Relatório mensal das atividades

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório mensal das atividades"

Transcrição

1 Relatório mensal das atividades Novembro/2010

2 SUMÁRIO INTRODUÇÃO ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO CONSUMO DE ÁGUA E ENERGIA ELÉTRICA INVESTIMENTOS REDES COLETORAS DE ESGOTO SUSTENTABILIDADE TREINAMENTOS... 38

3 INTRODUÇÃO Este relatório tem como base o contrato de PPP Administrativa, firmado entre a SAEG Companhia de Serviço de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá e a CAB Guaratinguetá, e em sua cláusula décima sexta, item 4, que estabelece o seguinte: Para o recebimento da contraprestação, a SPE apresentará relatório mensal dos serviços executados no período compreendido entre o primeiro e o último dia de cada mês, sempre no 1º (primeiro) dia útil do mês posterior ao da execução dos serviços. Em atendimento à cláusula supracitada, estão descritos neste relatório os investimentos e serviços realizados no mês de novembro de 2010 em todo o sistema operacional de esgoto existente, que compreende as 13 Estações Elevatórias de Esgoto, quais sejam: Chácara Selles, centro (Defesa Civil), Jardim do Vale, Bom Retiro, Pingo de Ouro, Vitória, Jequitibás, Belo Horizonte, Internacional Parque, São Manoel Rua 1 e Rua 3, Jardim Rony e EATON (Vila Regina); 03 Estações de Tratamento de Esgoto, as ETE s Campo do Galvão, Vila Bela e Pedrinha e rede coletora de esgoto. 2

4 1 - ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO Foi dada continuidade às vistorias periódicas das EEE s, com a freqüência mínima de duas vezes na semana (segundas e sextas), a fim de avaliar as condições de funcionamento dos equipamentos (bombas, bóias, painéis etc.), registrando as informações em check list s, confeccionados para tal, que seguem anexados neste relatório e são arquivadas no Livro de Ocorrência, à disposição para consulta em nossas instalações. Também teve prosseguimento, no mês que faz referência este relatório, as limpezas dos poços e das instalações internas e externas das EEE s (varrição, corte de grama, pintura, etc) para atender a programação previamente elaborada ao serviço supracitado. Referentes aos serviços necessários para instalar as bombas Flygt, na Estação Elevatória do Pingo de Ouro, conforme registrado no relatório relativo ao mês de setembro de 2010, a CAB Guaratinguetá finalizou a cotação e definiu a empresa Fransterra Construtora como responsável pela execução dos serviços, que terão início no dia 05 de dezembro/2010 e término previsto para o dia 15 de janeiro/2011. Neste mês, foram realizadas algumas intervenções nas Estações Elevatórias de Esgoto, conforme descrições abaixo: EEE Chácara Selles foi feita a troca da bóia de nível EEE Senac a bomba 01 foi reinstalada, após a sua manutenção EEE s Jequitiba, Vitória, Belo Horizonte, Internacional Parque e São Manoel Ruas 01 e 03 limpeza dos poços, que recebem o esgoto bruto com o auxílio do caminhão hidrovácuo e equipe operacional e serviço de capina. EEE Jardim do Vale limpeza no gradeamento de entrada EEE Vila Regina foi feito o teste de operação no sistema do gerador 3

5 RELATÓRIO FOTOGRÁFICO DAS INTERVENÇÕES NAS EEE s EEE Belo Horizonte Limpeza do poço Pintura do tubo de saída do esgoto tratado EEE São Manoel Rua 01 Limpeza do poço 4

6 EEE São Manoel Rua 03 Limpeza do poço EEE Clube dos 500 Serviço de capina Anexados seguem os check lists das estações elevatórias 5

7 2 - ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO ETE Campo do Galvão A CAB Guaratinguetá continua realizando, de forma contínua, a recirculação de lodo dos decantadores para a Estação Elevatória de Esgoto Bruto, a fim de privilegiar a dinâmica do processo, otimizando a eficiência da estação. Contudo, algumas ações mais imediatas foram realizadas no período de vigência deste relatório, listadas a seguir. Limpeza e conservação geral das instalações internas e externas da ETE, incluindo a pintura dos prédios, painéis, guias, tanques, guardacorpos, o corte da grama, a varrição e o jateamento dos tanques e pisos que compõem as mesmas, com Lava Jato, realizados pelos operadores, além da limpeza e organização das instalações que compõem o prédio administrativo, seguindo programação pré-elaborada. Continuam os treinamentos contínuos dos colaboradores da empresa, incluindo operação e processo aplicado na ETE, análises de monitoramento, rotinas de laboratório, cronograma de limpezas, segurança no trabalho, educação no trânsito, considerando a especificidade para cada tipo de função (operador ou ajudante). Limpeza no canal de entrada de esgoto bruto, composta de gradeamento e caixa de areia, com auxílio do caminhão Hidrovácuo e equipe operacional. Troca da bóia de nível do poço de esgoto bruto. Instalação de grade nos guarda corpos da estação. 6

8 Grades instaladas no guarda-corpo do corredor da lateral direita dos tanques Manutenção das bombas 01 e 02. Manutenção na tubulação de recalque do chorume. Em cumprimento ao Plano de Manutenção das Estações de Tratamento de Esgoto, foi feito o reaperto e a limpeza nos painéis das bombas e aeradores. A Licença de Operação foi publicada no dia 10 de novembro no Diário Oficial do Estado e, no dia 12 no periódico de circulação local, o Jornal Notícias. A licença de nº tem validade até 27/09/2015. Foi dada continuidade à coleta e análises por laboratório externo (AMPROLAB), credenciado pela CETESB, para monitoramento da ETE 7

9 e atendimento à Licença de Operação. A coleta, composta, foi realizada em 08/11/2010, no período de 08h00 às 18h00. Esses resultados estão disponibilizados em anexo. Ao verificar os resultados das análises observou-se que todos os parâmetros analisados na saída do processo (esgoto tratado), pelo laboratório contratado, atendem aos padrões estabelecidos pelas legislações ambientais, referenciadas nos relatórios de análises Nºs , , anexados. Houve uma redução em termos da DBO em 87,55 % e a concentração da DBO no esgoto tratado foi de 28 mg/l, sendo que a Legislação (CETESB; artigo 18) exige 80 % ou 60 mg/l, respectivamente. 8

10 Segue anexado o relatório de operação da ETE Campo do Galvão, com o registro das vazões médias diárias e a vazão média do mês, em formulário da SAEG, a ser encaminhado para a CETESB, atendendo a exigência do órgão ambiental. 9

