Circuito Hidráulico Básico:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Circuito Hidráulico Básico:"

Transcrição

1 Circuito Hidráulico ásico: O circuito hidráulico mais simples consiste no comando de avanço e recuo de um cilindro de dupla ação, utilizando uma bomba de vazão constante e uma válvula direcional de acionamento manual. Logicamente, pelo tipo de bomba escolhida, é necessária a utilização de uma válvula limitadora de pressão para evitar danos ao sistema. Esquematicamente, este circuito é mostrado na figura a seguir. Nos esquema da figura, foram também colocados um filtro de sucção e, na linha de retorno, um trocador de calor e um filtro de retorno.

2 Circuito hidráulico básico:

3 vanço do atuador num circuito básico velocidade de avanço pode ser calculada por : V P (1)

4 Retorno do atuador num circuito básico velocidade de retorno pode ser calculada por : V R C (2)

5 Vazão induzida 2 V C o que indica que a vazão na linha de retorno será menor que a na linha de avanço. Esta vazão de retorno é denominada vazão induzida no avanço ( ia ) nalogamente pode-se analisar o retorno do cilindro, tomando como base o esquema da figura a seguir V 1 R P o que indica que a vazão na linha de retorno será maior que a na linha de avanço. Essa vazão é denominada vazão induzida de retorno ir.

6 Exemplo: Suponhamos ter uma bomba que forneça 32,6 l/min a um cilindro de 80 mm de diâmetro de pistão e 36 mm de diâmetro de haste. Pede-se calcular a vazão induzida no avanço e no retorno do cilindro. P C ia 2 π 0,08 2 0, m π ( 0,08 0,036 ) 2 0, m 4 l ,6 0, m min , Va P > Va 0, V a C P 3 / s 0,1081 0, ,1081 m / s 26l / min ir ia < V V r r < C p > ir V r C 0, , ,1355 0, ,1355 m /s 40,86l / min

7 Circuito Regenerativo ) 1 ( ) 1 (1 ) (1 ) ( ) ( r r r V V V V p p p c p c p c p c p ia + +

8 Dimensionamento de bomba Vimos que ia < b < ir Deve-se lembrar também que Pb > Ptrabalho + perda de carga Cálculo do Tamanho Nominal da omba Vg 1000 n η V cm rot 3 Volumem de absorção (cilindrada) litros por minuto n rotação em rpm Rendimento volumétrico ( ) η V

9 Momento de Torção Mt (torque N.m) N potencia em kw n rotação em rpm M t 9549 N n Potência da bomba N M t n 9549 P( bar) 600 η T litros por minuto rendimento total (0,75 a 0,90) η T

10

11 Exemplo: Dimensionar a bomba de um sistema hidráulico que trabalhará a 1750 rpm, com um rendimento volumétrico de 0,92, a fim de suprir dois atuadores lineares com as seguintes características: avanço e retorno simultâneo, Dp 63 mm, dh 45 mm, Va 5 cm/s e Vr 8 cm/s. a r V V a r P C 1000 Vg n η omba TN11 π 0,063 0,05 4 π 0,08 V 2 ( 2 2 0,063 0,045 ) ,66 l / min , , ,70 l / min 11,61 cm 3 / rot

12 Motores Hidráulicos São os responsáveis pela transformação da energia de pressão em energia mecânica de rotação. Utilizados principalmente como acionadores de ferramentas manuais, tem também larga aplicação na industria, principalmente em ambientes com vapores de gases inflamáveis, como também pelo baixo consumo de energia e velocidade variável. Podem ser:

13 São classificados, conforme a construção, nos seguintes tipos: -TURIN -PLHETS -ENGRENGENS -PISTÕES RDIIS - PISTÕES XIIS

14 Motores de Turbina Opera de forma contrária ao turbo-compressor, ou seja, a energia cinética do ar é convertida em movimento rotativo. presentam péssimo rendimento devido às altas perdas de ar, sendo econômico apenas para baixas potências, no entanto são capazes de atingir rotações elevadíssimas com baixo torque que variam de r.p.m. até r.pm. Para baixas rotações e altos torques não é vantajoso a sua utilização pois necessita de ser acoplado a um redutor. Uma aplicação clássica é a "broca do dentista" que chega atingir r.p.m. Também usado em fresadoras e retificadoras de alta rotação.

15 Motor de Palhetas Motor tipo palheta ilustrado, consiste em um rotor e em palhetas que podem deslocarse para dentro e para fora nos alojamentos das palhetas. O rotor do motor é montado em um centro que está deslocadodocentrodacarcaça.oeixodorotorestá ligado a um objeto que oferece resistência. Conforme o fluido passa pela conexão de entrada, a energia de trabalho hidráulica atua em qualquer parte da palheta exposta no lado da entrada. Uma vez que a palheta superior tem maior área exposta à pressão, a força do rotor fica desbalanceada e o rotor gira. Conforme o líquido alcança a conexão de saída, onde está ocorrendo diminuição do volume, o líquido é recolocado.

16 Motor de Engrenagens Um motor de engrenagem é um motor de deslocamento positivo que desenvolve um torque de saída no seu eixo através da ação da pressão hidráulica nos dentes da engrenagem. Um motor de engrenagem consiste basicamente em uma carcaça com aberturas de entrada e de saída e um conjunto rotativo composto de duas engrenagens. Uma das engrenagens, a engrenagem motora, é ligada a um eixo que está ligado a uma carga. outra é a engrenagem movida

17 São motores de baixa velocidade e alto torque, utilizam o conceito internamente de rotor gerotor com vantagens construtivas. O rotor, elemento de potência não orbita, somente gira. Esta função é executada pela orbitação do anel externo, eixo feito de uma única peça. O complexo engrenamento é mantido entre o eixo e o rotor, desde que não haja movimento relativo entre eles. Rolos que vedam entre compartimentos no elemento de potência são ajustados entre o rotor e o anel externo,como ilustrado na próxima figura. uando selam entre os compartimentos de alta e baixa pressão, eles agem de maneira similar a uma válvula de retenção. uanto maior a pressão, maior a vedação. O rolo está livre para assumir alguma posição no sistema, ainda se alguma mudança devida ao dimensional ocorrer no rotor, a vedação entre o compartimento de alta e baixa pressão não será afetada.

