Área de Competência-Chave: Portefólio Reflexivo de Aprendizagem. ESLC - Mediadora: Marina Santos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Área de Competência-Chave: Portefólio Reflexivo de Aprendizagem. ESLC - Mediadora: Marina Santos"

Transcrição

1 Área de Competência-Chave: Portefólio Reflexivo de Aprendizagem

2 A AUTOBIOGRAFIA É uma descrição ou narrativa dos aspectos mais significativos da vida de um indivíduo, contados por si próprio. 2

3 Autobiografia Narração retrospectiva do percurso existencial, através da memória. Narrado na 1ª pessoa: carácter expressivo/ subjectivo. Desvio temporal entre o Eu presente e o Eu passado. Tempo psicológico: vivências subjectivas do indivíduo. Não segue necessariamente uma ordem cronológica: analepse (flash-back) ou prolepse. Biografia Descrição da vida de uma personalidade. Redigido na 3ª pessoa. Texto predominantemente informativo e objectivo. Descrição de datas, locais, pessoas e eventos importantes. Deve ser respeitada a ordem cronológica. 3

4 A AUTOBIOGRAFIA: questão inicial 4

5 A AUTOBIOGRAFIA: dicas Pretende-se que aponte o essencial sobre si próprio: sem entrar em pormenores íntimos ou excessivos; sem ser demasiado evasivo/vago. Decida o que quer realmente dizer e o que prefere calar. Não se esqueça que é uma pessoa, única e irrepetível: mostre essa singularidade! 5

6 A AUTOBIOGRAFIA: dicas O que é deve salientar? Algo que seja interessante /exemplar; Mostre etapas do seu percurso pessoal; Refira os seus interesses na escola, na sua profissão e na sociedade; Exiba competências essenciais que adquiriu; Demonstre aspectos positivos da sua personalidade. 6

7 A AUTOBIOGRAFIA: etapas 1º) Pense acerca dos acontecimentos mais marcantes da sua vida 1. Anote-os imediatamente por tópicos; 2. Seleccione apenas 5; 3. Ordene-os cronologicamente (do mais antigo para o mais recente). 7

8 A AUTOBIOGRAFIA: etapas 2º) Descreva esses 5 acontecimentos mais significativos da sua vida:

9 A AUTOBIOGRAFIA: etapas 3º) Explique, para cada acontecimento: 1. Por que razão esse acontecimento foi importante? 2. Como se sentiu na altura? 3. Que mudanças produziu em si? 4. O que aprendeu para a vida? 9

10 A AUTOBIOGRAFIA: exemplo Um dos acontecimentos mais importantes que primeiro recordo foi quando tinha seis anos e a minha família veio para Lisboa. Na altura, fiquei muito triste por perder os amigos, a minha casa e o contacto com a natureza. Este acontecimento foi muito importante na minha vida porque tive de me adaptar a um novo ambiente, com regras e pessoas muito diferentes. Mas acabei por aprender que as pessoas são muito parecidas em todo o lado - e que temos é de as conhecer e respeitar. 10

11 A AUTOBIOGRAFIA: redacção O seu texto deverá ter: - Introdução; - Desenvolvimento; - Conclusão. No desenvolvimento, cada acontecimento importante da sua vida deverá ser descrito num parágrafo (num total de 5). 11

12 A AUTOBIOGRAFIA: introdução Logo na 1ª frase deve captar a atenção. A minha história de vida irá mostrar que possuo as qualidades/competências necessárias para concluir este curso com sucesso. Escreva então uma frase apelativa sobre as suas capacidades. Escreva uma curta síntese (a ideia principal da Autobiografia). No decurso da minha vida, aprendi a ser disciplinada e trabalhadora, valores que prezo também nos outros. A minha família ensinou-me os valores mais importantes para viver em sociedade, através do exemplo. Na adversidade, esses valores têm guiado a minha vida. 12

13 A AUTOBIOGRAFIA: conclusão Volte a referir a ideia principal, por outras palavras. Creio que nesta breve história da minha vida mostrei que tenho as capacidades necessárias para ser bem sucedida neste curso de Educação e Formação de Adultos de nível secundário, pois aprendi a ser respeitadora e perseverante. Aponte as suas esperanças e sonhos. Conclua com um apelo aos outros. Para finalizar, gostaria de referir que espero concluir o curso para que a minha família possa ter orgulho em mim e para que consiga arranjar mais facilmente um bom emprego. Espero igualmente conseguir um bom ambiente de trabalho com os meus colegas de curso e com os formadores, pelo que vou tentar ser amável e prestável com todos. Para tal, espero que me seja dada a oportunidade de provar as minhas qualidades durante o curso. 13

14 A AUTOBIOGRAFIA: síntese Indique a sua motivação para o curso; Exiba um verdadeiro interesse; Mostre os aspectos mais positivos da sua personalidade; Sublinhe as competências essenciais adquiridas ao longo da sua vida; Exponha os seus sonhos e planos para o futuro. 14

Texto Narrativo. P R O F. ª A n a L ú c i a M o t a

Texto Narrativo. P R O F. ª A n a L ú c i a M o t a Texto Narrativo P R O F. ª A n a L ú c i a M o t a Texto narrativo É um relato de um acontecimento ou uma série de acontecimentos, reais ou imaginários; Exemplos de textos narrativos: conto, novela, romance,

Leia mais

Como Criar uma. Autobiografia

Como Criar uma. Autobiografia Como Criar uma Autobiografia Estratégia de Trabalho A mediadora: Vera Ramos A Abordagem (Auto)biográfica aproxima-se das Histórias de Vida como método, na medida em que visa a construção de um sentido

