ELEIÇÕES GERAIS: Presidente + Governador + Vices + Senador(es) + Deputados Federais e Estaduais artigos 28, 77 CF artigo 1 (L.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ELEIÇÕES GERAIS: Presidente + Governador + Vices + Senador(es) + Deputados Federais e Estaduais artigos 28, 77 CF artigo 1 (L."

Transcrição

1 Aula 05 Lei das Eleições (9504/97) Parte 01 Introdução, Convenções Partidárias, Coligações, Registro de Candidatura e Condutas Vedadas aos agentes públicos Eleições no Brasil Disposições Gerais ELEIÇÕES GERAIS: Presidente + Governador + Vices + Senador(es) + Deputados Federais e Estaduais artigos 28, 77 CF artigo 1 (L. 9504) ELEIÇÕES MUNICIPAIS: Prefeitos/Vices + Vereadores art. 29 inc II CF. 1º turno: Primeiro domingo do mês de outubro do último ano do mandato - 2º turno: Último domingo do mês de outubro (Eleições Majoritárias municipais acima de 200 mil eleitores). Obs: eleitos maioria absoluta dos votos válidos (sem brancos e nulos) maior votação simples (municípios com menos de 200 mil eleitores) Antes do 2º turno (desistência, morte) chama o de maior votação entre remanescentes. Requisito para Partidos necessidade de registro do Estatuto (1 ano antes da eleição) para participar de eleições + órgão diretivo na circunscrição até a data da convenção. OBS: Art. 5º Nas eleições proporcionais, contam-se como válidos apenas os votos dados a candidatos regularmente inscritos e às legendas partidárias. Convenções partidárias. Autonomia: art. 17 CF (Estatutos diversos) PODEM utilizar prédios públicos Prazo: 20 de Julho a 05 de agosto (NOVIDADE) Competência: esfera partidária da circunscrição do pleito (possibilidade de anulação contrariar disposições de esferas superiores do partido). Obs: anulando atos comunicação à Justiça Eleitoral (Até 30 dias após data limite do registro de candidatura) Candidatura nata (já mandatários eleições proporcionais) O Supremo Tribunal Federal, na Ação Direta de Inconstitucionalidade nº deferiu medida cautelar para suspender a eficácia do 1º do art. 8º da Lei nº 9.504/97, que dispõe sobre candidatura nata. COLIGAÇÕES: para as Majoritárias e Proporcionais (dentro da mesma circunscrição) - mesmos partidos em ambas as coligações, podendo haver desmembramento deles nas Coligações Proporcionais. Exemplo hipotético: Coligação Majoritária: PMDB + PDT + PSB + PSC + PHS Coligações Proporcionais: 1ª PMDB + PSC 2ª PDT+ PHS 3ª PSB OBS: NÃO EXISTE MAIS A VERTICALIZAÇÃO DE COLIGAÇÕES (obrigatoriedade de não contrariar a coligação nacional nas eleições estaduais). 1

2 Denominação não poderá mencionar nome/nº de candidato e fazer menção de pedido de voto. Princípio da unicidade das Coligações: partidos abdicam de sua própria individualidade quando foram coligações. Representação única durante o processo eleitoral. Coligação: 1 denominação; nas eleições funcionam como se fossem 1 só partido em direitos e deveres. Exceção: Partido Político só pode agir de forma isolada, durante as eleições, se não pertencer a Coligação ou para questionar a validade da Coligação (até o fim do prazo para impugnar registro de candidatura). Condições impostas às coligações: 1) Candidatos apenas os filiados aos partidos da Coligação. 2) Pedido de registro deverá ser assinado pelos presidentes/maioria membros dos partidos que compõe a Coligação. 3) Coligação será representada por 1 pessoa ou por) delegados no máximo de 3 (perante Juiz), 4 (TRE) ou 5 (TSE). Registro de candidaturas - Até 19 horas 15/08 - do ano eleitoral - Filiação partidária: 6 meses antes da eleição (NOVIDADE) - Domicílio eleitoral: 1 ano antes da eleição. Em caso de fusão/incorporação é válida a filiação ao partido de origem. Quantitativo: (Eleições proporcionais) NOVIDADE IMPORTANTE: PRAZO PARA AFERIR INELEGIBILIDADE / CONDIÇÕES DE Regra geral: até 150% do número de vagas a preencher Exceções: UF com até 12 deputados Município até 200 mil eleitores ATÉ 200% DAS VAGAS A PREENCHER PARTICIPAÇÃO FEMININA: preenchimento de, no mínimo, de 30% e no máximo de 70% para candidaturas de cada sexo. VAGAS REMANESCENTES: Possibilidade de preencher as vagas que sobrarem até 30 DIAS antes do pleito. (NOVIDADE) Documentos necessários (REGISTRO): ata da convenção + autorização do candidato + prova de filiação partidária + declaração de bens assinada pelo candidato + título de eleitor ou prova de domicílio eleitoral + quitação eleitoral + certidões criminais negativas Federal e Estadual + fotografia + propostas defendidas em Eleição para Executivo. Obs: se o partido/coligação não fizerem o registro, o candidato poderá solicitar no prazo de 48 horas após a publicação da lista de todos os candidatos pela Justiça Eleitoral. Idade mínima (CF: aula 01) averiguada na POSSE. Exceção: quando for 18 anos averiguar no REGISTRO DE CANDIDATURA. (NOVIDADE) 2

3 Candidato manifesta o nome para a urna: pode ser apelido. (Se houverem dois iguais, deverá ser provado que a comunidade o conhece pelo apelido) preferência para quem já tem cargo eletivo. INELEGIBILIDADES: 5º Até a data a que se refere este artigo (15/08), os Tribunais e Conselhos de Contas deverão tornar disponíveis à Justiça Eleitoral relação dos que tiveram suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável e por decisão irrecorrível do órgão competente, ressalvados os casos em que a questão estiver sendo submetida à apreciação do Poder Judiciário, ou que haja sentença judicial favorável ao interessado. CERTIDÃO DE QUITAÇÃO ELEITORAL: 7 o A certidão de quitação eleitoral abrangerá exclusivamente a plenitude do gozo dos direitos políticos, o regular exercício do voto, o atendimento a convocações da Justiça Eleitoral para auxiliar os trabalhos relativos ao pleito, a inexistência de multas aplicadas, em caráter definitivo, pela Justiça Eleitoral e não remitidas, e a apresentação de contas de campanha eleitoral. Está quite: pagamento individual ou parcelamento individual de multa até o registro. (prazo de parcelamento: até 60 meses + até 10% renda. NECESSÁRIA PUBLICAÇÃO DO NOME DOS CANDIDATOS até 30 dias antes da eleição. NÃO CONFUNDIR: TRE repassa ao TSE relação de candidatos para divulgação na internet até 20 dias antes da eleição. Obs: Partido/Coligação Majoritária - podem substituir candidatos (falecimento, renúncia, decisão que julgue inelegível) prazo de 10 dias a contar do fato ensejador (Necessária a desistência do Partido do candidato, se o novo for filiado a outro partido da Coligação) LEI / NOVO PRAZO: Tanto nas eleições majoritárias como nas proporcionais, a substituição só se efetivará se o novo pedido for apresentado até 20 (vinte) dias antes do pleito, exceto em caso de falecimento de candidato, quando a substituição poderá ser efetivada após esse prazo. NÚMERO DOS CANDIDATOS: Presidente/Vice Governador/Vice Prefeito/Vice (nº do partido do titular) Senadores dezena do partido + 1 dígito. (Não está na 9504/97) Deputados Federais - dezena do partido + 2 dígitos. Deputados Estaduais e Vereadores - dezena do partido + 3 dígitos. VOTO NA LEGENDA: dois dígitos do partido (Eleições proporcionais) entra no cálculo do Quociente Eleitoral e Quociente partidário (coligação). OBS: Aos partidos fica assegurado o direito de manter os números atribuídos à sua legenda na eleição anterior, e aos candidatos, nesta hipótese, o direito de manter os números que lhes foram atribuídos na eleição anterior para o mesmo cargo. JULGAMENTO DOS REGISTROS DE CANDIDATURA: até 20 dias antes da eleição. (Preferência desses processos sobre qualquer outro). 3