18 Motores de Pistões Entre as características desse motor temos: Elevado torque de arranque e na faixa de rotação; aixa rotação (até 5000 r.p.m.); Faixa de potência varia de 2W até 20 kw; figura ilustra um motor de pistões radiais em execução estrela onde a transformação do movimento linear do pistão ocorre por um mecanismo biela-manivela (como no motor de automóvel). São utilizados em equipamentos de elevação.

19 Motor de pistões axiais onde a transformação ocorre por disco oscilante. Esse motor apresenta uniformidade no movimento de rotação com um funcionamento silencioso e sem vibrações, sendo utilizado em equipamentos de elevação.

20 Dimensionamento do Motor Hidráulico M t F R [ N m] número de rotaçãoes(rpm) v n 2πR onde v velocidade de deslocamento da massa em m / min Potência de saída M t n N [HP] 7121

21 Vg M bar P será hidráulico motor no pressão em em rpm e n rot cm onde Vg n n Vg hidráulico motor no Vazão tempo em segundos o é t e m N d F trabalho onde W HP t W N como ada er também ser pode potência t V Δ π 20 ) ( : min / ; ]; 3/ [ 1000 ] [ ] [ 745,7 : min det l

22

23 Exemplo: Dimensionar o motor hidráulico da figura 3.12 dados os seguintes valores: Carga 500 kg; diâmetro da polia 20 cm; deslocamento da carga d 15 m; tempo para deslocamento 10 s; g 9,81 m/s 2. M t F R número de [ N m] 500 9,81 0,1 490,5 rotaçãoes ( rpm) N. m v n , rpm 2πR 2π 0,1 onde v velocidade de deslocamen to da massa em m / Potência de saída M t n 490,5 143 N [ HP] 9,85 10 HP Vazão no motor hidráulico Vg n 3 onde Vg[ cm / rot]; n em rpm; e em l 1000 n V min / min

24 Da tabela do fabricante para um Mt 490,5 N.m retira-se o motor hidráulico TN90 de Vg 90 cm 3 /rot e Mt 501 N.m e DP 350 bar. dotando um rendimento volumétrico de 0,8 a vazão de alimentação será: ,8 16,09 l / min Essa é a vazão de alimentação que a bomba deverá fornecer para o motor hidráulico.

Aula 04 - Atuadores pneumáticos atuadores lineares e rotativos

Aula 04 - Atuadores pneumáticos atuadores lineares e rotativos Aula 04 - Atuadores pneumáticos atuadores lineares e rotativos 1 - INTRODUÇÃO Os atuadores pneumáticos são componentes que transformam a energia do ar comprimido em energia mecânica, isto é, são elementos

Leia mais

Cálculos envolvendo Atuadores Hidráulicos. Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 04. Atuador hidráulico de dupla ação

Cálculos envolvendo Atuadores Hidráulicos. Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 04. Atuador hidráulico de dupla ação UNIFEI Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 04 Cálculos envolvendo tuadores Hidráulicos EME-26 ula 04 21-09-2009 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior tuador hidráulico de dupla ação tuador hidráulico

Leia mais

Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 03

Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 03 Símbolos UNIFEI Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 03 EME-26 Aula 03 14-09-2008 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior Linhas de escoamento do fluido Símbolo das linhas de escoamento Cano Tubo

Leia mais

Atuadores e Sistemas Hidráulicos

Atuadores e Sistemas Hidráulicos 1 Atuadores e Sistemas Hidráulicos Prof. Dr. Emílio Carlos Nelli Silva Aula 1 Escola Politécnica da USP Departamento de Engenharia Mecatrônica e Sistemas Mecânicos Introdução 2 Hidráulica é o ramo da engenharia

Leia mais

Fundamentos de Automação. Hidráulica

Fundamentos de Automação. Hidráulica Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Hidráulica

Leia mais

Atuadores pneumáticos

Atuadores pneumáticos elcabral@usp.br 1 PMR2560 Robótica Atuadores pneumáticos Eduardo L. L. Cabral elcabral@usp.br elcabral@usp.br 2 Objetivos Atuadores pneumáticos : Conceito; Sistemas pneumáticos ; Tipos principais; Dimensionamento.

Leia mais

Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 05

Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 05 Válvula de contrabalanço UNIFEI Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 05 CRG EE-26/EE610 ula 05 28-09-2009 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior Posição central Carga parada Válvula de contrabalanço

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS EQUIPAMENTOS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS EQUIPAMENTOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS EQUIPAMENTOS TH040, TH050 50, TH060 60, TH07 075, TH100 e TH150 TESTE HIDRÁULICO Equipamentos para testes hidráulicos de bombas, pistões, cilindros e válvulas e teste hidrostático.

Leia mais

BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTO DE TESTE E MANUTENÇÃO

BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTO DE TESTE E MANUTENÇÃO BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTO DE TESTE E MANUTENÇÃO MODELO: EE0576A A Bancada Didática para Treinamento de Teste e Manutenção de Bombas (EE0576A) é confeccionada em perfil de alumínio (40x40mm), contendo

Leia mais

ATUADORES HIDRÁULICOS E PNEUMÁTICOS

ATUADORES HIDRÁULICOS E PNEUMÁTICOS ATUADORES HIDRÁULICOS E PNEUMÁTICOS Em um sistema hidráulico ou pneumático, os atuadores são equipamentos capazes de converter energia hidráulica em energia mecânica que é utilizada para a movimentação

Leia mais

Conjuntos Rotativos de Reposição para Bombas Fixas de Palhetas Industrias e Mobil

Conjuntos Rotativos de Reposição para Bombas Fixas de Palhetas Industrias e Mobil Conjuntos Rotativos de Reposição para Bombas Fixas de Palhetas Industrias e Mobil Folheto 2650-251-1 BR Junho 1999 Kits de Reposição do Conjunto Rotativo para Bombas Fixas Industriais de 12 Palhetas e