Leia mais

texto narrativo ação espaço tempo personagens narrador. narração descrição diálogo monólogo

texto narrativo ação espaço tempo personagens narrador. narração descrição diálogo monólogo Português 2014/2015 O texto narrativo conta acontecimentos ou experiências conhecidas ou imaginadas. Contar uma história, ou seja, construir uma narrativa, implica uma ação, desenvolvida num determinado

Leia mais

Anexo Entrevista G2.5

Anexo Entrevista G2.5 Entrevista G2.4 Entrevistado: E2.5 Idade: 38 anos Sexo: País de origem: Tempo de permanência em Portugal: Feminino Ucrânia 13 anos Escolaridade: Imigrações prévias: --- Ensino superior (professora) Língua

Leia mais

Psicologia do Adulto e do Idoso 2

Psicologia do Adulto e do Idoso 2 Psicologia do Adulto e do Idoso EDUCAÇÃO SOCIAL 1º Ano, 2º Semestre 2014/2015 SUMÁRIO: Morte e Luto ASPECTOS GERAIS O DESENVOLVIMENTO PRÉ-MORTE; José Farinha, ESEC, 2015 MORTE E LUTO ASPECTOS GERAIS Psicologia

Leia mais

ÍNDICE. Sugestões para a redação da história de vida - 2

ÍNDICE. Sugestões para a redação da história de vida - 2 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 ESTRUTURA DA HISTÓRIA DE VIDA... 4 1 Apresentação... 4 2 Nascimento. Infância e adolescência... 4 3 - Percurso Escolar... 4 4 - Idade Adulta... 4 4-1 Vida Familiar... 4 4-2 Percurso

Leia mais

Gustv Eiffel Centro Novas Oportunidades

Gustv Eiffel Centro Novas Oportunidades COOPTÉCNICA GUSTAVE EIFFEL Gustv Eiffel Centro Novas Oportunidades CALENDARIZAÇÃO DO PROCESSO DE RVCC Grupo Segundas e Sextas-feiras das às horas Técnica de RVC Contacto: 913 630 100 FASES DATA DURAÇÃO

Leia mais

Aulas 21 à 24 TEXTO NARRATIVO

Aulas 21 à 24 TEXTO NARRATIVO Aulas 21 à 24 Prof. Sabrina Moraes TEXTO NARRATIVO Maioritariamente escrito em prosa, o texto narrativo é caracterizado por narrar uma história, ou seja, contar uma história através de uma sequência de

Leia mais

PROCURAR EMPREGO. Delegação Regional do Centro. Centro de Emprego da Covilhã

PROCURAR EMPREGO. Delegação Regional do Centro. Centro de Emprego da Covilhã PROCURAR EMPREGO Delegação Regional do Centro Centro de Emprego da Covilhã 1 Procurar Emprego Exige: MOTIVAÇÃO PROATIVIDADE DETERMINAÇÃO TEMPO PERSISTÊNCIA ORGANIZAÇÃO Conhecer-se a si próprio: Experiências

Leia mais

Curso de Educação e Formação de Adultos - Nível Secundário EFA - NS. Os cursos EFA NS compreendem 2 componentes: - Formação Tecnológica

Curso de Educação e Formação de Adultos - Nível Secundário EFA - NS. Os cursos EFA NS compreendem 2 componentes: - Formação Tecnológica Curso de Educação e Formação de Adultos - Nível Secundário EFA - NS Os cursos EFA NS compreendem 2 componentes: - Formação Base - Formação Tecnológica Cláudia Silva 1 Formação Base integra 3 áreas de competências

Leia mais

Edição n.º 4 9 de outubro de Palixa

Edição n.º 4 9 de outubro de Palixa JORNAL DO PRÍNCIPE Edição n.º 4 9 de outubro de 2014 Palixa Todas as quartas-feiras, pelas 18h00, há um grupo de amigos que se reúne no Centro Cultural do Príncipe para conversar e ensinar Lung ie. Pág.

Leia mais

Teste Formativo sobre o CONTO

Teste Formativo sobre o CONTO Unidade Temática: Contos do séc. XX Escola Básica 2,3/ S de Vale de Cambra Português 10ºAno Profª Dina Baptista Teste Formativo sobre o CONTO Fonte Bibliográfica: http://www.netprof.pt Nota: Esta ficha

Leia mais

Estratégias de ensino que facilitam a aprendizagem dos alunos. Perspectivas e dilemas Professora Dra. Elena Mabel Brutten DEPED/CCSA

Estratégias de ensino que facilitam a aprendizagem dos alunos. Perspectivas e dilemas Professora Dra. Elena Mabel Brutten DEPED/CCSA Estratégias de ensino que facilitam a aprendizagem dos alunos Perspectivas e dilemas Professora Dra. Elena Mabel Brutten DEPED/CCSA Aula expositiva Pontos fortes / fracos Perspectivas... Uma aula dialógica...

Leia mais

Elementos da narrativa. Acção. Tempo. Espaço. Personagens. Narrador. Modos de Expressão e representação. Narratário

Elementos da narrativa. Acção. Tempo. Espaço. Personagens. Narrador. Modos de Expressão e representação. Narratário Elementos da narrativa Acção Tempo Espaço Personagens Narrador Modos de Expressão e representação Narratário O texto narrativo Conta acontecimentos ou experiências conhecidas ou imaginadas, o que implica

Leia mais

- Explicar os factores de sucesso do Método Escutista.

