Objetivo. Letras. Análise Linguística? Em que consiste? Estruturas fonológicas da língua portuguesa. Prof a : Dr a. Leda Cecília Szabo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Objetivo. Letras. Análise Linguística? Em que consiste? Estruturas fonológicas da língua portuguesa. Prof a : Dr a. Leda Cecília Szabo"

Transcrição

1 Letras Prof a : Dr a. Leda Cecília Szabo Estruturas fonológicas da língua portuguesa Objetivo Entrar em contato com as características da análise fonológica. Conhecer os fonemas consonantais e vocálicos da língua portuguesa. Palavras-chave: língua portuguesa, sistema consonantal, sistema vocálico, análise. Análise Linguística? Em que consiste? Identificar os elementos da estrutura lingüística. Identificar suas características. Determinar a ordem de ocorrência desses elementos. Descrever suas interações. 1

2 Possibilidades de análise das estruturas linguísticas Estruturas fonéticas e fonológicas Estruturas morfológicas Estruturas sintáticas Estruturas lexicais Estruturas semânticas A linguagem é articulada Dois níveis de articulação Primeira articulação: Unidades dotadas de significação (morfemas, palavras, sintagmas, orações) Segunda Articulação: Unidades ( fonemas ) desprovidas de significação O ponto de vista faz o objeto O mesmo "objeto material" assume o estatuto de tantos objetos formais distintos, quantos forem os pontos de vista e os recortes epistemológicos dele feitos. ( Barbosa (Maria Aparecida 2

3 Fonética e Fonologia Fonética: estuda a natureza física da produção e da percepção dos sons da linguagem humana. Fonologia: estuda os elementos sonoros capazes de distinguir significados. Ambas têm o mesmo objeto de estudo, mas adotam uma perspectiva diferente. Fonética Estuda o som da fala humana em seu aspecto material. Quando estudamos as propriedades do som, os órgãos de que se compõe o aparelho fonador, ou a maneira como o som é captado e percebido, fazemos um estudo fonético. Áreas de Interesse da Fonética Fonética Articulatória: estuda os sons da fala do ponto de vista da maneira como são produzidos pelo aparelho fonador. Fonética Acústica: estuda as propriedades físicas dos sons da fala e do percurso até chegar aos ouvidos do ouvinte. Fonética Auditiva: estuda a maneira como os sons da fala são captados e percebidos. 3

4 Então, como devo fazer análise linguística? Observe os fatos linguísticos sem idéias preconcebidas. Delimite o objeto de estudo. Colete documentos que exemplifiquem o aspecto a ser investigado. Estabeleça critérios de identificação e classificação. Organize e armazene os dados. Identificação e Classificação dos Segmentos Consonantais Quais são os articuladores e o local da articulação? Qual é a natureza da estritura? Qual é a posição dos músculos da glote? Qual é a posição do véu palatino? Fonética Articulatória O aparelho fonador 4

5 O papel dos músculos da glote: fonemas surdos ou sonoros Imagem 3 Véu palatino e úvula Imagem 4 Intervalo 5

6 Vídeo Piracicaba no Bom dia Brasil da Globo, exibido na TV em 10 jan min. 0u8w Alfabeto Fonético Internacional: Consoantes Imagem 1 Identificação e Classificação dos Segmentos Vocálicos Qual é a posição da língua na cavidade bucal? Quanto à altura? Quanto à posição na boca? Os lábios estão arredondados ou distendidos? 6

7 Alfabeto Fonético Internacional : Vogais Imagem 2 Estuda o fonema. Fonologia Fonema: unidade mínima de caráter distintivo.(bata / pata). Constituído por feixes de traços distintivos. A Fonologia só se interessa pelos caracteres sonoros quando eles funcionam numa língua com valor distintivo, opositivo, funcional. Fonemas em diferentes línguas Os traços que distinguem dois fonemas numa língua podem não ser distintivos em outra. Português: calo/caro (/l/ e /r/ são ( fonemas Japonês: lamen, ramen (/l/ e /r/ são o mesmo fonema. 7

8 Representação dos fonemas e dos sons da fala Fonemas: unidades sonoras de caráter distintivo. Letras: representações gráficas do fonemas. Símbolos fonéticos: representações gráficas dos sons da fala humana. Fonemas consonantais do português do Brasil Articulação Maneira Lugar Oclusiva desv Bilabial p b Labiodental Dental ou alveolar t d Alveopalatal Palatal Velar k g Glotal Africada desv t ʃ d ʒ Fricativa Nasal desv m f v s z n ʃ ʒ ɲ ỹ X ɣ h ɦ Tepe ſ Vibrante Retroflexa ř ɹ Lateral l ɬ ʎ l j Vogais orais tônicas anterior arred central não-arred posterior alta média-alta média-baixa i e ε u o ɔ baixa a 8

9 Vogais orais pretônicas anterior arred central não-arred posterior alta i u média-alta e o média-baixa (ε) ( ə ) (ɔ) baixa a Vogais orais postônicas finais anterior central posterior alta (i) I ʊ média-alta (e) (o) média-baixa ə baixa (a) Vogais nasais anterior arred central não-arred posterior alta ĩ ũ média ẽ õ baixa ã 9

10 A sílaba Movimento de força muscular que se intensifica, atingindo um limite máximo, após o qual ocorrerá a redução progressiva dessa força. Segmentos consonantais e vocálicos são distribuídos na estrutura silábica das línguas, determinando as palavras bem formadas naquela língua e excluindo palavras mal ( 76 p. formadas. (SILVA, Intervalo Vídeo 1: The Lion King (Hakuna Matata: Portuguese): 3min53. h-fs 10

11 Vídeo 2: The Lion King (Hakuna Matata: Portuguese Brazil) 3min59. 5kI Padrões silábicos do português V É CVC Lar VC Ar CVCC Monstro VCC Instante CCV Tri CV Cá CCVC três Padrões silábicos do português CCVC Transporte CCVV Grau VV Aula CCVVC Claustro CVV Lei 11

12 Glides Correspondem às vogais altas /i/, /u/ em posição átona. Nunca ocupam a posição de núcleo de sílaba. Precedem a vogal: glória. Sucedem a vogal: aneis. Acento Tem função distintiva em português. É marcado, na representação fonética, por um símbolo. Cáqui / kaki/ x caqui /ka ki/ Item 4 Para que serve isso? Ensino/Aprendizagem de línguas Dramaturgia Fonoaudiologia Linguística computacional Linguística forense Transcrição de línguas ágrafas Estilística. 12