11 2.2 - ETE Vila Bela Na ETE Vila Bela, continua a realização, de forma contínua, a recirculação de lodo dos decantadores para a estação elevatória de esgoto bruto, a fim de privilegiar a dinâmica do processo, otimizando a eficiência da estação. O lodo (excedente) continua sendo encaminhamento (excedente) para o Adensador e posteriormente para aos leitos de secagem, com a finalidade de encaminhar um lodo mais concentrado para desidratação. Entretanto, algumas ações mais imediatas foram realizadas no período de vigência deste relatório, listadas baixo. Limpeza e conservação geral das instalações internas e externas da ETE, incluindo a pintura dos prédios, painéis, guias, tanques, guardacorpos, a varrição e o jateamento dos tanques e pisos que compõem as mesmas com Lava Jato, realizados pelos operadores, além da limpeza e organização das instalações que compõem o prédio administrativo, seguindo programação pré-estabelecida pela empresa. Corte de grama, poda das árvores e limpeza geral das instalações externas da ETE Vila Bela, feito por empresa contratada para este fim, dando continuidade à programação estabelecida para tal Limpeza no canal de entrada do esgoto bruto, composta de gradeamento e caixa de areia, com auxílio do caminhão Hidrovácuo e equipe disponibilizada para tal. Continuam os treinamentos dos nossos colaboradores, incluindo operação e processo aplicado na ETE em referência, análises de monitoramento, rotinas de laboratório, cronograma de limpezas, segurança no trabalho, educação no trânsito, considerando a especificidade para cada tipo de função (operador ou ajudante); 10

12 Reaperto e limpeza nos painéis das bombas e aeradores a fim de cumprir com o plano de manutenção das estações de tratamento de esgoto. A bomba de recalque 2 foi retirada para manutenção e já foi reinstalada. Foram confeccionados e instalados guarda corpos no acesso ao tanque de aeração. Guarda-corpos instalados A coleta e a realização de análises por laboratório externo (AMPROLAB), credenciado pela CETESB continuam para monitorar da ETE e atender a Licença de Operação. A coleta, composta, foi realizada em foi realizada em 08/11/2010, no período de 08h00 às 18h00. Após verificar os resultados das análises, observou-se que todos os parâmetros analisados na saída do processo (esgoto tratado), pelo laboratório contratado, atendem aos Padrões Estabelecidos pelas Legislações Ambientais, referenciadas nos Relatórios de Análises Nºs , , anexados. 11

13 . Houve uma redução em termos da DBO em 80,57 % e a concentração da DBO no esgoto tratado foi de 102 mg/l, sendo que a Legislação (CETESB; artigo 18) exige 80 % ou 60 mg/l, respectivamente. 12

14 Segue anexado o relatório de operação da ETE Vila Bela com as vazões médias diárias e a vazão média do mês, registradas em formulário da SAEG que é encaminhado à CETESB em atendimento à exigência do órgão ambiental. 13

15 2.3 - ETE Pedrinha Com relação às alterações necessárias na ETE Pedrinha, cumpre-nos informar o descrito abaixo. As obras, e a própria instalação do instrumento de medição da vazão da entrada do esgoto bruto e saída do esgoto tratado, serão programadas de acordo com cronograma estabelecido pela CAB Guaratinguetá. Continua o estudo para viabilizar, por meio de contato com novas empresas, de forma efetiva o descarte de lodo para o leito de secagem, com a construção de elevatória de recirculação de lodo; instalar medidor de vazão do recirculado, além de encaminhar essa contribuição ao tanque de aeração, de forma contínua. Todavia, ao longo do mês, foram feitas algumas ações mais imediatas listadas a seguir. Limpeza e conservação geral das instalações internas e externas da ETE, com a pintura das mesmas, a varrição, a roçada da grama, a pintura do meio fio com cal, o jateamento dos tanques e pisos que compõem as mesmas com lava jato, serviços realizados pelos operadores. A limpeza e a organização das instalações que compõem o prédio administrativo também foram realizadas pelos operadores da ETE. Treinamento contínuo com os colaboradores, incluindo operação e processo aplicado na ETE em referência, análises de monitoramento, rotinas de laboratório, cronograma de limpezas, segurança no trabalho, educação no trânsito, considerando a especificidade para cada tipo de função (operador ou ajudante). 14

16 Limpeza no canal de entrada do esgoto bruto, que engloba o gradeamento e caixa de areia, com auxílio do caminhão Hidrovácuo e equipe operacional. Reaperto e limpeza nos painéis das bombas e aeradores a fim de cumprir com o Plano de Manutenção das Estações de Tratamento de Esgoto. Lubrificação da válvula de alívio de ar e abastecimento do nível de óleo da bomba de recalque de esgoto bruto. Monitoramento, corte de grama, replantio de algumas mudas e rega das 170 (cento e setenta) mudas de essências arbóreas nativas, plantadas na margem esquerda do Córrego Cacunda, em Guaratinguetá, área urbanizada, localizada na Avenida Ministro Salgado Filho s/nº, em frente ao bar 14 Bis, no mês de julho de 2010, conforme registrado no relatório referente ao mês em epígrafe, a fim atender as exigências da CETESB, registradas em Ofício Nº 137/08, como compensação da obra de implantação do novo emissário de efluente tratado da ETE Pedrinha. Corte de grama e replantio de algumas mudas 15

17 Coleta e análises por laboratório externo (AMPROLAB), credenciado pela CETESB, para monitoramento da ETE e atendimento à Licença de Operação. A coleta, composta, foi realizada em 08/11/2010, no período de 08h00 às 18h00. Esses resultados estão disponibilizados em anexo. Após verificar os resultados das análises observou-se que todos os parâmetros analisados na saída do processo (esgoto tratado), pelo laboratório contratado, atendem aos Padrões Estabelecidos pelas Legislações Ambientais, referenciadas nos Relatórios de Análises Nºs e Houve uma redução em termos da DBO de 99,21% e a concentração da DBO no esgoto tratado foi de 28 mg/l, sendo que a Legislação (CETESB; artigo 18) exige 80 % ou 60 mg/l, respectivamente. 16

18 Segue abaixo um quadro resumo, onde são indicados os parâmetros vazão de esgoto (média) e volume tratados, DBO de entrada e saída, assim como a eficiência que vem sendo observada nas Estações de Tratamento de Esgoto do Campo do Galvão, Vila Bela e Pedrinha, considerando a média do ano de 2009 e os meses de janeiro a outubro de 2010, como medida para o acompanhamento e avaliação do desempenho das respectivas ETE s. 17

19 QUADRO RESUMO 18

20 19

21 3 - CONSUMO DE ÁGUA E ENERGIA ELÉTRICA As próximas planilhas apresentam o consumo de água e energia elétrica nas estações elevatórias e de tratamento. 20

22 21

23 22

24 23

25 24

26 4 - INVESTIMENTOS 4.1- Extensão de rede Neste mês de novembro de 2010, foi executada uma extensão de 39 metros de rede coletora de esgoto em tubo PVC corrugado com diâmetro DN 150 mm e construção de 01 poço de visita na Rua Olyntho Antunes Oliveira, no bairro Jardim Bela Vista. O serviço foi realizado pela empresa contratada Fransterra Construtora, como mostra o relatório fotográfico abaixo. Início da escavação Assentamento dos tubos Fechamento das valas Construção do poço de visita 25

27 O quadro abaixo apresenta o resumo dos processos de extensões de rede executadas desde o início desse terceiro ano de contrato de PPP Administrativa. 26