Leia mais

RECALQUE. Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes Website: wp.ufpel.edu.br/hugoguedes/

RECALQUE. Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes   Website: wp.ufpel.edu.br/hugoguedes/ INSTALAÇÕES DE RECALQUE Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes E-mail: hugo.guedes@ufpel.edu.br Website: wp.ufpel.edu.br/hugoguedes/ MÁQUINA DESIGNAÇÃO GENÉRICA DADA A TODO TRANSFORMADOR DE ENERGIA. ELA ABSORVE

Leia mais

MÁQUINAS HIDRÁULICAS AULA 11 BOMBAS DE DESLOCAMENTO POSITIVO P2 PROF.: KAIO DUTRA

MÁQUINAS HIDRÁULICAS AULA 11 BOMBAS DE DESLOCAMENTO POSITIVO P2 PROF.: KAIO DUTRA MÁQUINAS HIDRÁULICAS AULA 11 BOMBAS DE DESLOCAMENTO POSITIVO P2 PROF.: KAIO DUTRA Bombas de engrenagem: Destina-se ao bombeamento de substâncias líquidas e viscosas, lubrificantes ou não, mas que não contenham

Leia mais

TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS:

TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS: TABELAS DE CONVESÃO E FÓMULAS: Aplicações para motores hidráulicos... 07 Cálculo da perda de carga em tubulação... 04 Cálculo do diâmetro nominal (interno e externo) de tubulação... 03 Circuitos hidráulicos...

Leia mais

Módulo V Balanço de Entropia para Sistemas Fechados. Balanço de Entropia para Volume de Controle.

Módulo V Balanço de Entropia para Sistemas Fechados. Balanço de Entropia para Volume de Controle. Módulo V Balanço de Entropia para Sistemas Fechados. Balanço de Entropia para Volume de Controle. Balanço de Entropia para Sistemas Fechados O balanço de entropia é uma expressão da segunda lei conveniente

Leia mais

PNEUMÁTICA DEFINIÇÃO:

PNEUMÁTICA DEFINIÇÃO: DEFINIÇÃO: PNEUMÁTICA Pneumática: (do grego pneumos com o significado de respiração) pode ser entendida como sendo o conjunto de todas as aplicações que utilizam a energia armazenada e transmitida pelo

Leia mais

Válvula redutora de pressão. EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 6

Válvula redutora de pressão. EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 6 UNIFEI EE610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 6 Válvula redutora de pressão O objetivo da válvula de redutora de pressão é fazer com que a pressão em uma parte do sistema seja mantida em um determinado

Leia mais

2. Classificação, Descrição e Elementos Construtivos. 2.1 Definição e Classificação de Máquinas de Fluido

2. Classificação, Descrição e Elementos Construtivos. 2.1 Definição e Classificação de Máquinas de Fluido 2. Classificação, Descrição e Elementos Construtivos 2.1 Definição e Classificação de Máquinas de Fluido Uma máquina pode ser definida como um transformador de energia. Nas máquinas de fluido ocorre a

Leia mais

Disciplina: Sistemas Fluidomecânicos. Características de Desempenho 1ª Parte

Disciplina: Sistemas Fluidomecânicos. Características de Desempenho 1ª Parte Disciplina: Sistemas Fluidomecânicos Características de Desempenho 1ª Parte Características de Desempenho Para especificar uma máquina de fluxo, o engenheiro deve ter em mãos alguns dados essenciais: altura

Leia mais

1. INTRODUÇÃO. Figura 1.1 Classificação das máquinas de fluido [adaptado de BRASIL, 2010, p.21] mca metros de coluna d água. 1 1

1. INTRODUÇÃO. Figura 1.1 Classificação das máquinas de fluido [adaptado de BRASIL, 2010, p.21] mca metros de coluna d água. 1 1 1. INTRODUÇÃO Máquina de Fluido (fluid machinery) é o equipamento que promove a troca de energia entre um sistema mecânico e um fluido, transformando energia mecânica (trabalho) em energia de fluido ou

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS AULA 10 ROTEIRO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS AULA 10 ROTEIRO 1 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS LEB 0472 HIDRÁULICA Prof. Fernando Campos Mendonça AULA 10 ROTEIRO Tópicos da aula:

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS MÁQUINAS HIDRÁULICAS

INTRODUÇÃO ÀS MÁQUINAS HIDRÁULICAS - MÁQUINA HIDRÁULICA MOTRIZ OU TURBINA: máquina hidráulica que fornece energia mecânica para ser transformada em energia elétrica. 1. Definição INTRODUÇÃO ÀS MÁQUINAS HIDRÁULICAS - MÁQUINA HIDRÁULICA:

Leia mais

Tema 2: Turbo máquina Hidráulicas,

Tema 2: Turbo máquina Hidráulicas, Tema 2: Turbo máquina Hidráulicas, 2.1 Definição Máquinas Hidráulicas -são máquinas que trabalham fornecendo, retirando ou modificando a energia do líquido em escoamento. 2.1.1 Tipos de Máquinas Hidráulicas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA TURBINAS A VAPOR

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA TURBINAS A VAPOR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA TURBINAS A VAPOR Prof. FERNANDO BÓÇON, Dr.Eng. Curitiba, setembro de 2015 IV - TURBINAS A VAPOR 1. GENERALIDADES 1.1

Leia mais

MÁQUINAS DE ELEVAÇÃO E TRANSPORTE

MÁQUINAS DE ELEVAÇÃO E TRANSPORTE MÁQUINAS DE ELEVAÇÃO E TRANSPORTE AULA 8 ACIONAMENTO E MECANISMOS DE ELEVAÇÃO PROF.: KAIO DUTRA Acionamento Manual e Alavanca de Comando Um acionamento manual pode ser empregado em mecanismos de baixa

Leia mais

Atuadores Pneumáticos Rotativos

Atuadores Pneumáticos Rotativos UNIFEI EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Pneumática 2 Atuadores Pneumáticos Rotativos Aula 9 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior https://www.youtube.com/watch?v=-65-t7st6tw Atuadores oscilantes

Leia mais

1 Introdução 2 CONCEITOS FUNDAMENTAIS HIDRÁULICA. Prof. Ezequiel de Souza Costa Júnior (CEFET-MG)

1 Introdução 2 CONCEITOS FUNDAMENTAIS HIDRÁULICA. Prof. Ezequiel de Souza Costa Júnior (CEFET-MG) HIDRÁULICA Prof. Ezequiel de Souza Costa Júnior (CEFET-MG) 1 Introdução 1.1 Histórico: Existem apenas três métodos conhecidos de transmissão de potência na esfera comercial: mecânica, elétrica e fluídica.