- Explicar os factores de sucesso do Método Escutista. O Jogo Escutista Objectivos - Explicar os factores de sucesso do Método Escutista. - Explicar o que é o Jogo Escutista e o que o caracteriza. - Enunciar os seis elementos fundamentais do jogo escutista

Leia mais

PROTOCOLO DAS QUESTÕES ABERTAS DOS QUESTIONÁRIOS

PROTOCOLO DAS QUESTÕES ABERTAS DOS QUESTIONÁRIOS PROTOCOLO DAS QUESTÕES ABERTAS DOS QUESTIONÁRIOS 1. Para mim o trabalho de Educação de Adultos é... Um trabalho muito enriquecedor, divertido, recompensador... uma experiência fantástica. Bastante gratificante

Leia mais

Escrita. Por Ricardo Fonseca

Escrita. Por Ricardo Fonseca Escrita Por Ricardo Fonseca FUGA MEDOS GRATIDÃO MISSÃO Sonhos VIVER DOENÇA FAMÍLIA Amor DÚVIDAS PAIXÃO Escrever SAÚDE RECUPERAÇÃO TRISTEZA ABUNDÂNCIA PERDA Luto REALIZAÇÃO VITÓRIA FELICIDADE ABANDONO CRISE

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÂO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS 2º CICLO ANO LETIVO 2015 / 2016 DOMÍNIOS DE APRENDIZAGEM DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA PONDERAÇÃO INSTRUMENTOS DE

Leia mais

QUIZ EMPREENDEDOR ENSINO SECUNDÁRIO / PROFISSIONAL

QUIZ EMPREENDEDOR ENSINO SECUNDÁRIO / PROFISSIONAL QUIZ EMPREENDEDOR ENSINO SECUNDÁRIO / PROFISSIONAL Ensino Secundário / Profissional Breve descrição Esta atividade apresenta um questionário com o intuito de perceber se o aluno é ou não muito empreendedor

Leia mais

Disciplina: Português 2012 / º Ano Módulo: 4 Texto narrativo FICHA INFORMATIVA. Comunicação literária

Disciplina: Português 2012 / º Ano Módulo: 4 Texto narrativo FICHA INFORMATIVA. Comunicação literária Comunicação literária FICH INFORMTIV Disciplina: Português 2012 / 2013-1º no Módulo: 4 Texto narrativo O que faz do homem aquilo que ele é, um ser distinto de todos os demais seres vivos, é a linguagem,

Leia mais

Acção Espaço Tempo Personagem Narrador

Acção Espaço Tempo Personagem Narrador Acção Espaço Tempo Personagem Narrador A acção é constituída por sequências narrativas (acontecimentos) provocadas ou experimentadas pelas personagens, que se situam num espaço e decorrem num tempo, mais

Leia mais

Centro Novas Oportunidades da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa

Centro Novas Oportunidades da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa Centro Novas Oportunidades da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa Rua Saraiva de Carvalho, nº41, 1269-099 Lisboa Tel: 21 114 89 00 Fax: 21 849 31 30 QUESTIONÁRIO IV Avaliação de Impacto (após 6 meses

Leia mais

Estudo do texto narrativo. José Manuel Martins Cobrado

Estudo do texto narrativo. José Manuel Martins Cobrado 1 O TEXTO NARRATIVO O texto narrativo é o relato de uma história, real ou imaginária, contada (narrada) por um narrador, cujas personagens se envolvem numa acção que decorre num determinado espaço, durante

Leia mais

O SONHO DE UM HOMEM RIDÍCULO DE DOSTOIÉVSKI E A QUESTÃO DA TEMPORALIDADE

O SONHO DE UM HOMEM RIDÍCULO DE DOSTOIÉVSKI E A QUESTÃO DA TEMPORALIDADE O SONHO DE UM HOMEM RIDÍCULO DE DOSTOIÉVSKI E A QUESTÃO DA TEMPORALIDADE Cabral, Izaura da Silva 1 RESUMO: O tempo é uma representação que um uma narrativa interfere tanto na localização das ações, como

Leia mais

A sua aprendizagem poderá ser reconhecida como conhecimento... Será um ponto de partida e não um ponto de chegada!

A sua aprendizagem poderá ser reconhecida como conhecimento... Será um ponto de partida e não um ponto de chegada! A sua aprendizagem poderá ser reconhecida como conhecimento... Será um ponto de partida e não um ponto de chegada! Iniciativa Novas Oportunidades Objectivos: Elevar o nível de qualificação da população

Leia mais

Categorias da narrativa

Categorias da narrativa Categorias da narrativa Ação Conjunto de acontecimentos que constituem uma narrativa e que são relatados, mas há que distinguir a importância de cada um deles para a história. Ação principal: constituída

Leia mais

Dicas sobre produção mediática: A produção de uma reportagem para o média escolar

Dicas sobre produção mediática: A produção de uma reportagem para o média escolar Sobre este documento Este documento tem por objetivo dar algumas sugestões e dicas acerca da produção de um trabalho jornalístico, nas suas diferentes fases, tendo em conta o contexto educativo e o enquadramento

Leia mais

SITUAÇÃO DE USO Escolha de atividades físicas e aconselhamento e discussão sobre elas.