28 4.2 - Sub Sistema Pedregulho - Coletor Tronco Santa Luzia Como já relatado nos relatórios dos últimos meses, a obra consiste na execução de 2.427,27 m de linha de recalque e m de coletor tronco, para a coleta e o afastamento do esgotamento sanitário do bairro de Santa Luzia até a ETE Pedregulho, que se encontra em processo de construção. Ao longo do trecho serão instaladas 03 (três) Estações Elevatórias de Esgoto, com vazões de 8,17, 29,96 e 38,13 l/s, respectivamente. Ao longo deste, que referencia este relatório, foram executados os serviços de alvenaria das casas de bombas e acabamento interno e externo, infraestrutura para alimentação elétrica e comando das bombas, além da cobertura das elevatórias 4.1. Santa Luzia, 4.2. Parque ecológico (Entrada) e Parque ecológico (Chorume). Também foram feitos o aterro e a compactação das áreas das elevatórias, regularização da área interna do parque ecológico com lançamento de BGS, reposição da cerca da divisa do parque. No início de novembro, foram entregues os conjuntos de bombas de recalque das elevatórias. Os painéis elétricos estão prontos aguardando a conclusão civil para montagem dos equipamentos. O projeto da entrada de energia do parque ecológico Santa Luzia para alimentar as elevatórias de esgoto foi alterado do padrão K para o padrão L, instalando mais dois medidores de energia, conforme solicitação da empresa edp Bandeirante. As revisões necessárias no projeto de viabilidade para entrada de energia serão entregues no início de dezembro e aguará aprovação da Bandeirante. Em anexo, segue diário de obra com outros detalhes da obra, no período que compreende este relatório. 27

29 Relatório fotográfico Infraestrutura elétrica EEE Chorume Infraestrutura elétrica EEE 4.1. Santa Luzia Alvenaria da EEE 4.1. Cobertura da EEE 4.1. Alvenaria EEE 4.2. Parque Ecológico Padrão de entrada de energia EEE

30 4.3 - Ligações novas de esgoto Nos dois primeiros anos de operação, compreendendo o período de julho de 2008 até junho de 2010, foram executadas 666 novas ligações de esgoto. A partir de julho de 2010, iniciou-se o terceiro ano de vigência do contrato e, neste período, a CAB Guaratinguetá já realizou um total de 282 novas ligações de esgoto, conforme relacionadas abaixo. MÊS Julho de 2010 Agosto de 2010 Setembro de 2010 Outubro de 2010 Novembro de 2010 QUANT. LIGAÇÕES EXECUTADAS 52 ligações 69 ligações 43 ligações 67 ligações 49 ligações 5 REDES COLETORAS DE ESGOTO Ordens de Serviços entre os meses de Julho/08 e Novembro/10 A tabela e o gráfico abaixo apresentam o comparativo do número de ordens de serviços com o índice pluviométrico, no período de julho de 2008 a novembro de

31 5.2 - Demanda das Ordens de Serviço (OS s) Durante o mês de novembro de 2010, foram emitidas 283 Ordens de Serviços. Neste universo de OS s geradas, foram concluídas 281. Para uma comparação mais apurada entre novembro de 2010 e novembro de 2009, foi feito um levantamento do número de ordens de serviços emitidas e que não decorriam de problemas relacionados a esgoto (água, drenagem de águas pluviais etc). Em novembro de 2009, foram emitidas 324 OS s, sendo que 78 não eram provenientes de esgoto. Já em novembro de 2010 foram emitidas 283 OS s, sendo 57 sem referência a esgoto. 30

32 Dessa forma, comparando somente as ordens referentes a serviço de esgoto, foi observada uma redução de cerca de 9%. A seguir estão relacionados os serviços mais relevantes ao longo do mês. OS Nº / Afundamento de esgoto. Rua Avenida Basf, 2297 Engenheiro Neiva No dia 05 de novembro de 2010, foi emitida a Ordem de Serviço Nº /2010-7, na Avenida Basf, 2297, Engenheiro Neiva, referente à reclamação de afundamento de esgoto. No mesmo dia, a equipe técnica da CAB Guaratinguetá esteve no local e verificou que o afundamento estava localizado sobre a rede coletora de esgoto, sendo necessária a utilização de retro-escavadeira para executar os serviços. O serviço foi programado e executado no dia 08 de novembro, no local foi feito o reparo da rede de esgoto, aterro e compactação da vala, e limpeza geral. OS Nº / Vazamento de esgoto. No dia 24 de novembro de 2010, foi emitida a Ordem de Serviço Nº /2010-0, na Avenida Carlos Rebello Junior, 320, Vila Paraíba, referente ao serviço de entupimento no ramal de esgoto. A equipe esteve no local no mesmo dia e constatou que não havia caixa de inspeção. Após autorização do cliente, a equipe quebrou a calçada e desobstruiu o ramal e o cliente foi orientado a instalar a caixa de inspeção. 31

33 Relatório fotográfico Local do vazamento na calçada Abertura do local do vazamento Ramal de esgoto vazando Ramal consertado com tubo corrugado OS Nº / Substituição do ramal de esgoto. Foi emitida a Ordem de Serviço Nº /2010-1, na Rua Vieira Rodrigues, 43, Engenheiro Neiva, referente ao serviço de substituição de ramal de esgoto. Após chegar ao local, a equipe observou a necessidade de uma retro escavadeira para fazer o serviço, que foi programou e executado no dia 03 de novembro de No local, foi feita a substituição de 07 metros do ramal em manilha por tubo de PVC, corrugado, Ø 100 mm, interligando-o na rede coletora de esgoto. 32

34 OS Nº / Trocar tampa de PV. No dia 23 de novembro de 2010, foi emitida a Ordem de Serviço Nº /2010-6, na Rua Alexandrina Ferreira Leite, 395, São Manoel, referente ao serviço de substituição de tampa de PV. Neste mesmo dia, a equipe retirou o tampão e trocou a terra, compactando o solo em camadas de 20 cm e, em seguida, instalou um novo tampão de ferro. O local permaneceu sinalizado até o dia seguinte para garantir a boa fixação do material. Interligação da caixa de inspeção da Oscar Calçados no PV de PEAD. No dia 16 de outubro de 2010, após a autorização da Oscar Calçados, junto a SAEG, a CAB Guaratinguetá iniciou o assentamento da rede de esgoto para interligação da caixa de inspeção, localizada no interior da loja Oscar Calçados, ao PV de PEAD, instalado na rede coletora de esgoto da Rua Comendador João Galvão, no centro da cidade. Os trabalhos no interior da loja foram realizados nos dias 16, 23, 24, 30 e 31 de outubro e 06, 07, 13, 14, 18, 19 e 21 de novembro de 2010, resultando na interligação da nova rede. Essa intervenção foi necessária para adequar a rede do local e minimizar os impactos da água pluvial na rede de esgoto. Contudo, a CAB continuará o monitoramento do sistema de coleta com intervenções preventivas periódicas. 33