4 IMPORTANTE ARTIGOS 16A e 16B /97 Candidato, com registro subjudice fica assegurado de fazer campanha eleitoral e participar da votação. Votos só serão contados (considerados válidos) se o registro for deferido pela Justiça Eleitoral. Pode participar de propaganda de rádio e TV candidato substituto mesmo com registro pendente de julgamento. DELEGADOS PARTIDÁRIOS PERANTE A JUSTIÇA ELEITORAL: (1 representante oficial) + Juiz Eleitoral até 3 delegados. TRE até 4 delegados TSE até 5 delegados Sistema Eletrônico de Votação (RECAPITULAÇÃO) Ordem de votação (Eleições Gerais) - Lei / Deputado Federal 2 Deputado Estadual 3- Senador 4- Governador/vice 5 Presidente/Vice. Eleições Municipais: 1 Vereador 2- Prefeito/Vice art A urna eletrônica disporá de recursos que, mediante assinatura digital, permitam o registro digital de cada voto e a identificação da urna em que foi registrado, resguardado o anonimato do eleitor. (Lei /2003. CONDUTAS VEDADAS AOS AGENTES PÚBLICOS EM CAMPANHAS ELEITORAIS (Art. 73 da Lei 9504/97) Finalidade: proteção a igualdade de oportunidades entre candidatos (grupo político em mandato no Executivo tende a possuir maiores chances de acesso ao eleitor através de práticas na administração pública). Objeto: uso da máquina pública para favorecimento de candidato/ partido ou coligação. AGENTE PÚBLICO: Reputa-se agente público, para os efeitos deste artigo, quem exerce, ainda que transitoriamente ou sem remuneração, por eleição, nomeação, designação, contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo, mandato, cargo, emprego ou função nos órgãos ou entidades da administração pública direta, indireta, ou fundacional. Casos previstos: I cessão ou uso de bens imóveis ou imóveis (ressalva do uso para convenções partidárias) - exceção: uso de veículos da Presidência, Governadores e Prefeitos não vale para transporte a atos públicos. II - uso de materiais ou serviços custeados pelas Casas Legislativas e Governos, que excedam prerrogativas estabelecidas em normas e regimentos. III ceder servidor público (por qualquer vínculo) da administração direta ou indireta federal, estadual ou municipal do Poder Executivo para campanhas eleitorais durante o horário de expediente, salvo licença anterior do servidor. muito comum. IV fazer promoção de distribuição de bens e serviços de caráter social custeados pelo Poder Público. 4

5 V - nomeação, demissão sem justa causa, alteração de vantagens, dificultar ou remover ex officio servidores públicos, na circunscrição do pleito, sob pena de nulidade: prazo: 3 meses anteriores até a posse dos eleitos exceções: a) cargos ou funções de confiança b) cargos do Poder Judiciário, MP, Tribunais e Conselhos de Contas e órgãos da Presidência da República. c) nomeação concurso públicos homologados até o início do prazo. d) nomeação e contratação para a execução de serviços públicos essenciais (autorização expressa do Chefe do Executivo) e) transferência de militares, policiais civis e agentes penitenciários. VI transferência de recursos entre entes federativos ( U E/M e preexistente e atender situações emergênciais. (3 meses anteriores à eleição) E M) salvo para cumprir obrigação de obra - fazer propaganda institucional de programas públicos (salvo atividades de mercado e calamidade pública autorizada pela Justiça Eleitoral) (3 meses anteriores à eleição) - pronunciamento em rádio e TV, salvo matéria urgente, autorizada pela Justiça Eleitoral. (3 meses anteriores ao pleito) VII gasto excessivo com propaganda institucional em ano eleitoral (média de gastos dos últimos 3 anos ou do último ano anterior à eleição) VIII - aumento excessivo na remuneração dos servidores (exceda a recomposição de perdas) das convenções até a posse dos eleitos. - inaugurações de obras públicas com showmícios (3 meses anteriores ao pleito) - proibido o comparecimento de candidato. (Cassa diploma ou registro de qualquer candidato - caso de Novo Hamburgo 2004). Efeitos da procedência da representação: - anulação do ato + multa de 5 mil a 100 mil UFIR. - candidato beneficiado (Agente público ou não): cassação do registro ou do diploma - duplicação da multa em caso de reincidência. - configuração de ato de improbidade administrativa (implicações da Lei 8429/92) 10. No ano em que se realizar eleição, fica proibida a distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios por parte da Administração Pública, exceto nos casos de calamidade pública, de estado de emergência ou de programas sociais autorizados em lei e já em execução orçamentária no exercício anterior, casos em que o Ministério Público poderá promover o acompanhamento de sua execução financeira e administrativa Processamento das representações contra condutas vedadas: Rito: artigo 22 LC 64/90 = rito das Ações de Investigação Judicial Eleitoral. 5

6 Prazo de ajuizamento: até a diplomação. Recurso: 3 dias. QUESTÕES: 1 - A lei 9504/97, ao dispor acerca da escolha e do registro de candidaturas às eleições para cargos proporcionais, estabelece diversos critérios, como o percentual máximo de candidatos que os partidos podem lançar e a proporção de candidatos em razão de gênero. Quanto a esse tema, assinale a opção correta. a)em uma câmara municipal que tenha 20 integrantes, o número de candidatos de cada partido poderá ser, no máximo, de 40 candidatos. b) em uma câmara de um município com até 100 mil eleitores, cada coligação poderá ter, no máximo, até o dobro de candidaturas em relação ao número de vereadores da referida Casa Legislativa. c) em uma assembleia legislativa que conte com 24 integrantes, o número total de candidatos de uma coligação será, no máximo, de 48. d) decorrido o prazo para registro de candidaturas, caso não se apresentem mulheres que queiram ser candidatas, o partido poderá preencher todas as candidaturas com homens. e) caso o estatuto do partido seja omisso, cabe a Justiça Eleitoral definir as normas para escolhas de seus candidatos. 2 - João foi escolhido pela Convenção do Partido a que pertence para concorrer ao cargo de Deputado Estadual, embora tenha 20 anos de idade. Nesse caso, o pedido de registro de sua candidatura, desde que preenchidos os demais requisitos legais, a)só deverá ser deferido, se João vier a completar 21 anos até a data do pleito. b) deverá ser indeferido, porque candidato a Deputado Estadual deve possuir 21 anos de idade completos na data do pedido de registro de candidatura. c)só deverá ser deferido, se João vier a completar 21 anos até a data da posse. d) deverá ser indeferido, porque é de 30 anos a idade mínima para o cargo de deputado. e) deverá ser deferido, porque ele possui a idade mínima exigida para o cargo no momento do registro de candidatura. 3 - Se a convenção para a escolha de candidatos não indicar o número máximo a que o Partido tem direito e não tiver sido celebrada coligação, as vagas remanescentes poderão ser preenchidas: a) pelos mais antigos dentre os integrantes da convenção. b) pelo órgão de direção do partido. c) por nova convenção até 60 dias antes do pleito. d) por livre escolha da coligação majoritária vinculada. e) por livre escolha dos 10 filiados de maior antiguidade do partido. 4 - Paulo é Senador, eleito pelo partido Alfa, está encerrando seu mandato e é candidato à reeleição. Para as eleições majoritárias destinadas à renovação de duas vagas no Senado Federal, inclusive a sua, Paulo terá: a) o direito de conservar o mesmo número que lhe foi atribuído no pleito anterior e com o qual concorreu. b) seu número obrigatoriamente sorteado na Convenção Partidária, com a dezena do Partido, acrescido com um algarismo de 0 a 9, totalizando 3 algarismos. c) seu número será sorteado na Convenção do Partido, mas ele possui a preferência da escolha por um número que lhe agrade. d) concorrerá com a dezena do partido, restando a outra vaga a outro partido da coligação. e) caso haja outro candidato de seu partido para o mesmo cargo, Paulo concorrerá com a dezena partidária acrescida do 6