SITUAÇÃO DE USO Escolha de atividades físicas e aconselhamento e discussão sobre elas. UNIDADE: Quero perder uns quilinhos / Brasil SITUAÇÃO DE USO Escolha de atividades físicas e aconselhamento e discussão sobre elas. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM - Reconhecer o recurso argumentação em propagandas

Leia mais

Documento de Apoio às Metas Curriculares de História

Documento de Apoio às Metas Curriculares de História Documento de Apoio às Metas Curriculares de História (3.º Ciclo do Ensino Básico) Equipa: Ana Isabel Ribeiro (Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra) João Paulo Avelãs Nunes (Faculdade de Letras

Leia mais

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos narrados. Tempo histórico - refere-se à época ou momento histórico

Leia mais

Modelo de Cenário da Sala de Aula do Futuro

Modelo de Cenário da Sala de Aula do Futuro Modelo de Cenário da Sala de Aula do Futuro Este modelo deve ser usado em conjunto com a ferramenta 3.1 do Kit de Ferramentas da Sala de Aula do Futuro (versão 1). Inclui igualmente exemplos de Cenários

Leia mais

Edição Especial. ebook Digital

Edição Especial. ebook Digital Edição Especial ebook Digital Publicado em Dezembro de 2016 Índice Geral APRESENTAÇÃO... 3 FUNDO DO POÇO... 4 PROFICIÊNCIA EM IDIOMAS... 5 CULTURA... 7 RESILIÊNCIA... 7 CONHECIMENTO... 9 CONSIDERAÇÕES

Leia mais

Você conhece a sua bíblia?

Você conhece a sua bíblia? Você conhece a sua bíblia? RECORDANDO... Um breve tratado sobre as Escrituras - 66 livros: 39 AT + 27 NT - Ela é a revelação de Deus - Autores diferentes mas uma mesma mente formadora Interpretando a Bíblia

Leia mais

O Portefólio Reflexivo de Aprendizagens (PRA)

O Portefólio Reflexivo de Aprendizagens (PRA) O Portefólio Reflexivo de Aprendizagens (PRA) Não é a pessoa que produz a História de Vida, é a História de Vida que produz a pessoa (Pineau) 1. O que é o Portefólio Reflexivo de Aprendizagens? É uma colecção

Leia mais

O Ensino da Leitura. A aprendizagem de estratégias de compreensão e de interpretações textuais. Formador Residente, Maurício Ferreira

O Ensino da Leitura. A aprendizagem de estratégias de compreensão e de interpretações textuais. Formador Residente, Maurício Ferreira O Ensino da Leitura A aprendizagem de estratégias de compreensão e de interpretações textuais. Formador Residente, Maurício Ferreira Compreensão da leitura Ler é compreender, obter informação, aceder ao

Leia mais

UMA NOVA ETAPA A VIDA COMEÇA AOS... Sempre e onde estiver...estamos lá Saiba mais em

UMA NOVA ETAPA A VIDA COMEÇA AOS... Sempre e onde estiver...estamos lá Saiba mais em UMA NOVA ETAPA A VIDA COMEÇA AOS... Sempre e onde estiver...estamos lá Saiba mais em www.sscgd.pt Com a chegada reforma muitas vezes coloca-se a pergunta: Estou reformado e agora? Para o ajudar a responder

Leia mais

3 - (PUC-PR) Empregue o pronome relativo acompanhado ou não de preposição, nas lacunas das frases a seguir.

3 - (PUC-PR) Empregue o pronome relativo acompanhado ou não de preposição, nas lacunas das frases a seguir. 3 - (PUC-PR) Empregue o pronome relativo acompanhado ou não de preposição, nas lacunas das frases a seguir. 1. Fez o anúncio... todos ansiavam. 2. Avise-me... consistirá o concurso. 3. Existe um decreto...

Leia mais

Oficina inaugural de produção textual sobre o texto dissertativo-argumentativo

Oficina inaugural de produção textual sobre o texto dissertativo-argumentativo Caro Aluno, Oficina inaugural de produção textual Oficina inaugural de produção textual sobre o texto dissertativo-argumentativo Esta oficina tem como objetivo geral criar a oportunidade para ter o primeiro

Leia mais

Outras características de morfologia e sintaxe da notícia:

Outras características de morfologia e sintaxe da notícia: O Jornalismo «O jornalismo, na sua justa e verdadeira atitude, seria a intervenção permanente do país na sua própria vida política, moral, religiosa, literária e individual. O jornalismo não sabe que há

Leia mais

INQUÉRITO AOS MORADORES SOBRE AS CONDIÇÕES DE HABITABILIDADE, SATISFAÇÃO RESIDENCIAL E EXPECTATIVAS. Questionário B

INQUÉRITO AOS MORADORES SOBRE AS CONDIÇÕES DE HABITABILIDADE, SATISFAÇÃO RESIDENCIAL E EXPECTATIVAS. Questionário B INQUÉRITO AOS MORADORES SOBRE AS CONDIÇÕES DE HABITABILIDADE, SATISFAÇÃO RESIDENCIAL E EXPECTATIVAS Questionário B Data: Inquiridor: Titular: Rua: Frei Manuel Cenáculo Torre: Andar: TIPOLOGIA: CÓDIGO FAMÍLIA:

Leia mais

Entrevista Rodrigo

Entrevista Rodrigo Entrevista 1.17 - Rodrigo (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento)

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA Nome: Nº 9º Ano Data: / / 2017 Professor: Alessandro 1º Bimestre Nota: (Valor 1,0) A - Introdução Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou os