35 Relatório fotográfico Assentamento dos tubos Rede assentada em baixo da escada Recolocação dos 03 degraus da escada Trecho rede concluído Abertura da vala no estoque da loja Tubo corrugado assentado no estoque 34

36 Compactação no estoque da loja A tampa de concreto da caixa de inspeção foi substituída por um tampão de ferro Início da escavação em frente à loja Escavação ao lado do PV de Pead Tubo que interligou a rede do interior da loja, no PV de PEAD. Compactação da vala em frente a loja Oscar Calçados. 35

37 Vistoria no Shopping Buriti Atinente à notificação extrajudicial, movida pela SAEG, em 23 de junho de 2010, contra o Shopping Buriti, a CAB Guaratinguetá continua, por solicitação da SAEG, as vistorias interna e externa no local para verificar e avaliar a condição das caixas de gordura, o possível lançamento de águas pluviais e o PV que recebe o esgoto produzido no shopping, localizado na rua Padre Geraldo Rodrigues de Oliveira. No dia 17 de novembro de 2010, a inspeção apontou o excesso de gordura, mau cheiro e obstrução na rede, em função do lançamento de gordura na rede por parte do Shopping Buriti, evidenciando que o problema continua, é crônico e, causa transtorno aos usuários da região. No início do mês, a diretoria do shopping iniciou as obras para instalar uma caixa de gordura de litros, com 6 horas de retenção para atender a praça de alimentação, conforme proposta apresentada à SAEG e registrada no relatório do mês anterior. A previsão é de que a obra seja concluída no início de dezembro e, segundo o shopping, minimize o problema. Contudo, mesmo com o novo sistema, a CAB Guaratinguetá continuará monitorando tanto as caixas do shopping quanto a rede da rua. Relatório Fotográfico PV cheio de gordura proveniente do shopping Buriti 36

38 Construção da nova caixa com capacidade para litros Manutenção Preventiva Em função do início do período de chuvas na região, não possível concluir a manutenção preventiva, iniciada no bairro Engenheiro Neiva, porque o caminhão combinado tem dedicado maior tempo nas ordens de serviços de rotina, a maior parte geradas no momento da chuva. Até o momento, os bairros atendidos, até o mês que faz referência este relatório, são os registrados a seguir. Vila Municipal I Vila Municipal II Comerciários II Jardim do Vale I Jardim Esperança Beira Rio Parque do Sol Engº. Neiva (em andamento) 37

39 6 - AVALIAÇÃO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA CAB A SAEG e a CAB Guaratinguetá continuam com as vistorias, neste mês de novembro de 2010, junto aos usuários que, em algum momento, solicitaram serviço de esgoto, como: obstrução de ramal e rede, afundamento, verificações diversas etc, conforme já mencionado nos relatórios anteriores. Os resultados das vistorias apontam o retorno positivo do usuário atendido pela CAB Guaratinguetá; praticamente em sua unanimidade, atestando à prestação de um serviço de qualidade e com agilidade no atendimento. 7 - SUSTENTABILIDADE Campanha Gordura não cabe no esgoto O quadro resumo a seguir apresenta o balanço da coleta de óleo deste mês da campanha Gordura não cabe no esgoto, lançada em junho de Participação na Semana da Tecnologia A CAB Guaratinguetá participou da Semana da Tecnologia da FATEC, que foi realizada entre os dias 22 e 26 de novembro, com informações gerais sobre os serviços públicos de esgotamento sanitário prestados ao município e demonstração in loco do tratamento de esgoto. 38

40 Além de informações impressas, um operador da Estação de Tratamento de Esgoto Campo do Galvão faz, ao vivo, análises de ph e turbidez dos efluentes. Dessa forma, os visitantes podem conhecer o processo de tratamento de esgoto utilizado no município e entender a importância dos investimentos na área de coleta e tratamento de esgoto para garantir a qualidade de vida de todos. Demonstrações na Semana da Tecnologia 8 - TREINAMENTOS Reciclagem do Manual de Etiqueta no Trabalho As equipes operacional e administrativa participaram no dia 08 de novembro da reciclagem do Manual de Etiqueta no trabalho. Durante o evento, foram reforçados alguns conceitos como a importância do cuidado pessoal, da boa aparência, educação, paciência e cordialidade no atendimento aos usuários, uso adequado de ferramentas, materiais e equipamentos de segurança entre outros que garantem a qualidade da prestação dos serviços e bem estar dos colaboradores. Para encerrar, todos os colaboradores receberam uma nécessaire com produtos de higiene pessoal, conforme fotos abaixo. 39

41 Reciclagem do manual e entrega dos kits 8.2-1ª Sipat 2010 A CAB Guaratinguetá promoveu entre os dias 22 e 26 de novembro a 1ª Sipat com o tema CAB olhando para o futuro, que foi escolhido no concurso entre todos os colaboradores da empresa. Todos os dias as atividades foram iniciadas com ginástica laboral e contou com a participação de 100% da equipe. Abaixo seguem o cronograma e as fotos das atividades da 1ª Sipat. 40

42 Dia da semana Palestra 22/11 Segunda-feira Saúde em movimento abordando todos os temas obrigatórios como: tabagismo, obesidade, alcoolismo, DST. 23/11 Terça-feira Realização da CAB Guaratinguetá e CAB Piquete 24/11 Quarta-feira Código de ética 25/11 Quinta-feira Motivação e planejamento financeiro e familiar 26/11 Sexta-feira Ergonomia e massagem Relatório fotográfico Palestras 41

43 As atividades foram iniciadas todos os dias com ginástica laboral Todos os dias, as atividades foram encerradas com café da manhã A seguir apresentamos a listagem geral de todas as OS s geradas no mês de novembro de 2010, bem como o resumo por tipo de serviço e respectivos gráficos. 42

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 4

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 4 INDICE Introdução:... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 4 Página 1 de 16 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de maio de 2009, conforme

Leia mais

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 4

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 4 INDICE Introdução:... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 4 Página 1 de 18 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de abril de 2009, conforme

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL ANO - 7 NOVEMBRO/2014

RELATÓRIO MENSAL ANO - 7 NOVEMBRO/2014 RELATÓRIO MENSAL ANO - 7 NOVEMBRO/2014 TERMO DE CONTRATO DE PARCERIA PÚBLICO PRIVADA CONTRATANTE: SAEG Companhia de Serviços de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá. OBJETO: Prestação de Serviços público

Leia mais

INDICE. Introdução... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 5

INDICE. Introdução... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 5 INDICE Introdução... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 5 Página 1 de 19 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de outubro de 2009, conforme

Leia mais

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 5

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 5 INDICE Introdução:... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 5 Página 1 de 21 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de março de 2009, conforme

Leia mais

Durante o mês de janeiro de 2009, foram emitidas 437 Ordens de Serviço. Neste universo de OS s geradas, foram concluídas 429.