7 número 1, por já ocupar o cargo de senador. 5 - O partido político x formulou requerimento de registro de candidato Luiz, indicado na respectiva convenção, para o cargo de Deputado Estadual, mas este, 45 dias antes do pleito, veio a falecer. Nesse caso, o partido x a) poderá substituir o candidato Luiz, desde que obedeça o critério de escolha previsto no estaturo do partido. b) poderá substituir o candidato Luiz por qualquer outro filiado da coligação, no prazo de 10 dias a contar da comunicação do óbito. c) só poderá substituir o candidato Luiz se o nome do substituto for aprovado pela maioria dos membros do órgão diretivo do partido ou pela maioria dos partidos em caso de coligação. d) poderá substituir o candidato Luiz até 20 dias antes do pleito. e) não poderá substituir o candidato Luiz. 6- Com relação ao registro de candidatura, julgue o próximo item: a) a lei permite que o próprio candidato requeira o registro perante a justiça eleitoral, caso o partido ou coligação não o faça. 7- De acordo com o disposto na Lei Eleitoral a respeito das convenções partidárias e do registro de candidatura, julgue os itens subsequentes: I- É vedada a utilização de bens públicos para a realização de convenções partidárias, ressalvada a hipótese de aluguel, observado o preço de mercado e o lançamento em prestação de contas. II Em estado com 24 deputados federais, a coligação poderá indicar até 36 candidatos a deputado estadual. III - Os prazos mínimos de domicílio eleitoral e filiação partidária são, respectivamente, de seis meses de residência documentada e de um ano de filiação registrada. IV É vedada a expulsão de candidato de seu partido, após a homologação do seu nome pela convenção partidária. V O número de pessoas do sexo masculino que compõe a lista de candidatos deve ser, no mínimo, 30% do total de candidatos. Estão corretos os itens: a) I e III b) I e IV c) II e III d) II e V e) IV e V 8- Nos três meses que antecedem as eleições é: a) vedada a designação ou dispensa de funções de confiança. b) vedada a distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios por parta da Administração Pública nos casos de calamidade pública. c) vedada a nomeação e exoneração de cargos em comissão d) permitida a nomeação para os cargos de órgãos da presidência da República. e) vedada qualquer inauguração de obra pública. 9- É vedado aos agentes públicos, servidores ou não, na circunscrição do pleito, nos três meses que antecedem e até a posse dos eleitos: a) a nomeação para cargos dos Tribunais de Contas, excetuando-se os aprovados em concursos homologados antes do período mencionado. b) a transferência ex officio de agentes penitenciários, salvo processo administrativo disciplinar regularmente constituído. c) a nomeação para cargos em comissão, em número excessivo. d) a transferência ex officio de policiais civis, salvo processo administrativo disciplinar regularmente constituído. e) a remoção de servidor público em geral. Julgue o item que se segue, referente à Lei de n.º 9.504/1997: 10 - Nas eleições majoritárias, os partidos políticos podem, dentro da mesma circunscrição, celebrar coligações, mas esse tipo de aliança é proibido no caso de eleições proporcionais. 7

8 Julgue os itens subsequentes, relativos a alistamento e domicílio eleitoral Segundo a jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral, o domicílio eleitoral não se confunde, necessariamente, com o domicílio civil. A circunstância de o eleitor residir em determinado município não constitui obstáculo para que ele concorra, como candidato, a cargo eletivo em outra localidade, se nela for inscrito e mantiver vínculos políticos e econômicos. Julgue o item a seguir, a respeito das condutas vedadas aos agentes públicos No período compreendido entre os três meses que antecedem o pleito e a posse dos eleitos, é vedado aos agentes públicos nomear ou exonerar de ofício servidor público na circunscrição do pleito, mesmo que ele seja ocupante de cargo em comissão A respeito da Lei n.º 9.504/1997, que estabelece normas para as eleições no Brasil, julgue os seguintes itens (adaptada) A escolha dos candidatos pelos partidos e a deliberação sobre as coligações devem ser feitas até 05 de agosto do ano em que se realizarem as eleições, e a respectiva ata deve ser lavrada em livro aberto, rubricado pela justiça eleitoral, e publicada em vinte e quatro horas em qualquer meio de comunicação A lei cria reserva de vagas para ambos os sexos ao determinar que cada partido político ou coligação, ao realizar o registro de candidatos, deve preencher o mínimo de 30% e o máximo de 70% de candidatura de cada sexo Com base na Lei n.º 9.504/1997, que estabelece normas para as eleições, assinale a opção correta. a) Tanto durante a propaganda para eleição proporcional como durante a propaganda para eleição majoritária, a coligação usa, obrigatoriamente, sob sua denominação, as legendas de todos os partidos que a integram. b) Pode participar das eleições o partido que tenha registrado seu estatuto no Tribunal Superior Eleitoral até a data da indicação das candidaturas, conforme o disposto em lei, e que possua, até a data da convenção, órgão de direção constituído na circunscrição, de acordo com o seu estatuto. c) Somente nos municípios com mais de duzentos mil eleitores existe a possibilidade de eleição de prefeito em segundo turno. d) Nas eleições proporcionais, contam-se como válidos apenas os votos dados a candidatos regularmente inscritos. e) A denominação adotada pela coligação durante as eleições poderá referir-se ao nome ou número dos candidatos, bem como conter pedido de voto para partido político. 16- A respeito das convenções para escolha de candidatos e registros de candidaturas, assinale a opção correta. a) Um partido político de um estado da Federação que possua oito deputados federais poderá registrar no máximo doze candidatos para a Câmara dos Deputados. b) O pedido de registro de um candidato a prefeito deve ser instruído com as propostas por ele defendidas. c) Uma coligação partidária de um estado da Federação que possua quinze deputados federais poderá registrar até trinta candidatos para a Câmara dos Deputados. d) As normas para a escolha e substituição de candidatos são estabelecidas pela Lei n.º 9.504/1997. e) A escolha dos candidatos pelos partidos pode ser feita no ano em que se realizam as eleições, a qualquer momento, até a véspera do registro das candidaturas 17- No que se refere às eleições e assuntos a elas correlatos, assinale a opção correta. A) É permitida, até o dia das eleições, a divulgação paga, na imprensa escrita, de propaganda eleitoral, no espaço máximo, por edição, para cada candidato, partido ou coligação, de um oitavo de página de jornal padrão e um quarto de página de revista ou tabloide. B) Cabe ao órgão de direção nacional do partido político, em caso de omissão do respectivo estatuto no tocante a normas para a formação de coligações, estabelecê-las até cento e oitenta dias antes das eleições, publicando-as pelos meios de comunicação intrapartidária. C) Cada partido poderá registrar candidatos para a Câmara dos Deputados, Câmara Legislativa, assembleias legislativas e câmaras municipais, até o dobro do número de lugares a serem preenchidos. D) A norma geral das eleições estabelece que cada partido ou coligação preencha o mínimo de 30% para candidaturas 8