Leia mais

SUGESTÕES PARA ESCREVER MELHOR

SUGESTÕES PARA ESCREVER MELHOR SUGESTÕES PARA ESCREVER MELHOR Trueffelpix / Shutterstock.com A MELHOR MANEIRA DE APRIMORAR A ESCRITA É... ESCREVENDO! Nas telas seguintes você conhecerá algumas estratégias interessantes para desenvolver

Leia mais

Escola Básica e Secundária À Beira Douro. Planificação de Língua Portuguesa 6º ano. Ano lectivo

Escola Básica e Secundária À Beira Douro. Planificação de Língua Portuguesa 6º ano. Ano lectivo Escola Básica e Secundária À Beira Douro Planificação de Língua Portuguesa 6º ano Ano lectivo 2010-2011 COMPETÊNCIAS Alargamento da compreensão a géneros formais e públicos do oral. Criação de autonomia

Leia mais

GUIÃO PARA A ELABORAÇÃO DE UM PORTEFÓLIO

GUIÃO PARA A ELABORAÇÃO DE UM PORTEFÓLIO GUIÃO PARA A ELABORAÇÃO DE UM PORTEFÓLIO 1. O que é um portefólio? Segundo Tierney, citado por Bernardes e Bizarro (2004): Uma colecção sistemática, organizada e devidamente planeada de trabalhos produzidos

Leia mais

ESTRUTURA DO TEXTO NARRATIVO. Prof.ª Nivania Alves

ESTRUTURA DO TEXTO NARRATIVO. Prof.ª Nivania Alves ESTRUTURA DO TEXTO NARRATIVO Prof.ª Nivania Alves A narração é um modo de organização de texto cujo conteúdo está vinculado, em geral, às ações ou acontecimentos contados por um narrador. Para construir

Leia mais

Após termos trabalhado em sessões anteriores os temas Conhecer o nosso sistema de

Após termos trabalhado em sessões anteriores os temas Conhecer o nosso sistema de Venham lá os exames Após termos trabalhado em sessões anteriores os temas Conhecer o nosso sistema de Aprendizagem, A motivação, a concertação e a motivação, vamos começar a examinar os exames nacionais

Leia mais

REVISÃO. APOSTILA 02 Sistema Anglo. 7º ano REDAÇÃO PROF. CLAUDIO JÚNIOR. Colégio Sagrado Coração de Jesus

REVISÃO. APOSTILA 02 Sistema Anglo. 7º ano REDAÇÃO PROF. CLAUDIO JÚNIOR. Colégio Sagrado Coração de Jesus REVISÃO APOSTILA 02 Sistema Anglo 7º ano REDAÇÃO PROF. CLAUDIO JÚNIOR Colégio Sagrado Coração de Jesus EFEITO DE SUSPENSE O suspense é um efeito muito utilizado por autores de diversos tipos de narrativas.

Leia mais

Elementos da narrativa

Elementos da narrativa Elementos da narrativa Narrador presente narrador ausente O narrador é aquele que conta a história Uma narrativa Quando não participa na história narrada, relatando apenas acontecimentos na terceira pessoa

Leia mais

anue P or uga l F erre ra Fernando Serra Procurem aqui: www. l gl b o a b d van a t ge.ip i le l ir i ia.

anue P or uga l F erre ra Fernando Serra  Procurem aqui: www. l gl b o a b d van a t ge.ip i le l ir i ia. Fazer Investigação e Escrever Artigos ISCEE/Storg, Maio 2009 Ferreira Fernando Serra globadvantage Center of Research in International Business & Strategy www.globadvantage.ipleiria.pt portugal@estg.ipleiria.pt

Leia mais

Promoção de Experiências Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ. Rui Gomes Universidade do Minho Escola de Psicologia

Promoção de Experiências Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ. Rui Gomes Universidade do Minho Escola de Psicologia Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Universidade do Minho Escola de Psicologia rgomes@psi.uminho.pt www.ardh-gi.com Módulo 2 Motivação 1 Esta apresentação não substitui a leitura dos manuais do monitor

Leia mais

AS CATEGORIAS DA NARRATIVA

AS CATEGORIAS DA NARRATIVA AS CATEGORIAS DA NARRATIVA ACÇÃO ESPAÇO TEMPO PERSONAGENS NARRADOR MODALIDADES DE DISCURSO ACÇÃO É constituída por sequências narrativas provocadas pelas personagens e situa-se num espaço e num tempo mais

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto Lei n.º 139/2012, de 5 de Julho

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto Lei n.º 139/2012, de 5 de Julho Ano letivo 2013/2014 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto Lei n.º 139/2012, de 5 de Julho Disciplina: HISTÓRIA DAS ARTES Prova/Código: 124 Ano de Escolaridade: 12ºAno (Curso Tecnológico

Leia mais

Sejam Bem-Vindos! Mary Kay Ash

Sejam Bem-Vindos! Mary Kay Ash Sejam Bem-Vindos! Vislumbrei uma companhia na qual qualquer mulher poderia ter tanto sucesso quanto desejasse. As portas estariam abertas às oportunidades para as mulheres que estiverem dispostas a pagar

Leia mais

TEXTO NARRATIVO: COMO É ESSE GÊNERO?