Leia mais

LINTEC VEÍCULOS E MOTORES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

LINTEC VEÍCULOS E MOTORES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS LINTEC VEÍCULOS E MOTORES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Código: ET 700.018 Data: 05/08/2011 MOTOR 3LD1500 LINTEC PRODUTO: MOTOR APROVADO: Adelair Colombo ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MODELO: MOTOR 3LD1500 ELABORADO:

Leia mais

Atuadores Pneumáticos Lineares

Atuadores Pneumáticos Lineares UNIFEI Sistemas Hidropneumáticos I Pneumática 02 Atuadores Pneumáticos Lineares EME-26/EME610 Aula 08 03-11-2009 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior Introdução Atuadores pneumáticos incluem cilindros

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA MÁQUINAS HIDRÁULICAS E TÉRMICAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA MÁQUINAS HIDRÁULICAS E TÉRMICAS UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA MÁQUINAS HIDRÁULICAS E TÉRMICAS Prof. Dr. Ricardo Alan Verdú Ramos Prof. Dr. João Batista Campos Silva

Leia mais

Instalação de Recalque

Instalação de Recalque : Instalação de Recalque Instalação de Recalque Máquinas É um transformador de energia (absorve energia em uma forma e restitui em outra). máquina hidráulica motora: transforma a energia hidráulica em

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - SRP SRP 3040 E. Analógico / Eletrônico CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CT SRP SRP 3040 E

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - SRP SRP 3040 E. Analógico / Eletrônico CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CT SRP SRP 3040 E CT 222 SRP 30 SRP 30 E CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR SRP 30 SRP 30 E INÍCIO DE FABRICAÇÃO NOVEMBRO/20 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS MODELO VAZÃO VOLUMÉTRICA MOTOR ELÉTRICO PRINCIPAL Ruído ø Polia 7,5 barg/110

Leia mais

Motor de Pistões Radiais V JMDG Baixa rotação e alto torque

Motor de Pistões Radiais V JMDG Baixa rotação e alto torque Motor de Pistões Radiais V JMDG Baixa rotação e alto torque Introdução São motores de baixa rotação e altíssimo torque e que podem ser aplicados em várias áreas que exigem estas características. Podem

Leia mais

Laboratório de Sistemas Hidráulicos. Aula prática S25

Laboratório de Sistemas Hidráulicos. Aula prática S25 Laboratório de Sistemas Hidráulicos Aula prática S25 Relação entre áreas Vazão X Velocidade 1ª Verificação Aeração e Cavitação Cavitação Entende-se por cavitação a formação temporária de espaços vazios

Leia mais

Atuadores em Robótica

Atuadores em Robótica Atuadores em Robótica Profa. Michelle Mendes Santos michelle@cpdee.ufmg.br Atuadores Indicadores Em robótica muitas vezes é necessário sinalizar um acontecimento ou situação importante. Essa sinalização

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA DE SÃO PAULO - FESP LABORATÓRIO DE FENÔMENOS DE TRANSPORTE - BT1 CENTRO TECNOLÓGICO DE HIDRÁULICA - CTH

FACULDADE DE ENGENHARIA DE SÃO PAULO - FESP LABORATÓRIO DE FENÔMENOS DE TRANSPORTE - BT1 CENTRO TECNOLÓGICO DE HIDRÁULICA - CTH FACULDADE DE ENGENHARIA DE SÃO PAULO - FESP LABORATÓRIO DE FENÔMENOS DE TRANSPORTE - BT1 CENTRO TECNOLÓGICO DE HIDRÁULICA - CTH APOSTILA DO EXPERIMENTO - BOMBAS HIDRÁULICAS Esta apostila contém o roteiro

Leia mais

BOMBAS. Bombas CLASSIFICAÇÃO BOMBAS ALTERNATIVAS APLICAÇÕES 06/04/2011 BOMBAS DE DESLOCAMENTO POSITIVO

BOMBAS. Bombas CLASSIFICAÇÃO BOMBAS ALTERNATIVAS APLICAÇÕES 06/04/2011 BOMBAS DE DESLOCAMENTO POSITIVO BOMBAS Bombas Para deslocar um fluido ou mantê-lo em escoamento é necessário adicionarmos energia, o equipamento capaz de fornecer essa energia ao escoamento do fluido é denominamos de Bomba. CLASSIFICAÇÃO

Leia mais

V OMS V OMS V OMS V OMS V OMS V OMS V OMS V OMS

V OMS V OMS V OMS V OMS V OMS V OMS V OMS V OMS Motor Orbital V OMS Recomendações Para garantir uma maior vida útil do motor, preencher a carcaça com óleo antes de rodar e deixar o motor trabalhar com cargas moderadas e a baixa velocidade durante 10

Leia mais

UNIDADE HIDRÁULICA BUCHER HIDRÁULICA LTDA. 1 P á g i n a

UNIDADE HIDRÁULICA BUCHER HIDRÁULICA LTDA. 1 P á g i n a UNIDADE HIDRÁULICA 1 P á g i n a UNIDADE HIDRÁULICA PADRONIZADA Figura 1 - Vista explodida Características: Reservatórios retangulares padrão com capacidade de 10 a 250 litros; Vazões de 4,3 até 76 litros

Leia mais

Conservação de Energia

Conservação de Energia Lei de Pascal F = Força A = Área P = Pressão 1. Suponhamos uma garrafa cheia de um líquido, o qual é, praticamente, incompressível 2. Se aplicarmos uma força de 10kgf numa rolha de 1 cm 2 de área 3. o