9 femininas. E) Compete exclusivamente aos partidos ou coligações a expedição das credenciais de fiscais e delegados De acordo com a legislação eleitoral, em especial a Lei das Eleições (Lei n.º 9.504/1997), julgue os seguintes itens É facultado aos partidos políticos formar coligações, atribuindo-lhes denominação própria que não faça referência a nome ou a número de candidato A filiação do candidato que deseje concorrer às eleições deve ter sido deferida pelo partido político, no mínimo, um ano antes do pleito, sendo facultado ao partido estabelecer, em seu estatuto, prazo superior a esse, desde que essa previsão não decorra de alteração realizada no estatuto em ano eleitoral A votação e a totalização dos votos devem, obrigatoriamente, ser realizadas por meio eletrônico Para que possam participar das eleições, os partidos políticos devem, entre outros requisitos, registrar seu estatuto no TSE no mínimo um ano antes do pleito Para que possam participar das eleições, os partidos políticos devem, entre outros requisitos, ter órgão de direção na circunscrição do pleito, no mínimo, um ano antes do pleito. Julgue os itens subsecutivos, acerca da Lei n.º 9.504/1997 (norma geral das eleições) e respectivas alterações Excepcionalmente, nas seções em que seja adotada a urna eletrônica, ao policial militar em serviço é permitido votar ainda que seu nome não conste das respectivas folhas de votação Caso as convenções para a escolha de candidatos não indiquem o número máximo de candidatos previstos em lei, há possibilidade de preenchimento das vagas remanescentes pelos órgãos de direção dos partidos respectivos após o prazo legal de registro geral de candidaturas. Um candidato ao cargo de deputado estadual, que está com o registro sub judice, continua praticando atos de campanha e grava um programa eleitoral a ser veiculado no horário eleitoral gratuito. A respeito dessa situação hipotética, julgue os itens que seguem O fato de esse candidato estar com o registro sub judice não o impede de praticar atos relativos à campanha e utilizar-se do horário eleitoral gratuito Caso o registro desse candidato permaneça sub judice no dia da eleição, seu nome será mantido na urna eletrônica, mas a validade dos votos a ele atribuídos fica condicionada ao deferimento do registro de sua candidatura Se o registro desse candidato permanecer sub judice no dia da eleição e o seu registro não for deferido, o cômputo dos votos será mantido em benefício do seu respectivo partido ou da coligação GABARITO 1-B 2-C 3-B 4-A 5-E 6- certo 7- D 8- D 9-E 10- errado 11- certo 12- errado 13- certo 14- certo 15- C 16- B 17-E 18- certo 19- errado 20- errado 21- certo 22- errado 25- certo 26- certo 27- errado 9

A Lei n /97, que regula as eleições; prevê em seu art. 73 as condutas vedadas aos agentes públicos no período eleitoral.

A Lei n /97, que regula as eleições; prevê em seu art. 73 as condutas vedadas aos agentes públicos no período eleitoral. ELEITORAL: Após a promulgação da Emenda Constitucional n.º 16, de 04 de Junho de 1977, que possibilitou a reeleição, para o segundo mandato consecutivo de cargos eletivos do Poder Executivo. A Lei n. 9.504,

Leia mais

MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO E ÉTICA ELEITORAL ELEIÇÕES 2012

MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO E ÉTICA ELEITORAL ELEIÇÕES 2012 ELEIÇÕES 2012 ORIENTAÇÕES AOS AGENTES PÚBLICOS DESINCOMPATIBILIZAÇÃO E CONDUTAS VEDADAS PORTO ALEGRE 2012 APRESENTAÇÃO Considerando a incumbência legal desta Comissão de Acompanhamento e Ética Eleitoral

Leia mais

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL VEDAÇÕES EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL VEDAÇÕES EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL VEDAÇÕES EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO 1 ART. 42 - VEDAÇÕES de 1º de maio a 31 de dezembro: Contrair obrigação de despesa, nos últimos 8 meses, que não possa ser cumprida (paga)

Leia mais

DAS ELEIÇÕES. SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE)

DAS ELEIÇÕES. SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE) SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE) - Conjunto de normas que rege e organiza as eleições. - Processo eleitoral: do alistamento até a diplomação. Eleições: I. Princípio Majoritário Para os

Leia mais

REGISTRO DE CANDIDATURA. Eduardo Rangel

REGISTRO DE CANDIDATURA. Eduardo Rangel REGISTRO DE CANDIDATURA Eduardo Rangel 1 Conceito: É a fase inicial do chamado microprocesso eleitoral na qual um partido político ou coligação requer, junto a Justiça Eleitoral, a inscrição de seus candidatos

Leia mais

Direitos Eleitoral - Parte 1

Direitos Eleitoral - Parte 1 Direitos Eleitoral - Parte 1 Com base no Código Eleitoral- Lei 4737/65, Lei n. 9.096/95, Lei 13165/2015, entre outras fontes do direito eleitoral e em questões de provas anteriores do Qconcursos.com. 1.

Leia mais

Eleições 2010: calendário eleitoral, com prazos de desincompatibilização

Eleições 2010: calendário eleitoral, com prazos de desincompatibilização Eleições 2010: calendário eleitoral, com prazos de desincompatibilização Dirigentes sindicais e servidores que pretendem disputar as eleições de 2010 devem ficar atentos às datas e prazos de desincompatibilização.

Leia mais

CONGRESSO COSEMS RECOMENDAÇÕES PARA O CORRETO ENCERRAMENTO DE GESTÃO

CONGRESSO COSEMS RECOMENDAÇÕES PARA O CORRETO ENCERRAMENTO DE GESTÃO CONGRESSO COSEMS - 2016 RECOMENDAÇÕES PARA O CORRETO ENCERRAMENTO DE GESTÃO FONTES: 1.Recomendações para o encerramento da gestão municipal na saúde CONASEMS - Brasília, 2016 2. Tribunal de Contas do Estado

Leia mais

CAPÍTULO II DAS NORMAS PARA A ESCOLHA DE CANDIDATOS E FORMAÇÃO DE COLIGAÇÕES EM NÍVEL MUNICIPAL

CAPÍTULO II DAS NORMAS PARA A ESCOLHA DE CANDIDATOS E FORMAÇÃO DE COLIGAÇÕES EM NÍVEL MUNICIPAL Resolução CEN-PSDB n 003/2016 A COMISSÃO EXECUTIVA NACIONAL do PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA - PSDB, no uso da competência que lhe confere o art. 65 c/c o art. 61 do Estatuto, e na forma do que

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS)

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS) COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS) SUBSTITUTIVO À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o 14,

Leia mais

GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016

GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016 GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016 Modelos de EDITAL DE CONVOCAÇÃO CÉDULA DE VOTAÇÃO ATA DA CONVENÇÃO PALAVRA DO PRESIDENTE Prezados filiados do PSD Pará, O PSD está cada vez mais forte e unido em todo

Leia mais

SUBSTITUTIVO ADOTADO

SUBSTITUTIVO ADOTADO Comissão Especial destinada a proferir parecer à Proposta de Emenda à Constituição nº 282-A, de 2016, do Senado Federal, que "altera a Constituição Federal para vedar as coligações nas eleições proporcionais,

Leia mais

CONDUTAS VEDADAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS

CONDUTAS VEDADAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS CONDUTAS VEDADAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS Elaboração Mauro A. Prezotto OAB/SC 12.082 Renata Guimarães OAB/SC 34.533 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. CONDUTAS VEDADAS... 4 1.1 VISÃO GERAL... 4 1.2. DAS CONDUTAS

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 1. PRAZOS ELEITORAIS PARA OS PARTIDOS: 1.1 ESCOLHA DOS CANDIDATOS: 20.07.2016 a 05.08.2016 (Lei nº 9.504/1997, art. 8º, caput); 1.2 REGISTRO DE CANDIDATURA:

Leia mais

2012/ Ao presidente do partido e ao juiz eleitoral

2012/ Ao presidente do partido e ao juiz eleitoral 2012/2014 2016 20/07 a 05/08 Data das Convenções Partidárias 10/06 a 30/06 (Art. 8º da Lei nº. 9.504/97 e 93, 2º da Lei 4.737/65) Prazo de filiação partidária Comunicação de desfiliação partidária Janela

Leia mais

REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016

REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016 REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016 Dr. Felipe Ferreira Lima Diretor do Instituto Egídio Ferreira Lima 1. Introdução: O debate sobre a Reforma Política no Brasil 2. Registro de Candidatura

Leia mais

Tribunal de Contas do Distrito Federal Luiz Genédio 5ª. Inspetoria de Controle Externo Maio de 2010

Tribunal de Contas do Distrito Federal Luiz Genédio 5ª. Inspetoria de Controle Externo Maio de 2010 Tribunal de Contas do Distrito Federal Luiz Genédio 5ª. Inspetoria de Controle Externo Maio de 2010 Restrições para ano eleitoral Lei de Responsabilidade Fiscal LRF Legislação Eleitoral: Lei nº 9.504/97

Leia mais

NORMA DE CONDUTA EM PERÍODO ELEITORAL - NOR 317

NORMA DE CONDUTA EM PERÍODO ELEITORAL - NOR 317 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: CONDUTA EM PERÍODO ELEITORAL. APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 080, de 26/05/2014 VIGÊNCIA: 26/05/2014 NORMA DE CONDUTA EM PERÍODO ELEITORAL - NOR 317 1/7 SUMÁRIO