TEXTO NARRATIVO: COMO É ESSE GÊNERO? AULAS 9 À 12 Prof. Sabrina Moraes TEXTO NARRATIVO: COMO É ESSE GÊNERO? A narração é um tipo de texto que conta uma sequência de fatos, sejam eles reais ou imaginários, nos quais as personagens atuam em

Leia mais

ANEXO 3 - Ficha de Inventário do património cultural imaterial

ANEXO 3 - Ficha de Inventário do património cultural imaterial ANEXO 3 - Ficha de Inventário do património cultural imaterial 1. Nº de Registo [Nº automático] IDENTIFICAÇÃO DO BEM CULTURAL IMATERIAL 2. Designação do bem cultural imaterial Qual o nome do bem cultural

Leia mais

Dicas para melhor desempenho escolar do aluno e do ambiente familiar. CENTRO EDUCACIONAL STELLA MARIS CONGREGAÇÃO CLARETIANA

Dicas para melhor desempenho escolar do aluno e do ambiente familiar. CENTRO EDUCACIONAL STELLA MARIS CONGREGAÇÃO CLARETIANA CENTRO EDUCACIONAL STELLA MARIS CONGREGAÇÃO CLARETIANA Dicas para melhor desempenho escolar do aluno e do ambiente familiar. Conversar com os seus filhos é um bom começo. Ouvir o problema é meio caminho

Leia mais

Ryon Braga. Faculdade Uniamérica

Ryon Braga. Faculdade Uniamérica Ryon Braga Faculdade Uniamérica UMA VERDADEIRA REVOLUÇÃO ESTÁ EM CURSO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR MUNDIAL - ESTAMOS PREPARADOS PARA ELA? Ryon Braga ENSINAR OU APRENDER? Como podemos dizer que ensinamos, se ninguém

Leia mais

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos narrados. Tempo histórico - refere-se à época ou momento histórico

Leia mais

O Jogo de Empreendedorismo

O Jogo de Empreendedorismo O Jogo de Empreendedorismo Mestrado em Engenharia Química e Biológica 1º Semestre 2016/2017 Prof. Luísa Coutinho Começar uma empresa pode parecer uma utopia! É realmente uma tarefa que exige capacidades

Leia mais

OS CURSOS EFA E O PORTEFÓLIO REFLEXIVO DE APRENDIZAGEM

OS CURSOS EFA E O PORTEFÓLIO REFLEXIVO DE APRENDIZAGEM OS CURSOS EFA E O PORTEFÓLIO REFLEXIVO DE APRENDIZAGEM Os Cursos de Educação e Formação de Adultos são uma oferta de educação e formação que pretendam elevar as suas qualificações. Estes cursos desenvolvem-se

Leia mais

DATA: / / 2012 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7.º ANO/EF

DATA: / / 2012 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7.º ANO/EF SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: / / 0 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7.º ANO/EF PROFESSOR(A): VALOR: 0,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO:

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome: Nº 6ºAno Data: / /2016 Professor: Nota: (valor: 1,0) 3º bimestre Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou os conteúdos mínimos necessários.

Leia mais

Curso Piloto O Atendimento nas Lojas do Cidadão 06/05/ /06/2008

Curso Piloto O Atendimento nas Lojas do Cidadão 06/05/ /06/2008 Curso Piloto O Atendimento nas Lojas do Cidadão 06/05/2008 27/06/2008 Avaliação da Formação É importante para a AMA e, especificamente para toda a Equipa que concebeu e preparou esta Acção de Formação

Leia mais

Instituto Politécnico de Lisboa - Escola Superior de Música de Lisboa Licenciatura em Música - Unidade Curricular: Projecto

Instituto Politécnico de Lisboa - Escola Superior de Música de Lisboa Licenciatura em Música - Unidade Curricular: Projecto FICHA DE PROJECTO 1. DADOS (autor do projeto, orientador do projeto e coordenador do curso) Título do Projecto Identificação do autor do projecto e responsável pelo relatório Estudante Nº Nome Variante

Leia mais

Módulo 2. Voz Interior

Módulo 2. Voz Interior Amor-próprio DIANA DUARTE Módulo 2. Voz Interior Lição 4. Erros Cognitivos No Módulo 1. Amor incondicional na Lição 6 e 7 apresentei-te dois erros cognitivos presentes na forma como interpretas as tuas

Leia mais

PORTUGISISKA Currículo para o ensino da língua sueca para imigrantes

PORTUGISISKA Currículo para o ensino da língua sueca para imigrantes PORTUGISISKA Currículo para o ensino da língua sueca para imigrantes Objetivos do ensino O programa de ensino da língua sueca para imigrantes é um programa de formação linguística qualificado que visa

Leia mais

Escrita de Relatórios

Escrita de Relatórios Guia 6 Escrita de Relatórios Auto-estudo Para o Gestor de Projecto Objectivos de aprendizagem Depois de ter lido o material do Guia de Escrita de Relatórios e ter concluído a secção de auto-estudo, será

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA PARÁGRAFO DE CONCLUSÃO

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA PARÁGRAFO DE CONCLUSÃO PARÁGRAFO DE CONCLUSÃO O parágrafo de conclusão é muito importante, porque é o fechamento tanto da narração jurídica quanto da dissertação jurídica da peça processual. Na primeira parte da peça processual,

Leia mais

Associação Portuguesa de Antropologia

Associação Portuguesa de Antropologia Associação Portuguesa de Antropologia O PERFIL DO ANTROPÓLOGO EM PORTUGAL 2015 Caro(a) colega, bem-vindo(a)! Este questionário integra-se num estudo que a APA, Associação Portuguesa de Antropologia, está

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA Nome: Nº 7º ano Data: / /2017 Professor: Joelson e Mayra Nota: (valor: 2,0) 1º bimestre A - Introdução Neste bimestre, sua nota foi inferior a 6,0 pontos e você não

Leia mais

Portfolio: uma ferramenta pedagógica para aprender. Lurdes Gonçalves

Portfolio: uma ferramenta pedagógica para aprender. Lurdes Gonçalves Portfolio: uma ferramenta pedagógica para aprender Lurdes Gonçalves mgoncalves@dte.ua.pt www.portfolio.alfarod.net Tópicos da apresentação 4. Conceito 5. Percurso individual 6. Notas de experiência 7.