Leia mais

DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA DE MOTORES

DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA DE MOTORES UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO I Departamento de Engenharia ÁREA DE MÁQUINAS E ENERGIA NA AGRICULURA I 154- MOORES E RAORES DEERMINAÇÃO DA OÊNCIA DE MOORES Carlos Alberto Alves Varella 1

Leia mais

INSTALAÇÕES ELEVATÓRIAS. Escolha da Bomba

INSTALAÇÕES ELEVATÓRIAS. Escolha da Bomba INSTALAÇÕES ELEVATÓIAS Escolha da Bomba Escolha da Bomba: principais parâmetros para dimensionamento de uma instalação elevatória ρ = ρ cte cte Máquinas de Fluido BFT Máquinas Hidráulicas Máquinas Térmicas

Leia mais

Teoria Geral das Máquinas de Fluxo

Teoria Geral das Máquinas de Fluxo Teoria Geral das Máquinas de Fluxo Máquinas Termohidráulicas de Fluxo ρ = ρ cte cte Máquinas de Fluido Máquinas Hidráulicas Máquinas Térmicas BFT Turbomáquinas Máq. Deslocamento Positivo Turbomáquinas

Leia mais

Catálogo de Peças RT 220

Catálogo de Peças RT 220 Catálogo de Peças 09 0 9 0 RT 0 edição 0-0 edição 0-0 0 edição 0-0 09 RT 0 : RT 0 : Dimensional capa seca SAE Relação de redução : : CV máximo 0 RPM máximo 00 Torque de transmissão (N.m) 0 Pressão de óleo

Leia mais

Rendimentos em Transmissões Mecânicas

Rendimentos em Transmissões Mecânicas Rendimentos em Transmissões Mecânicas NOME: Lucas Ribeiro Machado O que é Transmissões Mecânicas Transmissão mecânica são equipamentos ou mecanismo que tem a função de transmitir potência, torque ou rotação

Leia mais

FUNDAMENTAÇÃO HIDROMECÂNICA Princípios Básicos

FUNDAMENTAÇÃO HIDROMECÂNICA Princípios Básicos FUNDAMENTAÇÃO HIDROMECÂNICA Princípios Básicos Sistemas Hidráulicos podem ser descritos por leis que regem o comportamento de fluidos confinados em: regime permanente (repouso) invariante no tempo; regime

Leia mais

HT-HIDRAUTRÔNICA INDÚSTRIA COMÉRCIO EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO LTDA.

HT-HIDRAUTRÔNICA INDÚSTRIA COMÉRCIO EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO LTDA. GENERALIDADES GENERALITIES As bombas hidráulicas de engrenagem da HT-HIDRAUTRÔNICA são o resultado de pesquisas desenvolvidas e comprovadas ao longo de décadas de experiência prática no campo de óleo-hidráulica.

Leia mais

New HollaNd TM TM exitus TM PlaTaforMado

New HollaNd TM TM exitus TM PlaTaforMado New Holland TM TM Exitus TM Plataformado ROBUSTEZ PARA UM ALTO RENDIMENTO NA SUA LAVOURA. As máquinas New Holland estão prontas para trabalhar com biodiesel. Consulte seu concessionário sobre a mistura

Leia mais

Figura 1. Combustão externa: calor é produzido fora do motor em caldeiras.

Figura 1. Combustão externa: calor é produzido fora do motor em caldeiras. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO IT Departamento de Engenharia ÁREA DE MÁQUINAS E ENERGIA NA AGRICULTURA IT 154- MOTORES E TRATORES INTRODUÇÃO CONSTITUIÇÃO DOS MOTORES Carlos Alberto Alves

Leia mais

EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM:

EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM: EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM: 8413.50.90 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1. Montadora (repetir informação da Planilha de pleitos em excel): Komatsu 2. n Item (repetir

Leia mais

BOMBAS. Definições. ALTURA DE SUCÇÃO (H S ) - Desnível geométrico (altura em metros), entre o nível dinâmico da captação e o bocal de sucção da bomba.

BOMBAS. Definições. ALTURA DE SUCÇÃO (H S ) - Desnível geométrico (altura em metros), entre o nível dinâmico da captação e o bocal de sucção da bomba. BOMBAS Definições ALTURA DE SUCÇÃO (H S ) - Desnível geométrico (altura em metros), entre o nível dinâmico da captação e o bocal de sucção da bomba. OBS.: Em bombas centrífugas normais, instaladas ao nível

Leia mais

CAPITULO 2. Potência e pressões médias de um motor de combustão. Eng. Julio Cesar Lodetti

CAPITULO 2. Potência e pressões médias de um motor de combustão. Eng. Julio Cesar Lodetti CAPITULO 2 Potência e pressões médias de um motor de combustão Eng. Julio Cesar Lodetti Definição de Potência e rendimento A potência, é por definição função do torque fornecido sobre o virabrequim, e

Leia mais

EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM:

EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM: EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM: 8413.50.90 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1. Montadora (repetir informação da Planilha de pleitos em excel): Komatsu 2. n Item (repetir

Leia mais

BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTO DE TESTE E MANUTENÇÃO DE BOMBAS

BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTO DE TESTE E MANUTENÇÃO DE BOMBAS BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTO DE TESTE E MANUTENÇÃO DE BOMBAS MODELO: EE0576A A Bancada Didática para Treinamento de Teste e Manutenção de Bombas (EE0576A) é confeccionada em perfil de alumínio, contendo

Leia mais

a) pressão máxima do ciclo; b) rendimento térmico; c) pressão média

a) pressão máxima do ciclo; b) rendimento térmico; c) pressão média Lista 1 de Motores de Combustão Interna 1. Para alguns motores Diesel é adequada a representação do ciclo motor segundo um ciclo dual, no qual parte do processo de combustão ocorre a volume constante e

Leia mais

Introdução. Apresentação. Características da hidráulica. Evolução dos sistemas hidráulicos. Sistema hidráulico. Circuito hidráulico básico