Durante o mês de janeiro de 2009, foram emitidas 437 Ordens de Serviço. Neste universo de OS s geradas, foram concluídas 429. Redes Coletoras de Esgoto O mês de janeiro de 2009 foi marcado pelo aumento do número de Ordens de Serviços (OS) causado pela grande incidência de chuvas, elevando significativamente os casos de afundamentos

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL ANO - 6 NOVEMBRO/2013

RELATÓRIO MENSAL ANO - 6 NOVEMBRO/2013 RELATÓRIO MENSAL ANO - 6 NOVEMBRO/2013 TERMO DE CONTRATO DE PARCERIA PÚBLICO PRIVADA CONTRATANTE: SAEG Companhia de Serviços de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá OBJETO: Prestação de Serviços público

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL ANO - 7 DEZEMBRO/2014

RELATÓRIO MENSAL ANO - 7 DEZEMBRO/2014 RELATÓRIO MENSAL ANO - 7 DEZEMBRO/2014 TERMO DE CONTRATO DE PARCERIA PÚBLICO PRIVADA CONTRATANTE: SAEG Companhia de Serviços de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá. OBJETO: Prestação de Serviços público

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL JULHO/2013

RELATÓRIO MENSAL JULHO/2013 RELATÓRIO MENSAL JULHO/2013 TERMO DE CONTRATO DE PARCERIA PÚBLICO PRIVADA CONTRATANTE: SAEG Companhia de Serviços de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá OBJETO: Prestação de Serviços público para

Leia mais

INDICE. Introdução... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 6

INDICE. Introdução... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 6 INDICE Introdução... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 6 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de junho de 2010, conforme prevê o contrato

Leia mais

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 4

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 4 INDICE Introdução:... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 4 Página 1 de 23 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de fevereiro de 2009,

Leia mais

INDICE. Introdução... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 7

INDICE. Introdução... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 7 INDICE Introdução... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 7 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de julho de 2010, conforme prevê o contrato

Leia mais

Asfalto da rotatória reconstituído no dia 03 de dezembro de 2009

Asfalto da rotatória reconstituído no dia 03 de dezembro de 2009 Redes Coletoras de Esgoto Neste mês de dezembro de 2009 foi concluída a obra do coletor de esgoto da Rodovia Aristeu Vieira Vilela, possibilitando que as ligações de esgoto do pólo industrial sejam feitas

Leia mais

SUMARÉ RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R3 Continuação do Diagnóstico e Não Conformidades

SUMARÉ RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R3 Continuação do Diagnóstico e Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ PRESTADOR: DAE DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO Relatório R3 Continuação do Diagnóstico e Não Conformidades Americana,

Leia mais

ESGOTAMENTO. Conceitos básicosb

ESGOTAMENTO. Conceitos básicosb ESGOTAMENTO SANITÁRIO Conceitos básicosb Interrelação entre captação de água e lançamento de esgotos ESGOTO SANITÁRIO ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO (ETE) ÁREA URBANA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

Leia mais

RELATÓRIO (outubro à dezembro)

RELATÓRIO (outubro à dezembro) RELATÓRIO (outubro à dezembro) Dando continuidade aos serviços de manutenção e conservação do condomínio, observa-se o proveito dos resultados dos esforços de toda a equipe de colaboradores, através da

Leia mais

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 3º TRIMESTRE DE 2009

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 3º TRIMESTRE DE 2009 PSBJ- Programa de Saneamento da Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 3º TRIMESTRE DE 2009 As obras (tanto as concluídas quanto as em andamento)

Leia mais

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 2º TRIMESTRE DE 2009

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 2º TRIMESTRE DE 2009 PSBJ- Programa de Saneamento da Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 2º TRIMESTRE DE 2009 As obras (tanto as concluídas quanto as em andamento)

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/BNDES BACIA D-E Vila Olinda Parque Universitário Sinalização ao longo das

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS Drenagem de Bacias SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS PROGRAMA Nº - 035 Garantir a captação e drenagem das bacias hidrográficas; Eliminar pontos de alagamento junto a córregos e canais; Proteger as margens

Leia mais

A seguir, far-se-á a descrição das unidades operacionais dos referidos sistemas:

A seguir, far-se-á a descrição das unidades operacionais dos referidos sistemas: 3.4 MURIAÉ Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Os sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário da cidade de Muriaé são operados e mantidos

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 195

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 195 Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 195 Manutenção e Operacionalização da Administração SUB-FUNÇÃO: 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL Prover o SAAE de recursos materiais e humanos para o bom desenvolvimento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 148

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 148 PROGRAMA Nº- 148 GESTÃO E CONTROLE DE PERDAS FUNÇÃO: 17 SANEAMENTO SUB-FUNÇÃO: 512 SANEAMENTO BÁSICO URBANO - Reduzir perdas de água reais e aparentes; reduzir os custos de exploração, produção e distribuição

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda. PAC/BNDES BACIA C Jardim Esmeralda Vila Planalto Cidade Salmen BACIA LUZ D AYARA

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/OGU BACIA LUZ D AYARA Coletor Luz D ayara 500 mm Execução de Poços de Visita

Leia mais

Opersan Resíduos Industriais Sociedade Ltda. 3º Prêmio FIESP de Conservação e Reuso de Água

Opersan Resíduos Industriais Sociedade Ltda. 3º Prêmio FIESP de Conservação e Reuso de Água Opersan Resíduos Industriais Sociedade Ltda. 3º Prêmio FIESP de Conservação e Reuso de Água Projeto de Reuso de Água Eng. Juliano Saltorato Fevereiro 2008 1) Identificação da Empresa: Endereço completo

Leia mais

Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro

Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro Introdução Este manual destina a fornecer informações sobre a construção e dimensionamento do sistema individual de tratamento de esgotos, especialmente

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/OGU BACIA LUZ D AYARA Coletor Luz D ayara 500 mm Escavações das valas, acompanhando

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/BNDES BACIA D-E Parque Universitário BACIA I Coletor Vila Goulart 300 mm Instalações

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/BNDES BACIA A Coletor Marechal Rondon BACIA D-E Parque Universitário Dispositivos

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo LocatelliLtda PAC/OGU BACIA LUZ D AYARA Sinalização das ruas onde serão realizadas as escavações

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. PROCEDIMENTOS... 3 3. APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS...