Leia mais

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS 1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS DIREITOS POLÍTICOS e REGIME DEMOCRÁTICO O REGIME DEMOCRÁTICO como princípio:

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO Art. 1º - Este Regulamento disciplina os procedimentos que regem as eleições previstas no artigo 69 do Estatuto Social da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL 01. (TRF da 2ª Região/Técnico Judiciário/2007) Mirian exerce o cargo efetivo de professora de ensino médio da rede pública estadual de ensino, atividade esta que sempre desempenhou

Leia mais

CURSO DE DIREITO DIREITO ELEITORAL. Prof. Gilberto Kenji Futada SISTEMAS ELEITORAIS

CURSO DE DIREITO DIREITO ELEITORAL. Prof. Gilberto Kenji Futada SISTEMAS ELEITORAIS CURSO DE DIREITO Prof. A CF/88 prevê dois sistemas para a escolha dos representantes que, em nome do titular da soberania, o povo, exercerão o poder: Sistema Majoritário a) Presidência da República b)

Leia mais

ELEIÇÕES 2016 COM ÊNFASE NA MINIRREFORMA ELEITORAL

ELEIÇÕES 2016 COM ÊNFASE NA MINIRREFORMA ELEITORAL ELEIÇÕES 2016 COM ÊNFASE NA MINIRREFORMA ELEITORAL Em outubro (02/10) os brasileiros voltam às urnas, dessa vez para votar em Prefeitos e Vereadores. Esta será a primeira eleição depois da minirreforma

Leia mais

Sumário. Coleção Sinopses para Concursos Guia de leitura da Coleção... 19

Sumário. Coleção Sinopses para Concursos Guia de leitura da Coleção... 19 Sumário Coleção Sinopses para Concursos... 17 Guia de leitura da Coleção... 19 CAPÍTULO I DIREITO ELEITORAL: NOÇÕES INTRODUTÓRIAS... 21 1. Conceito, objeto e objetivos do Direito Eleitoral... 21 2. A democracia

Leia mais

AS MULHERES NA POLÍ TÍCA EM NU MEROS

AS MULHERES NA POLÍ TÍCA EM NU MEROS AS MULHERES NA POLÍ TÍCA EM NU MEROS Número de deputados Federais Eleitos em 2006, 2010 e 2014 MULHERES % HOMENS % TOTAL 2006 45 8,8 468 91,2 2010 45 8,8 468 91,2 513 2014 51 9,9 462 90,1 Número de Senadores

Leia mais

LOURIVAL SEREJO DIREITO ELEITORAL ATUALIZADO. Lei nº /2015 Código de Processo Civil Jurisprudência eleitoral

LOURIVAL SEREJO DIREITO ELEITORAL ATUALIZADO. Lei nº /2015 Código de Processo Civil Jurisprudência eleitoral LOURIVAL SEREJO DIREITO ELEITORAL ATUALIZADO Lei nº 13.165/2015 Código de Processo Civil Jurisprudência eleitoral Belo Horizonte 2016 3 Sumário INTRODUÇÃO... 15 I DIREITO ELEITORAL... 17 1 O Direito Eleitoral

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 145, DE 2011

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 145, DE 2011 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 145, DE 2011 Altera a Lei n 4.737, de 15 de julho de 1965, (Código Eleitoral), e a Lei n 9.504, de 30 de setembro de 1997, para instituir o sistema eleitoral

Leia mais

REFORMA POLÍTICA PEC 282/16 O texto enviado pelo Senado à Câmara dos Deputados estabelecia cláusula de barreira para o funcionamento parlamentar de

REFORMA POLÍTICA PEC 282/16 O texto enviado pelo Senado à Câmara dos Deputados estabelecia cláusula de barreira para o funcionamento parlamentar de REFORMA POLÍTICA PEC 282/16 O texto enviado pelo Senado à Câmara dos Deputados estabelecia cláusula de barreira para o funcionamento parlamentar de partidos, aplicável a partir das eleições de 2022 (aqueles

Leia mais

Ofício nº 1028 (SF) Brasília, em 27 de setembro de 2017.

Ofício nº 1028 (SF) Brasília, em 27 de setembro de 2017. Ofício nº 1028 (SF) Brasília, em 27 de setembro de 2017. A Sua Excelência o Senhor Deputado Giacobo Primeiro-Secretário da Câmara dos Deputados Assunto: Projeto de Lei do Senado à revisão. Senhor Primeiro-Secretário,

Leia mais

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE Estabelece normas para as eleições.

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE Estabelece normas para as eleições. LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997. Estabelece normas para as eleições. O grande mérito desta lei é o de, a princípio, tornar permanentes as regras para todas as eleições,pois, até sua edição, o que

Leia mais

(Do Senhor Marcus Pestana)

(Do Senhor Marcus Pestana) PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Senhor Marcus Pestana) Dispõe sobre o sistema eleitoral para as eleições proporcionais, alterando a Lei nº 4.737, de 15 de julho de 1965 (Código Eleitoral), a Lei nº 9.096,

Leia mais

REGULAMENTO DOS ENCONTROS SETORIAIS DO PT RIBEIRAO PRETO

REGULAMENTO DOS ENCONTROS SETORIAIS DO PT RIBEIRAO PRETO 2016 REGULAMENTO DOS ENCONTROS SETORIAIS DO PT RIBEIRAO PRETO Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores 07/3/2016 1 Art. 1º - Os setoriais municipais que tiverem mais de um ano de funcionamento

Leia mais

Catalogação na Publicação (CIP)

Catalogação na Publicação (CIP) GUIA AOS ELEITORES Catalogação na Publicação (CIP) P221 Pará. Ministério Público. Guia aos eleitores: Perguntas e respostas sobre as eleições municipais de 2016 / Elaboração e Organização de José Edvaldo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL OFÍCIO- Nº 005/2012 COMISSÃO ELEITORAL/UFAC Ao Senhor Eduardo Henrique de Almeida Aguiar Procurador da República Av. Epaminondas Jacome, nº 3017, Centro NC

Leia mais

RESTRIÇÕES PREVISTAS NA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL PARA ÚLTIMO ANO DE MANDATO E NA LEGISLAÇÃO ELEITORAL

RESTRIÇÕES PREVISTAS NA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL PARA ÚLTIMO ANO DE MANDATO E NA LEGISLAÇÃO ELEITORAL RESTRIÇÕES PREVISTAS NA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL PARA ÚLTIMO ANO DE MANDATO E NA LEGISLAÇÃO ELEITORAL Especificação Base Prazo LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL Poderes Executivo e Legislativo Proibição

Leia mais

Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se. eleitos, pelo sistema proporcional, em cada Estado, em cada Território e no

Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se. eleitos, pelo sistema proporcional, em cada Estado, em cada Território e no Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se compõe da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Parágrafo único. Cada legislatura terá a duração de quatro anos. Art. 45. A Câmara

Leia mais

... 5º São inelegíveis para os mesmos cargos, no período imediatamente subsequente, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do

... 5º São inelegíveis para os mesmos cargos, no período imediatamente subsequente, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do Reforma as instituições político-eleitorais, alterando os arts. 14, 17, 57 e 61 da Constituição Federal, e cria regras temporárias para vigorar no período de transição para o novo modelo, acrescentando

Leia mais

Lei /2015: As Regras para a propaganda eleitoral 2016.

Lei /2015: As Regras para a propaganda eleitoral 2016. Lei 13.165/2015: As Regras para a propaganda eleitoral 2016. Calendário eleições 2016. Agosto: -05: último dia para realizações de convenções partidárias. -15: Último dia para os partidos e coligações

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação 2007/1 ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES Disciplina: DIREITO ELEITORAL E PARTIDÁRIO Curso: DIREITO Código CR PER Co-Requisito Pré-Requisito

Leia mais

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA Victor Barau 1- O Conceito da palavra Democracia Democracia demos = povo, e kratos = autoridade Origem Conceito Moderno: Revoluções Francesa e Americana.