13 Boa Semana! Profa: Leda Cecília Szabo Referência de imagens: Imagem 1: Disponível em: <http://www.arts.gla.ac.uk/ipa/pulmonic.html>. Acesso em: 26 de fev Imagem 2: Dispinível em: <http://www.arts.gla.ac.uk/ipa/vowels.html> Acesso em: 26 de fev Imagem 3: Disponível em: <http://www.phon.ox.ac.uk/~jcoleman/phonation.htm> Acesso em: 26 de fev Imagem 4: Disponível em: Acesso em: 26 de fev As demais imagens pertencem ao banco de imagens. 13

/z/ depois [+vozeado] Além disso As crianças generalizam automaticamente com base em traços elas não aprendem primeiro de uma base fonema por fonema

/z/ depois [+vozeado] Além disso As crianças generalizam automaticamente com base em traços elas não aprendem primeiro de uma base fonema por fonema Fonética e Fonologia 24.900: Introdução à Linguagem anotações das aulas: semana de 04 de Março de 2002 Conjunto de Problemas # 4: Para Segunda-feira, 11/03/02 Apostila sobre o principal para a identificação

Leia mais

A FONÉTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESPANHOLA

A FONÉTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESPANHOLA A FONÉTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESPANHOLA Ivete Carneiro Braz (Letras _ UEL) Geane Maria Marques Branco Sanches (Letras _ UEL) Dulce Meger Silveira Camargo (Letras _ UEL) Orientador:

Leia mais

Sons Vocais do Inglês Americano

Sons Vocais do Inglês Americano Sons Vocais do Inglês Americano Existem mais de 40 sons vocais no inglês americano que podem ser classificados de acordo com a forma básica em que são produzidos. Classe quanto á forma Vogais Fricativas

Leia mais

Fonêmica Preliminar da Língua Katukina (Páno)*

Fonêmica Preliminar da Língua Katukina (Páno)* Fonêmica Preliminar da Língua Katukina (Páno)* Flávia Leonel Falchi 1, Maria Suelí de Aguiar 2 Faculdade de Letras UFG flaviafalchi@hotmail.com, aguiarmarias@gmail.com PALAVRAS-CHAVE: Katukina (Páno),

Leia mais

A NASALIZAÇÃO VOCÁLICA NA AQUISIÇÃO DO ITALIANO COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA POR FALANTES DO PORTUGUÊS BRASILEIRO

A NASALIZAÇÃO VOCÁLICA NA AQUISIÇÃO DO ITALIANO COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA POR FALANTES DO PORTUGUÊS BRASILEIRO A NASALIZAÇÃO VOCÁLICA NA AQUISIÇÃO DO ITALIANO COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA POR FALANTES DO PORTUGUÊS BRASILEIRO GHISLANDI, Indianara; OENNING, Micheli email: michelioenning@yahoo.com.br Universidade Estadual

Leia mais

Diversidade. Linguística. na Escola Portuguesa. Projecto Diversidade Linguística na Escola Portuguesa (ILTEC)

Diversidade. Linguística. na Escola Portuguesa. Projecto Diversidade Linguística na Escola Portuguesa (ILTEC) Diversidade Linguística na Escola Portuguesa Projecto Diversidade Linguística na Escola Portuguesa (ILTEC) www.iltec.pt www.dgidc.min-edu.pt www.gulbenkian.pt Breve caracterização fonética de sons que

Leia mais

Fonética articulatória. Fones consonantais

Fonética articulatória. Fones consonantais Fonética articulatória Fones consonantais Consoantes Segmentos/fones que são produzidos por meio de alguma constrição no aparelho fonador impedindo momentaneamente ou dificultando a passagem da corrente

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE A LÍNGUA KAXARARI DA FAMÍLIA PANO: ANÁLISE DE ALGUNS ASPECTOS FONOLÓGICOS

UM ESTUDO SOBRE A LÍNGUA KAXARARI DA FAMÍLIA PANO: ANÁLISE DE ALGUNS ASPECTOS FONOLÓGICOS UM ESTUDO SOBRE A LÍNGUA KAXARARI DA FAMÍLIA PANO: ANÁLISE DE ALGUNS ASPECTOS FONOLÓGICOS Priscila Hanako Ishy 1 ; Gláucia Vieira Cândido 2 ; Lincoln Almir Amarante Ribeiro3 1 Bolsista PBIC /CNPq, graduanda

Leia mais

Linguística P R O F A. L I L L I A N A L V A R E S F A C U L D A D E D E C I Ê N C I A D A I N F O R M A Ç Ã O

Linguística P R O F A. L I L L I A N A L V A R E S F A C U L D A D E D E C I Ê N C I A D A I N F O R M A Ç Ã O Linguística P R O F A. L I L L I A N A L V A R E S F A C U L D A D E D E C I Ê N C I A D A I N F O R M A Ç Ã O U N I V E R S I D A D E D E B R A S Í L I A Conceito Ciência que visa descrever ou explicar

Leia mais

mas respiratório, fonatório e articulatório e dos órgãos que constituem o aparelho fonador.

mas respiratório, fonatório e articulatório e dos órgãos que constituem o aparelho fonador. D.E.L.T.A., Vol. 16, N. 1, 2000 (183-188) RESENHA/REVIEW SILVA, THAÏS CRISTÓFARO. (1999) Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. São Paulo: Contexto. 254 p. Resenhado

Leia mais

DEMERVAL DA HORA OLIVEIRA

DEMERVAL DA HORA OLIVEIRA 1 FONÉTICA E FONOLOGIA DEMERVAL DA HORA OLIVEIRA APRESENTAÇÃO Este capítulo introduz uma visão acerca de Fonética e Fonologia, tendo como objetivos: - conceituar Fonética; - explicar a natureza e produção

Leia mais

APRENDIZADO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA: O CASO DA NASALIZAÇÃO DE VOGAIS

APRENDIZADO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA: O CASO DA NASALIZAÇÃO DE VOGAIS UNIVERSIDADE: Universidade Federal de Minas Gerais NÚCLEO DISCIPLINAR/COMITÊ ACADÊMICO: Lingüística, Letras e Artes TÍTULO DO TRABALHO: APRENDIZADO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA: O CASO DA NASALIZAÇÃO DE VOGAIS

Leia mais

Caderno de Exercícios de Fonética e Fonologia

Caderno de Exercícios de Fonética e Fonologia Caderno de Exercícios de Fonética - Thaïs Cristófaro Silva - FALE UFMG thaiscristofaro@gmail.com 1 Caderno de Exercícios de Fonética e Fonologia Thaïs Cristófaro Silva Colaboração para elaborar respostas