Leia mais

Elevatórias de Esgoto Sanitário. Profª Gersina N.R.C. Junior

Elevatórias de Esgoto Sanitário. Profª Gersina N.R.C. Junior Elevatórias de Esgoto Sanitário Profª Gersina N.R.C. Junior Estações Elevatórias de Esgoto Todas as vezes que por algum motivo não seja possível, sob o ponto de vista técnico e econômico, o escoamento

Leia mais

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha Carazinho, RS, 30 de junho de 2014. APRESENTAÇÃO OBRA: Tanque Séptico Escola Municipal

Leia mais

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais: O sistema conta com dois mananciais, ambos com captações superficiais:

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais: O sistema conta com dois mananciais, ambos com captações superficiais: 3.8 SÃO JOÃO NEPOMUCENO Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul A Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA, é o órgão responsável pela operação e manutenção

Leia mais

3.5 SANTOS DUMONT. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local, através da Secretaria de Obras.

3.5 SANTOS DUMONT. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local, através da Secretaria de Obras. Esta unidade compõe-se de três conjuntos moto-bombas idênticos, dos quais dois operam em paralelo, ficando o terceiro como unidade de reserva e/ou rodízio. Estão associados, cada um, a um motor elétrico

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda. PAC/BNDES BACIA A, BACIA C e BACIA D-E Jardim Rui Barbosa Vila Planalto Vila

Leia mais

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO Projetos de interceptor, emissário por gravidade, estação elevatória de esgoto e linha de recalque,

Leia mais

3.9 VISCONDE DE RIO BRANCO

3.9 VISCONDE DE RIO BRANCO 3.9 VISCONDE DE RIO BRANCO Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Em Visconde de Rio Branco, o sistema público de abastecimento de água é operado e mantido pela

Leia mais

Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro

Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro Inaugurada há pouco mais de 3 anos, Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) garante melhorias na qualidade da água do córrego Lucas, que

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO (RAP)

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO (RAP) REGIONAIS 5.9.8.1 Executar rotina geral de manutenção da ETE REGIONAIS 5.9.8.2 Executar a manutenção geral das elevatórias das ETEs REGIONAIS 5.9.8.3 Executar a manutenção dos conjuntos motobombas Executar

Leia mais

GT/FE/ Número / versão / ano ENG/CA/050/01/08 Data de aprovação 05.11.2008 Doc. de aprovação Resolução nº 4951/08

GT/FE/ Número / versão / ano ENG/CA/050/01/08 Data de aprovação 05.11.2008 Doc. de aprovação Resolução nº 4951/08 NORMA GT/FE/ Número / versão / ano ENG/CA/050/01/08 Data de aprovação 05.11.2008 Doc. de aprovação Resolução nº 4951/08 CADASTRO TÉCNICO DE SISTEMAS DE SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 2 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 2

Leia mais

Sistema de Esgoto. Materiais das Tubulações. Profª Gersina Nobre

Sistema de Esgoto. Materiais das Tubulações. Profª Gersina Nobre Sistema de Esgoto Materiais das Tubulações Profª Gersina Nobre Materiais das tubulações Fatores que devem ser observados na escolha: Resistência a cargas externas; Resistência a abrasão e a ataque químico;

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pelo CONDOMÍNIO RESIDENCIAL JARDINS COIMBRA. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda. BACIA C - BNDES Vila Adriana Sinalização das ruas e avenidas onde os serviços

Leia mais

DIRETRIZES DO CADASTRO TÉCNICO DE REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS

DIRETRIZES DO CADASTRO TÉCNICO DE REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS DIRETRIZES DO CADASTRO TÉCNICO DE REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS 1. OBJETIVO Esta Diretriz fixa as condições exigíveis na elaboração de plantas e relatórios detalhados do cadastro de redes de coleta de esgoto,

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTOS - 2011

RELATÓRIO ANUAL DO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTOS - 2011 RELATÓRIO ANUAL DO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTOS - 2011 INTRODUÇÃO: O objetivo deste relatório é apresentar os resultados, do ano de 2011, de qualidade dos efluentes da estação de tratamento de esgotos

Leia mais

Amplia-se a rede de esgoto na capital da República

Amplia-se a rede de esgoto na capital da República Distrito Federal Água e Esgoto Amplia-se a rede de esgoto na capital da República Com a proclamação da República, em 1889, a Inspetoria Geral de Obras Públicas passou a se chamar Inspeção Geral das Obras

Leia mais

Gráfico 1 Gráfico indicador GRMD ISP13 fonte: RG disponíveis no site do PNQS

Gráfico 1 Gráfico indicador GRMD ISP13 fonte: RG disponíveis no site do PNQS ORGANOGRAMA A. A OPORTUNIDADE A.1 Qual foi a oportunidade de melhoria de gestão (problema, desafio, dificuldade), solucionada pela prática de gestão implementada? Desde 1999, a OC utiliza o Modelo de Excelência

Leia mais

Apresentação da Metodologia da Conferência

Apresentação da Metodologia da Conferência Apresentação da Metodologia da Conferência Objetivos das Conferências? são espaços de diálogo entre o governo e a população Instrumentos de participação popular na construção e acompanhamento de políticas

Leia mais

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO PARA LOTEAMENTOS URBANOS 1 DO OBJETIVO A presente Norma estabelece os requisitos mínimos a serem obedecidos

Leia mais

SISTEMA COMPACTO DE TRATAMENTO DE EFLUENTES SANITÁRIOS

SISTEMA COMPACTO DE TRATAMENTO DE EFLUENTES SANITÁRIOS SISTEMA COMPACTO DE TRATAMENTO DE EFLUENTES SANITÁRIOS ETE 600L 2 Cuidando do Meio Ambiente Anderson Müller Larrymar Ruoso Memorial Descritivo, Justificativa, Memória de Cálculo e Procedimentos de Operação

Leia mais

Coleta e Transporte de Esgoto Sanitário

Coleta e Transporte de Esgoto Sanitário Coleta e Transporte de Esgoto Sanitário Giovana Martinelli da Silva Ricardo Franci Gonçalves Universidade Federal do Espírito Santo Índice Evolução Histórica Definição Objetivos Tipos de Sistemas Componentes

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 S Capacitação de Técnicos e Gestores para Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Módulo I Sistema de Esgotamento Sanitário

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO GUANHÃES MG INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO

Leia mais

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO PREDIAL

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO PREDIAL RELATÓRIO DE INSPEÇÃO PREDIAL Agosto/2011 CONDOMÍNIO VISION Engº Claudio Eduardo Alves da Silva CREA nº: 0682580395 F o n e / F a x : ( 1 1 ) 2 6 5 1-5918 R. C e l. B e n to J o s é d e C a r v a lh o,

Leia mais

Sistema de Esgotamento Sanitário da sede do Município de Salinas. Belo Horizonte Outubro 2014...

Sistema de Esgotamento Sanitário da sede do Município de Salinas. Belo Horizonte Outubro 2014... Sistema de Esgotamento Sanitário da sede do Município de Salinas Belo Horizonte Outubro 2014... 1 ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO DA AGÊNCIA REGULADORA... 5 2. IDENTIFICAÇÃO DO PRESTADOR DE SERVIÇOS... 5 3. CARACTERÍSTICAS

Leia mais

3.3 CATAGUASES. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, a responsabilidade pela sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local.