Introdução. Apresentação. Características da hidráulica. Evolução dos sistemas hidráulicos. Sistema hidráulico. Circuito hidráulico básico Apresentação Características da hidráulica Evolução dos sistemas hidráulicos Sistema hidráulico Circuito hidráulico básico Unidade hidráulica Apresentação Com a constante evolução tecnológica há no mercado

Leia mais

Bombas Hidráulicas. Nelson R. Amanthea. Jun2008

Bombas Hidráulicas. Nelson R. Amanthea. Jun2008 Bombas Hidráulicas Nelson R. Amanthea Jun2008 Objetivos Introdução Máquinas Hidráulicas Bombas Hidráulicas Recalque Sistemas de Bombeamento Denominação o Deslocamento Direto o Cinéticas Bombas Centrífugas

Leia mais

Resumo de exercícios de bombas. Exercício 1

Resumo de exercícios de bombas. Exercício 1 Resumo de exercícios de bombas Exercício 1 Considere uma bomba centrífuga cuja geometria e condições de escoamento são : Raio de entrada do rotor = 37,5 mm, raio de saída = 150 mm, largura do rotor = 12,7

Leia mais

EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 03

EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 03 UNIFEI EME610 - Sitema Hidropneumático Hidráulica 03 Válvula de egurança (limitadora de preão) Aula 03 Prof. Joé Hamilton Chave Gorgulho Júnior 1 3 Válvula de egurança (limitadora de preão) Válvula de

Leia mais

01 PLP R00 BOMBA DE PALHETAS DE DESLOCAMENTO VARIÁVEL 1/9 2 - SIMBOLOGIA HIDRÁULICA 1 - PRINCÍPIO OPERACIONAL

01 PLP R00 BOMBA DE PALHETAS DE DESLOCAMENTO VARIÁVEL 1/9 2 - SIMBOLOGIA HIDRÁULICA 1 - PRINCÍPIO OPERACIONAL 01 PLP BOMBA DE PALHETAS DE DESLOCAMENTO VARIÁVEL 1 - PRINCÍPIO OPERACIONAL 2 - SIMBOLOGIA HIDRÁULICA - Como resultado de atividades de pesquisa constantes realizadas com o objetivo de introduzir novos

Leia mais

Bomba de engrenamento externo Tipo AZPF

Bomba de engrenamento externo Tipo AZPF P 10 01D/0.02 Substitui : 02.02 Edição rasil: 09.0 omba de engrenamento externo Tipo AZPF s nominais até Pressão máxima 20 bar (conforme TN) Volume de recalque até 22,9 cm Descrição de funcionamento, cortes

Leia mais

Problema 1 Problema 2

Problema 1 Problema 2 1 Problema 1 7ª Edição Exercício: 2.42 / 8ª Edição Exercício: 1.44 A área da seção transversal da válvula do cilindro mostrado na figura abaixo é igual a 11cm 2. Determine a força necessária para abrir

Leia mais

Buchas ETP O mecanismo de fixação ideal para todo tipo de conexões eixo e cubo

Buchas ETP O mecanismo de fixação ideal para todo tipo de conexões eixo e cubo Buchas ETP O mecanismo de fixação ideal para todo tipo de conexões eixo e cubo As buchas ETP são mecanismos de fixação que, apesar de simples, tem tido sua eficiência comprovada através de anos de uso.

Leia mais

RP 10039D/ Bomba de Engrenamento externo Tipo AZPZ (antiga G3), Série 1x. Descrição de Funcionamento, Corte

RP 10039D/ Bomba de Engrenamento externo Tipo AZPZ (antiga G3), Série 1x. Descrição de Funcionamento, Corte RP 10 039D/08.05 Bomba de Engrenamento externo Tipo AZPZ (antiga G3), Série 1x Novo conceito de vedação para a carcaça, resultando em longa vida útil Longa durabilidade das vedações, mesmo em temperatura

Leia mais

ENERGIA HIDRÁULICA MÁQUINA DE FLUXO ENERGIA MECÂNICA

ENERGIA HIDRÁULICA MÁQUINA DE FLUXO ENERGIA MECÂNICA ª EXPERIÊNCIA - ESTUDO DAS BOMBAS APLICAÇÃO DA ANÁLISE DIMENSIONAL E DA TEORIA DA SEMELHANÇA 1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS MÁQUINAS DE FLUXO ( BOMBAS, TURBINAS, COMPRESSORES, VENTILADORES) As máquinas que

Leia mais

New Holland TS TS6020 TS6040

New Holland TS TS6020 TS6040 New Holland TS TS6020 TS6040 2 LINHA TS. toda força e Robustez que a sua lavoura merece. A linha TS é a prova de que a New Holland combina tudo o que existe de melhor para garantir o sucesso da agricultura

Leia mais

Escavadeiras compactas Robex 16-9 robex 27z-9 Robex 35z-9 Equipadas com motor Tier IV

Escavadeiras compactas Robex 16-9 robex 27z-9 Robex 35z-9 Equipadas com motor Tier IV Escavadeiras compactas Robex 16-9 robex 27z-9 Robex 35z-9 Equipadas com motor Tier IV R16Z-9 DeseMPenho e Precisão Novas tecnologias para maximizar o desempenho e a precisão, possibilitam suavidade, rapidez

Leia mais

Sistemas de Transmissão de Movimento

Sistemas de Transmissão de Movimento elcabral@usp.br 1 PMR2560 Robótica Sistemas de Transmissão de Movimento Eduardo L. L. Cabral elcabral@usp.br elcabral@usp.br 2 Objetivos Sistemas de transmissão de movimento. Características; Tipos: Redutores

Leia mais

Motores Térmicos. 8º Semestre 4º ano. Prof. Jorge Nhambiu

Motores Térmicos. 8º Semestre 4º ano. Prof. Jorge Nhambiu Motores Térmicos 8º Semestre 4º ano Aula 2 - Tópicos Definição Objectivo e Divisão dos Motores de Combustão Interna; Motor Wankel; Motor de êmbolo; Bases utilizadas para a classificação dos motores; Valores