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Unidade curricular INICIAÇÃO AOS ESTUDOS LINGUISTICOS. Carga Horária Prática -

PLANO DE ENSINO. Unidade curricular INICIAÇÃO AOS ESTUDOS LINGUISTICOS. Carga Horária Prática - PLANO DE ENSINO LETRAS (PORTUGUÊS-INGLÊS) Turno: Noturno Currículo: 2003 INFORMAÇÕES BÁSICAS Período 2013/1 Natureza: Unidade curricular INICIAÇÃO AOS ESTUDOS LINGUISTICOS Teórica 60 Carga Horária Prática

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Curso:Bacharelado e Licenciatura Educação a Distancia FONÉTICA E FONOLOGIA. Professora :Lodernir Karnopp

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Curso:Bacharelado e Licenciatura Educação a Distancia FONÉTICA E FONOLOGIA. Professora :Lodernir Karnopp UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Curso:Bacharelado e Licenciatura Educação a Distancia FONÉTICA E FONOLOGIA Professora :Lodernir Karnopp Unidade 1 INTRODUÇÃO Ementa: A variação lingüística nos falares

Leia mais

INSTRUCIONAL. Língua Portuguesa Fonologia. Conteudista: Profa. Ana Lúcia dos Prazeres Costa. Titulação: Doutorado em Lingüística / UFRJ

INSTRUCIONAL. Língua Portuguesa Fonologia. Conteudista: Profa. Ana Lúcia dos Prazeres Costa. Titulação: Doutorado em Lingüística / UFRJ INSTRUCIONAL Língua Portuguesa Fonologia Conteudista: Profa. Ana Lúcia dos Prazeres Costa Titulação: Doutorado em Lingüística / UFRJ SUMÁRIO Quadro-síntese do conteúdo programático Contextualização da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Curso: Bacharelado e Licenciatura Educação a Distância FONÉTICA E FONOLOGIA. Professora: Lodenir Karnopp

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Curso: Bacharelado e Licenciatura Educação a Distância FONÉTICA E FONOLOGIA. Professora: Lodenir Karnopp UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Curso: Bacharelado e Licenciatura Educação a Distância FONÉTICA E FONOLOGIA Professora: Lodenir Karnopp Unidade 1 INTRODUÇÃO Ementa: A variação lingüística nos falares

Leia mais

"... um ponto de referência fixo e imutável estabelecido dentro do limite da

... um ponto de referência fixo e imutável estabelecido dentro do limite da O Método das Vogais Cardeais e as Vogais do Português Brasileiro Thaïs Cristófaro Silva 1 Universidade Federal de Minas Gerais Kings College London Abstract This paper presents an analysis of the vocalic

Leia mais

LETRAS 1º PERÍODO. Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Conclusão

LETRAS 1º PERÍODO. Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Conclusão LETRAS 1º PERÍODO Disciplina A Disciplina B 62961 Língua Portuguesa A 68 Língua Portuguesa A 68 Ementa: Estuda os fundamentos Ementa: Estudo da base fonéticofonológica teóricos da análise lingüística,

Leia mais

Unidade: Os Níveis de Análise Linguística I. Unidade I:

Unidade: Os Níveis de Análise Linguística I. Unidade I: Unidade: Os Níveis de Análise Linguística I Unidade I: 0 OS NÍVEIS DE ANÁLISE LINGUÍSTICA I Níveis de análise da língua Análise significa partição em segmentos menores para melhor compreensão do tema.

Leia mais

Vogais Altas e Glides no Português Brasileiro e no Inglês Britânico

Vogais Altas e Glides no Português Brasileiro e no Inglês Britânico Luci Kikuchi Vogais Altas e Glides no Português Brasileiro e no Inglês Britânico Belo Horizonte 2001 Universidade Federal de Minas Gerais Luci Kikuchi Vogais Altas e Glides no Português Brasileiro e no

Leia mais

FONÉTICA E FONOLOGIA

FONÉTICA E FONOLOGIA VICE-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO E CORPO DISCENTE COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA FONÉTICA E FONOLOGIA Rio de Janeiro / 2007 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO UNIVERSIDADE

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Professor Bernardo Augusto. Fonética e Fonologia

LÍNGUA PORTUGUESA. Professor Bernardo Augusto. Fonética e Fonologia LÍNGUA PORTUGUESA Professor Bernardo Augusto Fonética e Fonologia Fonética articulatória é um dos principais ramos da FONÉTICA, que é a ciência responsável pelo estudo dos sons utilizados na linguagem

Leia mais

ASSIMILAÇÃO E RESTRIÇÃO: CONDICIONAMENTO DE CODA E ONSET COMPLEXO EM XAVANTE

ASSIMILAÇÃO E RESTRIÇÃO: CONDICIONAMENTO DE CODA E ONSET COMPLEXO EM XAVANTE APOIO: Este artigo está disponível para download no seguinte endereço: http://www.etnolinguistica.org/site:abralin2009 Todos os direitos reservados: ABRALIN EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Magno Nicolau REALIZAÇÃO:

Leia mais

Fonética Articulatória: Consoantes

Fonética Articulatória: Consoantes 1. Conceitos Básicos Fonética Articulatória: Consoantes Seung Hwa Lee Introdução aos Estudos linguísticos I 1) Estudos de sons Fonética vs. Fonologia Fonética articulatória Produção Fonética acústica Fonética

Leia mais

Linguística 1. Segunda Avaliação (Turma C) Profa. Dra. Adelaide Silva 25 de junho de 2015

Linguística 1. Segunda Avaliação (Turma C) Profa. Dra. Adelaide Silva 25 de junho de 2015 Linguística 1 Segunda Avaliação (Turma C) Profa. Dra. Adelaide Silva 25 de junho de 2015 1. Observe os dados abaixo, relativos ao Guanano, língua falada na região noroeste do Amazonas (Brasil) e na região

Leia mais

PONTO DE CONTATO: Transferência da Palatalização do Português para o Inglês 1

PONTO DE CONTATO: Transferência da Palatalização do Português para o Inglês 1 PONTO DE CONTATO: Transferência da Palatalização do Português para o Inglês 1 Mestranda Neliane Raquel Macedo Aquino (UFT) Resumo: A aprendizagem de uma língua estrangeira LE possibilita transferências

Leia mais

Língua Portuguesa I: fonética e fonologia. Língua Portuguesa I: fonética e fonologia