3.3 CATAGUASES. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, a responsabilidade pela sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local. Da caixa de areia a água chega às quatro câmaras onde estão interligadas as tubulações de sucção das bombas, essas unidades de bombeamento são em número de quatro, cada uma com capacidade de recalque de

Leia mais

IRACEMÁPOLIS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R4 Continuação diagnóstico e não conformidades

IRACEMÁPOLIS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R4 Continuação diagnóstico e não conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE IRACEMÁPOLIS PRESTADOR: SAE SERVIÇO DE ÁGUA E ESGOTO DE IRACEMÁPOLIS Relatório R4 Continuação diagnóstico e não conformidades

Leia mais

Gerenciamento e Tratamento de Águas Residuárias - GTAR

Gerenciamento e Tratamento de Águas Residuárias - GTAR Gerenciamento e Tratamento de Águas Residuárias - GTAR Segunda 15 às 17h IC III sala 16 Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Aula de hoje.. Tratamento Preliminar Gradeamento Desarenador

Leia mais

DIRETORIA DE ENGENHARIA - DEN

DIRETORIA DE ENGENHARIA - DEN 01 CANTEIRO DE OBRAS 0,00 CANTEIRO DE OBRAS EM BARRACÃO PARA ESCRITÓRIO TIPO A5, CONSTANDO DE CERCA DE 6 FIOS, BARRACÃO ABERTO, SANITÁRIOS E CHUVEIROS, REFEITÓRIO, ALOJAMENTO E MOBILIZAÇÃO E 01.01 DESMOBILIZAÇÃO

Leia mais

Banco de Boas Práticas Ambientais: Cases de. Antônio Malard FEAM 09/06/2015

Banco de Boas Práticas Ambientais: Cases de. Antônio Malard FEAM 09/06/2015 Banco de Boas Práticas Ambientais: Cases de Reuso de Água Antônio Malard FEAM 09/06/2015 Sumário Legislações de Reuso; Consumo de Água na Indústria; Experiências de Sucesso: Banco de Boas Práticas Ambientais;

Leia mais

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio 1.0 Portaria 1.1 Limpeza da área 1.2 Destinação dos resíduos 1.3 Efluente 2.0 Paiol 2.1 Limpeza da área 2.2 Destinação dos resíduos 3.0 Aterro sanitário 3.1 Organização da área 3.2 Pátio de estoque Acúmulo

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO - BIODIGESTOR GUIA DE INSTALAÇÃO. Biodigestor Fortlev

GUIA DE INSTALAÇÃO - BIODIGESTOR GUIA DE INSTALAÇÃO. Biodigestor Fortlev GUIA DE INSTALAÇÃO Biodigestor Fortlev 1 CARACTERÍSTICAS FUNÇÃO Tratamento orgânico de esgoto do tipo domiciliar. APLICAÇÃO Residências, instalações comerciais, fazendas, sítios ou qualquer outra aplicação

Leia mais

1 - Obras programadas

1 - Obras programadas 1 - Obras programadas 1.1 - Região Metropolitana Local: São Gonçalo Recuperação e melhoria na ETE São Gonçalo II com intervenções que visam: otimizar o processo de tratamento, bem como revisão dos equipamentos

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda. BACIA C - BNDES Vila Adriana Serviços primários que consistem na sinalização

Leia mais

Check list e Avaliação. Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema

Check list e Avaliação. Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema SISTEMA DE ESGOTO ESTÁTICO Check list e Avaliação Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema Belo Horizonte, Outubro de 2008 SISTEMA DE ESGOTO

Leia mais

CONCORRENCIA INTERNACIONAL 001/2013 PPP SERRA

CONCORRENCIA INTERNACIONAL 001/2013 PPP SERRA CONCORRENCIA INTERNACIONAL 001/2013 PPP SERRA RELAÇÃO DOS PROCESSOS PROTOCOLADOS NO INSTITUTO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE ENCAMINHANDO OS FORMULÁRIOS INTEGRADOS DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO DAS SEGUINTES

Leia mais

Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia.

Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia. MONTEALEGRE ALEGRE DO MONTE DOSUL SUL Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia. MONTE ALEGRE DO SUL Área 110,306 km² População (estimativa para 2014)

Leia mais

LIGAÇÃO COMERCIAL OU INDUSTRIAL DE ESGOTO

LIGAÇÃO COMERCIAL OU INDUSTRIAL DE ESGOTO LIGAÇÃO COMERCIAL OU INDUSTRIAL DE ESGOTO Padronização da caixa de amostragem industrial e/ou comercial de efluentes. 1. Localização e infra estrutura da caixa de amostragem de efluentes: 1.1 Esta caixa

Leia mais

II-338 PLANO DE MELHORIA OPERACIONAL DO SISTEMA INTEGRADO DOS COLETORES TRONCO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

II-338 PLANO DE MELHORIA OPERACIONAL DO SISTEMA INTEGRADO DOS COLETORES TRONCO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO II-338 PLANO DE MELHORIA OPERACIONAL DO SISTEMA INTEGRADO DOS COLETORES TRONCO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Antônio Simões Teixeira Filho (1) Engenheiro Civil / Sanitarista pela Pontifícia Universidade

Leia mais

Construção da Rede Coletora de Esgoto. Profª Gersina N.R.C. Junior

Construção da Rede Coletora de Esgoto. Profª Gersina N.R.C. Junior Construção da Rede Coletora de Esgoto Profª Gersina N.R.C. Junior Instalação da Rede Coletora de Esgoto Assentamento do Coletor Transportar os tubos da superfície do terreno para o fundo da vala, que em

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/BNDES BACIA D-E Vila Olinda Instalações dos dispositivos de sinalização para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO SISTEMAS DE ESGOTO SANITÁRIO Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes E-mail: hugo.guedes@ufpel.edu.br

Leia mais

PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA

PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA Diretoria de Tecnologia, Empreendimentos e Meio Ambiente - T Sistema Produtor de Água Mambu - Branco REUNIÃO DO COMITÊ TÉCNICO

Leia mais

ETE do Baldo - Natal/RN

ETE do Baldo - Natal/RN ETE do Baldo - Natal/RN A Estação de Tratamento de Esgoto do Sistema Central de Natal, localizada no bairro do Baldo, na rua Capitão Silveira Barreto S/N, constitui-se num investimento de aproximadamente

Leia mais

Orientações para Instalação Domiliciar do Sistema de Fossa e Sumidouro.

Orientações para Instalação Domiliciar do Sistema de Fossa e Sumidouro. Orientações para Instalação Domiliciar do Sistema de Fossa e Sumidouro. INTRODUÇÃO Este manual destina a fornecer informações sobre a construção e dimensionamento do sistema individual de tratamento de

Leia mais

RIO CLARO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R1 Diagnóstico

RIO CLARO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R1 Diagnóstico RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO PRESTADOR: DAAE DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTOS DE RIO CLARO Relatório R1 Diagnóstico Americana, outubro de 2013

Leia mais

COPASA Day 2011. 24 e 25 de novembro

COPASA Day 2011. 24 e 25 de novembro COPASA Day 2011 24 e 25 de novembro Benefícios do Tratamento de Esgoto Despoluição dos córregos e rios; Eliminação do mau cheiro; Meio ambiente limpo, recuperado e preservado; Diminuição da presença de

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO RF / DSB / 02/2012

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO RF / DSB / 02/2012 AGERSA - Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cachoeiro de Itapemirim RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO RF / DSB / 02/2012 Sistema de Esgotamento Sanitário SES de Córrego dos Monos

Leia mais

Metas de Infraestrutura - Contrato de Programa - Duque de Caxias

Metas de Infraestrutura - Contrato de Programa - Duque de Caxias PRAZO EXECUÇÃO META A SER EXECUTADA DESCRITIVO DA META FÍSICO EXECUTADO 2008 2009 2010 2011 Ampliação e complementação do sistema de produção de água tratada para as localidades de Imbariê e Taquara, na