Leia mais

Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO QUESTÕES CESPE COMENTADAS... 17

Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO QUESTÕES CESPE COMENTADAS... 17 Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO QUESTÕES CESPE COMENTADAS... 17 Guia de leitura... 19 Direcionamento do estudo: O que é necessário priorizar no estudo das provas do CESPE... 25 Raio-x da incidência das

Leia mais

TÍTULO I CONDIÇÕES DE ELEGIBILIDADE

TÍTULO I CONDIÇÕES DE ELEGIBILIDADE CAMPUS RIO POMBA EDITAL DE CONVOCAÇÃO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS REPRESENTANTES DOS SERVIDORES DOCENTES E TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS DO CAMPUS RIO POMBA NO CONSELHO SUPERIOR (CONSU) E NO CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

CALENDÁRIO DA ELEIÇÃO SUPLEMENTAR PARA PREFEITO E VICE-PREFEITO DE MIRASSOL D OESTE - ANEXO DA RESOLUÇÃO nº 2076/2017 NOVEMBRO 2016

CALENDÁRIO DA ELEIÇÃO SUPLEMENTAR PARA PREFEITO E VICE-PREFEITO DE MIRASSOL D OESTE - ANEXO DA RESOLUÇÃO nº 2076/2017 NOVEMBRO 2016 CALENDÁRIO DA ELEIÇÃO SUPLEMENTAR PARA PREFEITO E VICE-PREFEITO DE MIRASSOL D OESTE - ANEXO DA RESOLUÇÃO nº 2076/2017 NOVEMBRO 2016 19 novembro sábado (1 ano antes) 1. Data limite para todos os partidos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/2010 - DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL Art. 1º - Este Regulamento fixa normas para eleição da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal da, de

Leia mais

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL PROJETO DE LEI Nº, DE 2016 (Autoria: Poder Executivo) Dispõe sobre a participação popular no processo de escolha dos administradores regionais e a constituição dos Conselhos de Representantes Comunitários

Leia mais

Comentários à Prova de Direito Eleitoral para Assistente de Promotoria I provas em

Comentários à Prova de Direito Eleitoral para Assistente de Promotoria I provas em à Prova de Direito Eleitoral para Assistente de Promotoria I provas em 21.06.2015 No que se refere à propaganda partidária ou eleitoral, no período eleitoral, é correto afirmar que a) a realização de comícios

Leia mais

28/05/ Trabalho e Previdência - Eleições Considerações

28/05/ Trabalho e Previdência - Eleições Considerações 28/05/2010 - Trabalho e Previdência - Eleições 2010 - Considerações Texto elaborado em 30.04.2010 Sumário 1. Introdução 2. Feriado nacional 2.1 Expediente no dia de eleição 2.2 Empregado - Tempo gasto

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO SINDUSCON-ES SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

REGULAMENTO ELEITORAL DO SINDUSCON-ES SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO REGULAMENTO ELEITORAL DO SINDUSCON-ES SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo 1º - Este Regulamento Eleitoral é parte integrante

Leia mais

1. SERVIDORES PÚBLICOS ESTATURÁRIOS FEDERAIS. Art. 2º da Lei Conceito de agente público: Juiz e promotor são agentes políticos?...

1. SERVIDORES PÚBLICOS ESTATURÁRIOS FEDERAIS. Art. 2º da Lei Conceito de agente público: Juiz e promotor são agentes políticos?... 1 DIREITO ADMINISTRATIVO PONTO 1: Servidores Públicos Estatutários Federais 1. SERVIDORES PÚBLICOS ESTATURÁRIOS FEDERAIS Art. 2º da Lei 8.429 Conceito de agente público: Art. 2 Reputa-se agente público,

Leia mais

Periscope ao-vivo Direito Eleitoral com Bruno Oliveira. Resolução das Questões de Direito Eleitoral do Concurso TRE/SP 2012

Periscope ao-vivo Direito Eleitoral com Bruno Oliveira. Resolução das Questões de Direito Eleitoral do Concurso TRE/SP 2012 Periscope ao-vivo Direito Eleitoral com Bruno Oliveira Resolução das Questões de Direito Eleitoral do Concurso TRE/SP 2012 QUESTÃO 01 (LC 64/90 - Ações Eleitorais) Um partido político pretende pedir a

Leia mais

1º SIMULADO DE DIREITO ELEITORAL P/ TRE/RS E TRE/AC FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC)

1º SIMULADO DE DIREITO ELEITORAL P/ TRE/RS E TRE/AC FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC) Prezados(as) Alunos(as)! Visando ajudar a todos os concurseiros nesta corrida em prol da aprovação nestes 2 concursos de Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) vigentes, TRE/RS e TRE/AC, disponibilizo abaixo

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL 2016 IAB RS

REGULAMENTO ELEITORAL 2016 IAB RS A Comissão Eleitoral constituída nos termos do Art. 80 do Estatuto do IAB RS, vem, através deste Regulamento Eleitoral Eleições 2016, editado nos termos do parágrafo único do Artigo 80 do Estatuto do IAB

Leia mais

Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi

Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi I Direitos políticos, 1 1 Compreensão dos direitos políticos, 1 1.1 Política, 1 1.2 Direito político, direito constitucional e ciência política, 3

Leia mais

PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO DIVISÃO DE FUNÇÕES ESTATAIS ORGANIZAÇÃO DOS PODERES ESTUDO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES

PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO DIVISÃO DE FUNÇÕES ESTATAIS ORGANIZAÇÃO DOS PODERES ESTUDO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES ORGANIZAÇÃO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES ART. 2.º,, DA CF/88: São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo,, o Executivo e o Judiciário rio. FUNÇÕES LEGISLATIVA EXECUTIVA

Leia mais

GESTÃO RESPONSÁVEL EM FINAL DE MANDATO, COM FOCO NA LRF E NA LEI ELEITORAL

GESTÃO RESPONSÁVEL EM FINAL DE MANDATO, COM FOCO NA LRF E NA LEI ELEITORAL GESTÃO RESPONSÁVEL EM FINAL DE MANDATO, COM FOCO NA LRF E NA LEI ELEITORAL Resolução 002/2016/TCM/PA Analista de Controle Externo CLEBER MESQUITA VEDAÇÕES E PRAZOS EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO Analista de

Leia mais

PONTO DOS CONCURSOS CURSO DE DIREITO ELEITORAL TRE/AP 4º Simulado de Direito Eleitoral p/ TRE-AMAPÁ! PROFESSOR: RICARDO GOMES AVISOS:

PONTO DOS CONCURSOS CURSO DE DIREITO ELEITORAL TRE/AP 4º Simulado de Direito Eleitoral p/ TRE-AMAPÁ! PROFESSOR: RICARDO GOMES AVISOS: AVISOS: Estamos ministrando os seguintes CURSOS: DIREITO ELEITORAL P/ O TSE - ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA JUDICIÁRIA (TEORIA E EXERCÍCIOS) DIREITO ELEITORAL P/ O TSE - ANALISTA E TÉCNICO ÁREA ADMINISTRATIVA

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR nº 840/11. Rodrigo Cardoso

LEI COMPLEMENTAR nº 840/11. Rodrigo Cardoso LEI COMPLEMENTAR nº 840/11 Rodrigo Cardoso Art. 1º Esta Lei Complementar institui o regime jurídico dos servidores públicos civis da administração direta, autárquica e fundacional e dos órgãos relativamente

Leia mais

Guia rápido de permissões e proibições pertinentes à propaganda eleitoral

Guia rápido de permissões e proibições pertinentes à propaganda eleitoral Secretaria Judiciária Coordenadoria de Gestão da Informação Guia rápido de permissões e proibições pertinentes à propaganda eleitoral Tipo Regra Referência legislativa Sancionamento em caso de violação

Leia mais

Jaime Barreiros Neto REFORMA ELEITORAL. Comentários à Lei , de 29 de setembro de 2015

Jaime Barreiros Neto REFORMA ELEITORAL. Comentários à Lei , de 29 de setembro de 2015 Jaime Barreiros Neto REFORMA ELEITORAL Comentários à Lei 13.165, de 29 de setembro de 2015 Barreiros Neto-Reforma Eleitoral-1ed.indb 3 30/05/2016 09:16:57 Capítulo 2 A LEI 13.165/2015 E AS REGRAS RELATIVAS