Língua Portuguesa I: fonética e fonologia. Língua Portuguesa I: fonética e fonologia 9 788576 387640 IESDE Brasil S.A. Al. Dr. Carlos de Carvalho, 1482. CEP: 80730-200 Batel - Curitiba - PR. 0800 708 88 88 www.iesde.com.br Língua Portuguesa I: fonética e fonologia Fundação Biblioteca Nacional

Leia mais

MONOTONGAçãO: UM METAPLASMO PRESENTE NA AQUISIçãO DA ESCRITA DE CRIANçAS NAS SéRIES INICIAIS

MONOTONGAçãO: UM METAPLASMO PRESENTE NA AQUISIçãO DA ESCRITA DE CRIANçAS NAS SéRIES INICIAIS MONOTONGAçãO: UM METAPLASMO PRESENTE NA AQUISIçãO DA ESCRITA DE CRIANçAS NAS SéRIES INICIAIS Jozenilda Buarque de Morais Elias 1 resumo: O objetivo deste trabalho é fazer um breve diagnóstico e refletir

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA E LIBRAS TEORIAS E PRÁTICAS 2

LÍNGUA PORTUGUESA E LIBRAS TEORIAS E PRÁTICAS 2 LÍNGUA PORTUGUESA E LIBRAS TEORIAS E PRÁTICAS 2 LETRAS LIBRAS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA reitor RÔMULO SOARES POLARI vice-reitora MARIA YARA CAMPOS MATOS pró-reitor de graduação VALDIR BARBOSA BEZERRA

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE FONÉTICA E FONOLOGIA. Miguél Eugenio Almeida UEMS Unidade Universitária de Jardim. 0. Considerações iniciais

RELAÇÃO ENTRE FONÉTICA E FONOLOGIA. Miguél Eugenio Almeida UEMS Unidade Universitária de Jardim. 0. Considerações iniciais RELAÇÃO ENTRE FONÉTICA E FONOLOGIA Miguél Eugenio Almeida UEMS Unidade Universitária de Jardim 0. Considerações iniciais A Relação entre fonética e fonologia compreende uma relação de interdependência,

Leia mais

Literatura Portuguesa Idade Média e Classicismo Renascentista. 6 ECTS BA Semestre de inverno / 2º.ano

Literatura Portuguesa Idade Média e Classicismo Renascentista. 6 ECTS BA Semestre de inverno / 2º.ano Literatura Idade Média e Classicismo Renascentista 6 ECTS BA Semestre de inverno / 2º.ano história e da cultura de Portugal no período estudado, domínio da língua portuguesa A unidade curricular Literatura

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO FONOLÓGICO ENTRE AS LÍNGUAS: MAKUXI E PORTUGUESA.

ESTUDO COMPARATIVO FONOLÓGICO ENTRE AS LÍNGUAS: MAKUXI E PORTUGUESA. ESTUDO COMPARATIVO FONOLÓGICO ENTRE AS LÍNGUAS: MAKUXI E PORTUGUESA. TANIA VALÉRIA DE CARVALHO BARROS FELIPE (INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO). Resumo Esta comunicação

Leia mais

Fonética e Fonologia. Profa. Me. Luana Lemos. llemos@salesiano.org.br

Fonética e Fonologia. Profa. Me. Luana Lemos. llemos@salesiano.org.br Fonética e Fonologia Profa. Me. Luana Lemos 1 Fonética e Fonologia Fonética é a parte da gramática que estuda os sons da fala (física) Fonologia estuda os fonemas da língua nas diversas combinações (linguística)

Leia mais

abertura openess configuração de abertura da boca para caracterizar a abertura vocálica de uma vogal. O termo se refere também à abertura

abertura openess configuração de abertura da boca para caracterizar a abertura vocálica de uma vogal. O termo se refere também à abertura abaixamento lowering fenômeno fonológico caracterizado pelo abaixamento da posição da língua na articulação de uma vogal. Relaciona-se, portanto, ao abaixamento da propriedade de altura dos segmentos vocálicos.

Leia mais

Fonologia da Língua Portuguesa. Denise Porto Cardoso

Fonologia da Língua Portuguesa. Denise Porto Cardoso Fonologia da Língua Portuguesa Denise Porto Cardoso São Cristóvão/SE 2009 Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro da Educação Fernando Haddad Secretário de Educação a Distância Carlos

Leia mais

A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO. Ano 02 Unidade 03

A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO. Ano 02 Unidade 03 CONCURSO DA EDUCAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE CARGO: PROFESSOR 1 / 2015 A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO Ano 02 Unidade 03 ( F

Leia mais

O AUXÍLIO DA FONÉTICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA

O AUXÍLIO DA FONÉTICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA O AUÍLIO DA FONÉTICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA Ana Beatriz Miranda Jorge UFCG/ beatrizjmiranda@gmail.com Bruna Melo do Nascimento UEPB/ bruna.melo.nascimento@gmail.com Isabelle Coutinho Ramos Benício

Leia mais

MARGARIDA MARIA SILVA MIRANDA

MARGARIDA MARIA SILVA MIRANDA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE - UFRN PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM LETRAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ UESPI MARGARIDA MARIA SILVA MIRANDA

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. 2º Ano

LÍNGUA PORTUGUESA. 2º Ano LÍNGUA PORTUGUESA 2º Ano ELABORAÇÃO: JOSIANE DE LIMA PIRAQUARA 2015 SALADA DE FRUTA INGREDIENTES 2 MAMÕES PAPAIA PEQUENOS 1 LARANJA MÉDIA 5 BANANAS 2 MAÇÃS 5 MORANGOS MADUROS 1 PÊSSEGO 10 GRÃOS DE UVA

Leia mais

Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa. Escola Superior de Saúde do Alcoitão da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa. Escola Superior de Saúde do Alcoitão da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa Escola Superior de Saúde do Alcoitão da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (Agosto, 2007) PROCESSOS FONOLÓGICOS NA FALA DA CRIANÇA DE

Leia mais

A PRONÚNCIA DAS CONSOANTES INGLESAS MAGALI ROSA DE SANT ANNA

A PRONÚNCIA DAS CONSOANTES INGLESAS MAGALI ROSA DE SANT ANNA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE LINGÜÍSTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SEMIÓTICA E LINGÜÍSTICA MAGALI ROSA DE SANT ANNA A PRONÚNCIA DAS CONSOANTES

Leia mais

Palavras-chave: Fonética e fonologia; Ensino da língua materna; Curso de Letras.