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALBERTO SAMPAIO Exame de Equivalência à Frequência

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALBERTO SAMPAIO Exame de Equivalência à Frequência Disciplina: PSICOLOGIA B - FASE 2ª Ano(s) de Escolaridade: 12º ANO 2009/2010 Código: 340 Duração da Prova : 90 minutos Grupo I Este grupo é constituído por dez questões de escolha múltipla. Na sua folha

Leia mais

Instituto Politécnico da Guarda. Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto. Catarina José Camacho de Caires nº 6509

Instituto Politécnico da Guarda. Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto. Catarina José Camacho de Caires nº 6509 Instituto Politécnico da Guarda Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto Didáctica da Expressões Expressão Dramática Plano de sessão Catarina José Camacho de Caires nº 6509 Sessão n.º 25 Idade

Leia mais

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO LITERATURA 1º SEMESTRE NOME: PROFESSORA: VIVIANE MARQUES PARTE 1 ESTRUTURA E CARACTERÍSTICAS DOS GÊNEROS LITERÁRIOS ESTUDADOS

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO LITERATURA 1º SEMESTRE NOME: PROFESSORA: VIVIANE MARQUES PARTE 1 ESTRUTURA E CARACTERÍSTICAS DOS GÊNEROS LITERÁRIOS ESTUDADOS TRABALHO DE RECUPERAÇÃO LITERATURA 1º SEMESTRE NOME: PROFESSORA: VIVIANE MARQUES PARTE 1 ESTRUTURA E CARACTERÍSTICAS DOS GÊNEROS LITERÁRIOS ESTUDADOS 1 Leia este trecho do texto Memórias de Emília, de

Leia mais

REGULAMENTO DAS VISITAS DE ESTUDO ESCOLA SECUNDÁRIA MARQUÊS DE POMBAL

REGULAMENTO DAS VISITAS DE ESTUDO ESCOLA SECUNDÁRIA MARQUÊS DE POMBAL REGULAMENTO DAS VISITAS DE ESTUDO ESCOLA SECUNDÁRIA MARQUÊS DE POMBAL CAPÍTULO I ORGANIZAÇÃO DAS VISITAS DE ESTUDO Artigo 1.º Definição e Objetivos 1. As visitas de estudo são estratégias do processo ensino-aprendizagem

Leia mais

Trabalhos Acadêmicos MEMORIAL RESUMO RESENHA ARTIGO PROJETO

Trabalhos Acadêmicos MEMORIAL RESUMO RESENHA ARTIGO PROJETO Trabalhos Acadêmicos MEMORIAL RESUMO RESENHA ARTIGO PROJETO MEMORIAL Memorial é um depoimento escrito relativo à lembrança, à vivência de alguém; memórias. Deve conter um breve relato sobre a história

Leia mais

INTRODUÇÃO AO EMPREENDEDOR POR UM DIA

INTRODUÇÃO AO EMPREENDEDOR POR UM DIA INTRODUÇÃO AO EMPREENDEDOR POR UM DIA ENSINO SECUNDÁRIO / PROFISSIONAL Ensino Secundário / Profissional Breve descrição Tendo em vista a atividade prática Empreendedor por um dia, esta atividade apresenta-a,

Leia mais

Auditoria DISC. Juan Prueba

Auditoria DISC. Juan Prueba Auditoria DISC Juan Prueba 26/03/2016 1 Introdução à metodologia D.I.S.C. Este relatório baseia-se na metodologia D.I.S.C. e o seu objectivo é o de ajudar aos processos de progressão e selecção. D.I.S.C.

Leia mais

FISIOTERAPIA Metodologia da Pesquisa Científica

FISIOTERAPIA Metodologia da Pesquisa Científica FISIOTERAPIA Metodologia da Pesquisa Científica Prof.ª Dr.ª Ana Lúcia Billig Foz do Iguaçu, setembro 2017 Resumo e Resenha Resumo Resumo: É um tipo de redação informativo referencial que se ocupa de reduzir

Leia mais

Capítulo 7. Conceitos-Chave e sua Operacionalização Empírica

Capítulo 7. Conceitos-Chave e sua Operacionalização Empírica A Narrativa na Encruzilhada 70 Capítulo 7. Conceitos-Chave e sua Operacionalização Empírica Estabelecido o modelo da investigação e de forma a poder operacionalizar a análise empírica, foi necessário definir

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome Nº 6º Ano Data: Professor(a): Nota: (valor 1,0) 1 o.bimestre Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou os conteúdos mínimos necessários.

Leia mais

AS VIRTUDES: O QUE SÃO E COMO E COMO SE ADQUIREM?

AS VIRTUDES: O QUE SÃO E COMO E COMO SE ADQUIREM? AS VIRTUDES: O QUE SÃO E COMO E COMO SE ADQUIREM? À medida que as crianças crescem, precisam de adquirir e desenvolver algumas qualidades de carácter, a que alguns autores chamam disposições e hábitos,

Leia mais

Português - Advérbios e preposições. 1. Copia dos teus apontamentos a definição de advérbio.