Leia mais

Simuladão Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco

Simuladão Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco 1 Simuladão Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco É com muita alegria que lhe envio o Simuladão de Direito Eleitoral para o TRE-Pernambuco. O gabarito será disponibilizado em minha página e site na

Leia mais

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS 01 Vereador: Papel Constitucional e Sistema de Eleição Juiz JAILSOM LEANDRO DE SOUSA 02 Quem é o vereador? O Vereador é o Membro do Poder Legislativo Municipal. 03 Qual é o papel do Vereador? O papel do

Leia mais

Condutas Vedadas aos Agentes Públicos em Campanhas Eleitorais

Condutas Vedadas aos Agentes Públicos em Campanhas Eleitorais Condutas Vedadas aos Agentes Públicos em Campanhas Eleitorais Com a proximidade das eleições, a União dos Municípios da Bahia - UPB vem alertar sobre as condutas vedadas prevista na lei 9.504, com o objetivo

Leia mais

DIREITO ELEITORAL

DIREITO ELEITORAL DIREITO ELEITORAL 01. A nomeação dos membros das Juntas Eleitorais e a designação das respectivas sedes compete ao a) Corregedor Regional Eleitoral e ao Juiz Eleitoral, respectivamente. b) Juiz Eleitoral

Leia mais

eleições municipais 2016

eleições municipais 2016 eleições municipais 2016 agente público no período eleitoral: o que pode e o que não pode Governo do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin Secretaria de Planejamento e Gestão Marcos Antonio Monteiro Subsecretaria

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL 137ª Zona Eleitoral/PE

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL 137ª Zona Eleitoral/PE RECOMENDAÇÃO Nº 01/2016 PJE/137ªZE O Ministério Público Eleitoral, no exercício de suas atribuições constitucionais e legais conferidas pelos artigos 127, caput, e 129, IX, da Constituição Federal e nos

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 25, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 25, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 25, DE 2015 Altera a Lei nº 4.737, de 15 de julho de 1965, (Código Eleitoral) e a Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997, para instituir o sistema eleitoral majoritário nas

Leia mais

O PT de Floriano, presidido pelo Celso Vieira (imagem), definiu os prazos para tomar as decisões sobre as Eleições Municipais de 2016.

O PT de Floriano, presidido pelo Celso Vieira (imagem), definiu os prazos para tomar as decisões sobre as Eleições Municipais de 2016. O PT de Floriano, presidido pelo Celso Vieira (imagem), definiu os prazos para tomar as decisões sobre as Eleições Municipais de 2016. Num comunicado enviado ao piauinoticias o presidente Celso informou

Leia mais

Comentários à Prova de Técnico Judiciário Área Administrativa TRE/GO provas em

Comentários à Prova de Técnico Judiciário Área Administrativa TRE/GO provas em à Prova de Técnico Judiciário Área à Prova de Técnico Judiciário Área TRE/GO provas em 01.03.2015 PROVA TIPO 1 Prova http://www.cespe.unb.br/concursos/tre_go_14/arquivos/136tre_go_0 03_01.pdf Gabarito

Leia mais

LUCIENI PEREIRA AUDITORA DO TCU PRESIDENTE DA ANTC ENTIDADE DA REDE MCCE

LUCIENI PEREIRA AUDITORA DO TCU PRESIDENTE DA ANTC ENTIDADE DA REDE MCCE 6 de agosto de 2014 LUCIENI PEREIRA AUDITORA DO TCU PRESIDENTE DA ANTC ENTIDADE DA REDE MCCE Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral: Conquistas e Desafios para Eleições Limpas PROJETO DE LEI 6.316,

Leia mais

Resolução Nº , de 15/12/2015 Dispõe sobre a escolha e registro dos candidatos para as eleições 2016.

Resolução Nº , de 15/12/2015 Dispõe sobre a escolha e registro dos candidatos para as eleições 2016. 1 Resolução Nº 23.455, de 15/12/2015 Dispõe sobre a escolha e registro dos candidatos para as eleições 2016. Elaborada já considerando as modificações trazidas pela Lei nº 13.165 de 29/09/2015 (Reforma

Leia mais

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS CONCEITO: O direito democrático de participação do povo no governo, por seus representantes, acabou exigindo a formação de um conjunto de normas legais permanentes, que recebe a denominação de direitos

Leia mais

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe:

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe: Sistemas Eleitorais Voto e Eleições A expressão "sistema eleitoral" designa o modo, os instrumentos e os mecanismos empregados nos países de organização política democrática para constituir seus Poderes

Leia mais

DOMICÍLIO ELEITORAL (art. 11, 2º, Res. TSE nº /15) FILIAÇÃO PARTIDÁRIA (art. 11, 2º, Res. TSE nº /15)

DOMICÍLIO ELEITORAL (art. 11, 2º, Res. TSE nº /15) FILIAÇÃO PARTIDÁRIA (art. 11, 2º, Res. TSE nº /15) Qualquer cidadão pode pretender investidura em cargo eletivo, respeitadas as condições constitucionais e legais de elegibilidade e de incompatibilidade, desde que não incida em quaisquer das causas de

Leia mais

Quadro comparativo do Projeto de Lei do Senado nº 464, de 2015

Quadro comparativo do Projeto de Lei do Senado nº 464, de 2015 1 Altera a Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997, para estabelecer o calendário para a escolha dos candidatos e da campanha eleitoral, o limite dos gastos com pessoal, reduzir para trinta dias o período

Leia mais

Regimento Interno, torna público edital de eleições para o provimento de cargos do conselho Fiscal e Deliberativo.

Regimento Interno, torna público edital de eleições para o provimento de cargos do conselho Fiscal e Deliberativo. ELEIÇÔES ACERGS quinta-feira 06 de agosto de 2015 Edital Nº03/2015 Processo Eleitoral ACERGS O Presidente da Associação de Cegos do Rio Grande do Sul ACERGS, no exercício das funções que lhe confere o

Leia mais

A propaganda eleitoral no rádio e na televisão restringe-se ao horário gratuito definido na Lei 9.504/97, vedada a veiculação de propaganda paga.

A propaganda eleitoral no rádio e na televisão restringe-se ao horário gratuito definido na Lei 9.504/97, vedada a veiculação de propaganda paga. A propaganda eleitoral no rádio e na televisão restringe-se ao horário gratuito definido na Lei 9.504/97, vedada a veiculação de propaganda paga. Ocorrerá a veiculação apenas nos Municípios em que houver

Leia mais

ÍNDICE 1. CLASSIFICAÇÃO E AUTONOMIA FONTES DO DIREITO ELEITORAL INTERPRETAÇÃO DO DIREITO ELEITORAL... 27

ÍNDICE 1. CLASSIFICAÇÃO E AUTONOMIA FONTES DO DIREITO ELEITORAL INTERPRETAÇÃO DO DIREITO ELEITORAL... 27 DIREITO ELEITORAL 5ª Edição ÍNDICE 1. CLASSIFICAÇÃO E AUTONOMIA... 19 2. FONTES DO DIREITO ELEITORAL... 21 3. INTERPRETAÇÃO DO DIREITO ELEITORAL... 27 4. PRINCÍPIOS DE DIREITO ELEITORAL... 31 1. Princípio

Leia mais

A distância entre o sonho e a conquista chama-se ATITUDE!

A distância entre o sonho e a conquista chama-se ATITUDE! A distância entre o sonho e a conquista chama-se ATITUDE! PLANO DE AULA Nº 6 DIRIETOS POLÍTICOS 1. NOÇÕES TEÓRICAS DIREITOS POLÍTICOS No capítulo IV do título II, a CF dispôs de um conjunto de normas para

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL LEI Nº 3.244, DE 6 DE JULHO DE 2006. Dispõe sobre a eleição de diretores, diretores-adjuntos e do colegiado escolar da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul e dá outras

Leia mais

Definição como se transformam votos em poder

Definição como se transformam votos em poder Definição. Sistema eleitoral é o conjunto de regras que define como, em uma determinada eleição, o eleitor pode fazer suas escolhas e como os votos são contabilizados para serem transformados em mandatos.