Palavras-chave: Fonética e fonologia; Ensino da língua materna; Curso de Letras. 1 O ENSINO DE FONÉTICA E FONOLOGIA NO CURSO DE LETRAS/ PORTUGUÊS: uma experiência com alunos da Universidade Estadual do Piauí UESPI Lucirene da Silva CARVALHO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ UESPI luciarvalho@ibest.com.br

Leia mais

Objetivos. Curso: Letras. Recordando Conceitos. Considerações sobre a produtividade lexical em língua portuguesa. Profa.: Dra. Leda Cecília Szabo

Objetivos. Curso: Letras. Recordando Conceitos. Considerações sobre a produtividade lexical em língua portuguesa. Profa.: Dra. Leda Cecília Szabo Curso: Letras Profa.: Dra. Leda Cecília Szabo Considerações sobre a produtividade lexical em língua portuguesa Objetivos Entrar em contato com as características da renovação lexical. Conhecer principais

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM LETRAS PROGRAMA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM LETRAS PROGRAMA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM LETRAS PROGRAMA Disciplina Obrigatória FONOLOGIA, VARIAÇÃO E ENSINO Carga horária

Leia mais

A influência da escrita na pronúncia do português falado por japoneses

A influência da escrita na pronúncia do português falado por japoneses A influência da escrita na pronúncia do português falado por japoneses (The influence of writing on the pronunciation of Portuguese spoken by Japanese) Gustavo Massami Nomura 1 1 Departamento de Letras

Leia mais

A DITONGAÇÃO DAS SÍLABAS TÔNICAS FINAIS TRAVADAS NOS FALARES BLUMENAUENSE E PORTO-ALEGRENSE: UMA ANÁLISE PRELIMINAR

A DITONGAÇÃO DAS SÍLABAS TÔNICAS FINAIS TRAVADAS NOS FALARES BLUMENAUENSE E PORTO-ALEGRENSE: UMA ANÁLISE PRELIMINAR Página94 A DITONGAÇÃO DAS SÍLABAS TÔNICAS FINAIS TRAVADAS NOS FALARES BLUMENAUENSE E PORTO-ALEGRENSE: UMA ANÁLISE PRELIMINAR Cristiane Gonçalves Uliano 1 Maria Fernanda Silva de Carvalho 2 Marina da Costa

Leia mais

Cadernos do CNLF, Vol. XVI, Nº 04, t. 2, pág. 1897.

Cadernos do CNLF, Vol. XVI, Nº 04, t. 2, pág. 1897. ESTRUTURA FONOLÓGICA DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS E DA LÍNGUA PORTUGUESA: QUESTÕES SOBRE A (IN)DEPENDÊNCIA NA ESTRUTURA LINGUÍSTICA Robevaldo Correia dos Santos (UFRB) bem_fsa@hotmail.com Geisa Borges

Leia mais

SÍLABA TÔNICA NÃO FINAL E EM ONSET DE SÍLABA PÓS- TÔNICA FINAL

SÍLABA TÔNICA NÃO FINAL E EM ONSET DE SÍLABA PÓS- TÔNICA FINAL MEDIDAS DO VOT DE CONSOANTES OCLUSIVAS SURDAS EM ONSET DE SÍLABA TÔNICA NÃO FINAL E EM ONSET DE SÍLABA PÓS- TÔNICA FINAL EM DADOS DO DIALETO CURITIBANO VOICE ONSET TIME MEASUREMENT FOR VOICELESS PLOSIVES

Leia mais

1. Início de conversa

1. Início de conversa UCHOA, J.A.C. Os sons da fala. Fortaleza: UFC Virtual, 2010 Os sons da fala J.A.C. Uchoa 1 Resumo Estudo dos sons da fala com atenção ao português nordestino, para alunos de Letras com poucos contatos

Leia mais

GRAMÁTICA PORTUGUESA 2 -FONOLOGIA E MORFOLOGIA

GRAMÁTICA PORTUGUESA 2 -FONOLOGIA E MORFOLOGIA FACULDADE DE FILOLOGIA Grau em Línguas Modernas: Português GRAMÁTICA PORTUGUESA 2 -FONOLOGIA E MORFOLOGIA José Luís RODRIGUEZ GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁTICO 2015/2016 I. DADOS DA MATÉRIA NOME: Gramática

Leia mais

Língua Portuguesa I: Fonética e Fonologia

Língua Portuguesa I: Fonética e Fonologia Língua Portuguesa I: Fonética e Fonologia Autora Adelaide H. P. Silva 1.ª edição Livro_Fonética_e_Fonologia.indb - pg: 1 - QUARTA PROVA 09/11/2007 08:19:29 2007 IESDE Brasil S.A. É proibida a reprodução,

Leia mais

TEXTO. Visual texto em que a comunicação se dá apenas por meio de imagens. Verbal - texto em que a comunicação se dá por meio de palavras escritas.

TEXTO. Visual texto em que a comunicação se dá apenas por meio de imagens. Verbal - texto em que a comunicação se dá por meio de palavras escritas. Língua Portuguesa 1º trimestre Temas para estudo Em nossas primeiras aulas, vimos que, conforme sua configuração/diagramação, um TEXTO pode ser classificado como: Visual texto em que a comunicação se dá

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação Produção textual COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Disciplina: Língua Portuguesa Trimestre: 1º Tipologia textual Narração Estruturação de um texto narrativo: margens e parágrafos; Estruturação de parágrafos: início,

Leia mais

O PROCESSO DE ASSIMILAÇÃO DA NASALIDADE DAS VOGAIS ORAIS NA FALA ANAPOLINA

O PROCESSO DE ASSIMILAÇÃO DA NASALIDADE DAS VOGAIS ORAIS NA FALA ANAPOLINA O PROCESSO DE ASSIMILAÇÃO DA NASALIDADE DAS VOGAIS ORAIS NA FALA ANAPOLINA Vanilda Oliveira Coelho 1 ; Maria de Lurdes Nazário 1 ; Shirley Eliany Rocha Mattos 2 1 Pesquisadoras convidadas do Núcleo de

Leia mais

Sandra Duarte Tavares Sara de Almeida Leite. Gramática Descomplicada para Pais e Filhos, Alunos e Professores e muitos mais

Sandra Duarte Tavares Sara de Almeida Leite. Gramática Descomplicada para Pais e Filhos, Alunos e Professores e muitos mais Sandra Duarte Tavares Sara de Almeida Leite Gramática Descomplicada para Pais e Filhos, Alunos e Professores e muitos mais Índice Apresentação... 9 Letras e sons Alfabeto........................................................

Leia mais

Estudo do pré-vozeamento, frequência do burst e locus de F2 das oclusivas orais do português europeu 1. Introdução 2.