Leia mais

7.815,15 3.0 SERVIÇOS TÉCNICOS 3.1 Locação de valas com nivelamento m 8.186,62 0,75 1,19 1,94 15.882,04

7.815,15 3.0 SERVIÇOS TÉCNICOS 3.1 Locação de valas com nivelamento m 8.186,62 0,75 1,19 1,94 15.882,04 PREFEITURA MUNICIPAL DE ALMIRANTE TAMANDARÉ DO SUL / RS SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO Planilia Orçamentária da Obra Sede do Município de Almirante Tamandaré do Sul / RS TC/PAC 0567 - FUNASA REDE COLETORA

Leia mais

PIRACICABA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades

PIRACICABA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA PRESTADOR: SEMAE SERVIÇO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO Relatório R2 Não Conformidades Americana, maio de 2014 SUMÁRIO

Leia mais

RESOLUÇÃO ARES-PCJ Nº 75, DE 14 DE JANEIRO DE 2015

RESOLUÇÃO ARES-PCJ Nº 75, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 RESOLUÇÃO ARES-PCJ Nº 75, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre a revisão tarifária dos serviços de abastecimento de água tratada, esgotamento sanitário e demais preços públicos a ser aplicado no Município

Leia mais

ESTUDO SOBRE O PLANO INTEGRADO DE MELHORIA AMBIENTAL NA ÁREA DE MANANCIAIS DA REPRESA BILLINGS Relatório Final

ESTUDO SOBRE O PLANO INTEGRADO DE MELHORIA AMBIENTAL NA ÁREA DE MANANCIAIS DA REPRESA BILLINGS Relatório Final 32 PROJETO DE EXECUÇÃO DAS OBRAS 32.1 Cronograma de execução e estimativa do custo das obras (1) Cronograma de execução O cronograma de execução da obra, tal como apresentado na Figura 32.1.1, terá início

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DETALHES CONSTRUTIVOS OBJETIVO Este documento tem como objetivo definir diretrizes para projetos de Estações Elevatórias de Esgoto. SISTEMA DE ENTRADA A) MEDIÇÃO - As Estações Elevatórias cuja vazão seja

Leia mais

RELATÓRIO DE MANUTENÇÃO JANEIRO Á MARÇO 2011

RELATÓRIO DE MANUTENÇÃO JANEIRO Á MARÇO 2011 RELATÓRIO DE MANUTENÇÃO JANEIRO Á MARÇO 2011 Situação de caixa de águas pluviais Desobstrução da vala Limpeza da caixa Situação das valetas de águas pluviais 1 Corte, Limpeza e desobstrução das valas Corte

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO LEI N.º 1.774, DE 24 DE ABRIL DE 2008. Dispõe sobre aprovação e instituição do Plano Municipal de Saneamento destinado à execução dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário no município

Leia mais

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O V o l u m e V R E L A T Ó R I O D O S P R O G R A M A S, P R O J E T O S E A Ç Õ E S P A R A O A L C A N C E D O C E N Á R I O R E F E R

Leia mais

ANEXO 01 MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO 01 MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO 01 MEMORIAL DESCRITIVO SERVIÇO PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO DAS ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO SANITÁRIO. LOCAL Bairros, Vila da Alimentação, Esmeralda I, Esmeralda II, Altos da

Leia mais

ESGOTAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2

ESGOTAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 1/7 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 01 ESGOTAMENTO COM BOMBAS... 3 02 REBAIXAMENTO DE LENÇOL FREÁTICO COM PONTEIRAS FILTRANTES... 3 03 REBAIXAMENTO DE LENÇOL

Leia mais

3.1. JUIZ DE FORA. 3.1.1 Sistema Existente de Abastecimento de Água

3.1. JUIZ DE FORA. 3.1.1 Sistema Existente de Abastecimento de Água A adução é feita por gravidade, partindo da barragem que garante a submergência de duas tubulações que encaminham a água captada a duas estruturas de controle (Foto 2), ambas construídas em concreto armado,

Leia mais

Tecnologia em Água de Reuso e potencial de aplicação em processos industriais.

Tecnologia em Água de Reuso e potencial de aplicação em processos industriais. Tecnologia em Água de Reuso e potencial de aplicação em processos industriais. ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS ETE JESUS NETTO ETE JESUS NETTO BACIA DE ESGOTAMENTO HISTÓRICO Estação Experimental de Tratamento

Leia mais

CAPÍTULO 3: ESGOTO SANITÁRIO

CAPÍTULO 3: ESGOTO SANITÁRIO CAPÍTULO 3: ESGOTO SANITÁRIO 155 1. Infraestrutura de Esgotamento Sanitário do município de Vinhedo 1.1. ETE Pinheirinho O município de Vinhedo conta com uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) denominada

Leia mais

Procedimento de Gestão Ambiental 003. Controle de Efluentes Líquidos

Procedimento de Gestão Ambiental 003. Controle de Efluentes Líquidos Procedimento de Gestão Ambiental 003 Controle de Efluentes Líquidos Elaborador: Dejair Dietrich Piekarski Aprovador: Durval Nascimento Neto Revisor: Edson Luiz da Silveira Raimundo Motivo da revisão: Primeira

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 2

MEMORIAL DESCRITIVO 2 R:\Senador Canedo\Produtos 2007\Projeto SAA\PROJETO BÁSICO ÁGUA\HIDRÁULICO\RELATÓRIO\0.doc MEMORIAL DESCRITIVO 2 CONTROLE INTERNO Data JAN/08 Nº Folhas 18 Folhas Rev. Responsável Daniela Verificação Aprovação

Leia mais

SANEAMENTO DE MIRASSOL SANESSOL S.A

SANEAMENTO DE MIRASSOL SANESSOL S.A MANUAL DO LOTEADOR SANESSOL S.A Sumário 1. Diretrizes Gerais... 3 2. Diretrizes para apresentação dos Projetos... 5 3. Diretrizes técnicas para Abastecimento de Água... 6 3.1. Abastecimento de Água...

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/OGU BACIA LUZ D AYARA Coletor Luz D ayara 500 mm Sinalização ao longo das

Leia mais

A MAIOR OBRA PÚBLICA DA HISTÓRIA DE NOVA ODESSA

A MAIOR OBRA PÚBLICA DA HISTÓRIA DE NOVA ODESSA e as obras do PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO A MAIOR OBRA PÚBLICA DA HISTÓRIA DE NOVA ODESSA INAUGURADA EM 14 DE DEZEMBRO DE 2012 Ministério das Cidades Um pouco de história Nova Odessa

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS LOCAL: SETOR/ENDEREÇO: PERÍODO: RESPONSÁVEL PELAS INFORMAÇÕES: LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS SISTEMAS HIDROSSANITÁRIOS PERÍODICIDADE SERVIÇOS PREVENTIVOS STATUS SEMANA 01 DIÁRIO Verificação

Leia mais