Português - Advérbios e preposições. 1. Copia dos teus apontamentos a definição de advérbio. A1 1. Copia dos teus apontamentos a definição de advérbio. 2. Dentro da classe dos advérbios, existe 3 subclasses. Identificaas e regista alguns exemplos. A1R 1. Os advérbios são palavras invariáveis em

Leia mais

Síntese da Planificação da Disciplina de Língua Portuguesa 6 º Ano

Síntese da Planificação da Disciplina de Língua Portuguesa 6 º Ano Síntese da Planificação da Disciplina de Língua Portuguesa 6 º Ano Período Dias de aulas previstos 2.ª 3.ª 4.ª 5.ª 6.ª 1.º período 13 12 12 12 14 2.º período 10 11 11 12 12 3.º período 8 8 8 8 9 (As Aulas

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome: Nº 6º ano Data: //2017 Professor: Fernanda/ Iuri 1º bimestre Nota: (valor: 1,0) a) Introdução Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou

Leia mais

MATERIAIS PARA PROFESSORES, PAIS E FILHOS

MATERIAIS PARA PROFESSORES, PAIS E FILHOS Nível de competência B2 Oficina de escrita (Adaptada de Materiais para o Novo Programa de Português do Ensino Básico SD3_Ano7_FT03) Vai propor a aquisição de novas obras para a biblioteca escolar. Comece

Leia mais

Dicas sobre produção mediática: A produção de uma entrevista para o média escolar

Dicas sobre produção mediática: A produção de uma entrevista para o média escolar Sobre este documento Este documento tem por objetivo dar algumas sugestões e dicas acerca da produção de um trabalho jornalístico, nas suas diferentes fases, tendo em conta o contexto educativo e o enquadramento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA DISCIPLINA : LÍNGUA PORTUGUESA : 6ºano ANO LECTIVO: 2007/2008 PLANIFICAÇÃO ANUAL COMPETÊNCIAS GERAIS Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar

Leia mais

Leia com calma as questões e responda com carinho, fazendo pausas até a conclusão, se achar necessário.

Leia com calma as questões e responda com carinho, fazendo pausas até a conclusão, se achar necessário. Questionário FIS - Felicidade Interna Sustentável CARACTERIZAÇÃO DA AMOSTRA Idade Sexo ( )M ( )F Grau de Instrução ( )Básico ( )Médio ( )Universitário ( )Especialização ( )Mestrado ( )Doutorado ( )Outros

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS SUB-UNIDADE/ MÓDULO Textos narrativos / descritivos Literatura de viagens/aventuras CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS

Leia mais

À DESCOBERTA DOS NEGÓCIOS

À DESCOBERTA DOS NEGÓCIOS À DESCOBERTA DOS NEGÓCIOS ENSINO SECUNDÁRIO / PROFISSIONAL Ensino Secundário / Profissional Breve descrição Jogo baseado na dinâmica do pictionary sobre termos associados ao Plano de Negócios. Após este

Leia mais

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

Você é uma Mulher de Sonhos ou uma Mulher de Atitude? Crédito Diretora Rakell Aguiar

Você é uma Mulher de Sonhos ou uma Mulher de Atitude? Crédito Diretora Rakell Aguiar Você é uma Mulher de Sonhos ou uma Mulher de Atitude? Crédito Diretora Rakell Aguiar Murmuração... Eu não gosto do meu trabalho Não me sinto uma pessoa valorizada no que faço Preciso melhorar minha vida

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: PSICOLOGIA Campus: MACAÉ Missão O Curso de Psicologia da Estácio de Sá tem como missão formar profissionais Psicólogos generalistas que no desempenho de suas atividades

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DISCIPLINA DE FRANCÊS 3º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DISCIPLINA DE FRANCÊS 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DISCIPLINA DE FRANCÊS 3º CICLO Competências Específicas Instrumentos de Avaliação Pesos percentuais Compreender (ouvir / ver) Testes de Avaliação 3 DOMÍNIO COGNITIVO (ler) Fichas

Leia mais

Documento de Apoio às Metas Curriculares de História e Geografia de Portugal

Documento de Apoio às Metas Curriculares de História e Geografia de Portugal Documento de Apoio às Metas Curriculares de História e Geografia de Portugal (2.º Ciclo do Ensino Básico) Equipa: Ana Isabel Ribeiro (Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra) João Paulo Avelãs Nunes

Leia mais

3 Formador: Luís Fernando Pinto Salema

3 Formador: Luís Fernando Pinto Salema 3 Formador: Luís Fernando Pinto Salema Folha de trabalho CEL CONHECIMENTO EPLÍCITO DA LÍNGUA ATIVIDADE 3.º CICLO 1. Tipo de atividade: mobilização de conhecimento; treino; construção de conhecimento (8º

Leia mais

"PASSO A PASSO DE ESTUDO"

PASSO A PASSO DE ESTUDO 2 Aqui no EPISÓDIO 04 você recebe o PASSO A PASSO para estudar Inglês diariamente e usando tudo o que ensinei durante o AULÃO NACIONAL DE INGLÊS! "PASSO A PASSO DE ESTUDO" Se tudo que eu falei para você

Leia mais

Edição n.º 2 26 de setembro de À conversa com o padre Fabián

Edição n.º 2 26 de setembro de À conversa com o padre Fabián JORNAL DO PRÍNCIPE Edição n.º 2 26 de setembro de 2014 À conversa com o padre Fabián Veio da Colômbia para o Príncipe há 10 anos. A comunidade sorri e diverte-se com as suas mensagens, sempre positivas.

Leia mais