Estudo do pré-vozeamento, frequência do burst e locus de F2 das oclusivas orais do português europeu 1. Introdução 2. Estudo do pré-vozeamento, frequência do burst e locus de F2 das oclusivas orais do português europeu Marisa Lousada ; Paula Martins ; Luis M. T. Jesus Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro

Leia mais

Objetivos. Introdução. Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz. Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros

Objetivos. Introdução. Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz. Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros Objetivos Apresentar a discussão atual sobre a primeira língua dos surdos: a língua de sinais;

Leia mais

Transdutor de estados finitos para a reconhecimento da nasalidade na pronúncia da variedade potiguar

Transdutor de estados finitos para a reconhecimento da nasalidade na pronúncia da variedade potiguar Transdutor de estados finitos para a reconhecimento da nasalidade na pronúncia da variedade potiguar Cid Ivan da Costa Carvalho 1 1 Campus Caraúbas Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA) RN 233,

Leia mais

Nonato, Rafael Bezerra. (2006). Fonética e fonologia do bororo 1.

Nonato, Rafael Bezerra. (2006). Fonética e fonologia do bororo 1. Nonato, Rafael Bezerra. (2006). Fonética e fonologia do bororo 1. 1. Introdução Neste artigo descrevo a fonética e a fonologia segmental, silábica e acentual da língua bororo. Tomo como base um banco de

Leia mais

Desempenho Fonético em Crianças dos 3 a 7anos de idade no P.E.

Desempenho Fonético em Crianças dos 3 a 7anos de idade no P.E. Desempenho Fonético em Crianças dos 3 a 7anos de idade no P.E. Abstract Lurdes de Castro Moutinho e Rosa Maria Lima Centro de Línguas e Culturas, Universidade de Aveiro (Portugal) pfonetica@dlc.ua.pt Based

Leia mais

PROCESSOS FONOLÓGICOS SEGMENTAIS NA LÍNGUA PORTUGUESA

PROCESSOS FONOLÓGICOS SEGMENTAIS NA LÍNGUA PORTUGUESA Número 04-2011 Departamento de Letras Universidade Federal do Maranhão PROCESSOS FONOLÓGICOS SEGMENTAIS NA LÍNGUA PORTUGUESA Fernando Moreno da Silva 1 Resumo: O objetivo principal do artigo é sistematizar

Leia mais

A LÍNGUA QUE FALAMOS: UM ESTUDO SOBRE AS VARIANTES FONÉTICAS DO PORTUGUÊS NA FRONTEIRA TABATINGA (BRASIL)-LETÍCIA (COLÔMBIA)

A LÍNGUA QUE FALAMOS: UM ESTUDO SOBRE AS VARIANTES FONÉTICAS DO PORTUGUÊS NA FRONTEIRA TABATINGA (BRASIL)-LETÍCIA (COLÔMBIA) 1 A LÍNGUA QUE FALAMOS: UM ESTUDO SOBRE AS VARIANTES FONÉTICAS DO PORTUGUÊS NA FRONTEIRA TABATINGA (BRASIL)-LETÍCIA (COLÔMBIA) Marcilene da Silva Nascimento CAVALCANTE Instituto de Natureza e Cultura -

Leia mais

Disciplina Fonética e Fonologia

Disciplina Fonética e Fonologia Disciplina Fonética e Fonologia material didático elaboração do conteúdo Alzerinda de Oliveira Braga Marilucia Barros de Oliveira revisão Maria Risolêta Silva Julião coordenação de edição Maria Cristina

Leia mais

CLASSES DE SONS (AGRUPAMENTO DE SONS QUE PARTILHAM

CLASSES DE SONS (AGRUPAMENTO DE SONS QUE PARTILHAM Rita Veloso FLUL 1 de 10 CLASSES DE SONS (AGRUPAMENTO DE SONS QUE PARTILHAM DETERMINADAS PROPRIEDADES) MODO DE ARTICULAÇÃO (MA) Classificação dos sons quanto à forma como são produzidos, i.e., em função

Leia mais

Contribuição das Áreas da Linguística para a Organização da Informação. Disciplina: Fundamentos da Organização da Informação Profª: Lilian Alvares

Contribuição das Áreas da Linguística para a Organização da Informação. Disciplina: Fundamentos da Organização da Informação Profª: Lilian Alvares Contribuição das Áreas da Linguística para a Organização da Informação Disciplina: Fundamentos da Organização da Informação Profª: Lilian Alvares GRUPO 4 Alunos: Ernesto João Mallen Luziaro Michel Zane

Leia mais

Um Modelo Intervalar para Reconhecimento de Fala por Computadores Aspectos Teóricos e Estado da Arte Diogo Pereira Silva de Novais

Um Modelo Intervalar para Reconhecimento de Fala por Computadores Aspectos Teóricos e Estado da Arte Diogo Pereira Silva de Novais UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA Departamento de Ciências Exatas Colegiado de Ciência da Computação Um Modelo Intervalar para Reconhecimento de Fala por Computadores Aspectos Teóricos e Estado

Leia mais

Semiótica Funcionalista

Semiótica Funcionalista Semiótica Funcionalista Função objetivo, finalidade Funcionalismo oposto a formalismo entretanto, não há estruturas sem função e nem funções sem estrutura 2 Abordagens Básicas Signo função estrutural função

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO DE ESTUDANTES SURDOS: UMA ANÁLISE DE ATIVIDADES DO ENSINO REGULAR

ALFABETIZAÇÃO DE ESTUDANTES SURDOS: UMA ANÁLISE DE ATIVIDADES DO ENSINO REGULAR ALFABETIZAÇÃO DE ESTUDANTES SURDOS: UMA ANÁLISE DE ATIVIDADES DO ENSINO REGULAR INTRODUÇÃO Raquel de Oliveira Nascimento Susana Gakyia Caliatto Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS). E-mail: raquel.libras@hotmail.com

Leia mais

1. Revisão da literatura

1. Revisão da literatura Veredas Atemática VOLUME 16 nº 2-2012 ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Características acústicas da vogal /i/ produzida por

Leia mais

Fonética e Fonologia do Português Brasileiro

Fonética e Fonologia do Português Brasileiro Fonética e Fonologia do Português Brasileiro 2º Período Izabel Christine Seara Vanessa Gonzaga Nunes Cristiane Lazzarotto-Volcão Florianópolis - 2011 Governo Federal Presidente da República: Dilma Vana

Leia mais

Prosódia de declarativas e interrogativas totais no falar marianense e belorizontino