Leia mais

ARGUMENTO º ANO E.M. A B C D E ATUALIDADES

ARGUMENTO º ANO E.M. A B C D E ATUALIDADES ARGUMENTO 2017 1º ANO E.M. A B C D E ATUALIDADES República Federativa do Brasil ASPECTOS DA ESTRUTURA POLÍTICO- CONSTITUCIONAL DO ESTADO BRASILEIRO. REPÚBLICA - forma de governo em que o Chefe de Estado

Leia mais

INFORME ESPECIAL ASSESSORIA PARLAMENTAR Nº 01

INFORME ESPECIAL ASSESSORIA PARLAMENTAR Nº 01 INFORME ESPECIAL ASSESSORIA PARLAMENTAR Nº 01 Elaborado em 09 de julho de 2013 REFORMA POLÍTICA DEPUTADOS DESCARTAM REFORMA POLÍTICA VÁLIDA PARA 2014 O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, afirmou

Leia mais

Regimento do Conselho Pedagógico da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Capítulo I (Disposições Gerais) Artigo 1.

Regimento do Conselho Pedagógico da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Capítulo I (Disposições Gerais) Artigo 1. Regimento do Conselho Pedagógico da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa Capítulo I (Disposições Gerais) Artigo 1.º (Natureza) O Conselho Pedagógico é o órgão de gestão pedagógica da Faculdade,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA REGULAMENTO DA ELEIÇÃO PARA CARGOS DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL Em atendimento

Leia mais

EDITAL Nº. 02/2016 ELEIÇÃO DOS MEMBROS DOS CONSELHOS ADMINISTRATIVO E FISCAL DO IPREM-POSSE

EDITAL Nº. 02/2016 ELEIÇÃO DOS MEMBROS DOS CONSELHOS ADMINISTRATIVO E FISCAL DO IPREM-POSSE EDITAL Nº. 02/2016 ELEIÇÃO DOS MEMBROS DOS CONSELHOS ADMINISTRATIVO E FISCAL DO IPREM-POSSE DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS A SEREM ADOTADOS DURANTE AS ELEIÇÕES DOS CONSELHOS ADMINISTRATIVO E FISCAL DO IPREM-POSSE

Leia mais

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Dias 25,26,27 e 28 de agosto de 2011. Capítulo I - Das Disposições Gerais Art. 1º - A

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO I DIREITOS POLÍTICOS... 1 CAPÍTULO II DIREITO ELEITORAL... 15 CAPÍTULO III PRINCÍPIOS DE DIREITO ELEITORAL... 23

SUMÁRIO CAPÍTULO I DIREITOS POLÍTICOS... 1 CAPÍTULO II DIREITO ELEITORAL... 15 CAPÍTULO III PRINCÍPIOS DE DIREITO ELEITORAL... 23 SUMÁRIO CAPÍTULO I DIREITOS POLÍTICOS... 1 1. Compreensão dos direitos políticos... 1 1.1. Política... 1 1.2. Direito Político... 2 1.3. Direitos políticos... 2 2. Direitos humanos e direitos políticos...

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS - SEJUDH EDITAL SEC/SADH/SEJUDH Nº. 004/2016

SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS - SEJUDH EDITAL SEC/SADH/SEJUDH Nº. 004/2016 SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS - SEJUDH EDITAL SEC/SADH/SEJUDH Nº. 004/2016 EDITAL DE ELEIÇÃO DOS MEMBROS DA SOCIEDADE CIVIL DO CONSELHO ESTADUAL DE DEFESA DOS DIREITOS DA PESSOA COM

Leia mais

Manual Prático de Direito Eleitoral

Manual Prático de Direito Eleitoral Autor Walber de Moura Agra Manual Prático de Direito Eleitoral Área Específica Direito Eleitoral. Áreas Afins Direito Público - Direito Constitucional - Direito Eleitoral. O objetivo deste Manual Prático

Leia mais

Comentários à Prova de AJAJ TRE - PE CESPE provas em 19/3/2017

Comentários à Prova de AJAJ TRE - PE CESPE provas em 19/3/2017 --- à Prova à Prova de AJAJ TRE - PE CESPE provas em 19/3/2017 Segue, abaixo, comentário das questões de Direito Eleitoral aplicadas no concurso para o cargo de Analista Judiciário Área Administrativa.

Leia mais

S u m á r i o. Capítulo 1 O Direito Eleitoral no Brasil Capítulo 2 Conceito e Regras Gerais de Interpretação... 5

S u m á r i o. Capítulo 1 O Direito Eleitoral no Brasil Capítulo 2 Conceito e Regras Gerais de Interpretação... 5 S u m á r i o Capítulo 1 O Direito Eleitoral no Brasil... 1 Capítulo 2 Conceito e Regras Gerais de Interpretação... 5 2.1. Conceito... 5 2.2. Poder Normativo... 5 2.3. Interpretação da Legislação Eleitoral...

Leia mais

Questões Fundamentadas da LEI 9.504/97

Questões Fundamentadas da LEI 9.504/97 1 2 APOSTILA AMOSTRA Para adquirir a apostila de 300 Questões fundamentadas da Lei das Eleições Lei 9.504/97 Acesse o site www.odiferencialconcursos.com.br S U M Á R I O Apresentação...3 Questões...4 Respostas...105

Leia mais

Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho

Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho 01. Quanto ao Congresso Nacional, considere: I. O número total de Deputados, bem como a representação por Estado e pelo Distrito Federal,

Leia mais

I - DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS II - DA COMPOSIÇÃO, DIREITOS E DEVERES DOS MEMBROS

I - DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS II - DA COMPOSIÇÃO, DIREITOS E DEVERES DOS MEMBROS REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PERMANENTE DE ACOMPANHAMENTO DE AÇÕES JUDICIAIS RELEVANTES - COPAJURE DO CONSELHO NACIONAL DOS DIRIGENTES DE REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - CONAPREV I - DA DEFINIÇÃO

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

SEÇÃO II FASE II ELEIÇÃO Art. 9º A eleição realizar-se-á, por meio eletrônico, visando a rapidez,

SEÇÃO II FASE II ELEIÇÃO Art. 9º A eleição realizar-se-á, por meio eletrônico, visando a rapidez, REGULAMENTO A Comissão Eleitoral instituída pela RA TRT14 nº 69/2014, no exercício de suas atribuições legais, institui o regulamento para implementar a formação, via eleição, indicações e escolhas do

Leia mais

HIDERALDO LUIZ DE ALMEIDA Presidente da Diretoria Executiva da ASCT

HIDERALDO LUIZ DE ALMEIDA Presidente da Diretoria Executiva da ASCT EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÃO GERAL DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS SERVIDORES DO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO ASCT O Presidente da Diretoria Executiva

Leia mais

FÓRUM ESTADUAL DE DIREITOS HUMANOS DO MARANHÃO-FEDHMA

FÓRUM ESTADUAL DE DIREITOS HUMANOS DO MARANHÃO-FEDHMA FÓRUM ESTADUAL DE DIREITOS HUMANOS DO MARANHÃO-FEDHMA REGULAMENTO DO PROCESSO DE ESCOLHA DOS REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL NO CONSELHO ESTADUAL DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS DO MARANHÃO O Fórum Estadual

Leia mais

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1 DIREITOS POLÍTICOS Prof. Fábio Ramos prof.fabioramos@hotmail.com Conjunto de normas que disciplinam as formas de exercício da soberania popular. Princípio da Soberania Popular: Art. 1º, par. único: Todo

Leia mais

DIAP Quadro comparativo: PEC do GT da reforma política no Congresso Qua, 13 de Novembro de :43

DIAP Quadro comparativo: PEC do GT da reforma política no Congresso Qua, 13 de Novembro de :43 Departamento Intersindical de Assessoria Parlametar organiza uma tabela comparativa a partir da PEC aprovada pelo Grupo de Trabalho sobre Reforma Política na Camâra dos Deputados. O Grupo de Trabalho sobre

Leia mais