Leia mais

Mecânica Aplicada. Dimensionamento do Par de Engrenagem

Mecânica Aplicada. Dimensionamento do Par de Engrenagem Dimensionamento do Par de Engrenagem Mecânica Aplicada O dimensionamento refere-se ao cálculo de todas as variáveis necessárias para a fabricação e o funcionamento perfeito de um par de engrenagens. indica

Leia mais

BIO TRITURADOR CHIPPER 150

BIO TRITURADOR CHIPPER 150 BIO TRITURADOR CHIPPER 150 CHIPPER 150 TPS 9 660,00 SUSPENSO AOS 3 PONTOS P.T.O. 540 rpm Potência do tractor 25 a 50 cv Boca 150x150 mm 2 rolos de alimentação com motores hidráulicos independentes Cardam

Leia mais

Exercícios e exemplos de sala de aula Parte 1

Exercícios e exemplos de sala de aula Parte 1 PME2398 Termodinâmica e suas Aplicações 1 o semestre / 2013 Prof. Bruno Carmo Exercícios e exemplos de sala de aula Parte 1 Propriedade das substâncias puras: 1- Um tanque rígido com volume de 1m 3 contém

Leia mais

Bomba de engrenagem externa Tipo F

Bomba de engrenagem externa Tipo F P 1 31/4.2 Substitui: 2.2 Bomba de engrenagem externa Tipo F Tamanhos Nominais 6 a22 Pressão operacional máxima 25 bar Volume de deslocamento até 22,9 cm 3 Bomba F Descrição de funcionamento, Corte A unidade

Leia mais

Brasileira de Perfuratrizes - atua no mercado brasileiro de bens capital

Brasileira de Perfuratrizes - atua no mercado brasileiro de bens capital A COBRASPER - Indústria Brasileira de Perfuratrizes - atua no mercado brasileiro de bens capital desde a década de 80, no s e g m e n t o d e m á q u i n a s perfuratrizes (sondas) para poços de água,

Leia mais

Mecânica dos Fluidos. Aula 18 Exercícios Complementares. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Mecânica dos Fluidos. Aula 18 Exercícios Complementares. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Aula 18 Exercícios Complementares Tópicos Abordados Nesta Aula. Exercícios Complementares. 1) A massa específica de uma determinada substância é igual a 900kg/m³, determine o volume ocupado por uma massa

Leia mais

Bombas de pistões das Séries P2/P3 Cilindrada variável Catálogo: HY /PT Substitui todas as versões anteriores

Bombas de pistões das Séries P2/P3 Cilindrada variável Catálogo: HY /PT Substitui todas as versões anteriores Bombas de pistões das Séries P2/P3 Cilindrada variável Catálogo: HY28-1559-1/PT Substitui todas as versões anteriores aeroespacial controle climático eletromecânica filtragem manuseio de fluidos e gases

Leia mais

New Holland TL exitus

New Holland TL exitus New Holland TL exitus TL60E TL75E TL85E TL95E MaIoR PRodUTIVIdade e MaIoR economia: o MelHoR CUSTo/BeNeFÍCIo da CaTeGoRIa. A New Holland desenvolveu o trator perfeito para as multitarefas da sua fazenda.

Leia mais

Perda de Carga e Comprimento Equivalente

Perda de Carga e Comprimento Equivalente Perda de Carga e Comprimento Equivalente Objetivo da aula: Conceitos sobre Perda de Carga e Comprimento Equivalente, Para que os mesmos possam utilizá-los, futuramente, para especificar bombas hidráulicas

Leia mais

Alternador. Professor Diogo Santos Campos

Alternador. Professor Diogo Santos Campos 4. SISTEMA ELÉTRICO O sistema elétrico dos motores dos tratores agrícolas pode ser dividido em três partes, são elas: Produção: gerador e dispositivos de controle de corrente e tensão; Armazenamento: bateria;

Leia mais

Estações Elevatórias de Água

Estações Elevatórias de Água Universidade Regional do Cariri URCA Pró Reitoria de Ensino de Graduação Coordenação da Construção Civil Disciplina: Hidráulica Aplicada Estações Elevatórias de Água Renato de Oliveira Fernandes Professor

Leia mais

Sumário. Projeto do Stuffing Box Caixa do Stuffing Box Simples... 35

Sumário. Projeto do Stuffing Box Caixa do Stuffing Box Simples... 35 Sumário Bombas Alternativas... 1 1.1 Breve Histórico...1 1.2 Definições...3 1.3 Classificação...5 1.3.1 Horizontal Versus Vertical...6 1.3.2 Simples Efeito Versus Duplo Efeito...6 1.3.3 Simplex Versus

Leia mais

Máquinas de Fluxo. Aula 7 Máquinas Motoras: Perdas de Energia

Máquinas de Fluxo. Aula 7 Máquinas Motoras: Perdas de Energia Máquinas de Fluxo Aula 7 Máquinas Motoras: Perdas de Energia Professora Esp. Claudia Beatriz Bozz Engenheira Mecânica Engenharia de Segurança do Trabalho Turbinas São equipamentos que tem por finalidade

Leia mais

Análise Energética para Sistemas Abertos (Volumes de Controles)

Análise Energética para Sistemas Abertos (Volumes de Controles) UTFPR Termodinâmica 1 Análise Energética para Sistemas Abertos (Volumes de Controles) Princípios de Termodinâmica para Engenharia Capítulo 4 Parte III Análise de Volumes de Controle em Regime Permanente

Leia mais

Aula 13 - Estações Elevatórias

Aula 13 - Estações Elevatórias Sistemas de Água I - Aula 13- Estações Elevatórias 28/01/2014 2 Aula 13 - Estações Elevatórias... seria desejável que os escoamentos fossem inteiramente por gravidade... Entretanto, existem pontos altos

Leia mais

pós capa Potência/Rotação (máxima de entrada) Modelo do reversor Reversor RT 630 hidráulico, redução 5:1

pós capa Potência/Rotação (máxima de entrada) Modelo do reversor Reversor RT 630 hidráulico, redução 5:1 pós capa A Tramontini Máquinas Ltda garante seus produtos, que em serviço e uso normal, vierem a apresentar defeitos de material, fabricação ou montagem, no período de (doze) meses, à partir da data de

Leia mais

Conservação de quantidade de movimento angular: aplicações em turbomáquinas

Conservação de quantidade de movimento angular: aplicações em turbomáquinas Conservação de quantidade de movimento angular: aplicações em turbomáquinas Paulo R. de Souza Mendes Grupo de Reologia Departamento de Engenharia Mecânica Pontifícia Universidade Católica - RJ agosto de

Leia mais

Soluções Integradas para PCHs. SEMI Industrial Ltda.