Prosódia de declarativas e interrogativas totais no falar marianense e belorizontino Prosódia de declarativas e interrogativas totais no falar marianense e belorizontino César Reis (UFMG) Leandra Batista Antunes (UFOP) Leandro Augusto dos Santos (UFOP) Vanessa Pinha (UFMG) Apesar de os

Leia mais

O ALTEAMENTO DA POSTÔNICA NÃO FINAL /O/ NO FALAR POPULAR DE FORTALEZA: UM OLHAR VARIACIONISTA

O ALTEAMENTO DA POSTÔNICA NÃO FINAL /O/ NO FALAR POPULAR DE FORTALEZA: UM OLHAR VARIACIONISTA O ALTEAMENTO DA POSTÔNICA NÃO FINAL /O/ NO FALAR POPULAR DE FORTALEZA: UM OLHAR VARIACIONISTA Aluiza Alves de Araújo (UECE) 1 aluizazinha@hotmail.com Brenda Kathellen Melo de Almeida (UECE) 2 brendakathellen@yahoo.com.br

Leia mais

PROCESSOS FONOLÓGICOS NA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM

PROCESSOS FONOLÓGICOS NA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM OTHERO, Gabriel de Ávila. Processos fonológicos na aquisição da linguagem pela criança. ReVEL, v. 3, n. 5, 2005. ISSN 1678-8931 [www.revel.inf.br]. PROCESSOS FONOLÓGICOS NA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM PELA

Leia mais

Desvios de fala ocorridos em palavra isolada e em frases em idade pré-escolar

Desvios de fala ocorridos em palavra isolada e em frases em idade pré-escolar ! Cátia Teresa Faria Félix Desvios de fala ocorridos em palavra isolada e em frases em idade pré-escolar Universidade Fernando Pessoa FCS Porto, 2013! !! ii ! Cátia Teresa Faria Félix Desvios de fala ocorridos

Leia mais

Un ramo de rosas rojas: as dificuldades do lusofalante na emissão dos fonemas /rr/ e /x/ do espanhol 1

Un ramo de rosas rojas: as dificuldades do lusofalante na emissão dos fonemas /rr/ e /x/ do espanhol 1 Un ramo de rosas rojas: as dificuldades do lusofalante na emissão dos fonemas /rr/ e /x/ do espanhol 1 Carlos Alberto Della Paschoa (Instituto Cervantes Río de Janeiro) INTRODUÇÃO Os lusofalantes, ao iniciarem

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Lingüísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Lingüísticos O ALÇAMENTO DAS VOGAIS MÉDIAS PRETÔNICAS E POSTÔNICAS MEDIAIS Fernando Antônio Pereira Lemos (CEFET-MG) RESUMO Este estudo retoma um tema bastante controverso na literatura: o alçamento das vogais médias

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE LETRAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE LETRAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE LETRAS NOME DA DISCIPLINA: FONÉTICA E FONOLOGIA TURMAS D e E PROFESSOR RESPONSÁVEL: ISRAEL ELIAS TRINDADE CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 64 CARGA

Leia mais

Transdutor de estados finitos para o reconhecimento da nasalidade na pronúncia da variedade potiguar

Transdutor de estados finitos para o reconhecimento da nasalidade na pronúncia da variedade potiguar Transdutor de estados finitos para o reconhecimento da nasalidade na pronúncia da variedade potiguar Cid Ivan da Costa Carvalho 1 1 Campus Caraúbas Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA) RN 233,

Leia mais

OS FONEMAS VOCÁLICOS DO PORTUGUÊS BRASILEIRO: EVIDÊNCIAS DA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM

OS FONEMAS VOCÁLICOS DO PORTUGUÊS BRASILEIRO: EVIDÊNCIAS DA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM Anais do 5º Encontro do Celsul, Curitiba-PR, 2003 (692-698) OS FONEMAS VOCÁLICOS DO PORTUGUÊS BRASILEIRO: EVIDÊNCIAS DA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM Juliana Radatz KICKHOFEL (Universidade Católica de Pelotas)

Leia mais

Aula2 OS TIPOS DE SONS. Denise Porto Cardoso. META Mostrar os tipos de sons da língua portuguesa produzidos pelo aparelho fonador.

Aula2 OS TIPOS DE SONS. Denise Porto Cardoso. META Mostrar os tipos de sons da língua portuguesa produzidos pelo aparelho fonador. Aula2 OS TIPOS DE SONS META Mostrar os tipos de sons da língua portuguesa produzidos pelo aparelho fonador. OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno deverá: reconhecer sons surdos e sonoros, orais e nasais,

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

Fonologia Aula # 04 (27/04/09)

Fonologia Aula # 04 (27/04/09) Fonologia Aula # 04 (27/04/09) Capítulo 5. Processos Fonológicos Iniciamos, aqui, o estudo da fonologia dinâmica: processos fonológicos e sua representação através de regras. Assim sendo, ficamos restritos,

Leia mais

A MORFOLOGIA EM LIBRAS Flancieni Aline R. Ferreira (UERJ) flan.uerj@hotmail.com

A MORFOLOGIA EM LIBRAS Flancieni Aline R. Ferreira (UERJ) flan.uerj@hotmail.com XVIII CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA A MORFOLOGIA EM LIBRAS Flancieni Aline R. Ferreira (UERJ) flan.uerj@hotmail.com RESUMO Neste trabalho, discutiremos sobre o estudo morfossintático da

Leia mais

VOCALISMO: UMA BREVE ABORDAGEM NO PORTUGUÊS DO BRASIL

VOCALISMO: UMA BREVE ABORDAGEM NO PORTUGUÊS DO BRASIL VOCALISMO: UMA BREVE ABORDAGEM NO PORTUGUÊS DO BRASIL Flágila Marinho da Silva Lima Illa Pires Azevedo 1 94 RESUMO O presente trabalho busca refletir sobre o processo de vocalização no português brasileiro.

