÍSICA - LICENCIATURA Período Letivo: 2017/1 Disciplina: [2401.000196-1] ESTÁGIO OBRIGATÓRIO I C.H.: 136 horas Professor(es): PAULO RICARDO DA SILVA ROSA (T01) 1. Ementa:

Leia mais

Política Nacional da Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Três Corações Minas Gerais Julho de 2011

Política Nacional da Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Três Corações Minas Gerais Julho de 2011 Política Nacional da Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva Três Corações Minas Gerais Julho de 2011 Do ponto de vista político... O movimento mundial pela inclusão é uma ação política,

Leia mais

Metodologias ativas na EaD. Sandra Rodrigues

Metodologias ativas na EaD. Sandra Rodrigues Metodologias ativas na EaD Sandra Rodrigues Metodologias ativas na EaD EaD no Brasil principais características Caminhos naturais para aprendizagem ativa nessa modalidade Participação e engajamento como

Leia mais

ENTRE ESCOLA, FORMAÇÃO DE PROFESSORES E SOCIEDADE, organizados na seguinte sequência: LIVRO 1 DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO NA RELAÇÃO COM A ESCOLA

ENTRE ESCOLA, FORMAÇÃO DE PROFESSORES E SOCIEDADE, organizados na seguinte sequência: LIVRO 1 DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO NA RELAÇÃO COM A ESCOLA APRESENTAÇÃO Apresentar os resultados do XVII ENDIPE tem para nós o significado especial de dever cumprido. É a alegria de fazermos parte desta história, de estarmos juntos nesta caminhada de mais uma

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

Educação a Distância. O Computador na Educação EDU /2. Prof.ª Sandra Andrea Assumpção Maria Prof.ª Letícia Rocha Machado

Educação a Distância. O Computador na Educação EDU /2. Prof.ª Sandra Andrea Assumpção Maria Prof.ª Letícia Rocha Machado Educação a Distância O Computador na Educação EDU3375 2011/2 Prof.ª Sandra Andrea Assumpção Maria Prof.ª Letícia Rocha Machado 1 EAD: Conceituação A EAD recebeu diversas denominações em diferentes países,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3ºSemestre. Roselaine R. Marconcine de Oliveira

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3ºSemestre. Roselaine R. Marconcine de Oliveira EIXO TECNOLÓGICO: Produção Alimentícia Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Técnico em Agroindústria Subsequente FORMA/GRAU:( )integrado ( X )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

FARTEC-FACULDADE REGIONAL TECMED LTDA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE - NAD. Atendimento Psicopedagógico Faculdade de Tecnologia TECMED

FARTEC-FACULDADE REGIONAL TECMED LTDA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE - NAD. Atendimento Psicopedagógico Faculdade de Tecnologia TECMED FARTEC-FACULDADE REGIONAL TECMED LTDA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE - NAD Atendimento Psicopedagógico Faculdade de Tecnologia TECMED 2016 REGULAMENTO DO NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE - NAD CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA CAPITULO I - DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA CAPITULO I - DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Dispõe sobre o Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Faculdade Capivari.

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Programa de Estágio Supervisionado Obrigatório

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Programa de Estágio Supervisionado Obrigatório UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA Programa de Estágio Supervisionado Obrigatório Curso de Licenciatura em Educação Física Ingressantes

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E DESPORTO SMED CEPIC/NTE Vale do Sinos UFRGS/LEC/UNISINOS.

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E DESPORTO SMED CEPIC/NTE Vale do Sinos UFRGS/LEC/UNISINOS. PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E DESPORTO SMED CEPIC/NTE Vale do Sinos UFRGS/LEC/UNISINOS Formadores: Ana Elisa Raimann Franke Gislaine Barreto Glaeser Jorge da Silva Brandão

Leia mais

PNAIC ELIANA HARA DE CARVALHO RABELLO COORDENADORA PNAIC - UNDIME SP

PNAIC ELIANA HARA DE CARVALHO RABELLO COORDENADORA PNAIC - UNDIME SP PNAIC 2017 ELIANA HARA DE CARVALHO RABELLO COORDENADORA PNAIC - UNDIME SP Eliana_rabello@yahoo.com.br 018 3704-4789 FOCO PNAIC 2017 ser alfabetizada é direito da criança foco nos estudantes da pré-escola

Leia mais

PLANO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO

PLANO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO PLANO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO Habilitação: Técnico em Química Área Profissional: Controle e Processos Industriais Carga horária total: 1.720 h/a - 5. Objetivos do Estágio: 1.433 horas mais

Leia mais

EXTENSÃO DE ESPANHOL

EXTENSÃO DE ESPANHOL 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA EXTENSÃO DE ESPANHOL Ivana Cristina Ribas Abrão 1 Sebastião