Soluções Integradas para PCHs. SEMI Industrial Ltda. Soluções Integradas para PCHs SEMI Industrial Ltda. Empresas do Grupo SEMI Engenharia SEMI Sistemas SEMI Industrial Montagens Eletromecânicas Automação de Centrais Reguladores de Velocidade e Tensão Projetos

Leia mais

EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM:

EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM: EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM: 8413.50.10 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1. Montadora (repetir informação da Planilha de pleitos em excel): Komatsu 2. n Item (repetir

Leia mais

Caso 1 - Pás Voltadas para Trás

Caso 1 - Pás Voltadas para Trás Caso 1 - Pás Voltadas para Trás Considerando que β 2 é menor que 90 0 e na situação limite em a componente periférica da velocidade absoluta seja nula (V u2 =0). Para satisfazer esta condição α 2 =90 0.

Leia mais

ATUADORES DE CILINDRO PNEUMÁTICO SÉRIE AT1

ATUADORES DE CILINDRO PNEUMÁTICO SÉRIE AT1 ATUADORES DE CILINDRO PNEUMÁTICO SÉRIE AT1 Os atuadores WL Série AT1D, do tipo pistão de dupla ação e retorno por mola são projetados tanto para serviços de controle como on-off. As séries AT1D e AT1M

Leia mais

CONFECÇÃO DE DOBRADORA HIDRÁULICA DE PEQUENO PORTE

CONFECÇÃO DE DOBRADORA HIDRÁULICA DE PEQUENO PORTE CONFECÇÃO DE DOBRADORA HIDRÁULICA DE PEQUENO PORTE Rodrigo Lima da Silva 1 Anderson Inácio Junqueira Junior 2 RESUMO A proposta do projeto é construir um protótipo de uma prensa hidráulica para dobra de

Leia mais

Departamento de Engenharia Elétrica Conversão de Energia I Lista de Exercícios: Máquinas Elétricas de Corrente Contínua Prof. Clodomiro Vila.

Departamento de Engenharia Elétrica Conversão de Energia I Lista de Exercícios: Máquinas Elétricas de Corrente Contínua Prof. Clodomiro Vila. Departamento de Engenharia Elétrica Conversão de Energia I Lista de Exercícios: Máquinas Elétricas de Corrente Contínua Prof. Clodomiro Vila. Ex. 0) Resolver todos os exercícios do Capítulo 7 (Máquinas

Leia mais

GUIA DE BOMBAS. Folheto E-BR

GUIA DE BOMBAS. Folheto E-BR GUIA DE BOMBAS Folheto 40000-E-BR Sumário Bombas PVWJ página 3 Bombas PVG página 4 Bombas PVM página 5 Bombas PVWW página 6 Bombas PVV página 7 Bombas PVK página 8 Bombas PVWC página 9 Bombas PFBA página

Leia mais

CONTROLE TRADICIONAL

CONTROLE TRADICIONAL CONTROLE TRADICIONAL Variação da tensão do estator Os acionamentos de frequência e tensão variáveis são os mais eficientes Existem também acionamentos com tensão variável e frequência fixa Para um acionamento

Leia mais

3. TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA

3. TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA 8 3. TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA Os mecanismos de transmissão estão presentes em várias partes das máquinas e implementos agrícolas, transferindo potência e movimento, podendo atuar também como elemento de

Leia mais

Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Prof.: Carlos

Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Prof.: Carlos Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Campos de Presidente Epitácio LIDIANE FERREIRA Trabalho apresentado na disciplina de Elementos de Maquinas do Curso de Automação Industrial 3º módulo

Leia mais

BOMBAS HIDRÁULICAS DE ENGRENAGEM

BOMBAS HIDRÁULICAS DE ENGRENAGEM BOMBAS HIDRÁULICAS DE ENGRENAGEM BHM 100 BHM 200 BHM 205 Acionamento: Mecânico Tipo de Eixo: 13/16 Chavetado p/ Cardan Sentido de Giro: 02 Eixos (Horário / Anti-Horário) Opções de Pórticos: Especiais c/

Leia mais

MÁQUINAS HIDRÁULICAS AULA 8 CAVITAÇÃO E NPSH

MÁQUINAS HIDRÁULICAS AULA 8 CAVITAÇÃO E NPSH MÁQUINAS HIDRÁULICAS AULA 8 CAVITAÇÃO E NPSH PROF.: KAIO DUTRA Bombas Injetoras: As bombas injetoras são utilizadas normalmente em poços, onde a altura de sucção é elevada, pois diferente das bombas centrífugas

Leia mais

Bomba Dosadora de Diafragma NETZSCH. Novo Design - Geração 4. Robusta, Durável, Versátil, Econômica.

Bomba Dosadora de Diafragma NETZSCH. Novo Design - Geração 4. Robusta, Durável, Versátil, Econômica. Bomba Dosadora de Diafragma NETZSCH Novo Design - Geração 4 Robusta, Durável, Versátil, Econômica. Bombas Dosadora de Diafragma NETZSCH - SERA As Bombas de Diafragma NETZSCH - SERA da série 409.2 e 410.2

Leia mais

Válvulas Solenóide Mini

Válvulas Solenóide Mini Válvulas Solenóide Mini As Válvulas Solenóide Mini são utilizadas como válvulas de controle, ideiais para sistemas pneumáticos que necessitem de uma válvula pequena de comando elétrico. O mecanismo em

Leia mais