Leia mais

A APRENDIZAGEM DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA UNIDADE 3 ANO 1. Fevereiro de 2013

A APRENDIZAGEM DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA UNIDADE 3 ANO 1. Fevereiro de 2013 A APRENDIZAGEM DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA UNIDADE 3 ANO 1 Fevereiro de 2013 SUMÁRIO / PAUTA DO ENCONTRO A APRENDIZAGEM DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA Iniciando a conversa (pág.5) Aprofundando o

Leia mais

MATÉRIA DE CONTEÚDO (semioticamente amorfa) SUBSTÂNCIA DE CONTEÚDO (semioticamente formada) FORMA DE CONTEÚDO FORMA DE EXPRESSÃO

MATÉRIA DE CONTEÚDO (semioticamente amorfa) SUBSTÂNCIA DE CONTEÚDO (semioticamente formada) FORMA DE CONTEÚDO FORMA DE EXPRESSÃO MATÉRIA DE CONTEÚDO (semioticamente amorfa) SUBSTÂNCIA DE CONTEÚDO (semioticamente formada) SIGNO FORMA DE CONTEÚDO FORMA DE EXPRESSÃO SUBSTÂNCIA DE EXPRESSÃO (semioticamente formada) MATÉRIA DE EXPRESSÃO

Leia mais

O SISTEMA DE ESCRITA ORTOGRÁFICO

O SISTEMA DE ESCRITA ORTOGRÁFICO O SISTEMA DE ESCRITA ORTOGRÁFICO E OS PROBLEMAS PARA A AQUISIÇÃO DE ESCRITA DELE DECORRENTES Renata Christina Vieira1 Resumo: Este artigo é parte de uma dissertação de mestrado que tem por objeto de estudo

Leia mais

Português Brasileiro Cantado Questões técnicas e estéticas relacionadas às normas de pronúncia propostas para o canto erudito no Brasil

Português Brasileiro Cantado Questões técnicas e estéticas relacionadas às normas de pronúncia propostas para o canto erudito no Brasil Português Brasileiro Cantado Questões técnicas e estéticas relacionadas às normas de pronúncia propostas para o canto erudito no Brasil Wladimir Mattos EVPM, FUNDUNESP, Universidade Estadual Paulista Resumo

Leia mais

CONVERSOR DE GRAFEMAS PARA FONES BASEADO EM REGRAS PARA PORTUGUÊS. Sara Candeias, Fernando Perdigão

CONVERSOR DE GRAFEMAS PARA FONES BASEADO EM REGRAS PARA PORTUGUÊS. Sara Candeias, Fernando Perdigão CONVERSOR DE GRAFEMAS PARA FONES BASEADO EM REGRAS PARA PORTUGUÊS Sara Candeias, Fernando Perdigão IT Instituto de Telecomunicações, pólo de Coimbra Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Leia mais

ANAIS DO XV CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA

ANAIS DO XV CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA A REALIZAÇÃO DAS VOGAIS MÉDIAS ÁTONAS FINAIS NAS CARTAS FONÉTICAS DO ALTO ACRE Lindinalva Messias do Nascimento Chaves lindinalvamessias@yahoo.com.br Francisca Luana da Costa Santos luanasantos_angel@hotmail.com

Leia mais

Descrição e análise do sistema consonantal do português arcaico no Pergaminho Vindel

Descrição e análise do sistema consonantal do português arcaico no Pergaminho Vindel Descrição e análise do sistema consonantal do português arcaico no Pergaminho Vindel Daniel Soares da sta Av. Ferroviária nº 1420 Centro Ibitinga SP Brasil esumo. Este artigo descreve e analisa o sistema

Leia mais

Fonêmica. Seung Hwa Lee Introdução aos Estudos linguísticos I

Fonêmica. Seung Hwa Lee Introdução aos Estudos linguísticos I Fonêmica Seung Hwa Lee Introdução aos Estudos linguísticos I Conceitos Básicos da Fonêmica Fone: Unidade sonora atestada na produção da fala, precedendo qualquer análise. Os fones são os segmentos vocálicos

Leia mais

DEPTO. DE LINGUÍSTICA, PORTUGUÊS E LÍNGUAS CLÁSSICAS LIP

DEPTO. DE LINGUÍSTICA, PORTUGUÊS E LÍNGUAS CLÁSSICAS LIP UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA UnB INSTITUTO DE LETRAS IL DEPTO. DE LINGUÍSTICA, PORTUGUÊS E LÍNGUAS CLÁSSICAS LIP ELEVAÇÃO DA VOGAL PRETÔNICA: CONTEXTOS ESPECÍFICOS DE PROVÁVEIS CATEGÓRICOS. FERNANDO CUNHA

Leia mais

Língua portuguesa: ultrapassar fronteiras, juntar culturas

Língua portuguesa: ultrapassar fronteiras, juntar culturas O ESPRAIAMENTO DO TRAÇO DE NASALIDADE NA COMUNIDADE DE FALA FORTANOGUEIRENSE Gisélia Brito dos SANTOS 1 Profª. Drª. Maria Suelí de AGUIAR 2 RESUMO: Este trabalho tem por objetivo apresentar a análise dos

Leia mais

Marian dos Santos Oliveira. Wilmar da Rocha D Ângelis

Marian dos Santos Oliveira. Wilmar da Rocha D Ângelis Estudo Comparativo do Padrão Formântico da Vogal /a/ Produzida por Sujeitos com e sem Síndrome de Down Marian dos Santos Oliveira Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Wilmar da Rocha D Ângelis Universidade

Leia mais

Processamento Auditivo (Central)

Processamento Auditivo (Central) Processamento Auditivo (Central) O QUE É PROCESSAMENTO AUDITIVO (CENTRAL)? É o conjunto de processos e mecanismos que ocorrem dentro do sistema auditivo em resposta a um estímulo acústico e que são responsáveis

Leia mais

Ana Sofia Ferreira Silva Mendes Fernandes

Ana Sofia Ferreira Silva Mendes Fernandes Universidade do Minho Instituto de Educação Desempenho Fonético e Fonológico em Crianças com Perturbações da Linguagem e Fala: Um Estudo Exploratório no Concelho de Fafe Ana Sofia Ferreira Silva Mendes

Leia mais

Alfabetização e letramento. Professora : Jackeline Miranda de Barros

Alfabetização e letramento. Professora : Jackeline Miranda de Barros Alfabetização e letramento Professora : Jackeline Miranda de Barros O que é alfabetização? O que é letramento? Qual o melhor método? Como alfabetizar? Para início de conversa, vamos exercitar nossa memória...

Leia mais

AS INTERFERÊNCIAS FONOLÓGICAS NO INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA PARA OS FALANTES DO PORTUGUÊS DO BRASIL

AS INTERFERÊNCIAS FONOLÓGICAS NO INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA PARA OS FALANTES DO PORTUGUÊS DO BRASIL Eliana Vogel Jaeger AS INTERFERÊNCIAS FONOLÓGICAS NO INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA PARA OS FALANTES DO PORTUGUÊS DO BRASIL Resumo Magali Rosa de Sant Anna Este texto baseia-se na análise fonológica contrastiva

Leia mais