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS, SAÚDE E TECNOLOGIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DE GUARULHOS MANUAL DE ESTÁGIO

ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS, SAÚDE E TECNOLOGIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DE GUARULHOS MANUAL DE ESTÁGIO ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS, SAÚDE E TECNOLOGIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DE GUARULHOS MANUAL DE ESTÁGIO MANUAL DE ESTÁGIO Apresentação O início de um estágio é o momento exato para você conhecer os princípios

Leia mais

Rua Tupi, 118, Pacaembu São Paulo/SP CEP: Tel.: (11) / Ramal 224

Rua Tupi, 118, Pacaembu São Paulo/SP CEP: Tel.: (11) / Ramal 224 ENSINO A DISTÂNCIA PROFª (Me) MARLENE DE OLIVEIRA www.coins.com.br coins@sinsesp.com.br ORIGEM E EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1940 Primeiros Registros legais sobre a Educação a Distância (Reforma Capanema)

Leia mais

MOTIVOS DE EVASÃO E RETORNO DE JOVENS E ADULTOS AO ENSINO MÉDIO EM ALEGRE-ES

MOTIVOS DE EVASÃO E RETORNO DE JOVENS E ADULTOS AO ENSINO MÉDIO EM ALEGRE-ES MOTIVOS DE EVASÃO E RETORNO DE JOVENS E ADULTOS AO ENSINO MÉDIO EM ALEGRE-ES Annie da Silva Cassamali 1, Angélica Tomazeli da Silva 1, Afrânio Aguiar de Oliveira 2, Anderson Lopes Peçanha 1 1 Universidade

Leia mais

LISTA DE FIGURAS, GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS

LISTA DE FIGURAS, GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS iii LISTA DE FIGURAS, GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS Capítulo I Tabela nº 1 Composição da amostragem: professores e alunos em relação às quantidades de questionários enviados/recebidos na pesquisa.. 6 Tabela

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2016 Plano de Curso nº 267 aprovado pela portaria Cetec nº 182 de 26/09/2013 Etec Maria Cristina Medeiros Código: 141 Município:

Leia mais

ED5.3 Dinâmica da sala de aula

ED5.3 Dinâmica da sala de aula ED5.3 Dinâmica da sala de aula Estudo Dirigido: 5.3 Dinâmica da sala de aula Habilidade 1: Entender o conceito e a estrutura para planejar uma boa aula. Habilidade 2: Entender técnicas pedagógicas de ensino

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 010/2017 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO LIVRO PARADIDÁTICO NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA MODALIDADE EJA: CONTRIBUIÇÕES PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA.

A UTILIZAÇÃO DO LIVRO PARADIDÁTICO NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA MODALIDADE EJA: CONTRIBUIÇÕES PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA. A UTILIZAÇÃO DO LIVRO PARADIDÁTICO NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA MODALIDADE EJA: CONTRIBUIÇÕES PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA. Autor: Fernanda Cíntia Costa Matos Universidade Federal do Ceará fcintiacm@gmail.com

Leia mais

NÚCLEOS DE ENSINO Edital 2016

NÚCLEOS DE ENSINO Edital 2016 NÚCLEOS DE ENSINO Edital 2016 A Reitoria, por intermédio da Pró-Reitoria de Graduação PROGRAD, torna público e CONVIDA os professores da UNESP, interessados em Educação, a apresentarem propostas para obtenção

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS.

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. Luciana Barros Farias Lima Instituto Benjamin Constant Práticas Pedagógicas Inclusivas

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio

Leia mais

A reformulação do Plano de Estudos deverá ser realizada, pelo aluno, no período de 13 a 23 de outubro 2013.

A reformulação do Plano de Estudos deverá ser realizada, pelo aluno, no período de 13 a 23 de outubro 2013. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO-Coordenação de Oferta e Matrícula A reformulação do Plano de Estudos deverá ser realizada, pelo aluno, no período de 13 a 23 de outubro 2013.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino EIXO TECNOLÓGICO: Turismo, Hospitalidade e Lazer CURSO: Técnico em eventos Integrado FORMA/GRAU: ( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico CETEC. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: Nível Médio de Técnico em Administração

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico CETEC. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: Nível Médio de Técnico em Administração Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Nível Médio de Técnico em Administração

Leia mais

Futuro Integral. Categoria do projeto: III Projetos finalizados (projetos encerrados) Nome da Instituição/Empresa: SESC Parana Unidade Apucarana

Futuro Integral. Categoria do projeto: III Projetos finalizados (projetos encerrados) Nome da Instituição/Empresa: SESC Parana Unidade Apucarana Futuro Integral Mostra Local de: Apucarana (Municípios do Vale do Ivaí) Categoria do projeto: III Projetos finalizados (projetos encerrados) Nome da Instituição/Empresa: SESC Parana Unidade Apucarana Cidade:

Leia mais

Oficina de Apropriação de Resultados PAEBES 2013

Oficina de Apropriação de Resultados PAEBES 2013 Oficina de Apropriação de Resultados PAEBES 2013 Oficina de Apropriação de Resultados de BIOLOGIA Dinâmica Eu não sou eu.sou o momento:passo. Mario Quintana Objetivos: Interpretar os resultados da avaliação

Leia mais

Oficina de Apropriação de Resultados. Paebes 2013

Oficina de Apropriação de Resultados. Paebes 2013 Oficina de Apropriação de Resultados Paebes 2013 Oficina de Apropriação de Resultados de Alfabetização Objetivos: Interpretar os resultados da avaliação do Programa de Avaliação da Educação Básica do Espírito

Leia mais

A PRÁTICA PEDAGÓGICA E O PROCESSO DE INCLUSÃO DOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NOS ANOS INICIAIS

A PRÁTICA PEDAGÓGICA E O PROCESSO DE INCLUSÃO DOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NOS ANOS INICIAIS A PRÁTICA PEDAGÓGICA E O PROCESSO DE INCLUSÃO DOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NOS ANOS INICIAIS Natalia Barbosa Verissimo Profª Dra. Célia Regina Vitaliano Danielle Nunes Martins do

Leia mais

Palavras-chave: Salas de Recursos Multifuncionais. Alunos com Necessidades Educacionais especiais. Avaliação.

Palavras-chave: Salas de Recursos Multifuncionais. Alunos com Necessidades Educacionais especiais. Avaliação. 01191 AVALIAÇÃO PARA O PLANEJAMENTO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO: INSTRUMENTO NECESSÁRIO À INCLUSÃO DOS ALUNOS COM NEEs NA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE IMPERATRIZ RESUMO MSc Rita Maria Gonçalves de Oliveira

Leia mais

USO DE ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NAS AULAS DE FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA PARA O ESTUDO DA GRAVITAÇÃO

USO DE ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NAS AULAS DE FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA PARA O ESTUDO DA GRAVITAÇÃO USO DE ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NAS AULAS DE FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA PARA O ESTUDO DA GRAVITAÇÃO Maria Betania Guedes Cândido 1 ; Alessandro Frederico da Silveira 2 1 Escola Estadual de Ensino

Leia mais

METODOLOGIA DO ENSINO SUPERIOR à distância

METODOLOGIA DO ENSINO SUPERIOR à distância FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI FLORIANÓPOLIS DIREÇÃO GERAL DA FACULDADE: ROBERTO DE MEDEIROS JUNIOR COORDENAÇÃO DA FACULDADE: JEHAN CARLA ZUNINO LUCKMANN COORDENAÇÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU:

Leia mais

FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES NA EJA: DIFICULDADES ENCONTRADAS POR LICENCIADOS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM MATEMÁTICA NA UESB

FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES NA EJA: DIFICULDADES ENCONTRADAS POR LICENCIADOS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM MATEMÁTICA NA UESB FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES NA EJA: DIFICULDADES ENCONTRADAS POR LICENCIADOS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM MATEMÁTICA NA UESB Ana Gabriela Dias Pacheco Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB

Leia mais

23 a 27 de outubro de 2017 NORMAS PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS

23 a 27 de outubro de 2017 NORMAS PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS I Semana do Conhecimento VI SEMCITEC Semana de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento de Guarulhos 23 a 27 de outubro de 2017 NORMAS PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS I. A SEMCITEC A SEMCITEC - Semana

Leia mais

Palavras-chaves: Avaliação Educacional; SPAECE; Gestão Pedagógica.

Palavras-chaves: Avaliação Educacional; SPAECE; Gestão Pedagógica. 00439 A GESTÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO E SUA RELAÇÃO COM O SISTEMA PERMANENTE DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO CEARÁ SPAECE. Autora: Diva Lima - UECE i Coautor: Prof. Dr. Antonio Germano

Leia mais

FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS

FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS HORIZONTINA - RS 2011 PAE Programa de Acompanhamento de Egressos I HISTÓRICO Desde 2006, ano em que formou a sua primeira turma,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I DA DEFINIÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - A Coordenação do Curso de Licenciatura em Química da UTFPR Campus

Leia mais

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MANUAL DE AT ATIVIDADES TRANSVERSAL

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MANUAL DE AT ATIVIDADES TRANSVERSAL CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MANUAL DE AT ATIVIDADES TRANSVERSAL CONCEITOS, NORMAS E PROCEDIMENTOS REGULAMENTO ATIVIDADES TRANSVERSAL I DA DEFINIÇÃO Art. 1º Por Transversalidade

Leia mais